Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

INSTITUTO INTEGRADO DE SAÚDE - INISA


UNIDADE DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO EM SAÚDE COLETIVA
GRADUAÇÃO EM MEDICINA
Estudantes: Amanda Thiemy Barbosa Kuroishi, Aryane Romin de Oliveira, Letícia Akemi Taniguchi Takeuti, Mariana Pimenta Barbosa.

ESTUDO DIRIGIDO 1: CONCEPÇÃO DE SAÚDE – DOENÇA –CUIDADO

Com base na leitura dos textos encaminhados, prepare o quadro-síntese com os diferentes modelos explicativos sobre o processo de saúde – doença e
cuidado, destacando as vantagens e desvantagens de cada um deles. Pode ampliar sua pesquisa para construção do quadro. Lembrar-se do registro das
referências utilizadas na realização dessa atividade.

QUADRO-SÍNTESE MODELOS EXPLICATIVOS PROCESSO SAÚDE DOENÇA CUIDADO

MODELO SAÚDE DOENÇA CUIDADO VANTAGENS DESVANTAGENS

Mágico-religioso → boa “relação” com → originada de → por meio de rituais → união entre os → pessoas doentes
as divindades espíritos malignos e realizados por povos devido a eram consideradas, de
divindades, sendo a sacerdotes, feiticeiros identificação por uma certa forma, como
doença considerada ou xamãs crença comum. ‘’pecadoras’’.
uma espécie de
‘’castigo’’ → o tratamento era
feito tardiamente.

Holístico → equilíbrio do corpo → desequilíbrio de → busca pelo → impulsionou a → visão dualista


com o meio ambiente origem no ambiente equilíbrio do corpo criação de leis
físico, isto, entre os físico,seja pelos (elementos internos) sanitárias
ambiente interno e o astros, pelo clima ou com o ambiente → enfoque inicial em → enfoque no grupo
externo insetos (elementos externos) medidas de promoção em detrimento do
da saúde individual.
→ equilíbrio entre
elementos e humores → modelo em que
do organismo humano prevalecia mais o
grupo do que o
individual.

→ focalização para o
ambiente físico:
clima, astros, insetos.

Empírico-racional → equilíbrio dos → produto do → compreensão do → valorização da → correlaciona como


(hipocrático) humores desequilíbrio entre os desequilíbrio para prática clínica e da causa tanto para
princípios básicos da buscar o equilíbrio observação da saúde como para a
vida natureza doença somente os
humores
→ doença vista como → primeiras
parte da natureza hipóteses sobre o
contágio

Biomédico → ausência de → desarranjo no → visão reducionista → tratamento com a → visão fragmentada


doença, dor mecanismo (estrutura e mecanicista divisão em partes do organismo humano
ou função) de um minuciosas para que - unicausal
→ prevalência dos órgão, sistema ou até → controle do espaço haja o tratamento -
fatores biológicos mesmo o organismo social especialização → trata a saúde como
por completo um funcionamento
→ médico → pensamento mecânico, homem
→ falha durante a especialista trata ordenado (do mais sendo visto como
resposta reacional de especificamente da ‘’corpo-máquina’’
uma certa parte dita simples até o mais → perda da visão
estimulação no corpo “defeituosa” complexo). holística do sujeito
perante os aspectos
sociais e psicológicos

Sistêmico → equilíbrio → desequilíbrio, → cuidado entre os → define o sistema → negligenciamento


dinâmico dos tendo como motivo a vários elementos que como epidemiológico dos aspectos
elementos que vão mudança da dinâmica compõem o sistema psicológicos,
compor o sistema de um ou mais → produção de ambientais e sociais
elementos que vacinas e da doença
constituem o sistema medicamentos
→ enfoque em partes
→ ao modificar um → redução do menores, o indivíduo
elemento, o sistema é adoecimento nos não é analisado por
modificado como um indivíduos toda a sua
todo e tende a entrar a → demonstra a complexidade do
procura de um novo importância de um adoecer
equilíbrio sistema de saúde

Processual → completo → multicausal, → organização do → prevenção e → tem como risco a


bem-estar físico, composta pelas cuidado por meio da controle de doenças, possibilidade de
mental e social vertentes complexidade em devido ao desigualdade durante
(OMS) epidemiológica e diversos níveis acompanhamento o acesso ao sistema
patológica, além de (recursos e ações) que regular de saúde
um desenlace corrobora para a
prevenção e o → promoção de
controle qualidade de vida

→ visão ampliada:
saúde deixa de ser
apenas ausência de
enfermidades

BIBLIOGRAFIA

CRUZ, Marly Marques. Concepção de saúde-doença e o cuidado em saúde. Qualificação de gestores do SUS. Disponível em:
http://www5.ensp.fiocruz.br/biblioteca/dados/txt_14423743.pdf. Acesso em: 15 mar. 2021.

JUNIOR, Alfredo Pereira; OLIVEIRA, Luiz Roberto de; PUTTINI, Rodolfo Franco. Modelos explicativos em saúde coletiva: abordagem psicossocial
e auto-organização. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 2010. Disponível em:
https://www.scielosp.org/article/physis/2010.v20n3/753-767/#ModalArticles. Acesso em: 15 mar. 2021.

OLIVEIRA, Maria Amélia de Campos; EGRY, Emiko Yoshikawa. A historicidade das teorias interpretativas do processo saúde-doença. Revista da
Escola de Enfermagem da Usp, São Paulo, mar. 2000. Disponível em:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342000000100002&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 15 mar. 2021.