Você está na página 1de 2

Gravitação Universal

Leis de Kepler 3ª Lei de Kepler: lei dos períodos.


1ª Lei de Kepler: lei das órbitas elípticas. O cubo da distância média do planeta ao Sol
é proporcional ao quadrado do período de
Os planetas movem-se ao redor do Sol em
translação do planeta em torno do Sol.
trajetórias elípticas, estando o Sol em um dos
focos. 𝑹𝟑 𝑹𝟑𝑨 𝑹𝟑𝑩
= 𝒄𝒐𝒏𝒔𝒕𝒂𝒏𝒕𝒆 → =
𝑻𝟐 𝑻𝟐𝑨 𝑻𝟐𝑩
𝒅𝒎í𝒏 +𝒅𝒎á𝒙
→ 𝑹=
𝟐
→ Quanto mais afastado do Sol estiver o
planeta, maior será o seu período de
translação.
→ No caso de a trajetória ser circular, a
distância média é o raio da circunferência.
→ A Terceira Lei de Kepler pode também ser
2ª Lei de Kepler: lei das áreas. aplicada a um planeta e seus satélites.
A linha que liga o Sol a um planeta varre
áreas iguais em intervalos de tempo iguais. Lei da Gravitação Universal
Entre duas partículas, de massas m 1 e m2,
existe um par de forças de atração cuja
intensidade é diretamente proporcional ao
produto das massas e inversamente
proporcional ao quadrado da distância entre
elas.
𝑮 ∙ 𝒎 𝟏 ∙ 𝒎𝟐
𝑭=
𝒅𝟐
G: constante universal de gravitação (6,673 x
𝑨𝟏 𝑨𝟐 10-11 N.m2/kg2).
= =𝑲 m1: massa do corpo 1 (kg).
∆𝒕𝟏 ∆𝒕𝟐
K: velocidade areolar. m2: massa do corpo 2 (kg).
Consequência: a velocidade linear de d: distância entre os centros dos corpos (m).
translação de um planeta é variável. Ela → F12 = F21 = F (3.ª lei de Newton).
aumenta à medida que o planeta se aproxima
do Sol e diminui à medida que ele se afasta do → Em alguns problemas, as únicas grandezas
Sol. que mudam são distância e força. Neste
caso, acontece o seguinte:
Periélio: ponto de maior proximidade do
planeta em relação ao Sol. Neste ponto, a d F
velocidade orbital é máxima. 2d F/4
Afélio: ponto de maior afastamento do 3d F/9
planeta em relação ao Sol. Neste ponto, a
velocidade orbital é mínima. 4d F/16
Movimento acelerado: quando o planeta vai d/2 4F
do afélio para o periélio. d/3 9F
Movimento retardado: quando o planeta d/4 16F
vai do periélio para o afélio.
Imponderabilidade (levitação ou
microgravidade)
Sensação de ausência de peso causada pela
ausência de força de compressão do piso do
ônibus espacial sobre os objetos que estão
dentro dele. Isso acontece porque todos os
objetos do ônibus espacial caem juntos, ao
redor da Terra, sob a ação da força de atração
gravitacional, que faz o papel de força
centrípeta, mantendo a órbita circular.
Em cada instante, o ônibus espacial e seus
tripulantes, bem como outros objetos no seu
interior, possuem a mesma velocidade e a
mesma aceleração.
Satélites em Órbitas Circulares → A aceleração da gravidade no local onde se
encontra o ônibus espacial não é nula.
𝑭𝒈𝒓𝒂𝒗𝒊𝒕𝒂𝒄𝒊𝒐𝒏𝒂𝒍 = 𝑭𝒄𝒆𝒏𝒕𝒓í𝒑𝒆𝒕𝒂 →
→ A força gravitacional sobre os tripulantes
𝑮∙𝑴∙𝒎 𝒎∙𝒗𝟐 𝑮∙𝑴 𝑮∙𝑴 do ônibus espacial não é nula.
= → 𝒗𝟐 = →𝒗=√
𝒅𝟐 𝒅 𝒅 𝒅
→ O peso aparente dos tripulantes e dos
v: velocidade linear de translação do satélite objetos internos é nula.
(m/s).
G: constante universal de gravitação (6,673 x
Aceleração da Gravidade
10-11 N.m2/kg2).
𝑮∙𝑴∙𝒎
M: massa do planeta (kg). 𝑭𝒈 = 𝑷 → = 𝒎∙𝒈→
𝒅𝟐
d: raio de órbita ou distância entre o centro do
planeta e o centro do satélite (m).
𝑮∙𝑴
𝒈=
𝒅 = 𝑹𝒑𝒍𝒂𝒏𝒆𝒕𝒂 + 𝒉 𝒅𝟐
g: campo gravitacional ou aceleração
gravitacional (N/kg ou m/s2).
Satélite geoestacionário ou estacionário G: constante universal de gravitação (6,673 x
Denomina-se satélite estacionário aquele 10-11 N.m2/kg2).
que permanece em repouso (isto é, M: massa do planeta (kg).
estacionário) em relação a um observador fixo
na superfície da Terra. d: distância entre o centro do planeta e o ponto
externo (m).
Sua órbita, em relação a um referencial no
centro de massa da Terra, deve ser circular e 𝒅 = 𝑹𝒑𝒍𝒂𝒏𝒆𝒕𝒂 + 𝒉
estar contida no plano equatorial. Seu período é
→ A Terra não é perfeitamente esférica, ela é
igual ao de rotação da Terra, ou seja, de 24h.
achatada nos polos (geoide).
Dessa maneira, seu raio de órbita está
univocamente determinado e vale, Rpolos < REquador → gpolos > gEquador
aproximadamente, 42240km. → Equação usada para encontrar a aceleração
Levando-se em conta que o raio da Terra é da gravidade “g” de um ponto externo
de aproximadamente 6400km, o satélite deverá situado a uma altura “h” acima da
estar a uma altura aproximada de 35840km da superfície terrestre, onde a aceleração da
superfície da Terra. gravidade é “g0”.
𝑹𝑻 𝟐
𝒈 = 𝒈𝟎 ∙ ( )
𝑹𝑻 + 𝒉

Você também pode gostar