Você está na página 1de 9

Curso de Ótica Oftálmica

Psicologia Aplicada à Ótica

Colégio Nacional Policursos

Professora: Luciana

Aluna: Andréa Moreira de Carvalho


1- Introdução
Esta disciplina tem por objetivo abordar os aspectos que são relevantes para o conhecimento
e desenvolvimento do ser humano, para que o profissional de Ótica entenda melhor quais os
motivos, necessidades, e desejos de cada cliente, levando em consideração sua individualidade,
sendo este responsável não só pela venda, mas atuando como um profissional humanizado,
competente e ético.
2- Escolha da Profissão
A escolha profissional é impotente, apesar de ser um momento de conflito, pois é a profissão
que ocupará a maior parte do tempo de sua vida. Escolher é decidir, entre uma serie de opções, a
que “parece” a melhor naquele momento. O momento de escolha é quando podemos olhar pra
trás e para frente ao mesmo tempo e decidir qual é o melhor caminho.
Para facilitar a escolha os seguintes aspectos devem ser trabalhados:
A- Conhecimento de si mesmo: Quem eu sou? Qual é o meu projeto de vida? Como eu me
vejo no futuro?
B- Conhecimento da profissão: O que é? O que fazem? Onde fazem?
C- Decisão propriamente dita: decisão pessoal. Deixar de lado tudo o que não foi escolhido.
Fazer acontecer, isto é, viabilizar a escolha.
A escolha profissional é o momento em que o individuo reflete e articula seu projeto
profissional, buscando assim determinar a trajetória de sua futura relação produtiva com o
mundo.
3- Motivação
Os estudos da motivação consideram três tipos de variáveis: o ambiente, as forças internas do
individuo e o objeto. A motivação é, portanto, o processo que mobiliza o organismo para a ação, a
partir de uma relação estabelecida entre o ambiente, a necessidade e o objeto de satisfação.
O principal componente que as pessoas motivadas têm são metas bem definidas. A motivação
é fundamental para qualquer coisa que a gente faça na vida. Sobre tudo para as coisa que
exigem maior esforço, como é o caso do trabalho. Se não tivermos uma forte razão que nos
motive, simplesmente desistimos, ou fazemos mal feito.
Cada vez mais empresas estão querendo investir em profissionais que já estejam motivados,
ela querem pessoas que apresente soluções para seus problemas, que seja capazes de se
sentirem comprometidas com o que estão fazendo.
Comprometimento: funcionários que são motivados e comprometidos com a empresa vão ser
chamados para fazer parte das soluções. Nós nos sentimos motivados para fazer algo somente
quando isso nos beneficia de alguma forma. O trabalho serve para que possamos satisfazer as
nossas necessidades básicas. Divide-se essas necessidades em 4 grupos básicos:
Necessidades físicas: relacionadas a saúde, segurança e bem estar.
Necessidades emocionais: relacionamentos (família e amigos) e auto estima
Necessidades mentais: realização intelectual e crescimento profissional
Necessidades espirituais: são as atividades que dão sentido as nossas vidas e nos tornam
capazes de fazer a diferença no mundo em que vivemos.
4- A Importância da Qualidade Pessoal
O futuro de uma empresa depende de conseguir satisfazer os requisitos de qualidade exigida,
ela precisa produzir para entregar os serviços que satisfaçam as exigências dos seus clientes. O
melhor meio para se iniciar o desenvolvimento da qualidade em uma empresa é com o
desempenho do individuo e suas atitudes em relação às mesmas. A qualidade pessoal inicia uma
reação em cadeia de melhoramentos na qualidade geral de um processo de desenvolvimento.
Altos níveis de qualidade nos departamentos contribuem em para altos níveis de qualidade nos
departamentos.
Precisamos estar atentos a qualidade, pois os cliente estão cada vez mais exigentes e
conhecedores dos seus direitos.
5- Comunicação Verbal e não Verba
A comunicação é a ação de comunicar informações, avisos, convivência, comunhão,
participação, transmissão, ligação.

A comunicação não verbal é aquela que esta na musica, nos gestos, nas mímicas, expressões
faciais etc.

A interação e a comunicação entre os indivíduos são, sem dúvidas, as consequências mais


evidentes da linguagem. Com a palavra, há possibilidades de exteriorização da vida interior e,
portanto, a possibilidades de corrigir ações futuras.

A maior parte dos problemas se relacionamentos interpessoais, tem a sua origem em


comunicação inadequada. Principalmente em locais de trabalho, onde é necessário que ocorra
uma boa Comunicação e convivência.

A linguagem é o elemento concreto que permite ao homem ter consciência das coisas.

Comunicação com o cliente:

- Faça esforço extra, é preciso sair da rotina e fazer algo a mais, coloque a satisfação do
cliente acima das normas e regas, seja flexível.

- Forneça alternativas e soluções, surpreenda o cliente.

- Seja amável, educado e atencioso. Lembre-se: você também é cliente.

6- Marketing de relacionamento com o cliente


É uma das ferramentas mais antigas do marketing, mas, também a menos estudada. E o
marketing de relacionamento com os clientes se tornar importante porque GANHAR NOVOS
CLIENTES CUSTA MAIS CARO DO QUE OS MATER.

Marketing de relacionamento é o uso de uma ampla variedade de técnicas e processos de


marketing, vendas, Comunicação e cuidados com o cliente para: identificar os clientes de
forma individualizada; criar um relacionamento entre a empresa e o cliente e administrar este
relacionamento para beneficiar a empresa e o cliente.

7- Preparação psicológica para o usuário de óculos


A função do profissional de atendimento não deve ser vista como venda, mas como
consulta prévia ao bom êxito do uso do óculos corretivo. Exito que também dependendo do
fator psicológico do futuro usuário, que na maioria tem a rejeição ao uso dos óculos. Rejeição
esta, que deve ser vista com sensibilidade pelo vendedor. Os óculos devem fazer parte da
harmonia como um todo, para melhor estética e conforto. Com estes critérios você estará
conscientizando o usuário de que ele vai usar um tipo de óculos totalmente adequado ao seu
rosto e a sua necessidade de ver bem.

Os óculos devem ser ajustados de todas as formas possíveis para não incomodar. O
menor incomodo pode causar pré-disposição a rejeição. Este ajuste também implica na
inclinação e alinhamento dos aros superiores, hastes não apertando as fontes, assim como as
ponteiras atrás da orelhas e toque da frente da armação, toque somente a ponte que apoia no
nariz em caso de armação de metal, plaquetas moveis que não estejam desalinhadas. O
usuário deve ser alertado de novos ajustes devem ser feitos assim que ele sentir qualquer
incomodo que venha prejudicar sua visão.

8- Contato
A experiência de contato sempre envolve um toque, e se for entre duas pessoas, estas,
devem sintonizar as próprias sensações e oferecer ressonância, uma à outra. O contato é feito
através do envio de uma mensagem e sua resposta, que sendo adequada é o bom contato e o
contrário, a resposta inadequada é o mau contato. As nossas funções de contatos são: o
olhar, o escutar, o tocar, o falar, o olfato e o paladar e o movimentar.

Olhar: pode ser ver o mundo que estar a nossa volta ou ver a si mesmo (comunicação
interpessoal).

Escutar: é um processo ativo e aberto que a pessoa pode receber os sons como um
concerto.

Tocar: o toque é considerado como uma das principais funções de contato, apesar de
termos muitas barreiras, preconceitos e desculpas que nos impedem de usa-lo com mais
frequência.

Falar: possui a voz e a linguagem:

A voz – é a musicalidade das palavras, a voz humana é frequentemente tomada como tom
expressivo da pessoa.

Linguagem – é um dos agentes mais poderosos para a efetivação dos contato. Os hábitos
linguísticos de uma pessoa dizem muito a seu respeito, como também a respeito daquilo que
ela está tentando dizer.

Movimento: Os movimentos podem tanto facilitar como impedir o contato, ele pode relatar
tanto uma ação de despedida, quando uma ação desejada.

Paladar e Olfato: são funções de contato que sevem ser restabelecida para que o homem
se perceba e se relacione consigo e com o meio ambiente de maneira mais plena.
9- Percepção
A percepção é a porta de entrada para tua a informação que a pessoa recebe e processa,
tanto pode ser uma percepção interna ou externa.

Entre o estimulo que o meio fornece e a resposta do individuo, encontra-se o processo de


percepção, o que o individuo percebe e como percebe, são dados importantes para a
compreensão do comportamento humano. O comportamento deveria ser estudado nos seus
aspectos mais globais, levando em consideração as condições que alteram a percepção do
estímulo.

10-Personalidade
O “centro de controle” do universo humano é chamado de personalidade. De fato, ela
coordena todas as nossas atividades mentais, é o sistema de referência obrigatório de tudo o
que acontece nas mais intimas camadas da experiência pessoal.

De modo geral, personalidade refere-se ao modo relativamente constante e peculiar de


perceber, pensar, sentir e agir do individuo.

A definição é ampla e contempla as habilidades, atitudes, crenças, emoções, desejos, o


modo de comporta-se e, inclusive, os aspectos físicos do indivíduo. A definição de
personalidade engloba também o modo como todos esses aspectos se integram, se
organizam, conferindo peculiaridade e singularidades ao indivíduo.

11-Vida social
O homem é um ser interdependente como o meio ambiente. Necessita de socialização
para poder sobreviver (amor, trabalho, família, grupos etc) Essas relações sociais primeiro
ocorre dentro da família. É ai que começa sua preparação para participar, posteriormente, das
relações sociais mais amplas. A preparação do individuo significa que ele, ao longo da sua
vida ira internalizando, aprimorando-se da realidade e esta será construtiva na sua formação
psíquica, o que lhe possibilitará sua ação no mundo, isto é, contribuir na construção deste
cenário social que está sempre inacabado.

A preparação que ocorre no interior dos grupos é chamando de socialização que consiste
no processo de internalização do mundo social, com suas normas, valores, modo de
representar os objetos e situações que compõem a sua realidade. O processo de socialização
é continuo e não termina na fase adulta, na maturidade ou com a aposentadoria. Os
conteúdos deste processo vão se diversificando, tornando-se cada vez mais complexos, as
exigências do grupo quanto ao desempenho de seus membros se diferenciando e o individuo
vai adquirindo, cada vez mais, o poder de interferir no processo de construção de sua própria
identidade e na construção do cenário social, contribuindo para sua manutenção ou
transformação.

12-Vida afetiva
Nossa vida afetiva é composta de dois afetos básicos: amor e ódio. Esses dois afetos
estão presentes em nossa vida psíquica e também presentes em nossas expressões, ações, e
pensamentos. Desde cedo passamos a experimentar reações primitivas de agrado,
satisfação, afeto e seus opostos equivalentes, desagrado, insatisfação e desafeto. Surgem,
então, as duas sementes a do amor e a do ódio. Respondemos com amor a satisfação dos
nossos desejos e necessidades, e com ódio as nossas frustrações.
Assim o amor se manifesta no carinho, no afago, na bondade, na gentileza, enquanto o
ódio encontra-se na agressividade, na raiva, nas brigas e intrigas.

Emoções: expressões afetivas acompanhadas de reações intensas e breves do organismo,


em resposta a um acontecimento inesperado. A emoções ajudam-nos a avaliar as situações,
servindo de critérios de valorização para nossa vida. Essa função que as emoções cuprem é
caracterizada como função adaptativa.

Sentimentos: diferem das emoções por serem mais maduros e menos explosivos, e não
serem acompanhados de reações orgânicas intensas. O importante é compreender que
emoções e sentimentos compõe o homem, e é um aspecto de fundamental importância, são
como os alimentos do nosso psiquismo e estão presentes em todas as manifestações da vida.

13-Identidade
A identidade explica o sentimento pessoal e a consciência da posse do eu, de uma
realidade individual que a cada um de nós nos torena, diante dos outros eus, um sujeito único e
que é, ao mesmo tempo, o reconhecimento individual dessa exclusividade, a consciência de
minha continuidade em mim mesmo.
A identidade agrupa várias ideias, como a permanecia e a manutenção de alguns pontos
fixos de referência e que não mudam com o passar do tempo, como nome de uma pessoa, suas
relações de parentesco, sua nacionalidade etc. São pontos que, geralmente, as pessoas
carregam a vida toda, assim, o temo identidade se aplica à delimitação que permite a distinção de
uma unidade. A identidade é a denominação dada as representações e sentimentos que o
individuo desenvolve a respeito de si mesmo, incluindo seus dados pessoais e atributos que os
outros lhe conferem, permitindo assim, sua individualização.
14-Consciência
A consciência separa o homem dos outros animais e é o que lhe das condições de avaliar o
mundo que o cerca, e a si mesmo. Só o homem é capaz de se perguntar coisa difíceis de se
responder.

O homem compreende o seu mundo de varias formas: através das emoções, sentimento
vivencia experiências, e também através do inconsciente. Existem varias formas de consciência:

- a consciência de si, o que ocorre no seu mundo interno.

- a consciência do mundo, que envolve os outros e o mundo (externo) em geral.

- a consciência de fantasia, é o que imaginávamos que pode ser tanto positiva quanto
negativa.

15-Inteligência
A inteligência é a qualidade que as pessoas possuem para resolver corretamente um
problema, adaptar-se a situações novas, aprender com facilidade etc. Um parte da ciência
considera o individuo inteligente na medida em que é capaz de te um pensamento abstrato, para
outros, a inteligência é a capacidade de se adaptar ao ambiente, as situações relativamente
novas ou ainda a capacidade de se adaptar ao ambiente, as situações relativamente nova, ou
ainda, a capacidade de aquisição de novos conhecimentos.
16-Aprendizagem
A aprendizagem é a apropriação e interiorização de algo, tendo como consequência a
interação, ou seja, mudanças de atitudes, ampliando e construindo seu mundo de forma diferente,
sendo um fator individual, pois a capacidade de desenvolvimento é pessoal e única. A linguagem
é o ponto fundamental da aprendizagem, pois é através dela que o individuo manifesta a
ampliação dos seus significados conceitos e pensamentos. A aprendizagem se da através da
interiorização e da apropriação: A interiorização é a incorporação que o individuo faz ao meio e a
Apropriação é a fase que o individuo adquire quando toma conhecimento do que foi interiorizado.

17-Desenvolvimento
O desenvolvimento humano refere-se ao desenvolvimento mental e ao crescimento orgânico.
O desenvolvimento mental é uma construção contínua, que se caracteriza pelo aparecimento
gradativo de estruturas mentais e o orgânico é basicamente o desenvolvimento físico.

Vários fatores estão ligados aos aspectos do desenvolvimento, são eles: hereditariedade,
crescimento orgânico, maturação neurofisiológica, meio, aspectos físicos, aspectos racional,
aspectos afetivo, aspectos social, dentre outros.

18-O homem
O que a natureza dá ao homem quando ele nasce não basta, porém, para garantir sua vida
em sociedade, ele precisa adquirir várias aptidões, aprender as formas de satisfazer as
necessidades, apropriar-se, enfim, do que a sociedade humana criou no decurso de seu
desenvolvimento. As condições biológicas permitem ao homem apropriar-se da cultura e formar
suas capacidades e funções psíquicas.

As propriedades que fazem do homem um ser particular, que fazem deste animal um ser
humano, são o suporte biológico específico, o trabalho, os instrumentos, a linguagem, as relações
sociais, a consciência, a identidade, os sentimentos, as emoções e o inconsciente, com isto,
queremos dizer que o ser humano é determinado por todos esses elementos. Ele é
multideterminado.

19-O psicólogo
O Psicólogo tem um conjunto de técnicas e conhecimentos que permite compreender o que o
outro diz, as expressões e gestos que fazem, e integrar tudo isto num quadro de análise, que tem
como consequência a descoberta das razões, dos atos, pensamentos, desejos, emoções etc. O
psicólogo tem instrumentos para desvendar o que está implícito, encoberto, não aparente, e
nesse sentido a pessoa, grupo ou instituição tem um papel fundamental, porque os psicólogos
não podem “ver” algo sozinhos sem a ajuda do cliente. O psicólogo pode, junto com o cliente,
desvendar as razões e compreender os problemas, caracterizando-se assim, sua intervenção
terapêutica apropriada para aquela situação específica.

20-O trabalho do psicólogo nas empresas


Na seleção de pessoas dentro das empresas o objetivo principal do psicólogo é colocar o
"Homem certo no lugar certo" ou "Adaptá-lo", considerando-se as características primordiais de
um examinando e o perfil básico exigido para determinado cargo dentro da empresa.

Nas admissões é traçado o perfil do candidato e são formuladas provas teóricas, após realizar
entrevistas e testes psicológicos.
Nas demissões o departamento de recursos humanos é responsável pela entrevista de
desligamento relatando os motivos da demissão e o controle de exame médico demissional, e até
um provável encaminhamento para outro trabalho .

Através da gestão organizacional (geralmente com um psicólogo fazendo parte da equipe) as


empresas monitoram constantemente as percepções das pessoas no seu ambiente de trabalho,
conhecem o que funciona e o que não funciona na organização e tomam decisões para melhorar
o ambiente, a motivação e a qualidade de vida dos seus funcionários revertendo em benefício
óbvio para a empresa. Empresas que investem na melhoria contínua do clima organizacional
obtém como retorno o reconhecimento de serem excelentes locais para se trabalhar.

21-Curiosidades
1- O poder das cores
O poder das cores afeta de forma positiva a saúde do corpo, da mente e das emoções. Todas
as cores emitem vibrações altas ou baixas, que geram, em quem as recebem, uma sensação de
segurança (calor) ou insegurança (frio). O vermelho, a onda de maior comprimento, tem a
frequência de vibração mais baixa, transmite calor. O violeta, a menor onda de comprimento, tem
a frequência de vibração mais rápida. As cores que variam do azul ao violeta transmitem o frio. As
pessoas cegas, que tem seus aparatos sensoriais treinados, são famosas por conhecerem as
cores apenas com o toque das mãos sobre elas. Algumas vezes a língua, o lóbulo da orelha ou a
ponta do nariz de uma pessoa cega são mais sensíveis às cores do que seus dedos.

As pessoas percebem a cor de memória, pelos sonhos e pela pressão ou estímulo elétrico no
globo ocular ou nervo óptico. Mas o estímulo para cor é a mudança na composição do espectro
da energia radiante que incide na parte central da retina, nos olhos. Energia radiante é a energia
que viaja através do espaço na forma de ondas eletromagnéticas.

2- Necessidade de Luz
Abaixo do Círculo Ártico, perto da época do solstício de inverno, 21 e 22 de dezembro, o sol
não nasce nem por um minuto durante um dia inteiro. Pior ainda, no Cabo de Barrow, ponto mais
ao norte dos Estados Unidos, o sol deixa de aparecer por 67 dias. Lá fica escuro por quase todo o
inverno. Nesse período, muitos habitantes são acometidos por uma síndrome chamada de
Doença da Ocorrência Sazonal (DOS), que altera seu comportamento drasticamente. DOS é um
problema mental ocorrido por ansiedade, neuroses e depressão durante todo o outono e inverno,
seguido por primaveras e verões de alegria, ‘paz e atividade psicomotora normal.

3- O funcionamento da visão
O olho humano tem muita coisa em comum com a máquina fotográfica. Ambos possuem uma
lente de grande transparência para captar os raios luminosos que compõem as imagens. Na
máquina, esta peça recebe o nome de objetiva; no olho, é chamada de cristalino. Para que os
raios não entrem em quantidade excessiva e, portanto, não prejudiquem a formação da imagem,
a máquina tem um dispositivo de controle chamado diafragma, que regula a abertura pela qual
penetram os raios, de modo a manter equilibrada a sua quantidade e intensidade. No olho
humano, esse dispositivo, existe em forma de abertura da íris: é a pupila. Ela parece sempre
preta, pios reflete o fundo do olho. A cor da íris varia conforme a quantidade de pigmentos nela
existente, e a função deste (pigmento) é proteger o olho contra o excesso de luz. Essa variação
de pigmento, na íris, é responsável pelas diferentes cores dos olhos.

Conclusão:
Um bom profissional precisa ter além de conhecimentos teóricos, conhecimentos de sua
profissão, saber lidar com o mercado de trabalho, incluindo aí a economia, os concorrentes, os
fornecedores, os clientes, etc.

Mas o principal objetivo aqui é o autoconhecimento, pois, através de um contato mais íntimo
com você mesmo, provavelmente despertará o interesse para aperfeiçoar as inter-relações na
família, com amigos, no trabalho, com os colegas, com os clientes...

Você também pode gostar