Você está na página 1de 5

ATM.

(Articulação
temporomandibular)
A ATM permite movimentos da mandíbula em torno de um osso (temporal), o que faz a mesma ser uma
articulação sinovial.

E uma articulação bilateral. Interligada pela mandíbula e interdependente, com movimento próprios
pra cada lado, porém simultâneos, podendo ser considerada uma única articulação

.Relação de interdependência da ATM com oclusão dos dentes de ambos os arcos,o que a torna
peculiar e funcionalmente complexa

.O revestimento de fibrocartilagem e não de cartilagem epifisial, as faces articulação são bastante um


disco articular coloca-se entre as faces articulares; tem movimento de rotação e de translação
associados ;impulsos proprioceptivos são gerados também ao nível dos dentes e estruturas bucais

FACES ARTICULARES ÓSSEAS

As partes óssea da ATM são as cabeças da mandíbula (conhecida clínicos como côndilos e a eminência
articular e a fossa mandíbula do temporal.

CARTLIGEM ARTICULAR

As superfícies temporal e côndilar da ATM são cobertas por três camadas de tecidos. A mais externa é
um tecido conjuntivo denso avascular e intermediária ,é uma camada onde predominam células
indiferentes e a mais interna é uma cartilagem fibrosa ( fibrocartilagem). Essa constituição sinoviais ,que
são revestida exclusivamente por cartilagem hialina. São particularmente espessas na vertente anterior
da cabeça da mandíbula e na vertente posterior da eminência articular. Funcionalmente, essas áreas são
as mais importantes, pois são estes os locais de impactos dessa articulação e a maior espessura das
camadas melhora a resistência a esse impactos. Portanto, côndilo não exerce força diretamente na
fossa mandibular.

DISCO ARTICULAR

As articulações sinoviais podem ter disco, menisco ou nenhum dos dois. A ATM tem um disco extenso,
componentes ativos, com verdadeiras faces articulares. Transforma uma articulação simples em
composta . Sem ele, ou com má função dele, ela não trabalha bem. É uma palca fibrocartilagínea que se
situa sobre a cabeça da mandíbula, como se fosse boné colocado na cabeça de uma pessoa. A extensão
anterior do boné ( o quebra-sol) corresponde á parte anterior do disco que excede os limites da cabeça
da mandíbula se coloca em contato com a eminência articular, através de um tecido ligamentoso a dois
postos; nos polos medial e lateral .Isso significa que a mandíbula pode girar abaixo disco articular sem
que este se movimente, mas ,nos movimentos de translação ,o disco obrigatoriamente acompanha o
deslocamento da mandíbula. Apesar de ser fibroso e não hialiano, o disco asticular não se regenera ou
se remodela após sofrer danos.

A borda anterior do disco ,além de se fusionar com a cápsula articular ,quase inexistente nesse ponto
mantém contato com alguns feixes de fibras da cabeça superior do músculo pterigoideo lateral na
maioria das pessoas. Sua função é a de prevenir a retenção ou o deslocamento do complexo disco-
cápsula durante os movimentos. Posteriormente, a fusão do disco com a cápsula é intermediada pelo
coxim -----retrodiscal-
- uma camada bem vascularizada e inervada de tecido conjuntivo frouxo rico em fibras elásticas ; COXIM
retrodiscal ,por sua flexibilidade ,permite o movimento de translação anterior da cabeça da mandíbula.
O resto do coxim prende- se á cápsula mas as fibras mais fortes colágenas que o compõem prendem-se
na porção posterior da cabeça da mandíbula.

CÁPSULA ARTICULAR

A ATM é circundada por uma cápsula fibrosa bastante frouxa, fundamentalmente porção superior, que
permite amplos movimentos da articulação.

A cápsula articular é bem inervada, se relaciona com os nervos auriculotemporal, massetérico e


temporal profundo posterior. Sua vascularização também abundante (ramos da artéria temporal
superficial e também a artéria timpânica anterior que se supre os tecidos retrodiscais), estende-se até a
periferia do disco articular, principalmente na membrana sinovial, mas nunca na sua porção central.

MEMBRANA SINOVIAL.

Reveste internamente a cápsula articular nos comportamentos supra discal e infradiscal e estende-se
em cima e embaixo do coxim discal. A membrana sinovial elabora a sinóvia, que é um liquido viscoso,
nutritivo e lubrificante. Possui em sua composição o ácido hialurônico que dá a viscosidade ao liquido, e
com isso a fricção fica reduzida a facilita os movimentos de uma superfície sobre a outra.

LIGAMENTO TEMPOROMANDIBULAR.

Cobre quase toda a superfície lateral da cápsula articular e é continuo a ela. Acima ele se insere em uma
longa linha no processo zigomático do temporal, além da eminência articular até as imediações do
processo retro articular. As fibras conversem em direção inferior para se inserir no colo da mandíbula,
em uma pequena área logo abaixo da inserção do disco articular. No todo, ele age como ligamento
suspensório nadas, quase horizontais, servem também para limitar os movimentos retrusivas da
mandíbula e assim evitar a compressão das estruturas situadas atrás da cabeça da mandíbula.

Ele é formado por tecido conjuntivo colagenoso, não lástico, não contrátil. Portanto, sua ação frenadora,
limitante, é passiva, não movimento a ATM como uma ação muscular movimentaria.

LIGAMENTOS ACESSÓRIOS.

Esse ligamento da um suporte ligamente adicional ATM, apesar de estarem distantes dela e não terem
influência sobre os seus movimentos.

São eles o ligamentos esfenomandibular, que vai da espinha do esfenoide á língula da mandíbula, e o
ligamentos estilomandibular, que vai do processor estiloide ao ângulo da mandíbula.

DINÂMICA DA ATM.

Rotação e translação são os dois movimentos básicos da ATM. Na rotação a mandíbula movimenta-se
sobre um eixo transversal que passa pelos côndilos. A cada abertura e fechamento da boca, o
movimento de rotação é realizado. A mandíbula não se desloca horizontalmente e o disco articular não
se move de onde está encaixado.

Na translação, o côndilo excursiona até a frente a retorna á sua posição de origem, levando consigo o
disco articular que a seus polos se prende. Assim, o côndilo e disco deslizam sobre a face articular
temporal da articulação na abertura e fechamento da boca.

ABAIXAMENTO E ELEVÇÃO DA MANDÍBULA

Para abrir a boca, ambos os movimentos básicos são realizados.

O movimento inicia-se com rotação pura côndilo até o ponto em que um dedo pode ser colocado entre
os dentes superiores inferiores aproximadamente 20mm depois disso, para continuar a abertura ,a
rotação ocorre concomitantemente com a translação tal como a roda de um automóvel ,que roda em
torno de eixo anterolateral e se move para diante ao mesmo tempo. Na realidade,a depressão da
mandíbula é feita pelos pterigoideos laterias, que são músculos protrusores,ajudados pelo digastrico
,que são retrusores.Se esses dois pares de músculos antagônicos agem simultaneamente

Como na abertura da boca o osso hioide se movimenta muito pouco ,é certo que os músculos gênio
hioideo e milo hioideo fazem ponto fixo nele para colaborar com o digástrico no abaixamento da
mandíbula, como côndilo, realizar o movimento e notar o deslocamento condilar .Esse procedimento é
útil no diagnostico clinico de fraturas subcondilares e para verificar o tipo de ruído articular.obs; O
deslocamento geralmente é bilateral e observa –se mais nas mulheres do que nos homens;

O movimento ,inverso é o de elevação da mandíbula. Ocore tudo ao contrario ,e o músculos que agora
agem são o masseter pterigoideo medial e o temporal. Mas resultante final do somatório dos três
músculos é dirigida para cima e ligeiramente para frente .Isso Faz com que o côndilo se encontre com a
vertente posterior da eminencia articular no final do fechamento da boca

A forca desenvolvida pode ser mais o menos absorvida pelo fulcro, de acordo não apenas com a
quantidade gerada, mas também com o tamanho da distância entre a resistência dente e o fulcro
(ATM).Neste caso, a mastigação com os incisivos faz aumentar o braço de resistência e a carga no fulcro
é aumentada.

O ossos maxilares e a ATM são adaptados para mastigação molar. Forças mecânicas desenvolvidas ano
nível dos molares são mais bem absorvidas e escoada. Na mastigação incisiva, a’ carga transferida para a
ATM é quase duas vezes maior. Seguindo esse raciocínio,os indivíduos desdentados posteriormente
sobrecarregam suas articulação. Essa sobrecarga provoca numa alteração morfológica durante a vida do
individuo.

Nos casos de contato prematuro na área molar, a oclusão pode transferir a carga de forca para os
próprios dentes contatastes e aliviar a ATM,é como se alavanca de terceiro gênero se transformasse
,em uma alavanca de primeiro gênero (INTERFIXA ,como na tesoura por exemplo).Assim ,o côndilo
trabalha em uma nova posição, desviado da relação central,os músculos potencial se sobrecarregam e
logo se instalam sintomas indesejáveis como a dor de cabeça ,na orelha e na própria articulação.

PROTUSÃO E RETRUSÃO DA MANDÍBULA

á enorme lassidão da capsula articular, associada á contração exagerada dos músculos protusores ,
como no bocejo, o côndilo é deslocado para frente e pode cair na fossa infratemporal.A este fenômeno
se dá o nome de luxação mandíbula, a qual frequentemente requer a intervenção do dentista para sua
redução Realização do movimentos de protusão, a mandíbula abaixa-se ligeiramente tirando os dentes
de oclusão e, então projeta-se pra frente o côndilo e disco saindo do seu receptáculo (FOSSA
MANDÍBULAR) e deslizando-se na vertente posterior da eminencia articular .

Devido, porque a boca permanece aberta e pessoa não consegue fecha-la

A protrusão simétrica da mandíbula é efetiva pelos músculos pterigoideo laterais ,músculos elevadores
principalmente do temporal, como coadjuvante desse movimento é para manter mandíbula elevada
enquanto ela se desloca para frente.

No movimento inverso ,o de retrusão ,ainda sob a assistência dos elevadores ,funcionam efetivamente o
musculo digastrico e a porção posterior do temporal ambos retusores da mandíbula. É claro que gênio –
hioideo e milo- hioifeo pode participar desse, movimento com menor força.

Inserção no condilo é feita apenas através de dois pontos, um em cada polo. Inserido na borda posterior
do disco ligando este á capsula articular ,há um coxim retrodiscal.Sua frouxidão permite que o disco se
mova anteriormente com certa liberdade. Não é liberdade total. Ele segura o disco ate certo ponto
.Serve também para preender o espaço pelo disco .Na retrusão,ele é ineficiente para portar carga e
limitar o movimento.
LATERALIDADE DA MANDÍBULA

Movimento chamado de protusão assimétrica.

Nesse casa ,um dos côndilos realiza os mesmo movimentos descritos anteriormente sob, ação do
musculo pterigoideo lateral que nele se insere. Se o mento se traslada para a esquerda é, o músculo
pterigoideo lateral do lado direito que traciona o côndilo direito para diante.

,relaxa, sem e inferiores não POSIÇÕES E MOVIMENTOS DA MANDÍBULA

Posição de repouso; Pense uma pessoa em pé ou sentada olhando para frente e para longe.com os
lábios em leve contato e mandíbula tensão. Os dentes superiores estão em contato e o espaço ente eles
é chamado livre ou interoclusal.

OCLUSÃO CENTRAL; A mandíbula pode s

er elevada até o contato máximo dos dentes inferiores com os superiores. Chamada posição de oclusão
central, que é a posição de maior números de contato entre os esforço pra dentes.A pessoa despende
manter seus maxilares fechados nesta posição por algum tempo, pois os músculos elevadores da
mandíbula devem permanecer contraído.

MOVIMENTO NO PLANO SAGITAL

Na abertura da boca a partir da posição de relação central e conservando –se a mandíbula na posição
mais retrusivas, durante o primeiros 5 a 20 mm deste movimento a mandíbula roda em movimento de
charneira puro, ou rotação em torno de um eixo transversal no côndilo.

Trabalho da

Anatomia

da face
Nome daniele correia dundi

Ra 5955234985

2 semestre

Você também pode gostar