Você está na página 1de 10

SUPER MATERIAL

BOMBA DE SÓDIO
E POTÁSSIO
SUMÁRIO

1. Membrana Celular........................................................................................................ 3
2. Potencial de Repouso da Célula............................................................................. 5
3. Bomba de Sódio e Potássio...................................................................................... 7
4. Funcionamento da Bomba de Sódio e Potássio............................................... 7
5. Regulação da Bomba de Sódio e Potássio......................................................... 8
6. Referências..................................................................................................................... 9
BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO 3

1. MEMBRANA CELULAR ganizados na conformação de bica-


mada, de forma que sua parte apolar
A membrana celular se caracteriza
(hidrofóbica) fique voltada para den-
por ser uma barreira física responsá-
tro e sua parte polar (hidrofílica) fique
vel pelo processo de compartimen-
voltada para fora. Em meio aos fos-
tação, ou seja, o estabelecimento de
folipídios, há algumas moléculas de
duas regiões no espaço, separadas fi-
colesterol.
sicamente por uma barreira, que fun-
ciona como um seletor de substân- Há também muitas proteínas inseri-
cias, determinando quais podem ou das na bicamada fosfolipídica, sendo
não atravessar a membrana, seja de elas as responsáveis por formar os
dentro para fora ou de fora para den- sistemas de transporte e sinaliza-
tro da célula. ção. Existem as proteínas intrínse-
cas e as extrínsecas. As intrínsecas
A membrana plasmática exerce im-
(transmembranas) são aquelas que
portância tão grande que a primeira
permitem a comunicação do cito-
célula provavelmente passou a existir
plasma com o meio extracelular, en-
quando uma membrana se formou,
quanto que as proteínas extrínsecas
envolvendo um pequeno volume de
são aquelas que se restringem à su-
solução aquosa e separando-a do
perfície da célula (figura 1). É através
resto do universo.
das proteínas intrínsecas (canais) que
As membranas são formadas, em alguns íons podem ser transportados
sua grande parte, por fosfolipídios, tanto de dentro para fora, quanto de
que são os responsáveis por formar fora para dentro da célula.
a barreira impermeável. Estes são or-

Figura 1 – Proteínas intrínsecas e extrínsecas inseridas na bicamada fosfolipídica.


Fonte: LEHNINGER et al., 2014
BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO 4

Associados às proteínas e lipídeos, encontram-se ainda, carboidratos, formando


as glicoproteínas e os glicolipídios (figura 2).

Figura 2 – Componentes da membrana celular: fosfolipídios, colesterol, proteínas, glicolipídios e glicoproteínas.


Fonte: LEHNINGER et al., 2014

As imagens apresentadas tanto na e proteínas e colesterol inseridos na


figura 1, quanto na figura 2 repre- mesma.
sentam o modelo do mosaico fluido, Essa denominação de “mosaico flui-
que é o mais aceito atualmente para do” se deve ao fato de as proteínas
a conformação da membrana celular. terem liberdade de movimentação
Como já mencionado, neste modelo, lateral na bicamada fosfolipídica, ha-
há uma bicamada lipídica (com sua vendo, dessa forma, uma distribuição
parte hidrofóbica voltada para den- aleatória de componentes molecula-
tro e a hidrofílica voltada para fora) res na membrana celular.

https://www.stoodi.com.br/blog/2018/07/02/membrana-plasmatica/
BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO 5

MAPA MENTAL - BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO

BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO

Função Regulação Subunidades Funcionamento

Manutenção do Concentrações Alfa 3 Na+


potencial de re- intracelulares de externalizados
pouso (negativo) Na+ e K+
Sítios de
substâncias que
estimulam ou
inibem a bomba
Manutenção 2 K+
do volume internalizados
citosólico
Sítios do Na+,
Insulina, K+ e ATP
epinefrina e
norepinefrina
(efeito imediato)
Beta ATP

Orientar e
estabilizar as
ADP + P
subunidades alfa

Hormônios
tireoidianos e
corticosteroides
(efeito tardio) Gama

2. POTENCIAL DE enquanto que do lado extracelular,


REPOUSO DA CÉLULA há uma concentração maior de car-
gas positivas. O que colabora muito
O potencial de repouso de uma célula
para isso é a presença de proteínas
está relacionado à diferença de per-
(cargas negativas) no interior da cé-
meabilidade da sua membrana aos
lula (figura 3). Isso resulta em um
diversos íons, uma vez que há uma
potencial de repouso negativo. Na
assimetria da concentração iônica
maioria das células, ele está em tor-
entre os dois lados da membrana.
no de -90mV.
No lado intracelular há uma concen-
tração maior de cargas negativas,
BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO 6

Figura 3 – Distribuição de cargas negativas e positivas entre os meios intracelular e extracelular.

Dessa forma, a diferença de potencial ma, a célula atinge o seu potencial


entre os dois lados da membrana é de ação (positivo) e para que haja o
conhecida como potencial de repou- seu retorno ao potencial de repou-
so da célula, que tem origem em dois so (negativo), o potássio é trans-
mecanismos: portado para fora da célula (tam-
• Difusão de íons sódio e potássio bém a favor do seu gradiente de
através da membrana - Em con- concentração).
dições fisiológicas, a concentração • Bomba de sódio e potássio -
maior de sódio é no meio extrace- Ao internalizar 2 íons de potássio
lular, enquanto que o potássio é (K+) e externalizar 3 íons de sódio
mais concentrado no meio intra- (Na+), a bomba de sódio e potássio
celular. Quando ocorre um estí- contribui para a manutenção ne-
mulo despolarizante, os canais de gativa do potencial de repouso da
sódio são ativados, fazendo com célula, uma vez que bombeia mais
que este seja transportado a favor cátions (cargas positivas) para fora
do seu gradiente de concentração (3 sódios) do que para dentro (2
(para dentro da célula). Dessa for- potássios).
BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO 7

3. A BOMBA DE SÓDIO E que podem estimular ou inibir o fun-


POTÁSSIO cionamento da bomba de sódio e po-
tássio.
A bomba de sódio e potássio é uma
proteína que contém duas subunida- As subunidades β têm como função
des alfa (α), duas subunidades beta orientar e estabilizar as subunidades
(β) e duas subunidades gama (γ) α na membrana plasmática, de modo
(figura 4). Nas subunidades α se en- a estabelecer a adequada conforma-
contram os sítios de ligação do só- ção e atividade da bomba. Já as su-
dio, do potássio, do ATP (adenosina bunidades γ, não possui função bem
trifosfato) e de todas as substâncias definida.

Figura 4 – Subunidades da bomba de sódio e potássio.

Além de colaborar para a manuten-


4. FUNCIONAMENTO
ção do potencial de repouso da célu-
DA BOMBA DE SÓDIO E
la (como já supracitado), essa bomba
POTÁSSIO
controla o volume hídrico da célula,
já que aumenta a concentração ex- Para a realização deste transporte
tracelular de sódio e, assim, cria um se faz necessário o uso de energia
gradiente osmótico favorável à saída (transporte ativo), já que este é fei-
de água da célula, contribuindo para a to contra o gradiente de concentra-
manutenção de um volume citosólico ção dos íons Na+ e K+. Este aporte
estável. energético ocorre através da hidró-
BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO 8

lise de ATP, em um sítio específico 5. REGULAÇÃO DA BOMBA


do lado intracelular da unidade alfa DE SÓDIO E POTÁSSIO
da bomba de sódio e potássio. É por
A Na+/ K+/ ATPase é regulada por di-
este motivo que a bomba de sódio
ferentes fatores, entre eles:
e potássio é também denominada
bomba Na+/K+/ ATPase. • Concentrações intracelulares de
Na+ e extracelulares de K+ - Em
Quando a concentração intrace-
concentrações fisiológicas de só-
lular de Na+ está alta (como após
dio e potássio, a bomba opera com
uma despolarização), a bomba tem
capacidade máxima de bombea-
sua capacidade máxima de trans-
mento entre 10 e 15%. Havendo
porte aumentada, se ligando a 3
alterações nessas concentrações,
íons sódio. Através da hidrólise do
a capacidade da bomba é aumen-
ATP (formando adenosina difosfato
tada proporcionalmente.
(ADP) + fosfato), gera-se a energia
suficiente para externalizar os íons • Insulina, norepinefrina e epine-
sódio. frina - Têm efeito imediato sobre a
bomba, estimulando a sua atividade.
Com a mudança conformacional da
bomba, dois íons potássio se ligam • Hormônios tireoidianos e corti-
ao sítio externo (também da unida- costeroides - Também aumentam
de alfa) e são internalizados. O fos- o bombeamento, mas o efeito é
fato que ficou ligado à bomba, en- mais tardio, já que só expressam
tão é liberado, permitindo um novo esse efeito após a síntese de no-
ciclo. vas moléculas.

MAPA MENTAL - MEMBRANA PLASMÁTICA

MEMBRANA PLASMÁTICA

Fosfolipídios Proteínas Barreira física Glicolipídios e


seletora de glicoproteínas
substâncias
Bicamada: parte Liberdade de movi-
apolar voltada mentação lateral: mo-
Glicocálice
para dentro, delo do mosaico fluido
Compartimentação
parte polar vol-
tada para fora Intrínsecas X
Extrínsecas Colesterol
Barreira
impermeável Sistemas de transporte
Barreira física
Sistemas de seletora de
sinalização celular substâncias
BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO 9

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

DURAN, José Henrique Rodas. Biofísica: fundamentos e aplicações. São Paulo: Pearson
Education do Brasil LTDA, 2006.
GARCIA, Eduardo, AC. Biofísica. 1ª Ed. São Paulo: Sarvier, 2000.
HENEINE, Ibrahim Felippe. Biofísica básica. 1ª Ed. São Paulo: Atheneu Editora, 1999.
OLIVEIRA, Jarbas Rodrigues et al. Biofísica: para ciências biomédicas. 1ª Ed. Porto Alegre:
EDIPUCRS, 2014.
BOMBA DE SÓDIO E POTÁSSIO 10