Você está na página 1de 13

-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

Ensaios Não Destrutivos -


Partículas Magnéticas

Procedimento

Esta Norma substitui e cancela a sua revisão anterior.


Cabe à CONTEC - Subcomissão Autora, a orientação quanto à interpretação do
texto desta Norma. A Unidade da PETROBRAS usuária desta Norma é a
responsável pela adoção e aplicação das suas seções, subseções e
enumerações.

Requisito Técnico: Prescrição estabelecida como a mais adequada e que


deve ser utilizada estritamente em conformidade com esta Norma. Uma
CONTEC eventual resolução de não segui-la (“não-conformidade” com esta Norma) deve
Comissão de Normalização ter fundamentos técnico-gerenciais e deve ser aprovada e registrada pela
Técnica Unidade da PETROBRAS usuária desta Norma. É caracterizada por verbos de
caráter impositivo.

Prática Recomendada: Prescrição que pode ser utilizada nas condições


previstas por esta Norma, mas que admite (e adverte sobre) a possibilidade de
alternativa (não escrita nesta Norma) mais adequada à aplicação específica. A
alternativa adotada deve ser aprovada e registrada pela Unidade da
PETROBRAS usuária desta Norma. É caracterizada por verbos de caráter
não-impositivo. É indicada pela expressão: [Prática Recomendada].

Cópias dos registros das “não-conformidades” com esta Norma, que possam
contribuir para o seu aprimoramento, devem ser enviadas para a
SC - 27 CONTEC - Subcomissão Autora.

Ensaios Não Destrutivos As propostas para revisão desta Norma devem ser enviadas à CONTEC -
Subcomissão Autora, indicando a sua identificação alfanumérica e revisão, a
seção, subseção e enumeração a ser revisada, a proposta de redação e a
justificativa técnico-econômica. As propostas são apreciadas durante os
trabalhos para alteração desta Norma.

“A presente Norma é titularidade exclusiva da PETRÓLEO BRASILEIRO


S. A. - PETROBRAS, de aplicação interna na PETROBRAS e Subsidiárias,
devendo ser usada pelos seus fornecedores de bens e serviços,
conveniados ou similares conforme as condições estabelecidas em
Licitação, Contrato, Convênio ou similar.
A utilização desta Norma por outras empresas/entidades/órgãos
governamentais e pessoas físicas é de responsabilidade exclusiva dos
próprios usuários.”

Apresentação
As Normas Técnicas PETROBRAS são elaboradas por Grupos de Trabalho
- GT (formados por Técnicos Colaboradores especialistas da Companhia e de suas Subsidiárias), são
comentadas pelas Unidades da Companhia e por suas Subsidiárias, são aprovadas pelas
Subcomissões Autoras - SC (formadas por técnicos de uma mesma especialidade, representando as
Unidades da Companhia e as Subsidiárias) e homologadas pelo Núcleo Executivo (formado pelos
representantes das Unidades da Companhia e das Subsidiárias). Uma Norma Técnica PETROBRAS
está sujeita a revisão em qualquer tempo pela sua Subcomissão Autora e deve ser reanalisada a
cada 5 anos para ser revalidada, revisada ou cancelada. As Normas Técnicas PETROBRAS são
elaboradas em conformidade com a Norma Técnica PETROBRAS N-1. Para informações completas
sobre as Normas Técnicas PETROBRAS, ver Catálogo de Normas Técnicas PETROBRAS.

PROPRIEDADE DA PETROBRAS 11 páginas e Índice de Revisões


-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

1 Escopo

1.1 Esta Norma fixa as condições exigíveis na realização do ensaio não destrutivo por meio de
partículas magnéticas complementando as normas nacionais e normas estrangeiras.

1.2 Esta Norma se aplica a procedimentos iniciados a partir da data de sua edição.

1.3 Esta Norma contém Requisitos Técnicos e Práticas Recomendadas.

2 Referências Normativas

Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento. Para


referências datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas,
aplicam-se as edições mais recentes dos referidos documentos.

INMETRO VIM:2012 - Vocabulário Internacional de Metrologia: Conceitos Fundamentais e


Gerais e Termos Associados (Primeira Edição Luso-Brasileira);

PETROBRAS N-2941 - Competências Pessoais em Atividades de Inspeção;

ABNT NBR NM 342:2014 - Ensaios Não Destrutivos - Partículas Magnéticas - Detecção de


Descontinuidades;

ABNT NBR ISO/IEC 17025:2017 - Requisitos Gerais para a Competência de Laboratórios


de Ensaio e Calibração;

ABNT NBR NM ISO 12707:2019 - Ensaios Não Destrutivos - Partículas Magnéticas -


Terminologia;

ISO 17638:2016 - Non-Destructive Testing of Welds - Magnetic Particle Testing;

ASME BPVC - Section V:2019 - Nondestructive Examination;

ASTM E709:2015 - Standard Guide for Magnetic Particle Testing;

ASTM E1444/E1444M:2016 - Standard Practice for Magnetic Particle Testing;

DNVGL-ST-F101:2017 - Submarine Pipeline Systems.

3 Termos e Definições

Para os efeitos deste documento aplicam-se os termos e definições da


ABNT NBR NM ISO 12707:2019, INMENTRO VIM:2012 e os seguintes.

3.1
adição
inserção de um novo parágrafo ou de um texto em parágrafo

3.2
modificação
substituição de todo um parágrafo ou modificação de parte dele

2
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

3.3
supressão
exclusão do parágrafo ou parte dele

3.4
norma base
normas de projeto, fabricação, construção e montagem relativas ao equipamento inspecionado e
normas complementares citadas por estas

4 Condições Gerais

4.1 O ensaio por meio de partículas magnéticas deve ser executado conforme preconizado nas
normas ou especificações de projeto, fabricação, construção e montagem relativa ao equipamento
inspecionado, exceto quanto às modificações, adições e supressões mencionadas nas condições
específicas.

4.2 Para as normas base na Seção 2 que referenciam qualificação de pessoal e qualificação de
procedimento, é necessária a adição dos 5.1 e 5.2 desta Norma visando complementá-las quanto
aos requisitos nelas especificados para a execução dos ensaios por meio de partículas magnéticas.

5 Condições Específicas

5.1 Qualificação de Pessoal

5.1.1 Para serviços executados no Brasil e no exterior, a qualificação e certificação de pessoal para
o ensaio por meio de partículas magnéticas deve ser conforme PETROBRAS N-2941.

5.2 Qualificação de Procedimento

5.2.1 O procedimento deve ser qualificado e certificado por inspetor Nível 3.

5.2.2 As evidências objetivas da qualificação do procedimento devem ser mantidas de forma a


possibilitar sua comprovação à PETROBRAS, a qualquer momento, quando solicitado.

5.2.3 A qualificação do procedimento deve ser realizada através da execução de testes em peças
com descontinuidades naturais ou artificiais. O procedimento é considerado qualificado quando são
detectadas descontinuidades em toda a área prevista para ensaio, para cada posicionamento da
fonte de magnetização.

5.2.4 Quando no procedimento for previsto o uso de tinta de contraste, os testes devem ser
conduzidos com e sem a tinta de contraste. O teste com a tinta de contraste deve ser efetuado na
máxima espessura de película prevista no procedimento. Os resultados devem ser comparados e
será considerado aprovado se o resultado com a tinta de contraste for igual ou melhor do que o
obtido sem a camada de tinta

3
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

5.2.5 A qualificação do procedimento deve ser efetuada de acordo com a norma de projeto,
fabricação, construção e montagem.

NOTA Quando a sistemática de qualificação do procedimento não estiver especificada nas normas
de projeto, fabricação, construção e montagem, a qualificação deve ser efetuada em
corpos-de-prova representativos da inspeção a ser realizada, com características idênticas
e em quantidade suficiente para que, no processo de qualificação, se possa demonstrar que
o ensaio apresenta características de repetibilidade, incerteza de medição e probabilidade
de detecção compatíveis com a inspeção e critérios adotados na avaliação de
descontinuidades.

5.2.6 Quando o cruzamento das linhas de fluxo magnético não puder ser atendido mesmo com a
utilização de uma técnica de magnetização adicional, tal fato deve estar claramente definido no
objetivo do procedimento.

5.2.7 O procedimento de inspeção deve conter um esboço com o detalhamento do esquema de


sobreposição e a seqüência de execução do ensaio em função da forma, das dimensões e dos
detalhes da peça a ser ensaiada.

5.2.8 A qualificação do procedimento deve ser realizada antes da execução dos serviços e no
procedimento qualificado deve constar, no mínimo, os itens descritos na Tabela 1. Sempre que
qualquer variável for alterada, deve ser emitida uma revisão do procedimento. Se a variável for
essencial, o procedimento deve ser requalificado.

Tabela 1 - Variáveis do Procedimento Escrito

Variável Variável não


Requisitos
essencial essencial
Identificação e data da elaboração X
Objetivo X
Normas de referência X
Material, forma ou tipo de peça, dimensões, extensão do exame e
detalhes da peça a ser ensaiada
X

Etapa da realização do ensaio, dentro do processo produtivo,


quando aplicável
X

Aparelhagem (incluindo equipamento de iluminação), citando


fabricante e modelo
X

Verificação das condições de ensaio, periodicidade e registros,


quando aplicável
X

Técnica ou técnicas de magnetização, duração e sequência de


aplicação, tipo de corrente de magnetização e valores de corrente, X
quando aplicável
Partículas ferromagnéticas, citando fabricante, marca comercial, cor,
via seca ou úmida, indicando o veículo, aditivos e concentração para X
o preparo e verificação da suspensão
Método de aplicação e remoção do excesso das partículas
magnéticas
X

Intensidade mínima de luz X


Faixa de temperatura da peça permitida para partículas magnéticas
que são usadas por recomendação do fabricante ou por qualificação
X

4
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

Tabela 1 - Variáveis do Procedimento Escrito (Continuação)

Variável Variável não


Requisitos
essencial essencial
Condição requerida para a superfície a ser ensaiada e método de
preparação
X

Tinta de contraste, citando fabricante, marca comercial, diluição,


modo de aplicação, espessura máxima de película e tempo de X
secagem, quando aplicável
Esquema indicativo da direção do fluxo magnético, sobreposição e
posicionamento da peça, quando aplicável
X

Critério de aceitação X
Identificação das peças ou indicadores utilizados para a verificação
do desempenho do sistema
X

Desmagnetização, citando o método, quando necessária X


Limpeza final e ensaios a serem efetuados na superfície, nos pontos
de contato do aparelho, quando aplicável
X

Sistema de identificação e marcação das peças após ensaio X


Relatório de registro de resultados X

5.2.9 No registro dos resultados deve ser emitido um relatório contendo no mínimo:

a) nome do emitente;
b) identificação numérica;
c) identificação da peça ou equipamento, material e espessura;
d) número e revisão do procedimento;
e) técnica de magnetização utilizada;
f) aparelhagem citando fabricante e modelo e tipo de corrente;
g) equipamento de iluminação;
h) partículas ferromagnéticas, citando fabricante, marca comercial, cor, via seca ou úmida,
indicando o veículo, aditivos e concentração para o preparo e resultado da verificação da
suspensão;
i) tinta de contraste, citando fabricante e modelo, espessura de película;
j) nível de iluminação do ambiente;
k) registro dos resultados (mapa ou registro da indicações);
l) tempo de ensaio: fabricação, após tratamento térmico, horas após soldagem (se
aplicável) etc.;
m) normas de referência para interpretação dos resultados;
n) laudo indicando aceitação, rejeição ou recomendação de ensaio complementar;
o) data da inspeção e da emissão do relatório;
p) identificação, nível de qualificação e assinatura do inspetor responsável;
q) identificação e assinatura da fiscalização/supervisão.

NOTA Os resultados do ensaio devem ser registrados por meio de um sistema de identificação e
rastreabilidade que permita correlacionar o local ensaiado com o relatório e vice-versa.

5.3 Calibração de Equipamento

5.3.1 Os itens do sistema de inspeção que devem ser periodicamente calibrados são o luxímetro,
pirômetro de contato, medidor de espessura de película seca, equipamentos estacionários,
amperímetros, massa padrão, medidores de efeito Hall.

5
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

NOTA 1 Os certificados de calibração são emitidos por laboratórios acreditados conforme a


ABNT NBR ISO/IEC 17025:2017. Quando não houver laboratório acreditado para a
grandeza a ser calibrada, podem ser utilizados laboratórios com padrões rastreados à Rede
Brasileira de Calibração (RBC) ou laboratório com seu sistema metrológico nacional ou
internacionalmente reconhecido.
NOTA 2 Qualquer reparo ou manutenção no sistema de inspeção implica na necessidade de nova
calibração, independentemente da periodicidade estabelecida.

5.3.2 A calibração dos equipamentos deve ser realizada por ocasião da periodicidade estabelecida,
após reparo elétrico, revisão periódica ou avaria.

5.4 Critério de Aceitação de Descontinuidades

O critério de aceitação deve ser estabelecido pela especificação de projeto.

5.5 Requisitos Adicionais

5.5.1 A execução do ensaio deve ser feita, preferencialmente, pelo método contínuo. O método
residual somente pode ser usado em materiais de alta retentividade e quando a eficiência do ensaio
for comprovada através de testes em peças iguais às que vão ser ensaiadas e que contenham
defeitos típicos conhecidos e semelhantes aos pesquisados. Este método não é aplicável para a
técnica do “Yoke”.

NOTA No método residual deve ser empregada corrente de magnetização retificada de onda
completa.

5.5.2 Só é permitido o uso de lâmpada de luz negra do tipo de feixe direcionado que opere restrito
à faixa de 320 a 400 nm.

5.5.3 O ensaio de partícula magnética não é permitido sobre superfície pintada, exceto tinta de
contraste na espessura máxima permitida por esta Norma.

5.5.4 No caso de ensaio por via úmida colorida em superfícies do tipo: bruto de soldagem,
jateadas, rugosas ou esmerilhadas deve ser sempre utilizada tinta de contraste de forma a propiciar
a devida sensibilidade ao ensaio por esta via.

5.5.5 O teste de levantamento da massa do yoke deve ser executado no mesmo local da inspeção
e utilizando a mesma rede de energia.

5.6 Modificação, Adição e Supressão nas Normas Base

5.6.1 Modificação, Adição e Supressão da ABNT NM 342:2014

5.6.1.1 Item 5.1.1.4 - Suprimir

Este item deve ser suprimido.

5.6.1.2 Item 7.9.5 - Adicionar

Adicionar aos itens do procedimento do ensaio item referente à área útil do ensaio.

6
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

5.6.1.3 Item 9.5.4.5 - Modificar

É aceitável yoke de corrente alternada fazendo o teste de levantamento de massa apenas com a
massa de 5,5 kg.

5.6.1.4 Item 9.11 Relatório de ensaio - Modificar

É obrigatória a emissão do relatório de ensaio e não apenas quando requerido.

5.6.2 Modificação, Adição e Supressão do ASME BPVC Section V:2019, Article 7

5.6.2.1 T-741.2 - “Nonmagnetic Surface Contrast Enhancement” - Aplicação de Tinta de


Contraste - Modificar

A espessura máxima permitida de película de tinta deve ser de 25 µm. A tinta de contraste não deve
influir desfavoravelmente na mobilidade das partículas magnéticas e na molhabilidade do veículo. A
tinta de contraste não deve ser solúvel no veículo, durante o tempo necessário à execução do ensaio.

5.6.2.2 T-752 - “Magnetizing Procedure” - Procedimento de Magnetização - Adicionar

5.6.2.2.1 As ponteiras dos eletrodos devem estar limpas e as áreas de contato das peças devem
estar livres de sujeira, graxa, óleo, carepa, de modo a permitir a passagem de corrente à peça e
minimizar a abertura de arcos elétricos.

NOTA Para aços temperáveis recomenda-se a utilização de outra técnica de magnetização, uma
vez que a abertura de arco não pode ser completamente evitada. [Prática Recomendada]

5.6.2.2.2 Os pontos de contato dos eletrodos na peça que apresentarem abertura de arco devem ser
removidos e posteriormente ensaiados por líquido penetrante ou com outra técnica de partículas
magnéticas.

5.6.2.3 T-753 - “Longitudinal Magnetization Technique” - Técnica de Magnetização


Longitudinal - Modificar

Utilizar o Artigo 25 (SE 709) 14.3.2 do ASME BPVC Section V:2019.

5.6.2.4 T-754.1 - “Direct Contact Technique” - Técnica do Contato Direto - Adicionar

Os pontos de contato dos eletrodos na peça que apresentarem abertura de arco devem ser removidos e
posteriormente ensaiados por líquido penetrante ou com outra técnica de partículas magnéticas.

NOTA Para aços temperáveis recomenda-se a utilização de outra técnica de magnetização, uma
vez que a abertura de arco não pode ser completamente evitada. [Prática Recomendada]

5.6.2.5 T-755 - “Yoke Technique” - Técnica do “Yoke” - Modificar

Só é permitido o uso de “Yoke” eletromagnético de corrente alternada. A força magnetizante deve


estar compreendida entre os valores de 17 A/cm a 65 A/cm em toda área útil prevista no esquema de
sobreposição proposto no procedimento.

NOTA Deve ser elaborado desenho, para cada forma, dimensões e geometria de peça ou componente
constante no procedimento, detalhando o esquema de sobreposição a ser utilizado.

7
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

5.6.2.6 T-756.2 - “Magnetic Field Strength” - Técnica Multidirecional - Adicionar

A adequação do campo magnético resultante na técnica multidirecional deve ser comprovada com o
uso de indicadores de campo magnético. As indicações das descontinuidades contidas nos
indicadores de campo magnético devem estar claramente visíveis. Nas áreas onde isto não ocorrer
(exemplo: peças com geometria complexa), deve ser realizado ensaio com técnica de magnetização
complementar, de modo a obter o cruzamento das linhas de fluxo.

5.6.2.7 T-762 (a) - “Lifting Power of Yokes” - Força de Levantamento do “Yoke” - Modificar

A verificação da força de magnetização deve ser comprovada no local onde está sendo executado o
ensaio, no início e a cada 8 horas de trabalho ou quando houver algum problema de queda de
energia. Se durante o período de 8 horas for verificado que as condições não foram atendidas, o
ensaio deve ser repetido para as peças inspecionadas desde a última verificação satisfatória.

5.6.2.8 T-762 (b) - “Lifting Power of Yokes” - Força de Levantamento do “Yoke” - Modificar

A verificação da força magnetizante deve ser feita por meio da comprovação de sua capacidade
mínima de levantamento de massa, com o máximo espaçamento entre pólos a ser utilizado. A
capacidade mínima deve ser de 5,5 kg, verificada por meio do levantamento de um bloco-padrão.
Observar que o levantamento de massa deve ser feito pela face de 117 mm x 240 mm conforme a
Figura A.1 do Anexo A.

5.6.2.9 T-762 (c) - “Lifting Power of Yokes” - Força de Levantamento do “Yoke” - Suprimir

Este item deve ser suprimido.

5.6.2.10 T-764 - “Magnetic Field Adequacy and Direction” - Adequação e Direção do Campo
Magnético - Adicionar

A verificação da eficiência do ensaio deve ser realizada no início de cada jornada de trabalho e a
cada 8 horas, o que for menor ou sempre que o local de trabalho for mudado. Se forem constatadas
indicações insatisfatórias, o ensaio deve ser repetido para as peças inspecionadas desde a última
comprovação satisfatória.

5.6.3 Modificação, Adição e Supressão da ASTM E709:2015

5.6.3.1 Item 6.3 - “Yoke” - “Yoke” - Modificar

Só é permitido o uso de “Yoke” eletromagnético de corrente alternada. A força magnetizante deve


estar compreendida entre os valores de 17 A/cm a 65 A/cm em toda área útil prevista no esquema de
sobreposição proposto no procedimento.

NOTA Deve ser elaborado desenho, para cada forma, dimensões e geometria de peça ou
componente constante no procedimento, detalhando o esquema de sobreposição a ser
utilizado.

5.6.3.2 Item 12.3.1 - “Direct Contact Magnetization” - Magnetização de Contato Direto -


Adicionar

Os pontos de contato dos eletrodos na peça que apresentarem abertura de arco devem ser
removidos e posteriormente ensaiados por líquido penetrante ou com outra técnica de partículas
magnéticas.

8
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

NOTA Para aços temperáveis recomenda-se a utilização de outra técnica de magnetização, uma
vez que a abertura de arco não pode ser completamente evitada. [Prática Recomendada]

5.6.3.3 Item 12.3.2.1 - “Prod Technique” - Técnica do Eletrodo - Adicionar

5.6.3.3.1 As ponteiras dos eletrodos devem estar limpas e as áreas de contato das peças devem
estar livres de sujeira, graxa, óleo, carepa, de modo a permitir a passagem de corrente à peça e
minimizar a abertura de arcos elétricos.

NOTA Para aços temperáveis recomenda-se a utilização de outra técnica de magnetização, uma
vez que a abertura de arco não pode ser completamente evitada. [Prática Recomendada]

5.6.3.3.2 Os pontos de contato dos eletrodos na peça que apresentarem abertura de arco devem ser
removidos e posteriormente ensaiados por líquido penetrante ou com outra técnica de partículas
magnéticas.

5.6.3.4 Item 13.6 - “Multidirectional Magnetization” - Magnetização Multidirecional - Adicionar

A adequação do campo magnético resultante na técnica multidirecional deve ser comprovada com o
uso de indicadores de campo magnético. As indicações das descontinuidades contidas nos
indicadores de campo magnético devem estar claramente visíveis. Nas áreas onde isto não ocorrer
(exemplo: peças com geometria complexa), deve ser realizado ensaio com técnica de magnetização
complementar, de modo a obter o cruzamento das linhas de fluxo.

5.6.3.5 Item 15.5 - “White Background and Black Oxide” - Tinta de Contraste –
Adicionar/Modificar

A espessura máxima permitida de película de tinta deve ser de 25 µm. A tinta de contraste não deve
influir desfavoravelmente na mobilidade das partículas magnéticas e na molhabilidade do veículo. A
tinta de contraste não deve ser solúvel no veículo, durante o tempo necessário à execução do ensaio.

5.6.3.6 Item 20 - Tabela 2 (parágrafo 20.8) - “Recommended Verification Intervals” - Intervalo


de Verificação Recomendado - Modificar

A verificação da eficiência do ensaio deve ser realizada no início de cada jornada de trabalho e a
cada 8 horas, o que for menor ou sempre que o local de trabalho for mudado. Se forem constatadas
indicações insatisfatórias, o ensaio deve ser repetido para as peças inspecionadas desde a última
comprovação satisfatória.

5.6.3.7 Item 20.3.7 - “Electromagnetic Yoke Lifting Force Check” - Verificação da Força
Eletromagnética de Levantamento do “Yoke” - Adicionar

A verificação da força de magnetização deve ser comprovada no local onde está sendo executado o
ensaio, no início e a cada 8 horas de trabalho ou quando houver algum problema de queda de
energia. Se durante o período de 8 horas for verificado que as condições não foram atendidas, o
ensaio deve ser repetido para as peças inspecionadas desde a última verificação satisfatória.

5.6.3.8 Item 20.3.7 - Tabela 3 - “Minimun Yoke Lifting Force” - Capacidade Mínima de
Levantamento do “Yoke” - Modificar

A verificação da força magnetizante deve ser feita por meio da comprovação de sua capacidade
mínima de levantamento de massa, com o máximo espaçamento entre pólos a ser utilizado. A
capacidade mínima deve ser de 5,5 kg, verificada por meio do levantamento de um bloco-padrão.
Observar que o levantamento de massa deve ser feito pela face de 117 mm x 240 mm conforme a
Figura A.1 do Anexo A.

9
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

5.6.4 Modificação, Adição e Supressão do DNVGL-ST-F101:2017

As referências à ISO 17638:2016 ou ASTM E1444/E1444M:2016 devem ser suprimidas e


substituídas pela ASTM E709:2015 com as complementações relacionadas em 5.6.3.

NOTA Quando outra norma de projeto ou especificação de serviço referenciar a ISO 17638:2016
ou ASTM E1444/E1444M:2016, estas devem ser suprimidas e a ASTM E709:2015 deve ser
aplicada com as complementações relacionadas em 5.6.3.

10
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

Anexo A - Figura

25

240

117

Figura A.1 - Bloco Padrão de Aferição da Capacidade Mínima de Levantamento de


Massa do “Yoke”

11
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. A, B, C e D
Não existe índice de revisões.

REV. E
Partes Atingidas Descrição da Alteração

1 Revisado

2 Revisado

4.1.1 Revisado

4.2.2 Revisado

4.2.3 Revisado

4.4 Revisado

4.5.3 Revisado

4.7.1 Revisado

4.7.3 Revisado

4.7.4 Revisado

4.7.5 Revisado

4.7.6 Revisado

4.7.8 Incluído

4.8.1 Revisado

4.8.2 Revisado

4.10 Revisado

4.12 Revisado

4.13 Incluído

5.1 Revisado

5.2.1 Revisado

5.5 Revisado

ANEXO A Revisado

REV. F
Partes Atingidas Descrição da Alteração

Todas Revisadas

REV. G
Partes Atingidas Descrição da Alteração

Todas Revisadas

IR 1/2
-PÚBLICA-

N-1598 REV. H 07 / 2021

REV. H
Partes Atingidas Descrição da Alteração

Sessão 2 Referências atualizadas

Sessão 3 Norma de referência atualizada

5.1.1 Revisado

Tabela 1 Revisada

NOTA 1 Norma de referência atualizada

5.5.2 Revisado

5.5.5 Incluído

5.6.1 Norma de referência atualizada

5.6.1.3 Revisado

5.6.2 Norma de referência atualizada

5.6.2.3 Norma de referência atualizada

5.6.2.9 Incluído

5.6.3 Norma de referência atualizada

5.6.4 Normas de referência atualizadas

IR 2/2

Você também pode gostar