Você está na página 1de 38

Olá, estudante!

Durante a quarentena, não precisamos ficar esperando o tempo passar sem fazer nada, não é
verdade? Podemos utilizar os momentos sem aula para organizar muitas coisas. Que tal organizar os
estudos? Organizar os conteúdos e aprender a fazer a gestão do tempo para estudar melhor?

Neste documento, vamos apresentar um Roteiro de Estudos especialmente pensado para você! Ele
está organizado por Área do Conhecimento e, nesta vigésima semana, iniciaremos com as áreas de
Matemática e Ciências da Natureza, que reúnem os seguintes componentes curriculares: Biologia,
Física, Química e Matemática.

Para você saber o que vai rolar durante a semana, apresentamos o calendário semanal, a fim de que
possa segui-lo à risca ou escolher a organização que faz mais sentido para você!

DIA/ SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA


Horário 10/08 11/08 12/08 13/08 14/08
9:00 às
Biologia Matemática Matemática Física Matemática
10: 00
11:00 às Iniciação
Matemática Física Química Química
12:00 Científica

Esta semana será de festa! Estamos comemorando bodas de porcelana, pois chegamos a nossa
*vigésima* semana de estudos! A porcelana é forte, e delicada ao mesmo tempo, assim como todos
os estudantes da rede estadual que vem mantendo suas rotinas de estudos ao longo desse período
de distanciamento social. Vamos relaxar, concentrar e meditar? Vamos nessa!

Escolha, se possível, um lugar calmo e silencioso no seu espaço de distanciamento social, sente-se
em um lugar confortável, com a coluna reta e as mãos nas pernas.

Feche os olhos, respire fundo e solte o ar, lentamente, pelo nariz por 3 vezes. Agora, feche os olhos
e imagine um balão decorado com as suas cores preferidas e com cesto de porcelana. Entre no cesto,
cuidadosamente, pois ele é de porcelana.

Acomode-se nesse cesto, e inicie seu voo. Deixe o balão subir, subir, subir. Sinta o frio da porcelana,
os ventos, a leveza do ambiente, e continue voando em seu balão de porcelana.

Quando estiver, totalmente, relaxado, comece a puxar, cuidadosa e lentamente, as cordas do balão.
Perceba o balão descendo, descendo e pousando, lentamente, no chão. Quando o balão alcançar o
chão, abra os olhos.

Concentre-se! O desafio será concluído quando você conseguir seguir todos os passos em seus
pensamentos e memória, sem abrir os olhos ou deixar que outro pensamento atrapalhe o foco.

Concluiu? Agora é hora de iniciar os estudos do roteiro.


MATEMÁTICA E CIÊNCIAS DA NATUREZA – 3ª SÉRIE
ROTEIRO DE ESTUDOS E ATIVIDADES PARA ESTUDANTES
Modalidade/oferta: Regular Semana XX – 10/08 a 14/08/2020

Data: 10/08/2020
9h às 10h Biologia
Tema: Genética/ Conceitos Básicos de Genética

Nesta aula, vamos iniciar o estudo da Genética, que é o ramo da Biologia, que
estuda os genes, as características hereditárias, e tudo relacionado a
hereditariedade. Assim, nossa proposta é apresentar uma reflexão inicial sobre a
temática, bem como compreender alguns conceitos para o entendimento da
genética. Para isso, propomos a leitura do Texto 01, que fala um pouco da história
da Genética e o texto 02 que apresentamos um mapa conceitual, que são
diagramas ou ferramentas que permitem enxergar uma relação entre o conteúdo,
trazendo os conceitos de Genética.

I. Leia os textos 01 e 02.

TEXTO 01
Breve História da Genética

A história da genética começou com a obra do frade agostiniano Gregor Johann


Mendel. Seu trabalho em plantas de ervilha, publicado em 1866, descreveu o que
veio a ser conhecido como Herança mendeliana. Desprezado em sua época, seu
trabalho só foi compreendido no início do século XX e hoje ainda é referência para
todos os geneticistas. Embora nem todas as características mostram estes padrões
de hereditariedade mendeliana, o trabalho de Mendel provou que a aplicação da
estatística à genética poderia ser de grande utilidade.
Atividade
A partir da sua análise estatística, Mendel definiu o conceito de alelo como sendo
a unidade fundamental da hereditariedade, tendo sido considerado o “pai da
genética”. O termo “alelo” tal como Mendel o utilizou, expressa a ideia de “gene”,
enquanto que, nos nossos dias ele é utilizado para especificar uma variante de um
gene. Só depois da morte de Mendel é que o seu trabalho foi redescoberto,
entendido e lhe foi dado o devido valor por cientistas que então trabalhavam em
problemas similares. Liderado por Thomas Hunt Morgan e seus colegas, os
geneticistas desenvolveram o modelo mendeliano, que foi amplamente aceito.
Juntamente com o trabalho experimental, matemáticos desenvolveram o quadro
estatístico da genética de populações, trazendo explicações genéticas para o
estudo da evolução.

Mendel não tinha conhecimento da natureza física dos genes. O trabalho de


Watson e Crick em 1953 mostrou que a base física da informação genética eram
os ácidos nucleicos, especificamente o DNA, embora alguns vírus possuam
genomas de RNA. A descoberta da estrutura do DNA, no entanto, não trouxe
imediatamente o conhecimento de como as milhares de proteínas de um
organismo estariam “codificadas” nas sequências de nucleotídeos do DNA. Esta
descoberta crítica para o surgimento da moderna Biologia Molecular só foi
alcançada no começo da década de 1960 por Marshall Nirenberg, que viria a
receber o Nobel em 1968, assim como Watson e Crick antes. A manipulação
controlada do DNA (engenharia genética) pode alterar a hereditariedade e
características dos organismos.

O sucesso de Mendel deveu-se também a algumas particularidades do método


que usava: a escolha do material, a escolha de características constantes e o
tratamento dos resultados. Além de ele ter escolhido ervilhas para efetuar seus
experimentos, espécie que possui ciclo de vida curto, flores hermafroditas o que
permite a autofecundação, características variadas e o método empregado na
organização das experimentações eram associados à aplicação da estatística,
estimando matematicamente os resultados obtidos.

Uma série de avanços levaram a descoberta, décadas mais tarde, do que o


material genético é composto – ADN (Ácido Desoxirribonucleico):

 1910, Thomas Hunt Morgan mostrou que os genes residem em cromossomos


específicos.
 1928, Frederick Griffith mostrou que os genes podem ser transferidos.
 1941, George Beadle e Edward Lawrie mostraram que mutações em genes
causavam erros em etapas específicas nas vias metabólicas.
 1944, Oswald Avery, Colin Munro MacLeod e Maclyn McCarty mostraram
que o DNA contém a informação do gene.
 1953, James D. Watson e Francis Crick demonstraram como era formada a
estrutura molecular do DNA. Esta descoberta estabeleceu o dogma central
da biologia molecular, o que indica que as proteínas são traduzidas a partir
de RNA e transcritas a partir do DNA.
 1972, Walter Fiers e sua equipe da Universidade de Ghent foram os primeiros
a determinar a sequência de um gene.
 1977 Richard J. Roberts e Phillip Sharp descobriram em 1977 que os genes
podem ser divididos em segmentos.
 1998 a primeira sequência do genoma de um eucariota multicelular,
Caenorhabditis elegans, foi codificado.

Disponível em: https://biologo.com.br/bio/historia-da-genetica/Acesso em 22


jul. 2020.

TEXTO 02
Mapa Mental: Conceitos de Genética
Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/conceitos-basicos-
genetica.htm . Acesso em 22 de julho de 2020.

1. Após leitura dos textos 01 e 02, indicados acima, construa no seu caderno o seu
mapa mental ou de conceitos, trazendo os elementos integradores, com seus
respectivos conceitos ao termo Genética. A proposta é ter uma melhor
compreensão no que foi estudado na aula de hoje! Caso você tenha acesso à
Internet, disponibilizamos algumas ferramentas na qual você pode construir essa
atividade online. Use a criatividade! Lembre-se que é uma sugestão, pois você
conseguirá criar um mapa mesmo sem internet, conforme exemplo
disponibilizado no Texto 02!

Utilize o livro didático de Biologia adotado pela sua escola.

Para saber mais:


Videoaula. BrasilEscola-Conceitos Básicos de Genética. Disponível em:
https://bit.ly/2CDESwN. Acesso em: 22 jul. 2020.

Objeto de Aprendizagem. ESCOLA DIGITAL. Genética. Disponível em:


https://bit.ly/2ZMJREk Acesso em: 22 jul. 2020.
Onde encontro
Dicas de Aplicativos online para construção de Mapas Conceituais:
o conteúdo
CANVA. Disponível em: https://bit.ly/2CDFkL. Acesso em 22 jul. 2020.

"Conceitos básicos em Genética"; Brasil Escola. Disponível em:


https://brasilescola.uol.com.br/biologia/conceitos-basicos-genetica.htm . Acesso
em 22 de julho de 2020.

BIÓLOGO. História da Genética. Disponível em:


https://biologo.com.br/bio/historia-da-genetica/Acesso em 22 jul. 2020.

Reconhecer que a informação genética é a mesma em todas as células somáticas


de um organismo, independente da função que desempenham nos diferentes
tecidos.
Objetivo
Avaliar criticamente explicações sobre características comportamentais humanas
que tem sido propagada a partir de visões deterministas biológicas, por meio da
aplicação de conhecimentos sobre as complexas relações entre processos
genéticos, epigenéticos e fatores ambientais na expressão de fenótipos.

Perceber a genética, claramente, em nosso dia a dia não é tarefa difícil. A exemplo
disso, basta analisar as semelhanças que temos com nossos pais e irmãos.
Depois da
atividade Então vamos lá!

 Recorte imagens de homens e mulheres de revistas, com os mais variados


fenótipos como cor e tipo de cabelo, tonalidade da pele, cor dos olhos, etc.
 Com estas imagens, forme casais de preferência com características
contrastantes, colando cada par, separadamente.

 Para cada casal, monte uma tabela semelhante a esta, com todos os caracteres
que deseja trabalhar.

Característica Dica Genótipo Genótipo Genótipo


pai mãe filho
Sexo XX: Mulher XY XX
XY: Homem
Cor dos olhos CC: Cc CC
Castanhos
Cc:
Castanho
Cc: claros

1. Identifique as possíveis características de um possível filho do casal que você


montou, podendo ter como base seus pais. Você terá a liberdade de escolher entre
uma e outra característica, desde que haja a possibilidade para tal (um filho de Cc
x cc, por exemplo, poderá ter olhos claros ou escuros).

2. Escreva estas informações na tabela.

Disponível em: https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-


ensino/genetica-criativa.htm. Adaptada. Acesso em: 03 ago. 2020.
Data: 10/08/2020
11h às 12h Matemática
Tema: Análise combinatória: Arranjo/ Ideias de Arranjo Simples
I. Leia o texto, a seguir.
TEXTO
Por que o semáforo é verde, amarelo e vermelho?

As cores e a sequência do semáforo são praticamente universais, mas quando e


como surgiu esse sistema? Entenda.

Em quase todo o mundo, há uma “língua” na qual nós somos fluentes: as cores do
semáforo. Não importa onde estamos ou para onde vamos, sabemos que o
vermelho indica parar, amarelo significa aguardar e o verde, seguir em frente. Mas
quem criou esse código e como ele se disseminou por todos os países?

Desde as civilizações romanas, mais de 2 mil anos atrás, o vermelho foi usado
como sinônimo de “atenção!”. Em meados de 1830, a cor passou a indicar que os
ferroviários ingleses deveriam parar os trens, enquanto o branco sinalizava que o
maquinista poderia continuar o percurso.

Porém, um acidente fez com que a cor branca fosse retirada desse sistema. A lente
do farol vermelho caiu em determinado trajeto, deixando somente a luz clara à
mostra. Sem conseguir identificá-la, dois trens colidiram. A partir daí, o branco foi
substituído pelo verde, mais visível.

Ainda no século 19, o grande fluxo de carruagens fez com que o semáforo dos
Atividade
ferroviários servisse de inspiração ao engenheiro John Peake Knight, que
implantou um sistema parecido nas cidades. Um policial ficava manuseando os
indicadores coloridos por meio de placas de dia e com sinais luminosos à noite,
pois o sistema ainda não era automático e precisava ser mais rápido do que o dos
trens. Não deu muito certo: o gás que alimentava o luminoso certa vez explodiu,
ferindo o guarda que segurava o objeto.

Foi só em 1917 que o policial norte-americano e inventor Willian Potts implantou


em Detroit o semáforo automático com as três cores que conhecemos hoje. Potts
viu a necessidade de acrescentar o amarelo como “cuidado!”, porque percebeu
que ao passar do verde para o vermelho não dava tempo suficiente de “frear” as
carruagens.

E os daltônicos?

Quem não consegue diferenciar muito as cores distingue os comandos pela


ordem, que é a mesma na maior parte do mundo: embaixo, onde fica o verde,
indica que o motorista pode continuar seguindo o caminho; no meio, o amarelo,
diminuir a velocidade; e o de cima, o vermelho, é hora de parar.

Fonte: https://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/noticia/2020/01/por-que-o-
semaforo-e-verde-amarelo-e-vermelho.html Acesso em: 03 ago. 2020.
II. Agora, vamos utilizar os conhecimentos matemáticos relacionados ao tema do
texto aqui apresentado. O exercício 1 ficará como modelo para que você possa
seguir sozinho(a). Vamos lá!

1. (EMITec-2020) Como vimos no texto, a escolha da sequência de cores: vermelho


no topo, amarelo no meio e verde embaixo, é uma forma de não confundir o
motorista daltônico e segue as regras internacionais de sinalização. Vimos
também no texto o significado de cada cor: vermelho significa “PARE‟, amarelo
“AGUARDE‟ e verde “SIGA‟.

Nessa atividade vamos supor outros tipos de


semáforos que não se preocupam com as facilidades
visuais dos motoristas. Dessa forma, consideremos
que a ordem em que as cores aparecem é importante,
ou seja, os sinais abaixo são diferentes:
Disponível em:

http://www.enrede.ufscar.br/participantes_arquivos/E5_Vazquez_TA.pdf.
Acesso em: 03 ago. 2020.

A) Quantos e quais são os diferentes sinais de trânsito que podemos construir com
três cores, respeitando a ordem e sem repeti-las?

 Contagem direta:
Vamos representar o vermelho por P, amarelo por A e verde por S, temos então:
PAS APS SAP
PSA ASP SPA

Logo, temos um total de 6 possibilidades.

3 2 1 possibilidade 6
possibilidades possibilidades possibilidades

Fonte: EMITec/SEC/BA, 2020.

 Árvore de possibilidades
Aplicando o princípio multiplicativo: 3 . 2 . 1 = 6
Observe que temos 6 possibilidades, porque estamos trocando a posição de 3
elementos obtendo uma nova configuração, ou seja, são 3 cores para 3 posições
que compõem o semáforo. Acabamos de fazer uma PERMUTAÇÃO com as cores
do semáforo, assunto abordado no roteiro anterior.

Agora é com você!


2. Imagine agora que temos as cores verde, vermelho, amarelo
e branco para construir um semáforo de apenas 2 cores, para
pedestres, em que a ordem é importante pensando também nos
pedestres dos daltônicos.

Disponível em: https://imagensemoldes.com.br/desenho-de-


sinais-de-transito-para-pedestre-para-colorir/ Acesso em: 03
ago. 2020.

Quantos e quais são os diferentes semáforos que podemos construir com as


quatro cores, respeitando a ordem e sem repeti-las?
a) Represente por meio da contagem direta
b) Represente por meio da árvore de possibilidades
c) Que conclusão você chegou?

Disponível em:
http://www.enrede.ufscar.br/participantes_arquivos/E5_Vazquez_TA.pdf(Adapt
ado) Acesso em: 03 ago. 2020.

Consulte o livro didático de Matemática adotado pela sua escola.


Sugestão de Leitura:
https://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/noticia/2020/01/por-que-o-
semaforo-e-verde-amarelo-e-vermelho.html
Onde encontro
http://www.enrede.ufscar.br/participantes_arquivos/E5_Vazquez_TA.pdf.
o conteúdo
Acesso em: 03 ago. 2020.
Arranjo simples. Disponível em:
https://www.somatematica.com.br/emedio/combinatoria3.php. Acesso em: 03
ago. 2020.

Compreender e aplicar os conceitos de arranjo na resolução de problemas.


Resolver e elaborar problemas de contagem envolvendo diferentes tipos de
Objetivo
agrupamento de elementos, por meio dos princípios multiplicativo e aditivo,
recorrendo a estratégias diversas como o diagrama de árvore.

Vamos Investigar!
Voltando à situação inicial do semáforo item 1, quantos
semáforos poderíamos formar se pudéssemos repetir as
Depois da cores?
atividade
Você conseguiria construí-los? Represente por meio de
desenhos e faça também a árvore de possibilidades.
Fonte: http://www.enrede.ufscar.br/participantes_arquivos/E5_Vazquez_TA.pdf
(Adaptado) Acesso em: 03 ago. 2020.
Data: 11/08/2020
9h às 10h Matemática
Tema: Análise combinatória: Arranjo
Subtema: Fórmula para Cálculo de Arranjo Simples

I. Leia o texto, a seguir.

Agora vamos dar continuidade ao conteúdo abordado na atividade anterior. Vimos


no item II da atividade, que abordou o semáforo para pedestre, que se você possuir
n cores e p lugares disponíveis para colocar exatamente uma destas cores, em cada
lugar, teremos um arranjo, generalizando um arranjo de n objetos tomados p a p.
Da mesma forma que, teremos uma permutação se o número de objetos for igual
ao número de lugares disponíveis.
TEXTO
Arranjos Simples

Suponha que tenhamos n objetos com os quais queremos preencher p lugares. O


primeiro lugar pode ser preenchido de n maneiras diferentes. Tendo preenchido o
primeiro lugar, restam (n − 1) objetos para preencher (p − 1) lugares e, portanto, o
segundo lugar pode ser preenchido de (n−1) maneiras diferentes. E assim
sucessivamente, vamos preenchendo as posições de forma que na p-ésima
posição teremos (n − (p − 1)) maneiras diferentes de preenchê-la. Pelo princípio do
produto, podemos dizer que as p posições podem ser preenchidas de n(n − 1)(n −
2)...(n − (p − 1)) maneiras diferentes.

Denotando por An, p o número de arranjos simples de n elementos tomados p a p,


ou seja, todas as escolhas ordenadas de p desses n elementos, temos:
Atividade
Onde:
An,p = quantidade de arranjos
n = quantidade de elementos do conjunto
p = quantidade de elementos por arranjo
n≥p

Vejamos o exemplo a seguir:

Considerando os dígitos 1,2,3,4,5, quantos números de 2 algarismos distintos


podem ser formados?

Desejamos o arranjo de 5 elementos tomados 2 a 2. Temos 5 possibilidades para


o primeiro algarismo e 4 possibilidades para o segundo algarismo. Aplicando a

fórmula de cálculo

Podem ser formados 20 números de 2 algarismos distintos.

Disponível em:
.https://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/17362916022012Ma
tem%C3%A1tica_Discreta_Aula_3.pdf Acesso em: 03 ago. 2020
II. Responda:

1. No campeonato paulista de vôlei de praia feminino, quatro duplas (D1, D2, D3,
D4) foram para a semifinal. De quantas maneiras diferentes poderiam ocorrer as
duas primeiras colocações (campeão e vice-campeão)? Descreva essas maneiras.

a) Contagem direta
b) Árvore de possibilidades
c) Fórmula de arranjo simples

Disponível em:
https://www.pucsp.br/sites/default/files/download/posgraduacao/programas/e
ducacaomatematica/luciane_mendonca.pdf Acesso em: 03 ago. 2020.

2. Quantos números de 3 algarismos distintos podemos formar com os algarismos


do sistema decimal (0,1,2,3,4,5,6,7,8,9) sem os repetir, de modo que:

a) Comecem com 1
b) Comecem com 2 e terminem com 5
c) Sejam divisíveis por 5

Disponível em: https://www.somatematica.com.br/emedio/combinatoria3.php


Acesso em: 03 ago. 2020.

3. Quantos arranjos de três letras podem ser formados através do conjunto A = {E,
I, O, U}?

Disponível em: https://sabermatematica.com.br/arranjos-simples.html Acesso


em: 03 ago. 2020.

Arranjos, Permutações e Combinações. Disponível em:


https://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/17362916022012Ma
tem%C3%A1tica_Discreta_Aula_3.pdf Acesso em: 03 ago. 2020.

Onde encontro Trajetória hipotética de aprendizagem: análise combinatória. Disponível em:


o conteúdo https://www.pucsp.br/sites/default/files/download/posgraduacao/programas/e
ducacaomatematica/luciane_mendonca.pdf Acesso em: 03 ago. 2020.

Arranjo simples. Disponível em:


https://www.somatematica.com.br/emedio/combinatoria3.php Acesso em: 03
ago. 2020.

Compreender e aplicar a fórmula de arranjo na resolução de problemas.


-
Objetivo Resolver e elaborar problemas de contagem envolvendo diferentes tipos de
agrupamento de elementos, por meio dos princípios multiplicativo e aditivo,
recorrendo a estratégias diversas como o diagrama de árvore.
Vamos Lá!

01. Considere os algarismos 1,2,3,4,5. Quantos números distintos, superiores a 100


e inferiores a 1000, podemos formar se:

a) o número é par?
b) o número é ímpar?
c) o número é par ou ímpar?
Depois da
atividade
Disponível em:
https://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/17362916022012Ma
tem%C3%A1tica_Discreta_Aula_3.pdf Acesso em: 03 ago. 2020.

02. Quantas “palavras” (com ou sem sentido) de 6 letras distintas podem ser
formadas com as letras A, B, C, D, E, F, G, H, I, e J?

Disponível em: https://sabermatematica.com.br/arranjos-simples.html Acesso


em: 03 ago. 2020.
Data: 11/08/2020
11h às 12h Física
Tema: Ondas eletromagnéticas e suas influências a exposição dessas radiações/ Física no dia a
dia: aparelhos eletrônicos (Parte I)
Vamos seguir com mais uma atividade de Física que traga luz para a compreensão
de situações do dia a dia. Hoje, estudaremos o eletromagnetismo e como essa
ciência está presente nos mais diversos aparelhos que temos em nossa casa.

I. Leia os textos 01 E 02.


TEXTO 01
Breve história do Magnetismo

A palavra magnetismo tem sua origem na Grécia antiga, porque foi em Magnésia,
cidade grega, que se observou um minério com a propriedade de atrair objetos de
ferro. Tal minério ficou conhecido por magnetita. Da mesma forma que os
fenômenos elétricos resultantes da atração do âmbar, a atração magnética
exercida pela magnetita sobre o ferro foi explicada pela primeira vez, no século VI
a.C, por Tales de Mileto. Como o âmbar, a magnetita também teria uma espécie
de alma — podia comunicar sua “vida” ao ferro inerte, que, por sua vez, também
adquiria um “poder de atração”.

[...]. Provavelmente, os chineses conheciam o magnetismo há mais tempo do que


os gregos. Entre os anos 300 a.C. e 220 a.C., adivinhos chineses já utilizavam a
“colher que aponta para o sul”. Era uma colher de magnetita que, colocada em
equilíbrio sobre um pino, podia girar livremente na horizontal. Em qualquer
situação, essa primitiva bússola sempre apontava o cabo para o sul. No século VI,
os chineses já tinham tecnologia suficientemente avançada para a fabricação de
Atividade ímãs. Usavam dois processos diferentes. Um muito simples, ainda hoje comum:
esfregavam um ímã numa agulha de ferro ou aço, fazendo com que ela se tornasse
também um ímã. Em outro processo, hoje em dia em desuso, colocavam agulhas
ou pedaços de ferro incandescentes na direção norte-sul do campo magnético
terrestre [...].

Com essas agulhas imantadas, eles construíam suas bússolas, que, no início,
serviam apenas para fazer mágicas ou para orientar a posição em que um edifício
devia ser construído. Só a partir dos séculos X ou XI é que os chineses começaram
a utilizá-las para a navegação. No século XIII começaram a surgir observações mais
acuradas sobre o magnetismo e a eletricidade. A primeira e mais importante na
época foi a compreensão de que eram fenômenos de natureza diferente, ideia
que prevaleceu até o início do século XIX. Embora atrasados em relação aos
chineses na utilização da bússola para a navegação, foram os europeus que
realizaram o primeiro estudo experimental do magnetismo de natureza científica.
Em 1269, Pierre Pelerin (Petrus Peregrinus, em latim) de Maricourt, engenheiro
militar francês, no seu livro Carta de Petrus Peregrinus, descreve a maioria das
experiências elementares sobre magnetismo, que aparecem até hoje nos livros
escolares de Ciências. Foi ele quem denominou polo norte e polo sul as
extremidades de um ímã, baseando-se na orientação natural da bússola. Observou
ainda a atração entre polos magnéticos diferentes, a repulsão entre polos iguais e
que a agulha da bússola não aponta exatamente para o polo norte geográfico da
Terra.
Com base no comportamento de alguns materiais diante de um campo magnético
externo, é possível classificá-los em paramagnéticos, diamagnéticos ou
ferromagnéticos. [...] Um material ferromagnético é o que, em geral, se costuma
chamar de magnético. Corpos desses materiais são atraídos por ímãs feitos de
ferro, níquel, cobalto, terras-raras e inúmeras ligas que os contêm. Colocados sob
a ação de um campo magnético externo, corpos desses materiais também se
tornam ímãs. Corpos de materiais paramagnéticos também são atraídos por ímãs,
embora muito fracamente. Além dos materiais ferromagnéticos acima do ponto
Curie, são exemplos de materiais paramagnéticos o paládio, a platina, o sódio, o
potássio e algumas ligas de ferro. Corpos de materiais diamagnéticos são repelidos
pelos ímãs, qualquer que seja o polo pelo qual são aproximados. É um efeito fraco,
característico da prata e do bismuto, embora exista em toda espécie de matéria,
de forma praticamente imperceptível. [...].

Disponível em:
https://www.mundovestibular.com.br/estudos/fisica/magnetismo/#:~:text=A%2
0palavra%20magnetismo%20tem%20origem,a.C.%20por%20Tales%20de%20Mil
eto. Acesso em: 03 ago. 2020.

TEXTO 02
Eletromagnetismo

Em 1820 o físico dinamarquês Hans Oersted observou que uma corrente elétrica,
passando por um condutor, desviava uma agulha magnética colocada na sua
vizinhança. Essa descoberta foi fundamental para a unificação da eletricidade com
o magnetismo, que passaram a constituir um importante ramo da ciência
denominado eletromagnetismo.

OS TRÊS FENÔMENOS ELETROMAGNÉTICOS

A. Uma corrente elétrica, passando por um


condutor, produz um campo magnético ao
redor do condutor, como se fosse um ímã;

B. Um condutor, percorrido por corrente elétrica,


colocado em um campo magnético, fica sujeito
a uma força;

A. Variação de Fluxo magnético próximo a um condutor, gera (ou induz) corrente


elétrica nesse condutor. Esse fenômeno é chamado indução eletromagnética.
Os fenômenos eletromagnéticos foram descritos por um conjunto de leis
formulado por James Clerck Maxwell, cientista que foi tão importante para o
Eletromagnetismo como Isaac Newton foi para a Mecânica.

A descoberta da relação entre os campos elétrico e magnético foi fundamental


para que pudessem ser criados diversos aparelhos com os quais convivemos
atualmente, como o rádio, a televisão, o micro-ondas, o celular e a também a
internet, essa rede que nos possibilita comunicação em tempo real mesmo com
pessoas que estão distantes de nós. Na próxima atividade estudaremos então as
ondas eletromagnéticas e sua importância para a comunicação.
Eletromagnetismo. Disponível em:
http://efisica.if.usp.br/eletricidade/basico/campo_corrente/exper_oersted/
Acesso em: 03 ago. 2020.

II. Agora, baseado nos textos 1 e 2, responda às questões que seguem:

1. (EMITec-2020) Como é conhecido o mineral que tem a propriedade de atrair


objetos ferrosos. Em que região ele foi descoberto?
2. (EMITec-2020) Segundo o texto, quais os primeiros povos a utilizarem as
propriedades magnéticas? Como eles a utilizavam?
3. (EMITec-2020) Quando a bússola passou a ser usada para navegação?
4. (EMITec-2020) Todos os materiais são atraídos por ímãs? Descreva os
materiais de acordo com suas propriedades magnéticas dando exemplos.
5. (EMITec-2020) Quem primeiro constatou a existência de uma relação entre os
campos elétrico e magnético?
6. (EMITec-2020) Descreva os três fenômenos eletromagnéticos.

Breve história do Magnetismo. Disponível em:


https://www.mundovestibular.com.br/estudos/fisica/magnetismo/#:~:text=A%2
0palavra%20magnetismo%20tem%20origem,a.C.%20por%20Tales%20de%20Mile
to. Acesso em: 03 ago. 2020.
Eletromagnetismo. Disponível em:
http://efisica.if.usp.br/eletricidade/basico/campo_corrente/exper_oersted/
Acesso em: 03 ago. 2020.
Onde encontro
GASPAR, A. Compreendendo a Física / Alberto Gaspar. 3ª. ed. São Paulo: Ática,
o conteúdo
Conteúdo: v. 3. Eletricidade, 2013.
Videoaula do EMITec. Disponível em:
http://pat.educacao.ba.gov.br/emitec/disciplinas/exibir/id/5442. Acesso em: 23
de jul. 2020.
Simulador. Disponível em: https://phet.colorado.edu/sims/html/faradays-
law/latest/faradays-law_pt_BR.html. Acesso em: 23 de jul. 2020.
Utilize também o livro didático de Física adotado pela sua escola.

Compreender a origem do eletromagnetismo e suas implicações para a existência


Objetivo
de aparelhos utilizados no cotidiano.

(EMItec-2020) Observe o esquema


abaixo. Você seria capaz de montar
um esquema a partir dele para
mostrar como funciona um campo
elétrico? Após realizar sua
Depois da
experiência, desenhe e descreva o
atividade
que você observou.

Figura 01: Campo elétrico

Disponível em: https://aulanapratica.files.wordpress.com/2015/07/aula-


prc3a1tica-eletromagnetismo-blog.pdf Acesso em 03 ago. 2020.
Data: 12/08/2020
9h às 10h Matemática
Tema: Análise Combinatória: Combinação simples

Vamos dar continuidade ao estudo da análise combinatória. Agora, em destaque,


combinação simples.

I. Veja a situação a seguir:

Uma conceituada escola de idiomas está realizando uma promoção onde você
escolhe três cursos, dos cinco disponíveis, e paga apenas 2/3 do valor da
mensalidade de cada um dos cursos escolhidos.

Podemos facilmente perceber que alguém que tenha escolhido os cursos de


inglês, espanhol e alemão, fez as mesmas escolhas que outro alguém que tenha
escolhido alemão, inglês e espanhol, por exemplo, pois a ordem dos cursos de
idioma em si, não gera distinção entre uma escolha e outra.

Se alguém escolheu inglês, espanhol e alemão e outra pessoa escolheu inglês,


espanhol e francês, também claramente podemos perceber que se trata de
escolhas distintas, pois nem todos os cursos que uma pessoa escolheu, são os
mesmos escolhidos pela outra pessoa.

Considerando-se os 5 idiomas disponíveis, qual o número total de possibilidades


se escolhermos três idiomas de cada vez?

Atividade Neste caso do curso de idiomas, podemos obter o número total de possibilidades,
calculando inicialmente o arranjo simples A5, 3:

Só que fazendo assim, estamos considerando distintos, os agrupamentos: inglês,


espanhol, alemão de espanhol, inglês, alemão, por exemplo, e de todas as suas
permutações.

Como sabemos, a permutação de 3 elementos, P3 é igual a 3!, que é igual a 6,


portanto se dividirmos 60 por 6, estaremos eliminando as ocorrências duplicadas
em função da mera mudança de ordem dos elementos. Assim sendo, 60 : 6 = 10.
Portanto o número de opções possíveis é igual a 10.

Esse caso, temos uma situação diferente do arranjo, pois a ordem


(posicionamento) dos elementos não configura um novo agrupamento. Situações
desse tipo são chamadas de Combinação Simples.

A combinação simples, com n elementos distintos, agrupados p a p, com p ≤ n, é


calculada pela fórmula:
Disponível em:
http://www.matematicadidatica.com.br/CombinacaoSimples.aspx Acesso em: 03
ago. 2020.

II. Agora é como você!

1. Quantas duplas distintas podem ser formadas com as pessoas que moram em
sua casa?

Disponível em:
http://www.matematicadidatica.com.br/CombinacaoSimples.aspx Acesso em: 03
ago. 2020.

2. Quantos trios distintos podem ser formados com as pessoas que moram em sua
casa?

Disponível em: https://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-


matematica/exercicios-sobre-combinacao-simples.htm#questao-3 Acesso em: 03
ago. 2020.

3. Quantos quartetos distintos, caso seja possível, podem ser formados com as
pessoas que moram em sua casa?

Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/matematica/combinacao-


simples.htm Acesso em: 03 ago. 2020.

4. Quantos quintetos distintos, caso seja possível, podem ser formadas com as
pessoas que moram em sua casa?

Disponível em: https://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-


matematica/exercicios-sobre-combinacao-simples.htm#questao-3 Acesso em: 03
ago. 2020.

Utilize também o livro didático de Matemática adotado pela sua escola.

Análise Combinatória - Combinação Simples. Disponível em:


Onde encontro http://www.matematicadidatica.com.br/CombinacaoSimples.aspx Acesso em: 03
o conteúdo ago. 2020.

Disponível em: https://www.somatematica.com.br/emedio/combinatoria5.php


Acesso em: 03 ago. 2020.

Utilizar os conhecimentos de combinação simples para resolver situações do


cotidiano.
Objetivo
Resolver e elaborar problemas de contagem envolvendo diferentes tipos de
agrupamento de elementos, por meio dos princípios multiplicativo e aditivo,
recorrendo a estratégias diversas como o diagrama de árvore.
Vamos praticar um pouco mais!

01. (EMItec-2020) Para fazer uma salada de frutas, uma pessoa dispõe de 10 frutas
distintas. Porém, só deverá utilizar apenas 6 delas. O número de saladas distintas
que poderão ser feitas é

a) 210.
b) 420.
c) 5.040.
d) 10.080.
e) 151.200.

02. Um pesquisador científico precisa escolher três cobaias, num grupo de oito
cobaias. O número de maneiras distintas que ele pode realizar a escolha é

a) 6.720.
b) 3.360.
c) 672.
d) 336.
e) 56.

03. Em um curso de língua estrangeira estudam trinta alunos. O coordenador do


Depois da curso quer formar um grupo de três alunos para realizar um intercâmbio em outro
atividade país. Quantas possíveis equipes podem ser formadas?

a) 24.360
b) 16.180
c) 6.090
d) 4.060
e) 2.030

04. No jogo de basquetebol, cada time entra em quadra com cinco jogadores.
Considerando-se que um time para disputar um campeonato necessita de pelo
menos 12 jogadores, e que desses, 2 são titulares absolutos, determine o número
de equipes que o técnico poderá formar com o restante dos jogadores, sendo que
eles atuam em qualquer posição.

a) 1.440
b) 720
c) 120
d) 24
e) 6

Questões 02 a 04. Disponível em: https://brainly.com.br/tarefa/274791 Acesso


em: 03 ago. 2020.

Questão 01. A
Questão 02. E
Gabarito
Questão 03. D
Questão 04. C
Data: 12/08/2020
11h às 12h Química
Tema: Bioquímica / Químicas dos alimentos (Parte I)

I. Leia os textos 01 e 02.

TEXTO 01
Como as frutas ficam maduras?

Você quer saber como as frutas ficam maduras? Leia este texto e descubra!

Um processo bastante conhecido para amadurecer bananas verdes rapidamente


é colocá-las embrulhadas em um jornal ou dentro de uma sacola. Além disso, se
colocarmos frutas maduras perto de frutas verdes, essas últimas amadurecerão
mais rápido. Esse fenômeno é ainda mais intensificado se o dia estiver bem
quente.

Por que essas coisas acontecem? Como as Fórmula química do eteno


frutas ficam maduras?

Bem, isso se deve a um gás produzido pelas


próprias frutas conhecido como eteno ou
etileno. A sua molécula é formada por dois
átomos de carbono e quatro átomos de
hidrogênio, como mostra a figura a seguir:
Atividade

No ano de 1901, um cientista russo chamado Dimitry Neljubow percebeu que as


plantas que ficavam próximas de um gasoduto comercial apresentavam um
crescimento muito acelerado. Isso ocorria porque as tubulações do gasoduto
liberavam gás etileno. Cerca de 30 anos depois os cientistas comprovaram que as
plantas realmente produziam esse gás, que é o responsável pelo amadurecimento
das frutas.

O gás eteno é produzido pelos vegetais em diversos tecidos e pode deslocar-se


facilmente de célula para célula. Por isso que ele está presente em toda a estrutura
do fruto, desde a casca até o seu interior.

Basicamente, o etileno desencadeia a produção de algumas enzimas que


provocam reações de amadurecimento das frutas, como é o caso da reação
conhecida como hidrólise do amido. Nessa reação, o amido que está dentro do
fruto verde tem a sua molécula “quebrada”, produzindo açúcares, por isso a fruta
fica mais doce.

Figura 1: Cacho de bananas amadurecendo ao longo do tempo


Outra reação provocada pelo etileno é a quebra das fibras do fruto, o que o torna
mais macio. Além disso, durante o amadurecimento da fruta, a clorofila, um
pigmento que fornece a cor verde dos vegetais, vai diminuindo, por isso, a fruta
muda de cor. Veja mais sobre essa questão dos pigmentos e da mudança de cor
das plantas no texto: Por que as folhas mudam de cor?

Isso explica os fenômenos descritos no início deste artigo. Quando embrulhamos


as bananas em um jornal, é como se “aprisionássemos” o etileno, acelerando o
amadurecimento da fruta.

Além disso, é comum também queimar querosene ou serragem próximo das frutas
para amadurecê-las mais rápido, pois a fumaça liberada, na queima, contém
pequenas quantidades de etileno.

A fruta amadurece mais rápido em dias quentes porque o etileno reage mais
rapidamente em temperaturas elevadas.

Disponível em: https://escolakids.uol.com.br/ciencias/como-as-frutas-ficam-


maduras.htm Acesso em: 16 jul. 2020.

TEXTO 02
Frutos Climatéricas e Não-Climatéricas

Frutos climatéricos são aqueles que no final do período de maturação apresentam


um marcante aumento na taxa respiratória, provocado pelo aumento na produção
de etileno. O pico das taxas respiratórias ocorre no momento da maturidade
fisiológica dos representantes deste grupo.

Exemplos de frutos climatéricos são: tomate, kiwi, caqui, pêra, maracujá, pêssego,
nectarina, ameixa, maçã, abacate, melão, banana, manga, mamão, azeitona.

Frutos não-climatéricos são aqueles que apresentam um declínio lento e


constante de sua taxa respiratória após a colheita, independentemente do estágio
de amadurecimento em que foram colhidos, pois produzem baixas quantidades
de etileno. Frutos desse grupo não podem ser colhidos antes de sua maturação
porque após sua colheita eles geralmente entram em processo de senescência.
Exemplos de frutos não-climatéricos são: coco, uva, limão, amora, framboesa, figo,
carambola, cereja, romã, melancia, morango, abacaxi, laranja, pimenta-doce,
feijão de corda.

Disponível em:
https://siteantigo.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/nutricao/frutos-
climatericas-e-nao-climatericas/26556# Acesso em: 16 jul. 2020.

TEXTO 03 – Leitura Complementar


Sabia que alguns alimentos frescos não devem ser armazenados juntos?
Descubra como evitar a sua contaminação

Alguns alimentos não devem ser guardados juntos na fruteira, como laranjas e
maçãs.

Você fez mercado e comprou frutas, legumes e vegetais fresquinhos. Está


pensando em guardar tudo junto na geladeira ou na despensa? Melhor não!
Alguns alimentos frescos, se armazenados lado a lado, podem ficar contaminados
ou até mesmo estragar mais rápido. Para não correr esse risco, que tal aprender
como guardar e preservar melhor seus alimentos? Se liga nessas dicas!

Abóboras não se misturam com maçãs e peras

As maçãs e peras possuem uma substância chamada etileno, que faz com que as
abóboras mudem seu aspecto, tornando-se amareladas e, consequentemente,
estraguem bem mais rápido. Para extrair o melhor do legume, é bom deixar a
abóbora em um lugar fresco, mas fora da geladeira, para que ela não murche.

Batata e cebola juntas? Nem pensar!

A cebola possui muita acidez e muita água também - assim como a batata. A
umidade das duas juntas pode não dar muito certo e, por ser mais ácida, a cebola
com certeza fará com que a batata apodreça e estrague mais rápido. Uma boa
saída é deixar apenas a cebola fora da geladeira, em ambiente fresco.

Pepino deve ficar sozinho

O pepino é um legume que não deve ser armazenado com nenhum outro
alimento. Lembra do etileno, a substância liberada pelas maçãs e pera? Ela
também está presente na banana, no melão, no abacate, entre outras frutas. O
problema é que o pepino é muito sensível ao etileno, que faz com que ele estrague
com muita facilidade. Por isso, é muito importante deixá-lo sozinho para não
correr risco de contaminação, ok?

Abacates só devem ficar com as bananas até eles amadurecerem

A banana libera alguns gases que podem acelerar o processo de amadurecimento


de abacates ainda verdes. Mas se eles já estiverem maduros o resultado vai ser
péssimo, já que o contato próximo com a outra fruta pode fazer com que os
abacates estraguem ainda mais rápido. É melhor mantê-los na fruteira, em
ambiente fresco... Mas bem separados!

Laranja e maçã não devem ser armazenadas lado a lado

No suco elas podem ser uma delícia juntas, mas na hora de guardar, não tanto
assim. Maçã e laranja são dois exemplos de frutas que ficam muito melhor
armazenadas na geladeira, mas bem separadas uma da outra. Os gases emitidos
por cada uma podem estragar ambas. Por isso, se possível as mantenha em
prateleiras separadas, dentro de sacos plásticos.
Disponível em: https://www.casapraticaqualita.com.br/noticia/sabia-que-alguns-
alimentos-frescos-nao-devem-ser-armazenados-juntos-descubra-como-evitar-a-
sua-contaminacao_a1383/1/ Acesso em: 16 jul. 2020.

II. Agora é o momento de fazer as atividades!

01. Alguns frutos, como o tomate e o mamão, continuam os processos de


amadurecimento após a colheita. Assim, a respeito da etapa de colheita desses
produtos, é correto afirmar que:

a) o tomate e o mamão são frutos não climatéricos, ou seja, não precisam


permanecer ligados à planta para atingirem seu completo amadurecimento.
b) o tomate e o mamão são frutos climatéricos, os quais produzem etileno após a
colheita e podem ser colhidos depois de alcançarem seus respectivos pontos de
maturidade fisiológica.
c) o tomate e o mamão não produzem etileno após a colheita, fazendo com que a
colheita de ambos seja feita antes da maturação completa desses frutos.
d) a colheita pode ser realizada antes da maturidade fisiológica, pois, como o
tomate e o mamão amadurecem após a colheita, ambos alcançarão a qualidade
de consumo.
e) a colheita deverá ser realizada após o completo amadurecimento horticultural
do tomate e do mamão, pois, como são frutos climatéricos, não produzem etileno
após a colheita.

Disponível em: https://www.qconcursos.com/questoes-de-


concursos/questoes/9dc67855-08 Acesso em: 16 jul. 2020.

02. (Unaerp) Frutas bem maduras e podres liberam um gás conhecido por:

a) Ácido Abscísico.
b) Etileno.
c) Ácido indolil-acético.
d) Auxinas.
e) Ácido giberélico.

Disponível em: https://exercicios.mundoeducacao.uol.com.br/exercicios-


biologia/exercicios-sobre-etileno.htm#resposta-4392 Acesso em: 16 jul. 2020.

03. (Ufes) Entre os fitormônios conhecidos, o etileno é um dos principais


responsáveis pelo amadurecimento dos frutos. Para evitar que os frutos
amadureçam durante o transporte, um produtor que queira exportar mamões
para outro Estado deve:

a) utilizar carros frigoríficos com baixas temperaturas e altas taxas de CO2.


b) armazenar os frutos em temperaturas elevadas e com altas taxas de O2.
c) diminuir a concentração de CO2 no interior dos carros frigoríficos.
d) manter os veículos de transporte em temperatura ambiente.
e) colocar alguns frutos já maduros entre os outros ainda verdes.

Disponível em: https://exercicios.mundoeducacao.uol.com.br/exercicios-


biologia/exercicios-sobre-etileno.htm#resposta-4392 Acesso em: 16 jul. 2020.
04. (EMITEC - 2020) Qual o fator determinante para que os frutos sejam
armazenados separadamente evitando assim o amadurecimento precoce?

Utilize também o livro didático de Química adotado pela sua escola.

Etileno. Disponível em: https://mundoeducacao.uol.com.br/biologia/etileno.htm


Acesso em: 16 jul. 2020.
Onde encontro
Os alimentos que nunca deve armazenar juntos. Disponível em:
o conteúdo
https://www.bancodasaude.com/noticias/os-alimentos-que-nunca-deve-
armazenar-juntos/ Acesso em: 16 jul. 2020.

Acesse o link abaixo e veja o vídeo sobre: Por que a maçã cortada escurece?
https://www.youtube.com/watch?v=cdu4oaVL1bs Acesso em: 16 jul. 2020.

Objetivos Perceber que transformações químicas mudam o aspecto do alimento.

Agora, vamos observar na prática, o amadurecimento de uma fruta!

Pegue uma fruta em processo de amadurecimento, pode ser banana, manga e


Depois da etc., coloque ela em um local reservado e observe-a diariamente. Registre as
atividade alterações com fotos ou até mesmo com desenhos.

Quando a fruta estiver madura, retome a imagem inicial compare e escreva em


seu caderno os resultados observados.

Questão 01. B
Gabarito Questão 02. B
Questão 03. A
Data: 13/08/2020
9h às 10h Física
Tema: Ondas eletromagnéticas e suas influências a exposição dessas radiações
Subtema: Física no dia a dia: aparelhos eletrônicos (Parte II)

Vamos seguir com nossos estudos sobre eletromagnetismo? Hoje, iremos


conhecer as ondas eletromagnéticas e como elas estão presentes no nosso dia a
dia. Vamos lá!!!

I. Leia o texto que segue.

TEXTO
Ondas eletromagnéticas

O conceito de ondas eletromagnéticas, apresentado por Maxwell em 1864 e


confirmado experimentalmente por Heinrich Hertz em 1886, é utilizado para
demonstrar a natureza eletromagnética da luz. As ondas eletromagnéticas podem
propagar-se no vácuo e em dois campos variáveis: um elétrico e outro magnético.
A velocidade de propagação das ondas eletromagnéticas no vácuo é de
aproximadamente 300.000 km/s. Nos meios materiais essa velocidade é um pouco
menor.

Estamos imersos em ondas eletromagnéticas. Iniciando pelo Sol, a maior e mais


importante fonte para os seres terrestres, cuja vida depende do calor e da luz
recebidos através de ondas eletromagnéticas. O espectro eletromagnético é onde
estão representadas as faixas de frequências ou comprimentos de ondas que
Atividade caracterizam os diversos tipos de ondas eletromagnéticas.

Figura 01: Espectro Eletromagnético

O espectro visível da luz é uma onda eletromagnética que, ao penetrar em nossos


olhos, pode sensibilizar a retina e desencadear o mecanismo da visão. A luz visível
possui uma faixa estreita de frequências que se estende aproximadamente de 4,5.
1014Hz (vermelho), a 7,5. 1014Hz (violeta) capaz de sensibilizar a visão. Essa faixa
possui as sete cores fundamentais e podemos relacioná-las em ordem crescente
de frequência, como: vermelho, alaranjado, amarelo, verde, azul, anil e violeta.

As radiações cujas frequências estão abaixo de 4,5. 1014Hz (luz vermelha) não são
capazes de sensibilizar a retina, portanto, são invisíveis ao olho humano. Como,
por exemplo, as ondas de TV e os raios infravermelhos. As radiações cujas
frequências estão acima de 7,5. 1014Hz (luz violeta) também não são capazes de
sensibilizar a retina, portanto, são invisíveis ao olho humano. Como, por exemplo,
os Raios Ultravioleta e os Raios X.

Observe que as ondas eletromagnéticas com frequência para a comunicação e


outras funções corriqueiras na nossa vida, estão abaixo da radiação infravermelha,
assim, o rádio, a televisão, o telefone, o forno de micro-ondas, o radar, o celular,
a Internet, dependem das ondas eletromagnéticas para o seu funcionamento.

Os aparelhos de comunicação funcionam a partir das ondas eletromagnéticas que


recebem dos sinais enviados por antenas.

O nosso sistema de visão funciona pela detecção de ondas eletromagnéticas (na


parte visível do espectro);

É por meio das ondas eletromagnéticas que a Terra recebe a energia do Sol, vital
para a nossa sobrevivência.

TIPOS DE RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS

Existem dois tipos de radiação eletromagnética liberadas de alguns aparelhos que


fazem parte do cotidiano das pessoas. São elas: radiações não ionizantes e as
radiações ionizantes.

São aquelas que não modificam a estrutura do átomo. Porém, um longo período
de exposição a esse tipo de radiação pode causar problemas à saúde. Aparelhos
utilizados com muita frequência no nosso dia-a-dia, utilizam esse tipo de radiação
em seu funcionamento, como telefone celular, televisão, micro-ondas e rádio.

Tipos de radiação não ionizantes mais conhecidas:

– Micro-ondas e radiofrequências afetam o corpo principalmente com aumento


da temperatura. Fonte: rádio e TV, forno de micro-ondas, etc…

– Infravermelha: Normalmente está presente em fontes locais de emissão de


calor. A exposição é aumentada pela proximidade. Exemplo: fornos, fundições.

Os trabalhadores podem ser expostos a campos eletromagnéticos de frequência


extremamente baixa, se trabalharem próximos de sistemas elétricos que utilizam
grandes potências como geradores ou cabos de força. As maiores exposições
ocorrem entre os soldadores e eletricistas. Todos nós somos expostos a radiações
não ionizantes, sejam elas por meio de fontes naturais ou produzidas pelo homem.
São aquelas capazes de modificar (ionizar) a estrutura de átomos e moléculas,
podendo danificar as células e alterar o DNA, o que gera doenças graves; alguns
aparelhos utilizam esse tipo de radiação como os de raio-x em seus vários tipos. O
sol emite radiação UV (ultravioleta), a radiação UV pode ser dividida em UVA, UVB
e UVC. A atmosfera terrestre bloqueia a passagem da radiação UVC, esse tipo de
radiação não chega à superfície terrestre. Já as radiações UVA e UVB conseguem
chegar à superfície terrestre.
Disponível em: http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/ondas-
eletromagneticas.htm Acesso em 23 de jul. 2020.

II. Com base no texto que você acaba de ler, e também em suas observações
cotidianas, responda as questões que seguem:

1. (EMITec-2020) As ondas eletromagnéticas precisam de meio material para se


propagar?

2. (EMITec-2020) Quais os tipos de ondas eletromagnéticas representadas no


espectro eletromagnético?

3. (EMITec-2020) Quais os tipos de radiação emitidas por aparelhos presentes no


nosso dia a dia?

4. (EMITec-2020) Dê três exemplos de aparelhos que têm seu funcionamento


baseado na captação/emissão de ondas eletromagnéticas.

5. (EMITec-2020) Você já parou pra pensar para que utilizamos o filtro solar?
Explique em poucas palavras o que você compreende da relação entre o
número do filtro e a proteção oferecida por ele para nossa pele.

Utilize o livro didático de Física adotado pela sua escola.

GASPAR, Alberto. Compreendendo a física/Alberto Gaspar. 2. ed. São Paulo:


Ática, 2013. Conteúdo: v. 3. Eletromagnetismo.

Onde encontro Videoaula do EMITec: Ondas Eletromagnéticas. Disponível em


o conteúdo http://pat.educacao.ba.gov.br/emitec/disciplinas/exibir/id/5599. Acesso em: 23
de jul. 2020.

Ondas eletromagnéticas. Disponível em:


http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/ondas-eletromagneticas.htm
Acesso em 23 de jul. 2020.

Identificar as denominações e usos práticos das ondas eletromagnéticas de


Objetivo
diferentes faixas de frequência.

Agora que você chegou ao final dessa atividade, que tal elaborar um resumo do
que aprendeu sobre as ondas eletromagnéticas e demonstrar para sua família para
que eles, assim como você, possam utilizar os aparelhos que têm em casa sem
Depois da
medo, mas também possam saber dos riscos de se expor a determinados tipos de
atividade
radiação? Se preferir, grave um vídeo para compartilhar com eles.

Bom trabalho!!!
Data: 13/08/2020
11h às 12h Química
Tema: Bioquímica/ Subtema: Químicas dos alimentos (Parte II)

I. Leia o texto, a seguir.


TEXTO 01
A energia que vem dos alimentos

Os seres vivos, sem exceção, necessitam da absorção de energia para poder


sobreviver. É por esta razão que nos alimentamos, pois são os alimentos que,
através da digestão e das transformações químicas que nos fornecem a energia
necessária para realizarmos as funções vitais de nosso organismo: crescimento,
locomoção, reprodução, entre outras. Portanto, a energia que vem da nossa
alimentação é responsável pelo funcionamento do cérebro, pela atividade
muscular, pelos batimentos cardíacos, até pelo crescimento dos cabelos e das
unhas.

Em outras palavras, ENERGIA é a capacidade que temos de executar uma ação, e


para que isso aconteça nossas células têm que possuir a quantidade de energia
suficiente para que possamos “funcionar”.

Entre os alimentos, a maior fonte de energia são aqueles ricos em lipídios (ácido
graxo e glicerol), pois possuem o conteúdo energético mais alto que o de alimentos
relativamente isentos de gordura. Os lipídios são a nossa reserva de energia e
podem ser encontrados nas gorduras em geral, como o óleo, o azeite, a manteiga,
a margarina, o amendoim, as castanhas, o coco e o abacate.
Atividade
Mas apesar das gorduras serem a maior fonte de fornecimento de energia, a nossa
primeira e principal fonte são os carboidratos. Eles são do time de macronutrientes,
que são os nutrientes que precisamos em maiores quantidades e que são
facilmente absorvidos pelo organismo, assim como as proteínas e as gorduras. Eles
são formados por moléculas de carbono, oxigênio e hidrogênio, e possuem dois
papéis bem importantes. O primeiro é fornecer energia para o organismo em forma
de glicose. Ou seja, os carboidratos são a primeira opção que o organismo recorre
para continuar trabalhando, porque são de rápida absorção. A outra função é que
os carboidratos integram alguns tipos de células.

Como o organismo extrai a energia dos alimentos?

A extração de energia dos alimentos é feita por um processo denominado oxidação


biológica, que é um processo brando e feito em etapas sucessivas, basicamente em
três estágios:

 Estágio 1: Digestão e absorção de alimentos;


 Estágio 2: Oxidação biológica dos nutrientes;
 Estágio 3: Oxidação seguida da obtenção de ATP por óxido-redução.

Portanto, o desprendimento de energia contida nas ligações químicas dos


elementos das moléculas combustíveis é capturado num composto chamado de
Adenosina Tri Fosfato, ou ATP. A energia do ATP é gasta nos diversos processos
endergônicos (gastam energia) da célula. A energia obtida é constantemente
utilizada, o que obriga o organismo humano a rebalancear as suas reservas, com o
consumo de mais alimento.

Como se mede a quantidade de energia contida nos alimentos?

Falar da quantidade de calorias em um determinado alimento é o mesmo que falar


sobre a quantia de energia armazenada nas ligações químicas dos alimentos. A
energia química é liberada no organismo através do metabolismo dos nutrientes
absorvidos pelo sistema digestório, e a quantidade de energia contida em um
alimento é medida através da energia obtida pela sua queima e é conhecida por
valor calórico. A quilocaloria (kcal) é a unidade de medida mais usada para definir
a quantidade de energia que cada alimento nos fornece e 1 kcal corresponde a
1000 calorias.

Observação importante: Uma das principais características dos alimentos


energéticos (lipídios e carboidratos, sendo que as proteínas têm um papel pequeno
neste caso), é a de que o excesso deles não pode ser eliminado pelo organismo,
como acontece com o excesso de vitaminas, sais minerais e fibras. Todo o
excedente ingerido, não utilizado nas funções metabólicas, acaba sendo
armazenado na forma de gordura, causando obesidade. Portanto, quando
ingerimos em excesso os alimentos de alto valor calórico ou então quando
seguimos um plano alimentar sem equilíbrio nutricional, nosso corpo armazenará
a energia que não usamos sob a forma de gordura, o que irá ainda contribuir para
o desenvolvimento de doenças como a hipertensão, a diabetes e as doenças do
coração.

Disponível em:
https://www.passeiweb.com/estudos/sala_de_aula/quimica/energia_dos_alimen
tos/ Acesso em: 16 jul. 2020.

TEXTO 02 – Leitura Complementar


Alimentos que dão um gás extra para começar a exercitar

Durante a atividade física, nossos músculos utilizam a energia química dos nutrientes
para produzir energia mecânica ou trabalho. Este é um processo bioquímico de grande
complexidade que é regulado por vários fatores de natureza enzimática e hormonal.
Os nutrientes que se constituem nas principais fontes de energia durante o exercício
físico são os carboidratos e as gorduras. Os músculos sempre se utilizam de uma mistura
desses dois nutrientes na “queima” metabólica com oxigênio. Um dos aspectos que
gera maiores controvérsias no entendimento deste processo é a relação entre o tipo,
duração e intensidade dos exercícios e o quanto se “queima” de gordura ou
carboidratos.

Nos exercícios de menor intensidade, quando a demanda de energia é menos


significativa, a gordura predomina como combustível, ou seja, os músculos se utilizam
de uma mistura mais rica em gordura como fonte de energia. Com o aumento da
intensidade, por exemplo, no exercício moderado, a mistura se equilibra entre gordura
e carboidratos. Nos exercícios intensos, o carboidrato predomina como fonte de energia
e, caso a intensidade se torne muito elevada, o carboidrato pode se tornar o único
combustível do exercício.
O que explica esta mudança de combustível utilizado pelos músculos são os
mecanismos reguladores, que seguem certa lógica. Quando o exercício é leve, o
prognóstico é que ele possa ter longa duração. Sendo assim, os músculos utilizam as
fontes de energia que se acumulam em maior quantidade, ou seja, as gorduras. O
metabolismo das gorduras é mais lento, entretanto, como a demanda de energia é
menor, não existe necessidade de uma mobilização mais rápida [...].

Disponível em:
https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/01/24/5-alimentos-
que-dao-um-gas-extra-para-voce-comecar-a-se-exercitar.htm Acesso em: 16 jul.
2020.

II. Responda aos questionamentos.

01. Uma alimentação adequada é aquela que inclui todos os nutrientes necessários
para o funcionamento do nosso corpo. Entre os nutrientes que nos fornecem
energia, podemos citar:

a) Sais minerais
b) Vitaminas
c) Água
d) Carboidratos
e) Proteínas

Disponível em: https://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-


biologia/exercicios-sobre-nutrientes.htm#resp-3 Acesso em: 16 jul. 2020.
02. A fórmula geral dos carboidratos é:

a) (CH2O)n
b) (CH3O)n
c) (CH4O)n
d) (CH5O)n
e) (CH6O)n

03. Sobre as funções dos carboidratos é INCORRETO afirmar:

a) Os alimentos que contém carboidratos fornecem energia ao corpo humano.


b) O amido é um carboidrato considerado a principal reserva energética dos
vegetais.
c) Os carboidratos participam da formação dos ácidos nucleicos, chamados de
pentoses.
d) Os carboidratos têm a função estrutural em algumas células.
e) Os carboidratos auxiliam na formação dos ossos do corpo humano.

Questões 02 e 03. Disponível em: https://www.todamateria.com.br/questoes-


sobre-carboidratos/ Acesso em: 16 jul. 2020.

04. (EMITec - 2020) Preencha a cruzadinha abaixo.

A energia que vem dos alimentos


Horizontais Verticais

4. Maior fonte de fornecimento de 1. Principal fonte de energia para


energia. nosso corpo.
5. Indispensável para sobrevivência 2. Uma das doenças causada pelo
dos seres vivos. excesso de gordura.
6. Função vital do nosso organismo. 3. Mede a quantidade de energia
contida nos alimentos.

Utilize o livro didático de Química adotado pela sua escola.

A energia dos alimentos. Disponível em:


https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Corpo/alimentos7.php Acesso em: 16
Onde encontro jul. 2020.
o conteúdo
Carboidratos e gordura: combustíveis do corpo. Disponível em:
http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2013/09/carboidratos-e-
gordura-combustiveis-do-corpo-durante-pratica-de-exercicios.html Acesso em: 16
jul. 2020.

Objetivo Compreender a importância dos carboidratos na manutenção do nosso corpo.

Depois da Verifique em sua casa, alimentos que fornecem mais energia para o nosso
atividade corpo, construa uma tabela, classificando-os em carboidratos ou proteínas.

Questão 01. D
Gabarito Questão 02. A
Questão 03. E
Data: 14/08/2020
9h às 10h Matemática
Tema: Análise Combinatória: Diferença entre permutação, arranjo e combinação

Nesta semana, estudando análise combinatória você compreendeu as diferentes


formas de contagem: permutação, arranjo e combinação. Mas, você precisa estar
preparado para julgar o que será aplicado em cada situação. E por isso, foi pensado
diversas situações para que você possa diferenciá-las. Vamos começar!

I. Julgue como resolver as três situações a seguir:

1. (EMITec-2020) De quantas maneiras distintas Ana, Bia, Cau, Dea e Eli podem
sentar-se em um sofá de 5 lugares?

2. (EMITec-2020) De quantas maneiras distintas Ana, Bia, Cau, Dea e Eli podem
sentar-se em um sofá de 3 lugares?

3. (EMITec-2020) De quantas maneiras distintas Ana, Bia, Cau, Dea e Eli podem
ocupar os três lugares de um podium (1º, 2º e 3º lugares)?

E aí, como você respondeu?

Sentiu alguma dificuldade?

Veja a resposta correta logo abaixo.

A resposta correta é: 1) permutação, 2) combinação e 3) arranjo.


Atividade
Para que você não tenha mais dúvidas, para definir corretamente se é
permutação, arranjo ou combinação, temos duas perguntas importantes a serem
feitas. Preste atenção!

Olha como fica simples!

Vamos voltar às situações anteriores.

1. 5 pessoas (objetos) para sentar-se em 5 lugares (posições) – Permutação.

2. 5 pessoas (objetos) para sentar-se em 3 lugares (posições). A ordem não


importa – Combinação.
3. 5 pessoas (objetos) para ocupar 3 lugares (posições). A ordem importa –
Arranjo.

Respondendo, corretamente, às perguntas propostas, certamente você não errará


mais. Ok!

III. Agora, é com você!

1. (EMITec-2020) Agora, crie e calcule situações que envolvam cada um dos casos
de agrupamento com as pessoas que moram com você. Mãos à obra!

Utilize o livro didático adotado pela sua escola.

Matemática didática. Disponível em:


Onde encontro http://www.matematicadidatica.com.br/PermutacaoElementosRepetidos.aspx
o conteúdo Acesso em: 03 ago. 2020.

Arranjos simples. Disponível em: https://sabermatematica.com.br/exercicios-


resolvidos-arranjos-simples.html Acesso em: 03 ago. 2020.

Interpretar corretamente as situações envolvendo análise combinatória.

Objetivo Resolver e elaborar problemas de contagem envolvendo diferentes tipos de


agrupamento de elementos, por meio dos princípios multiplicativo e aditivo,
recorrendo a estratégias diversas como o diagrama de árvore.

Vamos praticar!

01. Na fila do caixa de uma padaria estão quatro pessoas. De quantas maneiras
distintas elas podem estar posicionadas nesta fila?

a) 4
b) 6
c) 24
d) 48
e) 120
Depois da
atividade 02. (FGV/2012) Lucas é vigia noturno de uma empresa e deve escolher os três dias
em que trabalhará na próxima semana. Para fazer isso ele deve preencher uma
ficha como a apresentada a seguir.

O número de maneiras diferentes que Lucas pode preencher essa ficha é:

a) 35.
b) 70.
c) 105.
d) 210.
e) 343.

03. Possuo 4 bolas amarelas, 3 bolas vermelhas, 2 bolas azuis e 1 bola verde.
Pretendo colocá-las em um tubo acrílico translúcido e incolor, onde elas ficarão
umas sobre as outras na vertical. De quantas maneiras distintas eu poderei formar
esta coluna de bolas?

a) 320
b) 630
c) 1.260
d) 6.300
e) 12.600

04. (Cesiep/2011–adaptada) Em uma corrida com 10 atletas competindo


pergunta-se: de quantos modos distintos (combinações) podem ser conquistadas
as medalhas de Ouro, Prata e Bronze?

a) 1.000
b) 800
c) 720
d) 300
e) 200

Questões 01 a 04. Disponível em: https://brainly.com.br/tarefa/11971827 Acesso


em: 03 ago. 2020.

Questão 01. C
Questão 02. A
Gabarito
Questão 03. E
Questão 04. C
Data: 14/08/2020
11h às 12h Iniciação Científica
Tema: Racismo Científico/ O Racismo Científico e o ensino de Ciências

Na atividade de hoje, vamos abordar sobre uma temática multidisciplinar de


investigação, tendo como base o ensino de ciências com o racismo científico.
Apresentamos 2 textos como referência para fomentar a reflexão, no texto 01,
abordaremos sobre o conceito de racismo científico, através de uma compreensão
social e genética. No texto 02, apresentamos um recorte de uma visão não
eurocêntrica de ciência, através das mulheres nas ciências.

I. Leia os textos 01 e 02.


TEXTO 01
Racismo Científico

É uma corrente de ideias que busca justificar o racismo a partir dos conceitos
científicos. O racismo é uma forma de discriminação de pessoas por suas
características fenotípicas, ou seja, a expressão do genótipo, associadas às suas
características socioculturais, como se ambas derivassem dos elementos
biológicos do ser humano, e não se uma construção histórico-cultural. Consiste em
uma atitude depreciativa e discriminatória não baseada em critérios científicos
em relação a algum grupo social ou étnico.

A biologia define espécie como os membros de populações que cruzam, ou tem


potencial para cruzar. O conceito não se sustenta a partir da similaridade de
aparência. Apesar dela ser útil na identificação de espécies, isto não as define.
Atividade
Raça, por outro lado, não se configura como um conceito científico. O que não
quer dizer que não exista no tecido social. Por isso, quando tratamos de seres
humanos, a nossa proximidade biológica é melhor diferenciada conceitualmente
com base nas etnias ou nos grupos étnicos.

A ideia de um racismo científico se relaciona, assim, com a justificativa de que


existem raças humanas superiores e inferiores, e isso pode ser analisado de forma
objetiva pela ciência, por defenderem que não existem raças dentro da espécie
humana, com bases não comprovadas por meio de pesquisas recente. O adjetivo
científico se refere meramente à tentativa de justificar com as ciências do século
XIX e começo do século XX, as discriminações que diferentes grupos étnicos
sofriam. Os postulados gerais do racismo científicos tentam incluir dentro das
características das raças, elementos psicológicos, morais, sexuais, culturais etc.
Esses elementos são, atualmente, estudados pelas demais ciências e entende-se
que a sua construção não se refere a raças, mas as condições biopsicossociais que
os diferentes grupos humanos apresentam e que não podem ser hierarquizados
em primitivos ou superiores como propunha o racismo científico.

O racismo científico no Brasil transmite a situação histórica em que o país vivia.


Um país com heranças da escravidão e a maior população negra fora de África. No
entanto, isto era visto de forma pejorativa e acreditava-se que por este motivo a
nação estaria comprometida. Desta forma, o racismo científico no caso brasileiro
vai se pautar mais nas teorias de embranquecimento do que nas teorias de
segregação racial. Assim, era fomentada a imigração de pessoas brancas, e
dificultada a imigração de pessoas negras e asiáticas.

O que se percebe, então, é que o racismo científico é uma teoria vinculada ao


momento de consolidação das ciências enquanto discurso explicativo da
realidade, com foco principalmente nas teorias da biologia do século XIX. Em
diferentes países do mundo, buscou-se estudar as diferenças humanas a partir de
um ideal de raça e justificar as diferentes características humanas com elementos
hereditários e biológicos. Essas teorias eram utilizadas para explicar as diferenças
culturais e sociais entre os povos humanos a fim de criar hierarquias e justificar a
dominação e as condições subalternas a que eram submetidos os povos.

Disponível em: https://www.infoescola.com/sociologia/racismo-cientifico/


Acesso em 22 jul. 2020.

TEXTO 02
Mulheres na Ciência

Até início do século XX, a ciência era culturalmente definida como uma carreira
imprópria para as mulheres. Entretanto, muitas mulheres, “traindo a própria
natureza”, participaram da produção do conhecimento científico. Na História da
Ciência, algumas mulheres têm lugar de destaque, a exemplo da física polonesa
Madame Curie, que em 1903 tornou-se a primeira mulher a receber o prêmio
Nobel de Física e em 1911 recebeu o prêmio Nobel em Química, tornando-se a
primeira cientista a conquistar um segundo prêmio Nobel (Nobel Prize, 2010 web).
Contudo, mesmo ostentando uma situação ímpar, vale ressaltar que em 1911,
Marie Curie perdeu por um voto o direito de ingressar na Academia de Ciências da
França por ter uma possível ascendência judia, por ser estrangeira, mas
principalmente por ser mulher, tornando visível a secular resistência masculina à
inserção das mulheres no mundo da ciência (Chassot, 2006:42). Nesse sentido, não
por acaso, no caminho da crítica feminista à ciência um dos principais pontos tem
sido demonstrar e denunciar a exclusão e invisibilidade das mulheres nesse
contexto. Resgatar a história de mulheres cientistas – de Hipácia a Marie Curie,
por exemplo – tornou-se uma tarefa central nos anos de 1970, basicamente por
dois motivos, primeiro para contrapor o entendimento de que as mulheres não
teriam capacidade de fazer ciência, entendimento respaldado por teorias
biomédicas sobre diferenças anatômicas ou fisiológicas em relação aos homens,
que limitariam seu potencial intelectual e as conformariam, exclusiva ou
prioritariamente, para a maternidade e os cuidados com a casa; e o segundo era o
desejo de criar modelos para incentivar as jovens a ingressarem na ciência
(Schiebinger, 2001:54).

As últimas décadas testemunharam consideráveis avanços no que diz respeito à


inserção e à participação das mulheres no campo científico. Atualmente, é possível
perceber o número significativo de mulheres em muitas universidades do país
como docentes e pesquisadoras, como estudantes de graduação e pós-graduação,
no entanto, apesar do crescimento significativo da presença feminina na ciência,
ainda se evidencia que essa participação vem ocorrendo de modo dicotomizado
ou ainda está aquém da masculina, bem como as mulheres ainda não avançam na
carreira na mesma proporção que os homens. Olhar de forma mais atenta e crítica
para as relações entre gênero e ciência implica problematizar determinadas
“verdades” cristalizadas na história, contribuindo, talvez, com outros modos de
fazer, outros modos de olhar, de viver e de vir a ser.

Disponível em: http://scholar.google.com.br/scholar_url?url=https://pt-static.z-


dn.net/files/d46/428433af3733b67e6178ea80ccd0473a.pdf&hl=ptBR&sa=X&scis
ig=AAGBfm0Dk-659t3UZWz_dNFtsu7E62Whow&nossl=1&oi=scholarr. Acesso em
22 jul. 2020.

TEXTO 03 – Leitura Complementar


Racismo científico, definindo humanidade de negras e negros

Os povos indígenas das Américas e os/as africanos/as escravizados/as eram


classificados/as como espécies não humanas – como animais, incontrolavelmente
sexuais e selvagens. O homem europeu, burguês, colonial moderno tornou-se um
sujeito/ agente, apto a decidir para a vida pública e o governo, um ser de
civilização, heterossexual, cristão, um ser de mente e razão. A mulher europeia
burguesa não era entendida como seu complemento, mas como alguém que
reproduzia raça e capital por meio de sua pureza sexual, sua passividade e por
estar atada ao lar a serviço do homem branco europeu burguês (Lugones, 2014).

Nos séculos XVIII e XIX não havia dúvida quanto à hierarquização social que devia
traçar uma linha de escala intelectual que começava com os brancos europeus,
os indígenas abaixo dos brancos e os negros abaixo de todos os outros
(Wesolowski, 2014).

Os/as negros/as e a medida do racismo

As práticas eugênicas e higienistas utilizaram recursos validados pela ciência para


definir as raças humanas em raças superiores e raças inferiores, raças puras e as
outras, sendo a supremacia racial branca a referência do belo ou puro. Na saúde
o racismo científico estruturou a medicina legal, com a figura do perito que, ao
lado da polícia, explica a criminalidade e determina a loucura. Posteriormente,
entra em cena a prática eugenista, que passa a separar a população enferma da sã
(Schwarcz, 1993).

Dessa forma, foram utilizadas algumas teorias que dariam sustentação à


continuidade desse projeto médico-eugênico no campo da saúde, como a tese
lombrosiana, que atuava a partir da craniometria, ou seja, a medida do crânio,
para definir o perfil do criminoso com base nas características físicas e nos seus
hábitos, e a teoria do darwinismo social, que apontaria o cruzamento racial como
o maior mal para a população, condenando a hibridação das raças e sua
consequente degeneração e apostando na seleção natural para a eliminação da
população negra.

No Brasil, o projeto médico-eugênico se fortaleceu em dois locais diferentes – na


Bahia, com a medicina legal liderada por Nina Rodrigues, e no Rio de Janeiro, com
a atuação dos médicos higienistas. O tema racial é de suma importância para esse
período, pois integra o arsenal teórico na saúde. Na Bahia é a raça, mais
especificamente o cruzamento racial, que iria tentar explicar a criminalidade, a
loucura, a degeneração [...]
No Brasil, os jovens negros são assassinados a cada 23 minutos. Segundo o
relatório final da CPI do Senado sobre o Assassinato de Jovens, todo ano 23.100
jovens negros de 15 a 29 anos são assassinados, mais de 70% dos jovens
assassinados no Brasil são negros e os jovens são assassinados por conta do legado
racista estruturante do País.

Em outro estudo sobre estereótipos de negros na cultura americana, sendo mais


comuns os estereótipos negativos, o estudo analisou dados do projeto BEAGLE
(Bound Encoding of the Aggregate Language Environment). BEAGLE é um banco
de dados que contém cerca de 10 milhões de palavras, construído por meio de
uma amostra de livros, jornais e outros materiais, com o objetivo de representar
a cultura americana e ser comparável ao que uma pessoa americana média, com
educação universitária, leria ao longo de sua vida (Verhaeghen et al., 2011 apud
Williams; Priest, 2015).

Disponível em: https://www.geledes.org.br/racismo-cientifico-definindo-


humanidade-de-negras-e-negros/?gclid=Cj0KCQjw6575BRCQARIsAMp-
ksOfwtyx8T13aCp3sNojoX2sFS6KjiuyjcQ2FP--L4Xl5uvQfULYEksaArLREALw_wcB.
Acesso em: 03 ago. 2020.

II. Agora, é com você!

1. (EMITec-2020) Partindo dessas reflexões, suas vivências, leituras diversas e


aspectos culturais, realize uma pesquisa e elabore um texto autoral sobre essa
temática proposta no subtema. Indique em seu texto, alguns exemplos de
mulheres (ou homens), negra(o)s, quilombolas, indígenas, comunidades
tradicionais, que tenham tido impacto nas ciências, através dos seus saberes, lutas
e conquistas.

Você pode escrever seu texto (poesia, cordel, redação) no seu caderno, ou divulgar
em redes sociais, blogs,etc. Use a criatividade, sem esquecer da riqueza dos
conteúdos, de pesquisar em fontes confiáveis, obedecendo sempre que possível o
rigor e confiabilidade de uma pesquisa científica. Bom trabalho!!

Racismo científico, definindo humanidade de negras e negros. Disponível em:


https://www.geledes.org.br/racismo-cientifico-definindo-humanidade-de-
negras-e-negros/?gclid=Cj0KCQjw6575BRCQARIsAMp-
ksOfwtyx8T13aCp3sNojoX2sFS6KjiuyjcQ2FP--L4Xl5uvQfULYEksaArLREALw_wcB.
Acesso em: 03 ago. 2020.

Onde encontro Extratos do Artigo. SILVA, F.F.; RIBEIRO, P.R.C. Participação das Mulheres na
o conteúdo Ciência. Revista de estudos femininos. Revista Labrys Estudos Feministas, n.10,
jul./dez. 2011. Disponível em:
http://scholar.google.com.br/scholar_url?url=https://pt-static.z-
dn.net/files/d46/428433af3733b67e6178ea80ccd0473a.pdf&hl=ptBR&sa=X&scis
ig=AAGBfm0Dk-659t3UZWz_dNFtsu7E62Whow&nossl=1&oi=scholarr. Acesso em
22 jul. 2020.

Para saber mais:


Cientistas Negros que marcaram a história. Disponível em:
https://canaltech.com.br/ciencia/negros-que-marcaram-a-historia-da-ciencia-
155655/. Acesso: 23 jul. 2020.

Vídeo: Cientistas Inventores Negros. Disponível em:


https://www.youtube.com/watch?v=h0hv9fg88n8 . Acesso: 23 jul. 2020.

Videoaula. Nerdologia – Racismo. Disponível em:


https://www.youtube.com/watch?time_continue=165&v=qip5YJw-
f9c&feature=emb_logo. Acesso: 23 jul. 2020.

Reportagem: Alma Preta - Cinco Respostas Cientificas para acabar com o


racismo. Disponível em: https://www.almapreta.com/editorias/o-
quilombo/cinco-respostas-cientificas-para-acabar-com-o-racismo . Acesso: 23 jul.
2020.

Avaliar, com ou sem o uso de dispositivos e aplicativos digitais, tecnologias e


possíveis soluções para as demandas que envolvem a geração, o transporte, a
distribuição e o consumo de energia elétrica, considerando a disponibilidade de
recursos, a eficiência energética, a relação custo/benefício, as características
geográficas e ambientais, a produção de resíduos e os impactos socioambientais
e culturais.

Dialogar sobre o racismo científico, trazendo conceitos, origens e abordagens


Objetivo
sobre a temática, voltada a área de ciências da natureza.

Analisar as implicações culturais e sociais da teoria darwinista nos contextos das


explicações para as diferenças de gênero, comportamento sexual e nos debates
sobre distinção de grupos humanos com base no conceito de raça, e o perigo que
podem representar para processos de segregação, discriminação e privação de
benefícios a grupos humanos.

Depois da
atividade Música: Gabriel Pensador – Racismo é Burrice! Disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=WZUycmYkT6M Acesso: 23 jul. 2020.

Agora que tal elaborar um pensamento, ou uma frase abordando situações


racistas presenciadas ou não por você? Caso tenha acesso à internet, compartilhe
nas redes sociais digitais! Use a criatividade e os textos disponibilizados!! Bom
trabalho.