Você está na página 1de 1

ÁGUAS DE SEPARAÇÃO

Essas águas nunca foram tão necessárias à Igreja quanto ela o é hoje. Quando Deus cria
todas as coisas uma palavra que fica em evidência é a separação. Lemos que Deus fez
separação entre a luz e as trevas, entre as águas e a terra. Essa questão da separação é
um tema muito evidente em toda a Bíblia. Lemos também em Gênesis com Noé Deus
fez separação entre Noé e o mundo com as água de separação do dilúvio. Moisés tirando
o povo do Egito atravessou o Mar Vermelho e esse mar foi água de separação entre o
povo de Deus e o Egito, tanto Noé quanto a saída do Egito são tipos da Igreja saindo o
mundo. Hoje quando olhamos para a Igreja não vemos isso, mas sim, o mundo entrando
na Igreja através daqueles que deveriam ser os Atalaias de Deus para o povo. A Igreja
hoje está repleta de falsos mestres e profetas que levam o povo a viver independente de
Deus ou coloca Deus como servo que é obrigado a fazer tudo para os seus. Hoje
precisamos muito dessas águas de separação. Em número 19 Deus orienta a Moisés
sobre a purificação dos impuros. Para isso era necessário uma novilha vermelha, sem
defeito, sem mancha e que não tinha sido colocada jugo. O vermelho para nós por
termos sido ensinado tem um contexto de perigo, os semáforos quando estão no
vermelho é sinal para não passar. Mas para a Igreja o vermelho fala de redenção, esta
novilha então é um tipo do Senhor Jesus que derramou seu sangue para nos redimir, nos
comprar para Deus. Muitos podem dizer que já são separados porque aceitaram a Jesus
como Senhor, mas estão realmente separados ou estão simplesmente vivendo uma vida
religiosa e não uma vida autentica. Em nosso dia a dia precisamos dessas águas de
separação. Um verso muito importante neste assunto de águas de separação está no
evangelho de João 15:3 – Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado. Paulo
também fala sobre isso em Efésios 5:25-27 – “.... a fim de santificá-la, purificando-a
com o lavar da água, pela palavra,...”. Diante disto para nós hoje a Palavra de Deus
escrita torna-se águas de separação. Quando estamos frente à Palavra de Deus
proclamada e pregada em nossos cultos, como reagimos a Ela. A Palavra pregada faz
separação entre nós e o mundo? Ela tem sido o separador em nossas vidas das coisas
impuras? Muitos poderão dizer como realmente tenho ouvido “todas as coisas me são
lícitas” continue citando I Corintios 6:12; 10:23 – “nem todas as coisas convém”.
Como é fácil citarmos partes de versículos e somente aquelas que nos agradam ou nos
convém. Infelizmente a Igreja tem vivido com metade da Palavra de Deus, esquece que
olhar todo o contexto da Palavra. Isto é impureza, para isto precisamos das águas de
separação. Essas águas quando estão nos lavando acrescenta um discernimento
espiritual para podermos discernir todas as coisas. O pós-modernismo trouxe consigo
uma forma de pensar que tudo é relativo. Esse relativismo cria em nós uma
incredulidade acerca da Palavra de Deus levando-nos a uma amnésia espiritual e
ficamos a mercê de tudo sem critica. Há uma necessidade na Igreja de sermos como os
de Beréia que ouviam e examinavam a Palavra de Deus para ver se eram de fato assim
(Atos 17:11). Precisamos examinar muito daquilo que está sem pregado pelos púlpitos
afora. Uma grande parcela das pregações nas reuniões da Igreja e pela TV contradiz a
Palavra de Deus. A (ecclésia) Igreja significa separados ou tirados para fora neste caso
fora do mundo, do sistema mundo e das coisas do mundo. Deus tem derramado das
águas de separação estamos nos limpado com essas águas ou estamos simplesmente
observando e desejando, sem nos rendermos a essas águas? O que faremos com a
Palavra de Deus que são as Águas de Separação?