Você está na página 1de 19

Professor: Gustavo Silva

1
Lei De Newton Do Resfriamento
A equação básica para o cálculo da convecção é :

∆𝑇
𝑞𝑐𝑜𝑛𝑣 = ℎ ∙ 𝐴 ∙ ∆𝑇 = ℎ ∙ 𝐴 ∙ (𝑇𝑆 − 𝑇∞ ) =
𝑅𝑐
Perfil de temperatura
no fluido próximo ao
𝒒𝒄 = taxa de calor transferido por convecção (W); corpo
A = área de transferência de calor (m²);
ΔT = diferença de temperatura entre a superfície (𝑇𝑆 ) e o fluido em um local
longe da superfície (𝑇∞ ) (℃ ou K);
h = coeficiente de transferência de calor por convecção (𝑊/𝑚2 ℃) ou (𝑊/𝑚2 𝐾) ;
𝑹𝒄 = 1/ℎ𝐴 - resistência térmica para a transmissão de calor por convecção (K/W)
2

ou (℃/W)
Convecção
Mas como determinar o coeficiente de transferência de calor por
convecção, h, (ou coeficiente de película) neste escoamento?

Na verdade, este coeficiente h é uma função muito complexa que


depende de uma série de variáveis relacionadas ao escoamento do
fluido: • Natureza do fluido;
• Velocidade relativa do escoamento do fluido;
• Geometria;
• Acabamento Superficial…
Por isso, a completa compreensão deste fenômeno requer o
conhecimento da dinâmica do escoamento de fluidos, especialmente
quando em contato com superfícies.
Camada limite hidrodinâmica
“Define-se a espessura da camada limite hidrodinâmica, 𝛿, como a
distância da superfície ao ponto em que a velocidade atinge 99% da
velocidade de corrente livre, U ”.
𝑦 = 𝛿 → 𝑢 𝛿 = 0,99𝑈

𝑈 → Velocidade de corrente livre (fora da camada limite)


𝑢 → Perfil de velocidade (dentro da camada limite)
Camada limite hidrodinâmica
Podemos identificar e estudar duas regiões distintas: dentro da CAMADA
LIMITE onde podemos tratar o problema com efeitos viscosos e fora da
CAMADA LIMITE onde o fluido se comporta como se fosse invíscido (mesmo
que a viscosidade não seja nula).

𝑹𝒆 → Número de Reynolds
𝝆 → Massa específica (ou densidade) 𝜌𝑈𝐿 𝑈𝐿
𝝁 → Viscosidade dinâmica 𝑅𝑒 = =
𝑳 → Comprimento característico (comprimento para placa plana, diâmetro para tubos,) 𝜇 𝜈
𝝂 → Viscosidade cinemática
Camada limite térmica
“Define-se a espessura da camada limite térmica, 𝛿𝑇 , como a distância da
superfície ao ponto em que a queda de temperatura atinge 99% da
queda de temperatura entre a superfície e a temperatura da corrente
livre”. 𝑦 = 𝛿𝑇 → 𝑇𝑆 − 𝑇 = 0,99 ∙ (𝑇𝑆 − 𝑇∞ )

Corrente livre

Camada limite
térmica
Camada limite hidrodinâmica e térmica
A convecção pode ser entendida como uma ação combinada da
condução de calor no fluido e do movimento da mistura, logo:
 quando a velocidade é baixa (convecção natural), a condução é mais
importante;
 quando a velocidade é alta (convecção forçada), a mistura entre o
fluido mais quente e o mais frio é mais importante.
Convecção natural (ou livre):
É um mecanismo, ou tipo de transporte de calor, no qual o movimento
do fluido não é gerado por qualquer fonte externa, somente por
diferenças de densidade no fluido ocorrendo devido a gradientes de
temperatura.
Experiência de
convecção:
https://www.youtube.com
/watch?v=dkZaiedR_ww

Em convecção natural, o fluido ao redor de uma fonte quente recebe


calor, torna-se menos denso e sobe. O fluido circundante então move-se
e o substitui. Assim, esse fluido ocupa um lugar mais perto da fonte
quente e então é aquecido. Por ser um processo contínuo, forma-se uma
corrente de convecção; transferindo energia térmica constantemente da
fonte quente para uma região mais fria do fluido.
Convecção forçada
É um mecanismo ou tipo de transporte de calor no qual o movimento do
fluido é gerado por uma fonte externa (como uma bomba, ventilador,
dispositivo de sucção, etc.).

Deve ser considerada como um dos principais métodos de transferência


de calor útil com quantidades significativas de energia térmica que
podem ser transportadas de forma muito eficiente. Este mecanismo é
muito comumente encontrado na vida cotidiana, incluindo aquecimento
central, ar condicionado, turbinas a vapor e em muitas outras máquinas.
Adimensionais importantes na convecção
de calor
O coeficiente de transferência de calor por convecção (ou coeficiente de
película) é calculado a partir de equações empíricas obtidas
correlacionando-se os dados experimentais com o auxílio da análise
dimensional.
Geralmente, o valor de h é encontrado a partir do número de Nusselt,
Nu:

𝒉 → coeficiente de película
ℎ∙𝐿
𝑁𝑢 = 𝒌 → condutividade térmica
𝑘 𝑳 → comprimento característico

Como pronunciar : https://pt.howtopronounce.com/nusselt


Adimensionais importantes na convecção
de calor
O coeficiente de transferência de calor por convecção (ou coeficiente de
película) é calculado a partir de equações empíricas obtidas
correlacionando-se os dados experimentais com o auxílio da análise
dimensional.
Ainda usamos o número de Prandtl, Pr :

𝑐𝑝 ∙ 𝜇
𝑃𝑟 = 𝒄𝒑 → calor específico a pressão constante
𝑘

Como pronunciar : https://pt.howtopronounce.com/prandtl


Adimensionais importantes na convecção
de calor
O coeficiente de transferência de calor por convecção (ou coeficiente de
película) é calculado a partir de equações empíricas obtidas
correlacionando-se os dados experimentais com o auxílio da análise
dimensional.
Para convecção natural, ainda usamos o número de Grashof, Gr :

𝑬𝑽 → coeficiente de expansão volumétrica


𝐿3 ∙ 𝐸𝑉 ∙ 𝑔 ∙ ∆𝑇 𝒈 → aceleração da gravidade
𝐺𝑟 =
ν2 𝚫𝑻 → variação de temperatura

Como pronunciar : https://pt.howtopronounce.com/grashof


Significado dos grupos adimensionais na
convecção de calor Para gases:
Para a convecção natural: 𝑁𝑢 = 𝑓(𝐺𝑟, 𝑃𝑟) Para a convecção natural: 𝑁𝑢 = 𝑓(𝐺𝑟)
Para a convecção forçada: 𝑁𝑢 = 𝑓(𝑅𝑒, 𝑃𝑟) Para a convecção forçada: 𝑁𝑢 = 𝑓(𝑅𝑒)

NOME RAZÃO

ℎ∙𝐿
𝑁𝑢 =
Número de Nusselt, Nu 𝑘

𝜌𝑈𝐿 𝑈𝐿
𝑅𝑒 = =
Número de Reynolds, Re 𝜇 𝜈

𝑐𝑝 ∙ 𝜇
𝑃𝑟 =
Número de Prandtl, Pr 𝑘

𝐿3 ∙ 𝐸𝑉 ∙ 𝑔 ∙ ∆𝑇
Número de Grashof, Gr 𝐺𝑟 =
ν2
Como Calcular h?

Equação geral:

𝑁𝑢 = 𝐴 ∙ 𝑅𝑒 𝛼 ∙ 𝑃𝑟𝛽

ℎ𝐿
= 𝐴 ∙ 𝑅𝑒 𝛼 ∙ 𝑃𝑟𝛽
𝑘

14
Questão 1
Em uma placa plana de 150 𝑚𝑚 de comprimento e 100 𝑚𝑚 de largura,
eletricamente aquecida, a máxima temperatura permissível no centro da
placa é 135 °𝐶. Para este caso específico o número de Grashof é
2,2 𝑥 107 e o número de Prandtl é 0,7. Sabendo que a equação empírica,
obtida com o auxílio da análise dimensional, que descreve a convecção
natural ( regime laminar ) em uma placa plana é dada pela equação
abaixo:

Calcular a taxa de calor transferido por convecção, por ambos os lados da


placa, para o ar atmosférico a 25 °𝐶 ( 𝑘𝑎𝑟 = 0,026 𝐾𝑐𝑎𝑙/ℎ ∙ 𝑚 ∙ °𝐶 ).
Questão 2
Em uma instalação industrial, ar quente a 300 °C flui sobre uma placa fina metálica plana, com
velocidade de 36 km/h. Como a placa contém alguns sensores, a mesma deve ser mantida a
uma temperatura de 27 °C. Para isto, utiliza-se um sistema de refrigeração composto por tubos
sob a placa, por onde circula água de refrigeração. Considerando que a placa é quadrada, com
1,5 m de lado, determine o fluxo de calor a ser extraído pelo sistema de refrigeração para
manter a placa na temperatura de 27 °C.
Dados/Informações Adicionais para o Exercício:
Questão 2
Em uma instalação industrial, ar quente a 300 °C flui sobre uma placa fina metálica plana, com
velocidade de 36 km/h. Como a placa contém alguns sensores, a mesma deve ser mantida a
uma temperatura de 27 °C. Para isto, utiliza-se um sistema de refrigeração composto por tubos
sob a placa, por onde circula água de refrigeração. Considerando que a placa é quadrada, com
1,5 m de lado, determine o fluxo de calor a ser extraído pelo sistema de refrigeração para
manter a placa na temperatura de 27 °C.
Dados/Informações Adicionais para o Exercício:
Referências Bibliográficas

•MORAN, M. J.; SHAPIRO, H. N.; MUNSON, B. R.; DEWITT, D. P.; Introdução a


Engenharia de Sistemas Térmicos. 5ª Ed., Rio de Janeiro. Editora LTC, 2005.
SCHMIDT, Frank W.; HENDERSON, Robert E. Introdução às ciências térmicas:
termodinâmica, mecânica dos fluidos e transferência de calor. São Paulo:
Blucher, 1996.

19

Você também pode gostar