Você está na página 1de 5

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA DE

FAMÍLIA, ÓRFÃOS E SUCESSÕES DA CIRCUNSCRIÇÃO ESPECIAL


JUDICIÁRIA DE BRASÍLIA/DF.

Annachymennis Moleza, brasileiro, solteiro, massagista,


portador do RG é 12345 e meu CPF é 123.456.789-00 (Doc. 01), residente e
domiciliado na Quadra 24, lote 24, Samambaia/DF, CEP 72.000-000 (Doc. 02), vem,
mui respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, por intermédio do seu
advogado infra assinado, propor a presente

AÇÃO DE OFERTA DE ALIMENTOS

em favor de Esquisitilson Moleza Dolores, menor impúbere (Doc. 03), neste ato
representado por sua genitora, Meiga Linha Dolores, brasileira, solteira, de profissão
ignorada, portadora do RG e CPF desconhecidos, residente e domiciliada no Lago
Sul, aduzindo, para tanto, os fatos e fundamentos a seguir expostos.
I – DOS FATOS

1. O Requerente é pai do Requerido, conforme atesta cópia da certidão de


nascimento anexa. (Doc. 04).

2. A princípio, o Requerido não assumiu a paternidade do Requerente, fato


justificável pelo breve lapso temporal de relacionamento com a mãe do
Requerido.
3. No entanto, atualmente se mostra arrependido por tal ato e reconhece a
paternidade do Requerente, uma vez que as características físicas deste não
o deixam negar.

4. O Demandante tem tentado patrocinar o amparo material necessário ao filho,


mas a mãe não admite que o menor receba qualquer ajuda advinda do pai,
alegando não precisar de tal amparo.

5. O Demandante recebe mensalmente a quantia de R$ 3.000,00 (Doc. 05) por


seus serviços de massagistas prestados a um time de futebol. Entretanto,
apresenta gastos altíssimos relacionados à saúde e a moradia.
Sempre que você informar valores e números, o faça também por extenso.

6. Seus gastos com saúde representam um montante de R$ 500,00


(quinhentos reais), sendo R$ 300,00 (trezentos reais) destinados a remédios
para emagrecimento (Doc. 06), e R$ 200,00 que são economizados
mensalmente em uma poupança (Doc. 07) para fins de uma lipoaspiração
que se mostra de extrema urgência, por se tratar de um caso sério de
obesidade na qual o peso já compromete a estrutura dos joelhos.

7. Seus gastos com moradia representam um montante de R$ 500,00


(quinhentos reais), referentes ao pagamento de aluguel. Tal gasto pode ser
comprovado por meio de recibos que se encontram em anexo (Doc. 08).

8. Apesar de sua limitada condição financeira, o Requerente faz questão de


garantir, dentro de suas possibilidades, melhores condições sócio-
econômicas a seu filho, garantindo assim, melhores possibilidades no
desenvolvimento físico, intelectual e social do mesmo.

II – DO DIREITO

9. Dispões o artigo 24, da Lei 5478/68 – Lei de Alimentos:

Art. 24. A parte responsável pelo sustento da família, e que deixar a


residência comum por motivo, que não necessitará declarar, poderá tomar a
iniciativa de comunicar ao juízo os rendimentos de que dispõe e de pedir a
citação do credor, para comparecer à audiência de conciliação e julgamento
destinada à fixação dos alimento a que está obrigado.

10. Por sua vez, preceitua o art. 227, da Constituição Federal:

Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e


ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à
alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à
dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária,
além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação,
exploração, violência, crueldade e opressão.

11. Uma vez que o Requerido é de fato filho do Requerente, o mesmo faz jus a
alimentos, de modo a possibilitar que este viva em melhores condições
sociais.

12. A fixação dos alimentos, deve ser suportada por ambos os pais, obedecendo
o mandamento constitucional, não sendo pertinente somente atribuir a mãe
do Requerido esta responsabilidade, quando o pai, mesmo com condições
financeiras limitadas, pode contribuir para melhores condições de vida ao
filho.

A fundamentação está boa, mas faltou falar do binômio necessidade / possibilidade.


III – DO PEDIDO

Em face do exposto, REQUER:

a) os benefícios da Justiça Gratuita, por ser juridicamente pobre, nos termos da


Lei nº 1.060/50;

b) a citação da parte credora, na figura da mãe, por si e representando o menor,


para comparecer a audiência a ser designada
pelo Juízo, sob pena de confesso, e querendo, contestar o feito, no
prazo legal, sob pena de sujeitar-se aos efeitos da revelia;

c) a intimação do Ministério Público para atuar no feito;

d) a procedência da ação, fixando-se o pagamento dos alimentos


definitivos na proporção de 20% (quinze por cento) do salário mínimo
vigente, o que atualmente corresponde ao montante de R$ 109,00 (cento e
nove reais), a serem depositados em conta bancária da representante legal
do Requerido, mediante determinação desse juízo; O Requerente possui
salário fixo, portanto, os alimentos devem ser fixados em percentual dos seus
rendimentos e não do salário mínimo.

e) a condenação do Requerido ao pagamento dos honorários advocatícios


sucumbenciais e custas processuais.

Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em


Direito admitidos.
Dá-se à presente causa o valor de R$ 1.308,00 (hum mil,
trezentos e oito reais). Valor errado, tendo em vista orientação do item “D”.

Nestes Termos,
Pede Deferimento.
Brasília/DF, 18 de março de 2011.

_________________________________
Nayara Richele Siqueira Dias
OAB/DF 17169