Você está na página 1de 8

AO JUÍZO DA 4 ª VARA DO TRABALHO ZONA CENTRAL DA 2ª REGIÃO – SÃO

PAULO

ESPAÇAMENTO OBRIGATÓRIO

QUALIFICAÇÃO DO AUTOR:

Márcio da Silva, brasileiro, solteiro, inscrito sobre o cpf xxxxxxxxx-xx, e rg xxxxxxxx-x com endereço
eletrônico josedasilva@nada.com , domiciliado na rua xxxxxx nº xxxx , bairro xxxx, Município xxxxx,
Estado de xxxxx, Cep xxxxx, vem mui respeitosamente, por seu advogado que a esta subscreve,
perante Vossa Excelência, ajuizar com fulcro no artigo 840, §1º, da CLT a seguinte

RECLAMAÇÃO TRABALHISTA

QUALIFICAÇÃO DO DEMANDADO:

Em face de A. CARLOS ALIMENTAÇÃO - ME, pessoa jurídica de direito privado, inscrito no CNPJ
sob o xxxxxxxxxx, estabelecido na Rua Anhanguera, 129, Barra Bunda – São Paulo/SP CEP 01135-
000, pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos:

Página 1 de 8
DOS FATOS

Márcio trabalhou no comércio Da Reclamada 01 de fevereiro de 2021 até 30 de abril de 2021, como
vendedor recebendo de remuneração mensal no valor de R$ 1.600,00 à data final citada foi
dispensado.

Ocorre que não houve anotação do período e os consequentes recolhimentos fundiários, tampouco
o pagamento de verbas rescisórias, somente os salários base.

DOS FUNDAMENTOS LEGAIS

DA GRATUIDADE DE JUSTIÇA

O requerente encontra-se em situação vulnerável, não possuindo condições financeiras para arcar
com as custas processuais e honorários advocatícios, sem prejuízo do seu sustento e de sua
família. Resta provado em documentação bancária anexa.

Por tais razões, pleiteiam-se os benefícios da Justiça Gratuita, assegurados pela Constituição
Federal, artigo 5º, LXXIV e pela Lei 13.105/2015 artigo 98.

Constituição Federal, Art. 5°

LXXIV - o Estado prestará assistência jurídica integral e gratuita aos que comprovarem insuficiência
de recursos;

Lei 13.105/2015

Art. 98. A pessoa natural ou jurídica, brasileira ou estrangeira, com insuficiência de recursos para
pagar as custas, as despesas processuais e os honorários advocatícios tem direito à gratuidade da
justiça, na forma da lei.

DO RECONHECIMENTO DO VÍNCULO EMPREGATÍCIO

O reclamante trabalhou no comércio da reclamada de 01 de fevereiro de 2021 até 30 de abril de


2021, como vendedor recebendo remuneração mensal no valor de R$ 1.600,00.

Página 2 de 8
Trata-se de vínculo empregatício que merece ser reconhecido, pois a atividade desempenhada pelo
Reclamante preenchem exatamente os requisitos previstos no art. 3º da CLT:

"Art. 3º - Considera-se empregado toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual
a empregador, sob a dependência deste e mediante salário".

Afinal, a Reclamante, sempre cumpriu determinações da reclamada mediante remuneração


pactuada, preenchendo todos os requisitos do referido artigo, a saber:

· Pessoalidade - As atividades e encargos diários eram executados exclusivamente pela


Reclamante, o qual recebeu treinamento específico no início da relação de emprego, e recebia
atribuições individualmente para o exercício das atividades que lhe eram delegadas, prestando os
serviços com nítida pessoalidade.

· Habitualidade - Todas as atividades eram executadas pela reclamante nos mesmos dias e
horários, qual seja, de segunda a sábado das 15:00 às 22:00 com habitualidade, sempre dentro das
determinações impostas pela reclamada.

· Subordinação - A Reclamante era diretamente subordinada à Reclamada, a qual dava todas as


diretrizes necessárias para realização dos serviços, mediante ordens e determinações da
proprietária, não tendo a reclamante qualquer autonomia na execução das atividades laborais.

· Onerosidade - A reclamante percebia semanalmente a remuneração de R$ 250,00 (duzentos e


cinquenta reais) totalizando R$ 1.000,00 (hum mil reais) mensais, caracterizando a onerosidade das
tarefas realizadas;

Destaca-se que a Reclamante não teve sua CTPS anotada pela reclamada e nem recebeu verbas
rescisórias. Apesar de todo o esforço da obreira quanto a realização de seus serviços frente à
reclamada, sempre trabalhando de forma pessoal, estando subordinada as regras impostas pela
reclamada, cumprindo integramente sua carga horaria mediante o pagamento de seu salário,
contudo, a reclamada sequer assinou a CTPS da autora, descumprindo o artigo 29 da CLT.
Vejamos:

Art. 29. O empregador terá o prazo de 5 (cinco) dias úteis para anotar na CTPS, em relação aos
trabalhadores que admitir, a data de admissão, a remuneração e as condições especiais, se houver,
facultada a adoção de sistema manual, mecânico ou eletrônico, conforme instruções a serem
expedidas pelo Ministério da Economia. (Redação dada pela Lei nº 13.874, de 2019)

Diante dos fatos, está caracterizado a relação de emprego, pois estão presentes todos os requisitos
essenciais previstos no artigo 3º da CLT, tais como: pessoalidade, subordinação, habitualidade e
onerosidade.

Pelo exposto, requer o reconhecimento do vínculo empregatício de 01 de fevereiro de 2021 até 30


de abril de 2021, tendo como consequência a devida anotação na CTPS e pagamento dos
depósitos fundiários.

Página 3 de 8
DAS HORAS EXTRAORDINÁRIAS

O Reclamante foi contratado para exercer a função de vendedor, laborando a seguinte jornada:
segunda a sexta das: 08:00 às 17:00, com intervalo de uma hora, e sábado das 8:00 ás 12:00 com
intervalo de 15 minutos.

A Constituição Federal de 1988, prevê em seu artigo 7º, inciso XIII, que a duração do trabalho
normal não será superior a oito horas diárias e 44 horas semanais, facultada a compensação de
horários e a redução da jornada de trabalho, mediante acordo ou convenção coletiva.

Merecendo portanto, 04 horas semanais durante todo período de contrato.

No mesmo sentido a Constituição Cidadã de 1988, no artigo 7º, inciso XVI, estabelece o pagamento
do serviço extraordinário superior, no mínimo, em 50% (cinquenta por cento) à do normal.

Por fim, diante dos fatos e fundamentos supracitados, requer o pagamento de 4 de horas extras
semanais, por todo o período do contrato de trabalho, com o acréscimo de no mínimo 50%
(cinquenta por cento) e os devidos reflexos nas verbas contratuais e rescisórias (aviso prévio, férias
proporcionais +1/3, 13º salário proporcional, FGTS, Multa de 40%).

DOS FERIADOS E DSR

A Reclamante laborou todos os feriados durante o contrato de trabalho vide lista abaixo, contudo
nunca percebeu qualquer tipo de adicional ou compensação.

O artigo 70 da CLT se debruça ao tema, vedando o trabalho em dias de feriado nacionais e feriados
religiosos.

Destarte, entendimento cristalizado na súmula 146, TST, dispõe que o trabalho prestado aos

Página 4 de 8
feriados, não compensados deverão ser pagos em dobro, sem prejuízo da remuneração relativa ao
repouso semanal.

26/03 (sexta-feira) Antecipação do feriado de Corpus Christi que seria em 03/06/2021


29/03 (segunda-feira) Antecipação do feriado do Dia da Consciência Negra que seria em
20/11/2021
30/03 (terça-feira) Antecipação do feriado do Aniversário de São Paulo que seria em 25/01/2022
31/03 (quarta-feira) Antecipação do feriado de Corpus Christi que seria em 16/06/2022
01/04 (quinta-feira) Antecipação do feriado do Dia da Consciência Negra que seria em 20/11/2022
02/04 (sexta-feira)Feriado nacional da Paixão de Cristo (sem mudança)

Por fim, requer-se o pagamento em dobro dos dias trabalhados e não compensados nos feriados,
bem como seus devidos reflexos nas verbas contratuais e rescisórias (aviso prévio, férias
proporcionais +1/3, 13º salário proporcional, FGTS, Multa de 40%).

DOS DEPÓSITOS DO FGTS

O artigo 15 da Lei 8.036/90 determina que os depósitos do FGTS devem ser de 8% da


remuneração paga ou devida ao trabalhador no mês anterior.

Página 5 de 8
DA MULTA DO ARTIGO 477, § 8º DA CLT

Como mencionado, a reclamada não efetuou o pagamento das verbas rescisórias devidas à autora.
O artigo 477, § 6º da CTL estabelece o prazo de 10 dias para o pagamento das verbas rescisórias.
Vejamos:

Art. 477. Na extinção do contrato de trabalho, o empregador deverá proceder à anotação na


Carteira de Trabalho e Previdência Social, comunicar a dispensa aos órgãos competentes e realizar
o pagamento das verbas rescisórias no prazo e na forma estabelecidos neste artigo. (Redação
dada pela Lei nº 13.467, de 2017)

(...)

§ 6o A entrega ao empregado de documentos que comprovem a comunicação da extinção


contratual aos órgãos competentes bem como o pagamento dos valores constantes do instrumento
de rescisão ou recibo de quitação deverão ser efetuados até dez dias contados a partir do término
do contrato. (Redação dada pela Lei nº 13.467, de 2017)

Diante do descumprimento de tal disposição legal, o § 8º do mesmo artigo e diploma legal,


estabelece o pagamento de multa em favor da obreira no valor equivalente ao seu salário, qual
seja, R$ 1.600,00 (hum mil e seiscentos reais).

DO 13º SALÁRIO

Como mencionado, a reclamada não efetuou os pagamentos referentes ao 13º salário do período
trabalhado.

O direito ao 13º salário está previsto no artigo 7º, inciso VIII da Constituição Federal, vejamos:

Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua
condição social:

(...)

VIII - décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria;

DAS FÉRIAS

O reclamante faz jus ao recebimento do período proporcional de férias, acrescido do terço

Página 6 de 8
constitucional, em conformidade com o artigo 146, parágrafo único da CLT e Artigo 7º, XVII da C
DOS PEDIDOS

Ante o exposto, vem a presença de Vossa Excelência requerer a procedência total dos pedidos,
a notificação da Reclamada para que querendo, apresente defesa em audiência, caso não
compareça, importará na revelia e confissão quanto à matéria de fato.

Bem como se requer que a reclamada seja condenada a pagar os seguintes haveres trabalhistas:

1- Preliminarmente a concessão dos benefícios da justiça gratuita:

2- Reconhecimento do vínculo de emprego do obreiro e anotação do período em CTPS, com o


consequente pagamento dos depósitos fundiários e previdenciários, na forma da lei, do período
trabalhado de 01/02/2021 à 30/04/2021.

3- Pagamento de 23h de horas extras semanais, por todo o período do contrato de trabalho, com o
acréscimo de no mínimo 50% (cinquenta por cento) e os devidos reflexos nas verbas contratuais e
rescisórias (aviso prévio, férias proporcionais +1/3, 13º salário proporcional, FGTS, Multa de 40%),
no valor de .................................................................................................

4 - Pagamento em dobro dos dias trabalhados e não compensados nos domingos e feriados, bem
como seus devidos reflexos nas verbas contratuais e rescisórias (aviso prévio, férias proporcionais
+1/3, 13º salário proporcional, FGTS, Multa de 40%), no valor
de .............................................,,...R$xx;

5- Pagamento e liberação mediante alvará judicial do FGTS no valor de R$xx;

6 -- Multa do artigo 477, § 8º da CLT no valor de .................................R$xx;

7 – Do pagamento de 3/12 do 13° salário.

8 - Férias proporcionais período trabalhado, acrescido do terço constitucional na importância de


R$x

Perfazendo o justo valor de R$ xxxxxxxxxxxxxxxxxx

Página 7 de 8
DOS REQUERIMENTOS FINAIS

Protesto provar o alegado, por todos os meios de prova em direito admitidos, em especial a
documental, testemunhal e a pericial, entre outras que sejam necessárias desde já estejam
requeridas.

Dá-se a causa o valor de R$xxxxx,xx.

Cidade/Sigla do Estado, DIA de MÊS de ANO.

ADVOGADO - OAB Nº XXX

Nestes termos,
Pede deferimento.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Página 8 de 8

Você também pode gostar