Você está na página 1de 4

c  

  
 
 
 

A embalagem se tornou item fundamental da vida de qualquer pessoa e


principalmente das atividades de qualquer empresa.

O desenvolvimento da embalagem, acompanhou o desenvolvimento humano,


da necessidade inicial do homem de armazenar água e alimentos em algum
recipiente,visando à sobrevivência própria, até o inicio das atividades
comerciais, e disseminação do uso das embalagens.
Atualmente estão presentes em todos os produtos, com formas variad as, e
funções variadas, sempre com a evolução das tecnologias utilizadas, que as
tornam cada vez mais eficientes e estratégicas.
Para a logística, a embalagem é item de fundamental importância, possui
relacionamento em todas as áreas, e é essencial para at ingir o objetivo
logístico de disponibilizar as mercadorias no tempo certo, nas condições
adequadas ao menor custo possível, principalmente na distribuição
internacional.
Para se ter uma idéia da representatividade da embalagem na economia,
segundo Moura e Banzato (2000), os gastos com embalagem representam
aproximadamente 2% do PNB. E o Brasil perde entre 10% e 15% da sua
receita de exportação por causa de embalagens deficientes.

   
Dependendo do foco em que está sendo analisado, o conceito de embalagem
pode varia. Para um profissional da área de distribuição, por exemplo, a
embalagem pode ser classificada como uma forma de proteger o produto
durante sua movimentação. Enquanto que para um profissional de marketing a
embalagem é muito mais uma forma de apresentar o produto, visando atrair os
clientes e aumentar as vendas, do que uma forma de protegê -lo.
Um conceito mais abrangente proposto por Moura e Banzato (2000) faz
referência à embalagem como:

È   
  
  
  

   
  
       

 
  
 
 
  
  
    
   
    

    


          
 
 ‰ MOURA & BANZATO (2000, p.11).

ü
 c  
As principais funções da embalagem são: conteção, proteção e comunicação.
A conteção refere-se à função de conter o produto, de servir como receptáculo,
por exemplo, quando ocorre do produto vazar da embalagem, esta função não
foi cumprida. O grau de eficiência da embalagem nesta função depende das
característicasdo produto. Uma mercadoria perigosa, inflamável, deve sempre
ter 100% de eficiência,realizando o investimento necessário para tal. Enquanto
que um fabricante de um material de menor valor, como sal, por exemplo, pode
permiti-se utilizar uma embalagem com menor grau de eficiência nesta função,
o mesmo ocorre com relação à função de proteção.
A função de proteção, possibilita o manuseio do produto até o cunsumo final,
sem que ocorra danos na embalagem, e/ou produto. Também com relação a
esta função deve-se estabelecer o grau desejado de proteção ao produto.
Alguns dos principais riscos aos quais a embala gem está submetida são:
choques, aceleração, temperatura, vibração, compressão, oxidação,
perfuração, esmagamento, entre outros.

E a função de comunicação é a que permite levar a informação, utilizando


diversas ferramentas, como símbolos, impressões, core s, RFID1. Nas
embalagens primárias, esta função ocorre diretamente com os consumidores
finais, trazendo informações sobre a marca e produto. E nas embalagens ditas
industriais, relacionadas à logística, a comunicação ocorre na medida em que
impressões de códigos de barra nas embalagens, marcações, cores ou
símbolos permitam a localização e identificação de forma facilitada nos
processos logísticos de armazenagem, estoque, separação de pedidos, e
transporte.

*
 
c  
A interação da embalagem com as operações logísticas, deve iniciar -se no
planejamento da embalagem, pois nesta etapa são defin idos aspectos
fundamentais, que irão influenciar todo o processo, como: dimensões, ti po de
material, design, custo e padronização das embalagens.
Estes aspectos são fundamentais para o planejamento e eficiência no
armazenamento e transporte dos produtos, caso a embalagem não seja
planejada de acordo com os recursos existentes (máquinas movimentação,
espaço físico, modal transporte), será necessário adequar todos os recursos à
embalagem.
Há um conflito no planejamento da embalagem, por interferir em diversas áreas
da empresa, e ter grande representatividade nos custos. Neste sentido, Moura
e Banzato(2000) estabelecem cinco critérios básicos para des envolver uma
embalagem: função,proteção, aparência, custo e disponibilidade.
Tem-se prioridades diferentes de acordo com o tipo de produto que será
acondicionado, e do tipo de embalagem, se para consumo ou industrial
(transporte).Entretanto para ambas é esse ncial que se verifique, nesta etapa do
planejamento, quais serão as condições de manuseio, armazenagem e de
transporte a que serão submetidas.A falta de planejamento, ou um
planejamento deficiente podem levar a ocorrência de graves problemas, desde
o aumento do custo por um
superdimensionamento da embalagem, que torna o tran sporte e armazenagem
mais cara,até à deterioração da embalagem e/ou produto.
1


! 
A padronização das embalagens geralmente ocorre nas secundárias e
terciárias,que protegem e acondicionam as embalagens primárias. Segundo
Moura &Banzato(2001) ao se falar em padronização de embalagens, na
maioria das vezes refere-se à padronização das dimensões, e não do material.
Isto porque são estas as características que influenci am mais a capacidade do
equipamento de movimentação, e não o tipo de material utilizado na
fabricação.
A redução da variabilidade de embalagens facilita o armazenamento, manuseio
e movimentação dos materiais, reduzindo o tempo de realização destas
tarefas, por proporcionar uma padronização destes métodos, dos
equipamentos de movimentação, e de armazenamento. Além da redução do
tempo, outra vantagem da padronização é a redução de custos.
Um exemplo da redução de custos pela padronização dos materiais é o cas o
apresentado na Revista Tecnologística, do Grupo BehrBrasil, pertencente do
segmento de autopeças, produzem radiadores e ar condicionado, enviam seus
produtos para váreospaises e tem como principal cliente suas próprias fábricas.
O grupo sentiu ànecessida de de padronizar seus processos logísticos,
especificamente a embalagem, devido a alta necessidade de movimentação e
transporte.
Antes utilizavam embalagens descartáveis, entretanto estas ocasionavam
grandevolume de descarte, custos com mão-de-obra, avarias durante o
transporte e aarmazenagem, má utilização do espaço físico no estoque e
centros de distribuição.
A solução foi à contratação de um agente especializado, este agente é
proprietário das embalagens e responsável por toda a gestão destas, aluguel,
recolhimento dos equipamentos nos pontos finais de entrega, limpeza, reparos,
e manutenção.
Após a adoção deste sistema, com um modelo único de embalagem, o
contêiner plástico desmontável, a empresa obteve os seguintes resultados:
redução de 15% mão-de- obra, custo embalagem caiu 20% no fluxo Alemanha
e Brasil e 5% no fluxo inverso, aumentou sua capacidade de armazenamento
em 15%, permitiu um empilhamento maior e redução do abastecimento
(kanban).
"c    
A embalagem tem interação com todas as funções da logística,
armazenamento,manuseio, movimentação de materiais, e transporte. Desta
interação com as funções logísticas, pode-se conseguir redução de custos, de
tempo na entrega final do produto, redução de perdas, e aumento do nível de
serviço ao cliente.
Na movimentação de materiais, dentro dos armazéns, e na troca de modal de
transporte, é onde a embalagem sofre os maiores impactos, que podem causar
danos a embalagem primária, e produto, e onde os impactos da falta de
planejamento podem ser percebidos, seja pelo alto número de perdas, e/ou
adaptação dos equipamentos de transporte, seja pelo aumento do custo
decorrente destas perdas, e impossibilidade de padronização dos métodos e
equipamentos de movimentação, que acabam por aumentar a nece ssidade de
mão-de-obra e reduzir a eficiência.
Neste sentido Moura&Banzato (2000) citam alguns pontos a serem analisados:
até que ponto a embalagem para Matéria -Prima e para produtos acabados
facilita as operações de recebimento, descarga, inspeção, movime ntação; até
que ponto asunidades de movimentação como caixa, paletes e contenedores
facilitam a estocagem, e até que ponto a embalagem facilita o descarte e a
reciclagem?
A embalagem proporciona a proteção necessária ao produto durante o
processode armazenagem, assegurando sua integridade, pode proporcionar
melhor utilização doespaço nos armazéns, e facilitar a identificação e
separação dos produtos, evitando retrabalho com correções.
Na definição do tipo de transporte deve -se verificar o ambiente ao qual os
produtos serão submetidos, cada modal tem características próprias, que
exigem cuidados específicos. Os maiores riscos durante o processo de
transporte são: alterações clima, impactos com aceleração, vibrações, choque,
humidade. Além das condições é necessário conhecer as limitações de cada
modal quanto a peso e dimensões 
Estudos realizados - GELOG-UFSC 2005 6