Você está na página 1de 6

Jesus cura o menino surdo-mudo

Mt 9:14-29

INTRODUÇÃO
1. Descendo do monte da transfiguração com Seus três
discípulos mais próximos...
a. Jesus encontra Seus outros discípulos
envolvidos numa controvérsia - Mc 9:14
b. Cercados por uma multidão, disputando com os
escribas - ibid.
2. A controvérsia envolvia uma tentativa fracassada de
curar um menino surdo-mudo...
a. Que desde a infância tinha tendência a
convulsões
b. Cujo pai queria desesperadamente que ele
fosse curado
c. Todavia os discípulos de Jesus não foram
capazes de curar
O relato desse milagre é um dos mais detalhados nos
evangelhos. Com ele podemos aprender lições valiosas, mas
também devemos ter cuidado para não aplicar mal o que foi
dito. Vamos começar examinando...

I. A NARRATIVA
A. O FRACASSO DOS DISCÍPULOS.
1. Jesus encontra Seus discípulos
envolvidos em polêmica - Mc 9:14-16
2. Está relacionado à incapacidade deles
de curar o menino - Mc 9:17-18, 25
1
3. Jesus repreende Seus discípulos por sua
falta de fé - Mc 9:19
4. Levado a Jesus, ele tem uma convulsão
induzida pelo espírito - Mc 9:20
5. O pai descreve que isso aconteceu
muitas vezes - Mc 9:21-22
6. O pai implora por compaixão, se Jesus
puder ajudar - Mc 9:22
- Uma cena caótica, a frustração dos discípulos e do pai,
muitas emoções em evidência
B. O SUCESSO DO SALVADOR.
1. Jesus responde ao apelo do pai - Mc
9:23-24
a. Se o pai puder acreditar, todas as
coisas são possíveis
b. O pai professa sua fé, implora por
mais fé
2. A multidão se aproxima, Jesus cura o
menino surdo-mudo - Mc 9:25-27
a. O demônio foi expulso com uma
grande convulsão, deixando o
menino como um morto
b. Jesus pega o menino pela mão, o
ergueu, e o menino se levantou
3. Jesus informa privadamente os
discípulos sobre o motivo do fracasso
deles - Mc 9:28-29
a. Jesus explica a necessidade de
oração em um caso como este
2
b. Muitos textos também adicionam a
necessidade de jejum
- O incidente termina com uma oportunidade de ensino
particular aos Seus discípulos
O registro deste milagre fornece uma visão sobre o papel da
fé, da oração e até do jejum. Mas devemos ter cuidado em
como entendemos o que Jesus está ensinando. Com isso em
mente, consideremos...

II. A APLICAÇÃO
A. ADVERTÊNCIAS.
1. Evite a aplicação incorreta
a. Pode ser tentador aceitar as
palavras de Jesus isoladamente
b. Especialmente “todas as coisas são
possíveis para aquele que crê”
c. Que alguns interpretaram
literalmente, sem exceção
d. Dando falsas esperanças a muitas
pessoas, destruindo a fé no
processo
2. Considere o contexto
a. Todas as coisas são possíveis, mas
devem estar dentro da vontade de
Deus - 1Jo 5:14
1) Por exemplo, Jesus no jardim
do Getsemani - Mc 14:35-36
2) Por exemplo, Paulo com seu
espinho na carne - 2Co 12:7

3
3) Como disse um irmão:
“Todas as coisas são
possíveis, mas elas devem
estar no menu”
b. Algumas coisas não são possíveis,
quando colocadas indevidamente
1) Por razões egoístas e
pecaminosas - Tg 4:3
2) Por não guardamos Seus
mandamentos - 1Jo 3:22
- As palavras de Jesus presumem a permissão de Deus e
nossa obediência
B. PRINCÍPIOS.
1. A importância da fé
a. A fé não pode ser subestimada - Hb
11:6; Mt 8:13; 9:22, 29
b. Essa fé cresce por meio da Palavra
de Deus – Rm 10:17
c. Certamente não custa orar:
“Senhor, eu creio; ajuda minha
incredulidade!” - Mc 9:24
d. Mas as respostas à fé são sempre
subservientes à vontade de Deus
(cf. o espinho de Paulo)
2. O poder da oração
a. Nossa fé, embora importante, nem
sempre é suficiente
b. Somente em Deus todas as coisas
são possíveis - Lc 1:37
4
c. Assim, em determinado momento,
a fé deve ser unida à oração - por
exemplo, Tg 5:14
d. Mas também, as respostas à
oração são subservientes à vontade
de Deus - 1Jo 5:14
3. O papel do jejum
a. O jejum costumava estar junto da
oração para obter o favor de Deus -
Ed 8: 21-23
b. O jejum servia para humilhar-se
diante de Deus - Sl 35:13; 69:10
c. Com humildade existe maior
probabilidade de incorrer no favor
de Deus - Is 57:15; 66:1-2
d. Assim, as pessoas frequentemente
serviam a Deus com jejum e oração
- Lc 2:36-37; At 13:2-3
- Fé, oração e jejum trabalhando juntos podem fazer mais se
for a vontade de Deus

CONCLUSÃO
1. Muitos interpretaram mal as palavras de Jesus...
a. “Se você acreditar, você receberá” (evangelho
da prosperidade)
b. “Se você pode concebê-lo, você pode alcançá-
lo” (poder do pensamento positivo)
2. Mas eles falham em considerar as palavras de Jesus no
contexto geral da Bíblia...

5
a. O que buscamos deve estar de acordo com a
vontade do Senhor
b. O que buscamos não deve ser para fins egoístas
3. Por outro lado, muitos não apreciam totalmente...
a. A importância da fé em Deus
b. O poder da oração a Deus
c. O papel do jejum no serviço a Deus
Com a ajuda da Palavra de Deus, podemos saber melhor
qual a sua vontade. Então, podemos fazer melhor uso de
nossa fé, oração e jejuam enquanto buscamos fazer a Sua
vontade...

Você também pode gostar