Você está na página 1de 5

RESCISÕES

835,146,145,1212,16,903,1587,825,1002,734,753,1024,1202,924,1061,1145,1310,1291,1352,
293,299,294,297,298,1425,1094,1358,208,926,1264,60,1120

REQUISITOS PARA EQUIPARAÇÃO SALARIAL

Função Identidade na função

Diferença de tempo não superior a dois


Diferença de Tempo na Função
anos

Diferença de Tempo na Diferença de tempo não superior a quatro


Empresa anos

Localidade No mesmo estabelecimento

Produtividade/Técnica Mesma produtividade e técnica

Empregador Mesmo empregador

Contempraneidade Paradigma deve ser atual

8. Substituição Temporária de Empregados


A substituição temporária de empregados não gera possibilidade de equiparação salarial.

Assim, cumpre observar que o artigo 450 da CLT dispõe que o empregado que ocupar
cargo em substituição eventual ou provisória, será assegurado a contagem do tempo
naquele serviço, bem como volta ao cargo anterior.

Nesse sentido a Súmula TST n° 159 dispõe:

SUM - 159 SUBSTITUIÇÃO DE CARÁTER NÃO EVENTUAL E


VACÂNCIA DO CARGO (incorporada a Orientação Jurisprudencial n° 112 da
SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20, 22 e 25.04.2005.
I - Enquanto perdurar a substituição que não tenha caráter meramente eventual,
inclusive nas férias, o empregado substituto fará jus ao salário contratual do
substituído. (ex-Súmula n° 159 - alterada pela Res. 121/2003, DJ 21.11.2003)
II - Vago o cargo em definitivo, o empregado que passa a ocupá-lo não tem
direito a salário igual ao do antecessor. (ex-OJ n° 112 da SBDI-1 - inserida em
01.10.1997) Histórico: Súmula alterada - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e
21.11.2003 N° 159 Substituição Enquanto perdurar a substituição que não
tenha caráter meramente eventual, inclusive nas férias, o empregado substituto
fará jus ao salário contratual do substituído.

9. ACORDO ENTRE AS PARTES

9.1. Acidente de Trabalho
Dentre as estabilidades provisórias de emprego, existe aquela decorrente de acidente de
trabalho que, nos termos do artigo 118 da Lei n° 8.213/91, garante ao segurado da
Previdência Social que sofreu acidente de trabalho uma estabilidade de 12 meses após o
término do recebimento do auxílio-doença.

Nesse sentido, havendo o afastamento previdenciário decorrente deste acidente de


trabalho, o empregado que estiver apto a retornar as atividades conforme a NR 07, poderá
solicitar a rescisão do contrato de trabalho em comum acordo, por analogia ao artigo
500 da CLT em conjunto com o artigo 484-A da CLT, desde que haja a assistência do
Sindicato, abrindo mão o empregado de sua estabilidade.

Vale ressaltar que diante da inexistência de previsão expressa na Lei, orienta-se que o
sindicato da categoria ou a SRT sejam consultados a respeito do assunto.

9.2. Empregada Gestante
No caso da empregada gestante, esta possui estabilidade desde a confirmação da
gravidez até cinco meses após o parto conforme o artigo 10, inciso II, alínea
“b” do ADCT/CF/88 (Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição
Federal de 1988) e a Súmula n° 244 do TST.

Conforme o artigo 500 da CLT, é lícito o pedido de demissão da empregada estável, desde


que seja devidamente assistido pelo respectivo sindicato da categoria.

Não há previsão perante o artigo 484-A da CLT no caso da empregada gestante solicitar a


rescisão por acordo.

Contudo, entende-se que durante a gestação e após o afastamento por maternidade (120
dias), a empregada poderá solicitar a rescisão por acordo entre as partes, por analogia
ao artigo 500 da CLT em conjunto com o artigo 484-A da CLT, devendo estar assistida
pelo sindicato da categoria, abrindo mão de sua estabilidade provisória.

Em razão da inexistência de disposição expressa a respeito do tema na legislação da


Reforma Trabalhista, recomenda-se prévia consulta ao Ministério do Trabalho de sua
região a respeito do tema antes de efetivar este tipo de acordo com empregada estável.
1.2. DESCONTO DO AVISO PRÉVIO INDENIZADO PELO EMPREGADO

Quando se trata de indenização do aviso prévio pelo empregado ao empregador deve-se


descontar apenas o salário, não há previsão legal para integração de adicionais, ou realização
de médias para efetivação do desconto.

1.2.1. Aviso Prévio Indenizado. Comissionista Misto

Considerando que o empregado é comissionista misto que possui salário fixo + comissões
caso ele peça demissão o aviso prévio indenizado pelo empregador deve ser descontado
somente do salário fixo, a fundamentação legal está no artigo 487§ 2.º da CLT.

1.2.2. Periculosidade e Insalubridade

Considerando que a legislação trata de salário, caso o empregado indenize empregador no


pedido de demissão deve-se descontar apenas o salário visto que a determinação do artigo
487§ 2.º da CLT trata de salário e não dos adicionais. Deste modo, não há desconto de
adicional de periculosidade e insalubridade.

1.2.3. Aviso Prévio Indenizado pelo Empregado - Gratificação.

Conforme o artigo 487 § 2º da CLT a falta de aviso prévio por parte do empregado dá ao
empregador o direito de descontar os salários correspondentes ao prazo respectivo. Portanto,
não é possível o desconto de gratificação.

1.2.4. Aviso Prévio. Variáveis

A média das variáveis (exemplo horas extras) não entram para o desconto do aviso prévio de
empregado que pede demissão, somente deve ser descontado o salário, nos termos do artigo
487§ 2.º da CLT.

1.4. Aviso Prévio Indenizado pelo Empregado- Tempo de Serviço

Considerando que se trata de pedido de demissão de empregado, nos termos do artigo 487§2º
da CLT a falta de aviso prévio por parte do empregado dá ao empregador o direito de
descontar os salários correspondentes ao prazo respectivo.

O período de indenização do aviso prévio, considerando que se trata de um período em que o


empregado indenizará ao empregador (desconto), não há que se falar em contagem no tempo
de serviço, com isto não há  indenização de férias e décimo terceiro.

2.1.4. Atestado de Afastamento Ultrapassa o Término do Aviso Prévio

Considerando que o empregado apresentou um atestado que  ultrapassa a data do término do


aviso prévio, o contrato de trabalho não será suspenso, visto que dentro do aviso prévio não
ultrapassou o 15 º dia, desta forma, ele poderá ser dispensado no término  do aviso prévio,
desde que seja considerado apto no exame demissional, nos termos do artigo 168, II da CLT e
itens 7.4.1 e 7.4.3.5 da Norma Regulamentadora n.º 7 do Ministério do Trabalho e Emprego.

2.2. Pedido de Demissão – O Empregador Dispensa o Cumprimento do Aviso Prévio


Trabalhado ou não Permite que o Trabalhador cumpra o Aviso Prévio Trabalhado.
Considerando que o empregado iria cumprir aviso prévio trabalhado, visto que pediu demissão,
caso o empregador não permita que o empregado permaneça em atividade no local de trabalho
durante o aviso prévio, na rescisão deverão ser obedecidas as mesmas regras do aviso prévio 
indenizado.

Portanto, cabe observar que quando o aviso prévio for indenizado, a data da saída a ser
anotada na Carteira de Trabalho e Previdência Social - CTPS deve ser:

I - na página relativa ao Contrato de Trabalho, a do último dia da data projetada para o aviso
prévio indenizado; e

II - na página relativa às Anotações Gerais, a data do último dia efetivamente trabalhado.

No TRCT, a data de afastamento a ser consignada será a do último dia efetivamente


trabalhado. 

O empregador que não quer que seu empregado cumpra o aviso prévio deverá indenizá-lo do
período respectivo. Neste ínterim, haverá projeção na CTPS, bem como integração do aviso
prévio no tempo de serviço para todos os efeitos legais, inclusive projeção de férias e décimo
terceiro salário.  A fundamentação legal está prevista nos artigos 17 e 18 da Instrução
Normativa 15/2010 do Ministério do Trabalho e Emprego; Artigo 487§1º da CLT,  bem como
Orientação Jurisprudencial 367 da Seção de Dissídios Individuais 1 do Tribunal Superior do
Trabalho.

https://www.econeteditora.com.br/boletim_trabalhista_previdenciario/trab-
18/bol20/20_empregado_diarista.php#4.5

https://www.econeteditora.com.br//boletim_trabalhista_previdenciario/trab-
20/bol03/03_modalidades_de_renumeracao.php

https://www.econeteditora.com.br///boletim_trabalhista_previdenciario/trab-
20/bol13/13_empregado_diarista.php

http://www.econeteditora.com.br/boletim_trabalhista_previdenciario/trab-
20/bol13/13_aviso_previo_motivado_empregador.php

http://www.econeteditora.com.br/boletim_trabalhista_previdenciario/trab_14/Boletim-
24/dir_trab_antecedentes_criminais.php#2.1.