Você está na página 1de 19

AS PIRÂMIDES COLORIDAS DE

PFISTER
Histórico

 Técnica criada por Max Pfister (1889-1958).


 Nasceu em Zurique, tendo se interessado desde
jovem por teatro e cenografia.
 Na fase adulta estudou arquitetura e casou-se com
uma bailarina.
 Descobre os valores expressivos das cores e seus
possíveis significados emocionais.
 Realiza sua formação pelo Instituto de Psicologia
Aplicada de Zurique.
 O teste das pirâmides coloridas são produto do seu
trabalho de conclusão de curso.
Objetivos
 Fornece informações sobre a dinâmica emocional, ou seja, sobre como
a pessoa reage e expressa suas emoções diante de um estímulo.

 É uma técnica situacional -> Avalia aspectos emocionais no momento


da aplicação.
 Utilização das cores como forma de expressão de seus estados
emocionais e afetivos no momento da aplicação.
 A seleção da cor tem relação com suas preferências e identificações
pessoais, mas também pelos significados designados a estas cores
culturalmente, refletindo então, pela identificação, os estados atuais do
individuo.

 Avalia aspectos da personalidade, destacando principalmente a


dinâmica afetiva e indicadores relativos a habilidades cognitivas do
indivíduo.
Público
 Inicialmente aplicado com crianças de 7 anos até
indivíduos idosos.
 Com a publicação do manual para crianças e
adolescentes (2012), passa a existir uma distinção.
 Crianças e adolescentes: 6 a 14 anos de idade.
 Adultos: A partir de 15 anos de idade.
 Pode ser utilizado com pessoas com transtornos
mentais leves e graves.
 Excluir pessoas com deficiência em distinguir cores
(ex. daltônicos).
Bases Teóricas

 A cor sempre fez parte da vida dos indivíduos.


 É um estímulo natural ao qual estamos inevitavelmente
sujeitos.
 Temos inclinações afetivas por determinadas cores.
 As cores estão presentes em todas as culturas nos diversos
períodos históricos da humanidade.
 Participam das manifestações artísticas, religiosas.
 As cores possuem atribuições simbólicas que se repetem no
decorrer dos anos, mesmo em culturas diferentes.
 Ex: vermelho (instinto, paixão)
Bases Teóricas
 Autores como Newton e Goethe se dedicaram ao
estudo das cores.
 Goethe escreve “A teoria das cores” em 1810.
 Newton propõe as primeiras teorias sobre a cor
como fenômeno físico.
Bases Teóricas
 Herman Rorschach destaca que “as respostas de cor constituem
a base da capacidade de contato afetivo e de aproximação afetiva
com o meio ambiente”.
 A percepção das cores e emoções passam por processos
semelhantes.
 Estímulos coloridos desencadeiam processos fisiológicos, sem que
haja necessariamente a participação da esfera racional.
 Forma: clareza da percepção dos estímulos externos e
sofisticação do funcionamento mental.
 Cor: expressão dos afetos e emoções.
 Integração Forma-Cor: recursos cognitivos e psíquicos para
administrar afetos e emoções.
NORMAS PARA APLICAÇÃO
Material

 Jogo com quadrículos coloridos composto


de 10 cores subdivididas em 24
tonalidades.
 3 cartelas com esquema da pirâmide.

 Folha de protocolo.

 Mostruário de cores.
1 a Pg.
39 do
manual

2 a 2 b

3 a 3 b 3 c

4 a 4 b 4 c 4 d

5 a 5 b 5 c 5 d 5 E
Aplicação
 Ambiente calmo e adequado (poucos estímulos).
 Luminosidade adequada.
 Rapport Inicial.
 Enquadre: Propósitos do exame e objetivos.
 “Ajuda a conhecer o indivíduo (em relação a
queixa/encaminhamento)”
 “Perfil para um cargo pleiteado”.
Instruções
 “Aqui temos uma grande quantidade de papeizinhos
com cores e tonalidades diversas (nesse momento,
abrir a caixa contendo os quadrículos e despejá-los
sobre a mesa, misturando levemente) e o esquema
de uma pirâmide (mostrar apenas o primeiro
cartão). Cobrindo-se os espaços da pirâmide,
obtém-se uma pirâmide colorida. Você deve fazer
sua pirâmide usando as cores que quiser, pode
trocar ou substituir à vontade, até que a pirâmide
fique do seu gosto, fique bonita para você. Alguma
dúvida? Então pode começar”.
Registro durante a aplicação
 Anota-se tudo que o indivíduo faz.
 Comentários, atitudes, cada escolha de cor, o lugar em que foi colocada
no esquema.
 Descrever como o indivíduo trabalha em cada pirâmide: preparação
prévia; modo como classifica as cores que vai utilizar; sinais de trabalho
metódico ou desorganizado; etc -> elaborar um pequeno texto
explicando seu processo e método de trabalho em cada pirâmide.
 Permite a identificação do modo de colocação e o processo de execução.
 Cada cor e espaço na pirâmide possuem um código que deve ser
memorizado pelo aplicador.
 Cronometrar o tempo de execução de cada uma das três pirâmides que
será produzida.
 Anotar latência.
Registro durante a aplicação
 No verso do protocolo de registro, assinala-se cada
espaço do esquema onde as cores são colocadas,
na ordem em que foram sendo preenchidas.
 Ao lado deve-se anotar o código da cor que foi
colocada.
 O registro de possíveis trocas é realizado no
espaço “observação”.
1 a

2 a 2 b

3 a 3 b 3 c

4 a 4 b 4 c 4 d

5 a 5 b 5 c 5 d 5 E
Instruções
 Ao terminar a primeira pirâmide, retira-se o
trabalho. É importante coloca-lo em um local que
o sujeito não o veja.
 Instrução: “Agora eu gostaria que você fizesse outro
e depois ainda há mais um a ser feito”.
 Terminada a terceira pirâmide, reapresenta-se as
outras duas alinhadas na frente do indivíduo na
ordem em que foram feitas.
Inquérito
“Muito bem, aqui estão as três pirâmides que você fez”.
1) Qual delas você acha que ficou a mais bonita, de
qual você mais gosta? Por quê?
2) De qual delas menos gosta?
3) Geralmente de qual cor gosta mais?
4) De qual cor menos gosta em geral?
5) Aqui no teste, qual sua cor preferida?
6) De qual cor do material você menos gostou?
Sobre o Inquérito
 Esse inquérito permite apreender impressões e
reflexões do sujeito, bem como verificar a
coerência de seus comentários e produções.
Rapport final
 O que você achou do teste?
 Como está se sentindo?
 Quer dizer mais alguma coisa? Tem mais alguma
dúvida?
Referências

 Villemor-Amaral, A. E. (2005). As pirâmides coloridas


de Pfister. São Paulo: CEPA.

Você também pode gostar