Você está na página 1de 15

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS

PLANO DE ESTUDO TUTORADO


COMPONENTE CURRICULAR:
FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO
PROFESSOR: JOAQUIM JUNIOR FAUSTINO DOS SANTOS SILVA
ANO DE ESCOLARIDADE: 2021
PET VOLUME: 1
NOME DA ESCOLA: E. E. TITO ALVES PINTO
ESTUDANTE: TURNO: Noturno
TURMA: TÉCNICO EM VENDAS
MÊS: Agosto/Setembro
NÚMERO DE AULAS POR SEMANA: 8

UNIDADE TEMÁTICA: INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO

OBJETOS DE CONHECIMENTO:
 ENTENDER AS FUNÇÕES ADMINISTRATIVAS

HABILIDADE:
 CONHECER A HISTÓRIA DA ADMINISTRAÇÃO

O que é Administração?

“A Administração é a arte de aplicar leis sem lesar os interesses.” — Honoré de Balzac, (1799-
1850).
Na teoria, a área da administração, também chamada de Gestão, é a ciência social que estuda e
sistematiza as práticas utilizadas por um administrador para gerir negócios, recursos ou pessoas, com
o objetivo de alcançar metas pré-estabelecidas por uma organização.

O termo "administração", em si, significa "direção" ou "gerência" e é uma área do conhecimento


fundamentada por um conjunto de normas e funções elaboradas para disciplinar os fatores de
produção, tendo em vista o alcance de determinados fins, como a maximização de lucros de uma
empresa, por exemplo.

A função administrativa, inclusive, é frequentemente utilizada como sinônimo de “Administração de


Empresas”. A associação, entretanto, somente é correta enquanto o termo “empresa” considerar
organizações de diversas espécies, uma vez que o trabalho do gestor pode ser desenvolvido em
organizações públicas, sociedades de economia mista, privada ou sem fins lucrativos, como as
ONGs.

Origem
Da mesma maneira que qualquer uma das atividades humanas, o ato de Administrar é
uma decorrência de inúmeras influências vindas do meio ambiente e meio social. Numa comparação
com a evolução histórica, a Administração passou por um processo semelhante. Ou seja, a PRÁTICA
da Administração sempre foi o resultado da maneira como o homem teve a percepção dos problemas
e desafios presentes no seu espaço ao redor mesmo antes da Administração ter sido estudada como
uma Ciência.
Apesar de a Administração ser, como ciência, um produto do século XX, a sua história começou
a séculos, desde quando os povos antigos se organizavam, planejavam e controlavam recursos
materiais e humanos para conseguir seus objetivos. De lá pra cá, muita coisa mudou, mas a
Administração continua presente em tudo que fazemos em nosso dia a dia. Todo mundo a utiliza,
mesmo que de forma empírica, para organizar a rotina, tarefas, horários, formas de estudo etc.

Objetivos e Áreas da Administração

A administração busca dois objetivos principais: proporcionar eficiência e eficácia dos projetos de uma
organização. A eficiência refere-se aos meios: métodos, processos, regras e regulamentos dos
processos, a fim de que os recursos sejam adequadamente aplicados. A eficácia, por sua vez, refere-
se aos fins: objetivos e resultados a serem alcançados pela organização.

O trabalho administrativo é a aplicação do esforço físico e mental de um gerente que irá buscar os
resultados por meios de outras pessoas, seus gerenciados. Em síntese, o Administrador é a ponte
entre os meios (recursos financeiros, humanos e tecnológicos) e os fins (objetivos).

A Administração se divide, modernamente, em cinco áreas: Finanças, Administrativo, Marketing,


Vendas ou Produção, Logística e Recursos Humanos.

A administração Financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças enquanto o
Marketing “consiste no conjunto de atividades humanas que tem por objetivo facilitar e consumar
relações de troca”. (Phillip Kotler).
A área da Produção, por sua vez, é explicada pelas atividades que desempenham a fabricação,
elaboração ou obtenção de bens e serviços que podem ser divididos em três grandes grupos: a terra,
o capital e o trabalho.

Já a logística abarca todas as operações que condicionam o movimento dos produtos, tais como
localização das fábricas, abastecimentos, embalagem, gestão de estoques, manutenção e
preparação das encomendas, além dos transportes e circuitos de entregas.

Por fim, os Recursos Humanos é o ramo da Administração que desenvolve ações com a equipe,
buscando a integração dos trabalhadores no contexto da organização e aumento da produtividade.

Funções administrativas no dia a dia

Para melhor compreender e aplicar as funções administrativas, também podemos dividi-las em uma
linha do tempo, representando o passado, o presente e o futuro. Assim, elas irão representar
instantes diferentes do processo de uma organização, sendo importante para formular históricos e
projeções futuras.

No passado colocamos a função “controlar”, onde são elaborados relatórios e análises dos
indicadores, de forma a avaliar o histórico dos resultados e, futuramente, as projeções.

No presente, o líder deve instituir uma política orçamentária, por meio da limitação de recursos e
investimentos para diferentes áreas. Quanto ao futuro, pertence o “planejar”, onde o plano é traçado.

É aqui que tudo começa: da criatividade e da análise do mercado nascem os projetos futuros, que
retornam ao passado, mais tarde, para checar se os objetivos foram alcançados conforme as metas.

Assim, as funções administrativas mostram-se cíclicas. O administrador deve estar calcado no hoje,
mas sem ignorar o ontem e o amanhã. O passado é a bússola de orientação do percurso, o presente
as condições reais da estrada e o futuro as possibilidades que se apresentarão ao longo do
caminhada.

Como desempenhar as funções administrativas

Para finalizar, é importante que o administrador tenha sempre em mente a importância de integrar as
quatro funções administrativas: o planejamento, a organização, a direção e o controle administrativo.

Os quatro pilares da Administração são equivalentes em valor individual, mas juntas, transformam-se
no sucesso do projeto coletivo.

Em uma pequena empresa, por outro lado, muitas vezes, o líder deve assumir mais de um papel.
Nesse caso, as dificuldades são maiores e complexas, mas não impossíveis se o administrador se
planejar, organizar, dirigir e controlar cada etapa do processo com segurança e eficiência.
Para tanto, o pequeno empreendedor precisa estudar e se especializar em cada função,
compreendendo a teoria, colocando as ferramentas à disposição na prática, tendo em vista a
realidade financeira do negócio e a capacidade de gestão pessoal.

Além da capacitação constante, é importante que o gestor invista seu tempo em estratégias. Uma
organização bem estruturada, busca inovações e melhores práticas administrativas, está sempre
atenta às mudanças e tendências de mercado, detectando oportunidades e precavendo-se contra
riscos, o que é fundamental para uma organização alavancar positivamente seus resultados.

Munido dos instrumentos intelectuais, agora o administrador poderá investir concretamente na


realização de seus negócios. O equilíbrio e o bom desempenho entre todas as funções
administrativas provam sua eficácia com a estabilidade e o crescimento sustentável do negócio.

“Para ter um negócio de sucesso, alguém, algum dia, teve que tomar uma atitude de
coragem.” — Peter Drucker

Funções administrativas: Planejamento, Organização, Direção e Controle


Funções administrativas: Planejar, Organizar, Dirigir e Controlar são essenciais para o sucesso de
uma de uma empresa.

Planejamento, organização, direção e controle são as palavras-chave para uma boa


administração de uma empresa. Colocar estas funções administrativas em prática, em um cenário
empresarial, é na verdade o segredo para a estabilidade, longevidade e sucesso de uma organização.
Muito mais do que seguir uma série de passos para chegar a um determinado objetivo, a
atividade administrativa ensina como utilizar instrumentos valiosos para obter êxito em todas as áreas
da vida.

Imagine um professor na sala de aula, por exemplo, ele precisa administrar o conteúdo da
matéria, o aprendizado e acompanhamento dos alunos, além do próprio ambiente da sala de aula,
tudo ao mesmo tempo.

Neste cenário, as funções administrativas também podem ser aplicadas da mesma forma, para que o
professor, sendo aqui o gestor da classe, consiga atingir seus objetivos e identificar estratégias e
reformas a serem adotadas no futuro.
Em uma grande empresa os desafios são outros e até maiores, claro, com a exigência de conquistas
e pouco espaço para erros. Assim, para evitar prejuízos, as funções administrativas foram
desenvolvidas. Quando elas são aplicadas e integradas de maneira eficaz pelo administrador, as
chances de sucesso tornam-se invariavelmente maiores.

Teoria Clássica da Administração

As primeiras divisões das funções administrativas foram elaboradas pelo engenheiro turco Jules


Henri Fayol (1841-1925), em meados do século XX.
Em seu livro Administration industrielle et générale (Administração industrial e geral), editado em
1916, ele estabeleceu os termos “prever”, “organizar”, “comandar”, “coordenar” e “controlar” para
designar as ferramentas necessárias para administração de uma organização.
Além de Fayol, se destacam na literatura os nomes dos engenheiros norte-americanos Frederick
Taylor (1856-1915), Henry Ford (1863-1947) e do sociólogo alemão Max Weber (1864-1920), que
contribuíram largamente com teorias nos primórdios da Administração.

Atualmente, sobretudo com as contribuições da Abordagem Neoclássica da Administração, em que se


destaca o professor austríaco Peter Drucker (1909- 2005), os princípios foram atualizados e são hoje
conhecidos pela sigla PODC, que significa: “Planejar”, “Organizar”, “Dirigir” e “Controlar”.
Assim, nota-se que os conceitos clássicos permanecem válidos, tendo apenas evoluindo para uma
unificação de alguns termos e revisão de nomenclaturas. As palavras “comandar” e “coordenar” foram
aglutinadas no termo “digirir” e “prever” foi substituída pelo termo “planejar”.

O renomado acadêmico Henry Mintzberg (1939 - 81 anos), entretanto, contesta essa visão das
funções administrativas divididas em processos. Para ele, o administrador, na verdade, atua
exercendo diversos papéis, como os interpessoais (papel de líder e de contato), informacionais (papel
de monitor, disseminador e de porta-voz) e decisionais (papel de empreendedor, manipulador de
interferências, alocador de recursos e negociador).

Apesar da modernização de conceitos e de possibilidades administrativas, a leitura dos clássicos é


imprescindível para entender a história e a evolução da Administração. Somente com o domínio da
teoria é que o administrador poderá aprender a colocar em prática, bem como aperfeiçoar, as
ferramentas utilizadas no dia a dia.

Jules Henry Fayol

Jules Henry Fayol, o fundador da teoria clássica e científica da Administração, se destaca nos
estudos entre os pioneiros da investigação e diagnóstico de falhas e oportunidades identificadas no
universo empresarial.
Foi na experiência prática que Fayol observou dificuldades recorrentes nas estruturas empresárias da
época, como a baixa produtividade e a falta de padronização.
Entre análises e reformas, o engenheiro notou, na prática, a ausência de ferramentas concretas para
tornar a organização mais produtiva. Assim, ele passou a dissecar as estruturas em busca de
mecanismos de aprimoramento dos negócios.

Seus principais ensinamentos foram a delimitação das áreas existentes em uma organização, sendo
elas: técnica, comercial, contábil, financeira, administrativa, de segurança – e, claro, a definição das
famosas funções administrativas.

Ademais, o engenheiro defendia que os cargos deviam ser ocupados por pessoas técnicas e
capacitadas a organizar suas respectivas funções. Aos gestores, cabia a faculdade de dirigir ordens
aos demais funcionários, com base na disciplina, colaboração e respeito à hierarquia.

Para que a empresa se tornasse mais eficiente, Fayol também acreditava que as ordens deveriam
partir de apenas um único superior, sendo que cada área também contaria com um gestor
competente.

O que se pode perceber, notadamente, é que as ideias do pioneiro foram de grande importância para
calcar as bases administrativas, sendo as estruturas encontradas até os dias atuais nas organizações.
Mesmo a teoria sendo antiga, existe uma boa razão para elas continuarem sendo aplicadas: elas
funcionam. 

PODC

Com a teoria em mãos, o estudo avança para a compreensão das funções administrativas
seccionadas pelos quatro pilares do PODC (Planejar, Organizar, Dirigir e Controlar), que compõe os
princípios básicos para uma Administração eficaz e eficiente de uma empresa.

Independente do tamanho da organização e do pessoal empregado, todo gestor deve acompanhar e


supervisionar as quatro funções administrativas essenciais para obter resultados positivos em sua
organização.

Dentro de cada função, encontramos ainda inúmeras atividades que devem ser planejadas,
organizadas, dirigidas e controladas pelo administrador, uma vez que ele precisa estar envolvido e
ciente do desempenho de a toda a cadeia do processo. Acompanhe:

Função Administrativa: Planejar


Começando pela base das funções administrativas, encontramos em sua sustentação o princípio de
toda e qualquer atividade empresarial: o Planejamento.

É nesse processo que o administrador definirá as metas a serem alcançadas pela organização, bem
como plano e as ações necessárias para atingir o resultado desejado.

Dentro desta função administrativa, o gestor deve ter a capacidade de antecipar cenários
considerando as movimentações e oscilações do mercado. Para esta previsão, o administrador utiliza
estudos e dados concretos do mercado como referências de possíveis projeções.

Esse é o momento em que o administrador, em conjunto de seus colaboradores, coloca em pauta os


objetivos da empresa e estabelece meios para alcançá-los. Há de se considerar ainda que esses
cenários podem ser otimistas, realistas e pessimistas. Portanto, ao planejar, o administrador está
traçando um caminho mais seguro para obter os resultados almejados.

Função Administrativa: Organizar

Organizar é o processo de arrumar o local, a autoridade, os membros e os recursos disponíveis em


uma organização, de modo que todo o conjunto, em uníssono, trabalhe para alcançar o objetivo
desejado.
Nesta função administrativa, o gestor coloca em práticas as ações que irão viabilizar a realização do
plano traçado. Esta é o momento do administrador definir o que deve ser feito, quem irá ser
responsável pelo trabalho, como esse trabalho deverá ser executado, a quem os empregados devem
se reportar e tudo que deve ser feito para a conclusão da tarefa.

Para tanto, o administrador desenha o projeto, delega atividades, pessoas responsáveis e realiza
investimentos para tirar do papel o projeto planejado.

Aqui também se iniciam as metas de produtividade e eficiência. Quanto mais pessoas envolvidas
nesse processo, maior o desafio. Cabe ao gestor manter o plano em ordem para que a equipe e os
recursos sejam aplicados de modo a extrair o melhor desempenho possível de cada ferramenta.

Logo, "organizar” é a prática concreta do “planejar”. De nada adianta planejar se o gestor não colocar
em prática todas as tarefas que o processo exige. Isso significa que o administrador deve ter todos os
processos sob controle e trabalhar para que a empresa cresça constantemente, com qualidade.

Função Administrativa: Dirigir

A função administrativa da direção também pode ser apontada como “liderar”, “influenciar” e “motivar”
os empregados a realizar as tarefas essenciais do projeto. Para ser um bom líder, no entanto, é
importante que o gestor saiba distribuir tarefas, cobrar funcionários e resultados, além de inspirá-los
com segurança e determinação.

Nesta fase, a atividade está relacionada diretamente às lideranças de uma empresa, que deve estar
preparada para exercer as tarefas de delegar, acompanhar, cobrar e motivar a equipe da instituição.

Mesmo em ambientes de hierarquia horizontal, ou seja, onde não existem superiores ou um chefe, a
direção administrativa deve ser transparente e coerente.

Dessa forma, as equipes multidisciplinares e autônomas poderão tomar decisões e executar tarefas
de acordo com os objetivos do negócio. Conclui-se então que, dirigir não é, necessariamente, uma
função de um cargo de gestor, mas uma diretriz administrativa, que deve ser reconhecida e
acompanhada por todos.
Em resumo, dirigir uma equipe exige habilidades que vão além da pura e simples autoridade. A
liderança precisa coordenar, gerenciar e facilitar o trabalho dos demais, garantindo que o pessoal da
organização avance e desenvolva o trabalho de maneira eficaz.

Função Administrativa: Controlar

Por fim, a última função administrativa é a do controle. Nessa última etapa, o domínio dos processos,
do ambiente, documentos, estatísticas e equipe são responsáveis por garantir o resultado esperado.

É aqui também que o administrador irá acompanhar relatórios, dados e tecnologias, avaliar o
desempenho dos profissionais, buscar soluções para os desafios e programar a melhoria contínua da
organização.

Em outras palavras, a função de controlar está associada diretamente ao monitoramento dos


resultados das estruturas administrativas anteriores. Mesmo que o planejamento seja excelente, a
empresa esteja organizada e as funções delegadas, ainda assim, o controle de todas as funções é
necessário para garantir que o trabalho está sendo executado corretamente.

O acompanhamento contínuo do desempenho de uma empresa é o fator que irá garantir a execução
do projeto e a correção de possíveis desvios, uma vez que o mercado está em constante evolução e
as organizações precisam se adaptar às mudanças, tendências e investimentos.

Neste sentido, o gestor deve caminhar junto aos processos administrativos da empresa. Para isso, ele
precisa estar em constante vigília, controlando, ajustando, comunicando, realocando e tomando
decisões que ditarão o sucesso do projeto.

Importância das funções administrativas

Apesar de definirmos separadamente as funções administrativas, elas são codependentes e


executadas paralelamente dentro de uma organização. Cada uma delas envolve uma série de
atividades fundamentais para o processo como um todo.
Se uma das etapas, por acaso, não for bem desempenhada ou ignorada, o resultado de um projeto
pode não ser satisfatório, prejudicando os resultados dos demais, bem como a qualidade e o futuro da
organização. Por isso a importância de compreender e adotar as quatro funções administrativas.

Quando bem adotadas, as funções administrativas garantem um ambiente de trabalho agradável, o


engajamento dos funcionários, a qualidade na prestação dos serviços, a satisfação do cliente, o
controle financeiro, a viabilidade e sustentabilidade da organização, bem como o controle da
operação, que irá proporcionar visão de futuro em novos projetos.

No mundo moderno e globalizado as funções administrativas provam sua relevância na grande


responsabilidade do administrador em manter constantemente a qualidade e a competitividade de
uma organização no mercado, onde o consumidor se mostra cada vez mais exigente.

Além disso, as funções administrativas facilitam o processo complexo do dia-a-dia da organização,


transformando a condução árdua de um negócio em uma lógica mais eficiente e simplificada.

Princípios de um bom gestor administrativo

“A verdadeira administração não visa lucro, visa bem estar social; o lucro é mera
consequência”. — Princípio filosófico da Administração.
No cotidiano, a estrutura de uma empresa contemporânea é repleta de minúcias e detalhes que
tornam a atividade complexa e laboriosa. Apesar das funções administrativas facilitarem o trabalho
operacional da organização, não existe uma fórmula efetiva e concreta capaz de garantir o sucesso
de uma empresa.

Para limitar riscos e conduzir o processo da maneira mais harmônica e exitosa, além das funções
administrativas, destaca-se a adoção de métodos de gestão eficiente, capazes de nortear o
funcionamento e futuro do negócio.

Para sobreviver e avançar com segurança, a organização deve ser bem gerenciada. Neste sentido, a
análise organizacional realizada pelos administradores consiste no processo de identificar os recursos
financeiros, mercadológicos, produtivos e humanos, encontrando no meio as forças e fraquezas da
organização e como elas podem ser exploradas diante das oportunidades e dificuldades oferecidas
pelo ambiente.

A etapa do Dirigir do PODC demonstra a importância vital do acompanhamento persistente do líder de


uma instituição. Como não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo, o responsável
deve delegar funções e utilizar o auxílio de sistemas para descomplicar e otimizar a rotina de controle
e monitoramento.

Teoria Geral da Administração


Também conhecida como TGA, a Teoria Geral da Administração é o conjunto de conhecimentos
relacionado às organizações e ao processo de administrá-las, sendo composta por princípios e
técnicas em permanente atualização.

A teoria teve início com a ênfase nas tarefas, na Administração Científica de Frederich Taylor. A
seguir, a preocupação básica passou para a ênfase na estrutura, com a aplicação da Teoria
Clássica de Fayol, o Fordismo de Henry Ford e a Teoria Burocrática de Max Weber, avançando mais
tarde para a Teoria Estruturalista.
A Relação Humanística surgiu com a ênfase nas pessoas, por meio da Teoria Comportamental e a
Teoria do Desenvolvimento Organizacional (DO). A ênfase no ambiente, por sua vez, surgiu com a
Teoria dos Sistemas, sendo completada pela Teoria da Contingência, que posteriormente,
desenvolveu a ênfase na Tecnologia.

Cada uma dessas cinco variáveis - tarefas, estrutura, pessoas, ambiente e tecnologia – provocou, em
seu devido tempo, uma diferente teoria administrativa, constituindo os principais componentes do
estudo da Administração das organizações.

O comportamento desses componentes - assim como as funções administrativas - é sistêmico, ou


seja, cada uma influencia e são influenciadas umas pelas outras. A adequação e integração entre
elas constituem o principal desafio da Administração.

A TGA se propõe a desenvolver capacidades, definir situações organizacionais, diagnosticar


deficiências e propor soluções dentro da organização. As habilidades técnicas, humanas e
conceituais exigem competências pessoais da equipe. As qualidades dos funcionários, por tabela,
constituem o maior patrimônio do administrador: o capital intelectual.

De volta à lógica do mundo globalizado, faz-se necessário que a equipe, e o próprio administrador,
passe não apenas por atualizações e reformas constantes de competências e conhecimentos, mas
consolide e aprimore qualidades duráveis e valorizadas no meio, tais como o equilíbrio, o respeito e o
trabalho em equipe.

Exercícios sobre funções administrativas

Após a conclusão da leitura, teste seu conhecimento respondendo as questões a seguir:

1. Conforme a teoria das quatro funções básicas da Administração, são etapas do processo de
organização, EXCETO:
a) Definição de hierarquia
b) Desenho departamental
c) Divisão do trabalho
d) Avaliação de desempenho
2. Entre as funções da Administração, uma dela é considerada a responsável pela distribuição
do trabalho, recursos e autoridade entre os membros da organização. Selecione a função da
Administração responsável pela atividade descrita anteriormente.
a) Dirigir
b) Planejar
c) Organizar
d) Coordenar
e) Controlar
3. Sobre as funções do administrador, avalie as afirmações abaixo e julgue as que estejam
corretas assinalando uma das alternativas.
I– Organização refere-se a atribuir responsabilidade pelo cumprimento da tarefa.
II– Organizar refere-se a designar tarefas e agrupa-las em departamentos, centralizar autoridade e
alocar recursos por toda a organização.
III– Planejar significa definir metas para o desempenho organizacional futuro e decidir sobre as
tarefas e o uso de recursos necessários para atingi-las.
IV– Controlar significa monitorar as atividades dos funcionários, determinar se a organização está na
direção de suas metas e fazer os ajustes quando houver necessidade.
V– Uma ferramenta muito utilizada nas atividades de controle é o Balanced Scorecard.
a) Apenas as alternativas I, II, III e V estão corretas
b) Apenas as alternativas I, II, IV e V estão corretas
c) Apenas as alternativas I, II, III e IV estão corretas
d) Apenas as alternativas I, III, IV e V estão corretas
e) Estão corretas as alternativas I, II, III, IV e V

4. Conforme Chiavenato (2010), o processo administrativo compreende o conjunto das funções


administrativas, as quais fazem parte de um todo integrado. Nesse sentido, quando os
gestores estruturam os recursos disponíveis para que tudo o que foi planejado possa ser
executado, eles estão atuando na função de:
a) Controle
b) Planejamento
c) Direção
d) Comando
e) Organização

5. Dentre outras atividades, assinale a alternativa que apresenta, nas organizações, o que
compete à função organização.
a) Liderar, coordenar, comandar e dirigir pessoas
b) Desenvolver a competência das pessoas
c) Solucionar problemas e tomar decisões
d) Dividir o trabalho entre as pessoas
e) Estabelecer parâmetros na empresa

6. Ao conjunto das funções administrativas, consideradas como um todo integrado, dá-se o
nome de processo administrativo. Esse conjunto busca explicar como as funções
administrativas são desenvolvidas pelas organizações. Desse modo, os papéis executados nas
organizações por seus gestores são a base da Administração e representam as funções
desempenhadas pelos administradores.
Tendo em vista o enunciado, relacione a função administrativa com a definição apropriada,
associando a Coluna 1 à Coluna 2.

Coluna 1 
1) Planejamento       2) Direção       3) Organização       4) Controle

Coluna 2
( ) É a função através da qual as atividades a serem executadas são pensadas e desenhadas, e os
objetivos são estabelecidos.

( ) Trata-se da função de estruturar os recursos disponíveis para que tudo aquilo que foi planejado
possa ser executado.

( ) É a função de conduzir a execução dos trabalhos que foram planejados, para que os objetivos da
organização possam ser atingidos.

( ) Trata-se da função administrativa na qual os resultados obtidos são avaliados e possíveis


correções são definidas, de acordo com o que havia sido estabelecido.

A ordem correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:

a) 1 – 2 – 3 – 4
b) 1 – 3 – 2 – 4
c) 1 – 4 – 3 – 2
d) 2 – 1 – 3 – 4
e) 2 – 1 – 4 – 3
7. Uma forma de compreender o conceito e a aplicação da administração é por meio de sua
representação como processo administrativo, que materializa a administração por meio das
funções planejamento, organização, direção e controle. De que forma essas funções são
encontradas nas empresas?
a) Como etapas do processo administrativo
b) Contidas umas nas outras funções
c) Como funções independentes e necessárias
d) Como departamentos autônomos e herméticos
e) Contidas nas áreas de responsabilidade
8. Assinale a alternativa que melhor define “Organização”:
a) É a estrutura organizada destinada à produção ou comercialização de bens e serviços, tendo como
objetivo o resultado.
b) É um programa que visa o controle, usando recursos para alcançar determinados objetivos.
c) É uma entidade social composta de pessoas e recursos deliberadamente estruturados e orientada
para alcançar um objetivo em comum
d) É a forma de alcançar resultados por meio dos recursos disponíveis.
9. O conceito de organização pode ser definido como:
a) Uma combinação de esforços individuais que tem por finalidade realizar propósitos individuais e
que está em constante transformação.
b) Uma combinação de esforços individuais que tem por finalidade realizar propósitos únicos.
c) Uma combinação de esforços individuais que tem por finalidade realizar propósitos coletivos e que
está em constante transformação
d) Uma combinação de esforços coletivos que tem por finalidade realizar propósitos únicos.
10. A coluna da esquerda apresenta Funções Administrativas e a da direita, características de
cada função. Numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda.
1 - Organização    

2 - Planejamento

3 - Controle            

4 - Liderança        

 ( ) Estabelece padrões, monitora e avalia o desempenho como um todo no final do processo.

( ) Influencia a motivação dos colaboradores a alcançarem os resultados organizacionais desejados.

( ) Indica tarefas, agrupa em departamentos e aloca recursos para os departamentos.

 ( ) Define os objetivos para o desempenho futuro da organização e decide sobre as tarefas e a


utilização de recursos para atingi-los.

Marque a sequência correta:

a) 2, 1, 3, 4
b) 3, 4, 1, 2
c) 1, 3, 4, 2
d) 2, 3, 1, 4

Você também pode gostar