Você está na página 1de 6

Norma Código

Especificação Sucinta de Caixa Modelo F6 VR01.01-00.199


Processo Edição Folha
Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede 2ª 1 DE 6
Elétrica
Atividade Data
Planeja o Desenvolvimento da Rede 08/07/2009

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES
Edição Data Alterações em relação à edição anterior

1ª 07/08/2007 Edição Inicial.

2ª 08/07/2009 Revisão geral do modelo.

GRUPOS DE ACESSO
Nome dos grupos

Diretor-Presidente, Superintendentes, Gerentes, Gestores, Funcionários e Prestadores de Serviços.

NORMATIVOS ASSOCIADOS
Nome dos normativos

SM01.00-00.002 Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Uso Coletivo.

VR01.01-00.026 Condições Técnicas Gerais.


Norma
Especificação Sucinta de Caixa Modelo F6

ÍNDICE

Página

1. OBJETIVO .....................................................................................................................................................3
2. RESPONSABILIDADES ................................................................................................................................3
3. DEFINIÇÕES..................................................................................................................................................3
4. CRITÉRIOS ....................................................................................................................................................3
5. REFERÊNCIAS ..............................................................................................................................................4
6. APROVAÇÃO ................................................................................................................................................4
ANEXO I. CAIXA MODELO F6 ....................................................................................................................... 5

VR01.01-00.199 2ª Edição 08/07/2009 2 de 6


Norma
Especificação Sucinta de Caixa Modelo F6

1.OBJETIVO

Estabelecer a especificação sucinta de caixa modelo F6.

2.RESPONSABILIDADES

Compete aos órgãos responsáveis pelo patrimônio, suprimento, planejamento, engenharia, projeto,
construção, ligação, serviços comerciais, manutenção, telecomunicação, automação e operação, cumprir e
fazer cumprir este instrumento normativo.

3.DEFINIÇÕES

Os termos utilizados estão definidos nas NBR citadas nesta especificação.

4.CRITÉRIOS

4.1MATERIAIS
a) Chapas externas – Chapa ABNT-1006 Nº 18, galvanizada eletroliticamente;
b) Chapas internas – Chapa ABNT-1006 Nº 20, galvanizada eletroliticamente;
c) Visor do módulo individual de medição – material polimérico transparente polido com grau de
transparência de 75% na faixa do comprimento da onda da luz visível, medido em amostra com 3,2 mm de
espessura resistentes aos raios UV e com espessura mínima de 2 mm.

4.2ACABAMENTO
As chapas de aço utilizadas devem ser livres de defeitos internos e externos, apresentando superfícies
lisas, sem mossas, rachaduras e outras imperfeições, as bordas devem ser boleadas e sem quinas. A caixa
depois de montada deve receber uma pintura eletrostática em epóxi na cor cinza claro notação munsell N
6.5. As camadas de tinta e galvanização da caixa devem ter espessura média de película seca de 120µm e
nenhum ponto abaixo de 80µm.

4.3IDENTIFICAÇÃO
Cada caixa deve ser adequadamente identificada de forma legível, visível e indelével e conter no mínimo as
informações abaixo:
a) Nome e marca comercial do fabricante;
b) Tipo ou modelo de referência da caixa;
c) Data de fabricação (mês/ano);
d) A expressão “Uso Exclusivo da CELPE” na tampa do compartimento do medidor.

4.4ENSAIO
Os ensaios são realizados conforme normas pertinentes.

4.5EMBALAGEM
Devem ser observadas as exigências básica relativas a embalagem, conforme disposto na Norma VR01.01-
00.026 – Condições Técnicas Gerais.

4.6APLICAÇÃO
Para medição de condomínio em edificações de múltiplas unidades consumidoras com potência inferior a
75kW, conforme disposto na Norma SM01.00-00.002 - Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de
Uso Coletivo.

4.7INFORMAÇÕES ADICIONAIS
A caixa deve ser fornecida com fecho triangular na porta, duas chaves para fecho triangular e dispositivo
com tubulete, de 11mm de diâmetro interno, para instalação de parafuso M6x1mm com rosca tipo 6G na
tampa do compartimento do medidor.

VR01.01-00.199 2ª Edição 08/07/2009 3 de 6


Norma
Especificação Sucinta de Caixa Modelo F6

A tampa do compartimento de medição deve ser dotada de borracha para vedação do visor de
policarbonato.

Todos os F6 devem vir com cópia do certificado de qualidade do visor de policarbonato.

5.REFERÊNCIAS

Os materiais devem atender às exigências da última revisão das normas da ABNT, resoluções dos órgãos
regulamentadores oficiais, relacionadas em sua especificação sucinta, em especial as listadas a seguir:

NBR 5426 – Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos;

NBR 7008 – Chapas e bobinas de aço revestidas com zinco ou com liga zinco-ferro pelo processo
contínuo de imersão a quente - Especificação;
NBR 11888 – Bobinas finas e chapas finas de aço-carbono e de aço baixa liga e alta resistência -
Requisitos gerais.

Na ausência de normas específicas da ABNT ou em casos de omissão das mesmas, devem ser observados
os requisitos das últimas edições das normas e recomendações das seguintes instituições:

ANSI – American National Standard Institute, inclusive o National electric Safety Code (NESC);
NEMA – National Electrical Manufacturers Association;
NEC – National Electrical Code;
IEEE – Institute of Electrical and Electronics Engineers;
IEC – International Electrotechnical Commission.

6.APROVAÇÃO

BRUNO DA SILVEIRA LOBO


Departamento de Planejamento de Investimentos – EPI

VR01.01-00.199 2ª Edição 08/07/2009 4 de 6


Norma
Especificação Sucinta de Caixa Modelo F6

ANEXO I. CAIXA MODELO F6

A B
610

26
20

20
20 300 20 250 20
45°

16
25

25
110

94
156
01
139

139
FECHO
01 02

324
TRIANGULAR

218
600

600

380
396

396
PORCA P/ INST. DO
PARAF. LOBULAR NOTA 02

250

226
DETALHE 01
70

90
110

60

40

20

20
60 226 24
20

A B 250 250 250

VISTA FRONTAL VISTA LATERAL CORTE "A-A" CORTE "B-B"

01
610
33

20 150 150 20 125 125 20


86,58 20

43

45°
150

Ø3
57
29
324

C C
340

340
230
600

88,5

20 10
15
10 55 45 45 45 10
5

01 23
57
201

45

02
220

DETALHE 01
6 20 10
32,5

5
20

5 10

VISTA FRONTAL
(SEM PORTAS) 140
10
70 70
610
10

170 159 30 106 145


70

70

125
250

02
01
NOTA 02
250

230

250

20 300 20 250 20
14
CORTE "C-C"

14
10
20
20

02
8 8

LINGHETA PARA
16

Ø2 SELAGEM NOTA:
1 - OS PARAFUSOS PARA FIXAÇÃO DAS CHAPAS DEVEM
20 SER SOLDADOS; CÓDIGO: 3400009
NOTA 1 2 - PRÉ-ESTAMPAS DE 1", 1.1/2" E 2".
20 COTAS EM MILÍMETROS

VERSÃO: 3 DATA: 07/07/2009


CAIXA MODELO F6
S/ESCALA DESENHO: 3400-C9
FOLHA: 01/02 APROVADO: EIEB MEDIÇÃO DE CONDOMÍNIO

VR01.01-00.199 2ª Edição 08/07/2009 5 de 6


Norma
Especificação Sucinta de Caixa Modelo F6

TUBULETE DE Ø 11

LINGHETA PARA

20
SELAGEM
05
CORTE "E-E"
04
NOTA 1

CHAPA DE
03 POLICARBONATO
04 D
226 44 49 55 55 49 44 20

30

38
52

52
NOTA 1

42
SOLDA

110
116

90

SOLDA

260
160
E E
90

110
104

05
33
556

556

556
52 192 52

271
246
284

258

06

Ø 11
12

Ø7
25

13
13

148 148

VISTA DE FRENTE 296


CORTE "D-D"
D
VISTA DE TRÁS
192
20
6

10 10 20
10 10
10

10

CHAPA DE
POLICARBONATO DE 06
2mm DE ESPESSURA 04
55
90

215

203
130
260

200

05
55

03
10
90

15
3
10

10

15
3

NOTAS:
1 - A TAMPA DA CAIXA DEVE SER DOTADA DE BORRACHA CÓDIGO: 3400009
PARA VEDAÇÃO DO VISOR DE POLICARBONATO. COTAS EM MILÍMETROS

VERSÃO: 3 DATA: 07/07/2009


CAIXA MODELO F6
S/ESCALA DESENHO: 3400-C9
FOLHA: 02/02 APROVADO: EIEB MEDIÇÃO DE CONDOMÍNIO

VR01.01-00.199 2ª Edição 08/07/2009 6 de 6

Você também pode gostar