Você está na página 1de 5

O QUE DEVE SABER SOBRE

ATIVIDADES DE AR LIVRE
2
O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE

O que são atividades de ar livre?

Consideram-se atividades de ar livre as que são praticadas para fruição e


descoberta da natureza.

Do parapente à caminhada, passando pela


espeleologia, escalada, passeios de BTT e
birdwatching, canoagem, mergulho, rafting,
bodyboard, surf, windsurf ou canyoning,
muitas são as atividades que atualmente
estão ao dispor do público em geral, seja no
ar, na terra ou na água.

Foto:Pedro Vilas-Boas

Tendo presente o risco inerente à prática de algumas destas atividades, é importante alertar os

N os últimos anos, tem-se verificado um aumento de praticantes de atividades de ar livre em Portugal.


Entre as várias razões que explicam este crescimento, destacam-se a procura de atividades de
lazer ou férias ativas que envolvam novas experiências, o aumento da oferta de atividades inovadoras
consumidores, particularmente, os praticantes esporádicos e menos preparados para os cuidados a ter.

e de ocupação de tempos livres, a diversidade de recursos naturais do nosso país, o gosto pela
natureza associado a uma maior consciência ambiental e também um novo tipo de culto e proteção
da saúde.

5
O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE

A responsabilidade do consumidor Cuidados a ter em caso de prática autónoma de atividades de ar livre

S e deseja praticar atividades de ar livre, é possível fazê-lo de duas formas: autonomamente, isto
é, sem recurso a qualquer entidade ou empresa prestadora destas atividades ou adquirindo
um serviço a uma empresa especializada
A prática autónoma de atividades de ar livre em meio natural aberto é totalmente
desaconselhável a pessoas sem experiência nas atividades que pretendem
realizar ou que desconhecem o território onde planeiam praticá-las.

Assim, a primeira responsabilidade do Assim, se optar pela prática autónoma destas atividades deve:
consumidor reside nesta escolha inicial: • Ter consciência que o faz por sua conta e risco;
deve sempre avaliar se está preparado para praticar • Conhecer e cumprir na íntegra as regras da atividade;
atividades de ar livre em total autonomia ou se deve • Possuir conhecimentos e experiência sólidos na atividade em
recorrer a serviços técnicos especializados.
questão, bem como em meteorologia, cartografia, orientação
No primeiro caso, é importante relembrar alguns e socorrismo.
cuidados a ter, com o objetivo de minorar os
Mesmo preenchendo todas estas condições deve,
riscos.
ainda, ter atenção ao seguinte:
No segundo, impõe-se uma clarificação sobre quais • Muitas zonas do nosso país não estão ainda preparadas,
os operadores económicos autorizados à de forma fiável, para a prática de atividades de ar livre em
organização e venda de atividades de ar meio natural aberto. Uma atividade, aparentemente tão
Foto: Pedro Pacheco livre. simples como uma caminhada num percurso sinalizado, pode
transformar-se numa atividade de risco se o caminhante
Em ambos os casos, é responsabilidade inalienável de todos os praticantes de estiver a contar, apenas, com a sinalização e esta tiver sido
atividades de ar livre o respeito pela natureza, biodiversidade, património cultural vandalizada. Situações semelhantes devem ser ponderadas em
e populações locais. outras atividades, nomeadamente, ao nível de equipamentos
colocados no terreno, que poderão não ser regularmente
vistoriados;
4
6 O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE

• É sempre uma boa decisão optar Quem pode organizar atividades de ar livre?
por praticar atividades de ar livre

E
em locais frequentados por outros m Portugal, a organização e comercialização de atividades de ar livre é objeto de enquadramento
praticantes; jurídico no setor turístico, que define as entidades habilitadas para o efeito e que regras devem
• A prática de atividades de ar livre cumprir.
está sujeita a imprevistos de diversa
ordem como a alteração inesperada
das condições meteorológicas
ou, em determinados locais, De acordo com a legislação em vigor
a dificuldade de contato com - Decreto-Lei n.º 108/2009, de 15 de
meios de emergência, em caso de maio - estas entidades denominam-se
doença ou acidente. Para que uma Foto:Teresa Vilas-Boas “Empresas de Animação Turística” e
atividade seja praticada com total segurança não basta, pois, ouvir o boletim meteorológico da têm como objeto a organização e a venda
véspera e levar um telemóvel; de atividades recreativas, desportivas
ou culturais, em meio natural ou em
• Quem se desloca sozinho deve deixar informações precisas sobre o seu destino a alguém da sua instalações fixas destinadas ao efeito, de
confiança. Este procedimento é indispensável para que seja rapidamente localizado; caráter lúdico e com interesse turístico
• A escolha das atividades a praticar deve ser feita em função da condição física e da saúde de para a região em que se desenvolvem.
cada um. Em caso de dúvida, é fundamental procurar aconselhamento junto do médico de família
ou médico assistente;
• Desafiar a família ou os amigos para programas de atividades de ar livre é uma responsabilidade
que exige saber e ponderação: quem não estiver técnica e humanamente preparado, não a deve
assumir.
Foto: Pedro Pacheco

8
O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE

Quando apenas organizam e comercializam atividades em meio aquático, mediante utilização de em- Como podem os consumidores saber quais são as empresas que podem
barcações com fins lucrativos, estas empresas denominam-se “Operadores Marítimo-Turísticos”. operar no mercado?
Nas situações em que estas atividades se desenvolvem em áreas classificadas ou outras com valores
naturais designam-se por “atividades de turismo de natureza”. Este tipo de atividades têm de
ser reconhecidas como tal pelo Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, nos termos
do citado diploma, e as empresas que as organizam estão obrigadas a cumprir vários requisitos, entre
os quais se destaca a assinatura de um Código de Boas Práticas de cumprimento obrigatório.
O Registo Nacional dos Agentes
de Animação Turística (RNAAT)
- Empresas de Animação Turística
e Operadores Marítimo-Turísticos -
organizado pelo Turismo de Portugal,
Foto: Humberto Almendra
I. P. contém uma relação atualizada
dos agentes a operar no mercado.
As empresas são obrigadas a exibir
o seu número de registo em todos os
suportes de comunicação comercial.

Foto: Teresa Vilas-Boas

https://rnt.turismodeportugal.pt/ConsultaRegisto.aspx

9
10
O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE

Apenas as Empresas de Animação Turística podem organizar e Quais os deveres dos prestadores de serviços de atividades de ar
comercializar atividades de ar livre? livre?

D e acordo com o referido Decreto-Lei n.º 108/2009, de 15 de maio, as empresas proprietárias


ou exploradoras de empreendimentos turísticos e as agências de viagens e turismo
também podem organizar e comercializar atividades de ar livre, desde que cumpram os requisitos
Deveres de informação

Previamente à contratualização da prestação dos seus serviços, os profissionais estão legalmente


definidos na legislação. obrigados a providenciar ao consumidor as seguintes informações:

As entidades sem fins lucrativos como associações, fundações, misericórdias, mutualidades, • caraterísticas específicas das atividades que desenvolvem;
instituições privadas de solidariedade social, institutos públicos, clubes e associações desportivas,
• dificuldades e eventuais riscos inerentes;
associações ambientalistas, associações
• material necessário, quando este não seja disponibilizado pela empresa;
juvenis e entidades análogas podem
exercer atividades de animação turística, • idade mínima e máxima admitida;
desde que cumpram os requisitos expressos • serviços disponibilizados;
naquele diploma, entre os quais figura • preço dos serviços;
a obrigação de limitarem a organização
• regras de utilização de equipamentos;
e comercialização destas atividades
exclusivamente aos seus associados.
• comportamentos a adotar em situação de perigo ou emergência;
• formação e experiência profissional dos seus colaboradores;
• legislação ambiental relevante.

Foto: Teresa Vilas-Boas

11

12
O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE

Seguros obrigatórios Quem são as entidades a quem reclamar?

A legislação obriga todas as empresas que promovem estas atividades a terem um seguro de Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE)
responsabilidade civil que cubra os riscos decorrentes da sua atividade e um seguro de acidentes Turismo de Portugal, I.P. (ITP, IP)
pessoais que proteja os seus praticantes. Direção-Geral do Consumidor (DGC)

Nenhuma Empresa de Animação Turística ou Operador Marítimo-Turístico pode iniciar ou exercer a


sua atividade sem fazer prova junto do Turismo de Portugal, I. P., de ter celebrado os contratos de Principal legislação aplicável
seguro acima previstos, devendo comprovar, anualmente, que estes se encontram em vigor.
• Decreto-Lei n.º 108/2009, de 15 de maio - Estabelece as condições de acesso e de exercício da
atividade das empresas de animação turística e dos operadores marítimo-turísticos.
Livro de reclamações
• Portaria n.º 651/2009, de 12 de junho - Regulamenta o Código de Conduta a adotar pelas
Os prestadores de serviços de atividades de ar livre devem possuir em todos os seus estabelecimentos empresas de animação turística e operadores marítimo-turísticos que exerçam atividades
um livro destinado aos consumidores para que estes possam formular observações e reclamações reconhecidas como turismo de natureza.
sobre o estado e a apresentação das instalações e do equipamento, bem como sobre a qualidade dos
• Decreto-Lei n.º 21/2002, de 31 de janeiro, alterado pelos Decretos-Lei n.º 269/2003, de 28 de
serviços e modo como tais serviços foram prestados.
outubro e n.º 108/2009, de 15 de maio - Regulamenta a Atividade Marítimo-Turística.
O livro de reclamações deve ser obrigatoriamente facultado ao consumidor, no momento em que este
o solicite.

O original da folha de reclamação será enviado, pelo prestador de serviços, à Autoridade de Segurança
Alimentar e Económica (ASAE) e um duplicado é entregue ao consumidor.

13
O QUE DEVE SABER SOBRE AS ATIVIDADES DE AR LIVRE

Você também pode gostar