ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL - TCU

DIREITO ADMINISTRATIVO (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2004) Considerando as fontes e os princípios constitucionais do direito administrativo e a organização administrativa da União, julgue os seguintes itens. 1. A jurisprudência e os costumes são fontes do direito administrativo, sendo que a primeira ressente-se da falta de caráter vinculante, e a segunda tem sua influência relacionada com a deficiência da legislação. GABARITO: C 2. O princípio da eficiência relaciona-se com o modo de atuação do agente e com o modo de organização e estruturação da administração pública, aspectos cujo conteúdo identifica-se com a obtenção de melhores resultados na relação custo versus benefícios e com o satisfatório atendimento das necessidades do administrado. GABARITO: C 3. A expressão regime jurídico-administrativo, em seu sentido amplo, refere- s e tanto aos regimes de direito público e de direito privado a que se submete a administração pública quanto ao regime especial que assegura à administração pública prerrogativas na relação com o administrado. GABARITO: E 4. Nas sociedades de economia mista interventoras no domínio econômico, uma compra relacionada com sua atividade-fim exige licitação, ao passo que a relacionada com sua atividade meio dispensa o procedimento licitatório. GABARITO: E 5. O controle das empresas estatais cabe ao ministério a que estiverem vinculadas e se materializa sob a forma de supervisão, estando previstos, ainda, na Constituição Federal de 1988, outros instrumentos de controle que são aplicados de acordo com as condições nela estabelecidas. GABARITO: C (CESPE_TCU_ACE I_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2005) Acerca dos princípios constitucionais relativos ao direito administrativo, julgue os itens que se seguem. 6. A existência de atos administrativos discricionários constitui uma exceção ao princípio da legalidade, previsto expressamente na Constituição da República. GABARITO: E 7. Um professor de direito afirmou a seus alunos que, em virtude do princípio constitucional da irretroatividade, a invalidação de um ato administrativo não atinge efeitos do ato ocorridos anteriormente à data da invalidação. Nessa situação, a afirmação do professor é equivocada. GABARITO: C 8. Um jornal noticiou que, de acordo com o princípio constitucional da publicidade, a publicação na imprensa oficial é requisito essencial de validade dos atos administrativos praticados pela administração federal direta. Nessa situação, a afirmação veiculada pelo jornal é correta. GABARITO: E (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2007) Acerca dos princípios constitucionais que informam o direito administrativo, julgue os próximos itens. 9. A probidade administrativa é um aspecto da moralidade administrativa que recebeu da Constituição Federal brasileira um tratamento próprio. GABARITO: C 10. A declaração de sigilo dos atos administrativos, sob a invocação do argumento da segurança nacional, é privilégio indevido para a prática de um ato administrativo, pois o princípio da publicidade administrativa exige a transparência absoluta dos atos, para possibilitar o seu controle de legalidade. GABARITO: E 11. A administração pública responde civilmente pela inércia em atender uma situação que exige a sua presença para evitar uma ocorrência danosa. Exemplo disso é a situação em que há
GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www.fortium.com.br

Tal previsão extrapolou o âmbito constitucional. 22. mesmo que se relacione com sua pessoa. GABARITO: C 21. o princípio da eficiência.com. julgue os itens seguintes. julgue os seguintes itens.br . impessoalidade. O princípio da presunção de legitimidade dos atos administrativos abrange apenas os aspectos jurídicos desses atos. O atendimento do administrado em consideração ao seu prestígio social angariado junto à comunidade em que vive não ofende o princípio da impessoalidade da administração pública. fundada em ideais liberais. Os princípios que regem a atividade da administração pública e que estão expressamente previstos na CF são os princípios da legalidade. GABARITO: E (CESPE_MPE_TO_PROMOTOR DE JUSTIÇA _2006) Acerca dos princípios do direito administrativo. GABARITO: E 15. Nesse caso. que exige da administração rapidez. Assim. Explícita ou implicitamente.fortium. GABARITO: E (CESPE_ ANALISTA JUDICIÁRIO TRT 9ª REGIÃO_2007) Com relação aos princípios básicos da administração pública e dos poderes administrativos. GABARITO: E 17. Apesar do princípio da publicidade e do direito de acesso do cidadão a dados a seu respeito. perfeição e rendimento. julgue os itens. nem sempre o interesse público secundário deverá prevalecer sobre o direito de um cidadão individualmente considerado. GABARITO: E 16. 13. carecem de densidade normativa. mas não diz respeito aos fatos nos quais eles supostamente se basearam. por serem dotados de alta carga de abstração. tais princípios devem ser aplicados na estrita identificação com o princípio da legalidade. uma nova interpretação dada pela administração acerca de determinado tema não pode ter eficácia retroativa. A despeito do princípio da supremacia do interesse público. o que gerou a inconstitucionalidade da referida norma. GABARITO: C GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www.TCU demora do Estado em colocar um pára-raios em uma escola localizada em área com grande incidência de raios. Os princípios do direito administrativo são monovalentes. ao serem as crianças atingidas por um relâmpago em dia chuvoso. GABARITO: C 12. 18. Com base no princípio da segurança jurídica.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . A lei que trata dos processos administrativos no âmbito federal previu outros princípios norteadores da administração pública. isto é. O princípio da legalidade no âmbito da administração pública identifica-se com a formulação genérica. Os princípios da moralidade e da eficiência da administração pública. GABARITO: E (CESPE_PROMOTOR DE JUSTIÇA AM_2007) Acerca da principiologia do direito administrativo. GABARITO: C 19. moralidade e publicidade. GABARITO: C 14. aplicam-se exclusivamente a esse ramo do direito. nem toda informação pode ser transmitida ao interessado. deve incidir no processo de responsabilização do gestor público. os princípios do direito administrativo que informam a atividade da administração pública devem ser extraídos da CF. o que leva a uma catástrofe. segundo a qual ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei. GABARITO: E 20.

com. centralizada e descentralizada. a Controladoria-Geral da União. GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. públicas ou privadas. a natureza da administração pública é a de um múnus público para quem a exerce. GABARITO: E 25. quando se estende a descentralização da União aos estados-membros e destes aos municípios. 2004. A Quando o poder público presta um serviço por seus próprios órgãos em seu nome e sob a sua exclusiva responsabilidade. GABARITO: E (CESPE_ANALISTA_TRE/MA_2005) De acordo com Hely Lopes Meirelles (Direito administrativo brasileiro. GABARITO: C 32. A autarquia é uma forma de descentralização administrativa para a qual foram outorgados serviços públicos típicos ou as atividades industriais ou econômicas que sejam exclusivamente de interesse coletivo. A administração indireta existe não somente no Poder Executivo como também nos Poderes Judiciário e Legislativo. a de um encargo de defesa. As pessoas jurídicas integrantes da administração indireta — autarquias. isto é. GABARITO: E 26. empresas públicas e sociedades de economia mista — apresentam pontos em comum: são criadas por lei específica. possuem personalidade jurídica e patrimônio próprios. julgue os itens que se seguem. julgue os itens que se seguem. fundações públicas. vinculadas a um ministério. 24. 85). Os ministérios são órgãos autônomos que compõem a estrutura direta da administração pública federal. GABARITO: C 31. sem dependência de ordem judicial. por lei. Há delegação quando o Estado transfere.br . p. GABARITO: E (CESPE_ TÉCNICO JURÍDICO MINISTÉRIO PÚBLICO DO AM_2007) A respeito da administração pública indireta. GABARITO: E 27. GABARITO: C 28. por contrato de concessão ou ato unilateral via permissão ou autorização. Administração direta é o conjunto de órgãos integrados na estrutura administrativa da União. mas administrativa e financeiramente autônomas. A administração indireta é constituída de serviços atribuídos a pessoas jurídicas diversas da União. São Paulo: Malheiros. 29. julgue os itens a seguir. Pelo atributo da coercibilidade. então o Estado está descentralizando seu poder via outorga. tal serviço é caracterizado como centralizado.TCU 23. o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. GABARITO: C 30. nas condições regulamentares e sob controle estatal.fortium. tem-se o Ministério da Ciência e Tecnologia. ou institucional. A exemplo. conservação e aprimoramento dos bens. entre outros.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . Nesse sentido. o poder de polícia tem execução imediata. unicamente a execução do serviço para que um delegado o preste ao público em seu nome e por sua conta e risco. A descentralização pode ser territorial ou geográfica. GABARITO: E (CESPE_ANALISTA_TRE-MT_2005) Com relação à administração direta e indireta. quando há transferência do serviço ou da sua execução da entidade estatal para suas autarquias e fundações. serviços e interesses da coletividade. acerca do tema administração direta e indireta. GABARITO: C 33. Se o Estado cria uma entidade e a ela transfere. determinado serviço público ou de utilidade pública.

Acerca do tema organização administrativa e seus princípios. 41 Considere que a ANATEL pretenda selecionar pessoas para ocuparem cargos de provimento efetivo lotados na autarquia. já que as sociedades de economia mista federais foram contempladas com o foro processual da justiça federal.º 1. GABARITO: E 43 Um edital de licitação emanado da ANATEL constitui ato administrativo normativo. portanto. julgue os itens a seguir. deve ser proposta na justiça federal.br . despachos intermediários e finais.º 5. do direito. foi enquadrado como empresa pública federal pela Lei n. O BNDES é um órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento.fortium. Direito administrativo brasileiro. tais como pareceres. não é sujeito a revogação. GABARITO: E 38 A eficácia de toda atividade administrativa pública está condicionada ao atendimento da lei. ex-autarquia federal criada pela Lei n.TCU 34 As empresas públicas e as sociedades de economia mista exploradoras de atividade econômica estão sujeitas à responsabilidade civil objetiva. constituem pressupostos de validade sem os quais toda atividade pública será ilegítima.662/1971. Indústria e Comércio Exterior e tem como objetivo apoiar empreendimentos que contribuam para o GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. na qual se discuta um contrato de cheque especial firmado entre o banco e o cliente. portanto. abrange toda atuação estatal e nãoestatal. uma atividade política e discricionária. Nessa situação. GABARITO: E 42 Ato administrativo que nomeie um cidadão brasileiro para cargo comissionado lotado na ANATEL tem como requisito essencial de validade a sua aprovação pelo TCU. GABARITO: E 39 A moralidade do ato administrativo juntamente com sua legalidade e finalidade. GABARITO: E 37 Os órgãos públicos integram a estrutura do Estado e das demais pessoas jurídicas como partes desses corpos vivos. São Paulo: Malheiros. como princípio de administração pública.628/1952. p.com. Hely Lopes Meirelles. 2000. mas sem responsabilidade profissional pela execução. GABARITO: E 35 Uma demanda contra o Banco do Brasil. GABARITO: C 40 A publicidade. Os órgãos públicos possuem personalidade jurídica própria e mantêm relações funcionais entre si com terceiros. julgue os itens. na forma legal ou regulamentar. da moral e dos bons costumes de uma sociedade. processos em andamento. a ANATEL deve selecionar tais pessoas mediante procedimento licitatório realizado na modalidade concurso. não só sob o aspecto de divulgação oficial de seus atos como também de propiciação de conhecimento da conduta interna de seus agentes. Isto não quer dizer que a administração não tenha poder de decisão. mas tem somente na área de suas atribuições e nos limites legais de sua competência executiva.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . 36 A administração é o instrumental de que dispõe o Estado para pôr em prática as opções políticas do governo. GABARITO: E (CESPE_TCU_ACE I_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2005) Considerando que a Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) é uma autarquia federal. 65 (com adaptações). das quais resultam efeitos jurídicos internos e externos. sendo. GABARITO: E (CESPE_TRE/MA_ANALISTA JUDICIÁRIO_2005) Comparativamente. GABARITO: E (CESPE_TCU_ACE I_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2005) O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). podemos dizer que o governo comanda com responsabilidade constitucional e política. além da sua adequação aos demais princípios.

Considerando o texto acima e as informações nele contidas. GABARITO: E 46 Os empregados do BNDES são servidores públicos federais e. GABARITO: E (CESPE_AGU_ADVOGADO DA UNIÃO_2006) A teoria geral do direito estuda a norma jurídica sob uma perspectiva tridimensional. como a nomeação de pessoa morta. É de pouco interesse prático a distinção entre nulidade e inexistência dentro do direito administrativo. acerca do ato administrativo inexistente. O referido ato de exoneração é nulo. a eles se aplica o regime jurídico estabelecido na Lei n.TCU desenvolvimento do país. 52. porque.com. Esses três planos são a base para a construção da teoria das nulidades do ato administrativo. julgue os itens seguintes. o BNDES deixou de integrar a administração direta e passou a fazer parte da administração federal indireta. GABARITO: E (CESPE_AGU_ADVOGADO DA UNIÃO_2004) Com relação aos atos administrativos. mas admite-se também o uso da expressão ato inexistente para designar atos cujo objeto seja materialmente impossível. mas pode ser convalidado. Com referência a esse assunto. ele pode ser extinto mediante decreto do presidente da República. julgue os itens seguintes. que distingue três planos principais: o da existência. julgue os itens subseqüentes. na medida em que o seu vício é sanável mediante a indicação. não poderão ser objeto de concessão de liminar em medida cautelar inominada proposta perante juiz de primeiro grau federal. Os atos administrativos da administração pública federal dotados de auto-executoriedade e praticados por ministro de Estado. 44 Embora o BNDES tenha sido instituído mediante lei federal. pois os atos inexistentes conduzem ao mesmo resultado dos atos nulos: a invalidação. por ausência de motivação. sejam eles comissionados ou de provimento efetivo. GABARITO: C (CESPE_PROCURADOR DO ESTADO DO AMAPÁ_2006) Uma autoridade administrativa do estado do Amapá exonerou Rodrigo do cargo comissionado que ele ocupava.º 8. mediante ato que não indicava os motivos da exoneração. GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. caracteriza uma rescisão unilateral do contrato administrativo celebrado mediante a assinatura do termo de posse. Nos atos discricionários. conveniência.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . o da validade e o da eficácia. GABARITO: C 50. independentemente da edição de lei autorizativa. A exoneração de servidores ocupantes de cargos públicos. GABARITO: C 54. eficiência e justiça. GABARITO: E 45 Ao ser transformado em empresa pública. de motivação expressa para o ato.fortium. para a sua formação. GABARITO: C 48. GABARITO: C 53. Os atos emanados de órgãos colegiados são atos complexos. cabe à administração pública a valoração dos motivos e do objeto quanto à sua oportunidade.br . Considerando essa situação hipotética e o direito administrativo. após o devido processo administrativo em que tenham sido assegurados ao administrado o contraditório e a ampla defesa. Texto adaptado do sítio do BNDES. 47 O clássico exemplo de ato inexistente é o ato praticado pelo usurpador de função pública. Atos que determinam exoneração de servidores ocupantes de cargos públicos em comissão são atos discricionários e irrevogáveis.112/1990. julgue os itens seguintes. ainda que possam causar sérios gravames aos indivíduos. concorrem vontades autônomas dos membros do colegiado. GABARITO: E 51. 48. pela referida autoridade. portanto.

GABARITO: C 56. o agente público competente. GABARITO: E 59.TCU GABARITO: E 55. no caso de sua não-anulação. desde que se evidencie que não acarretam lesão a interesse público nem prejuízo a terceiros. GABARITO: C (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2007) Julgue os itens subseqüentes. a administração pode anular o ato de readmissão com base no seu poder de autotutela. atos de anistia e readmissão no serviço público. 60 O indeferimento do pedido de Reinaldo foi um ato administrativo vinculado. desde que avaliados os aspectos de conveniência e oportunidade.br . no âmbito do direito administrativo. Segundo os defensores da teoria monista das nulidades dos atos administrativos. Nessa situação. GABARITO: E 57. julgue os itens que se seguem. que edita o ato principal. 63 Os atos praticados pelo Poder Legislativo e pelo Poder Judiciário devem sempre ser atribuídos à sua função típica. a lei admite a convalidação de atos inexistentes. GABARITO: C (CESPE_TCU_ACE I_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2005) Reinaldo. No plano federal.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . todo ato administrativo ilegal é nulo. a manutenção da validade de atos ilegais. relativos aos atos administrativos. por meio de processo administrativo instaurado por comissão constituída para essa finalidade. razão pela qual tais poderes não praticam atos administrativos.fortium. Considerando a situação hipotética descrita acima.com. a administração constatou a readmissão irregular de um servidor que não fazia jus ao benefício. praticados em dezembro de 1998. revisando. relativos aos atos administrativos. Ato complexo é o ato que se aperfeiçoa pela manifestação da vontade de dois órgãos. A discricionariedade do ato administrativo decorre da possibilidade legal de a administração pública poder escolher entre mais de um comportamento. de o ato administrativo ser anulável. Seu pedido foi recusado sob o argumento de que essa licença somente pode ser concedida a servidores ocupantes de cargo efetivo. GABARITO: C 61 O argumento utilizado para indeferir o pedido de Reinaldo é juridicamente correto. que recebe da lei o devido dever-poder para o desempenho de suas funções. Ele precisa de um executor. sendo a vontade de um instrumental em relação à vontade do outro. Em 2004. não existindo a hipótese. GABARITO: C 62 Do fato de Reinaldo ocupar o mesmo cargo há seis anos não se pode inferir que ele tenha sido aprovado em estágio probatório. servidor público ocupante de cargo comissionado no TCU há exatos seis anos. solicitou que lhe fosse concedida licença para tratar de interesses particulares. uma vez que isso implicaria. Considere a seguinte situação hipotética. 58. GABARITO: E 65 O ato administrativo não surge espontaneamente e por conta própria. GABARITO: C GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. ainda que comprovada a boa-fé do servidor e desde que assegurados os direitos ao contraditório e à ampla defesa. GABARITO: E (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2004) Julgue os itens subseqüentes. Já os atos praticados pelos concessionários e permissionários do serviço público não podem ser alçados à categoria de atos administrativos. GABARITO: E 64 São exemplos de atos administrativos relacionados com a vida funcional de servidores públicos a nomeação e a exoneração.

TCU (CESPE_TJDFT_ANALISTA JUDICIÁRIO_2008) Acerca da discricionariedade e do controle judicial dos atos da administração pública. 72. competindo ao Poder Judiciário o controle cabível. desviar-se da finalidade de persecução do interesse público. Rodrigo. não há margem para que o administrador atue com excessos ou desvio de poder. GABARITO: C 73. jamais pelo Poder Judiciário. ainda que tenha por base os princípios constitucionais da administração pública. servidor do TST. pois foi indeferido sob o argumento de que não cabe pedido de reconsideração de ato administrativo vinculado. ofende o princípio da separação dos poderes e o estado democrático de direito. O mérito desse pedido. GABARITO: C (CESPE_AVOGADO GERAL DA UNIÃO_2007) Julgue os itens que se seguem. A reserva do possível pode ser sempre invocada pelo Estado com a finalidade de exonerar-se do cumprimento de suas obrigações constitucionais que impliquem custo financeiro. em virtude de Rodrigo somente completar um ano de efetivo exercício no cargo em abril de 2008. julgue os itens: GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. deixando a lei pequenas margens de discricionariedade à administração. e não diretamente a esta última.com. ao utilizar-se indevidamente dos critérios de conveniência e oportunidade. GABARITO: E 75. argumentando que seria lícita a marcação de metade de suas férias para o mês de janeiro. o que permite ao tribunal exercer controle judicial em tema de implementação de políticas públicas quando configurada hipótese de abusividade governamental. GABARITO: C (CESPE_TST_ANALISTA JUDICIÁRIO_2008) Considere que Rodrigo. julgue os itens subseqüentes. Acerca dessa situação hipotética. porém. dirigiu à autoridade que indeferiu sua solicitação um pedido de reconsideração. GABARITO: E 68 O Poder Judiciário poderá exercer amplo controle sobre os atos administrativos discricionários quando o administrador. As dúvidas sobre a margem de discricionariedade administrativa devem ser dirimidas pela própria administração. GABARITO: C 70 Rodrigo deveria ter encaminhado o seu pedido de reconsideração à autoridade imediatamente superior à que negou a solicitação inicial por ele encaminhada. relativos à discricionariedade dos atos da administração. A jusridição constitucional atribuída ao STF tem também uma dimensão política. GABARITO: E 71 É juridicamente incorreto o argumento utilizado pela autoridade para indeferir o pedido de reconsideração. GABARITO: E 74.br .fortium. que não pode demitir ou aplicar quaisquer penalidades contrárias à lei. ocupante de cargo efetivo.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . O ato disciplinar é vinculado. ou em desconformidade com suas disposições. com a marcação da primeira etapa para fevereiro de 2008. porém. GABARITO: C (CESPE_DEFENSOR PÚBLICO_AC_2006) Acerca dos atos administrativos e de sua abordagem pela doutrina. pois nesta data ele já teria cumprido mais da metade do período aquisitivo. foi indeferida. tenha solicitado o parcelamento de suas férias em duas etapas iguais. porém. GABARITO: C 67 A possibilidade da análise de mérito dos atos administrativos. 66 Mesmo nos atos discricionários. Essa solicitação. 69 O pedido de reconsideração formulado por Rodrigo é embasado em argumento juridicamente incorreto. não foi apreciado. julgue os seguintes itens.

dos estados. julgue os itens seguintes. além dos órgãos da administração direta. GABARITO: E 79 A licença é um ato administrativo unilateral mas não vinculado. administrativo e convênio administrativo. GABARITO: E 77 São atributos dos atos administrativos: a imperatividade. as empresas públicas. 83. no âmbito federal. A respeito das disposições contidas na referida lei. como matéria de defesa. a responsabilidade objetiva será afastada se o Estado comprovar. GABARITO: C 85. que entendeu que ela seria responsável por ato ilícito cometido no desempenho desse cargo. ordinariamente. necessariamente. A declaração de nulidade do contrato administrativo opera retroativamente. a culpa exclusiva da vítima ou de terceiro ou. GABARITO: C 82. compras. O poder que tem a administração de anular qualquer ato administrativo ilegal está subordinado. No âmbito da responsabilidade civil do Estado. dos atos administrativos. a ausência do nexo causal entre o dano e a ação do Estado. pelo DF e pelos municípios. força maior ou caso fortuito. instituído pela referida lei. GABARITO: E (CESPE_AGU_ADVOGADO DA UNIÃO_2004) A respeito de licitação. Nessa situação. A doutrina pátria reconhece as cláusulas exorbitantes de um contrato administrativo como sendo as cláusulas que contêm privilégios da administração pública em relação ao particular. GABARITO: C (CESPE_TRT6ª_ANALISTA_2005) A Lei n. a auto-executoriedade e a presunção de legitimidade ou veracidade. Dessa forma. as sociedades de economia mista e demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União. do Distrito Federal (DF) e dos municípios. os fundos especiais. um motivo ou uma motivação. julgue os itens que se seguem. além de desconstituir os já produzidos. o referido ato seria nulo.br contrato .666/1993 — Lei de Licitações e Contratos Administrativos — estabelece normas gerais sobre licitações e contratos administrativos pertinentes a obras. GABARITO: C 78 Todo ato administrativo discricionário deve ter. ainda. para melhor adequação às finalidades de interesse público. O regime jurídico dos contratos administrativos. da Lei n. as fundações públicas. a Constituição Federal de 1988 adotou a teoria do risco administrativo. deveria produzir. unilateralmente. GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. respeitados os direitos do contratado e excetuadas as cláusulas econômico-financeiras e monetárias.º 8.º 9. serviços. alienações e locações no âmbito dos poderes da União. inclusive de publicidade. que não poderão ser alteradas pela administração pública sem prévia concordância do contratado. Considere que Maria tenha sido demitida do seu cargo em comissão por meio de decreto do prefeito. Subordinam-se ao regime dessa lei.com.TCU 76 Os pareceres jurídicos e os decretos regulamentares são atos administrativos. as autarquias. impedindo os efeitos jurídicos que ele. confere à administração a prerrogativa de modificá-los. a prazo decadencial de 5 anos. de acordo com o princípio dos motivos determinantes. pelos estados. MUNICIPAL PROCURADOR JURÍDICO_RIO BRANCO_2007) Acerca do princípio da autotutela. GABARITO: E (CESPE_PREF. não houve processo administrativo disciplinar. julgue os itens a seguir.784/1999 e da responsabilidade civil do Estado. No entanto. como. exonerando a administração do dever de indenizar o contratado pelo que este houver executado até a data em que a nulidade for declarada. GABARITO: E 81.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL .fortium. por exemplo. 80. GABARITO: E 84.

Em relação à situação hipotética apresentada.com. de forma fundamentada. julgue os itens a seguir.TCU 86. uma vez que o ilícito não gera direitos. em quaisquer processos. dispensada a publicação apenas dos instrumentos dos contratos sem ônus para a administração. não pode ser resultado da falta de planejamento ou desídia administrativa em dar cumprimento a ações que prevenissem a ocorrência do fato invocado como emergência.br . 93. GABARITO: C (CESPE_AGU_PROCURADOR FEDERAL_2004) Uma autarquia federal contratou sem licitação. a iminência e gravidade do risco e a suficiência do objeto da contratação para afastar os riscos no prazo de até um ano a contar da ocorrência da emergência. para caracterizar devidamente a hipótese de dispensa de licitação. A publicação resumida do instrumento do contrato ou de seus aditamentos é condição indispensável para sua eficácia. a inadiabilidade da operação a ser contratada. como condições específicas para a sua regularidade. A licitação para a contratação de construção. pela administração pública. porque assim lhe pareceu conveniente. desde que autorizado. 91. recuperação ou ampliação de determinado bem público exige. É dispensável a licitação sempre que a União tiver de intervir no domínio econômico. GABARITO: E 90. entendendo ilegal a contratação. sustou. Declarada nula a contratação. os honorários recebidos. O Tribunal de Contas da União (TCU). com exclusividade. O TCU poderia sustar a execução do contrato. nos termos da Lei n. cuja celebração deve ser precedida da aprovação de plano de trabalho proposto pela organização interessada em celebrar a avença. Decorridos três meses sem receber. julgue os itens a seguir. Para a caracterização da situação de emergência devem estar presentes simultaneamente a imprevisibilidade da situação. A autarquia. As normas da lei de licitações se aplicam. O valor dos serviços foi pactuado segundo o preço de mercado. podendo ser este desenvolvido concomitantemente com a execução da obra. o advogado deverá devolver. O fundamento da teoria da imprevisão é a álea econômica. GABARITO: E 92. A dispensa indevida de licitação constitui ato de improbidade administrativa. um advogado de notória especialização para representá-la judicialmente. em princípio. suspendeu o pagamento dos honorários que era feito mensalmente ao advogado pelos serviços por ele devidamente prestados. GABARITO: E 96. GABARITO: C 95.666/1993. no que couber. aos convênios. pelo prazo de cinco anos. tão logo dela teve conhecimento. entendendo-o ilegal. fabricação.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . a execução do contrato. GABARITO: E (CESPE_AGU_ADVOGADO DA UNIÃO_2006) Acerca da caracterização da hipótese de dispensa de licitação. GABARITO: C 88. A situação adversa tida como emergencial. GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www.fortium. GABARITO: E 97. A duração do contrato administrativo deveria ficar. intimada da decisão do TCU. decorrendo da aplicação dessa teoria um de dois efeitos: a rescisão contratual sem atribuição de culpa ou a revisão do preço para a restauração do equilíbrio do contrato administrativo.º 8. A dispensa de licitação de profissionais de notória especialização restringe-se a casos singulares. GABARITO: C 89. GABARITO: C 87. o advogado renunciou aos mandatos a ele conferidos. a definição prévia de um projeto básico e a existência de um projeto executivo. GABARITO: E 94. reforma. adstrita à vigência dos créditos orçamentários que lhe dão suporte.

107 É ilícita cláusula que determina que o projeto executivo seja desenvolvido concomitantemente à execução das obras. GABARITO: E (CESPE_TCU_ACE I_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2005) Julgue os itens a seguir.com. GABARITO: E 99. é vedado à União alterar unilateralmente cláusulas contratuais em contratos administrativos. 102. 98.666/1993. GABARITO: E 104. Em todos os contratos administrativo s relativos a obras. a administração pública deve demonstrar a ocorrência de uma das hipóteses legais que constituem motivo de rescisão de contrato e o vínculo entre a conduta e a lesão ao interesse público. porque a existência dele é requisito necessário para a validade do edital de licitação. A modalidade licitatória pregão é a forma de leilão aplicável à aquisição de bens que envolvam tecnologia sofisticada ou serviços técnicos especializados. GABARITO: C GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. GABARITO: C 100. que somente sejam admitidos documentos apresentados em original.TCU GABARITO: C (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2004) Com relação a licitações e a contratos administrativos. embora ela tenha mesmo objeto social. O princípio do julgamento objetivo relaciona-se com os dispositivos da Lei n. GABARITO: E (CESPE_TCU_ACE I_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2005) Supondo que a União publicou edital de concorrência pública para a construção de uma biblioteca em Brasília – DF. mesmos sócios e mesmo endereço de outra empresa punida com essa sanção. Na rescisão do contrato em razão de inadimplemento do particular. julgue os itens a seguir. materializa-se no edital da licitação. As sociedades de economia mista e as empresas públicas submetem-se às mesmas regras acerca de procedimento licitatório aplicáveis às autarquias e às fundações públicas. GABARITO: E 106 O convite é uma modalidade licitatória incompatível com a contratação de obras de engenharia.br . 105 É vedado realizar tomada de preço de tipo melhor técnica para a contratação de obra de engenharia. GABARITO: C 101. não é possível a aplicação da teoria da desconsideração da pessoa jurídica para que os efeitos da sanção administrativa de declaração de inidoneidade para contratar com a administração pública sejam estendidos a uma nova sociedade constituída.fortium. GABARITO: E 103. GABARITO: E (CESPE_TCU_ACE I_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2005) Acerca de licitação e contratos na administração pública federal.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . julgue os itens a seguir. na fase de habilitação. julgue os itens subseqüentes. devem estar estabelecidas obrigatoriamente duas etapas de recebimento do objeto: a do recebimento provisório e a do recebimento definitivo.º 8. GABARITO: E 108 É ilícita cláusula que determina. relativos a licitações e contratos da administração pública federal. Em razão do princípio da individualização da pena. no qual são definidos os critérios para a pontuação dos participantes do certame ou para a seleção da proposta mais vantajosa. Em virtude da proteção constitucional do ato jurídico perfeito em matéria administrativa. que estabelecem os critérios de julgamento das propostas com base no tipo de licitação.

GABARITO: E 114 A adjudicação compulsória ao vencedor da licitação corresponde à celebração do contrato.TCU 109 É ilícita cláusula que estabelece que podem concorrer na referida licitação somente empresas com sede e administração no Distrito Federal. por meio de uma parceria público-privada (PPP). 117 A Constituição Federal atribui competência à União para legislar sobre licitação e contratação em todas as modalidades. julgue os itens seguintes. mediante mandado de segurança. GABARITO: E (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2007) Julgue os itens que se seguem. dos estados. é obrigatória. enquanto não existia lei federal sobre as normas gerais. antes de esgotados os recursos administrativos cabíveis. GABARITO: E 118 Na hipótese em apreço. não pode conceder tratamento diferenciado às microempresas e empresas de pequeno porte. Determinada pessoa jurídica representou ao TCU. para as administrações públicas diretas. apontando irregularidades no referido edital e solicitando a adoção de medida cautelar para a suspensão da concorrência. os estados podiam exercer a competência legislativa plena para atender a suas peculiaridades. por se tratar de PPP na modalidade patrocinada. pois tal comportamento violaria o princípio da isonomia entre os licitantes. GABARITO: E (CESPE_TCU_AUDITOR_2007) Em 2006.br . exercido em auxílio ao Congresso Nacional.fortium. relativos a licitações públicas. técnica e preço e maior lance ou oferta. Considerando essa situação hipotética. melhor técnica. sendo que. efetuar a celebração de um contrato administrativo de concessão na modalidade patrocinada. GABARITO: C 111 Seria ilícito ato que anulasse o referido edital. GABARITO: C 110 É ilícita cláusula do edital dispondo que os licitantes abram mão do direito de impugnar a concorrência. 112 O critério de julgamento aplicável a uma licitação vincula-se ao tipo de licitação. enquanto a dispensa de licitação tem lugar em contexto de viabilidade jurídica de competição. GABARITO: E 113 A modalidade de licitação denominada pregão pode ser utilizada para a aquisição de bens e serviços de informática e automação. GABARITO: E 119 Todas as etapas do processo de licitação e contratação da PPP referida estão sujeitas ao controle do TCU. autárquicas e fundacionais da União. em suas contratações públicas. adicionalmente à tarifa cobrada dos usuários.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . Os tipos de licitação aplicáveis a todas as modalidades de licitação são os de menor preço.com. sob pena de nulidade. mediante pedágio. sem exclusão da competência suplementar dos estados. GABARITO: C 116 A União. antes da publicação na imprensa oficial. GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. GABARITO: E 115 A inexigibilidade de licitação ocorre sempre que houver impossibilidade jurídica de competição. uma autarquia federal publicou um edital de concorrência com objetivo de. para análise e aprovação. O contrato da PPP em questão deve envolver. Como se trata de legislação concorrente. do DF e dos municípios bem como para as empresas públicas e sociedades de economia mista. cujo objeto era a construção e posterior exploração. a submissão da minuta do edital e do contrato ao TCU. considerados como bens e serviços comuns. nos termos da lei federal que regula as PPPs na administração pública brasileira. que é o titular do controle externo. a competência da União limita-se a estabelecer normas gerais. pois editais de licitação regularmente publicados são irrevogáveis. de um trecho de rodovia federal.

por vontade do administrador por meio do instituto da delegação. conseqüências de ordens civil e administrativa. exigindo uma recomposição de preço e dilação do prazo para entrega da avença. que opera efeitos apenas em relação à esfera de governo que a impõe e que admite ser cancelada desde que afastada a diretoria ou a equipe técnica responsável pelas falhas contratuais e técnicas. aos contratos administrativos. para o contratado. do pagamento devido pela administração. 125 A proibição de importação de um determinado produto é exemplo de fato da administração. GABARITO: E 128 As chamadas cláusulas exorbitantes caracterizam os contratos administrativos.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . o contratado pode pleitear a rescisão do contrato por culpa do poder público. no momento da rescisão contratual. pois há.fortium. No entanto. julgue os itens a seguir. GABARITO: C (CESPE_SERVIÇOS NOTORIAIS-MT_2005) Acerca de atos e contratos administrativos. incidindo direta e especificamente sobre o contrato.TCU contraprestação pecuniária do parceiro público ao parceiro privado. sem motivo justificado. que se caracteriza por toda ação ou omissão do poder público que. GABARITO: C 127 A inexecução de um contrato administrativo propicia sua rescisão e pode acarretar. foram encontrados diversos dutos condutores de águas pluviais que não constavam no projeto de execução. para o inadimplente. todavia. em alguns casos. por prazo superior a 90 dias. uma impossibilidade intransponível de normal execução do contrato. a validade do ato administrativo. tem-se o exemplo de um caso fortuito. a conjugação de vontades de órgãos distintos para a formação do ato. já que não se pode confundir o contrato administrativo com o poder de polícia da administração. incluindo eventual prorrogação. GABARITO: E (CESPE_EXECUÇÃO DE MANDADO_TJDF_2003) Acerca de contratos administrativos e licitações. A principal é a possibilidade de alteração e rescisão unilateral do contrato administrativo que. Nesse caso. mediante procedimento interno em que se faculta a defesa ao infrator.com. GABARITO: C 123 Não se configura uma cláusula exorbitante do contrato administrativo a possibilidade de aplicação de sanção motivada pela inexecução total ou parcial do contrato. retarda ou impede sua execução. GABARITO: E 124 O Poder Judiciário pode apreciar. de ofício. incluem a declaração de inidoneidade. aplicáveis diretamente pela administração. aplica-se esta cláusula quando houver o atraso. Na construção da fundação de um viaduto. com objetivo de evitar a descontinuidade na execução dos GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. 120 O ato complexo se iguala. conforme entendimento da doutrina. Tal fato determinou o alagamento total do canteiro de obras e a inutilização de diversas máquinas. julgue os itens. distinguindo-os em relação aos contratos de direito privado. não podendo ter prazo de vigência inferior a 5 anos nem superior a 35 anos. GABARITO: E 129 A intervenção na execução do contrato é providência adotada pela administração. GABARITO: E 126 Considere a seguinte situação. ao contrato administrativo. não é absoluta. uma das causas justificadoras da inexecução do contrato. quando a falta é da própria administração. mesmo sem autorização legal. GABARITO: E 122 A cláusula contratual exceptio non adimpleti contractus não se aplica. pois não pode violar o direito do contratado de ver mantida a equação financeira originariamente estabelecida. As sanções administrativas. em regra. GABARITO: E 121 A competência é um dos requisitos do ato administrativo e pode ser alterada. Nessa situação.br . que cria.

determina sua invalidade. GABARITO: C (CESPE_AGU_PROCURADOR FEDERAL_2004) Concedido serviço público a uma empresa privada.TCU trabalhos. GABARITO: C 137 A retomada do serviço público por motivos de interesse público denomina-se encampação. Durante a vigência da concessão. dotados de personalidade jurídica própria. em razão de o contratado revelar-se incapaz de dar fiel cumprimento ao avençado Julgue os itens. pactuada sem prazo determinado. GABARITO: E 131 As autarquias e fundações públicas compõem a administração pública direta. GABARITO: E 135 É legal a previsão de remuneração do concessionário por fontes provenientes de receitas alternativas. a prestação do serviço deveria ser retomada. a administração pública entendeu que. julgue os itens subseqüentes. sem pagamento de indenização. por meio de outras fontes provenientes de receitas alternativas.fortium. julgue os itens a seguir. GABARITO: C (CESPE_CEAJUR/DF_2006) Acerca de concessões e autorizações de serviços públicos. por motivos de interesse público. GABARITO: C 138 Em face do princípio da continuidade do serviço público. imitiu-se na posse dos bens por meio dos quais o serviço era prestado. é ilegal. a imissão na posse dos bens por meio dos quais o serviço era prestado pela empresa. ante a indeterminação do prazo da concessão. razão pela qual. a empresa propôs demanda na qual alegou e provou a inexistência dos motivos de interesse público que motivavam a retomada.br . GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. GABARITO: C 136 A concessão pactuada. expresso no ato.com. GABARITO: E 139 A inexistência do motivo para a retomada. julgue os itens subseqüentes. por meio de concorrência pública. Irresignada com o ato de retomada. é legal. com a finalidade de desenvolver um serviço público de forma descentralizada. sem pagamento de indenização. foi estabelecido que a remuneração dos serviços dar-se-ia por meio de pagamento de tarifa paga pelos usuários e. podendo a nomeação de seus dirigentes ser condicionada por lei à aprovação do respectivo poder legislativo. sem que haja violação ao princípio da separação de poderes. ainda. Em relação a essa situação hipotética. 134 A concessão do serviço público podia dar-se por meio de tomada de preços. na classificação predominante na doutrina administrativa. GABARITO: E 133 As autarquias são pessoas jurídicas de direito público criadas por lei específica. enquanto as empresas públicas e as sociedades de economia mista compõe a administração pública indireta. GABARITO: C 141 Por depender do preenchimento de diversos requisitos legais e técnicos. 130 Serviço público somente pode ser concedido para entidades privadas. GABARITO: E (CESPE_SERVIÇOS NOTORIAIS-MT_2005) Acerca dos serviços públicos e da organização administrativa.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . pois tal direito não configura direito possessório. o procedimento de autorização para a exploração de serviços de radiodifusão é um ato considerado complexo. 140 É indevida a utilização de tutela possessória por concessionário de serviço público com a finalidade de tentar assegurar o direito que acredita possuir sobre o serviço de utilidade pública a ele confiado pelo poder público. GABARITO: E 132 Desconcentração é o fenômeno que transfere determinado serviço público para outros entes.

GABARITO: E 146 O DF deve prestar os serviços públicos previstos como de competência dos estados e dos municípios. GABARITO: C 143 A discricionariedade ínsita aos atos de autorização de serviços públicos permite ao poder público avaliar a conveniência de eventual revogação do ato autorizado. Direito administrativo. GABARITO: E 149 Os requisitos do serviço público identificam-se com o conteúdo dos princípios da permanência ou continuidade. qualquer direito subjetivo à continuidade da autorização.br . da eficiência. da generalidade. oneroso e comutativo. não é possível identificar um núcleo relativo à natureza da atividade que leve à classificação de uma atividade como serviço público. GABARITO: C 151 São bens públicos tanto as águas correntes. Rio de Janeiro: Impetus. como a educação. que são exploradas por particulares sem regime de delegação. cumulativamente. bilateral. uma vez que há atividades essenciais.ª ed.com. com caráter precário. como os rios e riachos. GABARITO: C (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2007) No Brasil. a exemplo das loterias. em seu texto. a atividade em si não permite decidirmos se um serviço é ou não público. no Brasil. GABARITO: C (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2004) Com relação a serviços públicos. Assim. julgue os itens que seguem. julgue os itens que se seguem. que são prestados pelo Estado como serviço público. pois ele inclui bens que não pertencem ao poder público. GABARITO: E GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. quanto as dormentes. 148 O contrato de concessão é ajuste de direito administrativo. a administração pública terá acesso aos dados relativos a administração. GABARITO: C (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2007) A respeito do domínio e dos bens públicos. a conceituação do serviço público deve ser buscada na doutrina. 2007 (com adaptações). nem tampouco as leis o fazem. não havendo. contabilidade. ainda que situadas ou cercadas por um só prédio particular. o conceito de serviço público. julgue os itens a seguir. da modicidade e da cortesia. 13. como as lagoas e os reservatórios construídos pelo poder público. permanecem no domínio público. 150 Domínio público é um conceito mais extenso que o de propriedade. e há serviços totalmente dispensáveis. mas não possui caráter intuitu personae. recursos técnicos. por parte do particular. GABARITO: C 145 Segundo a corrente doutrinária conhecida como essencialista. As lagoas que não sejam alimentadas por correntes públicas. Tendo o texto acima como referência inicial. portanto. segundo entendimento doutrinário dominante.fortium. GABARITO: E 147 No exercício da fiscalização e do controle dos serviços públicos prestados por concessionários e permissionários. acerca dos serviços públicos. 144 A Constituição Federal não traz expresso.TCU GABARITO: E 142 A autorização de serviço público é ato unilateral da administração pública pelo qual se consente a um particular a prática de atividade individual incidente sobre um bem público. Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . econômicos e financeiros das permissionárias e concessionárias.

GABARITO: C (CESPE_TCU_AUDITOR DO TCU_2007) Em novembro de 2006. 157 Por disposição expressa da Constituição da República. grávida. um cidadão protocolizou no TCU um documento. GABARITO: E 156 A ação regressiva da administração pública contra o agente público causador direto de dano a particular. Acrescentou que. extingue-se. julgue os itens de 17 a 24. essa companhia tem natureza mercantil. GABARITO: C GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. quando retornava da escola. como os sítios arqueológicos e préhistóricos. foi vítima de atropelamento em uma via pública.com. Além desses bens. 154 Os bens dominiais ou do patrimônio disponível podem ser afetados a uma utilidade pública.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL .TCU 152 A utilização da linha de jundu como critério para demarcar os terrenos de marinha é uma prática que atende à legalidade estrita no processo de gestão dos bens públicos. versando sobre ilegalidade que estaria sendo praticada por uma sociedade de economia mista federal. a imprescritibilidade é qualidade apenas dos bens de uso comum do povo e dos bens de uso especial. nessa qualidade. no caso de falecimento desse agente. a criação da sociedade de economia mista referida há de ter sido autorizada por meio de lei ordinária específica.br . ainda que seu objeto fosse a mera prestação de serviços públicos. arrolados pela Constituição Federal como bens da União.fortium. GABARITO: E 153 Entre os bens do domínio terrestre do solo. assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa. os terrenos acrescidos e as ilhas. causarem a terceiros. a sociedade de economia mista em questão responde objetivamente pelos danos que seus agentes. A ilegalidade alegada pelo cidadão era a de que. os terrenos de marinha. Certo é que a natureza jurídica da empresa seria a mesma. com o objetivo de explorar atividade econômica. Maria Dolores. no segundo semestre de 2004. dia em que completou dezesseis anos de idade. seu veículo teria sido abalroado por um veículo de propriedade da empresa referida. a gravidez teve de ser interrompida. Considerando a situação hipotética descrita e sabendo que a mencionada sociedade de economia mista é exploradora de atividade econômica. solteira. por determinado estado-membro da Federação. as terras tradicionalmente ocupadas pelos índios e as cavidades naturais (cavernas) subterrâneas. a sociedade de economia mista em questão é uma sociedade empresária. editada no âmbito da competência legislativa do estado-membro que a instituiu. O veículo que atropelou Maria Dolores pertencia a uma sociedade de economia mista instituída. Ante a situação hipotética descrita. por ato administrativo ou por lei. GABARITO: E 158 Em cumprimento à legislação vigente. julgue os seguintes itens. conduzido por um empregado da empresa durante seu trabalho. julgue os itens subseqüentes. 159 De acordo com dispositivo do Código Civil. estão as terras devolutas. GABARITO: C (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2004) Com relação a domínio público e responsabilidade civil da administração pública. GABARITO: E (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2004) No dia 12 de março de 2004. GABARITO: C 155 Segundo entendimento jurisprudencial. indenizado pela administração por força de condenação judicial. esta recusava-se a pagar-lhe administrativamente a indenização devida. há outros. os terrenos marginais. apesar de o laudo pericial haver atribuído a culpa pelo acidente ao motorista da empresa. Em decorrência do acidente. não se transmitindo aos herdeiros. em junho de 2003. Maria Dolores quer ser indenizada pelos prejuízos materiais e morais que sofreu. segundo disposição da Lei das Sociedades por Ações. intitulado de denúncia.

167.br . Conforme entendimento do STF. de ofício. dispositivos legais e regimentais que permitiam ao TCU manter o sigilo do autor da denúncia. tal renúncia só valerá. ao decidir. segundo o Código Civil. mediante ação regressiva. GABARITO: C 164 Se houver renúncia expressa da prescrição da pretensão aludida. prescreve em três anos. foi considerado responsável pelo acidente de trânsito envolvendo Maria e Antônio como vítimas. GABARITO: C 163 Se o referido cidadão ingressar na justiça comum com ação judicial contra a mencionada empresa após o vencimento do prazo prescricional. o signatário utilizou expressões mais restritas do que a sua verdadeira intenção. por haver. a jurisprudência do TCU é no sentido de que a matéria não se inclui nas competências constitucionais nem legais desse tribunal. como se trata de litígio entre um particular e uma pessoa jurídica de direito privado. GABARITO: C 170 Caso haja a responsabilização da empresa concessionária do serviço de transporte coletivo pelo acidente. tanto Maria quanto Antônio podem ser indenizados judicialmente pelo município. dessa forma. tendo em vista a responsabilidade objetiva deste no acidente. mesmo que pudesse demonstrar a culpa deste pelo acidente. GABARITO: C 162 Na hipótese considerada. poderá ela buscar a reparação dos danos. segundo disposições do CPC. responsabilidade objetiva. se feita depois que a prescrição se consumar e não houver prejuízo de terceiro. GABARITO: E 165 O STF.TCU 160 A Constituição Federal e o Código Civil não estenderam a responsabilidade objetiva da administração às empresas públicas e sociedades de economia mista exploradoras de atividade econômica. que dispõe de outros meios cabíveis para pleiteá-lo. não cabendo ao próprio TCU. GABARITO: E 169 Não sendo Antônio usuário do serviço de transporte coletivo. por ferirem direitos e garantias fundamentais estabelecidos na Constituição Federal. afastada a responsabilidade objetiva do município quanto aos danos causados a Antônio. requerendo a reparação do dano. a prescrição. inclusive o judicial. resta. GABARITO: E 161 Mesmo que haja ilegalidade no procedimento adotado pela empresa. visto que o documento foi intitulado de denúncia pelo cidadão. mesmo após a decisão definitiva sobre a matéria. o TCU deve assegurar tratamento sigiloso ao processo. manter ou não o sigilo quanto ao objeto e à autoria da denúncia. regida pelo direito privado quanto aos direitos e obrigações civis. Assim. de maneira culposa. na condição de empregadora e proprietária do veículo. a sociedade de economia mista mencionada. de acordo com dispositivos do Código Civil. GABARITO: C (CESPE_SERVIÇOS NOTORIAIS-MT_2005) João é motorista de ônibus de uma empresa que presta serviço público de transporte coletivo no município de Cuiabá e. somente responderá pelo dano causado ao particular após este haver provado que houve dolo ou culpa atribuível à empresa. GABARITO: E 166 No resguardo de direitos e garantias individuais. a pretensão de reparação civil pleiteada pelo cidadão. declarou inconstitucionais. contados da ocorrência do fato. uma vez que se trata de interesse ou direito subjetivo próprio de particular. conforme entendimento do STF. caso em que. por ocasião de sua elaboração. há resolução do mérito do processo. em face do município.com. o juiz de direito competente deverá pronunciar.fortium. mediante controle concentrado.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL . na espécie. GABARITO: E 168 Maria não poderia ingressar com ação de responsabilidade civil diretamente contra João. GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www. o termo de renúncia deve ser interpretado considerando-se que. Maria era passageira do referido ônibus e Antônio estava conduzindo o seu próprio veículo acerca da situação hipotética julgue os itens. exercido por meio de ação direta de inconstitucionalidade. Ademais.

fortium. julgue os itens subseqüentes. A intimação do interessado para ciência de decisão ou a efetivação de diligências podem ser efetuadas por qualquer meio que assegure a certeza da ciência do interessado.com. de acordo com a Lei n.TCU GABARITO: E (CESPE_TCU_ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO_2004) Acerca do processo administrativo.br . GABARITO: C 172. delegar essa competência ao respectivo presidente. Em sendo o órgão colegiado competente para decidir sobre recursos administrativos. por força de disposição legal. ele poderá. GABARITO: E GRUPO EDUCACIONAL FORTIUM www.ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO – AUDITORIA GOVERNAMENTAL .º 9. 171.784/1999.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful