Você está na página 1de 17

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

ESCOLA DE MINAS

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECANICA – DEMEC

REFRIGERAÇÃO E AR CONDICIONADO

CÁLCULO DE CARGA TÉRMICA E SELEÇÃO DE SISTEMA DE


CONDICIONAMENTO DE AR

Luan Ramon

Matheus Oliveira campos

Wagner Silva Farias

Ouro Preto, 18 de Abril de 2021.


1. INTRODUÇÃO

O sistema de condicionamento de ar tem fundamental importância na vida


humana, pois está vinculado ao conforto térmico do homem. O dimensionamento da
carga térmica de ar condicionado é baseado na zona de conforto térmico humano. Sendo
assim, foram criadas normas e manuais para tal dimensionamento (CARRIER AIR
CONDITIONINIG COMPANY, ABNT NBR 16401, entre outros), sendo um cálculo
de grande complexidade devido à existência de muitas variantes para cada recinto a ser
climatizado. Devido a estas variantes, provocando uma demanda de tempo para
determinar a carga térmica necessária para cada ambiente, os catálogos dos
equipamentos de ar condicionado passaram a fornecer um cálculo mais simplificado,
direto e funcional, que permitiu assim uma aceleração no processo de determinação da
carga térmica.
Para Creder (1985), condicionar o ar em um recinto significa submetê-lo a certas
condições, compatíveis com o objetivo da instalação, independentemente das
características exteriores. De um modo geral, controla-se a temperatura, umidade
relativa, velocidade e pureza do ar, a fim de alcançar um melhor desempenho ou
durabilidade de equipamentos ou processos.

Para realização do trabalho foi escolhido a planta de um escritório em Salvador-


BA, Figura 1, onde se deseja instalar um sistema de climatização. o número máximo de
pessoas no escritório é de 30, sendo a taxa de iluminação igual a 40 W/m² e sua área
total 𝐴𝑡 = 270,00 𝑚².

Serão realizados os cálculos de carga térmica do recinto necessários a seleção de


um sistema de climatização e os dados numéricos necessários para especificar o
condicionador para o sistema.
Figura 1: Layout do escritório estudado.
Fonte: Pesquisa direta (2021).

2. CÁLCULO DA CARGA TÉRMICA DO RECINTO


2.1. Dados adotados:

Tabela 1 – Condições externas.

Dados iniciais e condições externas

Cidade Salvador-BA
Latitude (° S) 20
Altitude (m) 12
Funcionamento do escritório (h) 12
Tbs ext (°C) 32
Tbu ext (°C) 26
Amplitude diária de temperatura (°C) 5
Fonte: Pesquisa direta (2021).

2.2. Condições internas para verão

Através da seguinte tabela pode ser definido a condição de conforto para o


escritório em época verão, de acordo com o estabelecimento.

Tabela 2 – Condições internas para verão.


Fonte: Material de aula.

2.3. Inspeção da insolação nas fachadas das janelas de vidro

As fachadas de vidro têm orientação Noroeste (NO) e Sudoeste (SO). Pela


Tabela 3 achamos o valor de insolação através dos vidros para a latitude de 13ºS
observada na Tabela 1. Para identificação do correto valor é levado em conta o pior caso
de ganho de calor por isolação somado para as duas fachadas, sendo esse caso em
Fevereiro às 16 horas.

Tabela 3 – Insolação através dos vidros (kcal/h.m²).


Fonte: Material de aula.

Fachada NO: It = 306 kcal/h.m²

Fachada SO: It = 320 kcal/h.m²

2.4. Carga térmica devido à insolação nos vidros

A variação da temperatura exterior durante as horas do dia é levada em conta


para a correção da temperatura externa. Isso pode ser observado na Tabela 4.

Tabela 4 – Correções para a temperatura externa de projeto em função da hora considerada.


Fonte: Material de aula.

Considerando a amplitude diária de temperatura de 5ºC, é afirmado então:

𝑇𝑏𝑠(16ℎ) = 32 − 0,5 = 31,5°𝐶

𝑇𝑏𝑢(16ℎ) = 26 − 0 = 26°𝐶

Correção para a insolação nas fachadas NO e SO, utilizando a Tabela 5.

Tabela 5 – Parâmetros para correção da insolação nas fachadas NO e SO.

Fonte: Material de aula.

𝐶 𝑒𝑠𝑞 : Correção devido à esquadrilha de alumínio → 𝐶 𝑒𝑠𝑞 = 1,17.

𝐶 𝑝𝑜𝑙 : Correção devido à poluição, neblina. Será considerado um ambiente


limpo, sendo um coeficiente de 1 (15% máximo → 0,85) → 𝐶 𝑝𝑜𝑙 = 0,90.

𝐶 𝑎𝑙𝑡 : Correção devido a altitude local (12m).

+ 0,7% por 300m

𝐶 𝑎𝑙𝑡 = 1,00.

𝐶 𝑝𝑜 : Correção devido ao ponto de orvalho.


Figura 2: Diagrama psicométrico.
Fonte: Material de aula.
Pelo diagrama psicométrico a temperatura do ponto de orvalho do ar exterior é
𝑇𝑝𝑜 = 27,3°𝐶. Olhando então a Tabela 5 o ponto de orvalho é superior a 19,5ºC. A
correção a ser realizada é: -14% por cada 10ºC.
(27,3−19,5)×14%
𝑥= = 10,92 = 0,1%.
10

𝐶𝑝𝑜 = 1 − 0,1 = 0,9.

𝐶𝐷𝐽 : Como o mês analisado é Fevereiro e latitude Sul não há correções→𝐶𝐷𝐽 =


1.

𝐼𝑡𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜−𝑁𝑂 = 𝐼𝑡𝑁 × 𝐶 𝑒𝑠𝑞 × 𝐶 𝑝𝑜𝑙 × 𝐶 𝑎𝑙𝑡 × 𝐶𝑝𝑜 × 𝐶𝐷𝐽 .

kcal
𝐼𝑡𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜−𝑁𝑂 = 306 × 1,17 × 0,90 × 1,00 × 0,9 × 1 = 287,3 hm² . .

𝐼𝑡𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜−𝑆𝑂 = 𝐼𝑡𝑂 × 𝐶 𝑒𝑠𝑞 × 𝐶 𝑝𝑜𝑙 × 𝐶 𝑎𝑙𝑡 × 𝐶𝑝𝑜 × 𝐶𝐷𝐽 .

kcal
𝐼𝑡𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜−𝑆𝑂 = 320 × 1,17 × 0,90 × 1,00 × 0,9 × 1 = 300,16 .
hm²

Áreas das janelas de vidro e paredes NO e SO:

𝐴𝑣−𝑁𝑂 = 7 × 2 = 14,00 𝑚².


𝐴𝑣−𝑆𝑂 = 25 × 2 = 50,00 𝑚².

𝐴𝑝−𝑁𝑂 = 27 − 14 = 13,00 𝑚².

𝐴𝑝−𝑆𝑂 = 90 − 50 = 40,00 𝑚².

Fator de redução do vidro é definido pela Tabela 6, onde é utilizado vidro


simples e persianas ou cortinas internas de cor clara.

Tabela 6 – Fatores totais de ganho solar através dos vidros (coeficientes globais de

insolação com ou sem dispositivo de sombra).

Fonte: Material de aula.

Logo  = 0,56.

Fator de armazenamento do vidro é observado na Tabela 7 levando em conta 12


horas de funcionamento e peso médio de 500 kg/m².
Tabela 7 – Fatores de armazenamento de carga térmica, insolação, 12 horas diárias de funcionamento,
temperatura interior constante.

Fonte: Material de aula.

Logo 𝑓𝑎𝑁𝑂 = 0,70 e 𝑓𝑎𝑆𝑂 = 0,58.

Insolação nos vidros:

𝑄̇𝑣 = 𝐼𝑡 × 𝐴𝑣 ×  × 𝑓𝑎.

𝑄̇𝑣−𝑁𝑂 = 306 × 14,00 × 0,56 × 0,70 = 1679,33 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ.

𝑄̇𝑣−𝑆𝑂 = 320 × 50,00 × 0,56 × 0,58 = 5196,80 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ.

𝑄̇𝑖𝑛𝑠.𝑣 = 𝐼𝑡𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜 × 𝐴𝑣 ×  × 𝑓𝑎.

𝑄̇𝑖𝑛𝑠.𝑣−𝑁𝑂 = 295,15 × 14,00 × 0,56 × 0,70 = 1619,79 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ.

𝑄̇𝑖𝑛𝑠.𝑣−𝑆𝑂 = 308,66 × 50,00 × 0,56 × 0,58 = 5012,56 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ.

Total de insolação nos vidros:

𝑄̇𝑣−𝑇 = 𝑄̇𝑣−𝑁𝑂 + 𝑄̇𝑣−𝑆𝑂 = 6876,13 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ.

𝑄̇𝑖𝑛𝑠.𝑣−𝑇 = 𝑄̇𝑖𝑛𝑠.𝑣−𝑁𝑂 + 𝑄̇𝑖𝑛𝑠.𝑣−𝑆𝑂 = 6632,36 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ..


2.5. Carga térmica devido à insolação nas paredes

Para U foi considerado um tijolo de 6 furos cilíndricos de espessura 20 cm.

Considerando um peso de 240 kg/m² (aproximando na tabela para 300 kg/m²),


na Tabela 9 é possível achar Tem.

Tabela 9 – - Diferença equivalente de temperatura (°C). Válida para paredes em sol ou sombra, de cor
escura, 35 °C de temperatura exterior, 27 °C de temperatura interior, 11°C de variação de temperatura
exterior em 24 horas, mês de julho e 40º de latitude sul.

Fonte: Material de aula.

Dessa forma Tem𝑁𝑂 = 17,8 ℃, Tem𝑆𝑂 = 6,7℃ e Te𝑠 = 5,5℃.

Tdia = Text15h-Tint15h = 32-26 = 6ºC.

Pela Tabela 10 obtemos o fator para correção.


Tabela 10 – Correção das diferenças equivalentes de temperatura.

Fonte: Material de aula.

Temos Tdia𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜 = 3,75 ℃. Assim:

Tem𝑁𝑂(𝑐𝑜𝑟𝑟) = Tem𝑁𝑂 + Tdia𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜 = 17,8 + 3,75 = 21,55℃.

Tem𝑆𝑂(𝑐𝑜𝑟𝑟) = Tem𝑆𝑂 + Tdia𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜 = 6,7 + 3,75 = 10,45℃.

Te𝑠(𝑐𝑜𝑟𝑟) = Te𝑠 + Tdia𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜 = 5,5 + 3,75 = 9,25℃.

b = 0,55 (parede de cor clara).


kcal
𝑅𝑆𝑁𝑂 = 𝐼𝑡𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜−𝑁𝑂 = 287,3 hm² .

kcal
𝑅𝑆𝑆𝑂 = 𝐼𝑡𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜−𝑆𝑂 = 300,16 hm².

Valores de RM podem ser encontrados na Tabela 3 e aplicando as correções,


temos:
𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑅𝑀𝑁𝑂 = 323,18 .
ℎ×𝑚²

𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑅𝑀𝑆𝑂 = 285,04 ℎ×𝑚².

𝑅𝑆
Te(𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜) = Te𝑠(𝑐𝑜𝑟𝑟) + b × 𝑅𝑀 × (Tem(𝑐𝑜𝑟𝑟) − Te𝑠(𝑐𝑜𝑟𝑟) ).
287,03
Te𝑁𝑂(𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜) = 9,25 + 0,55 × × (21,55 − 9,25) = 15,26℃.
323,18

300,16
Te𝑆𝑂(𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜) = 9,25 + 0,55 × 285,04 × (10,45 − 9,25) = 9,95℃.

𝑄̇𝑖𝑛𝑠+𝑡𝑟𝑎𝑛𝑠.𝑝𝑎𝑟 = 𝑈 × 𝐴𝑝 × Te(𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑜) .

𝑄̇𝑖𝑛𝑠+𝑡𝑟𝑎𝑛𝑠.𝑝𝑎𝑟−𝑁𝑂 = 1,74 × 13,00 × 15,26 = 345,14 kcal/h.

𝑄̇𝑖𝑛𝑠+𝑡𝑟𝑎𝑛𝑠.𝑝𝑎𝑟−𝑆𝑂 = 1,74 × 40,00 × 9,95 = 692,11 kcal/h.

Total carga térmica de insolação nas paredes:

𝑄̇𝑖𝑛𝑠+𝑡𝑟𝑎𝑛𝑠.𝑝𝑎𝑟−𝑇 = 𝑄̇𝑖𝑛𝑠+𝑡𝑟𝑎𝑛𝑠.𝑝𝑎𝑟−𝑁𝑂 + 𝑄̇𝑖𝑛𝑠+𝑡𝑟𝑎𝑛𝑠.𝑝𝑎𝑟−𝑆𝑂 = 1037,31 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ.

2.6. Cargas térmicas internas

Carga de iluminação:
r = 0,075 (reator eletrônico).

Pd = 40 W/m² (taxa de iluminação)

PL = Pd × 𝐴𝑡 = 40 × 270 = 10800 W.

𝑄̇𝑖𝑙𝑢𝑚 = (1 + 𝑟) × 𝑃𝐿 × 0,86.

𝑄̇𝑖𝑙𝑢𝑚 = (1 + 0,075) × 10800 × 0,86 = 9984,60 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ.

Carga por pessoa:


p = 30 pessoas.

Para escritório com temperatura interna de 24ºC:


𝑘𝑐𝑎𝑙 𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑄̇𝑠𝑒𝑛𝑠/𝑝𝑒𝑠 = 61 ℎ . 𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎 𝑒 𝑄̇𝑙𝑎𝑡/𝑝𝑒𝑠 = 52 ℎ . 𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎.

𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑄̇𝑠𝑒𝑛𝑠í𝑣𝑒𝑙 = 30 𝑥 61 = 1830 ( )

𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑄̇𝑙𝑎𝑡𝑒𝑛𝑡𝑒 = 30 𝑥 52 = 1560( )

Carga térmica interna:


𝑄̇𝑖𝑛𝑡 𝑠𝑒𝑛𝑠í𝑣𝑒𝑙 = 𝑄̇𝑣𝑖𝑑𝑟𝑜𝑠 + 𝑄̇𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 + 𝑄̇𝑡𝑒𝑡𝑜 + ̇𝑄𝑠𝑒𝑛𝑠í𝑣𝑒𝑙 + 𝑄̇𝑖𝑙𝑢𝑚 + 𝑄̇𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎𝑠 = 39787,04 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ.

𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑄̇𝑖𝑛𝑡 𝑙𝑎𝑡𝑒𝑛𝑡𝑒 = 30 𝑥 52 = 1560( )

Carga térmica devido à ventilação

Para escritórios adotaremos a vazão de ar de renovação ou de ventilação


𝑄̇𝑣𝑒𝑛𝑡𝑖𝑙𝑎çã𝑜 = 25 𝑚3 /ℎ

𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑄̇𝑣𝑒𝑛𝑡𝑖𝑙𝑎çã𝑜 = 25 𝑥 30 = 750( )

Figura 3: Diagrama psicométrico.


Fonte: Material de aula

𝑘𝑔𝑣
𝑊𝑒𝑥𝑡 = 0,023
𝑘𝑔𝑎𝑠

𝑊𝑖𝑛𝑡 = 0,0105 𝑘𝑔𝑣/𝑘𝑔𝑎𝑠

𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑄̇𝑠𝑒𝑛𝑠𝑖 𝑑𝑒 𝑣𝑒𝑛𝑡𝑖𝑙𝑎çã𝑜 = 0,2 𝑥 750 𝑥 (31,5 − 26) = 825( )

𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑄̇𝑙𝑎𝑡𝑒𝑛𝑡𝑒 𝑑𝑒 𝑣𝑒𝑛𝑡𝑖𝑙𝑎çã𝑜 = 585 𝑥 (0,023 − 0,0105) 𝑥 1,18 𝑥 825 = 7118,71( )

2.7. Carga térmica total:

. 𝑄̇𝑠𝑒𝑛𝑠í𝑣𝑒𝑙 𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 = 𝑄̇𝑠𝑒𝑛𝑠𝑖𝑣𝑒𝑙 𝑑𝑒 𝑣𝑒𝑛𝑡 + 𝑄̇𝑠𝑒𝑛𝑠í𝑣𝑒𝑙 𝑖𝑛𝑡𝑒𝑟𝑛𝑜 = 1830 + 39787,04 = 41.617,04 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ

𝑄̇𝑙𝑎𝑡𝑒𝑛𝑡𝑒 𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 = 𝑄̇ 𝑙𝑎𝑡𝑒𝑛𝑡𝑒 𝑑𝑒 𝑣𝑒𝑛𝑡 + 𝑄̇𝑙𝑎𝑡𝑒𝑛𝑡𝑒 𝑖𝑛𝑡𝑒𝑟𝑛𝑜 = 7118,71 + 1560 = 8678,71 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ

𝑄̇𝑇 = (41.617,04 + 8.678,71) ∗ 1,04 = 52307,58 𝑘𝑐𝑎𝑙/ℎ


Convertendo para BTU/h tem-se:

𝑄̇𝑇 = 207566,93 𝐵𝑇𝑈/ℎ.

3. VAZÃO DE AR (INSUFLAMENTO) E TEMPERATURAS


Foi utilizado o método de Creder para o cálculo da vazão de ar e temperaturas:
𝑄𝑠𝑖 ̇ 39787,04
RCS = = 39787,04+825 = 0,979
𝑄𝑠𝑖 +̇ 𝑄𝑙𝑖̇

No diagrama psicométrico, marcamos os pontos E, I e R.


E – condição externa: Tbs = 34,5°C e Tbu = 27°C;
I – condição interna do recinto: Tbs = 24°C e UR = 55%;
R – Ponto de referência: Tbs = 24°C e UR = 50%.

Figura 4: Diagrama psicométrico.


Fonte: Material de aula

Na linha de RCS = 0,979 e a partir do ponto e referência R, traçou-se uma reta.


Agora, a partir do ponto Wi, traça-se uma reta paralela à reta R-RCS = 0,95, até
encontrar a umidade relativa de 90%. Tem-se o ponto s’. No ponto s’: Tbs = 15,3°C e
Tbu = 14,8°C.
A temperatura de bulbo seco no ponto s’ é o valor da temperatura do ar que será
insuflado no recinto, após passar pelo condicionador (Ts’ = 15.3°C).

A vazão de ar de insuflamento será calculada:

39787,04
𝑄𝑖𝑛𝑠 = = 15769,73 𝑚³/ℎ
0,29𝑥 (24 − 15,3)

𝑄𝑟𝑒𝑡 = 15769,73 − 825 = 14944,73𝑚³/ℎ

Substituindo na equação:

14944,73 𝑥 51 + 825 𝑥 85 𝑘𝐽
ℎ𝑚 = = 52,77 ( )
14944,73 + 825 𝑘𝑔

A temperatura no ponto M é igual a 24,20°C.

4. SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO
4.1. Sistema selecionado

Seleção de aparelhos: com base na carga térmica. A escolha do equipamento -


Ar Condicionado Split Teto Inverter Fujitsu 42000 Btus Quente/Frio 380v 3F
ABBG45LRTA foi feita levando em conta que serão instalados um total de 5 unidades
totalizando 210.000 BTU.
Figura 5: Ar-condicionado Split escolhido.

Figura 6: Especificações do ar-condicionado Split escolhido.

5. CONCLUSÃO

Através dos cálculos necessários, foi possível determinar condicionador ar que


atendesse os requisitos desejados, para a refrigeração de um ambiente de trabalho na
cidade de Salvador-BA. O mesmo foi especificado levando em conta a carga térmica do
ambiente, bem como as vantagens e desvantagens que cada tipo de condicionador pode
trazer. O estudo de caso foi iniciado analisando a disposição construtiva da edificação,
seus dados e requisitos de projeto e localização.
A escolha do Split é indicada por sua facilidade de instalação levando em conta
o trabalho na alvenaria do recinto e seu baixo ruído, proporcionando assim conforto
térmico e sonoro. Possui alta tecnologia refrigerando grandes ambientes com economia.
No modo econômico, ele trabalha com consumo de energia reduzido atingindo a
temperatura desejada rapidamente e a mantendo estável, gerando maior eficiência
energética e tem operação mais silenciosa tendo os requisitos procurados no trabalho.