Você está na página 1de 13

PRONOMES

DEFINIÇÃO - CONCEITOS

Pronome é a palavra variável que identifica os participantes da interlocução (primeira e segunda pessoas discursivas) e os seres, eventos ou situações aos quais o discurso faz referência. Pode-se considerar os pronomes como uma classe de substitutos, pela característica que apresentam de, na maioria dos casos, poderem “substituir” os substantivos. Como nem sempre nos servimos de substantivos para fazer referências aos elementos culturais que nos rodeiam, algo que se tornaria repetitivo na escrita, podemos servir-nos de uma classe de palavras chamada pronome. Logo, pronome é a palavra que se usa em lugar do nome, ou que a ele se refere, ou ainda, que acompanha o nome qualificando-o de alguma forma.

Exemplos:

A moça era mesmo bonita. Ela morava nos meus sonhos!

[substituição do nome]

A moça que morava nos meus sonhos era mesmo bonita!

[referência ao nome]

Essa moça morava nos meus sonhos! [qualificação do nome]

ATENÇÃO

Em termos da posição em que ocorre, o pronome pode ocupar ou “estar no lugar” dos substantivos, ou pode acompanhá-los, antecedendo-os ou seguindo-os, de forma a explicitar a relação dos seres referidos pelos substantivos

Quando o pronome substitui o nome, é pronome substantivo.

Exemplos:

nas provas. [substituição do nome] = pronome substantivo

A menina foi mal

Ela está triste.

Quando o pronome se refere a ele, é pronome adjetivo.

Esta menina está triste. [qualificação do nome] = pronome adjetivo

Grande parte dos pronomes não possuem significados fixos, isto é, essas palavras só adquirem significação dentro de um contexto, o qual nos permite recuperar a referência exata daquilo que está sendo colocado por meio dos pronomes no ato da comunicação. Com exceção dos pronomes interrogativos e indefinidos, os demais

pronomes têm por função principal apontar para as pessoas do discurso ou a elas se relacionar, indicando-lhes sua situação no tempo ou no espaço. Em virtude dessa característica, os pronomes apresentam uma forma específica para cada pessoa do discurso.

Exemplos:

Minha carteira estava vazia, quando eu fui assaltada. [minha/eu: pronomes de 1ª pessoa = aquele que fala]

Tua carteira estava vazia, quando você foi assaltada? [tua/você: pronomes de 2ª pessoa = aquele a quem se fala]

A carteira dela estava vazia, quando ela foi assaltada. [dela/ela: pronomes de 3ª pessoa = aquele de quem se fala]

Em termos morfológicos, os pronomes são palavras variáveis em gênero (masculino ou feminino) e em número (singular ou plural). Assim, espera-se que a referência através do pronome seja coerente em termos de gênero e número (fenômeno da concordância) com o seu objeto, mesmo quando este se apresenta ausente no enunciado.

Exemplos:

[Fala-se de Roberta] Ele quer participar da gincana da nossa escola neste ano.

[nossa: pronome que qualifica "escola" = concordância adequada] [neste: pronome que determina "ano" = concordância adequada] [ele: pronome que faz referência à "Roberta" = concordância inadequada]

Existem seis tipos de pronomes:

pessoais,

possessivos,

demonstrativos,

indefinidos,

relativos,

interrogativos.

PRONOMES PESSOAIS

Pessoas do discurso

Pronomes pessoais do caso reto

Pronomes

pessoais

Pronomes

pessoais

do

caso

oblíquo

do

caso

oblíquo

 

átonos

tônicos

Singular 1ª pessoa

Eu

Me Te O, a, lhe Se

 

Mim, comigo

 
 

2ª

Tu

Ti, contigo

pessoa

Ele, ela

Ele, ela

 

3ª

Si, consigo

pessoa

   

Plural

1ª pessoa

Nós

Nos Vos Os, as, lhes Se

 

Nós, convosco

 

2ª

Vós

Vós, convosco

pessoa

Eles, elas

Eles, elas

 

3ª

Si, consigo

pessoa

   

Nota-se que na linguagem coloquial já está bastante generalizado o uso da expressão a gente em lugar do pronome de 1ª pessoa do plural = nós. Os pronomes o, os, a, as assumem formas especiais depois de certas terminações verbais. Quando o verbo termina em -z, -s ou -r, o pronome assume a forma lo, los, la ou las, ao mesmo tempo que a terminação verbal é suprimida.

Por exemplo

fiz + o = fi-lo

fazeis + o = fazei-lo

dizer + a = dizê-la

Quando o verbo termina em som nasal, o pronome assume as formas no, nos, na, nas.

Por exemplo

viram + o: viram-no

repõe + os = repõe-nos

retém + a: retém-na

tem + as = tem-nas

ESTUDO DOS PRONOMES PESSOAIS

1. RETOS

Exercem sempre a função sintática de sujeito do processo verbal. Podem funcionar, também, como predicativo do sujeito.

Exemplo:

Eu não sou ele. (Eu: sujeito / ele: predicativo do sujeito)

2. OBLÍQUOS ÁTONOS

Exercem a função de objeto direto e objeto indireto, basicamente. Podem funcionar como complemento nominal, adjunto adnominal e, com verbos causativos (mandar, fazer, deixar) ou sensitivos (ver, ouvir, sentir), exercer a função de sujeito do infinitivo.

Exemplo:

O livro, eu o guardo comigo. = objeto direto Nunca lhe darei uma oportunidade. = objeto indireto Roubaram-lhe os documentos. (= seus) = adjunto adnominal Fiquei-lhe agradecido. = complemento nominal Mandei-o entrar = sujeito do infinitivo

Os falantes da língua portuguesa costumam confundir-se com relação à escolha da forma correta de alguns pronomes pessoais, em alguns contextos. Duas regras importantes:

Nunca se devem usar as formas eu e tu depois de preposições, a menos que estas formas pronominais desempenhem a função de sujeitos de verbos no infinitivo:

Exemplo:

Por favor, leia este trecho do jornal para mim. Por favor, passe o jornal para eu ler.

As preposições essenciais introduzem sempre pronomes pessoais do caso oblíquo e nunca pronome do caso reto. Nos contextos interlocutivos que exigem o uso da língua formal, os pronomes costumam ser usados desta forma:

Exemplo:

Não há mais nada entre mim e ti. Não se comprovou qualquer ligação entre ti e ela.

Não há nenhuma acusação contra mim. Não vá sem mim. Pronome Reflexivo

São pronomes pessoais oblíquos que, embora funcionem como objetos direto ou indireto, referem-se ao sujeito da oração. Indicam que o sujeito pratica e recebe a ação expressa pelo verbo. O quadro dos pronomes reflexivos é assim configurado:

- 1ª pessoa do singular (eu): me, mim.

Exemplo: Eu não me vanglorio disso. Olhei para mim no espelho e não gostei do que vi.

- 2ª pessoa do singular (tu): te, ti.

Exemplo:

Assim tu te prejudicas. Conhece a ti mesmo.

- 3ª pessoa do singular (ele, ela): se, si, consigo. Exemplo: Guilherme já se preparou. Ela deu a si um presente. Antonio conversou consigo mesmo.

- 1ª pessoa do plural (nós): nos. Exemplo: Lavamo-nos no rio.

- 2ª pessoa do plural (vós): vos.

Exemplo:Vós vos beneficiastes com a Boa Nova.

- 3ª pessoa do plural (eles, elas): se, si, consigo. Exemplo: Eles se conheceram. Elas deram a si um dia de folga.

PRONOMES DE TRATAMENTO

Os pronomes de tratamento são palavras e locuções que funcionam como verdadeiros pronomes pessoais e são utilizados para designar o interlocutor.

Abreviatura

Tratamento

Usado para:

V.

A.

Vossa Alteza

Príncipes, arquiduques, duques

V.

Emª

Vossa Eminência

Cardeais

V.

Exª

Vossa Excelência

No Brasil: altas autoridades do governo e oficiais generais das forças armadas Em Portugal: qualquer pessoa a quem se quer demonstrar respeito

V.

Magª

Vossa Magnificência

Reitores de universidades

V.M.

Vossa Magestade

Reis, imperadores

V.

P.

Vossa Paternidade

Abades, superiores de convento

V.

S.

Vossa Santidade

Papa

V.

Sª

Vossa Senhoria

Funcionários públicos, graduados, oficiais até coronel, na linguagem escrita do Brasil e em Portugal, pessoas de cerimônia.

Observe que também são formas de tratamento - o senhor, a senhora, você e vocês - empregados frequentemente na linguagem quotidiana. As formas você e vocês (usadas em substituição ao tu e ao vós - para assinalar a segunda pessoa do discurso) originam-se das formas arcaicas de tratamento respeitoso “Vossa(s) Mercê(s)”, das quais resultaram a partir de uma série de reduções fonológicas.

ESTUDO DOS PRONOMES DE TRATAMENTO

3ª pessoa: Os pronomes de tratamento são da 3ª pessoa; portanto, os verbos, os pronomes possessivos e os pronomes oblíquos empregados em relação a eles devem ficar na 3ª pessoa.

Exemplo:

Basta que V. Ex.ª cumpra a terça parte das suas promessas, para que seus eleitores lhe fiquem reconhecidos.

Uniformidade de Tratamento: Quando escrevemos ou nos dirigimos a alguém, não é permitido mudar, ao longo do texto, a pessoa do tratamento escolhida inicialmente. Assim, por exemplo, se começamos a chamar alguém de "você", não poderemos usar "te" ou "teu". O uso correto exigirá, ainda, verbo na terceira pessoa.

Exemplo:

Quando você vier, eu te abraçarei e enrolar-me-ei nos teus cabelos. (errado) Quando você vier, eu a abraçarei e enrolar-me-ei nos seus cabelos. (correto) Quando tu vieres, eu te abraçarei e enrolar-me-ei nos teus cabelos. (corrreto)

PRONOMES POSSESSIVOS

São aqueles que fazem referência às pessoas do discurso, indicando o que lhes cabe ou pertence. Os pronomes possessivos mantêm com os pronomes pessoais uma estreita relação, pois os pronomes possessivos designam aquilo que cabe ou pertence aos seres indicados pelos pronomes pessoais.

 

Um

Um

Vários

Vários

possuidor

possuidor

possuidores

possuidores

 

Um

Vários

Um

Vários

objeto

objetos

objeto

objetos

1ª pessoa masc.

Meu

Meus

Nosso

Nossos

Minha

Minhas

Nossa

Nossas

fem.

2ª pessoa masc.

Teu

Teus

Vosso

Vossos

Tua

Tuas

Vossa

Vossas

fem.

3ª pessoa masc.

Seu

Seus

Seu

Seus

Sua

Suas

Sua

Suas

fem.

A forma do possessivo depende da pessoa gramatical a que se refere; o gênero e o número concordam com o objeto possuído. Exemplo:

Ele trouxe seu apoio e sua contribuição naquele momento difícil.

ESTUDO DOS PRONOMES POSSESSIVOS:

1 - A forma seu não é um possessivo quando resultar da alteração fonética da palavra senhor. Exemplo:

- Muito obrigado, seu José.

2 - Os pronomes possessivos nem sempre indicam posse. Podem ter outros empregos, como:

a) indicar afetividade.

Exemplo:

- Não faça isso, minha filha.

b) indicar cálculo aproximado.

Exemplo:

Ele já deve ter seus 40 anos. c) atribuir valor indefinido ao substantivo. Exemplo:

Marisa tem lá seus defeitos, mas eu gosto muito dela.

3- Em frases onde se usam pronomes de tratamento, o pronome possessivo fica na 3ª pessoa. Por exemplo:

Vossa Excelência trouxe sua mensagem? 4- Referindo-se a mais de um substantivo, o possessivo concorda com o mais próximo. Exemplo:

Trouxe-me seus livros e anotações.

5- Em algumas construções, os pronomes pessoais oblíquos átonos assumem valor de possessivo. Exemplo:

Vou seguir-lhe os passos.(= vou seguir seus passos).

PRONOMES DEMONSTRATIVOS

Pronomes demonstrativos são aqueles que fazem referências às pessoas do discurso estabelecendo, entre elas e os seres por eles designados, uma relação de proximidade ou distanciamento, no tempo e no espaço. Também os pronomes demonstrativos mantêm, com os pronomes pessoais, um vínculo estreito, pois indicam, relação às pessoas do discurso, o que delas está próximo ou distante, no espaço e no tempo.

Variáveis

 

Invariáveis

Masculino

Feminino

 

Este - estes

Esta - estas

Isto

Esse - esse

Essa - essas

Isso

Aquele -

Aquela -

Aquilo

aqueles

aquelas

Também são pronomes demonstrativos: tal, próprio, mesmo, semelhante, o (= aquele, aquilo), a (= aquela, aquilo).

Exemplos:

Tal era a solução para o problema. Os próprios alunos resolveram o problema.

Estas são as mesmas pessoas que o procuraram ontem. Não ouvi o que disseste.(Não ouvi aquilo que disseste.) Essa rua não é a que te indiquei.(Esta rua não é aquela que te indiquei.) Não compre semelhante livro.

ESTUDO DOS PRONOMES DEMONSTRATIVOS

Este - esse - aquele

Emprego em relação ao lugar:

o lugar onde estou: este

Compro este carro (aqui).

O pronome este indica que o carro está perto da pessoa que fala.

o lugar onde você está: esse

Compro esse carro (aí).

O pronome esse indica que o carro está perto da pessoa com quem falo, ou afastado da

pessoa que fala.

o lugar distante do falante e do ouvinte: aquele

Compro aquele carro (lá).

O pronome aquele diz que o carro está afastado da pessoa que fala e daquela com quem

falo.

Emprego em relação ao tempo:

tempo presente: este

Neste ano [trata-se de 2009] pouco se fez em favor dos sem-teto.

Não há ocorrência de acidentes nesta data. [hoje]

O avião a jato, a televisão e o computador são as maiores invenções deste século.

Nestes últimos vinte anos a mulher tem ocupado mais espaços.

passado ou futuro próximo: esse

A década de 20 marcou a conquista do voto pela mulher. Nesses dez anos ela travou grandes lutas pela liberdade.

Marina vai estar na cidade por esses dias

passado distante: aquele

Quando éramos crianças brincávamos mais, pois naquela época não havia pré-escola,

nem aulas de natação, de balé, de inglês

Bons tempos aqueles! - diz vovó, nostálgica.

Emprego em relação ao discurso:

o que vai ser mencionado: este

É isto que eu digo sempre: cultura é fundamental. [o pronome está antes dos dois-pontos] Nosso vizinho vive repetindo este provérbio: "Casa de ferreiro, espeto de pau".

o que se mencionou antes: esse

A segunda parte do trabalho dispõe sobre a marginalidade social. É nesse capítulo / nessa parte / nesse ponto que se discutem os desvios verificados nas instituições pesquisadas. É possível comer manga e tomar leite junto? Melancia com vinho faz mal? Disso tratam os autores no final do artigo.

PRONOMES INDEFINIDOS

Os pronomes indefinidos, como o próprio nome indica, fazem referência à terceira pessoa do discurso, dando-lhe sentido vago (impreciso) ou expressando quantidade indeterminada.

Exemplo:

Comprei muitos livros. Gostaria de ler alguns livros interessantes.

Classificam-se em:

Pronomes Indefinidos Substantivos: Assumem o lugar do ser ou da quantidade aproximada de seres na frase. São eles: algo, alguém, fulano, sicrano, beltrano, nada, ninguém, outrem, quem, tudo.

Exemplos:

Algo o incomoda? Quem avisa amigo é.

Pronomes Indefinidos Adjetivos: Qualificam um ser expresso na frase, conferindo-lhe a noção de quantidade aproximada. São eles: cada, certo(s), certa(s).

Exemplos:

Cada povo tem seus costumes. Certas pessoas exercem várias profissões.

Os pronomes indefinidos podem ser divididos em variáveis e invariáveis. Observe o quadro:

Variáveis

     

Invariáveis

Singular

 

Plural

   

Masculino

Feminino

Masculino

Feminino

 
       

alguém

algum

nenhum

todo

muito

alguma

nenhuma

toda

muita

alguns

nenhuns

todos

muitos

algumas

nenhumas

todas

muitas

ninguém

outrem

tudo

nada

pouco

pouca

poucos

poucas

vário

tanto

outro

vária

tanta

outra

vários

tantos

outros

várias

tantas

outras

algo

cada

mais

menos

quanto

quanta

quantos

quantas

demais

qualquer

 

quaisquer

   

qual

quais

bastante

bastantes

São locuções pronominais indefinidas:

cada qual, cada um, qualquer um, quantos quer (que), quem quer (que), seja quem for, seja qual for, todo aquele (que), tal qual (=certo), tal e qual, tal ou qual, um ou outro, uma ou outra etc.

Exemplo:

Cada um escolheu o vinho desejado.

PRONOMES RELATIVOS

Os pronomes relativos costumam também ser definidos a partir de um critério formal. São relativos aqueles pronomes que fazem referência a algum elemento anteriormente mencionado no texto, considerado seu termo antecedente e com os quais se relacionam. Introduzem as orações subordinadas adjetivas.

Pronomes relativos:

que, quem, qual, quanto e cujo.

Exemplos:

O racismo é um sistema que afirma a superioridade de um grupo racial sobre outros. (afirma a superioridade de um grupo racial sobre outros = oração subordinada adjetiva).

O pronome relativo "que" refere-se à palavra "sistema" e introduz uma oração

subordinada. Diz-se que a palavra "sistema" é antecedente do pronome relativo que.

ESTUDO DOS PRONOMES RELATIVOS

O pronome que é o relativo de mais largo emprego, sendo por isso chamado relativo universal. Pode ser substituído por o qual, a qual, os quais, as quais, quando seu antecedente for um substantivo.

Exemplo:

O trabalho que eu fiz refere-se à corrupção.(= o qual)

A cantora que acabou de se apresentar é péssima.(= a qual)

Os trabalhos que eu fiz referem-se à corrupção. (=os quais)

As cantoras que se apresentaram eram péssimas. (= as quais)

O qual, os quais, a qual e as quais são exclusivamente pronomes relativos:

por isso, são utilizados didaticamente para verificar se palavras como "que", "quem", "onde" (que podem ter várias classificações) são pronomes relativos. Todos eles são usados com referência a pessoa ou coisa por motivo de clareza ou depois de determinadas preposições:

Exemplo:

Regressando de São Paulo, visitei o sítio de minha tia, o qual me deixou encantado. (O uso de que neste caso geraria ambigüidade.) Essas são as conclusões sobre as quais pairam muitas dúvidas? (Não se poderia usar que depois de sobre.)

Cujo, cuja, cujos, cujas são pronomes relativos que assinalam uma relação de posse entre o antecedente e o termo que eles especificam. Seu sentido equivale ao de quem, do qual, de que. O pronome "cujo" pode não concordar com o seu antecedente, mas com o conseqüente.

Exemplo:

Nunca como em um restaurante cujo cozinheiro almoça fora. (cujo cozinheiro = o cozinheiro do restaurante) Este é o caderno cujas folhas estão rasgadas.

"Quanto" é pronome relativo quando tem por antecedente um pronome indefinido: tanto(ou variações) e tudo:

Exemplo:

Emprestei tantos quantos foram necessários. (antecedente = tantos) Ele fez tudo quanto havia falado. (antecedente = tudo)

O

pronome

"quem"

refere-se

a

pessoas

e

vem

sempre

precedido

de

preposição.

Exemplo:

É um professora a quem muito devemos.

(antecedente = a = preposição)

"Onde", como pronome relativo, sempre possui antecedente e só pode ser utilizado na indicação de lugar. Exemplo:

A casa onde morava foi assaltada.

(antecedente = casa)

Os pronomes relativos permitem reunir duas orações numa só frase. Exemplo:

O

futebol é um esporte. O povo gosta muito deste esporte.

O

futebol é um esporte de que o povo gosta muito.

Não é difícil perceber que os pronomes relativos são peças fundamentais à boa articulação de frases e textos: sua capacidade de atuar como pronomes e conectivos simultaneamente favorece a síntese e evita a repetição de termos.

PRONOMES INTERROGATIVOS

São usados na formulação de perguntas, sejam elas diretas ou indiretas. Assim como os pronomes indefinidos, referem-se à 3ª pessoa do discurso de modo impreciso. São pronomes interrogativos: que, quem, qual (e variações), quanto (e variações).

Exemplos:

Que são pronomes interrogativos ? (pergunta direta)

O professor perguntou aos alunos que são pronomes interrogativos. (pergunta indireta)

Quantos de vocês estudam diariamente ? Quem de vocês estuda diariamente ?

Referências

ABAURRE, Maria Luiza. Português, língua, literatura, produção de textos: volume único. 2 ed. São Paulo: Moderna, 2004. Páginas 216 a 220. http://www.infoescola.com/portugues/pronomes/

http://www.soportugues.com.br/secoes/morf/morf42.php

http://kplus.cosmo.com.br/materia.asp?co=28&rv=Gramatica