Você está na página 1de 4

ULTRASSONOGRAFIA

EXAME NÃO INVASIVO E NÃO CUMULATIVO;


NÃO TEM RADIAÇÃO – É UMA ONDA MECÂNICA;
O QUE É? – É A EXAMES DEVEM SER REALIZADOS COM
EMISSÃO DE UM VANTAGENS INDICAÇÃO MÉDICA.
SOM QUE BATE EM
UM OBJETO E DÁ
UM ECO; ESSE ECO IMAGENS RUINS, DE BAIXA RESOLUÇÃO E DIFÍCIL
DESVANTAGENS INTERPRETAÇÃO;
É ABSORVIDO E
PRECISA TER UMA PESSOA EXPERIENTE;
ANALISADO RADIOLOGISTA PRECISA ESTAR PRESENTE NO
MOMENTO DO EXAME.

DIAGNÓSTICO QUE EVIDENCIA AS


FÍSICA ECOGRAFIA PROPRIEDADES MECÂNICAS DO TECIDO;
AMPLITUDE (A):
USA UMA ONDA ACÚSTICA;
INTENSIDADE DA AVALIA QUÃO HOMOGÊNEO ESTÁ O MEIO;
ONDA SONORA. DEPENDE DA IMPEDÂNCIA ACÚSTICA DO MEIO.

TRANSDUTORES:
PERÍODO (T): MATERIAIS
TEMPO QUE O PIZOELÉTRICOS
EFEITO PIEZOELÉTRICO: MATERIAIS
MESMO SÃO COLOCADOS
DE QUARTZO E CERÂMICA QUE
FENÔMENO SE FREQUÊNCIA (F): DENTRO;
VIBRAM; COM ESSA VIBRAÇÃO,
REPETE NÚMERO DE PONTEIRA QUE
ATRAVÉS DE UMA ENERGIA
(INVERSO DA OSCILAÇÕES TEM A
ELÉTRICA, CAUSA UMA PRESSÃO
FREQUÊNCIA). PRODUZIDAS EM CAPACIDADE DE
MECÂNICA; CAPACIDADE DOS
1S – HZ. EMITIR E
MATERIAIS DE VIBRAR E CAUSAR O
RECEBER O
ULTRASSOM.
ULTRASSOM

IMPEDÂNCIA ACÚSTICA (Z): QUANTO QUE O OBJETO PERMITE OU


NÃO PERMITE QUE ESSE ULTRASSOM PASSE OU NÃO. “COLOCAR A
ORELHA NA PAREDE PARA OUVIR A CONVERSA ALHEIA”
IMPEDIMENTOS
JANELA ACÚSTICA
TRANSDUTORES NATURAIS PARA
A PASSAGEM DO
SOM (AR, OSSOS,
GORDURA).
TRANSDUTOR CURVO
(CONVEXO):
EXAMES DOS ÓRGÃOS INTERNOS
 ALTERAÇÕES DO ECO; MUDANÇA DA ANGULAÇÃO
DEPENDENDO
DO TRANSDUTOR, DA POSIÇÃO DO PACIENTE...
DO
TRANSDUTOR LINEAR:
MEIO
EXAMES DOS ÓRGÃOS EXTERNOS
E SUPERFICIAIS CARACTERÍSTICAS DE
PROPAGAÇÃO DO ULTRASSOM
RELAÇÃO
TRANSDUTOR ENDOCAVITÁRIO:
ONDA
EXAMES DOS ÓRGÃOS INTERNOS, ATENUAÇÃO:
SONORA E
UTILIZANDO AS VIAS NATURAIS O QUANTO QUE O ULTRASSOM CHEGA DE
MEIO DE
DO ORGANISMO PROFUNDIDADE ATÉ TER SUA INTENSIDADE
PROPAGA-
SER REDUZIDA À METADE; DIFERENÇA ENTRE
ÇÃO
BEXIGA CHEIA E VAZIA
TRANSDUTOR SETORIAL:
FACILITAR O EXAME DE ALGUNS
QUANTO REFLEXÃO TOTAL:
ÓRGÃOS INTERNOS
MAIOR A UMA PARTE DO
ABSORÇÃO:
FREQUÊNCIA, SOM PASSA, MAS
O QUANTO QUE A
MENOR A OUTRA REFLETE;
TRANSDUTORES ESPECIAIS: ENERGIA MECÂNICA
PENETRAÇÃO O   DIFERENÇA
TECNOLOGIA ADICIONAL PARA (ULTRASSOM) É
IMAGENS ESPECIAIS DE TECIDO;
TRANSFOR- CABEÇOTE/AR;
MADA EM GEL– DIMINUIR
ENERGIA ESSA INTERFACE
REFLEXÃO ESPECULAR: REPRESENTAÇÃO DUPLA DA
MOLECULAR
IMAGEM; DE ESPELHO; OCORRE EM REGIÕES MAIS DENSAS

REFRAÇÃO: QUANDO O FEIXE SONORO MUDA DE DIREÇÃO; O OBJETO


OBSERVADO PARECE ESTAR MAIS PROFUNDO DO QUE REALMENTE ESTÁ
SISTEMA DE IMAGENS DE MODO B (BRILHO):
ULTRASSOM MAIS USADO;
FORNECE IMAGENS EM 2D;
INFORMAÇÕES SOBRE
ESTRUTURA INTERNA DO
MODO A (AMPLITUDE): CORPO; ANÁLISE ECOGRÁFICA
ANTIGO - 1930 (TRABALHA COM DIAGNOSTICO DO FETO,
GRÁFICOS); FÍGADO, MAMA,
INFORMAÇÕES CORAÇÃO...;
UNIDIMENSIONAIS (LINHAS); PODE DETECTAR DETECÇÃO: IMAGEM QUE
APLICAÇÕES NA OFTALMOLOGIA GRAVIDEZ E ALTERAÇÕES DIFERE DA NORMALIDADE.
O   DIAGNOSTICA TUMORES, UTERINAS.    
CORPOS ESTRANHOS E CARACTERIZAÇÃO:
DESLOCAMENTO DE RETINA. NOMENCLATURA PRECISA E
ISOECOICO: ESPECÍFICA.
ESTRUTURAS
DIFERENTES QUE
MODO M (MOVIMENTAÇÃO TEMPORAL):
REFLETEM A
USADO NA CARDIO; ECOGENICIDADE:
MESMA
TEM O A E O B JUNTOS; CAPACIDADE DE DIFERENTES
ECOGENICIDADE;
TRANSDUTOR FICA PARADO COMO NO ESTRUTURAS EM REFLETIR AS
MODO A MAS OS ECOS APARECEM ONDAS DE ULTRASSOM,
GLÂNDULAS -
COMO MODO B. GERANDO ECOS.
ILHOTAS DE
GORDURA
(REFLETINDO DA
MESMA FORMA). HIPERECOGENICIDADE:
QUANDO REFLETE BASTANTE;
ANECOGENICIDADE: FICA BRANCO;
AUSÊNCIA DE ECOS;
BEM ESCURO, PRETO; GASES E OSSOS.

LÍQUIDOS, CISTOS.

HIPOECOGENICIDADE:
POUCA REFLEXÃO; TONS DE CINZA;

PARÊNQUIMA RENAL.
UTILIZAÇÃO:
EMISSÃO CONTÍNUA DE 3MHZ; COMEÇA
AJUDA A AVALIAR O
COM UMA DOSE MAIS BAIXA E VAI
TEMA VASCULAR E
AUMENTANDO PARA A APLICAÇÃO ONDE
HEMODINÂMICO DE
INTERESSA;
VÁRIOS ÓRGÃOS, PELA
VARIA DE 4MIN POR ÁREA;
FORMA QUE AS ULTRASSOM DOPPLER
CONTRAINDICAÇÕES: GESTANTES,
HEMÁCIAS SE
ALTERAÇÕES VASCULARES, IMPLANTES
MOVIMENTAM;
METÁLICOS, INFECÇÕES;
O EFEITO NÃO É O ECO, MAS SIM A
ECOCARDIOGRAMA:
VIBRAÇÃO; EFEITO DOPPLER: ONDAS
AVALIA AS CÂMARAS
FAZ AS MOLÉCULAS VIBRAREM, GERA SONORAS EM MOVIMENTAÇÃO
DO CORAÇÃO,
CALOR, ESTIMULA COLÁGENO, SÃO CAPTADAS DE FORMAS
VÁLVULAS CARDÍACAS,
ACREDITAM QUE PODE QUEBRAR A DIFERENTES.
VASOS SANGUÍNEOS
MOLÉCULA ADIPOSA.

DOPPLER PULSADO:
ULTRASSOM NA ESTÉTICA
DOPPLER COLORIDO: ULTRASSOM SAI EM PULSOS; O
DEMONSTRADO COM INTENSIDADES CRISTAL QUE EMITE O ECO,
DIFERENTES; MEDE A FREQUÊNCIA RECEBE; SELECIONA O VASO;
AJUDA NA DO ECO; USADO EM GESTANTES. CUSTO ELEVADO
VASCULARIZAÇÃO,
DIMINUIR EDEMA,
DRENAGEM
LINFÁTICA,
DIMINUIR RESPOSTA DOPPLER DE
INFLAMATÓRIA. AMPLITUDE: DOPPLER CONTINUO:
NÃO DIFERENCIA UM CRISTAL EMITE E OUTRO CRISTAL RECEBE O ECO;
A DIREÇÃO DO NÃO SELECIONA VASOS ESPECÍFICOS; AVALIAÇÃO
ULTRASSOM FLUXO MAS É GERAL; BAIXO CUSTO.
NO MENOS
PÓS- DEPENDENTE DE
OPERATÓRIO ANGULAÇÃO. DOPPLER FETAL:
AVALIA A PARTE DE PLACENTA, CORDÃO UMBILICAL,
CORPO DO BEBE; PODE SER FEITO NO PRIMEIRO
TRIMESTRE; AVALIA FORMAÇÃO, ATIVIDADE
CARDÍACA DO BEBÊ, PROBLEMAS NA PLACENTA...

Você também pode gostar