Você está na página 1de 31

Secretaria de

Educação e Cultura

SEMANA 27
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II

Escola Municipal: _________________________________________


Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Componente
Ano de Escolaridade 8º ano Língua Portuguesa
Curricular

Nº de aulas previstas 05 aulas Habilidades EF08LP04

DICAS DA LÍNGUA
O que é crase?
Crase é o nome dado à fusão de vogais idênticas. A
ocorrência desse fenômeno será indicada através do uso do
acento grave ou acento indicador de crase.
Você sabe o que é crase?
A palavra crase tem origem na Grécia e
significa mistura ou fusão. Na língua portuguesa, a crase
indica a contração de duas vogais idênticas, mais
precisamente, a fusão da preposição a com o artigo feminino
a e com o a do início de pronomes. Sempre que houver a fusão desses elementos, o
fenômeno será indicado através da presença do acento grave, também chamado de acento
indicador de crase. Ex.: Eu me referi à caneta que está dentro do estojo.

Casos em que nunca ocorre crase

✔ Antes de palavra masculina (pois antes de masculina não ocorre o artigo “a”,
indicador do gênero feminino): pagamento a prazo; andar a cavalo; sal a gosto.
✔ Antes de verbo (porque antes de verbo não ocorre artigo): O suspeito está disposto
a ajudar.
✔ Antes de pronomes em geral (porque antes deles, geralmente, não ocorre
artigo): Ele disse a ela que não fará a viagem; Ele falou alguma coisa a você?
✔ Antes de nome de cidade (porque antes de nomes de cidade não se emprega
artigo): Você não vai a Natal?
✔ Expressões formadas por palavras repetidas: Cara a cara; frente a frente; minuto
a minuto.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
1
Secretaria de
Educação e Cultura

✔ “A” antes de palavras flexionadas no plural: Os dados coletados não se referem a


populações indígenas.
✔ Depois de preposições como para, perante, com e contra: O encontro foi
marcado para as 18h; A manifestação é contra a corrupção.

Casos em que sempre ocorre a crase

✔ Locuções adverbiais femininas que expressam ideia de tempo, lugar e modo: Às


vezes Mariana vai à escola de ônibus; O aluno fez a lição às pressas e entregou para
a professora.
✔ Locuções prepositivas: Os médicos estão à espera do paciente à esquerda do
corredor.
✔ Locuções conjuntivas (existem apenas duas locuções desse tipo): À medida que o
tempo passa, o casal fica mais apaixonado; À proporção que os dias passavam, o
medo crescia.
Casos em que a crase é opcional

✔ Antes de pronomes possessivos femininos minha, tua, nossa etc. (pois nesses
casos o uso do artigo antes do pronome é opcional): Os presentes foram entregues à
minha irmã ou Os presentes foram entregues a minha irmã.
✔ Antes de nomes de mulheres (pois aqui o artigo é opcional): Felipe fez um pedido à
Raquel ou Felipe fez um pedido a Raquel.
✔ Antes da palavra até (se depois dela houver uma palavra feminina que admita artigo,
a crase será opcional): Os amigos foram até à praça ou Os amigos foram até a praça.

Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/portugues/o-que-e-crase.htm. Acesso 05 ago.


2021.

QUESTÃO 01 – Ao modificar a palavra destacada na frase “Vou ao supermercado”, por uma


no feminino teremos:
A. ( ) Vou na loja.
B. ( ) Vou à loja.
C. ( ) Vou a padaria.
D. ( ) Vou até padaria.

QUESTÃO 02 – Assinale a alternativa cujas formas preenchem corretamente os espaços:


I – Entreguei __ carta ao diretor.
II – Não irei __ formatura.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
2
Secretaria de
Educação e Cultura

III – __ noite, todos sairão para o baile.


A. ( ) a – a – A.
B. ( ) à – à – À.
C. ( ) a – à – À.
D. ( ) à – a – À.

Leia tira:

Disponível em: https://diogoprofessor.blogspot.com/2019/08/atividade-de-interpretacao-de-


uma.html. Acesso 12 ago. 2021.

QUESTÃO 03 – Ao levar em conta a palavra no trecho “Eles podem ensinar o povo a


pensar...”, no último quadrinho da tirinha, é adequado afirmar que:
A. ( ) Está incorreta, pois há necessidade do uso da crase, uma vez que encontra-se
antes de um verbo.
B. ( ) É inadequada, pois está anteposta a um verbo.
C. ( ) Está correta, por antepor um verbo.
D. ( ) A crase é facultativa por vir antes de um verbo.

QUESTÃO 04 – Uma situação em que a crase é facultativa aparece na alternativa:


A. ( ) Eu sempre obedeço à minha mãe.
B. ( ) À tarde, gosto de passear na praça.
C. ( ) O meu dia a dia é muito tranquilo.
D. ( ) Gosto de ir à feira.

QUESTÃO 05 –
Fácil (Jota Quest)

Tudo é tão bom e azul


E calmo como sempre

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
3
Secretaria de
Educação e Cultura

Os olhos piscaram de repente


Um sonho

As coisas são assim


Quando se está amando
As bocas não se deixam
E o segundo não tem fim

Um dia feliz
As vezes é muito raro
Falar é complicado
Quero uma canção

Fácil, extremamente fácil


Pra você, e eu e todo mundo cantar
junto
Fácil, extremamente fácil
Pra você, e eu, e todo mundo cantar junto

Tudo se torna claro


Pateticamente pálido
O coração dispara
Se eu vejo o teu carro

A vida é tão simples


Mas dá medo de tocar
As mãos se procuram sós
Como a gente mesmo quis [...]

Disponível em: https://www.letras.mus.br/jota-quest/20288/.Acesso: 05 ago. 2021.

Assinale a alternativa em que corresponde ao verso no qual o uso da crase é obrigatório.

A. ( ) 5.° verso.
B. ( ) 7.° verso.
C. ( ) 10.° verso.
D. ( ) 21° verso.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
4
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 27
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Ano de Componente
8º ano Língua Inglesa
Escolaridade Curricular
Nº de aulas EF08LI04
02 aulas Habilidades
previstas

Hey guys, how do you do? Let’s have some English classes!
Na nossa aula de hoje vamos aprender técnicas para comunicarmos sobre previsões,
possibilidades e probabilidades futuras.

Let’s look at the pictures below:

(image 1) https://stock.adobe.com/br/search/images?k=cartoon%20teenage%20girl
(image 2) https://br.pinterest.com/pin/704109722965308249/

This is Pamela. She is a friend who This is Felipe. He is a friend who


studies with me. She is a very decided studies with me too. He is different from
girl and she thinks about her future a Pamela and he doesn’t think about his
lot. There are many possibilities that future much. The only thing he is
she believes about her future: thinking about is his vacation in
December. Here are some of his
I will graduate from high school in previews of his vacation:
Pouso Alegre.
I will travel to the beach.
I will study at the Federal Institute.
I will travel with some friends from
I will become a math teacher. school.
I will work at public schools. I will go scuba diving.
I will have a great time.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
5
Secretaria de
Educação e Cultura

Como vemos acima, tanto Pamela quanto Felipe falam de ações futuras em suas vidas. No
entanto, Pamela comenta sobre possibilidades enquanto Felipe sobre previsões. Tanto
para falarmos sobre possibilidades e previsões futuras vamos usar o verbo auxiliar WILL.
Para usá-lo, basta o colocarmos antes do verbo principal em sua forma básica. Look at the
examples below:

I will graduate from high school in Pouso Alegre. (Eu vou me formar no ensino médio em
Pouso Alegre.)
I will travel to the beach. (Eu vou viajar para a praia.)

Agora, respondam às perguntas abaixo a respeito de vocês. Usem o WILL em suas


respostas e evitem respostas muito curtas. Have fun!

Questions Answers
What will you do when you finish
school?
(O que você fará quando terminar a
escola?)
Where will you live in the future?
(Onde você viverá no future?)
Whom will you live with in the future?
(Com quem você morará no future?)
Who will you be in the future?
(Quem você quer ser no future?)

QUESTÃO 01) Which sentence below demonstrates an example of future possibility or


preview? (Qual frase abaixo demonstra um exemplo de possibilidade ou previsão futura?)

A. ( ) My mother works as an engineer.


B. ( ) I traveled to São Paulo last week.
C. ( ) I will be a soccer player in the future.
D. ( ) George never washes the dishes.

QUESTÃO 02) Which answer would fit best for the question below? (Qual resposta se
encaixaria melhor para à pergunta abaixo?)

Who will you be in the future? (Quem você será no futuro?)


A. ( ) I will be in Salvador in December.
B. ( ) I will be a happy person.
C. ( ) I will live with my parents.
D. ( ) I will finish my school next year.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
6
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 27
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Ano de Componente
8º ano Arte
Escolaridade Curricular
Nº de aulas
01 aula Habilidades (EF69AR21A)
previstas

Melodia, textura musical.


Você já ouviu falar em textura musical?
Podemos comparar a música com uma lasanha.
A lasanha tem várias camada não é mesmo? A
música também?
Na música chamamos essas camadas de voz ou
de linha melódica.
Por exemplo, em uma música de banda, uma
camada é a bateria, uma camada é o baixo, uma camada
é o teclado e a outra camada é quem canta.
E todas essas vozes montam a lasanha, sempre na medida certa, para uma não
sobressair à outra.
Vamos conhecer três tipos de texturas.
• Monofonia: quando se tem uma única voz, por exemplo: alguém cantando sozinho
ou uma musica com um único instrumento.
Exemplo:
https://www.youtube.com/watch?v=a7Lgk1opsoA&list=PL144B5ADEE40FDFA5&ind
ex=2 (Prelude Final Fantasy)
• Homofonia: Quando se tem uma voz principal e outros instrumentos
acompanhando, usando outras notas, porém tocando junto.
https://www.youtube.com/watch?v=xlKcywQvACc&list=PL433478E1E6209DA7
&index=15 (Coral Final Fantasy)
• Polifonia: Quando se tem varias vozes principais, cada uma delas tem grande
importância.
Cada voz da Polifonia tem sua nota e seu ritmo.
Porém juntas formam um musica só
Exemplo: https://www.youtube.com/watch?v=dTsysrbD2iM (final Fantasy XIX)

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
7
Secretaria de
Educação e Cultura

Para enriquecer: https://www.youtube.com/watch?v=YrXKVMVX_ms


A melodia é uma sequência de notas musicais.
Com uma sucessão de sons ritmados, que organizados
de forma, proporcionam um sentido musical para quem
está escutando. Através da melodia, podemos
reconhecer as músicas com um simples assovio.
Para se construir uma melodia, é preciso
organizar as notas musicais com duração, intensidade e
altura, quanto mais simples, mais fácil será a memorização da melodia.
Exemplo: https://www.youtube.com/watch?v=APoqjxJDAqk

Questão 1- O que é textura Polifônica?


A ( ) Quando se tem uma voz principal e outros instrumentos acompanhando, usando
outras notas, porém tocando junto.
B ( ) Quando se tem varias vozes principais, cada uma delas tem grande importância.
C ( ) Quando se tem uma única voz, por exemplo: alguém cantando sozinho ou uma
musica com um único instrumento.
D ( ) Quando se tem varias vozes sem importância.

Caderno elaborado pela professora Rosiane Tobias França – adaptado do livro Telaris Arte – 8º ano-
Editora Ática- São Paulo 2018 Imagens disponíveis em www.google.com.br/imagens. Vídeos
disponíveis em www.youtube.com.br

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
8
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 27
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola municipal: ______________________________________
Nome do(a) aluno(a):___________________________________
Professor(a):__________________________________________
Turma:_______________________________________________
Ano de Escolaridade 8º ano Componente Curricular Educação Física
Nº de aulas previstas 2 aulas Habilidades (EF89EF05P9)

Caros estudantes!

A aula de hoje será sobre lutas do mundo. Vamos conhecer mais sobre esse tema?

As lutas são embates físicos de ataque e defesa que demonstram superioridade em um


confronto. É uma atividade esportiva e sua prática é muito antiga, possuindo registros
históricos em praticamente todas as eras da humanidade.

Por ser praticada há tanto tempo, em tantos lugares do mundo, possui uma grande
diversidade de estilos espalhados, sendo difícil precisar sua origem, mas é inegável que os
gregos foram os grandes responsáveis pela introdução dessa modalidade no mundo dos
esportes, sendo disputada também nos jogos Olímpicos da Antiguidade apenas por
homens, onde era considerada de caráter brutal e sendo um dos principais esportes,
perdendo apenas para o atletismo.

Atualmente as lutas seguem presentes no cenário esportivo, e possuem técnicas de


agarramento, derrubadas e golpes que podem ser realizadas entre os competidores.
Existem diferentes estilos e técnicas de lutas e elas podem variar conforme as regras e
origens. Caracterizam-se também pelos combates a curta distância (empurrões, socos,
defesas e imobilizações, etc.) e longa distância (fazendo uso de lanças e espadas).

Sobre estilos

Seis estilos de lutas foram estabelecidos pela FILA (Federação Internacional de Lutas
Associadas), são eles: luta de praia, greco-romana, livre, de combate, corpo a corpo e o
sambo. Veremos a seguir mais detalhes sobre algumas dessas.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101 9
Secretaria de
Educação e Cultura

Luta de praia

É um dos mais conhecidos, em inglês Beach


wrestling, é uma disputa feita em pé com o
objetivo de derrubar o adversário no chão. Nessa
luta dois atletas se posicionam num círculo de 9
metros de diâmetro, tentando derrubar o
oponente ou empurrá-lo para fora do círculo num
tempo de dois minutos, num único round. Não
são válidas lutas no chão, possui categorias
masculina e feminina e deve-se somar 3 pontos
para vencer.

Greco-romana

Está entre as lutas mais populares e é


modalidade dos Jogos Olímpicos desde 1896. A
luta greco-romana não faz uso de
equipamentos de proteção e por essa razão
não é permitida a utilização de golpes violentos
ou baixos e nem o uso das pernas, o
competidor só pode utilizar os membros
superiores para derrubar o adversário.

O objetivo é derrubar o oponente de modo que


os ombros dele fiquem no chão. O combate é
dividido em dois rounds, com três minutos cada
com os pontos por golpes variando de um a cinco (por dificuldade).

A finalização da luta greco-romana acontece quando um lutador é derrubado, mas se não


houver queda, quem possuir superioridade técnica vence, ou mesmo por número de pontos.

Estilo livre

Conhecida internacionalmente como freestyle


wrestling, a luta livre é um estilo considerado um dos
mais antigos. De acordo com a FILA, essa categoria
está entre as principais formas de combate, atrás
apenas da greco-romana, sambo e o judô. Vence o
combate o atleta que derrubar o oponente

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101 10
Secretaria de
Educação e Cultura

no tatame, sendo permitido o uso das pernas para defender ou atacar. Possui categorias
masculina e feminina.

Obs. Em 1994, a FILA foi renomeada para United World Wrestling depois que se expandiu
para outros estilos de luta livre.

Texto elaborado pela professora Ana Paula da Silva, adaptado de - Combates Que Incluem o Uso de
Técnicas. Disponível em: <https://www.educamaisbrasil.com.br/enem/educacao-fisica/lutas. Acesso
em: 11 ago. 2021. Texto adaptado disponível em: < https://uww.org/. Acesso em: 10 ago. 2021. Texto
adaptado disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Luta. Acesso em: 10 ago. 2021.

QUESTÃO 01 – Como era considerada a luta nas Olimpíadas da Antiguidade?

A. ( ) Esporte de homens e mulheres.


B. ( ) Sem importância.
C. ( ) O principal esporte.
D. ( ) De caráter brutal.

QUESTÃO 02 – Qual desses estilos de luta é realizado apenas de pé?

A. ( ) Estilo Greco-romano.
B. ( ) Luta de praia.
C. ( ) Estilo livre.
D. ( ) Todas.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101 11
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 27
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
8º ano
Ano de Escolaridade Componente Curricular Matemática
05 aulas
Nº de aulas previstas Habilidades EF08MA12

Relação entre grandezas


Uma grandeza é tudo aquilo que pode ser medido. Há situações em que duas ou
mais grandezas podem estar relacionadas, sendo essa relação de proporcionalidade direta,
inversa ou não proporcional.

Grandezas diretamente proporcionais

Dizemos que as grandezas A e B são diretamente proporcionais quando,


aumentando a medida da grandeza A, a medida da grandeza B aumenta, em consequência
disso, na mesma proporção.
Se duas grandezas forem diretamente proporcionais, diminuir a medida da
grandeza A fará com que a medida da grandeza B também diminua na mesma proporção,
por isso, a palavra diretamente é usada para representar esse tipo de proporcionalidade
entre grandezas.
Observe a seguinte situação: Luiz parou para abastecer seu carro num posto de
combustível cujo valor de cada litro é de 5 reais. Ele colocou 5 litros de gasolina. Quanto ele
pagou?

Para determinar o valor que Luiz pagou basta multiplicar por 5 o preço do litro da
gasolina. Logo, ele pagará 25 reais por 5 litros de gasolina.
Nessa situação o valor pago está relacionado a quantidade combustível, de
maneira que, ao aumentarmos a quantidade de gasolina, o valor pago também aumentará.
Se diminuirmos a quantidade de gasolina, o valor pago também diminuirá. Nesse caso,
dizemos que a quantidade de combustível e o valor pago são grandezas diretamente
proporcionais.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
12
Secretaria de
Educação e Cultura

Indicando por x a quantidade de gasolina e por y o valor a ser pago, representamos


a relação entre essas grandezas por:

Atribuindo valores para x e calculando os valores correspondentes para y, obtemos


pares ordenados (x,y), que são representados no plano cartesiano por pontos.

Grandezas inversamente proporcionais


Duas grandezas que são inversamente proporcionais ainda variam uma em
consequência da outra e na mesma proporção, entretanto, o aumento da medida relativa à
primeira faz com que a medida relativa à segunda diminua. Se diminuirmos a medida
relativa à primeira grandeza, isso fará com que a medida relativa à segunda aumente. É por
isso que essa proporcionalidade é chamada de inversa.
Acompanhe a seguinte situação:
Para pintar as paredes da escola, dois pintores precisam de 12 dias de trabalho.
Em quantos dias seis pintores, no mesmo ritmo de trabalho, fazem a pintura das paredes
dessa escola?

Considerando que os pintores manterão o mesmo ritmo de trabalho, como está


aumentando o número de pintores a quantidade de
dias necessários para pintar as paredes da escola
diminuirá. Observe na tabela que a quantidade de
pintores foi multiplicada por 3, neste caso a
quantidade de dias será a terça parte, ou seja será
dividida por 3. Assim, seis pintores pintam a escola
em 4 dias (12 : 3 = 4).
Nesta situação a quantidade de dias de trabalho depende da quantidade de pintores.
Se a quantidade de pintores dobrar, a quantidade de dias trabalhados será reduzida pela
metade; se a quantidade de pintores diminuir pela metade, a quantidade de dias trabalhados

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
13
Secretaria de
Educação e Cultura

será o dobro. Dessa maneira dizemos que a quantidade de pintores e quantidade de dias de
trabalho são grandezas inversamente proporcionais.
Indicando por x a quantidade de pintores, por y a quantidade de dias de trabalho e
sabendo que 1 pintor realiza a pintura em 24 dias, representamos a relação entre essas
grandezas por:

Atribuindo valores para x e calculando valores correspondentes de y, obtemos pares


ordenados (x,y), que são representados no plano cartesiano por pontos.

Grandezas não proporcionais


As grandezas nem sempre são proporcionais. Por exemplo, a medida da altura de
uma pessoa não é proporcional à sua idade. Se aos 18 anos uma pessoa mede 1,6 m, isso
não significa que aos 36 anos de idade ela medirá 2,2 m.

Vamos agora fazer algumas atividades.

Texto elaborado pela professora Elaine Cristina Ribeiro, adaptado de Matemática essencial, 8º ano.
São Paulo: Ática, 2019.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
14
Secretaria de
Educação e Cultura

Atividades

Questão 1 – Sobre grandezas diretamente proporcionais é correto afirmar que:


A ( ) são grandezas sempre constantes.
B ( ) quando uma grandeza aumenta a outra também aumenta proporcionalmente ou
quando uma grandeza diminui a outra também diminui proporcionalmente.
C ( ) quando uma grandeza aumenta a outra diminui proporcionalmente.
D ( ) quando uma grandeza diminui a outra aumenta proporcionalmente.

Questão 2 – Um quadrado de lado 5 cm tem área 25 cm2 se dobrarmos a medida de seu


lado (10 cm) sua área passará a ser 100 cm2. Analisando essa informação é correto afirmar
que as grandezas comprimento do lado e área são:
A ( ) inversamente proporcionais.
B ( ) diretamente proporcionais.
C ( ) não proporcionais.
D ( ) iguais.

Questão 3 – Sobre grandezas inversamente proporcionais é correto afirmar que:


A ( ) são grandezas sempre constantes.
B ( ) quando uma grandeza aumenta a outra também aumenta proporcionalmente.
C ( ) quando uma grandeza aumenta a outra também aumenta ou quando uma grandeza
diminui a outra também diminui proporcionalmente.
D ( ) quando uma grandeza aumenta a outra diminui proporcionalmente ou quando uma
grandeza diminui a outra aumenta proporcionalmente.

Questão 4 – Para construir um muro de uma casa, 6 pessoas precisam de 12 horas e 18


pessoas precisam de 4 horas. Analisando essa informação é correto afirmar que as
grandezas quantidade de pessoas e tempo são:
A ( ) inversamente proporcionais.
B ( ) diretamente proporcionais.
C ( ) não proporcionais.
D ( ) iguais.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
15
Secretaria de
Educação e Cultura

Questão 5 (adaptada) - A cada semana, uma família consome 3 quilogramas de arroz.


Considerando y o consumo de arroz da família, em quilogramas e x a quantidade de
semanas podemos representar essa relação por y = 3x. Complete a tabela a seguir e
assinale a alternativa que contém o gráfico que represente a relação entre as grandezas.
A. ( )

B. ( )

C. ( )

D. ( )

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
16
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 27
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II

Escola Municipal: _________________________________________


Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Componente
Ano de Escolaridade 8º ano Ciências
Curricular
Nº de aulas previstas 03 aulas Habilidades EF08CI46MG
Leia os textos a seguir e responda às questões com atenção!

GRUPOS VEGETAIS

As plantas representam um reino específico, porém para além da classificação taxonômica,


os biólogos agrupam os vegetais em categorias, a fim de evidenciar nessa classificação o
parentesco evolutivo. No caso das plantas, os cientistas as dividem em quatro grupos,
seguindo três critérios:
presença de sistema
vascular; reprodução por
sementes e presença de
flores e frutos.

Plantas que não tem um


elaborado sistema condutor
de água são denominadas
plantas avasculares. São
mais de 24 mil espécies.
Essa categoria inclui o
grupo de plantas
denominada briófitas. Os
musgos pertencem ao
grupo das briófitas.

Plantas que têm um elaborado sistema condutor de água, chamadas plantas vasculares.
Esse grupo de plantas vasculares é dividido em dois: plantas vasculares que não se
reproduzem por sementes, como as samambaias, avencas e demais plantas
coletivamente denominadas pteridófitas. Os cientistas já identificaram cerca de 11 mil
espécies desse grupo. O outro grupo são os das plantas que se reproduzem por meio de
sementes.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
17
Secretaria de
Educação e Cultura

Este último grupo é subdividido em plantas que não têm flores e nas quais as sementes
são protegidas por frutos. São denominadas gimnospermas. Há cerca de 870 espécies,
das quais são exemplos os pinheiros, as cicas, os ciprestes e as sequoias. O outro grupo
são plantas que apresentam flores e nas quais as sementes ficam protegidas dentro de
frutos. Essas plantas são denominadas angiospermas e, como exemplos, podemos citar o
tomateiro, a mangueira, o abacateiro, a laranjeira, a goiabeira, etc. São cerca de 250 mil
espécies. Estes são portanto os quatro grandes grupos de plantas: briófitas, pteridófitas,
gimnospermas e angiospermas.

Fonte: Texto elaborado pelo professor Alexandre Fagundes Pereira, adaptado de Ciências
Naturais aprendendo com cotidiano, 8º ano. 6 ed. São Paulo: Moderna, 2018.

BRIÓFITAS E PTERIDÓFITAS: PLANTAS SEM SEMENTES

Musgos são plantas muito pequenas que crescem sobre


solos, rochas e troncos de árvores em locais úmidos e
sombreados. Embora cada plantinha seja bem pequena,
várias delas reunidas apresentam o aspecto de um tapete
verde aveludado.

Os musgos não apresentam flores, frutos ou sementes.


São plantas muito simples, avasculares (sem sistema
vascular), cuja reprodução envolve esporos, estruturam
aproximadamente esféricas muito pequenas, que podem ser facilmente dispersadas pelo
vento. Quando um esporo atinge uma superfície na qual há condições favoráveis, continua
seu desenvolvimento e, após uma série de complexos eventos, origina um novo indivíduo.
Os musgos pertencem ao grupo de plantas denominadas briófitas, ao qual também
pertencem as hepáticas e os antóceros.

As samambaias são exemplos de plantas que não têm flores e frutos, nem se reproduzem
por sementes. Se você observar atentamente as folhas dessa planta, verá, se estiver no
período fértil, que em um de seus lados existem pequenas estruturas marrons, denominadas
soros.

Os soros produzem pequenos esporos, que, se atingirem um local adequado, como o solo,
podem gerar uma nova samambaia após uma longa série de complexos acontecimentos.
Samambaias e avencas pertencem ao grupo de plantas denominadas pteridófitas, que se
reproduzem por esporos e não apresentam flores, frutos nem sementes.

Fonte: Texto elaborado pelo professor Alexandre Fagundes Pereira, adaptado de Ciências
Naturais aprendendo com cotidiano, 8º ano. 6 ed. São Paulo: Moderna, 2018.

GIMNOSPERMAS: PLANTAS COM SEMENTES


Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122
Tel.: (35) 3449-4101
18
Secretaria de
Educação e Cultura

Existem plantas que se reproduzem por meio de sementes mas não apresentam flores nem
formam frutos. Um exemplo é a araucária. Suas estruturas reprodutivas, denominadas
estróbilos, são diferentes nas plantas masculinas e femininas. Nos estróbilos das plantas
masculinas, forma-se o pólen, que é constituído de pequeninas estruturas esféricas (grão de
pólen), que contém os gametas masculinos. Quando essas plantas liberam o pólen, este é
levado pelo vento e atinge os estróbilos das plantas femininas (conhecido popularmente
como pinhas). Esse acontecimento é a polinização. Em seguida, ocorre a fertilização, ou
fecundação, que é o encontro dos gametas masculinos (que vieram do pólen) com os
gametas femininos (que estavam na pinha) formando o zigoto. Após a polinização e
fecundação, vão se originar as sementes de araucária, costumeiramente chamadas de
pinhões. Cada semente contém um embrião que se originou de um zigoto. Essas
sementes, que não ficam abrigadas dentro de frutos, após caírem no chão podem germinar
e produzir novas araucárias.

A araucária pertence ao grupo das gimnospermas, plantas que se reproduzem por


sementes, mas não exibem flores nem produzem frutos. Outros exemplos de gimnospermas
são: cedros, os pinus (pinheiros), os ciprestes, as sequoias e as cicas.

Fonte: Texto elaborado pelo professor Alexandre Fagundes Pereira, adaptado de Ciências
Naturais aprendendo com cotidiano, 8º ano. 6 ed. São Paulo: Moderna, 2018.

QUESTÃO 01 – Qual grupo de plantas é avascular?

A. ( ) Briófitas.
B. ( ) Pteridófitas.
C. ( ) Gimnospermas.
D. ( ) Angiospermas.

QUESTÃO 02 – Quais grupos de plantas não apresenta sementes?

A. ( ) Briófitas e gimnospermas.
B. ( ) Pteridófitas e gimnospermas.
C. ( ) Angiospermas e gimnospermas.
D. ( ) Briófitas e pteridófitas.

QUESTÃO 03 – Nas gimnospermas o grão de pólen é?

A. ( ) O gameta feminino.
B. ( ) A semente.
C. ( ) O gameta masculino.
D. ( ) O fruto.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
19
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 27
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do(a) Aluno(a):______________________________________
Professor(a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________

Ano de Componente
8º ano História
Escolaridade Curricular
Nº de aulas
03 aulas Habilidades EF08HI12
previstas

Texto I
A vinda da Família Real ao Brasil

A vinda da família real


portuguesa ao Brasil é motivada
por diversos fatores de mudança
na Europa. Como as relações
estabelecidas entre Portugal e
Inglaterra e o Bloqueio
Continental, que em 1806, foi
decretado por Napoleão
Bonaparte proibia os Estados
europeus de comercializarem
com a Inglaterra. Quem
desrespeitasse o bloqueio seria
considerado inimigo da França.
Devido as relações comerciais
com a Inglaterra, Portugal não podia aceitar essa condição imposta sem que sua economia
fosse prejudicada.
Após uma série de encontros confidenciais com líderes ingleses, a solução encontrada pelos
portugueses foi manter o apoio à Inglaterra e transferir a capital do Reino de Portugal para o
Brasil. Assim, em 1808, milhares de pessoas desembarcaram no Rio de Janeiro, entre elas o
príncipe regente D. João, a família real e a Corte portuguesa. Desde então, essa cidade
tornou-se a sede do governo de Portugal. Antes de chegar ao Rio de Janeiro, D. João passou
por Salvador. Nessa cidade, assinou um decreto que permitia a abertura dos portos brasileiros

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
20
Secretaria de
Educação e Cultura

às nações europeias aliadas a Portugal, que agora podiam receber as mercadorias vindas da
Europa sem o intermédio de Portugal. Esse decreto significou o fim do exclusivo comercial no
Brasil.
Em 1810, sob pressão militar e diplomática da Inglaterra, D. João assinou outros dois
importantes tratados que deram a Inglaterra muitas vantagens sobre o comércio no Brasil. O
Tratado de Navegação e Comércio, define que os comerciantes ingleses ao vender ao Brasil
deveriam pagar um imposto de 15% sobre o valor da mercadoria. Se fossem produtos
vendidos por portugueses seria de 16%, e a dos demais Estados europeus de 24%.
Com o Tratado de Amizade e Aliança, D. João se comprometia a reduzir e posteriormente
abolir o tráfico de escravizados africanos para o Brasil. Além disso, o tratado permitia aos
ingleses a liberdade religiosa e proibia a instalação dos tribunais da Inquisição no Brasil.
Também foi concedido aos ingleses o direito de extrair madeira das matas brasileiras para a
construção de seus navios.
Com o término das guerras napoleônicas, em 1815, os ingleses pressionaram para que D.
João retornasse a Portugal. Entretanto, a família real e os principais órgãos administrativos
portugueses já estavam estabelecidos no Brasil, muitos portugueses que vieram ao Brasil em
1808 tinham aberto negócios aqui e não queriam retornar a Portugal.
Nesse contexto, em 16 de dezembro de 1815, D. João elevou o Brasil à condição de Reino
Unido a Portugal e
Algarves. Essa medida
desagradou as pessoas
que viviam em Portugal, já
que acreditavam que
Portugal corria o risco de
ser reduzido à condição de
Colônia. Por outro lado, a
medida de D. João
favoreceu as elites
brasileiras, que não
desejavam perder os
benefícios adquiridos
desde 1808.
A vinda da família real alterou profundamente a colônia, como veremos no próximo cadernos,
mas ao mesmo tempo mudanças sociais e estruturais não ocorreram e a escravização de
africanos e seus descendentes, a principal mão de obra pouco vai se alterar. A maioria
continuava subjugada e tratada de maneira desumana pelos colonizadores. Os direitos dos
indígenas nem sequer eram citados nas primeiras legislações oficiais do Brasil.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
21
Secretaria de
Educação e Cultura

Fonte: Texto elaborado pelo Professor Rodrigo do Amaral Fonseca, para a Escola Virtual da
Secretaria Municipal de Educação de Pouso Alegre tendo como referência: DIAS, Adriana Machado;
GRINBERG, Keila; PELLEGRINI, Marco César. VONTADE de SABER HISTÓRIA - 8º ANO. São
Paulo: Quinteto, 2018.

QUESTÃO 01 – A elevação do Brasil a Reino Unido:


I – Não gerou reações dos portugueses.
II – Favoreceu a elite brasileira.
III – Ocorreu após pressões para o retorno de D. João a Portugal.

A. ( ) Todas são verdadeiras.


B. ( ) todas são falsas.
C. ( ) todas são verdadeiras, exceto a I.
D. ( ) todas são falsas, excerto a I.

QUESTÃO 02 – A vinda da família real teve como motivo:


A. ( ) A figura central da colônia da economia do Império.
B. ( ) As relações entre Portugal e França.
C. ( ) O bloqueio continental.
D. ( ) as relações afetivas entre o Rei a colônia.

QUESTÃO 03 – A vinda da família real estabeleceu:


A. ( ) Uma mudança social enorme com o fim da escravidão.
B. ( ) Uma transferência da capital do Império português de Lisboa para o Rio de Janeiro.
C. ( ) A abertura dos portos para as nações europeias com exceção da Inglaterra.
D. ( ) Uma política tributária que isentou os produtos de outros países ao serem vendido
ao brasil.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
22
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 27
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Ano de Componente
8º ano Geografia
Escolaridade Curricular
Nº de aulas
03 aulas Habilidades EF08GE18 – EF07GE23
previstas

A América pode ser dividida de acordo com as características históricas e culturais em


América Anglo-Saxônica, com Canadá e Estados Unidos, e em América Latina, incluindo
principalmente os países colonizados pelos portugueses e espanhóis. Somos um país
pertencente à América Latina! Vamos conhecer melhor a história dos habitantes americanos?

América Latina: povos nativos

A América Latina é formada por países que apresentam enorme variedade cultural e
diversidade de paisagens. Parte fundamental dessa cultura vem dos povos indígenas nativos
do continente, que resistem mesmo após anos de colonização. Na América Anglo-Saxônica
o processo de apagamento da cultura e extermínio dos povos indígenas foi muito intenso.

Muito antes de os europeus chegarem às terras que passariam a ser chamadas de


América, no final do séc. XV, várias sociedades já haviam se formado no continente e estavam
espalhadas de norte a sul, em territórios mais ou menos estabelecidos.

Esses povos adaptaram-se aos mais diferentes recursos e paisagens, desde o


altiplano andino (parte alta da Cordilheira dos Andes, conjunto de montanhas) ao sul,
passando pela Floresta Amazônica, atravessando a América Central e a América do Norte –
entre formações vulcânicas, planícies e terrenos alagadiços até as terras geladas do extremo
norte.

Os seres humanos provavelmente chegaram às Américas atravessando o Estreito de


Bering e o Oceano Pacífico em pequenas embarcações. Esses grupos primitivos deram
origem aos povos indígenas, que estavam por toda América quando os colonizadores
chegaram.

Questão 1 – De acordo com o mapa abaixo, selecione a alternativa que apresenta


CORRETAMENTE os povos nativos que habitavam o que hoje é o território brasileiro.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
23
Secretaria de
Educação e Cultura

A. ( ) Inuit (Esquimós), Na-Dene e Iorqueses.


B. ( ) Astecas, Maias e Incas.
C. ( ) Apaches, Sioux, Wakash e Chibchas.
D. ( ) Tupi, Guarani, Jê, Aruak e Karib.
Os povos da América viviam em comunidades com diferentes níveis de organização,
explorando os rios, as matas e praticando agricultura e comércio para obtenção de alimentos.
Alguns desses povos destacaram-se por sua estrutura social, política e econômica, como os
maias, astecas e incas. Eles dominavam conhecimentos de Arquitetura, Matemática,
Medicina, Astronomia, além de técnicas de fundição de ouro e prata.

- Maias: viveram em terras do atual México, surgida por volta de 1000 a.C. (antes de Cristo)
e mantida até o séc. XVI. A base econômica era a agricultura, principalmente de milho, feijão,

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
24
Secretaria de
Educação e Cultura

abóbora e pimentas. Eles desenvolveram técnicas agrícolas e sistemas de irrigação para os


cultivos, adaptando-se ao clima e à hidrografia (aos rios) local.

- Astecas: também conhecidos como mexicas, habitavam o centro do atual México. A capital
era a cidade de Tenochtitlán, que deu as bases para atual capital do país, a Cidade do México.
A base econômica era agrícola também, principalmente do milho. Tinham técnicas
aprimoradas de drenagem, que impressionaram os espanhóis no séc. XVI, além de grandes
pirâmides.

- Incas: habitavam terras do atual Equador, Peru, Bolívia e partes do Chile e Argentina. Viviam
na Cordilheira dos Andes, em ambientes montanhosos, onde construíram estradas e cidades,
como Machu Picchu. Praticavam agricultura, principalmente de batata e milho usando
técnicas de irrigação e de plantio em terraços.

Calcula-se que dezenas de milhões de nativos viviam em terras americanas quando


ocorreu a chegada dos exploradores. Todos esses povos sofreram graves consequências
com a colonização europeia a partir do séc. XVI. Muitos foram escravizados e exterminados,
graças ao domínio pela tecnologia superior (arma de fogo), pelo estímulo aos conflitos que já
existiam, pela conversão religiosa e cultural ao cristianismo e pelas novas doenças trazidas.

Questão 2 – Associe os povos aos seus traços destacados acima e selecione a alternativa
com a sequência CORRETA.
1- Maias
2- Astecas
3- Incas
( ) Mexicas, construíram a cidade que deu as bases para a atual capital mexicana.
( ) Viviam na Cordilheira dos Andes, onde construíram estradas e cidades.
( ) Economia baseada principalmente na agricultura de milho, feijão, abóbora e pimentas.
A. ( ) 1, 3, 2
B. ( ) 2, 3, 1
C. ( ) 1, 2, 3
D. ( ) 3, 1, 2
Nas terras que hoje formam o Brasil, chamadas até então de Pindorama, também
havia grupos estruturados e organizados, como os tupis-guaranis e os jês. Cerca de 1400
povos habitavam estas terras antes da chegada dos portugueses, com 5 a 8 milhões de
pessoas, que falavam línguas e tinham culturas muito variadas. Hoje, após longo período de
dominação e violência, o Brasil tem pouco mais de 800 mil indígenas, na maioria vivendo nas
regiões Centro-Oeste e Norte.

Assim como os maias, astecas e incas, os povos indígenas do Brasil viviam em


sociedades organizadas, com hierarquia de comando, extraindo da natureza alimentos e

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
25
Secretaria de
Educação e Cultura

utensílios. Atualmente, muitos indígenas vivem em condições de pobreza e têm suas terras
ameaçadas por interesses políticos e econômicos, como do agronegócio e mineração.

Fonte: Texto elaborado pelo professor Dr. André dos Santos Ribeiro, adaptado de: Tempo de
Geografia: 8º ano. São Paulo: Editora do Brasil, 2018.

Questão 3 – Sobre os povos nativos do Brasil é INCORRETO, ou seja, NÃO podemos afirmar
que:
A. ( ) Viviam no que já era chamado de Brasil, já que este sempre foi o nome destas terras.
B. ( ) Haviam milhões deles antes da chegada dos colonizadores.
C. ( ) Viviam em sociedades organizadas, com hierarquia, e tinham línguas e culturas muito
variadas.
D. ( ) Atualmente muitos vivem em situação de pobreza e têm suas terras ameaçadas.

Para aprofundar:

- Leia e faça as atividades do Capítulo 1 “Os povos nativos” entre as págs. 132 e 138 do seu
livro de Geografia (Tempo de Geografia, 8º ano).

- Conheça melhor a história dos nativo-americanos de maneira fácil e rápida na excelente


animação: https://www.youtube.com/watch?v=cQkA5PDow2s&ab_channel=Enraizando.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
26
Secretaria de
Educação e Cultura

SEMANA 27
CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do (a) aluno (a):______________________________________
Professor (a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________
Ano de Componente
8º ano Filosofia
Escolaridade Curricular
Conhecer a oposição de Locke ao
Nº de aulas inatismo, distinguindo os dois tipos de
01 aula Habilidades
previstas experiência de conhecimento de Locke:
sensação e reflexão.

O CONHECIMENTO EM LOCKE

John Locke nasceu em 1632 em Wrington, na


Inglaterra, e morreu em 1734. Estudou medicina e
filosofia na Universidade de Oxford, onde também
lecionou. O filósofo estabeleceu as teses do empirismo,
segundo a qual todo conhecimento tem origem nas
sensações e nas experiências. Locke também
desenvolveu importantes reflexões sobre política. Suas
principais obras são Dois Tratados sobre o governo,
Cartas sobre a tolerância, e Ensaio sobre o
entendimento humano.

Pense em um bebe recém-nascido. Você consegue acreditar que esse bebe tenha
noção da existência de Deus, do que seja certo ou errado, do tempo, da morte? Ele poderia
reconhecer a si mesmo? Será que possui alguma ideia de sua mente? Se as verdades
necessárias nascessem com o indivíduo, elas estariam presentes já no bebê. Mas isso parece
não ocorrer de fato... esse foi o argumento utilizado pelo filósofo John Locke contra as
concepções inatistas, as quais defendem que certas ideias nascem com o indivíduo. Em
contrapartida, Locke defendia que todo ser humano adquire ideias, noções ou conceitos
durante a vida por meio dos sentidos. Para esse pensador, a mente de um recém-nascido é
uma espécie de folha de papel em branco. O que será escrito nesta folha dependerá das
experiências sensíveis, das percepções, do que será visto, ouvido ou tocado por ele.

Por exemplo, como você adquiriu as noções ou as ideias de um objeto? Olhando,


tocando esses objetos. Isto são experiências sensíveis que você foi percebendo as
características de cada coisa que aprendeu.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
27
Secretaria de
Educação e Cultura

Ao contrário de outros racionalistas, Locke defendeu que a origem de nosso


conhecimento estaria nas experiências.

DOIS TIPOS DE EXPERIÊNCIA: A SENSAÇÃO E A REFLEXÃO; Segundo Locke


existem dois tipos de experiência: a interna e a externa. A externa, também chamada de
sensação, seria relacionada às coisas que percebemos fora de nós. Por exemplo, se vemos
um cavalo branco ou uma flor branca, surge em nossa mente a ideia de branco. Assim
acontece com as ideias cores, temperatura, textura, sabor, todas as qualidades que
atribuímos às coisas.

A experiência externa, também chamada de reflexão, estaria relacionada às


operações da própria mente, dessas operações surgem a ideia de dúvida, pensamento,
vontade, raciocínio.

O FUNCIONAMENTO DA MENTE- Assim como o tijolo é o material básico para a


construção de uma casa, as ideias simples da sensação ou da reflexão seriam o material
básico para o funcionamento da mente. Para Locke, sem as ideias simples, a mente ou a
razão humana não poderia alcançar nenhum conhecimento mais elaborado. Contudo, uma
vez que adquirisse ideias simples por meio da experiência, a mente atuaria para combiná-las
e reuni-las ou separá-las, produzindo ideias cada vez mais complexas. Por exemplo, com
base na ideia de unidade, a mente pode criar a ideia de dúzia, pois a dúzia é a soma de doze
unidades.

Texto elaborado pela professora Sônia Maria Garcia Martins, adaptado de Encontro com a filosofia. 2
ed. São Paulo: Editora Moderna, 2018.

Questão 1 – Ao estabelecer a experiência como fundamento de todo conhecimento, Locke


tornou-se um marco na teoria do conhecimento, de acordo com seu pensamento é correto
afirmar:
A. ( ) a sensação está relacionada as coisas que percebemos dentro de nós.
B. ( ) toda experiência externa que possuímos está relacionada com a reflexão.
C. ( ) as ideias simples da sensação ou da reflexão seriam material básico para o
funcionamento da mente.
D. ( ) Locke defendeu que todo ser humano nasce com ideias, noções e conceitos.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101
28
Secretaria de
Educação
e Cultura

SEMANA 27
GABARITO – CADERNO DE ATIVIDADES
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL II
Escola Municipal: _________________________________________
Nome do(a) aluno(a):______________________________________
Professor(a):_____________________________________________
Turma:__________________________________________________

Ano de Componente
8º ano Ensino Religioso
Escolaridade Curricular
Nº de aulas
01 aula Habilidades EF08ER04
previstas

O PAPEL QUE AS CRENÇAS RELIGIOSAS DESEMPENHAM NA VIDA SOCIAL

O estudo da religião é um dos principais temas da


Sociologia. Vários autores tentaram compreender
aspectos da vida religiosa e sua influência na
sociedade. Um desses autores, chamado Max
Weber, analisou e comparou diversas religiões que
existiram e que ainda existem no mundo, avaliando
o papel que as crenças religiosas exercem na
conduta dos indivíduos em sociedade. Seus estudos
demonstram o potencial que a religião tem de
provocar transformações na ordem social, sejam
elas na esfera da economia, da política ou da cultura
em geral.

Weber parte do pressuposto que a forma como o


homem trabalha e busca seu sustento está
diretamente relacionada com suas ideias, valores éticos e concepções de mundo. Em alguns
casos, o trabalho influencia a construção de valores das pessoas. Porém, em outros casos,
os valores influenciam como a sociedade vai se organizar para trabalhar.

Weber atribuiu às crenças e valores religiosos um papel importante na conduta dos indivíduos
em sociedade. Num dos seus livros mais proeminentes, "A Ética Protestante e o Espírito do
Capitalismo", ele defendeu a tese de que a religião protestante exerceu uma poderosa
influência no surgimento do modo de produção capitalista.

Através do estudo da sociedade norte-americana, que tem maioria da população protestante,


Weber percebeu que as pessoas dessa religião tendiam a trabalhar de forma mais intensa e

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101 29
Secretaria de
Educação
e Cultura

acumular mais dinheiro do que outros grupos cristãos, como os católicos. Isso acontecia
porque os protestantes acreditavam que trabalhar honestamente era uma missão divina, e o
enriquecimento era sinal de bênção de Deus.

Os grupos protestantes da época em que Weber fez o estudo eram muito exigentes na forma
como seus fiéis deviam proceder, e desencorajavam gastos com bens luxuosos. Por isso, o
dinheiro ganho nos negócios era reinvestido na própria empresa, gerando um movimento
cíclico de acumulação/ reinvestimento/acumulação. Essa dinâmica fortaleceu o capitalismo
nos Estados Unidos e favoreceu sua dispersão pelo mundo.

Além do protestantismo, Weber estudou também outras religiões. No caso das religiões
asiáticas, como o hinduísmo, a religião serviria para manter uma ordem social e econômica
acentuadamente hierarquizada e estática, ou seja, sem qualquer possibilidade de haver
mobilidade e mudança social.

O caso da Índia é interessante, pois a sociedade é dividida em castas que se relacionam com
os mitos hinduístas da criação da humanidade. Em um sistema hereditário, as melhores
posições na sociedade são destinadas aos membros de castas superiores, e as piores, aos
membros de castas inferiores.

Quem não pode ser ligado a nenhuma casta possui um papel social ainda mais inferior.

Há décadas, o Partido Comunista da Índia, considerado uma das grandes forças políticas
daquele país, tentou em vão aplicar programas políticos de melhoria das condições de vida
das populações mais pobres. Essa ação se deu na preocupação em dar a população uma
vida digna com progressos em todas as áreas.

Sempre houve uma enorme resistência social, que levou ao fracasso inúmeros programas
políticos que preconizavam igualdade e justiça social, pois a sociedade de castas está
fortemente assentada sobre preceitos religiosos muito arraigados, que concebem as
desigualdades e diferenças sociais como manifestações da vontade divina.

FONTE: Adaptado de CANCIAN, Renato. Religião – o papel que as crenças religiosas desempenham
na vida social. UOL, 2020. Disponível em: <https://educacao.uol.com.br/disciplinas/sociologia/religiao-
o-papel-que-as-crencas-religiosas-desempenham-navida-social.htm>. Acesso em: 10 ago. 2021.

QUESTÃO 01 - Max Weber é um grande sociólogo onde no texto acima, ele vai dizer que o
estudo da Religião é um dos principais temas da Sociologia. Isso significa que:

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101 30
Secretaria de
Educação
e Cultura

A. ( ) Max Weber analisou o papel das crenças religiosas na conduta dos indivíduos em
sociedade e o potencial que a religião tem de provocar transformações na ordem social
de vários segmentos.
B. ( ) Entende-se que Weber atribuiu às crenças e valores religiosos um papel importante
na conduta dos indivíduos em sociedade.
C. ( ) Max Weber fez uma análise superficial das crenças religiosas e sua força no cenário
sociológico.
D. ( ) Ele percebe que a sociedade em alguns países caminham com muitas dificuldades
no setor econômico e político, por isso ele sugere que a busca do transcendente é a
resposta.

Rua Tupinambás, S/N – Santo Antônio, Pouso Alegre – MG - 37552-122


Tel.: (35) 3449-4101 31