Você está na página 1de 152

z

+
-P 7
6
3 x Secretaria da Educação

B a5
]
Coordenadoria de Cooperação com os Municípios - COPEM
4

CADERN
Práticas Pedagógicas
DE

MATEMÁTICA
Ensino Fundamental I

N L
{
e
8

# 2 %
g

f T 2018 c
4º e 5º ano

4º e 5º ano
Governador
Camilo Sobreira de Santana

Vice-Governadora
Maria Izolda Cela de Arruda Coelho

Secretário da Educação (respondendo)


Rogers Vasconcelos Mendes

Secretária Executiva da Educação


Rita de Cássia Tavares Colares

Coordenador de Cooperação com os Municípios (COPEM)


Márcio Pereira de Brito

Orientadora da Célula de Apoio á Gestão Municipal


Gilgleane Silva do Carmo

Orientador da Célula de Fortalecimento da Aprendizagem


Idelson de Almeida Paiva Júnior

Equipe do Eixo Fundamental I - COPEM/SEDUC


Francisca Rosa Paiva Gomes - Coordenadora
Ana Paula Pinto de Oliveira
Flávio Maximiano da Silva Rocha
Izabelle de Vasconcelos Costa
Maria Valdenice de Sousa
Mayara Rodrigues Braga
Mônica Guedêlha Carneiro
Rakell Leiry Cunha Brito

Consultora
Juscileide Braga de Castro

Revisão de Texto
Flávio Maximiano da Silva Rocha

Organização Gráfica
Flávio Maximiano da Silva Rocha
Raimundo Elson Mesquita Viana
Apresentação
Cara professora,
Caro professor,

Este caderno contém atividades elaboradas com o intuito de


complementar, enriquecer e reforçar o trabalho que você realiza em suas
aulas de matemática. São atividades variadas, lúdicas e dinâmicas
abrangendo as habilidades e os conteúdos matemáticos sugeridos na
Proposta Curricular para o primeiro bimestre letivo.
Este caderno também tem o propósito de atender ao que se propõe
o MAISPAIC que salienta a necessidade de fornecer sugestões práticas
para aperfeiçoar sua atuação como professor e proporcionar trocas de
experiências no exercício docente.
Desejamos que o uso do caderno propicie uma visão diferenciada
da prática de sala de aula, oferecendo novas abordagens e enfoques
variados dos conteúdos matemáticos.
As atividades estão sinalizadas com a habilidade focada para que
você possa dar mais ênfase ao seu desenvolvimento de modo a promover
sua consolidação.
Esperamos que este caderno suscite a criação de outras estratégias
e outras dinâmicas que venham enriquecer ainda mais as suas aulas de
matemática.
Bom trabalho!
A equipe organizadora.
Sumário

 Prefácio.......................................................................................................05

 Apresentação do Caderno de Práticas Pedagógicas.................................06

 Caderno de Práticas Pedagógicas do 4º ano.............................................14

 Rotina Pedagógica................................................................................15

 Orientações Metodológicas das Atividades..........................................18

 Atividades Estruturantes, Alimentadoras e Lúdicas..............................19

 Caderno de Práticas Pedagógicas do 5º ano.............................................74

 Rotina Pedagógica................................................................................75

 Orientações Metodológicas das Atividades..........................................78

 Atividades Estruturantes, Alimentadoras e Lúdicas..............................79

 Referências...............................................................................................148

 Sugestão de material de estudo / Outras leituras.....................................149

 Avaliação do Caderno de Práticas Pedagógicas......................................150

4
PREFÁCIO

Prezado(a) professor(a),

Sejam todos(as) bem vindos(os)!

Estamos iniciando mais um ciclo de formação de Matemática do MAIS PAIC, com a


disponibilização do primeiro, de um total de três Cadernos de Práticas Pedagógicas de
Matemática do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental. Este material se constitui de
sugestões de rotinas didáticas, projetos, jogos e leituras que podem subsidiar o
planejamento de suas aulas de Matemática. As competências e habilidades, elencadas no
mesmo, dialogam com a Base Nacional Curricular Comum (BNCC) e com os materiais
do Estado do Ceará, especialmente, com a Proposta Curricular de Matemática (PCM).

Esperamos que este caderno, resultado do trabalho dedicado de uma grande equipe
envolvida, venha contribuir para sua formação e para sua prática pedagógica no âmbito
escolar. Aos poucos, pretendemos também incorporar sugestões de atividades exitosas,
portanto, queremos sua ajuda para garantir esta interlocução.

Assim, ao iniciarmos esta nova etapa, desejamos a todos(as) a continuidade de um bom


trabalho.

JUSCILEIDE BRAGA DE CASTRO

Autora e Formadora

5
APRESENTAÇÃO

6
APRESENTAÇÃO

O Caderno de Práticas Pedagógicas de Matemática foi elaborado com o intuito de


oferecer mais recursos didáticos e, assim, contribuir com a prática na rede pública de
ensino, no âmbito do Programa de Formação de Professores do MAISPAIC. O foco da
formação será qualificar e subsidiar as metodologias do professor, com objetivo principal
de consolidar as competências e as habilidades, garantindo a aprendizagem da
Matemática no 4° e 5° ano do Ensino Fundamental. Portanto, temos como objetivos
específicos:

- Subsidiar as práticas de sala de aula, com foco no aluno;


- Qualificar as metodologias do professor por meio de atividades que garantam a
aprendizagem dos alunos;
- Trabalhar os aspectos práticos e teóricos, tendo como foco a importância do
desenvolvimento matemático na escola.

As Reflexões teórico-metodológicas estarão contextualizadas com as atividades


organizadas de acordo com a distribuição do cronograma de formação, contemplando
rotinas pedagógicas, oficinas, projetos e sequências didáticas, possibilitando e
subsidiando abordagens diferenciadas, de acordo com os objetivos e aprendizagem de
cada etapa e nível de ensino.

A seleção dos conteúdos dos cadernos segue a proposta da BNCC de Matemática para o
Ensino Fundamental. Portanto, os conteúdos estão organizados e distribuídos em cinco
unidades temáticas: Números, Álgebra, Grandezas e Medidas, Geometria e Probabilidade
e Estatística.

A unidade temática Números pressupõe o desenvolvimento do pensamento numérico,


que engloba a noção de número, de contagem, de ideia de quantidade, de escrita
numérica e de notações matemáticas. A expectativa para o 4° e o 5° ano do Ensino
Fundamental é que os estudantes ampliem o conhecimento do campo numérico que
envolve os números naturais e números racionais, sendo capazes de ler, escrever e
ordenar números naturais e racionais por meio da identificação e compreensão de
características do sistema de numeração decimal, sobretudo o valor posicional dos
algarismos; resolver problemas nestes campos numéricos envolvendo diferentes
significados das operações; e argumentar e justificar os procedimentos utilizados para a
resolução.

Para o aprofundamento da noção de número recomenda-se a proposição de atividades


de medições, nas quais os números naturais não são suficientes para resolvê-las,
indicando a necessidade dos números racionais tanto na representação decimal quanto
na fracionária; que incentivem o uso de estratégias próprias e de algoritmos; que

7
envolvam o uso de cálculo mental e de instrumentos como calculadora e computador;
dentre outras.

A unidade temática Álgebra, por sua vez, visa desenvolver o pensamento algébrico a
partir dos anos iniciais do Ensino Fundamental, que inclui: generalizar padrões;
estabelecer relação entre grandezas; modelar e resolver problemas aritmeticamente
difíceis; desenvolver habilidades de observação e de interpretação de regularidades a
partir de diferentes representações (tabular, gráfica, simbólica); e abstrair fenômenos
matemáticos.

Segundo a BNCC, as ideias matemáticas fundamentais vinculadas a essa unidade são:


equivalência, variação, interdependência e proporcionalidade (BRASIL, 2017). Sendo
assim, é preciso propor atividades que contribuam no entendimento de igualdade,
estabelecendo relações e comparações entre quantidades conhecidas e desconhecidas,
como também, tentar expressar alguns significados para uma expressão numérica, para
equações e para inequações.

A Geometria, mais uma unidade temática indicada pela BNCC, envolve o estudo da
exploração do espaço (figuras, formas e relações espaciais) e de procedimentos
necessários para resolver problemas do mundo físico e de diferentes áreas do
conhecimento. O estudo da geometria é necessário para o desenvolvimento de
competências relacionadas ao raciocínio e ao pensamento espacial/visual; sendo
requisitados, por exemplo, para a leitura de mapa, na interpretação de gráficos
estatísticos, nas artes (pintura, escultura), na arquitetura, na agricultura e nas
engenharias.

O estudante desenvolve a competência espacial quando explora relações de tamanho,


direção e posição no espaço; analisa e compara objetos; classifica e organiza objetos;
constrói modelos e representações de diferentes situações que envolvem relações
espaciais, com desenhos, maquetes, dobraduras e outros. É importante, também,
considerar o aspecto funcional que deve estar presente no estudo da Geometria: as
transformações geométricas, sobretudo as simetrias (BRASIL, 2017).

Considerando que as ideias matemáticas fundamentais, associadas a essa temática, são,


principalmente: construção, representação e interdependência; pode-se propor atividades
para que o estudante (com seu corpo e/ou objetos) vivencie situações ligadas à natureza
espacial para observar, identificar elementos do universo, perceber propriedades,
estabelecer relações e isolar variáveis.

A unidade temática Medidas e grandezas tem uma grande importância social, já que as
medidas são usadas para quantificar grandezas do mundo físico, sendo fundamentais
para a compreensão da realidade. Esta unidade relaciona-se muito bem com as demais
unidades temáticas, bem como com outras áreas do conhecimento: Ciências (densidade,
grandezas e escalas do Sistema Solar, energia elétrica etc.); ou Geografia (coordenadas

8
geográficas, densidade demográfica, escalas de mapas e guias etc.); o que favorece a
integração da Matemática a outras áreas.
A BNCC argumenta que essa unidade temática contribui ainda para a consolidação e a
ampliação da noção de número, da aplicação de noções geométricas e para a construção
do pensamento algébrico (BRASIL, 2017). Sendo assim, no 4° e 5° ano do Ensino
Fundamental os estudantes precisam experienciar a resolução de situações-problema
que envolvam grandezas de comprimento, de massa, de tempo, de área (apenas com
triângulos e retângulos), de capacidade; sem o uso de fórmula, mas utilizando, quando
necessário, a transformações entre unidades de medida padronizadas mais usuais.

Considerando que as pessoas precisam compreender as informações que estão a sua


volta, a unidade temática Probabilidade e estatística propõe o estudo da incerteza, o
que pressupõe a necessidade do desenvolvimento da noção de aleatoriedade que deverá
possibilitar que os estudantes compreendam que nem todo fenômeno é determinístico; e
do tratamento de dados, que envolve o trabalho com a coleta e com a organização de
dados de uma pesquisa.

Para o desenvolvimento do que presume este bloco temático, é preciso incentivar a


verbalização dos estudantes em eventos que envolvem o acaso, possibilitando a
construção do espaço amostral; além disso, permitir que os estudantes não apenas
participem do desenvolvimento de pesquisas, mas de seu planejamento, de modo que
possam desenvolver a noção de amostra, de cruzamento de variáveis, de classificação e
da definição do gráfico (CASTRO; CASTRO-FILHO, 2015). Este tipo de atividade deverá
contribuir para a leitura, para a interpretação e para a construção de gráficos, bem como
com a forma de produção de texto escrito para a comunicação de dados.

Destacamos, como pressuposto, a necessidade de integração destes blocos temáticos,


considerando, para a aprendizagem da Matemática, à compreensão e à apreensão do
significado e de aplicações de objetos matemáticos. Assim, salienta-se a importância de
propor diferentes temas matemáticos e a utilização de recursos didáticos como malhas
quadriculadas, ábacos, jogos, livros, vídeos, calculadoras, planilhas eletrônicas e
softwares.

Contudo, é preciso propor, para iniciar o processo de formalização matemática, a


utilização destes materiais integrados a situações que proporcionem a reflexão e a
sistematização. Neste sentido, buscamos propiciar aos alunos uma visão integrada da
Matemática a partir do desenvolvimento das relações existentes entre os conceitos e os
procedimentos Matemáticos.

Apresentamos, a seguir, uma sugestão de Rotina Pedagógica que sintetiza o que ora
apresentamos, ou seja, sugestões de situações didáticas que atende as especificidades
de cada componente curricular de modo interdisciplinar 1.

1
Integração de dois ou mais componentes curriculares.

9
ROTINAS PEDAGÓGICAS

A rotina pedagógica é um instrumento que pode ajudar na concretização das intenções


educativas. Com a construção de rotinas podemos: conduzir melhor a aula, prevendo
dificuldades dos alunos; organizar o espaço e o tempo de forma sistemática; flexibilizar as
estratégias de ensino; e avaliar resultados obtidos.

Sugerimos que a rotina seja compartilhada com os pais e os responsáveis, pois este
acompanhamento possibilitará um melhor desenvolvimento das crianças. Com um
cotidiano bem definido e estável, o aluno tem mais tranquilidade para desenvolver sua
autonomia e protagonismo, colaborando para um melhor aproveitamento das atividades
propostas, favorecendo a sua aprendizagem.

Ressaltamos que as atividades propostas nas rotinas como as que devem ser feitas todo
dia, não estão definidas como atividades rígidas e inflexíveis, pois devem ser adequadas
a realidade de cada contexto, durante todo o ano letivo. Para isso, esperamos que você
professor(a), faça uso dos conhecimentos desenvolvidos ao longo de sua formação, de
sua criatividade, da inovação de métodos e de procedimentos de ensino; desafiando os
alunos a novos conhecimentos e a um melhor aprendizado.
O planejamento de uma rotina escolar deve partir do princípio de que alguns momentos
devem se repetir periodicamente. Sendo assim, sugerimos a realização de atividades
estruturantes e alimentadoras; de jogos e brincadeiras matemáticas; e de atividades
ocasionais, conforme distribuição a seguir (Quadro 1).

Quadro 1 - Esquema de distribuição semanal de atividades de Matemática

Fonte: elaboração própria

No Quadro 1 temos uma sugestão de distribuição semanal de atividades que envolvam


matemática. Entendemos que em algumas escolas as aulas podem acontecer em dias
diferentes, em quantidades diferentes (mais ou menos de 5 aulas de matemática por
semana) ou, ainda, não acontecerem em aulas geminadas2. Como é uma sugestão,
esperamos que você reflita, altere e/ou adapte considerando sua realidade escolar. De
acordo com o Quadro 1 propusemos três modalidades organizativas 3 distintas: [1]
atividades estruturantes e alimentadoras, [2] jogos e brincadeiras matemáticas e [3]
atividades ocasionais, que serão melhor explicadas na sequência.

2
Aula disposta em pares, ou seja, 2 aulas de matemática em conjunto.
3
As modalidades organizativas de atividades são recursos metodológicos que corroboram para a
consolidação das habilidades previstas nas situações didáticas.

10
As atividades estruturantes e alimentadoras são aquelas que contribuem para a
consolidação de habilidades, saberes, procedimentos, regras. Têm por objetivo favorecer
a apropriação e a sistematização de conhecimentos previstos para a turma e para cada
aluno. Podemos citar, como exemplo, as sequências de atividades de Matemática
apresentadas neste documento, as atividades propostas no material do MAIS PAIC e nos
materiais do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD).

As atividades com jogos e brincadeiras matemáticas contemplam diferentes tipos de


vivências, com o uso de material concreto ou digital; a confecção de materiais e a
proposição de brincadeiras. A partir deste tipo de atividade, espera-se favorecer a
criatividade na elaboração de estratégias de resolução, pois, nesse momento também se
estabelecem as relações, e se promove compreensões de conteúdos e conceitos
matemáticos. Nesse sentido professor(a), chamamos a atenção para o planejamento e a
organização da situação pedagógica com o jogo ou brincadeira: explore suas
possibilidades para além do domínio das regras, como também conheça suas
potencialidades pedagógicas.

As atividades ocasionais são aquelas que não possuem uma frequência ou duração
contínua durante todo o ano letivo. Neste tempo pedagógico, você professor(a) poderá
flexibilizar a rotina propondo atividades de revisão, projetos que contemplem a
matemática ou atividades do livro PNLD e caderno de atividades do MAIS PAIC, por
exemplo.

Sugerimos que a realização destas atividades considere a rotina esquematizada na


Figura 1, que mostra o esquema que divide a realização da atividade em três etapas:
analisar; comunicar; e (re) formular.

Figura 1 - Esquema de rotina para atividades estruturantes e alimentadoras de Matemática

Fonte: elaboração própria a partir de imagens da web

11
Na etapa 1, analisar, recomendamos a mobilização dos conhecimentos matemáticos que
as crianças possuem, ou seja, seus conhecimentos prévios, com o objetivo de relacioná-
los com os que serão construídos. Nesta etapa os estudantes precisam ser incentivados a
investigar, a analisar, a refletir sobre a situação de modo a criar conjecturas, verificando,
posteriormente, sua veracidade.
Esta etapa pode ser iniciada a partir da proposição de uma pergunta, de uma situação, de
desafios, de enigmas ou de vídeos. Este é um ótimo momento para aproveitar e explorar
o que os estudantes sabem, instigar suas curiosidades e estimular a reflexão. Cada vez
mais os currículos escolares e os documentos oficiais que o norteiam (BRASIL, 1997;
2017) recomendam atividades que incentivem o estudante a pensar matematicamente
frente a problemas e ao mundo que as cerca, pois isto possibilita ir além de fazer as
contas ou memorizar nome de figuras.

Ressaltamos a importância de propor situações e/ou vivências que estejam relacionadas


com sua cultura ou histórias de vida. Compreendemos que as atividades são significativas
quando estão associadas com o contexto cultural e social. Como exemplo, podemos
explorar a matemática vivenciada pelos vendedores em situação de rua; pelo artesão;
donas de casa; pelo pescador; pelo pedreiro e costureira; a geometria na cultura indígena
(CARRAHER; CARRAHER; SCHLIEMANN, 2011). A Matemática vivenciada em
diferentes culturas tem significados distintos em função do contexto social e cultural na
qual estão inseridos.
Para ampliar a compreensão da realidade e de mundo é fundamental interagir com as
práticas do cotidiano, pois, muitas vezes, a Matemática se apresenta apenas como uma
forma de resolver questões de ordem prática e sem sentido. Portanto, professor(a), nesta
etapa de análise, sugerimos que observe as colocações das crianças, questionando,
quando necessário, para uma maior aprofundamento na análise inicial.

A etapa 2, de comunicar, corresponde ao momento que a criança tem a oportunidade de


realizar, individualmente, em dupla ou em grupo, o registro da linguagem matemática.
Esta linguagem pode e deve ser estimulada a partir de diferentes meios: oral, escrito,
pictórico, gestual, dentre outros. Com a utilização de uma variedade de registros de
representação, o aluno poderá conseguir comunicar e, ainda, visualizar mais facilmente
os objetos matemáticos4, visto que nem sempre esses objetos são passíveis de
percepção.

Os registros podem ser realizados, utilizando suportes diferentes, como exemplo: o


caderno do aluno e as atividades propostas no livro didático. Você também pode criar um
painel de soluções5 em sua sala de de aula, que pode ser na forma de um mural ou
espaço em uma parede, ou ainda, um varal que possibilitará a exposição de diferentes
formas de registros, independente de estarem certas ou erradas (SMOLE; DINIZ, 2016).
Os usos que os estudantes fazem das representações são fundamentais para a
compreensão do modo que esta compreensão se articula com outras formas de registros
(DUVAL, 2011). Fazer o estudante se comunicar e colocá-lo em contato com as diferentes

4
Objeto Matemático é qualquer entidade, real ou imaginária, a qual nos referimos ou da qual falamos, na
atividade matemática.
5
Local onde são expostas todas as produções dos estudantes. Este material deve ficar visível e acessível a
todos por tempo determinado

12
representações depende, em grande medida, das atividades desenvolvidas nas aulas de
Matemática.
Acreditamos que a produção de registros escritos pela criança, as reflexões feitas a partir
desses registros e a socialização que acontece em sala de aula, promovam uma tomada
de consciência tanto das potencialidades, como da evolução do pensamento. Além disso,
representa uma síntese provisória dos conhecimentos matemáticos desenvolvidos em
sala de aula.

Esses registros promovem também sua reflexão a respeito de sua prática, permitindo-lhe
conhecer os diferentes caminhos que seus alunos usam para expressar seu raciocínio.
Por isso professor(a) busque, cada vez mais, subsídios para sua prática e incentive as
crianças a comunicarem, a compartilharem suas experiências e concepções, registrando-
as.

A etapa 3, de (re)formular, será iniciada no momento de discussão e socialização dos


registros feitos pelas crianças na etapa anterior. Neste momento professor(a), permita que
as crianças troquem ideias e acrescentem detalhes importantes a seus próprios registros,
reorganizem seu raciocínio, e defendam seus pontos de vista.

É esperado que algumas crianças cometam erros conceituais e/ou procedimentais. Essa
trajetória de estratégias utilizadas em processos de aprendizagem pode utilizar
representações certas ou erradas. A mediação pode ajudar na resolução de divergências;
provocar questionamentos, intensificar o diálogo entre os membros do grupo, facilitar o
desenvolvimento de estratégias para solucionar problemas (CASTRO, 2016).

Faça questionamentos e medie à situação de modo que a análise deste erro não
ocasione constrangimento para a criança ou para o grupo. Uma estratégia que pode ser
usada, neste momento, é a seleção dos erros recorrentes, com a posterior exposição de
tal seleção, de modo que possam analisar e identificar as incoerências, (re)formulando
seus pensamentos.

Uma outra atividade interessante para analisar os erros cometidos em uma atividade ou
avaliação é a construção de uma atividade lúdica, na qual os estudantes analisarão
diversos erros, sendo que os grupos precisam identificar qual foi o erro cometido e como
os cálculos deveriam ter sido resolvidos.

Professor(a) busque mediar e conduzir a aula de modo que os próprios alunos digam qual
é o erro conceitual, ou procedimental. Percebe-se que o aluno, identificando o seu erro,
sabendo como errou e como deveria ter feito, sem que seja por meio de uma caneta
vermelha esboçando os cálculos corretos em sua prova, entende o erro de forma
significativa, pois este deixa de ter o caráter meramente avaliativo e constitui uma
ferramenta de aprendizagem.

É preciso inserir na prática docente a valorização do erro, possibilitando uma menor


intimidação por parte dos alunos e possibilitando, assim, um diagnóstico de quais seriam
seus déficits. É necessário promover discussões e reflexões entre elas, incentivando
diversas estratégias de registro e avaliando sua evolução.

Apresentamos, a seguir, sugestões de atividades para o 4° e 5º ano.

13
4º ANO

14
ROTINA PEDAGÓGICA

15
16
17
ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS
DAS ATIVIDADES

18
ATIVIDADES ESTRUTURANTES, ALIMENTADORAS E LÚDICAS

ATIVIDADE 01 - Observando o espaço

Componente Curricular Matemática e Geografia – 4º ano


Atividade Observando o espaço
Habilidades - Descrever, interpretar e representar a localização ou o deslocamento
de uma pessoa ou um objeto;
- Orientar movimentação e ou deslocamento de outra pessoa
fornecendo-lhe determinadas orientações espaciais;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), organize uma roda de conversa perguntando aos alunos:
Você conhece o bairro que a escola está localizada? Quais são os
pontos de referência? E as ruas mais próximas?
Após estes questionamentos, disponibilize o mapa da localização de sua
escola. Você deve conseguir o mapa previamente, acessando o google
maps (https://www.google.com.br/maps ).

Exemplo de mapa: EEF Joaquim Alves

Você também pode usar o mapa real (via satélite).

Exemplo de mapa via satélite: EEF Joaquim Alves

Após discussão, apresente a seguinte problematização:


19
Se você fosse explicar para um amigo onde fica a sua escola, como
você explicaria?

[Comunicar]
Nesta atividade a comunicação acontecerá de forma oral. Permita que
as crianças se expressem. Se achar conveniente, você pode pedir que
as crianças desenhem o mapa da escola, com os pontos de referência
para localizá-la melhor.

Organize um espaço para expor os desenhos, possibilitando que todos


os alunos apresentem seus registros respeitando os turnos de fala.

[(Re) formular]
Durante a explicação dos estudantes, verifique se os pontos de
referência estão adequados. Incentive-os a descrever o espaço onde a
escola está localizada.
Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observações Professor(a), peça que os estudantes também observem outros
espaços, como o local onde moram.

Professor(a), você também poderá explorar as atividades das páginas 7


a 15 do caderno de atividades do MAIS PAIC. Verifique, junto ao livro
didático adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

ATIVIDADE 02 - O bairro onde moro

Componente Curricular Matemática, Geografia e Língua Portuguesa – 4º ano


Atividade O bairro onde moro
Habilidades - Descrever, interpretar e representar a localização ou o deslocamento
de uma pessoa ou um objeto;
- Orientar movimentação e ou deslocamento de outra pessoa
fornecendo-lhe determinadas orientações espaciais;
- Traçar itinerários vivenciados nas situações do cotidiano;
- Descrever os itinerários percorridos focalizando as orientações
espaciais utilizadas;
- Interpretar movimentação e ou deslocamento em diversas
representações, utilizando as orientações espaciais apropriadas e
suas terminologias;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), converse com seus alunos sobre as características dos
bairros onde cada um mora. São chamados residenciais os bairros que
apresentam muitas moradias (casas térreas, edifícios apartamentos e
sobrados), já os bairros com mais estabelecimentos comerciais do que
residências e indústrias são chamados comerciais e onde há mais
industrias do que moradias e comércio encontra-se os bairros industriais.
Em seguida, oriente-os a desenhar e escrever, individualmente, um
pequeno texto representando e descrevendo:
- Como é seu bairro?
- Quais os pontos comerciais que existe nele?
- Qual o seu endereço?
- Que tipos de veículos circulam pelo bairro?
- Curiosidades ou novidades que você descobriu do seu bairro.
[Comunicar]
Nesta atividade a comunicação acontecerá por desenho e texto. Permita
20
que as crianças se expressem.

Organize um espaço para expor os desenhos, possibilitando que todos


os alunos apresentem seus registros respeitando os turnos de fala.

[(Re) formular]
Durante a explicação dos estudantes, verifique se os pontos de
referência estão adequados. Incentive-os a descrever o espaço onde
moram com o máximo de detalhes.
Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observações Professor(a), se for conveniente, leve a turma para o laboratório de
informática da escola. Peça para os alunos pesquisarem/visualizarem o
seu bairro visto de cima para baixo, por meio da fotografia aérea (Google
Maps), ou seja, uma foto tirada do alto, na visão vertical, por uma
máquina fotográfica especial fixada em um avião. Os alunos também
podem fazer a produção textual no editor de texto e colocar a imagem
capturada do google maps. Ao final, as produções podem ser agrupadas
e expostas virtualmente. Para isso, você pode utilizar o seguinte link:
https://www.livrosdigitais.org.br/
Se a escola tiver um blog, um site ou uma página no Facebook, por
exemplo, as produções poderão ser acessadas pelos estudantes, pais e
comunidade escolar. Os estudantes vão adorar!

Professor(a), você também poderá explorar as atividades das páginas 7


a 15 do caderno de atividades do MAIS PAIC. Verifique, junto ao livro
didático adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

ATIVIDADE 03 - Qual é o bairro que a maioria da turma mora?

Componente Curricular Matemática e Língua Portuguesa – 4º ano


Atividade Qual é o bairro que a maioria da turma mora?
Habilidades - Construir tabela simples e de dupla entrada com dados coletados e
obtidos em atividades de sala de aulas;
- Construir gráficos de colunas e de barras em malha quadriculada
com dados coletados e obtidos em atividades de sala de aula;
- Realizar pesquisa envolvendo variáveis categóricas e numéricas e
organizar dados coletados por meio de tabelas e gráficos de colunas
simples ou agrupadas, com e sem uso de tecnologias digitais;
Como fazer? [Analisar]

Professor(a), peça que os estudantes analisem as produções textuais


realizadas pela turma na aula anterior. Analisem informações comuns,
como:
- Qual bairro os estudantes moram?
- Quais os pontos comerciais mais citados nos textos?
- Que tipos de veículos circulam nos bairros retratados?
Discuta com a turma qual seria a melhor forma de analisar, organizar e
representar estas informações comuns. Será melhor usar tabela ou
gráfico? Quantos gráficos seriam construídos? De que tipo? Quais serão
as categorias? Qual o título dos gráficos?

Sugerimos que a turma seja dividida em grupos para que cada grupo
possa fazer a construção de um gráfico a partir das informações textuais.

21
[Comunicar]
Permita que os estudantes experimentem estratégias próprias para
organizar e representar as informações. Circule entre os grupos para
verificar as estratégias e intervir, quando necessário.

Ao final, peça que cada grupo apresente seu gráfico. Organize um


espaço para expor os gráficos, para que a turma possa analisá-los, mais
detalhadamente, em outro momento.

[(Re) formular]
Após o registro, você deve analisar com a turma se as representações
retratam as informações dos textos de todos da turma.
Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observações Professor(a), disponibilize, para cada gráfico que for construído pelos
grupos, uma folha de papel madeira ou cartolina, preferencialmente com
malha quadriculada.

Caso ache necessário, pode-se trocar as representações entre os


grupos para que possam analisar e interpretar.

Professor(a), você também poderá explorar as atividades das páginas 7


a 15 do caderno de atividades do MAIS PAIC. Verifique, junto ao livro
didático adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

ATIVIDADE 04 - Caça ao tesouro (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática e Geografia – 4º ano


Atividade Caça ao tesouro
Habilidades - Orientar movimentação e ou deslocamento de outra pessoa
fornecendo-lhe determinadas orientações espaciais;
- Descrever os itinerários percorridos focalizando as orientações
espaciais utilizadas;
- Interpretar movimentação e ou deslocamento em diversas
representações, utilizando as orientações espaciais apropriadas e
suas terminologias;

Como fazer? Professor(a), esta atividade deve ser desenvolvida, preferencialmente,


no laboratório de informática da escola ou com o uso de laptops
educacionais.

O episódio “Ilha do tesouro/direita e esquerda” deve ajudar a


desenvolver a orientação em um mapa e, em particular, a distinção entre
virar à direita e virar à esquerda. O recurso digital está disponível em:
https://www.matific.com/bra/pt-br/guests/episodes/TreasureIslandRightLeft

22
Se a quantidade de máquinas disponíveis na escola não forem
suficientes, você pode dividir a turma em grupos. Enquanto parte dos
alunos utiliza os computadores, os demais alunos podem participar de
uma caça ao tesouro real.

Caso não tenha nenhum computador, realize apenas a atividade de caça


ao tesouro dentro da escola

Você precisará construir um mapa considerando os espaços existentes


na escola (salas, pátio). As pistas devem considerar pontos de referência
e a medida aproximada de passos.
Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil e
o que foi difícil.
Observação Professor(a), uma variação desta atividade seria pedir que as próprias
crianças elaborassem o mapa de caça ao tesouro.

Professor(a), você também poderá explorar as atividades das páginas 7


a 15 do caderno de atividades do MAIS PAIC. Verifique, junto ao livro
didático adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

ATIVIDADE 05 - Traçando trajetos

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Traçando trajetos
Habilidades - Descrever, interpretar e representar a localização ou o deslocamento
de uma pessoa ou um objeto;
- Orientar movimentação e ou deslocamento de outra pessoa
fornecendo-lhe determinadas orientações espaciais;
- Traçar itinerários vivenciados nas situações do cotidiano;
- Descrever os itinerários percorridos focalizando as orientações
espaciais utilizadas;
- Interpretar movimentação e ou deslocamento em diversas
representações, utilizando as orientações espaciais apropriadas e
suas terminologias;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), agora que a turma já conhece o entorno da escola e do
local onde mora, organize uma roda de conversa perguntando aos
alunos:
- Você mora perto ou longe da escola?

23
- Como chega à escola? Usa algum tipo de transporte?
Pergunte aos alunos quantas quadras (quarteirões) aproximadamente
andam/percorrem de casa para a escola.

[Comunicar]
Você pode convidar alguns alunos para explicarem o trajeto feito
diariamente, para isso, sugira que faça desenhos na lousa para ajudar
nessa tarefa. Deixe que cada aluno explique o seu caminho sem
nenhuma interferência sua, mas no decorrer da exposição, anote pontos
que merecem ser discutidos posteriormente para que os alunos possam
conhecer melhor as noções de localização e deslocamento e, assim,
utilizar cada vez melhor a linguagem apropriada para isso.

A partir de um desenho do trajeto da localização da escola até a casa de


algum dos alunos, complemente identificando nomes de algumas ruas e
pontos de referência: praça, igreja, banca de revista, supermercado,
borracharia, posto e gasolina, ponto de ônibus. Faça alguns
questionamentos para que respondam em duplas.
Exemplo:
a) Que trajeto posso fazer para sair da casa de José até escola?
Existem outros caminhos?
b) Quantas quadras preciso caminhar pra ir e voltar da escola à
casa de José?
c) Quais ruas são paralelas e perpendiculares?
[(Re) formular]
Na socialização, solicite que um aluno dite o trajeto perguntado na
atividade. Questione a classe se está clara essa orientação e se a
linguagem está adequada. É importante que os alunos vão se
apropriando das noções do que são ruas paralelas, perpendiculares,
cruzamentos, pois o uso desse vocabulário ajudará os alunos a
observarem os principais pontos de referência quando for orientar ou
receber orientações sobre um determinado trajeto.
Avaliação Como proposta, em dupla, solicitar que os alunos descrevam o trajeto da
sua casa até a escola, utilizando os termos adequados para orientação:
ruas paralelas, perpendiculares, cruzamentos.
Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação Professor(a), você também pode fazer uso da figura da Rosa dos Ventos
presente nos mapas (atlas geográfico ou livro de geografia) para
reconhecer que os pontos cardeais são referências muito usadas por
algumas pessoas para orientar-se em um determinado espaço. Explora-
se, inicialmente, o que significa a Rosa dos Ventos e pra que serve.
Faça atividades com mapas que façam uso deste tipo de orientação.

Professor(a), você também poderá explorar as atividades das páginas 7


a 15 do caderno de atividades do MAIS PAIC. Verifique, junto ao livro
didático adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

24
ATIVIDADE 06 - Ordenando os números

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Ordenando os números
Habilidades - Diferenciar número cardinal e ordinal;
- Utilizar números ordinais em situações do cotidiano;
- Ler números ordinais até 50°;
- Escrever números ordinais até 50°;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), os números podem ser classificados como sendo ordinais
e cardinais. Você pode explorar contextos diferentes em que estes dois
tipos de números estão presentes em nosso cotidiano.
Exemplo1: Questione os estudantes qual a ideia por traz dos números
nas seguintes situações:
- Tem oito peixes no aquário.
- José perdeu cinquenta reais no final de semana.
[idéia de quantidade]
Exemplo 2: Questione os estudantes qual a ideia por traz dos números
nas seguintes situações:
- Maria obteve a oitava colocação na olimpíada de Matemática.
- Um amigo correu a Maratona de São Silvestre e chegou em
quinquagésimo lugar.
[ideia de posição]
Questione os estudantes que ideias prevalecem em cada um dos
exemplos apresentados. Pergunte-os se eles sabem contar até 50. E
ordenar?

[Comunicar]
Os alunos deverão explicar, justificando e/ou argumentando, as ideias
das situações.

[(Re) formular]
Acompanhe as discussões e verifique as justificativas dos estudantes.
Em seguida, centre nos números ordinais, verificando se os estudantes
compreendem que há um padrão de escrita, ou seja, que não é preciso
memorizar os números. Se achar necessário, construa, juntamente com
os alunos, o quadro abaixo.
1º – primeiro 20º – vigésimo

2º – segundo 24º – vigésimo quarto

3º – terceiro 25º – vigésimo quinto

4º – quarto 26º – vigésimo sexto

5º – quinto 27º – vigésimo sétimo

6º – sexto 28º – vigésimo oitavo

7º – sétimo 29º – vigésimo nono

8º – oitavo 30º – trigésimo

9º – nono 40º – quadragésimo

25
10º – décimo 50º – quinquagésimo

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação Professor(a), nas páginas 27 e 28 do Caderno de atividades do MAIS
PAIC - 4° ano/1° Bimestre, tem exercícios que exploram habilidades
relacionadas com ordenação. Também verifique, junto ao livro didático
adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

ATIVIDADE 07 - Contagem salteada

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Contagem salteada
Habilidades - Realizar contagem oral da sequência numérica, de 10 em 10, 50 em
50, 100 em 100, 500 em 500, 1 000 em 1000, a partir de determinado
número;
- Ordenar números de até 4 algarismos em séries crescentes e
decrescente;
- Identificar regularidades em sequências numéricas compostas por
múltiplos de um número natural;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), apresente algumas sequências numéricas para que os
estudantes tentem identificar a regularidade.

Exemplo 1: apresente o seguinte: 48, 49, 50, 51, _____, 53


Questione-os: qual o número está faltando? Como vocês sabem?
Neste exemplo, o número que está faltando é 52. O padrão de contagem
é contar de um em um, então o número entre 51 e 53 é 52.

Exemplo 2: apresente o seguinte: 7, 9, _____, 13, 15


Questione-os: qual é o padrão? Que número está faltando?
Neste exemplo, o padrão é de números ímpares, começando no 7 e na
contagem crescente. O número que está faltando é 11.

Exemplo 3: apresente o seguinte: 28, _______, 24, 22.


Questione-os: qual é o padrão? Que número está faltando?
Neste exemplo, o padrão é de contagem de dois em dois, começando
em 20. O número que está faltando é 26.

Exemplo 4: apresente o seguinte: 5, _____, 15, 20, 25


Questione-os: qual é o padrão? Que número está faltando?
Neste exemplo, o padrão de contagem é de cinco em cinco. O número
que está faltando é 10.

Professor(a), você pode ainda explorar a sequência de números


maiores, conforme o nível da turma.

[Comunicar]
Os alunos deverão explicar, oralmente ou por desenhos, como fizeram
para achar o número correto na sequência apresentada.

[(Re) formular]
Acompanhe as discussões e verifique as estratégias utilizadas pelos
26
estudantes para perceber a regularidade na sequência apresentada. Se
for necessário, interceda e medie as formulações.
Avaliação No decorrer da atividade observe se os crianças estão seguindo uma
sequência e realizando a contagem de forma satisfatória.

Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou


laptops, pode propor a utilização dos seguintes recursos digitais:

1. Siga as regras - Contagem de 5 em 5. Disponível em:


https://www.matific.com/bra/pt-
br/activity/UnderstandingNumberLinesSkip5

O episódio introduz a representação de reta numérica de números


inteiros num intervalo de 0-100. Também pratica múltiplos de 5. Coloque
etiquetas de números em uma reta numérica que tem apenas alguns
pontos rotulados. As marcas na reta numérica representam múltiplos de
5.

2. Progressão Aritmética/De 10 em 10. Disponível em:


https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/GenericWorksheetArithmeticProgressionsUpTo1000
WithDifference10

Professor(a), nas páginas 16 e 18 do Caderno de atividades do MAIS


PAIC - 4° ano/1° Bimestre, tem exercícios que exploram habilidades
relacionadas com esta atividade. Também verifique, junto ao livro
didático adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.
27
ATIVIDADE 08 - Torre de Hanói (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática e Geografia – 4º ano


Atividade Torre de Hanói
Habilidades - Utilizar números cardinais e ordinais em situações do cotidiano;
- Construir tabela simples e de dupla entrada com dados coletados e
obtidos em atividades de sala de aulas;
- Desenvolver o raciocínio lógico;

Como fazer? A torre de Hanoi, também conhecida por torre do bramanismo ou


quebra-cabeças do fim do mundo, foi publicada em 1883 pelo
matemático francês Edouard Lucas, com o pseudônimo Prof. N. Claus
(de Siam), um anagrama de seu nome. A publicação dizia que o jogo
vinha do Vietnã, sendo popular também na China e no Japão, e
acompanhava a caixa do quebra-cabeça.
Professor(a), a proposta é que os estudantes sejam divididos em
pequenos grupos de 3 ou 4 alunos. O desafio consiste em transferir os
discos (que devem estar inicialmente empilhados em um dos pinos, em
ordem decrescente de tamanho, com o maior deles na base e o menor
no topo) para qualquer um dos outros pinos livres, no menor número de
movimentos possível, movendo apenas um disco de cada vez sem
colocar um disco maior sobre outro menor.

Peça que eles joguem e registrem a quantidade de movimento por


rodada de cada jogador em uma tabela, conforme exemplo abaixo.

Quantidade de movimentos por


rodada

1° rodada 2° rodada 3° rodada

Jogador 1

Jogador 2

Jogador 3

Jogador 4

Todos dos grupos devem ficar atentos ao cumprimento das regras do


jogo.
Avaliação
Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento da atividade: pode ser
28
uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil e o
que foi difícil.
Professor(a), questione os estudante se eles perceberam qual é a
quantidade mínima de movimentos.
Observação
Professor(a), caso a escola não tenha Torres de Hanói disponíveis, você
pode propor a realização do jogo online:
http://www.jogosdaescola.com.br/play/index.php/raciocinio-logico/19-
torre-de-hanoi-i

ATIVIDADE 09 - Formando números

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Formando números
Habilidades - Realizar contagem oral da sequência numérica, de 10 em 10, 50 em
50, 100 em 100, 500 em 500, 1 000 em 1000, a partir de determinado
número;
- Escrever números de até 4 algarismos;
- Identificar regularidades na sequência numérica para nomear, ler,
escrever, comparar e ordenar números naturais de 3ª ordem;
- Reconhecer as características do sistema de numeração decimal
(base e valor posicional);
- Identificar o antecessor e o sucessor de um número;
- Formular estratégias sobre a escrita numérica, pela identificação da
posição ocupada pelos algarismos.
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), organize os alunos em grupos de até 3 participantes.
Distribua um dicionário e uma folha de papel para cada grupo. Os
estudantes precisarão encontrar as páginas conforme o número que
você for ditando. O grupo que achar primeiro deverá ir ao quadro e
explicar como fez para achar a página.
Você pode ainda solicitar que os estudantes encontrem o sucessor ou
antecessor de determinado número.

[Comunicar]
Os alunos deverão explicar como fizeram para achar a página, por
exemplo:
A página pedida foi 438.
O grupo escreveu 400 +30+8=438.
Lembrou que 4 é o número maior, tem valor de 400 e antes dele vem o
300. O 3 vale 30 foi logo para a página de número 430 e virou uma de
cada vez até chegar ao 438.

[(Re) formular]
Professor(a), observe as estratégias dos demais grupos que não estão
conseguindo achar as referidas páginas. Verifique se eles
compreenderam o número que está sendo ditado, entendendo a
atividade e conseguindo organizar a sequência numérica.

Após a atividade você pode propor a construção de uma tabela numérica


de um determinado intervalo, por exemplo: de 650 a 750. Certifique-se
que os estudantes compreenderam a regularidade do sistema numérico,
como a repetição de terminações e que há sempre dez números
começando com um mesmo algarismo repetido, confirmando que o
sistema numérico utilizado é decimal.

29
Avaliação Os erros e as dificuldades dos alunos podem indicar que os estudantes
ainda não compreendem a regularidade do sistema numérico ou não
sabe fazer uso do valor posicional. Avalie o momento de comunicação e
(re) formulação e, se for o caso, proponha mais atividade que trabalhem
estas habilidades.
Observação
Professor(a), você pode fazer esta atividade com outros livros de 200 ou
mais páginas, como por exemplo, enciclopédias. Além de ser um
desafio, a turma gosta de manusear os livros, de descobrir novas
palavras, seus significados ou ler um parágrafo do texto.

Uma variação desta atividade é fazer o ditado dos números indicando a


centena, a dezena e a unidade.

Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou


laptops, pode propor a utilização do recurso digital Contagem de 1 em
1:
https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/GenericWorksheetArithmeticProgressionsUpTo1000
WithDifference1

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 10 - Investigando a formação de números

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Investigando a formação de números

Habilidades - Associar um número a sua escrita por extenso;


- Ler números de até 4 algarismos;
- Reconhecer as características do sistema de numeração decimal
(base e valor posicional);
- Formular estratégias sobre a escrita numérica, pela identificação da
posição ocupada pelos algarismos;
- Ler e localizar informações e dados em tabela simples e de dupla
entrada;
Como fazer?
[Analisar]

Professor(a), apresente a seguinte problemática para os estudantes:


30
“A professora da turma do 2° ano fez um ditado com os alunos. Alguns
deles escreveram conforme a tabela a seguir:”

Número ditado pela Aluno X Aluno Y Aluno W


professora

SETECENTOS 700907 70097 707


NOVENTA E SETE

QUINHENTOS E 500806 50086 586


OITENTA E SEIS

MIL E DUZENTOS E 1000200301 100020031 1231


TRINTA E UM
Troque ideias com seus colegas e tente entender como cada aluno
pensou. Que explicação você daria aos alunos X e Y para ajudá-los a
escrever os números da forma que o aluno W fez?

[Comunicar]
Ouça as respostas dadas pelos alunos e peça para demonstrarem a
forma como construíram suas hipóteses no quadro.

[(Re) formular]
Acompanhe as discussões nas quais se comparam as ideias
apresentadas e todos podem justificar suas respostas. Se ao final da
discussão alguém ainda não estiver convencido, é possível comprovar
utilizando a tabela numérica, a numeração de um livro ou álbum de
figurinhas.

Avaliação Os erros e as dificuldade dos alunos pode indicar que os estudantes


ainda não compreendem a regularidade do sistema numérico ou não
sabe fazer uso do valor posicional. Avalie o momento de comunicação e
(re) formulação e, se for o caso, proponha mais atividade que trabalhem
estas habilidades.
Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 11 - Descubra o número

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Descubra o número

Habilidades - Realizar contagem oral da sequência numérica, de 10 em 10, 50 em


50, 100 em 100, 500 em 500, 1 000 em 1000, a partir de
determinado número;
- Escrever números de até 4 algarismos;
- Identificar regularidades na sequência numérica para nomear, ler,
escrever, comparar e ordenar números naturais de 3ª ordem;
- Reconhecer as características do sistema de numeração decimal
(base e valor posicional);
- Identificar o antecessor e o sucessor de um número;
31
- Formular estratégias sobre a escrita numérica, pela identificação da
posição ocupada pelos algarismos.
- Identificar números pares e impares observando a escrita numérica
desses números;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), apresente o seguinte desafio para os estudantes:
“Que número estou pensando?”
Registre o número que está pensando em um pedaço de papel, em
seguida os estudantes devem fazer perguntas para descobrir qual é o
número. As respostas só podem ser sim ou não.
Antes de responder as perguntas, entregue uma tabela numérica com
o intervalo dos números que você pretende explorar para cada dupla..

[Comunicar]
Explique aos alunos que podem utilizar as tabelas para consultar à
vontade e marcar o que for necessário.
Exemplo: Número pensado pelo professor: 178
Perguntas feitas pelos alunos:
- É maior que 140?
- Vem antes (antecessor) de 118?
- Vem depois de 174?
- Têm três algarismos?
- O algarismo do meio (da dezena) é o 5?
- O algarismo que vem à esquerda do 5 é o 1?
- É um número par?
Aproveite para reforçar o uso de vocabulário próprio como: antecessor,
sucessor, centena ,dezena ...
A dupla de alunos que conseguir descobrir o número pensado (e
escrito) pelo professor deverá explicar como conseguiu descobrir,
compartilhando sim suas estratégias que podem ser utilizadas pelos
colegas.
A dupla vencedora deverá escolher um número, escrever no papel para
que as outras duplas possam descobrir.

[(Re) formular]
Acompanhe as discussões nas quais se comparam as ideias
apresentadas e todos podem justificar suas respostas.
Verifique se os estudantes diferenciam números pares e ímpares.

Avaliação Os erros e as dificuldade dos alunos pode indicar que os estudantes


ainda não compreendem a regularidade do sistema numérico ou não
sabe fazer uso do valor posicional. Avalie o momento de comunicação
e (re) formulação e, se for o caso, proponha mais atividade que
trabalhem estas habilidades.
Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou
laptops, pode propor a utilização do recurso digital Adivinhe o
número, disponível em:
http://www.catraios.ipb.pt/KIDS/jogos/acerta_num/acerta_numero.htm

32
Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 12 - Desafio dos números (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Desafio dos números
Habilidades - Escrever e ler números de até 4 algarismos;
- Reconhecer as características do sistema de numeração decimal
(base e valor posicional);
- Formular estratégias sobre a escrita numérica, pela identificação da
posição ocupada pelos algarismos;
Como fazer? Para o jogo você precisará providenciar cartas de baralho com os
algarismos de 0 a 9. Você pode imprimi-las neste link:
https://drive.google.com/file/d/1SH5hQ9ZwS3Gk4ckzmoO5cJaddXCrPi
WD/view?usp=sharing
Forme grupos de cerca de 3 jogadores e distribua a mesma quantidade
de cartas para todos os jogadores.
Cada jogador embaralha as suas cartas e coloca-as com as faces
numeradas voltadas para baixo em um monte a sua frente. Ao sinal
“já”, cada jogador vira três cartas do seu monte e tenta
formar o maior número possível. Aquele que conseguir o maior número
ganha todas as cartas da mesa, colocando-as num monte à parte. O
jogo continua até acabarem todas as cartas.
Pode-se virar 4 cartas de cada vez, dependendo da quantidade de
algarismos desejada para se formar os números. Ou ainda, formar o
menor número possível.

Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.
Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou
laptops, pode propor a utilização dos seguintes recursos digitais:

1. Sucessor e antecessor até 1000:

http://www.soplaar.com/jogos_educativos_2/nave_sucessor_antecesso
r/index.php

33
2. Rotular até 1000:
https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/UnderstandingNumberLinesTagsHundreds
O episódio introduz a representação de reta numérica de números
inteiros num intervalo de 0-1000.

Se a quantidade de máquinas disponíveis para os jogos digitais não


forem suficientes, você pode dividir a turma em grupos. Enquanto parte
dos alunos joga o Desafio dos números, com as cartas de baralho, os
demais podem utilizar os recursos digitais sugeridos.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 13 - Construindo um Ábaco

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Construindo um Ábaco
Habilidades - Compreender o significado do valor posicional decimal;
- Estimular a curiosidade a respeito das bases numéricas;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), que tal construir um ábaco junto com seus alunos?
Assim, cada aluno poderá ter seu próprio material para entender o
valor posicional dos números e ainda poder utilizar, em outras aulas,
para compreender as operações. Sugerimos, para isto, a construção do
Ábaco de Haste.
34
Antes da construção do material, converse com os alunos sobre as
características de nosso sistema de numeração: como nossa contagem
é organizada em agrupamentos de dez unidades nosso sistema
numérico chama-se decimal. Nesse momento é interessante interrogar
os alunos sobre esse desenvolvimento histórico dos números e fazê-
los refletir sobre a relação da quantidade dos nossos dedos das mãos
e da nossa base numérica ser 10. No decorrer dessas reflexões os
alunos começarão a perceber que não necessariamente precisamos
fazer esse agrupamento, isto é, a contagem poderia ser feita com
outros, como cinco (apenas os dedos de uma mão), doze, vinte (os
dedos das mãos e dos pés), sessenta (relógio), etc.
Para esclarecer melhor a associação entre os processos de contagem
e o sistema de numeração, propomos a construção do “Ábaco de
Hastes” que poderá ser feita com materiais recicláveis de fácil
aquisição. Forme grupos de no máximo quatro alunos e entregue a
cada grupo uma barra de isopor, 4 espetos de madeira, 4 kits de
tampinhas já separadas pelas cores e furadas (12 tampinhas cada).
Providencie um roteiro explicando que os espaçamentos entre cada
palito de picolé será de 4cm e que eles devem ficar na vertical.
Após a construção, proponha que os grupos representem
determinados números no ábaco, considerando a posição das
unidades, dezenas, centenas e unidades de milhar. Professor(a),
explore números em que uma das posições fique vazia, como: 504,
1021.
[Comunicar]
Os grupos devem fazer o registro da representação, por meio do
Ábaco.

[(Re) formular]
Acompanhe as representações e discussões nas quais se comparam
as ideias apresentadas e todos podem justificar suas respostas.
Avaliação Verifique se os alunos compreenderam o valor posicional dos números,
a partir da organização que fizerem na base decimal. No decorrer da
atividade é possível acompanhar quais são as habilidades utilizadas
pelos alunos para identificar as trocas e organização das peças
(tampinhas de garrafas) para organizar corretamente o sistema
posicional.
Observação Professor(a), providencie, antecipadamente, os materiais que serão
utilizados para cada aluno: 48 tampinhas de garrafas tipo pet de cores
diferentes (para cada Ábaco são necessárias quatro cores diferentes);
01 barra de Isopor de 16 x 4cm com largura de no mínimo 03 cm; 04
espetos de madeira; 01 prego e um martelo para furar todas as
tampinhas pet (apenas você usará esse material). Peça aos alunos,
com um determinado tempo de antecedência, que levem para escola
tampinhas de garrafas pet já limpas. É necessário que você fure as
tampinhas no centro, de preferência, antes destas aulas. As tampinhas
serão os elementos a serem agrupados nos espetos de madeira. Após
todas as tampinhas estarem devidamente furadas, já é possível dar
início a construção do Ábaco de Haste com os alunos na sala de aula.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

35
ATIVIDADE 14 - Explorando o Ábaco

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Explorando o Ábaco
Habilidades - Compreender o significado do valor posicional decimal;
- Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual a
10 unidades;
- Relacionar centena dezena unidades determinando que 1 centena e
igual a 100 unidades;
- Escrever números de até 4 algarismos por extenso;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), utilize o Ábaco para realizar agrupamentos. Em seguida,
solicite que os estudantes façam o registro em um quadro com
símbolos que podem ser escolhidos pelas crianças, como no exemplo:

UNIDADE DE MILHAR CENTENA DEZENA UNIDADE


(UM) (C) (D) (U)

Fazendo a decomposição do número e depois escrevendo por extenso.


Exemplo: 3.326 (Três mil trezentos e vinte e seis) = 3 unidades de
milhar + 3 centenas + 2 dezenas + 6 unidades.
Realize questionamentos, como:
- Um “lápis” equivale a quantas dezenas?
- Uma “estrela” são quantas unidades?
- Quantas “bolas” seriam necessárias para representar este
número?
Sugerimos que esta atividade seja realizada em grupo e que cada
grupo fique com números distintos, para ao final da atividade seja
possível fazer as comparações dos resultados obtidos.

[Comunicar]
Os grupos devem fazer o registro da representação, por meio do Ábaco
e do uso do quadro. Os alunos registrarão cada um dos processos, ao
final da atividade é interessante solicitar que um representante de cada
grupo se dirija a lousa e explique ao restante da sala como ficou o
resultado final de seu grupo.

[(Re) formular]
Acompanhe as representações e discussões nas quais se comparam
as ideias apresentadas e todos podem justificar suas respostas.

Avaliação Verifique se os alunos compreenderam o valor posicional dos números,


a partir da organização que fizerem na base decimal.
Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

36
ATIVIDADE 15 - Compreendendo a ordem dos numerais

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Compreendendo a ordem dos numerais
Habilidades - Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual a
10 unidades;
- Relacionar centena dezena unidades determinando que 1 centena e
igual a 100 unidades;
Como fazer? [Analisar]

Professor (a), o entendimento da ordem e da classe dos números


naturais é importante para a compreensão do sistema de numeração
decimal. Para isso, é importante trabalhar com os estudantes a
organização dos números em classes e ordens, conforme tabela
abaixo.

Providencie um exemplo em uma cartolina ou em um papel maior, com


um número representativo para a turma.

[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e a partir do preenchimento
do quadro. Os grupos devem fazer o registro da representação, por
meio do quadro de ordens.

[(Re) formular]
Acompanhe as representações e discussões nas quais se comparam
as ideias apresentadas e todos podem justificar suas respostas.
Avaliação
Verifique se os alunos compreenderam o valor posicional dos números,
a partir da organização que fizerem na base decimal.
Observação
Professor(a), se os estudantes tiverem dificuldade em realizar as
representações e compreender o quadro, você poderá utilizar como
auxílio, o Ábaco, caso tenha construído em aulas anteriores.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

37
ATIVIDADE 16 - Bingo (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Bingo - composição e decomposição de números
Habilidades - Escrever números de até 4 algarismos;
- Escrever números de até 4 algarismos por extenso;
- Associar um número a sua escrita por extenso;
- Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e
igual a 10 unidades;
- Relacionar centena dezena unidades determinando que 1
centena e igual a 100 unidades;
Como fazer? Professor(a), o Bingo é um jogo muito conhecido praticamente por
todas as crianças. A proposta é aproveitar a ideia do bingo tradicional e
transformá-lo em um bingo matemático. Como em um bingo tradicional
é preciso de cartelas. Neste caso, as cartelas são semelhantes, mas
deverá ter números com 3 e 4 ordens, como na imagem abaixo:

É importante considerar, na hora do sorteio, que as pedras que serão


chamadas serão, apenas, as que tem o número correspondente em
alguma das cartelas.

Professor(a), quando for dizer o número, você pode falar de uma forma
diferente como: o número chamado tem 20 dezenas e 3 unidades.
Combine com a turma o tempo que aguardará para que os estudantes
possam verificar a presença do número chamado na cartela. Ganhará
o(a) jogador(a) que preencher primeiro toda a sua cartela.
Professor(a) você pode estabelecer ganhadores(as) com o
preenchimento apenas de uma linha ou do "azarão" (o último a
marcar).
Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil. Verifique se algum estudante ainda não consegue
compor e/ou decompor números de até 4 ordens.
Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

38
ATIVIDADE 17 - Diferentes formas de representar um número

Componente Curricular Matemática e Artes – 4º ano


Atividade Diferentes formas de representar um número
Habilidades - Escrever números de até 4 algarismos;
- Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual a
10 unidades;
- Relacionar unidade de milhar, centena, dezena e unidades,
determinando que 1 centena e igual a 100 unidades;
- Combinar cores as cores primárias;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), escreva um número de quatro dígitos no quadro e peça
aos alunos que pensem em outra maneira de representar esse número.
Eles podem fazer um desenho (esquema), construí-lo a partir da base
10, escrever uma expressão que seja igual ao número.

Deixe que vários alunos compartilhem as diferentes ideias para


representar esse número. Compare e contraste as diferentes
representações com a classe.

Deixe os alunos jogarem Cores voadoras - Números de 4 dígitos,


disponível em:
https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/DecimalPaintMixingPlaceValue4Digits
Os alunos que estiverem com dificuldades podem começar com Cores
voadoras - Números de 3 dígitos que consiste no mesmo jogo
apenas com números de 3 dígitos, disponível em:
https://www.matific.com/bra/pt-
br/activity/DecimalPaintMixingPlaceValue3Digits

Tela do recurso digital -Cores voadoras:número de 4 dígitos

Neste episódio, os alunos devem encher um recipiente com um


determinado volume de tinta, em litros. O número será dado com três
ou quatro dígitos. Algumas vezes será um múltiplo de 10 outras vezes
não. Há três bisnagas de cores que permitem que você despeje a tinta
no recipiente com incrementos de 1000, 100, 10 ou 1 litro. Você pode
decidir usar apenas uma cor de tinta ou usar mais de uma. Se você
errar a quantidade de tinta, colocar muita ou precisar recomeçar a
questão, você pode abrir a válvula no canto inferior direito do recipiente
para reiniciar o problema.

39
[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e a partir do preenchimento
do quadro. Os grupos devem fazer o registro da representação, por
meio do quadro de ordens.

[(Re) formular]
Reúna os alunos, peça-os que pensem em um número, como 4350,
por exemplo. Deixe que eles pensem em como eles encheriam o
recipiente com 4350 litros de tinta. De acordo com as respostas, anote
o que eles pensaram por meio de expressões.
● Um aluno poderia dizer que ele apertaria 1000 no vermelho 4
vezes. O botão 100 no vermelho 3 vezes e 10 no azul 5 vezes.
Você poderia anotar 4000 + 300 + 50 = 4350. Você poderia
anotar também 4 X 1000 + 3 X 100 + 5 x 10 = 4350.
● Um aluno poderia dizer que ele apertaria 1000 no vermelho
duas vezes, 1000 no azul duas vezes, 100 no amarelo três
vezes e 10 no azul 5 vezes. Você poderia anotar 2000 + 2000 +
300 + 50 = 4350. Você poderia anotar também 2 X 1000 + 2 X
1000 + 3 X 100 + 5 X 10.
Depois de anotar várias ideias, aproveite para comparar como essas
expressões são similares e diferentes. Repita esse procedimento com
um número de quatro dígitos que não seja um múltiplo de 10 como
1352.
Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observações Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios que exploram as habilidades exploradas
nestas atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em
sua escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 18 - Adição agrupamento

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Adição agrupamento
Habilidades - Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual a
10 unidades;
- Relacionar centena dezena unidades determinando que 1 centena e
igual a 100 unidades;
- Determinar os resultados dos fatos da adição e da subtração de
forma automatizada;
- Resolver adição com dois números de até quatro algarismos sem
reserva;
- Estabelecer relações entre os termos da adição;
- Realizar cálculos utilizando estratégias como o uso desenhos,
símbolos, contagem, estimativa, decomposição, composição e
arredondamento de números (adição e subtração);
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), a Adição é uma operação com o objetivo de somar (+), ou
seja, ela agrupa dois números, as quais, se somarmos tornam-se
apenas um. É possível obter, por meio dela, a contagem real de tudo o
que possuímos em tempo presente até que ocorra aumento de
materiais. Espera-se que as crianças do 4° ano já conheçam esta
40
operação.

Para esta aula sugerimos retomar a ideia de unidade, de dezena e de


centena. Escolha exemplos de números e represente em placas
(centena), barras (dezena) ou cubinhos (unidade). Você pode usar o
material dourado ou desenhar estas representações no quadro. Peça
que os estudantes indiquem o número que está sendo representado
pelos blocos. O objetivo é familiarizar seus alunos com a representação
visual para as centenas, dezenas e unidades, mas é também valioso
mencionar como o reagrupamento funciona (ou composições e
decomposições). Questione-os, por exemplo, se as dezenas podem ser
reagrupadas em centenas.

Em seguida, concentre-se em somas de duas parcelas. Sugerimos que


o primeiro ou segundo exemplo não exija reagrupamento.

Por exemplo: mostre 136 e 442 com os blocos (centenas - placa,


dezenas - barrinha e unidades - cubinho). Pergunte quais números
estão representados. A partir desta representação, como podemos
encontrar a soma? É possível que os alunos tenham dificuldades para
responder, caso isso aconteça, questione-os: se o primeiro número tem
uma placa (1 centena) e o segundo número tem quatro placas (4
centenas), quantos placas (centenas) nós temos no total? Você
também pode mover (ou redesenhar) os blocos, juntar e rearranjá-los
para que todos estejam agrupados.
Trabalhe outros exemplos. Peça que os estudantes fiquem em grupos
para resolver outras operações, utilizando o agrupamento de centenas,
dezenas e unidades.
[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e a partir da movimentação
dos blocos ou desenhos. Valorize as respostas dos grupos.

[(Re) formular]
Verifique, junto com aos estudantes, se foi compreendido a ideia de
composição e decomposição. Peça que os grupos socializem a
resolução das proposições. Em seguida, aproveite as representações
apresentadas pelos estudantes para formalizar o algoritmo da adição.

Professor(a), é importante observar que o exemplo apresentado exige


apenas a contagem do total para cada valor posicional para encontrar a
soma, mas isto consiste em um passo valioso para os exemplos com
reagrupamento.
Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observações Professor(a), caso opte pelo uso do material dourado, providencie
caixas suficientes deste material, para os grupos poderem trabalhar.

Esta atividade está centrada na resolução de operações de adição sem


reagrupamento.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

41
ATIVIDADE 19 - Adição reagrupamento

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Adição reagrupamento
Habilidades - Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual a
10 unidades;
- Relacionar centena dezena unidades determinando que 1 centena e
igual a 100 unidades;
- Determinar os resultados dos fatos da adição e da subtração de
forma automatizada;
- Resolver adição com dois números de até quatro algarismos com
uma reserva;
- Estabelecer relações entre os termos da adição;
- Realizar cálculos utilizando estratégias como o uso desenhos,
símbolos, contagem, estimativa, decomposição, composição e
arredondamento de números (adição e subtração);
- Compor e decompor valores, manipulando ou não cédulas e ou
moedas;
- Dispor os números no algoritmo utilizando sinais;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), relembre a atividade que foi feita, anteriormente, com
agrupamento das centenas, dezenas e unidades. Esta aula tem uma
proposta semelhante, mas os exemplos trabalhados exigirão
reagrupamento e a soma não será superior a 999.

Por exemplo: mostre 136 e 482 com os blocos (centenas - placa,


dezenas - barrinha e unidades - cubinho). Pergunte quais números
estão representados. A partir desta representação, como podemos
encontrar a soma? Possivelmente os alunos tentarão utilizar a mesma
estratégia trabalhada na aula anterior, contudo, deverão perceber que
haverá 11 dezenas. Neste momento, questione-os sobre como pode
ser feito: quantas dezenas são necessárias para formar 1 centena?
Trabalhe outros exemplos. Peça que os estudantes fiquem em grupos
para resolver outras operações, utilizando o agrupamento de centenas,
dezenas e unidades.
[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e a partir da movimentação
dos blocos ou desenhos. Valorize as respostas dos grupos.

[(Re) formular]
Verifique, junto com aos estudantes, se foi compreendido a ideia de
composição e decomposição. Peça que os grupos socializem a
resolução das proposições. Em seguida, aproveite as representações
apresentadas pelos estudantes para formalizar o algoritmo da adição
com a ideia de reagrupamento.

Professor(a), é importante observar que o exemplo apresentado exige


apenas um reagrupamento, mas isto consiste em um passo valioso
para os exemplos com múltiplos reagrupamentos.
Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observações Professor(a), caso opte pelo uso do material dourado, providencie
caixas suficientes deste material, para os grupos poderem trabalhar.

Esta atividade está centrada na resolução de operações de adição com


42
um reagrupamento.

Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou


laptops, pode propor a utilização do jogo “ Adição de números de 3
dígitos”, disponível em:
https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/RegroupingMachineAdditionThreeDigit

Este episódio pratica a adição de números de 3 dígitos. Cada adendo é


representado por moedas de 100, 10 e 1 unidade. Você pode trocar
dez moedas de 1 por uma única moeda de 10, ou dez moedas de 10
por uma única moeda de 100, usando a máquina do caixa.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 20 - Jogo das possibilidades (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Jogo das possibilidades

Habilidades - Identificar, entre eventos aleatórios cotidianos, aqueles que têm


maior chance de ocorrência, reconhecendo características de
resultados mais prováveis, sem utilizar frações;

Como fazer?
Organização a turma em grupos de 4 a 5 participantes. Os grupos
precisarão receber: 2 dados, tabuleiro e um quadro de registro das
jogadas. Cada participante escolhe ou sorteia o time para apostar. O
primeiro jogador lança os dois dados de cores diferentes e observa se
a coluna horizontal e vertical contém o escudo do time que ele
escolheu. Se tiver nas duas colunas soma os pontos dos dois dados,
se tiver apenas em uma das colunas, subtrai os números dos dados.
Caso não tenha em nenhuma das duas colunas passa a vez para o
colega. Cada jogador registra no quadro as jogadas. Ganha o jogo o
participante que obtiver o maior número no total.

43
REGISTRO - JOGO DAS POSSIBILIDADES

Aluno(a):

Jogadas/Time 1a. jogada 2a. jogada 3a. jogada Total

Ao finalizar, apresente os seguintes questionamentos:


– Quais os times mais difíceis de sair?
– Como posso obter a pontuação 12?
– Qual o time que tem as mesmas chances de sair?
– Pode-se também substituir os fatos da adição pela multiplicação
e da subtração pela adição?

Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.
Observação Professor(a), você pode elaborar o tabuleiro que irá usar, com figuras
que achar adequadas. Este link disponibiliza uma opção de tabuleiro:
https://drive.google.com/file/d/1Eod8fXYIBJR7H5FPSl-
Kz82Q2czNRZ08/view?usp=sharing

ATIVIDADE 21 - Subtração sem reagrupamento

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Subtração sem reagrupamento
Habilidades - Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual a
10 unidades;
- Relacionar centena dezena unidades determinando que 1 centena e
igual a 100 unidades;
- Determinar os resultados dos fatos da adição e da subtração de
forma automatizada;
- Resolver subtração com números de até quatro algarismos sem
reagrupamento;
- Fazer estimativa do resultado de subtração;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), a subtração é uma operação simbolizada por a-b = c, ou
seja, o minuendo menos o subtraendo é igual ao restante que sobra, e
também pode ser representada pelo sinal – .
Para esta aula sugerimos retomar a ideia de unidade, de dezena e de
centena. Escolha exemplos de números e represente em placas
(centena), barras (dezena) ou cubinhos (unidade). Você pode usar o
material dourado ou desenhar estas representações no quadro. Se
preferir, também pode utilizar cartões com três tamanhos diferentes,
em que cada tamanho representará a centena, a dezena e a unidade.

Peça que os estudantes indiquem o número que está sendo


44
representado pelos blocos ou cartões, conforme sua escolha. O
objetivo é familiarizar seus alunos com a representação visual para as
centenas, as dezenas e as unidades.

Em seguida, apresente a seguinte problemática: Eu tenho 8 cartões


grandes, cada um dos quais representa o número 10, e 10 pequenos
cartões, cada um dos quais representa o número 1. Agora, se eu quiser
representar o número 65, por exemplo, tudo o que tenho a fazer é
segurar na minha mão 6 cartões de 10 e 5 cartões de 1, porque 65 é
composto de 6 dezenas e 5 unidades.
Segure 6 cartões de dez e 5 cartões de um em sua mão, mostre a
classe e coloque as cartas restantes na mesa. Agora, eu quero
remover da minha mão, e colocar na mesa, cartões que representem o
número 20. Como devo fazer?
Escreva o número 20 na lousa e pergunte: Quantos e qual tipo de
cartão podemos utilizar para representar o número 20? Quantos
cartões restaram nas minhas mãos?
Ao final, escreva na lousa a expressão que representa a situação: 60 -
20 = 45. Mostre aos estudantes que nenhum dos cartões de “1”
(representando a unidade) foi colocado na mesa. Assim, a diferença é
apenas no número de cartões de 10.
Faça isso com outros exemplos, inclusive com números de 3 dígitos.
Depois, divida os estudantes em pequenos grupos e proponha a
resolução de algumas operações.

[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral, a partir dos cartões e por
meio da resolução coletiva. Valorize as respostas dos grupos. Instigue-
os a anotar os passos que tomariam, usando o método do episódio,
para subtrair, por exemplo, 40 de 72.

72 - 40 = (70 + 2) - 40
= (70 -40) + 2
= 30 + 2
= 32

[(Re) formular]
Explique os problemas enfrentados pelos alunos ao trabalharem
individualmente. Verifique, junto com os estudantes, se foi
compreendido a subtração sem reagrupamento. Peça que os grupos
socializem a resolução das proposições. Quando os alunos
terminarem, revise suas respostas. Escreva na lousa e explique
quaisquer perguntas que os alunos possam ter. Em seguida, aproveite
as representações apresentadas pelos estudantes para formalizar o
algoritmo da subtração.

Professor(a), é importante observar que o exemplo apresentado não


exige reagrupamento, mas isto consiste em um passo valioso para os
exemplos com múltiplos reagrupamentos.
Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

45
ATIVIDADE 22 - Usando a calculadora

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Usando a calculadora
Habilidades - Utilizar a calculadora para produzir escritas numéricas;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), peça, antecipadamente, que os estudantes tragam uma
calculadora simples para sala de aula e junto com a turma explore
cada tecla e sua função.
Exemplo 1: Qual a tecla que apertamos para ligar à calculadora? E
desligar ?
R: ON liga a calculadora e OFF desliga.
Exemplo 2: Quais as teclas que vocês conhecem? Para que servem?
R: + para fazer somas, - para subtrair, x para multiplicar e :
para dividir. Professor(a), todas os símbolos relacionados com
operações já devem ser de conhecimento dos estudantes
Exemplo 3:Qual a tecla que apaga o que estava escrito no visor?
R: C/CE apaga os números do visor e aparece só o O (zero).
Exemplo 4: Quantos dígitos cabem no visor?
R: 8 dígitos.

[Comunicar]
Professor(a) aproveite as descobertas feitas pela turma e escreva um
texto coletivo sobre a calculadora e seus possíveis usos.
Nesta aula a comunicação acontecerá de forma oral e escrita.

[(Re) formular]
Verifique, junto com os estudantes, se foi entendido como se usa a
calculadora. Aproveite para acompanhar as escritas numéricas
realizadas com o uso da calculadora.
Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), nas páginas 20 e 21 do Livro do MAIS PAIC - 4° ano - 1°


Bimestre, tem exercícios que podem ser utilizados com o uso da
calculadora.

Você também pode apresentar aos estudantes a história da


calculadora. É possível ter maiores informações neste link:
http://www.canalkids.com.br/tecnologia/vocesabia/junho02.htm

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, páginas 20 e 21, tem exercícios com as habilidades
exploradas nestas atividades. Também verifique, junto ao livro didático
adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

ATIVIDADE 23 - Comparando estratégias com o uso da calculadora

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Comparando estratégias com o uso da calculadora
Habilidades - Utilizar a calculadora para produzir escritas numéricas;

46
- Fazer estimativa do resultado da adição e de subtração;
- Fazer estimativa do resultado de subtração;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), peça, antecipadamente, que os estudantes tragam uma
calculadora simples para sala de aula. Divida a turma em duplas e
entrega para cada dupla uma folha de papel com, pelo menos, dois
desafios a serem resolvidos com a máquina de calcular.
A) Escreva na calculadora 268. Depois, sem apagá-lo, faça surgir o
68. Em seguida, tente chegar ao 3. E agora, como obter o 0?
B) Digite na calculadora o 304. Como obter o 0, usando apenas os
números 1 e o símbolo (-)?

[Comunicar]
Depois de resolverem os desafios, cada dupla deve se juntar com outra
dupla, explicar como chegaram ao resultado pedido e escolher qual a
estratégia mais rápida. Ao fim, cada grupo apresenta a estratégia
escolhida no quadro e todos comparam e elegem a mais rápida ou a
que demora menos na resolução dos desafios. Professor(a), peça que
todos façam o registro nos cadernos.

[(Re) formular]
Professor(a) acompanhe e verifique a realizada de cada uma das
etapas, verificando se os estudantes entenderam o que foi solicitado,
se for o caso, medie as situações de dúvidas.
É importante observar que os estudantes utilizarão estratégias
diferentes para resolver e que, mesmo sendo diferentes, podem ser
corretas.
Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação Professor(a), nas páginas 20 e 21 do Livro do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios que podem ser utilizados com o uso da
calculadora.
Você também pode apresentar aos estudantes a história da
calculadora. É possível ter maiores informações neste link:
http://www.canalkids.com.br/tecnologia/vocesabia/junho02.htm

ATIVIDADE 24 - Jogo da caixa (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Jogo da caixa
Habilidades - Avançar nas relações estabelecidas entre as escritas numéricas e
as operações (aditivas e multiplicativas), que auxiliam na
organização do sistema de numeração;
- Interpretar informações contidas na escrita de um número e
progredir na análise do valor posicional dos algarismos que o
compõem;
- Explorar os agrupamentos.
- Realizar trocas entre cédulas e ou moedas, manipulando-as ou não;
Como fazer? Professor(a), providencie antecipadamente o material que será
utilizado no jogo.

Organize a classe em grupos de 4 alunos e nomeie o aluno que será o


caixa. Este aluno terá cédulas e moedas. Cartões, previamente
numerados de R$ 8 a R$ 30, ficam sobre a mesa, com o valor virado
para baixo. Os alunos que não atuam como caixa, na sua vez, deve
tirar um cartão da mesa e pedir ao caixa a quantia de dinheiro expressa
47
no cartão.

São jogadas três rodadas e será vencedor o aluno que tiver mais
dinheiro. Para conferir o total, os alunos podem usar procedimentos
diferentes: agrupar as cédulas e moedas segundo seu valor; contar
quantas notas de cada valor possui e somar; agrupar e pedir que o
caixa troque por notas de valor maior.

Ao final da partida, quando todos os grupos tiverem um ganhador,


organiza-se uma discussão sobre os diferentes procedimentos, com o
objetivo de calcular o total de dinheiro que cada um juntou, pedindo
que cada aluno explique o seu raciocínio.
Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.
Observação Para cada grupo de 4 alunos são necessários os seguintes materiais:
cédulas de R$ 2, 5, 10, 20, 50 e 100; moedas de R$ 1 (As notas podem
ser fotocopiadas de cédulas autênticas ou extraídas de algum jogo de
mesa, ou ainda fabricadas com retângulos de papel de diferentes tipos
ou cores); 22 cartões com valores de R$ 8 a R$ 30

ATIVIDADE 25 - Interpretando e resolvendo problemas

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Interpretando e resolvendo problemas
Habilidades - Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição e
da subtração;
- Resolver problema envolvendo adição em que e procurado o valor
da soma ou de uma parcela;
- Resolver problema envolvendo subtração em que e procurado o
valor do resto, do minuendo ou do subtraendo;
- Descrever o processo de resolução dos problemas resolvidos;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), essa atividade objetiva a resolução de problemas pelos
alunos. Para resolver problemas matemáticos é necessário que
compreendam conceitualmente a operação para resolvê-los. Se o
problema leva o aluno a repetir procedimentos ele não estará
desenvolvendo estratégias de solução e automaticamente não haverá
uma compreensão conceitual.
Permita que o aluno apresente essa estratégia de resolução da forma
que melhor convier a representação: utilizando desenho, contando
lápis ou dedos, utilizando material dourado, entre outros, até que
chegue ao registro dessa operação. Lembrando que, o mais
importante da resolução de um problema não deve ser a execução
algorítmica, mas sim, a compreensão do que está sendo solicitado
diante da interpretação dos dados apresentados pelo enunciado.

Sugerimos 5 problemas que envolvem diferentes raciocínios


matemáticos. Você poderá substituir os termos e números para
adequação do nível de desenvolvimento cognitivo em que se encontra
a sua turma, mas você deve estar ciente das habilidades necessárias
para a resolução de cada um deles.

1. Pedro tem 112 figurinhas de Naruto e 220 do Homem Aranha.


Quantas figurinhas Pedro têm ao todo?

48
Veja que a quantidade de figurinhas de Naruto é uma parte do todo
(quantidade total de figurinhas) e a quantidade de figurinhas do Homem
Aranha é a outra parte, sendo que o todo será a quantidade total de
figurinhas de Naruto e do Homem Aranha.

2. Carlos tem 30 anos. Ele faz coleção de carrinhos desde os 9 anos.


Tinha em sua coleção 1.700 carrinhos. Seu filho Arthur pegou sua
coleção para mostrar aos colegas de escola, mas, quando foi devolver
a coleção a seu pai, ele viu que tinha perdido 47 carrinhos. Quantos
carrinhos ele devolveu?

Veja que foram dados o estado inicial (quantidade de carrinhos da


coleção) e a transformação (quantidade de carrinhos perdidos), e se
pede o valor do estado final (quantidade de carrinhos devolvidos).

3. Ana ganhou um livro que contém 67 páginas. Ela já leu 35 páginas.


Quantas páginas faltam para ela terminar de ler?

Nesta situação, foram dados uma parte (quantidade de páginas lidas) e


o valor do todo (quantidade total de páginas do livro), buscando-se o
valor de uma das partes (quantidade de páginas não lidas).

4. Fábio participou de um campeonato de bolinhas de gude. Ele levou


85 bolinhas e voltou com 112. Quantas bolinhas de gude Fábio ganhou
durante o campeonato?
Veja que foram dados os estados: inicial (quantidade inicial de gudes
de Fábio) e final (quantidade de gudes com que Fábio ficou ao voltar
do campeonato), e se pede o valor da transformação (quantidade de
bolinhas de gude ganhas durante o campeonato).

5. Os filhos de Sandra fazem coleção de carrinhos. Guilherme tem 135


carrinhos em sua coleção e Leonardo tem 82 a mais que Guilherme.
Quantos carrinhos Leonardo têm?
Nesta situação, foram dados o referente (quantidade de carrinhos da
coleção de Guilherme) e a relação (a diferença entre a quantidade de
carrinhos da coleção de Guilherme e de Leonardo), buscando-se o
valor do referido (quantidade de carrinhos da coleção de Leonardo).

[Comunicar]
Professor(a), discuta com os alunos as possíveis representações e
solicite que se atentem para as respostas, de acordo com a pergunta
do problema. Desenhe na lousa a representação e o registro da
operação.

[(Re) formular]
Professor(a), recomendamos esteja atento(a) para os seguintes
pontos:
- Dedique tempo para instigar o aluno a interpretar a situação proposta
pelo problema;
- Permita que os alunos desenvolvam diferentes estratégias de
solução;
- Compartilhe as diferentes soluções com os demais colegas.
- Use diferentes estratégias para que o aluno não procure no problema
apenas os números para a construção da operação, sem pensar no
que se pede.
49
- Ajude os alunos a compreenderem a operação envolvida no
problema, contudo, evite o uso de palavras-chave, pois elas podem
induzir ao erro.
Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens. Nesse
sentido, você deve observar no decorrer dessa aula se o aluno
conseguiu interpretar e resolver as situações de adição e de subtração
utilizando estratégias pessoais.
Durante todo processo registre a participação dos alunos e anote quais
foram as intervenções para elas avançarem.
Observação As situações sugeridas nesta atividade foram retiradas do Livro
“Ensinando adição e subtração: experiências de professores de 4º
ano”, disponível em:
https://drive.google.com/file/d/1M7ccsGuxCLZjyfwA9Z-TRXtbvHVmz-
6c/view?usp=sharing

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 26 - Desenvolvendo habilidades de solucionar situações

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Desenvolvendo habilidades de solucionar situações
Habilidades - Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição e
da subtração;
- Resolver problema envolvendo adição em que e procurado o valor
da soma ou de uma parcela;
- Resolver problema envolvendo subtração em que e procurado o
valor do resto, do minuendo ou do subtraendo;
- Descrever o processo de resolução dos problemas resolvidos;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), nessa atividade os alunos terão a oportunidade de criar
dados para diferentes situações. Abaixo seguem algumas sugestões,
mas você poderá alterá-las de acordo com as necessidades e
dificuldades dos seus alunos. As situações apresentam alguns dados e
outros devem ser completados pelos alunos, cada um a seu modo, de
acordo com suas preferências.
Você poderá dividir a turma em duplas ou trios para que discutam as
possibilidades. Depois de completar os dados dos problemas os alunos
deverão resolvê-los da mesma forma da atividade anterior.

Situação 1: Em um determinado dia na escola Santa Rita, no turno


matutino, foram consumidos ___________ pães e, no vespertino, 220.
Qual o total de pães consumidos nesse dia?

Situação 2: Hiago comprou ________ chicletes e seus amigos


mascaram alguns desses chicletes. Hiago ficou com 24. Quantos
chicletes os amigos de Hiago mascaram?

Situação 3: Felipe iniciou o jogo de bafo com 10 figurinhas.


____________________________________________________. O
que aconteceu durante o jogo?

50
Situação 4: Mariana tem ___________ lápis, Luana tem __________
lápis. Quantos lápis Mariana tem a mais que Luana?

[Comunicar]
Cada situação preenchida requer uma correção individualizada.
Analise os problemas observando o registro das estratégias utilizadas
pelos alunos e compare com os dos demais colegas.
Identifique e classifique os erros encontrados.
Atenda aos alunos ou grupos individualmente e pergunte como
pensaram para chegar à resolução. Socialize as resoluções com a
turma. Escolha alguns para corrigir coletivamente.
Analise, junto com a turma, alguns problemas que apresentem erros na
complementação dos dados que torne impossível a resolução. Evite
expor os alunos.

[(Re) formular]
Professor(a), a socialização das estratégias desenvolvidas pelos
alunos é um recurso que deve ser utilizado para que percebam as
diferente possibilidades de resolução e os caminhos pensados e
construídos para chegar às respostas. Essa prática possibilita que os
alunos se apropriem de procedimentos diferentes e reflita sobre os
caminhos percorridos pelos colegas, respeitando e valorizando o
pensamento dos demais.

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens. Nesse
sentido, você deve observar no decorrer dessa aula se o aluno
conseguiu interpretar, resolver e elaborar situações de adição e de
subtração utilizando estratégias pessoais.
Durante todo processo registre a participação dos alunos e anote quais
foram as intervenções para elas avançarem.
Observação As situações sugeridas nesta atividade foram retiradas do Livro
“Ensinando adição e subtração: experiências de professores de 4º
ano”, disponível em:
https://drive.google.com/file/d/1M7ccsGuxCLZjyfwA9Z-TRXtbvHVmz-
6c/view?usp=sharing

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 27 - Elaborando situações matemáticas

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Elaborando situações matemáticas
Habilidades - Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição e
da subtração;
- Resolver problema envolvendo adição em que e procurado o valor
da soma ou de uma parcela;
- Resolver problema envolvendo subtração em que e procurado o
valor do resto, do minuendo ou do subtraendo;
- Descrever o processo de resolução dos problemas resolvidos;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), formular problemas auxilia os alunos a resolverem
51
situações, pois ajuda o aluno a formar esquemas de representação
mental e consolida o conhecimento. Por isso, nessa atividade eles vão
elaborar suas próprias situações.

As situações devem ser significativas para que os alunos possam


aprender conceitos e procedimentos. Se eles próprios elaborarem os
problemas é possível que sejam bem significativos e que eles pensem
nos seus enunciados e nas situações colocadas por eles. Nesse
sentido, permita que os alunos escrevam suas ideias e construam seus
textos utilizando seus conhecimentos sobre a organização de um
gênero textual: situação problema. Consequentemente podem
melhorar suas produções textuais e reflexões a respeito da utilização
da matemática no cotidiano das pessoas. Muitas são as alternativas de
propostas de formulação de situações. É importante que, no início, os
alunos tenham um caminho a seguir para que não se sintam
“perdidos”. Segue algumas sugestões. Analise, modifique, acrescente
ideias, caso julgue necessário.

Sugestão 1 : Igor tinha 34 carrinhos de brinquedo em sua coleção.


_________________________________________________________
________________________________________________

Sugestão 2: Com quantas figurinhas ele ficou?


_________________________________________________________
_________________________________________________

Sugestão 3: Quantos pontos Ana marcou a mais que Paula?


_____________________________________________________
_____________________________________________________

Professor(a), organize para que os próprios alunos façam a correção


dos textos dos colegas. Trabalhe com duplas ou grupos, de acordo
com as dificuldades enfrentadas pelos alunos. Dê espaço para que
interpretem as ideias dos colegas.

[Comunicar]
Escolha algumas situações para análise coletiva. Permita que os
alunos exponham seus registros.
Compare diferentes procedimentos, mas sem expor os alunos.

[(Re) formular]
Professor(a), a socialização das situações criadas e das estratégias
desenvolvidas pelos alunos é um recurso que deve ser utilizado para
que percebam as diferentes possibilidades de resolução. Essa prática
possibilita que os alunos se apropriem de procedimentos diferentes e
reflita sobre os caminhos percorridos pelos colegas, respeitando e
valorizando o pensamento dos demais.
Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens. Nesse
sentido, você deve observar no decorrer dessa aula se o aluno
conseguiu interpretar, resolver e elaborar situações de adição e de
subtração utilizando estratégias pessoais.
52
Durante todo processo registre a participação dos alunos e anote quais
foram as intervenções para elas avançarem.
Observação Professor (a), O caderno n° 4 dos Cadernos de Alfabetização
Matemática do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa,
disponível em:
<http://pacto.mec.gov.br/images/pdf/cadernosmat/PNAIC_MAT_Cadern
o%204_pg001-088.pdf >, intitulado “Operações na Resolução de
Problemas” apresenta vários procedimentos utilizados por professores
e aborda situações envolvendo os problemas em sala de aula,
oferecendo subsídios para que os professores trabalhem com essa
temática.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 28 - Resolvendo diferentes situações aditivas (JOGOS E BRINCADEIRAS


MATEMÁTICAS)
Componente Curricular Matemática – 4º ano
Atividade Resolvendo diferentes situações aditivas
Habilidades - Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição e
da subtração;
Como fazer? Professor(a), reserve com antecedência o Laboratório de Informática
da escola. Caso não tenha computadores disponíveis, você pode usar
o contexto do Jogo “Pergunte ao mostro”, para preparar uma atividade
semelhante.

1. Jogo Pergunte ao Monstro, disponível em:


https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/AskAMonsterComparisonAddUpTo100

Este episódio pratica a adição e a subtração, em um intervalo de 0-100.


Serão exibidos monstros. O estudante terá de descobrir quantos itens
um determinado monstro tem. Ao clicar na cabeça do monstro, ele dirá
como é o item ou mais ou menos quantos itens ele tem, comparado ao
53
outro monstro.

2. Jogo Enigmas de despejar quantidades: nível I, disponível em:


https://www.matific.com/bra/pt-br/guests/episodes/PouringRiddles2Jugs

Este episódio pratica a solução de situações no contexto de adição e


subtração. São dadas duas jarras de determinado volume. Você pode
encher uma jarra, esvaziá-la ou colocar água de uma para a outra. O
objetivo é obter uma quantidade de água especificada em uma
determinada jarra.

3. Jogo Advinhando as opções/ adição e subtração, disponível em:


https://www.matific.com/bra/pt-br/guests/episodes/WeighingRiddlesBasicAddAndSub

Este episódio pratica a adição e subtração, em um intervalo de 0-20.


Determine o peso de cada tipo de produto usando uma balança e três
pesos diferentes. Em certos casos, você tem que colocar um peso na
mesma panela de pesagem como produto para poder solucionar o
problema.

54
Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.
Observação

ATIVIDADE 29 - Adição e subtração com parêntese

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Adição e subtração com parêntese
Habilidades Utilizar a calculadora para produzir escritas numéricas;
Como fazer? Professor(a) apresente a seguinte problemática: quando efetuamos os
cálculos em cada uma das seguintes expressões, há diferença? Por
que?
1. 15 – (3 + 4) e 15 – 3 + 4
2. (20 + 3) – 1 e 20 + 3 – 1
Peça aos alunos para resolverem em seus cadernos.
Quando os alunos terminarem de escrever, compartilhe.
Pergunte: Qual o significado dos parênteses em uma expressão
matemática?
Os parênteses nos dizem para efetuar as operações dentro dos
parênteses primeiro, antes de efetuar qualquer outra operação.
Pergunte: Existe alguma diferença entre as duas expressões no 1? Se
sim, qual?
Sim. Na expressão à esquerda, os parênteses indicam que nós
precisamos adicionar 3 e 4 primeiro. A soma de 3 e 4 é 7. Então nós
subtraímos 7 de 15 para obter 8. Na expressão da direita no #1, nós
resolvemos da esquerda para direita. Então primeiro nós subtraímos 3
de 15 para obter 12. Então nós adicionamos 12 com 4 para obter 16.
Então a expressão da esquerda é igual a 8 e a expressão da direita é
igual a 16.

Pergunte: Existe alguma diferença entre as duas expressões no 2? Se


sim, qual?
Não, não há diferença. Na expressão da esquerda, os parênteses
indicam que nós precisamos adicionar 20 e 3 primeiro. Na expressão à
direita, não há parênteses, então nós resolvemos da esquerda para
direita. Então nós adicionamos 20 e 3 primeiro. Aqui, os parênteses
não alteram a ordem das operações porque de qualquer maneira, nós
adicionamos primeiro. As duas expressões são iguais a 22.

[Comunicar]
Nesta atividade a comunicação acontecerá por via oral ou pela
resolução de cada estudante. Professor(a), permita que os alunos se
expressem.

[(Re) formular]
Durante a explicação dos estudantes, verifique se as inferências estão
adequadas.

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou
laptops, pode propor a utilização dos recurso digital Ordem das
operações / Adição-Subtração com Parênteses, disponível em:

https://www.matific.com/bra/pt-
55
br/guests/episodes/EvaluatingExpressionsWithParsingTreeParentheses
AdditionSubtraction

Este episódio pratica a avaliação de expressões numéricas envolvendo


adição, subtração e parênteses, de acordo com a ordem de
convenções de operações. É exibida uma expressão aritmética. Avalie-
a passo a passo ao clicar a cada vez em par de números adjacentes
cuja soma ou diferença deve ser em seguida avaliada.
Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 30 - A multiplicação como adição de quantidades iguais

Componente Curricular Matemática e Língua Portuguesa– 4º ano


Atividade A multiplicação como adição de quantidades iguais
Habilidades - Compreender as ideias da multiplicação: adição de quantidades
iguais;
- Explorar as ideias das operações em especial da multiplicação;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), para esta aula disponibilize um momento para
conversarem sobre o que os alunos já sabem sobre multiplicação. Em
seguida, apresente a tirinha a seguir:

56
Fonte: http://matematicagrupo06.blogspot.com.br/2013/06/mundo-gaturro-aula-de-matematica.html

Após a leitura da tira do Gaturro, peça que os estudantes, em duplas,


discutam e registrem as estratégias utilizadas para responder aos
seguintes questionamentos:
-Como você representaria a operação apresentada no primeiro
quadrinho usando uma adição?
- Represente por meio de desenho a multiplicação do 3° quadrinho.
- Quando a professora pergunta para o Gaturro quanto é 4 x 4 o que
ele responde para ela?
- Em sua opinião ele deu a resposta certa? Expliquem.
- Na realidade a professora do Gaturro queria saber quanto é a conta 4
x 4 e não o preço do carro. Se a pergunta fosse feita para você que
resposta daria a ela?
[Comunicar]
Professor(a), após a realização da atividade pelas duplas, peça que os
estudantes compartilhem suas ideias. Faça o registro das ideias no
quadro para que o restante da turma possa acompanhar.
[(Re) formular]
Professor(a) acompanhe e verifique a realizada de cada uma das
etapas, verificando se os estudantes entenderam o que foi solicitado,
se for o caso, medie as situações de dúvidas.
Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 31 - Conhecendo as propriedades da multiplicação

Componente Curricular Matemática e Língua Portuguesa– 4º ano


Atividade Conhecendo as propriedades da multiplicação
Habilidades - Compreender as ideias da multiplicação: adição de quantidades
iguais;
- Explorar as ideias das operações em especial da multiplicação;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), inicie a aula conversando com os alunos sobre a tabuada
da multiplicação. Faça os seguintes questionamentos:
Vocês sabem a tabuada do 1 ao 10?
A tabuada é fácil ou difícil?
Quais são as mais fáceis e quais são as mais difíceis e por quê?

Após discussão, explique aos alunos que será explorada uma forma
diferente de registrar o produto de fatores que vão de 1 a 10, um
quadro chamado de Tabela Pitagórica.

Entregue para cada aluno uma folha de caderno quadriculado (1 cm)


ou uma malha quadriculada xerocada.
Peça aos alunos que recortem um quadrado formado por 12 linhas e
12 colunas e colem no caderno de matemática sob o título: Tabela
Pitagórica. Solicite que os alunos coloquem um x no quadradinho que é
o encontro da primeira linha com a primeira coluna, para indicar que

57
cada número da primeira coluna será multiplicado por cada número da
primeira linha. Em seguida solicite que os alunos numerem a primeira
linha e a primeira coluna com os números 0 a 10, escrevendo um
número em cada quadradinho como na figura:

Solicite aos alunos que preencham a tabela multiplicando o número


que está em uma linha pelos números de cada coluna e registrando o
resultado no quadradinho correspondente ao encontro da linha com a
coluna. Conceda um tempo para que cada aluno preencha sua tabela e
depois faça uma tabela no quadro e preencha com a ajuda dos alunos
ou projete a imagem de uma tabela já preenchida.

Em seguida, faça novos questionamentos:


Vocês conseguiram lembrar todos os resultados?
Quais produtos vocês tiveram mais dificuldades para lembrar?
Como vocês fizeram para encontrar os resultados dos quais não
lembravam?
Quantos alunos acertaram todos os resultados?
Quantos erraram menos de dez resultados?
Quantos erraram mais de dez resultados?

Por que está acontecendo isso?


COMENTÁRIO: Se não conseguir uma resposta satisfatória explique
que isso ocorre porque na linha temos os resultados das
multiplicações: 3x0, 3x1, 3x2, etc. E na coluna temos o resultado das
multiplicações: 0x3, 1x3, 2x3, etc. Ou seja, são as mesmas
multiplicações, somente mudou a ordem que os fatores aparecem.
58
Explique que este fato é uma propriedade da multiplicação chamada
“Comutativa”. Se os alunos não viram esta propriedade quando
estudaram adição, explique que comutar significa trocar.
Agora, registre no quadro o nome da propriedade e o que ela indica: a
ordem dos fatores não altera o produto, e peça aos alunos para
procurarem na tabela pitagórica outros resultados iguais e registrarem
os produtos que deram origem a estes resultados.

[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e por meio do registro na
tabela pitagórica.

[(Re) formular]
Professor(a) fique atento(a) às respostas, pois, por meio delas é
possível se fazer um diagnóstico da turma com relação à tabuada, o
que pode facilitar a formação de parcerias e grupos de alunos
posteriormente.

Incentive os alunos a procurarem regularidades e relações entre as


linhas e colunas da tabela. Permita que eles falem sobre o que
encontraram e aproveite para formalizar as falas registrando-as no
quadro para que todos possam copiar e entender.

Provavelmente, algum aluno vai citar que na tabela aparece sempre


uma linha e uma coluna que possuem os mesmos resultados. Mostre o
fato ao restante da turma destacando uma linha e uma coluna nestas
condições.

Leve os alunos a refletirem:


Como a propriedade comutativa pode ajudar na memorização dos
resultados da tabuada? Ajude-os a concluírem que na verdade basta
memorizar metade dos resultados. Se eu sei o resultado de 4x8, por
exemplo, também sei o resultado de 8x4. Agora, incentive os alunos a
procurarem resultados que não aparecem duas e somente duas vezes
na tabela. Solicite que eles coloram os quadradinhos onde estiverem
estes resultados.

Professor(a), ajude os alunos a perceberem a simetria entre os


resultados, ou seja, os resultados iguais aparecem na tabela em pares
mantendo a mesma distância da linha diagonal de produtos que foi
colorida. Sendo assim, para memorizar os resultados da tabuada
podemos reduzi-la aos produtos da tabela abaixo:

https://jucienebertoldo.wordpress.com/2013/03/26/tabuada-reduzida-facilita-a-
memorizacao/
Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação Professor(a), alguns alunos podem questionar o significado da palavra
“pitagórica”, se isso acontecer, vale a pena falar um pouco sobre o
matemático Pitágoras, cuja biografia é facilmente encontrada em sites
de busca.

59
Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.
ATIVIDADE 32 - Multiplicando com as mãos (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Multiplicando com as mãos
Habilidades - Resolver multiplicações simples;
Como fazer? Professor(a), assistam ao vídeo “Tabuada com as mãos”, disponível
em http://www.youtube.com/watch?v=8X5hzSlUO10.
Este vídeo ensina como chegar aos resultados da tabuada a partir do
produto de 6 x 6 até 10 x 10, utilizando os dedos das duas mãos.
Incentive os alunos a fazerem os produtos duas vezes, por exemplo, 6
x 7. Solicite que os alunos façam primeiro pegando o dedo com o
número seis na mão direita e o dedo com o número sete na mão
esquerda. Depois façam pegando o dedo com o número seis na mão
esquerda e o dedo com o número sete na mão direita e verifiquem que
chegarão ao mesmo resultado.
Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.
Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou
laptops, pode propor a utilização de um ou mais recursos digitais:
1. Disparo com tabuada, disponível em:
https://www.tabuadademultiplicar.com.br/disparo-com-tabuada.html

2. Tabuada de corrida, disponível em:


https://www.tabuadademultiplicar.com.br/disparo-com-tabuada.html

60
3. Mergulho dos números, disponível em:
https://www.tabuadademultiplicar.com.br/mergulho-dos-numeros.html

ATIVIDADE 33 - Jogo de boliche – multiplicação

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Jogo de boliche – multiplicação
Habilidades - Compreender as ideias da multiplicação: adição de quantidades
iguais;
- Explorar as ideias das operações em especial da multiplicação;
- Construir tabela simples e de dupla entrada com dados coletados e
obtidos em atividades de sala de aulas;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), para iniciar a aula promova um momento para os alunos
apresentarem os exemplos de multiplicação que encontraram no dia a
dia deles. Convide os alunos para brincarem com um jogo de boliche
diferente. Distribua os alunos em grupos de 5 e construam o jogo.
- Material necessário: 10 garrafas Pet, uma bola e uma tabela.
A tabela deve ter a seguinte estrutura

Tabela do Jogo
Partidas Quantidade de Valor de cada Total de
garrafas derrubadas garrafa pontos

61
1ª. partida
2ª. partida
3ª. partida
4ª. partida

Como preparar a brincadeira:


Inicialmente, decida o valor das garrafas, elas devem ter o mesmo
valor. Depois, arrumem as garrafas de modo que elas fiquem com uma
pequena distância uma da outra.

Como jogar:
A bola deverá ser jogada uma vez por rodada. A cada rodada, o
jogador anota os pontos que fez na tabela e calcula o total. O jogador
que não conseguir derrubar nenhuma garrafa deverá registrar o
número 0. Depois de quatro partidas, cada jogador deverá somar seus
pontos para ver quem fez mais pontos;
O jogador que tiver o maior número de pontos vence o jogo.

[Comunicar]
Professor(a), após a construção e realização do jogo, peça que os
estudantes compartilhem seus resultados e suas tabelas.

[(Re) formular]
Professor(a) acompanhe a construção do jogo e o registro dos
resultados na tabela, verificando se os estudantes entenderam a
multiplicação como soma de parcelas iguais e se sabem preencher
uma tabela de dupla entrada.

Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.
Observação Professor(a), o jogo deverá ser confeccionado pelos alunos, com a sua
ajuda. Recolha as tabelas construídas pelos estudantes para utilizar na
aula seguinte.
É importante observar que a multiplicação apresenta a ideia de soma
de parcelas iguais quando o campo numérico é os números naturais.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 34 - Explorando as ideias do jogo de boliche

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Explorando as ideias do jogo de boliche
Habilidades - Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição e
da subtração;
- Ler, interpretar e representar dados em tabelas de dupla entrada,
gráficos de colunas simples e agrupadas, gráficos de barras e
colunas e gráficos pictóricos;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), peça aos alunos para completar a tabela de acordo com
cada jogada. Para isso, os estudantes deverão analisar a tabela
construída na aula anterior (Jogo de boliche com multiplicação)
62
Faça os seguintes questionamentos aos grupos:
Quem venceu o jogo?
Qual foi a quantidade de pontos que você conseguiu juntar?
E os seus colegas do grupo?
Quem fez menos pontos?
Quantos pontos a menos que o vencedor?

Peça que os grupos organizem os dados de todas as tabelas dos


jogadores do grupo e construam um gráfico de colunas. Professor(a),
sugerimos que disponibilize uma folha de papel quadriculado para cada
grupo, pois isso facilitará a construção do gráfico.

[Comunicar]
Professor(a), após a realização da atividade pelos grupos, peça que os
estudantes compartilhem suas ideias. Coloque todos os gráficos
construídos pelo grupo em um mural na sala de aula.

[(Re) formular]
Professor(a) acompanhe a realização da interpretação e organização
dos dados da tabela, verificando se os estudantes entenderam como
se constrói um gráfico de colunas. Aproveite as diferentes construções
de cada grupo para instigar os estudantes a analisar as construções.
Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.
ATIVIDADE 35 - Seis vezes dois dá doze meses
Componente Curricular Matemática e Língua Portuguesa – 4º ano
Atividade Seis vezes dois dá doze meses
Habilidades - Ler calendário relacionando dia do mês com o dia da semana;
- Interpretar gênero textual poesia;
- Fazer produção textual;
- Construir tabela simples e de dupla entrada com dados coletados e
obtidos em atividades de sala de aulas;
- Ler e localizar informações e dados em tabela simples e de dupla
entrada;
- Construir gráficos de colunas e de barras em malha quadriculada
com dados coletados e obtidos em atividades de sala de aula;
- Analisar dados apresentados em tabelas simples ou de dupla
entrada e em gráficos de colunas ou pictóricos, com base em
informações das diferentes áreas do conhecimento, e produzir texto
com a síntese de sua análise.
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), organize a turma a fim de aproximar os pares. Prepare o
texto a seguir:
SEIS VEZES DOIS DÁ DOZE MESES
... Cada mês é um brinquedo
toda vez que você diz.
Vamos juntos decorar,
pois brincar eu sempre quis!
Se janeiro é quem começa,
muita coisa ele traz.

63
A seguir vem fevereiro,
e vem março logo atrás!
É abril que vem chegando,
maio vem logo a seguir.
Quando junho acabar,
o semestre vai partir!
Julho vem trazendo férias,
mas, se eu noto que acabou,
passo logo por agosto
e é setembro que chegou!
Outubro é o mês da criança,
e o ano está no fim.
Vem novembro, vem dezembro,
e o Natal está para mim!...
...Esses são todos os meses,
dão um ano inteirinho.
Se até doze eu contar,
uma dúzia dá certinho!...
Pedro Bandeira. Mais respeito, eu sou criança! São Paulo: Moderna,1994.

Solicite que cada estudante faça a primeira leitura silenciosamente,


logo após, peça para lerem em voz alta, você poderá pedir para as
meninas lerem a primeira estrofe e os meninos a segunda ou alternar,
cada criança poderá ler um verso, dentre outras opções. A partir desse
texto, faça alguns questionamentos, como:
-Quais são os meses do ano?
-Quantos meses têm o ano?
- O que significa as palavras sublinhadas no texto?
- Em que mês vocês fazem aniversário?
- Será que na sala há algum colega que faz aniversário no mesmo
mês? O que pode ser feito para saber?

[Comunicar]
Professor(a), você poderá registrar os meses do ano na lousa e pedir
para cada aluno falar, em voz alta, qual o mês em que nasceu. Anote
na lousa, na frente de cada mês, os nomes dos aniversariantes.
Concluído o levantamento calcule a quantidade de aniversariantes em
cada mês, de acordo com o total de alunos e diga para observarem as
anotações e registrarem em uma tabela, como no exemplo a seguir.

Em seguida, proponha a construção coletiva de um gráfico de colunas.

64
Após a construção, explore o gráfico a partir de novos
questionamentos:
-Quantos alunos fazem aniversário no mesmo mês em que você?
-Em qual mês há mais aniversariantes?
-Quantos?
-Em qual mês há menos aniversariantes?
-Quantos?

Ao final, peça que os estudantes produzam um texto sintetizando o que


foi discutido no texto e a pesquisa realizada e representada por meio
de tabela e gráfico.

[(Re) formular]
Professor(a) acompanhe a realização da interpretação e organização
dos dados da tabela, verificando se os estudantes entenderam como
se constrói um gráfico de colunas e qual o significado da investigação
proposta.
Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação Professor(a) providencie diferentes tipos de calendário para esta aula.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 36 - Seis vezes dois dá doze meses (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática e Língua Portuguesa – 4º ano


Atividade Que horas são?
Habilidades - Desenvolver habilidades de leitura e de escrita;
- Compreender as características do gênero em estudo (música), bem
como as principais ideias;
- Reconhecer diferentes instrumentos para medir o tempo;
- Identificar hora e meia hora;
- Identificar horas exatas no relógio digital e analógico;
Como fazer? Professor(a), inicie sua aula propondo aos alunos que ouçam a música
ou assistam ao vídeo: “Dança das caveiras”, disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=TObmRcLtJ8Y. Aproveite este
momento para brincar com os movimentos que a música cita. Imitando
as caveiras, eles vão fixando conceitos como a noção de horas.

Em seguida, faça a interpretação oral da música, Pergunte aos alunos


o que eles observaram na música. Os alunos deverão possivelmente
responder que fala do tempo e do relógio. Após os comentários dos
alunos aproveite para fazer uma explanação sobre o relógio no nosso
dia a dia. É importante que os alunos percebam que o relógio é um
instrumento usado para medir o tempo. O relógio indica as horas e
minutos. Nos relógios de ponteiros, o ponteiro pequeno marca as
horas, o ponteiro grande marca os minutos.

Professor(a), você pode usar a letra da música para “A dança das


caveiras” e explorar os relógios marcando o ponteiro no horário que o
verso da música indica.

65
Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades.
Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação

66
ATIVIDADE 37 - Construindo um relógio analógico

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Construindo um relógio analógico
Habilidades -Ler horas e minutos em relógio analógico e digital;
-Ler calendário relacionando dia do mês com o dia da semana;
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), que tal propor a construção de um relógio analógico para
os estudantes? Exibe o vídeo “Como fazer um relógio para aprender a
ler as horas”, disponível em: http://pt.hellokids.com/c_23319/artes-
manuais-para-criancas/videos-de-como-fazer/videos-de-como-fazer-
tema-volta-as-aulas/como-fazer-um-relogio-para-aprender-a-ler-as-
horas

Após a construção do relógio com os alunos, questione-os sobre a o


ponteiro pequeno e grande. Para que servem? Como podemos saber
os minutos, se só tem o número de 1 a 12?
Em seguida peça que os estudantes, em duplas, representem uma
determinada hora de sua escolha para que o colega descubra.

[Comunicar]
Professor(a), ouça as colocações e argumentos dos estudantes.
Questione-os de modo a instigá-los a refletir sobre a leitura dos
ponteiros das horas e dos minutos e a compartilhar suas ideias.

[(Re) formular]
Mostre aos estudantes que o relógio marca as horas e que ele serve
para medir o tempo. É importante não só que o estudante saiba fazer a
leitura de horas, mas que aprenda a construir relógios, usando a sua
criatividade. Professor(a), procure ampliar essa construção para o
relógio analógico fazendo a analogia com o exemplos.

Avaliação
O professor deverá observar a participação de cada aluno nos
aspectos de colaboração, registro e acerto na marcação da hora.
Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação O molde para o relógio digital pode ser acessado em:

https://drive.google.com/file/d/16-3kqoa7iwmbg7ES2jkd4Lhm6oASji3W/view?usp=sharing

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 38 - Divisão por agrupamentos

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Divisão por agrupamentos
Habilidades - Associar a divisão aos seus significados;
- Realizar cálculos utilizando estratégias como o uso de desenhos,
símbolos, contagem, estimativa, decomposição, composição e
arredondamento de números (multiplicação e divisão).
67
Como fazer? [Analisar]

Professor(a), utilize uma malha de pontos, disponível em


http://4.bp.blogspot.com/_v76FQgGAu3A/S_2ylncy4MI/AAAAAAAABe4
/qBFywuR0fnM/s320/pontos+e+quadrados.png, para solicitar que os
alunos façam agrupamentos e registrem em forma de divisão.
Considerando cada ponto da malha como sendo um elemento, forme
grupos conforme solicitado, registre em forma de divisão e dê o
quociente e o resto.
- Formar grupos de 4;
- Formar grupos de 5;
- Formar grupos de 3;
- Formar grupo de 2;

[Comunicar]

Exemplo de respostas esperadas:

Grupo de 4: 20 ÷ 4 → quociente = 5; resto = 0

Grupo de 5: 16 ÷ 5 → quociente = 3; resto = 1

68
Grupo de 3:16 ÷3 → quociente = 5; resto = 1

[(Re) formular]
Professor (a) acompanhe a socialização das respotas dadas pelos
estudantes para verificar se os estudantes entenderam como formar
agrupamentos

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou


laptops, pode propor a utilização do recurso digital “Tabuada do Dino”,
disponível em:
http://www.escolagames.com.br/jogos/tabuadaDino/

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

69
ATIVIDADE 39 - Dividindo grupos

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Dividindo grupos
Habilidades - Associar a divisão aos seus significados;
- Realizar cálculos utilizando estratégias como o uso de desenhos,
símbolos, contagem, estimativa, decomposição, composição e
arredondamento de números (multiplicação e divisão).
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), faça, juntamente com os estudantes, a contagem de
quantos alunos estão presentes na aula. Se a quantidade der um
número primo como, por exemplo, o número 29, ou um número que
possui poucos divisores, se inclua nesta contagem ou retire algum
aluno para ficar responsável pelo registro no quadro dos dados obtidos
durante a atividade.
Construa o quadro abaixo na lousa (figura 1) e peça que os estudantes
também façam o registro no caderno. Deve-se ter o cuidado de se
colocar a quantidade de linhas conforme a quantidade de divisores que
o número referente à quantidade de alunos tem e a quantidade de
exemplos de divisões não exatas que você pretende dar.

Número total de Número de Quantidade de Alunos que


alunos na sala alunos por grupos sobraram
grupo (ficaram fora
dos grupos)

Observação: Ao pensar em uma sala com 30 alunos presentes, por


exemplo, e considerando todos os divisores desse número (1, 2, 3, 5,
6, 10, 15 e 30) e pelo menos mais dois valores para que a divisão não
fique exata, por exemplo, 4 e 8, pode-se construir um quadro com o
título e mais 10 linhas.

Depois que todos copiarem, arrume a sala colocando as carteiras em


semicírculo de modo que você obtenha um espaço no centro da sala
para realizar a atividade. Peça que os alunos fiquem em pé no centro
da sala e sigam os comandos que você dará. Solicite, então, que eles
formem grupos que tenha apenas 1 aluno por grupo e, em seguida
questione:
- Qual o total de alunos da sala?
- Quantos alunos temos em cada grupo?
- Quantos grupos foram formados?
- Quantos alunos ficaram fora dos grupos?
Conforme os alunos forem respondendo, vá registrando as respostas
no quadro, conforme exemplo ilustrado a seguir.
Número total de Número de Quantidade de Alunos que
alunos na sala alunos por grupos sobraram
grupo (ficaram fora
dos grupos)
30 1 30 0

70
Repita os comandos alterando o número de alunos por grupo. Após
cada formação de grupos faça os mesmos questionamentos, até
preencher toda a tabela, conforme exemplo a seguir.

Número total de Número de Quantidade de Alunos que


alunos na sala alunos por grupos sobraram
grupo (ficaram fora
dos grupos)
30 1 30 0
30 2 15 0
30 3 10 0
30 4 7 2
30 5 6 0
30 6 5 0
30 8 3 6
30 10 3 0
30 15 2 0
30 30 1 0

Solicite que os alunos voltem para os seus lugares e copiem a tabela


do quadro. Após copiarem solicite que comecem a analisar a tabela.
Em cada linha da tabela temos uma divisão, pois dividir é repartir,
separar, distribuir ou agrupar.

[Comunicar]
Professor(a), fique atento(a), pois na primeira linha separamos os
alunos da sala em grupos de 1 aluno, portanto, realizamos a seguinte
divisão: trinta dividido por um, o resultado é 30 e não sobraram alunos
de fora, portanto, dizemos que o resto é zero. Podemos indicar a
operação assim: 30 ÷ 1 = 30 ou 30 : 1 = 30. E como neste caso não
sobraram alunos, indicaremos: r = 0 (resto igual à zero).
Solicite que os alunos escrevam uma divisão para cada linha da tabela
e indiquem o resto.

Resposta esperada:
30 ÷ 1 = 30; r = 0
30 ÷ 2 = 15; r = 0
30 ÷ 3 = 10; r = 0
30 ÷ 4 = 7; r = 2
30 ÷ 5 = 6; r = 0
30 ÷ 6 = 5; r = 0
30 ÷ 8 = 3; r = 6
30 ÷ 10 = 3; r = 0
30 ÷ 15 = 2; r = 0
30 ÷ 30 = 1; r = 0

[(Re) formular]
Professor(a), no momento que os estudantes socializarem suas
respostas e representações, aproveite para dizer aos alunos que a
quantidade que está sendo dividida, no caso a quantidade de alunos
30, recebe o nome de dividendo. O número de partes, no caso a
quantidade de alunos por grupo, recebe o nome de divisor. O resultado
da divisão, no caso a quantidade de grupos formados, recebe o nome
de quociente. A quantidade de alunos que sobram recebe o nome de
resto. Assim, temos:
71
Aproveite, ainda para questionar: se fosse solicitado formar grupos de
zero aluno, quantos grupos seriam formados? É possível realizar esta
divisão? Portanto, podemos afirmar que em uma divisão o divisor não
pode ser zero.
Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.
Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 40 - Arremessando e contando (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 4º ano


Atividade Arremessando e contando
Habilidades
Como fazer? Professor(a), leve os seus alunos para a quadra de esportes da sua
escola. Divida os alunos em três equipes mistas, por exemplo: 3
equipes com 10 alunos cada, onde exista a presença de meninos e
meninas em todas as equipes.
Peça-os para determinarem nomes para as suas equipes.

Duas equipes estarão participando do jogo de arremesso e, a terceira


equipe deverá realizar a contagem. As equipes estarão jogando entre
si, porém, cada equipe deverá ocupar uma metade da quadra e
deverão arremessar no gol do adversário e na linha de fundo do campo
do adversário, sem invadir a outra metade da quadra, ou seja, cada
equipe só poderá ocupar a sua metade da quadra e, arremessar para o
lado oposto da sua metade.Os alunos realizarão os arremessos do
centro da quadra e terão que defender os arremessos da outra equipe,
que estará executando a mesma ação do outro lado da quadra.

MULTIPLICAÇÃO - Proponha o seguinte: o objetivo é tentar fazer gol


na equipe adversária e, cada gol vale 2 pontos. A cada gol que a
equipe fizer deve-se multiplicar, por exemplo por 2 pontos. Quando
uma equipe tiver feito 2 gols = 4 pontos, pois cada gol vale 2 pontos (
multiplicação).Simples, não é?!

DIVISÃO - Sim, mas há o momento da divisão, ou seja, digamos que a


equipe tenha feito 12 pontos até um determinado momento do jogo,
mas teve alguns arremessos da equipe do outro lado que passaram
pela linha de fundo do seu campo. Estes deverão ser divididos pelo
total de pontos da sua equipe, por exemplo: minha equipe fez 12
pontos, ou três gols na outra equipe,mas passaram 2 bolas na linha de
fundo da minha equipe, assim sendo: 12 pontos(3 gols x 2 pontos)
/2(bolas que passaram na linha e fundo da equipe = 6 ponto)s.Ou seja,
cada bola que passar pela linha de fundo vale 1 ponto.(12/2= 6
pontos).

72
PONTUAÇÃO: Fez o GOL faz 2 pontos, mas se alguma bola passar
pela sua linha de fundo divide-se pelo total de bolas que passou na
linha de fundo.
EXEMPLO: A Equipe "A" fez 4 gols até um momento do jogo, cada gol,
vale 2 pontos:4 x 2=8 pontos. Porém, passaram 2 bolas pela sua linha
de fundo, cada bola que passa na linha de fundo vale 1 ponto,
passaram 2: 8/2= 4 pontos. Até esse momento a equipe "A" tem 4
pontos.

Avaliação Após esses jogos com muita dinâmica e muitas contas e raciocínio,
reúna os alunos no centro e medie um debate com eles sobre as
atividades desenvolvidas na aula; sobre a integração dos jogos com a
matemática; sobre a possibilidade e a valorização de aprender outros
conteúdos em outras disciplinas.
Observação Algumas dicas:
- Inicie o jogo com uma bola para cada equipe e, após o jogo ganhar
dinâmica, os alunos internalizarem as regras vá acrescentando bolas.
Sugiro que no máximo tenha 6 bolas na quadra durante o jogo para
que não se perca a contagem e, as operações matemáticas possam
ser mais fidedignas.
- Utilize bolas de borracha, de iniciação desportiva, para que os alunos
possam realizar esses arremessos longo com segurança.

73
5º ANO

74
ROTINA PEDAGÓGICA

75
76
77
ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS
DAS ATIVIDADES

78
ATIVIDADES ESTRUTURANTES, ALIMENTADORAS E LÚDICAS

ATIVIDADE 01: Jogo de Batalha Naval

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Jogo de Batalha Naval

Habilidades - Identificar posição de pessoa e/ou objeto presentes em


representações utilizando dois ou mais pontos de referência distintos
do seu próprio corpo;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), divida a sala em duplas, distribua as malhas
quadriculadas para montar o jogo, solicitando que as colunas sejam
marcadas com números e as linhas com letras, formando um jogo com
coordenadas alfanuméricas. Neste momento, aproveite para
instrumentalizar seus alunos informando que as colunas seguem a
direção vertical, enquanto que as linhas seguem a direção horizontal.

Batalha Naval – Regras do jogo


Armas disponíveis: 5 Hidroaviões, 4 Submarinos, 3 Cruzadores, 2
Encouraçados, 1 Porta-aviões

Preparação do jogo:

1. Cada jogador distribui suas armas pelo tabuleiro. Isso é feito


marcando-se no reticulado intitulado "Seu jogo" os quadradinhos
referentes às suas armas.

2. Não é permitido que 2 armas se toquem;

3. O jogador não deve revelar ao oponente as localizações de suas


armas.

4. Cada jogador, na sua vez de jogar, seguirá o seguinte procedimento:

a. Disparará 3 tiros, indicando a coordenadas do alvo através do


número da linha e da letra da coluna que definem a posição. Para que
o jogador tenha o controle dos tiros disparados, deverá marcar cada
um deles no reticulado intitulado "Seu jogo".
b. Após cada um dos tiros, o oponente avisará se acertou e, nesse
caso, qual a arma foi atingida. Se ela for afundada, esse fato também
deverá ser informado.
c. A cada tiro acertado em um alvo, o oponente deverá marcar em seu
tabuleiro para que possa informar quando a arma for afundada.
d. Uma arma é afundada quando todas as casas que formam essa
arma forem atingidas.
e. Após os 3 tiros e as respostas do oponente, a vez para o outro
jogador.

O jogo termina quando um dos jogadores afundar todas as armas do


seu oponente.

79
Para sistematização e compreensão das coordenadas no espaço
demarcado pelo quadriculado você deverá solicitar que os alunos
joguem até afundar toda a frota do adversário, utilizando para isto as
coordenadas alfanuméricas com o objetivo de localizar a frota
adversária seguindo orientações dadas pelo oponente. (coluna 1, letra
B, por exemplo) formadas no tabuleiro.

[Comunicar]

Nesta atividade a comunicação acontecerá pelas marcações no


tabuleiro do jogo de batalha naval.
Após o jogo, discuta as estratégias utilizadas e organize um espaço
para expor os tabuleiros.

[(Re) formular]

Após o momento em que os alunos concentraram esforços para


afundar a tropa adversária através do uso de coordenadas que
permitiram a localização no espaço determinado para o jogo, promova
discussões sobre quais foram os meios que permitiram aos alunos
localizarem a frota adversária com base nos seguintes
questionamentos.

Como você fez para localizar-se no espaço do jogo? Quais


coordenadas permitiram a localização dos pontos especificados? Você
já observou em que outros instrumentos utilizaram as coordenadas
para orientar-se e localizar-se no espaço?

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observações Professor(a), você pode imprimir os tabuleiros disponíveis em:


http://www.zamorim.com/jogos/papel/batalha-naval.pdf

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, páginas 7 a 10, tem exercícios com as habilidades
exploradas nestas atividades. Também verifique, junto ao livro didático
adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

ATIVIDADE 02: Construindo noções de orientação e localização

Componente Curricular Matemática e Geografia – 5º ano

Atividade Construindo noções de orientação e localização

Habilidades - Identificar posição de pessoa e/ou objeto presentes em


representações utilizando dois ou mais pontos de referência
distintos do seu próprio corpo;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), providencie um mapa mundial e peça que os estudantes
observem as formas de orientação e localização contidas no mapa.
Para isto você deverá levantar questões para orientar a observação do

80
mapa feita pelos alunos como:
- Quais são os marcos e referências contidos no mapa?
- Para que servem?
- Qual sua importância para localizar objetos, pessoas e lugares no
espaço?
- Quais critérios podem ser definidos para localização se temos
quadrantes com os mesmos dados, ou números que se repetem?

Professor(a), divida a sala em pequenos grupos e solicite aos alunos a


localização de elementos que estejam no mapa: continentes, país,
cidade, rio, dentre outros

Incentive os alunos a selecionarem pontos e desafiar seus colegas a


indicarem a localização com base no sistema de coordenadas.

[Comunicar]
Permita que os estudantes experimentem estratégias próprias para
organizar e representar as informações. Circule entre os grupos para
verificar as estratégias e intervir, quando necessário.

Ao final, peça que cada grupo apresente seu gráfico. Organize um


espaço para expor os gráficos, para que a turma possa analisá-los,
mais detalhadamente, em outro momento.

[(Re) formular]
Professor(a), neste momento você deverá apresentar a distribuição
espacial contida nos mapas, tais como as linhas paralelas horizontais,
sendo a principal chamada de Equador, que divide o mapa em dois
hemisférios: Norte e Sul. Em seguida levará os alunos a observarem
que além das linhas horizontais temos também as linhas verticais
chamadas de meridianos, sendo o principal meridiano chamado
Greenwich, que irá dividir o mapa em hemisférios Leste (Oriental) e
Oeste (Ocidental).

É importante que você retome o jogo Batalha Naval, pois durante o


jogo os alunos utilizaram referências horizontais e verticais e para cada
localização utilizavam dois tipos de coordenadas, uma horizontal e

81
outra vertical. Concomitante a este processo, deverá orientar as
direções dos pontos cardeais no mapa, utilizando para isto a Rosa dos
Ventos construída pelos próprios alunos no mapa que é o instrumento
que indica as direções, instrumentalizando os alunos sobre como
identificar os hemisférios.

Você pode propor que os alunos façam, individualmente, a localização


de pontos específicos, indicando suas coordenadas geográficas,
observando o comportamento destes com relação ao conhecimento
construído.

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observações Professor(a), você pode explorar as características do Mapa mundi,


disponível no vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=zt6mvqaD3TM

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, páginas 7 a 10, tem exercícios com as habilidades
exploradas nestas atividades. Também verifique, junto ao livro didático
adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

ATIVIDADE 03: Construindo noções de orientação e localização

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Noção de coordenada

Habilidades - Descrever, interpretar e representar a localização ou o


deslocamento de uma pessoa ou um objeto;
- Orientar movimentação e ou deslocamento de outra pessoa
fornecendo-lhe determinadas orientações espaciais;
- Identificar posição de pessoa e/ou objeto presentes em
representações utilizando dois ou mais pontos de referência distintos
do seu próprio corpo.

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), apresente um mapa para as crianças, como este abaixo:

82
Peça que os estudantes observem o mapa e depois faça os seguintes
questionamentos:

A casa de qual cor está localizada em A4?


A casa de qual cor está localizada em D2?
Em qual célula está localizada a casa vermelha?
Se você quiser ficar exatamente entre a casa azul e vermelha, em qual
célula você deve ficar?

Diga aos estudantes que C4 é equidistante de A4 e E4. Pergunte-os se


eles sabem o que é Equidistante.
Caso seja necessário, explique que Equidistante = a mesma distância
de.
Pergunte-os se há outras células que são equidistantes de A4 e E4.
Quais são elas?
OBS: Qualquer célula na coluna C está a mesma distância de A4 e E4.

[Comunicar]
Nesta atividade a comunicação acontecerá de forma oral. Permita que
as crianças se expressem.

[(Re) formular]
Professor(a), verifique a compreensão dos estudantes sobre a
localização de coordenadas.

Apresente o primeiro quadrante do plano cartesiano. Explique que no


plano cartesiano não há letras. Ambos os eixos são numerados. De
que maneira os eixos numerados são diferentes da numeração no
mapa? Qual a diferença?
Os números no plano cartesiano estão nas linhas da grade. No mapa,
os números estão entre as linhas de grade.
Marque um ponto no plano cartesiano e peça que os estudantes digam
a sua localização:

83
Professor(a), explique que quando os pontos são rotulados, nós
usamos os números da horizontal primeiro e na linha vertical depois.
Então este ponto é chamado (1, 3). Para verificar se os estudantes
entendera, você pode pedir que indiquem um ponto que está a 2
unidades de (1, 3).
Possíveis respostas no primeiro quadrante incluem: (1, 5), (3, 3), e (1,
1).

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observações Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, páginas 7 a 10, tem exercícios com as habilidades
exploradas nestas atividades. Também verifique, junto ao livro didático
adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

ATIVIDADE 04: Desenvolvendo a noção de coordenada (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Desenvolvendo a noção de coordenada

Habilidades - Identificar posição de pessoa e/ou objeto presentes em


representações utilizando dois ou mais pontos de referência distintos
do seu próprio corpo.

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), distribua papel milimetrado e régua para cada aluno.
Deixe os alunos desenharem o primeiro quadrante do plano cartesiano
e numerarem os eixos de 0 a 8.

Explique aos alunos que a atividade consiste em marcar um conjunto


de pontos. Depois os pontos precisarão ser conectados: o ponto A será
conectado com o B, que se conectará com o C e assim até chegar ao
ponto J, que se conectará com o A.

84
A (2, 5) B (4, 5) C (5, 7) D (6, 5)
E (8, 5) F (6, 4) G (7, 2) H (5, 3)
I (3, 2) J (4, 4) A (2, 5)

Quando os alunos terminarem de fazer o ponto a ponto acima, eles


podem então criar seu próprio ponto a ponto. Para fazer isso, eles
devem:

1. Desenhe o primeiro quadrante de um gráfico.

2. Plotar os pontos no gráfico para fazer um desenho, conectando os


pontos.

3. Escreva as instruções que outra pessoa poderia usar para criar o


ponto a ponto.

[Comunicar]
Professor(a), durante a realização da atividade, circule para se certificar
que os alunos conseguiram fazer o desenho e se conseguem criar seu
próprio ponto a ponto.

Se o tempo permitir, os alunos podem trocar as instruções e completar


o ponto a ponto do seu colega. Exponha no mural da sala os desenhos
criado pelos estudantes.

[(Re) formular]
Professor(a), verifique a compreensão dos estudantes sobre a
localização de coordenadas no plano cartesiano, se for necessário,
faça intervenções para que os estudantes a ideia.

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observações Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, páginas 7 a 10, tem exercícios com as habilidades
exploradas nestas atividades. Também verifique, junto ao livro didático
adotado em sua escola, as atividades que contemplem estas
habilidades.

85
Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou
laptops, pode propor a utilização do recurso digital Mantenha
distância / Quebra-cabeças no plano de coordenadas, disponível em:
https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/DistanceOnACoordinatePlanePuzzles

Este episódio pratica o uso de um plano de coordenadas, como meio


de posicionar rótulos numéricos. Posicione pontos nas posições
designadas no plano e solucione os problemas relacionados às
distâncias entre pontos (p. ex., marcar um ponto cuja distância para o
Ponto A é duas vezes maior que a distância para o Ponto D).

ATIVIDADE 05: Leitura, escrita e interpretação de números

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Leitura, escrita e interpretação de números

Habilidades - Reconhecer números no contexto diário;


- Escrever números de até quatro algarismos;
- Ler e escrever quantias com escrita decimal e utilizando a simbologia
R$;
- Ler e escrever quantias por extenso.
- Decompor números naturais em suas diversas ordens;
- Realizar cálculos utilizando diferentes estratégias;
- Compor números naturais de quatro algarismos considerando a soma
dos valores relativos dos seus algarismos;

Como fazer? [Analisar]

Professor(a), os estudantes já devem reconhecer os diferentes


contextos que os números estão inseridos.
Explore o conhecimento que eles têm dos números. Forneça-os alguns
números, como os que seguem, e peça que:

86
1. Escreva por extenso;

2. Faça a decomposição usando as ordens do Sistema de Numeração


Decimal;

3. Representar o referido número como um valor monetário (em real);

4. Elaborar duas adições e duas subtrações que resultem no número


em destaque.

87
[Comunicar]
Você pode convidar alguns alunos para compartilharem suas
respostas. Note que a elaboração das adições e subtrações pode
contemplar diferentes respostas. Valorize as respostas dadas pelos
estudantes, mostrando-os que existem várias formas de obter o mesmo
resultado.

[(Re) formular]
Durante a socialização verifique se os estudantes compreendem e
reconhecer os diferentes contextos que os números estão inseridos.
Caso esta compreensão não esteja cara, explore o número como
quantidade, como identificação, como posição, dentre outros.

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 06: Os números na contagem da população

Componente Curricular Matemática, Geografia e Língua Portuguesa – 5º ano

Atividade Os números na contagem da população

Habilidades - Reconhecer números no contexto diário;


- Compreender e utilizar as regras do sistema de numeração decimal
para interpretar e produzir números de qualquer ordem de grandeza;
- Ler e interpretar texto de informação;
- Compreender censo demográfico;
- Discutir êxodo rural e suas causas;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), converse com sua turma chamando a atenção sobre o
fato de que os números estão presentes no dia-a-dia das pessoas e
nos ajudam a compreender a realidade em que vivemos. Pergunte aos

88
estudantes se já ouviram falar em Censo Demográfico e se sabem
como e quando são feitos em nosso País. Conte que o IBGE (Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística) é responsável por fazer a
estimativa da população brasileira.
Discuta o texto a seguir (adaptado da Wikipédia:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Demografia_de_Fortaleza)

A demografia de Fortaleza, capital do estado brasileiro do Ceará, tem


como principal fator histórico de estímulo de crescimento os períodos
de secas no interior e a consequente fuga para a cidade, ou êxodo
rural. A população de Fortaleza, no ano de criação da Vila de Fortaleza
de Nossa Senhora da Assunção, em 1726, era estimada em 200
habitantes no núcleo urbano. O primeiro censo populacional realizado
na cidade ocorreu em 1777, ano de grande seca no Ceará,
contabilizando 2.874 pessoas. Em 1813, constatou-se no município de
Fortaleza uma população de 12.810 habitantes.
Na década de 1980, Fortaleza ultrapassou Recife em termos
populacionais, tornando-se a segunda cidade mais populosa do
Nordeste, com 1.308.919 habitantes. Ao longo das últimas décadas do
século XX, a cidade foi se adensando populacionalmente cada vez
mais, até atingir a marca de dois milhões de habitantes no ano 2000. O
censo de 2010 do IBGE contabilizou uma população de 2.452.185
habitantes, fazendo de Fortaleza a quinta cidade mais populosa do
Brasil, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Brasília.

Após a leitura do texto, discuta com os estudantes as informações


referentes à localização e ao quantitativo da população de Fortaleza.
Peça que identifique todos os números registrados no texto, explicando
o que eles significam.

Após a discussão, você pode pedir que os estudantes escrevam por


extenso os números que aparecem no texto relativos à população.

[Comunicar]
Quando observar, que a maioria já terminou, socialize confrontando as
diferentes respostas. Solicite aos alunos que defendam as suas ideias.
Instigue os alunos explicitarem as estratégias que utilizam para fazer a
leitura e a escrita de números “grandes”.

[(Re) formular]
Professor(a), é importante que os estudantes observem que os
números com várias ordens são escritos com espaço ou ponto para
facilitar a sua leitura. Esse ponto ou espaço são usados a cada grupo
de 3 algarismos, a partir da direita.
O quadro numérico a seguir pode ser utilizado como recurso para que
os alunos identifiquem as classes e as ordens e aprendam a utilizar o
espaço ou ponto na escrita com algarismos.

89
O quadro posicional é um recurso para que os alunos compreendam
onde estão as classes e as ordens, separem de 3 em 3 os algarismos e
aprendam a utilizar o ponto ou as palavras mil, milhões e bilhões
adequadamente.

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática na


escola, poderá levar os estudantes para explorarem o site do IBGE,
disponível em: https://www.ibge.gov.br/
Neste site eles poderão encontrar o censo demográfico da população
da cidade, além da divulgação, em tempo real, da estimativa do
quantitativo populacional do Brasil.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 07: Números em jornais e revista

Componente Curricular Matemática e Língua Portuguesa – 5º ano

Atividade Números em jornais e revista

Habilidades - Reconhecer números no contexto diário;


- Compreender e utilizar as regras do sistema de numeração decimal
para interpretar e produzir números de qualquer ordem de grandeza;
- Ler e interpretar números, fazendo arredondamentos;
- Ordenar números de qualquer ordem de grandeza;
- Ler e interpretar texto de informação;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), proponha que os alunos observem a escrita de números
com muitos algarismos. Para isso, os textos que aparecem em jornais e
revistas podem ser muito úteis. Nesse sentido, você pode propor que
eles façam a seleção desses números “grandes” em jornais e revistas.
Caso não tenha disponível este material na escola, poderá acessar
jornais e/ou revistas digitais:

1. https://www.opovo.com.br/
2. http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/
3. https://veja.abril.com.br/
4. https://istoe.com.br/
5. http://recreio.uol.com.br/

Diga aos alunos que irão observar melhor como os números vêm
escritos nas manchetes e nas notícias de jornais e revistas. Peça que
os alunos fiquem em duplas e distribua alguns jornais em que
aparecem informações numéricas para que os alunos possam fazer
essas observações sobre a escrita de números altos. Em seguida, liste
na lousa as observações feitas pelos alunos.

90
É possível, por exemplo, que, observem que alguns números vêm
escritos uma parte com algarismos e outra por extenso, ou outros vêm
escrito por extenso, como exemplos abaixo:
- Em 2006, a população mundial foi estimada em 6,8 bilhões de
pessoas;
- Mônaco possui 1,95 km² de área territorial;

Você pode pedir que eles organizem os números encontrados em um


quadro, como no exemplo.

Em seguida, peça que os estudantes organizem em ordem crescente.

[Comunicar]
Enquanto as duplas resolvem a atividade, percorra pela classe tirando
dúvidas, fazendo perguntas para ampliar o conhecimento numérico das
duplas e ajudando-os a organizar suas respostas.

Peça que as duplas socializem os números encontrados.

[(Re) formular]
Os estudantes podem ter dúvidas na combinação de números e
palavras. Caso isso aconteça, explique que na expressão 36,6 milhões
de dólares, por exemplo, o termo milhões refere-se ao número que vem
antes da vírgula, ou seja, que deve ser lido como trinta e seis vírgula
seis milhões de dólares. O que corresponderia numericamente a
36.000.000.
Você pode explicar também que a combinação de números e palavras
facilita a compreensão da grandeza numérica, além de economizar
espaço na diagramação do texto (diminuição dos espaços com zero).

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), você ainda pode propor que cada aluno componha três
números com 4, 8 e 11 algarismos e depois dite para o outro. Em
seguida, proponham que um deles escreva o número ditado de forma
abreviada.
Essas atividades podem ser feitas com maior frequência no início do
ano e à medida que você observar o avanço dos alunos poderá
diminuir essa frequência.

91
Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 08: Jogos: quase nada e 2048 (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática– 5º ano

Atividade Jogos: quase nada e 2048

Habilidades - Escrever números de até quatro algarismos;


- Desenvolver o raciocínio lógico;

Como fazer? Professor(a), você pode propor a utilização de dois jogos no laboratório
de informática da escola. Caso a escola não tenha disponível, faça a
adaptação para a utilização do material impresso.

1. Jogo Quase nada: a partir da dica preenchida, você deve procurar


outros números para completar o tabuleiro. Cada item só deve ser
utilizado uma vez. Disponível em:
https://rachacuca.com.br/logica/quase-nada/

2. Jogo 2048: propões a junção de blocos para formar o valor de 2048.


Para isso é necessário usar o raciocínio para movimentar os blocos da
melhor maneira possível e atingir o objetivo antes que você fique sem
movimentos. Disponível em: http://2048game.com/pt/

92
Como jogar

Use as setas do teclado para movimentar os blocos; Quando dois


blocos de números iguais se chocam, eles viram um só com valor igual
a soma dos dois; A cada movimento é acrescentado um bloco com
valor 2 ou com valor 4 (menor probabilidade); Você ganha quando
conseguir um bloco no valor de 2048.

Dicas e estratégias do 2048

Estas são algumas dicas que os jogadores descobrem normalmente


após jogar durante um certo tempo. Apesar de não serem essenciais,
elas poderão te ajudar a vencer.
Inicie o jogo movimentando os blocos em apenas uma direção
(horizontal ou vertical). Quando acabarem as possibilidades de
jogadas, movimente na outra direção; Escolha um canto para ir
agrupando os blocos de maior valor. Não tente formar grandes blocos
separadamente. Eles precisam ficar nas redondezas dos blocos de
tamanhos próximos para que possam ser utilizados o mais rápido
possível; Fique atento com as posições livres, pois novos blocos irão
surgir nesses lugares. Idealmente esses espaços livres devem estar
próximos dos blocos de menor valor.
Tenha sorte! Algumas vezes o destino do jogo não está em suas mãos.

Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento da atividade: pode


ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.
Professor(a), questione os estudante se eles perceberam qual é a
quantidade mínima de movimentos.

Observação

93
ATIVIDADE 09: Usando a reta numérica como escala gráfica

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Usando a reta numérica como escala gráfica

Habilidades - Identificar a localização de números naturais na reta numérica;


- Identificar o intervalo entre os números representados em uma reta;
- Ler e localizar informações e dados em tabela simples e de dupla
entrada;
- Construir gráficos de colunas e de barras em malha quadriculada
com dados coletados e obtidos em atividades de sala de aula;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), distribua as seguintes representações para cada aluno.
Note que ela simula um gráfico. Peça aos alunos que rotulem as
escalas contando de dez em dez.

Em seguida, proponha o seguinte problema para os alunos.


Sua classe quer arrecadar R$100 para comprar alguns livros para sala
de aula. Para isso, os alunos criaram um fundo de arrecadação. Os
resultados estão apresentados por semana na tabela. Pinte cada barra
para mostrar a quantidade de dinheiro arrecadado.

Após a construção, faça questionamentos aos estudantes sobre o


gráfico construído:

- O que representa a altura de cada barra?


- Para que serve a reta numérica ao lado de cada barra?
- Se não tivesse a reta, como faríamos para saber a altura de
cada barrinha?

94
[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e a partir do preenchimento
do gráfico.

[(Re) formular]
Professor(a), acompanhe as representações e discussões nas quais se
comparam as ideias apresentadas e todos podem justificar suas
respostas.

Circule, verificando o trabalho dos alunos. Recolha as representações


feitas pelos estudantes e exponha em um mural ou espaço destinado
para este fim.

Avaliação Avalie o momento de comunicação e (re) formulação e, se for o caso,


proponha mais atividade que trabalhem estas habilidades.

Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 10: Analisando a reta numérica

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Analisando a reta numérica

Habilidades - Identificar a localização de números naturais na reta numérica;


- Identificar o intervalo entre os números representados em uma reta;
- Realizar contagem oral da sequência numérica, de 10 em 10, 50 em
50, 100 em 100, 500 em 500, 1000 em 1000, a partir de
determinado número;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), apresente para a turma algumas retas numéricas.
Exemplo 1

Faça os seguintes questionamentos:


A reta numérica está representada de forma adequada? Quais são os
erros na localização das etiquetas na reta numérica? Onde elas
deveriam estar?
Professor(a), observe que cada espaço representa 10. Portanto, 7280
deve estar dois intervalos à esquerda de 7300. 7410 deve estar
um intervalo à direita de 7400.
Exemplo 2

Faça os mesmos questionamentos do exemplo anterior:

95
A reta numérica está representada de forma adequada? Quais são os
erros na localização das etiquetas na reta numérica? Onde elas
deveriam estar?
Professor(a), observe que cada intervalo representa 100. Portanto,
3510 deve estar perto de 3500 do lado direito. 4550 deve estar no meio
do caminho entre 4500 a 4600.
Você pode trazer outros exemplos, além destes apresentados no
quadro.
[Comunicar]
Professor(a), ouça as respostas dadas pelos alunos e peça para
demonstrarem a forma como construíram suas hipóteses.
[(Re) formular]
Acompanhe as discussões nas quais se comparam as ideias
apresentadas e todos podem justificar suas respostas.

Avaliação Avalie o momento de comunicação e (re) formulação e, se for o caso,


proponha mais atividade que trabalhem estas habilidades.

Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 11: Desenhando uma reta numérica

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Desenhando uma reta numérica

Habilidades - Identificar a localização de números naturais na reta numérica;


- Representar o intervalo entre os números em uma reta;
- Realizar contagem oral da sequência numérica, de 10 em 10, 50 em
50, 100 em 100, 500 em 500, 1000 em 1000, a partir de
determinado número;
- Ler e localizar informações e dados em tabela simples e de dupla
entrada;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), apresente o seguinte desafio para os estudantes:
Um corredor está praticando para uma competição. Na tabela seguinte
ele / ela escreveu todos os seus últimos 5 treinamentos.

96
Professor(a), peça que os estudantes desenhe uma reta numérica e
marquem as distâncias nela.
Levante a seguinte questão: como devemos desenhar a reta numérica
de forma eficiente?

[Comunicar]
Certifique-se que os alunos têm papéis, réguas e instrumentos de
escrita (ou entregue-os). Circule entre eles respondendo às perguntas.
Professor(a), ouça as respostas dadas pelos alunos e peça para
demonstrarem a forma como construíram suas hipóteses.

[(Re) formular]
Verifique e questione os desenhos das retas numéricas socializadas
pelos estudantes. No final, desenhe uma reta numérica na lousa com
as respostas. Se ainda houver tempo, você pode adicionar mais
distâncias para o corredor.

Note que se desenharmos uma reta numérica de 0 a 10000


com intervalos de 10, teremos que desenhar muitas marcas de escala,
o que levará muito tempo e espaço. Em vez disso, devemos desenhar
uma linha numérica de 0 a 10000 e marcar apenas as marcas de
escala relevantes. Por exemplo, marcaremos 0, 1000, 1500, mas não
marcaremos 500, mantendo as relações proporcionais de distância.

Avaliação Avalie o momento de comunicação e (re) formulação e, se for o caso,


proponha mais atividade que trabalhem estas habilidades.

Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 12: Adivinhações numéricas (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Adivinhações numéricas

Habilidades - Identificar a localização de números naturais na reta numérica;


- Identificar o intervalo entre os números representados em uma reta.

Como fazer? Professor(a), escreva um número em uma folha de papel e em seguida


desenhe no quadro uma reta numérica. Escolha um número secreto.
Se por exemplo o número “secreto” for 1180, você deve desenhar uma
reta usando uma escala de duzentos, como sugerido na figura:

97
Sem dizer que o número escrito está no intervalo sugerido pela figura,
o professor sorteia um grupo de alunos para tentar adivinhar qual é o
número. O grupo vai ao quadro e diz um número. O professor pede a
alguém do grupo para escrever na reta desenhada esse
número. Vamos supor que no exemplo dado o grupo tenha dito 780,
então esse grupo deverá colocar no quadro esse número entre os
números 600 e 800. Em seguida, discuti com a turma se aquele
número está posto no local correto.

Se o primeiro grupo não adivinhar qual é o número, o professor sorteia


um outro grupo e diz se o número “secreto” é maior ou menor que o
número escrito pelo grupo anterior, e assim sucessivamente até que
um dos grupos adivinhe o número.

No nosso exemplo o professor dirá que o número "secreto" é maior,


pois 1180 é maior que 780. Assim outro grupo irá ao quadro até que o
número "secreto" seja descoberto.
Essa atividade poderá ser estendida para números decimais a ser
realizada de forma análoga.

Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.

Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou


laptops, pode propor a utilização dos seguintes recursos digitais:

1. Rotular até 10000: o episódio introduz a representação de reta


numérica de números inteiros num intervalo de 1000-10000. Coloque
etiquetas de números em uma reta numérica que tem apenas alguns
pontos rotulados. Disponível em: https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/UnderstandingNumberLinesTagsTo10000

98
ATIVIDADE 13: Confeccionando e apresentando o Quadro de Valores

Componente Curricular Matemática e Língua Portuguesa – 5º ano

Atividade Confeccionando e apresentando o Quadro de Valores

Habilidades - Compreender o significado de Sistema de Numeração Decimal;


- Compreender e fazer uso do valor posicional dos algarismos;
- Conhecer e identificar a estrutura do gênero textual: texto
instrucional;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), para essa aula é necessário que os alunos tenham, cada
um, um Quadro de Valores. É interessante trabalhar com esse material,
pois pode ser confeccionado pelos próprios alunos com a sua ajuda ou
você confecciona para presentear o aluno, é fácil de fazer e custa
pouco. Se preferir confeccionar com os alunos, antes de começar, é
necessário que você mostre e explique para eles o que é o Quadro de
Valores.

Mostre o Quadro de Valores aos alunos e explique que, quando se


agrupa 10 palitos nas unidades elas devem ser retiradas e trocadas por
um palito que deve ser colocado no quadro das dezenas. Conte aos
alunos, que vocês farão um jogo em duplas, mas precisam primeiro
confeccionar o material, então, mãos à obra!
Professor(a), aproveite este momento e faça um trabalho
interdisciplinar, se já trabalhou com seus alunos com “texto
instrucional”, relembre com eles quais informações devem constar
neste tipo de texto. Se ainda não trabalhou com este gênero textual,
apresente-lhes a sua estrutura. Leve-os a perceberem que este texto
tem a função de nos orientar, por isso as informações são detalhadas
passo a passo.

Confeccionando um Quadro Valores

Material utilizado:
Para confeccionar o Quadro de Valores você vai precisar de:
·
1 folha de papel pardo (70 cm x 45 cm);
1 pedaço de papelão ou papel Paraná (45 cm x 30 cm);
Caneta;
Régua;
Tesoura;
· Fita crepe ou durex colorido.

Como Fazer?

- Pegue o papel pardo e dobre fazendo pregas de 4 cm e 8 cm.


- Dobre e passe um durex colorido em volta ou cole uma tira de papel.
- Faça duas separações usando uma tira de papel, durex colorido ou
fita crepe.
- Escreva centena, dezena e unidade nos quadros da esquerda para a
direita.

99
Após a construção do QVL, explique que há muitos anos atrás, as
pessoas contavam seus objetos de uma maneira muito simples, porque
eles possuíam poucas coisas: algumas ovelhas ou bois, poucas
moedas, poucos objetos. Conforme foram evoluindo essas quantidades
foram aumentando. Então os homens passaram a necessitar escrever
de alguma forma o que tinham contado. Surgiram as primeiras formas
de contagem e os Sistemas de Numeração. Para ficar mais fácil a
contagem, convencionou-se contar de dez em dez. Atualmente nosso
Sistema de Numeração se chama “Decimal” porque contamos de 10
em 10. A cada objeto que contamos damos o nome de unidade. E a
cada grupo de 10 unidades contadas chamamos 1 dezena.
Explique que é da dessa mesma forma que trabalhamos com o Quadro
de Valores. Contamos sempre de dez em dez e isso significa que toda
vez que chegar em 10 temos que fazer uma troca.
Para verificar a compreensão dos estudantes quanto a representação
dos números no QVL, Diga alguns números e peça que eles
representem no material.

[Comunicar]
As duplas devem fazer o registro da representação, por meio do QVL.

[(Re) formular]
Acompanhe as representações e discussões nas quais se comparam
as ideias apresentadas e todos podem justificar suas respostas.

Avaliação Verifique se os alunos compreenderam o valor posicional dos números,


a partir da organização que fizerem na base decimal. No decorrer da
atividade é possível acompanhar quais são as habilidades utilizadas
pelos alunos para identificar as trocas e organização das peças (palitos
de picolé) para organizar corretamente o sistema posicional.

Observação Professor(a), caso os estudantes já apresentem um bom domínio do


sistema de numeração decimal, pode ser acrescentado, no QVL, a
esquerda da centena, a unidade de milhar.

ATIVIDADE 14: Utilizando e aprendendo com o Quadro de valores

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Utilizando e aprendendo com o Quadro de valores

Habilidades - Compreender o significado de Sistema de Numeração Decimal;


- Compreender e fazer uso do valor posicional dos algarismos;
- Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual a
10 unidades;
- Relacionar centena dezena unidades determinando que 1 centena e
igual a 100 unidades;

Como fazer? [Analisar]

Professor(a), essa atividade tem como objetivo fazer com que o aluno
compreenda o agrupamento de valores e que os palitos têm um valor
diferente, dependendo do lugar do quadro (Centena, Dezena, Unidade)
em que estiver.

100
Com os Quadros de Valores em mãos, divida a turma em duplas ou
trios. Cada aluno deve estar com o seu Quadro e o grupo deve ter dois
dados.
Lembre os alunos da regra principal do jogo: Não pode ficar mais de 9
palitos em cada lugar do Quadro (Centena, Dezena, Unidade).

1. Os alunos deverão cada um na sua vez, jogar os dois


dados, observar os números e somar o valor obtido na
jogada.
2. O valor final deverá ser representado no Quadro de Valores.
3. Para representá-lo, deverão ser colocados os palitos
correspondentes ao valor obtido na casa das unidades. Se
forem acumulados 10 palitos no quadro da unidade, o
jogador deve retirar os 10 palitos e trocar por um palito de
outra cor que deverá ser colocada no quadro da dezena.
4. Depois da primeira jogada dos dados, os alunos continuam
somando os pontos obtidos nos dados e colocando os
palitos, cada um em sua vez.
5. Nas jogadas os alunos vão marcando os pontos, colocando
os palitos no quadro das unidades, trocando dez palitos por
um palito de outra cor e colocando no quadro das dezenas,
aumentando cada vez mais o número palitos nas dezenas.
6. Vence o jogo quem trocar as dez dezenas (dez palitos no
quadro das dezenas) por um novo palito (de outra cor)
representando a centena.

[Comunicar]
Os grupos devem fazer o registro da representação, por meio do QVL e
do uso do quadro de ordens. Os alunos registrarão cada um dos
processos, ao final da atividade é interessante solicitar que um
representante de cada grupo se dirija a lousa e explique ao restante da
sala como ficou o resultado final de seu grupo.

[(Re) formular]
Acompanhe as representações e discussões nas quais se comparam
as ideias apresentadas e todos podem justificar suas respostas.

Avaliação Verifique se os alunos compreenderam o valor posicional dos números,


a partir da organização que fizerem na base decimal.

Observação Professor(a), os dois dados servirão para fazer as jogadas. Por que
dois? Para que não demore muito tempo para completar a centena. Se
jogar de seis em seis (apenas um dado) demoraria muito. E também os
alunos podem melhorar o raciocínio automatizando as somas de 1 a 6.
Mas, mesmo assim, pode demorar um determinado tempo
considerando que pode haver jogadas de 2 ou 3 pontos apenas (um
dado cair em 1 e outro em 1 também, ou dois). Por isso, sugerimos
usar um dado com 12 lados.
Molde do dado de 12 lados (Você pode montar esse dado em um papel
mais grosso, como papel cartão ou cartolina e depois plastificá-lo antes
de montar).

101
ATIVIDADE 15: Representando e somando no Quadro de valores

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Representando e somando no Quadro de valores

Habilidades - Compreender o significado de Sistema de Numeração Decimal;


- Compreender e fazer uso do valor posicional dos algarismos;
- Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual a
10 unidades;
- Compreender e utilizar técnicas operatórias para adição com trocas
e agrupamentos;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), elabore uma lista de operações de adição, de acordo com
o nível de sua turma, propondo reflexões sobre as possibilidades de
representação dos números no Quadro de Valores.

Inicialmente proponha, em duplas, a representação de um número,


como do 236, por exemplo. Proponha a representação de outros
números até que os estudantes tenham compreendido.

Em seguida, peça que realizem operações de adição simples e depois


vá dificultando aos poucos. As primeiras operações não devem ter
contas com agrupamentos, depois deixe que elas apareçam nas
propostas.

Exemplo 1: 34 + 3 = ?
Inicie a operação colocando o número de palitos correspondente à
quantidade representada pelo numeral 34: quatro palitos no quadro da
unidade e três palitos no quadro da dezena.
Proponha uma operação com agrupamento.

Exemplo 2: 18 + 37 = ?

Proponha outras operações com números maiores.

102
[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e a partir do preenchimento
do quadro de valores. Solicite que as crianças façam desenhos
ilustrando o que foi feito no quadro de valores.

[(Re) formular]
Professor(a), observe se as crianças compreenderam o processo de
troca no quadro de valores. Se for o caso, lembre novamente a regra
do trabalho com o Quadro de Valores: Não é permitido mais de 9
palitos em cada quadro.
Sugestão de mediação para o exemplo 2
Represente no Quadro de Valores o número 18.
Ao tentar representar o número 37, mostre que no último quadro
(unidades) ficariam 15 palitos (8+7), o que não é possível, porque só
podem ficar 9 palitos em cada quadro.
Faça o agrupamento (10) e a troca por um palito que deverá ir para o
quadro das dezenas.
Represente a operação armada na lousa.

Acompanhe as representações e discussões nas quais se comparam


as ideias apresentadas e todos podem justificar suas respostas.

Avaliação Verifique se os alunos compreenderam o valor posicional dos números,


a partir da organização que fizerem na base decimal.

Observação Providencie um exemplo de quadro de valores em uma cartolina ou em


um papel maior, com um número representativo para a turma.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 16: Um problema diferente (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Um problema diferente

Habilidades - Fazer estimativa do resultado da adição;


- Desenvolver o raciocínio lógico;

Como fazer? Interessada em observar como seus alunos lidavam com a composição
e decomposição de números naturais por meio da adição, a professora
Ana propôs a seus alunos o seguinte problema:
“Como distribuir os números 1, 2, 3, 4, 5 e 6 nas bolinhas sobre os
lados do triângulo abaixo de modo que a soma dos números em cada
lado seja 9?”

103
Depois de resolvido o problema, todos começaram a problematizar a
questão:
• e se a soma dos números de cada lado tiver que ser 12, a distribuição
muda? e se fosse 10?
• e se os números a serem distribuídos forem 7, 8, 9, 10, 11 e 12, a
soma pode ser a mesma em cada lado? de quanto?
• e se as bolinhas estiverem nos vértices de um hexágono, como
faremos a pergunta do problema?

Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil. Verifique se algum estudante ainda não consegue
compor e/ou decompor números de até 4 ordens.

Observação Professor(a), caso tenho um laboratório de informática na escola, pode


explorar o recurso digital Triângulo mágico / Dezenas, disponível em:
https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/GraphWorksheetsKnownSumOfTens

Este episódio propõe a solução de charadas numéricas com múltiplos


de dezenas.

ATIVIDADE 17: Adição por decomposição

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Adição por decomposição

Habilidades - Realizar cálculos utilizando estratégias como o uso desenhos ,


símbolos, contagem , estimativa, decomposição, composição e
arredondamento de números;
- Estabelecer relações entre os termos da adição;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), apresente operações de adição ao estudante e peça-os
que as resolva em seu caderno.
1. Adicione os números:
a. 300 + 60 + 2 =
b. 900+00+ 5 =
c. 700 + 30 + 9 =
d. 500 + 80 + 7 =
e. 5000+300+50+1=

104
Peça que os estudantes façam o contrário:

2.. Escreva em notação expandida.

a. 865 = 800 + 60 + 5(exemplo)


b. 264 =
c. 379 =
d. 812 =
e. 701=
f. 3876=

Depois que os estudantes fizerem a composição e decomposição dos


números, escreva a seguinte operação:

321 + 243=

Pergunte aos estudantes como podem realizar a operação a partir da


notação expandida. Deixe que eles criem suas hipóteses.
Em seguida, apresente uma outra operação:

423 + 568 =

[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e a partir das respostas
registradas pelos estudantes no caderno.
Deixe que vários alunos compartilhem as diferentes ideias para
representar esse número. Compare e contraste as diferentes
representações com a classe.

[(Re) formular]
Nesta atividade os estudantes precisarão compreender que os
números são formados por unidades, dezenas e centenas e que a
adição deve ser feita agrupando cado um destes valores.
Professor(a), note que o último exemplo vai requisitar que o estudante
realize trocas, conforme o registro a seguir
423 + 568 = (400 + 20 + 3) + (500 + 60 + 8)
Questione-os sobre como combinar a parcela de 400 com a de 500, a
de 20 com a de 60, e a de 3 com a de 8. Verifique se foi percebido que
estamos combinando unidades com unidades, dezenas com dezenas,
e centenas com centenas. Acrescente ao que já estava no quadro, para
que leia-se:
423 + 568 = (400 + 20 + 3) + (500 + 60 + 8) = (400 + 500) + (20 + 60) +
(3 + 8).
Questione-os sobre a forma de reorganização das parcelas que está
sendo proposta. Um problema de adição não muda ao reorganizar as
parcelas? [aqui estamos utilizando a propriedade comutativa em que a
ordem das parcelas não altera o resultado].
423 + 568 = (400 + 20 + 3) + (500 + 60 + 8)
= (400 + 500) + (20 + 60) + (3 + 8)
= (900) + (80) + (11)
= (900) + (80) + (10 + 1)

105
Verifique se os estudantes perceberam que nas unidades há mais do
que nome (10 + 1). Mostre que é possível adicionar este 10 ao 80 para
obter 90.

423 + 568 = (400 + 20 + 3) + (500 + 60 + 8)


= (400 + 500) + (20 + 60) + (3 + 8)
= (900) + (80) + (11)
= (900) + (80) + (10 + 1)
= (900) + (80 + 10) + (1)
= (900) + (90) + (1)

Agora, fica mais fácil ver que a soma é 991.

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observações Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

Caso tenha um laboratório de informática na escola, você pode propor


a utilização do recurso digital Adição de bolhas / Adição de números
de 3 dígitos, disponível em:

https://www.matific.com/bra/pt-br/guests/episodes/BubbleAdditionThreeDigits

Este episódio pratica a adição de números de 3 dígitos ao imitar o


algoritmo de adição vertical. Cada adendo é representado por uma
bolha exibindo um valor. Ao clicar nos resultados das bolhas, elas se
dividirão em três bolhas: uma exibindo centenas, outra com dezenas e
a outra com unidades. Duas bolhas podem ser mescladas se você
digitar o valor da soma.

106
ATIVIDADE 18: Algoritmo da adição

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Algoritmo da adição

Habilidades - Resolver adição com dois números de até quatro algarismos sem
reserva;
- Estabelecer relações entre os termos da adição;
- Realizar cálculos utilizando estratégias como o uso desenhos ,
símbolos, contagem , estimativa, decomposição, composição e
arredondamento de números (adição e subtração);

Como fazer? [Analisar]


Professor(a),até o momento utilizamos estratégias diferentes para
resolver operações de adição. O objetivo desta aula é formalizar o
algoritmo da adição. Provavelmente muitos estudantes de sua turma já
devem conhecer, no entanto, recomendamos sua sistematização.
Inicie com a adição de números com 3 algarismos, como, por exemplo:
245 + 132 (exemplo 1). Os estudantes poderão já conseguir realizar
esta soma mentalmente, a partir das técnicas de composição e de
decomposição dos números, mas peça que eles também façam o
algoritmo. Os estudantes devem perceber que a adição de alguns
números, principalmente os maiores, pode ficar mais complicada sem o
uso do algoritmo.

Peça que os estudantes realizem outras operações e depois apresente


uma adição com reagrupamento, usando o mesmo método.

Exemplo 2: 285+875 =

107
[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e a partir da resolução feita
pelos estudantes.

[(Re) formular]
Considerando o exemplo 1, os estudantes precisam compreender que
para adicionar dois números usando os valores posicionais, podemos
adicionar as centenas, dezenas e as unidades separadamente e depois
adicionar os resultados. (200 + 100) + (40 + 30) + (5 + 2).
Ao utilizar o algoritmo, começamos adicionando os dígitos de menor
valor posicional e gradualmente seguimos para adicionar os dígitos
com maior valor posicional. As “unidades” têm o menor valor posicional,
depois as “dezenas” e depois as “centenas” e assim, sucessivamente.”
Considerando o exemplo 2: Verifique se os estudantes perceberam que
ao adicionar os dígitos das unidades, obtém-se 10 unidades. É
importante verificar se os estudantes entenderam porque nas unidades
é colocado apenas o zero [caso não tenham compreendido, mostre que
10 unidades foi trocada por 1 dezena] e o porquê de ter um número 1
em cima das dezenas. Este processo tem que ser explicado, caso
necessário, em todos os valores posicionais. Por último, na unidade de
milhar (M), como não há outro milhar para ser adicionado, não é
preciso somar com mais nenhuma parcela.

Se achar necessário poderá aproveitar os exemplos para explicar o que


são parcelas e a soma.

108
Professor(a), se houver tempo continue com mais exemplos.

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observações Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

Caso tenha um laboratório de informática na escola, você pode propor


a utilização do recurso digital Algorítimo de adição / Até 1000 com
reagrupamento, disponível em:
https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/AlgorithmWorksheetsAddition3DigitsWithRegroupin
gUpTo1000

Este episódio oferece um ambiente em papel milimetrado digital no


qual o usuário pode solucionar problemas de adição multidígito. Nesta
variante, a soma é até 1000.

ATIVIDADE 19: Representando e subtraindo no Quadro de valores

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Representando e subtraindo no Quadro de valores

Habilidades - Compreender o significado de Sistema de Numeração Decimal;


- Compreender e fazer uso do valor posicional dos algarismos;
- Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual
a 10 unidades;
- Compreender e utilizar técnicas operatórias para subtração;
- Resolver subtração com números de até quatro algarismos sem
e com reagrupamento;

109
Como fazer? [Analisar]
Professor(a), elabore uma lista de operações de subtração, de acordo
com o nível de sua turma, propondo reflexões sobre as possibilidades
de representação dos números no Quadro de Valores [você pode
utilizar o material que foi confeccionado em aulas anteriores]
Inicialmente proponha, em duplas, que os estudantes realizem
subtrações simples e depois vá dificultando aos poucos. As primeiras
operações não devem ter contas com agrupamentos, depois deixe que
elas apareçam nas propostas.
Exemplo 1: 74 - 32 = ?
Inicie a operação colocando o número de palitos correspondente à
quantidade representada pelo numeral 74: quatro palitos no quadro da
unidade e três palitos no quadro da dezena.
Proponha uma operação com agrupamento.
Exemplo 2: 91 + 47 = ?
Proponha outras operações com números maiores.

[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e a partir do preenchimento
do quadro de valores. Solicite que as crianças façam desenhos
ilustrando o que foi feito no quadro de valores.

[(Re) formular]
Professor(a), observe se as crianças compreenderam o processo de
troca no quadro de valores. Se for o caso, lembre novamente a regra
do trabalho com o Quadro de Valores.

Acompanhe as representações e discussões nas quais se comparam


as ideias apresentadas e todos podem justificar suas respostas.

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observações Providencie um exemplo de quadro de valores em uma cartolina ou em


um papel maior, com um número representativo para a turma.

É normal que alguns estudantes tenham dificuldades em compreender


o reagrupamento na subtração.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 20: Jogo das possibilidades (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Jogo das possibilidades

Habilidades - Identificar, entre eventos aleatórios cotidianos, aqueles que têm


maior chance de ocorrência, reconhecendo características de
resultados mais prováveis, sem utilizar frações;

110
Como fazer? Organização a turma em grupos de 4 a 5 participantes. Os grupos
precisarão receber: 2 dados, tabuleiro e um quadro de registro das
jogadas. Cada participante escolhe ou sorteia o time para apostar. O
primeiro jogador lança os dois dados de cores diferentes e observa se
a coluna horizontal e vertical contém o escudo do time que ele
escolheu. Se tiver nas duas colunas soma os pontos dos dois dados,
se tiver apenas em uma das colunas, subtrai os números dos dados.
Caso não tenha em nenhuma das duas colunas passa a vez para o
colega. Cada jogador registra no quadro as jogadas. Ganha o jogo o
participante que obtiver o maior número no total.

REGISTRO - JOGO DAS POSSIBILIDADES

Aluno(a):

Jogadas/Time 1a. jogada 2a. jogada 3a. jogada Total

Ao finalizar, apresente os seguintes questionamentos:


– Quais os times mais difíceis de sair?
– Como posso obter a pontuação 12?
– Qual o time que tem as mesmas chances de sair?
– Pode-se também substituir os fatos da adição pela multiplicação
e da subtração pela adição?

Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.

Observação Professor(a), você pode elaborar o tabuleiro que irá usar, com figuras
que achar adequadas. Este link disponibiliza uma opção de tabuleiro:
https://drive.google.com/file/d/1Eod8fXYIBJR7H5FPSl-
Kz82Q2czNRZ08/view?usp=sharing

ATIVIDADE 21: Subtração por decomposição

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Subtração por decomposição

Habilidades - Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual a


10 unidades;
- Relacionar centena dezena unidades determinando que 1 centena e
igual a 100 unidades;
- Resolver subtração com números de até quatro algarismos sem
reagrupamento;

111
Como fazer? [Analisar]
A subtração é uma operação simbolizada por a-b = c, ou seja, o
minuendo menos o subtraendo é igual ao restante que sobra, e
também pode ser representada pelo sinal – .
Para esta aula sugerimos retomar a ideia de unidade, de dezena e de
centena.

Professor(a), apresente operações de subtração ao estudante e peça-


os que as resolva em seu caderno. Sugira que eles utilizem a
decomposição para resolvê-las.
·
Pergunte aos estudantes como podem realizar a operação a partir da
notação expandida. Deixe que eles criem suas hipóteses.
343 - 221=

Em seguida, apresente uma outra operação:


668 - 473 =
[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e a partir das respostas
registradas pelos estudantes no caderno.
Deixe que vários alunos compartilhem as diferentes ideias para
representar esse número. Compare e contraste as diferentes
representações com a classe.

[(Re) formular]
Nesta atividade os estudantes precisarão compreender que os
números são formados por unidades, dezenas e centenas e que a
subtração deve ser feita agrupando cada um destes valores.

Professor(a), note que o último exemplo vai requisitar que o estudante


realize trocas, conforme o registro a seguir

668 - 473 = (600 + 60 + 8) - (400 + 70 + 3)

Questione-os sobre como combinar a parcela de 600 com a de 400, a


de 60 com a de 70, e a de 8 com a de 3. Verifique se foi percebido que
estamos combinando unidades com unidades, dezenas com dezenas,
e centenas com centenas. Acrescente ao que já estava no quadro, para
que leia-se:

668 - 473 = (600 + 60 + 8) - (400 + 70 + 3) = (600 - 400) + (60 -70) + (8


- 3).
Questione-os sobre a forma de reorganização das parcelas que está
sendo proposta. Um problema de subtração não muda ao reorganizar
as parcelas? [aqui estamos utilizando a propriedade distributiva].

668 - 473 = (600 + 60 + 8) - (400 + 70 + 3)


= (600 - 400) + (60 -70) + (8 - 3)
= (200) + (60 -70) + (5)
= (100+100) + (60 -70) + (5)
= (100) + (160 -70) + (5)
= (100) + (90) + (5)

112
Verifique se os estudantes entenderam o reagrupamento da centena.
Assim, fica mais fácil ver que a diferença é 195. Se houver tempo
continue com mais exemplos.

Professor(a), é importante observar que demos exemplo com e sem


reagrupamento. Antes de trabalhar com reagrupamento, verifique se os
estudantes compreenderam a decomposição sem reagrupamento.

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 22: Subtraindo com dinheiro

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Subtraindo com dinheiro

Habilidades - Relacionar dezena unidades determinando que 1 dezena e igual a


10 unidades;
- Relacionar centena dezena unidades determinando que 1 centena e
igual a 100 unidades;
- Resolver subtração com números de até quatro algarismos com
reagrupamento;
- Compor e decompor valores, manipulando ou não cédulas e ou
moedas;
- Realizar trocas entre cédulas e ou moedas, manipulando-as ou não;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), discuta com a turma sobre os diferentes tipos de moedas
e explique seus valores. Demonstre como as moedas podem ser
agrupadas [Caso não tenha disponível na escola, poderá imprimir um
conjunto de cédulas e moedas disponível em:
http://gutarocha.blogspot.com.br/2017/ ]

113
Pergunte aos estudantes que tipo de trocas podem ser realizadas.
Quanto vale 4 moedas de 10 e 1 de 5? Agrupe um conjunto de
moedas, pergunte-os: que número elas representam? Como você
sabe? Podemos associar esta quantidade à dezena e a unidade?
Neste caso, temos quatro dezenas, e cinco unidades, então o número
representado é 45.

Apresente algumas quantidades em reais para os estudantes e peça


que eles façam relação com unidades, dezenas e centenas. Após a
compreensão desta relação, convide os estudantes a resolver
operações de subtração utilizando o dinheiro como material de apoio.
Por exemplo:
João tem 7 notas de 1 real, 8 notas de 10 reais e 3 notas de 100 reais.
Quanto dinheiro João tem? João perdeu 263, quanto dinheiro ele ficou?

[Comunicar]
Professor(a), oriente os estudantes a fazerem o registro numérico e por
desenho das trocas e das operações realizada.
Nesta aula a comunicação acontecerá por meio da utilização das notas
e moedas, de forma oral e escrita [registros numéricos e pictóricos].

[(Re) formular]
Professor(a), verifique se os estudantes estão conseguindo realizar as
trocas[dinheiro] e entendendo a operação que está sendo realizada.
Note que no exemplo dado, os estudantes precisarão operar:
387-263=124.

Apresente outras propostas de operações, como:


536-272=
781-563=

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

Caso tenha um laboratório de informática na escola, você pode propor


a utilização do recurso digital Eu posso adicionar / Subtração:
reagrupamento múltiplo, disponível em: https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/RegroupingMachineSubtractionMultipleRegrouping

114
Este episódio pratica subtração de números de 3 dígitos, imitando o
algoritmo da subtração. O minuendo é representado por moedas de
100, 10 e 1 unidade. Você pode executar a operação retirando um valor
de moedas indicado pelo subtraendo. Por reagrupamento, você pode
trocar dez moedas de 1 por uma única moeda de 10, ou dez moedas
de 10 por uma única moeda de 100, usando uma máquina de troco.

ATIVIDADE 23: Algoritmo da subtração

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Algoritmo da subtração

Habilidades - Resolver subtração com e sem reserva;


- Estabelecer relações entre os termos da subtração;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a),até o momento utilizamos estratégias diferentes para
resolver operações de subtração. O objetivo desta aula é formalizar o
algoritmo da subtração. Provavelmente muitos estudantes de sua turma
já devem conhecer, no entanto, recomendamos sua sistematização.
Inicie com a subtração de números com 3 algarismos, como, por
exemplo: 245 - 132 (exemplo 1). Os estudantes poderão já conseguir
realizar esta subtração mentalmente, a partir das técnicas de
composição e de decomposição dos números, mas peça que eles
também façam o algoritmo. Os estudantes devem perceber que a
subtração de alguns números, principalmente os maiores, pode ficar
mais complicada sem o uso do algoritmo.

115
Professor(a), você pode ainda explicar a ordem de cada uma das
parcelas: 245 (minuendo); 135 (subtraendo) e 113 (resto ou diferença).

Peça que os estudantes realizem outras operações e depois apresente


subtração com reagrupamento, usando o mesmo método.
Exemplo 2: 72 - 16 =

Após a verificação da compreensão do algoritmo, você pode propor


operações com até 4 dígitos.

[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e escrita,a partir da resolução
feita pelos estudantes.

[(Re) formular]
Considerando o exemplo 1, os estudantes precisam compreender que
para subtrair dois números usando os valores posicionais, podemos
subtrair as centenas, dezenas e as unidades separadamente e depois
juntar os resultados.

245 - 132=
=(200 - 100) + (40 - 30) + (5 - 2)
= 100 + 10+ 3 = 113

Ao utilizar o algoritmo, começamos subtraindo os dígitos de menor


valor posicional e gradualmente seguimos para subtrair os dígitos com
maior valor posicional. As “unidades” têm o menor valor posicional,
depois as “dezenas” e depois as “centenas” e assim, sucessivamente.”

Considerando o exemplo 2:

116
Fonte: https://imaginariopuro.wordpress.com/tag/algoritmos/

117
Professor(a), se houver tempo continue com mais exemplos.

Avaliação Observe e registre os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 24: Jogo um exato (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Jogo um exato (MAIS PAIC)

Habilidades - Determinar os resultados dos fatos da adição e da subtração de


forma automatizada;
- Desenvolver o raciocínio lógico e o cálculo mental;

Como fazer? Este jogo tem como objetivo reconhecer e nomear os números
naturais, justificar respostas no processo de efetuar adições e
subtrações mentalmente.

MATERIAIS:
-Quadro da centena numerado (usar modelo abaixo)

-Três dados
-Peças diferentes para cada jogador

118
ORGANIZAÇÃO DA TURMA: Duplas.

COMO JOGAR:

1. Cada jogador coloca sua peça na casa de número 100 do quadro da


centena.

2. Os jogadores se revezam lançando os três dados e somando ou


subtraindo os resultados, conforme acharem melhor.

3. Se um jogador obtém 20 com a soma dos três dados, por exemplo,


subtrai esse valor mentalmente de 100 e coloca uma de suas peças no
número 80 e não a tira mais de lá.

4. O mesmo procedimento é realizado pelo próximo jogador, mas se


ele também obtiver o valor 20 não poderá colocar sua peça no número
80, pois lá já tem a peça do seu oponente. Nesse caso, ele terá de
passar a vez e continuar onde estava antes da jogada. Isso significa
que o jogador antes de dizer o resultado da conta feita com os seus
dados precisa cuidar para não chegar ao valor de uma casa já
marcada.

5. Se o jogador avaliar que, não é possível chegar a uma casa de


menor valor do que a que ele estava e que não esteja marcada, passa
vez.

6. Vence o jogador que conseguir chegar à casa do número 1.

Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.

Observação Este jogo está disponível no Livro do MAISPAIC - Jogos matemáticos -


5° ano, p. 8.

ATIVIDADE 25: Interpretando e resolvendo problemas

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Interpretando e resolvendo problemas

Habilidades - Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição e


da subtração;
- Resolver problema envolvendo adição em que e procurado o valor
da soma ou de uma parcela;
- Resolver problema envolvendo subtração em que e procurado o
valor do resto, do minuendo ou do subtraendo;
- Descrever o processo de resolução dos problemas resolvidos;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), essa atividade objetiva a resolução de problemas pelos
alunos. Para resolver problemas matemáticos é necessário que
compreendam conceitualmente a operação para resolvê-los. Se o

119
problema leva o aluno a repetir procedimentos ele não estará
desenvolvendo estratégias de solução e automaticamente não haverá
uma compreensão conceitual.
Permita que o aluno apresente essa estratégia de resolução da forma
que melhor convier a representação: utilizando desenho, contando lápis
ou dedos, utilizando material dourado, entre outros, até que chegue ao
registro dessa operação. Lembrando que, o mais importante da
resolução de um problema não deve ser a execução algorítmica, mas
sim, a compreensão do que está sendo solicitado diante da
interpretação dos dados apresentados pelo enunciado.

Sugerimos 5 problemas que envolvem diferentes raciocínios


matemáticos. Você poderá substituir os termos e números para
adequação do nível de desenvolvimento cognitivo em que se encontra
a sua turma, mas você deve estar ciente das habilidades necessárias
para a resolução de cada um deles.

1. Na festa da Páscoa, as turmas do 5º ano ficaram encarregadas de


trazer os seguintes itens:

Depois de observar a tabela, responda: Quantos doces as turmas do 5º


ano irão trazer ao todo?

Note que a quantidade de brigadeiros é uma parte do todo (quantidade


total de doces) e a quantidade de beijinhos é a outra parte, sendo que o
todo será a quantidade total de docinhos que a turma vai levar.

2. No início do mês havia, na confecção de Marcelo, 230 calças.


Durante o mês, ele vendeu 117. Quantas calças restaram ao final do
mês?

Veja que foram dados o estado inicial (quantidade de calças no início


do mês) e a transformação (quantidade de calças vendidas durante o
mês), e se pede o valor do estado final (quantidade de calças ao final
do mês).

3. Os alunos do 5º ano fizeram uma exposição sobre sua biografia. Na


1ª quinzena do mês de abril, 56 pessoas visitaram a exposição. No final
do mês, o total de pessoas que havia visitado a exposição chegou a
270. Quantas pessoas visitaram a exposição na 2ª quinzena?

Nesta situação, foram dados uma parte (quantidade de visitantes na 1ª


quinzena) e o valor do todo (quantidade total de pessoas que visitaram
a exposição), buscando-se o valor de uma das partes (quantidade de
visitantes na 2ª quinzena).

4. Joana tinha R$ 1.235,00 e foi à loja comprar uma televisão. Ela


pagou a televisão e ficou com R$ 372,00. Quanto custou a TV que
Joana comprou?

120
Note que foram dados dois estados: o inicial (quantidade inicial do
dinheiro de Joana) e o final (quantidade de reais com que Joana ficou),
e se pede o valor da transformação (quantidade de reais pagos pela
televisão).

5. Suzy e Luíza colecionam canetas. Suzy tem, em sua coleção, 343


canetas e Luísa,127 canetas a mais do que Suzy. Quantas canetas
Luísa tem?

Nesta situação, foram dados o referente (quantidade de canetas da


coleção de Suzy) e a relação (a diferença entre a quantidade de
canetas de Suzy e de Luísa), buscando-se o valor do referido
(quantidade de canetas da coleção de Luísa).

[Comunicar]
Professor(a), discuta com os alunos as possíveis representações e
solicite que se atentem para as respostas, de acordo com a pergunta
do problema. Desenhe na lousa a representação e o registro da
operação.

[(Re) formular]
Professor(a), recomendamos esteja atento(a) para os seguintes pontos:
- Dedique tempo para instigar o aluno a interpretar a situação proposta
pelo problema;
- Permita que os alunos desenvolvam diferentes estratégias de
solução;
- Compartilhe as diferentes soluções com os demais colegas.
- Use diferentes estratégias para que o aluno não procure no problema
apenas os números para a construção da operação, sem pensar no
que se pede.
- Ajude os alunos a compreenderem a operação envolvida no
problema, contudo, evite o uso de palavras-chave, pois elas podem
induzir ao erro.

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens. Nesse
sentido, você deve observar no decorrer dessa aula se o aluno
conseguiu interpretar e resolver as situações de adição e de subtração
utilizando estratégias pessoais.
Durante todo processo registre a participação dos alunos e anote quais
foram as intervenções para elas avançarem.

Observação As situações sugeridas nesta atividade foram retiradas do Livro


“Ensinando adição e subtração: experiências de professores de 5º
ano”, disponível em:
https://drive.google.com/file/d/1cDfwuIzpZiIDVKBqnwnfXrOMpQzz7dCY
/view?usp=sharing

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

121
ATIVIDADE 26: Desenvolvendo habilidades de solucionar situações

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Desenvolvendo habilidades de solucionar situações

Habilidades - Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição e


da subtração;
- Resolver problema envolvendo adição em que e procurado o valor
da soma ou de uma parcela;
- Resolver problema envolvendo subtração em que e procurado o
valor do resto, do minuendo ou do subtraendo;
- Descrever o processo de resolução dos problemas resolvidos;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), nessa atividade os alunos terão a oportunidade de criar
dados para diferentes situações. Abaixo seguem algumas sugestões,
mas você poderá alterá-las de acordo com as necessidades e
dificuldades dos seus alunos. As situações apresentam alguns dados e
outros devem ser completados pelos alunos, cada um a seu modo, de
acordo com suas preferências.
Você poderá dividir a turma em duplas ou trios para que discutam as
possibilidades. Depois de completar os dados dos problemas os alunos
deverão resolvê-los da mesma forma da atividade anterior.

Situação 1: Uma pequena fábrica produz 96 cadernos pela manhã e


________ pela tarde. Ao final do dia, quantos cadernos terá produzido
a fábrica?

Situação 2: A pizzaria Dona Pizza tinha _________ pizzas no início do


dia. Vendeu 154 durante todo o dia. Quantas pizzas restaram prontas?

Situação 3: Lucas tinha 25 figurinhas ao entrar no jogo de bafo.


____________________________________________________. O
que aconteceu no jogo?

Situação 4: Vivian tem R$ _______ e Cláudio tem R$ _______ a


menos que ela. Quantos reais tem Cláudio?

[Comunicar]
Cada situação preenchida requer uma correção individualizada.
Analise os problemas observando o registro das estratégias utilizadas
pelos alunos e compare com os dos demais colegas.
Identifique e classifique os erros encontrados.
Atenda aos alunos ou grupos individualmente e pergunte como
pensaram para chegar à resolução. Socialize as resoluções com a
turma. Escolha alguns para corrigir coletivamente.
Analise, junto com a turma, alguns problemas que apresentem erros na
complementação dos dados que torne impossível a resolução. Evite
expor os alunos.

[(Re) formular]
Professor(a), a socialização das estratégias desenvolvidas pelos alunos
é um recurso que deve ser utilizado para que percebam as diferente

122
possibilidades de resolução e os caminhos pensados e construídos
para chegar às respostas. Essa prática possibilita que os alunos se
apropriem de procedimentos diferentes e reflita sobre os caminhos
percorridos pelos colegas, respeitando e valorizando o pensamento dos
demais.

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens. Nesse
sentido, você deve observar no decorrer dessa aula se o aluno
conseguiu interpretar, resolver e elaborar situações de adição e de
subtração utilizando estratégias pessoais.
Durante todo processo registre a participação dos alunos e anote quais
foram as intervenções para elas avançarem.

Observação As situações sugeridas nesta atividade foram retiradas do Livro


“Ensinando adição e subtração: experiências de professores de 5º
ano”, disponível em:
https://drive.google.com/file/d/1cDfwuIzpZiIDVKBqnwnfXrOMpQzz7dCY
/view?usp=sharing

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 27: Elaborando situações matemáticas

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Elaborando situações matemáticas

Habilidades - Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição e


da subtração;
- Resolver problema envolvendo adição em que e procurado o valor
da soma ou de uma parcela;
- Resolver problema envolvendo subtração em que e procurado o
valor do resto, do minuendo ou do subtraendo;
- Descrever o processo de resolução dos problemas resolvidos;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), formular problemas auxilia os alunos a resolverem
situações, pois ajuda o aluno a formar esquemas de representação
mental e consolida o conhecimento. Por isso, nessa atividade eles vão
elaborar suas próprias situações.

As situações devem ser significativas para que os alunos possam


aprender conceitos e procedimentos. Se eles próprios elaboraram os
problemas é possível que sejam bem significativos e que eles pensem
nos seus enunciados e nas situações colocadas por eles. Nesse
sentido, permita que os alunos escrevam suas ideias e construam seus
textos utilizando seus conhecimentos sobre a organização de um
gênero textual: situação problema. Consequentemente podem melhorar
suas produções textuais e reflexões a respeito da utilização da

123
matemática no cotidiano das pessoas. Muitas são as alternativas de
propostas de formulação de situações. É importante que, no início, os
alunos tenham um caminho a seguir para que não se sintam “perdidos”.
Segue algumas sugestões. Analise, modifique, acrescente ideias, caso
julgue necessário.

Sugestão 1 : Igor tinha 134 selos em sua coleção.


_________________________________________________________

Sugestão 2: Com quantas figurinhas ele ficou?


_________________________________________________________

Sugestão 3: Quantos pontos Ana marcou a mais que Paula?


_____________________________________________________

Professor(a), organize para que os próprios alunos façam a correção


dos textos dos colegas. Trabalhe com duplas ou grupos, de acordo
com as dificuldades enfrentadas pelos alunos. Dê espaço para que
interpretem as ideias dos colegas.

[Comunicar]
Escolha algumas situações para análise coletiva. Permita que os
alunos exponham seus registros.
Compare diferentes procedimentos, mas sem expor os alunos.

[(Re) formular]
Professor(a), a socialização das situações criadas e das estratégias
desenvolvidas pelos alunos é um recurso que deve ser utilizado para
que percebam as diferentes possibilidades de resolução. Essa prática
possibilita que os alunos se apropriem de procedimentos diferentes e
reflita sobre os caminhos percorridos pelos colegas, respeitando e
valorizando o pensamento dos demais.

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens. Nesse
sentido, você deve observar no decorrer dessa aula se o aluno
conseguiu interpretar, resolver e elaborar situações de adição e de
subtração utilizando estratégias pessoais.
Durante todo processo registre a participação dos alunos e anote quais
foram as intervenções para elas avançarem.

Observação Professor (a), O caderno n° 4 dos Cadernos de Alfabetização


Matemática do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa,
disponível em:
<http://pacto.mec.gov.br/images/pdf/cadernosmat/PNAIC_MAT_Caderno%2
04_pg001-088.pdf >, intitulado “Operações na Resolução de Problemas”
apresenta vários procedimentos utilizados por professores e aborda
situações envolvendo os problemas em sala de aula, oferecendo
subsídios para que os professores trabalhem com essa temática.

124
ATIVIDADE 28: Jogo Mistério escondido (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Jogo Mistério escondido (MAIS PAIC)

Habilidades - Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição e


da subtração;

Como fazer? O objetivo deste é trabalhar habilidades referentes a números e


operações, espaço e forma e grandezas e medidas.
MATERIAIS:
- Cartolina
- Caneta hidrocor, lápis de cor ou giz de cera
- Cola
- Papel ofício
- 9 Envelopes

ORGANIZAÇÃO DA TURMA: Dupla ou grupos de até 6 alunos.


COMO JOGAR:

1. Usar a cartolina para fazer uma tabela cujo título é Mistério


Escondido. Na tabela haverá três linhas e três colunas.

2. As linhas são: a. Números e operações b. Grandezas e medidas c.


Espaço e forma.

3. As colunas correspondem aos envelopes de pontos: a. 1 ponto b. 2


pontos c. 3 pontos

4. Veja o modelo para colar corretamente os envelopes na cartolina.

5. Colocar perguntas envolvendo os conteúdos das linhas nos


envelopes para serem respondidas pelos alunos.
6. Dividir a turma em duplas ou grupos.

7. Um dos jogadores escolhe um envelope e retira a pergunta a ser


respondida por ele ou por sua equipe.

8. O professor determinará que tipo de resolução será apresentada.

9. Vence o jogo a equipe que fizer mais pontos.

125
Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.

Observação Este jogo está disponível no Livro do MAISPAIC - Jogos matemáticos -


5° ano, p. 23.

ATIVIDADE 29: A multiplicação como adição de quantidades iguais

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade A multiplicação como adição de quantidades iguais

Habilidades - Compreender as ideias da multiplicação: adição de quantidades


iguais;
- Explorar as ideias das operações em especial da multiplicação;
- Conhecer as propriedades da multiplicação;
- Discutir o papel da pesquisa de opinião

Como fazer? [Analisar]

Professor(a), para esta aula disponibilize um momento para


conversarem sobre o que os alunos já sabem sobre multiplicação. Em
seguida, apresente a tirinha a seguir:

Fonte: https://www.qconcursos.com/questoes-de-
concursos/questoes/search?migalha=true&disciplina=182&prova=33342&mod
o=1

Após a leitura da tira do Quino, peça que os estudantes, em duplas,


discutam a tirinha e responda aos seguintes questionamentos:
-Como você representaria a operação apresentada no primeiro
quadrinho usando uma adição?
-Por que a ordem dos fatores não altera o produto? O que são fatores?
O que é produto?
- Represente por meio de desenho a multiplicação apresentada pela
professora.
- Você conhece as propriedades da multiplicação?
- Você sabe o que é Vox Populi?

126
[Comunicar]

Professor(a), após a realização da atividade pelas duplas, peça que os


estudantes compartilhem suas ideias. Faça o registro das ideias no
quadro para que o restante da turma possa acompanhar. Se preferir,
peça que os estudantes coloquem os registros feitos no mural/espaço
da matemática.

[(Re) formular]

Professor(a) acompanhe e verifique a realizada de cada uma das


etapas, verificando se os estudantes entenderam o que foi solicitado,
se for o caso, medie as situações de dúvidas.

Em relação à multiplicação, temos quatro propriedades para os


números naturais, que são:

⇒ Propriedade Comutativa: a ordem dos fatores não altera o produto


(resultado). No exemplo abaixo, 3 e 5 são os fatores.
(3) . (5) = 15
(5) . (3) = 15

⇒ Propriedade Associativa: A associação dos fatores não modifica o


produto. Os fatores no exemplo a seguir são: 3, 5 e 2.
(- 3 . 5) . 2 = ( 15) . ( 2) = 30
3 . ( 5 . 2) = ( 3) . ( 10) = 30

⇒ Elemento Neutro: Na multiplicação, o elemento neutro é o número


1. Qualquer número multiplicado por 1 resulta nele mesmo.
Veja exemplos:
( 8) . ( 1) = 8
( 100) . ( 1) = 100

⇒ Propriedade distributiva: Realizamos o produto do termo externo


ao parênteses com os termos internos do parênteses. Observe os
exemplos abaixo:
( 2) . [( ( 3) + ( 4)] =
= ( 2) . ( 3) + ( 2) . ( 4) =
= ( 6) + ( 8) =
= 14

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

127
ATIVIDADE 30: Explorando as propriedades da multiplicação

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Explorando as propriedades da multiplicação

Habilidades - Compreender as ideias da multiplicação: adição de quantidades


iguais;
- Explorar as ideias das operações em especial da multiplicação;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), inicie a aula conversando com os alunos sobre a tabuada
da multiplicação. Faça os seguintes questionamentos:
Vocês sabem a tabuada do 1 ao 10?
A tabuada é fácil ou difícil?
Quais são as mais fáceis e quais são as mais difíceis e por quê?

Após discussão, explique aos alunos que será explorada uma forma
diferente de registrar o produto de fatores que vão de 1 a 10, um
quadro chamado de Tabela Pitagórica.

Entregue para cada aluno uma folha de caderno quadriculado (1 cm)


ou uma malha quadriculada xerocada.
Peça aos alunos que recortem um quadrado formado por 12 linhas e 12
colunas e colem no caderno de matemática sob o título: Tabela
Pitagórica. Solicite que os alunos coloquem um x no quadradinho que é
o encontro da primeira linha com a primeira coluna, para indicar que
cada número da primeira coluna será multiplicado por cada número da
primeira linha. Em seguida solicite que os alunos numerem a primeira
linha e a primeira coluna com os números 0 a 10, escrevendo um
número em cada quadradinho como na figura:

Solicite aos alunos que preencham a tabela multiplicando o número


que está em uma linha pelos números de cada coluna e registrando o
resultado no quadradinho correspondente ao encontro da linha com a
coluna. Conceda um tempo para que cada aluno preencha sua tabela e
depois faça uma tabela no quadro e preencha com a ajuda dos alunos
ou projete a imagem de uma tabela já preenchida.

Em seguida, faça novos questionamentos:


Vocês conseguiram lembrar todos os resultados?

128
Quais produtos vocês tiveram mais dificuldades para lembrar?
Como vocês fizeram para encontrar os resultados dos quais não
lembravam?
Quantos alunos acertaram todos os resultados?
Quantos erraram menos de dez resultados?
Quantos erraram mais de dez resultados?

Por que está acontecendo isso?

COMENTÁRIO: Se não conseguir uma resposta satisfatória explique


que isso ocorre porque na linha temos os resultados das
multiplicações: 3x0, 3x1, 3x2, etc. E na coluna temos o resultado das
multiplicações: 0x3, 1x3, 2x3, etc. Ou seja, são as mesmas
multiplicações, somente mudou a ordem que os fatores aparecem.
Explique que este fato é uma propriedade da multiplicação chamada
“Comutativa”. Se os alunos não viram esta propriedade quando
estudaram adição, explique que comutar significa trocar.
Agora, registre no quadro o nome da propriedade e o que ela indica: a
ordem dos fatores não altera o produto, e peça aos alunos para
procurarem na tabela pitagórica outros resultados iguais e registrarem
os produtos que deram origem a estes resultados.

[Comunicar]
A comunicação acontecerá de forma oral e por meio do registro na
tabela pitagórica.

[(Re) formular]
Professor(a) fique atento(a) às respostas, pois, por meio delas é
possível se fazer um diagnóstico da turma com relação à tabuada, o
que pode facilitar a formação de parcerias e grupos de alunos
posteriormente.

Incentive os alunos a procurarem regularidades e relações entre as


linhas e colunas da tabela. Permita que eles falem sobre o que
encontraram e aproveite para formalizar as falas registrando-as no
quadro para que todos possam copiar e entender.

Provavelmente, algum aluno vai citar que na tabela aparece sempre

129
uma linha e uma coluna que possuem os mesmos resultados. Mostre o
fato ao restante da turma destacando uma linha e uma coluna nestas
condições.

Leve os alunos a refletirem:


Como a propriedade comutativa pode ajudar na memorização dos
resultados da tabuada? Ajude-os a concluírem que na verdade basta
memorizar metade dos resultados. Se eu sei o resultado de 4x8, por
exemplo, também sei o resultado de 8x4. Agora, incentive os alunos a
procurarem resultados que não aparecem duas e somente duas vezes
na tabela. Solicite que eles coloram os quadradinhos onde estiverem
estes resultados.

Professor(a), ajude os alunos a perceberem a simetria entre os


resultados, ou seja, os resultados iguais aparecem na tabela em pares
mantendo a mesma distância da linha diagonal de produtos que foi
colorida. Sendo assim, para memorizar os resultados da tabuada
podemos reduzi-la aos produtos da tabela abaixo:

https://jucienebertoldo.wordpress.com/2013/03/26/tabuada-reduzida-facilita-a-
memorizacao/

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), alguns alunos podem questionar o significado da palavra


“pitagórica”, se isso acontecer, vale a pena falar um pouco sobre o
matemático Pitágoras, cuja biografia é facilmente encontrada em sites
de busca.

Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 5° ano/1°


Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 31: Adição e subtração com parêntese

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Adição e subtração com parêntese

Habilidades Utilizar a calculadora para produzir escritas numéricas;

Como fazer? Professor(a) apresente a seguinte problemática: quando efetuamos os


cálculos em cada uma das seguintes expressões, há diferença? Por
que?

130
1. 15 – (3 + 4) e 15 – 3 + 4

2. (20 + 3) – 1 e 20 + 3 – 1

Peça aos alunos para resolverem em seus cadernos.

Quando os alunos terminarem de escrever, compartilhe.


Pergunte: Qual o significado dos parênteses em uma expressão
matemática?

Os parênteses nos dizem para efetuar as operações dentro dos


parênteses primeiro, antes de efetuar qualquer outra operação.
Pergunte: Existe alguma diferença entre as duas expressões no 1? Se
sim, qual?

Sim. Na expressão à esquerda, os parênteses indicam que nós


precisamos adicionar 3 e 4 primeiro. A soma de 3 e 4 é 7. Então nós
subtraímos 7 de 15 para obter 8. Na expressão da direita no #1, nós
resolvemos da esquerda para direita. Então primeiro nós subtraímos 3
de 15 para obter 12. Então nós adicionamos 12 com 4 para obter 16.
Então a expressão da esquerda é igual a 8 e a expressão da direita é
igual a 16.

Pergunte: Existe alguma diferença entre as duas expressões no 2? Se


sim, qual?
Não, não há diferença. Na expressão da esquerda, os parênteses
indicam que nós precisamos adicionar 20 e 3 primeiro. Na expressão à
direita, não há parênteses, então nós resolvemos da esquerda para
direita. Então nós adicionamos 20 e 3 primeiro. Aqui, os parênteses
não alteram a ordem das operações porque de qualquer maneira, nós
adicionamos primeiro. As duas expressões são iguais a 22.

[Comunicar]
Nesta atividade a comunicação acontecerá por via oral ou pela
resolução de cada estudante. Professor(a), permita que os alunos se
expressem.

[(Re) formular]
Durante a explicação dos estudantes, verifique se as inferências estão
adequadas.

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou


laptops, pode propor a utilização dos recurso digital Ordem das
operações / Adição-Subtração com Parênteses, disponível em:
https://www.matific.com/bra/pt-
br/guests/episodes/EvaluatingExpressionsWithParsingTreeParentheses
AdditionSubtraction

131
Este episódio pratica a avaliação de expressões numéricas envolvendo
adição, subtração e parênteses, de acordo com a ordem de
convenções de operações. É exibida uma expressão aritmética. Avalie-
a passo a passo ao clicar a cada vez em par de números adjacentes
cuja soma ou diferença deve ser em seguida avaliada.
Professor(a), no Caderno de atividades do MAIS PAIC - 4° ano/1°
Bimestre, tem exercícios com as habilidades exploradas nestas
atividades. Também verifique, junto ao livro didático adotado em sua
escola, as atividades que contemplem estas habilidades.

ATIVIDADE 32: Multiplicando com as mãos (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Multiplicando com as mãos

Habilidades - Resolver multiplicações simples;

Como fazer? Professor(a), assistam ao vídeo “Tabuada com as mãos”, disponível


em http://www.youtube.com/watch?v=8X5hzSlUO10.
Este vídeo ensina como chegar aos resultados da tabuada a partir do
produto de 6 x 6 até 10 x 10, utilizando os dedos das duas mãos.
Incentive os alunos a fazerem os produtos duas vezes, por exemplo, 6
x 7. Solicite que os alunos façam primeiro pegando o dedo com o
número seis na mão direita e o dedo com o número sete na mão
esquerda. Depois façam pegando o dedo com o número seis na mão
esquerda e o dedo com o número sete na mão direita e verifiquem que
chegarão ao mesmo resultado.

Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.

Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou


laptops, pode propor a utilização de um ou mais recursos digitais:

132
1. Disparo com tabuada, disponível em:
https://www.tabuadademultiplicar.com.br/disparo-com-tabuada.html

2. Tabuada de corrida, disponível em:


https://www.tabuadademultiplicar.com.br/disparo-com-tabuada.html

3. Mergulho dos números, disponível em:


https://www.tabuadademultiplicar.com.br/mergulho-dos-numeros.html

ATIVIDADE 33: Jogo de boliche – multiplicação

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Jogo de boliche - multiplicação

Habilidades - Compreender as ideias da multiplicação: adição de quantidades


iguais;
- Explorar as ideias das operações em especial da multiplicação;
- Construir tabela simples e de dupla entrada com dados coletados e

133
obtidos em atividades de sala de aulas;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), para iniciar a aula promova um momento para os alunos
apresentarem os exemplos de multiplicação que encontraram no dia a
dia deles. Convide os alunos para brincarem com um jogo de boliche
diferente. Distribua os alunos em grupos de 5 e construam o jogo.
- Material necessário: 10 garrafas Pet, uma bola e uma tabela.
A tabela deve ter a seguinte estrutura

Tabela do Jogo
Partidas Quantidade de Valor de cada Total de
garrafas derrubadas garrafa pontos
1ª. partida
2ª. partida
3ª. partida
4ª. partida

Como preparar a brincadeira:


Inicialmente, decida o valor das garrafas, elas devem ter o mesmo
valor. Depois, arrumem as garrafas de modo que elas fiquem com uma
pequena distância uma da outra.

Como jogar:
A bola deverá ser jogada uma vez por rodada. A cada rodada, o
jogador anota os pontos que fez na tabela e calcula o total. O jogador
que não conseguir derrubar nenhuma garrafa deverá registrar o
número 0. Depois de quatro partidas, cada jogador deverá somar seus
pontos para ver quem fez mais pontos;
O jogador que tiver o maior número de pontos vence o jogo.

[Comunicar]
Professor(a), após a construção e realização do jogo, peça que os
estudantes compartilhem seus resultados e suas tabelas.

[(Re) formular]
Professor(a) acompanhe a construção do jogo e o registro dos
resultados na tabela, verificando se os estudantes entenderam a
multiplicação como soma de parcelas iguais e se sabem preencher
uma tabela de dupla entrada.

Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades: pode
ser uma roda onde os alunos falem sobre como foi jogar, o que foi fácil
e o que foi difícil.

Observação Professor(a), o jogo deverá ser confeccionado pelos alunos, com a sua
ajuda. Recolha as tabelas construídas pelos estudantes para utilizar na
aula seguinte.
É importante observar que a multiplicação apresenta a ideia de soma
de parcelas iguais quando o campo numérico é os números naturais.

134
ATIVIDADE 34: Explorando as ideias do jogo de boliche

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Explorando as ideias do jogo de boliche

Habilidades - Resolver problemas envolvendo diferentes significados da adição e


da subtração;
- Ler, interpretar e representar dados em tabelas de dupla entrada,
gráficos de colunas simples e agrupadas, gráficos de barras e
colunas e gráficos pictóricos;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), peça aos alunos para completar a tabela de acordo com
cada jogada. Para isso, os estudantes deverão analisar a tabela
construída na aula anterior (Jogo de boliche com multiplicação)
Faça os seguintes questionamentos aos grupos:
Quem venceu o jogo?
Qual foi a quantidade de pontos que você conseguiu juntar?
E os seus colegas do grupo?
Quem fez menos pontos?
Quantos pontos a menos que o vencedor?

Peça que os grupos organizem os dados de todas as tabelas dos


jogadores do grupo e construam um gráfico de colunas. Professor(a),
sugerimos que disponibilize uma folha de papel quadriculado para cada
grupo, pois isso facilitará a construção do gráfico.

[Comunicar]
Professor(a), após a realização da atividade pelos grupos, peça que os
estudantes compartilhem suas ideias. Coloque todos os gráficos
construídos pelo grupo em um mural na sala de aula.

[(Re) formular]
Professor(a) acompanhe a realização da interpretação e organização
dos dados da tabela, verificando se os estudantes entenderam como se
constrói um gráfico de colunas. Aproveite as diferentes construções de
cada grupo para instigar os estudantes a analisar as construções.

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação

135
ATIVIDADE 35: Seis vezes dois dá doze meses

Componente Curricular Matemática e Língua Portuguesa – 5º ano

Atividade Seis vezes dois dá doze meses

Habilidades - Ler calendário relacionando dia do mês com o dia da semana;


- Interpretar gênero textual poesia;
- Fazer produção textual;
- Construir tabela simples e de dupla entrada com dados coletados e
obtidos em atividades de sala de aulas;
- Ler e localizar informações e dados em tabela simples e de dupla
entrada;
- Construir gráficos de colunas e de barras em malha quadriculada
com dados coletados e obtidos em atividades de sala de aula;
- Analisar dados apresentados em tabelas simples ou de dupla
entrada e em gráficos de colunas ou pictóricos, com base em
informações das diferentes áreas do conhecimento, e produzir texto
com a síntese de sua análise.

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), organize a turma a fim de aproximar os pares. Prepare o
texto a seguir:
SEIS VEZES DOIS DÁ DOZE MESES
... Cada mês é um brinquedo
toda vez que você diz.
Vamos juntos decorar,
pois brincar eu sempre quis!
Se janeiro é quem começa,
muita coisa ele traz.
A seguir vem fevereiro,
e vem março logo atrás!
É abril que vem chegando,
maio vem logo a seguir.
Quando junho acabar,
o semestre vai partir!
Julho vem trazendo férias,
mas, se eu noto que acabou,
passo logo por agosto
e é setembro que chegou!
Outubro é o mês da criança,
e o ano está no fim.
Vem novembro, vem dezembro,
e o Natal está para mim!...
...Esses são todos os meses,
dão um ano inteirinho.
Se até doze eu contar,
uma dúzia dá certinho!...

Pedro Bandeira. Mais respeito, eu sou criança! São Paulo: Moderna,1994.

136
Solicite que cada estudante faça a primeira leitura silenciosamente,
logo após, peça para lerem em voz alta, você poderá pedir para as
meninas lerem a primeira estrofe e os meninos a segunda ou alternar,
cada criança poderá ler um verso, dentre outras opções. A partir desse
texto, faça alguns questionamentos, como:
-Quais são os meses do ano?
-Quantos meses têm o ano?
- O que significa as palavras sublinhadas no texto?
- Em que mês vocês fazem aniversário?
- Será que na sala há algum colega que faz aniversário no mesmo
mês? O que pode ser feito para saber?

[Comunicar]
Professor(a), você poderá registrar os meses do ano na lousa e pedir
para cada aluno falar, em voz alta, qual o mês em que nasceu. Anote
na lousa, na frente de cada mês, os nomes dos aniversariantes.
Concluído o levantamento calcule a quantidade de aniversariantes em
cada mês, de acordo com o total de alunos e diga para observarem as
anotações e registrarem em uma tabela, como no exemplo a seguir.

Em seguida, proponha a construção coletiva de um gráfico de colunas.

Após a construção, explore o gráfico a partir de novos


questionamentos:
-Quantos alunos fazem aniversário no mesmo mês em que você?
-Em qual mês há mais aniversariantes?
-Quantos?
-Em qual mês há menos aniversariantes?
-Quantos?

Ao final, peça que os estudantes produzam um texto sintetizando o que


foi discutido no texto e a pesquisa realizada e representada por meio
de tabela e gráfico.

[(Re) formular]
Professor(a) acompanhe a realização da interpretação e organização
dos dados da tabela, verificando se os estudantes entenderam como se

137
constrói um gráfico de colunas e qual o significado da investigação
proposta.

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a) providencie diferentes tipos de calendário para esta aula.

ATIVIDADE 36: Que horas são? (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática e Língua Portuguesa – 5º ano

Atividade Que horas são?

Habilidades - Desenvolver habilidades de leitura e de escrita;


- Compreender as características do gênero em estudo (música), bem
como as principais ideias;
- Reconhecer diferentes instrumentos para medir o tempo;
- Identificar hora e meia hora;
- Identificar horas exatas no relógio digital e analógico;

Como fazer? Professor(a), inicie sua aula propondo aos alunos que ouçam a música
ou assistam ao vídeo: “Dança das caveiras”, disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=TObmRcLtJ8Y. Aproveite este
momento para brincar com os movimentos que a música cita. Imitando
as caveiras, eles vão fixando conceitos como a noção de horas.

Em seguida, faça a interpretação oral da música, Pergunte aos alunos


o que eles observaram na música. Os alunos deverão possivelmente
responder que fala do tempo e do relógio. Após os comentários dos
alunos aproveite para fazer uma explanação sobre o relógio no nosso
dia a dia. É importante que os alunos percebam que o relógio é um
instrumento usado para medir o tempo. O relógio indica as horas e
minutos. Nos relógios de ponteiros, o ponteiro pequeno marca as
horas, o ponteiro grande marca os minutos.

Professor(a), você pode usar a letra da música para “A dança das


caveiras” e explorar os relógios marcando o ponteiro no horário que o
verso da música indica.

138
Avaliação Ao final, reúna a turma para fazer um fechamento das atividades.
Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação

139
ATIVIDADE 37: Construindo um relógio analógico

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Construindo um relógio analógico

Habilidades - Ler horas e minutos em relógio analógico e digital;


- Ler calendário relacionando dia do mês com o dia da semana;

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), que tal propor a construção de um relógio analógico para
os estudantes? Exibe o vídeo “Como fazer um relógio para aprender a
ler as horas”, disponível em: http://pt.hellokids.com/c_23319/artes-
manuais-para-criancas/videos-de-como-fazer/videos-de-como-fazer-
tema-volta-as-aulas/como-fazer-um-relogio-para-aprender-a-ler-as-
horas

Após a construção do relógio com os alunos, questione-os sobre a o


ponteiro pequeno e grande. Para que servem? Como podemos saber
os minutos, se só tem o número de 1 a 12?
Em seguida peça que os estudantes, em duplas, representem uma
determinada hora de sua escolha para que o colega descubra.

[Comunicar]
Professor(a), ouça as colocações e argumentos dos estudantes.
Questione-os de modo a instigá-los a refletir sobre a leitura dos
ponteiros das horas e dos minutos e a compartilhar suas ideias.

[(Re) formular]
Mostre aos estudantes que o relógio marca as horas e que ele serve
para medir o tempo. É importante não só que o estudante saiba fazer a
leitura de horas, mas que aprenda a construir relógios, usando a sua
criatividade. Professor(a), procure ampliar essa construção para o
relógio analógico fazendo a analogia com o exemplos.

Avaliação O professor deverá observar a participação de cada aluno nos


aspectos de colaboração, registro e acerto na marcação da hora.
Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a
acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação O molde para o relógio digital pode ser acessado em:


https://drive.google.com/file/d/16-
3kqoa7iwmbg7ES2jkd4Lhm6oASji3W/view?usp=sharing

140
ATIVIDADE 38: Divisão por agrupamentos

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Divisão por agrupamentos

Habilidades - Associar a divisão aos seus significados;


- Realizar cálculos utilizando estratégias como o uso de desenhos,
símbolos, contagem, estimativa, decomposição, composição e
arredondamento de números (multiplicação e divisão).

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), utilize uma malha de pontos, disponível em
http://4.bp.blogspot.com/_v76FQgGAu3A/S_2ylncy4MI/AAAAAAAABe4
/qBFywuR0fnM/s320/pontos+e+quadrados.png, para solicitar que os
alunos façam agrupamentos e registrem em forma de divisão.

Considerando cada ponto da malha como sendo um elemento, forme


grupos conforme solicitado, registre em forma de divisão e dê o
quociente e o resto.

- Formar grupos de 4;
- Formar grupos de 5;
- Formar grupos de 3;
- Formar grupo de 2;

[Comunicar]

Exemplo de respostas esperadas:

Grupo de 4: 20 ÷ 4 → quociente = 5; resto = 0

141
Grupo de 5: 16 ÷ 5 → quociente = 3; resto = 1

Grupo de 3:16 ÷3 → quociente = 5; resto = 1

[(Re) formular]
Professor (a) acompanhe a socialização das respotas dadas pelos
estudantes para verificar se os estudantes entenderam como formar
agrupamentos

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação Professor(a), caso tenha disponível um laboratório de informática ou


laptops, pode propor a utilização do recurso digital “Tabuada do Dino”,
disponível em:
http://www.escolagames.com.br/jogos/tabuadaDino/

142
ATIVIDADE 39: Dividindo grupos

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Dividindo grupos

Habilidades - Associar a divisão aos seus significados;


- Realizar cálculos utilizando estratégias como o uso de desenhos,
símbolos, contagem, estimativa, decomposição, composição e
arredondamento de números (multiplicação e divisão).

Como fazer? [Analisar]


Professor(a), faça, juntamente com os estudantes, a contagem de
quantos alunos estão presentes na aula. Se a quantidade der um
número primo como, por exemplo, o número 29, ou um número que
possui poucos divisores, se inclua nesta contagem ou retire algum
aluno para ficar responsável pelo registro no quadro dos dados obtidos
durante a atividade.
Construa o quadro abaixo na lousa (figura 1) e peça que os estudantes
também façam o registro no caderno. Deve-se ter o cuidado de se
colocar a quantidade de linhas conforme a quantidade de divisores que
o número referente à quantidade de alunos tem e a quantidade de
exemplos de divisões não exatas que você pretende dar.

Número total de Número de Quantidade de Alunos que


alunos na sala alunos por grupos sobraram
grupo (ficaram fora
dos grupos)

143
Observação: Ao pensar em uma sala com 30 alunos presentes, por
exemplo, e considerando todos os divisores desse número (1, 2, 3, 5,
6, 10, 15 e 30) e pelo menos mais dois valores para que a divisão não
fique exata, por exemplo, 4 e 8, pode-se construir um quadro com o
título e mais 10 linhas.

Depois que todos copiarem, arrume a sala colocando as carteiras em


semicírculo de modo que você obtenha um espaço no centro da sala
para realizar a atividade. Peça que os alunos fiquem em pé no centro
da sala e sigam os comandos que você dará. Solicite, então, que eles
formem grupos que tenha apenas 1 aluno por grupo e, em seguida
questione:
- Qual o total de alunos da sala?
- Quantos alunos têm em cada grupo?
- Quantos grupos foram formados?
- Quantos alunos ficaram fora dos grupos?
Conforme os alunos forem respondendo, vá registrando as respostas
no quadro, conforme exemplo ilustrado a seguir.

Número total de Número de Quantidade de Alunos que


alunos na sala alunos por grupos sobraram
grupo (ficaram fora
dos grupos)
30 1 30 0

Repita os comandos alterando o número de alunos por grupo. Após


cada formação de grupos faça os mesmos questionamentos, até
preencher toda a tabela, conforme exemplo a seguir.

Número total de Número de Quantidade de Alunos que


alunos na sala alunos por grupos sobraram
grupo (ficaram fora
dos grupos)
30 1 30 0
30 2 15 0
30 3 10 0
30 4 7 2
30 5 6 0
30 6 5 0
30 8 3 6
30 10 3 0
30 15 2 0
30 30 1 0

Solicite que os alunos voltem para os seus lugares e copiem a tabela


do quadro. Após copiarem solicite que comecem a analisar a tabela.
Em cada linha da tabela temos uma divisão, pois dividir é repartir,
separar, distribuir ou agrupar.

144
[Comunicar]
Professor(a), fique atento(a), pois na primeira linha separamos os
alunos da sala em grupos de 1 aluno, portanto, realizamos a seguinte
divisão: trinta dividido por um, o resultado é 30 e não sobraram alunos
de fora, portanto, dizemos que o resto é zero. Podemos indicar a
operação assim: 30 ÷ 1 = 30 ou 30 : 1 = 30. E como neste caso não
sobraram alunos, indicaremos: r = 0 (resto igual à zero).
Solicite que os alunos escrevam uma divisão para cada linha da tabela
e indiquem o resto.

Resposta esperada:
30 ÷ 1 = 30; r = 0
30 ÷ 2 = 15; r = 0
30 ÷ 3 = 10; r = 0
30 ÷ 4 = 7; r = 2
30 ÷ 5 = 6; r = 0
30 ÷ 6 = 5; r = 0
30 ÷ 8 = 3; r = 6
30 ÷ 10 = 3; r = 0
30 ÷ 15 = 2; r = 0
30 ÷ 30 = 1; r = 0

[(Re) formular]
Professor(a), no momento que os estudantes socializarem suas
respostas e representações, aproveite para dizer aos alunos que a
quantidade que está sendo dividida, no caso a quantidade de alunos
30, recebe o nome de dividendo. O número de partes, no caso a
quantidade de alunos por grupo, recebe o nome de divisor. O resultado
da divisão, no caso a quantidade de grupos formados, recebe o nome
de quociente. A quantidade de alunos que sobram recebe o nome de
resto. Assim, temos:

Aproveite, ainda para questionar: se fosse solicitado formar grupos de


zero aluno, quantos grupos seriam formados? É possível realizar esta
divisão? Portanto, podemos afirmar que em uma divisão o divisor não
pode ser zero.

Avaliação Observe os avanços e as dificuldades dos alunos de modo a


acompanhar o desenvolvimento de suas aprendizagens.

Observação

145
ATIVIDADE 40: Arremessando e contando (JOGOS E BRINCADEIRAS MATEMÁTICAS)

Componente Curricular Matemática – 5º ano

Atividade Arremessando e contando

Habilidades

Como fazer? Professor(a), leve os seus alunos para a quadra de esportes da sua
escola. Divida os alunos em três equipes mistas, por exemplo: 3
equipes com 10 alunos cada, onde exista a presença de meninos e
meninas em todas as equipes.
Peça-os para determinarem nomes para as suas equipes.

Duas equipes estarão participando do jogo de arremesso e, a terceira


equipe deverá realizar a contagem. As equipes estarão jogando entre
si, porém, cada equipe deverá ocupar uma metade da quadra e
deverão arremessar no gol do adversário e na linha de fundo do campo
do adversário, sem invadir a outra metade da quadra, ou seja, cada
equipe só poderá ocupar a sua metade da quadra e, arremessar para o
lado oposto da sua metade. Os alunos realizarão os arremessos do
centro da quadra e terão que defender os arremessos da outra equipe,
que estará executando a mesma ação do outro lado da quadra.

MULTIPLICAÇÃO - Proponha o seguinte: o objetivo é tentar fazer gol


na equipe adversária e, cada gol vale 2 pontos. A cada gol que a
equipe fizer deve-se multiplicar, por exemplo, por 2 pontos. Quando
uma equipe tiver feito 2 gols = 4 pontos, pois cada gol vale 2 pontos (
multiplicação).Simples, não é?!

DIVISÃO - Sim, mas há o momento da divisão, ou seja, digamos que a


equipe tenha feito 12 pontos até um determinado momento do jogo,
mas teve alguns arremessos da equipe do outro lado que passaram
pela linha de fundo do seu campo. Estes deverão ser divididos pelo
total de pontos da sua equipe, por exemplo: minha equipe fez 12
pontos, ou três gols na outra equipe, mas passaram 2 bolas na linha de
fundo da minha equipe, assim sendo: 12 pontos(3 gols x 2 pontos)
/2(bolas que passaram na linha e fundo da equipe = 6 pontos). Ou seja,
cada bola que passar pela linha de fundo vale 1 ponto.(12/2= 6 pontos).

PONTUAÇÃO: Fez o GOL faz 2 pontos, mas se alguma bola passar


pela sua linha de fundo divide-se pelo total de bolas que passou na
linha de fundo.
EXEMPLO: A Equipe "A" fez 4 gols até um momento do jogo, cada gol,
vale 2 pontos:4 x 2=8 pontos. Porém, passaram 2 bolas pela sua linha
de fundo, cada bola que passa na linha de fundo vale 1 ponto,
passaram 2: 8/2= 4 pontos. Até esse momento a equipe "A" tem 4
pontos.

146
Avaliação Após esses jogos com muita dinâmica e muitas contas e raciocínio,
reúna os alunos no centro e medie um debate com eles sobre as
atividades desenvolvidas na aula; sobre a integração dos jogos com a
matemática; sobre a possibilidade e a valorização de aprender outros
conteúdos em outras disciplinas.

Observação Algumas dicas:


- Inicie o jogo com uma bola para cada equipe e, após o jogo ganhar
dinâmica, os alunos internalizarem as regras vá acrescentando bolas.
Sugiro que no máximo tenha 6 bolas na quadra durante o jogo para
que não se perca a contagem e, as operações matemáticas possam
ser mais fidedignas.
- Utilize bolas de borracha, de iniciação desportiva, para que os alunos
possam realizar esses arremessos longo com segurança.

147
REFERÊNCIAS

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Base Curricular Comum.


Brasília: MEC, 2017.

CARRAHER, T. N.; CARRAHER, D.; SCHLIEMANN, A. Na vida dez, na escola zero. 16a ed. São
Paulo: Cortez, 2011.

CASTRO, J. B.; CASTRO-FILHO, J. A. Desenvolvimento do pensamento estatístico com suporte


computacional. Educação Matemática Pesquisa. São Paulo, v.17, n.5, pp. 870 – 896, 2015.

DUVAL, R. Ver e ensinar a matemática de outra forma: entrar no modo matemático de pensar: os
registros de representações semióticas. 1. Ed. São Paulo: PROEM, 2011.

SMOLE, K. S.; DINIZ, M. I. (Org.). Materiais manipulativos do sistema de numeração decimal.


Porto Alegre: Penso, 2016. (Coleção Mathemoteca; v. 1).

148
SUGESTÃO DE MATERIAL DE ESTUDO

SANTANA, E. R. S.; CORREIA, D. Ensinando adição e subtração: experiências de


professores de 4º ano. Itabuna, BA : Via Litterarum, 2011.
Disponível em:
https://drive.google.com/file/d/1M7ccsGuxCLZjyfwA9Z-TRXtbvHVmz-6c/view?usp=sharing

SANTANA, E. R. S.; CORREIA, D. Ensinando adição e subtração: experiências de


professores de 5º ano. Itabuna, BA : Via Litterarum, 2011.
Disponível em:
https://drive.google.com/file/d/1cDfwuIzpZiIDVKBqnwnfXrOMpQzz7dCY/view?usp=sharing

OUTRAS LEITURAS

Prova Brasil de Matemática - 5º ano: números e operações.


Disponível em:
https://novaescola.org.br/conteudo/322/prova-brasil-de-matematica-5-ano-numeros-e-operacoes

Álgebra nos anos iniciais.


Disponível em:
https://novaescola.org.br/conteudo/10050/algebra-nos-anos-iniciais

Jogos Matemática 4° ano.


Disponível em:
https://novaescola.org.br/guias/1427/jogos/1436/matematica-4-ano

Use peças no lugar de números.


Disponível em:
http://www.magiadamatematica.com/uss/pedagogia/34-material-dourado-nova-escola.pdf

149
AVALIAÇÃO DO CADERNO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS – 2018

( ) 4º ANO ( ) 5º ANO

De acordo com a escala crescente de 1 a 5, marque um (x) no valor que melhor expressa sua
avaliação, sendo: 1 (Não atende), 2 (Insuficiente), 3 (Suficiente), 4 (Muito bom) e 5 (Excelente).

MARQUE UMA OPÇÃO


1 4
2 3 5
Não Muito
Insuficiente Suficiente Excelente
atende bom
Quanto à Rotina:
A proposta das rotinas é exequível?
A organização dos tempos é adequada à turma?
A rotina garante a qualidade do tempo pedagógico?
A rotina sugerida oportuniza e consolida as
habilidades referentes a área da Matemática?
Quanto às Atividades Dirigidas:
As atividades são condizentes com a experiência
vivida pelos alunos?
Os enunciados são de fácil interpretação?
As atividades colocam o aluno como protagonista
do processo de aprendizagem na Matemática?
As atividades e os jogos contemplam tanto o
desenvolvimento individual, quanto o
desenvolvimento coletivo?
Há atividades que contemplam as habilidades dos
eixos da Proposta Curricular de Matemática?
As atividades possibilitam um olhar multidisciplinar?
Quanto às Orientações Metodológicas do
Professor:
O conteúdo está de acordo com a Proposta
Curricular de Matemática?
As orientações metodológicas trazem propostas
interessantes de abordagem do conteúdo?
O referencial teórico sugerido é compatível com a
demanda de professores da série?
A metodologia utilizada para a apresentação do
conteúdo desperta o interesse do aluno?
A metodologia utilizada para a apresentação das
atividades é adequada para a faixa etária?

150
Este espaço é para você se manifestar com sugestões, críticas, elogios, etc.
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________

Obrigado pela parceria!

151