Você está na página 1de 1

O Extraordinário Jesus – II

"Vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou Seu Filho ... para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos." Gál. 4:4 e 5.

 Pesquisa: Com qual personagem da história você gostaria de passar um dia? (Napoleão; Julio Cesar; Madre Teresa;
Gandhi; Maomé; Buda; Cristóvão Colombo; Abraham Linconl, Etc) – Jesus
 Jesus é provavelmente o personagem mais extraordinário da história.
Quando ele nasceu houve luz à meia noite, quando ele morreu houve trevas ao meio dia;
Nunca escreveu um livro, mas as bibliotecas possuem milhares de volumes sobre ele;
Nunca compôs uma música, entretanto, as mais belas melodias existentes são inspiradas em sua vida e ensinos
Nunca se candidatou a carreia militar, mas seu exército de seguidores é assombrosamente grande
Nunca estudou medicina ou cardiologia na universidade, mas é o maior especialista em corações partidos

A vinda do Salvador foi predita no Éden. Quando Adão e Eva ouviram pela primeira vez a promessa, aguardavam-lhe o
pronto cumprimento. Saudaram alegremente seu primogênito, na esperança de que fosse o Libertador. Mas o
cumprimento da promessa demorava. Aqueles que primeiro a receberam, morreram sem o ver. Desde os dias de Enoque,
a promessa foi repetida por meio de patriarcas e profetas, mantendo viva a esperança de Seu aparecimento, e todavia Ele
não vinha. A profecia de Daniel revelou o tempo de Seu advento, mas nem todos interpretavam corretamente a
mensagem. Século após século se passou; cessaram as vozes dos profetas. A mão do opressor era pesada sobre Israel, e
muitos estavam dispostos a exclamar: "Prolongar-se-ão os dias, e perecerá toda a visão." Ezeq. 12:22. [DTN, p.18]

 Ele veio para confortar os que estavam perturbados, mas veio para perturbar os que estavam confortáveis
 A decadência espiritual no tempo da 1ª Vinda (“Veio para os que eram seus...”
“A história de Belém é inexaurível. Nela se acham ocultas as "profundidades das riquezas, tanto da sabedoria
como da ciência de Deus". Rom. 11:33. Maravilhamo-nos do sacrifício do Salvador em permutar o trono do Céu
pela manjedoura, e a companhia dos anjos que O adoravam pela dos animais da estrebaria. O orgulho e presunção
humanos ficam repreendidos em Sua presença. Todavia, esse passo não era senão o princípio de Sua maravilhosa
condescendência. Teria sido uma quase infinita humilhação para o Filho de Deus, revestir-Se da natureza humana
mesmo quando Adão permanecia em seu estado de inocência, no Éden. Mas Jesus aceitou a humanidade quando
a raça havia sido enfraquecida por quatro mil anos de pecado. Como qualquer filho de Adão, aceitou os
resultados da operação da grande lei da hereditariedade. O que estes resultados foram, manifesta-se na história de
Seus ancestrais terrestres. Veio com essa hereditariedade para partilhar de nossas dores e tentações, e dar-nos o
exemplo de uma vida impecável”. [DTN, p.25]

Por Sua humanidade, Cristo estava em contato com a humanidade; por Sua divindade, firma-Se no trono de Deus. Como
Filho do homem, deu-nos um exemplo de obediência; como Filho de Deus, dá-nos poder para obedecer. Foi Cristo que,
do monte Horebe, falou a Moisés, dizendo: "EU SOU O QUE SOU.... Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me
enviou a vós." Êxo. 3:14. Foi esse o penhor da libertação de Israel. Assim, quando Ele veio "semelhante aos homens",
declarou ser o EU SOU. O Infante de Belém, o manso e humilde Salvador, é Deus manifestado "em carne". I Tim. 3:16.
A nós nos diz: "EU SOU o Bom Pastor." João 10:11. "EU SOU o Pão Vivo." João 6:51. "EU SOU o Caminho, a Verdade
e a Vida." João 14:6. "É-Me dado todo o poder no Céu e na Terra." Mat. 28:18. EU SOU a certeza da promessa. SOU EU,
não temais. "Deus conosco" é a certeza de nossa libertação do pecado, a segurança de nosso poder para obedecer à lei do
Céu. [DTN, p.13]

- O médico cristão e o paciente agnóstico: Você acreditaria hoje um bebê nascido de uma virgem é o filho de Deus? -
Sim, sob certas condições. 1) Se o seu nascimento fosse previsto centenas de anos antes pelos escritos de profetas
consagrados. 2) Se o seu nascimento se desse exatamente no tempo e no lugar revelado pelos profetas. 3) Se ao nascer, a
estrela da promessa iluminasse a terra anunciando o seu nascimento e os anjos magníficos em poder entoassem louvores
celestiais em honra ao seu nome. 4) Se em sua infância ele mostrasse sabedoria e discernimento sem igual, de forma a
envergonhar os mais sábios doutores da lei. 5) Se a sua vida e ensino exercesse uma atração tão poderosa que o mais
empedernido dos homens sentisse o seu coração arder ante a sua presença. 5) Se depois de morto, ressuscitasse ao terceiro
dia e estabelecesse a maior comunidade fraterna do mundo e a sua mensagem transformasse o mais torpe pecador em uma
vida nobre e digna para a sociedade. - Um bebê assim poderia ter nascido de uma virgem e poderia ser o filho de Deus.

 Noite de Celebrar Louvores ao seu nome.


Quem dera que a família humana pudesse hoje reconhecer este cântico! A declaração então feita, a nota vibrada então,
avolumar-se-á até ao fim do tempo, e ressoará até aos extremos da Terra. Quando se erguer o Sol da Justiça, trazendo
salvação sob Suas asas, esse cântico há de ecoar pela voz de uma grande multidão, como a voz de muitas águas, dizendo:
"Aleluia, pois já o Senhor Deus todo-poderoso reina." Apoc. 19:6. [DTN, p.25]

“Por que um menino vos nasceu, um filho se nos deu, e o seu nome será maravilhoso, conselheiro, Deus forte, Pai da
eternidade, príncipe da Paz” Isaías 9:6