Você está na página 1de 21

Aula 122

Ultra segmentação

Bem-vindo a nossa aula de número 122 aqui pelo Novo Mercado. Eu me


chamo Ícaro de Carvalho. Se você está assistindo esta aula través de uma
gravação, não importa o dia, o horário ou data estelar. O nosso tema de hoje é
ultra segmentação. Ou nas palavras desse Carequinha gente boa, desse fera,
desse gigante do marketing digital e da comunicação web, que mais parece uma
tortuguita: Seth Godin – Porque você deveria ser uma vaca roxa.

Antes que as dúvidas apareçam, o que significa isso? Esse conceito de


segmentação ele é anterior ao pensamento do Seth Godin, mas ele consegue
ser materializado, condensado de uma maneira muito simples através de um
livro que é um dos livros mais famosos, também um dos mais antigos do Seth,
chamado Purple Cow, A Vaca Roxa, onde ele diz logo nas suas páginas de
abertura: "que você marqueteiro, que você comunicador, ou que você é
empresário, se você é responsável pela sua comunicação e hoje em dia eu digo
que todo mundo deveria se preocupar um pouquinho com comunicação, caso
contrário alguém vai fazer isso para você. E aí vem a grande questão. Se não
sabe o mínimo sobre comunicação você não consegue distinguir cuidando da
sua comunicação está fazendo um bom trabalho ou não.

Então, vamos lá. Até mesmo para as pessoas que não queiram. "Ah, Ícaro eu
tenho muitos empregados, eu tenho um time de marketing que faz propaganda
para mim, tem uma agência que eu pago e cuida da minha comunicação, não
tenho tempo para isso". Tudo bem, é justo. O empresário, CEO, ele não tem
tempo muitas vezes de cuidar da comunicação, mas se você não encontrar uma
pessoa que realmente queira fazer isso para sua empresa com muito cuidado,
com muito zelo, com muita estima, você vai acabar pagando para uma agência
fazer "qualquer coisa para você". Quando você não tem conhecimento
específico sobre a causa muitas vezes você não consegue abrir o teu relatório -
- eles mandam relatórios -- e saber se estão fazendo um bom trabalho ou não.

Por exemplo, imagine que você pague para alguém fazer a AdWords para você,
comprando rede de pesquisa lá no Google para que as pessoas caiam no seu
site. Você consegue saber quanto está custando cada crítica, quanto está
convertendo, você sabe exatamente esses números estão bons ou ruins? Você
tem plena confiança de que o rapazinho lá da agência quando ele diz: "Não,
esses números estão bons!" Você sabe realmente se eles estão bons? Ou por
exemplo se você assistir 10 minutinhos de aula de AdWords em algum lugar aí -
- tem em um milhão de lugares na internet -- você vai perceber que tão
importante quanto as palavras positivas, as palavras da segmentação... Por
exemplo você dá um curso para médicos: Curso de finanças para
médicos, profissionais de saúde, autônomos. Você tem certeza que essas
palavras vão te ajudar a criar uma segmentação. Agora, se você não sabe a
importância das palavras negativas, que são aquelas palavras que você não quer
que sejam procuradas ou aqueles que procurem não querem, ou não vão exibir
na sua rede de pesquisa; se você não sabe o que é uma palavra negativa você
não vai conseguir perguntar para tua agência: "Mas, cara, me diz uma coisa,
coisas estão as palavras negativas desse anúncio? Vocês estão segmentando,
mesmo? Por que, assim, que o meu curso não é grátis, vocês colocaram grátis
como palavra negativa?" Por quê? Porque se alguém está procurando algum
grátis no Google você não quer que imprima anúncio para essa pessoa, você
quer vender algo para essa pessoa.

Ou por exemplo uma mãe que está procurando um médico para o seu filho. Você
negativou mãe, negativou filho, negativo pediatra? Você não quer simplesmente
descobrir que existem 150 mil mães que todos os dias procuram um Pediatra
para os seus filhos na cidade de São Paulo, e você não quer imprimir um curso
de finanças para médicos para essas mulheres. Você não quer, por exemplo,
que uma pessoa que esteja procurando sintomas de uma doença caia no seu
anúncio. Você negativou gripe, virose, suspeita; você negativou adolescente.
Então, um exemplo: "Ah, eu nem sabia que dava para negativar". Pois é, meu
amigo. Aí você descobre depois de um tempo que o teu cara, que o teu menino
do Marketing, não negativava quase nada. Ou que não negativa nada, ou que
até negativava, mas poderia fazer um trabalho muito melhor negativando. E aí
vem a pergunta: Ele usa dispaly? Ele está para Mobile? Ele está fazendo
também o remarketing através de um vídeo que cai no YouTube? Se você não
sabe nada disso fica muito cobrar. Meu pai costumava dizer: quem paga manda
mais quem paga tem obrigação de saber.

É importante mesmo que você não pense necessariamente em trabalhar a


comunicação da sua empresa, é importante que você saiba um pouquinho do
que é possível se fazer nesse número, desse universo que é o marketing digital.
Para que você possa exigir mais dos seus contratados, mais dos seus
funcionários.

Então, o Seth Godin diz que a sua comunicação em alguns momentos deve
acontecer como a vaca roxa. O que significa uma vaca roxa? Imagine que você
esteja dirigindo seu carro e de repente você está passando por um lugar de
campo aberto. Aqui no Brasil a gente tem bastante na região Nordeste, em São
Paulo, Mato Grosso, aqueles pastos com muitas e muitas vacas. Imagine que
você está passando por vacas e centenas de vacas e de repente você se depara
com uma roxa. O que vai acontecer? Naturalmente você vai parar o carro para
olhar para ela. Não quer dizer que, necessariamente, essa vaca seja muito
diferente das demais, a não ser pela questão óbvia da sua cor. Ela pode comer
como a vaca, andar com a vaca, dar leite como uma vaca, parir como a vaca,
até o bezerrinho comunzinho preto e branco. Mas o fato dessa vaca ser roxa já
é o suficiente para chamar atenção das pessoas. E como eu sempre digo:
marketing trabalha com atenção, com gatilhos com ganchos, com loops. Você
chama atenção da pessoa ou visualmente, ou pelo discurso, pelas palavras ou
pela proposta diferente. Você usa os gatilhos para que essas pessoas se
aproximem de você. "Ah, Ícaro, o que são gatilhos?" Temos muitas aulas sobre
gatilhos aqui. E aí nós usamos loops e ganchos textualmente ou em vídeo, que
são momentos de suspensão – tem aula de looping e de gancho aqui também –
para que a pessoa continue consumindo seu conteúdo, para que a pessoa
continue te conhecendo. Quem te conhece tem muito chances de comprar do
que quem não te conhece.

Como é que a traduz isso? Bom, aí vem o livro do Seth Godin. Os livros do Seth
Godin trazem insights muito bons, mas na minha opinião, pode ser que você
tenha uma opinião diferente, pode ser que você diga: "Não, Ícaro, eu curto para
caralho!" Eu também curto para caralho, mas parece que o Seth tem um
pouquinho de dificuldade de concretizar os seus insights no dia a dia do
Empreendedor, na vida real. Como ele é 100% marketing, ele é um cara mais
acostumado com ferramental, com algum dia a dia, com vendas, com fazer
pressão de venda, ver conversão. Como ele é um cara só das ideias, como ele
é um cara só da comunicação, às vezes eu sinto um pouquinho de dificuldade,
eu sinto a dificuldade que ele tem de pegar esse conceito e transportar para a
vida real do empresário, do empreendedor, do comunicador. Então é isso que
eu quero fazer para vocês!

Quando o Seth diz que você tem de se comunicar como uma vaca roxa. Como
uma vaca? Vem o primeiro ponto. Boa parte das pessoas acreditam que elas já
se comunicam de maneira diferente, elas acham que a diferença está no tom de
voz, está num post um pouquinho diferente, muita gente por aí até acaba
pintando o cabelo, raspando a barba de um jeito esquisito, ou gravando de
cabeça para baixo, ou fazendo muita piada. Eu sempre digo o seguinte: existe
uma regra pessoal aqui minha do Ícaro, em relação ao humor. O humor é
importante, o humor é interessante, o humor é legalzinho, mas humor demais
tira credibilidade. Você quer ser visto como uma pessoa que oferece soluções e
não como palhaço, não como um showman, não como um piadista. Então, humor
é interessante? É. Dosado, calibrado, inteligente. Agora humor demais vicia,
você tem ficar cada vez mais engraçado, cada vez mais descontraído, cada vez
mais animado e que acaba acontecendo é: existe uma linha muito tênue entre o
cara criativo e o cara descreditado. "Esse cara é muito engraçado, gosto muito
de ver os stories dele, mas não seis e compraria algo para minha empresa. Ele
é um brincalhão!" Então não queira ser o brincalhão, porque quando as pessoas
dinheiro, dinheiro é coisa séria, dinheiro é coisa que custa para ser conquistado,
e ninguém quer gastar dinheiro com um brincalhão quando os resultados devem
ser sérios. Então se não quiser ficar restrito à venda de produtos e serviços de
ticket médio/baixo, que é quando o cara compra sem nenhuma pretensão de
mexer no orçamento dele, não seja um brincalhão o tempo todo.

Então vamos lá. Vamos começar essa aula. Muitos avisos, muito balizamento,
vamos deixar todo mundo no mesmo nivelzinho, legal, bonitinho.

Para quem é essa aula?

1) Para quem vende produto digitais e serviços.

2) Produtos físicos se aproveitam um pouco menos dessa condição. Eu


explico daqui a pouco.

Produtos físicos tendem a ter a sua própria dinâmica de vendas. Você já tem o
seu cliente. Produtos físicos na minha interpretação tendem mais a se aproveitar
de recursos como promoção, impressão correta para aquele público alvo, com
senso de utilidade. Então produtos físicos também se aproveitam disso. Se você
tem um produto físico, você vai poder me dizer se essa aula serviu ou não para
você. Mas tendem a se aproveitar um pouco menos.

3) Para quem já possui um infoproduto ou serviço rodando. Quem já está


com esse produto rodando no mercado.

E é principalmente para essa pessoa aqui do ponto 3. Porque eu quero utilizar


isso para você. Eu quero que você pense como você pode aplicar essa aula no
que você já tem rodando, para que você muito mais resultados, para que você
possa me dizer: "Cara, funcionou, fez sentido." Vai dar um pouquinho de
trabalho? Vai, você vai ter de gerar uma outra versão desse produto, você vai ter
que gerar outra versão de comunicação, mas pode ser que você tenha muito
mais vendas do que você esteja tendo atualmente.

Quais são as vantagens da aula de hoje?

1) Criar nova leva de clientes;


2) Vender para quem você nunca imaginaria;
3) Testar novas formas de posicionamento;
4) Atingir novo público;

Depois me diga se vocês gostam desse tipo de coisa antes da aula. Quando é
gravado é mais fácil, porque aí fica tudo bonitinho, você nem precisa assistir a
aula inteira, você já olha aqui vê se faz sentido para você ou vai para a próxima.

E quais são as desvantagens?

1) Dá trabalho;
2) Demanda tempo;
3) Exige reformulações;

Não é uma técnica que não vai te dar nenhum trabalho. Vai te dar um trabalhinho,
sim. Você vai precisar pensar um pouco, vai precisar quebrar tua cabeça, mas
olha a lista de vantagens ali. Eu acredito, apesar de que parece que só tem um
número a mais de vantagem. Cara, no meu entendimento tem muito mais
vantagem qualitativamente falando. Então vale a pena pensar em aplicar isso no
teu negócio.

Qual é o conceito de Purple Cow aplicado aqui a nossa realidade? De


infoprodutor, de prestador de serviço, de autônomo, pessoas que vendem
conhecimento pela internet. Deixa eu trazer um exemplo real para vocês. Vou
pegar dois exemplos de alunos que estão aqui conosco no Novo Mercado. Quero
pegar até três exemplos, então. Vou pegar o exemplo de um aluno antigo, que
está lá desde o começo do Novo Mercado com a gente, e uma aluna nova que
chegou aqui com a gente, e de uma pessoa que trabalha comigo nos meus
produtos, nos meus projetos, nos meus lançamentos: Felipe Pavani.

Vamos pegar aqui o exemplo 1:

1) Papi.

O Papi é nosso aluno e e dá aula de Finanças, dá aula de investimentos. Presta


consultorias, dá treinamentos, vende produtos. Ele fala sobre investimentos,
bolsa de valores, enfim, fala sobre dinheiro.
Nós temos o 2:

2) Nívia.

A Nívia cuida de Saúde, emagrecimento, perda de peso.

E nós estamos aqui o Felipe Pavani:

3) Pavani.

(Vou colocar só o sobrenome para ficar melhor para vocês lembrarem.)

Quem é o Felipe Pavani? Para quem não sabe o Pavani é o designer


responsável aqui, é o meu braço direito, cara de confiança. É o meu segundo
braço direito. Eu tenho dois braços direitos. Primeiro deles o véio de guerra
Eduardo Costa. O Eduardo não é muito professor. O Eduardo é o cara que diz:
"Ah, eu quero atender gente, eu quero prestar serviço". Eduardo é o cara das
ferramentas, dos números e cálculos. Então deixa ele no canto dele que está
bom demais.

Pavani veio conversar comigo na virada do ano, falou que está pensando em
criar um serviço, mandar para o pessoal, qualificar as pessoas, atender algumas
demandas de mercado. Eu vou usar essa aula para servir de exemplo para ele
também. Então, vamos lá.

Papi, Nívia, Pavani. Três pessoas diferentes um trabalha com dinheiro finanças
e investimentos, o outro trabalha um design, desenvolvimento estético, e a
terceira, a Nívia, trabalha com a perda de peso. Aonde todas essas pessoas se
colocam dentro da estrutura de atenção da internet? O que significa estrutura de
atenção? A estrutura de atenção da internet ela funciona mais ou menos como
um funil, onde você vai, do mais genérico ao mais específico.

O que é o mais genérico? Vamos pegar aqui o exemplo do Papi. E aí você agora
se imagine aqui. Imagine que você é o nosso quarto elemento
Quando eu estou falando sobre Papi, quando estou falando sobre a Nívia falando
sobre o Pavani, imagine que você está aqui no seu exemplo.

O que é mais genérico? Genérico é quando nós falamos, oferecemos,


comunicamos algum produto ou serviço para um público amplo. Para todo
mundo que tenha interesse no termo. Imagina que o caso do Papi, finanças e
investimentos, o que é estar aqui? Se comunicando dentro de uma porção
genérica da comunicação? Quando o Papi fala para as pessoas: "Cara, você
quer investir melhor? Você quer lidar melhor com o seu dinheiro? Você quer
aprender a investir na Bolsa de Valores? Você quer saber que ação comprar?
Você quer em 2019 lidar melhor com seu dinheiro?" O que o Papi está fazendo?
Está trabalhando aqui, está trabalhando no genérico, está falando aqui com
qualquer pessoa que procure saber sobre dinheiro. O que acontece quando ele
fala sobre questões genéricas para um público genérico? Ele tem um volume
grande de atenção, um grande número de atenção e um baixo índice de
conversão. Então quando o Papi faz compra de tráfego, ou quando ele aparece
em alguma palestra, ou quando ele fala para as pessoas, ele está falando para
muita gente onde um pedaço pequeno delas vão acabar chegando ao final e
passando o cartão de crédito.

Por quê? Porque a medida que o público é grande, ele não percebe, mas a
concorrência também é grande. Então se eu digitar no Google: "Bolsa de valores,
investimentos, tesouro direto, como investir? Como guardar dinheiro?, como
poupar dinheiro?." O Papi está se posicionando com: Primo Rico, Naty Cury, o
Guru das Finanças, o conteúdo gratuito que é XP joga, que a Rico joga, que a
Isi Investe joga. Ele está concorrendo também de certa forma com os bancos,
com gerente do banco. Quando você vai a um gerente de Banco e te pergunta
essa dúvida, com o tio, o sobrinho, com o marido. Então, você vai perceber que
investimento público feminino é menor, mas imagine que o público feminino vá
perguntar ao seu marido: "O que você acha disso?" O marido pode ter mais um
pouquinho de conhecimento, e falar: "Não, deixa que eu resolvo isso. Não
precisa comprar nada desse rapaz".

Então você tem uma aparência de vantagem. O melhor de tudo é o seguinte,


pessoal: quando se adota uma estratégia de Purple Cow, não quer dizer se tem
que abandonar sua estratégia. O Papi pode continuar pode exatamente o que
ele está fazendo, aliás ele deve continuar. O Purple Cow é complementar. É
nesse ponto que eu acho que o Seth Godin perde um pouco da prática. Ele fala
muito na teoria, mas na hora de aplicar a prática eu sinto um pouco dessa falta
dele. O Papi vai ter a sensação de que é o melhor negócio do mundo falar para
o público genérico.

Ele vai virar e vai falar: "Cara, o genérico está me dando muito view, o genérico
está me dando muito like, o genérico está me dando muita procura no Google,
tem muita gente chegando até mim". Só que o genérico também oferece um alto
níveo de concorrência, e essa pessoas vão estar consumindo todos.
Não existe alguém que consuma conteúdo de investimento só com o Papi ou só
com Nigro, do Primo Rico, ou só com a Nathi, do Me Poupe. Eles procuram ID e
dão olhada em tudo. Então você tem um público muito grande e uma
concorrência muito grande. E essa concorrência muitas vezes está aumentando
as réguas de competitividade. Quando melhor a Nathi grava vídeo, quanto
melhor o Primo Rico grava vídeo, quando melhor Rico grava vídeo, cada régua
de competitividade vai subir com um concorrente. Espero que eu não esteja
falando coisa muito avançada com vocês.

Mas imagina o seguinte: O que chama a atenção das pessoas na


internet? Vídeo, texto, propaganda e conteúdo. É o poder criativo do
conhecimento e o financeiro. Imagine a Nathi. Para quem não sabe digitar lá: Me
Poupe. Procure que vocês vão encontrar ela. A Nathi sobe a régua de mais no
vídeo. Ela posta vídeos muito bons, ela se comunica muito bem. Ela é muito
bonita, ela é uma comunicadora nata. Então ela sobre as réguas no vídeo.
Thiago Nigro. Para mim o Tiago Nigro vence no volume, na insistência. Então,
ele produz muito vídeos em todas as mídias, ele está muito presente, ele tem
uma presença da Rico que ajuda ele. Então o Nigro posta muito volume. A Rico,
Isi Invest, Clear, XP, eles sobem o ritmo no quê? Primeiro, no ponto de contato.
Você tem que ter uma conta numa corretora, você vai ter uma conta com eles,
mesmos, eles têm seus dados, eles se comunicam diretamente com você. Mas
eles fornecem muito material gratuito. Como o caixa deles não é gerado pela
venda de produto ou treinamento. Eles bumpan o mercado.

O que é bumpar o mercado? Eles vão lá e fazem: treinamento sobre


investimentos de graça. Quem faz muito isso: Hotmart. Na nossa área de
marketing Digital. Na minha área de Marketing Digital. Como Hotmart não ganha
dinheiro com cursos, ele quer que você use a ferramenta dele, ele faz curso de
graça de Marketing Digital. Um puta curso! Um curso bom! Tanto é que lá no
stories eu sempre recomendo. Eu falo: "Cara, vai fazer o Hotmart Academy!" São
30 dias, é bonitinho, trabalha com tudo é de graça faz lá. Então você tem esses
players. E aí vem o poder financeiro. Toda essa gente compra tráfego para os
canais de comunicação deles. Então se o Pai quiser entrar na ferramenta dele
agora de Google AdWords, para saber quanto custa comprar posições ali, na
parte de cima da rede de pesquisa, ele vai ver que para investimentos -- como a
gente trabalha muito investimentos aqui, gente sabe, né? – Ele vai pegar 4, 5, 6,
7, 10, 11 reais o click. É um custo muito alto. Por quê? Porque as corretoras não
se importam, elas têm esse caixa para pagar. Elas jogam os termos lá para cima.
E além das corretoras você está competindo com Santander, com Itaú, com
Bradesco, com Caixa Econômica.

Então a pesar do público ser muito grande, você tem uma conversão menor. E
essa conversão, por que ela acaba acontecendo bem aqui (desenha no quadro).
Porque aqui é no ponto onde você se tornou forte. Então imagina o seguinte:
marketing digital. Público enorme. A concorrência também é enorme, com todo
mundo sabe que tem que fazer a concorrência do tipo Mais Cruel que existe.
Todo mundo vai comprar tráfego, todo mundo vai fazer remarketing, todo mundo
vai fazer lançamento, todo mundo vai ter escassez, todo mundo vai urgência,
todo mundo vai ter promoção. Aonde é que o Ícaro converte? Como o Ícaro traz
as pessoas para o Novo Mercado? Não é na qualidade do vídeo, não é do
volume pela repetição. Tem gente que posta mil vezes mais do que eu, é pelo
conhecimento. Muito conhecimento bom. Mas também por uma reserva de
mercado que eu tenho, que é a qualidade textual. Na minha opinião é a melhor
de todas hoje em dia.

"Ah, Ícaro, você é o melhor escritor que existe!" Cara, marqueteiro é muito
analfabeto, então não é nem um elogio. Então as pessoas vão consumindo meu
conteúdo, tanto é que 90% das pessoas que entram no Novo Mercado elas já
conhecem o Ícaro. Eu não tenho uma conversão muito grande de click, o cara
vai lá clica não sabe nem o que é o Novo Mercado e assina. Primeiro ele começa
a saber que é o Ícaro, daí ele consume, vê que esse cara sabe escrever, que ele
sabe falar, que ele tem bons projetos lá atrás. Então por exemplo, você entra no
meu Instagram, está referenciado o time founder Brasil Paralelo, CMO da
Avenue Security. Então já mostra que tem uns projetos grandes. Já vem a
provinha social. Quando a Nívia se posiciona em emagrecimento e perda de
peso, ela está fazendo a mesma coisa. Ela está se posicionando aqui. Eu acho
inclusive, Nívea, se você estiver assistindo a essa aula, que o seu
posicionamento poderia ser muito melhor aproveitado. Eu quero fazer isso nesse
ano de 2019, eu quero pegar alguns de vocês e dar uma ajuda, e como vocês
fazem a comunicação.

Não tem como ser mais topo de funil do que a Nívia. Ela fala realmente da
maneira mais aberta possível. "É para você que quer emagrecer e ponto." Mais
nada. Personal trainer para emagrecer, para você quer perder peso. Quantas
pessoas no Brasil querem perder peso? Talvez 100 milhões delas queiram. Até
pessoas magras querem perder peso. Se eu olhar para minha esposa, minha
esposa tem 49 kg, ela vive falando: "Nossa, mas eu estou me sentido gorda".
Até pessoas magras querem perder peso.

Onde a Nívia entra? Ela entra com um público enorme, gigantesco, muito maior
do que o do Papi. Uma concorrência muito grande, também. E o nível de
conversão vai lá para baixo. Por quê? Porque a Nívia está brigando com sei --
Ah, eu não sei o nome das pessoas que vendem, queima de 48 Horas, aqueles
caras Toguro, aqueles médicos bombados, aquelas Personal Trainer trincadas,
aí ela vai brigar também a atenção do público dela vai ser desejada por pessoas
que às vezes nem vendem conteúdo. Vão ter a Pugliese da vida, as Bela
Falconni da vida, pessoas que nem vão vender produtos, mas que vão estar
dando conteúdos gratuitos que muitas vezes satisfazem quem iria comprar com
ela. Imagine que a menina queira perder 2 ou 3 quilinhos, ela queira se tornar
um pouquinho mais ativa, ela pode pegar e baixar aquele aplicativo da FreeLectis
e de graça fazer os treinozinhos dela. Ela pode chegar lá e fazer o plano de
emagrecimento da influenciadora x que é de graça, porque ela só quer fazer isso
porque ela ganha vendendo Shake, ou biquíni. E você sabe que quando o
público satisfaz a sua necessidade, não precisa mais comprar. Então você tem
muitas pessoas que são satisfeitas antes delas chegarem a mim. Pavani a
mesma coisa. Lógico, o funil do Pavani é muito menor que esse, é o mesmo
modelo, só que bem pequeno.

Ele fala para designer: "Olha para vocês que pretendem usar o designer para
vender os seus projetos, para tornar sua empresa mais legal, para fazer sua
comunicação melhorar. A mesma coisa, você está vendendo, você está
concorrendo com as agências, está concorrendo com outros criativos, e você
está concorrendo, esse é o grande concorrente do Pavani, que o que mais abusa
do poder financeiro -- você está concorrendo com ferramentas do tipo Wix, ou
do tipo GetResponse, ou do tipo MailChimp, que vão falar: Faça uma página,
faça um site, faça comunicação, no clique e arraste, drag and drop o termo em
inglês, sem precisar de um designer. Imagina o que o MailChimp faz. "Crie
páginas lindas sem precisar de um designer, ou aplicativos. Use esse aplicativo
para montar essa página ou para melhorar sua foto sem precisar pagar alguém
para isso".

Qual é a estratégia do Purple Cow, e por que eu estou usando essas pessoas
nessa aula até os 33 minutos? Porque eu dei toda essa base de explicação, pode
ser que você já esteja entendendo boa parte disso, mas eu faço sempre questão
de explicar para quem é um pouco mais lento, para quem está chegando agora.
Quando eu usar o exemplo da aplicação da técnica com essas pessoas, você
vai entender definitivamente e eu não vou precisar perder mais tempo. Então eu
fiquei afiando o machado até agora, só que como eu afie o machado muito bem,
vamos derrubar essa árvore com uma porrada só.

O conceito de Purple Cow trabalha, isso é uma interpretação minha, seguindo a


lógica do criador da estratégia. Imagine que o Pavani está posicionado aqui (na
saída do funil), a Nívia também aqui. Vamos trabalhar com o Papi, também. O
conceito de Purple Cow significa o seguinte: você vai manter o trabalho que você
já faz, porque é sua fonte de receita, seu caixa onde você já conhece, onde você
se sente confortável. Mas eu quero que você se desloque para cá (para a ponta
do funil). Lembra que nas vantagens de explorar essa estratégia estava escrito
que você descobriria públicos novos? Você seria visto por pessoas que nunca te
viram, provavelmente? "Ah, Ícaro você está dizendo que eu que vendo
investimento, tenho que vender agora hambúrguer artesanal?" Não, é porquê
aqui é tão topo de funil que eu tenho certeza que as pessoas que estão aqui,
elas nem chegam até você, elas são atraídas todas pelos grandes compradores
de mídia.

O conceito de Purple Cow trabalha, isso é uma interpretação minha, seguindo a


lógica do criador da estratégia. Imagine que o Pavani está posicionado aqui (na
saída do funil), a Nívia também aqui. Vamos trabalhar com o Papi, também.

O conceito de Purple Cow significa o seguinte: você vai manter o trabalho


que você já faz, porque é sua fonte de receita, seu caixa onde você já conhece,
onde você se sente confortável. Mas eu quero que você se desloque para cá
(para a ponta do funil). Lembra que nas vantagens de explorar essa estratégia
estava escrito que você descobriria públicos novos? Você seria visto por pessoas
que nunca te viram, provavelmente? "Ah, Ícaro você está dizendo que eu que
vendo investimento, tenho que vender agora hambúrguer artesanal?" Não, é
porquê aqui é tão topo de funil que eu tenho certeza que as pessoas que estão
aqui, elas nem chegam até você, elas são atraídas todas pelos grandes
compradores de mídia.

Quando você se desloca para cá, você consegue pegar esse público antes do
Bradesco, Santander, Itaú, Caixa Econômica, Isi Invest, Xp, você consegue
pegar eles, porque você está fazendo algo direcionado para essas pessoas. Faz
mais sentido para essas pessoas. Então, vamos lá, eu quero que você se
desloque. Quando você se deslocar mais para o fim do funil, o que vai acontecer
com seu mapa de clientes? Você vai ter um público menor, você vai ter uma
concorrência às vezes bem menor, você está tirando os grandes players, e aí
você vai ter uma conversão maior -- nunca uma conversão maior do que o
público, não é? Você vai ter uma conversão maior. "Ah, Ícaro, mas o que é
melhor? É melhor o modelo 1 ou o modelo 2? " É melhor o modelo 1 e o modelo
2. Quando você se utiliza desses dois modelos, você consegue ter uma fonte de
receita alternativa dentro das suas próprias estratégias de venda.

Lembrando: A gente consegue somar essa estratégia aqui da Purple Cow com
outras estratégias que nos damos aqui no Novo Mercado, principalmente com
aquela de "Roubar Audiência". Principalmente com aquela de: eu busco uma
pessoa que já tem autoridade, que já tem uma audiência própria, eu faço uma
parceria com ela e eu me aproveito -- e ele também, que eu vou pagar para ele
--, eu me aproveito de todos esses pregressos que esse comunicador trabalhou
e á venho passando a foice com o mato grande.

Então, por exemplo, o Papi entende de finanças, de investimentos, de bolsa de


valores. Quando ele se desloca um pouco mais para frente no funil. Que tal, Papi,
você já pensou em, por exemplo, fazer um curso de Investimentos para
Médicos? "Ah, Ícaro, mas por quê? Porque para médicos, ou porque para
advogados, ou porque para aposentados, ou porque para mães com filhos
pequenos, ou porque para a família que teve o seu primeiro filho?" Porque
quando você se desloca, você consegue falar diretamente para essas pessoas.
E quando você vai para o Facebook, para o Instagram e para o Google comprar
mídia, é uma mídia muito mais específica. Então ao invés de ter 100 cliques para
4 ou 5 conversões -- pessoas que vão se tornar seus clientes, ou que vão entrar
na sua base -- você passa a ter 20 cliques -- 22, 23, 24 ou 15 -- para as mesmas
5 conversões. "Ah, Ícaro, o que ganho com isso? Eu continuo com 5 conversões,
não é?" O que você ganha é que você paga muito menos por clique que não vai
virar nada. Então você pode aumentar sua mídia. Ao invés de você pagar 100
reais para ter 5, você consegue pagar 50 reais para ter 10. Então os mesmos
100 reais vão te dar 20 leads, ou clientes, ou seguidores, enfim, o que você
estiver comprando. Quando você fala para essas pessoas, existe um rapport
automático. Imagine por exemplo um médico. 2019, o médico ganha
razoavelmente bem, ele está ali no 1% da população com poder de compra, ele
está aproveitando 2019 para começar a vida dele. Nunca se preocupou em
guardar dinheiro, ele quis zoar um pouco mesmo, mas agora é 2019 a idade está
chegando, ele quer se preocupar um pouco mais com o seu futuro. E ele começa
a procurar sobre investimentos. E ele está procurando na Nathi, na XP, como ele
estaria procurando em você. E ele não vai chegar até você. Ele não vai chegar
até você porque esses grandes comedores de tráfego, esses grandes
comedores de atenção, que estão gastando muito dinheiro para isto e estão
pegando todo mundo. Só que quando você fala que está vendendo ou que está
comunicando para esse público, você vai pegar esse cara antes. Você vai criar
uma conexão imediata com esse cara.

Porque imagina o seguinte: ele está vendo lá a propaganda e cai na tua: "Fala,
meu amigo! Tudo bem? Cara, se você está vendo esse vídeo, provavelmente
você é médico, não é?" Ele pensa: Opa! Sou. "Cara, fala sério, você está com
filho pequeno aí para cuidar, não é? Nasceu teu filho, a tua família está
começando agora, vamos começar 2019 com mais responsabilidade?" Ou -- é
que eu não gosto desse público -- para endividados. Eu não gosto desse público.
Se o cara está endividado, o cara vai trazer mais problema, o cara vai colocar
dinheiro que ele não tem, já mostra que ele não sabe seguir diretrizes, eu não
gosto de endividados. Mas, por exemplo, para médicos, para advogados, para
aposentados, para autônomos, profissionais liberais. Quando você fala com ele,
você cria conexão imediata porque esses grandes comunicadores não falam
para o médico, eles falam para todo mundo.

Vamos lá, quando você está procurando algo no Google, quanto mais específico,
melhor. Então você não vai nunca anunciar lá Iphone. Porque ninguém compra
um Iphone, você compra um modelo específico. Você compra um modelo
específico, com uma capacidade de memória, com HD específico. Então da
mesma forma, quando você se desloca mais para cá (fim do funil) você cria uma
identificação, porque você está oferecendo [algo específico]. Um dos modelos
de conversão é especificidade. Você está oferecendo exatamente o que o cara
quer. "Você que é médico, e tem dificuldade em saber como você vai construir
sua carteira de investimentos, e que muitas vezes não enxerga no mercado
alguém que compreenda suas necessidades, alguém que compreenda as suas
limitações de tempo, de horário. Eu estou aqui para dialogar com você". Primeira
pergunta que pode vim da cabeça do Papi: "Cara, mas eu não sei sobre
investimentos para médicos." Esse é um grande ponto. Você sabe sobre
investimentos, não é? Cara, converse com dois médicos que você entender o
que exatamente o que o médico. Os médicos procuram basicamente a mesma
coisa, até já sei, porque eu já fiz esse tipo de trabalho. Os médicos não têm muito
tempo, o médico não é o cara que quer estudar demais porque a profissão já
consome toda a cabeça dele, ele já estuda demais. O médico é um cara que tem
problemas de horário, o médico é um cara geralmente muito mais seguro do que
a média, porque ele já tem um patrimônio que vai sendo formado, então ele quer
preservar e aumentar mais do que triplicar, quadruplicar o tamanho. É um cara
que não quer dor de cabeça, porque a medicina toma muito tempo dele. Então
se você cria um modelinho que pega essas 4 ou 5 necessidades do médico, você
pode falar diretamente com ele.

E aí vem o ponto: "Mas como eu vou alcançar esses caras todos? Comprar esses
termos, imprimir anúncios para esses termos é muito caro". Faz o combo dessa
Purple Cow, faz o combo dessa movimentação a direita com a estratégia de
construção de parceria. Vai nas páginas médicas, vai nas páginas de médicos e
faz a proposta. Fala: "Dr. Fulano -- nós temos aqui alguns médicos no Novo
Mercado, nós temos o Dr. Fábio, da Semiologia médica, por exemplo --. Fala,
Dr. Fábio, cara, é o seguinte, eu tenho um produto, eu tenho um serviço chamado
"Investimentos para Médicos", "Bolsa de Valores para Médicos", "Renda Variável
para Médicos", "Construa sua Aposentadoria para Médicos". Eu tenho um
serviço para médicos que eu acredito que é bem interessante. Posso liberar para
você? Posso te dar um acesso? Gostaria muito que você visse e me desse o
feedback. Libera, vê se o cara assiste. Não desista, muitas vezes o médico não
vai assistir na primeira, na segunda vez que ele não tem tempo, mas quando ele
assistir -- ou ver a página -- e vier te dar o feedback. "Cara, achei legal, mas eu
acho que isso daqui e isso daqui." Melhora junto com o cara. Utilize essa
consultoria grátis do cara. E quando ele vir, você fala: "Cara, legal, agora ficou
redondo, ficou legal". "Então, cara, o que eu estava pensando, a você tem um
público bem legal para vender isso daí, não é?". "Ah, temos sim" "Então, você
não quer fazer uma parceria comigo? Você tem bastante seguidores, você tem
um público bem interessante, que eu conheço". É engraçado porque médico só
tem amigo médico. É bom bolha a vida do médico. Ele tem só amigos médicos,
contatos médicos e a vida dele de médico, enfermeiro, terapeuta ocupacional,
todo mundo ali na vida do hospital.
Então se você um cara com bastante audiência, você pega todos eles. E aí você
fala: "Vamos fazer uma parceria, então? Eu posso usar sua página, eu posso
pegar aqui o seu público alvo, a gente pode fazer uma comunicação para isso?
Fica bem legal, não vai ser nada muito agressivo, e a gente racha a comissão."
Pode ser racha a comissão, pode ser 40/60 para o produtor, 40 para o médico,
pode ser 70/30 para o produtor, 30 para o médico. Depende muito da sua
capacidade de negociação, e da sua experiência com modelos anteriores. Então,
por exemplo, se você já fez isso com algum grupo médico, se você já fez isso
com algum médico mais famoso e deu um resultado bom, vendeu 50, 100, 60,
vendeu 200 mil reais. Você fala: "Olha, cara, fiz isso aqui com esse modelo --
não precisa nem ser do mesmo mercado-- e vendeu 200 mil reais, é legal. A
gente consegue fazer um volume de dinheiro bacana, a gente pode até pensar
em outros serviços, se não vai ter o trabalho, eu só preciso da sua imagem.
Vamos fazer um 50/50 no primeiro modelo? E depois a gente vê como faz nos
próximos?" E você está se deslocando para esse investimento. E aí vem outra
questão, também. Quando você se desloca a direita no funil, você também
consegue trabalhar preço. Porque o preço baixo geral ele está aqui (aponta para
a boca do funil), no genérico. Quando você se desloca para cá (para o fim do
funil), aqui é só os treinamentos, imersões, serviços, prestações de serviços.
Quando desloca para cá, você consegue trabalhar um ticket médio legal, você
consegue trabalhar um preço legal -- 500, 600, 900, 1000 mil reais. Você
consegue trabalhar um preço mais legal. Não estou dizendo que você tem de
começar já com eles, porque o mercado vem evoluindo tanto que para cobrar mil
reais hoje, cara, você tem que oferecer muito valor. Você consegue sair do
grande oceano vermelho onde está todo mundo se comendo.

A Nívia a mesma coisa. A Nívia hoje trabalha com emagrecimento. Caramba,


que tal, Nívia, se aproveitar das suas próprias características, do que você gosta
de fazer, e se deslocar mais para o meio do funil. Por exemplo, que tal criar uma
proposta de treinamento de emagrecimento para quem não pode ir a academia?
Porque não tem tempo, porque não quer, porque não quer sair de casa, porque
academia fica longe, porque não quer pagar academia. Ou ainda, você comprou
a Smart Fit, ela fica perto da sua casa, só que você chega lá e não tem professor.
Você não sabe o que fazer. Que tal ter acesso a um plano de treinamento para
você executar na Smart Fit. Eu já pensei nisso várias vezes! Eu falo: Caramba,
a experiência para quem assina a Smart Fit é péssima! O cara chega lá, é tudo
bonito, os equipamentos são todos legais, tem um puta chuveirão, mas você não
sabe o que fazer! E você fica na esteira. Pensando num cara que não entende
nada de treinamento, como eu, por exemplo. Eu chego lá e falo: "Caramba, eu
tenho que fazer supino, mas são quantos? Com que peso? Aí eu fico fazendo as
coisas aleatórias. Tipo: vou fazer 8 repetições aqui. Será que é isso para fazer?
E aí eu dou um intervalo de quanto? Porque tem esse negócio. Um dia você
treina peito ou dia você treina perna, outro dia você treina costas. Caramba, não
é simples, é complexo. É por isso que você precisa de um profissional. Eu nem
sei como eles conseguem colocar aquela galera toda ali sem profissionais e não
ter problema. Mas, caramba, se eu pudesse pagar 49 reais, 97 reais, não mais
do que isso, também, porque o cara da Smart Fit já é um cara que optou por
preço. E esse cara tem três objetivos: ganho de massa muscular, perda de peso
ou definição. Se ele pudesse comprar um dos três e saber exatamente como é
o treinamento dele durante x meses. Legal. O personal lá na Smart Fit custa uma
nota e se eu quiser levar o meu personal custa outra nota. Ou ainda, para você
que quer perder peso.

A Nívia é magrinha, ela não é como aquelas mulheres tipo a Graciane Barbosa,
toda estourada de forte, trapézio alto. O que eu percebo também. As mulheres
estão cada vez mais fortes, cada vez mais trincadas, cada mais macabras. Será
que todas acham que esse é o modelo estético ideal? Será que todas acham
isso? Será que nenhuma quer emagrecer e manter o corpo feminino? Lógico,
não sou público alvo, por isso que eu não vejo muito anúncio disso. Mas eu não
vejo muita comunicação do tipo: emagreça, perca peso e continue feminina,
continue com o corpo feminino. É só emagrecer com foto da Pugliese com
abdômen trincado. "Ah, Ícaro, mas é só você não fazer tão forte que não fica
com o abdômen trincado". Mas não tem identificação, não rapport. Por exemplo,
se eu vejo o Toguro, ou o Sardinha vendendo um produto -- e os dois vendem -
- vendendo infoproduto de massa muscular, eu não me identifico com eles. Eu
não me identifico, por quê? Porque eu não sou um cara trincado. Então, eu falo:
Para eu chegar no que esses caras querem, eu preciso ainda de muito. Eu
preciso de uma fase inicial. Aí depois talvez eu pense em comprar algo do
Sardinha ou do Toguro, ou daquele doutor Mussi. Agora eu não consigo. Eu não
sei nem que treino fazer. Eu não estou pronto, ainda. Então, assim, que tal para
quem está começando? Que tal para quem está querendo perder peso sem
precisar ir para a academia? Ou que tem apenas 30 minutos por dia, ou para
quem está buscando aqueles treinamentos de alta intensidade, ou para quem
está buscando um treinamento baseado numa dieta x.
Lembre-se: o segredo da Purple Cow é tornar o seu produto específico, mas
que faça sentido para o público que existe, também. Por exemplo: mãe de
crianças pequenas. Existe alguém produzindo para essas pessoas? Essas
pessoas existem. Novamente, quando você desloca, aí você cria uma identidade
com esse público, você cria uma aproximação com esse público, e aí você pode
ir para as páginas de mães. O grande segredo é fazer esse combo. É você criar
essa estrutura especializada e ir atrás das páginas dos perfis que tem esse
público já, porque senão seu começo vai ser muito lento. Pode ser, você pode
criar a tua própria comunidade. Pode ser, mas vai dar 10 vezes mais trabalho.
Você pode chegar lá: auxílio no parto, nos clubes de mãe, nos grupos de mães.
"Ah, Ícaro, mas eu odeio criança, eu quero que se dane, eu nem quero ter filho,
vai ser uma droga trabalhar com esse público!" Então não vá para esse público,
vá para algo que também te atraia minimante. Podem ser mulheres que querem
perder, mas se manterem femininas; ou mulheres que querem se livrar do efeito
sanfona, ou pessoas que se reeducar de maneira definitiva e deixarem de fazer
dietas; ou quem quer perder 7 kg no mês de janeiro. Isso é legal também. É mais
Purple Cow ainda. Quem quer perder 3kg em janeiro; quem quer se preparar
para o carnaval. E aí você se aproxima dessa fonte de tráfego, do emissor da
fonte de tráfego -- que são esses grupos, perfis ou personalidades -- e faz a
proposta.
Dicas: Mesma coisa do Pavani. O Pavani pode chegar aqui e se aproximar das
comunidades de desenvolvedores, de designers e vender atualizações para
esse público. Se deslocar e vender atualização para esse público. Quem quer
trabalhar com isso de fato.

Quando você faz essa aproximação com essas comunidades, é legal que você
tenha material de apresentação. Porque, assim, essas comunidades são muito
assedias. As pessoas chegam de vez em quando nelas. Não é "ah, 20 pessoas
todos os dias", mas sempre pinga alguma pessoa. Se você já chega com uma
proposta comercial montada, um PDF em e slides, bonitinho, que algum designer
montou, não precisa ser designer caro. A gente tem o André Amaral que é nosso
aluno de designer, que faz um precinho camarada. Você paga, rapidinho, o cara
põe bonitinho para você. Você pega 3 slides de proposta comercial, definindo
obrigações, períodos, qual a diferença do seu curso, qual a diferença da sua
proposta, quais são os seus resultados, a quanto tempo você está no mercado.
Aí você usa todo o pretérito do que você já faz. Daqui (da boca do funil). É até
legal você trabalhar com um número maior de pessoas, que você está a x anos
no mercado. E aí você já manda, se ele sinalizar que pode ser interessante, você
já manda a minutinha do contrato no e-mail e fala: "Cara, é só dá um ok aqui.
Faz uma assinatura eletrônica."

A estética é importante quando você está trabalhando com outras pessoas,


porque tem muito cara surgindo do nada. Então grava um pouquinho melhor,
pega uma qualidade de áudio melhor, fala diretamente para esse público, como
você está acostumado a falar só com todo mundo, você aí ver que é muito mais
fácil falar com um público bem menor. As pessoas se sentem mais identificadas.
Se esse emissor de tráfego comprar parceria e fizer um disparo... Por exemplo
o meu Instagram está começando agora. O Ítalo deu um share em uma minha
stories. Cara, mil pessoas entrarem em poucas horas no meu Instagram e se
tornaram amigas. Porque alguém de autoridade disse que eu era alguém que
faz determinada coisa bem feita. Ou prestava algum conteúdo, ou era um
pouquinho inteligente, ou tinha um pouquinho de bom senso, ou falava algumas
coisas que fazem sentido. E as pessoas seguem. Se uma página que você
admira recomenda o seu produto ou serviço como algo legal, você já tem uma
primeira leva de pessoas para fazer a comunicação do seu produto. E aí vem
um outro ponto. Você tem a criação do seu público. Que é o seguinte:
Facebook

Página

Instagram

Imagine, por exemplo, que dentro da sua campanha, você tenha esse emissor
de tráfego, ele vá e faça um post na Timeline. Ele tem um vídeo e aqui os
comentários. E ele posta: "Olha, pessoal, estamos fazendo uma parceria com o
fulano de tal que tem um curso bem interessante, o conteúdo é bem legal, você
ver o que vocês acham". Lá no site deles, se eles tiverem, a mesma coisa. Eles
postam um videozinho de você e o pessoal vai interagir. E o no Instagram eles
fazem um stories, ou eles postam na Timeline algo seu. Por que isso daqui é
importante para você? Isso daqui é importante porque você vai começar a criar
um público que muitas vezes nem o emissor sabe que é possível. Muitas vezes
nem o emissor sabe que é possível. Você vai chegar nessa página de
Facebook... É importante que os emissores sejam páginas comerciais, porque
se os emissores forem páginas pessoais, você não tem como fazer isso. Fica a
dica também. Página pessoal vai vender, mas só no orgânico. A não ser que
você mande essas pessoas para outro lugar. Daqui a pouco eu explico.

Então, vamos lá. Páginas comerciais. O cara vem aqui e posta algo no
Facebook, um vídeo legal, diz: "Olha, a gente está entrando com parceria com
esses caras". O que vai acontecer? As pessoas vão realizar aqui as interações
mínimas que o Facebook te oferece. Que são:

Visualização

Curtida/Interação

"Ah, Ícaro, o que é curtida/interação?" É curtida, uau, carinha nervosa, coração,


carinha triste. São as cinco reactions.

Comentário

Compartilhamento

Marcação
Se for um site que leve para um clique, eles podem clicar também. Mas essas
são as atividades básicas. Quando essas pessoas fazem isso elas são marcadas
dentro do Facebook. Então você pode, depois de um tempo, voltar no Facebook,
você vai entrar no gerenciador de anúncios, vai lá em cima, clica em público,
criar público, criar um novo público, um público personalizado ou público
semelhante. Você vai clicar e falar: eu quero essas pessoas que fizeram isso
daqui nesse meu post, eu quero imprimir uma propaganda para elas. Esse é o
ouro. Porque muitas vezes essas páginas não sabem fazer isso. Muitas vezes
não sabem que elas têm esse ouro dentro delas. Elas não sabem que dá para
reimprimir sobre pessoas que agiram, ou reagiram, ou interagiram com a sua
página. Teve um outro ponto. Clicou no gerenciador de anúncio, clicou em
público, criar novo público, público semelhante. Quero um público semelhante
1% do público semelhante que interagiu com essa postagem. E você vai ter um
público de milhões de pessoas quando você vai segmentar pelo Estado, pelo
sexo e pela idade da maioria dos seus clientes nesse produto até você ter um
público de 800 mil até 1 milhão de pessoas.

E você vai segmentar ainda mais, você vai segmentar com palavras como:
médico, medicina, faculdade de medicina, estudante de medicina. Aí, sim, você
vai imprimir esse anúncio para fora da bolha do seu emissor de tráfego. Porque
funciona mais ou menos assim. Esse é o seu tráfego nesse seu novo material
de trabalho, sozinho. Isso é o que você é capaz de fazer sozinho. Fazendo spam
em grupo, ou postando para ninguém. É pouco. Aí vem emissor de tráfego e
você vai pagar uma parte para ele justamente porque ele é capaz de fazer isso.
O seu emissor de tráfego vem e fala: "Olha, eu tenho uma propaganda imensa,
cara. Tenho centenas de milhares de curtidas, aqui, orgânicas". Legal. Só que
quando você expande para os públicos semelhantes e você precisa dele. "Ah,
Ícaro, mas eu consigo fazer isso sozinho!" Consegue, mas demora mais. Você
vai ter de pôr mais dinheiro.

Vai te que ficar comprado anúncio para ver se alguns curtem, a maioria vai ser
enfermeiro, ou pessoas que se interessam, pessoas que estão procurando
doenças. Aqui você já pega o público específico, quando cria o semelhante, aí o
Facebook te dá isso (desenha um círculo maior com uns traços e um círculo
verde menor - público específico). E aqui é onde continua o seu dinheiro, mesmo
depois que você não tiver a parceria com emissor de tráfego. Por isso que é
importante você mandar eles para alguma página, porque aqui vai estar o pixel
do Facebook e o pixel do Google, onde você vai falar: pessoas que entraram
nesse site; quero imprimir para elas. Pessoas que entraram nesse site; quero
criar um público semelhante. E mesmo que um dia, por ventura, por que o pixel
é seu, você não tenha mais essa parceria com o emissor; você já tem um número
de pessoas que já estão interessadas no que você tem a vender.
Existe ainda uma terceira alternativa. Você pode criar esse produto, botar no
Hotmart, e falar: "Ei, afiliados -- são centenas de milhares de afiliados -- tem um
produto médico interessante. Vocês gostam de trabalhar com produtos médicos?
Está aqui. Vendam." E cada afiliado vai buscar a sua fonte de tráfego. Instagram,
a mesma coisa. Pessoas que interagiram com esse stories, pessoas que
clicaram no swap, pessoas que curtiram ou comentaram no meu post de
Timeline; quero pegar essas pessoas. E esse é o mesmo princípio para o Papi,
para a Nívia, para o Pavani. Pavani vai trabalhar sempre com um funil muito
menor, porque o Papi e a Nívia trabalham com mercados enormes, são os big
four, são os grandes 4 mercados. Ganhar dinheiro online, emagrecimento,
finanças e saúde. Emagrecimento e saúde são coisas completamente diferentes.
Então, a estratégia de Purple Cow ela é boa porque ela te desloca para um novo
nicho, você fala com pessoas que ainda não te conhecem. As vezes as pessoas
estão: "Caramba, mas eu estou vendo esse cara a tanto tempo, já não é
novidade". Ou "Já estou acostumado a só consumir o Ícaro".

Então, por exemplo: "Ah, Ícaro, e como seria um deslocamento no seu caso?"
Eu pensei muito nisso, já fiz alguns Purple Cow’s. Inclusive o curso que eu dei
com o Rafael Reis, foi um Purple Cow. Aonde o Ícaro se coloca hoje em dia?
Aonde é o meu mercado hoje em dia? Meu mercado hoje em dia está aqui
(desenha um funil e dois traços verticais atravessando a boca do funil). "Ah,
Ícaro, por que que não está aqui (no início do funil)?" Porque aqui está o ganhar
dinheiro online; fórmula de lançamento; venha ganhar dinheiro com marketing
digital; qualquer pessoa pode ganhar dinheiro; mesmo que você não saiba ligar
o computador você vai fazer 100 mil reais. Aqui (no começo do final) está o
"quero falar para desempregado ou para pessoas que estão insatisfeitas com o
trabalho". Aqui (depois do segundo traço do funil) você vai ter que dar duro, você
vai ter que aprender a escrever, vai ter que aprender a fazer as técnicas, você
vai ter que dar trabalho, você vai ter que pôr dinheiro, vai ter que fazer as coisas,
mas vai funcionar. Talvez a galera de lá não funcione. Eu prefiro ser honesto
com você e ter você satisfeito comigo, então, estou aqui.

Onde eu consigo me deslocar?

Por exemplo, eu consigo fazer uma Purple Cow e vir bem para cá e vender
copywriting para jornalistas, blogueiros, influenciadores digitais, social midia,
para pessoas em geral. Então, eu consigo sair do meu nicho e falar lá com os
estudantes de jornalismo, com estudantes de relações públicas; consigo falar
com blogueiros; --aqui no Brasil não tem esse mercado, mas lá fora tem --, eu
consigo falar com escritores. "Ei, para você que quer ser escritor, para você que
quer fazer um livro". Existe um mercado muito grande no Estados Unidos para
quem quer fazer um romance, um livro, porque livro dá dinheiro nos Estados
Unidos. Poderia fazer isso. Ou ainda eu poderia me deslocar e falar: "Para você
que quer fazer marketing de guerrilha." Os meus cursos avulsos lá no Novo
Mercado já são Purple Cow, eu vou atrás dos emissores de tráfego, faço a
pesquisa, e faço a oferta. Fechou? Pensem nisso. Como é que isso pode ser
aplicado a realidade de vocês, não tenham medo, não tenham vergonha, façam
testes. Qualquer dúvida, joguem lá no grupo, beleza? Até a próxima aula.
Bibliografia:

Seth Godin - Purple Cow: Transform Your Business by Being


Remarkable

Você também pode gostar