Você está na página 1de 36

Português

Mapas Mentais Para Concursos


Conteúdo
Crase Obrigatória ..................................................................................... 03
Crase Proibida e Facultativa. .................................................................... 04
Pontuação. ............................................................................................... 05
Vírgula. .................................................................................................... 06
Regência 1 ............................................................................................... 07
Regência 2 ............................................................................................... 08
Regência 3 ............................................................................................... 09
Concordância Verbal ............................................................................... 10
Concordância Verbal - verbos no singular ................................................ 11
Concordância Verbal - verbos no singular e plural .................................... 12
Concordância verbal - Casos Especiais ..................................................... 13
Concordância Nominal - Regra Geral ....................................................... 14
Concordância Nominal 2 - Casos Especiais .............................................. 15
Concordância Nominal 3 - Casos Especiais .............................................. 16
Ortografia ................................................................................................ 17
Ortografia 2 ............................................................................................. 18
Emprego das Palavras .............................................................................. 19
Hífen-Aplicação........................................................................................ 20
Hífen 2 - Não se utiliza ............................................................................. 21
Hífen 3 - Não se utiliza prefixos terminados em vogal .............................. 22
Por que e variações .................................................................................. 23
Plural dos Compostos ............................................................................... 24
Verbos Introdução.................................................................................... 25
Verbos - Modo Indicativo ....................................................................... 26
Verbos - Classificação ............................................................................. 27
Verbos - Modos subjuntivo e Imperativo ................................................. 28
Verbos - Conjunção ................................................................................. 29
Conjunção de Verbos - Precaver e Viger .................................................. 30
Verbos - Conjugação - Haver e Reaver .................................................... 31
Conjunção - Ter, Vir, Ler, Crer, Ver ......................................................... 32
Conjunção de Verbos - Outros ................................................................. 33
Verbos - Voz Passiva ............................................................................... 34
Acentuação gráfica - Regras Gerais .......................................................... 35
Acentuação gráfica Alterações oriundas ................................................... 36
CRASE - OBRIGATÓRIA ATENÇÃO: Caso haja
outra preposição antes de
ATENÇÃO: A mesma “a” ou “as” não é
regra se aplica às necessário o sinal de
expressões à moda de, à crase.
maneira de, ainda que Exemplos: Pronomes
Ex: Ele foi àquela cidade.
estejam implícitas. Estou aqui desde demonstrativos em
Ir – quem vai, vai a algum lugar
3ª pessoa
Ex.: Farei para o almoço as 20horas. Cidade – exige o artigo “a”
(a+aquela/ aquele/
pizza à (moda) paulista. O intervalo será feito após Ele foi a + aquela cidade = “à”
aquilo)
as 9 horas.
Ex: À medida que o tempo passa, Ex: Ela chegou às duas horas.
a paciência acaba.
Exemplos de expressões: À mercê, às
cegas, às custas, às claras, à vontade, às Na indicação de
vezes, à proporção que... Quando a frase fizer referência a
horas
algo maior, como Deus, por
exemplo, não usaremos crase. Vide
exemplo: Rezo para que possa
Nas locuções conjuntivas EMPREGO chegar a Aquele que olha por nós.

adverbiais e prepositivas de OBRIGATÓRIO


base feminina
DE CRASE

Sempre que substituirmos o


verbo da frase pelos verbos
“VIR” ou “VOLTAR”,

Pronomes relativos – Lugares quando houver crase,


obteremos “de algum lugar”.
qual/quais/que Ex: O estudante foi à Bahia
(sempre relativos a => O estudante veio DA
Bahia.
palavras FEMININAS) Utiliza-se crase sempre que o
lugar tiver sido qualificado.

Ex: Vou à Bahia do Pelô.

Ex: Esta é a planilha à qual me refiro.


CRASE – PROIBIDA E FACULTATIVA
Antes de substantivos masculinos.
Antes de verbos. Ex: andar a pé, dinheiro a rodo.
Ex: Salário a combinar. EXCEÇÃO - quanto houve sentido de
Na utilização da expressão a vista, quanto tratar-
à moda de, à maneira de => Ex: Vestiu-
se de oposto de a prazo. PROBIDA se à Valentino.

Entre substantivos idênticos. Antes do artigo indefinido uma e dos


Ex: cara a cara, gota a gota... pronomes que não admitem o artigo a
Referência a personalidades (pronomes pessoais, indefinidos,
históricas. demonstrativos relativos)
Sentido indefinido. Ex: Fez alusão a Coco Chanel. Ex: a mim, a ela, a V. Exa., a nenhuma
Ex: Jamais assisti a filme tão ruim. parte, a cada uma

Ex: Entreguei as
flores a Carolina. Antes de nomes Quando preceder as palavras: África, Ásia, Europa, França, Escócia,
OU Entreguei as femininos Espanha ou Holanda.
flores à Carolina.

USO FACULTATIVO DA
Depois da preposição até.
CRASE

Ex: Minha avó Ex: Fui até a padaria. OU Fui até à padaria.
gosta de cães OU Antes de pronomes possessivos Acompanhe-o até a saída. OU
A minha avó gosta femininos no singular Acompanhe-o até à saída.
de cães. O programa vai até as 3 da manhã. OU O
programa vai até às 3 horas da manhã.

Tal regra não se aplica ao plural.


Geralmente, o uso facultativo de crase se verificará quando o uso do
Ex: Escrevi às suas primas – OBRIGATÓRIO
artigo a também for facultativo.
Escrevi a suas primas – PROIBIDO, afinal,
a é apenas preposição
PONTUAÇÃO  Utilizado em diálogos, para iniciar as falas dos personagens, ou indicar
mudança de locutor;
 Utilizado no lugar da vírgula, com função explicativa ou em expressões;
 Serve também para união de palavras.
TRAVESSÃO
Ex: – Não me abandone!
Pelé – o rei do futebol – relembra época de ouro.
Afoito, fez o trajeto Rio-São Paulo mais rápido do que nunca.

Com a função de separar, o ponto e vírgula pode ser usado:


 Em itens de determinada enumeração (comum em leis);
 Para aparar orações coordenadas muito extensas ou que já tenham vírgula;
 Como substituição para a vírgula.
Ex: Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos
Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de
PONTO E Direito e tem como fundamentos:
PONTUAÇÃO VÍRGULA I - a soberania;
II - a cidadania;
III - a dignidade da pessoa humana;
IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;
“Às vezes, também a gente tem o consolo de saber que alguma coisa que se
disse por acaso ajudou alguém a se reconciliar consigo mesmo ou com a sua vida;
sonhar um pouco, a sentir uma vontade de fazer coisa boa.” (Rubem Braga).
Amanhã é dia de prova; porém não comecei a estudar ainda.

Os dois pontos serão utilizados como precedentes de apostos ou orações apositivas, sequência de
DOIS palavras que explicam, resumem ideias anteriores e enumerações ou antes de uma citação.

PONTOS
Ex: Meus companheiros são poucos: Paulo e José.
Como dizia Vinícius de Moraes: “(...) que seja eterno enquanto dure.”.
VÍRGULA NÃO USAR QUANDO ESTA COLOCAÇÃO PUDER CAUSAR
REGRA GERAL QUEBRA DA RELAÇÃO SINTÁTICA ENTRE TERMOS DA
Direta – não tem ORAÇÃO, COMO NOS EXEMPLOS ABAIXO:
DE ACORDO
vírgula.
COM A ORDEM
Inversa – Tem vírgula DA ORAÇÃO  Nunca separar o verbo do sujeito, objeto ou predicado
Ex: Lucas, comeu tudo. => Lucas comeu tudo.
Ex: Ela é, bonita. = > El a é bonita.

Para DESLOCAR:  Nunca separar nome do complemento ou do adjunto:


Ex: Tinha nojo, de tudo. => Tinha nojo de tudo.
 Termos deslocados no período - Ex: Depois do jantar,
tomamos vinho.
 Para intercalar qualquer termo, seja explicativo ou
adverbial - Ex: Joana fofoca muito, ou melhor, de-  Nunca separar orações substantivas, desde que estas não
mais/ Espero que, enquanto esteja no palco, não me sejam apositivas, tampouco estejam em ordem inversa.
cause vergonha.
Ex: Ele sabia que, teria problemas. => Ele sabia que teria
USAR SEMPRE!! problemas.

Para SEPARAR:

 VOCATIVO – Ex: João, faça sua lição de casa.  Nunca separar termos coordenados conectados por e, ou, ou
 SUPRESSÃO DE TERMOS – Ex: Joaquim comerá macarrão; nem.
Luís, pizza.
Ex: Conversaram sobre casamento, família, e, dinheiro.
 ELEMENTOS DE ENUMERAÇÃO – Ex: Precisa-se de
eletricista, encanador, jardineiro.
=> Conversaram sobre casamento, família e dinheiro.
 ORAÇÕES = Coordenadas: Ex: Comprou o produto pela internet, Ex: Não sei se compro um cachorro, ou um gato. => Não
mas não ficou satisfeito. sei se compro um cachorro ou um gato.
Iniciadas por e com sujeitos diferentes: Ex: Lúcia Ex: Não comeram, nem beberam. => Não comeram nem
fará a torta, Joana o suco.
beberam.
Iniciadas por e com valores distintos de adição: Ex:
Esforçou-se para o exame da OAB, e ainda assim fora reprovada. OBS: Quando houver conjunções repetidas e o intuito dar
Subordinadas adverbiais deslocadas: Ex: Para ênfase à frase, é OBRIGATÓRIO o uso de vírgula – Ex: Não
chamar atenção, debulhou-se em lágrimas. OBS: Caso ocorra fui ao chá de cozinha, nem ao casamento, nem à festa.
depois da principal, é facultativo o uso da vírgula = Chorou muito Para fazer referência a datas: Ex: São Paulo, 30 de agosto de 2014.
[,] porque fora abandonada.
Subordinadas adjetivas explicativas: Ex: Marcos,
que é formado em letras, palestrará amanhã.
REGÊNCIA Siglas: VTD – verbo transitivo direto/ VTI – verbo transitivo indireto/ VI – verbo intransitivo/ VL – verbo de ligação

O => VTD
 Sentido de dar assistência – VTD ou VTI (A) => Ex: O
Pronome oblíquo
LHE => VTI mecânico assistiu o (ao) motorista aflito.
 Sentido de presenciar – VTI (A) => Ex: Assisti a um
Assistir filme muito premiado.
 Sentido de caber – VTI => Não lhe assiste o benefício.
 Sentido de morar – VTI => Minha família assiste em
Orlando.
 Sentido de difícil – VTI (A) =>
Ex: Custou ao marido entender
e aceitar a morte da esposa. Aspirar
CUSTAR
 Sentido de preço/valor – VI =>
Ex: O casaco custou trezentos  Sentido de respirar – VTD => Ex:
dólares Pessoas que vivem em cidades do

REGÊNCIA
interior aspiram ares mais puros.
 Sentido de desejar – VTI => Ex: O
VERBAL jovem executivo aspira posições cada
vez mais elevadas.

AGRADAR

CHAMAR
 Sentido de fazer agrado/carinho – VTD =>
Ex: O rapaz fez questão de agradar a
namorada.
 Sentido de convocar – VTD => Ex: Assalto!
 Sentido de ser agradável – VTI (A) => Ex: A Chamem a polícia.
sugestão do exame de próstata não agradou
 Sentido de invocar – VTI (POR) => Ex: Vendo-
ao homem.
se sem esperanças, chamou por Deus.
 Sentido de qualificar – VTD ou VTI => Ex:
Chamavam-no (de) maravilhoso.
REGÊNCIA - 2 Siglas: VTD – verbo transitivo direto/ VTI – verbo transitivo indireto/ VI – verbo intransitivo/ VL – verbo de ligação

VTI – Admite duas construções:


Ex: Avisei o funcionário sobre a falta grave. Avisar
OU Informar
Avisei ao funcionário sobre a falta grave. Prevenir 1 só coisa – VTD => Ex: Prefiro
Observação: o não pode aparecer dois objetos Certificar chocolate.
indiretos! Cientificar PREFERIR
Entre 2 coisas – VTI (A) => Ex:
Prefiro chocolate a sorvete/Prefiro o
 Sentido de dar andamen-
chocolate ao sorvete.
to/realizar – VTI
(A) => Ex: Procedeu à
busca e apreensão dos
PROCEDER VTD – coisa => Ex: A mãe pagou a
bens. conta.
 Sentido de agir/justificar-
se/vir – VI => Ex: Ela pro- REGÊNCIA PAGAR/
Com a preposição de – VTD –
cedeu bem/ A ofensa somente => Ex: Perdoou o erro do
VERBAL PERDOAR
colega. Objeto direto – o erro do
não procede/ O navio
procede de Santos. colega.

VTI – pessoa => Ex: Perdoou aos


inimigos.
OBEDECER RESPONDER

VTI (A) => Ex: A novata obedeceu às instruções


VTD – em relação à própria resposta dada => Ex: Responderam que estavam cansados.
passadas pelos veteranos.
VTI (A) – em relação a coisa ou pessoa que receba a resposta => Ex: Respondi à carta./
Respondeu ao chamado do cliente.

Quando houver dois objetos => Ex: Respondemos aos clientes que aceitávamos as
propostas enviadas.
REGÊNCIA - 3 Siglas: VTD – verbo transitivo direto/ VTI – verbo transitivo indireto/ VI – verbo intransitivo/ VL – verbo de ligação

VTDI – Ex: O supervisor informa o resultado


ao funcionário.
INFORMAR
VTD – Ex: A televisão também serve de meio VTD => Ex: Satisfiz as suas vontades.
AJUDAR/
para informar ao público.
SATISFAZER OU
/ PRESIDIR/
VTI (A) => Ex: Satisfiz às suas
PROCEDER vontades.
 Sentido de pressupor/ acarretar –
VTD (não tem “em”) => Ex: As
alterações implicarão mudanças VTD – não pronominal => Ex:
de cargos. IMPLICAR Esqueci o número das chaves.
 Sentido de demonstrar antipatia –
VTI => Ex: Sempre implicava REGÊNCIA VTI – pronominais (DE) => Ex:
LEMBRAR/ Lembrei-me da felicidade daquela
com as moças bonitas.
Verbal ESQUECER época.
 Sentido de envolver – VTDI =>
Ex: Implicaram o advogado no VTI – cair no esquecimento/ vir a
processo. lembrança => Ex: Esqueceram-me as
roupas.
VISAR

VTD – pôr o visto, rubricar => Ex: O professor visou as provas.

VTI – mirar => Ex: Visava no centro do vidro.

VTI – pretender/ almejar => Ex: Visava um futuro melhor.


CONCORDÂNCIA VERBAL – REGRA GERAL

Concorda sempre com o sujeito:


Ex: Já bateram nove horas.
No relógio já deram duas horas. (neste
DAR/
O verbo concorda com
exemplo a concordância segue o objeto: duas BATER/ o sujeito (SIMPLES)
horas). SOAR em número e pessoa!

Tratando-se de horas ou datas, a


S
concordância se dará de acordo
com o numeral, com a palavra dia E
expressa ou com o verbo no

singular.
R
REGRA GERAL

INTERROGATIVOS

(??)
QUE/ QUEM – o verbo concordará com o
predicado => Ex: Quem são estas crianças./
Que eram, afinal, os incômodos?
CONCORDÂNCIA VERBAL – VERBO NO SINGULAR

 Quando indicarem fenômenos naturais;


 HAVER – indicando tempo => Ex: Ela saiu há várias
horas.
– sentido de existir => Ex: Há muitas coisas
VERBOS sem esclarecimento. (EM CASO DE AUXILIAR, A
IMPESSOAIS – VARIAÇÃO SEGUE O PRINCIPAL)
– principal em locução verbal => Ex: Deve
3ª PESSOA DO
Presente a ideia de exclusão: “Um ou outro” ou haver solicitações. (O AUXILIAR PERMANECE NO
Ex: Um ou outro levará vantagem. SINGULAR SINGULAR)
Nem um nem outro irão, após “Nem um nem
 Quando indicar tempo – no sentido de fazer => Ex: Faz
a briga que tiveram. outro” anos que não vou à praia.
– no sentido de ir

Quanto o sujeito for composto, mas as palavras que


o compõem forem sinônimas.

Ex: Alegria e felicidade faz bem à humanidade.


CONCORDÂNCIA VERBAL – VERBO NO SINGULAR OU NO PLURAL

 Quando o sujeito composto estiver após o verbo, a


concordância poderá ser atrativa, ou seguir a regra
Sujeito composto geral:
Ex: Estudam para os exames, Luiz e Ana. OU Estuda
para os exames, Luiz e Ana.
 Quando houver núcleos com correlação:
“COM” – ou com o antecedente;
“OU” – não exclusivos.
Expressões semelhantes a “a maioria
Ex: A maioria dos pais de”, “a maior parte de” e “grande
compareceu. parte de”
A maioria dos
+ Para pronomes interrogativos ou
pais compareceram.
Palavra no plural indefinidos ou interrogativos, seguidos
de pronome.

SINGULAR OU PLURAL -
Para pronomes neutros, indefinidos, OPCIONAL
como tudo, nada, muito, algo,
aquilo, tanto, isto.
OU
Regidos da preposição “de”.
Ex: Tudo eram felicidades.
Tudo era felicidades. “Um outro e outro”

“Um dos que”

Ex: Era um dos que mais reclamava.


Era um dos que mais reclamavam.
Um e outro atleta se hidratou bem.
Um e outro atleta se hidrataram bem.
CONCORDÂNCIA VERBAL – CASOS ESPECIAIS

Sinônimos – verbo no singular

Sujeito composto Após o verbo – verbo pode estar tanto


Plural - Ex: Fui eu quem notou a falta do no singular quanto no plural.
presidente.
OU QUEM - Relativo
Singular – Ex: Fui eu quem notei a falta do Expressão referindo-se à quantidade
presidente. aproximada + o numeral

Concorda com o substantivo.

Ex: Cerca de três mil pessoas foram


 Artigo plural – Plural => ao show.
Ex: Os Estados Unidos
enviaram ajuda. Sujeito
 Sem artigo - Singular => plural CASOS ESPECIAIS
Mais/menos de
Ex: Minas Gerais tem
muitas belezas.
1 – singular

Parece +1 – verbo opcional – pode ser


r tanto no plural quanto no singular
Pronomes indefinidos
Se locução verbal – concorda com o sujeito =>
Ex: Parecem chorar as crianças.
No singular – singular => Ex: Algum de nós
Se duas orações = > Ex: Parece chorarem as “Se”
atingirá o objetivo do projeto.
crianças./ Parece que choram as crianças.
No plural – verbo pode tanto estar no singular Para “se” apassivador, o verbo será transitivo direto – poderá inverter
quanto no plural => Ex: Algum de nós atingirá o (varia) => Ex: Esperam-se melhores resultados = Melhores resultados
objetivo do projeto./ Algum de nós atingirão o são esperados.
objetivo do projeto.
Para “se” como índice de indeterminação do sujeito – não é verbo
transitivo direto, então estará sempre no singular => Ex: Estuda-se
pouco (VI)./ Ficou-se envergonhado (VL).
Concordância nominal – REGRA GERAL

Em geral, a palavra que acompanha


o substantivo, com ele concordará.

Será variável quando


houve adjetivo.

APENSO

ANEXO – caso seja “em anexo”,


será invariável

INCLUSO

QUITE

CONFORME

OBRIGADO – resposta: “por


nada”
CONCORDÂNCIA NOMINAL – CASOS ESPECIAIS 2

Se sinônimos, concordam com o mais


Em caso de sujeito como próximo. Ex: Argumento e opinião
pronome de tratamento, a Substantivos exata.
concordância se dará de
acordo com o sexo das Se antônimos, teremos o plural dos
pessoas. gêneros. Ex: Semana e mês frios.
+ 1 Substantivo (Gênero: masculino)
1 Adjetivo

 Quando o adjetivo vem antes, a


concordância pode ser: ATRATIVA (Ex:
Má hora e sorte); ou caso tenha um artigo CASOS ESPECIAIS
no meio, OPCIONAL (Ex: Chegaram
decepcionados, o pai e o filho. OU
Chegou animado o pai e o filho.).
 Quando o adjetivo vem depois, a
concordância pode ser GRAMATICAL
(Ex: Mulher e moça altas./ Mulher e
rapaz altos.); ou ATRATIVA (Ex:
Mulher e moça alta./ Mulher e rapaz
alto.). Pedem substantivo no singular

“Um e outro” / “Nem um nem outro” => Ex: Um ou outro lhe desagrada naquele grupo.

Pronomes neutros indefinidos => Nada, muito, algo, tanto, que... e também os regidos pela
preposição de.

Predicativo com o sujeito => Ex: É preciso, é bom, é necessário... não há determinação
pelo artigo.
CONCORDÂNCIA NOMINAL – CASOS ESPECIAIS 3

Quando funcionar como advérbio, não


Ex: Ela chegou toda
varia. Ex: Estavam bastante tristes =
ensanguentada. OU Ela chegou
BASTANTE Estavam muito tristes.
todo ensanguentada.
Caso funcione como adjetivo, varia.
“Todo” – invariável ou
Ex: Recebeu bastantes visitas –
variável
Recebeu muitas visitas.
MEIO

 Quando classificar-se como advérbio,


será invariável. Ex: Estavam meio
calados.
 Quando classificar-se como adjetivo, CASOS ESPECIAIS
será variável. Ex: Meia maçã./ Meio
Obs: Para expressões
limão.
como “todo-
poderoso”, por
exemplo, o termo
todo não varia!
Toda-poderosa.
INVARIÁVEL
 Advérbios – alerta, menos, monstro;
 Cores – ultravioleta, azul-celeste, azul-marinho
=> Obs: o mesmo vale para as frases onde o termo
“cor de” esteja oculto.
 Haja vista
CONCORDÂNCIA NOMINAL – CASOS ESPECIAIS 2

EZ e EZA:
Ex: Surdo > surdez.
ADJETIVOS >
 Original com S = > |SAR = Ex: atraso > Gentil > gentileza
SUBSTANTIVOS
atrasar.

ATENÇÃO – regra não aplicável às Z


palavras: batismo, hipnose, síntese e |SAR -
catequese. |ZAR  Depois de ditongos => eleição;
 Quando a palavra deriva de outra,
 Original sem S => |ZAR = Ex: cicatriz Ç com “t” no radical => cantar >>
> cicatrizar/ útil > utilizar canção; optar >> opção.

Verbos >> Substantivos

ENDER >>
SS ENSÃO
 Ceder >> cessão = Ex:
Ex: compreender >>
Conceder >> concessão;
compreensão.
 Gred >> gressão = Ex:
Agredir >> agressão;
 Itir >> issão = Ex:
permitir >> permissão. S
 Termos femininos final |ESA ou |ISA => Barão > baronesa/ profeta > profetisa;
 Origem, naturalidade, posição social com fim |ÊS => burguês/ javanês/ pequinês;
 PÔR, QUERER e derivados => nós pusemos, nós quisemos;
 Sufixos |OSO/ |OSA/ |OSE => grandioso, precioso, maravilhosa, fogosa, psicose,
hematose;
 Após ditongos => coisa, maisena, Sousa, Neusa.
ORTOGRAFIA – 2 – USO DE G/J E X/CH

 Depois de ditongo => caixa, frouxo,


 Para final “agem” = passagem, viagem,
encaixar. Exceto para recauchutar e
ferrugem. Exceto para as palavras pajem,
derivados => CH.
X lambujem.
 Depois do prefixo EN => enxada, G
X  Para final “ege; igem; oge; ugem” = herege,
enxaqueca, enxugar. Exceto para
CH lambugem, vertigem.
palavras oriundas de primitivas com –CH
 Para final “(A,E,I,O,U) + gio” = agiota, colégio,
= encher >> enchente; encharcar.
litígio.
 Depois do prefixo ME => mexerica,
 Depois da inicial “a” = agente, ágil, agir.
mexilhão, mexicano. Exceto para mecha
Exceto para a palavra ajeitar, que provém de
(cabelo).
jeito.

J
 Verbos terminados em “|JAR” = bocejar, sacolejar, viajar, despejar, arranjar,
sujar, esbanjar.
 Palavras que tenham primitivas com “j” = sarja > sarjeta; varejo > varejista.
Exceto para anjo > angélico.
 Palavras de origem tupi-guarani, africana ou árabe ou, ainda, popular = canjica,
jiboia, jenipapo, caçanje.
CONCORDÂNCIA NOMINAL – CASOS ESPECIAIS 2
Ex: Quero mais exemplares desta
Mais ≠ menos revista.

Ex: Saiu cedo, mas o ônibus demorou a


Mas = porém
passar.
Ex: Trabalho na seção
Seção: com sentido de divisão
de finanças. Ex: Apesar de muito jovens, as
=> repartição, parte. Más ≠ boas
crianças eram más.

Ex: O filme que queremos Sessão: no sentido de


reunião. Tampouco = também Ex: Não dança, tampouco canta.
ver terá uma sessão hoje.

Ex: O contrato de Tão pouco = muito Ex: O salário era tão pouco
cessão de direitos fora Cessão: sentido de ceder.
pouco que mal alimentava.
assinado.
EMPREGO DAS
PALAVRAS

Ex: Tinha o mau hábito


Mau ≠ bom Acerca de = a Ex: Conversaram acerca de
de afanar objetos.
respeito de futebol.

Ex: Continua mal de Mal ≠ bem A cerca de = Ex: Estavam a cerca de 2


saúde, desde o acidente. aproximadamente metros do palco.

Há cerca de  Sentido de existir – há aproximadamente.


Ex: Há cerca de 300 pessoas na casa
noturna.
 Sentido de haver – tempo corrido. Ex:
Saíram há cerca de 30 minutos.
HÍFEN - aplicação

SEMPRE usar: aquém, Para sufixos de origem Ex: Mogi-Guaçu, Mogi-Mirim, amoré-
além, recém, sem/ ex/ tupi-guarani => Açu, guaçu, anajá-mirim.
pró, pré, pós/ soto/ vice. guaçu, mirim.

Ex: super-homem, anti- Quando o 2º elemento


higiênico, sobre- iniciar-se por “H”.
humano.

Quando o prefixo terminar com determinada

HÍFEN
vogal, que dará início à palavra seguinte:
PAN Quando o 2º elemento “A-
“AA”, “EE”, “II”, “OO”, “UU”.
E-I-O-U”, M ou N
CIRCUM
Anti-imperialista, anti-inflamatório, contra-ataque,
micro-ondas, micro-ônibus, semi-internato.

Quando o prefixo terminar com determinada


consoante, que dará início à palavra seguinte:
“RR”, “SS”...

Hiper-requintado, super-resistente, super-reacionário, super-reagente, super-


romântico, inter-regional,

 Nos demais casos não se utiliza hífen.


HÍFEN – 2 – não se utiliza

 E começar por vogal => Ex: hiper-


Não se utilizará quando o ativo, interestadual, interestelar,
prefixo terminar por superamigo, superaquecimento,
consoante superexigente, supereconômico,
superinteressante.
 E começar por consoante diferente
Ex: girassol, madressilva, Não se utilizará com => Ex: intermunicipal, supersônico.
mandachuva, paraquedas, palavras que perderam a
paraquedista, pontapé noção de composição

HÍFEN

Não se utilizará com substantivos/adjetivos


compostos

Fim de semana, café com leite, pão de mel.

ATENÇÃO PARA AS EXCEÇÕES => água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-


rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia, ao-deus-dará, à-queima-roupa.
HÍFEN – 3 – não se usa hífen – Prefixos terminados em vogal

Ex: Anteprojeto, autopeça,


+ Consoante diferente de
coprodução, geopolítica,
“R” ou “S”. microcomputador, semicírculo,
Ex: Agroindustrial, seminovo, ultramoderno.
anteontem, antiaéreo,
autoescola, autoestrada,
coautor, coedição, + Vogal diferente
extraescolar,
infraestrutura, plurianual,
semiaberto.

PARA PREFIXO + Consoante “R” ou “S”

QUE TERMINA Duplicam-se as consoantes finais

EM VOGAL, NÃO
Antirrugas, antissocial, biorritmo, contrassenso,
USAREMOS
microssistema, minissaia, ultrassom, semirreta.
HÍFEN:

O prefixo “CO” aglutina-se com o segundo


elemento, mesmo quando este inicia-se
também por “o”.

Coobrigar, coordenar, coobrigação,


cooperar, coocupar.
Empregos das palavras porque/ porquê/ por que/ por quê

 Utiliza-se “por quê” sempre que estiver


 c
Utilizaremos “por que” sempre que for no fim de uma frase;
Por quê
sinônimo “por qual razão”, “por qual  Antes de pontuação => Ex: Você nem
motivo”, “pelo (a) qual”; imagina por quê./ Não comprou por
 Sempre que estiver no início ou no meio da quê?/ Claro que sei por quê!
frase;
 Quando for utilizado em perguntas => Ex:
Por que (razão) você não foi à escola hoje?/ Por que
Pergunto-me por que você não foi à escola
hoje.
 Quando a frase for afirmativa => Ex: Ela
nem imagina por que isso aconteceu.
Porquê
PORQUÊ?
 “O motivo” – substantivo;
 Pode ir para o plural;
 Depois de:
- Artigo definido (o, os) => Ex: Não sei o
porquê da demissão.
Porque - Pronome adj. (meu, seu) => Ex: Ela deve ter
seus porquês.
 Quando sinônimo de “pois”, “uma vez - Numerais => Ex: Existem 3 porqu
que”, “causa”. Ex: Estude para este
concurso, porque há muitos candidatos
inscritos.
 Quando utilizado em respostas. Ex: Ele
não foi à aula porque estava doente.
Plural dos compostos

Casos especiais: “o bem-me-quer =os “pai-nosso = pais nossos = pai-


bem-me-queres”; “o João-ninguém = os nossos”; “padre-nosso = padres-
joões-ninguém”; “o lugar-tenente = os Admitem mais de um nossos = padre-nossos”; “terra-nova
lugar-tenentes”; “o mapa-múndi = os plural: = terras-novas = terra-novas”;
“salvo-conduto = salvos-condutos =
mapas-múndi”.
salvo-condutos”; “xeque-mate =
xeques-mate = xeques-mates”.
 Quando há verbo + palavra
invariável => “cola-tudo = Nenhum dos
os cola-tudo”; elementos varia
Só o primeiro varia
 Quando há 2 verbos de
sentidos opostos => “o  Quando há preposição, ainda que oculta => “pé-
perde-ganha = os perde- de-moça = pés-de-moça;
ganha”; 
 Nas frases substantivas => PLURAL DOS Quando o 2º substantivo determine o 1º =>
“banana-nanica = bananas-nanica”.
“o Maria-vai-com-as-outras
= os Maria-vai-com-as-out-
COMPOSTOS
ras”;
 Invariáveis => “o arco-íris =
os arco íris”.

Os 2 variam
Apenas o último elemento varia
Quando formados por substantivo + adjetivo/
substantivo/ numeral/ pronome => “amor-  Quando são adjetivos => “hispano-americano = hispano-americanos”. Exceção – surdo mudo =
perfeito = amores-perfeitos”; “couve-flor = surdos-mudos;
couves-flores”; “segunda-feira = segundas-
 Aparecem os adjetivos GRÃO, GRÃ, BEL => “bel-prazer = bel-prazeres”;
feiras”.
 Quando é formado por verbo ou qualquer elemento invariável (advérbio, interjeição, pronome) +
substantivo/ adjetivo => “arranha-céu = arranha-céus”;
 Quando os elementos são repetidos ou onomatopaicos => “reco-reco = reco-recos”, “bem-te-vi =
bem-te-vis” ou verbos repetidos (admite-se também pôr os 2 no plural) => “pisca-pisca = pisca-
piscas = piscas-piscas”.
 Particípio regular = ter/haver (|ido/ |ado);
VERBOS - Introdução
 Particípio irregular = ser/estar = abrir, cobrir,
dizer, escrever, fazer, pôr, ver, vir;
Formas  AMBOS => “pegar, pagar, ganhar e gastar”.
nominais  Gerúndio presente => falando;
 Gerúndio pretérito => tendo falado;
 Voz passiva – geralmente => ser/estar;  Infinitivo impessoal – sem sujeito = > Viver é
 Tempos compostos – geralmente => ter/haver; preciso;
 Auxiliares modais – expressam:  Infinitivo pessoal – com sujeito => É preciso
- Início/fim – comecei.../acabei... vivermos com sabedoria.
- Continuidade – vai caminhando; Locuções verbais
- Obrigação – tive;
- Possibilidade – posso;
- Dúvida – parece;
- tentativa – procura;
QUEM VARIA É O AUXILIAR!
Modos
VERBOS
Diversas atitudes da pessoa que fala, com relação ao fato
anunciado:

 Indicativo – fato = atitude que expressa certeza;


QUADRO DE TEMPOS VER BAIS:
Formas  Subjuntivo – hipótese;
 Imperativo = ordem, pedido.
 Presente;
As formas rizotônicas ou arrizotônicas indicam a sílaba tônica do verbo. Alguns
 Pretérito perfeito; verbos têm sua conjugação determinada por esta classificação:
 Pretérito perfeito composto;
 Pretérito imperfeito;  RIZOTÔNICAS – acento tônico no radical;
- Presente do indicativo/subjuntivo (eu, tu, ele e eles);
 Pretérito mais que perfeito;
- Imperativo afirmativo/negativo (tu, você, vocês) => Falam; Comem.
 Pretérito mais que perfeito
 ARIZOTÔNICAS – acento tônico fora do radical, na terminação verbal =>
composto;
amarás, comerão.
 Futuro do presente;
 Futuro do presente composto;
 Futuro do pretérito.
VERBOS – Modo indicativo Fato futuro em relação ao passado,
ironia ou pedido de cortesia => Ex: Se
eu morresse amanhã, minha esposa, de
FUTURO DO tristeza, morreria./ Daria para
Um fato que ocorre no momento em que PRETÉRITO respeitar os mortos?
se fala, uma ação habitual ou uma
PRESENTE
verdade universal => Ex: Ele mora em Composto – Ex: Se tivesse comido do
Buenos Aires./ Como aveia todos os bolo envenenado, teria passado mal.
dias./ O homem é fraco.

Deriva subjuntivo ou imperativo. PRETÉRITO


IMPERFEITO
Ação que ocorrerá no futuro, ou
ocorrência no futuro de fato iniciado FUTURO DO
MODO
no presente => Ex: Defenderei os PRESENTE Um fato contínuo, permanente ou habitual; um fato
menos afortunados./ Terei defendido passado, mas de localização incerta no tempo; oi ainda,
os menos afortunados. INDICATIVO um fato presente em relação a outro passado => Ex: Eles
vendiam sempre mais barato./ Era uma vez uma menina
muito bonita./ Eu via novela quando ela adentrou a
sala.

Passado do passado => Ex: Ele


PRETÉRITO MAIS
comprou a chácara com o dinheiro da
QUE PERFEITO
herança que recebera.

PRETÉRITO PERFEITO

Fato já ocorrido ou concluído => Ex: Trocaram carícias ao entardecer.

Pode ser composto – como continuidade de um ato iniciado no passado => Ex:
Tenho me exercitado todas as manhãs.
VERBOS - Classificação

Na dúvida utilizar os
REGULARES: não IRREGULARES:
verbos: 1ª P. FALAR/ 2ª
sofrem alterações no sofrem alterações no Ex: Fazer => faço, fazes, fiz, fizestes...
P. BEBER/ 3ª P.
PARTIR
radical. radical

Ex: Ser = sou, é, ANÔMALOS: sofrem


foi... grandes alterações no
radical

Regular – voz ativa, |ado e ABUNDANTES: duas


|ido => ter, haver; formas de mesmo valor, em
DEFECTIVOS:
geral no particípio. CLASSIFICAÇÃO
Irregular – voz passiva => Não possuem conjugação completa, não têm 1ª pessoa
ser, estar. do singular (explodir, abolir, colorir), são conjugados
apenas em 1ª e 2ª pessoal no plural (reaver), só na 3ª
pessoa (urgir), unipessoais (doer).
VERBOS – modos subjuntivo e imperativo
INDICATIVO – vide
mapa 24*

MODOS

SUBJUNTIVO

Expressa incerteza, dúvida, hipótese.

 PRESENTE – Fato presente, mas duvidoso ou incerto IMPERATIVO


(Ex: Talvez eles não façam tudo aquilo que pedimos);
Um desejo, ou uma vontade (Ex: Espero que eles faça
tudo que combinamos); baseado na 1ª pessoa do sujeito Expressa uma ordem, uma vontade, um desejo.
presente do indicativo (Ex: Indicativo – eu falo/ sub-
juntivo – fale, falas).  Pode ser afirmativo – Ex: Pensa antes de
 PRETÉRITO PERFEITO – trata-se de uma hipótese responder.
composta. Ex: Talvez eu não tenha me comportado  Pode ser negativo – Ex: Não temas o destino!
muito bem.  Pode derivar do presente do subjuntivo.
 PRETÉRITO IMPERFEITO – Ex: Se tivesses coragem,
estaria lutando por justiça. EXCEÇÃO – TU E VÓS: imperativo afirmativo e
presente do indicativo, sem o “s”.
 PRETÉRITO MAIS QUE PERFEITO – Exprimem uma
ação anterior que condiciona outra ação passada, é
composta – Ex: Se tivesse ouvido conselhos, não sofre-
ria.
 FUTURO – é a possibilidade a ser concluída em relação
a um fato no futuro – Ex: Quando eu voltar, saberei
como agir.
VERBOS – Conjugação: PROVER e REQUERER

Presente do indicativo – provejo, provês, provê, provemos, provedes,


proveem.
Presente do indicativo – requeiro, Presente do subjuntivo – proveja, provejas, proveja, provejamos,
requeres, requer, requeremos, requereis, provejais, provejam.
PROVER =
requerem. REQUERER = querer sentido de ver Imperativo afirmativo – provê, proveja, provejamos, provede,
Presente do subjuntivo – requeira,
provejam.
requeiras, requeira, requeríamos,
Imperativo negativo – não provejas, não proveja, não provejamos,
requeirais, requeiram.
não provejais, não provejam.
Imperativo afirmativo – requere, requeira,
requeiramos, requerei, requeiram.
2ª conjugação regular - ER
Imperativo negativo – não requeiras, não
requeira, não requeiramos, não requeirais,
não requeiram. Pretérito perfeito do indicativo – provi, proveste,
proveu, provemos, provestes, proveram.
CONJUGAÇÕES Pretérito mais-que-perfeito do indicativo – provera,
proveras, provera, provêramos, provêreis, proveram.
2ª conjugação regular - ER Futuro do subjuntivo – prover, proveres, prover,
provermos, proverdes, proverem.
Pretérito imperfeito do subjuntivo – provesse, provesses,
Pretérito perfeito do indicativo – requeri, requereste, requereu, requeremos, requerestes, requereram. provesse, provêssemos, provêsseis, provessem.
Pretérito mais-que-perfeito do indicativo – requerera, requereras, requerera, requerêramos, Futuro do presente – proverei, proverás, proverá,
requerêreis, requereram. proveremos, provereis, proverão.
Futuro do subjuntivo – requerer, requereres, requerer, requerermos, requererdes, requererem. Infinitivo pessoal – prover, proveres, prover,
Pretérito imperfeito do subjuntivo – requeresse, requeresses, requeresse, requerêssemos, requerêsseis, provermos, proverdes, proverem.
requeressem. Pretérito imperfeito do indicativo – provia, provias,
Futuro do presente – requererei, requererás, requererá, requereremos, requerereis, requererão. provia, províamos, províeis, proviam.
Infinitivo pessoal – requereria, requererias, requereria, requereríamos, requereríeis, requereriam. Futuro do pretérito – proveria, proverias, proveria,
Pretérito imperfeito do indicativo – requeria, requererias, requeria, requereríamos, requereríeis, proveríamos, proveríeis, proveriam.
requereriam. Formas nominais – prover, provendo, provido.
Futuro do pretérito – requereria, requererias, requereria, requereríamos, requereríeis, requereriam.
Formas nominais – requerer, requerendo, requerido.
VERBOS – Conjugação: VIGER E PRECAVER-SE
Presente do indicativo - ///, ///, ///, precavemo-nos,
precavei-vos, ///.
Presente do subjuntivo - ///, ///, ///, ///, ///, ///.
Imperativo afirmativo - ///, ///, ///, precavei-vos, ///.
Imperativo negativo - ///, ///, ///, ///, ///.
PRECAVER- Pretérito perfeito do indicativo – precavi, precaveste,
SE – só possui precaveu, precavemos, precavestes, precaveram.
Ambas seguem o termo formas Pretérito mais-que-perfeito do indicativo – precavera,
“vender” para 2ª conjugação arrizotônicas - precavera, precavera, precavêramos, precavêreis,
(regular). PRONOMINAL precaveram.
Futuro do subjuntivo – precaver, precaveres, precaver,
precavermos, precaverdes, precaverem.
Pretérito imperfeito do subjuntivo – precavesse,
precavesses, precavesse, precavêssemos, precavêreis,
precavessem.
CONJUGAÇÕES Futuro do presente – precaverei, precaverás, precaverá,
precaveremos, precavereis, precaverão.
Infinitivo pessoal – precaver, precaveres, precaver,
VIGER precavermos, precaverdes, precaverem.
Pretérito imperfeito do indicativo – precavia, precavias,
precavia, precavíamos, precavíeis, precaviam.
Só onde “g” é seguido de “e” ou “i” Futuro do pretérito – precaveria, precaverias,
Presente do indicativo - ///, viges, vige, vigemos, vigeis, vigem. precaveria, precaveríamos, precaveríeis, precaveriam.
Presente do subjuntivo - ///, ///, ///, ///, ///, ///. Formas nominais – precaver, precavendo, precavido.
Imperativo afirmativo - ///, vige, ///, vigei, ///.
Imperativo negativo - ///, ///, ///, ///, ///.
Pretérito perfeito do indicativo – ///, vigeste, vigeu, vigemos, vigestes, vigeram.
Pretérito mais-que-perfeito do indicativo – vigia, vigias, vigia, vigíamos, vigíeis, vigiam.
Futuro do subjuntivo – vigera, vigeras, vigera, vigêramos, vigêreis, vigeram.
Pretérito imperfeito do subjuntivo – vigesse, vigesses, vigesse, vigêssemos, vigêsseis, vigessem.
Futuro do presente – vigerei, vigerás, vigerá, vigeremos, vigereis, vigerão.
Infinitivo pessoal – viger, vigeres, viger, vigermos, vigerdes, vigerem
Pretérito imperfeito do indicativo – vigia, vigias, vigia, vigíamos, vigíeis, vigiam.
Futuro do pretérito – vigeria, vigerias, vigeria, vigeríamos, vigeríeis, vigeriam.
Formas nominais – vigido.
VERBOS – Conjugação: HAVER e REAVER Presente do indicativo – hei, hás, há, havemos, haveis,
hão.
Imperativo afirmativo – há, haja, hajamos, havei,
hajam.
Imperativo negativo – não hajas, não haja, não
hajamos, não hajais, não hajam.
Pretérito perfeito do indicativo – houve, houvesse,
houve, houvemos, houvestes, houveram.
Pretérito mais-que-perfeito do indicativo – houvera,
HAVER houveras, houvera, houvéramos, houvéreis, houveram.
Futuro do subjuntivo – houver, houveres, houver,
houvermos, houverdes, houverem.
Pretérito imperfeito do subjuntivo – houvesse,
houvesses, houvesse, houvéssemos, houvésseis,
houvessem.
Futuro do presente – haverei, haverás, haverá,
CONJUGAÇÕES
haveremos, havereis, haverão.
Infinitivo pessoal – haver, haveres, haver, havermos,
REAVER haverdes, haverem.
Pretérito imperfeito do indicativo – havia, havias, havia,
Somente quando “HAVER” for conjugado com “v” havíamos, havíeis, haviam.
Presente do indicativo - ///, ///, ///, reavemos, reaveis, ///. Futuro do pretérito – haveria, haverias, haveria,
Presente do subjuntivo - ///, ///, ///, ///, ///, ///. haveríamos, haveríeis, haveriam.
Imperativo afirmativo - ///, ///, ///,reavei-vós, ///. Formas nominais – haver, havendo, havido.
Imperativo negativo - ///, ///, ///, ///, ///.
Pretérito perfeito do indicativo – reouve, reouveste, reouve, reouvemos, reouvestes, reouveram.
Pretérito mais-que-perfeito do indicativo – reouvera, reouveras, reouvera, reouvéramos, reouvéreis,
reouveram.
Futuro do subjuntivo – reouver, reouveres, reouver, reouvermos, reouverdes, reouverem.
Pretérito imperfeito do subjuntivo – reouvesse, reouvesses, reouvesse, reouvéssemos, reouvésseis,
reouvessem.
Futuro do presente – reaverei, reaverás, reaverá, reaveremos, reavereis, reaverão.
Infinitivo pessoal – reaver, reaveres, reaver, reavermos, reaveres, reaverem.
Pretérito imperfeito do indicativo – reavia, reavias, reavia, reavíamos, reavíeis, reaviam.
Futuro do pretérito – reaveria, reaverias, reaveria, reaveríamos, reaveríeis, reaveriam.
Formas nominais – reaver, reavendo, reavido.
VERBOS – Conjugação: TER, VIR, LER, CRER, VER

COMPOR
REVER REPOR
PREVER IMPOR
POR
ANTEVER EXPOR
LER, DEPOR
Obs: perdem o acento
CRER,
quando terminados em
“eem” => veem, leem, VER
creem
VERBOS

VIR
TER
Ele vem – monossílabo átono
Eles vêm – acento diferencial
Ele tem – monossílabo átono Intervir – tu intervéns, ele intervém – oxítona
Eles têm – acento diferencial terminada em “em”.
Deter – tu deténs, ele detém – oxítona terminada Eles intervêm – acento diferencial
em “em” O mesmo se aplica a: advir, provir, convir.
Eles detêm – acento diferencial
O mesmo se aplica a: entreter, reter, manter,
conter.
VERBOS – Conjugação: OUTROS
A maioria é regular.
Exceto: MARIO – Mediar, Ansiar, Remediar,
|IAR
Incendiar, Odiar. Como |EAR.

Passear, recear, pentear, saborear,


ladear... => apresentam o ditongo ei nas
formas rizotônicas => Presente do
indicativo: passeio, passeias, passeia,
passeamos, passeais, passeiam.
|EAR |AIR
Presente do subjuntivo: passeie, VERBOS
passeies, passeie, passeemos, passeeis,
TERMINADOS Cair – caio, cais, cai, caímos, cais, caem.
passeiem.
EM Atrair
Sobressair

|OER |UIR

Moer – moo, móis, mói,


moemos, moeis, moem. Influir – influo, influis, influi, influímos, influis,
Remoer influem.
Soer Obstruir
Doer Concluir
Construir
Distribuir
Incluir
Instituir
VERBOS – Voz Passiva

É possível inverter!

Sujeito é quem sofre ação verbal


Ex: Comeu-se dos docinhos. O verbo é sempre transitivo direto,
exceto se o objeto estiver
Se VTD ou VTDI, ou ainda passa a ideia de
preposicionado.
passividade = > E

Sintética ou nominal – com o pronome


apassivador “se”

VOZ Ex: Derrubou-se a árvore.

PASSIVA
Analítica ou verbal

SER/ESTAR – auxiliar + verbo principal no


particípio = Ex: A árvore foi derrubada pela
enxurrada.

Índice de indeterminação do
sujeito (SE) = para verbos
intransitivos, transitivos
indiretos e de ligação – NÃO
INVERTE!
ACENTUAÇÃO – Regras gerais
Agudo = terminados em A|E|O (S) =>
Ex: já, cajá, ás, ananás, fé, café,
Oxítonas terminadas
em jacaré, pó, cipó, filó.
Ditongos abertos em – Circunflexo = terminados em E|O (S)
éu => Ex: céu, chapéu, => Ex: crê, dendê, freguês, avô, bordô,
beleléu. Casos especiais propôs.
Infinitivos seguidos dos pronomes
oblíquos = Lo (s), La (s) => Ex: dá-lo,
vendê-lo.
Todas são acentuadas! PROPAROXÍTONAS Em –em e –ens = Ex: alguém,
armazém, ninguém.

 I (s) Us – dândi,
júri, táxi; Paroxítonas terminadas ACENTUAÇÃO
 Ã/ ãs – imã, órfã, em
ímãs;
 Ão/ aos – bênção,
órfão, órgãos;
 L - Amável, fácil,
imóvel ;
 um, uns - Álbum,
médium, álbuns –;
 N – hífen, Nilton;
 Ps – bíceps,
fórceps, tríceps;
 R – César, mártir,
volverer;
 X – fênix, látex;
 Ditongo –
falência, órfãos.
ACENTUAÇÃO – Alterações oriundas da reforma ortográfica

Duplo “e” ou “o” =>


Ex: enjoo, voo, veem.
Circunflexo em
TREMA

 Para (verbo) = Para


(preposição) Acento
 Pelo (substantivo) = diferencial NÃO TEM MAIS
pelo (preposição)

Paroxítonas: agudo ditongo aberto “ei” ou


“oi” => ideia.

Nos ditongos abertos de palavras oxítonas e


monossílabas o acento continua => Herói,
dói, anéis.

Para o ditongo aberto “eu” o acento também


prevalece => céu, chapéu, véu.