Você está na página 1de 28

1º ATO - ENGOLIR O AR {O arauto do rei toca o clarim para anunciar a entrada da Magnólia}

Arauto: E agora, recebam com toda reverência, a excelentíssima Magnólia.

{Palhaços entram em pânico/Entra Magnólia enquanto palhaços se posicionam para


apresentação}

Azul: O grande dia chegou a gente precisa fazer alguma coisa! (Assobia chamando os outros)

Amarela: Cadê ele? Cadê ele? Pelo amor de Deus!

Vermelho: Absurdo! Absurdo! Você viu que a gente ficou plantado no sol igual uns camelos?

Amarela: Tá se achando...vamos lá! Por que você veio primeiro?

Azul: Deixa eu te explicar rapidinho...é porque hoje é a apresentação para a senhora do


palácio!

Vermelho: Que senhora?

Azul: A Magnólia!

Vermelho: Quem é Magnólia?

Azul: Aquela dali...ó!

Amarela: Por que você deixou a gente vir a pé?

Azul: A gente tem que ver primeiro...

Amarela/Vermelho: Cala a boca, cala a bocaaaa (3x)

Azul: Tem gente olhando!

Amarela/Vermelho: Nossa! Meu Deus quanta gente!

{Execução da música: ENGOLIR O AR}

O inverno chegou pra nos esquentar

Empurra o calor pro lado de lá

Empurra as nuvens e faz sopro no céu

Pinte as estrelas e faz um sol no papel


O rei vamos alegra o cântico entoar

A tristeza ficou pro lado de fora

É hora de cantar

Esqueça tudo e vamos pular, brincar e respirar

Abrir o sorriso e engolir o ar, e engolir o ar...

E engolir o ar {FRASE SEM INSTRUMENTAL}

E engolir o ar, e engolir o ar!

Magnólia: Bravo! Bravo! Bravíssimo! Vocês três são incríveis!

Azul: Você está falando sério?

Vermelho: Isso quer dizer que você nos aprovou?

Magnólia: E por quê não aprovaria? Vocês são so melhores palhaços desse reino!

Amarela: Você não sabe como ensaiamos para sermos escolhidos como os palhaços oficiais do
reino.

Magnólia: Eu tenho certeza de que vocês poderão alegrar cada canto do palácio.

Azul: Ô dona Magnólia? Será que o rei irá gostar de nós?

Magnólia: Trabalho com o rei à anos. Tenho certeza de que ele irá recebê-los muito bem. Mas
vocês precisam se apressar porque os cavalos estarão à espera e vocês poderão ser chamados
e precisarão estar prontos

Azul diz a Amarela: Tem que tá pronto!

Amarela diz ao Vermelho: Tem que tá pronto!

Vermelho: Tem que tá... Pode deixar Magnólia porque nós não vamos te decepcionar jamais!
Seremos fiéis eternamente!

Azul: A princesa Branca? Ela vai nos conhecer?

Magnólia: O Rei mantêm a princesa debaixo de muita segurança. É a sua única filha. Isso
significa que se algo acontece à ela, ele é capaz de destruir reinos.

Amarela: O meu sonho é conhecer a princesa. Sempre foi!

Azul: Meu sonho é conhecer a princesa, abraçar a princesa, beijar a princesa...

Vermelho: E o meu sonho é ser a princesa!


{Magnólia tosse}

Magnólia: Bom, os cavalos já estão à espera.

Amarela: Os cavalos...

Azul: Os cavalos...

Vermelho: O cavalo!

Amarela: Aonde? Cavalo!

Vermelho: A nossa vida vai mudar! Avante!

{Trilha de ENGOLIR O AR para encerrar o ato 1}


2º ATO - JUNTOS PODEMOS CANTAR

Rei: Não se preocupe minha filha. Os mesonitas não têm estratégia de guerra e certamente
serão destruídos. Em pouco tempo isso acabará.

Princesa: Papai, você sabe bem que o meu sonho era que essas guerras acabassem. Eu não
consigo dormir tranquila quando você sai para essas batalhas.

Rei: Mas filha! Um rei sem batalhas é um rei sem trono. Você sabe que em breve isso vai
acabar. Não se preocupe. Eu estarei sempre por perto. E sabe o que me dá alegria na volta? É
que eu sempre te encontro em segurança.

Princesa: Eu não sei o que seria de mim sem você, pai. Você é a minha rocha, é a minha
segurança. Mas promete para mim que não vai perder essa batalha?

Rei: Prometo! Eu prometo que por você eu salto muralhas de qualquer reino que se levante
contra nós.

Princesa: Pai, você me acha bonita?

Rei: Filha! Vêm aqui! Você não é simplesmente bonita. Você é perfeita em tudo. Você é linda.

Princesa: Mas olha pai, é que às vezes eu me sinto feia e sem graça.

Rei: Filha, não fale assim! Ultimamente eu tenho percebido você tão distante. Você não pode
ser dessa maneira. Têm que ficar tranquila.

Princesa: Pai, será que você não podia me levar para cavalgar nos montes ou pelos campos?

Rei: Você quer que eu faça uma promessa?

Princesa: Claro.

Rei: Eu prometo que assim que acabar a batalha, eu voltarei e nós vamos cavalgar nos campos.

Princesa: Eu preciso mesmo dar esse passeio, pai. Eu confesso que ficar aqui dentro dessas
paredes têm me sufocado.

Rei: Filha, você nunca falou assim antes. Eu tô começando a ficar preocupado com você.

Princesa: Não me leve à sério. Eu só estou triste pois você vai para esta batalha e eu vou ficar
aqui, sozinha, outra vez.

Rei: Filha, a Magnólia está aqui no castelo. Ela não vai te deixar sozinha. Agora eu preciso ir. Os
cavalos estão esperando.

Princesa: Não se esquece de mim? {Entra o violão}

Rei: Jamais! Como eu posso esquecer da minha filha! Agora eu vou ganhar um prêmio da
minha filha amada.

Princesa: Quê prêmio, pai?


Rei: Um abraço da filha que tanto amo! Filha, os mesonitas não sabem o que o aguardam.
Olha! O meu exército está preparado e eu te prometo que vou destruí-los como nunca antes e
vou fazer isso por você, viu? Não se preocupe!

{Música: JUNTOS PODEMOS CANTAR}

Rei: Agora eu preciso ir mas eu volto, tá? Os cavalos estão esperando.

MÚSICA: JUNTOS PODEMOS CANTAR

Rei: Eu vou para as montanhas

Não sei o que vai me encontrar

Das batalhas não poderei fugir

Mas me basta levantar as mãos e ver o mal cair

Branca: Toda vez que você vai

Meu coração arde com saudades na noite

Sei que estarás longe mas a lua vai te encontrar

Por isso respiro, te olho

Rei: Te encontro

Branca: Me sinto segura mesmo quando não estás por perto

Rei: Sempre estarei aqui

Branca: Sem você eu morro

Rei: Por você eu vivo

DUETO: Juntos podemos cantar

Juntos podemos sorrir

E o sentido da vida encontrar.


3º ATO - NOSSA VIDA É ASSIM

Azul: Esse castelo é fantástico, cara! Aqui deve ter pessoas lindas, que se vestem bem,
suculentos bailes ao molho de suculentos frangos assados, bolos de chocolate, delicios...

{Andreza interrompe o Manassés com um tapa na nuca}

Amarela diz ao Azul: Cala boca! Viemos aqui para alegrar e não comer. Não se esqueça da
nossa missão.

Vermelho: O Azul se lascou, levou um tapão.

Azul: Eu sou o Azul, sou muito legal, vocês que são chatos, são todos do mal.

Amarela diz ao Azul: Você que é do mal, é um sem noção, todo azulzinho, parece um smurf...

{Breve pausa na trilha}

Amarela: ... smurfão!

{Trilha retorna}

Azul: Olha isso aqui!

Amarela: Vem ver depressa!

Vermelho: O que 'cês 'tão vendo?

Azul e Amarela: NÃO TE INTERESSA!

Azul: Parece a velha!

Amarela: A Magnólia...

Vermelho: A velha da praça?

Azul: Me lembra chicória.

Amarela: Garoto estranho! Dá pra parar?

Vermelho: Só pensa em comer...

Azul: ...E VOCÊS CRITICAR!

{Pausa na trilha}

Azul: Ajudar ninguém quer...

Vermelho: Parei de brigar... {Trilha retorna}

Azul: Nossa brincadeira vai continuar

Amarela: São vocês agora que vão rimar...


Amarela: O azul tem cara de...?

{momento que a Amarela e o Vermelho escolhem alguém da igreja para integrar a trupe}

Amarela e Vermelho: Eu achei uma pessoa interessante aqui! É você agora que vai rimar o
azul tem cara de??

Amarela e Vermelho: É você agora que faz a rima o azul tem cara de??

TODOS: Vamos decidir aqui!

Azul, Vermelho e Amarela: Gostei de você, vai participar e o nosso número abrilhantar. Vem!
Vem! Vem! E engolir o ar, e engolir o ar, e engolir o ar...

Azul: Fica aqui

Vermelho: E vê se não some

Amarela: Queremos saber...

Azul, Vermelho e Amarela: QUAL É O SEU NOME? {Pausa na trilha}

Azul: O que você gosta de fazer? É um procedimento básico de currículo e tal? Você gosta de
comer o quê?

Vermelho: De onde você veio?

Amarela: Com quantos quilos você nasceu?

Azul: Você gosta de comer frango?

Vermelho: É muito longe daqui?

Amarela: Qual o objetivo da sua vida?

Azul, Vermelho e Amarela: Fala! Fala! Fala! Faaaaala! Nossa vida é assim!

Azul: Meu amigo, fomos contratados para uma missão muita importante e nós vamos te levar.
A Amarela vai te ensinar...

Amarela: E engolir o ar... {Trilha retorna enquanto os palhaços e novo integrante da trupe se
retiram da cena} E engolir o ar, e engolir o ar...
4º ATO - CANSADA DE ESTAR VAZIA

Magnólia: Princesa? O jantar estará servido dentro de poucas horas isso significa que você
precisará descer para alegrar o nosso dia... Pelo jeito, eu vi que, você ainda não se arrumou.
Bom, não se preocupe porque eu vou te ajudar. Você é uma pessoa incrível e... Branca? Tá
tudo bem com você?

Branca: Não, Magnólia, não estou nada bem. Eu não sei o que está acontecendo comigo? Eu
me sinto muito fraca.

Magnólia: Mas minha princesa, é porque você não tem se alimentado bem. E você sabe muito
bem que se o seu pai souber disso, ele não vai ficar feliz.

Branca: Eu não estou falando disso. Eu sinto a minha alma fraca. Olha, eu sempre tive tudo
aqui só que nada disso me preenche mais... Magnólia? Você acha que se eu sair desse lugar eu
consigo ser feliz de alguma forma.

Magnólia: Branca! Olha aqui! Vem aqui, minha princesa! Você não precisa pensar isso!... Olha,
por favor, você sabe muito bem que você é a coisa mais importante que o seu pai têm nesse
palácio. Sabe o que isso significa? Que se alguma coisa acontece a você, minha princesa, o seu
pai seria capaz de destruir reinos; cabeças rolariam; seria algo terrível.

Branca: Então me diz como eu faço para achar alegria aqui dentro?

Magnólia: Ô minha princesa, vem aqui... {Magnólia abraça Branca por um tempo antes de
prosseguir} Princesa? Eu tenho uma notícia pra te dar.

Branca: Quê notícia?

Magnólia: Mas eu preciso que você confie em mim.

Branca: Claro que eu confio, Magnólia.

Magnólia: Eu posso confiar mesmo em você?

Branca: Claro que sim, oras! Diga logo!

Magnólia: O seu pai contratou palhaços incríveis! Sabe o que isso significa? Que os seus dias
de tristeza acabaram!

Branca: Eu não acredito, Magnólia. Que ótimo!

Magnólia: Eu só preciso que o seu pai libere a entrada deles.

Branca: Não, Magnólia! Traga esses palhaços agora!

Magnólia: Não.

Branca: Magnólia? Você está me dando uma ordem?

Magnólia: Princesa, veja bem... É que ninguém nunca ousou entrar no seu quarto. Aqui é um
lugar de intimidade. Isso não pode acontecer...
Branca: Será que eu não posso ter um pouquinho de alegria com esses palhaços?

Magnólia: Minha princesa, você pode. Olha aqui, você pode, você merece, você deve.

Branca: Então, por favor...

Magnólia: Só preciso da liberação do seu pai, Branca.

Branca: Não te custa nada, Magnólia. Você pode trazê-los aqui.

Magnólia: Princesa... Tá bem! Mas você promete que esse será o nosso segredo?

Branca: Claro que sim! Ninguém vai saber disso!

Magnólia: Pois bem! Venha! Me siga, por favor, em silêncio. Minha cabeça vai rolar se alguma
coisa acontecer aqui.

Branca: Fique tranquila, ninguém vai saber. Esse é o nosso segredo!

Magnólia: {Magnólia, antes de continuar, dá um longo suspiro e diz} O que eu não faço por
você, Branca?
5º ATO – ROMEU E JULIETA

Magnólia: Palhaços por favor... Princesa, agora sim. Por favor, entrem palhaços! Por favor,
entrem! Venham e alegrem a nossa Princesa!

Azul: Como eu estava...ia na verdade começar a falar. Nós viemos aqui pra poder apresentar
(voz fica fina) uma história de uma princesa que aconteceu. Viemos aui pra poder apresentar...

Amarela: Senhora Princesa, nós ensaiamos um número bem legal, bem maravilhoso, foram
muitas horas por dia, tá bem ensaiadinho, tá bem legal, tá água pura... tá...tô suando! Diarréia!
Diarréia, toda vez acontece. Vai!

Azul: Como eu estava tentando te falar nós fomos contratados pra te contar uma história pra
você... (amarela bate nele) UMA HISTÓRIA!!! Uma história, uma história muito legal. Essa
história é mais ou menos assim: era uma vez em um reino muito distante uma princesa que
morava no alto de um castelo e todos os dias pelas manhãs ela ouvia os pássaros a cantar
(imitando pássaros). E assim como pássaros são pássaros, flores são flores...só um minutinho!
Voltando pra história, dentro do castelo a princesa estava se preparando para encontrar com
seu pai. Nesse momento animais selvagens e ferozes invadiram o castelo da princesa e dentre
todos, o mais temido e perigoso, o mais perigoso e temido, temido e perigoso...este animal
(chama o 4º palhaço)! Ele se posicionou na frente do castelo e fez esse barulho. (...) Sim! E ele
começou a aterrorizar todos, corria atrás de todos no castelo, ele atacava todos, sozinho...ele
pulava, rosnava. Ele parou na frente do castelo novamente e com toda sua desenvoltura, ele
falou: ______! Isso que dizer! E nesse momento algo aconteceu...veja o que aconteceu,
aconteceu que... algo aconteceu.

O gueereiro valente, o guerreiro inteligente, forte, esperto, capaz de derrotar este animal, ele
estava lá...

Vermelho: Cadê esse menino? Cadê? Meu Deus do céu, ele não chega nunca!

Azul: O guerreiro valente. (GRITA: )Menino, você é o guerreiro! Nem tão esperto e nem tão
inteligente mas ele estava lá...o guerreiro, sim ele tinha uma dança característica (dança), ele
tirou a sua espada. O animal olhou dentro de seus olhos e nesse momento, arrancou a espada
das mãos do soldado e deu três passos para trás...Nesse momento em câmera lenta, o animal
foi em direção ao soldado e a princesa apareceu para entrar na frente do seu amado...VAI
PRINCESA! E o animal deu uma espadada no bucho da princesa...a princesa caiu e falou
assim...

Amarela: Ai!

Azul: O animal se retirou. O guerreiro valente olhou a sua amada no chão e começou a chorar!
(Vermelho chora) Como um guerreiro valente! Vejam então ele pegou a cabeça de sua amada
com toda delicadeza...delicadeza! Ela abriu os olhos e disse para o seu amado...

Amarela: Ó Romeu!

Azul: E ele então respondeu!


Vermelho: Ó Julieta!

Azul: E ela emocionada disse ao amado...

Amarela: Ó Romeu!

Azul: E ele disse a sua amada...

Vermelho: Ó Juli...Julieta!

Azul: E neste momento uma brisa começou a soprar... ( o 4º palahço é a brisa) vai brisa e a
brisa soprava bem perto do casal apaixonado, ao norte...sopra lá brisa! sente a brisa e no
sul...sente a brisa povo. No nordeste e sudeste, leste e centro oeste! Nesse momento o amado
pegou a sua amada pelo braço, os dois levantaram, ele a olhando como um troféu e de frente
um para o outro disseram...

Amarela e Vermelho: Ó Romeu! Ó Julieta!

Azul: Ao lado aqui estava uma flor do campo...você é flor agora! Uma flor do campo. O
guerreiro valente se retirou, arrancou a flor do chão para levar como um gesto de amor a sua
pricensa...sim, segurou a flor. A princesa então olhou arrandou então umas pétalas daquela
flor e veja o que aconteceu, algo aconteceu...a flor começou a liberar um cheiro tóxico que
começou a invadir as narinas da princesa e do guerreiro valente e eles começaram a sentir algo
dentro de seus corpos, dos seus ossos e eles caíram desmaiados...as pessoas ao norte, eles
sentiam dores, as pessoas ao norte começaram a sentir esse cheiro, as dores, o sul também
sentiu as dores... a própria flor sentiu as dores, sente as dores e caiu. E sobrou somente o
maior de todos os guerreiros valentes, o guerreiro, o herói da princesa que... SOU EU!
Aplaudam todos!

6º ATO – VAMOS BRINCAR

Princesa: Vocês são demais! De onde vem tanta alegria assim?

Amarela: Nós sofríamos muito mas agora alegramos as pessoas o tempo inteiro, o tempo
todo, toda vez!

Princesa: E vocês são tão bonitos e coloridos! E vocês me acham assim tão bonita como vocês?

Azul: Tá meio pálida né? Branca, sem graça...

Amarela: Não foi isso que ele quis dizer não. Imagina!

Azul: Quem falou que não foi isso que eu quis dizer? Quem falou? Depois a menina cresce e
não tem ninguém pra falar na cara dela o que ela é...Escuta aqui! A menina tá toda sem graça,
tá branca, pálida, aparecendo todas as veias, parecendo uma defunta no caixão.

Princesa: Você acha isso mesmo? Nunca ninguém falou asssim comigo antes!

Azul: Então vai se acostumando minha filha! É que assim você não sabe como a vida fora do
palácio, eu sei. Eu sei o que é trabalhar pra sustentar oitenta palhaços dentro de casa, eu sei o
que é dar duro no trabalho e sem ter roupa no varal em dia de sol e depois chover...eu sei o
que é lavar uma roupa!! Eu sei o que é pegar pega no cabo de vass....

Vermelho: E esta foi a apresentação do conto do servo insolente...

Amarela: E depois, depois de humilhar a princesa teve a sua cabeça cortada e entregue aos
leões! Aplaudam todos...

Princesa: Eu, eu não entendo porque não os conheci antes.

Amarela: É que a gente estava tudo lá no campo né? Colhendo milho, peneirando cevada. Oh
cevada!

Princesa: Olha azul, eu concordo com tudo o que você disse, eu tenho me sentido mesmo sem
cor e sem vida. E vocês são tão bonitos, tão coloridos que eu só queria ser como vocês.

Vermelho: Claro doce Princesa se você quiser, a gente pode colocar uma roupa colorida em
você igual a nossa!

Princesa: Jura?

Amarela: Princesa com toda humildade do meu ser e do meu coração, eu tenho algo aqui na
minha roupa e eu acho que combina com você. Um pouco de amarelo combina com seus
dentes vai ficar incrível!

Princesa: Mas olha você acha que com isso aqui eu vou conseguir ter a alegria de vocês?

Azul: Vai, vai ter que ralar muito ainda!

Vermelho: Ô princesa dá bola pra ele não, só esse amarelo já deu uma cor. Você está
parecendo um ovo frito!

Princesa: Você gostou?

Vermelho: Eu gostei muito!

Princesa: Então vermelho eu também quero mais cores!

Amarela: Já está ficando tarde vamos todos para casa, voltamos amanhã! Vamos!

Princesa: Não, não! Por favor fiquem!

Amarela: Tô ficando, tô aqui!

Princesa: Vocês são muito divertidos, vocês podem ficar!

Azul: Já que você está tão animada, eu vou te dar um pedaço da minha cor pra você ficar mais
colorida e bonita. Olha, isso muito bem...Princesa, que tal soltar esse cabelo? Que foi, o que
foi?

Amarela: Eu posso tocar no seu cabelo? Ah falei!

Princesa: Pode!
Amarela: É maravilhoso, o que você usa?...não tem nenhuma ponta dupla, não é poroso, não
tem porosidade o que você usa é ovo, abacate real, azeite, cevada. O que você usa? Princesa,
vamos soltar a coroa! Vai ficar linda, maravilhosa! Incrivel...

Princesa: Eu não posso soltar essa coroa!

Amarela: Mas insiste com esse assunto. Por quê? Vamos...

Azul: Olha só eu tiro a coroa e o vermelho guarda com todo cuidado pra você.

Princesa: Tem certeza porque eu não posso perder essa coroa.

Azul: Com todo cuidado... Olha a coroa da princesa!

Princesa: Sinceramente eu nunca fiz isso na frente de ninguém, se meu pai me visse assim sem
a minha coroa, ele me mataria!

Azul: Mataria nada. No máximo umas palmadas. Até porque seu pai é um frouxo!

Vermelho: Ele é um fofo! Fofinho...

Princesa: Azul, eu queria muito ter uns olhos assim como os seus!

Azul: Invejosa, traidora, judas. A menina já tem tudo e quer ter os meus olhos cara!

Amarela: Princesa estamos aqui somente para servi-lá. Podemos maquiar os seus olhos,
realçar o seu concavo, passar um rimel real, vai saltar tudo esse olho , vai ficar maravilhoso!

Vermelho: Princesa se você quiser a gente pode trocar esse vestido branco e sem graça e
colocar um bem colorido, bonito.

Branca: Verdade? Então o vestido e a maquiagem. Nós podemos começar logo!

Amarela: Vamos, vamos produzir a princesa!

Vamosssss...

Azul: 1,2,3 e já (novamente a canção engolir o ar, fica o azul com o 4º dançando)

Branca: Eu me sinto viva assim, dá vontade de sair por ai pulando.

Amarela: Então pula princesa, pula!

Vermelho: Estava pulando!

Branca: Eu tenho certeza que se meu pai me visse assim ele teria muito orgulho de mim. Ele
teria muito orgulho. É claro que quando ele voltar vai ter uma seupresa!

Amarela: Claro ele vai ficar surpreendido Princesa, vai ter uma linda surpresa! E quando ele
voltar diz pra ele que eu que produzi tudo. Ah ficou lindo.

Branca: Já que nós estamos aqui, nós podiamos brincar.


Azul: E você quer brincar do que? De cobra cega?

Branca: Sim! De cobra cega?

Azul: Não, não mas eu não brinco disso heim.

Branca: Por favor!

Azul: Tira ela daqui, eu tô com medo dela! Eu tô com medo cara!

Branca: Por favor eu não tenho irmão, não tenho amigos! Brinca, brinca...

Amarela: Princesa, o seu pedido é uma ordem, se a princesa quer brincar de cobra cega, é de
cobra cega que ela vai brincar...

Branca: Então a primeira sou eu...

Azul: Fica aqui xxxx, que agora a gente vai brincar com a princesa!

Azul: Presta muita atenção princesa. Eu vou colocar essa venda nos seus olhos. Tá vendo
alguma coisa?

Branca: Não

Azul: Que bom que não pode ver mesmo. Agora eu vou girar você, e a princesa branquela,
pega a gente...magrela.

Branca: Eu vou pegar todos vocês, eu já estou meio tonta

Amarela: Fica mais um pouco tonta, tontaaaaaaaaa

Branca: Eu vou pegar vocês, é melhor prestar atenção!

TODOS: Princesa é uma boa companheira (2x)

Azul: Joga ela pra mim.

Branca: Não! Ai, ai...Como assim jogar?

Amarela: Mas princesa... você não queria diversão? Confia em nós!

Branca: Não olha. Já chega dessa brincadeira e eu vou tirar essa venda dos meus olhos.

Vermelho: Acho melhor não, Princesa!

Branca: Você são peraltas demais.

Azul: Coloca sua mão pra trás e fica quieta agora!

Branca: Já está ficando tarde, já é hora de nós irmos.

Amarela: Mas a noite será longa, não precisamos nem dormir.

Branca: Eu já estou ficando é com medo dessa brincadeira.


Vermelho: No seu lugar eu também ficaria majestade.

Amarela: Mas princesa, você está tão colorida, tão bonita. O medo não combina com você!

Azul: Que entrem os ratos no castelo!

MÚSICA: A MALDADE ESTÁ NOS OLHOS DE QUEM VÊ

A maldade nos olhos de quem vê

E aquele que não viu não vai saber

Nem tudo que é belo você pode confiar

Eu vou te seduzir, eu vou te conquistar

Eu sei o que você quer e não pode negar

Eu vou te atrair, eu vou te derrubar

1ª TRANSIÇÃO:

O homem é atraído pela própria concupiscência

Como um anjo de luz eu venho te tentar

Quando você menos esperar eu vou te cegar

2ª TRANSIÇÃO:

Branca: Chega! Não foi isso que eu pedi

Não posso mais ficar aqui

CORO: Não têm escolha agora é assim

Branca: Onde está o meu pai?

CORO: Abriu a porta pro seu fim

Branca: Troco alegria pela paz

Me ajude! Eu quero sair...

CORO: Acabou, acabou...

Branca: ...daqui!

CORO: ...eu vou tirar a sua visão

Branca: Não posso mais ficar aqui!


3ª TRANSIÇÃO:

CORO: Como o porco que ama a sujeira em meio à um jardim florido

O perverso só vê o mal em meio ao grande bem

A maldade nos olhos de quem vê

E aquele que não viu não vai saber

CORO: Não tenho escolha agora é assim

Abri a porta pro meu fim

7º ATO: REFÉM

Branca: GUARDAS! (A princesa grita inúmeras vezes enquanto os palhaços a provocam)

Magnólia: O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI!? O que está acontecendo!?

Branca: MAGNÓLIA!

Magnólia: Princesa? O que aconteceu? Meu Deus! Que coisa horrível que estão fazendo com você,
Branca?

Branca: Ainda bem que você chegou. Olha! Magnólia, por favor, chame os guardas agora e retire logo
esses palhaços daqui.

Magnólia: Mas Princesa? Não era essa a alegria que você estava procurando? Eu, de longe, pude ouvir
as suas gargalhadas.

Branca: No começo sim depois ele começaram a me machucar... Eles e prenderam aqui... Magnólia,
retire-os daqui! Eu preciso tomar um banho. Eu me sinto péssima.

Magnólia: PALHAÇOS! Podem continuar...

Branca: O quê?

Magnólia: Façam como o combinado. Matem a princesa de rir. Façam ela rir de tanto chorar.

Azul: Pode deixar, chefia! Eu só quero lembrar uma coisa muito importante aqui... Eu estou com fome.

Amarela: Estamos fazendo tudo conforme nos pediu, Magnólia. Tudinho, sem tirar nem pôr.

Branca: Eu não estou entendendo o que está acontecendo aqui? Magnólia, você pode me explicar, por
favor?

Magnólia: Anos ouvindo essa sua voz irritante me deixou uma pessoa um tanto amarga, sabia?

Branca: O quê é isso? Não é possível... Magnólia? Eu sempre confiei em você. Você sempre foi fiel ao
meu pai e agora você está nos traindo. É isso? Você está nos traindo, Magnólia?
Magnólia: Fidelidade, Princesa? Deixa eu te contar uma coisa? Você sabia que a culpa da sua mãe ter
morrido foi sua?

Branca: Isso é mentira!

Magnólia: Não... É verdade, Branca. Você precisa aceitar. Se você não tivesse nascido a sua mãe ainda
estaria aqui no nosso meio!

Branca: Isso é mentira!

Magnólia: Branca... A culpa foi sua. E o seu pai, depois da perda da sua mãe, ficou tão triste, tão
solitário, tão deprimido, que por um momento eu pensei que poderia mudar essa situação mas eu
percebi que o olhar do seu pai era somente para você, desde então eu comecei a tramar a sua morte.
Afinal de contas, esse teu descaso e essa sua frieza em relação ao amor do seu pai, com certeza, te
levariam a ruína. Eu só ajudei. "O seu pai contratou palhaços incríveis!" Branca... Você chegou aqui com
suas próprias pernas. Não foi eu que fiz nada. Simplesmente eu só ajudei. Bom... O que eu posso fazer
agora é me arrumar e preparar a cama do meu rei afinal de contas eu tenho uma notícia muito triste pra
entregar à ele, não é verdade? Pois é... Eu vou dizer à ele que na sua ausência a filha decidiu andar por
caminhos que não deveriam e simplesmente morreu. Bom... Palhaços, continuem, matem a princesa.

Branca: Não! Não, Magnólia! Me tira daqui! Me solta daqui! Não me deixa aqui!

Azul: Eu ainda não comi nada.

Amarela: Magnólia disse que traria algo para comermos.

Vermelha: Eu quero comer a melhor ceia da minha vida.

Amarela: Que bom que temos uma escrava para nos servir!

Azul: A Princesa agora é a nossa refém!

Amarela: Ô Princensinha? Diz aí? Como é a vidinha no palácio, héin? Deve ser muito chata igual a você!

Vermelha: E o seu papai? Para onde é que ele foi?

Branca: O MEU PAI VAI VOLTAR!

Vermelha: Você não era a queridinha do Rei?

Branca: O MEU PAI VAI VOLTAR! VOCÊS VÃO VER!

Azul: Você sabia que o seu pai não te ama?

Branca: ISSO É MENTIRA!

Azul: Ele não te ama! ELE SE ESQUECEU DE VOCÊ!

Amarela: Totalmente!

Vermelha: Sente no seu trono.

Azul: Nós temos um presente pra você... A MORTE, PRINCESA!

Branca: NÃO! POR FAVOR! ME SOLTEM!


Azul, Vermelho e Amarela: "O rei vamos alegrar, um cântico entoar. A tristeza ficou pro lado de fora, é
hora de cantar. Esqueça tudo e vamos pular, brincar e respirar. Abrir um sorriso e engolir o ar, e engoli o
ar, e engolir o ar..."

8º ATO: ONDE ESTÁ MINHA FILHA?

Rei: Princesa Branca?

Azul: É o rei?

Amarela: É o rei?

Rei: Princesa Branca?

Amarela diz para o Vermelho: Leva ela lá pra trás, vai!...

Vermelho: Vem! Vem aqui, menina!

Amarela diz para o Vermelho: Cuidado! A coroa! Me dá aqui!

Rei: Que barulho é esse aí? Filha! Abra a porta!

Amarela diz para o Azul: Vai atender a porta!

Azul: Vou lá.

Amarela diz para o Azul: VAI!!!

Rei: O que está acontecendo aí dentro? Filha! Abra a porta!

Azul: Majestade.

Rei: O que é isso? Quem é você?

Azul: Muito prazer. Eu sou o azul.

Rei: Quem são vocês!?

Amarela e vermelho: Ninguém, Senhor. Ninguém.

Rei: O que vocês estão fazendo aqui!?

Azul: Fomos contratados para alegrar...

Rei: Por quem?

Amarela: É... Hã...

Rei: Onde está minha filha Branca?

Azul: A sua filha? Ela está brincando no jardim...

(Os palhaços começam a falar juntos:)

Azul: Acontece que a princesa estava passeando com os guardas...


Vermelho: Ela? O seguinte. A sua filhinha... querida... Ela foi...

Amarela: A piripimpim, pá pá pá pá pá...

(Os palhaços são interrompidos pelo Rei)

Rei: Parem com essa brincadeira! Eu quero saber onde é que está a minha filha agora!

Amarela: Quem é sua filha? Quem é ela?

Branca: Pai! Eu sabia que você ia voltar! Me tira daqui!

Rei: Aparta-te de mim! Por que eu não te conheço!

Branca: O quê? Pai, sou eu!

Rei: Não ouse tocar em mim! A minha filha, Branca, jamais se vestiria dessa maneira... Jamais
se comportaria dessa maneira.

Vermelho: Eu falei que a menina tava branquinha ainda... Ele vai descobrir que essa menina é
filha dele...

Azul: Shiiiiu! É verdade rei, ela é uma das nossas palhaças. Ela foi contratada também.

Amarela: Ela não tem noção de nada.

Rei: Onde está minha filha?

Amarela: A princesa Branca foi passear no jardim ao redor do palácio.

Rei: Com quem?

Amarela: Com os guardas.

Rei: Que horas ela saiu?

Amarela: Daqui a pouco ela foi...

Rei: Onde está minha filha? Que brincadeira é essa? Eu não vou admitir tal coisa no meu reino.
Se vocês não encontratrem a minha filha... Se vocês não derem conta da minha filha eu
voltarei e cortarei a cabeça de cada um de vocês. Eu preciso encontrar a minha filha...

Azul: "Abram essa porta! Abram essa porta!" Majestade. "Quem é você?" E sou o azul!
"Shiiiiu!" "Papai, ai, papai! Sou eu sua filha, papai! Vamos brincar, papai!" "Aparta-te de mim
que eu não te conheço." "Papai!" "Não ouse tocar a mão em mim." "Papai..." "Não toca a mão
em mim." "Papai, sou eu, sua filha!" "Não toca a mão em mim." O rei já foi!
9º ATO: O MEU PAI NÃO ME RECONHECEU

Amarela: O Rei já foi! Quem você está pensando que você é garota? Você não tem presta pra
nada, não tem nem quadril, sua magrela!

Azul: Se ele descobre que você é filha dele, ele mata a gente!

Amarela: Ele mata a gente!

Vermelho: E se eu morrer, você me paga!

Azul: Escuta aqui, você vai ficar aqui quietinha. E vocês fiquem de olho nela! Nós vamos
passear no castelo, daqui a pouco a gente volta!

Amarela: Vamos conhecer o castelo maravilhoso!

Branca: O meu pai, o meu pai não me reconheceu! Eu preciso sair desse lugar, eu preciso sair
daqui. Eu não aguento mais, eu não aguento mais!

Fui feita pedaços, vazia no espaço

Presa pelo vento sem saber voar

Deixada de lado, fui pega por dentro

Lá fora eu ando sem saber parar

Eu tenho a liberdade pra andar pelas praças

Não uso algemas mas eu sou cativa dos meus olhos

Ando livremente mas pareço que ralento

E vejo tanta gente pelas celas

Bem mais vivas que eu!

Azul: Ah princesa, realmente você tem um ótima vida! Agora nós queremos realizar o nosso
sonho!

Amarela: O nosso lindo sonho de sermos servidos como reis e rainhas pela princesa Branca
azeda! Vem, vem limpar os meus sapatos agora!

Branca: Eu não vou limpar nada!

Azul: Com é que é? Escuta aqui garota. Eu acho que você esqueceu da sua condição de
princesa para escrava. Agora vai e limpa os sapatos dela ...agora!

Branca: Eu não limpar!

Amarela: Vai ter que conversar... Ô princesinha, ô branquela... olha pra mim, se você fizer
tudinho direitinho como a gente tá mandando, você vai embora, vai encontrar com seu papai,
vai ficar livre.

Branca: Isso é verdade?

Amarela: Eu já menti alguma vez em todo tempo de amizade da gente. A gente é amiga cara
quanto tempo, oh nunca menti. Estou falando a verdade! Beija o meu pé! Beija o outro que
ficou com ciúme!

Vermelho: Agora vem aqui princesa. Anda logo ...e limpa esse chão que tá sujo! (Cuspe)
Continua...nojenta!

Azul: Agora princesa é a minha vez. Eu tenho o sonho de servido com o melhor vinho do
palácio, me traz o vinho agora! Quer alguma coisa xxxx!? Rápido escrava...mas o que é isso?
Que falta de respeito é essa? Volta, abaixa a cabeça e vem como uma escrava! Isso, o melhor
vinho do castelo, meu sonho era está aqui, tomando o vinho que os reis e rainhas ceiam
juntos! Vamos celebrar! Vamos nos alegrar. O que aconteceu princesa? Por que você está
assim? O que houve? Vem aqui!

Olha pra mim. Sente saudade desse cheiro? Você está com saudade do Papai? O seu pai esteve
aqui pra te buscar princesa, só que ele não te reconheceu. Você está toda suja e colorida.
Princesa, o seu pai queria te encontrar toda branca e pura mas ele foi embora. Foi você que
chamou a gente aqui não foi? A escolha foi sua, não foi? Nós viemos aqui te servir e te alegrar,
ingrata! Era pra você está se divertindo menina mas como nós somos amigos e estamos aqui
pra te alegrar, eu vou te dar o presente que você merece.

Princesa?

Amarela: O que você fez?

Azul: A princesa sumiu?

Você deixou ela escapar!

Amarela: A Magnólia vai matar a gente!

Estou aqui, eu estou aqui! Isso é outra brincadeira de vocês? Eu estou cansada, eu não
aguento mais!

Rei: Filha, filha nunca se esqueça, todas as vezes que você estiver em perigo sempre se lembre
que o sangue de Jesus te torna invisível aos olhos do inimigo, o sangue de Jesus sempre te
tornará invisível aos olhos do inimigo!

Branca: É isso, é isso o meu pai sempre dizia isso. Eu tive uma ideia, eu tive uma ideia.

Azul: Onde você estava garota?

Eu estava aqui!

Amarela: Você tentou fugir garota!?


Eu não fiz nada, deixa eu falar por favor são minhas últimas palavras. Já que vocês vão me
matar mesmo e o sonho de vocês é serem servidos como reis e rainhas, se vocês quiserem...eu
posso ensinar vocês a serem reis?

TODOS: Reis???

Branca: É ...reis, rainhas e princesas. Primeiro as damas. Ela...Você por favor! Venha...vamos
arrumar a sua postura, uma boa rainha tem sempre uma boa postura, olhar fixo ao longe no
horizonte, pose de rainha. Horizonte!

Azul: E eu, e eu?

Branca: Você também arruma a postura, passos firmes. Postura! Olhar fixo no horizonte!

Agora o xxxx, ele vai ser rei! Isso olhar fixo pose de rei.

Você a mesma coisa, passos firmes, estufa o peito...pose de rei, olhar no horizonte!

Azul: Ô escrava!

Branca: Escrava não, vossa escrava!

Azul: Minha escrava!

Vermelho: Eu falei que ela era minha minha escrava!

Amarela: Ela é minha escrava e fim. Pronto!

Azul: Ô escrava dela, e de onde eu vou ser rei? E lá tem o que pra comer? Rússia, lá tem
chocolates incríveis!

Azul: Da Índia!

Amarela: E lá tem indianos indiáticos, morenos fortes!

Vermelho: E eu vou ser rei de onde?

Branca: Do méxico!

Vermelho: A la cuca? A la cuca? A la cucaracha?

Branca: Claro, claro ótimo... você vai reinar eternamente no México.

XXXX: E eu?

Branca: Você pode ser aqui do Brasil msm?

Reinando sobre xxxx ...o Brasil!

Senhores, eu gostaria de servi-los com o melhor vinho de todo nosso reino. O melhor vinho.

Azul: Ah pronto, você falou isso naquela outra vez e trouxe aquele vinho...você desapareceu.
Branca: Mas esse é um vinho seccreto. Está escondido no meu quarto até! É o melhor cinho

Amarela: O que vai vir que nunca veio, que há de vir? O melhor mesmo? Então vai 4 V’s, vinho
vai volta voando! Vá, vá!

Azul: Escuta só, eu sou o rei da Suíça.

Vermelho: E eu do Méxicoooooo!

Rei: Lembre-se Princesa, todas as vezes que você estiver em perigo o sangue de Jesus te torna
invisível aos olhos do inimigo!

Branca: O meu pai sempre dizia isso... eu não tenho como sair desse lugar! Jesus, você é minha
única chance que eu tenho de escapar daqui, então faz valer seu sangue em mim ... por favor,
por favor!

Canção “Nada Além do Sangue”

Após a canção, princesa ao ter se limpado no “sangue” consegue escapar invisível aos olhos
dos palhaços.
10º ATO: O Vinho e A Taça

Azul: A minha mãe sempre me disse que eu tinha cara de Rei...

Amarela: Rei das trevas... Só se for.

Azul: Então tá! Vamos abrir uma audição! O concurso do melhor rei. Eu vou ser o jurado. Rei
do México, sua vez.

Vermelho: Eu?

(entra a trilha de La Cucaracha)

Azul: Rainha do Japão, sua vez.

Amarela: Trilha, por favor...

(Entra trilha oriental)

Azul: Muito bem... Rei do Campo do Carvão, sua vez!

(Entra hino do flamengo)

Azul: Vamos ter foco aqui. A princesa está demorando... Princesa? Princeeesaaa?
PRINCEEESAAA?

Amarela: Um rei não grita jamais!

Azul: (Voz fina) Princesa! Princesa!

Amarela: (Solfejando) Priiinceeesaaa!

Vermelho: Cadê a princesinha?

Azul: Ué? Ela falou que ia voltar!

Vermelho: Onde é que foi essa menina? Onde é que ela foi?

(Amarela traz a taça de vinho e põe no meio do palco)

Azul: O que é isso?


Amarela: O vinho e a taça estão aqui.

Azul: Se o vinho e taça estão aí significa que a princesa chegou, não é?

Amarela: A princesa sumiu!

Azul: Você é a culpada!

Amarela: Você é o culpado!

Azul: Você é a culpada de tudo isso!

Amarela: A culpa é sua! Você ficou se achando o rei da Suiça. E você também nunca fez nada
direito (Amarela diz para o Vermelho e discussão começa). Cala boca todo mundo! Eu não
quero saber de nada. Eu não quero saber de ninguém...

Azul: CHEGA!

(Os palhaços a encarar o palhaço convidado)

Azul: Você é o culpado!

Vermelho: É! Foi você...

Amarela: Você é um fracasso! Não sei porque a gente te contratou...

Azul: Vai embora daqui...

Amarela: ...a Magnólia vai matar a gente... A princesa sumiu...

Azul: Agora eu não sei o que vai acontecer.

Amarela: Ai, minha cabecinha!

Vermelho: Minha cabeça...

11º ATO: Filha, Aqui Está a Sua Coroa

(Base instrumental, no violão, em Lá Maior)

Rei: Ainda sinto o seu cheiro, minha filha. Onde está você? O silêncio toma conta das paredes.
A minha alma desfalece sem a tua presença nessa casa, minha filha. Alguma coisa me dizia que
algo estava errado. Quê eu não pude ouvir você, que estava cansada. Quantas você me disse
que queria conhecer o outro lado, que não sentia mais alegria. Tudo aqui lembra você, filha.
Onde estão os teus pés neste momento? Onde os teus passos estão te levando agora, princesa
Branca? Lembro, você tão nova, tão doce, com tantos sorrisos... O seu brincar ecoa até hoje na
minha alma, nos meus ouvidos... Você precisa voltar! Você precisa voltar e tomar posse
daquilo que é seu. Filha! Aqui dentro do reino estão as suas vestes, estão os seus sapatos, aqui
está a sua coroa... A marca está em você. A marca sempre estará em você, filha. Mesmo você
estando longe. Mesmo você estando distante...

(Momento: canção Primeiro Amor, com a Chrystine)

Branca: O meu pai, ele me conhece. O meu pai, ele me conhece no mais profundo, no meu
íntimo. Eu sei que eu já não sou mais a mesma. Eu sei que eu já não posso mais concertar o
que eu mesma quebrei. Mas Jesus, eu me arrependo. E também eu sei que existe uma palavra
que diz que nenhuma condenação há para aqueles que estão em Cristo Jesus, que não vivem
mais segundo a sua carne mas vivem segundo o Espírito Santo de Deus. Então por favor, Jesus.
Eu sei que ao me salvar o Senhor já fez demais por mim. Mas eu só queria voltar pros braços
do meu pai. Eu só queria voltar pra presença dele. Por favor... Por favor. Eu quero voltar à
Deus... PAI? Pai? Eu não acredito! Pai?

Rei: Filha?

Branca: Pai? Eu não acredito que você está aqui...

Rei: Filha! Eu sabia que você ia voltar?

Branca: Eu fiz tudo errado...

Rei: Não precisa falar nada, filha... Vamos? Lembra da promessa?

Branca: Eu lembro pai...

Rei: Então sorria...

Branca: Eu não mereço, pai...

Rei: Eu estava no meio da batalha mas o meu coração estava ardendo por você. Eu sabia que
algo errado estava acontecendo e eu precisei voltar. Mas olha, eu vou cumprir a promessa que
eu te fiz.

Branca: Não precisa, pai, porque estar aqui já é mais que suficiente para mim. Não precisa
fazer mais nada.

Rei: Sim! Nós vamos cavalgar nos campos. Mas antes vem aqui... Filha! Não importa o que
fizeram com você. Se está machucada, está ferida... Existem lágrimas nos seus olhos de
histórias que destruiram o seu coração... Roubaram a sua virtude, roubaram a sua pureza mas
você voltou. Você voltou porque você sempre soube aonde era o caminho... O que roubaram
de você? Quando trocaram as suas vestes? Qual foi o dia que tiraram a veste da pureza e
colocaram a veste da iniquidade, a veste da vergonha, a veste que por algum momento parecia
ser a veste de louvor, veste de alegria? Mas você sabe como isso tem marcado você. Calma... O
seu lugar está te esperando. O trono da graça está te esperando... Lá é o seu lugar. Não
importa se invadiram a tua história, não importa se fizeram você de refém, não importa se
roubaram a sua coroa. O trono da graça: lá é o seu lugar... Filha, aqui está sua coroa. Olha pra
mim. Aqui está sua coroa...

(Momento de ministração à igreja)

Levante-se. Eu vou cumprir agora as promessas que eu fiz para você. Vamos?

Branca: Vamos, pai.

Rei: Vamos cavalgar nos montes, nos campos? Vamos?

Branca: Vamos!

(Juntos podemos cantar juntos podemos sorrir e o sentido da vida encontrar...)

12º ATO: Desfecho

Magnólia: Palhaços? Cadê esses palhaços? PALHAÇOS? Onde é que vocês estão, seus inúteis?
Venham aqui... Seus incompetentes. Vocês estragararam tudo... Mas não tem problema,
porque a cabeça que vai rolar vai ser a de cada um de vocês. Não vai ser a minha. Quem vai
perder a cabeça serão vocês e eu vou fugir... Não ousem me acompanhar.

Azul: Fica ali, vem, vamos conversar... A gente fracassou de novo.

Amarela: A gente tinha a princesa bem aqui, era só...

Vermelho: A gente perdeu ela...

Amarela: A gente é um fracasso...

Vermelho: ...nossa refém.

Azul: Espera... Tive uma idéia. Quando os guardas chegarem e perguntar onde está o refém
nós falamos que a gente perdeu uma refém mas nós temos outro bem aqui...

(Entra piano dramático em Mi Menor)

Azul: Por diversas vezes isso aqui foi engraçado pra você... Você não entendeu o que nós
acabamos de fazer aqui...

Amarela: Vocês riram e aplaudiram a sua própria condição. Você é o refém, ingênuo e
manipulado. Está dentro de um palácio, possui um quarto real mas não tem identidade de
filho e se o Pai voltar hoje, não vai te reconhecer. Olha, que legal! Você não é mais a imagem e
semelhança do Pai...

(Entra piano dramático em Si Menor - A Maldade Está Nos Olhos de Quem Vê)

Vermelho: Nós o tiramos do meio de vocês, no meio de uma reunião de cristãos e vocês não
fizeram nada para ajudá-lo, pelo contrário, vocês riram, aplaudiram e se divertiram. Nós
estávamos no meio de vocês como lobos em pele de cordeiro, agradáveis, impercepitíveis...
Azul: Nós agora estaremos empenhados, trabalhando para te encontrar, talvez, no fundo,
onde ninguém mais te vê. Estaremos empenhados para que você aí, no seu lugar...

Vermelho, Amarelo e Azul: ...seja o próximo.

FIM

Você também pode gostar