Você está na página 1de 11

ENGENHARIA CIVIL

Geotécnica

Descreva e represente esquematicamente o ciclo das


rochas.
O ciclo das rochas é dividido em diversas etapas, a saber:
 Magma: o estágio inicial do ciclo das rochas
começa no interior da terra, quando o magma (rocha
fundida ou lava), massa pastosa mineral, é expelido
através de uma atividade vulcânica. Com altas
temperaturas, no momento em que chega a superfície, o
magma sofre um resfriamento.
 Cristalização (congelamento das rochas): com o
resfriamento do magma, ocorre a cristalização dessa
massa mineral, o que dá origem as rochas chamadas de
magmáticas (ou ígneas).
 Erosão: processo natural resultante do desgaste do relevo, a erosão pode ocorrer pela
força da água e do vento.
 Sedimentação: após o processo de erosão, diversas camadas de sedimentos são
depositadas nas camadas mais baixas (bacias sedimentares), levando ao processo de formação das
rochas sedimentares.
 Enterro Tectônico e Metamorfismo: Com o passar do tempo, as rochas sedimentares vão
sendo enterradas e sofrendo processos químicos e físicos por meio da temperatura e pressão, o
que transforma sua composição originando as rochas metamórficas.
 Fusão: mesmo com essa transformação, a temperatura continua agindo em sua superfície,
e assim resulta na fusão do magma, que a transforma novamente em rocha ígnea. Após milhões
de anos, o ciclo se reinicia.

Na teoria da tectônica de placas a litosfera é dividida em placas que se movem sobre a


astenosfera. Nos limites dessas placas ocorre intensa atividade vulcânica e terremotos.
Como são definidos esses limites? Comente as particularidades associadas a esses limites.
Limites Divergentes: as placas se afastam e forma uma nova crosta (meso-oceânica).
Ex.:*Islândia  Limites Convergentes: Colisão das placas. A mais densa mergulha, zona de
intenso magmatismo da fusão da placa que mergulhou. Ex.: Placa Pacífica  Limites
Conservativos: As placas deslizam lateralmente uma em relação a outra.  Ex.: Falha de San
Andreas ( A região da Califórnia onde fica de Los Angeles se desloca para o norte em relação a
placa Norte-Americana que contém a cidade de San Francisco.

Como se define a idade de uma rocha? O que é datação relativa e absoluta? Datação
Relativa: colocar os eventos geológicos em ordem sequencial. Não diz o tempo que o evento
ocorreu, mas se um evento precedeu um outro. Datação Absoluta: expressa datas específicas
para unidades rochosas ou eventos. Sempre expressa em anos anteriores a data atual.
1/11
Quais as principais evidências que embasam a teoria da deriva continental. Evidencias
geológicas da geleiras e Estrias e grandes blocos do sudeste do Brasil
• Evidências geomorfológicas; o encaixe da América do Sul com a África
 • Evidências Litológicas; A aproximação dos continentes no mapa permitiu-lhe verificar uma
continuidade geológica ao nível de grandes estruturas da superfície terrestre, como as cadeias
de montanhas, ao nível da composição litológica. Por exemplo, para ele, a Serra do Cabo, uma
cadeia de montanhas de orientação leste-oeste na África do Sul, seria a continuação da Sierra
de la Ventana, com a mesma orientação, na Argentina, ou ainda, o planalto na Costa do
Marfim, na África, teria continuidade no Brasil 
• Evidências Paleontológicas; estava a dos fósseis, principalmente de plantas representativas
de gimnospermas e samambaias extintas, conhecidas coletivamente, como a flora de
Glossopteris, na África e no Brasil (e também na Austrália, Índia e Antártica, entre outros
lugares).
Outro indício foi de fósseis idênticos encontrados apenas na África e na América do Sul de  um
réptil de 300 milhões de anos, sugerindo que os dois continentes estavam juntos naquele
tempo. Os animais e as plantas dos diferentes continentes mostraram similaridades na
evolução até o tempo postulado para a fragmentação. Após isso, seguiram caminhos
evolutivos divergentes, presumivelmente devido ao isolamento e às mudanças ambientais das
massas continentais em separação
• Evidências Glaciais. Wegener também baseou-se em evidências paleoclimáticas, como
aquelas que comprovam um importante e extenso evento de glaciação  no sul e sudeste do
Brasil, sul da África, Índia, Austrália e Antártica, há aproximadamente 300 milhões de anos. Em
todos esses lugares estrias impressas nas rochas dessa época indicam as direções de
movimento das antigas geleiras

O Brasil está situado sobre a placa sul-americana. O que justifica a ausência de efeitos
tectônicos de grandes intensidades no Brasil diferentemente do Chile e Peru, também
situados na mesma placa? Brasil esta no centro da placa, ao contrário de chile e peru mais
próximos da borda.

O que são minerais? Minerais formam as rochas. Mas podem


existir as rochas monominerais. Assim se confunde mineral com
rocha. Ex.: Quartzito, Ouro, Prata.

O que são rochas? Rochas por definição: Produtos consolidados,


resultantes da união natural de minerais.

De acordo com a abundância de minerais como se pode diferenciar as rochas máficas e


félsicas. Qual são as rochas claras e escuras? Expressão formada por ¨feldspato¨ + ¨silício¨
para designar minerais ricos nos elementos químicos leves,como silício,alumínio e álcalis. É
2/11
usada também para se rereferir a rochas ígneas ricas nestes minerais. Máfico é um têrmo
usado em Geologia e que designa um  mineral rico em ferro e magnésio. As rochas ricas
nestesminerais, com teor de 60% à 90%, são classificadas como¨ rochas máficas¨, as que
posuem teor acima de 90%, sãochamadas ¨ rochas ultra-máficas¨. Como os minerais má-ficos
são geralmente escuros, as rochas ricas nestes minerais também são escuras e por isso
também chamadasde melanocromáticas. Félsicos (claros) ou máficos (escuros).

O que são rochas magmáticas ou ígneas? Formam-se pela cristalização do magma. À medida
que um magma esfria lentamente no interior da Terra, os cristais começam a se formar. Mas
quando o magma é expelido de um vulcão na superfície terrestre, ele esfria e solidifica tão
rapidamente que os cristais não têm tempo para crescer gradualmente.

Como se diferenciam as rochas magmáticas? Magma basáltico : 50% SiO2- poucos gases
dissolvidos – origina basalto e grabro. Magma andesítico : 60% SiO2 bastante gases
dissolvidos – origina andesito e diorito. Magma riolítico : 70% SiO2- elevada quantidade de
gases dissolvidos – origina riólito e granito.

O que são rochas filonar. São as rochas que alguns autores consideram, de certo modo, fazer a
transição entre as rochas vulcânicas e as rochas plutônicas. Sem atingir a superfície,
aproximam-se muito dela e podem preencher as fissuras da crosta terrestre. Umas formam-se
por resfriamento do magma numa fissura, outras formam o recheio das fissuras e fraturas,
devido à presença de soluções hidrotermais (de águas térmicas) que aí precipitam os
minerais.es? Formadas nas fendas
Ex: Pegmatito

Por que as rochas magmáticas extrusivas possuem minerais “invisíveis” ao olho nu? As
rochas ígneas extrusivas (conhecidas também como vulcânicas ou efusivas) são
formadas a partir do resfriamento do material expelido pelas erupções
vulcânicasatuais ou antigas. A consolidação do magma, então, acontece na superfície
da crosta ou próximo a ela. O resfriamento é rápido, o que faz a que estas rochas, por
vezes, apresentem material vítreo, logo, possuem uma textura vidrosa (vítrea), ou
seja, uma textura que não apresenta cristais (a olho nu) ou até mesmo uma textura
hemicristalina, isto é, apresenta alguns cristais no seio de uma massa amorfa. Há uma
grande diversidade de rochas vulcânicas que se agrupam em alguns tipos
gerais: riólitos, traquitos, andesitos e basaltos,

O que você entende por magma básico, intermediário e ácido? Como isso interfere na formação
de uma rocha magmática ? Magmas básicos, ou magmas basálticos, são pobres em sílica (menos
de 52% de SiO2) e ricos em minerais ferromagnesianos; são fluidos, com temperaturas bastante
elevadas; estes magmas formam-se nos limites divergentes das placas e pontos
quentes oceânicos, e resultam da fusão de materiais do manto superior; quando o seu
arrefecimento se dá à superfície originam rochas como o basalto, enquanto que se for em
3/11
profundidade originam rochas como o gabro.
· Magmas intermédios, ou magmas andesíticos (contêm entre 53% e 64% de SiO2), formam-se devido à
colisão entre uma placa continetal e uma placa oceânica (zona de subducção); resultam da fusão
de rochas do manto e da crusta em condições particulares de pressão e temperatura, e na
presença de água; quando consolidam à superfície originam andesito, e em profundidade
originam o diorito.
 Magma ácido ou riolítico, ricos em sílica (entre 65% e 77% de SiO2) mas pobres em minerais
ferromagnesianos; viscosos e com temperaturas baixas; sao formados nos limites convergentes de
placas e pontos quentes continentais; podem originar granito em profundidade e riólito à
superfície.

Sobre série de reações de Bowen. O mineral de maior resistência ao intemperismo é o que é


cristalizado a baixas temperaturas? Sim

Qual a diferença entre lava e magma?

Textura de rochas. O que caracteriza uma rocha de textura afanítica e fanerítica? O que vem
a ser uma rocha porfirítica?
Afanítica - Resfriamento Rápido: Formam grãos finos nos quais os minerais são
individualmente pequenos. Muito pequenos para serem vistos a olho nu. Fanearítica -
Resfriamento Lento: Formam grãos relativamente grandes, produzindo um textura granulada
grosseiramente. Porfírica : minerais de tamanhos marcadamente diferentes estão presentes na
mesma rocha. Os minerais maiores são os fenocristais e os menores constituem a matriz da
rocha.  Esse tipo de textura ocorre quando o magma se resfria lentamente na superfície  Se o
magma em resfriamento for lançado a superfície vai favorecer o restante da fase “líquida” se
resfria rapidamente.

Todo magma basáltico se consolida na superfície e todo magma riolítico de resfria no interior
da terra? Comente. Não.

4/11
Cite um exemplo de rocha básica e um exemplo de rocha ácida. Apresente a diferenciação
percentual de seus minerais primários.
“rochas ácidas” com mais de 65% de sílica; Ex: Granito com 74,2%
“rochas básicas”, com 52 a 49% de sílica. .Ex: Diorito com 49,1%

Sobre corpos intrusivos ígneos. Qual a diferença marcante entre um Dique e uma soleira?
Soleira, em geologia, é uma massa de rocha ígnea de forma tabular, muitas vezes horizontal e
que intruíu lateralmente por entre camadas mais antigas de rocha sedimentar, lava ou tufos
vulcânicos ou até mesmo segundo a direcção de foliação em rochas metamórficas.

Um dique em geologia, refere-se a uma formação ígnea intrusiva de forma tabular. A espessura é


geralmente muito menor que as suas restantes dimensões e pode variar de alguns milímetros até
muitos metros enquanto que a sua extensão lateral pode atingir muitos quilómetros.
5/11
O que é um batólito? Como se explica a presença de corpos ígneos intrusivos, tipo Batólitos
de granito, na superfície? Um batólito (do grego bathos, profundidade + lithos, rocha)
ou plutonito é uma grande massa de rocha ígnea intrusiva, com área superior a 100 km²,[1]
[2]
 formada por arrefecimento de magma a grande profundidade na crosta terrestre. Os grandes
volumes de batólitos devem-se a uma substancial e repetida produção de magma durante períodos
de orogénese.[3

Afirmação: Os primeiros minerais a se formarem separam do magma pela ação da gravidade


e se depositam no fundo da câmara magmática. Sendo assim. A rocha formada no fundo da
câmara magmática é um riolito, basalto, mármore ou um granito? Justifique a sua resposta.

O que são rochas sedimentares? Como se formam? Coleção de partículas agrupadas ou


segregadas por processos físicos, químicos ou biológicos. O sedimento consiste em partículas
sólidas que sofreram intemperismo mecânico e minerais extraídos de solução por processos
químicos inorgânicos e atividades dos organismos.

Toda rocha sedimentar tem com origem uma rocha magmática?


Não, a formação das rochas sedimentares ocorre a partir da decomposição de rochas
anteriores, que são lentamente intemperizadas pelo vento, água e clima.
Quais os agentes que atuam sobre as rochas e as transformam em sedimentos? Ação da
Água 2. Ação do Gelo 3. Ação dos Seres vivos 4. Ação da Temperatura 5. Crescimento de
minerais 6. Alívio de pressão
6/11
O que é intemperismos químico e físico? Física (mecânica): Fragmentação da rocha em
pedaços menores Química: Alteração da composição química e mineralógica da rocha

Cite dois tipos de intemperismo químico.


1. Hidrólise 2. Oxidação

O carvão é uma rocha sedimentar de grande importância econômica. Como se processa a


formação do carvão? O carvão mineral é oriundo da decomposição das florestas que
ocorreram no período Carbonífero, da era primária, sendo uma das formas em que o
elemento carbono é encontrado no Globo Terrestre, na formação do carvão mineral
ocorre um processo no qual há transformação da celulose, com a saída de íons de
hidrogênio e oxigênio e um aumento no enriquecimento do carbono.

Esse processo pode ser originado pela decomposição de florestas no próprio local, ou
ainda, pela sedimentação de detritos vegetais trazidos pelas águas. Assim pode-se dizer
que as jazidas de carvão representam restos de vegetais que foram transformados no
local, ou transportados por longas distâncias, onde ocorreu a decomposição da celulose
pela ação de bactérias, como por exemplo, o Micrococus carbo, uma bactéria
anaeróbica.

O quartzo é um arenito?
Não, o arenito é feito de quartzos.

Na formação de uma rocha sedimentar ocorrem a sedimentogênese e a diagênese. Explique.

Quais os tipos de rochas sedimentares de acordo com a sua gênese?


Terrígenos/clásticos/Detrítica: desagregação física/química/biológica de rochas Ex: Areia •
Químicos: precipitados diretamente Ex: Carbonáticos Evaporíticos • Biogênicos: atuação de
organismos Ex: Recifes de corais Estromatólitos

As formas dos sedimentos (angular, arredondado, sub-angular) está associado a que fator?
Abrasão durante o transporte (rios, ondas, ventos, etc...) – maior eliminação dos cantos.
Envolve o tempo e a energia.

O Sal de cozinha é oriundo de uma rocha sedimentar de que tipo? Um terceiro tipo
importante de rocha sedimentar é produto da precipitação de elementos químicos como
o carbonato de cálcio ou halita (sal de cozinha), onde os sais são dissolvidos na água de lagos,
lagunas, mares rasos, precipitando-se através da evaporação da água. Estas são as rochas
sedimentares químicas.
7/11
Um calcário apresenta cor preta devido à presença de matéria orgânica em seu processo de
diagênese. Como explica uma rocha escura (preta) depois de metamorfizada gerar uma
rocha branca (mármore)?

O que são e como se forma as rochas metamórficas?

Qual a diferença entre metamorfismo de contato e metamorfismo regional?


Um maciço rochoso pode está sujeito a uma tensão litostática ou não-litostática. O que
significa isso e o que pode está associado do ponto de vista de geologia estrutural.
Na formação de rochas metamórficas ocorre fusão completa do protólito?
Quais os tipos de foliação existente em função do grau de metamorfismo.
Descreva uma situação onde ocorre metamorfismo de alto grau.
O que são falhas e como se formam?
Qual a diferença entre falha e juntas?
Uma mesma rocha pode ser de comportamento frágil e dúctil? O que interfere neste
comportamento. Que tipos de deformações podem ser associados a esses comportamentos?
Como se formam as juntas de alívio?
Quais os elementos que caracterizam uma falha?
O argilito, uma rocha sedimentar, depois de um processo de metamorfismo de baixo grau
forma um folhelho, para um grau intermediário de metamorfismo essa mesma rocha
sedimentar forma que tipo de rocha metamórfica? E para um alto grau de metamorfismo?
Descreva e faça um esboço esquemático do ciclo d´água.
Quais os tipos de aquíferos subterrâneos que podem existir?
Explique o processo de artesianismo.
O que são aquitardos ou aquicludes?
Todo poço de abastecimento de água é um poço de artesiano, ou seja, ocorre artesianismo?
Em zona costeira pode acorrer intrusão salina no aquífero de água doce. Como e porque
ocorre esse problema?
Como e onde um aquífero de água subterrânea é “reabastecido”.
Um argilito seria uma rocha de excelente qualidade para armazenamento e exploração de
água subterrânea? Por quê?
É possível explorar água subterrânea em um substrato rochoso?
Os aquíferos subterrâneos podem ser poroso, fissural ou do tipo cársticos? Explique-os.
Comente sobre problemas associados à exploração de água subterrânea no aquífero do tipo
fissural.

Explicação da formação de ilhas vulcânicas – hot spots

8/11
Em 1963, J. Tuzo Wilson, geofísico canadense, apresentou uma hipótese que ficou conhecida como
Teoria do Hotspot. Segundo ele, em certos locais da Terra, tal como o Havaí, o vulcanismo esteve
ativo por longos períodos, o que poderia apenas acontecer se regiões relativamente pequenas,
fixas e excepcionalmente quentes, existentes por baixo das placas tectônicas, originassem pontos
quentes que mantivessem o vulcanismo. Especificamente no Havaí, ele teorizou que a cadeia de
ilhas resultou do movimento da Placa do Pacífico sobre um Hotspot no manto profundo e
estacionário, localizado atualmente por baixo da Ilha do Havaí (há uma ilha, mais a leste,
homônima ao arquipélago). O calor proveniente deste Hotspot produziu uma fonte persistente de
magma por fusão parcial da Placa do Pacífico. O magma, mais leve que as rochas encaixantes,
atravessa o manto e a crosta e ascende no fundo do mar formando um monte submarino ativo.
As ilhas havaianas são formadas por inúmeras erupções de lava, ao longo de milhões de anos,
oriundas de gigantescos vulcões submarinos. Algumas ilhas elevam-se aproximadamente 9 km do
fundo do mar, representando apenas uma parte minúscula e visível de uma imensa cordilheira
submarina, conhecida como Cadeia Vulcânica Havaí–Imperador, composta por mais de 80
vulcões. Ao longo do tempo, numerosas erupções contribuíram para o crescimento deste monte
submarino que acabou por emergir, formando uma ilha vulcânica. O contínuo movimento da placa
tectônica acabou por remover a ilha de cima do Hotspot, retirando-lhe a fonte de magma; o
vulcanismo cessou nesta ilha. Com esta ilha extinta, outra começou a formar-se por cima do
mesmo Hotspot, repetindo o ciclo. Este processo de crescimento e extinção dos vulcões, ao longo
de vários milhões de anos, criou uma longa fila linear de ilhas vulcânicas. A Teoria de J. Tuzo
Wilson, a partir de seu ponto de origem sobre o Hotspot, é demonstrada pelas idades dos
principais fluxos de lava nas várias ilhas havaianas do noroeste (mais antigo) ao sudeste (mais
jovem), dado em milhões de anos: Ni ‘ihau e Kaua’i, de 5,6 a 3,8; O’ahu, 3,4 a 2,2; Moloka’i, 1,8 a
1,3; Maui, 1,3 a 0,8; e Hawai’i, com menos de 0,7 e ainda crescendo.

Kohala, no canto noroeste da ilha, é a mais antiga, tendo cessado a atividade eruptiva há cerca de
120 mil anos. O segundo mais antigo é o Mauna Kea, que entrou em erupção por volta de 4.000
anos atrás; em seguida é Hualälai, que teve apenas uma erupção (1800-1801) na história escrita.
Por fim, tanto Mauna Loa quanto Klauea foram ativos vigorosamente e repetidamente nos últimos
dois séculos. Por estar crescendo no flanco sudeste de Mauna Loa, acredita-se que o Kilauea seja
mais jovem que seu vizinho.

Viscosidade

A viscosidade depende, entre outros, da temperatura e da riqueza em sílica: quanto maior for a
riqueza do magma em sílica, mais baixa é a temperatura necessária para o manter no estado
liquido e maior é sua densidade. Assim, o magma riolítico, com um maior teor em sílica, é o mais
viscoso e o magma basáltico, com um menor teor em sílica é o mais fluido.

A composição química de um magma afeta a viscosidade em uma maneira complexa. Os


elementos em um magma podem ser divididos em elementos formadores de rede tridimensional
de átomos e elementos não formadores de rede tridimensional de átomos. O Si4+ e em menor
extensão o Al+3 e o Fe3+ são os principais elementos formadores de rede tridimensional, enquanto
que o Mg2+ e o Ca+ são os principais elementos não formadores de rede tridimensional. Nos
minerais silicatados, quatro íons de oxigênio são ligados a um cátion de sílica formando uma
configuração tetraédrica. A união de tetraedros de sílica e oxigênio é comumente denominada de
9/11
polimerização. Quanto mais sílica (SiO2) existir na composição de um magma, mais polimerizado é
este magma, conseqüentemente, também mais viscoso.

A viscosidade dos magmas aumenta significativamente quando eles perdem temperatura, devido
parcialmente a cristalização. 

XERCÍCIOS RESOLVIDOS - GEOLOGIA - ROCHAS

1. Qual a relação entre tamanho dos grãos minerais e a profundidade de consolidação


do magma?
Quanto maior a profundidade, maior será o tamanho dos grãos dos minerais. Altas
profundidades geram uma relação da temperatura e pressão com o mineral, isso
combinado com o tempo faz com que eles tenham mais ligações químicas.

2. Como é o arranjo dos minerais em uma rocha ígnea? E em um gnaisse? Por quê ?
A estrutura é desordenada. Em um gnaisse os minerais tem arranjo paralelo, porque é
uma rocha metamórfica formada pela atuação de pressão dirigida.
Maciça: Quando a ro cha não apresenta va zios na amostra.
Vesicular: Qua ndo a rocha apre senta vazios na a mostr a. Estas vesículas sã o formadas por
bolhas de gas es dissolvidos no magma. Só ocorr e em rochas vulcâ nicas.
Amigdaloidal: Qua ndo a rocha apre senta vazios pree nchidos parcialmente por minerais
secundários. Só ocorre e m rochas vulcânicas.

3. Por que os granitos tendem a ser mais claros? A que grupo de silicatos os minerais
mais comuns do granito pertencem?
Porque não há presença de Fe e Mg na composição dos silicatos presentes. (Félsicas ou
leucocráticas).
Quartzo – grupo do quartzo (estrutura de SiO2); Minerais máficos (silicatos ferro-
magnesianos) sobretudo anfíbolas (hornblenda) e micas (biotite); Feldspatos – grupo dos
feldspatos.
Por causa de seus componentes, que são basicamente quartzo, mica e feldspato que por
sua vez contem muita SiO2 e Al2O3.

4. Por que os basaltos tendem a ser mais escuros? A que g rupo de silicatos os minerais
mais comuns do basalto pertencem?
Porque há presença de Fe e Mg na composição dos silicatos presentes.
Plagioclásio – grupo dos Feldspatos e piroxênio – inossilicatos – grupo das piroxenas.

5. Observando o lado esquerdo da série de Bowen, que tipo de generalização pode ser
feita com relação a temperatura de formação dos minerais silicatados? E em relação a
resistência dos minerais à alteração (intemperismo)?
Eles são cristalizados em baixas temperaturas. Eles são mais resistência à alteração.

6. O plagioclásio do granito será mais cálcico ou mais sódico? E o plagioclásio do basalto?


Por quê?
O plagioclásio do granito será mais sódico. O plagioclásio do basalto será mais cálcico.
Porque isso depende da temperatura em que o plagioclásio se cristalizou.
10/11
7. Será possível a presença de olivina e quartzo em uma mesma rocha ígnea? Qual
dos minerais citados forma-se em temperaturas mais altas?
Não, pois eles se formam em temperaturas bastante distintas. A olivina.

8. Por quê existem rochas plutônicas, tais como granitos e gabros, aflorando, se tais
rochas foram formadas em grandes profundidades?
Existem duas possibilidades para existência de rochas plutônica na superfície, a primeira é
por erupção vulcânica, antiga ou recente e a segunda é por movimentação das placas
tectônicas que “empurram” partes mais profundas para a superfície.

O que são Rochas Plutónicas


Uma Rocha Plutónica corresponde a uma massa de rocha ígnea (ou magmática) intrusiva e que
representa a quase totalidade do manto e grande parte da crusta terrestre, representando por
isso a maior parte do volume da Terra. Formam-se por um processo de lento arrefecimento a
grande profundidade na crusta terrestre (e por isso também designadas por rochas abissais),
processo este que origina uma textura granular grosseira, conseguindo individualizar-se os cristais
à vista desarmada. Além disso, e pelo facto de solidificarem sem contacto com a atmosfera, é
favorecida a manutenção da composição inicial do magma, sem perda de elementos voláteis e
sem desgasificação. Formadas a grande profundidade, estas rochas podem aflorar à superfície
através dos movimentos da crusta e da remoção, por erosão, dos materiais sedimentares ou
metamórficas que as cobriam.
Exemplo de rochas plutónicas são alguns tipos de granito, o gabro, o diorito, o sienito, o periodito
e o tonalito.

11/11

Você também pode gostar