Você está na página 1de 6

I – JUSTIFICATIVA LEGAL

 NBR 14276 – Programa de Brigada de Incêndio


 IT 17/2013 – DST CBMPA

O que é Brigada de Incêndio?

A Brigada de Incêndio é um grupo de pessoas treinadas e capacitadas para atuar na


prevenção, abandono e combate a incêndio, bem como prestar os primeiros socorros.

II – PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO


Adota-se o tetraedro do fogo para explicar a combustão, que são: Calor, Combustível,
Comburente e Reação Química em Cadeia;
a) Combustível:
Elemento que alimenta o fogo e serve de campo para sua propagação. podem ser:

Combustíveis Sólidos Combustíveis Líquidos Combustíveis Gasosos

PR
b) Comburente: OT
Elemento que possibilita vida às chamas e intensifica a queima - Oxigênio. EC
FI
c) Calor:
RE
Forma de energia que eleva a temperatura.

d) Reação em Cadeia: Faz a interação entre os elementos e torna a queima autossustentável. C
U
Métodos de Extinção RS
O
Isolamento Resfriamento Abafamento E
FR
O
M

Ã
O
Propagação do Calor D
A
BR
IG
A
D

Instrutor Habilitado no CBMPA: Douglas Oliveira dos Santos Pá g. 2


Convecção Condução Irradiação

Fases do Fogo

a) Fase Inicial
Nesta primeira fase, grande parte do calor está sendo consumido no ambiente. O calor está
sendo gerado e evoluirá com o aumento do fogo.

b) Queima Livre
Durante esta fase, os gases aquecidos espalham-se preenchendo o ambiente e causam a
ignição de todos combustíveis no ambiente.

“Flashover”
Queima de todos combustíveis, provocando uma explosão
ambiental, ficando toda a área envolvida pelas chamas.

c) Queima Lenta
O fogo consume todo o oxigênio, assim as chamas deixam de existir e o fogo é reduzido a
brasas superaquecidas.
PR
“Backdraft”
É a explosão decorrente da repentina entrada de ar, num OT
ambiente pouco ventilado, com grande concentração de gases EC
aquecidos. FI
RE

Classes de Incêndios C
U
Classe “A” Classe “B” Classe “C” Classe “D” Classe “K”
Sólidos não Líquidos / Gases Equipamentos Combustíveis RS
Óleos e Gorduras.
Energizados combustíveis. energizados. pirofóricos O
E
FR
O
M

Extintores Portáteis de Incêndio Ã
O
Extintor de Água Extintor de Pó ABC Extintor de CO² D
A
Indicado incêndio classe A. Indicado incêndio classe A, B e C. Indicado incêndio Classe “BC”.
BR
IG
Não utilizar em Incêndio B/C E Toxico e deixa Resíduo. Inodoro e não conduz eletricidade.
A
Alcance do jato: 10 metros Alcance do jato: 5 metros Alcance do jato: 2,5 metros D

Instrutor Habilitado no CBMPA: Douglas Oliveira dos Santos Pá g. 3


Interpretação da Escala de Leitura do Mostrador dos Indicadores de Pressão

Uso do Extintor
1. Que o Lacre e retire a Trava de Segurança
2. Segure na Extremidade da Mangueira e direcione a “base do fogo”
3. Pressione o gatilho Superior e em forma de varredura, combata o Incêndio.

SPCI - Hidrantes

Composição do Abrigo de Mangueira - Obrigatório

I – Mangueiras
II - Esguicho Regulável
III - Chave de Mangueira
IV – Registro

PR
Procedimentos a serem seguidos em caso de Princípio de Incêndio
OT
 Evacuar toda a População do Local do Sinistro; EC
 Acionar imediatamente o Corpo de Bombeiros (193) FI
 Desligar a Chave Geral e combater o princípio do incêndio, caso o cenário ofereça segurança; RE
 Isolar a Área – evitar acidentes; –
C
GLP - Gás Liquefeito de Petróleo
U
Composto de 85% Líquido e 15% Gasoso; Não tem cheiro; adicionado substância - mercaptana; RS
O
E
FR
O
M

Ã
III – PRIMEIROS SOCORROS
O
Procedimentos efetuados a uma pessoa cujo foi vítima de um sinistro e seu estado esteja D
afetado. Atuar somente se oferecer SEGURANÇA NO LOCAL. Cuidado: Omissão de Socorro! A
BR
Posso dar Água ao Acidentado? NÃO!
IG
 Se ela for se submete a uma cirurgia, ela deve estar em jejum, na hora da anestesia geral o A
corpo todo "adormece" e relaxa então a possibilidade de vômitos, e ela pode se engasgar. D
 A vitima pode se engasgar devido seu estado de “consciência fragilizado”.

Instrutor Habilitado no CBMPA: Douglas Oliveira dos Santos Pá g. 4


Avaliação Primaria do Paciente
Identificação do estado de consciência da vitima – CONSCIENTE X INCONSCIENTE.

SBV – Suporte Básico de Vida – VITIMA INCONSCIENTE

No SBV, o BRIGADISTA deve executar os seguintes passos:


C – Verificar a circulação – 10 segundos - Na ausência de Pulso Carotídeo, iniciar a RCP;
 Frequência da Massagem: 100/120 compressões por/min, verifica o pulso.

A – Controle da Coluna Cervical

PR
Hemorragia OT
EC
Compressa c/ Gelo (Hemorragia Interna) Pressão Direta / Curativo Compressivo
FI
RE

C
U
RS
O
E
Elevação do Membro Tornique***
FR
O
M

Ã
O
D
A
Torniquete*** Só deve ser utilizado em situações de EXTREMAS. BR
Cuidado: Afrouxar o torniquete assim que perceber que o membro esteja cianótico. IG SE
A TA
Ferimentos D S
EX
IN
TO
SE
Instrutor Habilitado no CBMPA: Douglas Oliveira dos Santos Pá g. 5
RE
TA
S S-
C
EX
Ferimentos Perfurantes – Objetos Empalados:
Prenda-as com uma atadura sobre uma gaze ou atadura. NUNCA Remover!

Desmaio

 Falta de oxigenação no cérebro;


Deitar a vítima, de barriga para cima, e colocar as pernas elevadas. Caso sinta-se
que irás desmaiar, recomenda-se que sente e
mantenha a cabeça entre os joelhos.

Manipulação e Transporte de Acidentados

Manipulação e a movimentação justificada de um paciente a fim de evitar mal maior;


 90°
 180°
 Elevação a Cavaleiro
 Outras Técnicas

PR
OT
EC
FI
RE

C
U
RS
O
E
FR
O
M

Ã
O
D
A
BR
IG
A
D

Instrutor Habilitado no CBMPA: Douglas Oliveira dos Santos Pá g. 6