Você está na página 1de 21

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACAJU

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO


Avenida João Pedro Fernandes, 215 – Centro – Maracaju/MS

CEP 79150-000 – Telefone: (067) 3454-3046

CURRÍCULO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL 2020 – NÍVEL I

Observação: Educação Infantil – CIEI


O componente curricular não está dividido por bimestres, pois nessa faixa
etária o aprendizado é contínuo, podendo os objetivos serem trabalhados e
alcançados durante todo o ano letivo.

1. COMPETÊNCIAS GERAIS DA BASE NACIONAL COMUM


CURRICULAR

A BNCC apresenta a definição de competência como “a mobilização


de conhecimentos (conceitos e procedimentos), habilidades (práticas
cognitivas e socioemocionais), atitudes e valores para resolver
demandas complexas da vida cotidiana, do pleno exercício da cidadania
e do mundo do trabalho” (2017, p. 8). Destaca-se que as competências
exigidas para o século XXI visam à articulação de conhecimentos,
atitudes e valores no que se refere às emoções e à autonomia, auxiliando
no desenvolvimento pleno dos sujeitos, despertando para a colaboração,
criatividade, autoconhecimento, comunicação, responsabilidade,
pensamento crítico, resolução de problemas e abertura para o novo. A
prática do professor, portanto, deverá estar pautada no desenvolvimento
de habilidades, no conhecimento científico e na promoção de atitudes e
valores para a convivência no século XXI.

1. Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o


mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade,
continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade
justa, democrática e inclusiva.

2. Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das


ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a
imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar
hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive
tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.

3. Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das


locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da
produção artístico-cultural.

4. Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como


Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como
conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se
expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em
diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.

5. Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e


comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas
práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e
disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e
exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.

6. Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de


conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações
próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da
cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência
crítica e responsabilidade.

7. Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para


formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que
respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e
o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com
posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do
planeta.

8. Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional,


compreendendo se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e
as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.

9. Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação,


fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos
humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de
grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem
preconceitos de qualquer natureza.

10. Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade,


flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em
princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

2. DIREITOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO

As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil –


DCNEI definem como eixos norteadores das práticas pedagógicas as
interações e a brincadeira. Com o objetivo de garantir à criança acesso a
processos de apropriação e articulação de conhecimentos e aprendizagens
de diferentes linguagens, assim como o direito à proteção, saúde, liberdade,
confiança, ao respeito, à dignidade, convivência e a interação com outras
crianças e adultos, foram estabelecidas na Base Nacional Comum
Curricular (BNCC) seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento que
deverão permear as vivências de todas as crianças brasileiras. São eles:

Conviver com outras crianças e adultos, em pequenos e grandes grupos,


utilizando diferentes linguagens, ampliando o conhecimento de si e do
outro, o respeito em relação à cultura e às diferenças entre as pessoas.

 Brincar cotidianamente de diversas formas em diferentes espaços e


tempos, com diferentes parceiros (crianças e adultos), ampliando e
diversificando seu acesso a produções culturais, seus conhecimentos, sua
imaginação, sua criatividade, suas experiências emocionais, corporais,
sensoriais, expressivas, cognitivas, sociais e relacionais.

 Participar ativamente, com adultos e outras crianças, tanto do


planejamento da gestão da escola e das atividades propostas pelo educador
quanto da realização das atividades da vida cotidiana, tais como a escolha
das brincadeiras, dos materiais e dos ambientes, desenvolvendo diferentes
linguagens e elaborando conhecimentos, decidindo e se posicionando.

 Explorar movimentos, gestos, sons, formas, texturas, cores, palavras,


emoções, transformações, relacionamentos, histórias, objetos, elementos da
natureza, na escola e fora dela, ampliando seus saberes sobre a cultura em
suas diversas modalidades: as artes, a escrita, a ciência e a tecnologia.
 Expressar, como sujeito dialógico, criativo e sensível, suas
necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas, hipóteses, descobertas,
opiniões, questionamentos, por meio de diferentes linguagens.

 Conhecer-se e construir sua identidade pessoal, social e cultural,


constituindo uma imagem positiva de si e de seus grupos de pertencimento,
nas diversas experiências de cuidados, interações, brincadeiras e linguagens
vivenciadas na instituição escolar e em seu contexto familiar e comunitário.

Os Direitos de Aprendizagem e Desenvolvimento estão articulados


aos três princípios elencados nas DCNEI, quais sejam princípios éticos: da
autonomia, responsabilidade, da solidariedade e do respeito ao bem
comum, ao meio ambiente e às diferentes culturas, identidades e
singularidades, correspondem aos direitos de conviver e conhecer-se;
políticos: dos direitos de cidadania, do exercício da criticidade e do respeito
à ordem democrática, correspondentes aos direitos de expressar-se e de
participar; estéticos: da sensibilidade, criatividade, ludicidade e da
liberdade de expressão nas diferentes manifestações artísticas e culturais,
referentes aos direitos de brincar e explorar. Portanto, esses princípios
devem nortear todas as ações dos profissionais e as experiências
vivenciadas pelas crianças.
Na garantia desses direitos é necessário considerar que as crianças
são diferentes, possuem culturas diversas, trazendo com elas valores,
atitudes, procedimentos e vivências de realidades diversificadas, portanto
devem ser respeitados o tempo, o modo de aprender e de se expressar de
cada uma delas.
A intencionalidade educativa na Educação Infantil consiste em ações
planejadas, nas quais os direitos de aprendizagem devem ser assegurados,
considerando as relações e interações das crianças com os saberes e
práticas sociais e os conhecimentos sistematizados, sem perder de vista as
competências gerais da Educação Básica.

3.CAMPOS DE EXPERIÊNCIA

Considerando os direitos acima elencados, a organização curricular


da Educação Infantil na BNCC está estruturada em cinco campos de
experiências e, a partir deles, foram definidos os objetivos de aprendizagem
e desenvolvimento das crianças. Essa forma de organização curricular
requer a articulação dos saberes das crianças, associados às suas
experiências, aos conhecimentos que fazem parte do patrimônio artístico,
cultural, ambiental, científico e tecnológico, em consonância com as
orientações das DCNEI (2009).
Considerando a ampliação desses saberes e conhecimentos e a concepção
de currículo definida nas DCNEI (2009), os campos de experiências nos
quais se organiza a BNCC são:

ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO

 Desde o nascimento, as crianças participam de situações


comunicativas cotidianas com as pessoas com as quais interagem. As
primeiras formas de interação do bebê são os movimentos do seu
corpo, o olhar, a postura corporal, o sorriso, o choro e outros
recursos vocais, que ganham sentido com a interpretação do outro.
Progressivamente, as crianças vão ampliando e enriquecendo seu
vocabulário e demais recursos de expressão e de compreensão,
apropriando-se da língua materna – que se torna, pouco a pouco, seu
veículo privilegiado de interação. Na Educação Infantil, é importante
promover experiências nas quais as crianças possam falar e ouvir,
potencializando sua participação na cultura oral, pois é na escuta de
histórias, na participação em conversas, nas descrições, nas
narrativas elaboradas individualmente ou em grupo e nas
implicações com as múltiplas linguagens que a criança se constitui
ativamente como sujeito singular e pertencente a um grupo social.
Desde cedo, a criança manifesta curiosidade com relação à cultura
escrita: ao ouvir e acompanhar a leitura de textos, ao observar os
muitos textos que circulam no contexto familiar, comunitário e
escolar, ela vai construindo sua concepção de língua escrita,
reconhecendo diferentes usos sociais da escrita, dos gêneros,
suportes e portadores. Na Educação Infantil, a imersão na cultura
escrita deve partir do que as crianças conhecem e das curiosidades
que deixam transparecer. As experiências com a literatura infantil,
propostas pelo educador, mediador entre os textos e as crianças,
contribuem para o desenvolvimento do gosto pela leitura, do
estímulo à imaginação e da ampliação do conhecimento de mundo.
Além disso, o contato com histórias, contos, fábulas, poemas, cordéis
etc. propicia a familiaridade com livros, com diferentes gêneros
literários, a diferenciação entre ilustrações e escrita, a aprendizagem
da direção da escrita e as formas corretas de manipulação de livros.
Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo
hipóteses sobre a escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e
garatujas e, à medida que vão conhecendo letras, em escritas
espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da compreensão
da escrita como sistema de representação da língua.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO:

(MS. EI02EF01. s.01) Dialogar com crianças e adultos, expressando seus


desejos, necessidades, sentimentos e opiniões.

(MS. EI02EF02. s.02) Identificar e criar diferentes sons e reconhecer rimas


e aliterações em cantigas de roda e textos poéticos.

(MS. EI02EF03. s.03) Demonstrar interesse e atenção ao ouvir a leitura de


histórias e outros textos, diferenciando escrita de ilustrações, e
acompanhando com orientação do adulto-leitor, a direção da leitura ( de
cima para baixo, da esquerda para a direita)

(MS. EI02EF04. s.04) Formular e responder perguntas sobre fatos da


história narrada, identificando cenários, personagens e principais
acontecimentos.

(MS. EI02EF05. s.05) Relatar experiências e fatos acontecidos, histórias


ouvidas, filmes ou peças teatrais assistidos.

(MS. EI02EF06. s.06) Criar e contar histórias oralmente, com base em


imagens ou temas sugeridos.

(MS. EI02EF07. s.07) Manusear diferentes portadores textuais,


demonstrando reconhecer seus usos sociais.

(MS. EI02EF08. s.08) Manipular textos e participar de situações de escuta


para ampliar seu contato com diferentes gêneros textuais (parlendas,
histórias de aventura, tirinhas, cartazes de sala, cardápios, notícias, etc.)

(MS. EI02EF09. s.09) Manusear diferentes instrumentos e suportes de


escrita para desenhar, traçar letras e outros sinais gráficos.

(MS. EI02EF00. n. 10) Produzir escritas autônomas arriscando-se e


testando suas hipóteses em diferentes contextos e situações reais de
comunicação.

MS. EI02EF00. n.11) Reconhecer o próprio nome do conjunto de nomes do


grupo nas situações em que isso se faz necessário.
AÇÕES DIDÁTICAS

*Conversar com as crianças em diferentes contextos


de comunicação sobre variados assuntos, fazendo-lhes
solicitações verbais, considerando sua capacidade de
compreensão.

*Possibilitar a expressão das crianças na


comunicação dos seus sentimentos, desejos,
compreensões e necessidades, sem apressá-las.

*Socializar as vozes das crianças, possibilitando que


todos possam falar e escutar.

*Mediar a resolução dos conflitos que surgem durante


as interações no uso dos brinquedos, dos objetos e das
brincadeiras compartilhadas.

*Organizar e desenvolver atividades ligadas à


expressividade e à comunicação, por meio de gestos e
linguagem verbal.

*Escutar atentamente as crianças e favorecer que elas


pratiquem a conversa, cantem, ouçam e contem
histórias, comentem acontecimentos vividos, vídeos e
filmes assistidos.

*Realizar rodas de leitura diariamente, selecionando


bons textos para dar às crianças referências
narrativas e de expressão escrita da língua,
possibilitando-as recontar histórias conhecidas,
memorizar canções, poemas, trava-língua etc.

*Explicitar os motivos ou preferências das escolhas


dos livros e das histórias antes de lê-las ou contá-las,
e permitir que as crianças opinem sobre elas.

*Possibilitar situações e oportunidades de as crianças


produzirem escritas e leituras à sua maneira.

*Favorecer que as crianças explorem livros e outros


suportes de textos, dando-lhes oportunidades de
acesso ao repertório literário e às formas lúdicas de
utilização da linguagem oral e escrita.

*Organizar materiais e objetos marcados pela cultura


nas brincadeiras de faz de conta e os utilizados pelos
adultos nas situações reais (mobiliário de casinha e
de espaços variados, acessórios, bolsas, brinquedos,
fantasias, vestimentas, embalagens, instrumentos de
trabalho etc).

*Desenvolver atividades e projetos de produção de


coletâneas de diferentes gêneros textuais: adivinhas,
parlendas, trava-línguas, brincadeiras cantadas etc.

*Ler histórias, contos e poesias para que as crianças


se familiarizem com essa linguagem com a finalidade
de provocar ricas criações infantis, do prazer pela
leitura, do enriquecimento da imaginação, da fantasia
e inventividade.

*Pesquisar o repertório de histórias e causos das


pessoas da comunidade (pais, avós, tios, amigos) e da
instituição (os profissionais da educação e crianças
maiores), e convidá-las para contar alguma história
especial que tenha escolhido para compartilhar com
as crianças.

*Assumir o papel de escriba e leitor(a) e organizar


situações em que as crianças ditem textos produzidos
por elas.

ESPAÇOS, TEMPOS, QUANTIDADES, RELAÇÕES E


TRANSFORMAÇÕES

 As crianças vivem inseridas em espaços e tempos de diferentes


dimensões, em um mundo constituído de fenômenos naturais e
socioculturais. Desde muito pequenas, elas procuram se situar em
diversos espaços (rua, bairro, cidade etc.) e tempos (dia e noite; hoje,
ontem e amanhã etc.). Demonstram também curiosidade sobre o
mundo físico (seu próprio corpo, os fenômenos atmosféricos, os
animais, as plantas, as transformações da natureza, os diferentes
tipos de materiais e as possibilidades de sua manipulação etc.) e o
mundo sociocultural (as relações de parentesco e sociais entre as
pessoas que conhece; como vivem e em que trabalham essas pessoas;
quais suas tradições e seus costumes; a diversidade entre elas etc.).
Além disso, nessas experiências e em muitas outras, as crianças
também se deparam, frequentemente, com conhecimentos
matemáticos (contagem, ordenação, relações entre quantidades,
dimensões, medidas, comparação de pesos e de comprimentos,
avaliação de distâncias, reconhecimento de formas geométricas,
conhecimento e reconhecimento de numerais cardinais e ordinais
etc.) que igualmente aguçam a curiosidade. Portanto, a Educação
Infantil precisa promover experiências nas quais as crianças possam
fazer observações, manipular objetos, investigar e explorar seu
entorno, levantar hipóteses e consultar fontes de informação para
buscar respostas às suas curiosidades e indagações. Assim, a
instituição escolar está criando oportunidades para que as crianças
ampliem seus conhecimentos do mundo físico e sociocultural e
possam utilizá-los em seu cotidiano.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO

(MS. EIO2ET01. s. 01) Explorar e descrever semelhanças e diferenças


entre as características e propriedades dos objetos (textura, massa,
tamanho.)
(MS. EI02ET02. s. 02) Observar, relatar e descrever incidentes do
cotidiano e fenômenos naturais (luz solar, vento,chuva, etc).

(MS EI02ET03. S. 03) Compartilhar, com outras crianças, situações de


cuidados de plantas e animais nos espaços da instituição e fora dela.

(MS EI02ET04. S.04) Identificar relações espaciais (dentro e fora, em


cima, embaixo, acima, abaixo, entre e do lado) e temporais (antes, durante
e depois).

(MS EI02ET05. S.05) Classificar objetos, considerando determinado


atributo (tamanho, peso, cor, forma etc)

(MS EI02ET06. S.06) Utilizar conceitos básicos de tempo (agora, antes


durante, depois, ontem, hoje, amanhã, lento, rápido, depressa, devagar).

(MS EI02ET07. s.07) Contar oralmente objetos, pessoas, livros etc., em


contextos diversos.

(MS EI02ET08. S.08) Registrar com números a quantidade de crianças


(meninas, meninos, presentes e ausentes) e a quantidade de objetos da
mesma natureza (bonecas, bolas, livros etc).

AÇÕES DIDÁTICAS

*Propiciar o contato com diferentes materiais para


exploração de suas características físicas e
propriedades.

*Oportunizar a observação dos fenômenos naturais


sempre que possível e promover a exibição de vídeos e
fotos que tratam do tema.

*Construir com as crianças, terrário, aquário,


sementeira, estufa e outros espaços para observação,
experiência e cuidado de plantas e animais.

*Promover visitas a locais onde as crianças possam


observar e levantar hipóteses sobre plantas, animais e
seus modos de vida.

*Incorporar à rotina escolar atividades que


possibilitem às crianças a percepção dos cuidados
necessários para a preservação da vida e dos
ambientes.

*Aproveitar situações do cotidiano para uso de


vocabulário científico.

*Selecionar diferentes objetos para que a criança


possa expressar suas observações por meio da
linguagem oral, desenho ou escritas.

*Definir marcadores temporais que evidenciem a


passagem do tempo e organizam o cotidiano das
crianças. Narrar histórias com diferentes marcadores
de tempo.

*Incentivar o uso do calendário e utilizando as


medidas dia, mês e ano para marcar os
acontecimentos.

*Disponibilizar objetos diferenciados para contagem


e a resolução de problemas numéricos com uso de
registros convencionais e não convencionais.

*Propiciar momentos de resolução de problemas não-


numéricos por meio de diferentes registros.

*Solicitar registros variados a partir da chamada


diária assim como a contagem de objetos em
contextos significativos.

*Favorecer o uso da contagem oral nas brincadeiras,


nos jogos e em práticas sociais, comunicando
quantidades, utilizando a notação numérica e/ou
registros não convencionais.

*Organizar situações em que as crianças possam


interagir com outras crianças da mesma idade e de
idades diferentes, em situações coletivas e pequenos
grupos.

*Disponibilizar materiais e objetos que favoreçam as


brincadeiras de faz de conta.

*Planejar rodas de conversa com as crianças, sobre a


história familiar de cada um, incentivando o respeito
e valorização.

*Promover a participação em brincadeiras da cultura


popular, contato com músicas e histórias que fazem
parte do acervo de produção cultural.

*Contribuir para que as crianças desenvolvam


atitudes de reconhecimento, respeito, valorização às
contribuições histórico-culturais dos povos indígenas,
afrodescendentes, asiáticos, europeus e de outros
países da América, bem como o combate ao racismo e
à discriminação.

*Promover visitas a museus, pontos turísticos e outros


espaços culturais para conhecimento e valorização da
história.

*Disponibilizar materiais e ambientes adequados


para a realização de experiências com tintas, líquidos
diversos, substâncias secas etc.

O EU, O OUTRO E O NÓS

 É na interação com os pares e com adultos que as crianças vão


constituindo um modo próprio de agir, sentir e pensar e vão
descobrindo que existem outros modos de vida, pessoas diferentes,
com outros pontos de vista. Conforme vivem suas primeiras
experiências sociais (na família, na instituição escolar, na
coletividade), constroem percepções e questionamentos sobre si e
sobre os outros, diferenciando-se e, simultaneamente, identificando-
se como seres individuais e sociais. Ao mesmo tempo que participam
de relações sociais e de cuidados pessoais, as crianças constroem sua
autonomia e senso de autocuidado, de reciprocidade e de
interdependência com o meio. Por sua vez, na Educação Infantil, é
preciso criar oportunidades para que as crianças entrem em contato
com outros grupos sociais e culturais, outros modos de vida,
diferentes atitudes, técnicas e rituais de cuidados pessoais e do
grupo, costumes, celebrações e narrativas. Nessas experiências, elas
podem ampliar o modo de perceber a si mesmas e ao outro, valorizar
sua identidade, respeitar os outros e reconhecer as diferenças que nos
constituem como seres humanos.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO

(MS. EI02EO01. s.01) Demonstrar atitudes de cuidado e solidariedade na


interação com crianças e adultos.

(MS. EI02EO02. s.02) Demonstrar imagem positiva de si e confiança em


sua capacidade para enfrentar dificuldades e desafios.

(MS. EI02EO03. S.03) Compartilhar os objetos e os espaços com crianças


da mesma faixa etária e adultos.

(MS. EI02EO04. S.04) Comunicar-se com os colegas e os adultos,


buscando compreendê-los e fazendo-se compreender.

(MS. EI02EO05. S.05) Perceber que as pessoas tem características físicas


diferentes, respeitando essas diferenças.

(MS. EI02EO06. s.06) Respeitar regras básicas de convívio social nas


interações e brincadeiras.

(MS. EI02EO07. s.07) Resolver conflitos nas interações e brincadeiras,


com a orientação de um adulto.

(MS. EI02EO08. S.08) Perceber e expressar as necessidades do seu corpo


tais como: fome, frio, calor, sede, sono, desconforto relativo a existência de
urina e fezes na fralda.

(MS. EI02EO00. n.09) Manifestar preferências em relação ás atividades


propostas, alimentação e brincadeiras.

(MS. EI02EO00. n.10) Colaborar com a organização da sala e ajudar nos


momentos necessários, identificando seus objetos, roupas, calçados e
brinquedos.
AÇÕES DIDÁTICAS

*Incentivar as crianças quanto a organização e


cuidado dos brinquedos, objetos, livros, dentre
outros, possibilitando a independência e autonomia.

*Propiciar momentos para que as crianças realizem


com progressiva autonomia a higiene, calçar-se,
alimentar-se e vestir-se valorizando suas atitudes e
hábitos de autocuidado.

*Estimular as crianças a resolver os conflitos por


meio do diálogo e ajudá-las a buscar soluções.

*Promover brincadeiras e vivências desafiadoras em


que as crianças possam interagir com crianças da
mesma faixa etária e de idades diferentes respeitando
os limites e movimentos.

*Planejar momentos em que as crianças possam


fazer escolhas e decidir em qual atividade irão
participar.
Incentivá-los a esperar a sua vez para dar opiniões e
manifestar ideias.

*Elaborar coletivamente com as crianças os


combinados e regras sociais para um bom convívio.

*Oportunizar momentos em que as crianças


percebam que as pessoas são diferentes e que
devemos respeitar uns aos outros.

*Incentivar a participação em pequenas tarefas, a


cooperação, solidariedade entre as crianças e
professores/profissionais, compartilhando objetos,
brinquedos e oferecer auxílio quando necessário.

*Ajudar as crianças a lidar com as emoções e


incentivá-las a expressar seus sentimentos, desejos e
necessidades, intervindo e acolhendo quando
necessário.

*Propiciar às crianças atividades que valorizem


diferentes modos de vida, costumes, alimentação sul-
mato-grossense e de outros povos, respeitando a
diversidade cultural.
*Desenvolver um trabalho juntamente com a família
para a retirada da fralda e controle do esfíncter.

*Introduzir novos alimentos e incentivar a


degustação para que as crianças possam manifestar
preferências, alimentar-se quando sentir necessidade
com utensílios adequados e dando-lhes a atenção
necessária.

*Propiciar à criança o reconhecimento da família


como grupo social, bem como dos hábitos, valores,
crenças, composição familiar como elementos que
constituem a história de vida de cada indivíduo.

*Planejar ações, palestras em conjunto com


profissionais da saúde, envolvendo a criança e a
família com relação a hábitos de higiene, doenças
dermatológicas ou causadas por parasitas, infecções,
saúde bucal, organização e limpeza do vestuário,
explicando a importância de forma que não
desmoralize ou crie estereótipos direcionados as
atitudes relacionadas à falta de higiene.

CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS

 Com o corpo (por meio dos sentidos, gestos, movimentos impulsivos


ou intencionais, coordenados ou espontâneos), as crianças, desde
cedo, exploram o mundo, o espaço e os objetos do seu entorno,
estabelecem relações, expressam-se, brincam e produzem
conhecimentos sobre si, sobre o outro, sobre o universo social e
cultural, tornando-se, progressivamente, conscientes dessa
corporeidade. Por meio das diferentes linguagens, como a música, a
dança, o teatro, as brincadeiras de faz de conta, elas se comunicam e
se expressam no entrelaçamento entre corpo, emoção e linguagem.
As crianças conhecem e reconhecem as sensações e funções de seu
corpo e, com seus gestos e movimentos, identificam suas
potencialidades e seus limites, desenvolvendo, ao mesmo tempo, a
consciência sobre o que é seguro e o que pode ser um risco à sua
integridade física. Na Educação Infantil, o corpo das crianças ganha
centralidade, pois ele é o partícipe privilegiado das práticas
pedagógicas de cuidado físico, orientadas para a emancipação e a
liberdade, e não para a submissão. Assim, a instituição escolar
precisa promover oportunidades ricas para que as crianças possam,
sempre animadas pelo espírito lúdico e na interação com seus pares,
explorar e vivenciar um amplo repertório de movimentos, gestos,
olhares, sons e mímicas com o corpo, para descobrir variados modos
de ocupação e uso do espaço com o corpo (tais como sentar com
apoio, rastejar, engatinhar, escorregar, caminhar apoiando-se em
berços, mesas e cordas, saltar, escalar, equilibrar-se, correr, dar
cambalhotas, alongar-se etc.).

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO

(MS. EI02CG01. s. 01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura


no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.

(MS. EI02CG02. S.02) Deslocar seu corpo no espaço, orientando-se por


noções como em frente, atrás, no alto, embaixo, dentro, fora etc, ao se
envolver em brincadeiras e atividades de diferentes naturezas.

(MS. EI02CG03. s. 03) Explorar formas de deslocamento no espaço (pular,


saltar, dançar), combinando movimentos e seguindo orientações.

(MS. EI02CG04. s.04) Demonstrar progressiva independência no cuidado


do seu corpo.
(MS. EI02CG05. S.05) Desenvolver progressivamente as habilidades
manuais, adquirindo controle para desenhar, rasgar, folhear, dentre outros.

(MS. EI02CG00.n. 06) Participar de brincadeiras, expressar-se por meio da


dança e manifestações culturais relacionadas ao movimento do seu corpo,
respeitando a diversidade.

(MS. EI02CG00.n.07) Apropriar-se progressivamente da imagem do seu


corpo, desenvolvendo atitudes de cuidado e interesse, reconhecendo e
respeitando as individualidades e diferenças corporais relativas ao gênero,
etnia e faixa etária.

(MS. EI02CG00.n.08) Explorar o espaço por meio de deslocamento de si


mesmo e dos objetos.

(MS. EI02CG00. n.09) Brincar utilizando a capacidade de criar e imaginar:


brincar de faz de conta, confeccionar brinquedos e jogos.

(MS. EI02CG00. n.10) Participar de brincadeiras nas quais possa perceber


as semelhanças e as diferenças entre si e o outro.

(MS. EI02CG00. n.11) Desenvolver progressivamente as possibilidades


corporais e a capacidade de controle do corpo, no sentido de realizar
deslocamentos mais ágeis e seguros, com ações mais precisas no espaço
que ocupam.

(MS. EI02CG00. n.12) Conhecer manifestações culturais relacionadas ao


movimento do corpo, respeitando a diversidade e ampliando seu repertório.

AÇÕES DIDÁTICAS

*Proporcionar situações que estimulem as crianças a


movimentar o corpo a partir de cantigas e
brincadeiras cantadas.

*Possibilitar brincadeiras que desenvolvam a


capacidade motora: amassar, rasgar, pintar, folhear,
recortar, colar, encaixar entre outras.

*Estimular as crianças a movimentarem-se livremente


(andar, correr, pular, rolar, andar na ponta dos pés
etc.) em diferentes espaços.

*Favorecer durante a brincadeira contato das


crianças com diferentes materiais e objetos, como
fitas, arcos, bolas e lenços.

*Promover vivências para que as crianças explorem


diferentes ambientes e possibilidades de uso.

*Possibilitar situações e brincadeiras em que as


crianças reconheçam as partes do seu corpo e de seus
colegas, respeitando as diferenças corporais relativas
ao gênero, etnia e faixa etária.

*Proporcionar jogos de imitação que contemplem


possibilidades para a exploração da expressão facial,
corporal, com apoio de espelhos, fotografias, canções
etc.

*Estimular a manipulação e o uso de diferentes


materiais na criação de formas (argila, areia, massa
de modelar, gesso), dentre outros.

*Favorecer vivências e experimentação de diferentes


sensações em situações diversas.

*Promover a ampliação do conhecimento e do uso de


materiais, objetos, brinquedos diversos que propiciem
o desenvolvimento da autonomia e identidade
corporal.
*Oportunizar que as crianças conheçam por
diferentes meios (vídeos, documentários,
apresentações culturais e visitações em diversos
espaços) outras culturas com movimentos e formas de
brincar diferentes.

*Realizar brincadeiras nos espaços externos da


instituição, utilizando diversos materiais e
brinquedos.

*Promover brincadeiras explorando o faz-de-conta,


imaginação e fantasia.

*Proporcionar leitura e contação de histórias,


possibilitando situações de interações entre as
crianças, por meio do manuseio de livros, expressões
faciais e gestuais, modulação de voz, utilização de
fantoches e figurinos.

*Organizar propostas que envolvam histórias,


brincadeiras, jogos, danças e canções que digam
respeito às tradições de sua comunidade e de outras.

*Promover experiências sensoriais, expressivas,


corporais que possibilitem movimentação ampla,
expressão da individualidade e respeito pelos ritmos e
desejos da criança.

*Favorecer a participação em brincadeiras nas quais


as crianças escolham os parceiros, os objetos, os
temas, os espaços e os personagens, agindo
criativamente sobre eles.

*Planejar vivências envolvendo a dança com músicas


de gêneros variados, para que as crianças possam
imitar, criar e coordenar os movimentos.

*Propor atividades que favoreçam a exploração do


espaço por meio de ações que proporcionem o
deslocamento de si e dos objetos.

*Possibilitar brincadeiras com obstáculos que


permitam arrastar, engatinhar, levantar, subir,
descer, passar por dentro, por baixo, saltar, rolar,
virar cambalhota etc.

*Proporcionar experiências de pesquisa diante do


espelho para reconhecimento da imagem e do próprio
corpo.
TRAÇOS, SONS, CORES E FORMAS
 Conviver com diferentes manifestações artísticas, culturais e
científicas, locais e universais, no cotidiano da instituição escolar,
possibilita às crianças, por meio de experiências diversificadas,
vivenciar diversas formas de expressão e linguagens, como as artes
visuais (pintura, modelagem, colagem, fotografia etc.), a música, o
teatro, a dança e o audiovisual, entre outras. Com base nessas
experiências, elas se expressam por várias linguagens, criando suas
próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria
(coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas,
encenações, canções, desenhos, modelagens, manipulação de
diversos materiais e de recursos tecnológicos. Essas experiências
contribuem para que, desde muito pequenas, as crianças
desenvolvam senso estético e crítico, o conhecimento de si mesmas,
dos outros e da realidade que as cerca. Portanto, a Educação Infantil
precisa promover a participação das crianças em tempos e espaços
para a produção, manifestação e apreciação artística, de modo a
favorecer o desenvolvimento da sensibilidade, da criatividade e da
expressão pessoal das crianças, permitindo que se apropriem e
reconfigurem, permanentemente, a cultura e potencializem suas
singularidades, ao ampliar repertórios e interpretar suas experiências
e vivências artísticas.

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO

(MS. EI02TS01. s.01) Criar sons com materiais, objetos e instrumentos


musicais, para acompanhar diversos ritmos de músicas.

(MS. EI02TS02. s.02) Utilizar materiais variados com possibilidades de


manipulação (argila, massa de modelar), explorando cores, texturas,
superfícies, planos, formas e volumes ao criar objetos tridimensionais.

(MS. EI02TS03. s.03) Utilizar diferentes fontes sonoras disponíveis no


ambiente em brincadeiras cantadas, canções, músicas e melodias.

(MS. EI02TS00. n.04) Conhecer, ouvir, cantar e dançar diversos ritmos


musicais de diversos ritmos musicais de diferentes grupos culturais.

(MS. EI02TS00. n.05) Conhecer, utilizar e explorar diversos suportes,


materiais, instrumentos, técnicas e procedimentos no seu processo de
criação e expressão
(MS. EI02TS00. n. 07) Ampliar deu repertório de imagens, músicas,
movimentos, enredos, produções artísticas, tendo-os como referências
culturais nas suas próprias criações.

(MS. EI02TS00. n.08) Produzir e criar diferentes imagens por meio do


desenho, pintura, colagem e fotografia, significando suas idéias,
pensamentos e percepções.

(MS. EI02TS00. n.09) Apreciar exposições de artes plásticas e fotografia,


espetáculos de música, teatro e dança.

(MS. EI02TS00. n. 10) Desenvolver autoconfiança nas suas manifestações


e produções artísticas e de respeito e valorização da produção do outro.

AÇÕES DIDÁTICAS

*Organizar situações e atividades que possibilitem a


criança perceber, escutar, reconhecer e reproduzir
sons presentes no ambiente, nos objetos, no corpo, na
natureza e seu entorno.

*Propiciar e explorar repertórios musicais que sejam


significativos e trazê-los para as crianças como
linguagem e arte, possibilitando a expressão de
preferências musicais e sonoras diante dos diferentes
ritmos e gêneros musicais.

*Oferecer às crianças a interação permanente com o


mundo sonoro por meio da escuta musical,
exploração de sons, participação em eventos e
produções musicais dos diferentes grupos culturais.

*Planejar e organizar experiências de fruição e


apreciação de arte nas variadas manifestações.

*Propor oficinas de percursos de produção e criação


artística com diferentes materiais, meios, suportes, em
diferentes planos, texturas e espaço.

*Promover e compartilhar com as crianças sessões de


vídeo, apreciação musical de gêneros musicais
variados de diferentes artistas.

*Organizar mostras de desenho, pintura, colagem,


escultura etc. das produções das crianças.

*Realizar projetos de recitais de poesias memorizadas


pelas crianças, música e dança, e apresentá-los para
outras turmas e para a comunidade.

*Ampliar as experiências estéticas das crianças por


meio da pesquisa, busca, seleção e oferta de variadas
manifestações artísticas e culturais da sua
comunidade e de outros grupos tais como:
brincadeiras, danças, culinária, dentre outros.

*Observar as manifestações das crianças e preparar


junto com elas espaços privilegiados para se
expressarem ampliando suas experiências.

*Organizar os espaços físicos e transformá-los em


ambientes propícios à criação e manifestação dos
jogos teatrais com lenços de cores e tamanhos
variados, objetos sonoros, fantasias, máscaras etc.

*Valorizar as produções das crianças e incentivá-las


a reconhecer o valor das suas produções e da
produção do outro.

*Organizar excursões em locais e contextos culturais


para que as crianças aprendam com a experiência de
ver “in loco”. Convidar artesãos e artistas para
compartilhar conhecimentos referentes à cultura
local.

*Possibilitar a exploração de materiais, objetos e


papéis que possibilitem construções tridimensionais.

*Investir na sua formação cultural para frequentar


cinemas, assistir filmes, ir ao teatro, museus, ter
acesso a vários gêneros literários (contos, romances,
poesias), assistir a espetáculos de dança, seja nos
teatros ou outros espaços, para colaborar com a
criação para e com as crianças.
A organização do trabalho por Campos de Experiência procura favorecer as
inter-relações entre os conhecimentos, nas quais as vivências das crianças
não podem ser vistas de forma fragmentada, mesmo porque na Educação
Infantil os tempos são diferenciados. Nesse sentido, faz-se necessário que
essas vivências sejam propiciadas pelo professor nas instituições.
Sob essa vertente cabe ressaltar:
Os saberes e conhecimentos prévios do professor, sua formação
científica, artística, tecnológica, ambiental, cultural lhe possibilita
enriquecer ou ampliar o currículo vivido pelas crianças no cotidiano
da creche e da pré-escola. (BARBOSA; RICHTER, 2015, p.196)
Assim, nas propostas pedagógicas deverão ser estabelecidas a identidade da
instituição e as escolhas pedagógicas nas quais os saberes e conhecimentos
de diferentes naturezas que compõem os Campos de Experiências e suas
subdivisões internas possibilitem aprendizagem e desenvolvimento a todas
as crianças.

Você também pode gostar