Você está na página 1de 5

Trabalho de

Biossegurança

Nome: Aline Pereira da Silva


Prof.: Anderson
Curso: Cabelereiro CPS 162 sexta-feira noite
Normas da Anvisa para salão de beleza

Em todo o Brasil, cresce o número de salões, de 1,5 milhões de


empreendedores formalizados, 7,6% representam a ocupação de
cabeleireiro. Licença de funcionamento junto à Vigilância Sanitária do
município, estrutura, equipamentos adequados, biossegurança (da
esterilização até a utilização de equipamentos de segurança) e vacinação de
funcionários são os requisitos mínimos para o funcionamento de um
pequeno salão de beleza no Brasil.

É importante o dono do salão de beleza se informar nas leis da Anvisa e se


adequar o mais rápido possível para evitar de pagar multas. Por exemplo, é
preciso estar atento se todos os produtos utilizados no salão têm registro da
Anvisa, caso utilize um produto sem registro, a multa pode ser de R$500 a R$
500mil dependendo da reincidência e do grau de risco.

ANVISA: qualquer serviço de salão de beleza, cabeleireiro, barbeiro e


afins deve:
– Ser independente de residência.
– Possuir local próprio para lavagem de material.
– Apresentar-se limpo, organizado e possuir ventilação e circulação de ar.
– Manter rotina de limpeza dos pentes, escovas, bobies, etc. Esta limpeza deve
ser realizada a cada cliente.
– Utilizar tolhas limpas, devendo estas serem lavadas a cada uso.
– Utilizar apenas produtos com registro na Anvisa. Isto vale para esmaltes,
cremes, shampoos, tinturas, maquiagens, etc.
– Manter cadeiras e colchões de macas revestidos de material impermeável e
em bom estado de conservação.
– Possuir licença sanitária.

Cuidados na depilação
– Não realizar o procedimento quando houver lesões na pele.
– As ceras quentes deverão ser descartáveis e de uso individual.
– As espátulas devem ser de material liso, lavável e impermeável, ou
descartáveis.

A reutilização de qualquer produto pode ser enquadrada como crime sem


possibilidade de fiança.

Cuidados com os cabelos


– Evite fazer tintura, ondulamento, alisamento ou qualquer outro procedimento
que utilize produtos químicos quando apresentar lesões no couro cabeludo.
– Verifique o nome do produto, fabricante e registro na Anvisa.
– Não utilize produtos caseiros.
– Observe se as tolhas são limpas e de uso individual, e se as escovas e
pentes estão limpos.
Escova progressiva, alisantes e formol
O formol só pode ser usado na fórmula de cosméticos como conservante ou
agente endurecedor de unhas e nas quantidades determinadas pela vigilância
sanitária.

cutículas, navalhas, lâminas de barbear, entre outros) esterilizados de forma


inapropriada, também, são bastante frequentes nesses estabelecimentos.

Seu uso como alisante capilar é ilegal e pode causar, em quem aplica ou
recebe o tratamento, problemas de saúde, como queimaduras no couro
cabeludo, queda de cabelo e sérios problemas respiratórios.

Os riscos que o formol pode causar são:


– No contato com a pele – irritação, vermelhidão, dor e queimaduras.
– No contato com os olhos – irritação, vermelhidão, dor, lacrimação e visão
embaçada. Altas concentrações causam danos irreversíveis.
– Inalação- dor de garganta, irritação no nariz, tosse, diminuição da frequência
respiratória, irritação e sensibilização do trato respiratório.

Também podem ocorrer graves ferimentos nas vias respiratórias, levando ao


edema pulmonar, pneumonia e câncer no aparelho respiratório.

– O formol também pode causar queda dos cabelos.


Quando absorvido pelo organismo por inalação e principalmente pela
exposição prolongada, apresenta como risco o aparecimento de câncer na
boca, narinas, pulmão, sangue e cabeça.

Atenção:
– Adicionar formol ou qualquer outra substância a produtos sujeitos à vigilância
sanitária é infração sanitária (adulteração ou falsificação) é crime hediondo pela
legislação brasileira, de acordo com o art.273 do Código Penal.
– O uso do formol pode ser fatal.
– O risco aumenta à medida em que se aumenta a concentração utilizada e a
frequência de uso.
– O formol é considerado cancerígeno pela Organização Mundial de Saúde.

Serviços de Manicure, Pedicure e Podologia


Estes serviços deverão:
– Possuir profissionais capacitados.
– Manter rotina de esterilização dos materiais utilizados em procedimentos
invasivos.
– Possuir local exclusivo para a realização dos procedimentos de podologia.

É importante também que:


– Bisturis, navalhas e agulhas sejam descartados após o uso, não podendo ser
reutilizados.
– Os materiais estéreis devem estar embalados individualmente e
armazenados em local próprio e exclusivo, atentando-se para o controle da
data de validade da esterilização.
– O podólogo utilize equipamentos de proteção individual, como luvas e jaleco.
– Realizar a higienização e anti-sepsia da pele do cliente, antes de iniciar o
procedimento.

Lembrete: É proibido ao podólogo prescrever ou indicar qualquer


medicamento ou substância para uso sistêmico ou tópico.

Serviços de Estética
Muito cuidado com técnicas de estética que envolvam procedimentos invasivos
(botox, preenchimento, bioplastia,etc).
Estes procedimentos apenas podem ser realizados por um profissional médico.

Antes de submeter-se a um procedimento estético é importante verificar:


– Se todos os equipamentos e produtos utilizados nestes procedimentos
possuem registro na Anvisa. O registro é a única garantia de que os produtos
utilizados atingem a finalidade a que se propõem, sem expor o usuário aos
riscos à saúde.
– Se o profissional é capacitado para a realização do procedimento.
– Se o local está limpo, organizado e possui licença sanitária.
– Se materiais como agulhas e seringas são estéreis e de uso único, devendo
ser descartados após o uso.

Em caso de procedimentos invasivos é importante que o profissional utilize


equipamentos de proteção individual, como luvas, máscara e jaleco ou avental.

qualquer cliente pode denunciar o salão à Vigilância Sanitária. “É preciso ficar


atento porque as denúncias são imediatamente verificadas.

EDIFICAÇÃO - INSTALAÇÕES NECESSÁRIAS

Todos os fios elétricos e equipamentos devem ser aterrados. Os


estabelecimentos descritos neste manual devem possuir em suas
dependências, pisos e paredes de superfície lisa (fixa ou móvel), composta de
material compacto, lavável, de fácil limpeza e higienização, resistente à
lavagem e ao uso de desinfetantes. Manter as instalações físicas devidamente
conservadas e asseadas. Os lavatórios para a higienização das mãos pelos
profissionais antes e após a realização de cada atividade devem ser munidos
de água corrente, dispensador para sabão líquido e toalheiro com toalha de
papel fixado na parede próxima, além de lixeira com tampa e acionamento
automático com pedal. As bancadas devem ser de material liso, lavável,
durável, impermeável e resistente à ação de produtos químicos. Os ralos, se
existentes, devem ser sifonados (fecho hídrico) e possuir tampa com
fechamento escamoteável (abre e fecha), para impedir a entrada de insetos. É
permitido uso de divisórias, desde que sejam de material liso, lavável e
resistente ao uso de desinfetantes.

RISCO EM ESTABELECIMENTOS DE EMBELEZAMENTO

O risco de agravos à saúde nos Estabelecimentos de Embelezamento pode ser


variado e cumulativo tanto para os trabalhadores como para os clientes.
Portanto, é de vital importância que todos os profissionais conheçam e adotem
o conceito de Biossegurança a fim de se obter ambiente profissional livre de
riscos para os trabalhadores e clientes. O significado etimológico da palavra
Biossegurança - vida e segurança – esse binômio pode ser compreendido,
como um conjunto de comportamentos, conhecimentos, hábitos, ações que são
passadas ao homem para que suas atividades possam ser realizadas de forma
segura e sem risco à vida (SHMIDLIN, 2005, p.02). 7 Riscos aos Trabalhadores
• Riscos ergonômicos: qualquer fator que interfira nas características
psicofisiológicas tais como: postura inadequada que pode levar a problemas de
coluna, ritmo excessivo de trabalho, movimentos repetitivos; • Exposição a
substâncias potencialmente tóxicas, como: tinturas e substância químicas; •
Extremos de temperatura, tornando o ambiente de trabalho inadequado. •
“Stress”, entre outros. Riscos aos Clientes O risco mais preocupante nos
estabelecimentos de embelezamento é a possibilidade de se contrair doenças
infecciosas, como: a AIDS (transmitida pelo Vírus HIV), a Hepatite B
(transmitida pelo Vírus HBV) e a hepatite C (transmitida pelo Vírus HCV). Além
das doenças infecciosas, o risco de se adquirir dermatoses ocupacionais como
as dermatites de contato, que podem ser causadas pelo manuseio inadequado
de tinturas e de outros produtos químicos utilizados nesses estabelecimentos
(tônicos capilares, loções fixadoras, produtos para rinsagens e permanentes) e
pelo uso de toucas de banho, grampos de cabelo dentre outros acessórios,
significa uma ameaça constante. Os abscessos purulentos e as micoses nas
unhas causadas por bactérias e fungos decorrentes de acidentes com
materiais perfuro cortantes contaminados