Você está na página 1de 5

2.

Agente em geriatria

“É o profissional que, no respeito pelas normas do ambiente, higiene e segurança, garante o


equilíbrio pessoal e institucional no relacionamento interpessoal do dia –a – dia com idosos e outros
profissionais, complementando o cuidado do idoso nas suas vertentes física, mental, social e
espiritual.”

Função Geral
Prestar cuidados de apoio direto ao idoso, em contexto domiciliar e institucional, contribuindo para o
seu bem-estar biopsicossocial, tendo em consideração os objetivos definidos pela equipa técnica
local e os princípios deontológicos de atuação.

Atividades Principais
1. Prestar/ auxiliar nos cuidados de higiene, eliminação e conforto do idoso, nos diversos contextos
de atuação.
2. Acompanhar e apoiar o idoso nas diversas atividades de vida diária.
3. Auxiliar os profissionais responsáveis nos cuidados de alimentação, aplicados aos idosos com
dependência funcional, temporária ou permanente.
4. Participar no planeamento e desenvolvimento de atividades básicas de animação e
entretenimento e de estimulação dos domínios cognitivo, social e motor, de acordo com as
capacidades, necessidades e interesses do idoso.
5. Prestar cuidados de higiene e arrumação dos espaços envolventes e da roupa dos idosos.
6. Apoiar a equipa técnica na organização do espaço, com o objetivo de prevenir acidentes
domésticos e em instituições.
7. Participar na prevenção de negligência, abusos e maus tratos ao idoso.
8. Avaliar a informação obtida através de instrumentos técnicos aplicados por especialistas, para
melhor conhecimento do perfil funcional do idoso, e consequente adequada prestação de
cuidados.
9. Estabelecer a articulação com a equipa técnica responsável, a fim de reportar a evolução do
estado físico, psíquico e emocional, situações anómalas e/ ou agravamento do estado de saúde do
idoso, tendo em consideração as orientações e procedimentos definidos pela equipa técnica.

2.1.Características inerentes ao Agente em geriatria


Possuir a formação necessária e adequada à realização das funções que desempenha no
conjunto dos serviços prestados, por forma a assegurar a qualidade dos mesmos;
Ter conhecimentos que garantam uma intervenção adequada em situações específicas,
nomeadamente de envelhecimento, dependência e deficiência;
Dispor de capacidade de comunicação e fácil relacionamento que lhe permita adotar uma
atitude de escuta e observação quanto às necessidades dos utentes;
Ter capacidade de prestar as informações necessárias à avaliação da adequação do plano de
cuidados;
Ter elevado sentido de responsabilidade e capacidade para a autoavaliação.

Competências – saberes
O (A) Agente em Geriatria de ter noções de:
Funcionamento e características das instituições e serviços de apoio ao Idoso;
Processo de envelhecimento e caracterização psicossocial da velhice;
Psicopatologia do Idoso;
Nutrição e dietética;
Primeiros socorros;
Língua portuguesa;
Comunicação e relações interpessoais;
Higiene pessoal e conforto do Idoso;
Cuidados básicos de prevenção e saúde do Idoso;
Posicionamento e mobilidade;
Segurança e prevenção de acidentes;
Higiene e segurança alimentar. Higiene ambiental;
Princípios e técnicas de animação de Idosos;
Normas de segurança, Higiene e saúde da atividade profissional;
Ética e deontologia da atividade profissional.

Saberes – Fazer
Caracterizar e reconhecer os aspetos psicossociais do processo de envelhecimento e da
velhice;
Exprimir-se de forma a facilitar a comunicação com os Idosos e a equipa técnica;
Utilizar os procedimentos de organização e preparação dos materiais, produtos e
equipamentos que utiliza;
Aplicar as técnicas e os procedimentos relativos aos cuidados de higiene pessoal e de
conforto dos Idosos;
Adequar os cuidados de higiene e conforto às necessidades e características do Idoso;
Aplicar as técnicas e os procedimentos relativos aos cuidados básicos de saúde do Idoso;
Utilizar os procedimentos e as técnicas de primeiros socorros em situação de acidente;
Aplicar técnicas adequadas à manutenção da mobilidade do Idoso;
Identificar situações de risco de acidente e as medidas de segurança adequadas;
Adequar as refeições às características e necessidades dos Idosos, tendo em conta o equilíbrio
alimentar e as indicações da equipa técnica;
Aplicar os princípios e as regras de higiene alimentar na armazenagem e conservação dos
produtos e no serviço de refeições;
Utilizar as técnicas respeitantes aos cuidados de higiene e arrumação do meio envolvente do
Idoso;
Utilizar as técnicas respeitantes aos cuidados de limpeza e tratamento de roupa;
Aplicar as técnicas de animação mais adequadas às necessidades e interesses dos Idosos;
Detetar sinais ou situações anómalas referentes às condições de higiene e conforto do Idoso,
bem como referentes a outras situações;
Aplicar as normas de segurança, higiene e saúde relativas ao exercício da atividade.

Saberes – Ser
Respeitar os princípios de ética e deontologia inerentes à profissão;
Motivar os outros para a adoção de cuidados de higiene e conforto adequados;
Respeitar a privacidade, a intimidade e a individualidade dos outros;
Revelar equilíbrio emocional e afetivo na relação com os outros;
Adaptar-se a diferentes situações e contextos familiares;
Promover o bom relacionamento interpessoal;
Tomar a iniciativa no sentido de encontrar soluções adequadas na resolução de situações
imprevistas.

2.1.1.Relações Humanas
a) Respeito humano: respeitar ideias, valores, religião, orientação sexual, condição
socioeconómica, cultura, etc; “tratar o outro como gostaria que o tratassem a si”.
b) Privacidade/sigilo profissional: respeitar o espaço e a intimidade de cada pessoa, guardando
segredo da informação confidencial.
c) Interesse e disponibilidade pelas pessoas: por mais diferentes que possam ser, todos queremos
que se interessem por nós, e pelos nossos problemas.
d) Pontualidade e assiduidade: chegar a horas e não faltar.
e) Escuta ativa: as pessoas precisam de tempo para falar sobre si mesmas, dos seus interesses e
problemas. Escutar não é sinónimo de ouvir. A disponibilidade e a escuta ativa são os pilares de
uma relação de confiança e respeito.
f) Evitar ideias preconcebidas: as atitudes da sociedade face a velhice e aos idosos são sobretudo
negativas, tornando-se em grande parte responsáveis pela imagem que eles têm de si próprios.
g) Outras características: empatia; educação; saber inovar; perguntar; manter o contacto visual;
não interromper para corrigir; refletir para melhorar; saber adaptar; tolerância / compreensão;
sentido positivo; segurança/ confiança; estimular a autonomia; silêncio.
h) Atitudes a evitar:
Imposição de cuidados e intimidação;
Infantilização;
Humilhação;
Ridicularização;

2.1.2. Cuidados a ter em consideração


A- Higiene e apresentação pessoal
Tomar banho diariamente;
Manter os cabelos limpos, apanhados e protegidos (sem tocar na farda);
Não usar adornos (anéis, brincos, pulseiras, colares, etc);
Usar unhas curtas, limpas e sem vernizes;
Manter uma boa higiene oral;
Evitar passar as mãos pelo nariz, boca, cabeça ou outra parte do corpo durante a prestação de
cuidados;
Evitar perfumes intensos;
Homens: evitar a barba e bigode;
Evitar trabalhar com ferimentos nas mãos ou se estiver doente (diarreia, febre, vómitos, contacto
com pessoas com doenças infectocontagiosas, infeções os olhos, garganta, nariz ouvidos pele,
etc.);
Comunicar situação de doença;
Assoar o nariz em lenços de papel e posteriormente rejeitar e lavar as mãos;
Não limpar o suor com as mãos, panos ou uniforme (mas sim em toalha
descartável).

B- Cuidados a ter com o fardamento

Bom estado de limpeza e conservação;

Confortável;

De cores claras;
Exclusiva para o local de trabalho;
Calçado confortável, antiderrapante, resistente e exclusivo para o local de trabalho;
Não encher os bolsos de canetas, cigarros, etc;
Andar sempre com identificação.