Você está na página 1de 4

7 dicas para montagem de estruturas

metálicas
A montagem de estruturas metálicas geralmente é simples e prática. O que
determinará a velocidade em que ela será concluída e com que excelência é a
complexidade da estrutura e suas ligações, bem como a presença de
profissionais qualificados e equipamentos adequados. Em todos os casos, isso
é fundamental para o sucesso do trabalho, afinal, ao contrário do concreto
armado, a estrutura metálica possui particularidades que exigem montagem
especializada. Isso passa por um planejamento minucioso que engloba
diversas etapas. Para ajudar você nesse processo, criamos um checklist com 7
dicas para montagem de estruturas metálicas que o ajudarão a concluir o
projeto sem maiores problemas.
1) Atenção com o transporte
O primeiro item a ser pensado é o transporte. Como as estruturas metálicas
chegarão até o local da instalação? Geralmente elas são transportadas pelo
meio rodoviário, mas em alguns casos pode ser preciso utilizar transporte
aéreo ou fluvial. Verifique também os possíveis obstáculos no trajeto a fim de
evitar caminhos com limitação de altura e largura. O mais importante é
certificar-se que o veículo escolhido tem as dimensões compatíveis com o
tamanho das estruturas e a capacidade condizente com o peso carregado.
Além disso, as peças mais resistentes devem ser carregadas antes das peças
mais frágeis.
2) Cuidados com o armazenamento
Uma vez que as estruturas chegaram até o local da instalação é importante que
tenha sido previsto o local onde elas serão armazenadas até a montagem. Ele
precisa ser amplo o suficiente para acomodar o material com segurança sem
interferir no andamento da obra. Organize as peças separando-as por
pontaletes de madeiras a fim de facilitar seu içamento. O tempo de
armazenamento pode variar bastante, por isso, é fundamental proteger as
estruturas do acúmulo de água e resíduos, de modo a inibir sua corrosão.
3) Escolha bem o equipamento
São necessários equipamentos e máquinas robustas para a montagem de
estruturas metálicas. Para identificar qual é o maquinário ideal deve-se levar
em consideração a altura da estrutura, a carga máxima de içamento, o raio de
operação e posicionamento do equipamento e o momento de tombamento,
além das condições naturais como vento, solo, desnível, entre outros. Os
equipamentos mais utilizados costumam ser os guindastes e gruas.
4) O içamento é importante
A etapa de içar as estruturas é muito delicada e deve ter atenção redobrada.
Não são apenas as peças que estão em risco, mas o restante da obra e a
segurança das pessoas. Para evitar qualquer problema deve-se trabalhar com a
informação da carga útil e o centro de gravidade da peça. O ideal é calcular o
peso das peças na hora, mas uma alternativa mais simples e também eficaz é
consultar o peso total com acessórios no projeto. Nas peças simétricas o
centro de gravidade será no seu centro. É fundamental encontrá-lo para um
içamento estável.
5) Fique de olho nas ligações soldadas e parafusadas
As estruturas metálicas são fixadas através de soldas e parafusos. Em ambos
os casos é imprescindível seguir as normas vigentes e atuar com profissionais
capacitados. Para as ligações soldadas é preciso revisar os seguintes aspectos
antes de iniciar o trabalho: processo, tipos de juntas, temperaturas, parâmetros,
especificações do material base e depositante. Para as ligações parafusadas o
mais importante é realizar a correta separação e classificação dos parafusos,
conforme seu tipo, diâmetro e comprimento, de forma que eles sejam
aplicados corretamente. Além disso, a superfície onde serão aplicados deve
estar limpa, sem nenhum resíduo que impeça a perfeita fixação das peças.
6) Acompanhe a tolerância e a estabilidade
É normal as peças que compõem a estrutura terem uma certa tolerância
previamente especificadas no projeto. Durante a montagem deve-se observar
para que o limite dessa tolerância não seja ultrapassado. O limite vai depender
da peça. Existe a tolerância normal, que se aplica a todos os tipos de
edificações, a tolerância particular, que se aplica a componente específicos e a
tolerância especial, que diz respeito às especificidades de um projeto.
Durante a montagem acompanhe também como está a estabilidade da
estrutura. As cargas devem ser acrescidas de forma ordenada e com a análise
prévia do impacto individual causado. Revise se tudo está dentro do planejado
a cada etapa concluída e não apenas no final.  
7) Valorize a segurança e os bons profissionais
Por fim e não menos importante, é fundamental contar com uma equipe
capacitada e treinada para executar cada uma das etapas com eficiência e
segurança. Nesse sentido, o ideal é contratar empresas que sigam todas as
normas de segurança vigentes no mercado e utilizem métodos e equipamentos
de segurança. Escadas, plataformas, pontos de ancoragem, cabos guia e redes
são alguns dos equipamentos que fazem parte de um plano profissional de
prevenção de acidentes.