Você está na página 1de 7

CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONALIZANTE

FORMAÇÃO EM CERTIFICADO B - EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Evidências da Avaliação Nº “2”

Módulo: Utilizar a Psicopedagogia no Desenvolvimento de


Competências

Formando: Ildo Alberto Punguane

Formador: PhD Gregório Vilanculo

Maxixe
2021
1. Quadro Comparativo das teorias de Aprendizagens
Nome da teoria Principais Principal ideia defendida Papel do formador ou Papel do formando ou Implicação pedagógica
autores do professor aluno
Teorias John Considera a aprendizagem Motivação Desenvolver comportamentos Definir com maior exactidão
comportamentalistas Watson como resultado de um compatíveis com a sua possível, os objectivos finais da
Eduard processo de aprendizagem aprendizagem;
Thordinke, condicionamento em que Estruturar o ensino em unidades
Ivan determinadas respostas ou muito pequenas de modo a
Pavlov e reacções são associadas a permitir um melhor
Burrhus determinados estímulos condicionamento do aluno
Frederic Apresentar estímulos capazes de
Skinner suscitar reacções adequadas
evitar a instalação de hábitos
errados;
Proporcionar aos alunos,
conhecimentos de resultados
obtidos e retro alimentação
adequada
Recompensar, retirar
recompensas ou punir aos alunos
de acordo com a natureza dos
seus comportamentos e em
relação à aprendizagem
desejada.
Teoria de aprendizagem Albert O comportamento assim Será um modelo no Seu papel é de imitar gestos, A pessoa aprende com os
social Bandura aprendido através da ambiente da criança, junto predilecções, repulsas, exemplos, através da
Dollard e observação do modelo é com a família o educador posturas, possíveis atitudes observação. Os indivíduos
Miller designado por Modeling será o modelo mais preconceituosas, alterações de pensam acerca de um
importante do aluno que, volume da voz entre outros estímulo dado e respondem-lhe
por sua vez, tende a imitar procedimentos altitudinais dos em função da interpretação que
modelos de mesmo professores. fazem dele
género.
Teoria das inteligências Howard Ela defende que a O professor precisa levar Deve mostrar as suas Abre oportunidades para as
múltiplas de gardner Gardner competência em consideração as outras capacidades ou descobrir qual pessoas que têm uma
cognitiva dos seres humanos habilidades dos alunos e e a sua inclinação, desenvolver inteligência lógico-matemática
deve ser descrita como um começar a valorizá-las não mais competências e conhecer- menor (que costuma ser o
conjunto de só deve adoptar se melhor. aspecto mais valorizado). Isto é
habilidades, talentos ou actividades garante a inclusão de todos na
capacidades mentais, multidisciplinares que formação partindo do principio
chamadas de inteligência incentivem as capacidades de que cada individuo é o que
intelectuais dos alunos ele é por se só.
gradativamente
Teoria psicocognitiva de jean Piaget O conhecimento é produzido O professor não deve O formando possui um papel Desenvolve-se centrada no
jean Piaget INHELDER graças a uma interacção do apenas ensinar, mas sim e activo na construção de seu conceito de competência, de
indivíduo no seu meio . antes de tudo orientar os conhecimento, partindo do capacidade de fornecimento de
Ou o conhecimento é um educandos no caminho da princípio de que A criança não resposta, tendo como condição
processo contínuo, aprendizagem autónoma. aprende o que ela a inda não os estágios de desenvolvimento
construído a partir da Incentivar as criações de tem condições de absorver percorridos pela criança; isto é a
interacção activa do sujeito seus alunos, fugir da rotina inteligência é construída, sendo
com o meio (físico e social). das respostas prontas e já necessário considerá-la em
esperadas, comuns na seus aspectos qualitativos, e não
prática behaviorista. como um produto de dotações
Deverá provocar a máxima genética sou
independência de seu estimulações externas.
aluno, criar situações-
problema que exijam a
solução de seus alunos.
Teoria socio - histórica Lev O desenvolvimento humano O professor pode estimular O aluno é aquele que aprende A aprendizagem ou aprendizado
de vygotsky Seminovich por meio do o desenvolvimento das os valores, a linguagem e o é o processo no qual o indivíduo
Vygotsky estudo da génese (origem) aprendizagens através conhecimento que seu grupo se apropria de informações e
do psiquismo, isto é, da dos trabalhos em grupo, social produz a partir da conhecimentos que são
dinâmica de sua utilizando técnicas para interacção com o outro — no apresentados a ele por meio da
constituição. motivar e reduzir a solidão caso, o professor. sua interação com o meio. Ela se
do aluno, mas também Segundo Vygotsky, o dá a partir do momento em que
deve estar atento ao valor aprendizado não se subordina signos e sistemas simbólicos são
da cooperação e totalmente ao desenvolvimento internalizados pelo sujeito,
participação activa de das estruturas intelectuais: um contribuindo para o
todos os envolvidos aspecto se alimenta do outro. desenvolvimento das funções
mentais superiores do mesmo.

Teoria de aprendizagem David Paul Propõe o conceito de É de buscar diferentes É de apreender o A aprendizagem significativa é
significativa de david Ausubel aprendizagem significativa. formas criativas e sentido, o significado daquilo elemento essencial ao processo
ausubel A aprendizagem estimuladoras, desafiando que se ensinou, de modo que de aquisição do conhecimento do
significativa tem lugar as estruturas conceituais pode expressar aluno, fundamental para o novo
quando as novas ideias vão dos alunos, provocando a este significado com as mais papel do professor e a função
se relacionando de forma instabilidade cognitiva, diversas palavras. Mas para tal social da escola. Isto é implica o
não – arbitrária e substantiva através da prática de eles devem estar dispostos crescimento e modificação do
com as ideias já existentes experiências e interacções para aprender conceito estruturas de
sociais. conhecimento específicos que
podem ser mais ou menos
abrangentes de acordo com a
frequência com que ocorre
aprendizagem significativa em
conjunto.
Teorias cooperativas de Freitas e Tem enfase ao trabalho em O professor desenvolva Os alunos trabalham sempre os estudantes aprendem mais
ensino e aprendizagem Freitas equipa que davam mais competência, provindo dos em conjunto ( grupos) para a quando podem trabalhar em
Johnson e espaços as seus estudos, leituras e resolução do mesmo problema, conjunto num trabalho comum; a
Johnson actividades do estudante. experiências em grupo. o que permite criar um partilha deve substituir a
Slavin ambiente estimulante que competição; a aprendizagem
Bessa e possibilita novas descobertas, cooperativa todos devem ajudar-
Fontaine que exista feedback mútuo e se uns com os outros; cada qual
Monereo e partilha de ideias. participa no trabalho; os
Gisbert estudantes mais dotados devem
ajudar os menos dotados,
criando desta maneira, uma
diminuição do comportamento
como
o racismo e a competição não só
o estudante sente-se mais
motivado quando
valorizam-se as suas ideias, as
suas percepções.

Teorias sociais Paulo Educação enquanto prática O estudante deve adquirir


Criar diálogos de ensino A aprendizagem neste sentido
Freire da liberdade isto é, a e aprendizagem pois na ferramentas afectivas, significa uma
aprendizagem só ocorre medida que ele leccionaintelectuais, psicomotoras, tomada de consciência sobre si
quando há utilização do mesmo e sobre o meio social que
método activo, Imaginativas e outras.
aprende junto aos alunos
lhe
num ambiente em que Estas ferramentas permitir-
fundamentado no diálogo, na circunda. Isto é a aprendizagem
todos podem se
lhe-ão intervir numa
crítica conduz a uma transformação do
e na formação de julgamento
expressar não só
situação e, por homem, pois este não é como
também ajuda os alunos consequência, transformar mero reservatório, depósito de
descobrirem que dentro conteúdos, mas sujeito
das dificuldades há um
a realidade do dia-a-dia
construtor da própria história e
momento de prazer, de em consequência, capaz de
alegria problematizar suas relações com
o mundo,
Traz a dinâmica de aprender
com significado, em que o
educador saiba o que vai ensinar
e, portanto, estimula o aluno a
perguntar, a conhecer
O formador busca mais
2. 1. Tipos de aprendizagem
2.1.1. Aprendizagem por Memorização: esta aprendizagem tem como base a
influência que o conceito ou conteúdo tem para o formando.

2.1.2. Aprendizagem por Ensaio-Erro: o formando aprende fazendo tentativas que


podem levar à aprendizagem certa.

2.1.3. Aprendizagem por Demonstração: o formador realiza a experiência por etapas


ao mesmo tempo que vai explicando cada passo, o que está a fazer, como está a fazer e
ainda, o que vai resultar. Depois da demonstração, pode pedir um dos seus formandos
para repetir a experiência e colocar perguntas ao grupo ou mesmo ao formando que
executa a experiência.

2.1.4. Aprendizagem por Imitação ou Modelagem: O observador presta atenção ao


modelo e aprende um comportamento: neste sentido, o formador executa uma
determinada tarefa enquanto o formando observa para numa situação posterior, o
formando utilizar os conhecimentos aprendidos durante a observação.

2.1.5. Aprendizagem por Reflexão: aqui o formando adquiri conhecimento usando


para tal o seu raciocínio. Parte-se do reconhecimento e definição de um determinado
problema; formula-se as hipóteses; teste das hipóteses formuladas; conclusões.

2.2. Estilos de aprendizagem

2.2.1. Estilo visual

Diz respeito aos formandos que aprendem melhor por meio da observação. Para eles é
muito importante, por exemplo, ver a expressão facial e a linguagem corporal do
formador ou da pessoa que fala;

Os formandos preferem ler ou fazer resumos;


As actividades mais eficazes para a sua aprendizagem são as demonstrações e a
leitura individual;
O formador pode optar por usar o powerpoint, projecções, filmes, flipchart,
quadros e figuras, etc

2.2.2. Estilo auditivo

Diz respeito aos formandos que aprendem melhor quando recebem a informação
oralmente e quando podem falar e explicar esta informação para outra pessoa.

Os formandos gostam de falar sobre o que estão fazendo e costumam fazer


muitas perguntas;
As actividades mais eficazes para a sua aprendizagem são a exposição oral, os
debates, as perguntas e respostas e as leituras comentadas;

2.2.3. Estilo cinestésico


Diz respeito aos formandos que aprendem melhor por meio de actividades físicas. Eles
aprendem quando fazem coisas, por meio do movimento e manipulação física;

Os formandos gostam de tocar as coisas e por meio disso descobrir como as coisas
funcionam;

As actividades mais eficazes para a sua aprendizagem são a experimentação activa, o


trabalho em grupo e a prática das dramatizações;

2.2.4. Estilo lógico

Diz respeito aos formandos que aprendem melhor por meio do raciocínio, por meio do
pensamento, por meio da análise das teorias;

As actividades mais eficazes para a sua aprendizagem são os estudos de caso, as


discussões, as actividades de planificação e ainda as actividades de resolução de
problemas

3. O tipo de aprendizagem adequada a educação profissional e demostração porque o


formador realiza a experiência por etapas ao mesmo tempo que vai explicando cada
passo, o que está a fazer, como está a fazer e ainda, o que vai resultar. Depois da
demonstração, pode pedir um dos seus formandos para repetir a experiência e colocar
perguntas ao grupo ou mesmo ao formando que executa a experiência.

Você também pode gostar