Você está na página 1de 42

NEUROLÓGICO / CABEÇA / OLHOS

Crise Convulsiva Adulto:


1- Verificar vias aéreas
2- Realizar dextro
3- Diazepam 10mg + AD 8ml – EV lento ou Diazepam 10mg via retal
4- Hidantal 100mg 1amp EV
5- Hidantal 15-20mg/Kg + SF 0,9% 250ml – EV correr em 30 minutos
6- Fenobarbital de uso EV 1 amp
7- Midazolam 0,2mg/Kg EV bolus
8- IOT + VM
9- Tiopental (potente vasodilatador – usar vasoconstritor se necessário) 5mg/Kg
10- Pavulon 1amp (0,05mg/Kg) EV lento ou Traquin 1 amp (0,4mg/Kg) EV lento

Crise Convulsiva Infantil:


1) Diazepam – 0,3 a 0,5mg/Kg EV sem diluir (não administrar em RN)
2) Hidantal – 5 a 10mg/Kg EV (diluído em SF ou AD
- Manutenção 5 a 7 mg/Kg/dia EV
- Posologia 12/12h

Estado Confusional Agudo (idoso):


1) Dieta para idade assistida
2) SF 0,9% 500ml EV 6/6h
3) Ceftriaxone 1G EV 12/12h (após coleta de cultura)
4) Haloperidol 5mg EV agora (reavaliar em 30´. Caso persista a agitação dobrar a dose a cada
administração até controle)
5) Haloperidol 2,5mg EV de 6/6h (reduzir dose de manutenção em 50% a cada dia)
6) Dipirona 1G EV 6/6h S/N
7) Enoxaparina 40mg SC 1x/dia
8) O2 cateter nasal 2L/min S/N
9) Controle de diurese
10) Monitorização Cardíaca + oxímetro de pulso + PA não invasiva
11) SSVV e cuidados gerais

Estado de Mal Epilético:


1) Dieta zero
2) SF 0,9% 500ml EV de 12/12h + glicose 25% 1 Amp
3) Tiamina 100mg 1amp IM
4) Diazepam 10mg EV na crise ACM até 40mg
5) Fenitoína 250mg – 5amp + SF 250ml EV em 40 min
6) Fenitoína 250mg – 2ml + SF 50ml 8/8h EV – iniciar 6h após Hidantalização
7) Dextro 6/6h
8) Glicose 50% 3amp EV se glicemia < 70
9) Monitorizar
10) Cânula de Guedel S/N
11) Cateter nasal O2 2L/min
12) Cabeceira elevada 30°
13) Sinais vitais de 6/6h
Cefaléia (R51)/ Enxaqueca (G43)
PS:
Dipirona 1amp (ou Lisador 1amp) + Dramin B6 DL 1 amp + Dexametasona (Decadron 4mg) + SF
0,9% 100 ml – EV lento
Dipirona 1amp + Tenoxican (Tilatil) 1amp + Dexametasona 4mg + Dramin B6 DL + SF 0,9% 100ml –
EV lento
Dramin B6 DL 1 amp + Tramadol 100mg + SF 0,9% 250ml – EV lento
Clorpromazina (Amplictil) ½ ou 1 Amp + SF 0,9% 100ml EV em 1h (acompanhar PA)
Casa:
Tensional:
1) Dipirona 500mg 1 cp VO de 6/6h se dor
2) Dramin 40 gotas de 6/6h ou 100mg de 6/6h

Enxaqueca:
1) Neosaldina (Dipirona + isometepteno) ------ Tomar 2 cp VO de 6/6h até melhora
Cefaliv (Diidroergotamina, cafeína, dipirona) ------ Tomar 1cp VO de 8/8h até melhora
Cefalium (Diidroergo, cafeína, paracetamol e plasil) - Tomar 1 cp VO de 8/8h até melhora
Naramig VO 1x/dia por 3 dias

Vertigem (H81.1) / Labirintite (H83.0):


PS:
1) Dramin B6 DL 1amp + SF 0,9% 100ml – EV lento Ou Dramin B6 1amp IM Ou Dramin 40 gotas
VO
Diazepam 5mg 1cp VO
Clonazepan 10 gotas VO
Casa:
1) Dimenidrato (Dramin) 100mg 6/6h por 3 dias (ou 40 gotas)
Ondansetrona (Vonau) 8mg 1 cp VO 12/12h se náuseas

2) Betaistidina (Labirin) 8mg 1 cp VO de 8/8hh por 10 dias


Cinarizina (Stugeron) 75mg Tomar 1cp VO ao deitar por 30 dias
Flunarizina (Vertix) 10mg - Tomar 1 cp VO ao deitar por 30 dias

Conjuntivite (H10.9)
Viral:
1) Lacribell 1 gota no olho afetado 4x/dia por 5 dias (opções: Systane UL, Fresh Tears, Artelac-
Crianças)
2) Lavagem com SF 0,9%
3) Compressa com SF 0,9% gelado várias vezes por dia
4) Se não melhorar em 4 dias - OFTALMO
5) Lavar o rosto e mãos com frequência, com água e sabão. Não coçar os olhos, separar objetos de
uso pessoal (toalha, fronha, maquiagem). Evitar piscinas e aglomerações. Uso de óculos escuro
para evitar fotofobia.
Bacteriana:
1) Idem CD viral
2) Colíirio Ofloxacino (Oflox) 1 gota no olho afetado 6/6h por até 10 dias
Ciprofloxacina (Maxiflox D) 1 gota no olho afetado 6/6h por 5 dias
Tobramicina (Tobrex) 1 gota no olho afetado 4/4h por 7dias
Hordéolo (Tersol – H00.0)
1) Compressas de água morna 3/3h por 15 minutos até desaparecer o tersol

Trauma Ocular (S00.2)


1) Lavagem com SF 0,9%
2) Anestésico Oculum 2 gotas 4/4h (colírio anestésico) por 3 dias
3) Tobramicina colírio 2 gotas em cada olho 6x/dia por 5 dias (antibiótico)
4) Epitesam 3x/dia por 5 dias (proteção e regeneração)
5) Tampão ocular
6) Encaminhamento oftalmologista
7) Paracetamol/Codeína 500+30 mg (Tylex) 4/4h por 3 dias (receita controlada)

SEQUÊNCIA RÁPIDA DE INTUBAÇÃO OROTRAQUEAL

Intubação: Fenta 3mcg/kilo Mida 3ml (0,3/kg) Ethomidato 1amp Quelicin 1amp Criança metade
Manutenção: Sf 60ml + 100mg mida + 20ml de fenta Ou bolus de mida 15mg Macro 5gts/minuto Micro
30gts/minuto

APARELHO RESPIRATÓRIO

Resfriado Comum (J00):


1) Lavagem nasal abundante com Soro fisiológico

2) Comprimidos:

Dipirona 500mg 1 VO 6/6h se dor ou febre ou Paracetamol 750mg VO 6/6h


Fluviral (paracetamol) 1cp VO 6/6h por 5 dias.
Apracur 1 cp VO de 8/8h
Trimedal (não usar em cardíacos) 8/8h
Resfenol (não usar em cardíacos) 1 cp VO 6/6h

Gripe (J11):
1) Idem resfriado comum
DIPIRONA 500MG ---------------------------
TOMAR 1 CP, VO, DE 6/6 HORAS SE DOR OU FEBRE.

IBUPROFENO 600MG -------------------------


TOMAR 1 CP, DE 8/8 HORAS POR 3 DIAS.

3) Diclofenaco sódico (Voltarem) 50mg 1 cp VO de 8/8h por 3 dias


Nimesulida (Nisulid) 100mg 1cp VO de 12/12h por 3 dias
Meloxican 15mg 1cp VO 1x por dia por 5 dias
2) Se grávidas, crianças, idosos, DM, doença cardiovascular com exceção de HAS...:
a. Fosfato Oseltamivir (Tamiflu) 75mg 1 cp VO 12/12h por 5 dias
b. Zanamivir (Relenza) 10mg 12/12h por 5 dias.

H1N1: Instalação abrupta de febre 38o C ou mais, seguida de mialgia, tosse seca, dor de garganta,
artralgia, prostração, cefaleia, diarreia, vômito e fadiga. A febre é o sintoma mais frequente e dura
3 dias em média, com a progressão da doença surge o quadro respiratório variando de quadros
leves a pneumonia e insuficiência respiratória grave.

Sinusite (J01.9)
Viral: sintomáticos (se não tiver febre e secreção purulenta)
Bacteriana: sintomáticos + Amoxacilina 500mg 1 cp VO de 8/8h por 14 dias

Rinite Alérgica (J30.4)


PS: Dexametasona (Decadron) 4 a 8mg IM
Casa:
1) Loratadina 10mg ou 10ml VO 12/12h por 10 dias
Claritin D ( Loratadina e Pseudoefedrina) -------------------- Tomar 1cp VO de 12/12h por 10 dias
Celestamine (Dexclorfeniramina e Betametasona) -------- Tomar 1cp VO de 8/8h VO por 10 dias

Alegra D (Fexofenadina e Pseudoefedrina) ------------------ Tomar 1cp VO de 12/12h por 10 dias


Descongex plus ( Fenilefrina e Bronfeniramina) ------------ Tomar 1cp VO pela manhã e 1 cp a noite
2) Budecort (Budesonida) aerosol nasal-------------------------- Aplicar 2 jatos em cada fossa nasal de
12/12h por 5 dias
3) Se necessário: Prednisolona 20mg 1 cp VO pela manhã por 5 dias

Amigdalite Bacteriana (J03.9)


PS: Benzetacil 1.200.000 UI IM

Casa:
1) Amoxacilina 500mg 1cp VO 8/8h ou 875mg 12/12h por 7 dias
Azitromicina 500mg 1 cp VO ao dia por 5 dias
2) Ibuprofeno 600 mg (Alivium) 1 cp VO de 12/12h (Advil tem 200mg) por 5 dias
Nimesulida 100mg 1 cp VO 12/12h por 5 dias
Diclofenaco 50mg 1 cp VO 8/8h por 5 dias
Meloxican 15mg 1 cp VO 1x por dia por 5 dias
3) Dipirona 500 mg ou paracetamol 750mg 1 cp VO de 6/6h se dor ou febre
4) Spray para garganta: Hemoxedine 3 nebulizações de 4/4h por 3 dias
Pastilha: Amidalin 1 pastilha a cada hora – Máx 10 por dia por 3 dias

Otite Média Aguda (H66.9)

AE: E. pneumoniae / H. influenzae / M. catarrhalis


1) Amoxacilina 500mg 1 cp VO de 8/8h por 10 dias
Amoxacilina + Clavulanato (Clavulin) cp VO 8/8h por 7 a 10 dias
Azitromicina 500mg 1cp VO ao dia por 3 dias
Sulfametazol + Trimetropin (Bactrin) 800mg 1cp VO de 12/12h por 7 a 10 dias
2) Ibuprofeno 300mg 1 cp VO de 8/8h por 3 dias

Otite Externa (H60.9)


1) Otociriax (cipro + dexa) 3 gotas no ouvido 2x ao dia por 7dias (não fazer se MT perfurada)
Oto-Betnovate (Betametasona, Clorfenesina) 3 gotas 3x/dia por 7 dias
2) Cefalexina 500mg 1cp VO 6/6h por 7-14d ou amoxa 10 dias ou claritro 500mg 12/12h
3) Calor local
Tosse (R05):
- Seca:
1) Notuss xarope 1 e 1/2 copo medida (15 ml) de 12/12 horas. Não exceder 10 dias
Antux xarope 5ml VO de 8/8 h por 3 - 5 dias
Bisoltussim 15ml 8/8h por 3d
Percof (Levodropropizina) 10 ml 3x/dia por 5 dias

- Secretiva:
1) Lavagem abundante com SF ou NaCl 3%
2) Afrin 4 gotas 12/12h
Budesonida 2 jatos 2x/dia
3) Fluimucil (acetilc) xarope 40mg/ml - tomar 15ml 1x/dia a noite por 5 dias (20mg/ml – 10ml
3x/dia)
Fluimucil (n acetil) 200mg. Dissolver 1 envelope em copo de água de 8/8 h por 3 dias
Bisolvon 10ml de 8/8h por 3 dias

Soluço (R06.6)
PS: Metoclopramida (Plasil) 1 amp IM ou Clorpromazina (Amplictil) 5 gotas sublingual ou
Prometazina (Fenergan) 1 amp IM

Asma (J45.9) – Broncoespasmo


PS:
1) O2 cateter nasal para manter a saturação > 92% em adultos e em crianças > 95%

2) Inalação: SF 0,9% 5 ml
Brometo de Ipatrópio (Atrovent - anticolinérgico) 30 gotas
Fenoterol (Berotec - B2agonista) 8 gotas
Repetir 3x a cada 20 min
EC Fenoterol: taquicardia, palpitações, ansiedade, hipocalemia e tremores

3) Hidrocortisona (Flebocortid) 300 mg (3-5mg/kg) + SF 0,9% 100ml EV (ou diluído em 1amp de AD EV


lento)
Metilprednisolona (Solumedrol) 40mg + SF 0,9% 100ml - EV agora e depois de 6/6h (ou diluído em
1 amp de AD, EV lento)
Prednisona (Meticorten) 1 a 2 mg/kg/dia + SF 0,9% 100ml - EV agora

4) Se não melhorar:
- Terbutalina (Bricanyl) - ½ amp SC - Repetir 3x a cada 30minutos
- Sultato de Magnésio 10% 20ml + SF 0,9% 100ml EV rápido
- Adrenalina 1amp IM
- Intubar se necessário
Casa:
1) Salbutamol 100 mcg 2-3 jatos de 4/4 h
Inalação: SF 0.9% 5ml + Atrovent 20 gotas + Berotec 6 gotas 4/4 horas por 5 dias

DPOC Exacerbada (J20.9)


Aumento da dispnéia, expectoração e alteração da cor (principal fator indicativo de exacerbação
bacteriana)
PS: Idem Asma (O2, inalação, corticóide)
Casa:
1) Amoxacilina 500mg+ Clavulanato 125mg de 8/8h por 7 dias
Amoxicilina 875mg+Clavulanato 125mg 12/12h por 7 dias - Se classe IV associar antipseudomonas
Levofloxacino 500mg 1+1/2cp por 7 dias
2) Prednisona 20mg 1 cp VO cedo por 5 dias
3) Inalação: SF 0.9% 5ml + Atrovent 30 gotas + Berotec 8 gotas 6/6 horas por 5 dias

Pneumonia (J18.9)
CURB-65: CRITERIOS PAC GRAVE:
- Confusão mental - MAIORES:
- Uréia > 40mg/dl - Choque séptico
- FR > 30 irpm - Ventilação Mecânica Invasiva
- PS < 90mmHg após reposição volêmica agressiva - MENORES:
- Idade > 65 anos - C, U, R, B
0-1 PTS: Considerar Ambulatorial - Multilobar
> 2 PTS: Considerar Internação - P/F < 250
> 4 PTS: Considerar UTI - Leucopenia / Plaquetopenia / Hipotermia
CTI: 1> ou 3<
Ambulatorial: ATB oral
1) Amoxacilina 500mg 1 cp VO de 8/8h por 10 ou 14 dias
Amoxacilina+Clavulanato (Clavulin) 1 cp VO 500+125MG de 8/8h ou 875+125mg de 12/12 por 10 dias
Azitromicina 500mg 1 cp VO 1x/dia por 3 a 5 dias

Se DPOC, tabagista ou atípicos:


 Levofloxacino 500mg 1cp VO 1x/dia por 10dias
 Claritromicina 500mg 1 cp VO de 12/12h + Clavulin por 10 dias

2) Dipirona 500mg 1cp de 6/6h se febre

Hospitalar:
1) Ceftriaxone 1G EV de 12/12h + claritromicina 500mg EV 12/12h
Levofloxacino 500mg EV de 12/12h

Se risco de pseudomonas (pctes portadores de bronquiectasias, fibrose cística, internação nos últimos 7 dias ou uso
de ATB de amplo espectro por mais de 7 dias nos últimos 30 dias, uso >10g de prednisona e neutropenicos
(<1000/mm³))
- Cefepime (Maxcef) 1G EV de 8/8h + Ciprofloxacina 200mg EV de 12/12h (ou 400 mg 12/12h nos casos graves)
- Ceftazidime (Fortaz) 1G EV de 8/8h + Ciprofloxacina 200mg EV de 12/12h (ou 400 mg 12/12h nos casos graves)
- Imipenem 500mg EV de 6/6h + Ciprofloxacina 200mg EV de 12/12h (ou 400 mg 12/12h nos casos graves)
- Piperacilina 2 a 4 G + Tazobactan 250 a 500mg EV de 8/8h por 7dias + Ciprofloxacina 200mg EV de 12/12h (ou
400 mg 12/12h nos casos graves)
UTI:
- Quinolona Resp (Levo/Moxi/Gemiflox) + Cefalosporia 3a Geração (Ceftriaxone)
- Macrolideo (Azitro/Eritro) + Cefalosporia 3a Geração (Ceftriaxone)

Pneumococo (Streptococcus pneumoniae) resistente: idade > 65 anos, uso de B-lactâmico nos últimos 3 meses,
alcoolismo, múltiplas comorbidades e doenças imunossupressoras
Haemophilus influenzae: maior risco em DPOC e tabagistas
Anaeróbios: alcoolismo, doenças neurológicas, distúrbios da deglutição, rebaixamento do nível de consciência,
convulsão, dentes em péssimo estado.
Atípicos: Legionella, Chlamydophilia pneumoniae e Mycoplasma

Tuberculose
1) Rifampicina 150mg Isoniazida 75mg + Pirazinamida 400 mg + etambutol 275mg – Tomar 4 comprimido em
jejum por 2 meses, após 2 meses repetir BAAR
2) Rifampicina 300-200mg + isoniazida 150-100mg – Tomar 2 cápsulas por 4 meses

IOT + VM:
- Rebaixamento do nível de consciência - Sat O2 < 90%
- Bradicardia - PO2 < 60mmHg
- PCR - sinais de fadiga da musc. resp.
- Fr > 40 - piora progressiva da obstrução
Intubação de Rápida Sequência:
- Acesso venoso de grosso calibre (gelco 16), oxímetro, monitor cardíaco e de PA.
- Material preparado: aspirador, laringoscópio, tubo orotraqueal (7- 7,5 M e de 8,0-8,5 H) e cuff testado.
- Pré-oxigenar (O2 a 100%) por alguns minutos com AMBU (dispositivo bolsa-valva-máscara).
- Medicação pré-intubação: propofol e em segundo caso midazolan (se tiver disponível a quetamida é a primeira
opção)
- Considerar uso de bloqueador muscular (succinilcolina): facilita a intubação e protege a via aérea de lesões
iatrogênicas (cuidado: não prescrever se a ventilação com AMBU for difícil).

Quando for intubar:


- Fentanil --------------------------- 3ug/Kg (1 amp = 10ml = 50ug/ml = 500ug/ml)
- Midazolan (Dormonid)-------- 0,3mg/Kg (1 amp=15mg)
- Succinilcolina (Quelicin) ------ 1,5mg/Kg (1amp=100mg) + 10ml de AD EV em bolus
VM na Asma – indicação de IOT:
- Paciente portador de asma lábil, o qual apresentará após uma exposição ao desencadeante uma constricção
da musculatura lisa dos brônquios abrupta e intensa, também denominada asma aguda e asfixiante
- Paciente portador de asma grave, o qual apresentará uma crise progressiva com pouca resposta a medicação.
Nestes predomina o edema e a inflamação da parede das vias aéreas.

Pacientes sem patologia: Parâmetros usados na Asma:


VC: 10-12ml/kg - Modo ventilatório: de preferência limitada a
FiO2: 100% pressão
V: 40-60 l/min - VC: 5 – 8 ml/Kg
Pimáx: 35cm H2O - FR: 8-12 irpm
Fr: 12-16irpm - Fluxo inspiratório: 5-6 vezes VM
TI:TE: 1:2 - Pico de pressão: < 50cm H2O
PEEP: 5cm H2O - Pressão de platô: < 35cm H2O
Sensibilidade: 1cm H2O - PEEP: 3-5cm H2O
- PaCO2: > 40 e < 90 mmHG
- PH: > 7,2
- PaO2: >80 e <120mmHg

VM na DPOC – Indicação de IOT:


- FR> 35irpm
- Diminuição progressiva do nível de consciência com perda dos reflexos protetores das vias aéreas
- Incapacidade de cooperação com o tratamento clássico
- Sinais objetivos de fadiga e exaustão muscular que podem evoluir para uma PCR
- Acidemia grave com pH < 7,25 e hipercapnia PaCO2 > 60mmHg) e causando arritmias cardíacas, instabilidade
hemodinâmica e edema cerebral.
APARELHO GASTROINTESTINAL

Afta (k120)
1) Nistatina solução - Diluir 1 colher em ½ copo de água e bochechar por 5 dias
Bismu-Jet aplicar 2 gotas na região afetada 4x/dia
Omcilon A Orabase aplicar 3x/dia na região afetada

Dispepsia (K30)/ Gastrite Aguda (K29.1) / DRGE (K21.9)


PS:
1) Buscopan Composto 1 Amp EV + Dramin B6 DL 1 Amp + Ranitidina (Antak) 1 amp + SF 0,9% 100 /250 EV ou
(diluído em 20ml de AD EV lento)
2) Se necessário: 10 ml de hidróxido de alumínio VO

Casa Dispepsia:
1) Omeprazol 20 mg 1cp VO em jejum de manhã por 30 dias
Lansoprazol 40mg 1cp VO em jejum de manhã
Pantoprazol 40mg 1cp VO em jejum de manhã
Ranitidina (Antak) 150mg 1cp VO de 12/12h em jejum de manhã
2) Hidróxido de Alumínio 5ml VO de 8/8h por 30 dias
3) Buscopan Composto 40 gotas de 8/8h

Casa DRGE:
1) Omeprazol 20 mg 1cp VO em jejum de manhã por 30 dias
Lansoprazol 40mg 1cp VO em jejum de manhã
Pantoprazol 40mg 1cp VO em jejum de manhã
Ranitidina (Antak) 150mg 1cp VO de 12/12h em jejum de manhã
2) Domperidona (Motilium) 10mg 1 cp de 8/8h 30 min antes das refeições por 30 dias (não dar para quem usa
cetoconazol)
Bromoprida (Digesan) 10mg 1 cp 8/8h (30 minutos antes das refeições) por 30 dias

Vômitos (R11)
PS:
1) Dimenidrato (Dramin) B6 DL 1 amp EV/IM
Ondansetrona (Zofran) 4mg + AD 8ml EV lento
Metoclopramida (Plasil) 1amp EV (evitar em jovens, preferir Dramin)
2) Dependo do caso: SF 0,9% 100/250/ 500ml
Casa:
Dimenidrato (Dramin) 100mg – 1cp de 6/6h (ou 40 gotas de 6/6h) por 3 dias (ou se náuseas) ou
Ondansetrona (Vonau) 8mg 12/12h por 5 dias
Metoclopramida 10 mg (Plasil) 1cp de 8/8h ou
Domperidona (Motilium) 10mg – 1 cp de 8/8h 30 min antes das refeições (não dar para quem usa cetoconazol)
ou

Dor Abdominal (R10.4)


1) Buscopan Composto 1 amp + AD 15ml EV ou SF 100ml EV
2) Tramal 100mg + Plasil 1amp + SF 100ml EV correr em 20'
3) Morfina 1 amp + AD 9ml - Administrar 3-5ml

Desconforto Abdominal e Flatulência (R14)


1) Dimeticona (Luftal) 75mg/ml 16gts VO 8/8h por 3 dias

Constipação (K59.0)

PS:
1) Enteroclisma: glister glicerinado 500ml 6/6h via retal ou 1000ml 8/8h via retal
Casa:
1) Óleo mineral 1 colher de sopa 2x/dia por 30 dias
Lactulona 10-40ml até 3x/dia
Humectol-D 1 a 2cp VO ao deitar
Bisacodil (Dulcolax) 2cp VO ao deitar

Abdome Agudo (R10.0)


1) Analgesia Escalonada (Dipirona/Tramal/Morfina)
2) Rx de tórax PA com cúpulas e Rx de abdome em pé e deitado
3) Hemograma
4) Bilirrubinas, Amilase, Lipase, Transaminases, Ur, Cr, Urina I
5) Encaminha com acesso venoso

Alcoolismo (Y91.9)
1) SF 0,9% 500ml + Complexo B - Prescrever Glicose apenas se Hipoglicêmico e/ou depois da Vitamina B
SG 10% 250ml + Tiamina 1amp EV correr aberto Ou Glicose 50% 3 amp EV em bolus
SG 5% 500ml + Tiamina 1amp EV correr em 1h

Síndrome de Abstinência ao Álcool (F10.3)


1) Dieta zero até segunda ordem
2) SF 0,9% 500ml + SG 10% 500ml + KCl 19,1% 10ml EV 6/6h
3) Tiamina 100mg + SF 0,9% 250ml EV agora
4) Diazepam 10mg (1amp) EV em 4 min ACM
5) Diazepam 10mg 1 cp VO 1/1h
6) Omeprazol 40mg EV 1x/dia
7) Metoclopramida 10mg (1amp) EV 8/8h S/N
8) Dipirona 1G EV 6/6h S/N
9) Dextro 4/4h
10) Insulina Regular conforme esquema
11) Glicose 50% 40ml EV se glicemia <70
12) Repouso no leito (restringir pcte S/N)
13) Monitorização cardíaca, PANI, Oximetria
14) SSVV + cuidados gerais
Controlar glicemia, eletrólitos e hidratação
Avaliação psiquiátrica antes da alta
Hemorróida (I84.9)
1) Proctyl 3x/dia
2) Medidas comportamentais (fibras, 2L água, não ler jornal, ducha higiênica)

Fissura Anal (K60.0)


Aguda 3-6 semanas:
1) Lactulona 15ml de 12/12h
2) Aumento fibras e água na dieta
3) Proctyl 3x/dia 5 dias

Crônico >3-6 sem:


1) Idem aguda
2) Nitrogliceria 0,2% 3x/dia
Diltiazem 2% tópico 2x/dia por 8 semanas

HDA (K92.2)

1) Toque retal + Lavagem gástrica diagnóstica (caso haja dúvida) e em alguns serviços para melhor qualidade da EDA.
2) Estabilização hemodinâmica.
3) Omeprazol 40mg EV 12/12h
4) Octreotide 50mcg em bolus + 50mcg por hora
5) Se ascite: Iniciar Norfloxacino 400mg 12/12h por 5 dias

Antiparasitários e Anti-Hemínticos (B82.9)


1) Mebendazol 100mg VO de 12/12h por 3 dias consecutivos. Repetir após 2 semanas.
Albendazol 400mg VO dose única
2) Metronidazol
- Giardíase: 250mg VO de 8/8h por 5 dias
- Amebíase: 500mg VO de 6/6h por 5 a 7 dias de amebíase intestinal ou 7 a 10 dias se amebíase hepática
3) Tinidazol 2G dose única após o jantar (por 2 dias se Amebíase)
4) Nitazoxanida 500mg (Annita): 1 cp VO 12/12 horas por 3 dias

Diarréia (GECA – A09)


PS:
1) Avaliar grau de desidratação
2) Buscopan Composto 1 amp + Plasil 1 amp EV _ SF 0,9% 100ml (soro 500 só se tiver desidratação)
Casa:
1) Floratil 200mg ---- 1 cp VO de 12/12h por 5 dias
2) Dipirona + escopolamina (Buscopan Composto)----- 40 gotas VO de 8/8h se cólica
3) SRO---- Diluir 1 env em 1L de água. Tomar 1/2 copo de 1/1h
(soro caseiro: 1L de água fervida e fria, 2 colheres de sopa de açúcar, 1 colher (café) de sal, gotinhas de limão)

4) Se febre / sangue / muco / toxemia:


1 - Bactrim (800+160) 1cp VO 12/12 por 5d
2 - Ciprofloxacino 500mg 1cp VO 12/12 por 7d
5) Alimentos que podem: SRO, leite materno (crianças), gelatina, bolachas de água e sal, maisena e polvilho,
banana, maça, pêra sem casca, goiaba sem casca e sem semente, sucos de maça, melancia, maracujá, goiaba,
cenoura, água de côco, sopa, purê de batata, caldo de feijão sem o grão, frango ou carne de vaca magra e
cozida, marracão sem molho, arroz, chás de erva cidreira, erva doce, broto de goiaba.
Alimentos que não podem: doces, chocolates, refrigerantes, bolachas recheadas, pipoca, bolos, salgadinhos,
pastel, mamão abacate, uva, laranja, ameixa, iogurte, danoninho, yakut, balas, sorvetes, folhas verdes, salsinha,
lingüiça, hambúrguer, toucinhos, frituras em geral e miojo.

Não Desidratado Desidratado leve Desidratado Grave


Perda de Peso < 3% 3-9% > 9%
Condição Alerta Irritado Comatoso
Sede Normal Sedento INCAPAZ
Prega Some rapidamente Some lentamente Some muito lentamente
Enchimento < 3 segundos 3-5 segundos > 5 SEGUNDOS
Capilar
Olhos Normais Fundos Muito fundos
Lágrimas Presentes Ausentes Ausentes
Mucosa Úmidas Secas Muito secas
Pulso Cheio Fino MUITO FINO

Fase de manutenção:

IDADE 30ml/Kg* 70ml/kg


< 1 ano 1h 5h
1-2 anos 30 minutos 2,5 h
*Se criança permanecer com sinais de gravidade pode repetir 30ml/kg

APARELHO GENITOURINÁRIO

ITU Baixa N39.0 (Cistite N30.9)


Nitrofurantoína 100mg -------------------------------
Tomar 1 cp VO de 6/6 horas por 5-7 dias
Levofloxacino 500mg ----------------------------------
Tomar 1cp VO 1x/dia por 3-5 dias
Fosfomicina Trometamol (Monuril) 3g -----------
Tomar em dose única
Norfloxacino (Floxacin) 400mg –-------------------
Tomar 1 cp VO de 12/12h por 5d
Dipirona 500mg ---------------------------------------–
Tomar 1cp VO de 6/6h se dor
Pyridium 100mg 1cp após refeições de 8/8h por 2 dias

ITU Alta (PielonefriteN11.0)


1) Ciprofloxacino (Quinoflox) 400mg EV ou 500mg VO de 12/12h por 14 dias
Levofloxaxino 500mg – 1cp VO 1x/dia por 14 dias
Ceftriaxone (Rocefin) 1G de 12/12h ou 2G 1x/dia EV ou IM por 14 dias
Amicacina 15mg/kg ou Gentamicina 5mg/kg IV ou IM 1x/dia 14 dias
2) Solicitar urina I e Urocultura

ITU na Gestação
- Não usar quinolonas, cloranfenicol, Bactrin, tetraciclinas
1) Ampicilina 500mg – tomar 1cp VO de 6/6h por 7 a 10d
Cefalexina 500mg – tomar 1cp VO de 6/6h por 7 a 10 d
Infecções mais graves nas gestantes
1) Gentamicina ou Trombomicina 3 a 4mg/kg IM 3x/dia por 7d
ITU recorrente na Gestação: Prevenção
1) Cefalexina 250mg – tomar 1cp VO de 12/12h por 7d
Nitrofurantoína 100mg – tomar 1 cp VO 12/12h por 7d

Cólica Renal (N23)


PS:
1) Cetoprofeno (Profenid) 1amp ou Tilatil 1amp + Buscopan Composto 1amp + Plasil 1amp + SF 0,9% 100- EV lento
Buscopan Composto 1amp + Tilatil 2amp + SF 0,9% 500ml – EV aberto
2) Diclofenaco de Sódio (Voltarem) 75mg IM
3) Tramal 100mg + Plasil 1amp + SF 0,9% 100ml - EV correr em 40min
4) Pode fazer morfina sim se a dor for refratária
5) Entrar em contato com o Urologista responsável ou encaminhar para serviço com Urologista de plantão
6) Orientação: Se dor severa ou persistente por mais de 7 dias ou febre ou mal estar, retornar ao serviço caso não
tenha sido feito exame de imagem.
Casa:
1) Tramadol (Tramal) 50 mg 6/6h por 3 dias
2) Mioflex A (Paracetamol, diclofenado sódico, cafeína e carisoprodol) 8/8h por 3 dias

Cervicite e Uretrite (N34.1) (Gonorréia )


- Ag: Neisseria gonorrhoeae (Gonococo) e Clamídia
- Dx: corrimento purulento (cervical ou uretral), febre e disúria
Casa:
1) Ceftriaxone (Rocefin) 250mg IM dose única OU Ciprofloxacino 500mg VO dose única (GONOCOCO)
2) Azitromicina (Astro) 500mg 2cp (1G) VO dose única ou Doxiciclina (Vibramicina) 100mg 12/12h por 7 dias
3) Notificar parceiro

Sangramento Vaginal / Uterino (N93.9)


PS:
1) Transamin 5ml EV (1ml por minuto)
2) Vitamina K 1amp IM + Cetoprofeno 1 amp IM
3) Encaminhar para o GO
Casa:
1) Ácido Mefenâmico (Ponstan) 500mg 1cp VO 8/8h por 3 dias
2) Transamin 2cp VO 6/6h por 3 dias
3) Meloxican 15mg 1 cp VO 1x/dia por 5 dias

Violência Sexual – Z04.4

- Notificação Compulsória, notificação ao conselho tutelar ou à vara da infância e da juventude em < de 18 anos
- Solicitar: HIV, VDRL, Hep B e C, HMG completo, transaminases e coleta de conteúdo vaginal para pesquisa de
gonococo, clamídia e HPV.
- Contracepção de emergência: Levonorgestrel – 1,5mg dose única ou 0,75mg 2 doses de 12/12h ou Yuspe – 100mcg de
Etinilestradiol + 0,5mg de Levonorgestrel em 2 doses 12/12h (no Max até 5 dias, melhor até 72h)
- Profilaxia: HIV: AZT (Zidovudina) + 3TC (Lamivudina) + LPV/r (Lopinavir/Ritonavir) – até 72h
HBV: vacina (0, 1, 6 m) e imunoglobulina – até 14 dias
Sífilis: Penicilina Benzatina 2,4UI, IM dose única
Clamídia e Cancro Mole: Azitromicina 1g VO dose única
Tricomoníase: Metronidazol 2g VO dose única
Gonorréia: Ceftriaxone 250 IM

Úlceras Vaginais (N76.6)


PS:
1) Penicilina Benzatina (Benzetacil) 1.200.000UI IM
2) Azitromicina 1G 1cp VO dose única
CARACTERÍ SÍFILIS – A51.0 HERPES – DONOVANOS CANCRO LINFOGRANULOMA
STICA A60.0 E MOLE – A57 VENÉREO – A55
AGENTE Treponema pallidum HSV 1 e 2 Calymmatobac Haemophilus Clamydia trachomatis
terium ducreyi
granulomatis
N° DE Única Múltiplas Única ou Múltiplas Única
ÚLCERAS múltiplas
SENSIBILID Indolor Dolorosa Indolor Dolorosa Indolor
ADE
ADENOPA Uni ou bilateral Bilateral Pseudobubão Unilateral Inguinal, crônica,
TIA unilateral unilateral, dolorosa
(granulações
subcutâneas)
FISTULIZAÇ Não Não Não Orifício único Múltiplos orifícios
ÃO (bico de regador)
PROFUNDI Moderada Superficial Profunda Moderada Superficial
DADE
TRATAME Penicilina benzatina 2,4 Aciclovir Doxiciclina Azitromicina Doxiciclina 100mg VO
NTO UI, IM 400mg 100mg VO 1g VO dose 12/12h por 21 dias
1ª: 1 dose 3x/dia por 7- 12/12h por 21 única
2ª: 2 doses(semanal) 10 dias + dias
3ª: 3 doses (semanal) sintomáticos

Vulvovaginites
VAGINOSE CANDIDÍASE – B37.3 TRICOMONÍASE – A59.0
BACTERIANA – N77.1
AGENTE Gardnerella vaginalis Cândida albicans Trichomonas vaginalis
CLÍNICA Corrimento fino, Corrimento branco, Corrimento amarelo-esverdeado,
homogêneo, branco- aderido, em placas (leite bolhoso,
acinzentado, odor coalhado) odor fétido, colo em framboesa
fétido (peixe podre)
DIAGNÓSTICO 3 de 4 Critérios de 1. clínica 1. clínica
Amsel: 1. Clínica; 2. pH 2. pH >4,5 2. pH > 5
>4,5; 3. Teste das 3. cultura: pseudo-hifas e3. cultura: Diamond
aminas-KOH (Whiff) +; esporos (KOH) 4. Teste de Schiller: colpite Tigróide
4. Clue cells 5. Protozoários móveis
TRATAMENTO Metronidazol 500mg - Miconazol creme vaginal Metronidazol 500mg VO 12/12h, 7
VO 12/12h, 7 dias ou aplicar por 7 noites dias ou tópico por 7 dias
tópico por 7 dias - Fluconazol 150mg VO, (TRATAR PARCEIRO)
dose única

APARELHO OSTEOARTICULAR

Lombalgias (M54.9) / Cervicalgias (M54.2) / Ciática (M54.3) / Radiculopatia (M54.1) / Dor Muscular (M62.6)
Ps:
1) Cetoprofeno (Profenid) 1 amp IM Ou Diclofenaco Sódico (Voltarem) 1amp IM
2) Lisador 1amp IM
3) Betametasona (Celestone Soluspan) 1amp IM (Se hérnia de disco)
4) Ou Dipirona 1amp + Decadron 4mg + Tilatil 1amp - EV
5) Se não melhorar: Tramal 100mg 1amp + Plasil 1amp + SF 100ml EV lento
6) Radiculopatia:
a) SF 100ml + Tramal 100mg + Plasil 1amp EV
b) Betametasona 1amp IM
Casa:
1) Mioflex A (Paracetamol, Diclofenado Sódico, Cafeína e Carisoprodol) 1cp VO 8/8h por 3d
Tandrilax (Paracetamol, Diclofenado Sódico, Cafeína e Carisoprodol) 1cp VO 8/8h por 3d
Meloxican 15mg VO 1x/dia no almoço por 5 dias
Alginac 1000 (Voltarem+vit B1, B6 e B12) 3x/dia após as refeições por 3 dias
Tylex (Paracetamol + codeína) 7,5mg ou 30mg 1cp de 8/8h por 5 dias

Cloridrato de Ciclobenzaprina (Miosan) 10mg antes de dormir por 5 dias


(Advertir sobre sonolência extrema e potencialização do efeito de álcool)

Gota (M10.9)

PS:
1) Diclofenaco Sódico 1amp + tramadol 2ml IM
Indometacina 25mg 2-3x
2) Dipirona 40 gotas VO ou Lisador 1 amp IM
3) Se não melhorar: Colchicina 0,5mg 3cp VO - 1ª dose + 1cp a cada 2 horas até melhorar a dor ou diarréia - Máx
16cp
4) Corticoide
Casa:
1) Colchicina 0,5mg 1 cp VO 12/12h por 3 dias
2) Dipirona 500mg 1cp VO de 6/6h se dor

Dor Aguda (R52.0) / Inflamação


Casa:
1) Dipirona 500mg 1 cp (ou 35 gotas) VO 6/6h
Lisador (Dipirona, Adifenina, Prometazina) 1 cp VO 6/6h
Paracetamol 500mg 1cp (ou 40 gotas) VO 6/6h
Tylex (Paracetamol + Codeína) 30mg 1 cp VO 6/6h - Receita Controlada

Edema de MMII (R60.9)


PS:
1) Descartar TVP
2) Furosemida 40mg VO ou 1amp (20mg) EV
Casa:
1) Furosemida (Lasix) 40mg 1cp VO pela manhã até desaparecer o edema
Hidroclorotiazida 50mg 1cp VO pela manhã até desaparecer o edema

Varizes (I83)
PS:
1) Voltarem 1amp + dipirona 1 amp – se dor forte
Casa:
1) Meia elástica de media compressão
2) Venalot 1cp de 8/8 horas
Capilarema 75mg 12/12 horas

PELE E ANEXOS
Pediculose (B85.2)
Casa:
1) Deltametrina shampoo (Escabin) – aplicar no couro cabeludo 1x/dia por 4 dias. Repetir após 1 semana.
2) Permetrina (Nedax shampoo) - Aplicar no couro cabeludo e deixar agir por 10'. Escovar o cabelo com pente fino
para remover lêndeas. Aplicar por 2 dias e repetir após 1 semana.

Escabiose (B86)
Casa:
1) Ivermectina 1 cp= 6mg
Dose única: 15-24kg = 1/2 cp; 25-35 = 1cp; 36-50 = 1 e 1/2; 51-64kg = 2cp; 65-79kg = 2 1/2 cp; >80 kg = 3cp)
Repetir após uma semana pois não atua nos ovos.
2) Dexaclorfenaramina (Polaramine) 2mg 1cp VO de 8/8h por 5 dias
Hixizine 25mg 1cp VO à noite por 5 dias
3) Uso tópico:
a) Permetrina 5% (Nedax): Passar no corpo após banho a noite e remover cedo - 3 à 5 dias consecutivos e
repetir após 1 semana
Deltametrina shampoo (Escabin / Deltacid) aplicar no couro cabeludo e nas regiões afetadas 1x/dia por 10
dias

Obs: pode mandar manipular:


Enxofre preciptado 10% Hidrocortisona 2% Lactato de amônia 10% Alantoína 2%. Creme hidratante QSP 150ml.
Usar 10 noites seguidas. Pode gestante e criança.

Erisipela (A46) – S. pyogenes / Cisto Epidermóide Infectado (L72.0)


1) Graves/Toxemicos
a. Penicilina G Cristalina 2.000.000 U 4/4h EV 10-14 dias
b. Ceftriaxone 1g 1x/dia EV 10-14 dias
c. Cefazolina 1-2g 8/8 horas EV 10-14 dias
2) Leves/Moderados
a. Penicilina g Procaína 600.000 U 12/12 horas EV 10-14 dias
b. Penicilina V oral 500mg 6/6 horas EV 10-14 dias
3) Alérgicos: Eritromicina 500mg VO 6/6 horas EV 10-14 dias

Celulite (L03.9) – S. Aureus


1) Graves
a. Oxacilina 2g EV de 4/4 horas 10-14 dias
b. Cefazolina 1g 8/8 horas EV 10-14 dias
c. Nafcilina 1-2g 6/6 horas EV 10-14 dias
2) Leves/Moderados
a. Cefalexina 500mg 6/6h por 7 dias
b. Clindamicina 300mg 1cp VO 6/6 horas 10-14 dias
Obs. Se duvida do Ag. Etiológico associar Oxacilina + Penicilina G Cristalina

Flebite (I80.3)
1) Dipirona 500mg 1 cp VO de 8/8h se dor
2) Diclofenaco Sódico 50mg 1cp VO de 8/8h por 3 dias
Ibuprofeno 600mg 1cp VO de 8/8h por 3 dias
Nimesulida 100mg 1 cp VO de 12/12h por 3 dias

Impetigo (L01.0)
1) Cuidados locais (limpeza, remoção das crostas, compressas
2) Cefalexina 500mg 1cp VO 6/6h por 10 dias
Amoxacilina 875mg + Ac. Clavulânico 125mg 1cp VO 12/12h por 7-10d
Furunculose (L02.9)
1) Compressas mornas + Sintomáticas
2) Drenar
3) Cefalexina 500mg 1cp VO 6/6h por 7 dias
Bactrim (800 +160) 1cp VO 12/12 por 5-10d
4) Neomicina Tópico 4x/dia

Alergias (T78.4) /Urticárias (L50.9) / Picadas de Insetos (W57.0)


PS:
1) Hidrocortisona (Flebocortide) 500mg EV em bolus
2) Prometazina (Fenergam) 1 amp IM
3) Reavalia
4) Se necessário: Adrenalina 0,5amp

Casa:
1) Loratadina 10mg ou 10ml de 12/12h por 10d
2) Hidroxizina 10mg 1cp VO por 10 dias (advertir sobre sonolência)
Prednisona 20mg 1cp VO 1x/dia, pela manhã, por 5 dias

Insolação (T67.0)
1) Cuidados gerais: não se expor, protetor, roupas folgadas, hidratação
2) Caladryl creme aplicar na região afetada 3 vezes por dia por 5 dias
3) Dipirona (Novalgina ou Lisador) 500mg 1cp 6/6h se dor ou febre
4) Se necessário: Cefaliv 1cp a 8/8h se cefaleia

Ptriase Versicolor
1) Itraconazol 200 1x/dia por 5 dias
Cetoconazol ( eliminado no suor) EM DESUSO 200mg /dia /28dias
2) Icaden spray
micolamina ou fungirox creme
Isoconazol creme
3) Remoção mecânica com bucha no banho
4) CASOS REFRATÁRIOS
a. Ciclopiroxolamina

Onicomicose (B35.1)
1) Amorolfina (Loceryl Esmalte) aplicar nas unhas seguindo as orientações da bula 2x/semana por 6 a 9 meses
Tioconazol (Tralen 28%) aplicar nas unhas 2x/dia por 6 a 12 meses
Ciclopirox Olamina (Loprox solução) aplicar na região afetada friccionando suavemente, 2x/dia. Após
desaparecimento dos sintomas aplicar por mais 1 semana
2) Sempre associar terapia sistêmica:
Itraconazol 100 mg 2cp por dia por 3 meses
Fluconazol 150mg 1cp VO por semana por 6 meses. (ex: todas as segundas)

Tinea Pedis (frieira) / Crural / Corporis (B35.4)


1) Icacort pomada aplicar na região afetada 2x/dia por 14 dias
Trok (Betametasona com cetoconazol) 2x/dia por 14 dias
2) Disseminado ou refratário :
a. Cetoconazol 200mg/dia 4 sem
b. Fluconazol 150 mg 1x/sem por 4 sem
Obs: Metabolismo hepático, considerar pedir exames antes do tto - Diminui eficacia de ACO (informar pcte)

Balanopostite (inflamação da glande e do prepúlcio) (N48.1)


1) Nistatina creme 1x/dia por 7 dias
2) Fluconazol 150mg dose única
3) Higiene local e cirurgia S/N

Queimaduras
1) Sulfadiazina de Prata
2) Cefalexina 500mg 1cp 6/6h por 10 dias
3) Dipirona 500mg 1cp de 6/6h se dor ou febre

CARDIOLOGIA

Hipertensão
Consulta: solicitar Urina1, K, Na, glicemia de jejum, Colest total e Fraçoes, Ácido úrico, ECG e Triglicerídeos.
- Diuréticos tiazidicos = hidroclorotiazida 25mg 1x dia
o Não receitar: gota, hiperpatireoidismo
- B Bloqueadores = propanolol 40mg 1x dia (se persistir 2x dia) e atenolol 100mg 1x dia
o Não receitar:DPOC e asma, claudicação intermitente, ic descompensada, bradicardia BAV 2 e 3
- IECA = Captopril 25mg 12/12h (max 50mg 8/8h), enalapril 5 mg 1x dia (Max 40mg 1x dia)
o Não receitar: estenose de artéria renal, rim único, historia previa de tosse, brocoespasmo ou
angioedema com ieca, gravidez, K>5,5
- BRA = losartana 25mg 12/12h (50mg 12/12)
o Não receitar: idem IECA
- Antagonista dos canais de cálcio: anlodipina 5mg 12/12 (10mg 12/12)
o Não receitar: IAM, AVE, angina, insuficiência, não usar como monoterapia em renais crônicos com
proteinúria
busco

1) Urgência hipertensiva
PA maior que 160x90 sem lesão de órgão alvo
- Captopril 25 ou 50 mg 1 a 4 cp
o Início: 15 minutos Duração: 4-6 horas
- Nifedipina 10 ou 20 mg
o Início: 5-15 minutos; Duração: 3-5 horas

2) Emergência Hipertensiva
Qualquer PA acima de 140x90 com IAM, IC aguda, EAP, Encefalopatia hipertensiva, Edema de papila, dissecção,
IRA
Pedir HMG, Cr, Ur, Na, K, Urina 1, ECG, Rx tórax
- Nitroprussiato de sódio (mais comum, o famoso Nipride)
o Diluir 1 ampola (50mg) em 240 mL de SG 5%; Dose: Iniciar em BIC a 3ml/h
o Aferir pressão a cada dois minutos e aumentar 2 mL/h até alcançar PA desejada
o Após 6 horas, iniciar medicação oral e diminuir gradativamente
o Não usar por mais que 24-48h.
OBS: Nitrato EV é igual, mas afere a cada 5 min a pressão. (máximo de 60ml/h)
Propranolol ou Metoprolol podem ser repetidos 3 vezes em bolus para alcançar a FC desejada
IAM
1) V1-V4: Antero-septal;
2) V5-V6-DI-aVL: Antero-lateral;
3) DI-aVL: lateral-alto;
4) DII-DIII-aVF: inferior
o Pacientes com infarto de VD (parede inferior) não dar morfina nem nitrato
Enzimas: CKMB pico 1-3 horas normaliza 24 h; Troponina: pico 24 h, normaliza 10-14 dias
o M: Morfina 1-5 mg EV em bolus 5/5 min (Se dor refratária ao nitrato)
o O: Oxigênio 5L/min (máscara), 2L/min (Deixar SatO2 > 94%)
o N: Nitrato Isordil 5mg 5/5 min SL até 3 doses
o A: AAS 300mg macerado
o B: Betabloqueador - Metoprolol 25 mg em bolus ou atenolol 25mg - Preferir EV (Meta é uma frequência por
volta de 60)
o C: Clopidogrel 300mg VO
o H: HBPM 1mg/Kg SC (30mg EV em bolus + 1mg/kg 12/12h)

Após estabilizar o paciente, 4-6 horas,


o enalapril 5 e 10mg e sinvastatina 40mg a noite
Trombolíticos: (não realizar em pacientes com sangramento prévios como AVCH, ulcera, cirurgia recente, gravidez, uso
de anticoagulantes, rcp prolongada)
o Esteptoquinase 1.500.000, infusão em 30-60 minutos (se vômitos=plasil, se hipotensão=reduzir a infusão,
quando melhorar voltar a infundir mais rápido novamente)
o Alteplase t-PA (max100mg): bolus 15 mg e/ou 0,75mg/kg durante 30 min (max 50mg) e/ou 0.5mg/kg por 60 min
(max35mg)

ICC
A -Paciente com fatores de risco: tratar fatores
B - Paciente com dano estrutural sem sintomas: IECA ou BRA + b-bloqueador
C - Pacientes com dano e com sintomas ou já apresentou sintoma em repouso: os mesmos do B e pode associar
diurético
D- Pacientes com dano estrutural e sintomas em repouso: mesmos do C + nitrato e digital
Se descompensar pesquisar fatores precipitantes*

Perfil A quente e seco: ajuste das medicações que paciente já toma e manutenção da volemia
Perfil B quente úmido: introdução ou aumento da dose de diuréticos, casos mais complexos associar vasodilatadores
(nitroglicerina (tritil) e/ou nesiritide).
Perfil C frio e úmido: geralmente suspende IECA, reduz B-bloqueador nos pacientes com hipotensão sintomática.
Vasodilatadores parenterais (nitratos 5-10ug/ min Max 100um/min nitroprussiato de sódio 0,3-0,5 um/kg/min Max).
Dobutamina pode ser utilizada a curto prazo apesar de aumentar mortalidade a longo prazo.
Perfil D frio e seco: apresentam poucos sintomas, usando isoladamente vasodilatadores ou a associação de inotrópicos
*Fatores de descompensação: má adesão ao tratamento, ingesta excessiva de água e sal, IAM ou isquemia miocárdica,
HAS não controlada, arritmias, infecções, hipertireoidismo, gestação, estresse físico ou emocional, TEP, fármacos com
efeito inotrópicos negativos

Edema Agudo de pulmão


Montar bomba de Nitrato ou nitroprussiato (se hipertenso) + Morfina 1-3mg (se PA normal) + Furosemida 1mg/kg em
Bolus (se houver edema) + Dobutamina se refratariedade ou hipotensão
Cabeceira Elava a 30º

Taquiarritimia
Eletrocardiograma – 5 perguntas
Existe taquicardia?? R-R < 1,5 cm ou 3 quadradões
Existe onda p?? olhe apenas para D2 se sim
 Taquicardia sinusal = ondas P + em D1 e D2
 Taquicardia atrial = temos onda P de morfologia diferente da sinusal, geralmente – em D2
 Taquicardia atrial multifocal = temos mais de 3 morfologias diferentes de onda P (+ comum da DPOC)
Existe onda F de Flutter atrial?? Olhe so para D2, D3, aVF e V1
 Na maioria das vezes FC de 150 ou 75 bpm
Se não
QRS estreito ou alargado?
Se alargado = taquicardia ventricular: se os QRS forem idênticos monomorfica se forem diferentes entre si polimórfica.
SE durar mais que 30 segundos ou causar instabilidade hemodinâmica TV sustentada se não TV não sustentada
Se não
Intervalo R-R regular ou irregular??
Irregular = fibrilação atrial
Relugar e FC > 120 = taquicardia supraventricular paroxística ou regular e FC <120 = taquicardia juncional não
paroxística (clássica de intoxicação digitálica)
Tratamento
 Taquicardia sinusal = tratar as causa da taquicardia, pode usar b-bloq em casos especiais
 Taquicardia atrial unifocal = tratar doença de base, suspender digitálico. Usar lidocaína, propafenona
 Taquicardia atrial multifocal = compensar distúrbio respiratório de base, suspender aminofilina/teofilina. Usar
Verapamil (se broncoespasmo) e metoprolol
 Flutter atrial: cardioversão com instabilidade ou estabilidade
 Taquicardia ventricular não sustentada = investigar doença estrutural, b-bloqueador, otimizar terapia, indicar
cardiodesfibilador implantável
 Taquicardia ventricular monomórfica sustentada = instável: cardioversão, estável = amiodarona ou lidocaína
(intoxicação por cocaína = bicarbonado de sódio).
 Taquicardia ventricular polimórfica = b-bloqueador, amiodarona, lidocaína, se persistir cardioversão.
 Fibrilação Atrial: instabilidade = heparina em bolus e cardioversão elétrica
Estabilidade = B bloqueador ou verapamil, anticoagulação crônica, amiodarona
 Taquicardia supraventricular paroxística: instável cardioversão, estável: adenosina 6mg em bolus.

Bradiarritimia
Bradiarritimia sinusal: ondas P + em D1 e D2, precedendo QRS , FC < 60; geralmente por dois fatores, drogas
bradicardizantes ou vagotomia (hipertensão intra craniana, iam de VD, micção, dor medo). Tratamento: Suspender
fatores desencadeantes, atropina 0,5-1mg IV, se não responder marca passo.
Bloqueio atrio-ventricular
BAV 1 grau: Bahiano = atrasa mas sempre vem (aumento do intervalo PR)
BAV 2 grau Mobitz I : carioca = atrasa, atrasa e não vem (aumenta, aumenta e bloqueia)
BAV 2 grau Mobitz II: paulista = não atrasa mas de repente não vem (intervalo normal, de repente bloqueia)
BAV T: dissociação da onda P do complexo QRS
Tratamento
BAV 1 grau e BAV 2 grau Mobitz I = assintomático suspender fator desencadeante , sintomático: atropina 0,5-1mg IV ou
MP se refratário
BAV 2 grau Mobtz II e BAVT= atropina 0,5-1mg, marca passo definitivo
Cardioversão

Para cardioverter:
 monitorar
 analgesia =morfina 1 a 2mg EV ou fentanil 1 a 2 ug/kg EV,
 sedação = propofol (ampolas a 1% 1ml=10mg a 2% 1ml=20mg) dar 30 a 50 mg IV em bolus ou etomidado
(ampola de 10 ml com 2mg/ml) dar 2ml de fentanil e 2 minutos após infundir 20mg IV de etomidado
 retirar prótese dentaria
 preparar material para intubação
 Cardioverter: QRS estreito regular = 50-100J Mono ou bifásico
QRS estreiro irregular: 120-220J bifásico ou 200J monofasico
QRS largo regular 100 J mono ou bifasico
QRS estreito irregular: carga de desfibrilação (sem sincronização)

Farmacoterapia Cardíaca

 Adenosina: reverte a maioria das TPSV, só não usa para FA, flutteer e TV.
1 ampola =6mg, infundir 6mg IV, se não reverter 12mg EV em bolus
 Metoprolol: 5mg, lentamente a cada 5 min, dose máxima 15mg
Após dose iv dar dose oral: 50mg: 2 x ao dia por 24 horas
 Atenolol: 5mg EV lentamente (em 5 minutos) esperar 10 min e administrar a próxima dose.
 Diltiazem controla FC em pacientes com FA ou no Flutter atrial. 15-20mg (0,25mg/kg) IV em 2 min, pode ser
repetido em 15 min na dose de 20-25mg (0,35mg/kg) em 2min
 Epinefrina: parada 1mg de 2 em 2 min
Bradicardia grave ou hipotensão: 2-10ug/min em infusão (acrescentar 1 mg 1:1.000 a 500ml de SF
e infundir de 1-5ml/min).
 Mononitrato de Isossorbida: 1 ampo =10mg ataque: 40-100mg EV a cada 8-12h (+/-0,4mg/kg)

Hipoglicemia
BEG: 3 ampolas de glicose 50% EV a cada 15 minutos
REG ou MEG: 4 ampolas de glicose 50%
Quadro Vertiginoso Agudo
1) Dieta zero
2) Acesso venoso
3) Dimenidrato B6 DL 100mg (1amp) + SF 0,9% 250ml – EV 30 min
4) Cateter de O2 2l/min S/N
5) Monitorizacao Cardiaca, Oximetria, CCG
6) *Prometazina (Fenergan) 50mg (1amp) IM – Se não houver melhora após Dramin
7) *Ondasetrona (Zofran) 8mg (1 amp) + SF 0,9% - EV 15min (se houver refratariedade da náusea e vomito)
Avaliação da Função Neurológica:
Escala de Coma de Glasgow
Abertura ocular
Espontânea ------------------------ 4
Ao comando verbal ------------------------ 3
À dor ------------------------------------------- 2
Ausente --------------------------------------- 1
Resposta verbal:
Orientado e conversando ---------------- 5
Desorientado e conversando ------------ 4
Palavras inapropriadas -------------------- 3
Sons incompreensíveis -------------------- 2
Sem resposta -------------------------------- 1
Resposta Motora:
Obedece a comando ----------------------- 6
Localiza a dor -------------------------------- 5
Flexão inespecífica (retirada) ------------ 4
Flexão hipertônica ------------------------ 3
Extensão hipertônica -------------------- 2
Sem resposta ------------------------------ 1
Obs:
- Traumas graves: escores de 3 a 8
- Traumas moderados: escore de 9 a 12
- Traumas leves: escore de 13 a 15

Acidente Vascular Encefálico (AVE)


Conduta inicial:
1) ABC
2) Dextro para descartar hipoglicemia~
3) TC de crânio para descartar AVC hemorrágico
4) Exames: ECG, Rx de tórax e exames laboratoriais
5) Antitérmicos de horário (cuidado com a hipertermia que é deletéria as células nervosas)
6) Dextro de 6/6h
7) Anti-hipertensivos: IECA ou diurético se PAS > 220mmHg ou PAD > 120mmHg ou PAM > 130mmHg

Acidente Vascular Encefálico Isquêmico (AVCI) não extenso ou Ataque Isquêmico Transitório (AIT):
1) Jejum
2) Decúbito elevado 30°
3) SF 0,9% ------------------ 1000ml de 8/8h se não houver disfunção cardíaca
4) Dipirona 2ml EV de 6/6h se T > 37,8°C
5) Hidantal 100mg 1amp EV de 8/8h
6) AAS 200mg 1x/dia
7) Captopril 25mg se PAS> 220mmHg ou PAD > 120mmHg ou PAM > 130mmHg
8) Fisioterapia Motora e mudança de decúbito a cada 2h
9) PA, T e FC
10) Investigar causa: ECG, ECO, USG de carótidas

Acidente isquêmico Extenso


1) Jejum
2) Sonda Nasogástrica aberta
3) Oxímetro de pulso
4) Cateter de O2 3L/mim
5) Monitor cardíaco, acesso venoso
6) Sonda vesical de demora
7) Decúbito elevado de 30°
8) SF 0,9% ------------------ 1000ml de 8/8h se não houver disfunção cardíaca
9) Dipirona 2ml EV de 6/6h se T > 37,8°C
10) Hidantal 100mg 1amp EV de 8/8h
11) Plasil 1 amp EV de 8/8h
12) AAS 200mg 1x/dia
13) Captopril 50mg se PAS> 220mmHg ou PAD > 120mmHg ou PAM > 130mmHg ou Nitruprussiato de Sódio 50mg +
SG 5% 250ml EV em BIC ACM
14) Dextro 6/6h
15) Se edema local com importante efeito de massa:
- Manitol 20% ----------- 100ml EV bolus (dose de ataque)
- Manitol 20% 50-60ml EV bolus 4/4h (dose de manutenção)
16) Clexane profilático: 20 a 40 mg SC 1x/dia (uso controverso)
17) Fisioterapia motora e mudança de decúbito a cada 2h
18) PA, T, FC, controle de diurese
Obs: o Manitol deve ser administrado por 24 a 72h, com redução progressiva da dose (10ml dia) pois mais tempo
pode levar a piora do edema por efeito rebote
Acidente Vascular Encefálico Hemorrágico Intracerebral (AVEH-IC)
1) Jejum
2) Sonda Nasogástrica aberta
3) Oxímetro de pulso
4) Cateter de O2 3L/mim
5) Monitor cardíaco, acesso venoso
6) Sonda vesical de demora
7) Decúbito elevado de 30°
8) Repouso no leito
9) SF 0,9% ------------------ 1000ml de 8/8h se não houver disfunção cardíaca
10) Dipirona 2ml EV de 6/6h se T > 37,8°C
11) Hidantal 100mg 1amp EV de 8/8h
12) Plasil 1 amp EV de 8/8h
13) Dexametasona 4mg EV de 6/6h (uso controverso e por curto período)
14) Diazepan 10mg 1cp por SNG de 8/8h
15) Nimodipina 30mg 1 cp 6/6h ou 4/4h por SNG (uso controverso e deverá ser mantido por 4 semanas)
16) Captopril 50mg se PAS> 220mmHg ou PAD > 120mmHg ou PAM > 130mmHg
17) Se edema local com importante efeito de massa:
- Manitol 20% ----------- 100ml EV bolus (dose de ataque)
- Manitol 20% 50-60ml EV bolus 4/4h (dose de manutenção)
18) Dextro de 6/6h
19) PA, T, FC, controle de diurese
Hemorragia Subaracnóidea (HSA):
1) Idem tratamento anterior, dar ênfase em:
2) Repouso absoluto no leito
3) Terapia dos 3H: só depois do aneurisma clipado.
- Hidratação
- Hemodiluíção
- Hipervolemia
4) Nimodipina 60mg 4/4h (uso controverso)

Escala de Hunt-Hess: Risco cirúrgico no momento da intervenção para reparo de aneurisma intracraniais:
I- Assintomático
II- Cefaléia, rigidez nucal ou paralisia de par craneano
III- Sonolência, confusão mental ou défict focal parcial
IV- Estupor, hemiparesia ou descerebração
V- Coma profundo

Queilite
1) Dexametasona (Decadron) pomada ------------------------ Aplicar 2x/dia por 5 dias
Herpes bucal – herpes simples
1) Aciclovir pomada – aplicar 2x/dia por 7 dias
2) Ingerir bastante líquido. Se febre: Dipirona 500mg 1 cp VO de 8/8h
3) Se for a 1ª manifestação: Aciclovir 200mg VO 1cp 4/4h por 7 a 10 dias
TOXICOLOGIA
INTOXICAÇÕES EXÓGENAS
- VIAS: oral (principal), ocular, dermatológica, inalatória (monóxido de carbono).
- CONDUTA:
. Reavaliar sinais vitais periodicamente (FC, FR, pulso, temperatura);
. Avaliar o nível de consciência (escala de Glasgow);
. Screening qualitativo (substância desconhecida, ingestão de múltiplas substâncias, achados incompatíveis com a
história) - podem ser dosados: antiarrítmicos, barbitúricos, digoxina, etilenoglicol, metanol, paraquat, anticonvulsivantes,
carboxi-hemoglobina, teofilina, lítio, paracetamol, salicilatos.
. Substância conhecida: ABCD primário e secundário; entrar em contato com CEATOX (5012-5311); correlacionar
antídoto.
- TRATAMENTO:
PELE: 1) Retirar todas as roupas do paciente; 2) Remover todos os resíduos e lavar a pele copiosamente.
VIA OCULAR: 1) Lavar os olhos com soro fisiológico; 2) Solicitar avaliação imediata do oftalmologista.
VIA ORAL: carvão ativado, lavagem gástrica, irrigação intestinal, hiper-hidratação, alcalinização da urina.
LAVAGEM GÁSTRICA
- CRITÉRIOS: tempo de ingestão < 1 hora; substância potencialmente tóxica ou desconhecida; ausência de contra-
indicações à lavagem.
- CONTRA-INDICAÇÕES: rebaixamento do nível de consciência com perda dos reflexos de proteção das vias aéreas
(intubar paciente antes de realizar a lavagem); ingestão de substâncias corrosivas (ácidos, bases) ou hidrocarbonetos; risco
de hemorragia ou perfuração do trato gastrintestinal.
- MÉTODOS: 1) Passagem de sonda orogástrica de grosso calibre;
2) Colocar paciente em DLE (cabeça em nível levemente inferior ao corpo);
3) Administrar 100-250 mL SF, mantendo-se a sonda aberta, em posição inferior ao paciente;
4) Aguardar retorno do conteúdo gástrico (sucessivas lavagens até retorno apenas do soro).
CARVÃO ATIVADO
- DOSE: 1g de carvão/kg de peso (25-100g) diluído em água, SF ou catárticos (manitol ou sorbitol) – 8 mL de solução
para cada grama de carvão; se múltiplas doses: 0,5g de carvão/kg de peso 4/4h.
- CONTRA-INDICAÇÕES: rebaixamento do nível de consciência com perda dos reflexos de proteção das vias aéreas
(indicado IOT); ingestão de substâncias corrosivas como ácidos ou bases e hidrocarbonetos; risco de hemorragia ou
perfuração do trato gastrointestinal; ausência de ruídos gastrointestinais ou obstrução; substâncias que não são
adsorvidas pelo carvão: álcool, metanol, etilenoglicol, cianeto, ferro, lítio e flúor.
- PRINCIPAIS TÓXICOS: fenobarbital, ácido valpróico, carbamazepina, teofilina, substâncias de liberação entérica
ou de liberação prolongada.
IRRIGAÇÃO INTESTINAL
- MÉTODOS: 1) Solução (geralmente polietilenoglicol) administrada através de sonda nasogástrica 1500-2000
mL/hora.
- INDICAÇÃO: ingestão de grandes doses de ferro ou outros metais pesados; expelir pacotes de drogas.
DIURESE FORÇADA E ALCALINIZAÇÃO DA URINA
- METODOS – Hiper-hidrataçã: SF 0,9% 1000 mL 8/8h ou 6/6h (alcançar um débito urinário de 100-400ml/h).
PRINCIPAIS TÓXICOS: álcool, brometo, cálcio, flúor, lítio e potássio.
- ALCALINIZAÇÃO: solução com 850 mL de SG 5% + 150 mL de bic de sódio 8,4% (150 mEq de bic) – manter pH
urinário > 7,5.
PRINCIPAIS TÓXICOS: fenobarbital, salicilatos, clorpropamida, flúor, metotrexate, sulfonamidas.
MÉTODOS DIALÍTICOS
- MÉTODOS: hemodiálise clássica (principal), hemofiltração, hemoperfusão.
- INDICAÇÕES: intoxicação grave ou grande potencial (piora apesar do suporte); disfunção na metabolização do
tóxico; concentração sérica potencialmente fatal; tóxico significativamente retirado com diálise.
- PRINCIPAIS TÓXICOS: barbitúricos, bromo, etanol, etilenoglicol, hidrato de cloral, lítio, metais

pesados, metanol, procainamida, salicilatos, teofilina.

- ANTIDOTOS

CRISE TIREOTOXICA
Definição: exacerbação aguda do estado hipertireóideo representando o grau máximo de expressão clínica da
tireotoxicose
Epidemiologia: Incide com maior freqüência em pacientes portadores de Doenca de graves. Mortalidade em torno de
30%
Fatores precipitantes: período pos-cirurgias, infecção, trauma, sobrecarga aguda de iodo, IAM, uso de drogas
anticolinérgicas e adrenérgicas, amiodarona, salicilato, gravidez, ingestão de hormônio tireoidiano, embolia pulmonar,
cetoacidose diabética, AVC
Apresentação clinica: febre (>38,5 C), taquicardia desproporcional a febre, disfunções gastrointestinais (náuseas,
vômitos, diarréia, icterícia em casos graves), anormalidades neurológicas (variando de confusão ‘a coma) e hipertensão,
seguidas de hipotensão e choque
Critérios Diagnósticos: Propostos por Bruch e Wartofsky (ver tabela ao final do capitulo):
Score ≥45 - é diagnóstico de crise tireotóxica
Score 25 a 44 - é compatível com o diagnóstico de crise tireotóxica iminente
Score < 25 - diagnóstico de crise tireotóxica pouco provável
Alteracoes Laboratoriais:
–Hiperglicemia, hipercalcemia, alteração de enzimas hepáticas e elevação de bilirrubinas.
–T4 total elevado,
T3 total, T4 livre e TSH indetectáveis
Preescricao sugerida:
Internação em UTI e essencial
1.Dieta zero
2.Passar sonda nasogastrica
3.Propitltiouracil 300 mg via SNG 6/6 horas
4.Propranolol 80 mg via SNG de 6/6 horas
5.Hidrocortisona 100 mg EV 8/8 horas
6.Solucao de Lugol 10 gotas via SNG 8/8 horas apos, pelo menos, 1 hora da administracao de PTU
7. SF 0,9% 500 ml EV ACM
8. Dipirona 1ap EV 6/6 horas SN
9. Metoclopramida 1ap EV 6/6 horas SN
10. Monitorizacao cardiaca
11. Afericao da Tax e glicemia capilar de 4/4 horas
SÍNDROMES FEBRIS

Dengue
- Dx: febre, dor retrorbitária, exantema, mialgia, artralgia, cefaleia
pode ter petéquias, epistaxe, gengivo/metrorragia
- HMG, RX de tórax, exames complementares
- antígeno NS1, ELISA-IgM
- Tto:
1.Grupo A - clínica sem alterações : hidratação para casa 80ml/Kg/dia
2.Grupo B - sgto pele, comorbidades, prova do laço +, gestantes, < 2 anos, > 65 anos: observação → Ht normal = A
→ ↑Ht > 10% = hidratação supervisionada VO ou EV
3. Grupo C - SINAIS DE ALARME: dor abd. Intensa, vômitos persistentes, hipotensãopostural, lipotimia, hepatomegalia,
sonolência, irritabilidade, ↓ diurese, ↓ temp. corpórea, hipotermia, ↑Ht , ↓ plaquetas, desc. Respiratório, sgto
mucosa, hematemese, melena: internação com hidratação EV 20ml/Kg/h
4. Grupo D – choque, PA convergente (< 20mmHg), ext. frias, cianose, pulso rápido e fino, ench. Capilar lento (> 2s),
hipotensão: UTI com hidratação EV 20ml/Kg/20min

#PROVA DO LAÇO: Fazer um quadrado de 2,5cm


Insuflar manguito até 100mmHg por 5 min (3min para criança)
Se + de 20 petéquias (10 em criança) → teste +

Leptospirose
- Dx: Febre, mialgia, SUFUSÃO CONJUNTIVAL, DOR EM PANTURRILHAS
↓ plaquetas, ↑ CPK, IRA com ↓ K
Cultura (sg, urina, liquor)
- Tto: casos leves – doxiciclina 100mg VO 12/12h ou amoxacilina 500mg VO 8/8h
casos graves - penicilina G 1,5 milhão UI EV 6/6h + suporte
diálise
Mononucleose
- Dx: linfadenopatia cervical e occipital + febre + hepatoesplenomegalia + alt. Hematológica + faringite dolorosa
- Tto: suporte + dexametasona 4mg
Protocolo do Trauma

- Preparação
Pré-hospitalar:ênfase à manutenção das vias aéreas, controle da hemorragia externa, imobilização do doente e
transporte rápido.
Hospitalar: salade reanimação com os equipamentos disponíveis; soluções para reanimação adequadamente
aquecidas; equipamentos para monitorização e ventilação adequadamente testados e funcionantes.
- Triagem
Classificar os pacientes de acordo com o tipo de tratamento necessário e os recursos disponíveis.
- Exame Primário
Identificação e tratamento prioritário das lesões que implicam em risco de morte.
A Airway Vias aéreas e estabilização cervical Assegurar a permeabilidade
B Breathing Respiração e ventilação FR MV Inspeção, palpação, percussão e
ausculta
C Circulation Circulação PA FC Pulsos Perfusão Pulsos e controle de hemorragia
D Disability Incapacidade, Estado Neurológico Escala de coma de Glasgow
E Exposition Exposição e Controle do Ambiente Despir e evitar hipotermia
- Reanimação
Acesso às vias aéreas, garantir ventilação adequada e a infusão de fluidos no combate da hipovolemia e choque.
O exame primário deve ser interrompido temporariamente para que o processo de reanimação ocorra.
- Medidas Auxiliares ao Exame Primário e a Reanimação
Monitorização eletrocardiográfica (arritmias ou AESP), cateter urinário (debito urinário), cateter gástrico
(broncoaspiração), monitorização (FR, SatO2, PA), exames radiológicos (coluna cervical, tórax e pelve).
- Exame Secundário (da cabeça ao pés) e Historia
Somente em pacientes que demonstrem uma tendência à normalização de suas funções vitais após as medidas
de reanimação. Inclui uma história clínica somada a exame físico pormenorizado, avaliação neurológica cuidadosa
e completa.
AMPLA: Alergias, Medicamentos, Passado de doenças, Líquidos e alimentos ingeridos, Acidente, relato do
ocorrido.
- Medidas Auxiliares ao Exame Secundário
Radiografias adicionais de coluna cervical e das extremidades; Tomografia computadorizada de cabeça, tórax,
coluna e abdome; Urografia excretora; Ecocardiogramatransesofágico; Broncoscopia; e Esofagoscopia).
Apenas pacientes hemodinamicamente estáveis.
- Reavaliação
Deve ser constante para impedir que alterações recentes passem despercebidas ou mesmo que condições pré-
existentes não se agravem.
- Tratamento definitivo
Realizado após a identificação das lesões, resolução dos problemas que implicam em risco de morte e obtenção
dos resultados laboratoriais e de exames complementares.

ANTIBIÓTICOS

PENICILINAS
*Penicilina G Cristalina:
Meningite por meningococos ou pneumococos sensíveis à penicilina; endocardite bacteriana por Streptococcus viridans
ou enterococos (associar aminoglicosídeo); infecções puerperais ou neonatais por Streptococcus agalactie; infecções
pulmonares por anaeróbios(abscesso e empiema pleural) e infecções por Clostridium spp.
Adultos: 1 a 4 milhões de UI por dia, via EV em intervalos de 4 a 6 horas
*Penicilina G Procaína:
Pneumonias adquiridas na comunidade (pneumococos); infecções de pele e tecido celular subcutâneo (impetigo,
erisipela e celulite), gonorréia caso a Neisseria gonorrhoae não seja produtora de betalactamase.
Dose IM: 400.000 de UI 12/12h
*Penicilina G Benzatina (Bezetacil):
Tratamento de escolha da sífilis 1ª, 2ª e latente e na profilaxia da febre reumática, amigdalite
Dose IM: 1.200.000 a 2.400.000 UI dose única
*Penicilina V:
Seu uso restringe-se a infecções leves como faringoamigdalites, infecções orais e cutâneas e na complementação do
tratamento após antibioticoterapia EV.
Adultos: comprimido de 0,5g Via Oral a cada 6h
*Aminopenicilinas (Ampicilina/Amoxicilina):
Tem menor atividade do que a penicilina G contra a maioria dos Gram+(exceto para os enterococos e para Listeria
monocytogenes); entretanto, possuem atividade contra alguns bacilos gram- como Haemophilus influenzae, E.Coli e
Proteus mirabilis, não produtores de betalactamases. São ativas contra Salmonella typhi e Shigella spp.
Ampicilina: VO para shigueloses intestinais e EV para meningites bacterianas
Dose: VO: 1cp 500mg de 6/6h por 7dias
EV: 500mg 6/6h ou 1 a 2 G 4/4h nos casos graves

Amoxicilina (Amoxil): Tem sido considerada opção para tratamento de otite média aguda, sinusite bacteriana e
pneumonia em adultos jovens sem comorbidades. Além de ITU SOMENTE em gestantes.
Dose: VO: 500mg de 8/8h ou 875mg de 12/12h por 7 ou 14dias

*Soxazonilpenicilina (Oxacilina:Única disponível no Brasil)


Oxacilina: Utilizada em infecções graves por Staphylococcus aureus produtores de penicilinases (septicemias,
endocardites, pneumonias, abscessos e celulites).
Adultos: 0,5 a 2g por via EV a cada 4 a 6h
CEFALOSPORINAS
*Cefalosporinas de 1ª Geração:
Espectro de ação: cocos Gram+, incluindo S. aureus e S. epidermidis, produtores de penicilinases. Bacilos Gram-
(enterobactérias)
Posologia no Adulto:
Cefalotina: 0,5 a 2g via EV intervalo de 4 a 6h
Cefazolina: 0,5 a 1,5g via EV/IM intervalo de 6 a 8h (preferencialmente EV)
Cefalexina: 0,25 a 1g Via Oral de 6/6h
Cefadroxila: 0,5 a 1g Via Oral de 12/12h
*Cefalosporinas de 2ª Geração:
Espectro de ação: Bacilos Gram- aeróbios , porém não agem contra Pseudomonas aeruginosa ou Acinetobacter
baumannii e não são ativas contra enterococos. Possuem boa concentração biliar.
Posologia no Adulto:
Cefaclor: 0,25 a 0,5g Via Oral de 8/8h
Cefoxitina: 1,0 a 2,0g via EV/IM intervalo de 6 a 8h
Cefuroxima: 0,125 a 0,5g Via Oral de 12/12h
0,75 a 1,5g via EV/IM de 8/8h
Cefprozil: 0,25 a 0,5g Via Oral de 12/12h
*Cefalosporinas de 3ª Geração:
Espectro de ação: Bom espectro contra Gram- Boa penetração no SNC(Boa indicação para meningites por bacilos Gram-
ou por pneumococos resistentes à penicilina). Apresenta atividade limitada contra Pseudomonas spp e Acinetobacter
spp. Ceftazidima possui ação contra Pseudomonas, porém é indicada associação com aminoglicosídeos.
Posologia no Adulto:
Ceftriaxona: 1g EV de 12/12h, se Meningite 2g EV de 12/12h por 7 a 14 dias
Cefotaxima: 1 a 2g IM/EV a cada 4-12h (Avaliar gravidade para estabelecer intervalo)
Ceftazidima: 0,5 a 2g IM/EV de 8/8h
Cefetatamet: 500mg VO de 12/12h
Cefpodoxima: 100 a 400mg VO de 12/12h
*Cefalosporinas de 4ª Geração:
Maior potencia contra Gram- quando comparadas com as de 3ª geração. Ativas contra bacilos Gram- e cocos Gram+
Posologia no Adulto:
Cefepima: 0,5 a 2g EV a cada 8-12h
*Quinolonas:
Norfloxacina: ITU baixa, no Adulto: 400mg VO de 12/12h
Ciprofloxacina: ITU baixa e Pielonefrite, no Adulto: 400 a 500mg EV a cada 8-12h; ou 250 a 750mg VO de 12/12h
Levofloxacina: Pneumonias Comunitárias, no Adulto: 500 a 750mg VO/EV a cada 24h
Moxifloxacina:Gram-, atípicos(Pneumonias atípicas), e excelente contra Pneumococos, no Adulto: 400mg VO/EV a cada
24h
*Aminoglicosídeos:
Espectro de Ação: Gram-, não agem contra anaeróbios, não penetram SNC, cuidado com OTO e NEFROtoxicidade.
Amicacina: 15mg/Kg/Dia EV/IM divididos em 8-12h
Gentamicina: 1 a 2,5mg/Kg/Dose EV/IM a cada 8-12h; ou 4 a 7mg/Kg a cada 24h
Estreptomicina: Tuberculostatico, no Adulto: 15 a 30mg/Kg/Dia IM 12/12h
Neomicina: Uso tópico em leves infecções de pele; aplicar 1 a 3 vezes/dia
Tobramicina: 1 a 2,5mg/Kg/Dose IM/EV a cada 8 a 12h; Colirio: 1 a 2 gotas a cada 2 a 4h
*Tetraciclinas:
Espectro de Ação: Cocos Gram+, ativa contra algumas cepas de E.coli. Alternativa para tratamento da Brucelose, infec.
Por Chlamydia, Riquetsioses, Cólera e Malária associada a Quinina.
Posologia no Adulto: 250 a 500mg VO de 6/6h;Acne 250 a 500mg VO 12/12h
*Glicopeptídeos:
Espectro de Ação: Gram+, principalmente estafilococos resistentes à oxacilina e cefalosporinas
Posologia no Adulto:
Vancomicina: 1g + 200ml SF 0,9% ou SG5% EV de 12/12h; ou 500mg + 200mg SF 0,9% ou SG5% EV de 6/6h
Teicoplanina: 400 a 800mg EV/IM uma vez ao dia
*Lincosaminas:
Espectro de Ação: S. aureus, estreptococos e anaeróbios. Não tem ação contra Gram- aeróbias
Posologia no Adulto:
Clindamicina: 150 a 300mg VO a cada 6-8h; ou 300 a 900mg EV 6-8h
*Macrolídeos:
Espectro de Ação: Gram+, Gram-, Atípicos (Pneumonias atípicas)
Posologia no Adulto:
Azitromicina: 500mg VO uma vez ao dia (Pode ser usada EV)
Claritromicina: 250 a 500mg VO de 12/12h
Eritromicina: 250 a 500mg VO de 12/12h
*Polimixina B:
Espectro de Ação: P.aeruginosa e Acinetobacter spp, também é ativa contra E.coli e Klebsiella spp
Adulto: 2,5 a 5mg/Kg/Dia EV em intervalos de 12/12h
*Carbapenéns:
Espectro de Ação: Gram+, Gram- e Anaeróbios; Indicados em Infecções Nosocomiais Graves
Posologia no Adulto:
Meropeném(Meronem): 500mg EV/IM de 8/8h; ou 2g de 12/12h
Imipeném: 0,5 a 1gEV/IM de 6/6h
Ertapeném: 1g EV/IM uma vez ao Dia
*Cloranfenicol:
Espectro de Ação: É substância de escolha somente da febre tifoide(Salmonella typhi). Pode ser usado em Meningites
por Pneumo ou Meningococos
Posologia no Adulto: 0,5 a 1g VO de 6/6h (Pode ser usado EV)
*Nitromidazólicos:
Espectro de Ação: Anaeróbios, Leucorréias vaginais, 1ª escolha no TTO da colite Pseudomembranosa, Protozoários (Ex:
Ameba e Giardia)
OBS: Geralmente é usado em associação com aminoglicosídeos ou cefalosporinas
Posologia no Adulto:
Metronidazol: 400mg VO de 8/8h; ou 500mg EV de 8/8h
1º GRAU
· Local afetado - Epiderme.
· Agente mais comum: sol.
· Pele avermelhada e seca com dor leve a moderada.
2º GRAU
· Local afetado - Derme (camada média).
· Agente mais comum: líquidos aquecidos.
· Bolhas e dor moderada a severa.
3º GRAU
· Local afetado - Hipoderme (camada profunda).
· Agente mais comum: Contato direto com eletricidade ou chama.
· Pele esbranquiçada ou carbonizada e ausência de dor.

CONDUTAS EM PEDIATRIA

Tratamento:
Resfriados e gripes: analgésicos e antitérmicos, hidratação, soro fisiológico para obstrução nasal, inalação

CRISE EPILÉPTICA
Convulsões febris: na maioria dos casos nenhum tratamento é necessário, a não ser usar antitérmicos mais
agressivamente. Na febre: diazepam 0,3mg/kg/dose x 3 enquanto durar a doença febril (2-3 dias)
SINUSITE
Infecção aguda ou crônica dos seios da face.
Os seios maxilares e etmoidais estão presentes desde o nascimento e os esfenoidais pneumatizam-se entre 1 e 3 anos e
os frontais entre 3 e 10 anos.
Desencadeada por IVAS, rinite, exposição a cigarro, fibrose cística, DRGE, fissura de palato, pólipo nasal, corpo estranho.
Complicações: celulite periorbitária, abscesso periorbitário, empiemasubdural, ulcera corneana, meningite, oftalmite,
trombose de seio cavernoso
Tratamento:
Limpeza frequente do nariz com solução fisiológica
Amoxicilina – 45 a 90 mg/g/dia divididas em 3 doses
Cefalosporina de 2ª geração/ Amoxicilina + clavulanato/ claritromicina/ azitromicina
Deve durar de 14-21 dias

ASMA
É uma doença inflamatória crônica das vias aéreas inferiores, caracteriza-se por aumento da responsividade das vias
aéreas a variados estímulos, com conseqüente obstrução ao fluxo aéreo, de caráter recorrente e tipicamente reversível.
Anamnese: sintomas recorrentes de obstrução das vias aéreas, como sibilos, tosse, dificuldade para respirar e aperto no
peito. Estes sintomas podem ocorrer/piorar à noite ou pela manhã ao despertar; OU ocorrer ou piorar com exercício,
infecção respiratória, exposição a alérgenos/irritantes inalatórios (verificar o perfil ocupacional), mudanças climáticas,
riso ou choro intensos, estresse ou ciclo menstrual.
Exame físico: sinais de obstrução das vias aéreas, como sibilos expiratórios, hiperexpansão pulmonar e tiragem intercostal.
Estes sinais podem ser de rinite alérgica; OU de dermatite atópica/eczema.
Nas crises moderadas e graves, recomenda-se um curso de corticoterapia oral para a obtenção do estado de controle e
seguimento da terapêutica anti-inflamatória com corticosteroide inalatório.

1. Salbutamol 3gts/Kg
Ipratrópio dobro do salbutamol IN, 3 vezes, com intervalo de 20 minutos cada
SF 0,9% 5ml
2. Corticoterapia se não houver resposta
Metilprednisolona 1mg/Kg/dia – EV 6/6h por 48h, com desmame posterior

PNEUMONIA
Causas:
RN Strepto do grupo B; Klebsiella, E. coli, Listeria, enterococo
2 semanas a 3 meses Chlamydiatrachomatis
1 mês a 5 anos Vírus, pneumococo, H. influenzae, S. aureus
Acima de 5 anos Pneumococo, micoplasma, clamídia,vírus

Exame físico: taquipnéia, tiragem intercostal, sibilos, sinais clássicos (crepitações, broncofonia), estado geral
Indicações de hospitalização: idade < 2 meses, comprometimento do estado geral (agitação alternando com torpor,
palidez intensa, impossibilidade de beber ou sugar), comprometimento respiratório (tiragem, gemido, batimento de asa
de nariz, cianose), doença grave associada (desnutrição grave, cardiopatia congênita grave), complicações radiológicas
(abscesso, derrame pleural), incapacidade dos pais de cuidar da doença e manter seguimento
Tratamento:
- Ambulatorial: 7-10 dias
2 meses a 5 anos Amoxicilina, ampicilina
> 5 anos Amoxicilina, eritromicina, azitromicina ou
claritromicina

- Hospitalar:
< 2 meses Ampicilina associada a gentamicina ou
ampicilina associada a cefotaxima/
ceftriaxone
2 meses a 5 anos Penicilina cristalina / Infecção muito grave:
ceftriaxone + oxacilina ou amoxicilina +
clavulanato
5 anos Penicilina cristalina ou macrolídeo

BRONQUIOLITE
Doença infecciosa de origem predominantemente viral (VSR), mais incidente em menores de 2 anos que resulta na
obstrução inflamatória das pequenas vias aéreas inferiores.
Sintomas: espirros e rinorréia, temperatura normal ou febre alta, tosse paroxística, dispneia e irritabilidade.
Exame físico: presença de sibilos (inspiratórios ou bifásicos) e prolongamento do tempo expiratório, taquipnéia e dispneia
Exame radiológico: hiperinsuflação pulmonar; retificação de arcos costais
Tratamento:
- suporte (controle de temperatura, aporte hídrico e nutricional, limpeza de vias aéreas superiores com solução salina)
- Não usar corticoide
- Pode responder a broncodilatador inalatório

OTITE MÉDIA AGUDA


Clínica: irritabilidade, dificuldade e choro ao mamar, otalgia, otorréia
Otoscopia: hiperemia da membrana timpânica com abaulamento
Causa: S. pneumoniae 30-50%; H. influenzae 25-30%, M. catarrhalis 10-15%
Complicação:
- mastoidite: internação + ATB EV (Ceftriaxone)
Tratamento: 10-14 dias

Grave Escolha Alérgicos


Não Amoxicilina 80-90 mg/kg Cefuroxima
Azitromicina
Sim Amoxicilina + Clavulanato Ceftriaxone

Em falha terapêutica:
Inicial Trocar por:
Amoxicilina Amoxicilina + clavulanato
Amoxicilina + clavulanato Ceftriaxone
Azitromicina ou
Cefuroxima
Ceftriaxone Clindamicina + timpanocentese

AMIGDALITE
Padrão: Penicilina V - 125 a 250 mg 2-3 vezes ao dia por 10 dias
Amoxicilina 40mg/kg/dia dividia em 3 doses
Azitromicina em dose única diária por 3-5 dias
Cefadroxil 30mg/kg/dia dividido em 1 -2 doses por 10 dias – para pacientes alérgicos

RCP

Tabela 1: manobras de suporte básico de vida na reanimação cardiovascular


Tabela 2: Sinais de alerta em neonatos, crianças e adolescentes

Tabela 3: Medicamentos para atendimento à parada cardiorrespiratória