Você está na página 1de 20

Relatório de Praticas Pedagógicas 2017

                                          Valdemar Fidalgo Laissone

Índice
1.    INTRODUÇÃO
    1.1.Objectivos………………………………………………………………………………………………………………………….6
1.2. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS
b)     A entrevista:
c)      O questionário:
2.2. Organização e Gestão da Escola
2.3. Descrição das Condições Físicas da Escola:
2.3. Documentos Normativos
2.4. Documentos básicos da Escola
2.2.1. Regulamento Geral das Escolas do Ensino Básico
2.2.2. Regulamento interno
2.2.3. O estatuto geral dos funcionários aparelho de estado (EGFAE)
2.2.4. Ingresso no aparelho de estado
Programa de ensino
Instruções de despacho
Livro da turma
3.      Discrição da área pedagógica
3.1.1. Função do Director da
Turma..............................................................
.....................
3.2.1. Funções do Director Adjunto Pedagógico
3.3.1. Director da escola
3.4.1. Actividades da área pedagógica
3.4.2. Actividades extra-escolares
Organização das turmas
Registo de notas
Documentos da secretaria
Processo do aluno
Processo dos professores
Organização do arquivo
Pasta de saída de expediente
4.    Problemas e matérias em falta da EPCG
Actividades extra-curriculares
Saúde escolar
Ligação escola-comunidade
Pós-observação
Dificuldades
Recomendações
5.      Conclusão

Tabela de abreviação
Siglas Significados
DAP Director adjunto pedagógico
PEA Processo de Ensino e Aprendizagem
EPCG Escola Primária Completa Gungunhana
PPG Práticas Pedagógicas Gerais
UP Universidade Pedagógica
EGFAE Estatuto Geral dos Funcionários Aparelho de Estado
SIDA Síndroma de Imunodeficiência Adquirida.
Dr. Director
Dra. Directora;
ESG Escola Secundária Geral
DT Director da Turma
OPA Organização-Político-Administrativa;
IFP Instituto de Formação de Professores

Lista de tabela
Tabela 1. Distribuição de turno -
----------------------------------------------------------------10
Tabela2.distribuicao dos professores e por turma-
--------------------------------------------10
Tabela3. Estatística de professores com formação e sem formação
------------------------11
Tabela4. Matérias em falta na EPCG
-----------------------------------------------------------21
Tabela 5. Problemas e possíveis soluções-------------------------------------------------------
23
Figura1.a observação da escola-------------------------------------------------------------------
13
Figura2. Mapa do aproveitamento pedagógico-------------------------------------------------
14

Agradecimento
Agradeço a Deus pai todo-poderoso, que me conduz com a sabedoria necessária no
cumprimento dos meus trabalhos. Algumas colegas do meu grupo que contribuíram de
forma valiosa, no desenvolvimento de trabalho. À eles agradeço e deixo registado meu
respeito e admiração.
A gradecer também a DAP da EPCG por nos receber bem no memento da pratica (na
hora do trabalho do campo).
Aos amigos e colegas da Faculdade, que me incentivaram e propiciaram condições para
o desenvolvimento deste relatório, minha gratidão e consideração.

Dedicatória
Este relatório de Práticas Pedagógicas Gerais dedica à minha mãe e meu primo, também
para os meus melhores amigos, pelos seus entusiasmos e respeito de aconselhamento e
fortificação, sem me esquecer do meu cunhado e minha irmã, também alguns meus
companheiro colegas.

Resumo
O presente relatório têm como objectivo: dar informação sobre as actividades
desenvolvidas nos trabalhos do campo e emitir ideia em volta da observação Pedagógica
da escola referente ao segundo semestre de dois mil e quinze.
No desenvolvimento deste relatório, e obtenção de recolha de dados, recorreu-se a
observação direita, análise, estudo e interacção com a direcção da escola. Neste relatório
baseou-se no método descritivo, onde pude observar, para traduzir em texto escrito,
através da observação direita, indirecta, recolha de dados, observação de documentos da
escola e sua análise, entrevista feita a direcção da escola e planos sectoriais. Para isso, o
método descritivo, vai descrever os factos, a analisar e a interagir. Abordei a qualidade e
a quantidade do que pude observar.
O estudo permitiu identificar a problemática da Escola Primaria Completa Gungunhana
de um lado, e do outro as causas das dificuldades encaradas por estudantes no
comprimento das actividades e que melhorando pode minimizar a eficácia e a eficiência
do trabalho educacional.
1.                    INTRODUÇÃO

Práticas pedagógicas são a componente real da supervisão pedagógica de aprendizagem


do aluno. Neste caso particular da formação de professores, a pratica pedagógica é
assumida como um instrumento com o qual os futuros professores aprendem, na pratica
a ensinar e ajudados pelos supervisores e/ou tutores experimentar a função docente.
Profissões e vocações são como plantas. Vicejam e florescem em nichos Ecológicos,
naquele conjunto precário de situações que as tornam possíveis e – quem sabe?
-Necessárias. Destruído esse habitat, a vida vai se encolhendo, murchando, fica triste,
mirra, entra para o fundo da terra, até sumir” (Alves - 1981).
As práticas pedagógicas na Universidade Pedagógica de Moçambique, começaram no
ano 2004, são divididas em quatro fases nomeadamente:
1ª Fase: Saber a organização e Funcionamento da Escola;
2ª Fase: acompanhar o processo de Ensino Aprendizagem
3ª Fase: Simulação de aulas; e
4ª Fase: Estagio.
O presente relatório, reporta as actividades realizadas na primeira fase das Praticas
Pedagógicas de “ Saber a organização e o funcionamento da Escola Primaria
Completa Gungunhana”.
Nesta primeira fase, as práticas pedagógicas, tinham como objectivo
geral “Familiarizar se da organização e do funcionamento da Escola Primaria
Completa Gungunhana”.
1.1. Objectivos
1.1.2        Objectivo geral
  Organizar os alunos/ estudantes os futuros professores sobre um funcionamento da
escola.
1.1.3. Objectivos Específicos:
    Descrever a organização física da Escola Primaria Completa Gungunhana;
    Caracterizar o funcionamento da Escola Primaria Completa Gungunhana; e,
    Verificar os documentos normativos existentes na Escola Primaria Completa
Gungunhana.

Historial da escola
 A EPC Gungunhana foi fundada década 60 e chamava-se escola de matundo pecado, na
altura tinha apenas um e única sala e atendia a população indígena, devido a erosão foi
transferida a um outro local mais seguro, assim actualmente funciona nas novas
instalações inaugurada pela sua Excelência Ex-presidente da Republica de Moçambique
Joaquim Alberto Chissano no dia 13 de Marco de 2004.
   Ao abrigo da lei das nacionalizações como várias instituições do estado, a escola
passou a designar-se de Gungunhana, poderoso régulo imperador destacado herói
nacional e combatente de resistência a penetração e ocupação estrangeira europeia.
Localização geográfica
Quanto a sua localização geográfica da escola, primaria de Gungunhana localiza-se na
zona suburbana do bairro Chingodzi, Unidade 21 de Março, Q-3 muito próximo do fim
da rua do cruzamento da Visão Mundial, lado direito da estrada nacional n˚7 para quem
dirige-se ao aeroporto de Chingodzi e cerca de 7km da cidade cimento, em suma, a
escola localiza-se no meio das residências habitacionais.

1.2.PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

As práticas pedagógicas, decorreram em duas fases a citar:


1ª Fase: Preparatória
Decorreu de 18 Julho a 06 de Setembro de 2017, na Universidade Pedagógica – Tete, na
cadeira de Praticas Pedagógicas Gerais (PPG) com as seguintes tarefas:
  Introdução ao estudo das Praticas Pedagógicas Gerais (PPG);
  Apresentação dos trabalhos em grupos com os seguintes Temas: a Observação; a
Entrevista; e o Registo de dados.
  Distribuição dos estudantes em grupos e suas respectivas escolas para a realização de
Praticas Pedagógicas Gerais.
2ª Fase: Actividades do campo
Decorreu entre 11 de Setembro a 06 de Outubro de 2017 e consistiu em:
  Apresentação dos estudantes no dia —/09/2017. Para o grupo desta escola, era composta
por 04 elementos nomeadamente: ————, acompanhados pela Msc. Juliana Paulo,
como supervisor;
  Descrição das condições físicas da Escola Primaria Completa de Gungunhana, no dia
——/09/2017;
  Caracterização da Organização e Gestão da Escola Primaria Completa de Gungunhana; e
  Verificação dos documentos normativos existentes na Escola Primaria Completa de
Gungunhana, no dia 03/10/2017.
2. Métodos de obtenção de informação do Campo: a Observação e a Entrevista.
a)      A observação:
Consideram a observação como um elemento que carece de uma atenção especial, é o
registo das observações. Hoje em dia, muitos meios tecnológicos permitem um maior
registo, como por exemplo, o registo através de filmagens, gravações de áudios,
fotografias, entre tantos outros, mas há que destacar a importância do bloco ou caderno
de anotações que deve acompanhar todo um bom observador (Severino, 2007).
b)     A entrevista:
 A entrevista deve ser permeada por um clima de estimulação é de aceitação mútua,
entre o pesquisador s o pesquisado, que facilita a influência das informações, podendo –
se ser captadas de forma imediata assuntos pessoais e de natureza intima ou temas
complexos (Severino, 2007). Nestas práticas pedagógicas foram, aplicou – se - a
entrevista estruturada ou padronizada.
Segundo Severino (2007, p. 125), << a Entrevista estruturada ou padronizada é
quando o pesquisador tem que seguir muito de perto um roteiro de perguntas feitas a
todos os entrevistados de maneira idêntica e na mesma ordem. Isso permite uma
comparação de dados e melhor tratamento estatístico, pois os resultados são
uniformes.>>
c)      O questionário:
Segundo Severino (2007, p.125), é sabido que << o questionário como sendo o
instrumento de pesquisa constituído por uma série de questões sobre determinado tema
que normalmente é entregue aos respondentes para o preenchimento e as respostas
transformadas em dados estatísticos. Os questionários aplicados em entrevista face a
face estes são feitos por meio de entrevista na qual o pesquisador preenche o formulário
com perguntas, geralmente estruturadas.>>

2.2. Organização e Gestão da Escola


Ainda com o método de entrevista e observação documental, registou se:
a)      Horário escolar:
  A Escola lecciona em três (3) turnos com a duração média de 38 semanas neste ano de
2017, segundo Diploma Ministerial que aprova o calendário escolar do ano lectivo de
2017, onde constam 12 semanas para o 1º trimestre tanto como para o 2º trimestre e 14
semanas para o 3º trimestre. Para mais informações sobre turnos de leccionação vide os
quadros seguintes:

Distribuição de turnos
Turno Horas Duração Nº de alunos por sexo Classe/ nº de turma Total
média turmas
H M HM
1º 06:30 – 10:10h 5 Tempos 146 159 305 3ª /1t, 4ª/2t, 5ª/3t 6

2º 10:30 – 13:25h 4 Tempos 170 140 310 1ª/3t, 2ª/3t 6

3º 13:30 – 17:55h 6 Tempos 160 153 313 3ª/2t,6ª/2t,7ª/2t 6

           Total 15 476 452 928 7ª Classes/18 turmas 18


Tabela. 1
                                    Distribuição de professores por classe e por turma.
Classe N º de alunos Nº de Nº de
H M HM turmas professores
1ª 78 74 152 03 03
2ª 92 66 158 03 03
3ª 80 71 151 03 03
4ª 47 56 103 02 02
5ª 71 80 151 03 03
6ª 54 59 113 2 09
7ª 54 46 100 02
Total 476 452 928 18 23
 Tabela.2
  A realização das seguintes actividades extra – curriculares, semanalmente e são zelados
pelos sendo um responsável indicado pela direcção da escola no seu cumprimento:
  Produção escolar;
  Plantio de árvores;
  Palestras sobre segurança rodoviária, de combate ao consumo de drogas, através do clube
escolar:
  Parlamento infantil;
  Unidade de género;
  Uma sala de geração bizz
  Actividades culturas;

b)     Leccionação
Ainda com o método de entrevista, foi verificado que o Director da escola não lecciona
alguma turma, mas o Director Adjunto Pedagógico não lecciona alguma nenhuma
turma/disciplina tem mais tempo para atender a secção pedagógica.
Ainda foram observadas as seguintes tarefas do responsável administrativo:
  Chefiar a secretaria;
  Velar pelos salários dos funcionários;
  Controlar e organizar os processos individuais dos funcionários;
  Orientar e controlar assiduidade e a pontualidade dos funcionários;
  Elaborar efectividade dos funcionários;
  Orientar e controlar o registo de entrada e saída de correspondência (expediente);
Tem como horário de entrada 07: 30h e saída as 15: 30 h.
c)       Professores:
Através da entrevista e a observação directa de banco d dados, registou se:
A existência de 30 funcionários, 05 é o pessoal administrativo. Dos 25 docentes, 23 são
a giz e 02 não a giz, exercendo tarefas da secretaria por vários motivos. Para mais
detalhes vide o quadro a seguir:

Professores H M HM Pessoal
administrativo
H M HM
Sem formação 0 0 0
Em formação 0 0 0
Com formação 03 22 25
Com nível superior 01 04 05 0 05 05
Com nível médio 02 18 20
Com nível elementar 0 0 0
À giz 02 21 23
Não a giz 01 01 02
Tabela. 3

  Os professores desta escola beneficiam – se de alguma formação em exercício, através


do Instituto de Formação de Professores (IFP) de Tete.

d)     Periodicidade de supervisão e controle da escola


A escola recebe visita como:

Do MINEDH, anualmente;
      
Técnicos dos Serviços provinciais, trimestralmente;
      

Técnicos dos serviços distritais, mensalmente;


      

Visita por outro pessoal como membros do Governo, ocasionalmente.


      

  Os pais ou encarregados de educação tem fácil acesso a direcção da Escola, diariamente
para situações pedagógicas, comportamento e legalização da documentação dos seus
educandos.

2.3. Descrição das Condições Físicas da Escola:

Com o método de observação directa e a entrevista estruturada, que consta no guião de


observação, registou – se as seguintes condições físicas da Escola Primaria Completa de
Gungunhana:
  Existência de uma área para jogos, particularmente de Educação física;
  Existência árvores de sombra; 
  Existência de mastro e bandeira nacional;
  Existência de vitrina onde são fixadas informações (dentro e fora da Secretaria);
  Existência de duas latrinas duplas, sendo uma para os rapazes, outro para as raparigas e
uma para os professores, sendo operacionais.
  Existência de guarda;
  A Escola é limpa, com uma boa parecia, bem localizada e pintada com corredores
seguros e iluminados;
  Existência de material de limpeza.

Outros aspectos observados:


  A escola possui carteiras duplas, uma sala que serve de bloco administrativo e uma sala
de aula;
  A escola conte seis (6) blocos, cada bloco conte dois (2) salas, no meio das salas de aula
tem um campo ondem prática jogos principalmente futebol 11 e Educação física as
balizas são móveis;
  Ao redor da escola contem no total 176 árvores, a traz do bloco da secretaria tem uma
tornela;
  A escola enquadra-se em duas ruas onde a rua com muita movimentação de automóveis
esta na afrente da escola.
A observação da escola

Figura .1

2.3. Documentos Normativos

a)      Ainda pela entrevista e observação, verificou – se a existência dos seguintes


documentos normativos na escola:
 Plano anual de actividades;
 Regulamento Geral do Ensino Básico das Escolas do Ensino Básico;
 Regulamento Interno da Escola;
 Estatuto Geral dos Funcionários e Agente do Estado;
 Mapa do aproveitamento Pedagógico do 2º trimestre de 2017;
 Programas de Ensino para todos os ciclos leccionadas pela escola.

 Mapa do aproveitamento Pedagógico do 2º trimestre de 2017

Figura. 2
b)     Outros aspectos observados:
Existência de processos dos alunos, organizados por turma e pastas de arquivos e
numerados, ondem guarda documentos dos Alunos/ Estudantes.
2.4. Documentos básicos da Escola
A escola tem plano anual das actividades e contem:
  Actividades preparatórias para o inicio do ano lectivo (organização e realização do
processo de inscrições e matriculas, a formação de turmas, planificação analítica
trimestral dos conteúdos temáticos, a elaboração ou reprodução de horários,…),
  Previsão de ascensões de assistências de aulas,
  Previsão de reuniões de conselhos pedagógicos e de notas, a assembleias gerais,…,
  Previsão do controle e processamento de ordenados dos funcionários,
  Previsão de palestras com alunos e funcionários.

2.2.1. Regulamento Geral das Escolas do Ensino Básico


A escola tem regulamento geral das escolas do ensino básico que objectivos e
classificação das escolas,
  Organização e funcionamento das escolas,
  O conselho da escola,
  Da direcção da escola,
  Do ingresso matricula e inscrições e alunos
2.2.2. Regulamento interno
No regulamento interno da escola tem:
  Horário da escola,
  Deveres e direitos dos alunos e dos funcionários,
  Sanções
2.2.3. O estatuto geral dos funcionários aparelho de estado (EGFAE)
Que contem:
  Nomeações, tomada de posse, comissão de serviço. Através de confiança tomada de
posse,
  Tem que haver cerimónia com os colegas comissão de serviço,
  Como se faz.
2.2.4. Ingresso no aparelho de estado
É aquele que tem nomeação provisória. Quem não tem nomeação não é funcionário
mais sim é agente de estado.
  Deveres gerais e específicos dos funcionários e dirigentes,
  Artigo que fala de investimento e suplemento,
  Artigo que fala de férias, faltas e licenças.
Programa de ensino
Programas de ensino básico são:
  1º Ciclo são duas classes 1ª e 2ª classes
  2º Ciclo são três classes 3ª ,4ª ,5ª classe
  3º Ciclo são duas 6ª e 7ª classe.
Instruções de despacho
A escola possui instrumento de despachos que contem:
  Curricular 5
Assunto: Abertura de escolas de ensino geral 2013
  Curricular 5
Assunto: Gestão e contribuições financeiras dos pais, encarregados de educação e
comunidade em geral nas instituições de ensino 2013
Conteúdos
  Construção de salas de aulas,
  O pagamento dos funcionários

1.Todas as contribuições dos encarregados devem ter conta bancária pelo depósito dos
encarregados.

Livro da turma
Livro da turma é um dos documentos que vem registado a lista dos alunos,
professores, carga horária, estatística da turma e outras informações pedagógicas. É um
instrumento importante na sala de aula porque nele regista-se as lições diárias, o
controle de presenças dos alunos, tem sido como um coração de uma turma.
Neste livro da turma contem:
  Página que fala de relação dos alunos,
  As disciplinas nas páginas 3 e 4 e cada avaliação são lançadas na caderneta.
  Páginas 10 e 11 o nome do aluno, contacto do encarregado, participação dos
encarregados nas reuniões,
  Página de participação do aluno nas actividades extra-curriculares 12 e 13,
  Mapa de falta dos alunos,
  Mapas de registos de temas.
Outros aspectos nas actividades da área organizacional são compostos por três aspectos
que são: Director da escola, Directora Adjunta Pedagógica e a composição da direcção
da escola.
3.      Discrição da área pedagógica
  Na área pedagógica sempre tem havido supervisão quando há necessidade,
  A escola tem regulamento interno,
  Todos professores são do quadro.
A pesquisa descritiva tem como objectivo principal, a descrição das características
de determinadas populações ou fenómenos ou estabelecimentos de relações entre
variáveis (Gil 1999,p.44).
3.1.1.      Função do Director da Turma
O director da turma é nomeado pelo director da escola sob proposta do DAP e tem
como funções:
  Montar as estruturas dos alunos na turma e dinamizar o seu funcionamento,
  Capacitar o responsável do grupo e chefe da turma para realizar com eficiência as suas
tarefas,
  Zelar pelo comportamento, assiduidade, pontualidade e higiene dos componentes da
turma,
  Registar periodicamente as informações de cada um, organizando arquivo da turma,
  Preparar e dirigi-lo cuidadosamente as reuniões do conselho da turma,
  Organizar e dirigir conselho de nota da sua turma,
  Elaborar o mapa de faltas periodicamente e encaminha-lo para secção pedagógica,
  Decidir sobre as justificações das faltas dos alunos,
  Em caminhar para direcção da escola os casos da turma.
3.2.1. Funções do Director Adjunto Pedagógico
O Director Adjunto Pedagógico da Escola é nomeado pelo Administrador do
Distrito sob proposta do Director da escola e com o parecer do Director do Serviço
Distrital da Educação, Juventude e Tecnologia.
Órgão de Direcção da Escola Primária Completa Gungunhana
A escola é constituída dos seguintes órgãos:
O director da escola (Fanuel Miguel), a directora adjunta pedagógica (Isabel Saize J.
Mponda) e chefe da secretaria (Jacinta Carlota Jacinto).
3.3.1. Director da escola
O Director da escola é um professor nomeado pelo Administrador do Distrito
sob proposta do Director do Serviço Distrital de educação, Juventude e Tecnologia.
Competências do director da escola:
  Dirigir, coordenar e controlar a escola,
  Convocar e presidir as sessões do colectivo de direcção, do conselho pedagógico e
Assembleia Geral da Escola,
  Delegar alguns poderes que integram a sua competência a outros membros da direcção.
Composições das sessões têm uma sigla (OPAE) organização-politica-administrativa da
escola.
3.4.1. Actividades da área pedagógica
Orientam-se pelo plano anual da directora adjunta pedagógica.
Mapas estatísticos de aproveitamento
A escola possui mapas estatísticos de aproveitamento e contém:
  Alunos no início do ano 3∕3;
  Alunos novos ingressos 1ª e 6ª classe, 6ª classe porque saem do 2º ciclo para 3º ciclo.
  Mapa estatístico de efectivo escolar.
3.4.2. Actividades extra-escolares
Na EPCG tem tido jornadas de limpeza, jogos, concursos, palestras sobre HIV-
SIDA, cuja sua duração é de uma (1) hora e meia, a sua frequência é semanalmente, as
actividades são a acompanhados pelos directores das turmas também sob orientação da
direcção da escola.
Os pais ou encarregados de educação tem fácil acesso à direcção da escola
quando forem necessários.
Organização das turmas
Nas turmas encontramos o DT, o conselho de turma que é constituído pelos
professores que passam na turma, chefe e adjunto de turma, pai e mãe de turma e no
EP1 o professor da turma.
A escola tem 12 turmas cada em média de 50-70 alunos e 25 carteiras em cada turma.
Registo de notas
A EPCG tem pautas de frequências onde contem notas trimestrais, nome do aluno,
faltas, notas trimestrais por cada disciplina, comportamento por disciplina e trimestre,
média global. E ainda a parecem espaço onde são lançadas datas dos conselhos de notas,
assinatura de secretário presidente de conselho, DT e director da escola.
Documentos da secretaria
Nos documentos da secretaria tem documentos pessoais:
  Documento do seu agregado familiar;
  Documento de nomeação;
  As fichas de classificação;
  Certificado de habilitação literária e profissional;
  Certificado de participação;
  As folhas de justificação de faltas;
  Pedido de despensa.
Processo do aluno
  Dados biográficos;
  Frequência escolar;
  Ficha de saúde (vacinas);
  Registo de aproveitamento pedagógico trimestral ou anual;
  As faltas durante o trimestre;
  Apreciação geral e transferência.
Processo dos professores
São documento que contém dados pessoais:
  Documento do seu agregado familiar;
  Documento de nomeação;
  As fichas de classificação;
  Certificado de habilitação literária e profissional;
  Certificado de participação;
  As folhas de justificação de faltas;
  Pedido de despensa.
Organização do arquivo
A escola tem o livro e de entrada e de correspondência:
  Número de ordem da entrada de correspondência;
  Data (mês e ano) de entrada;
  Número de documento;
  Proveniência;
  Assunto;
  Observação.
Pasta de saída de expediente

Nesta pasta tem o livro de protocolo:


  Data (dia, mês e ano);
  O número do documento;
  Destinatário;
  Rubrica de quem expede e de quem recebe;
  Observação;
   
4.      Problemas e matérias em falta da EPCG
Actividades extra-curriculares
A escola conte uma área para a prática da produção escolar: essa actividade é
realizada pelos alunos, horta e outros trabalhos manuais, feitura vassoura, costuras,
carpintaria, etc. A escola não tem cantina.

Matérias em falta na EPCG


Clube escolar      Sim Não
M F
Futebol X X
Andebol X
Voleibol X
Basquetebol X
Futsal X
Xadrez X
Jogos Tradicionais X
                                                  Tabela.4
Saúde escolar
A escola não tem centro de saúde.
Em relação ao combate contra ao HIV-SIDA a escola tem realizado palestras
sobre o HIV-SIDA e outras enfermidades na 2ª, 4ª e 6ª feira de cada semana, realiza
jogos que coordenam com a palestra do dia.
Ligação escola-comunidade
O conselho da escola reúne pelo menos três vezes por ano para:
  Aprovação do plano de actividade da escola;
  Monitorar o desempenho dos órgãos da escola, o comportamento dos professores e
pessoal, o aproveitamento pedagógico e comportamento dos alunos;
  Aprovação e utilização dos fundos.
Pós-observação
Após a realização deste trabalho, na observação directa dos aspectos físico da EPC G no
mês de Outubro, verifiquei o seguinte:
  Há fraca participação nas actividades recreativas, como actividades desportivas e de
docência.
  Realizando as PPGs na EPCG , há uma baixa segurança na parte de vidro, o bem é que as
janelas estão gradeadas.
Dificuldades
Tivemos como dificuldades, por não conseguir termos o contacto director da escola,
também com a DAP, por esta razão não conseguimos obter algumas informações da
área do director como no caso do reino da escola por não estar vedado, nos queríamos
saber o que tem feito com que as pessoas circunvizinha não invadam o tereno escolar, o
que a escola pensa sobre a situação de agua uma vez que a agua é indispensável para
homem.  Defrontamos ainda como dificuldades a Directora Adjunta Pedagógica por não
mostrou a disponibilidade de nos fornecer o aproveitamento pedagógico do ano 2015
alegando que tinha muitos estudantes para ser atendidos.
  Recomendações
Tendo em conta o rosto da escola importa recomendar aos funcionários desta escola a
adoptar uma estratégia para o controle dos vidros das janelas das salas novas visto que
estão a sendo partido muito ainda recomendamos mais pela limpeza latrinas dos alunos
que mostra um aspecto não favorável para vida humana e limpeza do próprio recinto
escolar.
Em especial agradecia a direcção da escola se tivessem uma iniciativa de criar uma
cantina escolar para terem o controlo das crianças que saem do recinto escolar pra
lanchar, tente criar este meios para tal. Ainda mais gostaria que os parceiros e
comunidade criassem meios de haver uma canalização de água potável para a escola,
que facilitaria nas actividades escolares como na limpeza de latrinas e no regadio das
plantas, para a sombra, campo de futebol onde os alunos podiam praticar esta
modalidade assim como outras actividades desportistas.
Embora seja um aspecto comum de muitas escolas, as paredes da EPC Castro Teófilo
apresenta se sujas e com algumas escritas nas paredes.

4.1. Problemas constatados e possíveis soluções


Com o método de observação directa e a entrevista estruturada, que consta no guião de
observação, constatou os seguintes problemas na Escola Primaria Completa
Gungunhana:

Nº Problema Soluções
01 Falta de sala de professores. A escola já tem iniciativas, possui blocos
que pretende construir o bloco
administrativo. Pode se contemplar a sala
de professores.
02 Falta de sala para material de Ainda com a iniciativa que a escola tem
limpeza, o material é posto na sala de construir o bloco administrativo com
da DAP junto com o matéria blocos existentes pode se contemplar um
didáctico como alternativa. compartimento para o tal material.
03 Falta de dispositivo contra Procurar parceiros para a sua disposição;
incêndios. ou contactar com alguns encarregados que
ao longo das contribuições, estes podem
contribuir com este dispositivo de
incêndios.
05 Existência de 3 turmas ao ar livre. Já existe a solução, já esta se a construir
04 salas de aulas.
06 Falta da cantina escolar. Com os blocos existentes pode se
contemplar a construção da cantina
escolar. Em caso de não haver fundo para
a sua exploração, pode se mandar alugar.
Existindo a cantina escolar pode se evitar
atravessa da estrada quando vão a procura
de um produto nos intervalo evitando
assim acidentes.
07 Falta de vedação/murro. A escola já tem um parceiro para a
construção do murro, o Instituto de
Línguas. Apenas é melhor insistir para
que seja breve a sua construção.
08 Insuficiência das latrinas. Há uma solução. Na construção de 04
salas estão contempladas as latrinas.

Tabela. 5

5.      Conclusão

As PPG constituem uma fonte importante para a integração dos estudantes na


realidade de escolar, entretanto, encaminhá-lo num sentido mais abrangente em relação
aos métodos do ensino, meios e conteúdos, no PEA.
De um modo geral, durante a observação conclui-se que a EPCG possui uma
estrutura qualificada que deverá servir de exemplos em termo de organização de
conteúdo geral, observa saneamento do meio e esta nela valorizado o género visto que
existe o maior número de professoras. No que tange aos aspectos negativos, nota se falta
de iniciativa de pequenos reparos de algumas janelas de madeiras danificadas. Constato
ainda que a escola Gungunhana promove a Educação.
Embora com alguns problemas, a Escola Primaria Completa Gungunhana, tem uma boa
aparência física com mínimas condições favoráveis, melhor Organização e Gestão da
Escolar e possui todos documentos normativos necessários.
Ainda tem boas iniciativas em coordenação com a comunidade.

Universidade Pedagógica de Moçambique – Tete, 30 de Outubro de 2017.

Referências Bibliograficas
DIAS,H. Norberto,VVAA.Manual de Práticas e Estágio Pedagógico.UP.Editora
Educar. 2010.

SEVERINO, A. Joaquim. Metodologia do Trabalho Cientifico. São Paulo. Cortez


Editora. 2007.

    Anexos
on maio 23, 2018   
Enviar a mensagem por emailDê a sua opinião!Partilhar no
TwitterPartilhar no FacebookPartilhar no Pinterest
Etiquetas: Relatorio de PPG