Você está na página 1de 57

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ


PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE


BACHARELADO EM FINANÇAS

Fortaleza, Setembro de 2011


Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Reitor
Prof. Jesualdo Pereira Farias

Vice-Reitor
Prof. Henry de Holanda Campos

Pró-Reitor de Graduação
Prof. Custódio Luís Silva de Almeida

Pró-Reitor de Administração
Prof. Luís Carlos Uchoa Saunders

Pró-Reitora de Assuntos Estudantis


Profa. Maria Clarisse Ferreira Gomes

Pró-Reitor de Extensão
Prof. Antônio Salvador da Rocha

Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação


Prof. Gil de Aquino Farias

Pró-Reitor de Planejamento
Prof. Ernesto da Silva Pitombeira

Diretora da FEAAC
Profª. Maria Naiula Monteiro Pessoa

Vice-Diretor da FEAAC
Prof. Augusto Cezar de Aquino Cabral

2
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Comissão de Elaboração do Projeto Político-Pedagógico

Prof. Ivan Castelar

Prof. Andrei Simonassi

Prof. Paulo Melo Jorge Neto

Prof. Paulo Rogério Faustino Matos

Prof. Roberto Tatiwa Ferreira

Profª. Sandra Maria dos Santos

Assessoria Técnico-Pedagógica da Pró-Reitoria de Graduação

Coordenadora de Projetos e Acompanhamento Curricular


Profa. Inês Cristina de Melo Mamede

Diretora da Divisão de Pesquisa e Desenvolvimento Curricular


Yangla Kelly Oliveira Rodrigues

3
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

SUMÁRIO

1. APRESENTAÇÃO 5

2. JUSTIFICATIVA 8

3. PRINCÍPIOS NORTEADORES DO CURSO 10

4. PERFIL DO PROFISSIONAL DE FINANÇAS 12

5. ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FINANÇAS 13

6. ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS 15

6.1. Proposta Pedagógica do Curso 15

6.2. Parcerias 15

7. INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR 15

7.1. Currículo do Curso 17

7.2. Matriz de Integração Curricular 20

7.3. Disciplinas por Departamento 22

7.4. Ementário das Disciplinas 25

7.6. Monografia 40

7.7. Atividades Complementares 40

8. SISTEMAS DE AVALIAÇÃO 42

8.1. Projeto Pedagógico 42

8.1. Avaliação do Processo de Ensino/Aprendizagem 43

8.3. Acompanhamento dos Discentes e Egressos 44

9. RECURSOS HUMANOS, INFRA-ESTRUTURA E LOGÍSTICA 45

9.1. Recursos Humanos 45

9.2. Instalações e Logística 46

10. ANEXOS 53

4
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

1. APRESENTAÇÃO
A Universidade Federal do Ceará (UFC) é em uma autarquia vinculada ao Ministério da
Educação, resultado de um amplo movimento de opinião pública, cuja criação data de 16 de
dezembro de 1954.
Sediada em Fortaleza, Capital do Estado, a UFC é um braço do sistema do Ensino
Superior do Ceará e sua atuação tem por base todo o território cearense, de forma a atender
às diferentes escalas de exigências da sociedade através dos seus seis campi, denominados
Campus do Benfica, Campus do Pici e Campus do Porangabussu, todos localizados no
município de Fortaleza, além do Campus de Sobral, do Campus do Cariri e do Campus de
Quixadá.
Hoje, a Universidade Federal do Ceará, que há 55 anos mantém o compromisso de
servir à região, sem esquecer o caráter universal de sua produção, está presente em quase
todas as áreas do conhecimento representadas em seus campi, oferecendo a sociedade
brasileira:1
- 5.550 vagas anuais nos mais de cem programas de graduação presencial e à distância;
- 4.550 vagas anuais nos mais de cento e cinqüenta programas de pós-graduação
presencial;
No Campus do Benfica, segundo maior em área construída com mais de 83.230 m2,
encontra-se a Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade (FEAAC), cujo
início data de novembro de 1983, quando da fundação da Faculdade de Ciências Econômicas
do Ceará. Fiel ao compromisso com o meio em que se integra, a Instituição cresceu
rapidamente, transformando-se na (FEAAC), a qual oferece cinco (05) cursos de Graduação
(Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Executivo), três (03)
Mestrados Profissionais (Administração, Economia e Controladoria), um (01) Mestrado
Acadêmico (Economia) e um (01) Doutorado (Economia), atendendo a um total de 4.140
(quatro mil cento e quarenta) alunos. O seu corpo docente é formado por mais de 100 (cem)
professores, e o corpo técnico-administrativo é composto por aproximadamente 50
(cinqüenta) funcionários.

1
Dados do Anuário Estatístico de 2010.

5
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

No primeiro semestre de 2003 a FEAAC publicou a primeira edição da Contextus -


Revista Contemporânea de Economia e Gestão. Em apenas dois anos, a Contextus foi
classificada, pela CAPES, como LB (Local B) na lista de periódicos nacionais e locais editados
no Brasil.
Nos últimos anos a FEAAC, através de seus projetos de ensino, pesquisa e extensão,
tem ampliado suas parcerias e interfaces com a sociedade, sempre procurando ser uma
Instituição ativa que se renova a cada dia com o ingresso de novas gerações de estudantes e
professores/pesquisadores.
Em consonância com o exposto, a Faculdade de Economia, Administração, Atuária e
Contabilidade da Universidade Federal do Ceará, juntamente com toda a sociedade civil
cearense, propõe a criação do Curso de Finanças, com áreas de concentração em Finanças
Públicas e Finanças Corporativas, devido ao seu caráter inovador e por se tratar de uma área
de interesse tanto em nível local, como nacional, sendo portanto, um curso capaz de lidar
com importantes aspectos da realidade econômico-financeira.
Este curso vem sendo idealizado desde 2009 e a partir de então, elaborado por
professores doutores das Graduações em Ciências Econômicas, Ciências Contábeis e Atuariais
e Administração da referida faculdade, com o apoio de professores dos Programas de Pós-
graduação em Economia da UFC (CAEN) e da Fundação Getulio Vargas (EPGE/FGV-RJ), visando
ofertar à sociedade um curso de graduação original e diferenciado, a partir do esforço de
pesquisadores conscientes da necessidade e da relevância da interação entre cursos de
Graduação e Pós-Graduação e com forte apoio institucional, seja através da constante
ampliação do corpo docente, da aquisição de uma biblioteca típica das melhores escolas de
negócios do país, ou ainda do suporte para instalação de laboratórios de informática e bancos
de dados.
A intenção é que o concludente deste curso seja um profissional com sólida formação
em métodos quantitativos e em teoria econômico-financeira, possuindo as características tão
desejados e demandadas pelo mercado e estando apto a atuar na docência e na pesquisa, a
serviço do Estado, em organizações sem fins lucrativos e, obviamente, nos ramos da iniciativa
privada como o industrial, o empresarial ou o financeiro.

6
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Assim, ao permitir o acesso a Finanças já na graduação, está se agregando ao processo


de especialização do estudo como catalisador do avanço da pesquisa, sendo esta uma área
com identidade científica própria, seja pela existência da Sociedade Brasileira de Finanças e
da Revista Brasileira de Finanças, por exemplo, ou em razão das inúmeras revistas específicas
na academia no resto do mundo, onde, claro, há mais de 120 anos já há várias graduações em
Finanças e Business como na Wharton School of Economics e na Sloan (MIT).
Observando o expressivo e sucessivo crescimento do sub-setor de intermediação
financeira e seguros, parece inquestionável o aumento da necessidade por capital humano
especializado nestas áreas.
Com base em evidências empíricas obtidas em estudos clássicos da relação positiva
entre desenvolvimento financeiro e crescimento econômico, acredita-se que a ação pioneira
da UFC em ofertar o segundo bacharelado em Finanças do Brasil deva ser promissora e de
grande relevância econômica, financeira e social, gerando melhorias para o crescimento de
setores estratégicos do estado do Ceará.
Por outro lado, a necessidade do estado brasileiro, nas suas diferentes esferas de
competência, de contar com recursos humanos qualificados na área de Finanças Públicas,
motiva a formação de profissionais nesta área para suprir um mercado amplo, sólido e
duradouro.
Tal iniciativa pretende ser realizada através de uma integralização curricular que
permita a introdução de conceitos basilares em economia e finanças e o estudo de suas
aplicações no contexto das políticas monetária, financeira e orçamental, acompanhado de
uma componente específica, sólida e aprofundada na área financeira.
Sob este contexto, o presente documento apresenta o Projeto Político Pedagógico do
Curso de Bacharelado em Finanças Públicas e Corporativas da Universidade Federal do Ceará
(UFC), o qual foi elaborado em consonância com os parâmetros estabelecidos na Lei de
Diretrizes e Bases (LDB).
A proposta pedagógica a ser implantada a partir do primeiro semestre letivo do ano de
2012 tem início com considerações sobre Finanças e aborda os campos de atuação
profissional, o perfil do profissional a ser formado, a estrutura da matriz curricular, bem como
os recursos humanos e infra-estrutura disponíveis para sua exeqüibilidade.

7
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

2. JUSTIFICATIVA
O mercado de trabalho na atualidade tem investido em larga escala na formação
profissional voltada para os negócios e os sistemas financeiros. A tendência mundial aponta
para o desenvolvimento crescente do setor, notadamente no que se refere à formação em
áreas especializadas de Finanças, em nível de graduação e pós graduação. Por outro lado, o
Estado brasileiro, nos seus diferentes níveis, oferece uma gama de atividades profissionais em
seus quadros relacionadas ao campo das finanças públicas.
Cursos de pós graduação em Finanças Corporativas, Finanças e Fiscalidade, Gerência de
Investimentos, Gestão de Risco, Finanças para não Financeiros, Finanças e Controladoria têm
sido constantemente ofertados por grandes centros acadêmicos nacionais e internacionais.
No contexto da Graduação, o estudo de finanças, associado às áreas da Economia,
Administração de Empresas e Contabilidade, tem despertado um constante e crescente
interesse, devido à sua estrutura de formação, com uma forte visão estratégica, econômica e
financeira, que estimula o entendimento da importância do estudo de finanças como um
mecanismo de desenvolvimento econômico e social de uma região.
Ademais, em paralelo com esta tendência, pode-se observar a existência de uma
demanda reprimida de profissionais que desejam desenvolver suas habilidades gerenciais e
estratégicas centradas nos processos financeiros, análise de risco, mercado bancário e de
capitais, dentre outros, com maior grau de profundidade do que o observado em cursos
correlatos de Graduação.
Visando atender a este público, o Curso de Finanças a ser implantado surge como uma
oportunidade de desenvolvimento do Estado do Ceará, através da formação de capital
humano em uma área de alta relevância e elevada capacidade de absorção profissional.
Tendo em vista o atendimento das expectativas pretendidas no processo de
idealização de um curso, que agregasse o entendimento de componentes de avaliação
econômica com o contexto financeiro, a matriz curricular foi definida de forma a propiciar
aos alunos o desenvolvimento de competências técnicas e profissionais que permitam uma
qualificação sólida e aplicada às suas necessidades profissionais.

8
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Para a criação do bacharelado em Finanças Públicas e Corporativas a FEAAC dispõe da


participação e compromisso efetivo de seu corpo docente, compreendendo a 16 professores
qualificados pela competência acadêmica e seriedade profissional, contratados em regime de
tempo integral e Dedicação Exclusiva, cujos nomes são apresentados a seguir. 2
- Augusto Cezar de Aquino Cabral (Dr. UFMG)
- Andrei Simonassi (Dr. EPGE/FGV)
- Emerson Luis Lemos Marinho (Dr. EPGE/FGV)
- Érico Veras Marques (Dr. FGV)
- Fabrício Carneiro Linhares (Ph.D. University of New Hampshire)
- José Henrique Félix (Ms. Universidade Federal do Ceará)
- Luiz Ivan de Melo Castelar (Ph.D. University of Florida)
- Marcos Costa Holanda (Ph.D. University of Illinois)
- Maria Naiula Monteiro Pessoa (Dra. Universidade Federal de Santa Catarina)
- Maurício Benegas (Dr. Universidade Federal do Ceará)
- Paulo Rogério Matos (Dr. EPGE/FGV)
- Paulo Melo Jorge Neto (Ph.D. University of Illinois)
- Roberto Tatiwa Ferreira (Dr. Universidade Federal do Ceará)
- Ronaldo de Albuquerque e Arraes (Ph.D. University of Georgia)
- Sandra Maria dos Santos (Dra. Universidade Federal de Pernambuco)
- Sebastião Carneiro (Ph.D. University of New York)
Ressalta-se ainda que, até o presente momento, os docentes acima listados têm
participado ativamente na formação de profissionais aptos a atuarem em diferentes áreas, já
que muitas das disciplinas por ele ofertadas são componentes curriculares de outros cursos
oferecidos pela UFC. Complementando a transmissão do saber, destaca-se, também, a
pesquisa, onde a grande maioria dos professores tem exercido papel de relevância na
iniciação à pesquisa e na pós-graduação.

2
Os respectivos Curricula vitarum dos docentes listados estão disponibilizados na Plataforma Lattes do CNPq.

9
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

3. PRINCÍPIOS NORTEADORES DO CURSO


O Projeto Pedagógico desenvolvido para o curso de graduação em Finanças surge com
o propósito fundamental de fornecer instrumentos conceituais e práticos de alto nível,
permitindo que os alunos possam adquirir conhecimentos indispensáveis para o
desenvolvimento de sua atividade profissional, com foco nos estudos de mercado de capitais,
mercado financeiro e desenvolvimento, política tributária, regulação, análise financeira e
orçamentária, gestão financeira e avaliação de riscos, seguindo as tendências nacionais e
internacionais na área.
Por se tratar de uma área de confluência de conhecimentos com a economia, o curso
terá uma fundamentação econômica básica e bem estruturada, o que permitirá um
diferencial do profissional, em termos de qualidade do conteúdo a ser abordado, facilitando o
melhor desempenho do aluno nas disciplinas especificas relacionadas a finanças.
Dentro desta perspectiva, o Curso de Finanças deve caracterizar-se por uma sólida
formação quantitativa e teórico-prática, considerando sempre o processo histórico e suas
influências sobre a realidade econômica e financeira nacional e internacional. Desta forma, a
estrutura curricular dará ênfase às inter-relações de conteúdos específicos, gerais e
complementares, de forma a melhor preparar os alunos para os desafios e exigências do
mercado de trabalho.
Ao lado desses requisitos básicos e indispensáveis, deve-se oferecer ao graduando em
Finanças unidades curriculares que se identifiquem com as áreas de atuação profissional
como, por exemplo, ensino, pesquisa e extensão.
Por fim, um componente particularmente importante para a formação do profissional
de Finanças diz respeito à elaboração e defesa da Monografia final de curso.
Esta etapa, que se apresenta como uma das exigências para a conclusão do curso, tem
como principal objetivo a aferição do domínio adquirido, a capacidade analítica, o raciocínio e
a capacidade de exposição de idéias dos alunos.
Durante o processo de elaboração orientada da Monografia o aluno ficará associado a
um professor-tutor, tendo que redigir seu trabalho final de curso na área de habilitação
definida a partir desta parceria professor-aluno.

10
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

4. PERFIL DO PROFISSIONAL DE FINANÇAS


O Projeto Político Pedagógico do Curso de Finanças está orientado para proporcionar
ao egresso as habilidades necessárias ao competente desempenho das tarefas próprias de
sua atuação profissional. De uma forma geral, o Curso de Finanças deverá formar
profissionais com as seguintes qualidades:
 Apto para a análise das decisões financeiras pessoais, empresariais e governamentais
baseadas nos princípios fundamentais da moderna teoria das finanças.
 Dotado de uma sólida formação técnica, humanista e ética, indispensáveis ao pleno
exercício de sua atividade profissional;
 Preparado para desenvolver raciocínios críticos e propor soluções logicamente consistentes
à partir de problemas de natureza financeira com os quais se defrontará;
 Capacitado para implantar planos de negócios e avaliação de retornos de investimentos;
 Apto para integrar a função financeira ao funcionamento e estratégia global das
organizações;
 Capacitado a elaborar pareceres, relatórios, trabalhos e textos na área financeira;
 Habilidoso na utilização de instrumentais quantitativos para análise de indicadores
financeiros;
 Preparado para utilizar adequadamente os instrumentos para gerenciar riscos e analisar
créditos;
 Capacitado tanto para analisar situações históricas concretas como para diferenciar
correntes teóricas;
 Dotado de raciocínio lógico nas formulações matemáticas e estatísticas destinadas à análise
e interpretação de fenômenos financeiros usando as principais operações bancárias;
 Preparado para pensar e aprender continuamente, e com autonomia intelectual, nas
diversas oportunidades que a profissão exigir;
 Capacitado para identificar e dimensionar mercados, analisando investimentos e
mensurando seu desempenho futuro;
 Conhecedor das técnicas de medição de custos de negócios, planejamento tributário e
impactos no fluxo de divisas.

11
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

5. ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FINANÇAS


Assim, as seguintes atividades seguintes constituem-se áreas de atuação do profissional
de Finanças:
 Ensino e Pesquisa Acadêmica;
 Planejamento Financeiro;
 Análise de Risco;
 Análise Financeira e Orçamentária de Empresas Públicas e Privadas;
 Elaboração de Projetos Financeiros e de Investimentos e Planos de Negócios;
 Consultoria Empresarial;
 Execução financeira nas áreas: bancária, de seguros, organismos financeiros
nacionais e internacionais, gabinetes de estudos, ensino e investigação.
 Auditoria nas áreas arrecadadoras dos diferentes níveis de governo.
 Consultoria na área de previsão de arrecadação.
 Atuação profissional nos diversos Tribunais de Contas.

6. ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS
6.1. PROPOSTA PEDAGÓGICA DO CURSO
É importante que a proposta pedagógica do Curso seja inovadora, de modo a propiciar
um processo de ensino-aprendizagem apoiado em uma estrutura voltada para o aluno,
visando o seu amplo desenvolvimento como um ser que pensa e age de forma crítica.
Para tal, o curso foi desenvolvido em duas partes bem definidas, cada uma delas a ser
plenamente desenvolvidas durante 4 anos letivos. A primeira é composta por disciplinas cujo
caráter econômico, contábil e quantitativo têm uma maior influência, enquanto que a
segunda, trata com maior especificidade e ênfase o estudo da área financeira.
Durante todo o Curso serão ainda desenvolvidas atividades complementares, nas áreas
de ensino, pesquisa e extensão, fomentando o envolvimento do aluno em todos os contextos
inerentes à vida acadêmica.
Ao final do curso está previsto o desenvolvimento da monografia, cujo objetivo consiste
na consolidação do conteúdo apreendido e assimilado no decorrer do Curso de Finanças.

12
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

6.2. PARCERIAS
A novidade do curso proposto é formar um profissional que, além de adquirir uma base
teórica sólida em Economia, Contabilidade, Métodos Quantitativos e Finanças, conclua o seu
curso dispondo de um aparato adequado para desempenhar funções tanto no mercado
público - como auditor de diferentes esferas de competência, assim como técnico em
finanças de órgãos como o Banco Central do Brasil, Tribunal de Contas da União (TCU) e
Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) - bem como habilitando-o para desempenhar
as funções de controlador, consultor ou executivo de empresas privadas.
Assim, na área acadêmica, o Curso de Finanças terá como principais parceiros os
Cursos de Ciências Econômicas, Contabilidade e Administração da FEAAC, com os quais irá
desenvolver grande parte das atividades de ensino, pesquisa e extensão, de forma a gerar
externalidades positivas para todos estes cursos. Além do âmbito da Universidade Federal do
Ceará o novo curso pretende desenvolver parcerias com a Coordenação de Estudos Tributário
da Receita Federal do Brasil, com a Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará, com a
Secretaria de Finanças do município de Fortaleza e com o IPECE. É de se esperar também a
formação de parcerias com associações e instituições privadas, a nível local e nacional, tais
como Sociedade Brasileira de Finanças e a Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros.
Uma etapa fundamental neste processo de familiarizar o discente com a práxis
necessária para o desempenho da sua atuação no mercado de trabalho será a criação do
Observatório de Finanças Públicas e Corporativas, o qual terá como funções treinar os
discentes do Curso de Finanças em assuntos de relevância prática para a profissão. Entre
estes assuntos destacam-se o acompanhamento da conjuntura financeira de tributos
federais, estaduais e municipais e a conjuntura do mercado de ações. Uma outra função
relevante que o Observatório deverá desempenhar é a de servir como escritório modelo para
a atuação dos discentes e balcão de serviços para a comunidade.
Para cumprir as suas funções o observatório disporá, além do aparato de hardware e
software, de bases de dados sobre tributos federais, estaduais e municipais. Assim, convênios
deverão ser firmados com a Coordenação de Estudos Tributários da Receita Federal do Brasil,
com a Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará, com a Secretaria de Finanças do município

13
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

de Fortaleza e com o IPECE, visando a cessão das diferentes bases de dados necessárias ao
bom desempenho das pesquisas e da interação necessária com estes órgãos.
Convênios também deverão ser firmados com a Bolsa de Valores, Mercadorias e
Futuros no sentido de aparelhar o Observatório com dados sobre o histórico do mercado de
ações brasileiro e o mercado cearense em particular, assim como com a Sociedade Brasileira
de Finanças e outros institutos associados à pesquisa nessa área.
7. INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR
O Curso de Finanças funcionará em período diurno, mais especificamente no período
da tarde, tendo a duração mínima de 4 anos (8 semestres letivos), totalizando 187,5 créditos,
e com um volume de 3.000 horas. A distribuição da carga horária é mostrada na quadro
abaixo.

DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA

Carga Horária Obrigatória 2048 equivalendo a 132


créditos
Carga Horária Optativa 256 equivalente a 16
créditos
Carga Horária Optativa-Livre 128 equivalente a 8
créditos
Trabalho de Final de Curso 320 equivalente a 20
créditos
Atividades Complementares 248 -

equivalente a 187,5
créditos mais
Créditos Totais 3000
atividades
complementares

Max. 448 Max. 28


Nº Máximo e Mínimo de Créditos p/ Semestre
Min. 192 Min. 12

O curso contará com o ingresso de 40 alunos anuais. As disciplinas do curso serão


distribuídas em quatro áreas interligadas de formação; ou seja,
1. Conteúdos de Formação Comum;

14
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

2. Conteúdos de Formação Teórico-Quantitativa;


3. Conteúdo de Formação Específica em Finanças Públicas e Corporativas;
4. Conteúdos Teórico-Práticos.
Cada disciplina terá a duração de um semestre, sendo todas elas de 4 créditos. O curso
terá ainda de ser concluído em um prazo mínimo de 4 anos, equivalendo a 8 semestres, e no
máximo em 6 anos, equivalendo a 12 semestres.
As disciplinas do campo da Formação Comum têm por objetivo introduzir o aluno ao
conhecimento da ciência econômica, finanças e de outras ciências, tais como ciências
políticas, contabilidade e computação.
Por sua vez, o campo de Formação Teórico-Quantitativa compreende as disciplinas que
estão direcionadas para a formação em métodos quantitativos aplicados. Este grupo tem por
objetivo oferecer uma formação instrumental que garanta o desenvolvimento do raciocínio
lógico – matemática, estatística e econometria – privilegiando as bases teórico-científicas
necessárias à sólida formação teórica do profissional de finanças.
A Formação Específica em Finanças pretende, juntamente com as disciplinas optativas,
fornecer toda a base teórica e empírica necessária para um completo desenvolvimento dos
conhecimentos na área financeira.
Por fim, os conteúdos Teórico-Práticos estão direcionados para a elaboração da
Monografia. Esta etapa será considerada como atividade curricular obrigatória, individual,
elaborada com vistas ao exercício pedagógico de sistematização e de construção teórico-
prática do conhecimento, versando sobre alguma das habilitações específicas desenvolvidas
pelo curso. Neste grupo de disciplinas estão: Metodologia da Pesquisa Científica, o trabalho
de pesquisa e o relatório final do trabalho desenvolvido.

1. Conteúdos de Formação Comum:


Compreende o conhecimento da ciência econômica, ciências políticas, computação, e
contabilidade e engloba as seguintes disciplinas:
 Introdução à Economia;
 Ciências Políticas para Finanças;
 Introdução à Contabilidade;

15
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

 Métodos Computacionais Aplicados à Finanças;


 Economia Brasileira para Finanças
 Direito Econômico

2. Conteúdos de Formação Teórico-Quantitativa:


As disciplinas deste campo estão direcionadas para a formação profissional específica
do profissional de finanças, oferecendo um instrumental teórico que garanta o
desenvolvimento do raciocínio lógico e que privilegie as bases teórico-científicas necessárias a
uma sólida formação acadêmica. É necessário que este grupo assegure o desenvolvimento da
capacidade de pensar, de compreender e de se ajustar às tendências da teoria econômica.
Neste campo de formação estão incluídas as disciplinas:
 Economia Matemática I;
 Economia Matemática II;
 Álgebra Linear para Finanças;
 Análise Descritiva de Dados e Introdução à Probabilidade;
 Princípios de Estimação e Inferência Estatística para Finanças;
 Contabilidade Nacional;
 Teoria do Consumidor, da Firma e do Equilíbrio;
 Estruturas de Mercado e Equilíbrio Geral
 Macroeconomia I;
 Macroeconomia II;
 Modelos Lineares e não Lineares de Regressão aplicados a Finanças;
 Econometria de Painel e Dados Transversais.
 Análise de Séries Temporais para Finanças.

3. Conteúdos de Formação Específica em Finanças Públicas e Corporativas:


Neste campo de formação estão incluídas as disciplinas:
 Avaliação de Empresas e Opções Reais;
 Finanças Corporativas ;
 Finanças Internacionais;

16
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

 Risco e Gerência de Investimentos;


 Economia de Empresas.
 Finanças Públicas I
 Finanças Públicas II
 Teoria dos Leilões
 Teoria dos Jogos e dos Incentivos
 Sistema Financeiro Nacional
 Economia da Regulação
 Economia do Setor Público
 Análise das Demonstrações Contábeis
 Contabilidade de Custos
 Economia da Regulação

4. Conteúdos Teórico-Práticos:
A monografia, que constitui um componente curricular obrigatório, dar-se-á sob a
supervisão de um docente do quadro permanente da Curso de Finanças da Universidade
Federal do Ceará, a ser elaborada individualmente, em formato de um trabalho científico, e
avaliada com os conceitos Satisfatório ou Insatisfatório por uma banca composta por pelo
menos três professores. A elaboração da monografia deverá ser realizada em duas etapas: a
1ª corresponde ao ensino dos fundamentos de metodologia científica, enquanto a 2ª consiste
na elaboração e defesa do projeto de monografia. Este campo de formação é composto de:
 Metodologia do Trabalho Científico;
 Monografia I;
 Monografia II.

5. Disciplinas Optativas
Neste grupo estão as disciplinas de caráter optativo, as quais têm o objetivo de
complementar com maior liberdade a formação do discente quer em Finanças Públicas, quer
em Finanças Corporativas. O aluno deve escolher portanto, entre as disciplinas listadas, um
total de quatro opcionais além de poder escolher duas disciplinas livres em qualquer área de

17
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

ensino de graduação da Universidade Federal do Ceará . Vale frisar que o projeto inclui como
optativa a disciplina Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), como prevê o decreto 5226 de
22/12/2005.
Disciplinas Optativas
 Gerenciamento de Riscos Corporativos;
 Mercado e Instituições Financeiras;
 Opções Futuros e Outros Derivativos;
 Gestão de Crédito e Risco;
 Elaboração e Análise de Projetos;
 Banking;
 Microcrédito e Inclusão Bancária;
 Mercados Financeiros e Economia Real;
 Financiamento de Administrações Públicas Urbanas.
 Política Tributária;
 Direito Tributário p/ Finanças;
 Administração Orçamentária e Controladoria;
 Contabilidade Governamental;
 Políticas Públicas: agenda, formulação e avaliação;
 Finanças de Governos Locais;
 Financiamento das Administrações Públicas Urbanas;
 Orçamento Público.

6. Atividades Complementares:
Conforme a Resolução No 07 do CEPE, de 17.06.2006, as atividades complementares
são atividades pedagógico-didáticas que permitem, a nível curricular, a articulação entre a
teoria e a prática acadêmica complementando os saberes e habilidades necessárias para a
formação do estudante.
Estas atividades são relevantes na implementação de estratégias de flexibilização
curricular, que devem ser voltadas para uma formação integral e cidadã. De acordo com a
Resolução anterior são consideradas atividades complementares:

18
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

 Iniciação à Docência;
 Iniciação à Pesquisa;
 Atividades de Extensão;
 Atividades Artístico-Culturais e Esportivas;
 Participação e/ou Organização de Eventos;
 Produção Técnica e/ou Científica;
 Vivências de Gestão;
 Experiências Ligadas à Formação Profissional.

7.1. ESTRUTURA CURRICULAR


A Matriz de Integração Curricular é composta de disciplinas voltadas para a formação
do discente nas áreas quantitativa, sócio-econômica e de formação específica e, para efeitos
de representação junto à Coordenação do curso, elas são agrupadas nas seguintes unidades
curriculares.

Teoria Econômica (Disciplinas: Introdução à Economia, Contabilidade Nacional,


Macroeconomia I, Macroeconomia II, Teoria do Consumidor da Firma e do Equilíbrio, Teoria
dos Jogos e dos Incentivos, Teoria dos Leilões). Esta unidade é constituída por disciplinas que
fornecerão todo o embasamento teórico em Economia para o correto entendimento tanto
das disciplinas de Economia Aplicada como das disciplinas de conhecimento específico em
Finanças Públicas e Corporativas.

Métodos Quantitativos (Disciplinas: Economia Matemática I, Economia Matemática II,


Álgebra Linear para Finanças, Análise Descritiva de Dados e Intr. à Probabilidade, Princípios de
Estimação e Inferência Estatística para Finanças, Modelos Lineares e não Lineares de
Regressão aplicados à Finanças, Técnicas em Painel e Cross-Section, Análise de Séries
Temporais para Finanças, Métodos Computacionais Aplicados à Finanças). Esta unidade é
formada pelo campo do saber que abrange as ciências matemáticas no seu sentido lato e
aparelham o discente com as ferramentas de estatística, matemática aplicada, econometria e
computação, necessárias para desenvolver modelagens competentes no campo de Finanças.

19
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Finanças Públicas e Corporativas (Disciplinas: Economia do Setor Público, Finanças


Públicas I, Finanças Públicas II, Economia da Regulação, Finanças Internacionais, Sistema
Financeiro Nacional, Finanças Corporativas I, Avaliação de Empresas e Opções Reais,
Gerenciamento de Riscos Corporativos, Mercado e Instituições Financeiras, Opções, Futuros e
outros Derivativos, Gestão de Crédito e Risco, Microcrédito e Inclusão Bancária, Banking,
Políticas Tributária, Elaboração e Análise de Projetos, Direito Tributário para Finanças,
Administração Orçamentária e Controladoria, Mercados Financeiros e Economia Real,
Políticas Públicas, Finanças de Governos Locais, Financiamento das Administrações Públicas
Urbanas, Orçamento Público). Esta unidade é constituída de disciplinas fundamentais para a
formação aprimorada do financista nas áreas pública e privada, tanto na sua vertente mais
teórica como na sua parte operacional, ou aplicada.

Fundamentos Contábeis e Sócio-Econômicos (Disciplinas: Introdução à Contabilidade,


Contabilidade de Custos, Análise das Demonstrações Contábeis, Contabilidade
Governamental, Ciências Políticas para Finanças, Metodologia do Trabalho Científico, Direito
Econômico, Economia Brasileira para Finanças). Esta unidade é constituída de disciplinas
auxiliares as quais visam fornecer uma formação mais ampla e diversificada do financista,
lembrando-o de conhecimentos que fundamentam o campo político, o desenvolvimento da
economia brasileira, a praxis científica, a relação do Direito com o mundo econômico e as
diversas práticas contábeis, tão necessárias no mundo real.

A seguir são apresentadas a matriz curricular e o seu detalhamento, distinguindo o


número de créditos, a composição entre teoria e prática e a origem departamental de cada
disciplina. Vale ainda lembrar que este projeto prevê que até o limite de 20% da carga horária
estabelecida poderá ser cumprida, integral ou parcialmente, na modalidade semi-presencial.

20
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Estrutura curricular (8 semestres letivos – 172 créditos/ 2752 horas)

Ciclo Básico Ciclo Profissional


1º Semestre 2º Semestre 3º Semestre 4º Semestre 5º Semestre 6º Semestre 7º Semestre 8º Semestre
Macroeconomia I Macroeconomia II
Intr. à Contabilidade Economia do Setor
Finanças Públicas I Finanças Públicas II1 Teoria dos Leilões1
Contabilidade Nacional Público
(Contab. Nacional) (Macroeconomia I)
(64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos)
Estruturas de
Teoria do
Mercado e
Consumidor, da
Introdução à Equilíbrio Geral Teoria dos Jogos e dos Economia da Finanças Avaliação de Empresas e Opções
Firma e Equilíbrio Finanças Internacionais2
Economia Incentivos Regulação Corporativas I Reais2
(T. do Cons., da
(Intr. à Economia)
Firma e Equilíbrio)
(64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos)

Optativa Optativa
Economia
Economia Matemática II Álgebra Linear Métodos Comput. Sistema Financeiro Economia de
(64h=4 créditos) (64h=4 créditos)
Matemática I para Finanças Aplicados à Finança Nacional Empresas
(Econ. Mat. I)
Optativa Optativa

(64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos)
Princ. de
Mod. Lineares e Não- Econometria de
Estimação e
Lineares de Regessão. Painel e Dados
Análise Desc. De Inferência Est. p/ Análise de Séries
Metodologia do Aplicados à Finanças Transversais
Dados e Intr. à Finanças Temporais para Livre3 Livre3
Trabalho Científico
Probabilidade Finanças
(Princípios de Est. e Inf. (Mod. Lineares e não
(Análise Descrit.
Estat. p/ Financ.) Lineares de Reg.)
Dados e I.. à Prob.)
(64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos)
Análise das
Economia Demonstrações
Ciências Políticas Risco e Gerência de Contabilidade de
Brasileira p/ Direito Econômico Contábeis Monografia I Monografia II
p/ Finanças Investimentos custos
Finanças
(Intr. à Contab.)
(64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (64h=4 créditos) (128h=8 créditos) (192h=12 créditos)

Atividades Complementares (248 horas)

21
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Observação: As respectivas disciplinas que consistem em pré-requisitos estão entre parênteses.


1- Disciplina obrigatória para a área de Concentração em Finanças Públicas.
2- Disciplina obrigatória para a área de Concentração em Finanças Corporativas.
3 - Toda e qualquer disciplina ofertada pela UFC a nível de graduação.

22
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

7.2. DISCIPLINAS POR DEPARTAMENTO

1º Semestre (20 créditos obrigatórios)

Disciplina Créditos Teoria Prática Departamento de Origem

Introdução à Contabilidade 4 4 - Depto. de Contabilidade


Introdução à Economia 4 4 - Depto. de Teoria Econômica
Economia Matemática I 4 4 - Depto. de Economia Aplicada
Metodologia do Trabalho 4 3 1 Coordenação de Finanças
Científico
Ciências Políticas para 4 4 - Coordenação de Finanças
Finanças
2º Semestre (20 créditos obrigatórios)

Disciplina Créditos Teoria Prática Departamento de Origem


Contabilidade Nacional
4 3 1 Depto. de Economia Aplicada
Teoria do Consumidor, da 4 4 - Coordenação de Finanças
Firma e Equilíbrio*
Economia Matemática II 4 4 - Depto. de Economia Aplicada
Análise Descritiva De Dados 4 3 1 Coordenação de Finanças
e Introdução à
Probabilidade*
Economia Brasileira para 4 4 - Coordenação de Finanças
Finanças
3º Semestre (20 créditos obrigatórios)

Disciplina Créditos Teoria Prática Departamento de Origem


Macroeconomia I 4 3 1 Depto. de Teoria Econômica
Estruturas de Mercado e 4 4 - Coordenação de Finanças
Equilíbrio Geral*
Álgebra Linear para 4 4 - Coordenação de Finanças
Finanças*
Princípios de Estimação e 4 3 1 Coordenação de Finanças
Inferência Estatística para
Finanças*
Direito Econômico 4 4 - Depto. de Economia Aplicada

23
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

4º Semestre (20 créditos obrigatórios)

Disciplina Créditos Teoria Prática Departamento de Origem


Macroeconomia II 4 3 1 Depto. de Teoria Econômica
Teoria dos Jogos e dos 4 4 - Coordenação de Finanças
Incentivos*
Métodos Computacionais 4 2 2 Coordenação de Finanças
Aplicados à Finanças
Modelos Lineares e Não- 4 3 1 Coordenação de Finanças
Lineares de Regressão
Aplicados à Finanças*
Análise das Demonstrações 4 3 1 Depto. de Contabilidade
Contábeis*
5º Semestre (20 créditos obrigatórios)

Disciplina Créditos Teoria Prática Departamento de Origem


Economia do Setor Público 4 3 1 Depto. de Teoria Econômica
Economia da Regulação 4 3 1 Depto. de Teoria Econômica
Sistema Financeiro Nacional 4 3 1 Coordenação de Finanças
Econometria de Painel e 4 3 1 Coordenação de Finanças
Dados Transversais*
Risco e Gerência de 4 3 1 Coordenação de Finanças
Investimentos
6º Semestre (20 créditos obrigatório)

Disciplina Créditos Teoria Prática Departamento de Origem


Finanças Públicas I
4 3 1 Coordenação de Finanças
Finanças Corporativas I 4 3 1 Coordenação de Finanças
Economia de Empresas 4 2 2 Depto. de Economia Aplicada
Análise de Séries Temporais 4 3 1 Coordenação de Finanças
para Finanças*
Contabilidade de Custos 4 2 2 Depto. de Contabilidade

24
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

7º Semestre (12 créditos obrigatórios e 12 créditos optativos)

Disciplina Créditos Teoria Prática Departamento de Origem


Finanças Públicas II 4 3 1 Coordenação de Finanças
Avaliação de Empresas e 4 3 1 Coordenação de Finanças
Opções Reais
Optativa 4 - - Coordenação de Finanças
Optativa 4 - - Coordenação de Finanças
Livre 4 - - -
Monografia I 8 - - Coordenação de Finanças
8º Semestre (16 créditos obrigatórios e 12 créditos optativos)

Disciplina Créditos Teoria Prática Departamento de Origem


Teoria dos Leilões 4 4 - Coordenação de Finanças
Finanças Internacionais 4 3 1 Coordenação de Finanças
Optativa 4 - - Coordenação de Finanças
Optativa 4 - - Coordenação de Finanças
Livre 4 - - -
Monografia II 12 - - Coordenação de Finanças
* Denota a equivalência com disciplinas já ministradas na FEAAC.

Disciplinas Optativas

Disciplina Créditos Departamento de Origem


Gerenciamento de Riscos
Corporativos; 4 Coordenação de Finanças
Mercado e Instituições Financeiras; 4 Coordenação de Finanças
Opções Futuros e Outros Derivativos; 4 Coordenação de Finanças
Gestão de Crédito e Risco; 4 Coordenação de Finanças
Elaboração e Análise de Projetos; 4 Depto. De Contabilidade
Banking; 4 Coordenação de Finanças
Microcrédito e Inclusão Bancária; 4 Coordenação de Finanças

25
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Mercados Financeiros e Economia


Real; 4 Coordenação de Finanças
Financiamento de Administrações
Públicas Urbanas. 4 Coordenação de Finanças
Política Tributária; 4 Coordenação de Finanças
Direito Tributário p/ Finanças; 4 Coordenação de Finanças
Administração Orçamentária e
Controladoria; 4 Coordenação de Finanças

Contabilidade Governamental; 4 Coordenação de Finanças


Políticas Públicas: agenda,
formulação e avaliação; 4 Coordenação de Finanças

Finanças de Governos Locais; 4 Coordenação de Finanças


Financiamento das Administrações
Públicas Urbanas; 4 Coordenação de Finanças
Orçamento Público. 4 Coordenação de Finanças
LIBRAS 4 Departamento de Estudos Especializados

7.3. EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS

7.3.1. Disciplinas Obrigatórias

1º Semestre
Introdução à contabilidade
Apresentação dos mecanismos contábeis: lançamentos, princípios, processo contábil e
relatórios. Principais demonstrações: balanço patrimonial, demonstração de resultados do
exercício e demonstração de lucros e prejuízos acumulados. Análise das demonstrações
financeiras: avaliação de estoques, sistemas de inventário, custo da mercadoria vendida,
descontos comerciais e financeiros, abatimentos e devoluções, depreciação e amortização,
equivalência patrimonial, provisões e reservas. Demonstração de fluxo de caixa. Introdução à
análise de demonstrações financeiras.

26
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Economia Matemática I
Introdução: Natureza da economia matemática; Modelos econômicos; Introdução à
matemática. Cálculo Diferencial e Integral de Uma Variável Real: números reais, equações e
gráficos; funções elementares; limites de sequências e de funções; funções contínuas;
funções elementares e suas derivadas; regras de derivação; função composta e regra da
cadeia; formas indeterminadas; função inversa; funções implícitas; máximos e mínimos;
teorema do valor médio; concavidade, inflexão e gráficos; regras de L´Hopital; aproximação
de funções por polinômios; primitivas e conceito de integral; integral indefinida e definida;
teorema fundamental do cálculo; funções elementares e sua integral; integrais impróprias;
integração por partes; aplicações na economia. Introdução ao Cálculo Diferencial e Integral de
Várias Variáveis: funções diferenciáveis de n-variáveis; derivadas parciais.

Introdução à Economia
Introdução geral: conceito e objetivo da ciência econômica; os problemas econômicos
fundamentais; sistemas econômicos; economia positiva e normativa; divisão do estudo
econômico; relação da economia com as demais ciências. Microeconomia: oferta, demanda e
equilíbrio; elasticidade; introdução à teoria da produção; teoria dos custos de produção;
estruturas de mercado . Macroeconomia: fundamentos da teoria macroeconômica; política
macroeconômica; contabilidade social; mercado de bens e serviços; moeda e meios de
pagamento; demanda e oferta de moeda; política monetária; inflação; modelo IS-LM;
fundamentos do comércio internacional; taxa de câmbio; balanço de pagamentos; política
fiscal e setor público, crescimento e desenvolvimento econômico.

Metodologia do Trabalho Científico


Método científico: tipos de conhecimento e ciência, gênese e método científico; ética e
ciência; conceitos básicos de metodologia da pesquisa; os diferentes enfoques da pesquisa.
Planejamento científico: caracterização e tipos de pesquisa; tipos de trabalho científico e
normas de elaboração; formalização de um trabalho acadêmico-científico; planejamento,
execução e avaliação de pesquisa; elaboração de um projeto de pesquisa em Finanças.

27
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Ciências Políticas
Teoria Geral do Estado. O Estado moderno e suas mudanças. A Política: sua Natureza e
Ubiqüidade. A influência da Política. As formas de influência. Democracia, Igualdade Política e
Competição. O papel do Princípios. Democracia e Ordem Econômica. Individualismo. A
Sociedade Aberta e a Democracia. Liberalismo e Marxismo. Planejamento e Mercado. Justiça
e Igualdade. Democracia como Razão Política.

2º Semestre
Análise Descritiva de Dados e Introdução à Probabilidade
Estatística descritiva. Eventos e espaços amostrais: espaços discretos e a hipótese de simetria.
Independência, probabilidades condicionais e espaços produto. Variável aleatória. Variáveis
aleatórias discretas (Bernoulli, binomial, Poisson, geométrica e hipergeométrica) e contínuas
(uniforme, exponencial, gama, normal). Esperança e variância. Covariância e correlação.
Processo de Poisson. Probabilidade condicional, esperança condicional. Seqüências de
variáveis aleatórias: noção, conceitos de convergência. Leis dos Grandes Números: conceito, a
lei fraca, a lei forte; aplicações. Teorema do Limite Central.

Contabilidade Nacional
O Sistema Econômico: fluxos de produção, renda e despesa. Definição e interligação dos
agregados macroeconômicos: Produto, Renda, Consumo, Poupança, Investimento, Poupança
Externa, Absorção, Déficit Público, Emprego, Salários, Preços, Câmbio e Inflação. Sistema de
contas nacionais. Modelo de insumo-produto e sistema de usos e fundos. Balanço de
pagamentos. Sistema Monetário. Contabilidade a preços correntes e a preços constantes:
índices de preços e de quantidades, deflacionamento de séries. Indicadores fiscais, externos e
sociais Índice de Gini e Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Economia Matemática II
Funções de várias variáveis: funções diferenciáveis de n-variáveis, derivadas parciais e
direcionais, regra da cadeia, funções de classe Ck, diferencial, gradiente e conjunto de nível,

28
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

pontos críticos, regra de Leibnitz, inversão da ordem em integrais repetidas, teorema das
funções implícitas, Jacobiano, derivada de ordem superior, funções côncavas e convexas,
matriz Hessiana. Otimização condicionada, multiplicadores de Lagrange; Teorema de Kuhn-
Tucker. Curvas definidas por equações paramétricas, tangente, comprimento de arco, áreas.
Integrais múltiplas, mudança de variáveis, integrais impróprias. Introdução à integral tripla.
Aplicações em gestão.

Teoria do consumidor, da firma e equilíbrio


Teoria do consumidor: Introdução à microeconomia; restrição orçamentária e preferências
dos consumidores; utilidade e taxa marginal de substituição; escolha ótima e demanda do
consumidor, preferência revelada; equação de Slutsky; efeito renda e efeito substituição;
escolha entre consumo e laser; escolha intertemporal; excedente do consumidor e do
produtor. Teoria da produção e dos custos: tecnologia, produto marginal e taxa técnica de
substituição; maximização de lucros e demanda por fatores; minimização de custos; curvas de
custo; oferta da firma e oferta de mercado. Equilíbrio de mercado.

Economia Brasileira para Finanças


Economia Brasileira no Pós-Guerra: Período 1930-1945 – o início do processo de substituição
de importações; período 1945-1964 – restrição externa, crescimento acelerado e crise;
período 1964-1973 – estabilização, reforma e milagre econômico; período 1973-1980 – o
primeiro choque do petróleo e o processo de ajuste; período 1980-1986 – os novos choques
externos, recessão e aceleração inflacionária; período 1986-1990- crise do estado e tentativas
frustradas de estabilização; período 1990-1993 – reformas estruturais e inflação crônica;
período 1993-1998 – o plano real. Planos de estabilização: arcabouço técnico dos planos de
estabilização; a política cambial no Brasil e o sistema de metas de inflação.

3º Semestre
Macroeconomia I
Introdução à Macroeconomia: conceitos básicos, métodos e dados macroeconômicos.
Performance Econômica no Longo Prazo: produtividade, produto e emprego; consumo,

29
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

poupança e investimento; poupança e investimento em uma economia aberta; crescimento


econômico; expectativas; mercado de ativos, moeda e nível geral de preços. Ciclos
Econômicos e Política Macroeconômica: fatos estilizados; modelo IS-LM; abordagem clássica
dos ciclos econômicos; macroeconomia keynesiana; desemprego e inflação; taxa de câmbio,
ciclos econômicos e política macroeconômica em uma economia aberta; política monetária;
política fiscal.

Estruturas de Mercado e Equilíbrio Geral


Mercados competitivos e modelos de concorrência imperfeita: Monopólio – maximização de
lucros, ineficiência, monopólio natural e regulação, discriminação de preços; concorrência
monopolística – equilíbrio de curto e de longo prazo, diferenciação de produtos e modelos de
localização; oligopólio – liderança de preços e de quantidades, Modelo de Cournot, Modelo
de Bertand, cartéis. Mercado de fatores. Equilíbrio Geral em Economia de Trocas e em
Economias com Produção: Caixa de Edgewoth, Lei de Walras; Teoremas do Bem-estar.
Externalidades e Bens Públicos: Externalidades no consumo e na produção; intervenção do
governo; bens públicos. Economia do Bem-estar: Elementos de economia de bem-estar e
Teorema da impossibilidade de Arrow. Equilíbrio Geral Financeiro: Revisitando a Escolha sob
Incerteza; Equilíbrio Geral sob Incerteza; Modelo: Descrição e Definições; Equilíbrio de Arrow-
Debreu; Mercado de Ativos; Mercados Incompletos; Apreçamento de Ativos; Equação
Fundamental Modelo de Consumo; Aplicações e evidências empíricas do mercado financeiro.

Princípios de Estimação e Inferência Estatística para Finanças


Populações e amostras. Números índices. Distribuições de valores e classes de valores.
Técnicas básicas de visualização e sumarização. O problema da inferência estatística.
Estimação: conceitos; propriedades dos estimadores. Estimação por intervalos de confiança.
Métodos de estimação: momentos, máxima verossimilhança e mínimos quadrados. Testes de
hipóteses: o problema dos testes, a abordagem de Neyman- Pearson. A potência do teste.
Principais testes sob a hipótese de normalidade. Regressão linear simples e múltipla e análise
de resíduos. Testes Qui-quadrado: independência, homogeneidade e aderência.

30
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Álgebra Linear para Finanças


Matrizes. Tipos especiais de matrizes. Operadores com matrizes. Aplicações. Sistemas de
equações lineares e matrizes. Operações elementares com matrizes. Matrizes escalonadas.
Soluções de sistemas lineares. Método de Gauss para resolução de sistemas de equações.
Determinante, matriz inversa e matrizes elementares. Propriedade de determinantes.
Coordenadas no plano, equação da reta e das cônicas, vetores no plano, mudança de
coordenadas, a equação geral do segundo grau, transformações lineares do plano,
coordenadas no espaço, equações do plano. Espaços vetoriais reais. Subespaços. Combinação
linear. Dependência e independência linear. Base de um espaço vetorial. Mudança de base.
Transformações lineares. Núcleo e imagem de uma transformação linear. Autovalores
autovetores. Bases ortogonais e projeção ortogonal. Processo de ortogonalização de Gram-
Schmidt. Introdução à programação linear. Conjuntos convexos. Solução geométrica. O
método simplex. O dual de um problema de programação linear. Modelagem com equações
diferenciais, exemplos e aplicações à economia. Equações lineares de primeira ordem,
equações separáveis, a equação logística. Equações lineares de segunda ordem, homogênea,
não homogênea, método dos coeficientes a determinar, método da variação de parâmetros;
solução em séries.

Direito Econômico
Direito e Economia. Introdução ao Direito Econômico. Direito Constitucional Econômico. A
Ordem Econômica na Constituição Federal. Atuação do Estado no Domínio Econômico. Direito
Administrativo Econômico. Empresas Públicas e Parcerias Público-privadas. Agências
Reguladoras. Direito da Concorrência. Ordem Econômica Internacional.

4º Semestre
Macroeconomia II
Restrição orçamentária intertemporal (ROI): decisões de consumo e poupança. Modelo
macroeconômico com restrição orçamentária do governo. Modernas teorias do consumo.
Determinantes do Investimento. Política fiscal - dinâmica e financiamento da dívida.

31
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Senhoriagem e imposto inflacionário. Equivalência Ricardiana e a restrição orçamentária


intertemporal. A equivalência Barro-Ricardiana. A conta corrente do balanço de pagamentos
(BTC) e a ROI da nação. A restrição orçamentária intertemporal de uma nação e o
endividamento externo. Mercado financeiro com mais do que dois ativos e crédito.
Mecanismos de repercussão da política monetária (money view, credit view e balance sheet
effect). Competição imperfeita e preços. Desemprego e salário. Expectativas Adaptativas.
Expectativas racionais. Curva de Phillips. A abordagem póskeynesiana, Teoria dos Ciclos Reais
de Negócios e os Novo-Clássicos.

Teoria dos Jogos e dos Incentivos


Jogos Estáticos de Informação Completa: Forma Normal, Estratégias Dominadas, Equilíbrio de
Nash, Equilíbrios de Cournot e Bertrand, Externalidades; Jogos Dinâmicos de Informação
Completa: Equilíbrio de Stackelberg, Modelos de Barganha e Negociação, Corridas Bancárias,
Torneios, Reputação; Jogos Estáticos de Informação Incompleta: Equilíbrio Bayesiano, Leilões,
Contratos; Jogos Dinâmicos de Informação Incompleta: Equilíbrios com Sinalização, Mercado
de Trabalho, Estrutura de Capital das Empresas. Incentivos e desenho de mecanismo: O
problema do desenho de mecanismo; Implementação da estratégia dominante;
Implementação Bayesiana;, Restrição de participação;, Mecanismos Bayesianos ótimos.

Métodos Computacionais Aplicados à Finanças


Planilha Eletrônica: Formulas e funções matemáticas, estatísticas, de lógica e de procura e
referência; importação, formatação, apresentação, exportação, e segurança de base de
dados; análise gráfica. Introdução à Economia Computacional: O que os economistas podem
computar; o papel da computação na análise econômica; conceitos elementares de cálculo
numérico. Introdução à análise numérica e aplicações: sistemas lineares, interpolação e
aproximação de funções; solução de equações não lineares; métodos de otimização,
integração e diferenciação numérica; solução numérica de equações diferenciais,
programação dinâmica numérica.

32
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Modelos Lineares e Não-lineares de Regressão Aplicados à Finanças


Modelo de regressão linear clássico. Métodos de estimação. Propriedades dos estimadores de
mínimos quadrados ordinários. Estimativa de intervalo e teste de hipóteses. Previsão.
Violações às hipóteses do modelo clássico de regressão: multicolinearidade,
heterocedasticidade e autocorrelação dos resíduos. Variáveis Dummies. O Modelo não Linear.
Diferentes formas funcionais. Algoritmos para linearização. Propriedades dos estimadores e
inferência estatística. Testes para Modelos não entrelaçados.

Análise das Demonstrações Contábeis


Objetivos e critérios da análise de balanços de acordo com os diferentes usuários. Limitações.
Preparos das demonstrações para análise. Técnicas de depuração. Análise horizontal e
vertical, inclusive considerando a inflação. Análise Estrutural Qualitativa. Análise financeira.
Liquidez: geral, corrente, seca, corrente e operacional. Análise do capital de giro. Ciclometria.
Análise da freqüência de rotação e tempo médio de giro. Integração com a análise financeira.
Análise da Rentabilidade. Poder aquisitivo da empresa: margem X rotatividade. Índice Du
Pont. "Overtrading". Indicadores de insolvência (KANITZ e outros). Análise integrada (Altman,
Pereira e outros). Índice padrão. Padrão interno e análise evolutiva. Análise Setorial. Análise
das Demonstrações Contábeis e a Controladoria Financeira das Empresas. Demonstrações do
"Tableau du Bord". Análise das Demonstrações Contábeis e suas aplicações no Mercado de
Capitais e na Análise de Crédito. Relatórios de análise.

5º Semestre
Economia do Setor Público
Bases econômicas da atividade governamental. Eficiência, mercado e o setor público.
Externalidades e as políticas públicas. Bens públicos. Processos políticos e a Teoria da Escolha
Pública. Financiamento do governo: taxação, preços, eficiência e distribuição de renda.
Déficits orçamentários e a dívida do governo. Teoria do gasto: análise de custobenefício e das
políticas de gasto público, economia da saúde e da educação, seguridade social. Programas de
distribuição de renda. Tributação: Teoria e estrutura: a teoria da tributação da renda,

33
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

tributação do consumo e das vendas, tributação da riqueza e da propriedade. Federalismo


fiscal e o Financiamento dos estados e municípios. Regulação econômica. Parcerias público-
privadas.

Sistema Financeiro Nacional


Abordagem sobre o Mercado de Capitais, enfocando o mercado primário, o mercado
secundário, operações à vista, administração de carteiras de investimentos e metodologias de
análises de investimento em ações;
Revisão de conceitos sobre mercado financeiro e mercado de capitais. Mercado primário:
abertura de capital e títulos - tipos, conceitos e diferenciação. Mercado secundário: bolsa de
valores, números índices e índice Bovespa. Operações à vista: opções e contratos a termos e
de futuros. Mercado Cambial; Mercado de Derivativos; Mercado de Títulos Públicos. Análise e
avaliação de títulos e estratégias de investimentos: análise técnica e análise fundamentalista

Risco e Gerência de Investimentos


Introdução: Revisitando Matemática Financeira; Mercados Financeiros e Instrumentos
Financeiros. Teoria de Carteira: Rentabilidade, Risco e Aversão ao Risco; Diversificação;
Escolha Ótima de Carteira; Índices de Performance de carteiras. Equilíbrio no Mercado de
Capitais: CAPM; Modelo de Fatores e APT. Evidências Empíricas sobre Modelos de Fatores.
Eficiência de Mercado e Evidências Empíricas

Econometria de Painel e Dados Transversais


O modelo linear geral; Pressupostos, estimação e inferência; Previsão no MLG; Variáveis
independentes qualitativas; Multicolinearidade, heterocedasticicade e autocorrelação;
Painéis estáticos com efeitos fixos e efeitos aleatórios; Modelos de escolha discreta.

Economia da Regulação
Bem-estar, eficiência e falhas de mercado: equilíbrio parcial e equilíbrio geral. As Teorias de
Regulação. Ação e objetivos das instituições reguladoras. Antitruste: monopólio, oligopólio e

34
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

cartelização. Competição estratégica e poder de mercado. Interação estratégica estática e


dinâmica entre firmas. Concentração, escala, condições para entrada nos mercados. Fusões e
discriminação de preços. Instrumentos da regulação: preços, quantidades, entrada e saída.
Competição potencial. Regulação de monopólios naturais. Regulação de serviços públicos:
telecomunicações, transportes, energia. Regulação nos setores de saúde e efeitos ambientais.

6º Semestre
Economia de Empresas
Introdução e metas da empresa. Análise e previsão da demanda. Economia da produção.
Análise e previsão de custos. Aplicações da teoria dos custos. Preços, produção e estratégia:
concorrência pura e monopólica. Mercados competitivos sob informação assimétrica.
Determinação do preço e produção: monopólio, empresas dominantes e oligopólio.
Rivalidade na teoria dos jogos: táticas das melhores práticas. Técnicas e análises de preços.
Regulamentação governamental.

Contabilidade de Custos
Fundamentos da contabilidade de custos. Classificação e nomenclatura básicas de custos. O
esquema básico de contabilidade de custos. Critério e rateio dos custos indiretos.
Predeterminação dos custos indiretos. Casos especiais de acumulação de custos aos
produtos. Abordagens da contribuição aplicada à avaliação de estoques. Relatório de custos.

Finanças Corporativas I
Análise das demonstrações financeiras brasileiras. Lucro e Valor Agregado: Desempenho
operacional e alavancagem financeira; Gestão baseada no valor; Medidas de criação de valor.
Administração financeira: Capital de giro; Administração de caixa; Administração de valores a
receber; Administração de estoques; Fontes de financiamento e aplicações financeiras a curto
prazo no Brasil. Decisões Financeiras de longo prazo: Custos de capital e criação de valor;
Fontes de financiamento a longo prazo no Brasil; Estrutura de capital; Decisões de dividendos.

35
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Análise de Séries Temporais para Finanças


Modelos univariados de séries de tempo: modelos estacionários, modelos não estacionários,
abordagem de Box-Jenkins, testes de raiz unitária, volatilidade: modelos ARCH e suas
extensões. Modelos multivariados de séries de tempo: modelos de vetores auto-regressivos,
análise de co-integração, modelos de correção de erros, aplicações.

Finanças Públicas I
O impacto econômico da tributação e dos gastos públicos - visão geral da política fiscal no
Brasil e no mundo: crescimento da tributação e dos gastos, composição, centralização; análise
positiva e normativa: princípios de Pareto, análise de custo-benefício, escolha racional, o
modelo de maximização do benefício líquido e a teoria competitiva da demanda e oferta,
excedente do consumidor e lucro; análise tributária: o impacto da tributação nos preços de
mercado e na produção; eficiência econômica em curto e longo prazos; tributação neutra e
excesso de carga; tributação de Ramsay, imposto de renda progressivo e proporcional e o
“trade-off” entre lazer e trabalho; análise de gastos: impacto dos subsídios no equilíbrio de
mercado, eficiência econômica em curto e longo prazos, subsídios condicional/marginal e
“lump sum”.

7º Semestre
Finanças Públicas II
As políticas de finanças públicas: bens públicos e privados, o problema do carona; suprimento
Pareto-ótimo de bens públicos; taxação Samuelsoniana e de Lindhal; externalidades e falhas
de mercado; taxas pigouvianas. A demanda política por bens públicos e tributação: o modelo
do eleitor mediano e a demanda por serviços públicos; Grupos de interesse e políticas de
redistribuição: impacto fiscal e demanda privada por distribuição; demanda por
transferências e custo de procura por aluguel; federalismo fiscal: relações entre governos,
competição fiscal internacional e livre comércio, competição internacional (modelo de
Tiebout), fuga de capital, federalismo fiscal; assuntos contemporâneos em finanças públicas:
reforma fiscal, descentralização, tributação internacional e crescimento, análises das

36
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

reformas tributárias no passado, história da tributação no Brasil; o passado, presente e futuro


do débito público.

Avaliação de Empresas e Opções Reais


Decisões Financeiras de longo prazo: Decisões de investimento e dimensionamento dos fluxos
de caixa; Métodos de avaliação econômica de investimentos. Avaliação de empresas:
Metodologia básica de avaliação; Abordagem de fluxos de caixa líquidos da empresa;
Avaliação por fluxo de caixa descontado; Índices Preço/Lucro, Preço/Valor contábil e
Preço/Vendas; Avaliação na prática. Opções reais: Teoria de apreçamento de opções reais;
Aplicações da teoria de apreçamento de opções à avaliação do patrimônio líquido. Avaliando
contratos futuros.

Monografia I

8º Semestre
Teoria dos Leilões
Jogos Bayesianos Estáticos: Incerteza em Jogos, Conceito de Equilíbrio para Jogos Bayesianos,
Teorema de Harsany e o Conceito de Equilíbrio Ínterim. Teoria dos Leilões – Unitário: Leilões
como Jogos Bayesianos, Da Intuição à Formalização, Tipos de Leilões e seus Modelos. –Preço.
Obtenção de Equilíbrio em Leilões. O Teorema de Equivalência entre Receitas. Estudos de
Caso: Pregões Eletrônicos, Leilões via Internet e Leilões de Consessão. Introdução ao
Desenho de Mecanismo. Leilões de Múltiplas Unidades: Demanda Unitária, Bundle vs Leilões
Seqüenciais, Leilões Combinatórios, Leilões de Ausubel. Estudo de Caso: Leilões de Títulos da
Dívida Pública.

Finanças Internacionais
Introdução aos mercados financeiro e cambial. Modelagem de previsão de câmbio no longo e
médio prazos: Modelo de Mundell-Flemming; Modelos de portfolio; Paridades coberta e
descoberta da taxa de câmbio; Puzzles no mercado de câmbio. Modelagem de previsão de

37
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

câmbio no curto prazo: Microestrutura do mercado de câmbio; Modelos econométricos.


Finanças internacionais comportamentais: Decisões racionais e a psicologia do mercado de
câmbio; Expectativas no mercado de câmbios.

Monografia II

7.3.2. Disciplinas Optativas

Políticas Públicas: agenda, formulação e avaliação


Introdução: O papel do Estado na economia. Do Estado provedor ao Estado regulador; Análise
dos objetivos da política fiscal e as funções do governo: Objetivos da política fiscal. A função
alocativa. A função distributiva. A função estabilizadora; Falhas de Mercado: Bens públicos.
Externalidades. Monopólios naturais. Assimetrias de informação; Orçamento do setor
público: Importância para estabilidade econômica. O plano plurianual. As diretrizes
orçamentárias. Os orçamentos anuais; Gastos públicos: Conceito e classificação dos gastos
públicos. Crescimento dos gastos públicos. Gasto público e demanda agregada;
Financiamento dos gastos públicos: Os conceitos de equidade, progressividade, neutralidade
e simplicidade. A curva de Laffer. Princípios de tributação. Carga tributária no Brasil; Déficits e
dívida pública: Conceitos de déficit e dívida pública. Inflação e déficit público. Nível ótimo do
imposto inflacionário. Efeito Tanzi. Efeito Patinkin. Teoria convencional da dívida pública; O
Estado regulador: Importância e objetivos da regulação. As regras de reajuste de tarifas e os
compromissos de investimento. O estímulo, a competição e a qualidade dos serviços; O
Sistema Previdenciário no Brasil: Causas do desequilíbrio previdenciário no Brasil. Déficit e os
regimes previdenciários no Brasil. Reforma da previdência.

Administração Orçamentária e Controladoria


Orçamento público: histórico, conceito, normas legais aplicáveis, princípios orçamentários:
processo de planejamento orçamentário, princípios orçamentários e a lei orçamentária anual,
créditos adicionais, execução orçamentária. Contabilidade pública: conceito, campo de

38
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

aplicação, objeto, regime contábil, estágios da execução orçamentária, suprimentos de


fundos ou adiantamentos, restos a pagar, despesas de exercícios anteriores, plano de contas,
tabelas de eventos e sistemas contábeis, balanços públicos, controles das contas públicas.
Noções básicas sobre o Sistema Integrado de Administração Financeira – SIAFI, e sobre o
Sistema Integrado de Dados Orçamentários – SIDOR.

Política Tributária
Introdução: Sistema Tributário Nacional – visão geral, tributação e eficiência, tributação e
eqüidade, incidência tributária, reforma tributária; tributação sobre o consumo e produção:
imposto geral sobre vendas: tributação em cascata, determinação do grau do efeito cascata,
mecanismos para aliviar o efeito cascata, comparação entre o imposto sobre vendas e o IVA;
imposto sobre o valor agregado: variantes do IVA, princípio da origem versus princípio de
destino, o método de crédito versus o método de subtração; impostos seletivos de consumo:
a justificativa da tributação seletiva do consumo; tributos sobre a renda: imposto de renda
das pessoas físicas: a base do IRPF, a escolha da unidade tributável, a progressividade do IRPF;
imposto de renda das pessoas jurídicas: conceitos de lucro contábil e lucro tributável, áreas
problemáticas na medição do lucro empresarial, integração dos impostos de renda das
pessoas físicas e jurídicas, a mecânica da integração, tributação dos ganhos de capital,
financiamento por endividamento e por participação no capital, incentivos fiscais; tópicos
adicionais: impostos sobre salários e custeio da seguridade social, tributação presumida,
impostos mínimos, tributação de propriedades imobiliárias, tributação de legados, sucessões
e doações, tributação sobre o comércio exterior.

Finanças de Governos Locais


Reforma e organização do setor público brasileiro nos últimos anos. Transformações das
estruturas e operações dos sistemas fiscais dos governos estaduais e municipais. Processos
nacionais de reforma fiscal (adequada repartição de responsabilidades fiscais entre os níveis
de governo. Avaliação de mecanismos de descentralização das receitas governamentais.
Guerra fiscal. Qualidade do gasto público nas esferas estaduais e municipais: teoria e
evidências empíricas.

39
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Financiamento das Administrações Públicas Urbanas


O papel dos governos na economia urbana, suas relações com seus vizinhos suburbanos e
rurais e os governos estadual e federal. Utilização de diferentes instrumentos fiscais e as
implicações para a equidade e a eficiência (economia política das decisões públicas.) A análise
de questões políticas no financiamento de serviços prestados ao público nas grandes áreas
urbanas. O caráter especial das finanças públicas em comunidades metropolitanas, a natureza
da demanda por serviços públicos em áreas urbanas, e as funções das redes complexas e
camadas de governos. As várias maneiras dos governos em áreas metropolitanas levantarem
fundos para atender a essas demandas e as implicações para a equidade e a eficiência.

Orçamento Público
Introdução ao orçamento público: regras gerais do Sistema Orçamentário Brasileiro.
Ferramentas básicas de gestão financeira: valor presente líquido e análise de variância.
Ferramentas avançadas de gestão financeira: técnicas de previsão de receitas e criação e
utilização de tabelas dinâmicas em Excel. Laboratório de orçamento: onde os estudantes
trabalharão em equipes para preparar um orçamento para um governo local.

Direito Tributário para Finanças


Atividade financeira do Estado. O tributo no direito brasileiro. O poder de tributar e a norma
da tributação. O sistema constitucional tributário. Vigência e aplicação da legislação
tributária. Interpretação e aplicação da legislação tributária. Obrigação tributária.
Administração e fiscalização tributárias.

Contabilidade Governamental
Contabilidade na administração Pública. Regimes contábeis. Sistema de contas. Plano de
contas. O sistema SIAFI. Programação e execução orçamentária e financeira na administração
federal. Registro de operações típicas e os sistemas informatizados. Demonstrações contábeis
e balanços na contabilidade governamental. Prestação e tomada de contas. Controle interno
e externo.

40
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Elaboração e Análise de Projetos


Metodologia de elaboração, análise e avaliação de projetos de investimentos, públicos e
privados. Estudos das etapas e conteúdos de tais projetos, dos métodos de decisão, da
viabilidade econômica e financeira, da análise custo/benefícios, da escolha entre
alternativas e da análise do risco. Metodologia de avaliação por multicritérios.

Organização Industrial I
Conceitos básicos de jogos não cooperativos. Competição perfeita e monopólio.
Mercados de produtos homogêneos: oligopólios de Cournot e de Bertrand, estratégias de
entrada. Mercados de produtos diferenciados: competição monopolística e modelos de
localização. Fusões, aquisições, cartel e barreiras à entrada. Tecnologia: pesquisa e
desenvolvimento, licenças e patentes. Tópicos adicionais: políticas de discriminação de
preços, vendas casadas, políticas contratuais, pesquisa de preços e teoria econômica das
redes.

Mercados Financeiros e Economia Real


Modelos de consumo: Equação fundamental de apreçamento de ativos; Equilíbrio geral; Taxa
marginal de substituição; Aspectos clássicos em finanças; Mercados contingentes; Repartição
de risco. Fator estocástico de desconto: Lei do preço único; Condições de existência;
Arbitragem. Fronteira média-variância e a representação beta: Caracterização de Lagrange;
Os limites de Hansen-Jagannathan; Equivalências entre a representação beta o fator
estocástico de desconto e a fronteira média-variância. Condicionamento de informação.
Revisitando os modelos de apreçamento: CAPM, APT e IAPT; Aplicações e evidências
empíricas. CCAPM: Evidências empíricas; Fatos estilizados; O Equity Premium Puzzle; A
questão da incompleteza de mercados; Modelagem avançada com variáveis de estado;
Agentes heterogêneos. Modelagem de Fatores: Os fatores Fama-French; A modelagem de
Carhart; Os fatores de Fama-Macbeth.

41
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Microcrédito e Inclusão Bancária


História do microcrédito: A experiência do grameen bank; O microcrédito no brasil. Tipologia
do microcrédito: Classificações por tamanho da empresa, por tipo de atividade, por incidência
de risco (individual ou de grupo), por tipo de destinatário e por tipo de administração.
Aspectos teóricos do microcrédito: Fundamentos do microcrédito como política de
desenvolvimento; Fundamentos microeconômicos; Avaliações de risco com colaterais de
grupo; O problema do “risco moral” em empréstimos de grupo. Programas de microcrédito:
Entidades administradoras de programas (ong, oscip, fundos públicos, sociedades de crédito e
bancos privados); Organização administrativa; Seleção de microempreendedores;
Acompanhamento dos beneficiários; Suporte econômico; Suporte técnico; Incentivos e
punições. Avaliação dos programas de microcrédito: Indicadores de eficácia; Monitoramento
x impacto; Modelos empíricos de monitoramento; Modelos empíricos de impacto.

Gestão de Crédito e Risco


Ciclos Econômicos: teoria dos ciclos econômicos reais; teorias keynesianas tradicionais de
flutuação; informação imperfeita, desemprego e ciclos econômicos. Mensuração e
determinantes da estrutura financeira: Base de dados e a estrutura financeira; Sistemas
financeiros sob a abordagem dos mercados; Sistemas financeiros sob a abordagem dos
bancos; Comparações entre as economias. Estrutura financeira e crescimento econômico
entre economias: A relevância da estrutura financeira para o crescimento econômico sob a
abordagem de finanças corporativas; Evidências para firmas, indústrias e países sobre a
relação entre estrutura financeira e o desenvolvimento econômico; Estrutura financeira e os
lucros dos bancos; Evidências internacionais sobre as decisões de financiamento corporativo.
Estrutura financeira e a performance econômica: O caso chileno; O caso brasileiro; O caso da
Indonésia.

Banking
Intermediação financeira: Intermediários financeiros e assimetria de informação. Contrato de
depósito a vista: Instituições com depósito bancário e instituições prestadoras de serviços;
Risco; Regulação; Governança. Gerenciamento de ativos e passivos.

42
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Gerenciamento de Riscos Corporativos


Value at risk: A medida VaR; Simulação Monte Carlo; Modelagem linear; Modelagem
quadrática; Teste de Stress; Back testes; Análise de principal componente; Aplicações.
Estimação de volatilidade: Modelagem exponencial; Modelos GARCH; Máxima
verossimilhança; Extração de volatilidade; Variância realizada e volatilidade; Volatilidade
estocástica. Revisitando a estrutura de capital: O modelo de Modigliani-Miller; A teoria dos
custos de monitoramento; Assimetria de informação. Emissão de ativos: IPO´s; Intermediação
dos bancos; SPO´s; Escolha entre mercado público e privado. Restrições de financiamento e
liquidez. A evolução da indústria, fusões e reestruturação de capital: Equilíbrio na indústria;
Fusões e aquisições; Controle corporativo. Alocação de recursos financeiros, Conglomerados
e a organização da firma: Teoria; Evidências empíricas. Contratos financeiros. Intermediação
financeira. Política de dividendos. Governança Corporativa. Finanças corporativas
comportamentais.

Opções, Futuros e Outros Derivativos


Introdução aos mercados de derivativos. Mercado futuro: Mecanismo dos mercados futuros;
Determinação dos preços nos mercados de futuros e a termo; Estratégias de hedge usando
futuros. Swaps: Mecanismos e aplicações. Mercados de opções: Mecanismos; Tipos de
opções; Propriedades das opções de ações; Estratégias usando opções; Modelo Binomial.
Letras Gregas. Outros Derivativos.

Mercado e Instituições Financeiras


Sistema Financeiro: ativos financeiros e moeda. Sistema financeiro internacional:
investidores internacionais, centros financeiros. Sistema financeiro brasileiro: subsistema
normativo, instituições financeiras bancárias e não bancárias; distribuidores de títulos e
valores mobiliários; sistema de liquidação e custódia; agentes especiais. Mercados
financeiros: classificação, participantes; ativos ou produtos: ativos de renda fixa e renda
variável; tendências. Mercado de Capitais: estrutura, mercado de capitais e a economia,
underwriting; bolsa de valores: conceitos e definições as principais bolsas de valores

43
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

mundiais, Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), pregão, circuito de negociação com
ações, custos e tributação das operações, índice da Bovespa.

Língua Brasileira de Sinais


Aspectos históricos, linquísticos e neurológicos da Língua de Sinias Brasileira. Uso do espaço.
Alfabeto digital. Números. Classificadores. Verbos. Uso de expressões faciais gramaticais.
Frases declarativas, afirmativas, negativas, interrogativas e exclamativas. Diálogos em Libras.

7.4. MONOGRAFIA
Para obtenção do título de Bacharel em Gestão Finanças é necessária a apresentação
escrita e oral de uma monografia (12 cr/192 h), a partir das atividades de pesquisa executadas
na disciplinas de Monografia I, no final do 8° semestre. A avaliação será feita por uma
comissão constituída pelo orientador e dois outros avaliadores designados pela Coordenação
do Curso.

7.5. ATIVIDADES COMPLEMENTARES


Considerando os termos da Resolução No. 07 CEPE/UFC de 17 de junho de 2005 e as
diretrizes do REUNI, o aluno do Curso de Bacharelado em Finanças poderá cumprir um total
de 248 horas com atividades complementares. As atividades complementares não constam
na matriz curricular e seu aproveitamento seguirá os critérios estabelecidos pela
Coordenação do Curso, após apresentação de documento comprobatório específico.
Exemplos de atividades complementares a serem consideradas são listados abaixo.

1. Participação em atividades de extensão devidamente homologadas pelo órgão


competente de universidade reconhecida pelo MEC. Tempo e crédito: mínimo de 60
horas, contando dois créditos. Comprovante: atestado do professor responsável e
cópia da parte do relatório encaminhado à Pró-Reitoria de Extensão em que é
discriminada a participação do aluno.
2. Participação certificada em encontros, reuniões científicas, simpósios e similares,
mini-cursos, em Finanças ou em áreas afins, ou outras de interesse público,

44
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

relacionadas com o futuro exercício da profissão. Tempo e crédito: mínimo de 120


horas, contando dois créditos. Comprovante: certificados ou atestados de participação
e cópia da programação das atividades para a contagem das horas.
3. Publicação de artigos científicos em revista indexada. Tempo e crédito: ao aluno que
conste como autor ou co-autor serão computados dois créditos. Comprovante: deve
ser entregue cópia do artigo publicado ou do aceite da publicação.
4. Realização de Estágio de Iniciação Científica. Tempo e crédito: ao participante autor
serão computados dois créditos. Comprovante: deve ser comprovado com certificado
de apresentação do trabalho em congresso, ou da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-
Graduação ou da agência financiadora.
5. Participação em atividades de monitoria (com ou sem bolsa) ou em programas
similares a exemplo de participação na Seara da Ciência (UFC). Tempo e crédito: ao
participante autor serão computados dois créditos. Comprovante: deve ser
comprovado com certificado (monitoria) ou atestado de participante no curso pré-
vestibular com o mínimo de 60 horas no ano.
6. Participação como voluntário em projetos sociais relacionados com o curso de
Finanças. Tempo e crédito: ao participante autor serão computados dois créditos.
Comprovante: deve ser comprovado com documentos que atestem sua efetiva
participação e que a mesma tenha sido superior a 120 horas no ano.
7. Realização de estágio em empresas ou órgãos relacionados com o curso de Finanças.
Tempo e crédito: ao participante autor serão computados dois créditos. Comprovante:
deve ser comprovado com documentos que comprovem sua efetiva participação e
que a mesma tenha sido superior a 120 horas no ano.
8. Participação em cursos realizados em Instituições outras que não de ensino, ou
mesmo de outras Instituições de ensino superior, públicas ou privadas, devidamente
reconhecidas pelo MEC. Tempo e crédito: ao participante autor serão computados
dois créditos.Comprovante: deve ser atestado com documentos que comprovem sua
efetiva participação e que a atividade tenha sido no mínimo de 60 horas-aula. Pode-se
considerar duas atividades, desde que as mesmas não tenham menos de 30 horas.

45
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

9. Estágio não curricular. Tempo e crédito: serão computados dois créditos, com mínimo
de 150 horas de estágio em um ou mais locais. Comprovante: declaração da empresa
ou instituição de pesquisa conveniada ou cópia do contrato na carteira de trabalho. A
entrega dos documentos e do requerimento deverá seguir o definido na portaria
referente a atividades complementares.
10. Participação em atividades artísticas, culturais ou esportivas. Tempo e crédito: ao
participante serão computados dois créditos. Comprovante: deve ser comprovado
com documentos que comprovem sua efetiva participação e que a mesma tenha sido
superior a 60 horas no ano.

8. ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO
8.1. PROJETO PEDAGÓGICO

A avaliação permanente do projeto político pedagógico do Curso de Finanças a ser


implementada será importante tanto para aferir o seu sucesso, como também para introduzir
alterações futuras que possam contribuir para a sua melhoria, visto que o projeto político-
pedagógico de um curso é dinâmico e deve passar por constantes atualizações. Essa avaliação
será realizada sistematicamente pela coordenação do curso constituída pelo Coordenador,
Vice-Coordenador e representantes de cada unidade curricular. As estratégias adotadas
serão:

 Discussão ampla dos componentes do projeto mediante um conjunto de


questionamentos previamente ordenados que busquem encontrar suas deficiências,
se existirem;

 Aplicação do roteiro proposto pelo INEP/MEC para avaliação das condições de ensino.
Este roteiro integra procedimentos de avaliação e supervisão a serem implementados
pela UFC/CC em atendimento ao artigo 9º, inciso IX, da Lei nº 9.394/96 – Lei de
Diretrizes e Bases da Educação Nacional. A avaliação em questão contemplará os
seguintes tópicos:

46
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

a) Organização didático-pedagógica: administração acadêmica, projeto do curso,


atividades acadêmicas articuladas ao ensino de graduação;

b) Corpo docente: formação acadêmica e profissional, condições de trabalho, atuação


e desempenho acadêmico e profissional;

c) Infra-estrutura: instalações gerais, biblioteca, instalações e laboratórios específicos.

 Avaliação do desempenho discente nas disciplinas, seguindo as normas em vigor;

 Avaliação do desempenho docente feito pelos alunos/disciplinas fazendo uso de


formulário próprio e de acordo com o processo de avaliação instituciional.

8.2. AVALIAÇÃO ACADÊMICA

Avaliação do Rendimento Escolar:


A avaliação do rendimento escolar no Curso de Finanças será feita por disciplina, de
forma sistemática e continuada, sempre tendo em mente os aspectos necessários para uma
ampla aprendizagem e consolidação dos conhecimentos adquiridos.
As avaliações de conteúdo podem ser feitas com base na realização de trabalhos,
projetos, atividades práticas, testes e provas, individuais ou em equipes, feitos na classe ou
fora dela, dentro de parâmetros que permitam ao professor aferir o resultado do seu trabalho
e do aproveitamento da turma, sendo expressos em notas na escala de 0 (zero) a 10 (dez)
com, no máximo, uma casa decimal.
O processo de avaliação de conteúdo compreenderá as avaliações progressivas e a
avaliação final.
Será considerado aprovado por média o aluno que, em cada disciplina, apresentar
média aritmética das notas resultantes das avaliações progressivas igual ou superior a 7
(sete).
O aluno que apresentar a média, de que trata o item anterior, igual ou superior a 4
(quatro) e inferior a 7 (sete) será submetido à uma avaliação final. O aluno será considerado

47
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

aprovado se obtiver nota igual ou superior a 4 (quatro), na avaliação final, e média final igual
ou superior a 5 (cinco), de acordo com a seguinte fórmula:

NAP
NAF
n
MF
2

onde :
MF Média Final ;
NAF Nota de Avaliação Final ;
NAP Nota de Avaliação Progressiva;
n Número de Avaliações Progressivas.

Será considerado reprovado o aluno que não preencher as condições estipuladas


acima. O aluno que, além das condições anteriores, não obtiver frequência em pelo menos
75% das aulas será considerado reprovado.
Segunda Chamada: É assegurado ao aluno o direito de realização da segunda chamada
das provas, desde que solicitada, por escrito, em até 03 (três) dias úteis após a realização da
prova de primeira chamada.
Revisão de Provas: É facultado ao aluno, também dentro de 03 (três) dias úteis após o
conhecimento do resultado da avaliação, o direito de solicitar revisão da prova, pelo próprio
docente. Para tal, é necessário o encaminhamento justificado do pedido através do
coordenador do curso.

8.3. ACOMPANHAMENTO DOS DISCENTES E EGRESSOS


Visando o cumprimento da missão de formar profissionais preparados para uma
atuação capaz e responsável, o acompanhamento dos alunos será contínuo, tanto em seu
período acadêmico quanto no seu engajamento em cursos de pós-graduação ou no mercado
de trabalho.

48
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Este acompanhamento sempre será realizado em regime de tutoria, em que os


professores se disponibilizam a dar apoio técnico-científico orientado para a área de atuação
profissional e/ou acadêmica dos alunos.
Durante o período acadêmico existirá um professor tutor por cada ano da matriz
curricular, com o objetivo de dar todo apoio necessário ao processo de integração
discente/docente/universidade.
Após o período acadêmico, os alunos serão acompanhados pelo corpo docente e
coordenação na orientação de caminhos para o melhor desempenho de suas funções, tanto
em seu primeiro emprego como no ingresso em cursos de pós-graduação.

9. RECURSOS HUMANOS, INFRA-ESTRUTURA E LOGÍSTICA


O Projeto Pedagógico inclui não somente a metodologia de trabalho e o elenco das
atividades a serem desenvolvidas ao longo do curso de Finanças Públicas e Corporativas, mas
também indica a necessidade de recursos humanos, infra-estrutura e logística necessárias para
o pleno atendimento deste objetivo.

9.1. Recursos Humanos:


Para a implantação do Curso, mister se faz a contratação ou alocação de um quadro
funcional que inclua professores e pessoal técnico-administrativo no intuito de complementar
o corpo docente e funcional existente e já comprometido com a implementação do curso. Os
quantitativos da necessidade de pessoal num horizonte dos primeiro três anos de
funcionamento do curso são discriminados nas tabelas abaixo.

49
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Quantidade
Primeiro Ano Segundo Ano Terceiro Ano de
Professores Efetivos de de Funcionamento
Funcionamento Funcionamento
Formação Específica 01 01 01
Formação Geral e Formação 02 01 01
Teórico-Quantitativa
Total 03 02 02

Primeiro Ano Segundo Ano


Funcionários de de
Funcionamento Funcionamento
Técnico-administrativo 01 01
Apoio 01 00
Total 02 01

9.2. INSTALAÇÕES E LOGÍSTICA:


Para o bom funcionamento do Curso de Finanças Públicas e Corporativas torna-se
necessária a disponibilidade de espaço físico e de equipamentos. Quanto ao espaço físico a
FEAACS dispõe, além das instalações atuais, de um novo espaço que está sendo construído
na Rua Marechal Deodoro. Já os equipamentos deverão ser adquiridos com verbas do
orçamento da UFC e através de convênios com diversas instituições públicas e privadas, e
demais agências de fomento. À guisa de informação as necessidades físicas e de
equipamentos são detalhadas na tabela a seguir.

50
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

QUADRO SÍNTESE – INSTALAÇÕES E LOGÍSTICA


Ambientes Descrição Logística Qtd
6 Salas climatizadas com capacidade Quadros brancos 10
para 40 alunos Quadros de aviso 10
4 Salas climatizadas com capacidade para Birôs com cadeiras 10
25 alunos Carteiras universitárias 370
Salas de Aula
Ar condicionado de 21.000 btu´s 6
Ar condicionado de 15.000 btu´s 4
Retroprojetores 2
Pincéis, apagadores e cestos de lixo para todas as salas de aula AD
Sala para a Coordenação do Curso Birôs com cadeiras de escritório 2
Cadeiras de interlocutor 4
Mesa redonda com 4 cadeiras 1
Computadores Pentium IV completo 2
Computadores portáteis 1
Ar condicionado 21.000 btu´s 1
Mesa de apoio para impressora 2
Impressora a laser 1
Coordenação, Secretaria
Quadro branco 1
e Sala de Reuniões com
Quadro de aviso 1
Instalações Sanitárias
Telefone 1
Armários com chave 1
Móveis para arquivos com chave 1
Cestos de lixo 2
Material de expediente AD

Sala para a Secretaria do Curso Birôs com cadeiras de escritório 2


Computadores Pentium IV completo 2

51
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Impressora jato de tinta 1


Impressora a laser 1
Scanner 1
Ar condicionados de 21.000 btu´s 2
Armários com chave 2
Móveis para arquivo com chave 2
Móvel de apoio para impressora e scanner 4
Gelágua 1
Balcão de atendimento 1
Máquina fotocopiadora profissional 1
Telefone/Fax 1
Cestos de lixo 4
Material de expediente AD

Sala de Reuniões para 25 pessoas Mesa de reunião com 25 cadeiras 1


Quadro branco 1
Quadro de avisos 1
Ar condicionado de 21.000 btu´s 2
Cestos de lixo 2

Instalações sanitárias WC Masculino 1


WC Feminino 1
Laboratório integrado com 100m² Computadores Pentium IV completos 6
Mesas de computador com cadeira 6
Laboratório de Estudos
Bancadas retangulares tipo mesa com cadeiras tipo escritório 6
Financeiro (LEF)
Cadeiras de interlocutor 30
Gelágua 2

52
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Telefone – terminal de pabx 1


Ar condicionados de 48.000 btu´s 4
Mesa de reuniões retangular com 10 cadeiras 1
Quadros brancos 6
Quadros de avisos 2
Flip Chart 2
Cestos de lixo 8
Divisórias de Ambientes de Estudos AD
Material de expediente AD
15 Gabinetes para professores e Computadores Pentium IV completos 15
coordenação com 12 m² Mesas de computador com cadeira 15
Impressora a laser 15
Telefones - ramal 15
Birôs, com cadeiras de escritório 30
Cadeiras de interlocutor 30
Armários com chave 30
Ar condicionados de 10.000 btu´s 15
Quadros brancos 15
Cestos de lixo 15
Material de expediente AD

Instalações sanitárias WC Masculino 1


WC Feminino 1
Laboratório com capacidade para 40 Computadores Pentium IV completos 22
Laboratório de alunos na razão de 2 alunos por máquina, Mesas de computador com cadeira 22
Informática com sala de apoio para o Servidor Birôs com cadeira de escritório 2
Quadro branco 1

53
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Quadros de aviso 2
Móvel para arquivo com chave 1
Pastas tipo arquivo AD
Cadeiras tipo escritório 40
Telefone 1
Ar condicionados de 21.000 btu’s 3
Impressora a laser 1
Impressora jato de tinta 1
Cestos de lixo 3
Material de expediente AD
Auditório com 100 lugares, equipada Mesa de auditório 1
para projeção multimídia e vídeo- Cadeiras de auditório 8
conferência Cadeiras fixas 100
Computadores Portátil 1
Data show 1
Tela de projeção 1
Mesa de som, com 3 microfones, sendo 1 sem fio 1
Caixas de som 4
Auditório/sala
Ar condicionados de 48.000 btu´s 4
multimídia
Televisão 29” 1
Telefone 1
Fax 1
Leitor de DVD 1
Equipamento de Vídeo-Conferência 1
Câmera Digital 1
Filmadora 1
Flip Chart 1

54
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Sala de Estudos e Biblioteca Computadores Pentium IV completos 7


Cadeiras tipo escritório 7
Impressora a laser 1
Ar condicionado 21.000 btu´s 4
Birô 1
Móveis para arquivo 3
Pastas tipo arquivo AD
Quadros de aviso 2
Telefone/Fax 1
Flip Chart 1
Máquina fotocopiadora profissional 1
Nichos de estudos com 4 cadeiras cada 5
Cadeiras estofadas 30
Conjunto de sofá (2 e 3 lugares) 1
Biblioteca
Mesa de centro 1
Software específico para catalogar o acervo AD
Softwares específicos para a necessidade dos cursos AD
Livros (acervo a ser adquirido até 2010) 1080
Móveis com prateleiras 16
Assinatura das principais revistas especializadas na área de AD
Economia
Assinatura de jornais AD
Leitor de DVD 1
Televisão 29” 1
Cestos de lixo 8
Material de expediente AD

WC Masculino 1

55
Universidade Federal do Ceará – Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade

Instalações Sanitárias WC Feminino 1

Sala para o Centro Acadêmico com Computadores Pentium IV completos 2


instalações sanitárias Birôs 2
Cadeiras tipo escritório 2
Cadeiras tipo interlocutor 4
Impressora a laser 1
Ar condicionado 21.000 btu´s 1
Móveis para arquivo com chave 2
Pastas tipo arquivo AD
Centro Acadêmico
Quadro Branco 1
Quadros de aviso 1
Telefone 1
Mesa de reunião com 8 cadeiras 1
Cesto de Lixo 2
Material de expediente AD

instalações Sanitárias WC 1
Acesso à Internet Banda Larga em todos os computadores -
Iluminação -
Bateria de WC Masculino com 8 portas e pia com 2 cubas 2
Geral Geral Bateria de WC Feminino com 8 portas e pia com 2 cubas 2
Acesso a portadores de necessidades especiais 1
Lanchonete 1
Espaço de convivência e estacionamento 1

56

Você também pode gostar