Você está na página 1de 4

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

ENSINO TÉCNICO – 2005


ETE: ETESP - Escola Técnica Estadual de São Paulo
Código: 18 - Município: São Paulo
Área Profissional: Informática
Habilitação Profissional: Informática
Qualificação: Auxiliar em Informática Módulo: 2º
Componente Curricular: Programador de Computadores
Componente Curricular: Tecnologias e Linguagens para Banco de Dados I C.H. Semanal: 02
Professor (es): 1. Evandro Carlos Teruel 2.

Perfil Profissional do Técnico em Informática


O Técnico em Informática deverá ter construído as seguintes competências da área de informática:

- Identificar o funcionamento e relacionamento entre os componentes de computadores e seus periféricos;


- Instalar e configurar computadores, isolados ou em redes, periféricos e softwares;
- Identificar a origem de falhas no funcionamento de computadores, periféricos e softwares avaliando seus
efeitos;
- Analisar e operar os serviços e funções de sistemas operacionais;
- Selecionar programas de aplicação a partir de avaliação das necessidades do usuário;
- Desenvolver algoritmos através de divisão modular e refinamentos sucessivos;
- Selecionar e utilizar estruturas de dados na resolução de problemas computacionais;
- Aplicar linguagens e ambientes de programação no desenvolvimento de software;
- Identificar arquiteturas de redes;
- Identificar meios físicos, dispositivos e padrões de comunicação, reconhecendo as implicações de sua
aplicação no ambiente de rede;
- Identificar os serviços de administração de sistemas operacionais de rede;
- Identificar arquitetura de redes e tipos, serviços e funções de servidores;
- Organizar a coleta e documentação de informações sobre o desenvolvimento de projetos;
- Avaliar e especificar necessidades de treinamento e de suporte técnico aos usuários;
- Executar ações de treinamento e de suporte técnico.

Perfil Profissional do Programador de Computadores


Atribuições
- Instalar, codificar, compilar e testar programas orientados a eventos.
- Documentar sistemas e aplicações.
- Modelar estrutura e operar aplicativos para banco de dados.
- Fornecer suporte técnico e treinamento aos usuários.
Atividades
- Desenvolver sistemas e aplicações
- Realizar manutenção de sistemas e aplicações
- Implantar sistemas e aplicações
- Projetar sistemas e aplicações
- Selecionar recursos de trabalho
- Demonstrar competências pessoais
I – Atribuições e responsabilidades da Qualificação ou da Habilitação Profissional que justificam o
desenvolvimento das competências, habilidades e bases tecnológicas previstas neste componente curricular
Modelar estrutura e operar aplicativos para banco de dados.

II – Competências, habilidades e bases tecnológicas do componente curricular


N.º Competências Habilidades Bases Tecnológicas
01 Fazer uma modelagem de Implementar modelos lógicos e físicos de MER – Modelo Entidade-
dados a partir de dados. Relacionamento
informações abstratas. Implementar as estruturas modeladas Normalização de banco de
02 Interpretar e analisar o usando banco de dados dados
resultado da modelagem de Utilizar ambientes/linguagens para Estrutura de dados aplicada a
dados estruturada. manipulação de dados nos diversos banco de dados
03 Criar uma base de dados modelos de SGBD (Sistemas Tipos de armazenamento e
com tabelas relacionadas e Gerenciadores de Bancos de Dados). métodos de acesso aos dados
integridade referencial que Ambientes/ferramentas de
garanta coerência e gerenciamento de bancos de
consistência dos dados. dados (Linguagem de apoio:
Access)

III – Metodologia e procedimentos didáticos para desenvolvimento de competências


N.º da Procedimento didático (O professor deve explicar quais os procedimentos didáticos e pedagógicos que
Com- desenvolve com os alunos)
petência
01 Usando casos de uso com situações reais de empresas cujo ramo de atividade seja de conhecimento dos
alunos, criar modelos lógicos e físicos de dados com simulações de situações e problemas reais.
02 Com base nos modelos lógicos e físicos criados, fazer seu refinamento e contemplar situações que por
ventura foram esquecidas ou mal interpretadas no momento da construção da modelagem. Contemplar
também possíveis regras de negócio.
03 Criar usando um SGBD o banco de dados, tabelas e relacionamentos de acordo com os modelos
implementados e testar seu funcionamento. Criar formulários, consultas (views) e relatórios que
possibilitem uma visão geral do modelo.

IV. Material de apoio didático para os alunos (Inclusive Bibliografia)


Apostila da disciplina de Administração de Dados do curso de pós-graduação em Projeto e Desenvolvimento de
Sistemas para WEB na UNIP e Apostila de Access do curso de Tecnologia em Processamento de dados da
FATEC-SP e apostila de ORACLE do módulo I (PL/SQL).

V. Sistema de Avaliação do desempenho do aluno


A verificação do aproveitamento escolar deverá incidir sobre o desempenho do aluno nas diferentes situações de
aprendizagem consideradas as competências, habilidades e atitudes. A avaliação será contínua e cumulativa no
decorrer do módulo e realizada por meio de instrumentos diversificados. A recuperação será integrada ao processo
de aprendizagem. Os alunos serão informados pelo professor, no início do módulo, sobre a sistemática de
avaliação e recuperação. As sínteses dos resultados de avaliação do aproveitamento serão expressas, de acordo
com o Regimento do CEETEPS, nas seguintes menções:
MB – Muito Bom – o aluno superou as competências previstas
B – Bom – o aluno atingiu as competências previstas
I – Insatisfatório – o aluno não atingiu as competências previstas
VI – Plano de Avaliação de Competência
Instrumento(s) Critérios de Evidências de
Competência Indicadores de domínio
de Avaliação desempenho Desempenho
1. Fazer uma Habilidades: Trabalho – Interpretação, Apresentação do trabalho
modelagem de dados a Implementar modelos Dado um caso organização, com o modelo lógico e
partir de informações lógicos e físicos de dados. de uso, coerência e físico do caso de uso
abstratas. Bases tecnológicas: desenvolver a objetividade. corretos.
MER – Modelo Entidade- modelagem
Relacionamento lógica e física.
Normalização de banco de
dados.
2. Interpretar e analisar Habilidades: Trabalho Interpretação, Apresentação do trabalho
o resultado da Implementar as estruturas clareza, normalizado e com as
modelagem de dados modeladas usando banco criticidade e regras de negócio
estruturada. de dados. raciocínio documentadas.
Bases tecnológicas: lógico. Analise da
Estrutura de dados modelagem do caso
aplicada a banco de
de uso já
dados.
desenvolvida, inserir
as regras de negócio
e se necessário, fazer
a normalização.
3. Criar uma base de Habilidades: Prova teórica / Interpretação, Apresentação da
dados com tabelas Utilizar prática. organização, modelagem correta e do
relacionadas e ambientes/linguagens para coerência, banco de dados,
integridade referencial manipulação de dados nos objetividade, formulários, consultas e
que garanta coerência e diversos modelos de clareza, relatórios implementados
consistência dos dados. SGBD (Sistemas
criticidade e no Access.
Gerenciadores de Bancos
de Dados). raciocínio Teórica: Fazer uma
Bases tecnológicas: lógico. modelagem de um caso de
Tipos de armazenamento uso.
e métodos de acesso aos Prática: Desenvolver o
dados banco de dados, tabelas,
Ambientes/ferramentas de relacionamentos,
gerenciamento de bancos formulários, consultas e
de dados (Linguagem de relatórios usando o Access.
apoio: Access)

Observação: Os indicadores, instrumentos, critérios e evidências deverão ser identificados por competência.

VII. Cronograma das etapas de desenvolvimento do componente curricular

Períodos (Mês) Atividades, habilidades e bases tecnológicas a serem desenvolvidas.


MER – Modelo Entidade-Relacionamento
Julho e Agosto Estrutura de dados aplicada a banco de dados
Ambientes/ferramentas de gerenciamento de bancos de dados (Linguagem de apoio:
Setembro
Access)
Normalização de Banco de dados
Outubro

Novembro e Dezembro Ambientes/ferramentas de gerenciamento de bancos de dados (Linguagem de apoio:


Access)

VIII. Estratégias de Recuperação para alunos com rendimento insatisfatório

Instrução verbal em sala, a cada trabalho ou prova realizada para a análise e revisão dos exercícios e trabalhos com
implementação dos mesmos como lição de casa.
IX. Outras observações/informações:

Data da Elaboração do Plano de Trabalho: 25/ julho/ 2005

Nome (s) do (s) Professor (es) Assinatura


Evandro Carlos Teruel

Nome do Coordenador de Área: Julius Cesar José Capellini


Parecer do Coordenador de Área:

O Plano de trabalho está de acordo com o novo Plano de Curso de Informática e com as orientações estabelecidas
pela Coordenadoria do Ensino Técnico e com as normas da ETESP.

Assinatura: Data:

Secretária Acadêmica: Sandra Regina Fernandes Soga

Assistência Pedagógica: Elizabete Rodrigues Oliveira

Diretor de Escola: Carlos Augusto de Maio