Você está na página 1de 43

SAÚDE OCUPACIONAL

AGENTES ERGONÔMICOS
QUANDO SURGIU A ERGONOMIA?
• A ergonomia surgiu junto com o homem primitivo. Com a
necessidade de se proteger e sobreviver, o homem primitivo,
sem querer, começou a aplicar os princípios de ergonomia, ao
fazer seus utensílios de barro para tirar água de cacimbas e
cozinhar alimentos
EVOLUÇÃO DA ERGONOMIA
1857 – O terno ERGONOMIA é utilizado pela 1ªvez por Jastrzebowski
na publicação “ensaio de ergonomia ou ciência do trabalho baseada nas leis
objetivas da ciência da natureza”

1939/45 - II guerra mundial soluções dos problemas operacionais dos


equipamentos militares.

1949 - surge a 1ª sociedade de pesquisa em ergonomia ( ergonomics research


society) sediada na inglaterra.

1961 - nasce a associação internacional de ergonomia (iea)com representantes de


40 paises.

1983 – No brasil é criada a ABERGO


AFINAL, O QUE É ERGONOMIA?
• Palavra de origem grega:
Ergon – trabalho / Nomos - leis,
regras = Estudo das leis do
trabalho.

“É a ciência e a arte de adaptar o


trabalho ao homem para que ele
seja mais saudável, seguro,
eficiente, produtivo e
confortável".
OBJETO DE ESTUDO DA ERGONOMIA
• Análise da atividade humana e seu envolvimento com o
trabalho e suas atividades de vida diária.
OBJETIVOS DA ERGONOMIA

• Melhorar as interações do ser humano com suas


atividades de forma integrada, promovendo eficácia,
segurança, saúde e bem estar.

• Adaptar o trabalho ao homem e não o contrário


DOMINIOS DA ERGONOMIA
• Ergonomia física

• Ergonomia cognitiva

• Ergonomia organizacional
ERGONOMIA FÍSICA

• Relacionada com às características da anatomia humana,


antropometria, fisiologia e biomecânica em sua relação a
atividade física.

• Os tópicos relevantes incluem o estudo da postura no


trabalho, manuseio de materiais, movimentos repetitivos,
distúrbios musculoesqueléticos relacionados ao trabalho,
projeto de posto de trabalho, segurança e saúde.
ERGONOMIA FÍSICA
Ergonomia cognitiva

• Refere-se aos processos mentais, tais como percepção,


memória, raciocínio e resposta motora conforme afetem as
interações entre seres humanos e outros elementos de um
sistema.

• Os tópicos relevantes incluem o estudo da carga mental de


trabalho, tomada de decisão, desempenho especializado,
interação homem computador, stress e treinamento conforme
esses se relacionem a projetos envolvendo seres humanos e
sistemas.
Ergonomia cognitiva
ERGONOMIA ORGANIZACIONAL
• Refere - se à otimização dos sistemas sócio técnicos, incluindo
suas estruturas organizacionais, políticas e de processos.

• Os tópicos relevantes incluem comunicações, projeto de


trabalho, organização temporal do trabalho, trabalho em
grupo, projeto participativo, novos paradigmas do trabalho,
trabalho cooperativo, cultura organizacional, organizações em
rede, tele trabalho e gestão da qualidade.
ERGONOMIA ORGANIZACIONAL
RISCOS ERGONÔMICOS

• São fatores psicofisiológicos relacionados ao trabalho


que o ser humano fica exposto durante o
desenvolvimento de suas atividades
RISCOS ERGONÔMICOS
Posturas incorretas Trabalhos físicos pesados

Ambiente de trabalho
Jornada de trabalho prolongada desfavorável
ABORDAGENS ERGONÔMICAS
Quanto á Abrangência:

• Ergonomia do posto de trabalho: abordagem


microergonômica

• Ergonomia dos sistemas de produção: abordagem


macroergonômica.
ABORDAGENS ERGONÔMICAS
Quanto á Contribuição:
• Ergonomia de Concepção: Intervenção na fase do projeto:
Interferência no posto de trabalho, instrumentos, na máquina, ou
no sistema de produção.

• Ergonomia de Correção: Intervenção no posto de trabalho já


instalado, na atividade realizada ou no trabalhador.

• Ergonomia de Aranjo físico: é a melhoria de sequências e fluxos


de produção, através de mudança de layout

• Ergonomia de Conscientização: Intervenção por meio de


treinamento e reciclagem periódicos dos trabalhadores.
ABORDAGENS ERGONÔMICAS
Quanto á Interdisciplinidade:

• A ergonomia caracteriza – se por reunir diversos campos do


conhecimento humano; portanto diversos profissionais atuam nas
empresas, buscando a adequação do ambiente de trabalho.

• Médico do Trabalho; Psicólogo, Engenheiro do Trabalho,


Desenhista industrial, Enfermeiro do Trabalho, Técnico em
Segurança do Trabalho, etc.
INTERVENÇÃO ERGONÔMICA
• Trabalho fisicamente pesado;

• Trabalho em ambientes com alta/baixa temperaturas, ruidoso,


e com iluminação inadequada;

• Biomecânicos: posturas e mobiliários inadequados, uso


excessivo de membros superiores e inferiores

• Prevenção da fadiga.
PREJUÍZOS PELA FALTA DE ERGONOMIA
• Absenteísmo e perda da produtividade;

• Gastos com afastados;

• Indenização pelo dano físico;

• Deterioração das relações humanas;

• A pressão do fenômeno LER/DORT sobre as empresas


CONSEQUENCIAS
SOLUÇÕES ERGONÔMICAS
• Eliminação de movimentos / posturas críticas;

• Pequenas melhorias; Projetos ergonômicos; Revezamento;

• Melhoria da organização do sistema de trabalho;

• Preparação para o trabalho (exercícios de aquecimento,


distencionamento e relaxamento – Ginástica Laboral);

• Orientação ao trabalhador e cobranças de posturas corretas;


• Pausas de recuperação.
EMBASAMENTO LEGAL
• NR – 17. Portaria nº 3.751, de 23/11/90, publicada no D.O.U.
de 26/11/90.

• NBR 5413 – Iluminância de Interiores

• NBR 10152 – Níveis de Ruído para Conforto Acústico


LER / DORT
CONCEITOS

• LER - LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS

• LTC – LESÕES POR TRAUMAS CUMULATIVOS

• DORT - DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES AGUDOS OU


CRÔNICOS RELACIONADOS COM O TRABALHO
DEFINIÇÃO

• São lesões de músculos, tendões, fáscias e nervos, causadas


pela utilização biomecanicamente incorreta dos membros
superiores e inferiores.

• São inflamações provocadas por atividades do trabalho que


exigem do trabalhador movimentos manuais repetitivos,
continuados, rápidos e ou vigorosos, durante um longo período
de tempo.
ETIOLOGIA
São fatores causais que associados, levam ao estresse
osteomuscular e emocional. Podem ser:

• Predisponentes;

• Desencadeantes:
- Biomecânicos;
- Organizacionais no trabalho.
HISTORICO DA LER / DORT
• 1700 Bernardino Ramazzini -“Doenças dos escribas da corte”

• 1920 Bridge: “Doença dos tecelões”

• 1970 Japão: 1º país a reconhecer o nexo casual entre trabalho e


LER

• 1984 – Browne – Austrália - cria o termo: Repetition Strain


Injuries (R.S.I)
LER / DORT NO BRASIL
• 1986: início no Brasil do estudo das patologias relacionadas ao
trabalho.

• 1987 – Portaria 4062 de 6/8/87 reconhece a tenossinovite como


doença ocupacional

• 1993 – o INSS adota o termo LER

• 1997 – Adota-se o termo LER/DORT por ter maior abrangência


FATORES CAUSADORES DA LER / DORT
FATORES BIOMECÂNICOS
• Repetitividade; Invariabilidade da tarefa
• Esforço e força;
• Posturas inadequadas;
• Choques e impactos;
• Compressão mecânica;
• Frio (contração dos vasos);
• Vibração (acima de 8 a 10 Hz);
• Fatores organizacionais

OUTROS FATORES
• Gênero (mulheres são mais predispostas);
• Traumatismos anteriores;
• Atividades anteriores;
• Perfil psicológico.
PRINCIPAIS TIPOS DE LER / DORT
PRINCIPAIS TIPOS DE LER / DORT
PRINCIPAIS TIPOS DE LER / DORT

Síndrome do Túnel
do Carpo
COLUNA VERTEBRAL
HERNIA DE DISCO
CLASSIFICAÇÃO DAS LER / DORT

• Grau I

• Grau II

• Grau III

• Grau IV
CONDUTAS - PREVENÇÃO

• Incentivar o trabalhador a prestar atenção em sintomas e


limitações, mesmo que pequenas, e orienta - lo a procurar logo
auxílio;

• Pausas durante a jornada de trabalho para que músculos e


tendões descansem e se diminua o stress, sem que por isso haja
aumento do ritmo ou volume de trabalho;

• Vigilância da saúde dos trabalhadores com exames médicos


voltados para aspectos clínicos e relativos a ossos e articulações;
CONDUTAS - PREVENÇÃO

• Adequação dos postos de trabalho para evitar a adoção de


posturas corporais incorretas – Ergonomia

• Exercícios de alongamento e relaxamento - Ginástica Laboral

• Ter uma boa Qualidade de Vida


DICAS DE POSTURA

Você também pode gostar