Você está na página 1de 8

COLÉGIO SHUNJI NISHIMURA

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ANO

ARTHUR MOHAMAD TAHA

MATEMÁTICA:
CONSTRUÇÃO DE AQUECEDORES SOLARES DE BAIXO CUSTO
COM MATERIAIS REUTILIZÁVEIS

Professor Orientador:
Jhonathan Cabrera Piazentin

Pompeia
2021
SUMÁRIO

1. EPÍGRAFE ........................................................................... 1
2. DEDICATORIA .................................................................... 2
3. INTRODUÇÃO ..................................................................... 4
4. DESENVOLVIMENTO ......................................................... 9
5. CONCLUSÃO .................................................................... 10
DEDICATÓRIA

Dedico este trabalho à minha família, amigos, professores e ao meu


orientador, por me fornecerem todo o apoio necessário nesta etapa e na realização
do trabalho. E, em especial ao meu falecido avô, que sempre me encorajou a tentar
coisas novas e me estimulou a ser criativo.
Aos meus pais e irmã, agradeço por serem meu porto-seguro, que sempre
estão ao meu lado, independente da situação, e me ajudam com toda a parte
pessoal desta etapa.
Aos meus amigos e amigas, agradeço por serem meus companheiros de luta
no meu primeiro ano do ensino médio, por todas as risadas, por todas as
competições e todos os aprendizados.
Aos meus professores, agradeço por me direcionarem ao caminho mais
importante, o do conhecimento. Eu agradeço por todas as broncas, advertências e
lições que contribuíram para quem eu sou.
Ao meu professor orientador, que me orientou e instruiu, para o
desenvolvimento deste trabalho. Sem o senhor isso não seria possível, obrigado
pela paciência e apoio.
Ao meu avô, que infelizmente não poderá assistir à apresentação, te
agradeço com todo o meu coração por ser meu exemplo de força, persistência e
engenhosidade. Todo o esforço e tempo investido neste trabalho, é fruto de minha
admiração e do meu amor por você. Descanse em paz meu avô.
As grandes ideias surgem da observação dos pequenos detalhes.

- Augusto Cury
INTRODUÇÃO –

A produção energética é essencial para o conforto e o equilíbrio da


sociedade. Entretanto, os meios de produção mais utilizados vêm gerando
consequências preocupantes: a poluição causada pela liberação de gases tóxicos
intensifica um processo muito antigo, conhecido como aquecimento global que cria o
efeito estufa no planeta, e vem ameaçando a sobrevivência da civilização e da vida
em geral.
Estes meios de produção, utilizam de fontes não renováveis de energia, como
carvão mineral, petróleo, gás natural e fissão nuclear. No Brasil, cerca de 95% da
energia é produzida por hidrelétricas, com pouca contribuição de outros meios de
produção. Esta política de produção energética coloca o país em situações como a
Crise do Apagão, ocorrida em 2001, onde na ausência de chuvas, a geração de
energia entra em colapso juntamente com a economia e o país. Novas ideias e
soluções que possam mudar a situação são imprescindíveis. (LAFAY, 2005)
A energia solar é uma das soluções mais viáveis para a redução dos impactos
ambientais causados pelos meios não renováveis. A produção de energia solar, se
dá pela utilização de placas fotovoltaicas, equipamentos de tecnologia de ponta
extremamente vantajosos: não agridem o meio ambiente com a liberação de gases
tóxicos, são extremamente acessíveis pelo custo benefício, equipamentos que
duram até 25 anos, apresentando uma taxa de 95% de recuperação material para a
reutilização. (CRUZ, 2020)
O uso desses mecanismos em edifícios brasileiros é extremamente vantajoso,
considerando o fato de que o Brasil recebe mais de 2.200 horas de insolação, todos
os anos, com um potencial para captação de energia de aproximadamente 15
trilhões de MWh de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.
(CORREIA, 2013)
As placas fotovoltaicas são apenas um exemplo de como o uso racional da
radiação solar pode trazer resultados positivos para a sociedade. O potencial
energético da incidência solar supri a maior parte das demandas energéticas
geradas pela sociedade, desde o aquecimento hídrico para fins residenciais, até as
áreas mais profissionais, como fins metalúrgicos. (SCHERER, 2015)
Dentre as diversas aplicações de utilização da energia solar, o aquecimento
de água para fins residenciais é a que mais gera discussões no meio científico.
Aproximadamente 25% do consumo energético residencial brasileiro, são utilizados
para a alimentação de aquecedores elétricos convencionais (chuveiros elétricos).
Estes equipamentos, estão presentes em 70% dos lares brasileiros e geram
expressivas demandas capitais, por conta do uso exacerbado de energia elétrica,
dificultando o uso por parte das famílias brasileiras de baixa renda. (LAFAY, 2005)
Aquecedores elétricos convencionais provocam um aumento de potência
média instalada de 121%, sendo superior a soma de todos os outros
eletrodomésticos juntos. A inclusão destes aparelhos nas residências eleva a
demanda máxima média em 365%, equivalente a 4,5 vezes o consumo médio de
energia. Além disso, os aquecedores elétricos demandam constantes manutenções,
extremamente caras, por causa do desgaste intenso. (OLIVEIRA, 2008)
Sistemas de aquecimento solar, por outro lado, apresentam características
extremamente custo-benefício. As condições climáticas brasileiras são muito
favoráveis para o uso desses equipamentos, visto que a incidência solar é bastante
elevada no país. Além de não consumirem energia, apresentam uma extensa vida
útil (em torno de 20 anos), necessitando de reparos mínimos por conta do tempo. A
construção desses sistemas é feita a partir de materiais recicláveis, isso gera um
impacto extremamente positivo, reduzindo o dano ambiental produzido pelos
convencionais. (SÁLES, 2008)
Vale ressaltar que segundo SÁLES (2008), a substituição de um chuveiro
elétrico por um sistema desses, gera uma economia de aproximadamente
R$1.826,05 reais para o consumidor de baixa renda.
Estes equipamentos podem ser utilizados tanto em residências civis quanto
outros tipos de estabelecimentos, como escolas, creches, orfanatos e até em meios
rurais. Um sistema desses com capacidade de até 990L, supri o banho de 25 a 45
crianças e de 20 a 40 adultos, por um valor de implementação de R$1.000,00
segundo a ONG Sociedade do Sol. (SIQUEIRA, 2009)
Em síntese, o aquecedor solar de baixo custo, é uma das soluções mais
viáveis e economicamente vantajosas para com os padrões de conforto
populacional, a serem estudadas e incentivadas. (SIQUEIRA, 2009)
CRUZ, FERNANDA TÁTIA. Descarte, reciclagem e logística reversa: análise do fim
de vida útil dos painéis fotovoltaicos. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 9, p.
73294-73309, sep. 2020. Acesso em: 17 ago. 2021

CORREIA, NATÁLIA VIANNA. Deposição de ZnO e sua Aplicação em Células


Solares para Geração de Energia Fotovoltaica. Escola de Engenharia de Lorena da
Universidade de São Paulo, Lorena, v. 1, n.1, p. 14-20, jul. 2013. Acesso em: 18
ago. 2021

SCHERER, LARA ALMEIDA. Fonte alternativa de energia: energia solar.


Universidade de Cruz Alta, Cruz Alta, v. 1, n. 1, p. 1-3, ago. 2015. Acesso em: 18
ago. 2021

LAFAY, JEAN-MARC STEPHANE. Análise energética de sistemas de aquecimento


de água com energia solar e gás. Escola de Engenharia da Universidade Federal do
Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 21-26, jul. 2005. Acesso em: 23 ago.
2021

SIQUEIRA, DÉBORA ABRAHÃO. Estudo de desempenho do aquecedor solar de


baixo custo. Universidade Federal De Uberlândia, Uberlândia, v. 1, n. 1, p. 3-4, mar.
2009. Acesso em: 23 ago. 2021

ENERGIA SOLAR EM METALÚRGICA: EMPRESA DE PORTO ALEGRE DEVE


ECONOMIZAR R$ 1 MILHÃO EM DEZ ANOS. Elysa, Porto Alegre - RS, 24 jun.
2020. Disponível em: < https://elysia.com.br/energia-solar-em-metalurgica-poa/ >.
Acesso em: 23 ago. 2021

BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL 2021, EPE (Empresa de Pesquisa


Energética). Disponível em: < https://www.epe.gov.br/pt/publicacoes-dados-
abertos/publicacoes/balanco-energetico-nacional-2021 >. Acesso em: 24 ago. 2021
SÁLES, ISOLDA CÍNTIA FERREIRA. Análise da substituição do chuveiro elétrico
por aquecedor solar: uma contribuição ao setor elétrico na conservação de energia.
Universidade Federal de Alagoas, Maceió, v. 1, n. 1, p. 8-15, mar. 2008. Acesso em:
24 ago. 2021

OLIVEIRA, LUIS F. C. Potencial de redução do consumo de energia elétrica pela


utilização de aquecedores solares no Estado de Goiás. Universidade Federal de
Goiás, Goiânia – GO v. 1, n. 1, p. 8-15, dez. 2008. Acesso em: 24 ago. 2021

Você também pode gostar