Você está na página 1de 9

FAÇA COM A GENTE

Neste plano de aula, trabalharemos a competência 8 da BNCC, que fala


sobre o autoconhecimento e o autocuidado. Para o ensino fundamental, a
Base Nacional Comum Curricular propõe o estudo de conceitos básicos de
economia e finanças, como taxa de juros, inflação, aplicações financeiras e
impostos. Em abordagem interdisciplinar, o documento destaca as dimensões
socioculturais, políticas e psicológicas, além da econômica, em torno das
questões de consumo, trabalho e dinheiro.

Para anos iniciais do Fundamental I (1º, 2º e 3º ano)

Passo 1

É importante que as crianças saibam a diferença entre um


desejo e uma necessidade.

O conceito de QUERER geralmente está relacionado ao desejo,


algo que é bom ter, mas não é essencial para sobrevivência.
Já o conceito de PRECISAR envolve necessidade, algo que
precisamos para sobreviver. Compreendendo isso, elas vão
aprender a fazer uso adequado e consciente do dinheiro.

Pergunte para as crianças se existe algo, como um chocolate ou tipo de


lápis de cor diferente, por exemplo, que elas queiram muito ter. Exemplifique
contando sobre algo que você deseja muito também, como uma barra
de chocolate, um brinco novo etc. Comece dizendo algo sobre você para
aproximar a realidade delas com a sua!
Passo 2

Materiais:

● Papel (folha de caderno ou sulfite)

● Lápis de cor para colorir

● Lápis para escrever

Em casa ou em sala, peça aos estudantes que escrevam em duas folhas


as palavras “QUERO” e “PRECISO”. Uma folha fica do lado direito e a outra
do lado esquerdo sobre a mesa

Em cada um dos lados, eles deverão colocar coisas que eles acham que
precisam e coisas que acham que apenas querem. Pode ser desde bens
materiais a aspectos do dia a dia.

Passo 3

Qualificando as escolhas! Pergunte a eles:


vocês comem chocolate todos os dias? Toda
hora? E água? Vocês bebem com frequência?
Se você ficar muito tempo sem chocolate você
só sente falta de comê-lo. Já a água, se você não tomar,
pode ficar doente. Por isso é uma necessidade, algo que você
precisa, enquanto o chocolate é apenas vontade, desejo.

Peça para as crianças refletirem sobre o que classificaram como desejo e


necessidade e analisem se alguma destas classificações está equivocada.
Você pode passar de mesa em mesa ou pedir para que cada estudante
explique na tele aula os motivos das suas escolhas e se tiveram dificuldade
em colocar cada coisa em seu lugar!

Passo 4

Como complemento da atividade anterior, as crianças deverão construir


uma lista de compras do supermercado fictício “Quero Comprar”.

Para isso, você poderá recortar as imagens dos produtos de folhetos


distribuídos em supermercados ou pedir para que cada estudante faça isso
para facilitar. A ideia é ter uma variedade de produtos para simular uma ida
às compras!

Caso queira deixar a atividade ainda mais divertida, você


poderá seguir este tutorial disponível no youtube pelo
canal Caseirices Kids:
https://www.youtube.com/watch?v=z4bgYqGBl74

Para o ensino remoto, as crianças poderão fazer a atividade com os familiares


como lição de casa, escolhendo quais produtos comprar por necessidade
e quais por desejo. É uma boa oportunidade de integrar a família neste
momento de reflexão.
Lembrando que a ideia não é simplesmente cortar tudo
que desejamos, mas sim pensar o quanto estamos
consumindo e se há um desequilíbrio para um dos lados!

Passo 5

Se quiser deixar a atividade ainda mais rica, você também poderá usar a
oportunidade de falar do supermercado e da lista de compras para classificar
os alimentos, quais são saudáveis e industrializados, comparar preços. Tudo
dependerá do ritmo da sua turma com relação a estes conceitos.

Tarefas simples como pedir para uma criança comprar algo, ajudam na
criação do senso de responsabilidade. Analisar preços e produtos é um
primeiro passo muito importante para uma boa educação financeira.

Anos finais do Fundamental I (4º e 5º ano)

Passo 1

Apresente a imagem abaixo e pergunte para os estudantes se sabem o


que é:
Pergunte as crianças se elas conhecem outras formas de comprar quando
não se tem dinheiro físico em mãos. Algumas podem conhecer essa forma
de pagamento considerando que muitos pais utilizam atualmente PIX e
cartão de crédito na hora da compra.

A partir do que eles trouxeram, apresente para a turma a história do cartão


de crédito.

Em 1950, nos Estados Unidos, foi quando surgiu o primeiro cartão de crédito,
que não era eletrônico, mas sim, de papel! Como as cidades tinham menos
habitantes que hoje e a maioria das transações eram feitas localmente, o
cliente deixava a sua assinatura como garantia de que pagaria a conta.

Em 1969, também nos Estados Unidos,foi criado um cartão bem parecido com
os de hoje, com fitas magnéticas e chip - padrão que permitiu aos cartões
transmitirem informações em tempo real de qualquer lugar do planeta!
No Brasil, o cartão de crédito chegou de fato em 1968 e o nome dele era
Elo, do banco Bradesco.

Para finalizar essa primeira parte, pergunte em quais situações eles já viram
o uso do cartão de crédito para comprar algo.

Passo 2

Pergunte para as crianças se elas sabem como funciona o cartão de crédito.


Será que podemos usá-lo e pagar tudo de maneira ilimitada? Temos que
pagar algo depois que usamos o cartão?

Após as respostas da turma, diga que muitas pessoas chamam o cartão de


“dinheiro de plástico”, pois ele funciona de maneira muito similar! Ele funciona
como um empréstimo, que é quando emprestamos dinheiro a alguém! O
cliente tem uma determinada quantia liberada por um banco para gastar
ao longo das semanas e só paga tudo de uma vez, depois desse tempo
estipulado.

Entregue para cada estudante da turma, um cartão de crédito fictício, utilizando


o molde abaixo:
O nome deverá ser preenchido com o do estudante e a validade será o
tempo que você determinará que eles poderão utilizá-lo.

O valor limite você deverá informar, que será igual para todos e será de 50
reais!

Passo 3

A ideia é fazê-los entenderem a lógica do “emprestar dinheiro” para alguém


que não tem. A princípio, não diga nada sobre isso a menos que algum deles
fale que serão “50 reais de empréstimo”!

O que será que dá para comprar com 50 reais?

Peça para eles pesquisarem em casa, junto com a família, o


que podemos comprar com 50 reais. Pode ser comida,
brinquedo, um livro, roupa etc. Eles deverão fazer
uma lista e escolher um destes itens para efetuar
a compra fictícia.

Com ajuda de um adulto, para tornar a


experiência ainda mais real, essa parte
da atividade poderá ser feita em uma
loja (física ou virtual) de verdade. A
ideia é mostrar os passos necessários
para a compra do item escolhido por
eles utilizando o cartão de crédito,
com a diferença de que a compra em
si não será concluída até o final.

Se os pais ou familiares quiserem concluir uma


compra que já estava prevista nesse valor de até 50 reais, poderão fazer
também. Sugerimos que eles comparem o cartão fictício deles com o de
verdade de um adulto da família.
Passo 4

Já em sala, deverão compartilhar o que compraram, incluindo o valor da


compra. Eles precisaram tocar em algum dinheiro físico?

Você fará o papel do banco e deverá anotar o valor “gasto” no cartão de


cada um na compra que foi realizada em casa, registrando também se o
valor total foi utilizado e quanto possivelmente sobrou de saldo.

Antes do prazo de vencimento do cartão, diga para a turma que há uma


emergência e eles deverão comprar 5 pacotes de folhas coloridas, um total
de 30 reais, utilizando os seus cartões de crédito.

Veja se algum deles levanta a hipótese de que não poderá comprar pois
gastou todo o limite. Se ninguém falar nada, diga que você tentou utilizar
o cartão e foi rejeitado com a seguinte mensagem: não foi possível
concluir a compra. Por que será?

Debata com eles a importância de saber


utilizar o cartão e não gastar todo o limite
disponível, uma vez que poderemos
precisar utilizá-lo para possíveis
emergências ou podemos não conseguir
pagar toda a fatura com as compras
realizadas, ou seja, devolver todo aquele
dinheiro para quem nos emprestou, o banco
no caso.

E como devolver o dinheiro? Como pagar de verdade o que foi comprado


com o cartão, já que ele não guarda dinheiro dentro dele? Explique para a
turma que com o dinheiro físico, aquele que a gente recebe, faz contas e
troca por produtos e bens, a gente consegue devolver a quem nos emprestou.
Como conseguir o dinheiro? O que é preciso fazer?

Para ajudar as crianças a entenderem de onde vem o dinheiro dos pais


e responsáveis ou até mesmo do/a professor/a, você poderá explicar
brevemente sobre as diversas profissões e como elas contribuem com o
ganho de dinheiro, por meio do salário. Então explique a importância de se
escolher uma profissão,não só pelo dinheiro, mas por nos sentir bem com
aquilo que fazemos!

SUGESTÃO: Você pode


falar da experiência da
profissão que escolheu
para ilustrar ainda mais
este momento.

Você também pode gostar