VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

®

Literário, sem frescuras!
1664ISSN 1664-5243

ESPECIAL

Silvery

NOSSO PLANETA TERRA
Abril de 2011

1

®

LITERÁRIO, SEM FRESCURAS!
GENEBRA, ABRIL DE 2011

ESPECIAL

NOSSO PLANETA TERRA
TERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDEVERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRA VERDE TERRA PLANETA MAE TERRA VRDE MAE PLANETA TERRA VERDETERRAVER-

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19.

IVANE LAURETE PEROTTI DALVA AGNE LYNCH NORÁLIA DE MELLO CASTRO FABIO RENATO VILLELA VALQUÍRIA GESQUI MALAGOLI ANTONIO CARLOS DAYRELL ANDREIA PINHEIRO ORECHOWSKI HIPÓLITO FERRO BETTY SILBERSTAIN OSVALDO ANTONIO BEGIATO VO FIA RAIMUNDO CÂNDIDO TEIXEIRA FLÁVIA ASSAIFE TEREZINHA GUIMARÃES ISABEL CRISTINA SILVA VARGAS RENATA IACOVINO ELIANE ACCIOLY DÉ BARRENSE LARIEL FROTA

20. MARIA CRISTINA SILVA PIRES RAMOS 21. SONIA NOGUEIRA
4

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

22. ROZELENE FURTADO DE LIMA 23. FÁTIMA DIÓGENES 24. JOSÉ CARLOS PAIVA BRUNO 25. LÓLA PRATA

26. DELAYNE BRASIL 27. LILIAN MAIAL

28. ICLÉIA INÊS RUCKHABER SCHWARZER 29. JÚNIOR SCHWARZER SCHMITT 30. TINO PORTES 31. LAVOISIER MENEZES (IN MEMORIAM)

32. CARLOS D 33. LUIZ EDUARDO GUNTHER 34. VARENKA DE FÁTIMA ARAÚJO 35. WALNÉLIA CORRÊA PEDERNEIRAS

36. MARIA ALICE RODOVALHO DE SOUZA 37. ELIANA WISSMANN

38. RENATA FARIAS 39. SEGESTES TOCANTINS 40. ZULEIDE DE J. CORAL 41. EMANUEL MEDEIROS VIEIRA

42. YARA DARIN 43. JU PETEK 44. CÉLIA LABANCA 45. JACQUELINE AISENMAN

5

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Será que ainda é preciso falar da situação pela qual passa atualmente nosso planeta? Capa: Silvery Será que a simples visão do que vem acontecendo ao redor do mundo, entre tsunamis, terremotos, dizimação da flora e da fauna, não bastaria para que a consciência de cada um despertasse? Será que viver num planeta verde, com água limpa e animais e homens convivendo pacificamente não passa ainda de um mero sonho? O que falta para que o ser humano acorde e veja onde se encontra? O que é preciso para o homem perceber o mal feito e reagir para revertê-lo? Perguntas poderiam ser feitas sem parar pois a vida no planeta está por um fio. Mas respostas, todos os autores aqui nos trazem em suas diferentes maneiras de dizer. Falta para o homem, educação e amor. E enquanto não houver consciência e ação, toda a vida do planeta continuará sendo apagada. Não esperemos a extinção do nosso Planeta Terra. Eduquemos, amemos, sejamos a alma, doemos vida ao planeta. Pequenos gestos sempre serão grandes passos. Longa vida ao Nosso Planeta Terra!

EXPEDIENTE
Revista Literária VARAL DO BRASIL Especial NOSSO PLANETA TERRA Capa: Silvery Genebra - CH Copyright Vários Autores O Varal do Brasil é promovido, organizado e divulgado pelo site: www.coracional.com Site do VARAL: www.varaldobrasil.com Textos: Vários Autores Ilustrações: Vários Autores Revisão parcial de cada autor Revisão geral VARAL DO BRASIL Composição e diagramação: Jacqueline Aisenman A distribuição ecológica, por email, é gratuita. Se você deseja participar do VARAL DO BRASIL NO. 10, envie seus textos até 15 de JUNHO para: varaldobrasil@bluewin.ch

Boa leitura!

A Equipe do Varal

6

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

DESAMOR
Por Ivane Laurete Perotti

Pequenas ondas lambem a praia, ...solidão! Iemanjá recolhe seu manto, ...tristeza! Peixes morrem na areia, ...! Crianças não brincam,... solidão! Os enamorados esquecem o beijo, ...soluço! A lua mergulha no mar. geme! ...chora! ...entoa um “réquiem” à poesia... Mãos criminosas sujam a terra abrem feridas profundas, fétidas, purulentas disformes! As torres da catedral testemunham flagelo, horror! Cheiro de morte lenta! Espalha-se a dor. Trilhas incontáveis provam o descaso, agigantam-se... crescem... ferem! Mancham o colo da mãe fecunda afugentam os filhos do amor poluem o berço da vida! Espalham medo. Cortam o regato arrancam a flor Mãos criminosas tocam a terra...

Maculam! Usurpam! Roubam! Chorem olhos incrédulos! A mãe anoitece sobre largas feridas em silêncio em agonia em desamor. Chorem filhos da terra...

Bonalyn-Boyd

7

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Terra
Por Dalva Agne Lynch Terra sustento a ponte unindo opostos. Sustento a morada o abrigo contra o vento e o tormento. Recebo a semente germino dou à luz a flores e frutos germino dou à luz ervas daninhas. Sou alimento e veneno. Terra contenho ouro e prata lava e ácido. Sustento e recebo sufoco e mato. Sou útero e sou cova.

8

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

A chuva é bela!
Por Norália de Mello Castro Hoje, amanheceu com sol e algumas nuvens no céu. Dia quente e lindo. De tardinha, caiu um pé d’água, daqueles com trovões, raios e vento. Veio do Leste e passou por minha casa na direção do Sul. Tive de desligar todas as tomadas preventivamente. Diante de tal chuva, a gente não sabe o que pode acontecer com a eletricidade. Fui então para minha janela, acompanhar a chuva que caía torrencialmente. - Como a chuva é bela! – foi o pensamento ao vê-la cair maciamente sobre aquele tapete verde de árvores, plantas e gramas. Os trovões e raios estavam muito distantes, lá em cima nas nuvens negras. Por toda a extensão, o verde maravilhoso. As montanhas ao longe estavam esplendorosas. As colinas mais ainda. As árvores, mais próximas de mim, se alegravam com a água que as acariciava. A chuva caía tão maciamente sobre aquele tapete verde que me esqueci dos trovões. (tenho pavor de trovões!). - Como a chuva é bela! Senti, por assim pensar, que estava cometendo o maior pecado mortal, me esquecendo, naquele momento, do horror que vivem na Região Serrana do Rio de Janeiro. Lá, o buraco negro incomensurável de sofrimentos: perdas, mortes, pestes chegando, milhares de pessoas sem casa, deslizamentos, desamparo, terror e horror de mortes, doenças, fome, e toda a região – a maravilhosa região serrana – decomposta, perdida. Há dias, o horror se instalou no nosso País, e eu, aqui, admirando a chuva: - Como a chuva é bela! A Mãe Terra dá seu alerta. Os céus clamam. A Natureza chora. Homens e mulheres choram. A Mãe Terra é a nossa casa no Cosmo. Somos parte integrante dela. Somos seus filhos e, como filhos desobedientes, estamos apanhando para aprender: a Dor se instalou lá e cá, em mim, ao lembrar-me das reportagens que tenho assistido.

O que urge é que não haja mais inundações de seres humanos, que se deixam conduzir por enxurradas das fomes, situando-se às beiras de rios e colinas, fragilizadas por lixos. Que não transitem sem abrigo ou teto, ao léu, sem saber onde e como se portarem como gente. Que a ambição desmedida não predomine nas ações para o endinheiramento acerbado. Que acariciem a Mãe Terra como filho amado e amante, não como pretensos senhores superiores às regras naturais que são ditadas pela Natureza, fazendo-a escrava de sua pseudo-sabedoria superior. Que olhem para a Mãe Terra, que nos dá tanta beleza e acolhimento, como Ser que precisa de amor e respeito. Que, como toda a Lei que rege a Natureza, somos perecíveis também. Que o nosso tempo se esgotará fatalmente. Mas, que chegue para todos com dignidade, não soterrados por deslizamentos provocados por atitudes desmedidas e irracionais de outros semelhantes. - Como a chuva é bela! Se bem recebida sob um teto/lar. E que, neste momento de Dor Maior, o amor solidário predomine nos corações e nas ações de socorro. Que a solidariedade seja mais duradoura e que se expanda: que não seja apenas num momento de grande comoção nacional! .

9

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Aquecimento Global

Por Fábio Renato Villela

Com a voracidade que nos é peculiar solapamos o direito de outrem compartilhar esse pequeno ponto azul que nos foi dado habitar. Matamos bichos, árvores, águas e o próprio ar. Agora, o Aquecimento Global sinaliza que é tempo do Homem acabar. Pandemônio, caos, vigílias, promessas e muito rezar. Talvez alguma religião possa nos consolar; pastores, bispos e pais de santo põe-se a clamar: misericórdia! Carolas gritam que é o anticristo a chegar, imploram aos Céus, mas não descem anjos para ajudar. Nos terreiros, os orixás não aparecem para nos salvar. Kardecistas insistem, porém o "espírito de luz" deixou-se ficar. Confucionistas pregam obediência a quem for nos mandar. Budistas afirmam que só a YOGA pode nos remendar. E filósofos põe-se a teorizar, enquanto os práticos põe-se a aproveitar: bêbados a gargalhar, loucos a dançar e virgens a namorar. Otimistas dirão que o copo está a transbordar. Pessimistas, que o copo irá quebrar. Jovens não ligam. Idosos hão de lamentar. Militares põe-se a coordenar, maus políticos a se locupletar (pois a coisa pode melhorar). Terroristas e fundamentalistas deixam de lutar. Já não há o "Deus Certo" a quem se deve adorar. Afinal, sem Homem, para que Deus?

Os cavaleiros apocalípticos reinam e o horror chega para ficar. Há fome, sede e peste. Nada pode sobrar, como disse Deus a Josué em nosso limiar. Os países ricos ficam a derivar, os pobres continuam a mendigar. Todos a delirar. As raças perderão do que se orgulhar. Ou do que se envergonhar. Se tudo já não têm sentido, por que sonhar? A Terra aquece e a Natura expulsa a espécie que lhe calhar. É o fim da história, da cultura, da filosofia. O máximo que se pôde criar. Do mínimo, nem é bom falar. Talvez quem nos substituir seja mais sábio. Compreenda o bicho pequeno (mestre Camões) que vive neste pátio. Ainda que imagine catedrais, contentar -se-á com o átrio. Pois saberá que um passo a mais, é invasão. Desejo sórdido, poder em vão. Coabitará com outras espécies, mas será Senhor apenas de si. Não se rebaixará a roubar alheias messes. Constituirá, talvez, sociedades, artes e filosofia. Saberá que ao não matar, o quanto se cria. Por fim, entenderá que a morte do indivíduo não é um elo partido. É apenas a vida mudando de vestido. Haverá, quem sabe, de viver mais, sem que o seu tempo seja estendido. Também saberá que não há hierarquia, pois esta é apenas um devaneio da esquizofrenia. Admitirá Darwin, pois tudo evolui, mas rejeitará Spencer, pois vê que sem barreiras, o rio melhor flui. E quando chegar à hora de sua espécie descer deste trem fará de maneira sóbria, sem tamanho alarde. Saberá que tudo passa, assim como o azul de qualquer tarde.

10

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

GRAÇAS AO AQUECIMENTO GLOBAL
Por Valquíria Gesqui Malagoli

Lê-se em jornais e revistas: Europa a quarenta graus!; ciclones lá e cá dão pistas de que as coisas andam mal... graças ao aquecimento global.

Europa a quarenta graus!, Ciclones lá e cá dão pistas de que as coisas andam mal... graças ao aquecimento global. Derretem calotas polares.

É graças aos poluentes que vão pela atmosfera que muitos andam doentes que a Terra – a bela – ora, é fera!

Sobe o nível dos oceanos. Tudo isto que vai pelos ares não dá pra esconder sob panos! De outro lado, crescem desertos,

Ozônio e também metano, Dióxido de carbono, têm feito mal ano a ano... Isso é de tirar o sono.

animais e vegetais somem. Está confuso o que era certo; por onde anda o super-homem? Tantas catástrofes climáticas –

A queima de combustíveis vai numa velocidade que coisas antes incríveis ora são tristes verdades.

sabemos – não passam em branco. Mexa-se sociedade estática, antes que vá tudo em barrancos... Sim, lê-se em jornais e revistas,

Desmatamento e queimadas... também a temperatura aumentam a galopadas, por isso a vida anda dura! É... tudo tem consequência. Não basta fazer poemas, nem ter grande inteligência e dela só fazer cenas... Pois sabe-se, está na vista:

que a Europa está a quarenta graus!, e os ciclones lá e cá dão pistas de que as coisas andam bem mal... graças ao aquecimento global. Mas, bons exemplos temos, sim, de gente que não vai na onda do “deixa disso, é mesmo assim”... gente que não faz somente onda...
(segue)

11

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Gente forte e perseverante que ainda rema contra a maré, que se há seca, acode a vazante, que se há enchente, não perde a fé! Pois tudo tem consequência. Não basta fazer poemas, nem ter grande inteligência e dela só fazer cenas... Afinal, está na vista: Europa a quarenta graus!, Ciclones lá e cá dão pistas De que as coisas andam mal... graças ao aquecimento global.

12

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Em defesa do planeta
A humanidade acordou para a necessidade de preservar o meio ambiente e impedir a destruição da própria espécie. Conheça aqui histórias de escolas que já estão ajudando os alunos a mudar de atitude para se transformar em cidadãos mais conscientes
Débora Menezes (novaescola@atleitor.com.br)

Aquecimento global, degelo das calotas polares, recicla- O primeiro passo para trabalhar bem a Educação Ambigem, calor e frio em excesso, água em falta. Nunca os temas ambientais ocuparam tanto espaço na mídia e nas discussões em todos os lugares - das universidades às ONGs, dos ambientes de trabalho às escolas. A palavra de ordem é diminuir os impactos negativos do ser soais e coletivas para salvar o mundo da ameaça (cada tos professores desenvolvendo essa mentalidade. Trabalhando com consistência e continuidade e usando conceitos de Educação Ambiental, eles estão ajudando ental é criar, na escola, um ambiente capaz de envolver os professores de todas as disciplinas (e não só os de Ciências e Geografia, que normalmente "tomam posse" do tema) e também a comunidade. "Não dá para tratar só das questões de natureza. Qualquer trabalho deve Isabel Carvalho. Na EM Malê Debalê, em Salvador, essa Abaeté. A equipe articulou diversos conteúdos e criou uma cultura de trabalhar a questão ambiental todos os dias, com as classes de Educação Infantil e nas séries

humano sobre o mundo. Como? Mudando atitudes pes- incluir a relação com a cidade e seus moradores", diz vez mais real) de colapso. A boa notícia é que já há mui- ligação surgiu porque a escola fica ao lado da lagoa do

suas turmas a formar uma cultura de defesa do planeta, iniciais do Ensino Fundamental. As crianças se acostuenvolvendo as comunidades nesse processo de reflexão, maram a realizar tarefas de iniciação científica (como atraindo colegas de outras áreas em tarefas multidisciplinares e, assim, construindo novos jeitos de se relacionar com a realidade à sua volta. Nesta reportagem, você vai conhecer cinco experiências (feitas nos estados de São Paulo, Bahia, Pará e Santa Catarina) que podem Já a professora Elielza Silva Prata, da EM Maria Flora inspirar a realização de atividades para ajudar a melho- Guimarães, em Benevides, no interior do Pará, deu rar a relação com a natureza. Todas elas têm em comum o fato de trilharem caminhos na direção do que a educadora ambiental Isabel Cristina de Moura Carvamais ênfase à interação com a comunidade ao iniciar um longo projeto de Educação Ambiental. Para conscientizar os moradores sobre a importância de preservar observação para entender fenômenos da natureza, em estudos do meio) e passaram a entender como se dão as interferências do ser humano na paisagem.

lho, da Universidade Luterana do Brasil, em Canoas, no a água (numa região ribeirinha), ela convidou pesquisaRio Grande do Sul, chama de formação do "sujeito eco- dores e especialistas e abriu a sala de aula para a partilógico" - nome usado para definir o que seria o modelo ideal de um ser humano "que tem e dissemina valores éticos, atitudes e comportamentos ecologicamente orientados". 13 cipação de todos num debate amplo sobre a realidade local.

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

"A experiência é muito rica porque se baseia nas neces- ambiente e diretora do 5 Elementos, que atua no setor há dez anos, dá um exemplo de como inserir temas amsidades cotidianas da população e as insere na ação bientais em classe. "Não basta trabalhar só as informapedagógica", afirma a bióloga Maria de Jesus da Conções encontradas na mídia", diz. "É preciso descobrir ceição Ferreira Fonseca, coordenadora do Núcleo de meios de associar esse conhecimento à realidade local e Estudos em Educação Científica, Ambiental e Práticas entender como a comunidade lida com a questão da Sociais da Universidade do Estado do Pará. água. Ao aprofundar-se no tema, os jovens vão conseguir propor reflexões e ações positivas." Objetivos de longo prazo Os especialistas ouvidos por NOVA ESCOLA são unânimes em afirmar que a Educação Ambiental deve ter objetivos de longo prazo. Promover uma festa pelo Dia da Água pode até ser interessante ou divertido para as crianças, mas é pouco. A comemoração, dizem esses professores, não pode ser o objetivo fim, mas um meio para compartilhar os conhecimentos. O mesmo vale para atividades simbólicas, como plantar árvores. Muito mais importante do que a ação em si é explorar com os alunos como o desmatamento afeta a vida em sua cidade, por exemplo. "Assim, eles vão perceber que o plantio das mudas é só uma pequena parte do que é preciso fazer para restaurar nossas matas", explica Sueli Furlan, professora da Universidade de São Paulo e selecionadora do Prêmio Victor Civita Educador Nota 10. "E vão entender que esse é um trabalho para a vida toda, não se resume a iniciativas pontuais." Da mesma forma, de nada adianta montar uma horta e depois não mantê-la. Ou separar o lixo na escola e depois não ter como dar fim a ele. "Não é difícil perceber que mais importante do que sugerir um projeto de coleta seletiva localizado é pensar numa campanha para pressionar vereadores a organizar melhor todo o trabalho de coleta na cidade", exemplifica Sueli.

Ação integrada à comunidade

Entender a realidade e atuar para transformá-la. Foi exatamente isso que os estudantes da EMEF Teófilo Benedito Ottoni, em São Paulo, fizeram. A escola fica junto a uma área remanescente de mata Atlântica e, quatro anos atrás, associou-se a outros agentes da sociedade civil para lutar contra a derrubada das árvores para a construção de prédios. A mobilização levou os jovens a participar de protestos e escrever cartas para as autoridades. O resultado: o local acabou transformado num parque. "As escolas são espaços privilegiados de formação e a Educação Ambiental é a forma de interagir diretamente com a comunidade e operar mudanças na sociedade", diz a antropóloga Lucila Pinsard Vianna, coordenadora da Câmara Técnica de Educação Ambiental do Comitê de Bacias do Litoral Norte de São Em Balneário Camboriú, no litoral de Santa Catarina, o Paulo. trabalho contínuo de Educação Ambiental na rede muBatalhar por melhorias na infraestrutura do bairro, nicipal vem dando cada vez mais resultados. Desde promover palestras e convocar as famílias, as associa1999, a prefeitura investe na capacitação de professores ções de moradores e os representantes de sindicatos e e no desenvolvimento de projetos de médio e longo outras associações para debater os problemas e as posprazo.Graças à experiência dos anos anteriores, a EM síveis soluções são outras formas eficientes de envolver Jardim Iate Clube consegue fazer da reciclagem uma os alunos em atividades que certamente ficarão marcarealidade para toda a equipe de alunos e professores. O das na vida deles. Na EE Professora Josepha de trabalho funciona bem, entre outras coisas, porque tem Sant'Anna Neves, em São Sebastião, no litoral paulista, a efetiva participação de outras instituições da sociedaa questão ecológica ganhou tanto espaço que a escola se de civil. Aliás, foram essas organizações que criaram o tornou uma referência de qualidade na região. Tudo movimento ambientalista e acabaram por chamar a porque a equipe vem atuando há vários anos (e de foratenção de toda a sociedade para a importância de dema coordenada) para promover reformas nas instalafender a natureza. Em muitos casos, foram justamente ções e manter hortas e jardins sempre muito bem cuias ONGs que criaram atividades para usar em sala de dados. aula. A pedagoga Patrícia Otero, especialista em meio

14

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Você faz a diferença
Formar "sujeitos ecológicos" é isto: levar para a sala de aula temas da atualidade e tratá-los de forma transdisciplinar em projetos duradouros que mexam com a comunidade. Um levantamento feito pelo Ministério da Educação revela que, quando isso acontece, alunos e professores fortalecem seus relacionamentos e passam a cuidar do ambiente escolar e a se interessar pelo que acontece fora dele (mostram a parentes, vizinhos e amigos que todos fazemos parte do planeta). Além disso, as experiências relatadas aqui funcionaram bem porque em todas houve a participação essencial de um personagem: você, professor. "Segundo nossa pesquisa, quando os docentes assumem seu papel de líderes, eles contagiam os colegas e esse idealismo seduz os alunos a participar dos projetos", resume Rachel Trajber, coordenadora de Educação Ambiental do MEC. h p://www.adotaretudodebom.com.br/

O apoio da sociedade civil
As ONGs têm um papel importante no debate ambiental, dentro e fora das escolas, fortalecendo principalmente a Educação não formal por meio de campanhas na mídia e da criação de materiais paradidáticos e atividades para alunos de todas as séries. O Instituto Mamirauá (com sede em Tefé, na região do Alto Rio Negro, no Amazonas) já está no quarto curso de Educação Ambiental voltado para professores da rede pública (cerca de 60 escolas são atendidas, num local onde há poucas opções de formação para os docentes). A ONG também discute com o Estado a formação de uma política pública para o tema. Em São Paulo, o Instituto Verdescola auxilia no planejamento de cinco instituições públicas de ensino e uma particular. Além de capacitação para professores, funcionários e pais, a ONG acompanha essas escolas durante o ano inteiro, participando da construção de projetos. Biólogos e pedagogos também dão aulas temáticas dentro da própria grade curricular.

h p://revistaescola.abril.com.br

15

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Por Antônio Dayrell

MEA CULPA: DESTRUIÇÃO DOS ECOSSISTEMAS ÁREAS OCUPADAS IRREGULARMENTE LIXO NOS BUEIROS

16

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Por Andreia Pinheiro Orechowski

NOSSO PLANETA TERRA

O Amanhecer

O poder da Natureza

Pequenos valores da vida

17

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

NOSSO PLANETA TERRA
Por Hipólito Ferro

A terra que sempre existiu e sempre evoluiu por si mesma. A natureza fez a sua parte, em que os antigos gregos dominavam de Gaia. Ou os hebreus de manifestação e criação divina Digitus Dei, metáfora de uma semana e depois houve o descanso Divino... Ela, a terra, sempre esteve proporcionando pequenas belezas e também a sua grandiosidade aos olhos dos homens, seja em uma flor ou na manifestação grandiosa de uma montanha mas também a sua fúria indomável manifestada em reações naturais ou catástrofes ou provocadas pelo desenvolvimento do homem e do próprio curso da natureza. Seria uma resposta ou um jogo de xadrez ou até uma partida de esgrima entre dois jogadores em contínua luta, entre vitória e derrota. De um lado o Planeta Terra e de outro lado o homem. Luta travada há milênios, sem uma resposta a altura da própria Terra e também da ambição natural do homem. Sim não temos respostas suficientes seja para o Nosso Planeta Terra ou a razão e a inteligência e até a loucura do homem. Ficamos nesse imenso Planeta Azul muito belo viajando nesse espaço sideral totalmente escuro somente com o brilho dessa nossa morada redonda. E dentro de cada ser humano a sua capacidade de ver com olhos da inteligência a grandiosidade que está diante de nos por pura gratidão que é totalmente gratuita a sua beleza ou escolhemos os horrores da escuridão do abismo em que estamos fechados dentro da caverna que nos próprios escolhemos...

18

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

A PRAGA DE PLÁSTICO

Por Betty Silberstein
O primeiro plástico, derivado da celulose, foi inventado pelo inglês Alexander Parkes, em 1862. Desde 1976, o plástico tem sido o material mais usado do mundo e foi votado uma das mais importantes descobertas do século XX. Dentre toda a gama de produtos derivados do plástico, o saco plástico foi com certeza um grande herói; entretanto, hoje, se converteu no vilão desta história, já que depressa se tornou muito popular, especialmente através da sua distribuição gratuita nos supermercados e outras lojas. É, também, uma das formas mais comuns de acondicionamento do lixo doméstico e, através da sua decoração com as logomarcas, constituem uma forma barata de publicidade para as lojas que os distribuem. A sociedade moderna desenvolveu um assombroso número de usos para plásticos, graças à sua leveza, durabilidade, versatilidade e custo baixo. Quando jogados, perdidos ou abandonados em meio-ambiente aquático ou marinho, os restos de plástico se apresentam nas mais diversas formas, causando irreparáveis impactos ambientais. São quase totalmente abandonados depois do seu curto espaço de tempo em uso e acabam, invariavelmente, nos cursos de água. Após um animal ser morto por um saco plástico, seu corpo se decompõe e o plástico é liberado novamente para o meio ambiente, pronto para matar novamente.

Além de ser um assassino perverso de mamíferos e pássaros marinhos, destrói também várias outras formas de vida, das maiores às menores criaturas. É uma ameaça visível à diversidade biológica costeira e marítima, extinguindo “maternidades” costeiras, onde – caso os corais não tivessem sido afetados – com certeza novas vidas surgiriam. Quando os sacos plásticos se enrolam e se prendem em volta de corais vivos, estes são “sufocados” e acabam morrendo. A maior parte do lixo marinho perdura por décadas e décadas, acarretando enorme custo econômico e perdas para pessoas e comunidades no mundo todo. Estraga, suja, destrói a beleza do mar e da zona costeira.

19

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

No Brasil, são produzidas 210 mil toneladas anuais de plástico filme (a matéria-prima utilizada para confeccionar as sacolas de supermercado): isto representa 9,7% de todo o lixo do país. Abandonados, esses sacos plásticos impedem a passagem da água, retardando a decomposição de materiais biodegradáveis e dificultam a compactação dos detritos. Supermercados, farmácias e a assustadora maioria do comércio varejista embalam em saquinhos plásticos tudo o que passa pela caixa registradora. Independente do produto, tamanho e quantidade. Mesmo que seja uma mísera barrinha de chocolate, se o comprador recusa o malfadado saco plástico, é olhado de maneira no mínimo estranha. É um fato estarrecedor que o país que sediou com sucesso a Rio-92 (Conferência Mundial da ONU sobre Desenvolvimento e Meio Ambiente) e que tem uma das legislações ambientais mais avançadas do planeta, ainda não acordou para o problema do descarte de embalagens em geral, principalmente dos sacos plásticos.

NÚMEROS: ACREDITE SE QUISER - graças à “PLASTICOMANIA”, o consumo de sacos plásticos está estimado em 500 BILHÕES de sacos plásticos anualmente, ou quase UM MILHÃO POR MINUTO. - uma família acumula em média 60 sacolas plásticas em apenas quatro idas ao supermercado - o The Wall Street Journal afirma que os Estados Unidos utilizam 100 bilhões de sacolas plásticas anualmente. São necessários 12 milhões de barris de petróleo para fazer esta quantia de sacolas plásticas. - usamos cada saco plástico por aproximadamente 12 minutos antes de jogá-lo fora. Em contrapartida a esses minutos, este saquinho pode permanecer no meio ambiente por centenas de anos.

20

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

- o Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas estima que 46.000 pedaços de lixo plástico flutuem em cada milha quadrada do oceano. Eventualmente, 70% afundará, para permanecer para sempre no fundo do mar, afetando – perigosamente – os ecossistemas. - cada pedacinho de plástico fabricado nos últimos 59 anos, que de alguma maneira chegaram ao mar, ainda está lá… afinal, não existe nenhum mecanismo efetivo para decompô-lo. - as qualidades que tornam os plásticos tão úteis é justamente o que faz com que resistam por tanto tempo como lixo. Derivado do petróleo, o plástico eventualmente se decompõe em dióxido de carbono e água, da exposição ao calor e aos raios ultravioletas de calor. Em terra, o processo pode demorar décadas, até centenas de anos. - No mar, demora ainda mais, já que a água salgada mantêm os plásticos frios; além disso, algas, crustáceos e outros tipos de vida marinha bloqueiam os raios ultravioletas. No meio ambiente marinho, sacolas plásticas são letais, matando pelo menos 100 mil aves marinhas, baleias, golfinhos, focas e tartarugas a cada ano, asfixiando os mares, ameaçando a vida de animais e criaturas marinhas no mundo todo e, também, colocando um peso insustentável para o nosso planeta. Albatrozes e outros pássaros marinhos que procuram na superfície do oceano seu sustento, encontram uma enorme extensão de lixo flutuante. Eles “pescam” todo tipo de restos de plástico, achando que é comida. Como resultado, regurgitam nas gargantas dos seus bebês bloquinhos de Lego, prendedores de varal, presilhinhas de cabelo e outros pedaços de plástico que podem perfurar o estômago ou bloquear o esôfago. O simples volume de plástico dentro de um bebê passarinho pode deixar muito pouco espaço para comida e líquido, resultando que quase 40% desses animaizinhos morrem de desidratação ou fome, embora seus diligentes pais acreditem que os estão alimentando corretamente.

21

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

TENDÊNCIAS MUNDIAIS
Vários países têm tomado medidas para coibir o uso de sacolas plásticas, tentando diminuir o lixo plástico que cresce minuto a minuto, ameaçando não só os países em questão, mas o Planeta Terra como um todo. A tentativa de abolir totalmente a malfadada sacolinha plástica pode ser considerada um tanto utópica; entretanto, governos de todo o mundo tentam achar uma solução para o problema. Se não para exterminá-lo de vez, pelo menos minimizá-lo. Muitos estão considerando implementar medidas como as tomadas na Irlanda: - uso de sacolas reutilizáveis - criação de taxa de lixo diferenciada, conforme o tipo de lixo produzido: obviamente, a mais cara é que a correspondente ao lixo que vai para os lixões. O lixo reciclável é isento de taxas. - programas patrocinados pelo governo, promovendo ações de alerta ambiental, pedindo aos consumidores para reduzirem seu lixo, convencendo-os a considerar alternativas eco-amistosas para as sacolas plásticas. - implementação e difusão do bioplástico, plástico elaborado à base de materiais biopolímeros.

22

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Entretanto, uma taxa cobrada sobre as sacolinhas plásticas de supermercado parece ser a solução que mais benefício trará, em um menor espaço de tempo. Na Irlanda, gastava-se 1.2 bilhões de sacolas plásticas todo ano (ou 316 por pessoa), até que foi introduzida a PlasTax (Taxa do Plástico): 15 cents de libra esterlina. Resultado: o consumo de sacolas plásticas diminuiu em – pasmem! – 90%!!! Além disso, o valor recolhido por este imposto 9.6 milhões de libras, no primeiro ano - serviu para iniciar um “FUNDO VERDE”, destinado a beneficiar o meio ambiente ainda mais. De quebra, no processo, 18 milhões de litros de óleo foram economizados pela redução da produção. A Irlanda continua sendo um modelo para todos os países na luta contra as sacolas plásticas: consumidores têm adotado cada vez mais sacolas reusáveis e a taxa anterior já subiu para 22 centavos por sacola plástica. Materiais plásticos biodegradáveis prometem, a um custo um pouco maior, resolver o problema ambiental causado pelos sacos comuns; estão sendo desenvolvidos com fórmulas diferentes em vários pontos do planeta. Ao passo que um saco plástico comum pode demorar cerca de 100 anos (dependendo da exposição à luz ultravioleta e outros fatores) para se decompor, o novo material levaria cerca de 60 dias. Em Cajamar, a RES produz plástico biodegradável a partir de polímeros do álcool. O setor de biotecnologia do IPT desenvolveu um plástico derivado, por ação de uma bactéria, do açúcar de cana. A fábrica da BASF em Ludwigshafen, Alemanha, produz em escala crescente o plástico biodegradável, o Ecoflex. Na Austrália, está sendo desenvolvido um tipo de bioplástico – por uma firma chamada Plantic – cujo componente principal (90%) é amido de milho e outros materiais orgânicos, como água e óleo. Afirmam que pode até ser comido! Isto significa que esta sacola de plástico biodegradável vai se dissolver e desaparecer em contato com a água; se colocado em compostagem, Plantic afirma que este produto desaparecerá em 3 meses, liberando água no solo.

23

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

O QUE VOCÊ PODE FAZER?
É preciso declarar guerra contra a plasticomania e se rebelar contra a ausência de uma legislação específica para a gestão dos resíduos sólidos. O problema em si é grave e de difícil solução. Entretanto, você pode ajudar a reduzir o consumo de sacolas plásticas, adotando ações simples. Utilizar sacolas de compras reutilizáveis (de algodão, por exemplo, como nossas mães e avós faziam antigamente): isto ajuda as pessoas a consumirem menos, preservarem recursos naturais e economizar também. Cada sacola de compra reutilizável que você usa tem o potencial de eliminar centenas, se não milhares, de sacolas plásticas que serão descartadas no meio ambiente, aumentando a poluição.

Recusar sacolas plásticas no caixa é uma medida simples, que qualquer um pode adotar para tentar reduzir a quantidade de lixo produzida.

Ajude a Natureza! Auxilie o Meio Ambiente! faça parte do esforço para salvar nosso planeta. Use, Reuse E - Principalmente – RECUSE!
24

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

VALENTIA Quero-te como serra Por Oswaldo Antônio Begiato Quero-te serra como serra de meus olhos menina E quem guarda a serra Serra de muita terra Serra de muita água Serra de muito mato Serra de muito bicho serra apenas serra apenas Japi Não te quero como serra de gente miúda de gente sem terra de gente com muita terra Não te quero como serra de muitas serras motos que vagam pela serra motosserras na serra magnetismo de polos na serra serra elétrica na serra mãos que tocam a serra serra manual na serra São muitas as serras na serra Serras que lhe cortam o lenho e lhe fazem lotes e lhe esquartejam
25

serra de milhões de chuvas e de nenhum fogo Mas será que chove na serra ou será que serra na chuva?

guarda a chuva e apaga o fogo? é o enterro adiado... Ao diabo quem serra a serra todo dia de água benta de fogo-fátuo Ao diabo porque a serra é valente e é de fé

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

CONSUMO RESPONSÁVEL

Dê preferência a produtos de madeira com o selo FSC. Esta é a garantia de que a madeira foi retirada corretamente. O desmatamento é o principal responsável por nossas emissões de gases causadores do efeito estufa. Ao comprarmos produtos sustentáveis, diminuem os incentivos para desmatar a floresta.

• • • •

Consuma alimentos da estação e dê preferência aos orgânicos, que não utilizam agrotóxicos. Assim você cuida da sua saúde e do meio ambiente. Evite pegar sacolas plásticas desnecessariamente. Carregue uma sacola ou uma mochila com você quando for fazer compras. Assim estará gerando menos lixo. Dê preferência a produtos com pouca embalagem ou embalagem econômica que geram menos lixo. Procure comprar produtos fabricados perto de onde são vendidos. Desta maneira, os produtos não precisam ser transportados por longas distâncias e, consequentemente, não há emissões desnecessárias de gases causadores do aquecimento global.

• • • • • • • • • • • • • •

Use pilhas recarregáveis, Assim, você evita poluir o meio ambiente e gasta menos. Descarte as pilhas em locais apropriados de coleta e não no lixo comum. Leve as baterias usadas de celulares para as revendedoras. Elas não devem ser jogadas no lixo comum, pois contêm metais pesados altamente tóxicos para a saúde humana e o meio ambiente. Evite substituir seu aparelho celular desnecessariamente Além de gastar dinheiro, você estará contribuindo para uma maior poluição do planeta. Evite comprar o que você não precisa para não gerar mais lixo. Para facilitar, faça uma lista prévia. Além de economia, terá menos lixo Procure melhorar seu computador ao invés de comprar um novo. Anualmente, mais de 20 milhões de toneladas de lixo eletrônico são descartados. A maioria ainda não é reciclada. Prefira comprar em lojas que adotem práticas socioambientais corretas. Use tintas a base de água para pintar sua casa. Elas são menos tóxicas e menos poluentes. Dê preferência a guardanapos e toalhas de pano ao invés de descartáveis. Use os dois lados da folha de papel. Imprima e-mails e documentos somente quando necessário. Não pegue panfletos entregues na rua a não ser que esteja interessado nas informações. e pegar, não jogue na rua depois de tê-lo lido. Utilize calculadoras e lanternas que possam funcionar com energia solar ou dínamo. Desta maneira não é necessário usar pilhas.

http://www.wwf.org.br/

26

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

A TERRA QUE VI E A QUE VEJO AGORA!!! Por Vó Fia

Na minha infância e juventude eu vi uma Terra linda e preservada. Nos campos, o verde prevalecia nas matas intocadas e nos pastos viçosos cobrindo as encostas das serras; os pássaros faziam seus ninhos nas arvores e cantavam livres e felizes; os animais de pequeno e grande porte, viviam soltos e bem alimentados pela Mãe Natureza intocada e respeitada. Cortando e molhando a terra existiam rios caudalosos e repletos de peixes, ribeirões e fontes de água potável e fresca, onde o homem e os animais matavam a sede; os pescadores jogavam suas redes e as recolhiam cheias de pescado saudável e saboroso e, com todas essas bênçãos, o ser humano garantia a longevidade e vivia feliz e bem alimentado. Os homens sabiam de seu lugar e das dádivas que recebiam da Mãe Terra e com ela conviviam pacificamente sem agressões, porque a agricultura nos moldes antigos e tradicionais era orgânica. Ninguém sabia o que essa palavra significava, mas sabiam que se a terra fosse limpa e arada, as sementes nela colocadas brotariam e dariam frutos. O tempo também colaborava; as estações se sucediam normalmente sem surpresas, tudo dentro da normalidade: verão, primavera, outono e inverno nunca mudava, quando era tempo de calor vinha o calor, as chuvas chegavam pontualmente no dia de São José, { Dezenove de Março}, no outono a temperatura caia ligeiramente e as frutas eram suculentas e doces e o frio chegava em Junho. A Mãe Natureza nunca se atrasava e os lavradores plantavam suas lavouras confiantes no ritmo certo das estações e colhiam suas fartas safras em seu tempo certo, porque os homens não agrediam a terra e eram recompensados pelo seu trato respeitoso; era a paz, a fartura e a felicidade.

27

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Agora eu vejo a Natureza agredida e desrespeitada, as matas devastadas a ferro e fogo, os rios poluídos, com suas águas envenenadas e os animais expulsos de seu habitat natural, morrendo atropelados pelo transito sem regras e capturados por traficantes desumanos, para serem vendidos a quem der mais, porque a caça agora é por lucro. O que comemos já não tem um bom gosto, porque nos alimentamos com medo dos venenos atirados aos galões sobre a terra exaurida para que produza sempre mais e essa produção forçada, nos deixa o subproduto das doenças incuráveis e destruidoras, mas o lucro das grandes empresas fica garantido e o ser humano mais uma vez é esquecido. Das verdes matas, dos rios de águas limpas e piscosas e dos pastos exuberantes pouco resta e em consequência o ar puro do passado se tornou pesado e venenoso, até o simples ato de respirar esconde perigos e tudo isso pela falta de respeito com nossa Mãe Natureza que, agredida, se vinga mudando tudo: verão, primavera, outono e inverno se misturaram. Agora a chuva cai na hora do calor chegar, o frio chega de repente, a primavera é triste e o outono nem existe mais; a poluição tomou conta de tudo e parece que os habitantes de nosso planeta não percebem o perigo que isso envolve, porque não sabemos o que nossos filhos e netos vão encontrar no futuro, porque nossa Mãe Natureza está muito zangada. Se não houver mudanças, não vai haver esperança.

28

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Era...
Por Raimundo Cândido Teixeira Era uma imensidão, um intenso sorrir do infinito que se desfez ao teu olhar! Era um bela harmonia de tranquila paz ao mar que se desmoronou ao teu olhar! Era um feliz torrão natal, muitíssimo venturoso, um lar que de repente sumiu ao teu olhar! Era a intensa natureza no deleite jubiloso de luz que se apagou ao teu olhar!

29

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Planeta Terra
Por Flávia Assaife

Formado pela agregação de poeiras cósmicas Por aquecimentos e resfriamentos gravitacionais Planeta que compõem o sistema solar Possui forma ondulada e elipsoidal com 3/4 de sua superfície formada por água... Este é o Planta Terra: a nossa morada! Nele vivemos há milhões de anos protegidos da radioatividade vinda do sol e das estrelas pelo campo magnético formado entre o núcleo e a atmosfera. E o que NÓS fazemos para proteger a Terra? Sua crosta ou litosfera composta por oxigênio, silício, alumínio, magnésio e ferro está em constante movimento lento e contínuo... Neste planeta a biosfera proporciona a propagação da vida pelo adequado equilíbrio entre a hidrosfera, atmosfera e litosfera! E o que o ser humano tem feito para manter o equilíbrio da vida na Terra?

Com um ecossistema equilibrado e perfeito, Os seres vivos foram desenvolvendo-se, adequando-se... Tornando rica a biodiversidade, Povoando este lugar, fazendo dele o seu lar. E hoje? Que espécie de ser vivo habita neste lugar?

Segue 30

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

As relações entre os seres vivos e os elementos físicos da natureza começaram a se deteriorar... A cobiça do homem avassala o seu próprio habitat. Consome sem pudor, destrói em nome do progresso, E o pior, tem consciência dos reflexos... Que tipo de herança estaremos deixando para o local que chamamos de lar? Aquecimento global? Planeta sustentável? Alguns acreditam que são ações sem igual... Outros percebem o quão a luta é desigual. Aniquilam, devastam aos poucos um Planeta fenomenal... O lar de nossos ancestrais, O lar de nossos pais! E, será que este ainda poderá ser chamado de lar pelos filhos de nossos filhos? Pelos netos, dos nossos netos? O que estamos fazendo para cuidar Dele, para preservá-lo? Basta de esperar que outros façam Basta de reclamar e nada fazer Basta de somente assistir aos jornais na TV É preciso agir É preciso fazer acontecer O Planeta TERRA pede socorro para você!

31

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

32

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

MÃE NATUREZA
Por Isabel Cristina Silva Vargas Dá a vida, desabrocha Acolhe, Promove esplendores Belezas sem par. Dela tiramos sustento Alegrias para os olhos Espaço para viver Locais para lazer, Descanso , meditação Reencontro da harmonia Nela constroem-se moradas Arranha – céus, imponência Para iludir o espírito E ter a falsa ideia de solidez Perpetuidade, poder Pensando que aqui ficaremos Que a vida é amontoado de bens Utilitários, adereços. Vã ilusão Viver é ser transitório Despir-se das cangas Que aprisionam o essencial Ofuscam a luz Distanciam do DIVINO. Mãe Natureza Insultada, ofendida, degradada Nos mostra dolorosamente Que a vida é troca de ações Pensamentos, energia Que construímos paredes em excesso
33

Ao invés de preservar florestas Cultivar flores Atrair beija-flores e borboletas, Dar liberdade aos animais. A natureza se liberta Liberta as almas Provoca sofrimento Por desconhecermos A real essência de viver.

Foto da Praia do Laranjal - Lagoa dos Patos, Pelotas, por Isabel Cris na Silva Vargas

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

É mais uma vida que nos deixou.

AMAZÔNIA

É muito veneno pulverizando o ar, Algo que Amazônia já inspirou.

Por Terezinha Guimarães
Quem diria! Uma terra cheia de vigor e alegria Nutrida de alimentos De vida e de amor. Amazônia do Brasil Terra de todos e do nosso senhor. De tão rica esplendida, Inspirava grandes amores. Não demorou olhares atentos ali chegaram, Em nome do progresso o homem se instalou, Manipulou sua essência, Denegriu seu valor, Cravaram no seu coração, Flechas, palavras ásperas e fogo, Ferindo seus princípios Machucando seu amor. Cada árvore derrubada, É uma vida que se foi. Cada animal retirado do seu habitar,

No seu leito em chama, ela clama, Sua ferida aumentou. O homem parece não temer o futuro, Já se sente um vencedor. O que vai acontecer se Amazônia morrer? Salvar sua vida é bem necessário, É algo para hoje. Acorda povo, Se não cuidarmos agora, velaremos depois, Se a Amazônia morrer, irá com ela grande parte do nosso povo.

34

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Salvação
Por Renata Iacovino

Enche nosso pulmão de ar tropical, resiste ao cruel instinto predador, obra imensa, finita e tão genial. Traz-nos vida só pela sua cor. Sua diversidade é colossal, mata que guarda o mais forte clamor nessa sua extensão territorial, pede respeito por seu interior. Sua grandeza sempre nos inspira sua existência é, então, nossa razão, pois nos dá vida sempre que respira. Não desista, mas veja: a salvação virá dos homens que não têm na ira sua ganância, sua ostentação.

35

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Telas de Eliane Accioly

36

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

BARRANCOS DO VELHO CHICO Por Dé Barrense

BARRANCOS DO VELHO CHICO AH! QUE SAUDADE ME DÁ EU HOJE ESTOU BEM DISTANTE DAQUELE GRANDE LUGAR À MARGEM DO VELHO CHICO FOI LÁ QUE EU NASCI JÁ BEBI DE SUAS ÁGUAS JÁ LAVEI AS MINHAS ROUPAS JÁ NAVEGUEI EM SUAS ÁGUAS JÁ BANHOS, PERDI A CONTA.
Victor Mota

FAMÍLIA AQUI JÁ DOBROU TRABALHO SE ACABOU HOJE QUEREMOS VOLTAR PARA O NOSSO GRANDE LUGAR DAQUI A GENTE SÓ ESCUTA QUE ELE VAI SE SECAR VOCÊS QUE AINDA ESTÃO AI PODERIAM SENTIR DÓ NÃO DEIXE OS HOMENS DESVIAR O NOSSO RIO, MAIOR. POIS NOS DIGAM, POR FAVOR, COMO VAMOS SUSTENTAR NOSSAS FAMÍLIAS SEM ÁGUA; E SEM O PEIXE QUE ELE DÁ?

37

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

CIRCOS COM ANIMAIS NÃO DIVERTEM TODO MUNDO!

38

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Por Lariel Frota
- Zé, vou precisar de dinheiro. Meu pagamento é só na semana que vem. -Dinheiro extra, você deve estar de brincadeira. Só tenho trocados pro café. -A professora falou que o Mauricio precisa de um dicionário. -O inferno, sabia que a sua ideia ia dar nisso. Escola particular pensa que dinheiro dá em barranco? - Quem paga a escola dele sou eu. Dou um duro danado pra que tenha um futuro melhor, e o único caminho é o estudo. Deixa pra lá, vou pedir adiantamento pra patroa. (...) As chuvas mais uma vez trouxeram pânico as periferias. Os bombeiros, sabem que sob a montanha de lixo e entulho, que desceram morro abaixo, não deve haver sobreviventes da sala de aula da escola particular de educação infantil. Zanzando como um morto vivo, José não chora, carrega suas dores em silêncio, atormentando-se com as recordações da conversa da noite anterior. -Pai, não fica nervoso por causa do dicionário. As palavras não perderam sentido, mas todo mundo precisa conhecer outras diferentes. Você sabe por exemplo o que quer dizer flatulência? -Não, parece nome de flor, igual Hortência! -Nossa pai, errou feio, flatulência são os gases que nós e outros animais eliminamos. Sabia que os cientistas descobriram, que nas flatulências das ovelhas, existe gás metano, responsável pela destruição da camada de ozônio? -Tai, você acabou de falar um monte de palavras que nunca ouvi. Flatulência quer dizer pum... e saber isso vai melhorar a minha vida em que? -Não adianta Maurício. Seu pai não entende. Pode deixar, vou pegar adiantamento na sexta, sábado vamos comprar o dicionário. -Não sou nenhuma besta não mulher. Sei que estudo é importante, se pudesse também teria estudado, e hoje não trabalharia tanto, pra ganhar um salário de fome. Posso ser ignorante, mas não sou burro. -Vocês não vão brigar por causa de um dicionário né? -A gente não tá brigando filho, eu e seu pai estamos “dialogando acaloradamente”, não é assim que fala? -Olha a mãe usando palavras novas! Ouviu essa pai? -Claro garoto, também sou capaz de aprender novidades, quer ver? Bia, na janta não vou comer feijão preto, me dá muita fatulência. -Muito bem pai, só tem uma correçãozinha: é flatulência.
39

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

-Pelo jeito quando o dicionário chegar, todo mundo vai virar doutor nessa casa, mas vamos pessoal, a janta tá esfriando. (...) Ele continua ali, perdido dentro de um pesadelo do qual sabe não poderá acordar. Um grupo de repórteres cerca uma autoridade, sem querer, acaba ouvindo as vazias divagações sobre a tragédia: Começa a sentir uma revolta estranha, um ódio avassalador, um rancor ao ver as cenas de demagogia costumeira. Eles sempre aparecem para pedir votos, ou se desculpar diante de um desastre. Nunca assumem sua responsabilidade. Do jeito que falam, parece ser do povo a culpa de tudo. Se acaso ele soubesse das condições impróprias do terreno, teria dado um jeito de sair daquela sujeira enterrada, que transformou o sonho da casa própria, em túmulo do seu único filho. (...) -Oi Zé, ainda bem que acordou! - Onde estou? Minha cabeça está doendo. - Não se lembra do que aconteceu? Você estava perto do desmoronamento, tinha uma multidão em volta. Disseram que de repente você correu em direção a um grupo de jornalistas que faziam uma reportagem, acho que para ouvir o que dizia o pessoal da prefeitura. O chão estava escorregadio, tanto que estava com um pedaço de pau na mão, certamente para se apoiar, não é? Caiu e bateu com a cabeça, você desmaiou. Ainda bem que o pessoal do corpo de bombeiros estava por perto e te socorreu. Não se mexa muito, tem um corte grande na testa, mas já suturaram. O médico garantiu que está tudo bem; quando acabar esse soro pode ir pra casa. -Pelo amor de Deus e o nosso menino, acharam ele? -Calma Zé, na hora do seu acidente, estava justamente te procurando pra avisar. Ele foi com os coleguinhas até a biblioteca. Na falação de ontem, esqueci de falar: como vários alunos estavam sem o dicionário, a professora resolveu leválos para fazer a pesquisa . Foi por Deus, a sala deles foi completamente destruída. (...) Algum tempo depois, longe do local da tragédia, a família refaz a vida em lugar seguro. -Mãe, hoje o pai chega tarde né? -Sim filho, ele tem aula no curso supletivo. Ah, ele pediu pra deixar o dicionário, que ele precisa fazer uma pesquisa amanhã, disse que é sobre o pum da ovelha. -Ele quis dizer: os efeitos do gás metano, na destruição da camada de ozônio.

40

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

TERRA QUE ( EN ) TERRA...
Por Maria Cristina Pires Silva Ramos Fico a imaginar o que a Dona Terra pensa de nós , humanos , civilizados . Civilizados ?

para pensar sobre tamanha barbaridade ! Será que a TERRA , num lampejo de fúria , a qualquer momento nos brindará com o "famoso troco"? A Natureza é MÃE mas não é tola ! A TERRA é sua Mestra e sabe muito bem ensinar !

Ela , a TERRA nos ensina mostrando : seu grito através de tsunamis , sua fúria através de deslizamentos (vômitos de lama!) , sua lealda- Nós abrimos "feridas" profundas na TERRA de ao permitir que tentemos algo melhor . com a nossa ocupação que não respeita limiE me pego a pensar sobre a TERRA , tes : = Construímos casas , prédios , num modernismo tão atual quanto devastador . - Nós definhamos a TERRA com a nossa impiedade aos cortarmos árvores : = E ficamos sem as suas sobras , sem seus frutos . - Nós desgastamos a TERRA como se ela fosse "um poço sem fundo" : = Impiedosamente escancaramos feridas rasas e profundas e , como se isso não tivesse a mínima importância , fingimos que tudo está muito bem . - Nós banimos da TERRA os animais "irracionais" quando destruímos seus "habitats" : = Onde vão morar ? O que terão para comer ? Sol ? Chuva ? - Onde vão se abrigar ? E os civilizados continuam ... - Nós poluímos a TERRA sem nos preocuparmos nem um pouco com "doenças adquiridas" : = E damos o nome a "isso" de "progresso" - Nós conseguimos , em alguns bons trechos , cobrir a TERRA com o progressista asfalto : = E o nosso poder de destruição não acaba por ai . Mas nós , os civilizados , nunca nos detivemos
41

No dia em que estarei SOB a TERRA , De que maneira ela irá me "abraçar"?

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Nosso Planeta Terra
Por Sonia Nogueira

È nosso planeta, onde nascemos, crescemos vivemos, amamos e morremos. Ou fingimos que amamos. Quando amamos damos o que temos de melhor, cuidamos, zelamos, adoramos. Tudo é em prol do amor, é prioridade. Quando vejo na terra o vegetal, matéria prima, ao nosso sustento, aflorar qual jardim imensurável; a casa, cobertor que aquece as famílias, rios e mares, fortuna indispensável à vida; mineral enriquecedor dos afortunados; a fauna grandiosa de seres vivos ao equilíbrio ecológico; prostro-me diante de tanta oferta doada ao homem e choro, o choro do silêncio dos aflitos diante de tanta crueldade que a mão insana projeta: Lixo, água poluída, desmatamento, animais retirado do seu habitat, gazes na atmosfera, queimadas, peixes envenenados, a resposta vem com a mesma recompensa da dádiva. A natureza é sábia e como mãe que oferece todas as condições de proteção aos ilustres filhos, vem à recompensa em forma de destruição tragando cidades, avançado os mares, gazes mortais, doenças incuráveis, quedas de temperatura etc. etc.. São milenares as distorções em massa, mas o homem contribui de forma assustadora, pela ganância e desrespeito a nossa mãe terra. Acordemos enquanto há tempo, ou então as gerações futuras, receberão a pior das heranças a destruição por asfixia do ar, a sede por falta de água pura, as doenças incuráveis, a incapacidade de corrigir o quadro, pintado na tela com a tinta a óleo que mão e mentes projetaram.

42

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

O que eu posso fazer para evitar o tráfico de animais silvestres?

Não compre objetos e bijuterias com penas de animais.
• •

Conheça a Lei de Crimes Ambientais. Não compre animais silvestres.

Denuncie tráfico de animais silvestre à Linha Verde do Ibama

Passe essa dica adiante.

h p://www.wwf.org.br/

43

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Protect Earth www.hsharma.com

44

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

PRISIONEIRO DA INVEJA
Rozelene Furtado de Lima Ao longe vem um canto triste trinado Um pedido de socorro, um choro cantado, É um lamento, o som pesado da agonia. Uma queixa que ouço durante todo o dia. É um pequeno pássaro lindo e indefeso Que foi objeto de um homem invejoso, Da beleza, da liberdade e do canto mavioso. Foi iludido, caçado, condenado e preso! A pena mais dolorosa, mais cruel! Viver numa pequena gaiola de madeira Com um poleiro, água, forro de papel, E uma ração considerada de primeira. O canto da tristeza ressoa apelante Que foi que eu fiz? Tirem-me daqui... Vou voar muito alto para bem distante Eu juro, nunca mais vou voltar aqui, Prometo agora: - nunca mais cantar, Nunca mais anunciar o amanhecer E no por sol me calar e me esconder Nunca mais, na sua frente aparecer. Mas me solte, não quero ser prisioneiro.

Quero ser passarinho, sair deste poleiro. Quero soltar minhas asas com vento viajar Com o bando da minha plumagem, voar. Quero construir meu ninho, Quero chocar meus ovinhos Quero ter meus filhinhos, Não quero viver sozinho! Tenho alma nobre e voz de cantor. Tenho a sensibilidade do poeta. Tenho a vida livre como meta. Tenho na mente o amor do criador!

45

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

TRÊS ANOS AJUDANDO A SALVAR OS RIOS E MARES DO BRASIL
Fazer trabalho de educação ambiental no Brasil, nem sempre se atinge os objetivos esperados; não dá fama e nem dinheiro... não se obtém facilmente apoios, e nem mesmo patrocínios! A grande maioria, não está nem aí... até mesmo os políticos e governantes, preocupados com o que dá mais visibilidade, deixam para um segundo plano, os investimentos na área ambiental! Defender rios, ribeirões, córregos e lagos... brigar e denunciar esgotos sem tratamentos e lixos nos cursos d' água das comunidades, nem sempre é bem aceito ou valorizado!

Mostrar que estão derrubando as matas ciliares, para cultivo agrícola no lugar das mesmas, também não é visto com bons olhos, pelos donos das terra ribeirinhas... os primeiros a reclamar que o córrego está secando! Envolver as crianças, adolescentes e jovens estudantes nas causas ambientais, muitas vezes provocam críticas dos próprios educadores, que "entendem" que as mesmas têm "coisas mais importantes para fazer" Manter por três longos anos um trabalho de orientação, valorização e promoção daqueles que trabalham na defesa dos recursos hídricos em suas comunidades ribeirinhas, pode até não significar muito... MAS TENHAM CERTEZA, DÁ UMA SATISFAÇÃO IMENSA E A ALEGRIA DO DEVER CUMPRIDO, DE FAZER A NOSSA PARTE EM DEFESA DAS ÁGUAS DE NOSSAS GERAÇÕES FUTURAS!

É um Blog destinado a todos aqueles que estão preocupados com a má qualidade das águas dos rios e mares do Brasil. Que buscam de alguma forma, através de atitudes PROATIVAS, recuperá-las, conservá-las e preservá-las pela revitalização e renaturalização de nossos cursos d' água. Orientação e conscientização através da Educação Ambiental. SE ESTÁ DISPOSTO E PODE AJUDAR, SEJA MUITO BEM VINDO!!! OS POLUÍDOS RIOS E MARES DO BRASIL, AGRADECEM! (sosriosdobrasil@yahoo.com.br) http:// sosriosdobrasil.blogspot.com/

OBRIGADO A TODOS, QUE NESTES TRÊS ANOS DO BLOG SOSRiosBr, NOS AJUDAM, NOS APOIAM E NOS INCENTIVAM NESTE PEQUENO TRABALHO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, EM DEFESA DOS RECURSOS HÍDRICOS DO BRASIL! Prof. Jarmuth Andrade Físico e Ambientalista sosriosdobrasil@yahoo.com.br

46

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Redonda de Icapuí

Por Fátima Diógenes

As horas passam preguiçosas neste lugar de sonhos...O mar é muito verde e a praia está repleta de canoas, botes, catraias, pedras e arrecifes...As casas olham para o mar e com suas redes estendidas nas varandas me convidam para mais um bocadinho de descanso...A praia se estende branca e a brisa levanta a areia suavemente...À luz do dia, a entrada de Icapuí me recebeu com uma camada verdejante de coqueiros e um céu muito azul, com luminosas nuvens brancas...A paisagem deslumbrante...O vento por ali se torna música para acompanhar a deliciosa culinária dos frutos do mar – apelo à gula e à preguiça... Tudo me convida ao repouso e à languidez....Lá o tempo se desenrola sem pressa e o ritmo é biológico...Acordo cedo para ver o nascer do sol, tomar banho de mar ou caminhar na praia... O momento de comer é quando a barriga me avisa... A hora de dormir é quando o sono chega... E assim se fazem todas as coisas...Ē a própria vivencia do Presente...Em suas tardes mornas, Redonda já me faz sonhar com o paraíso... A maresia me invade e desperta meus desejos mais íntimos... A falta de pressa e o gostinho de férias provocam em mim a vontade de levar a vida com a liberdade e o prazer que aquele lugar sugere...A brisa, acariciando meu corpo repousado languidamente numa rede de tucum, leva embora minhas mágoas...Dia a dia o som do mar transforma minha solidão em solitude ...Diante do esplendor daquele céu minhas dores se aquietam ou são levadas pelo vento... Nem sei ao certo... As palavras tornam-se desnecessárias naquele local de silêncio e paz... Sinto a vida pulsando no mistério e na esplêndida beleza da praia de Redonda de Icapuí.

h p://www.peixegordo.com

47

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Yucatán Por José Carlos Paiva Bruno
Sede Maia, cede saia, sede caia na gandaia... Frenética praia! Península que insula rastro do fim... Apocalipse dos dinossauros de Spielberg, sessenta e cinco milhões de anos antes... Amarantes, anteriores infernos de Dantes... Comédia do meteoro, cosmo que choro! Impacto Chicxulub contacto... Pranteando uma era de final de fera... Acabou-se galera... Começar de novo, Simone coro, fênix do namoro, quebra de decoro... Perfil do novo jogo; engodo? Engordo só de pensar em calota polar, derretendo em descongelar, fora do freezer terminar... Quo Vadis minha gente, que seja diferente... Equilíbrio do crente, é preciso educar, pra poder acreditar, evitar amanhã sem mar... Amar o nível atual, maré do bom astral; bicho carnal, carnívoro animal, lobo-macaco fabricando catarse... Errando a frase – Meio ambiente necessário! – que pare, epicuristas do vale do momento, vale -tudo lamento... Bicho-papão poluição, carecemos da ação, desses sete bilhões de macacos... Fantoches darwinianos, xotes quixotes protagonistas do Armagedon, não adianta dedo em riste... Cataclismo triste; ou sentamos e nos lavamos, roupa suja por aqui... Respeitando a Natureza, realeza de nossa mesa, Mãe Terra de nobreza... Ou não mais estaremos, não pela nova ameaça do céu, mas por suicídio cruel... Destruindo a nave, tripulantes entrave, quem sabe? Travando a vida, em bestial corrida, suicida! Homem lobo do Homem, dá dor até de abdômen... Desde oricalco idade, piedade... Descalço; dó de ser Homem... Mas... Nós somos muito fortes, capazes de mudar a Sorte... Guerreando as estrelas do mesmo Criador dos dinossauros... Vencendo meteoros, decoros coros, decoro coro, coro!!! Acabrunhado assim, pois que diferente dos dinossauros e estrelas guerras, quimeras... Somos imagem e semelhança de Deus! Deus de todas as cores e amores, começo meio e fim, de Yodas e Lukes Jedis, até do Mensageiro Lucas... Não há FORÇA sem relação, não interna mais externa, parâmetro de REFLEXÃO, mormente que o socorro não se limita à DIMENSÃO!!! Negando pérolas aos porcos. Orgos amorfos... Império do escuro, monturo... Mormaço da mente, aprende, apreende tempo que entende e não mente... Certamente! Caminhando e cantando e seguindo a canção, somos todos iguais braços dados ou não... Valeu Vandré... Bicho de pé... Chichén Itzá! Orixalá!!!
48

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

CUIDE DOS RECURSOS HÍDRICOS

• • •

Conserte torneiras que estiverem pingando. Isso poderá evitar o desperdício de até 45 litros de água por dia. Instale torneiras com aerador - "peneirinhas" ou "telinhas" - na saída da água. Assim você acaba utilizando menos água. Evite utilizar a mangueira para limpar jardins, calçadas, passeios e quintais. Use uma vassoura para executar essa tarefa. É mais rápido e não gasta água. Utilize um regador para molhar as plantas. Quando a mangueira é utilizada para este fim, muita água é desperdiçada. Substitua a mangueira por um balde e um pano para lavar seu veículo. O consumo de água será muito menor. Desligue a mangueira quando não estiver sendo usada. Isso evita o desperdício de água. Feche a torneira enquanto ensaboa as mãos, escova os dentes ou faz a barba. Não desperdice água. Colete água da chuva para regar suas plantas. Assim você não gasta água encanada. Mas lembre-se de armazená-la em um recipiente fechado para evitar a proliferação do mosquito da dengue. Lave a louça em uma bacia com água e sabão e abra a torneira só para enxaguar. É mais barato e melhor para o meio ambiente. Conserte vazamentos nos canos em sua casa assim que detectá-los. Sua conta de água diminuirá e o meio ambiente agradecerá. Junte as roupas para lavar e passar. Desta maneira, você gasta menos água e menos energia elétrica.
h p://www.wwf.org.br/

49

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

TERRÁGUA
Por Lóla Prata Na dança galáctica, eis o planeta, em parte prateado sob lua-cheia ou dourado ao sol... O fogo o recheia, grafitado em névoa, pura naveta. Revelou Betânia numa retreta: todo azul ao longe da astral aldeia vem da santa Virgem que a galanteia sob o manto anilado da paleta... Há sonho branco de anseio de paz, de verde vivo... ou de sangue vermelho da insensatez carrasca que se alastra... Tal lar esférico será capaz de reversão... ou de se pôr de joelho contra a teimosia que a vida castra?

50

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Aniversários
Por Delayne Brasil Volteando vai a Terra, na dança dos dias, sob o sol ensimesmada, no rito dos anos Com ela giramos em eixos de egos, desejando estrelas - uma que seja! E nem notamos, na dança dos dias, o astro-par, no rito dos anos Parcela que somos da Terra, de todos nas voltas e voltas que o mundo dá

51

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

RE-VOLVER

nuvens sanitárias, homem esquálido a plantar pesticida. Traída a terra, clamor rouco e abafado, fumaça dos charutos cubanos, pendurados nas bocas patronais, sem lei e sem letra. Traída, a terra lamenta por seus filhos, amamentados de esmola, de enteados cuspindo confeitos, mordendo, com presas de ouro, o amanhã e a decência. Traída a terra. Punhal enterrado no seio, mãe órfã de rebento raquítico. Abre-se a fenda, engole o que resta: homem e praga, riso e lágrima, orgulho e carbono. Num futuro fóssil, tropical tupiniquim, semear e colher... Milagre!

Por Lílian Maial

No peito-húmus, um músculo ávido de palavras. Revolver a terra, adubo em gotas, versos irrigados. O verbo cala, o solo seca, racha-se a criança migalha de pão dormido. Fome e chão, pisa descalça em brasas da indiferença. Pele e sangue ressequidos, aridez de lágrima, espinho e barro a maquiar a pele, manchas de verde e amarelo. Chora a pátria, pétrea de matas pálidas, alopécia de cores, extensas clareiras. Terra vermelha coberta do pó, rugas no mapa, pistas de pouso Clan-destinos. Onde o branco, a pureza, a promessa? Traída a terra, ouro de tolo, sorriso de icterícia, parcos dentes de mastigar solidão. Céu de anil,

52

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

A NATUREZA
Por Icléia Inês Ruckhaber Schwarzer

A água rola por entre as pedras tentando se purificar Chegando ao seu destino e a sede do homem matar. A água limpa purifica o ser, banhando-se nela sentimos a alma flutuar Por entre a mata o rio vai levando os maus fluídos Encontrando folhas, raízes e terra, o sol vai aquecendo e nele podemos nos jogar Sentindo nosso corpo refrescar, Quisera que sempre nele somente energias boas pudéssemos encontrar, Mas lamento dizer que o homem não sabe cuidar O que de mais preciso Deus pode nos dar, Água, vento e terra, Nada sabemos cuidar, Destruímos sem perceber ou ate mesmo conscientes, Nem pensamos nas consequências, Somente obra de Deus poderia isso criar, Será que nunca iremos nos dar conta que um dia isso tudo ira mudar? Vejamos a poluição, O aquecimento global As mudanças de clima, A natureza esta se revoltando, vamos acordar Ainda temos tempo, Ainda podemos solucionar.

53

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Júnior Schwarzer Schmi

54

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

20 Dicas para preservar o meio ambiente
1. Não corte, nem pode árvores sem autorização. Poda drástica é PROIBIDA!! 2. Preserve a vegetação nativa. Não desmate! Não coloque fogo! 3. Não altere cursos d’água ou banhados, eles são protegidos por lei. Poços artesianos somente com autorização. 4. Não crie peixes sem licença. Nunca solte peixes nos rios, mesmo quando estiver bem intencionado. 5. Respeite os períodos de proibição da pesca. 6. Não compre, nem tenha animais silvestre em casa. 7. Não maltrate animais silvestres ou domésticos. 8. Separe o lixo em casa e no trabalho, e coloque na rua no dia da coleta seletiva em seu bairro. 9. Não jogue lixo no chão. Carregue-o até a lixeira mais próxima. Ensine às crianças dando exemplo. 10. Recicle ou reaproveite tudo o que puder. 11. Reduza o consumo, especialmente do que não puder ser reaproveitando ou reciclado. 12. Mantenha seu veículo regulado e ande mais a pé. 13. Não contribua com a poluição sonora e/ou visual. 14. Use menos veneno em sua lavoura ou horta. 15. Não jogue óleos lubrificantes na sua rede de esgoto. 16. Não desperdice água. esse é um dos recursos mais importantes e frágeis do planeta: feche torneiras, conserte vazamentos, não use mangueiras para lavar calçadas, aproveite água de chuva. 17. Não desperdice energia elétrica: desligue aparelhos, verifique sobrecargas, apague as luzes. 18. Ensine às crianças amor e respeito pela natureza. 19. Cuide da higiene e da sua saúde! 20. Evite jogar materiais não degradáveis (plásticos ou outros) no ambiente. Vamos fazer a nossa parte!!!!
http://jornalistadiplomado.wordpress.com/

55

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Tanta água
Por Tino Portes

Da janela Do telhado Da calha Do cano Da torneira Escorre A aguaceira! Pingo d’água Pingo doce Pingo de amor Pingo de chuva Pingo d’ouro Pinga pinga Bebedouro! Tanta água Tanta chuva Tanto orvalho Tanto rio Tanto mar Que até parece... Que não pode acabar!

56

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Dique do T ororó - Salvador- BAesculturas de Ta -Moreno

Águas
Por Lavoisier Menezes

A água que vem do rio Pai Oxóssi abençoou A água da cachoeira Bela Oxum e de Xangô A água que vem do ar Traz forças de Oxumaré A água da lagoa Da doce Nanã Buruquê Odoyá Salve Yemanjá Na força sagrada das águas Do majestoso mar Oyê oyê Êpá Babá Salve as Águas da Natureza Águas de Pai Oxalá

(Cantiga afro-brasileira enviada por Ly Sabas)

57

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA
quase todo o país (menos no Mato Grosso, Maranhão e

Onde podemos encontrar a Mata Atlântica e como preservá-la?
Restam apenas 7% da mata que havia na época do descobrimento

Região Norte), mas em pequena quantidade. A maior concentração está no Vale do Ribeira, em São Paulo. Ao todo, existem 860 unidades de conservação da Mata Atlântica no Brasil, que vão de pequenos sítios até parques estaduais. Muitos desses parques são abertos à visitação e podem ser uma boa forma de conscientizar os alunos da importância de preservar o meioambiente. Beatriz Siqueira, coordenador do projeto Mata Atlântica vai à Escola da Fundação SOS Mata Atlântica, conta que existem vários projetos em andamento para tentar salvar o que ainda resta do bioma. "O que está sendo feito hoje são ações de restauração e replantio de árvores que compõem a flora original da mata. Também estão sendo criadas muitas áreas de conservação, principalmente em propriedades particulares", diz. A ecóloga ainda explica que cada um de nós

Para falar da Mata Atlântica, primeiro é preciso enten- pode ajudar a manter a floresta em pé com ações do der o que ela é. Segundo explica Carolina Mathias, en- dia-a-dia, como economizar água, energia elétrica e genheira florestal da Fundação SOS Mata Atlântica, "podemos defini-la como um bioma com vários ecossistemas, que tem desde mangue até floresta tropical". Ou seja, a Mata Atlântica não é apenas aquela floresta atlântica que se vê perto do litoral, mas um bioma ou uma junção de ecossistemas com características comuns e com processos ecológicos que se interligam. Nesse caso, essas características seriam, além da ocordiminuir a poluição. "Se cada um de nós gastar menos energia, por exemplo, vamos precisar de menos hidrelétricas, o que ajuda a manter a mata. Pois para construir uma usina é preciso desmatar e inundar uma grande área de floresta", diz Beatriz. Preservar a Mata Atlântica ainda pode ajudar a diminuir o aquecimento global. Isso porque, além da floresta ser responsável por absorver carbono, é muito comum no Brasil fazer

rência geográfica, a proximidade com o litoral e as for- queimadas para transformar a mata em área de agromações florestais em um contínuo, que se estende até o pecuária. E esse tipo de ação é o principal responsável serrado, a caatinga ou os campos. "Outro ponto impor- pelas emissões de carbono no nosso país. Por outro tante é que a Mata Atlântica tem árvores grandes e de lado, o aumento da temperatura da Terra pode afetar a dossel contínuo, ou seja, com copas que se tocam", diz Carolina Mathias. Esse bioma ainda tem mais de 22 mil espécies, quase nove mil delas endêmicas (que só existem nesse bioma), superando a biodiversidade da Amazônia. Infelizmente, 383 desses animais e plantas estão ameaçados de extinção. A extensão territorial da Mata Atlântica também impressiona – vai desde o Rio Grande do Sul até o Piauí, cobrindo 17 estados. Originalmente, ela compunha 15% do território brasileiro, mas hoje só restam 7% desse bioma. Hoje, a Mata Atlântica ainda pode ser encontrada em Mata Atlântica, já que muda as características dos ecossistemas. "A maior preocupação é com a fauna. O aquecimento pode matar várias espécies", alerta Beatriz. h p://revistaescola.abril.com.br

58

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Harmonia
Por Carlos D Falei com as estrelas que gostam de dançar de realçar a beleza do universo a brilhar Sempre que o fico a olhar meu espirito me lança um desafio de encantar me propõe uma dança Dançar com o universo por entre as estrelas pelo vácuo me dispersar acompanhando os planetas Esta musica afinal é o universo a cantar a harmonia sem igual do sentir, do amar Para o universo sentir temos que saber meditar a natureza conseguir ouvir o nosso eu querer amar

59

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

SER SEM MEDO
Por Luiz Eduardo Gunther Sem sentir medo de ser. Ser sem sentir medo. Sem medo de sentir e ser. Sentir e ser sem medo.

60

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Nosso Planeta
Por Varenka de Fátima Araújo Terra, de passo a passo Há mundos distantes Nações e costumes diferentes No mar tanto tormento, danos Na terra tanto ganância Tanta mudança e avanços Tanta necessidade de vida Tantos enganos perigos! O céu coberto por nuvens negras Não se vê o Olímpio O mar oleoso, sangrando E os peixes morrendo pela boca A passarada em revoada Não cantam num só coral O terra que fizeram, á fúria insana Não se dorme em cima das lavas Conclamo, povos irmãos! Que almas se liguem a doce imagem Que sejam banidas as guerras A terra é nossa, nossa, nossa!

61

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Vertentes
Por Walnélia Corrêa Pederneiras

Vida é a palavra em questão... ideias vertentes de um olhar somente embate de conceitos e percepção choque, encontro vigoroso ou constatação ...a começar pela chuva, vento, calor, frio algo que indica tristeza ou vazio dodecaedro de caminhantes na calçada quente arame farpado de carros no asfalto, a tal ponto de desnortear e não permitir olhar a flor, a cor e as goiabeiras carregadas de frutos maduros, verdes, fartos e belos... porque tudo em volta ofusca e berra para que acorde parte da humanidade e siga o curso do rio enquanto há tempo guache em tintas de serenidade, recomece... resgate a natureza triturada e poluída Que seja um esboço, vontade ou atitude mas que recomece em sopro inicial para conscientizar sem conturbar ou ameaçar ...simplesmente despertar o Ser adormecido deixar que a luz até então inconsciente, emoldure de seres o planeta angustiado ouvir a canção universal de Mahatma Gandhi mantra que reza em todo amanhecer beleza azul, rósea, rosa-dos-ventos... esperança em vertentes, planeta santuário abre suas portas para a Era de Aquário

62

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

O JARDIM
MARIA ALICE RODOVALHO DE SOUZA

O jardim é um espaço que se transforma sem pressa... E vai modelando sua forma, desenho, contorno que se transforma, devagarinho, e a cada lua vai se despindo e vestindo novas cores, flores, folhas e aromas. Perfumes se alternam, se mesclam, animam. Ânima, alma que aspira. Muitos visitantes, além de mim. Pássaros cantantes voejam pelo jardim. Grasnam, piam, sinfonia de zumbidos sem fim. Uivos, mugidos, aboios de gente que vive por aqui. O galo canta e encanta marcando as horas do sol, neste calor natural. Pássaros imensos cortam o vale, sobrevoam por aqui. Siriemas pernaltas andarilham na distância, e me observam, ariscas, silenciosas e ágeis. Plantas, árvores, tapete verde de heras veste o solo, agasalha Mãe-Terra. As plantas são seres gentis, estáveis, generosas, graciosas, companheiras, sazonais ou perenes, floridas ou não. Especiais, medicinais, sempre belas! Gosto de estar entre elas, chamá-las pelos nomes, conhecer suas “especialidades”. Sementes pendem da jovem sucupira, e serão levadas pelo vento, semeadas na sorte da floresta que se recria... Mimosas flores entre frondosas damas do jardim, e fico a observá-las, e elas a mim, tecendo olhares, sensações... no urdir do tempo que passa com as estações.

63

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

CÉLULAS

Por Eliana Wissmann

64

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Nosso Planeta Terra
Por Renata Farias

Descrever o planeta, nossa casa, uma simbiose que o homem vem desrespeitando, danificando, destruindo é difícil e muito triste. Tirando e não repondo, alterando o clima, devastando e poluindo, o que se pode ver em determinados locais chega a parecer com filmes trash que assistimos e achamos surreal demais, céu cinza, chuva ácida, tsunamis, furacões e nevascas assustadoras, uma série de desastres, alguns chamam de catástrofes naturais, será? Nestes últimos acontecimentos visualizamos uma balança e o peso da culpa daquele que se chama homem é grande, sempre houve em locais por todo mundo variações de clima, naturalmente pouco atingia a nós e agora parece ser direcionado como um troco do mal que todos nós fazemos a este planeta que chamamos de casa, nossa Terra, nosso Planeta. Atos que por vezes passam despercebidos do papel jogado no chão, o aerossol dos desodorantes, inseticidas, purificadores de ar, carro velho e desregulado com motor emitindo gás, esgoto aberto (o Brasil e outros países sem políticos sérios enfrentam este problema), outras coisas que faz parte do cotidiano e passam sem uma solução e assim continuamos poluindo e destruindo. Que tal então. Plantar uma árvore. Economizar água. Regular o motor do carro. Reciclar o lixo. Participar e promover campanhas “Salve o Planeta” E Não se pode querer que gerações futuras viessem conhecer a natureza por arquivos virtuais, fotografias, animais empalhados, hologramas, modernidades e tecnologias que nunca serão reais, palpáveis como a vida e cada ser dentro desta complexidade. Salve o planeta comece com pequenas atitudes e já será uma grande contribuição.

65

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Cogumelo Nuclear
Letra de música de Segestes Tocantins Eles querem acabar com a terra Querem fazer outro lugar Se outra guerra acontecer A nossa velha terra Vai virar poeira cósmica no ar Mamãe pensa que eu não me ligo Na política do homem Na ganância do mundo Na ganância do homem Eles querem acabar com a terra Já tem até base lunar Desafiam o poder de Deus O poder da criação.

66

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

67

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

PLANETA
Por Zuleide de J. Coral Nosso planeta assim como nós, precisa de alimento sadio para ter vida. Então gente, alimente-o com atitudes de conscientização. Você jogaria uma sacola de lixo no pátio de sua casa? Com certeza não! Então porque joga em rios, córregos e nos terrenos baldios? Será que você não sabe que lá é a extensão de nossa casa, já que o planeta pertence a todos. A natureza esta implorando ao homem que tenha mais cuidado com ela. Muitas vezes ela grita pedindo socorro e eles se fazem de surdos e de cegos, não querem enxergar as barbáries que são cometidas contra ela, com o progresso desenfreado. Também clamam todos os seres vivo, grandes e pequenos, que alimentemos o planeta com atitudes de preservação, com progresso sustentável, com cuidado especial as reservas florestais. Para vocês terem uma ideia do desmando do homem com a natureza, eu gosto de pescar. E quando lá estou chegam de uma cidade vizinha algumas pessoas que também vem fazer o que gostam. E sabe o que acontece quando eles voltam para casa? Deixam, tudo o que trouxeram. A garrafa pet, o saco de plástico onde veio o lanche e mais a vasilha plástica que trouxe a isca. Tudo em cima das pedras à beira do mar. Não é de chorar? Também presenciei uma mãe que levava sua filha pela mão, e ambas chupavam picolé, quando terminaram simplesmente jogaram palito e papel no chão. Se esta mesma mãe fosse até um lixeiro e depositasse ali os resíduos do picolé, com certeza sua filha iria fazer o mesmo, pelo resto da vida. Por tudo isso meu caro leitor, eu particularmente acho que enquanto não houver uma educação, que venha de berço, não conseguiremos alcançar uma consciência elevada, que alcance todas as camadas sociais.

68

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

AO NETO
Por Anna Back Menino olha o rio! Ama o rio! Ele banha tua cidade e a deixa mais bonita. Dele brota a vida, No sincronismo perfeito De tudo o que a natureza entrelaça. Ele já foi ao céu...duvidas? A água que em vapor levanta de seu leito E sobe num bailado cujos pares Trocam-se e se confundem Ora o sol...Ora o vento! A mesma água que em chuva despenca Das alturas, das fofas nuvens, berço dos anjos. Que lava a face e a alma da mãe-terra E favorece brotos, flores e perfumes. Menino olha o rio!...Ama o rio! Ele já foi melhor, mais limpo, de vidas povoado. Por isso, ama-o, preserva-o, por ti e pelos outros. As gerações futuras te cobrarão este legado. É o teu rio! Nosso rio, caudaloso Canoas. Que foi lazer, sustento e progresso. Por sobre pontes que lhe servem de cinto, O porvir se faz para um povo que o merece!

69

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Planeta Terra

HÁ SALVAÇÃO?
(Meditações sobre o Planeta, o Programa Nuclear brasileiro e a Campanha da Fraternidade) Por EMANUEL MEDEIROS VIEIRA “Pense na Terra, como um organismo vivo que está sendo atacado por milhões de bactérias cujo número dobra a cada 40 anos. Ou morre o hospedeiro, ou morre o invasor, ou morrem os dois.” (Gore Vidal) A batalha não é fácil. Os que lutam pela vida e pelo planeta estão acostumado às ironias, aos achincalhes, muitos deles veiculados em grandes jornais e revistas nacionais.

“O acidente de Fukushima deixa claro: quando se trata de energia nuclear, não há segurança nem transparência suficiente”, argumenta Rebeca Lere. “É preciso pressionar o governo brasileiro a seguir o exemplo da Alemanha e da China, que estabeleceram moratória aos projetos nucleares em seus países por conta do desastre no Japão “, insiste a ativista, fazendo coro às nossas vozes. É preciso lembrar que o Programa Nuclear Brasileiro, criado durante a ditadura militar, é caro, inseguro e protegido por leis de sigilo. Como observa André Amaral, a forma como o programa é gerenciado demonstra extrema falta de respeito e de responsabilidade com a população. Quanto mais dinheiro público for investido nessa tecnologia, maiores serão os ricos para todos os brasileiros.

As lembranças da catástrofe de Chernobyl (outras pessoas grafam a palavra de outra forma; está é a adotada por José Goldemberg, Não importa. Não nascemos para passear. físico da USP), na Ucrânia, em 1986, haviam “No mundo, tereis aflições”: é bíblico. sido esquecidas, e a indústria nuclear passou a Mosaccio já dizia que “a Natureza é o guia su- imagem de que reatores eram imunes a acipremo de todos os mestres. Quem não se guia dentes. por ela labuta em vão.” Como esclareceu José Goldemberg, o desastre de Fukushima sepultou estas ilusões: “reatores são perigosos, e os ricos decorrentes O que fazer? são imediatos.” (...)

O que aconteceu no Japão não pode nos deixar indiferentes.
70

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

O Brasil, como lembrou o professor, tem vá- que estamos presenciando hoje sejam apenas rias opções melhores que energia nuclear, co- naturais é simplesmente ridículo. mo a eólica. As evidências deque tais mudanças se devem “Expandir a construção de reatores nucleares a causas humanas são irrefutáveis. Os anos não é solução, mas fonte de problema”, arre- mais quentes registrados em centenas de anos se concentram nos últimos cinco que passamatou Goldemberg. ram CAMPANHADA FRATERNIDADE Continuaremos travando o bom combate.

Difícil? Sim. Ele é, pecuniariamente, desproporcional aos poderosíssimos interesses econômicos e aos podres poderes. Mas difiDesde 1964, os cristãos brasileiros celebram a culdades nunca foram motivo de desistência para os homens de bem e de boa vontade, e Campanha da Fraternidade no período da Quaresma. É tempo de oração, de olhar e agir que saem dos seus casulos em prol da humanidade. para o próximo. Como diz o poeta, “só o sonho é inteiro;/ Este ano, a campanha tem por tema a “fraternidade e a vida no planeta” (tema mui- indivisível e único/nos tornando vários.” to adequado às nossas preocupações e à essência deste texto). Como ressalta Dom Orani, Arcebispo do Rio de Janeiro, a campanha “questiona a nossa vida e nossas opções”. “A criação geme em dores de parto” (Romanos, 8,22). A primeira vez que a Campanha da Fraternidade se dedicou ao tema da ecologia foi em 1979, com o lema “Preserve o que é de todos”. Em 202, a ela alertou sobre a Amazônia; dois anos depois, tratou da questão da água; e a campanha de 2007 discutiu o tema “Fraternidade e os povos Indígenas”

É a primeira vez na história que enfrentamos o risco do mundo inteiro entrar em colapso. “O argumento de que as mudanças climáticas

71

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Planeta Terra Por Yara Darin (by Sun)

Esta Terra que nos acolhe, Com amor nos envolve... Com amor nos alimenta, Com amor nos dá fartura... Nos dá a beleza do mar... Os encantos do luar... A suavidade dos campos... A singeleza dos pássaros... A imponência das montanhas... A abundância dos alimentos... Planeta amado te agradeço, Por me trazeres aqui à morar... À viver sob a luz intensa...abrangente.. deste sol que me aquece... As estrelas dos meus sonhos... O luar dos meus encantos... Que em noites claras me banho... Pelas águas que me sacia... Pelas chuvas que lavam minh”alma ... Pelos amores que me amaram... Pelos filhos que me fizeram... A mulher mais feliz deste planeta...

72

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Terra ... Planeta Terra ....
Por Ju Petek

de novas e autênticas ações de preservação do teu solo do mar das flores e cores

Piso firme nesse chão aspiro o perfume da flor em botão pássaros ao longe gorjeiam uma canção por todo o planeta minha oração. Me inundo nas ondas do mar me aquecem os raios do sol me iluminam as estrelas da noite me deslumbro nos Alpes me elevo a linha do céu azul. Terra ... planeta Terra .... de todas cores e flores de todas maravilhas da natureza de todo amor que a ti devoto Terra ... planeta Terra ... que tenhamos fortaleza e comiseração de deter todo mal que o homem te faz guerras, poluição degradação, desmatamento animais em extinção. Terra ... meu planeta Terra ... de todo esse chão que pisamos que sejamos desbravadores

pois dia virá que tudo terminará e a todos somente restará o lamentável eco de todo lamento.

73

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

AMEAÇA
Por Célia Labanca
Ameaça: é o signo sob o qual está sendo escrita a história contemporânea, e a futura da humanidade. – Como se já não bastassem a fome, a falta d’água, o analfabetismo, a exclusão social; as doenças sexualmente transmissíveis, as incuráveis; os desentendimentos e as ganâncias políticas; o tráfego, as drogas, a corrupção, a demagogia, a mentira, as guerras, as bombas; as crises econômicas, os monopólios, as ditaduras; os preconceitos ainda insistentes e desnecessários contra a mulher, as ideologias, as raças, e as orientações religiosas e sexuais dos gêneros; o efeito estufa, os desmatamentos, a violência, a matança de animais, as catástrofes naturais, as ameaças nucleares... Todas se autofecundaram? Ou cada um de nós tem algumas responsabilidades nos seus nasceres? Na sua sustentação?

que cada um se mostre renovado e feliz, mesmo que esteja claro na leitura de seus atos e ações, a insensatez que comete mentindo para si próprio, como se nada estivesse havendo no mundo agora? Ou como se todo o passado não tivesse existido? Que inconsciência é esta que subtrai possibilidades, comprometimentos, e mudanças? Que tantas crenças limitantes existem que não nos permitem ultrapassá-las? – Sinceramente, não sei! Mas, com certeza, é tudo propriedade da indigente condição humana, e do desconhecimento da efemeridade; que não é só do outro, ou do que foi circunstancialmente atingido.

Confúcio disse que sábio, não é o que sabe das coisas, mas o que lê os sinais. – A natureza, de todas as formas, nos tem mandado avisos claros, para além de quaisquer sinais, espalhando-os por todos os continentes, indiscriminadamente, dizendo que é hora de parar. E parar, não significa regredir ou retroceder. Parar, nessa hora, significa limitar o desatino, o desvario. Significa que pensar sobre o que realmente se vê e se vive é uma atitude civilizada, madura, e indispensável, apesar de Shakespeare que disse haver muito mais entre o céu e a terra do que possa pensar nossa vã filoDeclaro-me agora, como capaz de não abrir mão sofia! – É não ser omisso, porque, com a omissão da minha “rebeldia” cidadã, como mulher e mãe, sim, a sociedade regride, como li um dia desses e me permito a conclamar a todos os meus conternum outdoor. râneos a pensarem, debaterem, e se posicionarem contra a instalação de uma usina nuclear em nossos rincões, mais precisamente, no Município de Também não é hora de repensar. Não temos mais Itacuruba, como informam e querem. – Para tan- tempo. Ele urge no sentido de tomarmos uma deto, havemos de considerar a insegurança, e os cisão: ou energia limpa, ou candeeiros e velas! – seus preços em dólares e em vidas, enquanto os Mesmo que possam considerar tal afirmativa raconvido também a raciocinarem comigo sobre o dical, como ela é. Mas, é bom que se entenda que que segue. – Não trato aqui sobre profecias, alar- a vida humana é pelo menos, comum de dois. Não mismos, ou apocalicismos. Trato sob dados da dá para ser diferente. Exatamente como ela, no realidade. seu sentido mais definitivo, é única e una com o

universo. Não temos por isso o direito de continuar sob a iminência da destruição de nós mesmos, Que tipos de seres somos nós que permitimos e e dela, desde os microrganismos... nem ao menos questionamos tais ameaças tão dolorosas como as que temos vivido, e que são temas tão universais, a não ser depois da tragédia do Japão? Que coisa é esta que nos mantêm anestesiados como estátuas de gelo em nossas individualidades deixando transparecer em nossos olhares a representação dos papéis, mal representados, que insistimos em manter diante de nossas próprias vidas, e da vida no planeta? Que coisa inédita é esta, porque inexplicável, que faz com que cada uma das pessoas seja incapaz de se aperceber da própria inércia? Que desmando é este que faz com

74

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Os dados estatísticos demonstram, de maneira inequívoca, que todos os fenômenos da natureza vêm crescendo de maneira ininterrupta. De acordo com a ONU, o número das catástrofes naturais no mundo inteiro vem aumentando nos últimos trinta anos numa taxa média anual de 6%. Há instituições oficiais que já trabalham com a expectativa de que em 2030 possa haver até 54 países usando energia nuclear, quando hoje são 29. – Com a nossa condescendência? – Isto para mim, é trabalhar sob ultimato, e dos piores! O Japão está devastado, e não há mais como evitar; o Haiti ainda não se refez; o sul do Brasil e o centro sul têm sofrido horrores; outros países também. Todos identicamente, se considerarmos as vidas perdidas, os patrimônios, os prejuízos, o medo definitivamente instalado. – O que falta então para nos perguntarmos o porquê de com tanta tecnologia, tantas pesquisas, e tantos cientificismos, até exatamente agora, não se consegue, por exemplo, não só, não prever, como não evitar tamanhos flagelos? Será que só aprendemos a destruir e devastar o planeta, e não encontramos mais, de volta, o caminho dos sonhos? O Japão, é a prova. Preparou-se fundamentalmente para a defesa, e para reduzir riscos, e não conseguiu reconhecer onde e porque ocorreram as explosões nucleares de lá, que somente aumentam os índices de contaminação, não obstante todos os cuidados tecnológicos tomados. – A França já se manifestou cautelosamente mesmo tendo cinquenta e oito reatores em seu território; o Brasil tem duas usinas, e projeta ter 9. A Áustria já se manifestou contra, a Itália suspendeu seus programas desde a década de 80; a Alemanha, e a Suíça suspenderam seus contratos para novas. E nós, vamos continuar? – É no mínimo, absurdo! Somos um país pródigo em ventos, água, sol. Por que não investimos na energia limpa que eles, como matérias primas, nos presenteiam? – Ora, por favor! E ainda propõem uma usina nuclear para Pernambuco? Francamente, é demais! Aceitando vamos apenas continuar na indigência que nos trouxe até aqui, e não nos fez feliz. Para concluir e para se entenda melhor as questões aqui levantadas, temos outra ótica: é preciso que se saiba ainda que a vibração planetária é afetada e intensificada pela consciência de cada um de nós. Assim é que, cada um que despertar para a consciência de Deus, elevará a vibração do planeta. Isso significa aprender a respeitar, a amar, ter esperanças, e generosidade. Perdoar, compreender, e transformar. Nunca calar. Senão, não se sai da penumbra! Portanto, pensar sobre o que estamos vivendo, é uma questão indispensável de ecologia pessoal, e existencial.

75

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

ENQUANTO UNS PRESERVAM, OUTROS DEPREDAM! AH, EDUCAÇÃO E AMOR QUE FALTAM!!!

PROJETO TAMAR, PRESERVANDO AS TARTARUGAS!

O Que é

h p://www.tamar.org.br

O Projeto Tamar-ICMBio foi criado em 1980, pelo antigo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal-IBDF, que mais tarde se transformou no Ibama-Instituto Brasileiro de Meio Ambiente. Hoje, é reconhecido internacionalmente como uma das mais bem sucedidas experiências de conservação marinha e serve de modelo para outros países, sobretudo porque envolve as comunidades costeiras diretamente no seu trabalho sócioambiental. Pesquisa, conservação e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção, é a principal missão do Tamar, que protege cerca de 1.100km de praias, através de 23 bases mantidas em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso desses animais, no litoral e ilhas oceânicas, em nove Estados brasileiros. O nome Tamar foi criado a partir da combinação das sílabas iniciais das palavras tartaruga marinha, abreviação que se tornou necessária, na prática, por conta do espaço restrito para as inscrições nas pequenas placas de metal utilizadas na identificação das tartarugas marcadas para diversos estudos. Desde então, a expressão Tamar passou a designar o Programa Brasileiro de Conservação das Tartarugas Marinhas, executado pelo Centro Brasileiro de Proteção e Pesquisa das Tartarugas Marinhas-Centro Tamar, vinculado à Diretoria de Biodiversidade do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade-ICMBio, órgão do Ministério do Meio Ambiente.

76

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

ROUBO DE OVOS DE TARTARUGA... ENQUANTO OS POBRES ANIMAIS TENTAM CUIDAR DE SEUS FILHOTES, O HOMEM VAI LÁ E ROUBA DESCARADAMENTE PARA VENDER!!!!!!!

77

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Exposição realizada em Genebra em 2010, na orla do Lago Léman NOSSA TERRA Agir em prol do futuro de nossos filhos

Fotos de Jacqueline Aisenman

78

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

79

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

80

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

81

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

82

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

83

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

84

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

85

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

86

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

87

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

88

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

Todos os textos publicados no Varal do Brasil receberam a aprovação dos autores. É proibida qualquer reprodução dos mesmos sem os devidos créditos autorais, assim como a citação da fonte. Se desejar receber quaisquer autorizações para reprodução das obras, por favor entre em contato com o Varal do Brasil por e-mail ou pelos sites para obter os dados dos autores. Se você é o autor de uma das imagens que encontramos na internet sem créditos, façanos saber para que divulguemos o seu talento! Os textos dos escritores brasileiros e/ou portugueses que aqui estão como convidados especiais foram re rados da internet. Para conhecer melhor os autores do VARAL DO BRASIL visite www.varaldobrasil.com Contatos com o Varal? varaldobrasil@bluewin.ch

Acompanhe o VARAL DO BRASIL!

Se você não leu os números anteriores, peça através do nosso e-mail ou faça download no Scribd ou na página do Varal É gratuito!

89

VARAL DO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA

ESPECIAL NOSSO PLANETA TERRA
ABRIL DE 2011

www.varaldobrasil.com varaldobrasil@bluewin.ch

90

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful