Você está na página 1de 8

1

sistema de distribuição por intermédio


Proteção diferencial de dispositivos de medição,
de corrente para transformação e eletrônicos
inteligentes para proteção do circuito.
sistemas elétricos de [6]
São diversas as proteções aplicadas
média e alta tensão para que a linha de geração esteja em
com demonstração sincronismo com a linha de
transmissão, para que não haja sobre
de aplicação em ou subcorrente, sobre ou subtensão,
curto circuito na linha ou interno a
geradores máquina e etc.. Sempre buscando uma
diminuição no desgaste do
A. A. Sorrentino, E. Florentino, G. S. equipamento (gerador e componentes)
Ferreira, H. C. Paschoal, H. P. Silva, J. pois tem um valor muito alto, e
C. M. Ferrareto, L. R. Soares. principalmente buscando resguardar a
integridade física dos colaboradores
Resumo - Neste trabalho buscou-se que atuam diretamente com o
realizar uma revisão de literatura equipamento. [6]
acerca do tema de proteção Para tanto, criou-se uma tabela (tabela
diferencial de corrente em sistemas ANSI) que padroniza as proteções e os
elétricos de média e alta potência. componentes elétricos por meio de
Para tal, veremos de que fenômeno
códigos e nesse artigo abordaremos a
da natureza trata a proteção
proteção diferencial de corrente (ANSI
diferencial, quais as suas
ramificações de tipos, quais 87), que no âmbito geral é a mais
dispositivos são utilizados para que importante. [6]
aplique-se a proteção, o que são as A proteção Diferencial está relacionada
curvas de disparo e demonstração a todo o tipo de anormalidade que
em uma unidade geradora. envolva corrente elétrica (A), no
gerador o tipo diferencial que é
Palavras chave – Proteção indispensável é a que atua no caso de
diferencial de corrente, sistemas um curto circuito entre as fases ou entre
elétricos, unidade geradora. a fase e a terra. Essa proteção se torna
a mais importante devido ao fato de
nessa condição supracitada a corrente
1. INTRODUÇÃO interna de um gerador de 13,8KV que
Grandes usinas, industrias, possivelmente fosse de 200 A, passe
hidroelétricas, pequenas hidroelétricas, em milésimos de segundos para
termoelétricas entre outras, utilizam 138000 A. [6]
geradores para aplicação da energia Caso ocorra essa variação abrupta da
gerada em seus processos ou para corrente o gerador explodiria, trazendo
venda às concessionárias de um prejuízo de milhões para a indústria
distribuição. Para assegurar a e podendo atentar até contra a vida de
eficiência desses geradores e a um colaborador que estivesse
segurança evitando danos patrimoniais realizando uma manutenção a quente
e físicos, são aplicadas algumas na máquina e por um descuido deixou
proteções na linha de geração e no
2

cair uma chave de fenda dentro do O fato é que os equipamentos de


equipamento. [6] geração de energia são muito valiosos,
Nessa situação, caso haja um sistema assim como a vida das pessoas que
de proteção atuando sobre a linha de lidam diretamente com eles, por isso,
geração, o curto seria identificado e investe-se cada vez mais em sistemas
liquidado em 16,6 ms, ainda em tempo de proteção e controle nas linhas, em
de evitar uma tragédia. Esse tempo de algumas ocasiões fazendo com que o
valor de montagem e comissionamento
atuação desse tipo de proteção
dos mesmos superem o preço dos
diferencial é o menor tempo em
geradores pela complexidade envolvida
atuação dentre todas as proteções. [6] nesse trabalho. [6]
A proteção 87 pode é aplicável também
em transformadores, motores e 2. DESENVOLVIMENTO
barramentos, dentro das suas
2.1 Proteção Diferencial de
variações, iremos abordar todos os
tipos de diferenciais nesse artigo e mais corrente
a frente veremos uma aplicação no A proteção diferencial trata
gerador. [6] especificamente das anomalias que
envolvam surtos de corrente e é de uso
obrigatório em geradores com potência
1.1 Objetivo
superior a 10 MVA. [6]
Este trabalho deseja realizar uma Na tabela ANSI que padroniza os
revisão de literatura acerca dos dispositivos e proteções elétricas a
dispositivos de proteção diferencial de diferencial de corrente é denominada
corrente em sistemas de média e alta 87, suas derivações são demonstradas
tensão na tabela 1.

1.2 Proteções para sistemas Tabela 1 – Tipos de proteção 87.


elétricos 87G diferencial de geradores
87B diferencial de barramentos
Com esses estudos é observado que
87M diferencial de motores
há um fator que traz grande dificuldade
87N diferencial de neutro
em todos os processos. Que é a
corrente, quando manipulada ora de 87Q diferencial de sequência
forma erronia ora quando apresenta negativa (utilizada para
anomalias na sua geração devido a “n” detecção de erros entre as
fatores envolvidos. Caso a corrente espiras do transformador)
aumente de forma discreta é 87GT Diferencial do grupo gerador
observável que a temperatura dos transformador
componentes irá seguir a mesma 87SP diferencial de fase dividida
elevação, caso diminua forçará a carga do gerador
a trabalhar com uma corrente menor do Fonte: [8]
que a indicada e caso haja um curto
circuito irá a níveis tão elevados e fora É observável diversas derivações
das suas curvas normais que levará ao aplicáveis a cada especificação de
colapso e explosão de todos os proteção diferencial, contudo abrangem
elementos envolvidos em sua 4 divisões de forma geral, são estas:
transmissão. [6] 2.1.1 Proteção Diferencial
Longitudinal: Realiza a comparação
3

direta de corrente que circula entre dois e valores para que as proteções atuem
terminais de um sistema ou de acordo com a gravidade da falta
equipamento. Utilizado normalmente ocorrida na linha de transmissão,
para motores, geradores e geração ou no equipamento a ser
transformadores. [6] protegido. Isso foi um grande avanço
2.1.2 Proteção Diferencial Vertical: na área de proteção de sistemas
Compara as correntes que entram em elétricos, pois minimizou os prejuízos
um ponto do circuito e circulam por 2 ou gerados por acionamentos indevidos,
mais circuitos. É usual em hoje em dia em um sistema protegido e
barramentos. [6] bem dimensionado os acionamentos
2.1.3 Proteção Diferencial indevidos são praticamente
compensada: Também chamada de inexistentes se tornando irrelevantes
proteção percentual, é utilizada em para o funcionamento da linha e
equipamentos que devem ter a corrente gerando prejuízo zero aos investidores.
que circula entre seus terminais [6]
impreterivelmente iguais, devido a Porém, ainda há outro problema.
vários fatores que podem fazer essa Realização de mensuras que
corrente variar, o dispositivo que for ultrapassam uma grandeza da casa de
utilizado na proteção deve ter um 10 MVA por um equipamento de
sistema interno de compensação para proteção eletrônico, isso ocorre por
preencher as lacunas geradas por erros intermédio de transformadores de
de medição, transformação e entre corrente (TC’s) que são equipamentos
outros. [6] de conversão monofásicos instalados
2.1.4 Proteção Diferencial Direcional: fase a fase do gerador, motor,
Faz a comparação das correntes que transformador e etc, convertendo a
circulam entre 2 terminais de um corrente com uma escala proporcional,
sistema elétrico e suas direções, sendo por exemplo: Se estiverem sendo
assim é indicado para um sistema gerados 2000 A o TC irá repassar
composto por 2 ou mais linhas através do seu secundário para o relé 5
operando em paralelo. [6] A, (essa escala deve ser configurada
previamente no relé de proteção).
2.2 Aplicação de proteção Assim podemos fazer a leitura precisa
diferencial em geradores. da verdade e atuar a proteção caso os
valores excedam os predeterminados.
No passado eram utilizados relés Além disso podem ser utilizados outros
mecânicos para realização dessa equipamentos como os computadores
proteção e de outras, esses lógicos programáveis (PLC’s) de forma
dispositivos dispõem de 2 bobinas, uma integrada aos relés para sincronizar a
de restrição e uma de operação, atuação do mesmo com outras
consegue-se um bom resultado, porém, medições externas como por exemplo
perde-se muito em produção devido as temperatura dos mancais ou do óleo
atuações indevidas do relé, pois não é dos mancais, falta ou excesso de
possível estipular um range de atuação lubrificação e etc.[6]
ou uma curva de tempo para o disparo. No próximo tópico será demonstrado
Com o desenvolvimento de novas um pouco das características desses
tecnologias surgiram os relés digitais equipamentos utilizados para
que nos possibilitaram escolher tempos
4

entendermos melhor como funciona a para faltas externas e opera na faixa de


proteção diferencial. [6] 20-87Hz. [3]
2.3 Relés de proteção digitais 2.3.2 Curva característica:
Existem 3 tipos de curvas de atuação
Demonstra-se através do relé de para dispositivos de proteção,
proteção do fabricante ABB modelo denominadas B, C e D, sendo que B
GPU 2000R. quando em um pico de corrente
instantâneo resiste de 3 a 5 vezes a
Esse modelo de relé atua nas
corrente nominal do dispositivo a ser
derivações de proteção diferencial
protegido, C resiste de 5 a 10 vezes e
explicitadas em tabela 2. D de 10 a 20 vezes. [1]
Nos relés de proteção diferencial
Tabela 2 – Proteções abrangidas pelo podemos parametrizar essa curva de
GPU2000R atuação de acordo com a necessidade
32R potência reversa. do sistema e do equipamento que está
46Q sequência negativa. sendo resguardado. Isso é feito para
50G sobre ou sub frequência. que não haja desarmes inconsistentes
50P sobrecorrente instantânea. do circuito, minimizando as perdas. [1]
51P sobrecorrente temporizada. Abaixo vemos a curva característica de
51G sobrecorrente de neutro atuação do relé GPU 2000R em relação
a proteção 87. [3]
temporizado.
51V sobrecorrente dependente Figura 1 – Curva de disparo da
de tensão. proteção 87
67P direcional de fase.
67N direcional de neutro.
81U/O perda de excitação.
87M diferencial de máquinas.
Fonte: [3]

Dispõe de interfaces de controle


(entradas e saídas digitais
programáveis), medição, proteção,
Oscilógrafia (registro de falhas e
Fonte: [3]
gráficos de curvas) e comunicação
(através de lógicas programáveis). [3] Figura 2 – Curva de disparo da
2.3.1 Aplicação da proteção 87M: proteção 87
O elemento diferencial compara os
valores de medição do secundário dos
TC’s colocados nas fases do lado de
carga, com as medições recebidas dos
TC’s colocados do lado ne neutro. Toda
essa área entre os TC’s fica chamada
de área diferencial. [3]
O relé irá atuar diretamente caso ocorra
alguma falta dentro dessa zona, caso a
falha ocorra fora da área diferencial, a
proteção será atuada através da
diferencial percentual que é estável Fonte: [3]
5

A seguir temos o desenho funcional das Por questões de dimensionamento e


proteções do relé GPU 2000R especificação do disjuntor tem de ser
aplicadas a uma linha de geração. calculado o valor do ICN corretamente,
para isto é necessário saber qual será
Figura 3 – Proteções empregadas na o valor Icc (corrente de curto circuito)
Linha de geração. onde para ser calculada é necessário o
cálculo da corrente nominal do
transformador. Dado através da
equação (1). [1]

𝑆 (1)
𝐼𝑛 =
√3 ∙ 𝑉𝑓𝑓

𝐼𝑛= Corrente nominal do


transformador.
𝑆= Potência nominal do transformador
constante.
Fonte: [3]
𝑉𝑓𝑓= Tensão entre fase e fase.
Posteriormente a ser obtido o valor da
A soma da corrente medida do lado de corrente nominal do transformador
neutro e do lado de carga deve ser 0 em pode ser empregado a equação(2) afim
situação ideal, desse modo devemos
de obter o valor da corrente de curto
configurar uma margem de erro no relé circuito (Icc). [1]
de proteção para que não atue
desnecessariamente. Caso haja um 𝐼𝑛 (2)
curto circuito entre as fases do gerador 𝐼𝑐𝑐 =
a corrente irá subir abruptamente de 𝑍%
𝑍%=Impedancia percentual típica do
valor em menos de 1 segundo
transformador.
sobrecarregando a máquina rotativa e a
levando a explosão, por isso a proteção
2.5 Corrente de curto circuito
é a de atuação instantânea mais rápida
de todas, atuando em 1/60(frequência)
O curto circuito é o aumento
= 16,6 ms.[3]
instantâneo da corrente elétrica em um
Para definir um valor de curto circuito
circuito elétrico (ou em um ponto do
em que a atuação da proteção será
mesmo) devido a alguma ocorrência
instantânea e no tempo supracitado ou
(acidental ou proposital) que reduza a
para definir um tempo um pouco maior,
resistência do circuito drasticamente ou
deve-se avaliar qual a curva de tempo a tornando quase nula. [1]
suportável em situação de curto circuito
Esta relação entre resistência e
de todos os equipamentos da linha
corrente é comprovada através da Lei
como disjuntores, contatores, gerador,
de Ohm, se temos uma tensão
transformadores, etc. Daí então pode-
constante no circuito e uma queda de
se estabelecer um tempo que será a
sua resistência a corrente transita com
curva de disparo da proteção.[6]
maior facilidade pelo circuito.
Representando matematicamente
2.4 Dimensionamento temos a expressão (3). [1]
disjuntor
6

𝑈 (3) converter para 5 Amperes na saída o


𝑖=
𝑅 que possibilita uma fácil leitura com
qualquer aparelho. Os TC’s podem ser
Em que𝒊 é a corrente dada em do tipo Enrolamento em que seu
Amper(A), 𝑼 é a tensão dada em primário é colocado em série com o
Volt(V) e 𝑹 a resistência dada Ohm(Ω) condutor de corrente do circuito, por
do circuito. Apresentando uma queda isso também é chamado de
brusca com valores simbólicos para transformador série. Tipo Toroidal,
melhor entendimento como esses tipos de TC não possuem
demonstrado na equação (4).[1] primário, o condutor do sistema passa
por uma janela no seu núcleo induzindo
127𝑉 (4) a corrente no seu secundário. Tipo
𝑖= 𝑖 = 63,5𝑚𝐴
2𝑘Ω Barra que utiliza o condutor do sistema
como seu enrolamento primário. [1]
Após um curto tem-se a equação (5). Se desprezarmos as perdas, essa
relação de transformação pode ser
127𝑉 (5) calculada de maneira simples em (7).
𝑖= 𝑖 = 127𝑘𝐴
1𝑚Ω [2]

Podendo ser descrita de forma como a 𝑁𝑝 𝐼𝑠 (7)


resistência tendendo a zero a corrente =
𝑁𝑠 𝐼𝑝
tende ao infinito. Sendo 𝑅 ∈ ℕ > 0
como em (6).(Só há valores de Se tivermos um TC com 1 volta no
Resistência positivos e maiores que primário e 160 no secundário, com uma
zero)[1] corrente de 800 A entrando como no
exemplo supracitado, trabalhando a
𝑈 (6) equação (7) matematicamente
𝑖 = lim ( ) ∵ 𝑖 → ∞
Ω→0 Ω veremos que podemos achar o valor de
(8) e substituindo os valores de (9). [2]
Sendo altamente prejudicial aos
componentes de todo o circuito uma 𝑁𝑝 (8)
corrente de tamanha magnitude, 𝐼𝑠 = 𝐼𝑝
𝑁𝑠
podendo causar não só a avaliação de
componentes, mas também a 1 (9)
pessoas.[1] 𝐼𝑠 = 800 = 5𝐴
160
2.6 Transformadores de Algo muito importante de se saber ao
corrente trabalhar com TC’s é que eles nunca
devem ficar com seus terminais
São equipamentos de transformação secundários abertos, caso isso ocorra
que nos possibilitam a medição de ele passará a agir como um
correntes muito elevadas através de transformador de tensão elevador. Uns
equipamentos eletrônicos, a fim de dos fatores que levam isso a acontecer
proteção ou apenas aferição. Diferente é o fato do núcleo de ferro do
dos transformadores de tensão secundário estar com um alto grau de
comuns, o TC possui poucas voltas no saturação elevando muito a tensão e
seu primário (normalmente 1) e mais como os terminais estão abertos não há
voltas no secundário, sua relação uma corrente secundária para conter
permite que possa-se pegar uma essa elevação. Caso estivéssemos
corrente de entrada de 800 Amperes e trabalhando com uma tensão de
7

entrada de 440 Volts no mesmo TC do Referências Bibliográficas


exemplo anterior e por acaso os
terminais secundários fossem abertos, [1] EDMINISTER, J. A.
a relação de transformação Eletromagnetismo. 3 ed. São Paulo:
desprezando as perdas seria a Bookman, 2013.
representada em (10) e (11). [2]
[2] Cardoso, J. R. Engenharia
𝑁𝑠 (10)
𝑉𝑠 = 𝑉𝑝 Eletromagnética – Rio de Janeiro:
𝑁𝑝 Elsevier, 2011.
160 (11)
𝑉𝑠 = 440 = 70400 𝑉 [3] Manual de fabricação do Relé GPU
1 200R - Instruction Booklet
Sendo assim vê-se que sempre que for 1MRA589765–MIB Issue B April 1998
necessário retirar o equipamento
conectado ao secundário do [4]Fabricante de materiais elétricos
transformador de corrente, será Globalspec - https://www.globalspec.com
necessário fechar um curto na sua
saída. [2] [5] Fabricante de materiais elétricos
Citisystems – www.citisystems.com.br
3. CONCLUSÃO
[6] Assessoria da empresa SCEPP
Por meio da revisão literária que foi (Sistemas de controle, excitação,
desenvolvida ao longo da confecção proteção e projetos elétricos) –
desse trabalho, notou-se que o controle www.scepp.com.br.
do aumento de temperatura é um fator
muito relevante para manter-se a [7]Kurt Gieck – manual de fórmulas
integridade dos equipamentos de um técnicas. 2° edição revista e ampliada.
sistema elétrico, sendo a Potência (No total de 57 edições)
desregulada o fator que mais eleva a
temperatura dos componentes e [8] Tabela internacional de codificação
degrada o sistema, viu-se também que de proteções e equipamentos elétricos,
a instabilidade da corrente ou o surto da ANSI.Retirada do site da Schweitzer
mesma é diretamente proporcional ao Engineering Laboratories -
instabilidade ou surto da Potência. https://selinc.com/pt/products/tables/ansi/
Esse controle é possível de maneira
eficiente com o uso da eletrônica de
potência, através de relés digitais
programáveis e transformadores de
corrente e potência que possibilitam a
mensura de grandes potencias pelos Acauã Sorrentino Amoêdo
eletrônicos supracitados. Chega-se a – RA: 3017109031
conclusão final de que em sistemas de
média e alta potência é indispensável
um sistema de proteção bem planejado
e projetado englobando não só a
proteção diferencial como todas as
proteções aplicáveis a uma linha de
transmissão. Eduardo Florentino – RA:
3017109070
8

Gabriel da Silva Ferreira –


RA: 3017108663

Hélio Cardeal Paschoal –


RA: 3017101149

Hernandes Paixão da Silva –


RA: 3017101126

Julio Cesar Matos Ferrareto


– RA: 3017104317

Lucas Rezende Soares –


RA: 3017100780