Você está na página 1de 67

CURSO TERAPEUTA

FLORAIS DE BACH

Facilitadora: Capryci Gracia


Terapeuta Holística, especialista em curas quânticas e naturais.

@capryci_terapias

22 99814.6487
MÓDULO 1

1.A TERAPIA FLORAL

2.OS FLORAIS DE BACH

3.PEPARANDO OS FLORAIS

4.POSOLOGIA, CONSERVAÇÃO
E VALIDADE

5.CONTRA-INDICAÇÃO
A TERAPIA FLORAL
A Organização Mundial de Saúde reconheceu os
florais como terapia complementar.

Os florais não são considerados medicamentos!

Os florais não substituem, em hipótese nenhuma,


as indicações e o tratamento médico.

Em caso de persistência de sintomas físicos deve-


se procurar um médico, e em casos de distúrbios
psíquicos deve-se procurar um psicólogo.

O uso da terapia floral tem início na identificação


dos sentimentos negativos em algum momento da
vida.

Reconhecida esta situação, que implica muito


estudo, escolhe-se o floral adequado ao problema.

A terapia floral é livremente usada por pessoas


leigas.
As essências florais nos ajudam em nossa jornada
de responsabilidade durante a vida, nos fazem
perceber que, em grande parte, a felicidade
encontra-se em nossas mãos;

Auxiliam a nos desfazermos dos fardos do passado,


das ideias obsoletas, dos pré-conceitos e dos
grandes obstáculos que são criados por nós
mesmos;

Dissolvem nossos medos, angústias, dúvidas,


hesitações, descrença, ansiedade, trazendo o
equilíbrio necessário à verdadeira expressão,
criatividade, paz interior, amor-próprio e
autoestima que todos nós merecemos.
Os florais servem para derrubar os bloqueios
energéticos, o nó psíquico ou emocional que nos
trava diante de situações para serem resolvidas;

Ou seja, além de suavizar ou ajudar no tratamento


de algum mal físico, ele aperfeiçoa nossas
qualidades e transcendência perante o problema.

A eficácia dos florais está na transformação do


paradigma comportamental ou do estilo de vida, na
promoção do bem-estar e do equilíbrio espiritual;
do mesmo modo, por fazer desabrochar todas as
qualidades positivas da personalidade, efetua a
busca do autoconhecimento.

Fundamentalmente podemos dizer que os florais


criam uma nova “consciência” para o ser humano,
curando a alma.
OS FLORAIS DE BACH
Falar de terapia floral é falar do caminho de
Edward Bach, um caminho de iniciação de quem
entrou profundamente em contato com a
natureza, numa senda alquimista, para encontrar
o manancial curativo latente guardado nas flores.

Bach compreendeu o que já havia sido


compreendido por grandes médicos como
Paracelsus (1493 - 1541) e Culpeper (1616 -
1654): que a Natureza é o verdadeiro médico e
que o terapeuta é apenas seu mediador.

Descreveu um elo real entre emoções,


somatizações e enfermidades, caminho pelo qual
também se poderia estabelecer a cura.

Por meio do entendimento da relação das emoções


humanas com a energia das flores, estabeleceu o
que chamou de um “novo sistema de cura”, onde
aqueles que não são médicos e nem mesmo
enfermeiros, poderiam cuidar de seus
semelhantes, exercendo prática simples, por meio
do uso das essências florais.
Observando as flores e os estímulos que
desencadeavam em si mesmo, colocou flores em
recipiente com água e as expôs ao sol.

Numa manhã de maio veio a grande inspiração; sol


intenso e nos cálices das flores gotas brilhando
como diamantes: o orvalho.

Concluiu que os raios de sol transferiam o


potencial das flores para a água, assim como fora
no orvalho.

Esse procedimento incluía os 4 elementos, a terra


que sustenta a planta, o ar que nutre, o fogo que
transfere força, e a água que absorve os poderes
curativos e os armazena.
Dr Bach descobriu assim, como transmitir as
forças do macrocosmo para o microcosmo, das
flores para a água.

E foi além, tomou gotas de orvalho, colocou flores


na água e expôs ao sol, viveu as descobertas em
seu próprio corpo experimentando sintomas
emocionais e físicos.

Descobriu que tomando a essência da flor os


sintomas diminuíam e que a mesma essência
também desencadeava alívio em padrões similares
de seus pacientes.

Dizia para não nos fixarmos na doença, mas para


lançarmos um olhar cuidadoso em “como o paciente
vê a vida”.
Os Florais foram desenvolvidos na Inglaterra pelo
médico Edward Bach, nos anos de 1928 a 1936.

Ao longo dos anos cuidando de pacientes utilizando


a medicina convencional e também a homeopatia,
Dr. Bach percebeu que os humores dos pacientes,
interferiam diretamente no processo de cura.

Alguns se curavam rapidamente, outros pareciam


não responder bem aos tratamentos.

Dr. Bach, que era um grande estudioso, era


também muito sensível e compreendeu que os
desequilíbrios emocionais eram a verdadeira causa
das doenças.

Unindo seus conhecimentos médicos à sua especial


sensibilidade, descobriu que as flores têm uma
energia sutil, capaz de propiciar equilíbrio e
harmonia entre a mente e a alma.

Criou assim, o seu sistema composto por 38


essências florais.
Os Florais de Bach são uma forma suave de
equilibrar as emoções e crias reconexão com a
Alma.

Não importa quão grande seja o problema, os


florais podem ajudar a encontrar Paz interior e
Equilíbrio de uma forma natural. Não tem
contraindicação e não há efeitos colaterais.

Os florais não criam dependência química e podem,


inclusive, serem usados juntamente com os
remédios homeopáticos, alopáticos e fitoterápicos.

A essência floral atua no corpo sutil. O padrão de


energia da flor ressoa no padrão de energia da
pessoa, devolvendo o equilíbrio original. O princípio
básico dos florais é a transformação de
sentimentos negativos em positivos. Pois, dizia
Bach, “o que conhecemos como doença é o estágio
terminal da desordem muito mais profunda”.
PEPARANDO OS FLORAIS

Colheita das flores:

• Utilizadas as mesmas plantas que o dr.


Bach descobriu na Inglaterra;

• As flores são colhidas por volta das oito horas


da manhã;

• São flores de várias árvores do mesmo tipo;

• Usa-se uma folha para colher a flor (para não


ter contato com as mãos);

• Após a colheita, utiliza-se o método solar ou de


fervura para a extração da essência mãe.
1. Método solar:
Vinte espécies de flores que florescem na
primavera e verão são preparadas por método
solar: Agrimony; Centaury; Cerato; Chicory;
Clematis; Gentian; Gorse; Heather; Impatiens;
Mimulus; Oak; Olive; Rock Rose; Scleranthus;
Wild Oat; Vervain; Vine; Water Violet; White
Chestnut e Rock Water.

As flores são colocadas numa cuba de cristal;


coloca-se água da fonte (água pura de
nascente) até encobri-las; a cuba deve ficar
próxima à planta e o sol deve incidir direto
sobre as mesmas durante aproximadamente 3
horas.

O dia têm que estar totalmente claro, sem


nenhuma nuvem, pois o sol não pode ser
coberto em nenhum momento.
2. Método de fervura:
São preparados através do método de fervura,
os brotos de árvores, arbustos, plantas e flores
de dezoito espécies de flores que florescem no
outono e inverno: Cherry Plum; Elm; Aspen;
Beech; Chestnut; Bud; Hornbeam; Larch;
Walnut; Star of Bethlehem; Holly; Crab Apple;
Willow; Pine; Mustard; Red Chestnut;
Honeysuckle; Sweet Chestnut e Wild Rose.

As flores são colocadas numa panela de inox,


vidro ou de ágata e, depois, são cobertas com
água da fonte e fervidas por trinta minutos.
Apaga-se o fogo e deixa-se esfriar perto da
planta.

Em ambos os casos, após esses


procedimentos, a água é coada e colocada numa
garrafa com 50% de brandy de uvas e 50% da
solução coada. Está feita a essência mãe.
• Preparação do frasco de estoque:
A preparação consiste na adição de brandy de
uvas (equivalente a duzentas e quarenta partes
iguais à da tintura mãe), dando origem aos
chamados frascos de estoque, com validade de
cinco anos. Há vários laboratórios na Europa
que preparam essas essências.

• Preparação do frasco diluído:


O frasco diluído contém 70% de água mineral,
30% de brandy (em estações quentes), e 80%
de água mineral, 20% de brandy de uvas (em
estações mais amenas), e duas gotas do frasco
de estoque de cada essência floral para 30ml e
quatro gotas para 60ml. *USAR NO MÁXIMO 6
ESSÊNCIAS DIFERENTES.

Pode-se utilizar o vinagre de maçã natural a


15% na solução com água mineral para
pacientes com intolerância ao álcool ou
pacientes com diabetes. Há também outro
conservante, muito utilizado para crianças, a
glicerina, que deverá ser usada a 5% na solução
de água. O frasco pode ser de 30ml ou 60ml, de
vidro esterilizado, de cor âmbar com bulbo de
látex e cânula de vidro.
POSOLOGIA, CONSERVAÇÃO
E VALIDADE

O efeito dos Florais de Bach não dependem da


quantidade de gotas tomadas a cada vez, mas da
frequência de vezes tomadas ao dia.

Deve-se tomar 4 gotas, 4x ao dia, podendo-se


aumentar ou diminuir a dosagem conforme a
necessidade.

Pode ser tomado direto na língua ou sublingual,


para uma absorção mais rápida. Bater o frasco
contra a palma da mão antes de usa-lo.

Para se obter o efeito pleno, as gotas devem


conservar-se na boca por um momento antes de
engoli-las. É preciso tomar cuidado para não deixar
o conta-gotas entrar em contato com a língua,
pois as enzimas digestivas podem transferir-se da
língua para a mistura no frasco.
Em casos de manifesta urgência, as doses de 4
gotas podem ser ministradas com intervalos de
alguns minutos até que ocorram melhoras visíveis.

Em casos graves, de meia em meia hora e em


todos aqueles em que os sintomas persistem
durante muito tempo, de três em três horas ou
segundo as necessidades do doente.

Nos pacientes em estado de inconsciência,


podemos humedecer os lábios frequentemente,
até que o medicamento faça efeito.

Para crianças, a dosagem é a mesma que para os


adultos, mas as gotas devem ser adicionadas ao
leite, água, sopa ou sumo de frutas.

Tratando-se de bebé de tenra idade, em


amamentação, o medicamento escolhido deve ser
ministrado à mãe.
Manter o frasco bem fechado e o floral longe do
calor, luz e umidade como qualquer outro
produto natural, homeopático ou medicamento
alopático.

Não é necessário guardar em geladeira. Não


deixar próximo a eletrodomésticos. Não tomar
com a data de validade vencida.

Por ser um produto natural e devido às


condições climáticas de países com climas mais
quentes, a validade do floral é, geralmente, de
trinta dias. Em países de clima mais frio, a
validade pode chegar até noventa dias.
CONTRA-INDICAÇÃO

O sistema floral de Bach, em qualquer


essência, pode ser administrado juntamente
com os remédios homeopáticos, alopáticos e
fitoterápicos.

Os preparados com conhaque, por exemplo, não


devem ser utilizados, por alcoólatras, por
portadores de doenças do fígado, grávidas,
lactantes, bebês, crianças e animais.

Nestes casos, os Florais de Bach podem ser


preparadas com vinagre de maçã ou glicerina.

Palavras de Dr. Edward Bach em relação a


indicação dos florais: “As flores mencionadas
podem ser empregadas juntamente com
qualquer tratamento ortodoxo ou
acrescentadas a qualquer outra prescrição,
pois aceleram e ajudam o tratamento em todos
os tipos de casos, agudos ou crônicos.“
CURSO TERAPEUTA
FLORAIS DE BACH

Facilitadora: Capryci Gracia


Terapeuta Holística, especialista em curas quânticas e naturais.

@capryci_terapias

22 99814.6487
MÓDULO 2

1.A ORIGEM DAS DOENÇAS

2.OS 12 CURADORES

3.OS 38 FLORAIS

4.RESCUE REMEDY

5.COMO ESCOLHER OS
FLORAIS
A ORIGEM DAS DOENÇAS

Os florais corrigem o equilíbrio emocional no campo


energético. Tiveram seu efeito reconhecido em
1976. Para o Dr. Bach o importante era tratar a
personalidade da pessoa e não a doença.

A doença é o resultado do conflito da alma e da


personalidade.

"O sofrimento é mensageiro de uma lição, a alma


manda a doença para nos corrigir, nos botar no
caminho de novo. O mal nada mais é do que o bem
fora do lugar“.
Em seus estudos, identificou sete disposições
mentais que estão na origem das doenças, ou seja,
sete áreas de conflito que interferem na saúde:
orgulho, crueldade, ódio, egoísmo, ignorância,
instabilidade e ambição.

Se não forem tratadas, refletem no corpo físico,


em geral produzindo o tipo próprio de doença.

Por exemplo, a rigidez da mente (por orgulho)


tenderia a se manifestar fisicamente em doenças
que produzem rigidez no corpo.

A eliminação do defeito ocorre com o


desenvolvimento da virtude oposta ao mal
diagnosticado.

A saúde é conquistada e mantida graças às


seguintes disposições da mente, que também
podem ser entendidas como fases de cura: paz,
esperança, alegria, fé, certeza, sabedoria e amor.
A vitória da saúde sobre a doença pode ser
entendida nesses quatro passos:

• A compreensão de que temos em nós mesmos o


poder de superar tudo o que está errado;

• O conhecimento de que a causa básica da doença


é a desarmonia entre a nossa personalidade e a
nossa essência;

• A vontade e a capacidade de descobrir qual falha


causou esse conflito;

• A eliminação da falha pelo desenvolvimento da


virtude oposta.

Os florais agem em nossas potencialidades


latentes. Os florais não curam, mas, acionam o
poder de autocura, fazendo manifestar as virtudes
que estavam adormecidas.
OS 12 CURADORES

O trabalho que Dr. Bach desenvolveu com as flores


foi incentivado por sua convicção de que a
Humanidade como um todo era composta de 12
tipos de grupos definidos.

E cada indivíduo pertence a um desses grupos,


tendo em comum diferentes traços de caráter, de
personalidade e de temperamento.

De acordo com Bach, os membros de cada grupo


são claramente reconhecíveis pelo seu
comportamento, suas atitudes e sua expressão.

Ele também observou que esses vários tipos se


tornavam especialmente evidentes quando estavam
doentes.
Ao pesquisar os estados de ânimo, ele descobriu
que existiam 12 estados mentais desarmônicos
principais:
1 Medo
2 Impaciência
3 Desinteresse
4 Tortura
5 Agitação
6 Entusiasmo
7 Fraqueza
8 Falta de confiança em si próprio
9 Indecisão
10 Indiferença
11 Desanimo
12 Desespero

Os 12 primeiros Florais correspondendo aos 12


estados mentais respectivamente: Mimulus,
Impatiens, Clematis, Agrimony, Chicory, Vervain,
Centaury, Cerato, Scleranthus, Water Violet,
Gentian e Rock Rose.
OS 38 FLORAIS

Com o passar do tempo, Dr. Bach foi descobrindo


os outros remédios, totalizando 38, quando deu
por concluído seu sistema curativo.

Nos seus Florais, é a energia que cura e não a


substância, que só muito dificilmente pode ser
detectada no remédio, por isso esse maravilhoso
tratamento é chamado de Terapia Vibracional.

Por trás de toda doença estão nossos medos,


nossas ansiedades, nossa ganância, nossos gostos
e desgostos. Curando esses estado desarmônicos,
cura-se a doença física.

Por isso, é muito importante pensar nas emoções


presentes ao buscar um Floral. Não pensar em
sintomas físicos e sim nas emoções.
Para o Dr. Bach, o conceito “saúde” era
conclusivo, e resumia seu raciocínio em
diagnósticos:

1. Equilíbrio espiritual, cuja influência extrapola


o limite físico.

2. Indica a utilização das emanações vegetais


energizadas pela luz solar.

3. Exige que o profissional seja cauteloso e, com


sensibilidade, oriente o uso dos remédios
florais.

4. Todo tratamento baseia-se no diálogo.


5. O orientador não deve impor seu ponto de
vista.

6. É imperioso analisar o meio-ambiente e


circunstâncias da vida do paciente.

7. O doente deve ser leal, sincero e preciso em


sua explanações,

8. A colaboração doente-médico deve ser


cordial, amistosa, ativa, otimista.

9. Os sintomas, tendências, hábitos e


frustrações do paciente serão cuidadosamente
observadas, anotadas e analisadas.

Veiculando amor e humanidade, o Dr. Bach


preparou com técnica e carinho profissional os
38 remédios florais.
A seguir, a lista dos 38 Florais e suas
indicações.

AGRIMONY- Tortura mental detrás de um rosto


alegre.
ASPEN- Medo de coisas desconhecidas.
BEECH- Intolerância.
CENTAURY- Dificuldade em dizer Não.
CERATO- Falta de confiança nas suas próprias
decisões.
CHERRY PLUM- Medo de perder o controle.
CHESTNUT BUD- Incapacidade de aprender com
seus próprios erros.
CHICORY- Egoísmo e possessividade.
CLEMATIS- Sonhar com o futuro sem trabalhar
no presente.
CRAB APPLE- Remédio para limpeza e para o
sentimento de auto rejeição por desagrado.
ELM- Sensação de sobrecarga por excesso de
responsabilidade.
GENTIAN - Desanimado quando algo não dá
certo.
GORSE- Desespero.
HEATHER - Excesso de preocupação por si
mesmo, personalidade egoísta.
HOLLY - Ódio, inveja e ciúme.
HONEYSUCKLE – viver no passado.
HORNBEAM – sentimento de cansaço só de
pensar em fazer algo.
IMPATIENS – impaciência.
LARCH – falta de confiança.
MIMULUS – medo de coisas conhecidas e
timidez.
MUSTARD – tristeza profunda e sem motivo
aparente.
OAK – para a pessoa impassível e persistente
que avança e aguenta além do limite das suas
capacidades.
OLIVE – exaustão após esforço mental ou físico.
PINE – culpa.
RED CHESTNUT – excesso de preocupação pelo
bem estar de seus entes queridos.
ROCK ROSE – terror e medo paralisante.
ROCK WATER – auto negação e repressão por
rigidez.
SCLERANTHUS – dificuldade de optar entre
várias possibilidades.
STAR OF BETHLEHEM – choque.
SWEET CHESTNUT – angústia mental extrema,
quando todas as hipóteses parecem esgotadas
e a pessoa não vê luz ao fundo do túnel.
VERVAIN – excesso de entusiasmo.
VINE – excesso de autoridade, despotismo.
WALNUT - proteção de influências indesejadas e
em caso de mudança.
WATER VIOLET – para equilibrar personalidades
reservadas e distantes.
WHITE CHESTNUT – pensamentos indesejados e
incontroláveis, conflitos mentais.
WILD OAT – dúvidas sobre que direção tomar na
vida.
WILD ROSE – sensação de andar à deriva, apático
e Resignado.
WILLOW – auto piedade e ressentimento.
RESCUE REMEDY

Esse é um Floral de Emergência, foi feito pelo


próprio Dr. Bach para ajudar a lidar com
problemas imediatos.

Esse floral devolve o estado de equilíbrio e


harmonia interior e impede a desintegração do
sistema energético, ajudando assim nos
processos curativos.

Ele é composto pelas essências: Rock Rose,


Impatiens, Cherry Plum, Star of Bethlehem e
Clematis.
COMO ESCOLHER
OS FLORAIS

Uma das regras mais importantes para um bom


resultado é que quanto mais próxima for uma
indicação de um floral, mais rápido e profundo
ele atuará.

Na escolha da essência, comece por esquecer


qualquer doença física e concentre-se no estado
mental e emocional. Observando os desejos e
limitações.

Os benefícios da terapia floral acontecem


independentemente da credibilidade ou
sugestionabilidade de quem utiliza.

Prova disto está na sua ação veterinária, nos


recém-nascidos, e pessoas no estado de coma.
Em suma, uma pessoa que tenha tomado
essências que não sejam adequadas, não
específicas à condição desejada, não conseguirá
desenvolver as qualidades positivas, nem
eliminará as negativas.

É necessário encontrar a aplicação da essência


floral igual ou próxima ao quadro
apresentado/desejado da pessoa a ser tratada.

Sempre lembrando que a função principal do


Floral é tratar o desequilíbrio emocional e não o
sintoma físico.
A partir destas quatro questões, que se
encontram interligadas pela sua natureza
emocional, você pode começar a esboçar o tipo
de fórmula que será prescrita:

1. O que aconteceu comigo?


Fracasso, abandono, desinteresse, esgotamento, doença etc.

2. Qual o meu problema atual?


Sofrimento, esgotamento, medo, descrença, introspecção etc.

3. Do que necessito para minha autocura?


Amor, perdão, confiança, esperança, transcendência etc.

4. O que eu desejo para o meu equilíbrio


pessoal?
Autoestima, paz interior, expressão, ter vitalidade e alegria
Limitar o número de remédios no mesmo frasco
não ultrapassando seis.

De preferência, deverá receitar-se o menor


número possível de medicamentos, para
acompanhar a evolução da cura, substituindo-os
sempre que se alterem os desequilíbrios.

Esta é uma questão que nunca deve ser


esquecida: os casos devem ser reavaliados com
alguma frequência, já que alguns dos sintomas
podem desaparecer, surgindo novos, que
impõem nova prescrição.
CURSO TERAPEUTA
FLORAIS DE BACH

Facilitadora: Capryci Gracia


Terapeuta Holística, especialista em curas quânticas e naturais.

@capryci_terapias

22 99814.6487
MÓDULO 3
1. OS 7 GRUPOS

2. AFIRMAÇÕES DOS FLORAIS

3. COMO TOMAR O FLORAL

4. O TRATAMENTO

5. COMO SABER SE ESTÁ FUNCIONANDO

6. QUANDO PARAR OU MUDAR O FLORAL

7. EXEMPLOS DE DIAGNÓSTICOS

8. OS FLORAIS E OS PETS

9. OS FLORAIS E OS BEBÊS

10.OS FLORAIS E AS PLANTAS

11.CONCLUSÃO

12.BIBLIOGRAFIA
OS 7 GRUPOS

Dr. Bach, entre 1930 E 1936, preparou e


classificou as 38 Essências, dividindo-as em sete
Grupos de Atuação:

1. Para os que sentem MEDO: flores que trazem


encorajamento para realizar desde as ações mais
simples do cotidiano e até os enfrentamentos mais
desafiantes: Rock Rose, Mimulus, Cherry Plum,
Aspen, Red Chestnut;

2. Para os que sofrem de INDECISÃO: flores que


trazem assertividade, clareza de propósito, vigor,
esperança, otimismo e fé: Cerato, Scleranthus,
Gentian, Gorse, Hornbeam, Wild Oat;

3. FALTA DE INTERESSE NO PRESENTE: flores que


trazem presença desperta e foco no momento
presente, vivificada pela alegria: Clematis,
Honeysuckle, Wild Rose, Olive, White Chestnut,
Mustard, Chestnut Bud;
4. Para a SOLIDÃO: flores que ensinam a
compartilhar os próprios dons, modulando os
ritmos pessoais, favorecendo os relacionamentos:
Water Violet, Impatiens, Heather;

5. Para os que têm SENSIBILIDADE EXCESSIVA


ÀS INFLUÊNCIAS E OPINIÕES: flores que nos
ajudam a fazer transições, atuar com
transparência e seguir livre de influências
limitadoras: Agrimony, Centaury, Walnut, Holly;

6. Para o desalento e o DESESPERO: flores que


nos ajudam a estabelecer vínculos por meio da
profunda coragem da aceitação do outro e de nós
mesmos: Larch, Pine, Elm, Sweet Chestnut, Star
of Bethlehem, Willow, Oak, Crab Apple;

7. EXCESSIVA PREOCUPAÇÃO COM O BEM-ESTAR


ALHEIO (CONTROLADORES): flores que nos
ajudam a amar com compaixão, fluindo com
tolerância pelo “caminho do meio”: Chicory,
Vervain, Vine, Beech e Rock Water.
AFIRMAÇÕES DOS
FLORAIS
As Afirmações para os Florais de Bach, são frases
de poder usadas em conjunto com os Florais para
acentuar seus efeitos. Agem de modo simples,
contra-atacando a atitude ou comportamento
negativo associados ao remédio.

A seguir veremos cada grupo de Florias com suas


frases de poder:
COMO TOMAR O FLORAL

• Tomar 4 gotas de 4 a 6x por dia;

• É muito importante tomar o floral no mínimo 4


vezes ao dia. Cada vez que tomamos, o corpo
recebe um impulso de energia que eleva a
vibração. Desta forma aprendemos
gradualmente a vibrar nas frequências
trabalhadas pelas flores.

• Todas as vezes que tomamos o floral, devemos


nos lembrar das virtudes que esse floral irá
trabalhar. Por exemplo: se foi escolhida uma
essência para o medo, a virtude trabalhada será
a coragem. Para raiva a virtude trabalhada será
o amor e assim por diante.
O TRATAMENTO
A duração do tratamento varia em cada caso, se
for emergente é rápido, se for crônico é a longo
prazo e se for circunstancial depende dos
acontecimentos.

Manter o mesmo remédio pelo menos por 2 meses.

Aconselhar o paciente a ler sobre florais, para


melhor se conscientizar do tratamento.

Depois de um tratamento, é muito difícil voltar o


mesmo problema. Com o tempo, o terapeuta vai
tirando e acrescentando florais.

Após o tratamento (em geral de 5 a 8 meses) a


pessoa pode parar e só tomar florais em condições
especiais.

Se em 2 meses o tratamento não der resultado,


ou os florais estão mal receitados ou o paciente
tem um problema orgânico.
COMO SABER SE ESTÁ
FUNCIONANDO
Prestar atenção aos seguintes sinais:

• Os sentimentos com relação ao problema


mudaram;

• Diminuição de pensamentos e emoções


negativas;

• A pessoa se sente calma e em paz;

• Melhora na qualidade do sono;

• Elevação espiritual e maior conexão com o “Eu


Superior”;

• A pessoa enxerga as situações de forma mais


positiva;

• Sentimento de leveza.
QUANDO PARAR OU
MUDAR O FLORAL

Através dos seguintes sinais, identifica-se que


está na hora de mudar o floral ou parar de tomar:

• Sentir que o psíquico está harmônico e estável;

• Esquecer de tomar o floral por mais de 1 dia


(normalmente isso acontece após 3 semanas de
uso);

• Sentir que o gosto do floral mudou


(normalmente ele fica mais amargo);

• Perder o frasco ou esquecê-lo em algum lugar.


EXEMPLOS DE
DIAGNÓSTICOS
António, casado, 43 anos de idade, é gerente de
uma pequena empresa. Irrita-se facilmente e
prefere executar as suas tarefas sozinho. No
trabalho faz tudo ao seu próprio ritmo,
considerando que os seus subordinados não se
interessam o suficiente e são demasiado lentos.
Come à pressa. Mal começa uma tarefa já a quer
ver acabada. Esta atitude deixa-o tenso, inquieto.
Por vezes fica agressivo com os trabalhadores e
com a própria família, arrependendo-se de
imediato. Gostaria de mais tranquilidade na vida.
Temos aqui um caso típico de IMPATIENS.

Berta, viúva, 64 anos, três filhos criados a


residirem em outras cidades, vive obcecada pelo
que lhes pode acontecer. Está sempre a pensar
num acidente de carro, num afogamento na praia,
numa eventual doença. Quando o telefone toca,
corre desesperada prevendo o pior. Tudo isso faz
com que esteja sempre ansiosa, tensa.
Temos um caso de RED CHESTNUT.
Carlos, aos 33 anos era um jovem cheio de vida,
saudável. Sem saber porquê, iniciou um processo
melancólico, com fobias múltiplas associadas. Uma
profunda tristeza tomou conta do seu ser e os
medos surgiram uns atrás dos outros: medo de ter
uma doença incurável, de sair de casa sozinho, da
morte, de ter um acidente de automóvel. Este
processo desgastou-o ao ponto de tudo o fatigar
mentalmente, não obstante cumpra as suas
obrigações, ainda que com muita dificuldade.
Temos um caso de prescrição combinada:
MUSTARD, MIMULUS e HORNBEAM.

Esperança, é uma mulher que não vê nada de bom


nos outros. Passa os seus dias criticando tudo e
todos. É intolerante, irritável, pouco compassiva.
Isso faz com que sofra. Gostaria de ter uma outra
visão do mundo e dos que a cercam.
Temos um caso típico de BEECH.
Deolinda, 30 anos, tem um casamento
insuportável, mas não consegue decidir-se a
abandonar o marido que a maltrata física e
psicologicamente. Acorda de manhã pensando que
vai embora, mas logo depois muda de opinião. Tem
péssimos pressentimentos, que não consegue
explicar e pesadelos que a tornam ansiosa. É uma
pessoa sonhadora, pouco concentrada e fatigada.
Passa os seus momentos livres com devaneios e
fantasias. Vive um futuro fictício, onde há
abundância de felicidade e amor, que relembra ter
atingido no fim da sua adolescência, no seu
primeiro namoro.
Temos um caso de prescrição combinada:
SCLERANTHUS, ASPEN e CLEMATIS.
Francisco, 18 anos, recebeu a notícia de que é
soropositivo. Não consegue contar a ninguém, tem
medo e vergonha das reações dos amigos e
familiares. Está desesperado. Pensa
constantemente no suicídio e considera que nada
pode ser feito. No entanto, tem um enorme medo
da morte. Não para de se auto reprovar. A vida
perdeu todo e qualquer significado. Isola-se no
quarto, não quer ver ninguém, está
completamente exausto, sem forças. O mais
pequeno mal-estar leva-o a ter ataques de pânico,
com agitação e medo da morte. Tem momentos em
que odeia tudo e todos e a sua raiva é tão grande
que deseja destruir o mundo.
Para além do RESCUE REMEDY, que deverá ter
sempre consigo, temos novamente um caso de
prescrição complexa: ROCK ROSE, MIMULUS,
GORSE, OLIVE, HOLLY e PINE.
Caso de reavaliação:

Guida, tem 37 anos e é colaboradora voluntária na


paróquia do local da sua residência, para além das
funções que exerce na fábrica de seu pai,
supervisionando todo o processo de controle de
produção. Apesar das atividades a desgastarem,
está sempre disponível para acudir às necessidades
dos paroquianos mais carentes. É
extraordinariamente ativa, mas sente que as
dificuldades são enormes, porém evita queixar-se,
esperançada na recuperação da sua vitalidade.
Apresenta sinais de irritabilidade. Iniciou a intensa
colaboração e empenho na comunidade local, pouco
tempo depois de ter perdido a sua mãe, com quem
mantinha profundos laços de amizade e um carinho
muito especial.
Temos um caso de prescrição combinada: OAK e
STAR OF BETHLEHEM.
Algum tempo após o tratamento, passou a
organizar mais racionalmente as suas atividades,
recuperando energia, deixando de se irritar com
facilidade. Aceitou a morte da mãe como algo
natural. No entanto, na sequência do tratamento,
divorciou-se, fazendo o que já pretendia fazer há
alguns anos. Mesmo assim, tal fato, tem-lhe
produzido angústia e pensamentos persistentes
que não a abandonam, martirizando-a mentalmente
e impedindo-a de se concentrar com eficiência no
seu trabalho.
Na reavaliação do caso, temos de novo uma
prescrição combinada: WALNUT e WHITE
CHESTNUT.
OS FLORAIS E OS PETS

Os Florais são super eficazes nos tratamentos com


Bichinhos também.

Os melhores Florais e indicação de situações para


serem utilizados nos nossos amiguinhos:

Beech: "Rabugento e implicante com mudanças de


rotina ou novos animais na casa.“

Centaury: "Submisso pareço um capacho, sou


dominado por outros.“

Cherry Plum: "Para aqueles animais que, quando em


desespero, se colocam em risco ou situações em
que ele perde o autocontrole.“

Chicory: "Para bichinhos que são muito apegados


aos seus donos. Chamam a atenção latindo,
chorando e fazendo suas necessidades fora do
lugar."
Crab Apple: "Para animais que se sente sujos,
sempre se coçando, com infecções de pele,
diarreias, intoxicação e vômitos.”

Rescue Remedy: "Combinação feita com Florais de


Bach que ajudam em emergências e traumas físicos
e emocionais vivenciados pelos animais."

Gentian: "Para aqueles bichinhos sensíveis que se


negam a comer e a beber, sem que haja uma causa
fisiológica."

Holly: "Para bichinhos que são ciumentos e podem


ser agressivos."

Impatiens: "Para bichinhos inquietos, nervosos e


hiperativos que parecem não se acomodar em lugar
nenhum.“
Larch: "Para bichinhos que são inseguros e que
buscam sempre o apoio do dono. A essência é
muito recomendada para processos de educação e
adestramento.“

Mimulus: "São animais que podem sofrer de


ansiedade. Para bichinhos que possuem natureza
medrosa e assustada."

Olive: "Para bichinhos exaustos após diferentes


situações: uma doença, maus tratos, abandono,
acidente, cirurgia."

Rock Rose: "Para bichinhos apavorados, que


tremem e se escondem por comportamento critico
de medo e terror."
Vervain: "Para aqueles bichinhos agitados e
hiperativos. Possuem uma tensão interna
representada por comportamento nervosos e
estressados."

Vine: "Esta essência ajudará aqueles bichinhos que


são dominadores e se tornam agressivos quando
sentem seu terriório invadido.“

Walnut: "Para bichinhos que são muito sensíveis e


acabam sendo influenciados pela energia dos
ambientes. Muito útil em momentos de mudança,
quando o animal fica mais vulnerável."
OS FLORAIS E OS BEBÊS

Os Florais também são indicados para bebês de


todas as idades. Eles ajudam a equilibrar as
emoções, auxiliam no aprendizado, acalmam e são
verdadeiros aliados nessa linda fase de crescimento
e desenvolvimento dos pequenos.

Listamos as principais causas de desconforto e o


Floral que irá auxiliar no combate ao sintoma.

Dificuldade para Dormir: Rescue Remedy.

Pesadelos: Rock Rose (ele elimina o pavor noturno


resultante da exposição do bebê a situações novas
e desconhecidas).

Agitação e Irritação: Impatiens (para dar paciência


e tranqüilidade).
Apego exagerado à mãe: Chicory (trabalha o
desapego. Aqui, é importante dizer que as mães
também podem tomar esse floral, já que muitas
delas não conseguem deixar seus filhos e
acabam passando essa insegurança para o
bebê).

Nascimento dos dentes ou outra situação


estressante: Cherry Plum (permite o resgate
da quietude anterior, importante para bebês
que ficam excessivamente aflitos e
descontrolados); Impatiens (traz paciência) e
Walnut (ajuda na adaptação da criança a este
momento).

Preguiça de engatinhar ou andar: Hornbeam


(ajuda a dar estrutura, ou seja, traz a energia
da terra que sobe pela coluna e dá forças para o
bebê manter-se ereto).
OS FLORAIS E AS
PLANTAS

As plantas podem facilmente receber as essências


florais. Basta colocar dez gotas na água ou no
borrifador, seguindo as indicações abaixo:

Para plantas transplantadas: Use o Rescue Remedy


conforme indicado acima, adicionando a essência
floral Walnut. Esse floral tratará a
hipersensibilidade que a planta apresenta neste
momento.

Para plantas expostas ao frio e à geada: Estas


plantas devem ser banhadas com uma solução de
Rescue Remedy e água.

Para vasos que caem de janelas ou prateleiras: Use


Star of Bethlehem, para que suas plantas superem
o trauma.
Para livrar as plantas de pragas: Use Crab Apple,
que faz uma limpeza nas plantas e as livra de
insetos e pragas.

Para flores que foram cortadas: As flores que


foram cortadas e colocadas no vaso também devem
receber algumas gotas de Star of Bethlehem na
água. Você também pode usar Walnut (para a
mudança de ambiente), Wild Rose (para as que
ficam abatidas e apáticas, sobretudo no inverno) e
o Rescue Remedy.
CONCLUSÃO
Os Florais são um sistema de Terapia Completo e
Maravilhoso. Um excelente aliado nas curas leves
e profundas.

Entretanto é muito importante lembrar que nunca


devemos abandonar nenhum tratamento ao usar
os Florais. Os Florais chegam para somar e
acelerar o processo de cura.

O nosso olhar deve sempre ser para dentro,


buscando a verdadeira causa da enfermidade e
tratando o problema em sua raiz mais profunda.

O principal trabalho, e também o mais difícil, é ter


força para MUDAR. Encontrar as situações onde
predominaram o ódio, vingança, rancor, inveja,
ciúme, ganância, ressentimento, etc., e
transmutar esses sentimentos.

Reverter essas situações regando


abundantemente com o Amor e o perdão
(principalmente o “perdoar a nós mesmos”).

Como num renascimento, desfazer o velho EU e


reconstruir um NOVO SER, um ser de LUZ, que
transborde amorosidade, compaixão, sinceridade,
paz e tranquilidade!
“Que tenhamos sempre alegria e gratidão em
nossos corações, pelas ervas que, em seu amor
por nós, o Grande Criador de Todas as Coisas,
colocou nos campos, para a nossa cura.” “Estes
remédios são capazes de elevar nossa natureza e
nos aproximar de nossas almas, nos trazendo paz
e aliviando nossos sofrimentos. Eles curam, não
através do ataque à doença, mas sim, banhando
nossos corpos com as belas vibrações de nossa
Natureza Superior, na presença da qual a doença
se desfaz como a neve ao sol.” “Não deixem que a
simplicidade deste método, os impeça de usá-lo,
pois quanto mais avançarem em suas pesquisas,
tanto mais perceberão a simplicidade de toda a
Criação.”

Edward Bach
BIBLIOGRAFIA

TERAPIA FLORAL - EDWARD BACH

FLORIAS DE BACH - O LIVRO DAS FÓRMULAS -


WAGNER BELLUCCO

TERAPIA FLORAL DO DR BACH- TEORIA E PRÁTICA


- MECHTHILD SCHEFFER

A CURA PELOS FLORAIS - JOSÉ MARIA ALVES

WWW.BACHCENTRE.COM

Você também pode gostar