Você está na página 1de 13

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial

Departamento Regional de São Paulo

Formação Inicial e Continuada


(Decreto Federal nº 5154/04 e
Lei Federal nº 11741/08)

PLANO DE CURSO

Área: Construção Civil

Qualificação Profissional:
Pintor de Obras

SÃO PAULO
Formação Inicial e Continuada - Plano de Curso de Qualificação Profissional – Pintor de Obras.

SENAI-SP, 2009

Diretoria Técnica

Coordenação Gerência de Educação

Elaboração Gerência de Educação

Escola SENAI “Orlando Laviero Ferraiuolo”

2
SUMÁRIO

I.  QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL – PINTOR DE OBRAS .....................................................................5 


a)  Objetivo ....................................................................................................................................5 
b)  Requisitos de Acesso...............................................................................................................5 
c)  Perfil da Qualificação Profissional – Pintor de Obras ...............................................................5 
II.  ORGANIZAÇÃO CURRICULAR ..............................................................................................................6 
a)  Quadro de Organização Curricular...........................................................................................6 
b)  Enfoque didático-pedagógico ...................................................................................................6 
c)  Ementa de conteúdo formativo ................................................................................................7 
d)  Organização de turmas ..........................................................................................................11 
III.  CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ................................................................................................................11 
IV.  CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE CONHECIMENTOS E EXPERIÊNCIAS ANTERIORES .....11 
V.  INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS .....................................................................................................12 
VI.  PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO ........................................................................................................12 
VII.  CERTIFICADOS .....................................................................................................................................12 

3
4
I. QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL1 – PINTOR DE OBRAS

a) Objetivo

O Curso de Qualificação Profissional Pintor de Obras tem por objetivo o desenvolvimento de


competências relativas à pintura imobiliária, seguindo projeto, normas de saúde, segurança e meio
ambiente e especificações do fabricante.

b) Requisitos de Acesso

Os candidatos ao curso devem:

• ter concluído o 5° ano (4º série) do Ensino Fundamental;

• ter, no mínimo, 18 anos completos.

c) Perfil da Qualificação Profissional – Pintor de Obras

Analisa, planeja e realiza serviços de pintura imobiliária com a finalidade de proteção, renovação,
embelezamento e limpeza, empregando técnicas adequadas aos diversos tipos de substratos e
produtos. Segue padrões de qualidade, produtividade e garantia do processo de aplicação,
obedecendo especificações do fabricante e do projeto e normas de saúde, segurança e meio
ambiente.

1
Esta Qualificação Profissional faz parte do Itinerário Formativo da Área da Construção Civil, disponível na Intranet, área
Ensino – Planos de Curso.
5
II. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

a) Quadro de Organização Curricular

CARGA
HORÁRIA
LEGISLAÇÃO UNIDADES CURRICULARES TOTAL
(HORAS)
Decreto Federal
Lei Federal

Lei Federal
nº11741/08
n 9394/96

Pintura em Edificações 160


nº5154/04
o

Carga Horária Total 160

b) Enfoque didático-pedagógico

Os processos de ensino e de aprendizagem devem ser planejados pelo docente e desenvolvidos com
a utilização de diferentes métodos, estratégias e técnicas, tendo em vista a aquisição de capacidades
técnicas, sociais, organizativas e metodológicas e conhecimentos definidos como conteúdo formativo e
necessários para o desempenho profissional do Pintor de Obras.

Dessa forma, o curso deverá ser desenvolvido a partir da proposição de situações contextualizadas e
desafiadoras, tais como: situação-problema e estudo de caso, tendo-se como foco a execução de
pintura em edificações e seus elementos.

Ademais, o processo de avaliação deve estar centrado principalmente nos resultados demonstrados
pelo aluno durante a realização das situações contextualizadas propostas.

6
c) Ementa de conteúdo formativo

MÓDULO DE QUALIFICAÇÃO PINTOR DE OBRAS


Unidade Curricular: Pintura em Edificações – 160 horas
CONTEÚDO FORMATIVO
Capacidades Técnicas2 Conhecimentos

• Interpretar desenhos de arquitetura


1. Boas práticas quanto ao atendimento ao cliente:
• Identificar os tipos de tintas e suas aplicações
1.1. Organização e conservação do local de trabalho;
• Identificar defeitos de pintura
1.2. Organização e conservação de ferramentas e de
• Elaborar cronograma das etapas de serviço
instrumentos;
• Orçar materiais e mão-de-obra em função do serviço
1.3. Higiene e postura pessoal.
a ser executado

• Utilizar equipamento de proteção individual 2. Projeto de arquitetura:

• Aplicar procedimentos e normas técnicas 2.1. representação gráfica:

• Aplicar normas de segurança 2.1.1. simbologias;


• Descartar materiais de acordo com normas 2.1.2. escalas;
ambientais
2.1.3. cortes;
• Armazenar tintas e acessórios, de acordo com normas
2.2. Croquis.
técnicas, de segurança e recomendações do
3. Planejamento:
fabricante
3.1. Definição;
• Transportar materiais, considerando normas de
3.2. Etapas;
segurança, de saúde e recomendações do fabricante

• Executar pinturas em superfícies de alvenaria, metais, 3.3. Níveis;

madeira, PVC, azulejo e gesso, seguindo 3.4. Condicionantes;

procedimentos e recomendações dos fabricantes 3.5. Organização;


• Aplicar fundos específicos para cada superfície 3.6. Controle;
• Aplicar massas para o preparo e correção de
3.7. Cronograma.
superfície
4. Orçamento:
• Aplicar tintas de acordo com a superfície a ser pintada
4.1. Definição;
• Executar retoques em superfície de alvenaria e
4.2. Tipos;
madeira
4.3. Elementos;
• Aplicar seladoras e vernizes em madeira

• Aplicar resinas em alvenaria e pisos 4.4. Custos;

2
Caracterizam uma qualificação, expressando desempenhos específicos (explicitados por verbos), seguidos de contextualização
(conhecimento) que são resultado da análise das competências profissionais de um perfil. Permitem operar eficientemente os objetos e
variáveis que interferem diretamente na criação do produto. Implicam o domínio dos conteúdos do âmbito do trabalho e a posse de
conhecimento e habilidades necessários em determinada atividade.
3
As capacidades sociais permitem responder a relações e procedimentos estabelecidos na organização do trabalho, e integrar-se com
eficácia, em nível horizontal e vertical, cooperando com outros profissionais de forma comunicativa e construtiva; as organizativas permitem
coordenar as diversas atividades, participar na organização do ambiente de trabalho e administrar racional e conjuntamente os aspectos
técnicos, sociais e econômicos implicados, bem como utilizar forma adequada e segura os recursos materiais e humanos à disposição; as
metodológicas permitem responder a situações novas e imprevistas que se apresentem no trabalho, com relação a procedimentos,
seqüências, equipamentos e produtos, encontrar soluções apropriadas e tomar decisões autonomamente.

7
MÓDULO DE QUALIFICAÇÃO PINTOR DE OBRAS
Unidade Curricular: Pintura em Edificações – 160 horas
CONTEÚDO FORMATIVO
• Tingir madeira 4.5. Margem;

• Realizar pinturas decorativas em alvenaria, madeira, 4.6. Levantamento de materiais;


gesso e metal, respeitando as normas técnicas 4.7. Cotação;
• Aplicar texturas decorativas de acordo com os
4.8. Planilha orçamentária.
padrões de textura existentes.
5. Segurança do Trabalho:

5.1. Causas de acidentes;


3
Capacidades sociais, organizativas e metodológicas
5.2. Prevenção de acidentes;

• Desenvolver consciência prevencionista em relação a 5.3. Análise preliminar de riscos;

saúde, segurança e meio ambiente 5.4. Ergonomia;

• Trabalhar em equipe 5.5. Equipamentos de proteção individual e coletiva;


• Ser metódico 5.6. Legislação.
• Ser detalhista 6. Meio Ambiente:
• Ser organizado
6.1. Descarte de resíduos;
• Manter relacionamento interpessoal
6.2. Impactos ambientais;
• Ter visão sistémica
6.3. Normalização.
• Ser analítico
7. Qualidade:
• Ser responsável
7.1. Definição;

7.2. Normas;

7.3. Procedimentos.

8. Matemática:

8.1. Figuras planas:

8.1.1. perimetro,

8.1.2. área;

8.2. Volume;

8.3. Porcentagem;

8.4. Razão e proporção;

8.5. Regra de três.

9. Patologias da construção:

9.1. Definição;

9.2. Tipos;

9.3. Diagnósticos;

9.4. Técnicas de reparos.

10. Cores:

10.1. Definição;

8
MÓDULO DE QUALIFICAÇÃO PINTOR DE OBRAS
Unidade Curricular: Pintura em Edificações – 160 horas
CONTEÚDO FORMATIVO
10.2. Tipos:

10.2.1.primárias;

10.2.2.secundárias;

10.2.3.terciárias

10.2.4.neutras.

11. Madeiras:

11.1. Definição;

11.2. Tipos;

11.3. Defeitos;

11.4. Tratamento.

12. Tintas e vernizes:

12.1. Definição;

12.2. Tipos;

12.3. Composição.

13. Seladores e fundos:

13.1. Definição;

13.2. Tipos;

13.3. Composição.

14. Pintura em superfícies de alvenaria:

14.1. Tipos de substratos;

14.2. Materiais e ferramentas;

14.3. Boas práticas de execução;

14.4. Técnicas de execução:

14.4.1. aplicação de fundos e massas,

14.4.2. preparação da superfície para pintura

(lixamento, aplicação de fundos ou seladores)

14.4.3. pintura à rolo e pincel para recorte,

14.4.4. limpeza da área de trabalho e ferramental.

15. Pintura em superfície de madeira:

15.1. Materiais e ferramentas;

15.2. Boas práticas de execução;

15.3. Técnicas de execução:

15.3.1. aplicação de fundos e massas,

15.3.2. preparação da superfície para pintura

9
MÓDULO DE QUALIFICAÇÃO PINTOR DE OBRAS
Unidade Curricular: Pintura em Edificações – 160 horas
CONTEÚDO FORMATIVO
(lixamento, aplicação de fundos ou seladores);

15.3.3. aplicação de verniz;

15.3.4. tingimento; pintura com esmalte à base de

água utilizando rolo e pincel;

15.3.5. limpeza da área de trabalho e ferramental.

16. Pintura decorativa:

16.1. Definição;

16.2. Tipos de acabamento decorativo:

16.2.1. marmorização,

16.2.2. patina,

16.2.3. envelhecimento,

16.2.4. esponjado,

16.2.5. representação de madeira,

16.2.6. texturas;

16.3. Materiais e ferramentas;

16.4. Boas práticas de execução;

16.5. Técnicas de execução de pintura decorativa:

16.5.1. aplicação de fundos e massas,

16.5.2. preparação da superfície para pintura

(lixamento, aplicação de fundos ou seladores);

16.5.3. tingimento;

16.5.4. aplicação da textura;

16.5.5. limpeza da área de trabalho e ferramental

10
d) Organização de turmas

As turmas devem ser organizadas com um número máximo de alunos em função da capacidade dos
ambientes pedagógicos e com um número mínimo que garanta a auto-suficiência do curso,
considerando, prioritariamente, a qualidade dos processos de ensino e de aprendizagem e o
desenvolvimento das aulas dentro do enfoque didático-pedagógico proposto.

III. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Os critérios de avaliação, promoção, recuperação e retenção de alunos são os definidos pelo


Regimento Comum das Unidades Escolares SENAI, aprovado pelo Parecer CEE nº 528/98, e
complementados na Proposta Pedagógica da unidade escolar.

IV. CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE CONHECIMENTOS E EXPERIÊNCIAS


ANTERIORES

Em conformidade com o artigo 11 da Resolução CNE/CEB nº 4/99, a Unidade Escolar:

“poderá aproveitar conhecimentos e experiências anteriores, desde que diretamente relacionados com
o perfil profissional de conclusão da respectiva qualificação ou habilitação profissional, adquiridos:

I - no ensino médio;
II - em qualificações profissionais e etapas ou módulos de nível técnico concluídos em outros cursos;
III- em cursos de educação profissional de nível básico, mediante avaliação do aluno;
IV - no trabalho ou por outros meios informais, mediante avaliação do aluno;
V - e reconhecidos em processos formais de certificação profissional”.

A avaliação será feita por especialistas da Unidade Escolar, especialmente designados pela direção,
atendidas as diretrizes e procedimentos constantes na proposta pedagógica.

11
V. INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS

Para o desenvolvimento das aulas devem ser utilizados os mesmos ambientes pedagógicos e
equipamentos existentes para os cursos regulamentados da mesma área tecnológica, incluindo-se a
Biblioteca que dispõe de acervo bibliográfico adequado para o desenvolvimento do curso e faz parte
do sistema de informação do SENAI.

VI. PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO

O quadro de docentes para o curso Pintor de Obras deve ser composto, preferencialmente, por
profissionais técnicos, com formação e experiência profissional condizentes com a qualificação.

VII. CERTIFICADOS

Para a qualificação profissional concluída será conferido o certificado de Pintor de Obras.

12
CONTROLE DE REVISÕES

REV. DATA NATUREZA DA ALTERAÇÃO


00 13/10/2009 Primeira Emissão

Você também pode gostar