Você está na página 1de 3

RESPOSTAS DO PROFESSOR NO CORPO DO E-MAIL DA ALUNA

I) Confesso que ainda estou confusa quanto à distinção entre palavras


formadas por justaposição, grupos e locuções. Sei que esse é um assunto
impossível de resolver, porque trata-se de uma convenção que envolve razões
subjetivas e arbitrárias, entretanto, o que me deixou confusa é que sempre achei
que a locução substantiva se caracterizasse pela presença de preposição,
provavelmente devido ao próprio texto do Novo Acordo, que só cita exemplos
preposicionados. "
6o) Nas locuções de qualquer tipo, sejam elas substantivas, adjetivas,
pronominais, adverbiais, prepositivas ou conjuncionais, não se emprega em
geral o hífen, salvo algumas exceções já consagradas pelo uso (como é o caso de
água -de -colónia, arco -da -velha, cor -de -rosa, mais -que -perfeito, pé -de -
meia, ao deus-dará, à queima -roupa).
Sirvam, pois, de exemplo de emprego sem hífen as seguintes locuções:
a) Substantivas: cão de guarda, fim de semana, sala de jantar;
b) Adjetivas: cor de açafrão, cor de café com leite, cor de vinho;
c) Pronominais: cada um, ele próprio, nós mesmos, quem quer que seja;
d) Adverbiais: à parte (note -se o substantivo aparte), à vontade, de mais
(locução que se contrapõe a de menos; note -se demais, advérbio, conjunção,
etc.), depois de amanhã, em cima, por isso;
e) Prepositivas: abaixo de, acerca de, acima de, a fi m de, a par de, à parte de,
apesar de, aquando de, debaixo de, enquanto a, por baixo de, por cima de,
quanto a;
f) Conjuncionais: a fi m de que, ao passo que, contanto que, logo que, por
conseguinte, visto que."
Em sua resposta à minha dúvida sobre a razão de "caixa postal" escrever-se
sem hífen, diferentemente de caixa-bomba, caixa-forte e caixa-preta, o senhor
disse que "caixa postal" é locução:
"8) Resta que de fato caixa-forte e caixa postal se formam igualmente: a
primeira parte (caixa), de origem substantiva; a segunda (forte e postal), de
origem adjetiva. Por que uma é palavra composta por justaposição e a outra é
locução, essa é pergunta a que não se pode responder cabalmente. Tal distinção
deriva talvez apenas do arbítrio do legislador da ortografia, talvez ainda do
costume, razão por que prefiro dizer, repita-se, que palavra formada por
justaposição e locução são praticamente o mesmo visto, todavia, por distinto
ângulo."
Sendo assim, a preposição, como levam a crer os exemplos do Acordo, não
são condição para que haja locução substantiva.

RESPOSTA. Você está tomando exemplos por regra. Se o quesito para que se
tratasse de locução fosse ter preposição, então não haveria locução verbal. Mas o
que é, por exemplo, tenho visto? Em nenhum lugar, em nenhuma gramática, em
nenhum dicionário, em nenhum acordo está escrito que para ser locução é
necessário conter preposição. – Outra coisa é o arbítrio dos acordos. Reafirmo:
caixa postal é locução substantiva.

II. Se entendi bem, são locuções (com ou sem preposição):


Caixa tipográfica
Caixa postal
Caixa eletrônico
Caixa craniana
Caixa de cambio
Caixa de descarga
Caixa de distribuição

Palavras compostas por aglutinação:


Caixa-forte
Caixa-preta
Caixa-bomba
Caixa-d'água

Grupos substantivos:
Caixa de papelão
Caixa de brinquedos
Caixa de música
Caixa de costura
Caixa de ferramentas
RESPOSTA. Caixa de música (se é que bem a entendo) é sem dúvida alguma
locução. Quanto aos demais exemplos, corretos. – Mas não diga “por
aglutinação”, e sim por justaposição. Por aglutinação seria, por exemplo,
vinagre.

III. É há casos turvos, em que um mesmo dicionário registra duas grafias


distintas como "caixa-alta ou caixa alta", "caixa-baixa ou caixa baixa".

RESPOSTA. Sim, como disse ao longo do curso.

IV. Além disso tudo, a classificação dependerá principalmente do contexto


como mostra o exemplo que o senhor deu:
"Tens alguma caixa forte para enviar os livros por correio?,
agora caixa forte será GRUPO SUBSTANTIVO".

RESPOSTA. Sim.

V. Para complicar, ainda encontrei "queima-roupa" no dicionário Houaiss


como substantivo feminino usado na locução à queima-roupa, mas não me
ocorre nenhuma situação em que ele seja usado puramente como substantivo
que não seja na locução.

RESPOSTA. Isto não constitui nenhum absurdo: uma locução ter em seu
interior uma palavra composta. O que é raro, sim, é que esta palavra só se use
nesta locução. Mas assim é.

Você também pode gostar