Você está na página 1de 198

Justiça Federal da 1ª Região

PJe - Processo Judicial Eletrônico

31/08/2021

Número: 0014891-13.2009.4.01.3600
Classe: PROCEDIMENTO ESPECIAL DA LEI ANTITÓXICOS
Órgão julgador: 7ª Vara Federal Criminal da SJMT
Última distribuição : 23/11/2010
Valor da causa: R$ 0,00
Processo referência: 0014891-13.2009.4.01.3600
Assuntos: Tráfico de Drogas e Condutas Afins
Segredo de justiça? SIM
Justiça gratuita? NÃO
Pedido de liminar ou antecipação de tutela? NÃO
Partes Procurador/Terceiro vinculado
Ministério Público Federal (Procuradoria) (AUTOR)
DANIEL DA SILVA GUIA (REU) ANIBAL FELICIO GARCIA NETO (ADVOGADO)
MARCELO FELICIO GARCIA (ADVOGADO)
NEURI ALVES DA SILVA (REU) ELIANE GOMES FERREIRA (ADVOGADO)
WESLEU ROBERT DE AMORIM (ADVOGADO)
JOCENIL PAULO DE FRANCA (REU) SILVESTRE RODRIGUES SEVERIANO DE LIMA
(ADVOGADO)
JORGE HENRIQUE FRANCO GODOY (ADVOGADO)
HILTON SANTOS DA SILVA (ADVOGADO)
NEWMAN PEREIRA LOPES (ADVOGADO)
JOAO JOSE SOARES DO NASCIMENTO (REU) SAULO AUGUSTO CALDEIRA DA ROCHA BANDEIRA
BASTOS (ADVOGADO)
ALAOR GOMES CORREA JUNIOR (REU) DINEY LEITE DA COSTA (ADVOGADO)
MANOEL OSMARIO BATISTA CORREA (REU)
ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA (REU) NEYMAN AUGUSTO MONTEIRO (ADVOGADO)
JOEL QUINTELLA registrado(a) civilmente como JOEL
QUINTELLA (ADVOGADO)
ROBERTO CARLOS PEREIRA (REU) EDIVAN FREITAS VIEIRA (ADVOGADO)
MARCELO DA SILVA PEREIRA (REU)
RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO (REU) BARBARA NATALI BOTELHO RODRIGUES DOS SANTOS
(ADVOGADO)
LIONAY LOPES FIGUEIREDO (ADVOGADO)
FERNANDA APARECIDA DA SILVA CRUZ (ADVOGADO)
ELAINE CRISTINA OGLIARI (ADVOGADO)
MARCELO PEREIRA DE LUCENA (ADVOGADO)
MARIA RITA SOARES CARVALHO (ADVOGADO)
ALEANDRA FRANCISCA DE SOUZA (ADVOGADO)
FLAVIANO KLEBER TAQUES FIGUEIREDO (ADVOGADO)
HELIO NISHIYAMA (ADVOGADO)
JACKSON PELLIZZARI (ADVOGADO)
ANTONIO CARLOS REZENDE (ADVOGADO)
HELDER PEREIRA DINIZ (REU)
EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO (REU)
VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ (REU) MARCO AURELIO MONTEIRO ARAUJO (ADVOGADO)
ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA (REU) ALMAR BUSNELLO (ADVOGADO)
CLEDNEI LIBORIO FELICIANO (ADVOGADO)
JOEL QUINTELLA registrado(a) civilmente como JOEL
QUINTELLA (ADVOGADO)
ALEXANDRE ZANGARINI (REU) FERNANDO CESAR DE OLIVEIRA FARIA (ADVOGADO)
BARBARA NATALI BOTELHO RODRIGUES DOS SANTOS
(ADVOGADO)
ARTUR BARROS FREITAS OSTI (ADVOGADO)
RICARDO SALDANHA SPINELLI (ADVOGADO)
VALBER DA SILVA MELO (ADVOGADO)
LEO CATALA JORGE (ADVOGADO)
FILIPE MAIA BROETO NUNES (ADVOGADO)
PATRICK SHARON DOS SANTOS (ADVOGADO)
FABIAN FEGURI (ADVOGADO)
EUSTAQUIO INACIO DE NORONHA NETO (ADVOGADO)
AROLDO FERNANDES DA LUZ (REU) RENAN FERNANDO SERRA ROCHA SANTOS (ADVOGADO)
RURALDO NUNES MONTEIRO FILHO (ADVOGADO)
ULISSES RABANEDA DOS SANTOS (ADVOGADO)
ADONAI NOVAIS DE OLIVEIRA (REU) EMERSON DA SILVA MARQUES (ADVOGADO)
JACKSON LUIZ COSTA CONCEICAO (REU) PAULA REGINA DE TOLEDO RIBEIRO (ADVOGADO)
VICTOR HUGO DA SILVA PEREIRA (ADVOGADO)
MARCELO JOSE HARDMAN MEDINA (REU) JOSE RICARDO COSTA MARQUES CORBELINO
(ADVOGADO)
JOAO BATISTA ALVES BARBOSA JUNIOR (ADVOGADO)
JOAO BATISTA ALVES BARBOSA (ADVOGADO)
JOAO MANOEL REIS FILHO (ADVOGADO)
SAULO AUGUSTO CALDEIRA DA ROCHA BANDEIRA
BASTOS (ADVOGADO)
Ministério Público Federal (Procuradoria) (FISCAL DA LEI)
Polícia Federal no Estado de Mato Grosso (PROCESSOS
CRIMINAIS) (TERCEIRO INTERESSADO)
Documentos
Id. Data da Documento Tipo
Assinatura
69461 23/08/2021 18:49 Sentença Tipo D Sentença Tipo D
5990
PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA FEDERAL
Seção Judiciária de Mato Grosso
7ª Vara Federal Criminal da SJMT

SENTENÇA TIPO "D"


PROCESSO: 0014891-13.2009.4.01.3600
CLASSE: PROCEDIMENTO ESPECIAL DA LEI ANTITÓXICOS (300)
POLO ATIVO: Ministério Público Federal (Procuradoria)
POLO PASSIVO:DANIEL DA SILVA GUIA e outros
REPRESENTANTES POLO PASSIVO: SAULO AUGUSTO CALDEIRA DA ROCHA BANDEIRA BASTOS - MT10525/O,
JOAO MANOEL REIS FILHO - MT6714/B, JOAO BATISTA ALVES BARBOSA - MT4945/O, JOAO BATISTA ALVES
BARBOSA JUNIOR - MT12888/O, MARCELO FELICIO GARCIA - MT7297/O, ANIBAL FELICIO GARCIA NETO -
MT11443/O, WESLEU ROBERT DE AMORIM - MT6610/O, ELIANE GOMES FERREIRA - MT9862/O, NEWMAN
PEREIRA LOPES - MT7293/O, HILTON SANTOS DA SILVA - MT11794/O, JORGE HENRIQUE FRANCO GODOY -
MT6692/O, SILVESTRE RODRIGUES SEVERIANO DE LIMA - MT19593/O, DINEY LEITE DA COSTA - MT21352/O,
JOEL QUINTELLA - MT9563/O, NEYMAN AUGUSTO MONTEIRO - AC3878, EDIVAN FREITAS VIEIRA - MT11192/O,
ANTONIO CARLOS REZENDE - MT12432/O, JACKSON PELLIZZARI - MT13831/O, HELIO NISHIYAMA - MT12919/O,
FLAVIANO KLEBER TAQUES FIGUEIREDO - MT7348/O, ALEANDRA FRANCISCA DE SOUZA - MT6249, MARIA
RITA SOARES CARVALHO - MT12895/O, MARCELO PEREIRA DE LUCENA - MT16528/O, ELAINE CRISTINA
OGLIARI - MT9744/O, FERNANDA APARECIDA DA SILVA CRUZ - MT19066/O, LIONAY LOPES FIGUEIREDO -
MT21323/O, CLEDNEI LIBORIO FELICIANO - MT7527/O, ALMAR BUSNELLO - MT12213/O, EUSTAQUIO INACIO DE
NORONHA NETO - MT12548/O, FABIAN FEGURI - MT16739/O, PATRICK SHARON DOS SANTOS - MT14712/O,
FILIPE MAIA BROETO NUNES - MT23948/O, LEO CATALA JORGE - MT17525/O, VALBER DA SILVA MELO -
MT8927/O, RICARDO SALDANHA SPINELLI - MT15204/O, ARTUR BARROS FREITAS OSTI - MT18335/O, BARBARA
NATALI BOTELHO RODRIGUES DOS SANTOS - MT26470/O, FERNANDO CESAR DE OLIVEIRA FARIA -
MT27469/O, ULISSES RABANEDA DOS SANTOS - MT8948/O, RURALDO NUNES MONTEIRO FILHO - MT23748/O,
RENAN FERNANDO SERRA ROCHA SANTOS - MT19701/O, VICTOR HUGO DA SILVA PEREIRA - MT11625/O,
PAULA REGINA DE TOLEDO RIBEIRO - MT10108/O, EMERSON DA SILVA MARQUES - MT16877/O e JOSE
RICARDO COSTA MARQUES CORBELINO - MT5486/O

SENTENÇA N° 056/2021-D

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL – MPF denunciou EDÉSIO RIBEIRO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 1
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
NETO, WAGNER RODRIGO DE AMORIM, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, JACKSON
LUIZ COSTA, como incursos nos crimes tipificados nos art. 33, caput, art. 35, caput e
Parágrafo Único, art. 36 e art. 40, incisos I e IV, da Lei 11.343/2006; MÁRIO MÁRCIO
NASCIMENTO DOS SANTOS, NEURI ALVES DA SILVA, JOCENIL PAULO DE
FRANÇA, MUNIR HAMMOUD, DANIEL DA SILVA GUIA, MARCELO JOSÉ HARDMAN
MEDINA, ALAOR GOMES CORREA JUNIOR, ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA,
ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, FRANCISCO FERNANDES DE SOUZA,
ROBERTO CARLOS PEREIRA, EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO, MARCELO DA
SILVA PEREIRA e ADALTO RAMALHO DA SILVA, como incursos nos crimes tipificados
nos art. 33, caput, art. 35 e art. 40, incisos I e IV da lei 11.343/2006; HELDER PEREIRA
DINIZ e RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO como incursos nos crimes tipificados
nos art. 33, caput e § 1°, inciso III, art. 35 e art. 40, incisos I e IV da lei 11.343/2006;
JOÃO JOSÉ SOARES DO NASCIMENTO, pelo delito tipificado no art. 33, caput (núcleo:
"transportar") e art. 40, inciso IV, da lei 11.343/2006; MANOEL OSMARIO BATISTA
CORREA, VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ, AROLDO FERNANDES DA LUZ e
ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS, pelos delitos tipificados no art. 37 e no art. 40, incisos I e
IV, da lei 11.343/2006 (ID. Num. 295906927 - Pág. 3-40). A denúncia foi aditada em
10/11/2009, para imputar ao acusado ALEXANDRE ZANGARINI a prática do crime
tipificado no art. 35 da Lei 11.343/2006 (ID. Num. 295906927 - Pág. 255-257).

Consta da denúncia e seu aditamento, que em razão das investigações


realizadas na Operação Maranello, a Polícia Civil do Estado de Mato Grosso apurou a
atuação de uma organização criminosa especializada em importar cocaína da Bolívia,
transportá-la de avião até as propriedades rurais denominadas Fazenda Sete Irmãos e
Fazenda Baía dos Pássaros, localizadas em Barão de Melgaço/MT, para posteriormente
distribuí-la nos estados de São Paulo e Pará, que culminou com a apreensão de 383,85
kg de cocaína na Fazenda Sete Irmãos, realizada no dia 20/06/2009. Segundo a
denúncia, a associação criminosa era composta por cinco núcleos de atuação, com
atribuições bem definidas: a) núcleo principal (liderança e administração); b) auxiliares
dos membros do núcleo principal; c) partícipes que realizavam atividades acessórias; d)
núcleo financeiro; e) núcleo encarregado pela assessoria jurídica da organização.
Ademais, ao narrar o modus operandi da associação criminosa, o MPF destacou que
atuação se dava da seguinte forma: a) a comunicação entre os membros da organização
era realizada com aparelho de telefone celular, trocado a cada quinze dias, pelo aplicativo
Windows Messenger, bem como pelos e-mails "parceiros.4@hotmail.com" e
"ralfnegreiro@hotmail.com"; b) EDESIO RIBEIRO NETO e MUNIR HAMMOUD
empregavam documento falso, pois utilizavam mais um CPF; c) os veículos eram
utilizados como moeda de troca, recebidos como pagamento pela venda de
entorpecentes no Brasil, posteriormente vendidos e trocados por dinheiro para adquirir a
cocaína na Bolívia, a ponto de contratarem uma transportadora (GRANCAP) para trazer
os veículos para Cuiabá e Rondonópolis; d) os lucros da atividade criminosa eram
distribuídos por empresas e contas de familiares colaboradores, objeto de denúncia
específica por crime de lavagem de capitais; e) utilização de fazendas para recebimento
da droga da Bolívia, pois os membros da associação criminosa arrendaram a Fazenda
Sete Irmãos e Baía dos Pássaros, com pista de pouso, como entreposto para receber a
droga da Bolívia, sendo que na Fazenda Sete Irmãos ainda se criava gado para reforçar a
aparência de licitude de atividade econômica rural.

O processo foi desmembrado em relação aos acusados ADALTO RAMALHO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 2
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DA SILVA, FRANCISCO FERNANDES DE SOUZA, MÁRIO MÁRCIO NASCIMENTO
DOS SANTOS e WAGNER RODRIGO DE AMORIM (ID. Num. 295979848 - Pág. 202),
distribuído sob n° 2010.36.00.000649-6 (ID. Num. 295979848 - Pág. 206), ANTÔNIO
MARTINS DE ASSIS (ID. Num. 295979867 - Pág. 155-156), ALAOR GOMES CORREA
JÚNIOR, JOÃO JOSÉ SOARES DO NASCIMENTO e MANOEL OSMÁRIO BATISTA
CORREA (ID. Num. 295994935 - Pág. 207-232) e EDÉSIO RIBEIRO NETO (ID. Num.
296009867 - Pág. 182-183 – PJE 1000362-20.2019.4.01.3600). Declarada extinta a
punibilidade dos acusados MUNIR HAMMOUD (ID. Num. 295979867 - Pág. 155-156) e
DANIEL DA SILVA GUIA (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-284), em razão do óbito.
Desse modo, este processo tramita somente em relação aos acusados ADONAI
NOVAES DE OLIVEIRA, ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, ALEXANDRE ZANGARINI,
AROLDO FERNANDES DA LUZ, EDILSON AMORIN DO NASCIMENTO, ENIVALDO
FERNANDES DE SOUZA, HELDER PEREIRA DINIZ, JACKSON LUIZ COSTA
CONCEIÇÃO, JOCENIL PAULO DE FRANÇA, MARCELO DA SILVA PEREIRA,
MARCELO JOSE HARDMAN MEDINA, NEURI ALVES DA SILVA, ROBERTO CARLOS
PEREIRA, RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO e VITOR ALEXANDRE FRAGA
QUEIROZ. Tendo em vista os desmembramentos e sentenças de extinção de
punibilidade, este relatório restringe-se aos acusados que ainda integram atualmente esta
relação processual.

Os acusados foram notificados e apresentaram defesa preliminar, ADONAI


NOVAES DE OLIVEIRA (ID. Num. 295979877 - Pág. 266-267), ALENCAR NOVAES DE
OLIVEIRA (ID. Num. 295979848 - Pág. 96-97), ALEXANDRE ZANGARINI (ID. Num.
295979882 - Pág. 271-309), AROLDO FERNANDES DA LUZ (ID. Num. 295906927 - Pág.
122-141), EDILSON AMORIN DO NASCIMENTO (ID. Num. 295979867 - Pág. 5-21),
ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA (ID. Num. 295979848 - Pág. 23), HELDER
PEREIRA DINIZ (ID. Num. 295979867 - Pág. 5-21), JACKSON LUIZ COSTA
CONCEIÇÃO (ID. Num. 295994935 - Pág. 200-204), JOCENIL PAULO DE FRANÇA (ID.
Num. 295979848 - Pág. 128-157), MARCELO DA SILVA PEREIRA (ID. Num. 295979867
- Pág. 5-21), MARCELO JOSE HARDMAN MEDINA (Num. 295906927 - Pág. 104-107),
NEURI ALVES DA SILVA (ID. Num. 295979848 - Pág. 61-62), ROBERTO CARLOS
PEREIRA (ID. Num. 295979867 - Pág. 5-21), RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO
(ID. Num. 295906927 - Pág. 174-194) e VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ (ID.
Num. 295906927 - Pág. 261-272) e a denúncia e o aditamento foram recebidos em
31/07/2017, em todos os seus termos (ID. Num. 295994935 - Pág. 207-232).

Durante a instrução, foram inquiridas as testemunhas JOSÉ CELSO


DORILÊO LEITE (ID. Num. 296009854 - Pág. 18-21), WELLINGTON BASTOS
BARRETO (ID. Num. 296009854 - Pág. 165-170), ENZO RICCI FILHO (ID. Num.
296009854 - Pág. 165-170), ANTÔNIO VICENTE DE ARRUDA (ID. Num. 296009854 -
Pág. 165-170), ANTENOR DE FIGUEIREDO NETO (ID. Num. 296009854 - Pág. 165-
170), WAGNER BELMIRO TEIXEIRA SILVA (ID. Num. 296009854 - Pág. 165-170) e
interrogados os acusados NEURI ALVES DA SILVA (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-
284), JOCENIL PAULO DE FRANCA (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-284), AROLDO
FERNANDES DA LUZ (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-284), MARCELO JOSÉ
HARDMAN MEDINA (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-284), ALENCAR NOVAES DE
OLIVEIRA (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-284), ALEXANDRE ZANGARINI (ID. Num.
296009854 - Pág. 279-284), ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA (ID. Num. 296009854
- Pág. 279-284), MARCELO DA SILVA PEREIRA (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-284),

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 3
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-284), HELDER
PEREIRA DINIZ (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-284), RUBENS ANTERO DA COSTA
RIBEIRO (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-284), VICTOR ALEXANDRE FRAGA
QUEIROZ (ID. Num. 296009854 - Pág. 279-284) e ROBERTO CARLOS PEREIRA (ID.
Num. 296009867 - Pág. 89-92). Os réus ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA e JACKSON
LUIZ COSTA CONCEIÇÃO não foram interrogados, considerando que estão foragidos e
foi decretada a revelia (ID. Num. 296009854 - Pág. 20).

Juntadas as Folhas de Antecedentes Criminais (ID. Num. 296009867 - Pág.


120-161). Na fase do art. 402 do CPP, o MPF não requereu diligências complementares
(ID. Num. 296009867 - Pág. 179) e foi deferida a diligência requerida pela defesa do
acusado RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO (ID. Num. 296009867 - Pág. 205-207).

O MPF apresentou alegações finais (ID. Num. 296009867 - Pág. 258) e


pugnou pela condenação dos acusados ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA e JACKSON
LUIZ DA COSTA CONCEIÇÃO, como incursos nas sanções dos crimes tipificados nos
arts. 33, caput, art. 35 e art. 36, c/c art. 40, incisos I e IV, da lei 11.343/06; condenação
dos acusados NEURI DA SILVA GUIA, MARCELO JOSE HARDMAN MEDINA,
ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, ROBERTO
CARLOS PEREIRA, EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO, MARCELO DA SILVA
PEREIRA e HELDER PEREIRA DINIZ, como incursos nas sanções dos crimes tipificados
nos arts. 33, caput, e art. 35. c/c art. 40, incisos I e IV da lei 11.343/06; condenação do
acusado AROLDO FERNANDES DA LUZ, como incurso nas sanções dos crimes
tipificados nos arts. 35 e 37 c/c art. 40, incisos I e IV da lei 11.343/06; condenação do
acusado ALEXANDRE ZANGARNI, como incurso nas sanções do crime tipificado no art.
35 da lei 11.343/06 e a absolvição dos acusados JOCENIL PAULO DE FRANCA,
RUBENS ANTERO DA COSTA e VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ, com
fundamento no art. 386, VII, do CPP.

As defesas apresentaram alegações finais, nos seguintes termos:

ROBERTO CARLOS PEREIRA e JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO (ID.


Num. 296009867 - Pág. 338-343): a) interceptações telefônicas não comprovam a
materialidade delitiva; b) ausência de prova de autoria delitiva, porque os acusados eram
apenas funcionários da Fazenda Sete Irmãos; c) não foi comprovado o vínculo,
estabilidade e permanência para o crime de associação para o tráfico; d) não acolhida a
tese absolutória, pugnou pela aplicação da pena-base em seu mínimo, a fixação do
aumento mínimo em decorrência da transnacionalidade delitiva (art. 40, inc. I da Lei
11.343/2006) e a redução máxima da pena (art. 33, § 4° da Lei 11.343/2006).

VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ (ID. Num. 296009867 - Pág. 354-


365): a) ausência de provas de autoria delitiva, porque o acusado não conhece os
acusados, nunca esteve na Fazenda Sete Irmãos e seu nome não apareceu nas
interceptações telefônicas; b) não é possível incidir a causa de aumento de pena prevista
no art. 40, inc. IV da Lei 11.343/2006 porque a arma não foi apreendida; c) apenas
conhecia JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, seu amigo de infância e ADONAI
NOVAES DE OLIVEIRA, por ter pernoitado alguns dias em sua casa, mas sem nenhuma
relação com o tráfico de drogas.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 4
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
JOCENIL PAULA DE FRANÇA (ID. Num. 296009881 - Pág. 27-32): a)
ausência de prova de autoria delitiva; b) o MPF, em alegações finais, pugnou pela
absolvição do acusado.

MARCELO JOSÉ HARDMAN MEDINA (ID. Num. 296009881 - Pág. 39-63):


a) a prova de autoria foi prejudicada pelo indeferimento da diligência de perícia de voz
requerida pela defesa, de modo que não é possível identificar, com exatidão, os
interlocutores dos diálogos; b) foi absolvido no processo de lavagem de dinheiro n°
0002145-79.20.4.01.360010, por ausência de dolo; c) a existência de homônimos, com
três acusados com o mesmo prenome de Marcelo ensejou grande confusão; d) o diálogo
em que aparece “Marcelo” comprando bens para Edésio, na verdade, não se trata do
acusado MARCELO MEDINA, mas de outro Marcelo, identificado como Marcelo “frango”;
e) não emprestou sua conta para Edésio, mas a sua mãe é que contraiu um empréstimo
com Edésio, que era agiota, a juros de 15% em 60 dias; f) o trecho do diálogo em que
Edésio conta a verdade para sua mãe, sobre o valor gasto por Marcelo, esse diálogo foi
fragmentado pelo MPF; g) em relação ao empréstimo, o acusado intermediu para sua
mãe, no valor de R$ 20.000,00, junto à Edésio e pagou R$ 23.000,00, em duas parcelas
de R$ 13.000,00 e R$ 10.000,00; h) Edésio precisava pagar dívidas e mentiu para os
credores que Marcelo havia recebido em sua conta o depósito de R$ 100.000,00, mas por
irresponsabilidade, teria gasto o dinheiro. O acusado nunca recebeu tais valores, que
também não apareceram na quebra de sigilo bancário; i) não possuía recursos para pagar
hospedagem em São Paulo, razão pela qual ficou hospedado no apartamento de Edésio,
para realização de cursos de qualificação na cidade; j) não há provas suficientes para
suportar uma condenação.

AROLDO FERNANDES DA LUZ (ID. Num. 296009881 - Pág. 79-125): a)


nulidade das interceptações telefônicas por violação do sigilo profissional, pois foram
captadas conversas entre o acusado, que é advogado, com seus clientes, o que é vedado
pelo art. 7°, inc. II da Lei 8.906/94; b) nulidade das interceptações telefônicas por
incompetência do juízo; c) nulidade das interceptações telefônicas por incompetência do
juízo a partir da data da apreensão da droga, porque com a apreensão da droga com o
rótulo identificado ser da Bolívia, o juízo estadual teve a certeza de sua incompetência,
mas prosseguiu nas interceptações telefônicas; d) nulidade das interceptações telefônicas
deferidas no dia 09/06/2009, considerando que a decisão judicial não foi assinada; e)
atipicidade da conduta, porque quando o acusado passou a atuar no processo como
advogado dos acusados, o crime de tráfico já estava consumado, de modo que sua
atuação limitou-se ao livre exercício da profissão; f) a imputação concomitante dos crimes
previstos nos arts. 35 e 37 da Lei 11.343/2006 configura bis in idem, porque o crime do
art. 37 é subsidiário; g) o pedido de condenação pelo crime do art. 35 da Lei 11.343/2006
viola o princípio da congruência, porque o MPF não narrou a atuação estável e
permanente do acusado na associação criminosa.

RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO (ID. Num. 296009881 - Pág. 127-


179): a) o acusado jamais trabalhou como administrador da Fazenda Sete Irmãos; b) o
MPF se convenceu da ausência de provas e pugnou pela absolvição do acusado em
alegações finais; c) o acusado foi abordado pela polícia e nada foi apreendido em seu
poder; d) apenas prestou serviços de médico veterinário na referida fazenda; e) a prova
testemunha confirmou que o acusado apenas prestou serviços na fazenda como médico
veterinário; e) a prova documental corrobora a prova testemunhal.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 5
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
NEURI ALVES DA SILVA (ID. Num. 296009881 - Pág. 183-223): a) as
interceptações telefônicas não revelaram nada de ilícito em relação ao acusado; b) nada
foi apreendido em sua residência; c) suas movimentações bancárias não foram atípicas;
d) não possui o apelido de “Branquinho”; d) não é possível ter nenhum negócio com
Wagner, pois são inimigos mortais; e) nunca esteve na fazenda em que foi apreendido o
entorpecente; f) conheceu Edésio Ribeiro Neto porque era advogado e o contratou para
representá-lo num processo administrativo e posteriormente foi procurado por Edésio
para montar uma factoring em Cuiabá; g) os diálogos interceptados deixam claro que o
serviço desenvolvido pelo acusado é para adquirir materiais de segurança predial para a
montagem e instalação da factoring; h) o acusado foi absolvido no processo
administrativo disciplinar instaurado na Corregedoria; i) em caso de condenação, a
aplicação da pena mínima, com a redução máxima do tráfico privilegiado, a fixação do
regime aberto e a substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos.

ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA (ID. Num. 296009881 - Pág. 227-255): a)


não foi comprovada a estabilidade e permanência associativa em relação ao acusado; b)
não há provas do dolo do agente em relação ao tráfico de drogas; c) as provas indiciárias
obtidas na fase inquisitorial não foram confirmadas em juízo.

ALEXANDRE ZANGARINI (ID. Num. 296009881 - Pág. 288-379): a) inépcia


do aditamento à denúncia, elaborado de forma genérica, em infração ao disposto no art.
41 do CPP, violando-se a ampla defesa e contraditório, devendo ser reconhecida a
nulidade do aditamento, na forma do art. 564, inc. IV do CPP; b) atipicidade da conduta
em relação ao crime previsto no art. 35 da Lei 11.343/2006, por ausência de prova da
estabilidade e permanência associativa, além do dolo; c) a transferência de 500 mil reais
à Bolívia existiu, mas foi destinada para o pagamento do veículo Ferrari de Maurício da
F1; d) o MPF inverteu o ônus da prova, para que o acusado comprovasse sua inocência e
suas afirmações realizadas no interrogatório; e) a acusação referiu a existência de
apenas um fato, a operação de dólar cabo de R$ 500.000,00 para a Bolívia, de modo que
não há estabilidade e permanência associativa para configurar o crime de associação
para o tráfico; f) o acusado conhecia apenas o advogado Aroldo Fernandes da Luz, que
confirmou que Alexandre Zangarini não tinha nenhum conhecimento ou participação nos
fatos investigados; g) as próprias interceptações telefônicas demonstram, pela forma que
os demais acusados se referiam de forma ríspida ao denunciado Alexandre, que de fato
ele não participava da associação criminosa; h) os depósitos feitos na conta da AGUAJET
decorrem do pagamento do veículo BMW intermediado por Ricardo.

ADONAI NOVAIS DE OLIVEIRA, HELDER PEREIRA DINIZ, MARCELO DA


SILVA PEREIRA e EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO (ID. Num. 296009889 - Pág.
13-31): a) ausência de materialidade delitiva, porque as interceptações telefônicas não
possuem o condão de comprovar a materialidade, pois consubstanciam meros indícios da
existência de um crime; b) ausência de provas de autoria delitiva; c) o MPF não
comprovou a estabilidade e permanência para se reconhecer a existência do crime de
associação para o tráfico; d) o acusado Edilson realizava apenas trabalhos como pedreiro
na Fazenda Sete Irmãos, enquanto Marcelo e Helder cuidavam do gado da fazenda; e)
em caso de condenação, a aplicação da pena mínima, a redução máxima do tráfico
privilegiado, o aumento mínimo da transnacionalidade, a fixação do regime aberto e a
substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 6
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA (ID. Num. 474513933 - Pág. 1): a) as
interceptações telefônicas não mencionam a comercialização, aquisição ou transporte de
droga; b) não foi apreendido entorpecente na posse do acusado; c) não foi realizada
perícia de voz para identificar a voz do acusado nas interceptações telefônicas; d) o irmão
do acusado comercializava veículos no Pará, onde é mais barato, e mandava em
caminhões cegonhas para o acusado comercializar em Cuiabá; e) os relatórios das
degravações das interceptações telefônicas estão eivados de interpretações dos
investigadores de polícia.

Relatados. Decido.

Trata-se de ação penal proposta pelo MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL em


que figuram como acusados ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, ALENCAR NOVAES DE
OLIVEIRA, ALEXANDRE ZANGARINI, AROLDO FERNANDES DA LUZ, EDILSON
AMORIN DO NASCIMENTO, ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, HELDER PEREIRA
DINIZ, JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, JOCENIL PAULO DE FRANÇA,
MARCELO DA SILVA PEREIRA, MARCELO JOSE HARDMAN MEDINA, NEURI ALVES
DA SILVA, ROBERTO CARLOS PEREIRA, RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO e
VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ, em razão das investigações realizadas na
Operação Maranello.

1. PRELIMINARES

Em alegações finais, a defesa do acusado AROLDO FERNANDES DA LUZ


(ID. Num. 296009881 - Pág. 79-125) sustentou, como tese preliminar:

a) Nulidade das interceptações telefônicas por violação do sigilo


profissional, pois foram captadas conversas entre o acusado, que é advogado, com
seus clientes, o que é vedado pelo art. 7°, inc. II da Lei 8.906/94.

Esta tese já foi decidida por este Juízo na decisão que recebeu a denúncia
(ID. Num. 295994935 - Pág. 228-229), nos seguintes termos:

"1.10. DENÚNCIA FUNDADA EM PROVA ILÍCITA, DECORRENTE DA


INTERCEPTAÇÃO TELEFÔNICA QUE VIOLOU SIGILO ENTRE CLIENTE E
ADVOGADO, COM FUNDAMENTO NO ART. 70, II DA LEI 8.906/94

Como a tese precedente não foi acolhida, por razões lógicas, a tese
subsequente também não merece prosperar, pois tanto o art. 133 da CF
quanto o art. 7°, inc. II da Lei 8.906/94 não impossibilitam, de forma absoluta,
a interceptação telefônica de advogado, na medida em que deixam claro a
ressalva de que as inviolabilidades ali estatuídas devem guardar relação com
o exercício da advocacia. É dizer, fora dessa circunstância, a interceptação
do advogado pode ser realizada.” (ID. Num. 295994935 - Pág. 228-229)

b) Nulidade das interceptações telefônicas por incompetência do juízo.

Esta tese já foi decidida por este Juízo na decisão que recebeu a denúncia

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 7
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
(ID. Num. 295994935 - Pág. 219-221), nos seguintes termos:

“1.2. NULIDADE DA INTERCEPTACÃO TELEFÔNICA, DEFERIDA POR


JUÍZO INCOMPETENTE

Diante da inexistência, à época da representação, de indícios mínimos de


transnacionalidade delitiva, a medida cautelar de interceptação telefônica foi
deferida pelo Juízo da 9ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá/MT,
competente para decidir sobre os incidentes relativos ao inquérito policial n°
2013/2009/DRE/MT (fls. 08/10 do VOLUME 1 do CD de fls. 45).

De igual forma, as prorrogações das interceptações, inclusão de novos


terminais e interceptação de novos investigados seguiu a mesma lógica,
tendo sido deferidas pelo Juízo da 9ª Vara Criminal da Comarca de
Cuiabá/MT, A. época competente para decidir sobre os incidentes relativos ao
inquérito policial n° 2013/2009/DRE/MT.

Posteriormente, em 10/07/2009, o Juízo Estadual declinou da competência


em favor da Justiça Federal, que acolheu o declínio. Desse modo, eventual
deslocamento de competência não possui o condão de tornar imprestável o
material probatório já produzido, porquanto a proveniência estrangeira da
droga somente foi descoberta ao longo e em razão da investigação.

O Supremo Tribunal Federal já decidiu no sentido que inexiste nulidade da


interceptação telefônica deferida por Juiz Estadual, que posteriormente
declina a competência para a Justiça Federal, quando evidenciado que na
primeira fase das investigações não havia elementos de informação
plausíveis no sentido de afirmar a transnacionalidade do tráfico de drogas,
que somente ficou demonstrado com o avanço das diligências. É o que se
infere da ementa a seguir transcrita:

RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS. INVESTIGAÇÃO


POLICIAL. TRÁFICO TRANSNACIONAL DE DROGAS. COMPETÊNCIA DA
JUSTIÇA FEDERAL. INVIABILIDADE DE ANALISE DE FATOS E PROVAS.
LICITUDE DAS PROVAS AUTORIZADAS POR JUÍZO APARENTEMENTE
COMPETENTE. ESCUTAS TELEFÔNICAS. PRORROGAÇÕES
SUCESSIVAS. POSSIBILIDADE. DECISÃO FUNDAMENTADA. 1. O caráter
transnacional do delito de tráfico de drogas, assim considerado quando
demonstrado o intuito de transferência da substância envolvendo mais de um
país, ficou comprovado por intermédio de provas produzidas sob o crivo do
contraditório e da ampla defesa. Nesse contexto, qualquer conclusão desta
Corte em sentido contrário demandaria o revolvimento de fatos e provas, o
que é inviável em sede de habeas corpus. 2. O STF já decidiu que não há
nulidade em medida cautelar autorizada por Juiz Estadual, que
posteriormente declina a competência para Justiça Federal. Quando
evidenciado que na primeira fase das investigações não havia
elementos de informação plausíveis no sentido de afirmar a
transnacionalidade do tráfico de drogas, que somente ficou
demonstrado com o avanço das diligencias. 3. A interceptação telefônica

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 8
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
é instrumento excepcional e subsidiário a persecução penal, cuja decisão
autorizadora deve observar rigorosamente o disposto no art. 5°, XII, da
Constituição Federal e na Lei 9.296/1996. Demonstrado que as razões iniciais
legitimadoras da interceptação subsistem e o contexto fático delineado pela
parte requerente indique a sua necessidade, como único meio de prova, para
elucidação do fato criminoso, a jurisprudência desta Corte tem admitido a
razoável prorrogação da medida, desde que respeitado o prazo de 15 dias
entre cada uma delas. 4. Recurso ordinário desprovido. (RHC 113721,
Relator(a):

Min. TEORI ZAVASCKI, Segunda Turma, julgado em 03/03/2015,


PROCESSO ELETRÔNICO DJe-085 DIVULG 07-05-2015 PUBLIC 08- 05-
2015)

Trata-se da aplicação da teoria do juízo aparente, que reconhece a validade


das provas cautelares de natureza penal quando produzidas em órgão
jurisdicional que, segundo os elementos existentes na época da prolação das
decisões, possuía competência para determiná-las. (...)” (ID. Num.
295994935 - Pág. 219-221)

c) Nulidade das interceptações telefônicas por incompetência do juízo a


partir da data da apreensão da droga, porque com a apreensão com o rótulo
identificado era da Bolívia, o juízo estadual teve a certeza de sua incompetência,
mas prosseguiu nas interceptações telefônicas.

A incompetência do juízo estadual não foi afastada automaticamente com a


apreensão do carregamento da substância entorpecente na Fazenda Sete Irmãos, em
Barão de Melgaço/MT. Para tanto, a investigação teve de prosseguir para analisar o
material apreendido com as interceptações telefônicas realizadas e, a partir daí, concluir
pela transnacionalidade da conduta.

Portanto, mesmo com a apreensão da droga, é perfeitamente plausível o


prosseguimento das investigações perante o juízo estadual, ainda com o deferimento de
interceptações telefônicas, até que adveio, com a realização de perícias técnicas
confrontadas com as interceptações, a certeza que a droga tinha proveniência na Bolívia.

Somente se cogitaria em nulidade das interceptações telefônicas se o juiz


estadual, para garantir o monitoramento de algum carregamento de cocaína em ação
controlada, deferisse a interceptação telefônica após sua decisão de declínio da
competência, que não ocorreu no caso dos autos.

d) Nulidade das interceptações telefônicas deferidas no dia 09/06/2009,


considerando que a decisão judicial não foi assinada.

A mencionada ausência de assinatura na decisão mencionada pela defesa é


mera irregularidade que não contamina a prova produzida, pelas seguintes razões:

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 9
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Primeiro, não foi quebra nova para ensejar a possível suposição que a autoridade policial,
ou alguém, não identificado, teria algum interesse escuso na obtenção dessa decisão
contra a vontade do juízo estadual. Segundo, o juiz assinou os ofícios remetidos às
operadoras, a indicar que não só foi o responsável pela decisão prolatada, como por sua
execução. Terceiro, não faz nenhum sentido mesmo prolatar uma decisão de quebra de
sigilo sem assinatura e juntá-la no processo.

A única explicação plausível é que ocorreu mero erro que não contamina em
nada a medida cautelar. Ora, pareceria mesmo bem absurdo alguém “criar” uma decisão
judicial, fazer o juiz assinar os ofícios e juntá-la no processo de quebra, para ser
percebida pelo mesmo juiz, autoridade policial e Ministério Público? Não faz nenhum
sentido e só pode ser explicado na linha do mero erro material que não contamina em
nada a prova produzida.

e) Inépcia da denúncia por narrativa genérica

A defesa do acusado ALEXANDRE ZANGARINI, em alegações finais (ID.


Num. 296009881 - Pág. 288-379), sustentou a preliminar de inépcia do aditamento à
denúncia, elaborado de forma genérica, em infração ao disposto no art. 41 do CPP,
violando-se a ampla defesa e contraditório, devendo ser reconhecida a nulidade do
aditamento, na forma do art. 564, inc. IV do CPP.

Esta tese, contudo, já foi afastada na decisão que recebeu a denúncia, nos
seguintes termos (ID. Num. 295994935 - Pág. 225):

“1.6. INÉPCIA DA DENÚNCIA POR NARRATIVA GENÉRICA

Infere-se da denúncia formulada pelo MPF (fls. 04/39) e seu aditamento (fls.
215/217), narrativa individualizada de cada denunciado, dentro do contexto
do seu respectivo grupo de atuação, o modus operandi da associação
criminosa e as provas produzidas ao longo da investigação, que subsidiaram
a imputação.

Portanto, não há que se falar em inépcia da denúncia por narrativa genérica,


posto que a denúncia narrou minuciosamente as condutas imputadas aos
acusados, as circunstâncias dos crimes e as provas que sustentam a
acusação, a proporcionar o desempenho da ampla defesa e possibilitar o
contraditório.”

2. DO DEPOIMENTO DE ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS, epíteto


“MARQUINHOS”.

Diante da relevância do depoimento prestado pelo colaborar ANTÔNIO


MARTINS DE ASSIS, epíteto “MARQUINHOS”, passo a discorrer sobre a validade
desse depoimento como prova de autoria delitiva.

O colaborador ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS, epíteto “MARQUINHOS”


trabalhava na fazenda Sete Irmãos, estava no local durante o pouso da aeronave

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 10
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
transportando o carregamento de cocaína da Bolívia, acompanhou o descarregamento da
aeronave e a movimentação no interior da fazenda e informou aos investigadores da
Polícia Civil sobre o local onde estava escondido o carregamento de cocaína. Dada a sua
importância como prova de autoria delitiva, transcrevo na íntegra o depoimento do
colaborador (fls. 17/24 da Colaboração Premiada, autos n° 2009.36.00.010290-9).

“Aos 19 dias do mês de junho de 2009, às 16 horas e 20 minutos, perante o


Grupo de Atuação Especial Contra o crime Organizado - GAECO, em sua
sede: localizada no CPA, Cuiabá/MT, presentes os Promotores de Justiça,
Sergio Silva da Costa e Arnaldo Justino da Silva, bem como os Delegados de
Polícia da GIP, Anderson Ap. dos Anjos Garcia, e da DRE, Marcelo Felisbino
Martins, compareceu o Sr. ANTONIO MARTINS DE ASSIS, vulgo
Marquinhos, brasileiro, convivente, peão da fazenda, natural de Cuiabá/MT,
nascido a 07 de dezembro de 1978, filho de Noel Felipe de Assis e Alaíde
Paes da Costa, portador da portador da cédula de identidade RG n 1246039-
7 SSP/MT, residente na Vale do Aricá, comunidade do Barreiro, Município de
Cuiabá/MT, atualmente custodiado nas dependências do Centro de
Ressocialização. de Cuiabá, conhecido como cadeia pública do Carumbé,
nesta capital, e DECLAROU o seguinte: Que, o declarante foi criado junto ao
Vale do Aricá, na comunidade do Barreiro, sendo que em uma chácara
vizinha, do declarante, tinha uma família, que tinha corno filhos as pessoas de
MARCELO e seu irmão ROBERTO, conhecido como BETO, cujos nomes
completos o mesmo não sabe declinar; QUE, praticamente foram criados na
mesma localidade; QUE, também foi criado ali na região a pessoa de
HELDER; QUE, conheceu a pessoa de EDILSON acerca de dois anos atrás,
junto ao sitio da família de HELDER no Vale do Aricá, pois EDILSON é
casado com a irmã de HELDER, de pré-nome SIMONI;. QUE, acerca de 07
(sete) meses atrás, foi procurado pela pessoa de MARCELO o qual lhe
ofereceu emprego junto a FAZENDA SETE IRMÃOS para ser peão de
fazenda, ou seja, cuidar de gados de propriedade do mesmo; QUE, tal
oferecimento se deu em virtude do mesmo sempre trabalhar como peão de
fazenda, cuidando de gados; QUE, MARCELO veio a lhe oferecer R$
3.000,00(três mil reais) por mês, o que de pronto foi aceito por este; QUE,
apesar do valor não ser o normal de mercado de trabalho, o declarante veio a
desconfiar de algo errado, porém, nada falou haja vista estar ganhando
mensalmente o seu salário; QUE, na mesma época, também foi contratado a
pessoa de EDILSON, para trabalhar na fazenda, para realizar a parte elétrica
de toda a fazenda, pois a mesma foi reformada; QUE, no princípio, o
declarante e EDILSON ficavam na fazenda por cerca de 15 (quinze) dias, e
depois ia para sua casa, a mando de MARCELO, passados alguns dias,
MARCELO ou outro lhe ligava dizendo que estava na hora de retomar para a
fazenda, e sempre fora assim; QUE, apesar de ter fechado acordo em R$
3.000,00 (três mil reais) mensais, na verdade acerca de cinco meses atrás o
mesmo não veio mais a receber o referido valor, sendo que eles sempre
diziam que estavam apertados e que quando melhorasse pagariam o que
deviam, e mensalmente davam ao declarante, vez R$ 500,00 reais, vez
1.000,00 reais, e assim por diante; Que, é de conhecimento que EDILSON
também foi contratado pelo mesmo valor mensal:, e que este problema de
pagamento de salário mencionado, igualmente ocorreu com ele; QUE, cerca

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 11
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
de 03 (três) meses atrás, MARCELO veio a procurar o declarante e dissera
ao mesmo que na verdade ali não tratavam somente de gado, e sim havia
outra coisa, mais precisamente com TRÁFICO DE ENTORPECENTES, e que
queriam que o declarante entrasse no esquema, pois estavam precisando de
gente de confiança; QUE, MARCELO veio a oferecer ao declarante a quantia
de R$ 3.000,00 (três mil reais) por cada carregamento que chegasse na
fazenda, para que o mesmo servisse de mão de obra, ou seja, para
descarregar, ajudar a carregar, esconder, etc, além dos R$ 3.000,00 (três mil
reais) mensais que pagariam como salário ao mesmo para cuidar do gado;
QUE, o declarante veio a aceitar o acordo firmado, sendo que durante os três
meses em que ficou fazendo parte do esquema, nunca veio a descer nenhum
carregamento naquela fazenda; QUE, quer deixar claro e afirmar de que
apesar de MARCELO ter lhe contratado, bem como ter-se aproximado de sua
pessoa oferecendo a participação em tudo, percebeu que o dinheiro para ser
pago sempre era dado pela pessoa de WAGNER, conhecido como CABEÇA,
sabendo tratar-se de um policial civil; QUE, ficou sabendo o declarante que
antes deste carregamento a que se trata os presentes autos, naquela
FAZENDA SETE IRMÃOS veio a ser descarregado dois carregamentos
anteriores, porém, como já afirmado o declarante não sabe nada a dizer
sobre estes, pois não participava, mas sempre desconfiou de algo; QUE,
CABEÇA (Wagner) sempre providenciava a troca de um aparelho celular que
ficava na fazenda, onde chamavam este celular de exclusivo, ou seja, quando
iam conversar a respeito de TRÁFICO DE ENTORPECENTES, a conversa
sempre se dava através deste aparelho exclusivo, inclusive quando a polícia
ali aportou veio a apreender este aparelho celular, sendo o mesmo um
aparelho mais novo, pois o declarante possuía outros dois aparelhos de sua
propriedade que ficaram na fazenda; QUE, quer esclarecer de que quando o
declarante cerca de 03 messes entrou no esquema de TRÁFICO DE
ENTORPECENTES, WAGNER (cabeça) chegou para o declarante dizendo
que o mesmo iria sempre receber ordens da pessoa de MARCELO, o que era
feito; QUE, na oportunidade em achava na fazenda juntamente com a pessoa
de EDILSON, sendo que por volta das 07:00 horas da manhã, chegaram na
mesma as pessoas de WAGNER (cabeça), ROBERTO (Beto), MARCELO,
HELDER, ADONAI, JACKSON e MANOEL (Mané), os quais estavam
ocupando uma SW4, de cor verde escuro, placas que não se recorda, bem
como é de conhecimento que uma outra camionete L200, de cor mais clara
que a SW4, ficou na localidade de MIMOSO, sendo que ali estavam as
pessoas de ADAUTO (daltinho), um outro WAGNER e RUBENS (também
apelidado de cabeção, sendo este veterinário); QUE, é de conhecimento que
este três ficaram em MIMOSO para verificar movimentação de polícia na
localidade, pois se assim vissem, imediatamente entravam em contato
telefônico com a fazenda e todos evadiriam-se do local; QUE, por volta das
10:30/11:00 horas, perceberam no céu um avião, onde pensaram tratar-se do
avião que iria descarregar a droga, sendo que imediatamente MARCELO e
HELDER adentraram a camionete Hilux de cor azul, que estava na fazenda, e
foram para a cabeceira da pista para abrir a lona, demonstrando indicativo ao
piloto do avião para descer na pista, pois a lona já estava na cabeceira da
pista, porém sem estar aberta, sendo esta lona plástica de cor amarela; QUE,
o referido avião foi embora e perceberam não se tratar do mesmo; QUE, por

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 12
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
volta das 12:00 horas, veio outro avião, de cor branco e vermelho, cujo
prefixo não se recorda, onde então este sim veio a pousar na pista da
fazenda; QUE, imediatamente foi retirado a carga do avião, onde o pessoal
comentava que seria em torno de 430 (quatrocentos e trinta) quilos, sendo
que estes achavam-se em torno de 13 sacos plásticos transparentes, sendo
que dentro destes sacos haviam vários “tijolos” de cocaína, ou seja, em barra;
QUE, abasteceram o avião ali mesmo na pista, onde este após a operação,
imediatamente veio a decolar indo embora, sendo que o tempo de demora
entre o pouso e decolagem, virou em torno de 30 (trinta) minutos; QUE, no
avião haviam duas pessoas, sendo ambos bolivianos, os quais não
conversaram muito, sendo que a operação é rápida, ou seja abriram a porta
do avião e diziam para irem tirando os pacotes de dentro, ao passo que
outros eram para abastecer o avião; QUE, estes dois bolivianos, mais
conversaram com a pessoa de ADONAI; QUE, perguntado esclarece que não
conhecia as pessoas de ADONAI, JACKSON e MANOEL, vindo a conhece-
los naquela ocasião; QUE, após retirarem todos os pacotes e colocarem os
mesmos dentro da SW4 se dirigiram até atrás do galinheiro debaixo do pé de
seriguela que têm ali, onde retiraram todos os sacos, abriram os mesmos, e
contaram quantos tijolos de cocaína ali tinha, vindo a contar 430
(quatrocentos e trinta) tijolos de droga; QUE, após, vieram a reembalar, onde
ato contínuo WAGNER (cabeça, o policial), mandou que guardassem a
mercadoria, e dali saíram com a SW4 as pessoas de MARCELO, o
DECLARANTE e EDILSON, sendo que já possuíam um local pré
determinado, todavia camionete atolou, pois estava cheio d'água e não deu
para ir para frente para ir guardar onde era o local já definido; QUE onde a
camionete atolou o local ser próximo, decidiram levar toda a mercadoria nas
"costas", e assim foi feito, sendo que as pessoas de BETO, MARCELO,
HELDER, O DECLARANTE, EDILSON e a pessoa de MANOEL (Mané)
vieram a carregar, onde após vieram a desatolar o carro, ficando todos na
sede da fazenda; QUE, quer esclarecer de que quando estavam com a droga
ainda dentro da SW4, no início do atolamento, sendo que estavam tentando
passar com a camionete na água, viram o helicóptero da polícia passar sobre
a fazenda; QUE, neste momento todos se assustaram e saíram correndo
para o mato, ficando apenas a pessoa de WAGNER (cabeça) na sede da
fazenda olhando; QUE, percebendo que o helicóptero tinha ido embora, foi
que decidiram rapidamente "transportar a droga para o esconderijo na mão
mesmo”, o que fora feito; QUE, neste momento do helicóptero, MARCELO
ligou para a pessoa de DALTINHO perguntando se estava ocorrendo alguma
movimentação policial, onde DALTINHO dizia que não; QUE, esclarece que o
esconderijo onde a droga esta atualmente, pelo menos onde deixou, é no
meio de uma moita bem grande e bem fechada, em seu interior, colocaram
um plástico de chuva e intempéries do tempo; QUE, após isto colocaram por
cima algumas folhas de coqueiro de aguaçu; QUE, após isto vieram a
desatolar o carro, e todos foram embora logo ao entardecer, ou seja quando a
noite começou a cair, ficando apenas a pessoa do declarante e EDILSON;
QUE, naquela mesma noite, por volta de 23:45/24:00 horas, a pessoa de
BETO ligou para a fazenda dizendo que haviam sido abordados na estrada
por policiais, sendo que tinham sido liberados após, onde o declarante
solicitou se havia perigo eles ficarem ali ou não, sendo que BETO dissera que

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 13
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
não; QUE, no dia seguinte, de manhã, o declarante se encontrava juntamente
com EDILSON, quando recebeu outro telefonema, agora de WAGNER
(cabeça), o qual ordenou que ambos fechassem a cerca que tinha sido aberta
para formar a pista de pouso na fazenda, pois a intenção era dissimular que
ali não era pista de pouso, ou melhor, quer dizer que quem passasse por
cima, de avião ou helicóptero, olharia e não falaria que ali era urna pista de
pouso; QUE, salienta de que na FAZENDA SETE IRMÃOS possui duas
pistas de pouso, onde outrora se utiliza uma pista, porém, com as chuvas e a
enchente, vieram a abrir outra pista, que é esta que o declarante manifesta
neste momento; QUE, assim fora feito, sendo que se achavam colocando os
"mourões" na pista, quando ouviram barulho de veículos, se aproximando e
como já era sabedor de que sempre avisava quando iriam chegar ficaram
desconfiados, onde se esconderam no mato, e avistando de que se tratava
de viaturas da polícia, imediatamente fugiram do local abandonando tudo que
ali achava, inclusive a Hilux de cor azul, que ficou ao lado da pista perto dos
tambores que foram usados para abastecer o avião; QUE, dali ficaram no
meio do mato, indo para comunidades do local a procura de um telefone para
ligar para o pessoal; QUE, a priori não conseguiram falar com ninguém,
porém posteriormente conversaram com BETO o qual dissera que era para
os mesmos ficarem escondidos no meio do mato; QUE, cerca de dez dias
depois, BETO conversou telefonicamente com o declarante novamente, onde
dissera que o advogado Dr. AROLDO iria busca-los por volta das 05:00 horas
da manhã, e assim fora feito, sendo que o Dr. AROLDO fora até a localidade
onde se encontravam homiziados, de posse de uma camionete S-l0 de cor
preta, vindo a resgatar o declarante, a pessoa de EDILSON, e o cachorro
chamado TATA que ficava na fazenda; QUE, assim o Dr. AROLDO deixou o
declarante e EDILSON em uma pousada perto do rio, se não lhe falha a
memória chamada "FEVA' ou algo parecido "CEVA", e dali apanharam um
barco conhecido como "voadeira", e o declarante e EDILSON foram até a
localidade de Santo Antônio do Leverger, mais precisamente nas imediações
da "casa de telha"; onde outro advogado lhes esperavam, um advogado mais
velho, de olho claro, de nome DR. JOÃO BATISTA, sendo que em um
primeiro momento não dissera ser advogado, mas depois no meio da
conversa veio a dizer sua profissão, QUE, dali EDILSON foi para a casa da
mãe do MARCELO, ao passo que o declarante foi se homiziar no sitio de seu
genitor, esclarece o declarante que quando ainda estavam escondidos na
região, ele e EDILSON, certa ocasião receberam um telefonema de
MARCELO o qual dissera ao declarante para que trocasse de lugar a droga,
pois a mesma estava escondida em um local que julgavam não ser bom, em
razão da correrira que sofreram para esconder a mesma; Que, MARCELO
veio a lhe dizer que era para levar a droga .para o outro esconderijo que é
mais seguro, onde afirma se tratar do local já mencionado acima em suas
declarações que descreveu; QUE, neste ato nos fornece um "croqui"
elaborado por si, para indicar o local exato onde a droga esta escondida,
sendo que o quadrado trata-se da sede da fazenda, o "ATOLADO" seria onde
foi detectado marcas de atolamento de carro pela polícia, a "linha horizontal"
é a cerca tendo a primeira moita (local do primeiro esconderijo) e a outra é a
segunda moita (local definitivo do esconderijo); QUE, perguntado esclarece
de que parte da droga que ali chegou é de propriedade das pessoas de

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 14
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI, JACKSON e MANE, pois como dito estes não os conheciam,
conhecendo somente no dia, e a outra parte era do pessoal do declarante;
QUE, esclarece ainda de que ficou sabendo que a droga de ADONAI iria ser
descarregada na fazenda BAIA DOS PASSAROS que foi arrendada por eles,
porém, um ou dois dias antes da chegada do carregamento, vieram a
perceber alguma movimentação diferente, bem como viram duas camionetes
escondidas no meio do mato, e aí ficaram com receio pois não sabiam do que
se tratava e resolveram trazer o carregamento para a FAZENDA SETE
IRMÃOS; QUE, quer esclarecer de que quando deste carregamento, ouviu as
pessoas comentarem de que o pessoal da FAZENDA SETE IRMÃOS
estavam aliados com o pessoal da FAZENDA BAÍA DOS PÁSSAROS; QUE,
é do conhecimento do declarante de que o pessoal veio a alugar um
escritório, dentro da agropecuária SÃO JORGE, na Av. Carmindo de
Campos, sendo que posteriormente vieram a fechá-lo, ficando pouco tempo
com ele, sendo que o veterinário RUBENS é quem ficava encarregado deste
escritório; QUE, o declarante chegou de ir até este escritório por duas vezes,
sendo que o declarante sempre encontrou RUBENS no mesmo; QUE, pelo
que dava a perceber, quem detinha o dinheiro de todo o grupo era a pessoa
de WAGNER (cabeça); QUE, quanto ao vereador WAGNER, esclarece tê-lo,
visto apenas uma única vez na fazenda, logo no começo; QUE, quer deixar
consignado de que é de seu conhecimento que junto a FAZENDA SETE
IRMÃOS, quanto aos gados que ali tem, possui aproximadamente cerca de
500 (quinhentas) cabeças, sendo que destas aproximadamente 400
(quatrocentas) pertencem a Wagner, Helder, Marcelo e Daltinho e estão
marcados com a marca SJ (de agropecuária São Jorge); alguns bezerros não
foram marcados. O restante, ou seja, as outras aproximadamente 100 (cem)
cabeças pertencem ao Paulo Vilela, que estão em parceria com o Carlos
Dorileo, proprietário da Fazenda, e estão marcados com a marca LA. Em
meio a estas 100 (cem) cabeças tem também algumas cabeças que
pertencem aos vizinhos daquela localidade Mucambo, sendo que o Sr. Moraci
sabe separar certinho as cabeças de gado que pertencem aos vizinhos; QUE,
quando o declarante já se encontrava na casa de seus pais, MARCELO
entrou em contato com o declarante dizendo de que queriam retornar lá para
“enterrar” a droga ou “removê-la” do local, sendo que o declarante dissera
que o local era seguro e que a droga estava segura, mas MARCELO dissera
que iria arrumar um jeito de tirar de lá ou enterrar; QUE., esclarece que a
SIMONI (esposa de EDILSON) é irmã de HELDER, HELDER é sobrinho do
MARCELO e BETO, e estes são primos do policial civil NEURI; QUE,
esclarece ainda de que a Hilux de cor azul apreendida na fazenda pelo que
sabe estava em uma agência de carros, a qual foi apanhada lá para ir para a
FAZENDA SETE IRMÃOS; QUE, a. pessoa que cuida desta garagem é uma
pessoa de pré-nome DANIEL, de alcunha BUCHO, o qual foi na fazenda por
duas vezes, sendo que ali estava acompanhado por DALTON, WAGNER
(cabeça), MARCELO, e BETO, sendo que acredita o declarante que o mesmo
faça parte da organização criminosa, bem como esta garagem seja de
propriedade do pessoal e não do próprio BUCHO; QUE, este BUCHO é um
moreno, bem gordo; QUE, com relação a duas carabinas de fabricação
RUSSA apreendida na fazenda esclarece que, logo no começo que começou
a trabalhar lá, WAGNER (cabeça) e DALTINHO apareceram com três

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 15
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
carabinas daquelas, sendo que DALTINHO levou para sua casa ao passo
que as outras duas ficaram na FAZENDA; QUE, com relação ao combustível
para abastecer o avião para retorno à BOLIVIA; a alguns dias já estava
escondido no mato, sendo que foi para lá levado pela pessoa de BETO; QUE,
quer esclarecer de que durante todo o transcorrer destes fatos, foi procurado
pelo Dr. AROLDO, advogado, ao qual sempre dizia ao declarante de que se o
mesmo agüentasse a bronca e ficasse calado, este iria receber um prêmio da
pessoa de WAGNER, não sabendo declinar se seria dinheiro, um carro ou
uma moto, ou qualquer outra coisa; QUE, neste ato mostrado ao declarante
as fotografias acostadas aos autos do Inquérito Policial n° 213/2009 da DRE,
esclarece o declarante que a fotografia de fis. 29, reconheceu como sendo a
pessoa de EDILSON às de fls. 30 e 31, reconheceu como sendo a pessoa de
MARCELO; às de fls. 32, com o número 04 como sendo a pessoa de
ADONAI, a de número 05, como sendo HELDER e a de n°06 como sendo a
pessoa de JACKSON; às de fls. 33 como sendo a pessoa de WAGNER
(cabeça); às de fis. 34 como sendo ROBERTO – vulgo: BETO; às de fls. 35
como sendo a pessoa de MANÉ; às de fls. 36 como sendo o BETO; QUE,
afirma peremptoriamente o declarante de que nenhuma das pessoas
mencionadas pelo declarante fazia ou faz uso de entorpecentes, destarte, em
momento algum vieram a utilizar droga naquele local; QUE, afirma que o
declarante e EDILSON cuidavam da manutenção da fazenda e do gado,
sendo que mais o declarante para cuidar do gado e EDILSON na
manutenção, em especial, na parte elétrica, sendo, que o veterinário vezes
verificava o que faltava para manter os gados ali, como comida, vacina, etc, e
geralmente BETO é quem levava para a fazenda os materiais necessários,
sal,. vacina, etc.,. sendo que a parte de comida e outras despesas do
declarante e de EDILSON eram mantidos pela pessoa de WAGNER
(cabeça); QUE, Neste ato requer o benefício da delação premiada e ainda a
inserção no serviço de proteção à testemunhas. Nada mais, vai assinado
pelos presentes.”

Sobre a delação premiada em crimes envolvendo o tráfico de substância


entorpecente, dispõe o artigo 41 da Lei Federal n° 11.343/2006 que:

“Art. 41. O indiciado ou acusado que colaborar voluntariamente com a


investigação policial e o processo criminal na identificação dos demais co-
autores ou partícipes do crime e na recuperação total ou parcial do produto
do crime, no caso de condenação, terá pena reduzida de um terço a dois
terços.”

Na época em que foi tomado o depoimento do colaborador perante os


Promotores de Justiça e Delegados de Polícia Civil no GAECO, ainda não havia
regulamentação específica sobre a matéria, posto que a regulamentação do “acordo de
leniência” foi dada pela Lei Federal n° 12.529/2011 e o procedimento completo foi previsto
pela Lei n° 12.850/2013.

Portanto, considerando que à época dos fatos, não havia regulamentação

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 16
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
específica para se submeter a delação premiada ao juízo criminal para eventual
homologação judicial, não há que se cogitar a aplicação retroativa do procedimento de
homologação de “acordo de leniência” da Lei 12.850/2013.

Desse modo, o depoimento do colaborador ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS,


epíteto “MARQUINHOS”, prestado perante os Promotores de Justiça e Delegados de
Polícia Civil no GAEGO deve ser lido e entendido à luz dos demais elementos probatórios
colacionados aos autos, notadamente as interceptações telefônicas, a prova pericial e
documental, exprimindo-se a harmonia que deve existir entre essas provas que foram
colacionados aos autos ao longo da fase processual e pré-processual.

É mesmo dizer, o depoimento deve ser cotejado com os demais elementos


de prova, para inferir a validade e ocorrência dos fatos narrados por ANTÔNIO MARTINS
DE ASSIS, especificamente se guardam harmonia com os fatos apurados através das
interceptações telefônicas e busca e apreensão na fazenda Sete Irmãos.

Nesse sentido, o entendimento do Supremo Tribunal Federal – STF, em que


o acordo de delação premiada constituiu meio de prova, embora a prova produzida por
esse meio tem força probatória fragilizada, considerando o interesse do delator de
receber benefícios em contrapartida.

“EMENTA Habeas corpus. Impetração contra ato de Ministro do Supremo


Tribunal Federal. Conhecimento. Empate na votação. Prevalência da decisão
mais favorável ao paciente (art. 146, parágrafo único, do Regimento Interno
do Supremo Tribunal Federal). Inteligência do art. 102, I, i, da Constituição
Federal. Mérito. Acordo de colaboração premiada. Homologação judicial (art.
4º, § 7º, da Lei nº 12.850/13). Competência do relator (art. 21, I e II, do
Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal). Decisão que, no exercício
de atividade de delibação, se limita a aferir a regularidade, a voluntariedade e
a legalidade do acordo. Ausência de emissão de qualquer juízo de valor
sobre as declarações do colaborador. Negócio jurídico processual
personalíssimo. Impugnação por coautores ou partícipes do colaborador.
Inadmissibilidade. Possibilidade de, em juízo, os partícipes ou os coautores
confrontarem as declarações do colaborador e de impugnarem, a qualquer
tempo, medidas restritivas de direitos fundamentais adotadas em seu
desfavor. Personalidade do colaborador. Pretendida valoração como requisito
de validade do acordo de colaboração. Descabimento. Vetor a ser
considerado no estabelecimento das cláusulas do acordo de colaboração -
notadamente na escolha da sanção premial a que fará jus o colaborador -,
bem como no momento da aplicação dessa sanção pelo juiz na sentença (art.
4º, § 11, da Lei nº 12.850/13). Descumprimento de anterior acordo de
colaboração. Irrelevância. Inadimplemento que se restringiu ao negócio
jurídico pretérito, sem o condão de contaminar, a priori, futuros acordos de
mesma natureza. Confisco. Disposição, no acordo de colaboração, sobre os
efeitos extrapenais de natureza patrimonial da condenação. Admissibilidade.
Interpretação do art. 26.1 da Convenção das Nações Unidas contra o Crime
Organizado Transnacional (Convenção de Palermo), e do art. 37.2 da
Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção (Convenção de Mérida).
Sanção premial. Direito subjetivo do colaborador caso sua colaboração seja

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 17
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
efetiva e produza os resultados almejados. Incidência dos princípios da
segurança jurídica e da proteção da confiança. Precedente. Habeas corpus
do qual se conhece. Ordem denegada. 1. Diante do empate na votação
quanto ao conhecimento de habeas corpus impetrado para o Pleno contra ato
de Ministro, prevalece a decisão mais favorável ao paciente, nos termos do
art. 146, parágrafo único, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal.
Conhecimento do habeas corpus, nos termos do art. 102, I, “i”, da
Constituição Federal. 2. Nos termos do art. 21, I e II, do Regimento Interno do
Supremo Tribunal Federal, o relator tem poderes instrutórios para ordenar,
monocraticamente, a realização de quaisquer meios de obtenção de prova
(v.g., busca e apreensão, interceptação telefônica, afastamento de sigilo
bancário e fiscal). 3. Considerando-se que o acordo de colaboração
premiada constitui meio de obtenção de prova (art. 3º da Lei nº
12.850/13), é indubitável que o relator tem poderes para, monocraticamente,
homologá-lo (art. 4º, § 7º, da Lei nº 12.850/13). 4. A colaboração premiada é
um negócio jurídico processual, uma vez que, além de ser qualificada
expressamente pela lei como “meio de obtenção de prova”, seu objeto é a
cooperação do imputado para a investigação e para o processo criminal,
atividade de natureza processual, ainda que se agregue a esse negócio
jurídico o efeito substancial (de direito material) concernente à sanção premial
a ser atribuída a essa colaboração. 5. A homologação judicial do acordo de
colaboração, por consistir em exercício de atividade de delibação, limita-se a
aferir a regularidade, a voluntariedade e a legalidade do acordo, não havendo
qualquer juízo de valor a respeito das declarações do colaborador. 6. Por se
tratar de negócio jurídico personalíssimo, o acordo de colaboração premiada
não pode ser impugnado por coautores ou partícipes do colaborador na
organização criminosa e nas infrações penais por ela praticadas, ainda que
venham a ser expressamente nominados no respectivo instrumento no “relato
da colaboração e seus possíveis resultados” (art. 6º, I, da Lei nº 12.850/13).
7. De todo modo, nos procedimentos em que figurarem como imputados, os
coautores ou partícipes delatados - no exercício do contraditório - poderão
confrontar, em juízo, as declarações do colaborador e as provas por ele
indicadas, bem como impugnar, a qualquer tempo, as medidas restritivas de
direitos fundamentais eventualmente adotadas em seu desfavor. 8. A
personalidade do colaborador não constitui requisito de validade do acordo de
colaboração, mas sim vetor a ser considerado no estabelecimento de suas
cláusulas, notadamente na escolha da sanção premial a que fará jus o
colaborador, bem como no momento da aplicação dessa sanção pelo juiz na
sentença (art. 4º, § 11, da Lei nº 12.850/13). 9. A confiança no agente
colaborador não constitui elemento de existência ou requisito de validade do
acordo de colaboração. 10. Havendo previsão em Convenções firmadas pelo
Brasil para que sejam adotadas “as medidas adequadas para encorajar”
formas de colaboração premiada (art. 26.1 da Convenção de Palermo) e para
“mitigação da pena” (art. 37.2 da Convenção de Mérida), no sentido de
abrandamento das consequências do crime, o acordo de colaboração, ao
estabelecer as sanções premiais a que fará jus o colaborador, pode dispor
sobre questões de caráter patrimonial, como o destino de bens adquiridos
com o produto da infração pelo agente colaborador. 11. Os princípios da
segurança jurídica e da proteção da confiança tornam indeclinável o dever

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 18
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
estatal de honrar o compromisso assumido no acordo de colaboração,
concedendo a sanção premial estipulada, legítima contraprestação ao
adimplemento da obrigação por parte do colaborador. 12. Habeas corpus do
qual se conhece. Ordem denegada.” (HC 127483, Relator(a): DIAS TOFFOLI,
Tribunal Pleno, julgado em 27/08/2015, PROCESSO ELETRÔNICO DJe-021
DIVULG 03-02-2016 PUBLIC 04-02-2016) [grifei]

“Penal e Processual Penal. 2. A privação cautelar da liberdade individual


reveste-se de caráter excepcional, somente devendo ser decretada em
situações de absoluta necessidade. Precedentes. (HC 115613, Rel. Min.
Celso de Mello, Segunda Turma, julgado em 25.6.2013, DJe 13.8.2014) 3.
Prisão preventiva sem fundamentação em elementos concretos. 4.
Insuficiência de declarações de colaboradores para motivação do fumus
comissi delicti para decretação de prisão cautelar. Os elementos de prova
produzidos a partir de acordo de colaboração premiada têm sua força
probatória fragilizada em razão do seu interesse em delatar e receber
benefícios em contrapartida, além dos problemas inerentes à própria lógica
negocial no processo penal. Precedente: Inq 4.074, Rel. Min. Edson Fachin,
Rel. p/ Acórdão: Min. Dias Toffoli, Segunda Turma, DJe 17.10.2018). 5.
Inexistência de fatos novos em relação ao primeiro decreto prisional,
revogado pelo TRF diante da ausência de motivação legítima. 6. Ilegitimidade
da justificação do periculum libertatis. Risco presumido de reiteração não
amparado em elementos concretos. Ausência de contemporaneidade. 7.
Suficiência das medidas cautelares diversas. 8. Ordem de habeas corpus
concedida para revogar a prisão preventiva e impor medidas cautelares
diversas.” (HC 169119, Relator(a): GILMAR MENDES, Segunda Turma,
julgado em 02/04/2019, PROCESSO ELETRÔNICO DJe-192 DIVULG 31-07-
2020 PUBLIC 03-08-2020) [grifei]

“Ementa: INQUÉRITO. CORRUPÇÃO PASSIVA E LAVAGEM DE CAPITAIS


(ART. 317 C/C ART. 327, § 2º, DO CÓDIGO PENAL E ART. 1º, V, DA LEI
9.613/1998). PRAZO EM DOBRO PARA APRESENTAÇÃO DE RESPOSTA
À ACUSAÇÃO. ACESSO INTEGRAL AOS DEPOIMENTOS COLHIDOS NO
ÂMBITO DE COLABORAÇÃO PREMIADA. AUSÊNCIA DE JUSTA CAUSA.
INÉPCIA DA DENÚNCIA. REJEIÇÃO. INDÍCIOS DE AUTORIA E
MATERIALIDADE DEMONSTRADOS. SUBSTRATO PROBATÓRIO MÍNIMO
PRESENTE. ATENDIMENTO DOS REQUISITOS DO ART. 41 DO CÓDIGO
DE PROCESSO PENAL. DENÚNCIA RECEBIDA EM PARTE. 1. Em se
tratando de procedimento eletrônico, o sincronismo das partes quanto ao
acesso aos autos afasta, com autorização da lei, o sentido da aplicação
subsidiária do art. 229 do CPC/2015 mediante concessão de prazo dobrado
para manifestação dos acusados assistidos por defensores distintos.
Precedentes. 2. “Tratando-se de colaboração premiada contendo diversos
depoimentos, envolvendo diferentes pessoas e, possivelmente, diferentes
organizações criminosas, tendo sido prestados em ocasiões diferentes, em
termos de declaração separados, dando origem a diferentes procedimentos
investigatórios, em diferentes estágios de diligências, não assiste a um

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 19
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
determinado denunciado o acesso universal a todos os depoimentos
prestados. O que a lei lhe assegura é o acesso aos elementos da
colaboração premiada que lhe digam respeito” (INQ 3.983, Rel. Min. TEORI
ZAVASCKI, Tribunal Pleno, DJe de 12.5.2016). 3. Não contém mácula a
impedir a deflagração de ação penal denúncia que descreve, de forma lógica
e coerente, a imputação no contexto em que se insere, permitindo ao
acusado compreendê-la e exercer seu direito de defesa (AP 560, Rel. Min.
DIAS TOFFOLI, Segunda Turma, DJe de 11.6.2015; INQ 3.204, Rel. Min.
GILMAR MENDES, Segunda Turma, DJe de 03.08.2015). 4. O juízo de
recebimento da denúncia é de mera delibação, nunca de cognição
exauriente. Assim, há que se diferenciar os requisitos para o recebimento da
exordial acusatória, delineados no art. 41 do Código de Processo Penal, com
o juízo de procedência da imputação criminal. 5. Conforme já anunciado
pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal, o conteúdo dos
depoimentos colhidos em colaboração premiada não é prova por si só
eficaz, tanto que descabe condenação lastreada exclusivamente neles,
nos termos do art. 4º, § 16, da Lei 12.850/2013. São suficientes, todavia,
como indício de autoria para fins de recebimento da denúncia (Inq 3.983, Rel.
Min. TEORI ZAVASCKI, Tribunal Pleno, DJe de 12.5.2016). No caso, há
indiciariamente substrato probatório mínimo de materialidade e autoria. 6. É
inviável a incidência da causa de aumento do art. 327, § 2º, do Código Penal,
pelo mero exercício do mandato parlamentar (INQ 3.983 Rel. Min. TEORI
ZAVASKI, Tribunal Pleno, DJe de 12.5.2016; e INQ 3.997 Rel. Min. TEORI
ZAVASKI, Tribunal Pleno, DJe de 26.9.2016), porquanto a jurisprudência
desta Corte determina a existência de uma imposição hierárquica (INQ 2.191,
Rel. Min. AYRES BRITTO, Tribunal Pleno, DJe de 8.5.2009), sequer descrita
nos presentes autos. 7. Denúncia recebida, em parte, com relação ao art. 317
do Código Penal e art. 1º, caput, V, da Lei 9.613/1998, na redação anterior à
Lei 12.683/2012.” (Inq 4118, Relator(a): EDSON FACHIN, Segunda Turma,
julgado em 08/05/2018, ACÓRDÃO ELETRÔNICO DJe-185 DIVULG 04-09-
2018 PUBLIC 05-09-2018) [grifei]

Demais disso, a convicção da prova deve ser estabelecida em contraditório


judicial, salvo a existência de provas não repetíveis e antecipadas, conforme preceitua o
artigo 155 do Código de Processo Penal:

“Art. 155. O juiz formará sua convicção pela livre apreciação da prova
produzida em contraditório judicial, não podendo fundamentar sua decisão
exclusivamente nos elementos informativos colhidos na investigação,
ressalvadas as provas cautelares, não repetíveis e antecipadas.”

Portanto, como não houve reprodução judicial do depoimento prestado por


ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS, epíteto “MARQUINHOS”, seu depoimento será cotejado
com os demais elementos de prova produzidos nesta ação penal, buscando inferir a
verdade sobre a narrativa fática produzida pelo colaborador, à luz dos demais elementos
de provas produzidos nesta ação penal, conforme estabelece o artigo 155 do Código de
Processo Penal e do entendimento reiterado do Supremo Tribunal Federal – STF.

Com efeito, o Supremo Tribunal Federal, inclusive, já assentou entendimento

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 20
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
de que o livre convencimento do juiz pode decorrer das informações colhidas durante o
inquérito policial, nas hipóteses em que complementam provas que passaram pelo crivo
do contraditório na fase judicial, bem como quando não são infirmadas por outras
provas colhidas em juízo. (RHC 118516, Relator(a): Min. LUIZ FUX, Primeira Turma,
PUBLIC 12-05-2014)

3. DO CONTEXTO DA OPERAÇÃO MARANELLO

Para possibilitar a real e objetiva compreensão das condutas atribuídas à


cada réu, suas conexões, seus desdobramentos, as ações específicas de captação de
recursos, aquisição, importação e transporte de cocaína, a estrutura dos grupos de
atuação, o modus operandi empregado na prática delitiva, enfim, essa complexa rede
narrada pelo Ministério Público Federal na denúncia e ratificada nas alegações finais,
cumpre estabelecer os primeiros apontamentos conforme consta da imputação inicial, a
fim de aclarar mais à frente, quando tratar dos crimes específicos, a materialidade e
autoria, os nomes dos réus e seus epítetos, as atribuições e as provas que subsidiam as
imputações. Nesse primeiro momento será construído um breve sumário para identificar
cada réu e o que lhe é atribuído como conduta delitiva.

Ressalto, ademais, que embora o processo tenha sido desmembrado e esta


ação penal restringe-se a uma parcela de acusados da Operação Maranello, mesmo
assim adotar-se-á o procedimento de delinear a conduta de todos os acusados conforme
denúncia originária, porque essa compreensão vai ser extremamente relevante quando se
tratar da prova decorrente das interceptações telefônicas e se avaliar as conexões
estabelecidas entre os denunciados desta ação penal, com denunciados que
eventualmente não figuram mais nesta relação processual, mas que o correto
entendimento das pessoas, seus apelidos e funções irá refletir sobremaneira na
compreensão do todo.

A esse respeito, verifico que o Ministério Público Federal apontou a existência


de uma complexa associação criminosa dedicada ao tráfico internacional de substância
entorpecente, com a importação da cocaína produzida na Bolívia, o transporte aéreo até
as fazendas arrendadas no município de Barão de Melgaço/MT (Baía dos Pássaros e
Sete Irmãos), o intricado procedimento de levantamento de recursos para a aquisição do
entorpecente boliviano, com operações de câmbio, transferência, utilização de empresas,
comércio de veículos para trocá-los por cocaína, contração de pessoal para trabalhar nas
fazendas, criação de gado, contratação de veterinário, atuação de advogado, enfim,
segundo a acusação, uma gama orquestrada por um núcleo composto por certos
acusados, que foi denominado na denúncia como “1.1 - NÚCLEO PRINCIPAL -
MEMBROS QUE DETERMINAVAM O CURSO DA ação CRIMINOSA E TINHAM PODER
DE MANDO” (ID. Num. 295906927 - Pág. 1-9).

A seguir, passo a delinear, conforme a peça inicial acusatória, os acusados


que supostamente compunham o denominado “Núcleo Principal”, os nomes, apelidos,
condutas e ligações. Não se está, aqui, apurando as provas de materialidade e autoria,
apenas sumariando, como já foi referido, para estabelecer uma melhor compreensão das
condutas, já que a denúncia e as alegações finais são extensas e bem detalhadas.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 21
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
PRIMEIRO GRUPO - NÚCLEO PRINCIPAL:

EDÉSIO RIBEIRO NETO, epíteto “BINHO”: Apontado pela acusação como


o líder da associação criminosa, o seu principal integrante, quem detinha poder de
mando, possuía contato com os fornecedores bolivianos da cocaína, administrava os
recursos da associação criminosa, distribuía as tarefas dos demais integrantes. Ainda, na
linha do quanto defendido pelo MPF, EDÉSIO RIBEIRO NETO, à época dos fatos, era
advogado e aparece em diversos diálogos interceptados.

WAGNER RODRIGO DE AMORIM, epíteto “CABEÇÃO”: À época dos fatos


era Policial Civil do Estado de Mato Grosso e ao lado de EDÉSIO RIBEIRO NETO,
epíteto “BINHO”, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” e JACSON LUIZ
DA COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA” integrava a cúpula da associação criminosa,
montando uma estrutura para a aquisição da droga boliviana e a distribuição para a
região metropolitana de São Paulo/SP e para o Estado do Pará.

ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”: Ex-policial militar


do Estado de Mato Grosso e supostamente figurou como sócio de EDÉSIO RIBEIRO
NETO, vulgo “BINHO” no ápice da associação criminosa, inclusive teria “recrutado”
JACKSON LUIZ DA COSTA CONCEIÇÃO, vulgo “BATATA” para o grupo do “Núcleo
Principal”. Ressai da denúncia que ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, vulgo “MULAMBO”
seria responsável pela negociação com fornecedores do entorpecente e financiadores.

JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”: Apontado pelo


MPF como o braço direito de ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA e responsável tanto pelo
financiamento da atividade quanto nas negociações, viagens e estruturação da fazenda
“Baía dos Pássaros” que seria utilizada pela associação criminosa como entreposto para
recebimento de carregamentos de cocaína provenientes da Bolívia.

O MPF discorreu também sobre a existência de um segundo grupo de


atuação, integrado por acusados que desempenhavam funções auxiliares ao núcleo
principal, notadamente a logística de pagamentos, transferência, obtenção de veículos e
auxílio às negociações, que denominou de “1.2 DOS AUXILIARES DIRETOS DA
CÚPULA” (ID. Num. 295906927 - Pág. 10).

SEGUNDO GRUPO - AUXILIARES DIRETOS DA CÚPULA

MÁRIO MÁRCIO NASCIMENTO DOS SANTOS, epíteto “TIN” ou


“NEGÃO” ou “JÃO”: Considerado pelo MPF como o braço direito de EDÉSIO RIBEIRO
NETO, vulgo “BINHO” em seus negócios em Cuiabá e São Paulo, bem como teria
emprestado seu nome para abertura de contas e realizado transações bancárias por
determinação de EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO”.

NEURI ALVES DA SILVA, epíteto “BRANQUINHO”: À época era Policial


Civil do Estado de Mato Grosso e teria auxiliado EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO”
nas negociações em São Paulo/SP e teria recebido de EDÉSIO dinheiro e veículos por
seus serviços.

JOCENIL PAULO DE FRANÇA, epíteto “NEGUINHO”: Também era Policial


Civil do Estado de Mato Grosso, teria viajado com NEURI ALVES DA SILVA, vulgo

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 22
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
“BRANQUINHO” para São Paulo, com passagens pagas por EDÉSIO RIBEIRO NETO,
vulgo “BINHO” e recebido veículo como pagamento por serviços prestados.

MUNIR HAMMOUD, epíteto “TURCO”: Já falecido e com a punibilidade


extinta, teria prestado diversos serviços para EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulto “BINHO”,
notadamente a abertura de contas bancárias com a utilização de nome falso.

DANIEL DA SILVA GUIA, epíteto “BUCHO”: Indicado pelo MPF como braço
direito do denunciado WAGNER RODRIGO DE AMORIM, vulgo “CABEÇÃO”, com
atuação voltada à negociação com os fornecedores do entorpecente boliviano e
movimentação financeira da associação criminosa.

MARCELO JOSÉ HARDMAN MEDINA, epíteto “BOB”: Teria fornecido sua


conta bancária para EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO” movimentá-la, além de
comprar bens para EDÉSIO e hospedar-se em seu apartamento em São Paulo/SP, com a
viagem (passagens aéreas) também custeadas por EDÉSIO.

ALAOR GOMES CORREA JÚNIOR, epíteto “MARMOTA”: Estava bem


próximo de ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, vulgo “MULAMBO”, pois é seu cunhado.
Supostamente atuava mais direcionado às negociações com os fornecedores de cocaína
na Bolívia, figurando como principal representante de ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA,
vulgo “MULAMBO”, WAGNER RODRIGO DE AMORIM, epíteto “CABEÇÃO” e EDÉSIO
RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO” na Bolívia.

ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN”: Irmão de ADONAI


NOVAES DE OLIVEIRA, vulgo “MULAMBO”, seria responsável por ajudar seu irmão nos
seus negócios, notadamente com a compra de aparelho de telefone celular e teria
participado da reunião dos membros da associação criminosa que foi realizada no
Shopping 3 Américas em Cuiabá/MT.

ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, epíteto “NANICO”: Seria


encarregado de transportar veículos para a associação criminosa e realizar tarefas
menores, como o transporte de motoristas e a comunicação do grupo.

FRANCISCO FERNANDES DE SOUZA, epíteto “CHIQUINHO”: Segundo o


MPF, estava sediado no Estado do Paraná para receber o carregamento de entorpecente
importado pela associação criminosa e como pagamento, remetia veículos e dinheiro. É
irmão de ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, vulgo “NANICO” e por ter mandado de
prisão em aberto, utilizava o nome falso de ENIVALDO LEITE GADELHA.

TERCEIRO GRUPO – ATIVIDADES ACESSÓRIAS

O MPF narrou que a associação criminosa também era formada por um


terceiro grupo de agentes, encarregados da realização de atividades de cunho acessório
e voltada para a logística de importação, transporte e armazenamento de cocaína.

JOÃO JOSÉ SOARES DO NASCIMENTO: Apontado pelo MPF como o


motorista de caminhão que transportava os carregamentos de entorpecentes para a
associação, sendo que o caminhão que dirigia foi abandonado e queimado em local ermo
e a carga supostamente roubada por uma quadrilha rival.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 23
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
MANOEL OSMÁRIO BATISTA CORRÊA: Possuía contato mais frequente
com ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, por ser seu cunhado e era responsável por cuidar
da fazenda “Baía dos Pássaros” que foi arrendada pelo grupo para servir como
entreposto para recebimento da droga. Também teria passado informações para a fuga
de ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” e JACKSON LUIZ COSTA
CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”, quando foi cumprida a orem de busca e apreensão pela
Polícia Civil nas fazendas arrendadas (Baía dos Pássaros e Sete Irmãos).

ROBERTO CARLOS PEREIRA, epíteto “BETO”, MARCELO DA SILVA


PEREIRA, epíteto “MENTIRINHA”, ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS, epíteto
“MARQUINHOS”, EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO, ADALTO RAMALHO DA
SILVA, epíteto “DALTO” e HELDER PEREIRA DINIZ: O MPF os agrupou em razão da
similaridade das condutas supostamente desempenhadas pelos denunciados, que
consistia, basicamente, na manutenção da fazenda “Sete Irmãos”, que foi arrendada pela
associação criminosa para possibilitar o pouso da aeronave vinda da Bolívia com
carregamentos de cocaína, depósito provisório da droga e posterior distribuição em
território nacional, escoando-a pela via terrestre em caminhões. Segundo a acusação,
esses acusados permaneceram na referida fazenda, realizaram o descarregamento da
droga da aeronave a transportaram no interior da fazenda para armazenamento provisório
até ulterior destinação.

RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO, epíteto “TEO” ou “CABEÇA”:


Médico veterinário contratado pela associação criminosa para cuidar do gado da fazenda,
apontado como administrador de fato da Fazenda Sete Irmãos.

VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ: Destacou a acusação que ele


cumpria tarefas menos complexas para JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, vulgo
“BATATA”, pois teria buscado JACKSON no dia da fuga da fazenda, cuidou dos bens
deste acusado e chegou a abrigar ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, vulgo “MULAMBO”
em seu apartamento.

QUARTO GRUPO – FINANCEIRO

Como quarto grupo intitulado pelo MPF como “1.4 DAS PESSOAS QUE
DAVAM SUPORTE A LOGÍSTICA FINANCEIRA”, a acusação ressaltou que tal grupo era
composto por ALEXANDRE ZANGARINI e seus filhos MICHELLE REGINA DE PAULA
ZANGARINI e MOACIR FRANCISCO DE PAULA ZANGARINI.

ALEXANDRE ZANGARINI: Segundo o MPF, seria o proprietário “fantasma”


da empresa LAVA-JATO AQUAJET que foi utilizada na operação de transferência via
dólar-cabo de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) para a Bolívia, para, naquele país,
repassar os valores para ALAOR GOMES CORRÊA JÚNIOR, vulgo “MARMOTA”, a fim
de efetuar o pagamento ao fornecedor do entorpecente boliviano.

MICHELLE REGINA DE PAULA ZANGARINI e MOACIR FRANCISCO DE


PAULA ZANGARINI: são filhos de ALEXANDRE ZANGARINI e proprietários da INFINITY
S/A, empresa que recebeu valores do LAVA-JATO AQUAJET e foi utilizada na operação
de transferência de valores para a Bolívia.

QUINTO NÚCLEO – JURÍDICO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 24
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Por último, o MPF ainda pontuou a existência de um núcleo denominado “1.5
DA "ASSESSORIA JURÍDICA" DA ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA” (ID. Num. 295906927 -
Pág. 16), que seria integrado pelo advogado AROLDO FERNANDES DA LUZ.

AROLDO FERNANDES DA LUZ: Segundo a acusação, AROLDO


representava os interesses da associação criminosa, notadamente EDÉSIO RIBEIRO
NETO, vulgo “BINHO” e utilizava a sua profissão de advogado para obter informações
sobre o curso da investigação realizada pela Polícia Judiciária Civil e repassar tais
informações à EDÉSIO RIBEIRO NETO, para possibilitar a tomada de decisões pela
cúpula da organização criminosa. Depreende-se da denúncia que AROLDO tentou
influenciar o delegado de polícia a desistir das buscas, bem como tentou manter os bens
do grupo impedindo eventual arresto pelo juízo criminal, além de evitar eventual delação
premiada entre os membros tidos como mais “fracos” da associação criminosa.

Essa é a imputação constante da denúncia, não se está aqui, neste tópico


específico, analisando a efetiva atuação de cada um à luz da prova produzida nos autos,
apenas construindo um sumário que permita, de forma objetiva, compreender o contexto
e a partir daqui avaliar os fatos e as provas, o que será desenvolvido na fundamentação
seguinte.

4. DOS CRIMES IMPUTADOS

4.1. DO CRIME DE TRÁFICO DE SUBSTÂNCIA ENTORPECENTE (ART.


33, “CAPUT” DA LEI 11.343/2006).

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL – MPF denunciou ADONAI NOVAES


DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”, ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto
“CASSIN”, JACKSON LUIZ DA COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”, NEURI DA
SILVA GUIA, epíteto “BRANQUINHO”, JOCENIL PAULO DE FRANCA, epíteto
“NEGUINHO”, MARCELO JOSE HARDMAN MEDINA, epíteto “BOB”, ENIVALDO
FERNANDES DE SOUZA, epíteto “NANICO”, ROBERTO CARLOS PEREIRA, epíteto
“BETO”, EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO, HELDER PEREIRA DINIZ, MARCELO
DA SILVA PEREIRA, epíteto “MENTIRINHA” e RUBENS ANTERO DA COSTA, epíteto
“TEO” ou “CABEÇA”, como incursos nas sanções do crime tipificado no artigo 33,
“caput” c/c artigo 40, incisos I e IV, ambos da Lei Federal n° 11.343/2006.

Dispõe o artigo 33, “caput” da Lei n° 11.343/2006 que:

“Art. 33. Importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir,


vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo,
guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda
que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação
legal ou regulamentar:

Pena - reclusão de 5 (cinco) a 15 (quinze) anos e pagamento de 500


(quinhentos) a 1.500 (mil e quinhentos) dias-multa.”

Ao analisar o núcleo do tipo, leciona Guilherme de Souza Nucci que “importar


(trazer para dentro do Brasil), exportar (levar para fora do Brasil), remeter (enviar para
algum lugar), preparar (obter algo por meio da composição de elementos), produzir (dar

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 25
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
origem a algo antes inexistente), fabricar (produzir em maior escala, valendo-se de
equipamentos e máquinas próprias), adquirir (comprar, obter mediante certo preço),
vender (alienar por determinado preço), expor à venda (apresentar, colocar à mostra para
alienação), oferecer (ofertar como presente), ter em depósito (manter em reservatório ou
armazém), transportar (levar de um lugar a outro), trazer consigo (transportar junto ao
corpo), guardar (tomar conta de algo, proteger), prescrever (receitar, indicar), ministrar
(aplicar, administrar), entregar a consumo (confiar a alguém para gastar) ou fornecer
(abastecer)”. (NUCCI, Guilherme de Souza. Leis Penais e Processuais Penais
Comentadas, 3ª Ed. Sã Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2008, p. 316).

Trata-se de tipo misto alternativo, em que o agente pode praticar um ou mais


de um verbo do núcleo do tipo, incidindo em apenas um delito. Pode ser praticado por
qualquer pessoa (sujeito ativo) e a sociedade figura como sujeito passivo. O dolo é o
elemento subjetivo do tipo, que não se exige dolo específico. Por ser tratar de norma
penal em branco, o complemento é definido por portarias do Ministério da Saúde –
Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANS). Como elemento normativo do tipo, temos
as expressões “sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou
regulamentar”, que integram a ilicitude do tipo incriminador. Ademais, o objeto material
deste crime é a substância entorpecente, enquanto o objeto jurídico constitui a saúde
pública.

A materialidade delitiva do crime de tráfico de substância entorpecente


(artigo 33, “caput” da Lei Federal n° 11.343/2006) está comprovada pelo Auto
Circunstanciado e Termo de Exibição (fls. 286/288 do IPL) e pelo Laudo n. 03-01-
002980/2009, elaborado pelo setor de perícia da Secretaria de Justiça e Segurança
Pública do Estado de Mato Grosso, que atesta que os 376 tabletes encontrados na
Fazenda Sete Irmãos, pesando algo em torno de 383 Kg, acondicionavam substância
psicotrópica identificada como cocaína (fls. 292/296 do IPL).

Passo à análise da autoria delitiva.

4.1.1. ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”.

O MPF denunciou ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”


como incurso nos crimes tipificados nos art. 33, caput, art. 35, caput e Parágrafo Único,
art. 36 e art. 40, incisos I e IV, da Lei 11.343/2006.

Em relação ao crime de tráfico de substância entorpecente (art. 33, “caput” da


Lei 11.343/2006), a prova da autoria delitiva depreende-se das interceptações telefônicas
(Transcrições 174, 175 e 176, captadas nos dias 10 e 11/03/2009), conforme a seguir:

TRANSCRIÇÃO 174

TELEFONE NOME DO ALVO


6581392018 6581392018 - MARANELLO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 26
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DATA/H
TELEFO INTERLOCU D A T A / H O R A DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/CO
O R A
NE TOR FINAL ÃO O MENTÁRIO
INICIAL
10/03/20
6581392 1 0 / 0 3 / 2 0 0 9 00:03:1 @BINHO x ADONAI -
1131490363 0 9
018 14:34:51 2 DINHEIRO NEGOCIO
14:31:39

DIÁLOGO
BINHO - RESOLVEU SEUS NEGOCIOS?
ADONAI - EU NAO TENHO NADA PRA RESOLVER... SÓ TO ESPERANDO VCS...
BINHO - CONSEGUIU RECEBER O QUE VC TINHA PRA RECEBER?
ADONAI - JA TA PRATICAMENTE TD RECEBIDO...
BINHO - O MENINO FALOU PRA MIM A ARRUMAR O DINHEIRO QUINTA FEIRA... ENATO
PROVAVELMENTE SEXTA FEIRA EU MANDO O MEU DINHEIRO... O MEU TA NA MÃO...
ADONAI - EU VOU ESPERAR VC CONFIRMAR PRIMEIRO... POR QUE LA EU SAIO DE NOITE
E CHEGO DE MANHA CEDO... MAS TO ESPERANDO VC... POR QUE JA CONVERSEI COM
ELE E ELE FALOU QUE TEM... JA TA PRONTO PRA NOIS DESCER...
BINHO - E O CABEÇÃO ELE RESOLVEU...?
ADONAI - JA RESOLVEU COM 3 DIAS A 4 DIAS... DEPOSITOU PRA ELE NA SEGUNDA
FEIRA... QUANDO FOI NA SEXTA FEIRA AGORA CHEGOU... O NEGOCIO É CERTO... EU
QUE ANDEI PISANDO NA BOLA COM ELE...
BINHO - C FOR DESSE JEITO MSM... DEPOSITAR NA SEGUNDA E CHAGAR NA SEXTA
NEM VALE A PENA FICAR ESPERANDO JUNTAR UM MONTE DE COISA...
ADONAI - NAO... O NEGOCIO É GIRAR...
BINHO - VALE A PENA JUNTOU O DINHEIRO DE 50 E DE 100 MANDA... VEM... AI NA OUTRA
SEMANA JA TA MANDANDO DE MAIS 100... E DE MAIS 100... POR QUE TODA SEMANA TA
CHEGANDO E TA GIRANDO NEH... É VERDADE...
ADONAI - ELE PEGOU O DINHEIRO NA SEGUNDA FEIRA... E ATE CHAMOU MINHA
ATENÇÃO.. ELE PEGOU UM DINHEIRO E VIAJOU... E O MARMOTA LIGOU PRA MIM E
FALOU Q VAI PEGAR O DINHEIRO NO SABADO... EU FALEI PUTA Q PARIU OLHA O ROLO
QUE EU ARRUMEI... AI EU LIGUEI PRA ELE E ELE FALOU QUE NAO MEXO COM ISSO
NAO... SÓ TINHA QUE RECEBER ESSE DINHEIRO E NEM VAI DAR PRA PEGAR TODO
ESSE DINHEIRO... O CARA NAO PASSOU TD NO DIA... FICOU PRA PASSAR NO OUTRO
DIA... ELE FALOU EU VOU VIAJAR HJ E EU VOU PEGAR ESSE DINHEIRO NO SABADO... O
QUE TA PROMETIDO PRA VC TA AQUI JA FAZ TEMPO... FAZ UN 10 DIAS JA PARADO... AI
ERA SÓ ORGANIZAR ESSE NEGOCIO COM PRETO... AI O DIA QUE COINCIDIO... FOI ISSO
MSM CERTINHO... É DEPOSITAR O DINHEIRO PRA ELE PODER LIBERAR...

TRANSCRIÇÃO 175

TELEFONE NOME DO ALVO


6581392018 6581392018 - MARANELLO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 27
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
10/03/20 @BINHO x ADONAI -
6581392 10/03/2009 00:06:5
1130510702 0 9 ROLO DO DINHEIRO
018 14:55:45 3
14:48:52 ROUBA

DIÁLOGO
BINHO - TAVA FALANDO COM VC CAIU O CARTÃO...ENTÃO TÁ TUDO CERTO...
ADONAI - TA CARA TO FALANDO PRA VC CABEÇÃO JÁ RESOLVEU O NEGOCIO DELE FAZ
HORA...
BINHO - ENTÃO PODE DEIXAR COMBINADO P/ SEXTA FEIRA RESOLVER ISSO AI...
ADONAI - TA VC FALANDO PRA MIM QUE ESTÁ CERTO... JÁ PEGO E VOU FALAR COM ELE
PESSOALMENTE PRA NÃO TER ERRO. ELE TA ME ESPERANDO..ME LIGOU HOJE.. VE O
DOCUMENTO DESSE CARRO AQUI... SÓ TO COM ESSE CARRO PRA PODER ANDAR...
BINHO - VOU NA AGENCIA FALAR COM O CARA... JA DEIXEI PAGO...
ADONAI - NAO TENHO NADA PRA ANDAR...
BINHO - EU DEIXEI PAGO... E MEU CARRO CADE? TA COM VC TBM...
ADONAI - TA COMIGO... MAS CHEQUEI AQUI TA COM 4 MIL E POUCO DE DOCUMENTO...
BINHO - TA COM DIVIDA SIM... ESSE É DE OUTRA AGENCIA...
ADONAI - TO PRECISANDO DO DOCUMENTO PRA PODER ANDAR...
BINHO - DEIXA TE FALAR OUTRA COISA NÃO FALARAM MAIS NADA DO DINHEIRO?..
ADONAI - NADA NEM O LUIS, NEM RENATO NINGUÉM...VC NÃO TEM UM TELEFONE AI
PRA LIGAR PRA VC.
BINHO - NÃO VOU COMPRAR UM HOJE AI TE LIGO PRA PASSAR O NUMERO...O TAL DO
LOUCO FOI LA PERGUNTAR SE EU TINHA CHEGO... AI O DR. FALOU DEVE ESTAR
CHEGANDO... ISSO FOI 1 DIA ANTES DEU CHEGAR AQUI... AI ABRIU O JOGO DAQUELA
SITUAÇÃO QUE TE FALEI DO MENINO... AI ELE FALOU PUTA QUE PARIU E EU VINDO PRA
CÁ TO PASSANDO ATE VERGONHA NESSA HISTORIA ... AI O DR. FALOU QUE NAO QUER
MAIS QUE ELE VENHA ELE AQUI... TA PROIBIDO DE VIR NA QUEBRADA... NA HORA QUE
FOR TROCAR AS IDEIAS VAI SER FORA DAQUI... E VC SABE QUAL VAI SER AS IDEIA... AI
ELE FALOU QUE NAO PODE SER ASSIM POR QUE ELE NAO PODE TIRAR ELE DE LA E
NEM LA ELE VOLTAR... E DEPOIS DISSO SUMIRAM...
ADONAI - ATE AMIZADE Q TINHA ACABOU JA...
BINHO - O OUTRO LA FALOU Q TA PASSANDO VERGONHA... ME DESCULPA... PEDIU
DESCULPA PRO DR... SÓ Q FALOU Q ELE NAO IA PODER LEVAR O CARA LA COM ESSA
SITUAÇÃO...
ADONAI - LOGICO SE LEVA E NAO VOLTA FICA RUIM PRA ELE...
BINHO - IA FICAR RUIM PRA ELE... AI FALOU Q NAO CONHECIA MUITO BEM ESSE CARA...
QUE FOI O FELIPE QUE PEDIU PRA FAZER ISSO... PRA ELE ENTRAR NO MEIO DO
CIRCUITO... RESUMINDO... O CARA DUVIDO QUE ELE APAREÇA MAIS...
ADONAI - É BEM DIFICIL;;
BINHO - E PORA MIM COBRAR MEU DINHEIRO EU VOU TER Q LIGAR PRO FELIPE...
ADONAI - DEMOROU NEH...
BINHO - JA DEMOROU MSM... VOU PRIMEIRO RESOLVER ESSE SITUAÇÃO NOSSA PRA
NAO COLOCAR EM RISCO NADA DISSO... E NA HORA Q TIVER TUDO RESOLVIDO EU VOU
LIGAR PRO FELIPE...
ADONAI - É VERDADE... POR QUE ELE JA TA ACERTANDO COM O OUTRO LA... Q NEM VC
FICOU SABENDO... E NATO INTENÇÃO DE RECEBER ELE NAO TEM...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 28
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
BINHO - E COM ESSAS IDEIAS... ELE JA VIU ONDE QUERIA CHEGAR NAO VAI CHEGAR A
LUGAR NENHUM... O DR Q PRECIPITOU... NAO DEVIA TER FALADO NADA NAO... ERA PRA
TER DEIXADO..
ADONAI - É POR QUE AS VEZES ELE CONSIDERA O CARA TBM NEH... JA DEU A IDEIA NO
CARA PRA ELE NAO FICAR ENGANADO...
BINHO - DEU A IDEIA... FALOU ISSO AI NAO PODE... AI NESSA HISTORIA O CARA JA
PUXOU O TIME DE CAMPO... E SE ACHA QUE AGORA APARECE O BOLIVIANINHO...?
ADONAI - QUERO VER... ANTES ELE NAO TAVA APARECENDO... IMAGINA AGORA...
BINHO - MAS ISSO AI É BOM... C NEM FALA Q TAVA SABENDO DESSA HISTORIA... DEIXAR
PRA PEGUNTAR PRO LUIZ... E AI LUIZ OS CARAS NAO APARECERAM COM ESSA IDEIA...
O DR. FICOU ESPERANDO... SUMIRAM OS CARAS... C QUER QUE EU PAGUE UM
DINHEIRO DESSE AI... C QUER Q EU PAGUE... VC MANDOU EU ENTREGAR NA MÃO DO
CARA E O CARA DEU SUMISSO NO SEU DINHEIRO... E ATE ENTAO VC TAVA ALEGANDO
QUE NAO TINHA NADA... O DR. TINHA MANDANDO PEGAR O DINHEIRO DE VOLTA
ESPERANDO PRA RESOLVER ISSO AI E NAO RESOLVEU E OS CARAS TAO TE
PEGANDO...
ADONAI - DIFICIL NEH
BINHO - POR QUE AI É FACIL PRA ROUBAR O DINHEIRO DOS OUTROS... NAO VAI
APARECER NINGUEM AI NAO... VC TEM Q BATER DE FRENTE COM ESSE NEGOCIO AI
PRETO...
ADONAI - ELES VAO TER Q ACABAR PAGANDO... NAO É NOIS NAO...
BINHO - VAO MSM...

TRANSCRIÇÃO 176

TELEFONE NOME DO ALVO


6592884151 6592884151 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
R A
NE TOR RA FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
11/03/200 11/03/200
6592884 00:01:0 @JACKSON x ADONAI -
6581257919 9 9
151 7 FAZENDA AMANHA
22:45:27 22:46:34

DIÁLOGO
JACKSON - E AI..
ADONAI - FALA NEGO..JÁ TA DORMINDO
JACKSON - TA NA ONDE...
ADONAI - TO AQUI NO DECK...DEIXA EU FALAR COM VC VAMOS NA FAZENDA AMANHA?
JACKSON - VAMOS...
ADONAI - VAMOS ACORDAR MEIO CEDO... NAO VOU NEM BEBER HJ NAO...
JACKSON - EU TAMBEM JÁ ESTOU INDO EMBORA AMANHA QDO VC ACORDAR VC VAI LA
EM CASA E ME ACORDA...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 29
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI - PODER RESOLVER ESTA QUESTÃO LOGO...SEXTA FEIRA O MENINO JÁ TÁ
COM O DINHEIRO DELE PRONTO... AGENTE PRECISA AGILIZAR ESSES NEGOCIOS LA
ANTES DE VIAJAR...
JACKSON - VOU PASSAR AI NO DECK P/ CONVERSAR
ADONAI - ENTÃO TÁ.

Extrai-se dos diálogos interceptados n° 174, 175 e 176, acima transcritos, que
o réu ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” manteve frequentes
contatos com os corréus EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO” e JACKSON LUIZ
COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”, com a finalidade de levantar o dinheiro para o
LUIZ.

Importante esclarecer para que se tenha a compreensão dos fatos narrados,


que a pessoa nomeada como “LUIZ” nos diálogos interceptados foi identificada na
investigação como sendo o fornecedor de cocaína na Bolívia, no sentido que a referida
pessoa figurou como fornecedor boliviano do carregamento de 383kg de cocaína que foi
apreendido na fazenda Sete Irmãos no dia 20/06/2009. Os diálogos interceptados n° 258,
273,

TRANSCRIÇÃO 258

TELEFONE NOME DO ALVO


6581320422 6581320422 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
27/03/20
6581320 27/03/2009 00:02:4 @ADONAI X LUIZ -
1181652522 0 9
422 18:03:32 0 SOBRE O DINHEIRO
18:00:52

DIÁLOGO
LUIZ - VC NAO LIGA PRA MIM
ADONAI - LIGUEI... SEU CUNHADO PASSOU O RECADO... NAO CONSEGUI FALAR COM
VC... JA TEVE UM POUCO DO DINHEIRO ENVIADO...
LUIZ - TA AQUI JA..
ADONAI - JA... JA FOI DEPOSITADO... EU TENHO Q CONFIRMAR...
LUIZ - MAS MANDA PRA MIM
ADONAI - ATE QUARTA FEIRA NOIS ACABAMOS DE PAGAR TUDO... TODO O DINHEIRO...
LUIZ - BELEZA PURA... TA CERTO... MAS EU QUERO PEGAR URGENTE ESSE DINHEIRO...
SERÁ QUE AMANHA POSSO PEGAR...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 30
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI - ACABEI DE CHEGAR NA CASA DELE... EU VOU CONVERSAR COM ELE PRA VER
SE TEM COMO VC PEGAR ESSE DINHEIRO AMANHA AI... POR QUE NOS NAO MANDAMOS
POR ESSA CASA... MANDAMOS POR OUTRO JEITO...
LUIZ - POR FAVOR... VC ME LIGA DAQUI A POQUINHO... Q EU VOU FICAR EM CASA
AGUARDANDO...
ADONAI - MAS FICA DESPREOCUPADO QUE ATÉ TERÇA OU QUARTA FEIRA
LIQUIDAMOS COM TUDO... PAGAMOS TD QUE TEM QUE PAGAR... JA TEM O DINHEIRO...
TA TD TRANQUILO... JA ESTAMOS RECEBENDO...
LUIZ - PRA MANHA VC ME LIGA....

TRANSCRIÇÃO 273

TELEFONE NOME DO ALVO


6581320422 6581320422 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
01/04/200 @ADONAI X HNI
6581320 59177648570 01/04/2009 00:03:0
9 ( C U N H A D O ) -
422 0 11:06:47 7
11:03:40 COMPROVANTE

DIÁLOGO
ADONAI - ACABEI DE FALAR COM O LUIZ... TO A MEIA HORA DE CUIABA... ASSIM QUE
EU CHEGAR LA O WAGNER TA COM O COMPROVANTE DO DEPOSITO... NOIS VAMOS LA
NA OFICINA DO CARRA PRA PODER PEGAR O ENDEREÇO PRA VC PODER IR PEGAR O
DINHEIRO COM ELE... AI DENTRO DE 1HS EU LIGO PRA VC E LIGO PRO LUIS... VCS SE
ENCONTRAM AI... E VAI LA VER ISSO AI... O DOCUMENTO SEU EU PASSEI PRO JACKSON
JA AQUI... ELE DEVE TER ENTREGE PRO DESPACHANTE QUE IA MEXER COM ISSO AI
PRA VC...
HNI - E AQUELE QUE EU FALEI PRA VC DAR PRA MINHA MAE... EU FALEI PRO MANÉ E
ELE FALOU QUE SÓ PODE ARRUMAR 100 E FALOU QUE IA FALAR PRA VC ARRUMAR 100
PRA MINHA MAE LA EM COXIM...
ADONAI - ARUMOU PORRA NENHUMA.. MANÉ TAVA TOMANDO CACHAÇA ONTEM AQUI...
TINHA AUDIENCIA DELE... O CARA É TAO SEM FUTURO QUE TODO MUNDO MORRENDO
DE PREOCUPAÇÃO, DISK ELE TINHA RISCO ATE DE IR PRESO... E NEM LIGAR ELE NAO
LIGOU...
HNI - EU TBM LIGUEI PRA ELE PRA SABER QUE EU TBM FICQUEI PREOCUPADO... TO
ESPERANDO CHEGAR OS COMPROVANTES... FALA PRO CABEÇA MANDAR NO MEU
CORREIO O FALSO QUE EU TENHO...
ADONAI - O DONO DO DINHEIRO TA AQUI... É O SEGUINTE... EU VI SUA HABILITAÇÃO
AQUI... SE O CARA JA RECONHECER FIRMA DESSES DOCUMENTO QUE VC PRECISA...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 31
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
EU DEVO ESTAR FALANDO COM O LUIS DEPOIS DE AMANHA... EU PEGO E LEVO PRA
VC... ENTREGO PRA ELE E ELE ENTREGA PRA VC... MAS NEM COMENTA COM CABEÇÃO
QUE EU VOU CONVERSAR COM O LUIS...
HNI - BLZ..
ADONAI - AGORA VOU VER SE CONSIGO FAZER A NOSSA CAMINHADA E VOU LA FALAR
COM ELE DEPOIS DE MANHA...
HNI - VC VAI LA...
ADONAI - LA EMBAIXO...
HNI - SE ELE FOR DESCER DE CARRO TALVEZ EU VOU PEGAR UMA CARONA COM ELE E
DESCER COM VC...
ADONAI - ELE VAI DE AVIÃO...
HNI - ELE VAI DE AVIAO... PENSEI QUE ELE IA E CARRO PRA FAZENDA DELE...
ADONAI - MAS AVIÃO INTERNO AI É BARATINHO...
HNI - EU VOU VER COM ELE ESSE ESQUEMA PRA MIM PEGAR COM ELE AQUI E DE LA
NOIS DOIS DESCE...
ADONAI - É 1H DE VOO SÓ... EU VOU COM O JACKSON... NOIS VAMOS NA
CAMINHONETE... SE VC QUIZER DESCER COM A MENINA NOIS TRAS VC JA...
HNI - MAS EU VOU SÓ... CLAUDIA NAO VAI... POR QUE DA FACULDADE DELA...
ADONAI - VC Q VE AI... É 1H DE VOO SÓ...

TRANSCRIÇÃO 305

TELEFONE NOME DO ALVO


6581320422 6581320422 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
06/04/200
6581320 59177648570 06/04/2009 00:02:2 @ADONAI x ALAOR - IR
9
422 0 11:11:12 5 AMANHA VR LUIZ
11:08:47

DIÁLOGO
ADONAI - OI
ALAOR - BERNARDO...O LUIS TA PERGUNTADO QUE DIA QUE VC VAI LA FALAR COM ELE,
PRA ELE IR.
ADONAI - AMANHA
ALAOR - AMANHA ENTÃO
ADONAI - É EU VOU LIGAR PRA ELE ACABEI DE CHEGAR EM CUIABÁ HOJE. EU VOU
DESCER PRA CASA HOJE E AMANHA JÁ TO LÁ.
ALAOR - ELA VAI DE AVIÃO EU VOU TENTAR SUBIR COM
ADONAI - EU VOU SUIBIR COM O JACKSON DE CAMINHONETE

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 32
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ALAOR - PORQUE NÃO TEM NADA PRA MIM FAZER AQUI DURANTE O DIA
ADONAI - PODE IR
ALAOR - UMA SEMANA AI. AMANHA ENTÃO. BLZ ENTÃO. VC SABE SE MINHA MAE FOI LA
PRA COXIM
ADONAI - NÃO SEI NÃO...PENSANDO EM DAR O DINHEIRO PRA ELA
ALAOR - PORQUE O TELEFONE DELA TA DANDO ACABADO. DEVE TER INDO
ADONAI - TELEFONE DE SUA MAE. NÃO SEI EU FALEI COM A DARCIANA HOJE DE MANHA
MAS ESQUECI DE PERGUNTAR...
ALAOR - ENTÃO TA COXA. EU FALO PRA ELE SE DA PRA MIM IR COM ELE SENÃO VOU
POR AQUI MESMO POR CAMPO GRANDE..
ADONAI - EU ACHO QUE FICA MAIS FACIL VC IR POR AI MESMO A PASSAGEM E MAIS
BARATO INTERNA NÉ
ALAOR - INTERNA E MAIS BARATO, MAIS RAPIDO E NÃO TEM ESSA PUTARIA DE
DOCUMENTAÇÃO
ADONAI - NÃO LÁ VC PASSA DE A PÉ, NO ONIBUS, NO CARRO NÃO DÁ NADA. LÁ VC
HOSPEDA NO HOTEL ONDE NOS FICA. JÁ FICA ESPERANDO NÓS LÁ.
ALAOR - ELE SABE ONDE É
ADONAI - SABE E O HOTEL PANTANAL 5 ESTRELAS NA BEIRA DO RIO
ALAOR - BLZ COXA
ADONAI - MAIS ANTES DE RESOLVER AQUI NOS LIGA PRA VC
ALAOR - BLZ COXA

TRANSCRIÇÃO 312

TELEFONE NOME DO ALVO


6681191911 6681191911 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
R A
NE TOR RA FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
08/04/200 08/04/200 @ADONAI X MARMOTA -
6681191 59177648570 00:00:4
9 9 CHEGOU PUERTO
911 9
11:18:39 11:19:28 SOARES

DIÁLOGO
ALAOR - JA CHEGOU?
ADONAI - JA... TAMO ATRAVESSANDO AQUI A FRONTEIRA... TEM NOTICIA DO LUIZ
ALAOR - ACABOU DE LIGAR PRA MIM AGORINHA PERGUNTANDO SE VC TINHA
CHEGADO... ASSIM QUE VC CHEGAR MANDOU LIGAR PRA ELE QUE AI AGENTE
ENCONTRA...
ADONAI - SE TA NO HOTEL..
ALAOR - TO... VC VEM DIRETO NO HOTEL QUE VOU TE ESPERAR NA PORTARIA...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 33
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TRANSCRIÇÃO 313

TELEFONE NOME DO ALVO


6681191911 6681191911 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
08/04/200
6681191 59177396040 08/04/2009 00:01:0 @ADONAI X LUIZ -
9
911 11:36:08 0 CHEGUEI
11:35:08

DIÁLOGO
ADONAI - CHEGUEI... TO PEGANDO O JUNIOR NO HOTEL... ONDE SE ENCONTRAMOS...?
LUIZ - TO CHEGANDO AI... ME AGUARDA AI... TO CHEGANDO EM 15 MINUTOS.. ME
AGUARDA AI NA PICINA...
ADONAI - EU NAO VOU ME HOSPEDAR NO HOTEL.. QUEREMOS ALMOÇAR...
LUIZ - ME AGUARDA AI NO HOTEL... AI FORA...

TRANSCRIÇÃO 314

TELEFONE NOME DO ALVO


6592884151 6592884151 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ Á U D I INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
08/04/20
6592884 08/04/2009 00:03:3 @BINHO x ADONAI - 3 A
1178713237 0 9
151 22:17:08 8 5 DIAS RESOLVE TUD
22:13:30

DIÁLOGO
ADONAI - TAVA NUM PRINCIPIO DE UM PROBLEMINHA NA ESTRADA... O POVO
CUIDANDO O QUE NAO PERDEU... NAO TINHA NADA MAIS ENCHEU O SACO... NAO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 34
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
LEVOU AGENTE PRA LUGAR NENHUM... MAIS FICOU NA RUA... MAS JA CHEGAMOS...
TAMO EM CAMPO GRANDE...
BINHO - TA TD RESOLVIDO LA...?
ADONAI - TA TD RESOLVIDO... CONVERSEI COM ELE TA TUDO RESOLVIDO... SÓ AQUELE
NEGOCIO QUE VC PEDIU PRA MIM PODER FALAR COM RENATO... MAS RENATO TA
AQUI... AI VOU VER SE LOCALIZO ELE AI VOU VER O NEGOCIO DO PART POLITICO PRA
PODER RESOLVER COM ELE... EU JA PERGUNTEI PRA ELE SE TINHA COMO FAZER...
MAS ELE DISSE QUE QUEM TEM QUE RESOLVER É O RENATO... POR QUE ELE NAO
MEXE COM ISSO... RENATO É A PESSOA CERTA... AI EU PASSO OS DETALHES PRA VC...
MAS TA TD CERTO...
BINHO - E O CABEÇÃO... RESOLVEU A SITUAÇÃO QUE ERA PRA RESOLVER?
ADONAI - RESOLVEU... SÓ NÃO TA NA MÃO DO MENINO POR QUE ELE TAVA HJ FALANDO
COMIGO AQUI... O CABEÇÃO QUERIA FALAR COM ELE HJ... ELE MARCOU COM O
CABEÇÃO PRA SEGUNDA FEIRA... AI NAO TINHA COMO ELE ESTAR EM 2 LUGAR AO
MESMO TEMPO... MAS EU NAO FALEI COM ELE MAS ACHO Q ELE MANDOU SIM... AI
FALOU QUE TAVA MEXENDO COM UM NEGOCIO DA FAZENDA DELE... AI ELE FALOU QUE
DE 3 A 5 DIAS RESOLVE TD...
BINHO - AI AMANHA DEPOIS DO ALMOÇO TE DOU UMA LIGADA...

Esclarecido que a pessoa identificada como “LUIZ” é o fornecedor boliviano


do entorpecente, dou sequência à fundamentação da autoria em relação ao réu ADONAI
NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”. Nesse sentido, o diálogo interceptado n°
179, captado em 17/03/2009, reforça a prova que ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA
prosseguiu no processo de levantamento de dinheiro junto à EDÉSIO RIBEIRO NETO,
conforme a seguir transcrito (Transcrição 179):

TRANSCRIÇÃO 179
TELEFONE NOME DO ALVO
1178713237 1178713237 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
17/03/20
1178713 17/03/2009 00:02:0 @BINHO X ADONAI -
0 9
237 13:50:39 5 PODE DEPOSITAR
13:48:34

DIÁLOGO
ADONAI - TA NO JEITO JA... É SÓ DEPOSITAR O DINHEIRO...
BINHO - TA BOM...
ADONAI - PRA DIMINUIR UM POUCO LA... AI FICOU MELHOR TBM PELA AGILIDADE... AI JA
TIRA AS PASSAGENS QUE EU QUERO VIAJAR DEPOIS DE AMANHA... E DEIXA ESSE
TELEFONE LIGADO... E OUTRA COISA... Q Q VAI FAZER... TA COM O CAMBIO ABERTO E
NAO TEM DINHEIRO PRA ARRUMAR... FICOU EM 3.800 O CABIO E MIL REAL A INJEÇÃO...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 35
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
BINHO - NOSSA SRA... QUANTO Q É O SINAL DELA...
ADONAI - É 4 E POUCO PRA ARRUMAR TD...
BINHO - O SINAL...
ADONAI - É 2.500... TEM Q ARRUMAR... C VIU O DOCUMENTO DO BETLLE..?
BINHO - TA PAGO...
ADONAI - NAO TA... EU CHECO TODO DIA... EU VOU PAGAR AQUI E VC DEPOSITA PRA
MIM...

Será evidenciado nos próximos diálogos interceptados, que esse dinheiro


levantado por ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” será repassado
para a pessoa identificada como “LUIZ”.

Os diálogos interceptados n° 189, 190, 191, 192 e 193 comprovam ADONAI


NOVAES DE OLIVEIRA atuando no processo de levantamento de dinheiro junto à
EDÉSIO RIBEIRO NETO, cobrando-o para que transferisse o dinheiro, ao tempo em que
EDÉSIO recusa-se a passar informações da conta bancária pelo telefone.

TRANSCRIÇÃO 189

TELEFONE NOME DO ALVO


6581169349 6581169349 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
19/03/200
6581169 19/03/2009 00:01:0 @ADONAI X BINHO -
1178713237 9
349 11:13:08 6 NUMEROS
11:12:02

DIÁLOGO
ADONAI - VC DESLIGOU O TELEFONE ONTEM SEM FUTURO?
BINHO - DESLIGUEI DE MADRUGADA...
ADONAI - TO COM OS NUMEROS AQUI E VOU PARAR NUM ORELHAO PRA NOIS PODER
FALAR...
BINHO - VAI LA E RETORNA AQUI..
ADONAI - JA TA PRONTO PRA DESCER LA EMBAIXO...
BINHO – JÁ

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 36
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TRANSCRIÇÃO 190

TELEFONE NOME DO ALVO


6581169349 6581169349 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
19/03/20
6581169 19/03/2009 00:00:4 @ADONAI x BINHO -
1178713237 0 9
349 11:55:44 2 PEGAR AS CONTAS
11:55:02

DIÁLOGO
ADONAI. ..TEM COMO PEGA A CONTA AI.
BINHO. POR AQUI É MEU RUIM NE CARA
ADONAI. NÃO CARA. EU TO NO ORELHÃO AQUI..UM MINUTO. EU VOU TER QUE FALAR
COM CABEÇÃO AGORA, DEPOIS NÃO VOU TER COMO MANDAR ESSE TREM PRA VC, EU
VOU TA COM ELE. O CARRO DELE QUEBROU ALI, VOU ALI BUSCAR ELE.
BINHO. ME DA 5 MINUTO TO NO TRÂNSITO VOU PARAR O CARRO E TE LIGO AI.

TRANSCRIÇÃO 191

TELEFONE NOME DO ALVO


1178713237 1178713237 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ Á U D I INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
19/03/20 @BINHO X ADONAI -
1178713 19/03/2009 00:00:3
6581169349 0 9 TEM COMO PEGAR A
237 11:55:46 0
11:55:16 CONTA

DIÁLOGO
ADONAI - TEM COMO PEGAR A CONTA AI..
BINHO - PASSAR POR AQUI É MEIO RUIM NEH CARA...
ADONAI - TO NUM ORELHAO... NAO TEM COMO IR NUM MINUTO...
BINHO - TO PARANDO O CARRO NUM ORELHAO E TE LIGO AI...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 37
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TRANSCRIÇÃO 192

TELEFONE NOME DO ALVO


6581169349 6581169349 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
19/03/20
6581169 19/03/2009 00:00:2 @ADONAI X BINHO - DA
1178713237 0 9
349 12:09:51 4 Nº 3622-1251
12:09:27

TRANSCRIÇÃO 193

TELEFONE NOME DO ALVO


6581169349 6581169349 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
19/03/20
6581169 19/03/2009 00:00:3 @BINHO X ADONAI - TO
1178713237 0 9
349 14:50:51 7 NO BANCO
14:50:14

DIÁLOGO
ADONAI - E AI...
BINHO - TO NO BANCO...
ADONAI - FAZENDO OS NEGOCIOS...
BINHO - É...
ADONAI - MAS VAI DAR CERTO..?
BINHO - VAI... SAINDO DAQUI EU TE LIGO...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 38
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Em complemento às transcrições acima, EDÉSIO RIBEIRO NETO ligou para
ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, afirmando que já havia feito o depósito para a conta da
Aquajet, no valor de R$ 162.000,00 (cento e sessenta e dois mil reais), sendo que o
remanescente seria depositado posteriormente (Transcrição 194).

TRANSCRIÇÃO 194

TELEFONE NOME DO ALVO


6581169349 6581169349 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
19/03/200
6581169 19/03/2009 00:01:2 @BINHO X ADONAI -
1178713237 9
349 15:40:48 9 DEPOSITOS
15:39:19

DIÁLOGO
BINHO - SÓ CONSEGUI FAZER 1... O DA AGUAJET... POR CAUSA DO HORARIO...
ADONAI - DO LAVA JATO?
BINHO - É.. MAS FIZ UM POUCO A MAIS DO QUE VC PEDIU... POUCA COISA
ADONAI - QUANTO QUE DEU?
BINHO - 162 E ALGUNS QUEBRADOS...
ADONAI - TUDO ERRADO...
BINHO - MAS Q Q EU VOU FAZER PEGUEI O QUE VC ME DEU E FUI NO BANCO...
ADONAI - EU VOU FALAR COM O MENINO DEPOIS...
BINHO - FAZ O SEGUINTE AMANHA VC PEDE O CPF PRA NAO TER Q SACAR EU VOU
FAZER TRANSFERENCIA DIRETO...
ADONAI - CPF TA AQUI... NAO PASSEI PRA VC POR QUE VC NAO PEDIU...
BINHO - ENTAO TA... MAIS TARDE EU TE LIGO E PEGO... PRA NAO PEGAR DESSE AQUI...
ADONAI - MAS AMANHA VC ACABA DE FAZER ISSO...?
BINHO - ACABO DE FAZER TUDO...
ADONAI - POR QUE O CARA TA LA E TA QUERENDO VIR EMBORA E SO TA DEPENDENDO
DESSE NEGOCIO AI...
BINHO - ESSE AI EU JA MANDEI... VOU MANDRA AMANHA MAIS... TEM UNS QUE TAO NA
CONTA E O RETSNATE EU VOU TER QUE TRAZER E IR NO BANCO DE NOVO AMANHA...

O áudio interceptado ainda foi corroborado pela prova documental, conforme


extrato de movimentação financeira que colaciono abaixo:

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 39
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Ainda no processo de levantamento de dinheiro, no dia 23/03/2009 o
denunciado EDÉSIO RIBEIRO NETO ligou para ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA e
informou que já havia depositado mais R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) e que tentaria
penhorar seu veículo Mercedes para tentar levantar mais dinheiro para a transação
(Transcrição 226).

TRANSCRIÇÃO 226

TELEFONE NOME DO ALVO


1178713237 1178713237 – MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇÃ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR A FINAL O O ENTÁRIO
INICIAL
23/3/200
1178713 9 23/3/2009 @BINHO X ADONAI - 50
00:06:12
237 11:36:35 11:42:47 MIL PRA DEPOSITO

DIÁLOGO
...
BINHO - VOU MANDAR AGORA 50 E POUCO... PEGUEI 50 E POUCO PRA PAGAR AQUELA
CONTA MINHA AI DO CARRO QUE EU COMPREI TA ENTENDENDO (DEPOSITO NA
CONTA)... TO COM 50 MIL AQUI... TEM QUE DEPOSITAR... AI O RAPAZ QUE TA ME
DEVENDO VAI ME DAR MAIS 50 HJ... AI EU PRECISAVA QUE VC VISSE ALGUMA COISA
PRA PENHORAR... VC O NEGOCIO DAQUELE CARRO MEU PRA VENDER NEH..
ADONAI - CARA NAO VENDE CARRO ASSIM NAO... NAO TEM RECIBO... TA COM
DOCUMENTO ATRASADO... PLACA DE SP...
BINHO - SERÁ QUE NAO PENHORA MINHA MERCEDEZ NAO...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 40
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI - PENHORA... TD PENHORA... EU TENHO UM CARA QUE PENHORA...
BINHO - A MERCEDEZ EU TENHO RECIBO... E ELA TA PRONTA...
ADONAI - TEM TD CERTINHO...?
BINHO - TEM... TA NO NOME DA MINHA MÃE...
ADONAI - C AUTORIZA EU PEGAR QUE EU LEVO NUM RAPAZ PRA PODER VER...
BINHO - ELA TA LA NA MERCEDEZ MESMO... VOU LIGAR LA E FALAR PRO TIN DAR UM
JEITO DE IR LA...
ADONAI - LARGA MAO DO TIN... TIN TA QUEIMANDO VC... JA VOU QUEIMAR O FILME
DELE... TA TD MUNDO FALANDO... ELE TAVA BRIGANDO DE NOVO NO CAFÉ... BATENDO
EM SEGURANÇA... BATENDO EM POLICIA... ESSE CARA TA FODA...
BINHO - AQUI EU NAO TO NEM DEIXANDO ELE FICAR AQUI..
ADONAI - CHERANDO PÓ DENTRO DA BOITE... CONVERSANDO FIADO... E A FACTORING
VIROU PARDIEIRO... TA NO 12... NAO É QUERER QUEIMAR O CARA NAO... MAS ISSO AI
EU FALO PRA ELE... MAS É QUE ISSO AI REFLETE EM TODO MUNDO... EU NAO TENHO
PRA ONDE TIRAR UM CONVERSA DESSA...
BINHO - EU VOU TER QUE FALAR COM ELE... VOU TER QUE BOTAR ESSE CARA NO
EIXO...
ADONAI - TODO MUNDO DA GURIZADA JA SABE... UMA EMPRESA QUE O TIN TEM ALI NO
JD CUIABA... TEM UMA PISCINA... O PESSOAL FAZ FESTA LA DIRETO E QUEBRA PEDRA...
ESSE SABADO TAVA BRIGANDO NA BOITE... 35 ANOS NA COSTA E NAO TOMA JEITO...
BINHO - ELE USA DORGA CARA... ESSE QUE É O PROBLEMA... DROGA COM BEBIDA É
ISSO QUE DÁ...
ADONAI - EU TO AQUI... EU MESMO VOU LA E VEJO PRA VC...
BINHO - ENTAO VC JA TIRA E O RECIBO TA LA EM CASA... JA PEGA
ADONAI - NO SEU APARTAMENTO MSM..
BINHO - TA NO MEU APARTAMENTO... EU LIGO PRA MINHA MÃE E MANDO ELA PASSAR...
ADONAI - DEPOIS VC ME DA UM RETORNO... MAS ME DA UM RETORNO DAQUI A
POUCO... EU VOU FALAR COM O CABEÇÃO AGORA... MAS EU NÃO QUERO QUE VC LIGA
PRA MIM QUANDO EU TO COM ELE...
BINHO - DEIXA EU TE FALAR... EU TINHA ATE QUE FALAR COM VC SOBRE ISSO... ESSE
DIAS ELE ME CHAMOU NA INTERNET... E PEDIU PRA NAO COMENTAR COM VC... ELE
PEDIU UMA FORÇA PRA MIM E TAL... POR QUE TAVA FUDIDO... E PEDIU PRA NAO
CONVERSAR COM VC...
ADONAI - ISSO AI É PEGADINHA... CAI NA DELE QUE VC VAI VER ONDE VAI PARAR... EU
MANTENHO VC INFORMADO DO QUE TA ACONTECENDO... TO FALANDO A REAL... SÓ
QUE ELE NAO SABE QUE VC SABE...
BINHO - CLARO QUE NAO...
ADONAI - NO MINIMO FOI RECLAMAR QUE TAVA SEM DINHEIRO QUE QUERIA UMA
FORÇA...
BINHO - ELE FALOU QUE DO JEITO QUE ELE TA AI NAO DA... QUE PRECISAVA DE
CONVERSAR COMIGO...
ADONAI - ISSO AI PODE SER... MAS SE ELE CHAMAR PRA TRABALHAR ABRE O OLHO...
BINHO - MPEDIU UMA FORÇA PRA ELE TRABALHAR COM AGENTE...
ADONAI - MAS NAO TEM JEITO... NAO TEM LOGICA... O QUE EU INCOMODO DE
TRABALHAR JUNTO AQUI É O SEGREDO DESSE POVO... SENAO NAO DA...
BINHO - COM CERTEZA... ESSE CARA AI... JA DEU O QUE TINHA QUE DAR... POR QUE O
NEGOCIO DELES É FAZER COBRANÇA DO JEITO QUE ELES QUEREM FAZER... ELES É
POLICIA... NAO DA NAO... NEGOCIO DE EMPRESTAR DINHEIRO TD BEM... MAS NAO DA
MAIS NAO... VAI CHAMAR ATENÇÃO PRA NOIS...
ADONAI - MAS VC VE AI... TO INDO LA NA CASA DELE AGORA... NA VERDADE TO NO
TREVO... QUEM VAI ATENDER É O JACKSON...
BINHO - É QUE TEM QUE PAGAR A MERCEDEZ E PRECISAVA QUE VC FOSSE LA E
PEGASSE UMA CONTA PRA MIM PODER FAZER UM TRANSFERECIA OU UM DEPOSITO...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 41
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI - MAS TA NA ONDE...
BINHO - TA NA MERCEDEZ...
ADONAI - O CARRO TA EM NOME DE QUEM...
BINHO - TA NO MEU NOME
ADONAI - FALAR COM QUEM LA...
BINHO - JULIANO... DEPOSITAR EU POSSO DEPOSITAR NAQUELA CONTA MESMO DO
MENINO QUE VC VENDEU O CARRO...
ADONAI - ATE SEGUNDA ORDEM PODE BOTAR... POR QUE É CONTA PESSOAL DELE...
EU VOU PASSAR LA DAQUI A POCUO E LIGO PRA VC...
BINHO - POR QUE OS 50 MIL VOU PEGAR COM O CARA QUE EU VENDI O CARRO PRA
ELE AQUI AGORA... JA VOU DEPOSITAR DIRETO NAO VAI NEM PASSAR PELA MINHA
CONTA...
ADONAI - BLZ ENTAO... PODE MANDAR...

No dia 27/03/2009, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA entrou em contato


telefônico com RICARDO DA COSTA SILVA, proprietário do Lava-jato Aquajet, bem
como manteve contato telefônico com LUIZ, justificando que transferiu parte do dinheiro e
que a outra parte seria transferida, para que não ficasse preocupado que a operação logo
seria liquidada (Transcrição 257 e 258).

TRANSCRIÇÃO 257

TELEFONE NOME DO ALVO


6581169349 6581169349 – MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
27/03/20
6581169 27/03/2009 00:01:1 @JACKSON x RICARDO -
6581188366 0 9
349 13:14:15 7 DEPOSITO/DIFERENÇA
13:12:58

DIÁLOGO
RICARDO - E AI... Q Q VC ACHAR... RESOLVE...?
ADONAI - RESOLVER... ACABEI DE FALAR COM O MENINO AGORA... INCLUSIVE ELE
FALOU Q VAI MANDAR UNS EMAIL PRA MIM QUE FICOU DE DEPOSITAR UM DINHEIRO
ONTEM... É POR QUE LA TA TENDO A GREVE DOS VIGILANTES... NAO TA PODENDO
ENTRAR NO BANCO MAIS O CARA TA CONVERSANDO COM O GERENTE PRA PASSAR O
DINHEIRO POR TRAS...
RICARDO - HUMM. DEIXA EU FALAR... AQUELA OUTRA DIFERENÇA Q VC TINHA FALADO
VAI AGILIZAR TBM HJ...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 42
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI - VAI... NA VERDADE EU TO QUE NEM VC... O QUE FALAM PRA MIM EU TO
FALANDO PRA VC...

TRANSCRIÇÃO 258

TELEFONE NOME DO ALVO


6581320422 6581320422 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
27/03/20
6581320 27/03/2009 00:02:4 @ADONAI X LUIZ -
1181652522 0 9
422 18:03:32 0 SOBRE O DINHEIRO
18:00:52

DIÁLOGO
LUIZ - VC NAO LIGA PRA MIM
ADONAI - LIGUEI... SEU CUNHADO PASSOU O RECADO... NAO CONSEGUI FALAR COM
VC... JA TEVE UM POUCO DO DINHEIRO ENVIADO...
LUIZ - TA AQUI JA..
ADONAI - JA... JA FOI DEPOSITADO... EU TENHO Q CONFIRMAR...
LUIZ - MAS MANDA PRA MIM
ADONAI - ATE QUARTA FEIRA NOIS ACABAMOS DE PAGAR TUDO... TODO O DINHEIRO...
LUIZ - BELEZA PURA... TA CERTO... MAS EU QUERO PEGAR URGENTE ESSE DINHEIRO...
SERÁ QUE AMANHA POSSO PEGAR...
ADONAI - ACABEI DE CHEGAR NA CASA DELE... EU VOU CONVERSAR COM ELE PRA VER
SE TEM COMO VC PEGAR ESSE DINHEIRO AMANHA AI... POR QUE NOS NAO MANDAMOS
POR ESSA CASA... MANDAMOS POR OUTRO JEITO...
LUIZ - POR FAVOR... VC ME LIGA DAQUI A POQUINHO... Q EU VOU FICAR EM CASA
AGUARDANDO...
ADONAI - MAS FICA DESPREOCUPADO QUE ATÉ TERÇA OU QUARTA FEIRA LIQUIDAMOS
COM TUDO... PAGAMOS TD QUE TEM QUE PAGAR... JA TEM O DINHEIRO... TA TD
TRANQUILO... JA ESTAMOS RECEBENDO...
LUIZ - PRA MANHA VC ME LIGA....

Já no dia 31/03/2009, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA entrou em contato


com o corréu WAGNER RODRIGO DE AMORIM, ocasião em que WAGNER confirmou o
recebimento de R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) e solicitou o

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 43
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
encaminhamento dos comprovantes de depósito. ADONAI conversou também com o
corréu ALAOR GOMES CORRÊA JÚNIOR, epíteto “Marmota”, sobre os comprovantes e
afirmou que estava “indo lá embaixo” para conversar diretamente com LUIZ (Transcrição
270, 271 e 273). Dentro desse contexto fático, “indo lá embaixo”, conforme a dedução
lógica realizada pela Polícia Civil e encampada pelo Ministério Público Federal, é que “lá
embaixo” deveria ser a Bolívia. Parece-me razoável a referida dedução, porque LUIZ
estando na Bolívia e tendo ADONAI que viajar até lá, a conclusão lógica plausível é que
ADONAI foi ao encontro de LUIZ. A seguir, transcrevo os referidos diálogos:

TRANSCRIÇÃO 270

TELEFONE NOME DO ALVO


6599677451 6599677451 – MARANELO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
31/03/200 @WAGNER x ADONAI -
6599677 31/03/2009 00:01:4
6592353220 9 VALOR DEPOSITO R$
451 18:19:55 9
18:18:06 250

DIÁLOGO
ADONAI -
WAGNER - LA JA TA CERTO JA CARA... JA TA CERTO LA O NEGOCIO...
ADONAI - JA FEZ O DEPOSITO...
WAGNER - JA... AI FALTA SÓ PASSAR UM COMPROVANTE DE DEPOSITO QUE VOU
LEVAR AMANHA CEDO... MAS JA PASSEI A MAIORIA DOS COMPROVANTES PRA ELE... TA
TD NA MAO DELE... AI AMANHA CEDO QUE EU VOU LEVAR UM... POR QUE NAO
IMPRIMIU... AI EU MANDEI O MENINO PASSAR DENOVO E EU VOU LEVAR AMANHA
CEDINHO... AI TEM QUE VER COMO QUE VAI ACIONAR O JUNIOR (ALAOR GOMES
JUNIOR)...
ADONAI - FICOU NAQUELE VALOR MSM?
WAGNER - É... NAQUELE LA MSM....
ADONAI - 250... EU VOU FALAR COM O JR AGORA... VOU NUM ORELHAO... TA DE FOLGA
AMANHA...
WAGNER - VOU TRABALHAR... MAS QUALQUER COISA DOU UM JEITO DE FALAR COM
VC... NAO ESQUENTA NÃO..

TRANSCRIÇÃO 271

TELEFONE NOME DO ALVO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 44
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
6581320422 6581320422 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇÃ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR A FINAL O O ENTÁRIO
INICIAL
01/04/20 @WAGNER X ADONAI -
6581320 01/04/2009
6536169200 0 9 00:01:17 T O C O M
422 09:27:02
09:25:45 COMPROVANTE

DIÁLOGO
WAGNER - JA VI MEUS EMAILS... OS COMPROVANTE QUE TAVA FALTANDO... JA VOU
MANDAR IMPRIMIR E LEVAR LA NO PRO MENINO... SÓ Q O LUIS TA ME LIGANDO...
ADONAI - TA LIGANDO PRA VC...
WAGNER - ME DA O ENDEREÇO...
ADONAI - EU TO CHEGANDO...
WAGNER - DAQUI UMA HORA VOU LEVAR OS DOIS COMPROVANTE QUE TA FALTANDO
PRA INTERAR...
ADONAI - JA ANDEI UNS 50KM...

TRANSCRIÇÃO 273

TELEFONE NOME DO ALVO


6581320422 6581320422 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
01/04/200 @ADONAI X HNI
6581320 59177648570 01/04/2009 00:03:0
9 ( C U N H A D O ) -
422 0 11:06:47 7
11:03:40 COMPROVANTE

DIÁLOGO
ADONAI - ACABEI DE FALAR COM O LUIZ... TO A MEIA HORA DE CUIABA... ASSIM QUE
EU CHEGAR LA O WAGNER TA COM O COMPROVANTE DO DEPOSITO... NOIS VAMOS LA
NA OFICINA DO CARRA PRA PODER PEGAR O ENDEREÇO PRA VC PODER IR PEGAR O
DINHEIRO COM ELE... AI DENTRO DE 1HS EU LIGO PRA VC E LIGO PRO LUIS... VCS SE
ENCONTRAM AI... E VAI LA VER ISSO AI... O DOCUMENTO SEU EU PASSEI PRO JACKSON
JA AQUI... ELE DEVE TER ENTREGE PRO DESPACHANTE QUE IA MEXER COM ISSO AI

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 45
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
PRA VC...
HNI - E AQUELE QUE EU FALEI PRA VC DAR PRA MINHA MAE... EU FALEI PRO MANÉ E
ELE FALOU QUE SÓ PODE ARRUMAR 100 E FALOU QUE IA FALAR PRA VC ARRUMAR 100
PRA MINHA MAE LA EM COXIM...
ADONAI - ARUMOU PORRA NENHUMA.. MANÉ TAVA TOMANDO CACHAÇA ONTEM AQUI...
TINHA AUDIENCIA DELE... O CARA É TAO SEM FUTURO QUE TODO MUNDO MORRENDO
DE PREOCUPAÇÃO, DISK ELE TINHA RISCO ATE DE IR PRESO... E NEM LIGAR ELE NAO
LIGOU...
HNI - EU TBM LIGUEI PRA ELE PRA SABER QUE EU TBM FICQUEI PREOCUPADO... TO
ESPERANDO CHEGAR OS COMPROVANTES... FALA PRO CABEÇA MANDAR NO MEU
CORREIO O FALSO QUE EU TENHO...
ADONAI - O DONO DO DINHEIRO TA AQUI... É O SEGUINTE... EU VI SUA HABILITAÇÃO
AQUI... SE O CARA JA RECONHECER FIRMA DESSES DOCUMENTO QUE VC PRECISA...
EU DEVO ESTAR FALANDO COM O LUIS DEPOIS DE AMANHA... EU PEGO E LEVO PRA
VC... ENTREGO PRA ELE E ELE ENTREGA PRA VC... MAS NEM COMENTA COM CABEÇÃO
QUE EU VOU CONVERSAR COM O LUIS...
HNI - BLZ..
ADONAI - AGORA VOU VER SE CONSIGO FAZER A NOSSA CAMINHADA E VOU LA FALAR
COM ELE DEPOIS DE MANHA...
HNI - VC VAI LA...
ADONAI - LA EMBAIXO...
HNI - SE ELE FOR DESCER DE CARRO TALVEZ EU VOU PEGAR UMA CARONA COM ELE
E DESCER COM VC...
ADONAI - ELE VAI DE AVIÃO...
HNI - ELE VAI DE AVIAO... PENSEI QUE ELE IA E CARRO PRA FAZENDA DELE...
ADONAI - MAS AVIÃO INTERNO AI É BARATINHO...
HNI - EU VOU VER COM ELE ESSE ESQUEMA PRA MIM PEGAR COM ELE AQUI E DE LA
NOIS DOIS DESCE...
ADONAI - É 1H DE VOO SÓ... EU VOU COM O JACKSON... NOIS VAMOS NA
CAMINHONETE... SE VC QUIZER DESCER COM A MENINA NOIS TRAS VC JA...
HNI - MAS EU VOU SÓ... CLAUDIA NAO VAI... POR QUE DA FACULDADE DELA...
ADONAI - VC Q VE AI... É 1H DE VOO SÓ...

Também nesse sentido, o diálogo captado no dia 06/04/2009, em que


ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” informou ALAOR GOMES
CORREA JÚNIOR, epíteto “MARMOTA” que iria viajar até o encontro de LUIZ,
reiteradamente apontado pela Polícia Civil e Ministério Público Federal como fornecedor
da droga (Transcrição 305).

TRANSCRIÇÃO 305

TELEFONE NOME DO ALVO


6581320422 6581320422 – MARANELLO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 46
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
06/04/200
6581320 59177648570 06/04/2009 00:02:2 @ADONAI x ALAOR - IR
9
422 0 11:11:12 5 AMANHA VR LUIZ
11:08:47

DIÁLOGO
ADONAI - OI
ALAOR - BERNARDO...O LUIS TA PERGUNTADO QUE DIA QUE VC VAI LA FALAR COM ELE,
PRA ELE IR.
ADONAI - AMANHA
ALAOR - AMANHA ENTÃO
ADONAI - É EU VOU LIGAR PRA ELE ACABEI DE CHEGAR EM CUIABÁ HOJE. EU VOU
DESCER PRA CASA HOJE E AMANHA JÁ TO LÁ.
ALAOR - ELA VAI DE AVIÃO EU VOU TENTAR SUBIR COM
ADONAI - EU VOU SUIBIR COM O JACKSON DE CAMINHONETE
ALAOR - PORQUE NÃO TEM NADA PRA MIM FAZER AQUI DURANTE O DIA
ADONAI - PODE IR
ALAOR - UMA SEMANA AI. AMANHA ENTÃO. BLZ ENTÃO. VC SABE SE MINHA MAE FOI LA
PRA COXIM
ADONAI - NÃO SEI NÃO...PENSANDO EM DAR O DINHEIRO PRA ELA
ALAOR - PORQUE O TELEFONE DELA TA DANDO ACABADO. DEVE TER INDO
ADONAI - TELEFONE DE SUA MAE. NÃO SEI EU FALEI COM A DARCIANA HOJE DE MANHA
MAS ESQUECI DE PERGUNTAR...
ALAOR - ENTÃO TA COXA. EU FALO PRA ELE SE DA PRA MIM IR COM ELE SENÃO VOU
POR AQUI MESMO POR CAMPO GRANDE..
ADONAI - EU ACHO QUE FICA MAIS FACIL VC IR POR AI MESMO A PASSAGEM E MAIS
BARATO INTERNA NÉ
ALAOR - INTERNA E MAIS BARATO, MAIS RAPIDO E NÃO TEM ESSA PUTARIA DE
DOCUMENTAÇÃO
ADONAI - NÃO LÁ VC PASSA DE A PÉ, NO ONIBUS, NO CARRO NÃO DÁ NADA. LÁ VC
HOSPEDA NO HOTEL ONDE NOS FICA. JÁ FICA ESPERANDO NÓS LÁ.
ALAOR - ELE SABE ONDE É
ADONAI - SABE E O HOTEL PANTANAL 5 ESTRELAS NA BEIRA DO RIO
ALAOR - BLZ COXA
ADONAI - MAIS ANTES DE RESOLVER AQUI NOS LIGA PRA VC
ALAOR - BLZ COXA

No diálogo 312, ADONAI afirmou que já estava atravessando a fronteira e se


ALAOR já tinha contatado LUIZ. Na sequência, ADONAI conseguiu falar com LUIZ, que
iria encontrá-lo na portaria do hotel (Transcrição 313).

TRANSCRIÇÃO 312

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 47
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TELEFONE NOME DO ALVO
6681191911 6681191911 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
R A
NE TOR RA FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
08/04/200 08/04/200 @ADONAI X MARMOTA -
6681191 59177648570 00:00:4
9 9 CHEGOU PUERTO
911 9
11:18:39 11:19:28 SOARES

DIÁLOGO
ALAOR - JA CHEGOU?
ADONAI - JA... TAMO ATRAVESSANDO AQUI A FRONTEIRA... TEM NOTICIA DO LUIZ
ALAOR - ACABOU DE LIGAR PRA MIM AGORINHA PERGUNTANDO SE VC TINHA
CHEGADO... ASSIM QUE VC CHEGAR MANDOU LIGAR PRA ELE QUE AI AGENTE
ENCONTRA...
ADONAI - SE TA NO HOTEL..
ALAOR - TO... VC VEM DIRETO NO HOTEL QUE VOU TE ESPERAR NA PORTARIA...

TRANSCRIÇÃO 313

TELEFONE NOME DO ALVO


6681191911 6681191911 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
08/04/200
6681191 59177396040 08/04/2009 00:01:0 @ADONAI X LUIZ -
9
911 11:36:08 0 CHEGUEI
11:35:08

DIÁLOGO
ADONAI - CHEGUEI... TO PEGANDO O JUNIOR NO HOTEL... ONDE SE ENCONTRAMOS...?
LUIZ - TO CHEGANDO AI... ME AGUARDA AI... TO CHEGANDO EM 15 MINUTOS.. ME
AGUARDA AI NA PICINA...
ADONAI - EU NAO VOU ME HOSPEDAR NO HOTEL.. QUEREMOS ALMOÇAR...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 48
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
LUIZ - ME AGUARDA AI NO HOTEL... AI FORA...

Após o encontro com LUIZ, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto


“MULAMBO” ligou para EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO”, para informá-lo que
tinha se encontrado com LUIZ e que tudo estava resolvido (Transcrição 314).

TRANSCRIÇÃO 314

TELEFONE NOME DO ALVO


6592884151 6592884151 – MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ Á U D I INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
08/04/20
6592884 08/04/2009 00:03:3 @BINHO x ADONAI - 3 A
1178713237 0 9
151 22:17:08 8 5 DIAS RESOLVE TUD
22:13:30

DIÁLOGO
ADONAI - TAVA NUM PRINCIPIO DE UM PROBLEMINHA NA ESTRADA... O POVO
CUIDANDO O QUE NAO PERDEU... NAO TINHA NADA MAIS ENCHEU O SACO... NAO
LEVOU AGENTE PRA LUGAR NENHUM... MAIS FICOU NA RUA... MAS JA CHEGAMOS...
TAMO EM CAMPO GRANDE...
BINHO - TA TD RESOLVIDO LA...?
ADONAI - TA TD RESOLVIDO... CONVERSEI COM ELE TA TUDO RESOLVIDO... SÓ
AQUELE NEGOCIO QUE VC PEDIU PRA MIM PODER FALAR COM RENATO... MAS RENATO
TA AQUI... AI VOU VER SE LOCALIZO ELE AI VOU VER O NEGOCIO DO PART POLITICO
PRA PODER RESOLVER COM ELE... EU JA PERGUNTEI PRA ELE SE TINHA COMO
FAZER... MAS ELE DISSE QUE QUEM TEM QUE RESOLVER É O RENATO... POR QUE ELE
NAO MEXE COM ISSO... RENATO É A PESSOA CERTA... AI EU PASSO OS DETALHES PRA
VC... MAS TA TD CERTO...
BINHO - E O CABEÇÃO... RESOLVEU A SITUAÇÃO QUE ERA PRA RESOLVER?
ADONAI - RESOLVEU... SÓ NÃO TA NA MÃO DO MENINO POR QUE ELE TAVA HJ FALANDO
COMIGO AQUI... O CABEÇÃO QUERIA FALAR COM ELE HJ... ELE MARCOU COM O
CABEÇÃO PRA SEGUNDA FEIRA... AI NAO TINHA COMO ELE ESTAR EM 2 LUGAR AO
MESMO TEMPO... MAS EU NAO FALEI COM ELE MAS ACHO Q ELE MANDOU SIM... AI
FALOU QUE TAVA MEXENDO COM UM NEGOCIO DA FAZENDA DELE... AI ELE FALOU QUE
DE 3 A 5 DIAS RESOLVE TD...
BINHO - AI AMANHA DEPOIS DO ALMOÇO TE DOU UMA LIGADA...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 49
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
No dia 11/04/2009, ADONAI entrou em contato com JACKSON para tratar de
assuntos relativos à fazenda, que precisava de uma garagem para depositar os carros
(Transcrição 322).

TRANSCRIÇÃO 322

TELEFONE NOME DO ALVO


6681191911 6681191911 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇÃ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR RA FINAL O O NTÁRIO
INICIAL
11/04/20 11/04/200
6681191 @ADONAI x JACKSON -
6581369646 0 99 00:17:48
911 CONVERSANDO
09:51:39 10:09:27

DIÁLOGO
JACKSON - CHEGUEI DA FAZENDA AGORINHA...
ADONAI - TO EM CASA REPOUSANDO...
JACKSON - TO NUM HOTEL EM CAMPO VERDE...
ADONAI - E POR LA COMO Q TA
JACKSON - TA TD NORMAL... SÓ NAO DEI CONTA DE ARRUMAR UM RAPAZ PRA
ROÇAR... POR QUE O PESSOAL NAO SAI NEM PRA FORA... NAO TOMA BANHO E NEM
NADA...
...
ADONAI -
JACKSON - C CONVERSOU COM DACU?
ADONAI - JA...
JACKSON - TA TD RESOLVIDO...?
ADONAI - TA... MENTINDO PRA ELE COMO SEMPRE NEH... EU FALEI COM ELE E DO JEITO
QUE COMBINOU TA TD CERTO... FALEI PRA ELE Q O CARA NAO DAVA NADA E DO JEITO
QUE TAVA FICOU... FALEI QUE FICOU ENTRE ABERTO 1 E 8... E QUE ELE NAO
ARRUMAVA NADA MELHOR DO QUE 1800 REAL NAQUELA MOTO...
JACKSON - E ELE CONCORDOU?
ADONAI - CONCORDOU... PORQUE SE ELE ACHAR QUE NAO TA BOM PRA VC VC
COMPRA E PAGA O TRANSPORTE PRA CÁ...INCLUSIVE MARMOTA TAVA COMIGO E
CONFIRMOU E AVALIOU... E VIU TD CERTINHO E FALOU QUE O PREÇO É ESSE MSM...
QUE AGENTE TA GANHANDO O TRANSPORTE E ALGUMA COISA AMAIS... MAS EU FALEI
PRA ELE QUE VINHA ALGUMA COISA AMAIS DA PARTE DO MENINO... MAS NAO
NECESSARIAMENTE QUE TEM QUE VIR PRA ELE... MAS ELE TEM UMA VANTAGEM... QUE
ELE TEM AGILIZADE PRA PODER GIRAR ESSE DINHEIRO... CHEGANDO LA EM MENOS DE
UMA SEMANA TA COM O DINHEIRO NA MÃE NEH... COISA QUE AGENTE NAO TEM... MAS
ISSO AI VC JA VIU QUE NAO TEM COMO NOIS PERDER NEH... ISSO AI É RESOLVER E
BOTAR O DINHEIRO NO BOLSO...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 50
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
...
JACKSON - EU NAO TRANFERI O DINHEIRO PRA VC NAO POR QUER NAO TEVE JEITO...
ADONAI - EU VI...
...
JACKSON -
ADONAI - VOU TER QUE IR LA FALAR COM CABEÇÃO (WAGNER RODRIGO DE AMORIM,
epíteto “CABEÇÃO”) QUE NAO SEI SE AGENTE VAI VIAJAR SEGUNDA FEIRA OU TERÇA
FEIRA PRA PODER IR LA... DENOVO AQUELA VIATURA... VAI EU DORMINDO DAQUI LA DE
NOVO...
JACKSON - CADE AQUELES 10 MIL QUE VC IA ARRUMAR PRA MIM?
ADONAI - NAO DEPOSITOU NAO... VOU FAZER O ACERTO COM ELE...
JACKSON - C SOBRAR VC AJEITA PRA MIM?
ADONAI - VAI TER SIM... PORQUE SÓ DAQUELE NEGOCIO QUE FICOU PRA TRAZ SÃO 16
MIL...
JACKSON - E ELE TA ME DEVENDO 3800 DAQUELA MOTO QUE EU VENDI PRA ELE... EU
DEVO 800 PRA ELE...
ADONAI - ELE VAI FICAR TRABALHANDO COM NOSSO DINHEIRO EU VOU TER QUE
COBRAR... E JA VAI ENTRAR 5 AGORA NESSE NEGOCIO NOVO...
JACKSON - VAMOS VER SE NOIS FAZ UMA REUNIAO SEGUNDA FEIRA PRA NOIS PODER
DAR UMA ESCULACHADA NELE...
...(11:30)
JACKSON - QUE DIA QUE NOIS VAMOS PRO NORDESTE...
ADONAI - NAO... TEM QUE RESOLVER ESSE NEGOCIO PRIMEIRO PÔ...
JACKSON - NOIS VAMOS RESOLVER SEGUNDA FEIRA...
ADONAI - TEM QUE PELO MENOS PASSAR TODO ESSE DINHEIRO PRA NOIS FICAR
ESPERANDO... NO MINIMO... NAO... TEM QUE PASSAR O DINHEIRO ESPERAR CHEGAR E
DESPACHAR... AI DEPOIS QUE DESPACHAR AGENTE TA FOFO... AI AGENTE ESPERA LA
NA PRAIA...
JACKSON - EU VOU LEVAR MINHA NAMORADA...
ADONAI - E EU NAO VOU NEH...
...
ADONAI - VOU ATE FALAR O QUE TA ESCRITO... PASSA-SE O PONTO... UMA GARAGINHA
FILÉ... ATI ONTEM ELA TAVA ABERTA ... HJ JA FECHOU... BONITINHA... COM 10 CARROS...
OS CARROS QUE NOIS TEM ENCHE ESSA GARAGEM... PEGA ESSA ZAFIRA MAIS A
DOBLO DO BINHO... EU TAVA FAZENDO A CONTA VC TEM 4... E EU TENHO MAIS.. E PEGA
MAIS DOIS DO BINHO... POR QUE ESSES DOIS DELE TA PERDIDO...
JACKSON - E EU TENHO MAIS 5 MOTOS CARA... EU TENHO MAIS 2 JET SKY... ENCHE LA
TRANQUILO...
ADONAI - E É BEM LOCALIZADA... É NO CENTRO... É PERTO DA DO CEBOLA... PRA
FRENTE DA DO CEBOLA... MAIS PRO CENTRO QUE A DO CEBOLA...
JACKSON - GERALMENTE NAO VAI QUERER NADA...
...

A viagem de ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” para a


Bolívia com o corréu WAGNER RODRIGO DE AMORIM foi também confirmada pela
pessoa identificada como “TIM”, que no dia 14/04/2009 entrou em contato com EDÉSIO
RIBEIRO NETO avisando-o que ADONAI e WAGNER seguiram para falar com o LUIZ
(Transcrição 330).

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 51
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TRANSCRIÇÃO 330

TELEFONE NOME DO ALVO


1178713237 1178713237 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇÃ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR RA FINAL O O ENTÁRIO
INICIAL
14/04/200 14/04/200
1178713 @TIM x BINHO - PRETO
9 9 00:00:32
237 VIAJOU
11:32:17 11:32:49

RESUMO
TIM (MÁRIO MÁRCIO NASCIMENTO DOS SANTOS, epíteto “TIN” ou “NEGÃO” ou “JÃO”) LIGA
AVISANDO BINHO (EDÉSIO RIBEIRO NETO, epíteto “BINHO”) QUE O PRETO (ADONAI)
VIAJOU FOI FALAR C/ O LUIS. TIM DIZ QUE O BATATA FALOU QUE TÁ TUDO BLZ.

No dia 16/04/2009 foram captados dois diálogos importantes, em que


ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” foi cobrado por ALAOR GOMES
CORREA JÚNIOR, epíteto “MARMOTA” sobre os comprovantes de depósitos que
deveriam ser encaminhados para que a pessoa identificada como “Frank” pudesse liberar
o dinheiro para LUIZ (Transcrição 334).

TRANSCRIÇÃO 334

TELEFONE NOME DO ALVO


6681191911 6681191911 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
16/04/200 @JR(MARMOTA) X
6681191 16/04/2009 00:01:0
9 A D O N A I -
911 09:18:49 0
09:17:49 DEPOSITO/FAX

DIÁLOGO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 52
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
JUNIOR - OI. COXA ?
ADONAI - FALA...
JUNIOR - VC TA JUNTO COM O GORDÃO (POSSIVELMENTE WAGNER) AI
ADONAI - NÃO
JUNIOR - ..VC SABE SE O CARA DEPOSITOU O NEGOCIO DO GORDÃO?
ADONAI - SE DEPOSITOU NÃO SEI CARA ACHO QUE DEPOSITOU
JUNIOR - E O FAX O FRAN TA COBRANDO AQUI. O FRAN TA FALANDO SE NÃO PASSA
ESSE FAX PRA ELE ATÉ MEIO DIA AQUI NÃO VAI DAR PRA FAZER AQUELE CAMBIO
NÃO
ADONAI - EU VOU FALAR PRA ELE AQUI
JUNIOR - DÁ UMA PERGUNTADA PRA ELE SE ELE MARCOU MINHA PASSAGEM
ADONAI - NÃO..ELE JÁ FALOU AGORA TAVA CONVERSANDO C/ ELE AGORA SOBRE ISSO
AQUI ELE FALOU QUE VAI LIGAR PRA LÁ...
JUNIOR - DAQUI A POUCO VOU LIGAR PRA VC PRA SABER A RESPOSTA O FRAN LIGA
AQUI DE 10 EM 10 MINUTO...
ADONAI - JÁ VOU ALI NO QUARTO E FALO PRA ELE LIGAR PRA VC E VC FALA DIRETO C/
ELE
JUNIOR - BLZ ENTÃO

Tendo em vista essa cobrança para remeter os comprovantes de depósito,


ADONAI entrou em contato diretamente com “Frank”, informando-o que mandaria os
comprovantes até o final do dia e que era para liberar 73 mil para LUIZ (Transcrição 335).

TRANSCRIÇÃO 335

TELEFONE NOME DO ALVO


6681191911 6681191911 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇÃ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR A FINAL O O ENTÁRIO
INICIAL
16/04/20
6681191 59176037129 16/04/2009 @ADONAI x FRAN -
0 9 00:00:53
911 09:25:54 LIBERAR 73 P/ LUIS
09:25:01

DIÁLOGO
ADONAI - ALO FRANK
FRAN - BLZ
ADONAI - E ADONAI

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 53
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
FRANK - FALA ADONAI
ADONAI - DAQUI A POUCO TO MANDANDO ESSES COMPROVANTES QUE TA FALTANDO
PRA VC. EU TO JUNTO C/ O LUIS AQUI... AMANHA ATÉ 6 HORAS DA TARDE EU QUERO
QUE VC LIBERA P/ ELE 73 DESSE DINHEIRO AI...
FRANK - LIBERADO ENTÃO AMANHA
ADONAI - EU LIGO PRA HOJE AINDA HOJE PRA CONVERSAR
FRANK - BLZ

Ademais, conforme destacado pelo MPF nas alegações finais, a pessoa


identificada como “FRANK” é o gerente da casa de câmbio “TEN GIROS E
TRANSFERÊNCIAS” (ID. Num. 296009867 - Pág. 270). Diversos diálogos interceptados
corroboram essa afirmação, que “FRANK” é o gerente da casa de câmbio utilizada para
remessa de dólares ao estrangeiro.

TRANSCRIÇÃO 170

TELEFONE NOME DO ALVO


6581257919 6581257919 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
18/02/20
6581257 59133114599 18/02/2009 00:01:1 @ADONAI X FRANK -
0 9
919 0 10:34:27 5 DEPOSITO DE 360 MIL
10:33:12

DIÁLOGO
ADONAI - ONTEM ERA PRA TER FEITO TODO O DEP DE 360... MAS TEM UM LIMITE DIARIO
DE TED... AI FICOU FALTANDO 45 PRA AGORA... MAS TO INDO AGORA FAZER...
FANK - 200...
ADONAI - AI EU VOU PRECISAR DE 200 PRA AMANHA E VC ME FAZ A COTAÇÃO....
FRANK - VC JA TEM AI NEH?
ADONAI - TENHO...

TRANSCRIÇÃO 329

TELEFONE NOME DO ALVO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 54
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
6681191911 6681191911 – MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
14/04/20
6681191 59176037129 14/04/2009 00:01:3 @FRANK X JOAO PAULO
0 9
911 10:19:05 1 - PEDINDO CONTA
10:17:34

DIÁLOGO
HNI - JO QUERIA UNAS CONTAS... PELO MESMO QUE MANDOU A DIAS... DE RALF
NEGREIRO... EU VOU CONECTAR AQUI ENTAO E VC PASSA POR EMAIL AS CONTAS E O
CAMBIO DE HJ...
FRANK - EU VERIFICO AGORINHA E TE DOU UMA LIGADA...
HNI - SAIU MEU NUMERO AI...
FRANK - NAO... QUAL SEU NUMERO...
HNI - EU VOLTO A LIGAR...

TRANSCRIÇÃO 335

TELEFONE NOME DO ALVO


6681191911 6681191911 – MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇÃ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR A FINAL O O ENTÁRIO
INICIAL
16/04/20
6681191 59176037129 16/04/2009 @ADONAI x FRAN -
0 9 00:00:53
911 09:25:54 LIBERAR 73 P/ LUIS
09:25:01

DIÁLOGO
ADONAI - ALO FRANK
FRAN - BLZ
ADONAI - E ADONAI
FRANK - FALA ADONAI
ADONAI - DAQUI A POUCO TO MANDANDO ESSES COMPROVANTES QUE TA FALTANDO
PRA VC. EU TO JUNTO C/ O LUIS AQUI... AMANHA ATÉ 6 HORAS DA TARDE EU QUERO
QUE VC LIBERA P/ ELE 73 DESSE DINHEIRO AI...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 55
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
FRANK - LIBERADO ENTÃO AMANHA
ADONAI - EU LIGO PRA HOJE AINDA HOJE PRA CONVERSAR
FRANK - BLZ

TRANSCRIÇÃO 381

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
29/04/20
6696141 29/04/2009 00:01:3 @FRANK X DARCIANA X
2185718285 0 9
966 18:22:13 0 ADONAI - LIBERAR
18:20:43

DIÁLOGO
...
ADONAI - VOU PRECISA DO SEU SERVIÇO AMANHA NA PARTE DA MANHÃ QDO VC
CHEGA AI VOU PRECISA DE UMA CONTINHA PRA MIM JA TÁ FINALIZANDO ISSO AI.... AI O
MEU CUNHADO TEM QUE FAZER UM PAGAMENTO AI AMANHA O QUE ELE PRECISA VC
PODE LIBERAR PRA ELE....
FRANK. BLZ PURA
ADONAI. TA FALADO ENTÃO

TRANSCRIÇÃO 387

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇÃ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR A INICIAL O O ENTÁRIO
FINAL

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 56
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
30/04/20
6696141 59176037129 30/04/2009 @ADONAI X FRAN -
0 9 00:01:03
966 13:30:43 PEDINDO CONTA...
13:31:46

DIÁLOGO
ADONAI - TERIA COMO PASSAR PRA MIM AGORA UMA CONTA QUE SEJA DO BANCO DO
BRASIL PRA 65 MIL REAIS...
FRAN - TENHO...
ADONAI - MANDA ENTAO NO MEU EMAIL... MAS TEM Q SER DO BANCO DO BRASIL... POR
Q SE FOR DE OUTRA EU SÓ POSSO TRANFERIR ATE 2HS E JA É 1:30 AQUI... E BANCO
DO BRASIL FAÇO ATE AS 4HS... BANCO DO BRASIL TAH... TO ESPERANDO...
FRAN - BELEZA...

TRANSCRIÇÃO 389

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
30/04/20
6696141 59176037129 30/04/2009 00:01:4 @ADONAI X FRAN -
0 9
966 13:53:13 0 PRECISA PRA SABADO
13:51:33

DIÁLOGO
ADONAI - MANDOU
FRAN - MANDEI A CONTA
ADONAI - A QUANTO TA HJ
FRAN - NAO SEI... FOI FERIADO HJ... AI NAO TEM COMO VER...
ADONAI - AMANHA Q É FERIADO...
FRAN - MAS HJ NINGUEM TRABALHOU... EU NAO VOU TE DERRUBAR NAO...
ADONAI - QUANDO VC PASSA PRA MIM ESSA MIXARIA...
FRAN - VC NAO PRECISA DISSO URGENTE NAO NEH...
ADONAI - TO PRECISANDO DISSO PRA ONTEM...
FRAN - MAIS OU MENOS PRA TERÇA...
ADONAI - EU QUERIA PRA SABADO...
FRAN - EU TE LIGO 4HS... VOU VER SE TEM NA CONTA...
ADONAI - TA BOM... VE ISSO PRA MIM... EU TO COM UM DINHEIRO PARADO AI... SÓ TA
PRECISANDO DISSO PRA FAZER UM NEGOCIO MAIOR...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 57
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Retomando, nesse mesmo dia (16/04/2009), ADONAI NOVAES DE
OLIVEIRA, vulgo “MULAMBO” entrou em contato com ALAOR GOMES CORREA
JÚNIOR, epíteto “MARMOTA”, responsável por levar o dinheiro até LUIZ, orientando
ALAOR a entrar em contato com LUIZ para combinar a entrega do dinheiro (Transcrição
343).

TRANSCRIÇÃO 343

TELEFONE NOME DO ALVO


6581320422 6581320422 – MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
16/04/20
6581320 16/04/2009 00:01:2 @ADONAI x JUNIOR -
6581438567 0 9
422 19:12:19 2 LIGAR P/ LUIS
19:10:57

DIÁLOGO
JUNIOR. FALA MARMOTA
ADONAI. FALA MORMOTA. DEIXA EU FALAR PRA VC
JUNIOR. JA ENCONTREI C/ O CARA AQUI...
ADONAI. ENCONTROU ENTÃO VC ENTRA EM CONTATO C/ O LUIS PRA VC VER COMO
QUE VCS VÃO FAZER C/ ESSE NEGOCIO...
JUNIOR. NÓS VAMOS AGORA PRA LÁ PRA CAMPÃO AI VAMOS DORMIR EM CAPÃO E
ENCONTRAR C/ O LUIS AMANHA...
ADONAI. É MAS ELE NÃO TA SABENDO DESSE NEGOCIO....AI VC TEM QUE LIGAR PRA
ELE PRA ELE NÃO AI E ESPERAR VCS...
JUNIOR. BLZ VOU LIGAR PRA ELE...
ADONAI. FALA PRA ELE QUE VC TA C/ O DINHEIRO PRA ENTREGAR PRA ELE E PRA ELE
ESPERAR VCS AMANHA...
JUNIOR. BLZ...

Já no dia seguinte (17/04/2009), EDÉSIO RIBEIRO NETO entrou em contato


com ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, indagando-o se ALAOR sabia o que fazer e quem
procurar, ao tempo em que ADONAI responde que já tinha explicado tudo para ALAOR,
que era para encontrar LUIZ. Em seguida, ADONAI conversa com EDÉSIO que a

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 58
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
negociação tinha sido realizada (Transcrição 347 e 348).

TRANSCRIÇÃO 347

TELEFONE NOME DO ALVO


6581215154 6581215154 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
17/04/20
6581215 17/04/2009 00:01:4 @BINHO x ADONAI -
6696141966 0 9
154 13:16:16 3 CAMINHO
13:14:33

DIÁLOGO
BINHO. ...E AI TE LIGARAM
ADONAI. NÃO
BINHO. FALEI C/ ELES LOGO DEPOIS QUE EU FALEI C/ VC
ADONAI. É TAVAM A CAMINHO
BINHO. TAVAM...
ADONAI. AH TÁ MARMOTA JÁ VAI EMBACAR HOJE A NOITE O MENINO JÁ TIROU A
PASSAGEM DELE AI
BINHO. ENTÃO TÁ. NÃO TE LIGARAM NÃO
ADONAI. NÃO...
BINHO. POUCO DEPOIS QUE EU FALEI C/ VC EU FALEI C/ ELES
ADONAI. MENOS MAU...BLZ...TO NA ESTRADA...
BINHO. MARMOTA SABE O QUE TEM QUE FAZER LÁ....QUEM QUE VAI
PROCURAR...COMO QUE VAI FAZER
ADONAI. SABE...SABE...EU FALEI PRA ELE ONTEM ENTRAR EM CONTATO C/ O CARA
(LUIS) PRA ELE FALAR PRA ELE ESPERAR ENTREGAR O CARRO PRA ELE AI ELE VAI
LÁ TIRA E VOLTA
BINHO. ENTÃO ELE NÃO VAI PRECISAR DE LIGAR NÃO
ADONAI. NÃO ELE SABE...CONHECE TUDO
BINHO. ENTÃO FALOU

TRANSCRIÇÃO 348

TELEFONE NOME DO ALVO


6581320422 6581320422 - MARANELLO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 59
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
17/04/20
6581320 17/04/2009 00:01:0 @BINHO x ADONAI -
0 9
422 14:37:41 6 RESOLVIDO
14:36:35

DIÁLOGO
ADONAI. FALA STRESS
BINHO. E AI JOVEM...RESOLVIDO LÁ JÁ...
ADONAI. ...FALOU C/ O MENINO
BINHO. FALEI JÁ ME DEU OK JÁ
ADONAI. ...MENOS MAU
BINHO. ESTÃO VOLTANDO
ADONAI. SE VC CONSEGUI FALAR C/ O MARMOTA FALA PRA ELE QUE O VOO DELE
PRA MARCADO HOJE TA ELE ENTRAR EM CONTATO COMIGO PRA VER O HORARIO
CERTINHO
BINHO. LIGA NO CELULAR LÁ ACABEI DE FALAR C/ ELES LÁ
ADONAI. O TELEFONE LÁ OS DOIS ESTÃO DESLIGANDO QUAL É O COMEÇO DO TIN
BINHO. 8407
ADONAI. É NÉ
BINHO. LIGA AGORA QUE VC DEVE CONSEGUI FALAR C/ ELE
ADONAI. FALOU ENTÃO
BINHO. TCHAU

Dos diálogos interceptados acima transcritos, é possível inferir que ADONAI


NOVAES DE OLIVEIRA trabalhou para levantar o dinheiro para adquirir o carregamento
de entorpecente, entrou em contato pessoalmente com o fornecedor da droga, foi até a
Bolívia, solicitou os comprovantes de depósito e passou a tratar da fazenda, ou seja, do
local em que o carregamento adquirido seria depositado provisoriamente.

Concluída a transação de entrega do dinheiro para LUIZ e já decorridos doze


dias da negociação (29/04/2009), EDÉSIO RIBEIRO NETO cobrou ADONAI NOVAES DE
OLIVEIRA pela demora, ocasião em que ADONAI justificou que a demora se devia à
intensa fiscalização que estava ocorrendo, bem como em razão de um problema com o
sócio de LUIZ, mas que tudo estava se resolvendo (Transcrição 376).

TRANSCRIÇÃO 376

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 60
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
29/04/20
6696141 29/04/2009 00:03:4 @ADONAI X BINHO - NO
1178713237 0 9
966 13:29:03 9 PRAZO PREVISTO
13:25:14

DIÁLOGO
ADONAI. OI...
BINHO.OI...E AÍ TUDO BEM
ADONAI. ....TUDO NOS CONFORMES
BINHO. ....O MENINO PASSOU LÁ ONTEM PRA FALAR C/ OS MENINOS
ADONAI. NÃO PASSOU CARA...ELE TEVE UM CONTRA TEMPO....NA VERDADE ELE NEM
VEIO....ELE ESTAVA NA ESTRADA AI LIGARAM PRA ELE .....AI O VITOR VEIO PEGA ELE E
VOU PRA TRAS....MAS FALEI C/ O PRETO (JACKSON) HOJE E AI ELE FALOU QUE TAVA
LEVANTANDO UM NEGOCIO LÁ PRA VÊ SE COLOCA NO PRAZO PREVISTO......VAI DÁ
CERTO....
BINHO. MAS PORQUE QUE DEMOROU DESSE TANTO ELES NÃO FALARAM NÃO
ADONAI. ....FISCALIZAÇÃO TÁ TENDO MUITO CONTROLE LÁ E TEVE UM PROBLEMA C/ O
SOCIO DO LUIS PROBLEMA SÉRIO.......TÁ RESOLVIDO JÁ. ESTAMOS ESPERANDO ELE
FALAR E SAIR NO MESMO DIA E NOS JÁ DESCE PRA LÁ TA PODE RESOLVE
BINHO. ENTENDI E AI QDO QUE TEM ESSA CONFIRMAÇÃO SE ELE VAI PAGAR NA
QUINTA...
ADONAI. TO FALANDO C/ ELE TODO HORA QDO ELE SAI DAQUI PRA LÁ E EU JÁ SAIU
TAMBÉM E NOS CHEGA NO MESMO PRAZO E TEM QUE SAI UM DIA ANTES NÉ. ELE SAI AI
DORME E NO OUTRO DIA CEDO QUE FAZ PAGAMENTO E EU FAÇO A MESMA COISA EU
SAIU TAMBÉM QDO ELE FALAR VOU ENCONTRAR C/ VC TODO DIA TO FALANDO COM
ELE AI EU SAIU...AI EU JÁ DURMO AQUI TAMBÉM E OUTRO DIA CEDO EU RECEBO AI EU
VOU LIGANDO PRO CÊ
BINHO. ...ENTÃO EU VOU PEDI PRO MENINO PELO MENOS FALAR C/ O CARA LÁ SENÃO
VAI ME DÁ PROBLEMA EU TO FALANDO PRA VC VAI ME DÁ PROBLEMA...O PESSOAL
ESTÁ ESPERANDO EU PEDI PRA FALA ONTEM....
ADONAI. ....VOU LEVAR SEU CARRO NA OFICINA...
BINHO. VC VIU O DOCUMENTO DO NIL....
ADONAI. .....TÁ CERTO SE TIVER ALGUM CONTRA TEMPO.... EU VOU LÁ EM CAMPO
VERDE PESSOALMENTE CONVERSAR COM O CARA E EXPLICAR A SITUAÇÃO
CERTINHO...
BINHO. ....JUSTAMENTE.
ADONAI. SE PRECISA EU VOU LÁ FALAR C/ ELE....
BINHO. BLZ

No dia 29/04/2009, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA conversou com


JACKSON sobre o dinheiro que foi depositado a mais na conta de ALEXANDRE
ZANGARINI e que o pressionariam para restituir o que foi transferido a mais (Transcrição

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 61
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
379 e 381).

TRANSCRIÇÃO 379

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
29/04/200 @ADONAI X JACKSON -
6696141 29/04/2009 00:05:5
6581369646 9 ALEXANDRE DA
966 17:04:21 6
16:58:25 FERRARI

DIÁLOGO
...
ADONAI - FALOU LA COM OS MENINOS...
JACKSON - FALEI POR DUAS VEZES HJ... E FUI MAIS LONGE AINDA... FALEI QUE O
DINHEIRO É DO JANGO E QUE ELE TA ACHANDO QUE EU PEGUEI O DINHEIRO... QUE EU
TO SEGURANDO O DINHEIRO... E QUE ELE VAI MANDAR 3 MENINOS DELE PRA VIR AQUI
PEGAR O DINHEIRO... E DEIXEI BEM CLARO EU VOU LEVAR LA NA CASA DO ALEXANDRE
SE ELE NAO DER O DINHEIRO... EU NAO QUERO NEM SABER COMO VAMOS FAZER PRA
RECEBER... SÓ QUE EU VOU LEVAR O DONO DO DINHEIRO LA NA CASA DELE... POR
QUE EU NAO DOU CONTA DE PEGAR ESSE DINHEIRO... NAO TENHO CONDIÇÃO
FINANCEIRA PRA PAGAR ISSO E NAO TENHO OBRIGAÇÃO TBM... AGORA QUEM SOU EU
PRA PAGAR CONTA DE QUEM ANDA DE FERRARI AI... O IRMÃO DO RICARDO ATE
CHOROU... FALEI VOU FALAR UMA COISA PRA VC GORDINHO... VOU TRAZER OS CARA
AQUI... VC NAO VAI TER DINHEIRO PRA PAGAR EU VOU FALAR ONDE RICARDO TA... VOU
MOSTRAR ONDE VC MORA E AUTOMATICAMENTE VOU MOSTRAR ONDE O ALEXANDRE
MORA... QUEM É A FILHA... QUEM É MULHER... QUEM É O FILHO... VOU MOSTRAR TUDO
PRA TODO MUNDO E VOU DEIXAR ELES RESOLVER DA MELHOR FORMA QUE É...
ADONAI - SABE Q QEU TAVA RACIOACINANDO... EU JA TENHO CERTEZA QUE ESSE
NEGOCIO É SEMVERGONHISSE DO RICARDO... POR QUE A VIDA DELE TA TRANQUILA
DEMAIS PRA FICAR QUERENDO ARRUMAR CONFUSÃO POR POUCO DINHEIRO...
JACKSON - ELE NAO SE ACHA RESPONSAVEL PELO DINHEIRO CARA... AGORA SABE
QUE QUE ELE QUER FAZER... ELE NAO QUER ENFIAR A MÃO DELE NO BOLSO TIRAR O
DINHEIRO E DEVOLVER PRA NOIS... ELE QUER ESPERAR O DONO DA GARAGEM LA DAR
O DINHEIRO PRA ELE PRA ELE PODER DAR PRA NOIS...
ADONAI - MOÇO... ISSO AI UM TELEFONEMA RESOLVE... O DONO DA GARAGEM TBM
NAO É LOUCO DE PEGAR UM DINHEIRO QUE NAO É DELE... AGORA SE O CARA FICOU
COM O DINHEIRO ELE ACHA QUE É DELE... POR QUE ELE TA DEVEBDO O CARA...
JACKSON - EXATAMENTE ISSO Q EU PENSEI... E EU FALEI PRO GORDINHO...
GORDINHO... ENTRE A MINHA VIDA E A VIDA DO RICARDO E DO VAGABUNDO DO
ALEXANDRE... EU PRESERVO A MINHA...
ADONAI - NAO RESOLVEU NADA... O LUIZ TA ESPERANDO ESSE NEGOCIO PRA SEXTA
FEIRA... HJ JA É QUARTA... AMANHA VC VE O VALOR X QUE Q É.. E NA PARTE DA MANHA

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 62
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
JA VOU PEDIR ESSE NEGOCIO... SE POR VENTURA APARECER MAIS ALGUMA COISA
BEM... SENAO VAI COM ESSE MSM... NAO TEM COMO OPERAR ALGUMA COISA QUE NAO
VAI CAIR DO CEU...
JACKSON - EU TAVA PENSANDO EM TORAR O VECTRA PRA FAZER DINHEIRO... PRA
NOIS AUMENTAR ESSE DINHEIRO PRA DAR UMA ALIVIADA... SÓ QUE TEM O PROBLEMA
DO RECIBO DO CARRO QUE NAO SE RESOLVE DO DIA PRA NOITE... EU NEM PAGUEI O
DOCUMENTO DA MINHA CAMINHONETE PRA NAO USAR O DINHEIRO Q TA LA...
ADONAI - 2000 MIL A MAIS OU 2000 MIL A MENOS NAO VAI ALTERAR EM NADA...
JACKSON - MAS EU JA TIREI 19 MIL E POUCO HJ...
ADONAI - AMANHA VC VE CERTINHO O Q Q VAI FAZER... POR QUE TO VENDO QUE ESSE
NEGOCIO NAO VAI RESOLVER NAO...
JACKSON - RECEBER EU SEI Q NOIS VAMOS... MAS NAO VAI SER DE HJ PRA AMANHA
NAO... PODE PEGAR O NUMERO DAS CONTAS...
ADONAI - MAS EU PRECISO DO VALOR PRIMEIRO... POR QUE A CONTA VEM NO VALOR
CERTO...
JACKSON - EU VOU SAIR E VOU NO BANCO... AI LA EU TIRO O EXTRATO E TE FALO...

TRANSCRIÇÃO 381

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
29/04/20
6696141 29/04/2009 00:01:3 @FRANK X DARCIANA X
2185718285 0 9
966 18:22:13 0 ADONAI - LIBERAR
18:20:43

DIÁLOGO
...
ADONAI - VOU PRECISA DO SEU SERVIÇO AMANHA NA PARTE DA MANHÃ QDO VC
CHEGA AI VOU PRECISA DE UMA CONTINHA PRA MIM JA TÁ FINALIZANDO ISSO AI.... AI O
MEU CUNHADO TEM QUE FAZER UM PAGAMENTO AI AMANHA O QUE ELE PRECISA VC
PODE LIBERAR PRA ELE....
FRANK. BLZ PURA
ADONAI. TA FALADO ENTÃO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 63
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
No dia 02/05/2009, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA manteve contato com
JACKSON, que era para “subir lá de vez para esperar”. Depreende-se da análise policial,
encampada pelo Ministério Público Federal, que eles combinaram ir até a fazenda para
esperar o carregamento de cocaína adquirido. Essa interpretação é razoável,
considerando os diálogos que comprovaram a aquisição do entorpecente, acima
transcritos, os contatos com LUIZ, a entrega do dinheiro, os recibos de pagamento e o
preparo da fazenda. É reforçada ainda porque “lá” eles precisariam de uma antena, para
não ficar sem cobertura de comunicação. Também é reforçada a tese porque eles
precisavam de um veículo caminhonete com pneu específico para acessar o local
(Transcrição 394).

TRANSCRIÇÃO 394

TELEFONE NOME DO ALVO


6581369646 6581369646 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
02/05/200
6581369 02/05/2009 00:07:0 @ADONAI X JACKSON -
6696141966 9
646 10:37:10 3 CONVERSANDO
10:30:07

DIÁLOGO
ADONAI. ....VAMOS DEIXAR QUIETO....
JACKSON. CONCORDO.....
ADONAI. .....TAVA PENSANDO EM NOS SUBI E JÁ SUBI DE VEZ
JACKSON. PRA ESPERAR NÉ
ADONAI. É. ELE FALOU QUE NO MAXIMO NÃO PASSA DE QUARTA DE QUARTA P/
QUINTA FEIRA EU JÁ SUBI PRA AI NA SEGUNDA FEIRA JÁ FAZIA ALGUMA COISA QUE
TINHA QUE FAZER E QDO FOSSE NA TERÇA JÁ SUBIA AMANHIA QUARTA LÁ
JACKSON. HARA
ADONAI. FICA LÁ UNS DIAS, MAS NO CERTO MESMO E ESPERA ELE LIGA, LIGA E
CONFIRMA E AI NOS JÁ DESCE UM DIA JÁ CHEGA NÉ
JACKSON. JÁ RESOLVI TUDO NÉ
ADONAI. MAS NÃO VAI ESCAPAR DE SEGUNDA FEIRA IR FALAR C/ ESSE CARA
NÃO....HOJE É SABADO AINDA.....VAMO MEDI O NIVEL DE STRESS DELE (BINHO) NÃO TO
QUERENDO MEXER C/ ESSE TREM NO FIM DE SEMANA NÃO ....SEGUNDA FEIRA EU
PASSO LÁ E AI EU DIGO QUE NOS JÁ ESTAMOS INDO LÁ RESOLVE.....VC JÁ PODIA
PROCURAR AI UM TELEFONE CDMA COM AQUELA SAIDA LÁ PRA NOS NÃO FICAR SEM
COMUNICAÇÃO DE UMA VEZ
JACKSON. JÁ FUI DUAS VEZES NO MARCÃO PRA VÊ SE ARRUMAVA JÁ FUI NO
MARQUINHO DA AM CELULAR DISQUE TEM UM ARRUMANDO LÁ...
ADONAI. EU VOU PROCURAR AQUI TAMBÉM....
JACKSON. AI É MAIS FÁCIL DE VC ARRUMAR O TERMINAL DA ANTENA A AQUELE DA

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 64
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
LG.......AI TEM QUE COMPRAR UM O MANÉ FEZ O FAVOR DE QUEBRAR LÁ
ADONAI. O TERMINAL
JACKSON. É
ADONAI. EU COMPRO CELULAR E O TERMINAL PROPRIO P/ O QUE COMPRAR NÉ....
JACKSON. É.... AQUI NA PAULISTA TEM TUDO
ADONAI. SE EU ACHA AQUI EU COMPRO E VC VAI PROCURANDO AI TAMBÉM......
JACKSON. QUEM ACHA COMPRA. MAS SEGUNDA FEIRA AQUI NOS COMPRA NOS VAI EM
TODAS ESSAS LOJAS AQUI QUERO VÊ NOS NÃO ACHA....
ADONAI. TEM QUE ACHAR
JACKSON. FICA LÁ SEM COMUNICAÇÃO É RUIM DEMAIS....CONVERSOU C/ O MANÉ
ADONAI. ...NÃO SO TÁ COM FOFOCA....MAS ISSO AI É PRA NOS CONVERSAR
PESSOALMENTE...
JACKSON. .....VC VAI VIM DE CARRO
ADONAI. VOU NA CAMINHONETE
JACKSON. MANE VAI VIIM COM VC NÉ
ADONAI. VAI
JACKSON. AE VC TÁ DE CAMINHONETONA....
ADONAI. VOU DE CAMINHONETE SENÃO TIVER QUE LEVAR MUITA COISA NOS JÁ VAMO
NELA...
JACKSON. .....EU NÃO TO MUITO ANIMADO PRA COLOCAR MINHA PRETONA LÁ NÃO...
ADONAI. ....COM ESSA AQUI NÃO DÁ NADA NÃO NOS VAMO LÁ EM CAMPO VERDE E
ENTRA
JACKSON. NOS VAI NELA MESMO
ADONAI. TÁ FALANDO QUALQUER COISA NOS COLOCA O PNEU DA MINHA
JACKSON. SE FOR DE VAGAR NÃO DÁ NADA ....QUALQUER COISA NOS TEM A VERDE
TAMBÉM PRA PODE IR...
ADONAI. É POR FALTA DE CARRO NÃO É PROBLEMA
JACKSON. ...BLZ...QUALQUER NOVIDADE VC ME LIGA
ADONAI. FALO

No dia 07/05/2009, ADONAI recebeu a ligação de ALAOR, relatando que


tiveram um problema com o avião, pois havia sido assaltado, mas a entrega seria
realizada assim que as coisas se acalmassem (Transcrição 406).

TRANSCRIÇÃO 406

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
07/05/20
6696141 07/05/2009 00:02:2 @ADONAI X MARMOTA -
0 9
966 14:27:34 7 TA COM PROBLEMAS
14:25:07

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 65
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DIÁLOGO
ADONAI -
MARMOTA - O NEGOCIO AQUI TA TD PRONTO... SÓ QUE ACONTECEU UM NEGOCIO
AQUI... NAO SEI SE VC TA SABENDO...
ADONAI - NAO TO SABENDO
MARMOTA - SEU NEGOCIO É PRA IR DOMINGO AGORA... O RENATO JA TA LA NA
FAZENDA COM TD PRONTO PRA IR... SÓ QUE NAO TA PODENDO IR POR QUE
ACONTECEU UM AVIÃO DAQUI AI FOI ASSALTADO E MATARAM O PESSOAL E TÃO
PROCURANDO OS CORPOS...
ADONAI - LIGA DE OUTRO TELEFONE ENTAO...
MARMOTA - AI TA SEM DATA... O LUIZ FALOU PRA VC DAR UMA LIGADINHA PRO
RENATO QUE O RENATO TA NA ESTANCIA E VAI SABER QUANDO A POEIRA VAI
BAIXAR PRA PODER IR... E AQUELE NEGOCIO QUE VC PEDIU LEMBRA... EU COMPREI AS
DUAS E PREPAREI TD AQUI... SÓ QUE NAO TA PODENDO CARREGAR ESSE NEGOCIOS
AQUI... POR QUE TEM UM NEGOCIO DE TERRORISTA...
ADONAI - AI AI AI TEM ATE ISSO
MARMOTA - AI NO CAMINHÃO TBM NAO CABIA POR QUE TINHA OS NEGOCIOS DO
CABEÇA TBM E NAO CABIA... AI TA AQUI EM CASA... DA PROXIMA VEZ VAI OU QUANDO
FOR COM O XICO...
ADONAI - ELE É CHEIO DE MOAGEM
MARMOTA - COMPREI UMA 22 REMILTON E UMA 12 REMILTON... A DE FIBRA DE
CARBONO TBM NAO TINHA
ADONAI - EU FALO DEPOIS DE OUTRO TELEFONE QUE ESSE AQUI NAO TA MUITO
BOM...
MARMOTA - VC DA UMA LIGADINHA PRO RENATO...
ADONAI - ELE TA COM ELA LIGADO NA ANTENA... LA PEGA...

Tendo em vista o atraso, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto


“MULAMBO” e JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA” combinaram se
esconder por certo tempo, até que as coisas se acalmassem (Transcrição 407).

TRANSCRIÇÃO 407

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
07/05/200
6696141 07/05/2009 00:05:4 @JACKSON X ADONAI -
9
966 16:18:56 8 CONVERSANDO
16:13:08

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 66
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DIÁLOGO
JACKSON. ....E AI CADE VC
ADONAI. AH
JACKSON. TÁ NO BARRACO
ADONAI. TO NO CAIXOTE NÃO SAI PRA NADA HOJE
JACKSON. TIN FOI LÁ EM CASA CARA
ADONAI. ENTÃO O VITOR FALOU PRA MIM .... SUA MAE FALOU QUE VC ESTAVA
VIAJANDO
JACKSON. ..VAMOS ARRUMAR OUTRO RECURSO SENÃO VAMOS TOMA DE VERGONHA
AGORINHA
ADONAI. É VERDADE
JACKSON. VC CONSEGUIU FALAR C/ O POVO LÁ ?
ADONAI. MARMOTA LIGOU PRA MIM AQUI ...NÃO TEM BOA NOTÍCIA NÃO E FALOU PRA
MIM LIGA LÁ PRO LUIS PRA VÊ CERTINHO PORQUE PRA ESSE FINAL DE SEMANA NÃO
DÁ....
JACKSON. O PREÇO ?
ADONAI. NÃO...NÃO VAI TER COMO RESOLVER ESSE FINAL DE SEMANA
JACKSON. ESSA QUE É A NOTÍCIA RUIM
ADONAI. É. EU VOU ESPERAR DÁ MAIS UM TEMPO AGORA O SOL TÁ MUITO QUENTE
NÃO VAI ADIANTAR NADA NÃO MAIS TARDE VOU LIGA LÁ PRA ELE NOS DOIS JUNTO NÉ
ANOITINHA NOS DAMO UMA LIGADA LÁ
JACKSON. ENTÃO TÁ BOM VOU DÁ UM JEITO DE SUMIR AGORA ... PRA ELE VOLTAR LÁ
DE NOITE SÓ PASSAR DE BESTA POUCO CUSTA NÉ
ADONAI. É ESSA QUE É A REALIDADE E TROMBA VC ALI MAS O MAIS CERTO E O
SEGUINTE NA BOCA DA NOITE NOS LIGA LÁ .... E FALA QUE NOS VAMOS LÁ NA CIDADE
LIGAMOS E ESPERAMOS ATÉ HOJE QUE ERA ATÉ QUINTA HOJE NÉ ESPERAMOS ATÉ
HOJE E VAMOS VER C/ LUIS A DATA CERTINHO E FALA PRA ELE A VERDADE NÃO
RESOLVEU E VAI RESOLVER SÓ O DIA ........É O MAIS CERTO PRA TODO O EFEITO NOS
VAMOS LÁ E VOLTAMOS OU NOS VAMOS LÁ MESMO NOS COMPRA O QUE TEM QUE
COMPRAR E LEVA O MANÉ E DEIXA LÁ E VOLTA NO OUTRO DIA O CERTO E NOS IR LÁ
AMANHA PELO MENOS NOS JÁ APRENDE ESTA ESTRADA AQUI POR DENTRO NÃO É
NÃO.....
JACKSON. SE FOR PRA IR NO DIA E VOLTAR NO OUTRO DÁ ATÉ PRA LEVAR AS
MULHERADAS
ADONAI. É PORQUE NÃO VAI TER NADA MESMO O CERTO É FAZER ISSO A EXPEDIÇÃO
POR AQUI POR DENTRO APROVEITAR QUE ESSE CARRO TÁ AI VAMOS MARCAR E SÓ VC
NÃO SAI NOS SAI AMANHA BEM CEDINHO
JACKSON. VC NÃO VAI SAIR PRA RUA HOJE ?
ADONAI. NÃO EU TO NO CATIVEIRO ESSE MACACO ANDADO QUE NEM DOIDO E QUE
EU NÃO ATENDI O TELEFONE TAMBÉM E QUE ESSE TELEFONE DA VIVO ESTÁ
DESLIGADO SE ESSE TELEFONE DA VIVO ESTIVESSE LIGADO E TIVESSE FALANDO C/
ELE TAVA DE BOA....PRA RESOLVER ISSO AI E SÓ LIGA ESSE TELEFONE E DIZER QUE
ESTAMOS ESPERANDO ATÉ HOJE
JACKSON. TÁ UMA LIGADA PRA ELE ENTÃO CARA
ADONAI. MAIS ELE NÃO VAI PARAR DE ATORMENTAR NESTE TELEFONE MAS CERTO E
FALAR QUE FALTOU UM NEGOCIO NA ANTENA NOS VAMOS ATÉ NA CIDADE PRA VÊ
COMO É QUE TAVA .... O QUE TINHA DADO DE ERRADO PORQUE O TELEFONE LÁ NÃO
PEGAVA E JÁ APROVEITAMOS PRA VIM AQUI EM CUIABÁ PRA COMPRAR A PEÇA DA
ANTENA ..... E VAMOS CHEGA AQUI NO SABADO.....AI NOS FICAMOS PARADO
JACKSON. PODE SE TAMBÉM

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 67
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI. ELE FOI LÁ NA SUA CASA SUA MAE DISSE PRA ELE QUE VC TINHA VIAJANDO

JACKSON. MEU MEDO É TROMBAR C/ ESSE MACACO VAI FICAR FEIO DEMAIS PRA
NOSSA CARA
ADONAI. EU TO MOCADO
JACKSON. EU NÃO TENHO ONDE MOCA NÉ CARA ...... VAMOS EMBORA HOJE
ADONAI. NOS VAMOS PELA ESTRADA NOVA NOS VAMOS MEXER C/ ESTRADA A NOITE
JACKSON. NOS ACHA UMA POUSADA POR AI PRA PODE FICA
ADONAI. E TEM OUTRA QUESTÃO TAMBÉM DO DINHEIRO EU NÃO ACHEI O CABEÇÃO
CASIN JÁ FOI DUAS VEZES LÁ NA CASA DELE O TELEFONE DELE ESTÁ DESLIGADO E DO
BUCHO DESLIGADO E NÃO TEM DINHEIRO NÃO RESOLVEU O NEGOCIO DO CELTA PELO
MENOS PRA NOS TIRAR ALGUMA COISA
JACKSON. EU TO AQUI ESPERANDO....EU LIGO PRA VC QUALQUER COISA MAIS TARDE
ADONAI. TEM ESSE DETALHE TAMBÉM SE VC ARRUMA O DINHEIRO NOS JÁ VAZA HOJE
MESMO.....SAI DA VISTA AQUI TAMBÉM
JACKSON. EU TAMBÉM NÃO TENHO DINHEIRO NÃO ...... VOU VE O QUE EU FAÇO AQUI
VC NÃO TEM NADA DE DINHEIRO AI ?
ADONAI. TENHO ...... UNS 500, 600 REAIS .....
JACKSON. ISSO EU TENHO TAMBÉM
ADONAI. É O SUFICIENTE NÉ .... O CASIN TÁ AQUI TAMBÉM E VAI PRECISA PRA
COMPRAR O BANCO NA NEGOCIO VÉ O QUE VC CONSEGUI ARRUMA AI EU TO PRONTO
MINHA MALA TÁ PRONTA
JACKSON. QUALQUER COISA NOS JÁ PASSA O FINAL DE SEMANA POR LÁ MESMO
DEPENDENDO DO QUE NOS VAMOS CONVERSA C/ ESSE CARA ENTÃO TÁ BLZ
ADONAI. FALO ENTÃO

De se observar que “TIN” é o apelido de MÁRIO MÁRCIO NASCIMENTO


DOS SANTOS, epíteto “TIN” ou “NEGÃO” ou “JÃO” e “CASIN” é o apelido de ALENCAR
NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASIN”.

No dia 11/05/2009, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”


entrou em contato com ALAOR GOMES CORREA JÚNIOR, epíteto “MARMOTA” e
conversam sobre a remessa que LUIZ deveria entregar, mas que o primeiro
carregamento seria destinado ao corréu WAGNER RODRIGO DE AMORIM, epíteto
“CABEÇÃO”, porque ele pagou primeiro, mas com o dinheiro da própria organização,
revelando animosidade entre os integrantes da organização com WAGNER (Transcrição
412 e 413).

TRANSCRIÇÃO 412

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

TELEFO INTERLOCU D A T A / H DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME


NE TOR O R A RA FINAL ÃO O NTÁRIO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 68
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
INICIAL
11/05/20 11/05/200
6696141 00:03:5 @ADONAI X MARMOTA -
0 99
966 3 PRA AMANHA
13:45:26 13:49:19

DIÁLOGO
ADONAI - TAMO NO AGUARDO COMENDO POEIRA...
MARMOTA - SEU TRUTA TA DOIDO... LIGA AQUI TODO DIA... 3 A 4 VEZES POR DIA...
ADONAI - VOU LIGAR PRA ELE AGORA...
MARMOTA - DACU... DA UMA LIGADA PRA ELE AI... DISK O TIN JA FOI NA SUA CASA... EU
FALEI Q NAO SEI DE NADA NAO...
ADONAI - TEM VISTO O LUIZ NAO
MARMOTA - VI... HJ EU VI ELE...
ADONAI - O TELEFONE DELE TA DESLIGADO... LIGARAM PRA MIM DE OUTRO TELEFONE
DAI AQUI... 2426 O FINAL...
MARMOTA - ESSE É MEU
ADONAI - É OUTRO TELEFONE SEU...
MARMOTA - É POR Q ESSES TELEFONE VC TA LIGADO NEH... FICA FALANDO
PORCARIADA... EU LIGUEI DE OUTRO... EU CONVERSEI COM ELE HJ... DO SEU EU NAO
PERGUNTEI... MAS PREVISAO DO CABEÇA É DE AMANHA ... ELE FICOU DE ME
CONFIRMAR AGORA 3 HS DA TARDE... DISK NAO SEI QUEM TEM Q CONFIRMAR PRA
ELE... O POVO LA DO RENATO... E NA SEQUENCIA CREIO QUE VAI O SEU NEH...
ADONAI - AGORA POR QUE ELE VAI MANDAR O DO CABEÇÃO PRIMEIRO Q O MEU...
MARMOTA - NAO SEI... O CABEÇÃO DEU O DINHEIRO PRIMEIRO NEH...
ADONAI - NUNCA DEU O DINHEIRO PRIMEIRO... NOIS EMPRESTAMOS PRA ELE PAGAR A
CONTA DELE... EU EXPLIQUEI PRA ESSE FDP...
MARMOTA - ENTAO... MAS EU CREIO QUE OS DOIS VAI JUNTO...
ADONAI - MAS COMO Q ELE VAI MANDAR SE ELE NEM SABE ONDE Q É... PRA ONDE ELE
VAI MANDAR...
MARMOTA - O RENATO VAI LIGAR PRA PEGAR O ENDEREÇO
ADONAI - ISSO Q TAMO QUERENDO SABER POR QUE JA TEM QUATRO DIAS QUE
ESTAMOS AQUI...
MARMOTA - DIZ SUPOSTAMENTE QUE PRA AMANHA... ISSO ELE ME FALOU HJ DE
MANHA AS 9HS... AMANHA SUPOSTAMENTE...
ADONAI - NAO CONSIGO FALAR COM ESSE CARA... Q TELEFONE QUE VC FALA COM
ELE..
MARMOTA - LIGUEI NO TELEFONE DELE... E ELE VEIO... C LIGA NO TEL E NAO DA NADA
ADONAI - NAO... TA DESLIGADO O TELEFONE DELE...
MARMOTA - FICA COM SEU TELEFON LIGADO Q VOU DAR UMA LIGADA PRA ELE...
ADONAI - ABRE AQUELE EMAIL SEU LA QU EU VOU PASSAR UM NUMERO PRA VC... OU O
DA CLAUDIA... FALA PRA ELE LIGAR O TELEFONE QUE TO QUERENDO FALAR COM ELE
PRA SABER O Q Q EU VOU FAZER
MARMOTA - Q NUMERO VAI PASSAR
ADONAI - O DO ENDEREÇO...
MARMOTA - O SEU TELEFONE É O MSM NEH... 1926 NEH
ADONAI - NAO SEI ACHO Q É...

TRANSCRIÇÃO 413

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 69
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TELEFONE NOME DO ALVO
1127382452 1127382452 maranello

TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM


NE TOR A INICIAL RA FINAL ÃO O ENTÁRIO
11/05/200
1127382 11/05/2009 00:07:2 @BINHO X HNI-ADONAI -
9
452 15:01:43 2 TEM Q VIR CEDO...
15:09:05

DIÁLOGO
BINHO - TA DIFICIL FALAR COM VC NEH
ADONAI - TA DIFICIL MSM... ANTENA NAO PEGOU... EU VIM AQUI ANTI ONTEM... FIQUEI
QUASE 4HS DE RELOGIO AQUI... NAO COMPLETA LIGAÇÃO AI...
BINHO - EU VI QUE VC LIGOU... JABUTI TA ATRAZ DE MIM...
ADONAI - EU TO EM BARAO... É O UNICO LUGAR QUE TEM...
BINHO - E AI... Q Q RESOLVEU... NADA NEH?
ADONAI - NADA ATE AGORA... FIQUEI O FDS INTEIRO AQUI... AI HJ VIM AQUI E FALEI COM
ELE E ELE FALOU QUE AMANHA VAI RESOLVER... SÓ TAVA ESPERANDO UMA POSIÇÃO
DO RENATO MAS HJ ELE AINDA DAVA UMA POSIÇÃO 100%... QUE É PRA MIM PODER
ESPERAR LA... SE NAO VIR AMANHA NO HORARIO COMBINADO DE DEPOIS DE AMANHA
NAO PASSA... EU TO ESPERANDO... CABEÇÃO TA PRA PARIR UM FILHO... FALOU QUE
VAI FAZER OS DOIS JUNTOS...
BINHO - ESSE CARA DESSA VEZ VOU FALAR PRA VC...
ADONAI - ELE VAI TOMAR... ESSA RAIVA QUE ELE PASSOU NAO VAI FICAR DE GRAÇA
BINHO - EU TO SEGURANDO O NEGOCIO DE TODO JEITO... AGUENTANDO PRESSÃO DE
TODO LADO... VAI FAZER 60 DIAS...
ADONAI - EU FALEI PRA VC A HISTORIA QUE ELE INVENTOU... FUI NA CASA DO
CABEÇÃO E VI COM ELE NA INTERNET... A UMA SUSPEITA QUE CAIU UM TREM... VIRAM
UM NEGOCIO PEGANDO FUMAÇA... SABE A QUANTOS KM DA CAPITAL... 600...
BINHO - MAS É VERDADE... POR QUE ERA DO MENINO... EU SEI DE TODA A HISTORIA...
SÓ QUE NAO TEM NADA A VER
ADONAI - NAO... ESSE TREM CAI DIRETO... AGORA POR QUE CAIU VAMOS DEIXAR DE
TRABALHAR...
BINHO - E OUTRA COISA... QUANDO ACONTECEU ESSE PROBLEMA JA FAZ TEMPO QUE
ERA PRA GENTE RESOLVER NOSSO PROBLEMA...
ADONAI - SABE Q Q ACONTECEU... ELE RESOLVEU O NEGOCIO DO GORDÃO PRIMEIRO...
COMO SEMPRE ESSE DESGRAÇADO ATRASANDO NOSSA VIDA... ESSE CARA TEM Q
TIRAR ELE DO NOSSO CAMINHO... NO MINIMO ELE DEVE TER RESOLVIDO PRIMEIRO O
NEGOCIO DO GORDAO... E TAVA ESPERANDO CANTAR O DINHEIRO OU PELO MENOS
UMA PARTE PRA ELE PODER ADIANTAR O NOSSO... AQUELA CONVERSA BONITA DO
GORDAO DE QUE RESOLVE EM UMA SEMANA... EU CONVERSEI MAIS DE DUAS VEZES
COM O CARA E DIZ QUE TA PRONTO QUE TA PRONTO... AI QUANDO PEGA O DINHEIRO
NAO TA PRONTO MAIS... AMANHA C NAO NEGOÇAR EU VOU VIR DE NOVO NA CIDADE
QUE EU TENHO QUE COMPRAR COMIDA E ESSES TREM... E EU VIM SACAR UM
DINHEIRO E NAO TEM CAIXA ELETRONICO NESSE INFERNO DESSA CIDADE... SÓ NA
BOCA DO CAIXA E O CARTAO NAO TA NO MEU NOME EU NAO SACO... TENHO Q VIR

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 70
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DENOVO AMANHA... VOU DEIXCAR PRA VIR DEPOIS DO ALMOÇO E SE NAO RESOLVER
ATE DEPOIS DO ALMOÇO NAO VEM TBM... AI JA DOU UMA POSIÇÃO PRA VC... MAS EU
VOU LIGAR PRA ELE AGORA ANTES DE IR... E ELE CONFIRMOU QUE SÓ TAVA
PRECISANDO DO AVAL DO PRETO MAS TA CERTO PRA AMANHA...
BINHO - MAS ISSO ELE TA FALANDO SEMANA PASSADA TODOA... SEMANA RETRASADA
QUE SÓ TAVA DEPENDENDO DO PRETO...
ADONAI - VC PODIA DAR UMA LIGADINHA PRO RENATO...
BINHO - OUTRO DIA LIGUEI PRO RENATO... MAS PRA SABER DE VC... QUE PRECISAVA
FALAR COM VC... E JA COBREI ELE DO MEU DINHEIRO TBM...
ADONAI - PERGUNTEI COMO Q TAVA O NEGOCIO... AI ELE FALOU Q TA EMBASSADO....
AGORA LA TA COM SUSPEITA DE TERRORISMO... O POVO TA EXPLODINDO OS HOTEL...
BINHO - MAS TEM Q CHEGAR PRA ELE E DAR UMA IDEIA DO NEGOCIO COMO Q TA...
LIGA VC DIRETO PRA ELE AI
ADONAI - EU VOU LIGAR PRA ELE POR QUE O LUIZ FALOU QUE AGORA SÓ TA
DEPENDENDO DELE... NOIS JA TAMO ENTRE A CRUZ E A ESPADA...
BINHO - EU TAVA NO PONTO DE MANDAR OS OUTROS IR ATRAS DO LUIZ... SE EU NAO
CONSEGUISSE FALAR COM VC HJ EU IA MANDAR O BUGRE IR ATRAS DO LUIZ...
ADONAI - EU FALEI COM ELE E O NARMOTA DEU UMA PRESSÃO... ELE NAO TINHA
RESOLVIDO O PROBLEMA AI INVENTOU ESSA HISTORIA DE AVIÃO... ELE NAO VAI
MANDAR SÓ O DINHEIRO NOSSO ELE VAI MANDAR UM POUCO DELE TBM... AI ELE VAI
VER
BINHO - COM CERTEZA... PRA TIRAR ESSE RAIVA E O DINHEIRO PARADO ELE VAI TER Q
TOMAR...
ADONAI - TOMAR UM CHAPEUZINHO...
BINHO - COMBINOU DE 3 A 5 DIAS PAGAR A GENTE... E FICA COM ESSE HISTORIA AI...
ADONAI - AMANHA EU LIGO PRA VC DENOVO... TA LONGE DAQUI... QUASE 90KM...
BINHO - ENTAO TA BOM... Q HORAS VC FICA SABENDO AMANHA...?
ADONAI - SE VIR TEM Q VIR CEDO... SE NAO VIR CEDO VOU ALMOÇAR E VOU VIR PRA
CÁ... AI DE TRADE EU LIGO PRA VC... LIGO PRA ELE PRIMEIRO PRA VER O Q
ACONTECEU E LIGO PRA VC...

Dois dias depois (13/05/2009), ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto


“MULAMBO” entrou em contato com o piloto RENATO, ocasião em que recebeu de
RENATO a informação que já estava tudo pronto. Na sequência, ADONAI entra em
contato com ALAOR GOMES CORREA JÚNIOR, epíteto “MARMOTA”, reclamando que
RENATO e LUIZ estavam enrolando muito e que já tinha notícias que estavam buscando
outro fornecedor, identificado como CHICO. Novamente, o acusado ADONAI contatou o
piloto RENATO, para dizer que a entrega do WAGNER seria feita por CHICO
(Transcrição 420, 421 e 422).

TRANSCRIÇÃO 420

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 71
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
NE TOR A INICIAL RA FINAL ÃO O ENTÁRIO
13/05/200
6696141 13/05/2009 00:05:3 @ADONAI X RENATO -
9
966 11:10:53 4 QUANDO VEM?
11:16:27

DIÁLOGO
ADONAI - RESOLVERAM AS COISAS
RENATO - TO TENTANDO
ADONAI - POR Q VC NAO FALA Q TA TD RESOLVIDO JA...
RENATO - MAS TA TD CERTO... TA TD NA FAZENDA PRONTO... TO ME ARRUMANDO JA
PRA IR...
ADONAI - EU FALEI COM LUIZ HJ...
RENATO - AI TENTEI ARRUMAR COM O SEU CHICO... MAS SEU CHICO TAVA OCUPADO...
ELE FALOU PASSAR O DIA... AI VOU AGUARDANDOA TE O DIA... NAO VOU FALAR Q
AMANHA VAI OU NAO VAI... AI SEU CUNHADO LIGOU PRO OUTRO FALOU Q O OUTRO
TINHA IDO E COMO Q NAO TINHA NINGUEM PRA IR E EU FALEI Q O NEGOCIO NAO É...
TEM Q ESPERAR VAGA NEH... COMO Q EU VOU OCOPAR A VAGA DO OUTRO...
ADONAI - O MENINO PEDIU PRA FALAR COM VC Q ATE QUINTA OU SEXTA TA
RESOLVENDO O DO CABEÇÃO E FIANLD E SEMANA RESOLVE O NOSSO... É ISSO
MSM...
RENATO - NAO NAO... EU JA TINHA FEITO ESSE NEGOCIO COM O MENINO AQUI PRA
FAZER O CONTRATO DOS DOIS NEH... TERMINA UM E COMEÇA O OUTRO...
ADONAI - SÓ CHEGA E JA VOLTA NO OUTRO DIA...
RENATO - ENTAO... TO TENTANDO FAZER O CONTRATO... AI SEU CUNHADO JA ENTROU
NO MEIO E FALOU NAO SEI O Q LA... EU FALEI FAZ O SEGUNITE COMPANHEIRO... EU SEI
COMO AS COISAS ANDA... VOU LEVAR O NUMERO PRA VC E VC SE VIRA COM ELE... VC
SABE MAIS Q EU... ENTAO TO LARGANDO MAO DISSO AI...
ADONAI - O JUNIOR NAO TEM COMO SER RESPONSAVEL POR ISSO AI PRETO...
RENATO - MAS ELE... LIGA PRA MIM RECLAMANDO TODA HORA DO TREM...
PERGUNTANDO COMO Q É... FALEI CARA ESPERA O DOS OUTROS PRA ABRIR VAGA
NEH... NAO POSSO FALO PRO OUTRO Q TA INDO... TEM Q ESPERAR O OUTRO
RESOLVER O COMPROMISSO DELE... JA TO LA TRANQUILO...
ADONAI - E O Q VC FALA DE CONCRETO...
RENATO - NAO... ELE LIGOU PRA MIM FALANDO Q O JUNIRO TBM... Q É OUTRA COISA...
AI EU FALEI PRO CHICO FAZ COM ELE Q EU NAO SEI DE NADA... PASSO A NUMERAÇÃO...
AI O GRANDÃO AI LIGAR PRA MIM DAQUI A POUCO...
ADONAI - MAS É VC Q TEM Q CUIDAR DISSO AI...
RENATO - E VC PRA ONDE... NO MSM LUGAR DO MENINO
ADONAI - NAO FOI PASSADO PRA VC A NUMERAÇÃO...
RENATO - NAO... MANDA MSG AI...
ADONAI - MAS NAO FOI PASSADO... O JUNIOR TEM... ISSO AI EU PASSEI PRA ELE FAZ
DIAS... UMA SEMANA... É PERTINHO... DO LADO...
RENATO - É ALI MSM
ADONAI - É ALI MSM... NAO DA 10KM DE DISTANCIA UM DO OUTRO... VOU FALAR PRA
ELE PODER LIGAR PRA VC... E VER ISSO AI... MAS NAO DA CONVERSA PRA ESSE CARA
Q ELE NAO SABE COISA NENHUMA... NUNCA RESOLVEU NADA E AGORA QUER TOMAR A
FRENTE DAS COISAS...
RENATO - ENTAO VC FALA COM ELE... POR Q O CABEÇÃO LIGA PRA ELE E ELE FICA

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 72
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
QUERENDO TOMAR JEITO DAS COISAS...
ADONAI - ELE QUER SE SENTIR UTIL... MAS ELE NAO CONHECE NINGUEM NAO SABE
FAZER NADA... VC MEXE COM ISSO A VIDA TODA...
RENATO - ENTAO FALA AI POR Q DESSE JEITO NAO DA NAO... AI VC MANDA O NUMERO
PRA MIM LIGAR PRA VC... AI VC PEDE PRA ELE NETREGAR O NUMERO.... QUANDO ELE
ENTREGAR A RELAÇÃO MANDA O NUMERO... VC COLOCOU TELEFONE LA...
ADONAI - COLOCAMOS... VC FALA O DIA Q EU JA DEÇO... POR Q TEM Q SAIR DE MANHA
PRA CHEGAR LA... AI EU PASSO O NUMERO PRA VC...

TRANSCRIÇÃO 421

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
13/05/200
6696141 13/05/2009 00:05:3 @ADONAI X MARMOTA -
9
966 11:24:23 2 RESOLVENDO...
11:18:51

DIÁLOGO
ADONAI - FALEI COM O PESSOAL AGORA E ELE FALOU Q DE AMANHA PRA DEPOIS TA
RESOLVENDO A DO CABEÇÃO...
MARMOTA - E A SUA PRA DOMINGO NEH
ADONAI - ELE FALOU SABADO... MAIS TARDAR DOMINGO... SÓ Q EU LIGUEI PRO
RENATO E ELE FALOU LIGA PRO PRETINHO Q ELE VAI EXPLICAR PRA VC CERTINHO...
DISK TEVE UM CONTRATEMPO MAS ELE DISK TAVA MAIS OU MENOS ACERTANDO AS
COISA E VC ENTROU PELO MEIO E FOI LA FALAR DIRETAMENTE COM O CARA...
MARMOTA - O NEGOCIO FOI O SEGUINTE... O CABEÇA LIGOU PRA MIM E FALOU Q O
RENATO TA INDO FALAR COM O CHICO... PRA VC ACOMPOANHAR A HISTORIA... AI EU
LIGEUI PRO CHICO PRA SABER SE ELE TAVA NA CASA DELE PRA SABER ONDE EU IA...
CHCIO FALOU Q TA NA RUA... ONDE VC TA... EU TO EM TAL LUGAR... 15 MIN TO
ENCOSTANDO AI... AI DISK O RENATO JA TINHA FALADO COM ELE E O RENATO VEIO
COM A HISTORIA DE QUE O CHICO NAO QUERIA FAZER PRO CABEÇA POR Q O CABEÇA
TAVA DEVENDO PRO CHICO... ESSA HSITORIA Q ELE CONTOU PRO CABEÇA... AI EU FUI
AVERIGUAR REALMENTE PRA VER SE ERA ISSO... AI TINHA LIGADO PRO LUIZ E FALAO
COM LUIZ... FALEI AMIGO SE EU ARRUMAR A PESSOA VC VAI ACERTAR OU NAO... E ELE
FALOU PODE ARRUMAR SE VC CONSEGUE ARRUMAR... E CHICO FALOU NAO... C VC
QUIZER FAZER HJ VAMOS FAZER HJ... ONTEM ELE FEZ UMA BERANDO A CIDADE
GRANDE AI... NAO TEM NADA DISSO NAO... É TUDO ENRROLAÇÃO DO LUIZ E DO
RENATO... AI JA DISCUTI COM O REANTO PELO TELEFONE QUE O RENATO VEIO FALAR
ENTAO VOU TE DAR AS DIREÇÃO... E EU FALEI Q NAO TENHO NADA COM VC NAO... EU
TENHO COM MEU PATAO... VC GANHA PRA ISSO... E O NEGOCIO QUEM RESOLVE PRO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 73
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
GORDÃO, PRO CABEÇA SOU EU... E TEM Q ME DAR UMA SATISFAÇÃO QUE EU TENHO
Q SABER SE VAI OU SE NAO VAI... OU ENTAO VAMOS DAR UM JEITO DE DEVOLVER
ESSE DINHEIRO AI... DEVOLVE O DINHEIRO E FICA TD CERTO... NAO PRECISA DE NOIS
BRIGAR POR CAUSA DISSO... JA DEI UM ESPORRO NELE... JA FALEI PRO LUIZ Q NAO
QUERO TRATAR NADA COM O RENATO NAO... TEM É Q TRATAR COM ELE...
ADONAI - ELE FALOU ISSO PRA MIM TBM... MAS O CHICO FALOU Q TA CERTO NEH... PRA
ELE NAO TEM PROBLEMA...
MARMOTA - NAO TEM PROBLEMA NENHUM... PRA QUANDO PRECISAR... É SÓ PAGAR...
ADONAI - AI POR Q ELES TAO PRECISANDO ATE O FINAL DE SEMANA... PRA Q ISSO
MARMOTA - É ENRROLAÇÃO... POR ISSO Q EU DEI UM ESPORRO NO RENATO... RENATO
VEIO LIGAR AQUI E ME CHAMAR MINHA ATENÇÃO... EU FALEI NAO CARA... VC TA
CONFUNDINDO AS COISAS... EU TENHO A VER COM SEU PATRÃO... NAO TENHO NADA A
VER COM VC NAO... VC SIMPLESMENTE TRABALHA COM ELE... VC SIMPLESMENTE VAI
ACONPANHAR O NEGOCIO PRA SAIR REDONDO... SIMPLESMENTE É MARCAR EU COM
SEU PATRÃO E O CARA AQUI Q É DONO DO NEGOCIO E COMBINAR...
ADONAI - ATE POR Q QUEM TEM A ACERTAR ISSO AI... É IRRELEVANTE O CABEÇÃO TA
DEVENDO OU NAO...
MARMOTA - E JA DEI UM ESPORRO NELE... FALEI JA LARGA DE CONVERSA FIADA... POR
Q QUEM DEVE O CABEÇÃO É O CHICO... CABEÇÃO NAO DEVE NADA PRO CABEÇÃO
NAO...
ADONAI - E TBM NAO TEM NADA A VER POR Q QUEM VAI PAGAR É O LUIZ...
MARMOTA - NAO TEM NADA A VER... LARGA DE CONVERSA FIADA... ESSA Q FOI A
HISTORIA QUE ELE FOI CONTAR PRO CABEÇÃO... QUE O CHICO NAO QUERI FAZER POR
Q O CABEÇÃO TAVA DEVENDO PRA ELE...
ADONAI - SENDO Q É O CONTRARIO NEH...
MARMOTA - É O CONTRARIO... LARGA DE CONVERSA FIADA... E NAO TENHO NADA A
VER COM VC NAO... TENHO A VER COM O SEU PATRÃO...
ADONAI - SE ESSE PESSOAL NAO RESOLVER ESSE NEGOCIO ESSA SEMANA NOIS
VAMOS TER Q ARRUMAR UMA CARAVANA E SUBIR AI... POR Q TA ENRROLADO DEMAIS
ISSO AI... TA EMPURRABNDO COM A BARRIGA...
MARMOTA - AI DEPOIS DESSA CONVERSA O LUIZ LIGOU PRA MIM E FALOU Q TA CERTO
PRA AMANHA O NEGOCIO DO CABEÇÃO... ME LIGOU AGORINHA... DEPOIS DESS
APRESSÃOZINHA
ADONAI - EU QUERO Q VC PASSE O NUMERO DO TELEFONE MEU PRO RENATO... QUE
ELE VAI FALAR PRA MIM O DIA CERTINHO E ESSA NUMERAÇÃO MINHA PRA ELE...
MARMOTA - ESSA DIREÇÃO NEH
ADONAI - ESSA DIREÇÃO MINHA PRA ELE...
MARMOTA - ESSA É DIREÇÃO NEH...
ADONAI - ESSA DIREÇÃO MINHA PRA ELE... POR Q PRA MIM PASSAR POR AQUI FICA
RUIM... POR Q ELE FALOU QUE PROTOCOLA O DOCUMENTO DO CABEÇÃO MUM DIA E O
MEU NO OUTRO... VAI FAZER TD JUNTO NA SEQUENCIA...
MARMOTA - O CERTO É ESSE NEH... ELES TAO CORRENDO POR OUTRO LADO PRA
DEPOIS RESOLVER ESSA SITUAÇÃO...
ADONAI - SABE COM QUEM Q ELE TA... Q EU GANHEI O NOME... ELE FALOU NAO QUE EU
TO CONVERSANDO COM O PRETO... AI EU PEGUEI O TELEFONE E DEIXA EU FALAR COM
ELE AI... O CARA SE PASSANDO PELO RENATO... MAS SABE QUEM É O CARA... AQUELE
VELHO SOCIO DO FELIPE... AQUELE VELHO BRANCO...

TRANSCRIÇÃO 422

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 74
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TELEFONE NOME DO ALVO
6696141966 6696141966 maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
13/05/200
6696141 13/05/2009 00:02:3 @ADONAI X MARMOTA -
9
966 11:27:09 6 RESOLVIDO...
11:24:33

DIÁLOGO
ADONAI - LEMBRA DO VELHO BRANCO DA PAJEIRO...
MARMOTA - LEMBRO DELE O QUE TINHA A MERCEDES EMPACADA...
ADONAI - EU TENHO CTZ QUE CONHECIA O SOTAQUE DELE DE PAULISTA...
MARMOTA - A VOZ DO RENATO É INCONFUNDIVEL...
ADONAI - RENATO NAO FALA PORTUGUES NEM ESPANHOU
MARMOTA - E É UMA VOZ FINA NEH... UMA VOZ DE BICHA...
ADONAI - VOZ DE VIADO... EU FALEI QUEM Q TA FALANDO... AI ELE FICOU SEM
GRACINHA E DEU UMA RISADINHA... EU JA FALEI COM VC AMIGO E VC NAO TA
LEMBRADO... EU ACHEI Q O PRETO Q TA FALANDO... AGORA VC TA FALANDO COMIGO
SE PASSANDO POR OUTRA PESSOA... AI EU PERGUNTEI PRO LUIZ QUEM Q TA FALANDO
É O VELHO ZE... AI ELE FICOU ASSIM PRO CARA NAO OUVIR E FALOU É... ISSO MSM TA
TD CERTO... AGORA NAO SEI POR Q ELE FALOU Q NAO IA MAIS MEXER COM ESSE
POVO...
MARMOTA - É UM MENTIROSO... SÓ TEM ESSA CONVRSA BONITA...
ADONAI - MAS TA BOM... SE TA NESSA POSIÇÃO TA BOM... AMANHA VOU PEGAR A
DARCIANA E ARRUMAR UNS NEGOCIO E VOU PASSAR O NUMERO PRA VC DO
TELEFONE DE LA... NO SEU EMAIL DO TELEFONE Q FICA LA NO CAMPO...
MARMOTA - EU VOU CRIAR OUTRO EMAIL HJ... POR Q O CABEÇÃO PEDIU PRA MIM... E
LIGA PRA MIM DO ORELHAO PRA MIM PASSAR NO EMAIL NOVO... POR Q ESSES EMAIL
É TD CONTROLADO...
ADONAI - AI FICOU DESSE JEITO NEH... FICOU RESOLVIDO... O CHICO TA PRONTO PRA
MEXER...
MARMOTA - É FICOU DESSE JEITO... DEPOIS Q SURGIU ESSA CONVERSA MINHA Q EU
CHAMEI O CHICO E CONVERSEI Q FALEI PRO LUIZ Q ELE NAO TINHA NINGUEM Q FAZIA
... A CONVERSA DELE É Q NINGUEM QUERIA FAZER...
ADONAI - VC ARRUMOU PRA PODER FAZER...
MARMOTA - AI EU FALEI ENTAO VOU ARRUMAR UM ENTAO... VAMOS FAZER ESSE TREM
PRA AMANHA... C TEM O DINHEIRO PRA PAGAR O CARA... E ELE FALOU PODE ARRUMAR
Q EU PAGO... AI CHAMEI O CHICO E CONVERSEI E ELE FALOU Q SE QUIZER ATE PRA HJ
DEPOIS DO ALMOÇO NOIS FAZIA...
ADONAI - AI PRA VC VER... TA RESOLVIO...
MARMOTA - ELE FALOU Q ONTEM ELE FEZ UM PRA AQUELE LADO ALI... AI VC ARRUMA
UM TELEFONE PRA PASSAR O EMAIL...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 75
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
No dia 20/05/2009, foi captada uma ligação em que EDÉSIO RIBEIRO NETO,
epíteto “BINHO” informou ALAOR GOMES CORREA JÚNIOR, epíteto “MARMOTA”que o
piloto não tinha conseguido pousar na fazenda porque os policiais estavam na região e
tiveram que pousar em outra área, inclusive que ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA,
epíteto “MULAMBO” tinha fugido e já estava escondido (Transcrição 435).

TRANSCRIÇÃO 435

TELEFONE NOME DO ALVO


1127382452 1127382452 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HORA DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
20/05/20
1127382 59177648570 2 0 / 0 5 / 2 0 0 9 00:03:1 @BINHO X MARMOTA -
0 9
452 10:21:30 2 DEU PROBLEMA
10:18:18

DIÁLOGO
MARMOTA - FALEI LA E PARECE Q TA TENDO UM PROBLEMA LA... Q A ESTANCIA DE VCS
TAVA SENDO MONITORADA... E AI GRAÇAS A DEUS Q NAO BAIXOU LA... E NA OUTRA
TAO REVIRANDO LA... PROCURANDO...
BINHO - QUEM FALOU ISSO COM VC..
MARMOTA - FALEI COM O CABEÇA...
BINHO - E OS OUTROS DOIS
MARMOTA - O MULAMBO PARECE Q TA MOCADO... MAS TA TD NORMAL... CHEGOU
BEM... TA TD GUARDADO JA... SÓ TA TENDO UNS PROBLEMINHAS... É ESSE TELEFONE
DE VCS...
BINHO - MEU NAO... POR Q O MEU EU NAO FALO COM ELES NAO... É O PRETO... PRETO
Q É PEITUDO...
MARMOTA - FICAR FALANDO DIRETO... O MAXIMO UMA SEMANA TEM Q TROCAR...
BINHO - EU VOU COMPRAR AQUELE Q TE FALEI...
MARMOTA - ESSE AI É SEM PROBLEMA...
BINHO - AQUELE Q TE FALEI... É Q VAI SER O JEITO... NAO TEM OUTRA POSIÇÃO NAO...
MARMOTA - AI POR ISSO Q O TELEFONE DO MULAMBO NAO ATENDE... ELE TA MOCADO
POR LA MSM... NO MATO... MOCADO PELO MATO...
BINHO - E COMO Q DESCOBRIRAM ISSO AI...
MARMOTA - O DIA Q ELE LIGOU E FALOU Q NAO DAVA PRA DESCER POR CAUSA DA
CHUVA ERA POR Q ELE VIU O POVO CUIDANDO... AI FOI PRA OUTRA E O POVO FOI PRA
LA... SORTE QUE NAO PEGOU O TRATOR E NEM OPOVO DAQUI.. E EU NAO SEI COMO Q
TA PRA LA... DIZ O CABEÇA Q TAO REVIRANDO TD... TEM ATE HELICOPTERO...
BINHO - MAS VC ACHA Q VAO CONSEGUIR PEGAR ALGUMA COISA...
MARMOTA - ACHO Q NAO... POR Q O CABEÇA GUARDOU BEM GRARDADO... MAIS TARDE
O CABEÇA VAI LIGAR PRA MIM PRA VER COMO Q TA...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 76
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
BINHO - TA BOM...

Na sequência, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”


após a fuga, vai até Campo Verde/MT e liga para seu irmão ALENCAR NOVAES DE
OLIVEIRA, epíteto “CASSIN” para buscá-lo (Transcrição 272).

TRANSCRIÇÃO 272

TELEFONE NOME DO ALVO


6681323768 6681323768 - Maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
20/05/200 @CASIN X ADONAI -
6681323 20/05/2009 00:01:1
9 PEGAR NOIS NO
768 15:17:09 9
15:15:50 JUVENIL

DIÁLOGO
ADONAI - TA COM CARRO AI... PRA VIR PEGAR NOIS NO JUVENIL... NO TIO DO BATATA...
CASIN - A DOBLO...
ADONAI - SE ACHA Q NAO DA NADA PASSAR ALI COM O DOCUMENTO RUIM
CASIN - DA NADA...
ADONAI - VEM NA CASA DELE...
CASIN - NO CLUBE NEH...
ADONAI - É NO CLUBE...

No dia em que a droga foi apreendida na fazenda Sete Irmãos, (20/06/2009),


ADONAI informou WAGNER sobre o que estava acontecendo na fazenda e que um dos
trabalhadores havia feito um acordo com a polícia e entrado no programa de proteção à
testemunha (Transcrição 493).

TRANSCRIÇÃO 493

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 77
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TELEFONE NOME DO ALVO
6599460353 6599460353 maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
20/06/200
6599460 20/06/2009 00:01:0 @WAGNER X ADONAI -
6791119984 9
353 12:01:35 8 DEU MERDA
12:00:27

DIÁLOGO
ADONAI - Q FOI Q O DR TENTOU LIGAR AQUI PRA MIM
WAGNER - DEU MERDA... UM DOS MENINOS Q TAVA PRESO ENTROU NO SISTEMA DE
PROTELÇÃO A TESTEMUNHA E DEU MERDA... TA TD MUNDO NA FAZEDNA LA... TEM
UNS 30 HOMENS LA... TO DANDO LINHA...

Ademais, a prova decorrente das interceptações telefônicas foi corroborada


pelo depoimento em delação premiada do colaborar ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS,
epíteto “MARQUINHOS”, que trabalhava na fazenda Sete Irmãos, declarou que ADONAI
NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” já estava na fazenda no dia em que o
avião aterrissou com a droga, acompanhado por WAGNER RODRIGO DE AMORIM,
epíteto “CABEÇÃO”, ROBERTO CARLOS PEREIRA, epíteto “BETO”, MARCELO DA
SILVA PEREIRA, epíteto “MENTIRINHA”, HELDER PEREIRA DINIZ e JACKSON LUIZ
COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”, inclusive foi o próprio ADONAI que conversou
com os bolivianos quando aterrissou o avião.

A seguir, transcrevo trecho do depoimento prestado por ANTÔNIO MARTINS


DE ASSIS (fls. 17/24 da Colaboração Premiada, autos n° 2009.36.00.010290-9):

“(...) QUE, na oportunidade em achava na fazenda juntamente com a pessoa


de EDILSON, sendo que por volta das 07:00 horas da manhã, chegaram na
mesma as pessoas de WAGNER (cabeça), ROBERTO (Beto), MARCELO,
HELDER, ADONAI, JACKSON e MANOEL (Mané), os quais estavam
ocupando uma SW4, de cor verde escuro, placas que não se recorda, bem
como é de conhecimento que uma outra camionete L200, de cor mais clara
que a SW4, ficou na localidade de MIMOSO, sendo que ali estavam as
pessoas de ADAUTO (daltinho), um outro WAGNER e RUBENS (também
apelidado de cabeção, sendo este veterinário); QUE, é de conhecimento que
este três ficaram em MIMOSO para verificar movimentação de polícia na

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 78
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
localidade, pois se assim vissem, imediatamente entravam em contato
telefônico com a fazenda e todos evadiriam-se do local; QUE, por volta das
10:30/11:00 horas, perceberam no céu um avião, onde pensaram tratar-se do
avião que iria descarregar a droga, sendo que imediatamente MARCELO e
HELDER adentraram a camionete Hilux de cor azul, que estava na fazenda, e
foram para a cabeceira da pista para abrir a lona, demonstrando indicativo ao
piloto do avião para descer na pista, pois a lona já estava na cabeceira da
pista, porém sem estar aberta, sendo esta lona plástica de cor amarela; QUE,
o referido avião foi embora e perceberam não se tratar do mesmo; QUE, por
volta das 12:00 horas, veio outro avião, de cor branco e vermelho, cujo
prefixo não se recorda, onde então este sim veio a pousar na pista da
fazenda; QUE, imediatamente foi retirado a carga do avião, onde o
pessoal comentava que seria em torno de 430 (quatrocentos e trinta)
quilos, sendo que estes achavam-se em torno de 13 sacos plásticos
transparentes, sendo que dentro destes sacos haviam vários “tijolos”
de cocaína, ou seja, em barra; QUE, abasteceram o avião ali mesmo na
pista, onde este após a operação, imediatamente veio a decolar indo embora,
sendo que o tempo de demora entre o pouso e decolagem, virou em torno de
30 (trinta) minutos; QUE, no avião haviam duas pessoas, sendo ambos
bolivianos, os quais não conversaram muito, sendo que a operação é
rápida, ou seja abriram a porta do avião e diziam para irem tirando os
pacotes de dentro, ao passo que outros eram para abastecer o avião;
QUE, estes dois bolivianos, mais conversaram com a pessoa de
ADONAI; QUE, perguntado esclarece que não conhecia as pessoas de
ADONAI, JACKSON e MANOEL, vindo a conhece-los naquela ocasião; (...)”
[grifei]

A defesa do acusado ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto


“MULAMBO”, em alegações finais (ID. Num. 296009889 - Pág. 13-31), sustentou que
não há materialidade delitiva, porque as interceptações telefônicas não possuem o
condão de comprovar a materialidade, pois consubstanciam meros indícios da existência
de um crime.

Não obstante o quanto alegado, as interceptações telefônicas não foram


utilizadas para a prova da materialidade delitiva. Com efeito, a prova da materialidade
delitiva do crime de tráfico internacional de substância entorpecente foi construída a partir
do Auto circunstanciado e Termo de Exibição (fls. 286/288 do IPL) e pelo Laudo n. 03-01-
002980/2009, elaborado pelo setor de perícia da Secretaria de Justiça e Segurança
Pública do Estado de Mato Grosso, que atesta que os 376 tabletes encontrados na
Fazenda Sete Irmãos, pesando algo em torno de 383,85 Kg, acondicionavam substância
psicotrópica identificada como cocaína (fls. 292/296 do IPL).

Aduziu também a defesa que não há provas de autoria delitiva.

Contudo, a autoria delitiva foi comprovada pelas interceptações telefônicas,


bem como pela delação premiada do colaborador ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS,

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 79
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
epíteto “MARQUINHOS”, que trabalhava na fazenda Sete Irmãos e declarou que ADONAI
já estava na fazenda no dia em que o avião aterrissou com a droga, acompanhado por
WAGNER, ROBERTO, MARCELO PEREIRA, HELDER e JACKSON, inclusive foi o
próprio ADONAI que conversou com os bolivianos quando aterrissou o avião (fls. 17/24
da Colaboração Premiada, autos n° 2009.36.00.010290-9).

Ao atuar desde o levantamento do dinheiro para adquirir o carregamento do


entorpecente, participar das reuniões na Bolívia com o fornecedor da cocaína,
acompanhar a entrega do dinheiro ao fornecedor da droga, contatar o piloto do avião,
retornar para a fazenda Sete Irmãos para recepcionar e coordenar o descarregamento de
383,85kg de cocaína apreendida no dia 20/06/2009 na referida fazenda, o réu ADONAI
NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”.

4.1.2. ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA epíteto “CASSIN”

O MPF imputou ao acusado ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto


“CASSIN” a prática do crime previsto no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos
da Lei 11.343/2006, por ter desempenhado relevante função no levantamento do dinheiro
e transferência dos recursos para a aquisição do carregamento de 383,85kg de cocaína
da Bolívia.

A prova da participação do réu ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto


“CASSIN”, irmão do corréu ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”, pode
ser inferida a partir das interceptações telefônicas, notadamente pelos diálogos
interceptados.

Com efeito, no dia 18/03/2009, foi interceptado uma ligação em que o


acusado ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN” ligou para EDÉSIO
RIBEIRO NETO, epíteto “BINHO” para tratar a respeito da conta para depósito
(Transcrição 180 e 183).

TRANSCRIÇÃO 180

TELEFONE NOME DO ALVO


1178713237 1178713237 - MARANELLO

TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/CO


NE TOR A INICIAL A FINAL ÃO O MENTÁRIO
1178713 18/03/2009 18/03/2009 00:00:5 @CASSIN X BINHO - A
237 11:36:41 11:37:31 0 RESPEITO DA CONTA

DIÁLOGO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 80
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
CASSIM - MULAMBO PEDIU PRA LIGAR PRO SR.. A RESPEITO DA CONTA...
BINHO - CADE ELE?
CASSIM - ELE FOI ALI... E DEIXOU EU PRA FALAR COM O SR.
BINHO - MAIS TARDE EU LIGO DUM OUTRO TELEFONE... AI JA PEGO COM VC... EU LIGO
NESSE TELEFONE SEU AI...

TRANSCRIÇÃO 183

TELEFONE NOME DO ALVO


6581169349 6581169349 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ Á U D I INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
18/03/20
6581169 18/03/2009 00:01:3 @ADONAI X BINHO -
1178713237 0 9
349 20:35:20 9 SAIU DA FAZENDA
20:33:41

DIÁLOGO
ADONAI - ACORDEI HJ 5:30... TO CHEGANDO AGORA... TO ARRUMANDO AS COISAS
AQUI... TAVA LA NA CHACARA...
BINHO - FALEI COM SEU IRMAO HJ...
ADONAI - EU PEDI PRA ELE FAZER ESSA PONTE AI..
BINHO - EU PEDI PRA ELE OS NUMEROS E ATE AGORA ELE NAO ME PASSOU...
ADONAI - AMANHA EU RESOLVO ISSO AI ENTAO... VAMOS ADIANTAR ISSO AI... O
MENINO JA TA ESPERANDO NOIS LA...
BINHO - VAMOS... E PRECISAVA FALAR UM NEGCIO COM VC... SÓ QUE TEM QUE SER DE
ORELHAO...
ADONAI - VOU VER SE ENCONTRO UM AQUI... PAREI EM CAMPO VERDE PRA COMER UM
ESPERO...
BINHO - SE VC QUIZER ME LIGAR DAQUI UMA HORA E POUCO EU JA TO SAINDO DA
QUEBRADA ONDE EU TO E TO INDO PRA CASA... DAQUI UMA HORA E POUCO VC ME
LIGA E AGENTE TROCA UM IDEIA...
ADONAI - COISA BOA OU RUIM...
BINHO - É BOA... É TRAMPO...

Nesse mesmo dia (18/03/2009), ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto


“CASSIN” entrou em contato com EDÉSIO RIBEIRO NETO, epíteto “BINHO”sobre a

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 81
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
conta para depósito (Transcrições 184 e 185).

TRANSCRIÇÃO 184

TELEFONE NOME DO ALVO


1178713237 1178713237 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇ INTERLOCUTORES/COM
R A ÁUDIO
NE TOR RA FINAL ÃO ENTÁRIO
INICIAL
18/03/200 18/03/200
1178713 00:00:5 @BINHO x CASSIN -
9 9
237 3 FALEI COM SEU IRMAO
20:43:42 20:44:35

DIÁLOGO
CASSIN - ALO...TEM COMO RETORNAR NESSE PRA PEGAR...
BINHO - JA FALEI COM SEU IRMAO JÁ..
HNI - JÁ..
BINHO - FALOU QUE AMANHA PASSA. ENTÃO JÁ PASSA PRA ELE AMANHA. ELE ME
PASSA.
HNI - TA E QUE FICOU COMBINADO PRA ME TE LIGAR DEPOIS QUE PEGASSE..
BINHO - TUDO BEM ENTAO E ELE ME LIGOU JA ESTAVA CHEGANDO. E QUE EU ESTOU
NA RUA E FOI DEMORRAR UM POUCO. DAQUI UNS 2 HORAS ELE VAI ME LIGAR PRA
TROCAR UMA IDEIA COM ELE...AI JÁ PASSA PRA ELE E RESUME UMA SO.

TRANSCRIÇÃO 185

TELEFONE NOME DO ALVO


6581169349 6581169349 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
18/03/200
6581169 18/03/2009 00:01:3 @ADONAI x CASSIN -
9
349 20:47:20 8 FALEI C/ O MENINO
20:45:42

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 82
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DIÁLOGO
CASSIN - CHEGANDO JÁ
ADONAI - TOMO ENROLADO AINDA PRA CÁ...
CASSIN - FALEI COM O MENINO LÁ. ELE FALOU QUE FALOU COM VC E VC JÁ ESTAVA
CHEGANDO.
ADONAI - VC LIGOU PRA ELE AGORA DE NOITE.
CASSIN - LIGUEI AGORA PRA ELE. FUI LÁ NO MENINO E PEGUEI AS CONTAS. ELE FALOU
QUE HORA QUE PEGASSE LÁ ERA PRA LIGAR PRA ELE. AI LIGUEI PRA ELE FALOU QUE
JÁ TINHA FALANDO COM VC...
ADONAI - ...VOU FALAR COM ELE AI EU LIGO PRA VC..
CASSIN - NÃO. ELE JÁ DEIXOU TUDO CERTO AQUI. HORA QUE EU ENCONTRAR COM VC
PASSAR PRA VC AI ELE FALO COM VC E TROCA UMA IDEIA

No dia 30/03/2009 foi captado um diálogo entre JACKSON LUIZ COSTA


CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA” com RICARDO DA COSTA SILVA, em que mencionam
que ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN” e WAGNER RODRIGO
AMORIM tinham ido até o Lava Jato Aquajet para tratar dos depósitos que deveriam ser
realizados (Transcrição 262).

TRANSCRIÇÃO 262

TELEFONE NOME DO ALVO


6581369646 6581369646 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
30/03/200 @JACKSON x RICARDO
6581369 30/03/2009 00:02:5
6584480161 9 - CONVERSOU C/
646 18:51:30 5
18:48:35 CABEÇÃO

DIÁLOGO
JACKSON - E AI...VC CONVERSOU C/ CABEÇÃO HOJE.?
RICARDO - VEIO ELE E O IRMÃO (CASSIN) DO OUTRO AI AQUI, MOSTROU OS
COMPROVANTES PRA MIM, MAIS NÃO FALEI NADA DE Nº NÃO...
JACKSON - NÃO FALOU NADA DE Nº NÃO, NEM DE QUANTIA NADA NÃO
RICARDO - DE Nº NÃO
JACKSON - VC FALOU DE QUANTIA?
RICARDO - SO A QUANTIA QUE A PRINCIPIO TINHA COMBINADO, MAS NÃO FALEI QTO
TINHA ENTRADO, QTO IA ENTRAR NADA ... NÃO ENTREI EM DETALHE DE NADA.O
NEGOCIO QUE VC FALOU QUE NÃO ERA PRA FALAR NADA MAIS O CARA VENHO CEDO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 83
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
HJ AQUI...
JACKSON - SE ELE VOLTAR A PERGUNTAR ALGUMA COISA PRA VC. VC FAZ
EXATAMENTE O QUE EU FALEI PRA VC. PORQUE JÁ SURGIU UMA CONVERSA ENTEDEU.
SE ELE FOR FALAR ALGUMA COISA PRA VC.... VC FALA QUE SEU NEGOCIO E C/ O
MENINO...
RICARDO - ONDE VC TÁ CARA..?
JACKSON - TO LONGE...
RICARDO - ELE FALOU PRA MIM QUE IA PASSAR UMA QUANTIA A MAIS QUE IA ENTRAR
HOJE. AI VEIO ELE E O IRMÃO DO MENINO AI (CASSIN). VC SABE QUEM É NE...
JACKSON - SEI...
RICARDO - AI FALOU QUE IA MANDAR MAIS UMA QUANTIA PRA TENTAR ACERTAR EM
VALOR...E AI O OUTRO QUE TAVA JUNTO... OLHEI PRO OUTRO E DEI SINAL E NÃO
FALOU NADA E NEGAO JA TINHA CONVERSADO PERTO DELE JÁ...
JACKSON - DE QUALQUER JEITO NUMERO.. ESTAS COISAS NÃO FOI DITO NÃO...
RICARDO - NUMERO ELE FICOU SABENDO...
JACKSON - FICOU?
RICARDO - FICOU...O CARA FICOU MOSTRANDO COMPROVANTE AQUI...
JACKSON - MAIS EU TO FALANDO PREÇO..ELE FICOU SABENDO PREÇO?
RICARDO - AH, PREÇO FICOU..
JACKSON - ENTÃO ELE FICOU SABENDO DE TUDO NÉ...
RICARDO - FICOU. ELE TA COM O IRMÃO DO CARA DO LADO. O IRMÃO DO CARA NÃO
FALA NADA... DEIXA DO JEITO QUE TA...
JACKSON - ENTÃO TA. DEIXA COM TA...
RICARDO - BLZ.

Ainda nas tratativas envolvendo o levantamento e transferência dos valores


para LUIZ, no dia 27/04/2009 foram captadas duas conversas telefônicas em que
EDÉSIO RIBEIRO NETO cobrou de ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA sobre a situação
dos depósitos, pois teria uma reunião LUIZ e precisava dar uma posição a respeito da
transferência. Na sequência, ADONAI ligou para seu irmão ALENCAR NOVAES DE
OLIVEIRA, epíteto “CASSIN”, afirmando que precisava do dinheiro que estava com
RICARDO (do Lavajato Aquejet), mesmo que tivesse que ir até ALEXANDRE ZANGARINI
pegar esse dinheiro (Transcrição 370 e 371).

TRANSCRIÇÃO 370

TELEFONE NOME DO ALVO


1178713237 1178713237 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
1178713 27/04/20 27/04/2009 00:01:5 @BINHO X ADONAI -
237 0 9 19:07:42 0 CONTATO C/ RENATO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 84
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
19:05:52

DIÁLOGO
BINHO. E AI JOVEM TA OUVIDO
ADONAI. TO OUVIDO
BINHO. TA POR ONDE CHEGOU EM CASA
ADONAI. ACABEI DE CHEGA EM CUIABÁ AGORA.....
BINHO. ....E AI O QUE ME DIZ LÁ TÁ SITUAÇÃO TÁ RESOLVIDO......TO INDO PRA
REUNIÃO AGORA E EU PRECISO DE UMA POSIÇÃO DE QDO ESTÁ RESOLVIDO....
ADONAI. ENTÃO EU VOU LIGA PRO CARA DAQUI A POUCO TAVA FALTANDO ALGUM
DETALHE LÁ O MENINO PEDIU PRA MIM VER O CAMPO....LEVAMOS MAIS UM POUCO DE
COMBUSTÍVEL E FIRMAR O ENDEREÇO CERTINHO AI LEVAMOS OUTRO PRA PODE
CONFERI....AI JÁ DEVE ESTAR NO JEITO POR LÁ EU VOU ENTRAR EM CONTATO DIRETO
C/ O RENATO AGORA POUCO....
BINHO. EU TE LIGO MAIS TARDE .....PARO EM OUTRO TELEFONE E TE LIGO AI
ADONAI. FALO.

TRANSCRIÇÃO 371

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
27/04/20 @ADONAI X CASIN -
6696141 27/04/2009 00:03:1
6684312089 0 9 PEGAR DINHEIRO DE
966 19:23:36 2
19:20:24 VOLTA

DIÁLOGO
ADONAI - NAO RESOLVI AQUELE NEGOCIO DAQUELE DINHEIRO ATE HJ... E O POVO
ENCHENDO O SACO... HJ OU AMANHA VOU TER QUE RESOLVER ESSE NEGOCIO... POR
QUE TA TD RESOLVIDO...
CASIN - ELE TEM É QUE DEVOLVER...
ADONAI - O CARA QUE ERA INTERMEDIARIO TA GUARDADO... NAO SAIU ATE HJ...
CASIN - E O DONO DO TREM... NAO SABE QUE TA NA MÃO O TREM...
ADONAI - É VAGABUNDO... AMANHA SE FOR O CASO VAMOS NA CASA DELE... ELE
FALOU QUE IA PAGAR HJ... VAMOS TIRAR O EXTRATO... SE NAO TIVER LA... SABE SE
CHEGOU A PEÇA DA SW4...
CASIN - ELE IA FALAR COM O PAI DELE...
ADONAI - TINHA QUE TER O NUMERO DA TRANSPORTADORA...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 85
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ALYSSON - TO LIGANDO AGORA... EM 5 MIN LIGO DE VOLTA... VAI FICAR AI ATE
QUANDO...
ADONAI - AMANHA TO VOLTANDO AI...
ALYSSON - C TA COM JACKSON... ELE FALOU QUE IA VER UM NEGOCIO DUMA HILUX
PRA MIM NAO FICAR DE PÉ... E AI JACKSON... C VAI ARRUMAR O CARRO PRA MIM...
JACKSON - VOU VER ISSO E AMANHA EU TE FALO... AMANHA EU VOU PRA AI...

Iniciadas as buscas nas fazendas pelo carregamento do entorpecente


(20/05/2009), pelo diálogo 272 a autoridade policial concluiu que ADONAI NOVAES DE
OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” fugiu para a cidade de Campo Verde/MT e pediu que seu
irmão ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN” o resgatasse (Transcrição
272).

TRANSCRIÇÃO 272

TELEFONE NOME DO ALVO


6681323768 6681323768 - Maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
20/05/200 @CASIN X ADONAI -
6681323 20/05/2009 00:01:1
9 PEGAR NOIS NO
768 15:17:09 9
15:15:50 JUVENIL

DIÁLOGO
ADONAI - TA COM CARRO AI... PRA VIR PEGAR NOIS NO JUVENIL... NO TIO DO
BATATA...
CASIN - A DOBLO...
ADONAI - SE ACHA Q NAO DA NADA PASSAR ALI COM O DOCUMENTO RUIM
CASIN - DA NADA...
ADONAI - VEM NA CASA DELE...
CASIN - NO CLUBE NEH...
ADONAI - É NO CLUBE...

Os diálogos interceptados, acima transcritos, comprovam a relevante

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 86
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
participação do réu ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN” no processo
de transferência dos valores para a aquisição dos 383,85kg de cocaína da Bolívia.

Interrogado em Juízo, o réu ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto


“CASSIN” afirmou que não tinha muito contato com seu irmão ADONAI, que era
comerciante de veículos e pediu o favor para retirar telefone pós-pago para ele. Como é
irmão, prestou esse favor. Nessa época, trabalhava com comércio de veículos. Não atuou
na organização criminosa para auxiliar seu irmão e na reunião no Shopping Três
Américas, foi a convite para almoçar com seu irmão, mas não sabe o que ele conversou,
pois no restaurante Serra sentou em outra mesa.

Embora tenha negado a autoria delitiva, a prova decorrente das


interceptações telefônica é consistente, notadamente os diálogos com EDÉSIO RIBEIRO
NETO, para tratar a respeito da conta para depósito para transferir o dinheiro (Transcrição
180, 183, 184 e 185), a sua presença no Lava Jato Aquajet para tratar dos depósitos que
deveriam ser realizados (Transcrição 262); a ligação que recebeu de seu irmão ADONAI
afirmando que precisava do dinheiro que estava com RICARDO (do Lavajato Aquejet),
mesmo que tivesse que ir até ALEXANDRE ZANGARINI pegar esse dinheiro (Transcrição
370 e 371) ou o resgate de seu irmão, na cidade de Campo Verde, depois de iniciadas as
buscas pela Polícia Civil (Transcrição 272).

A defesa do acusado ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN”


, em alegações finais (ID. Num. 296009881 - Pág. 227-255), sustentou que não há provas
do dolo do agente em relação ao tráfico de drogas e que as provas indiciárias obtidas na
fase inquisitorial não foram confirmadas em juízo.

Não obstante, o dolo presente na conduta do réu ALENCAR NOVAES DE


OLIVEIRA, epíteto “CASSIN” está comprovado a partir dos diálogos interceptados n°

Quanto à tese de “provas indiciárias”, dispõe o artigo 155, “caput” do Código


de Processo Penal que as provas cautelares constituem uma ressalva à obrigatoriedade
de sua repetição em juízo.

“Art. 155. O juiz formará sua convicção pela livre apreciação da prova
produzida em contraditório judicial, não podendo fundamentar sua decisão
exclusivamente nos elementos informativos colhidos na investigação,
ressalvadas as provas cautelares, não repetíveis e antecipadas.
(Redação dada pela Lei nº 11.690, de 2008)

Parágrafo único. Somente quanto ao estado das pessoas serão observadas


as restrições estabelecidas na lei civil.” [grifei]

A tese não pode ser acolhida, porque as interceptações telefônicas, enquanto


provas cautelares, possuem o contraditório diferido, cujo exercício é realizado ao longo da
instrução criminal e nas alegações finais.

Nesse sentido, o entendimento jurisprudencial do Superior Tribunal de Justiça


– STJ:

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 87
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
“AGRAVO REGIMENTAL NO HABEAS CORPUS. RECEPTAÇÃO.
INTERCEPTAÇÃO TELEFÔNICA. REPRESENTAÇÃO DA AUTORIDADE
POLICIAL. FUNDAMENTO VÁLIDO. "FISHING EXPEDITION". NÃO
VERIFICADO. CONTRADITÓRIO DIFERIDO. NATUREZA INQUISITÓRIA
DO INQUÉRITO POLICIAL. AGRAVO IMPROVIDO.

1. O deferimento da quebra do sigilo telefônico, mediante prévio e necessário


requerimento da autoridade policial, foi devidamente fundamentado,
porquanto apontou os dados essenciais legitimadores da medida, quais
sejam: a expressa indicação do crime investigado, punido com pena de
reclusão, os fortes indícios de autoria e a essencialidade da prova para a
comprovação do envolvimento do paciente no crime de receptação de
veículos, pontuando o magistrado de piso que "[o] deferimento da medida irá
contribuir para o deslinde e identificação dos fatos apurados, conferindo
importantes subsídios para a continuidade das investigações".

2. Não há nenhum indício nos autos da prática do "fishing expedition", haja


vista que a medida cautelar não foi deferida com o objetivo de produzir provas
para outra investigação, e ressaltou o Tribunal estadual que "fica evidente
que, ao representar pela medida, a autoridade policial tem por objetivo
produzir provas para apurar o crime de receptação, e não para outro inquérito
como alegado pelo recorrente, inexistindo, portanto, a prática de fishinng
expedition ou ilegalidade na autorização da quebra de sigilo" .

3. Não há que falar em contraditório prévio no deferimento da quebra do


sigilo telefônico, pois, considerada a natureza jurídica do inquérito policial
de procedimento investigatório inquisitivo, não se identifica violação à ampla
defesa, porquanto eventuais máculas porventura existentes no inquérito não
se comunicam para a ação penal, na qual será exercido o contraditório
perante a autoridade judicial competente, conforme preceitua o devido
processo legal.

4. Agravo regimental improvido.” (AgRg no HC 620.751/SC, Rel. Ministro


NEFI CORDEIRO, SEXTA TURMA, julgado em 15/12/2020, DJe 18/12/2020)
[grifei]

“PENAL E PROCESSUAL PENAL. HABEAS CORPUS. INQUÉRITO


JUDICIAL INSTAURADO CONTRA MAGISTRADO FEDERAL. ILICITUDE
DA PROVA. INOCORRÊNCIA. INTERCEPTAÇÃO TELEFÔNICA EM JUÍZO
ESTADUAL. INDÍCIO DE ENVOLVIMENTO DO MAGISTRADO.
SERENDIPIDADE OU ENCONTRO FORTUITO DE PROVAS. REMETIDO O
FEITO À AUTORIDADE COMPETENTE. NULIDADE NÃO EVIDENCIADA.
DESENTRANHAMENTO DE PROVAS. ALEGAÇÃO DE INGERÊNCIA
INDEVIDA NA VIDA PESSOAL DO INVESTIGADO. IMPOSSIBILIDADE.
NECESSIDADE DE ANÁLISE PROBATÓRIA. INCOMPETÊNCIA DO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 88
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
CORREGEDOR REGIONAL. INOCORRÊNCIA. COMPETÊNCIA
RECONHECIDA PELA CORTE ESPECIAL DO TRIBUNAL DE ORIGEM.
ALTERAÇÃO DO REGIME INTERNO. MUDANÇA NO PROCEDIMENTO.
POSSIBILIDADE. PRINCÍPIO DO TEMPUS REGIT ACTUM. NULIDADE DA
DECISÃO DE QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO E FISCAL.
INOCORRÊNCIA. EXISTÊNCIA DE FUNDAMENTAÇÃO CONCRETA.
INQUÉRITO JUDICIAL. PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO.
CONTRADITÓRIO DIFERIDO. HABEAS CORPUS DENEGADO.

1. O chamado fenômeno da serendipidade ou o encontro fortuito de provas -


que se caracteriza pela descoberta de outros crimes ou sujeitos ativos em
investigação com fim diverso - não acarreta qualquer nulidade ao inquérito
judicial que se sucede no foro competente, quando remetidos os autos tão
logo verificados indícios de participação de magistrado.

2. A análise do nexo entre as provas obtidas e os fatos investigados, com o


fim de concluir que os elementos colhidos não interessam para o deslinde da
apuração por adentrar somente na vida privada do magistrado e dos
familiares, demanda profunda análise do conjunto fático-probatório,
inadmissível pela via do writ.

3. Não se verifica nulidade por violação ao princípio do Juiz natural, pois


entendeu a Corte Especial do Tribunal Regional Federal da 1ª Região pela
competência do Corregedor Regional na condução do inquérito judicial, bem
como para o exame das medidas cautelares solicitadas pelo Ministério
Público Federal e uma vez sobrevindo modificações no regime interno do
Tribunal, aplicam-se, desde logo, os ditames do princípio tempus regit actum,
sem prejudicar, contudo, a validade dos atos realizados sob a vigência do
regramento anterior.

4. Nos termos do art. 96, I, a, da CF, admite-se a alteração da competência


dos órgãos jurisdicionais e administrativos por deliberação dos Tribunais, sem
que isso importe em ofensa aos princípios do devido processo legal, juiz
natural ou da perpetuatio jurisdicionis.

5. Não resulta em desvio de finalidade ou falso motivo a constatação de


novas infrações ou do envolvimento de terceiras pessoas durante o
aprofundamento das investigações, mesmo quando o fato encontrado não
guardar conexão com o fato investigado.

6. A adoção das medidas excepcionais de quebra do sigilo bancário, fiscal e


telefônico da agravante encontra amparo na presença de indícios da autoria e
da prova da materialidade dos crimes imputados, além da demonstração de
imprescindibilidade das medidas para fins de esclarecimento dos fatos,
situação que não pode ser considerada violadora de direito líquido e certo
capaz de ensejar a concessão da segurança (AgRg no RMS 43.701/RJ, Rel.
Ministro JORGE MUSSI, QUINTA TURMA, julgado em 20/03/2018, DJe
27/03/2018).

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 89
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
7. Considerando que o inquérito judicial é procedimento administrativo para
apurar infração penal praticada por magistrado, é certo que, em relação aos
elementos probatórios e as medidas de cautelares deferidas no curso da
investigação, o exercício do contraditório fica diferido para a fase
judicial, de acordo com o devido processo legal.

8. Habeas corpus denegado.

(HC 395.983/DF, Rel. Ministro NEFI CORDEIRO, SEXTA TURMA, julgado


em 18/09/2018, DJe 26/09/2018)” [grifei]

Na forma do artigo 29 do Código Penal, “Quem, de qualquer modo, concorre


para o crime incide nas penas a este cominadas, na medida de sua culpabilidade.”
Destarte, o réu ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN” prestou relevante
auxílio material à consumação do crime de tráfico internacional de substância
entorpecente, fez tratativas com EDÉSIO RIBEIRO NETO, epíteto “BINHO” a respeito da
conta para depósito (Transcrição 180, 183, 184 e 185); foi na companhia de WAGNER
RODRIGO AMORIM até Lava Jato Aquajet para tratar dos depósitos que deveriam ser
realizados (Transcrição 262); tratou com seu irmão ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA
sobre a situação dos depósitos e que precisava do dinheiro que estava com RICARDO
(do Lavajato Aquejet), mesmo que tivesse que ir até ALEXANDRE ZANGARINI pegar
esse dinheiro (Transcrição 370 e 371) e por ter “resgatado” seu irmão ADONAI quando
fugiu para a cidade de Campo Verde/MT (Transcrição 272). Desse modo, ao prestar
relevante auxílio material no processo de aquisição dos 383,85kg de cocaína da Bolívia, o
réu ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN” incidiu na prática do crime
previsto no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei 11.343/2006.

4.1.3. JACKSON LUIZ DA COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL – MPF denunciou JACKSON LUIZ


COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA” como incurso nos crimes tipificados nos artigos
33, “caput”, 35, caput e Parágrafo Único, 36 c/c 40, incisos I e IV, da Lei 11.343/2006.

No dia 02/03/2009, JACKSON LUIZ DA COSTA CONCEIÇÃO, epíteto


“BATATA” entrou em contato telefônico com EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO”
para dizer que a pista de pouso na fazenda estava em boas condições (Transcrição 171).

Já no dia 23/03/2009, JACKSON LUIZ DA COSTA CONCEIÇÃO entrou em


contato com LUIZ, apontado pela Polícia Civil como o fornecedor da cocaína na Bolívia,
ocasião em que avisou que estava esperando a confirmação “para fazer aquele negócio”
(Transcrição 224).

TRANSCRIÇÃO 224

TELEFONE NOME DO ALVO


6581169349 6581169349 - MARANELLO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 90
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
6581169 59177396040 23/3/2009 2 3 / 3 / 2 0 0 9 00:01:3 @JACKSON X LUIZ - VAI
349 0 10:13:26 10:15:05 9 DESCER ESSA SEMANA

DIÁLOGO
JACKSON - É O MICHAEL JACKSON QUE ESTA FALANDO...
LUIZ - VC VAI SUBIR TBMMM
JACKSON - VOU... TAMO INDO... SÓ TAMO ESPERANDO UMA CONFIRMAÇÃO... NOIS
VAMOS SUBIR PRA PODER FAZER AQUELE NEGOCIO...
LUIZ - TA POR AI O AMIGO...
JACKSON - ELE DEU UMA SAIDINHA MAS DAQUI A POUCO VOU ESTAR COM ELE E PEÇO
QUE ELE TE LIGUE...
LUIZ - POR FAVOR... E VC QUANDO Q VAI DESCER?
JACKSON - ESSA SEMANA EU TO POR AI...

Essa conversa ainda foi confirmada em outra ligação por ADONAI NOVAES
DE OLIVEIRA, vulgo “MULAMBO” (Transcrição 225).

TRANSCRIÇÃO 225

TELEFONE NOME DO ALVO


6581169349 6581169349 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
23/3/200
6581169 59177396040 9 2 3 / 3 / 2 0 0 9 00:01:4 @ADONAI X HNI - DOU
349 0 11:32:41 11:34:23 2 UM RETORNO

DIÁLOGO
HNI - TD JOIA...
ADONAI - TD... TO INDO ALI PRA CONFIRMAR UM DEPOSITO... TA COM O LUIZ?
HNI - TO... TA AQUI DO MEU LADO..

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 91
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI - FALA PRA ELE QUE DAQUI A POUCO EU DOU UM RETORNO PRA ELE... EU VOU
ALI FALAR COM CABEÇÃO AGORA... TO INDO NA CASA DELE... MAS FALA QUE TA TD
TRANQUILO... NAO PRECISA SE PREOCUPAR... EU PERDI MEU TELEFONE... ESSE AQUI
TAVA COM O JACKSON... MAS FALA RA ELE QUE NAO PRECISA FICAR PROCUPADO...

Decorridos sete dias desse contato, foi interceptada uma ligação em que
JACKSON LUIZ DA COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA” entrou em contato com
RICARDO DA COSTA SILVA, proprietário do Lavajato Aquajet - utilizado para
transferência dos valores, que recebeu a notícia que WAGNER RODRIGO DE AMORIM,
epíteto “CABEÇÃO” e ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN” tinham ido
até o lava jato para saber dos depósitos (Transcrição 262).

TRANSCRIÇÃO 262

TELEFONE NOME DO ALVO


6581369646 6581369646 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
30/03/200 @JACKSON x RICARDO
6581369 30/03/2009 00:02:5
6584480161 9 - CONVERSOU C/
646 18:51:30 5
18:48:35 CABEÇÃO

DIÁLOGO
JACKSON - E AI...VC CONVERSOU C/ CABEÇÃO HOJE.?
RICARDO - VEIO ELE E O IRMÃO (CASSIN) DO OUTRO AI AQUI, MOSTROU OS
COMPROVANTES PRA MIM, MAIS NÃO FALEI NADA DE Nº NÃO...
JACKSON - NÃO FALOU NADA DE Nº NÃO, NEM DE QUANTIA NADA NÃO
RICARDO - DE Nº NÃO
JACKSON - VC FALOU DE QUANTIA?
RICARDO - SO A QUANTIA QUE A PRINCIPIO TINHA COMBINADO, MAS NÃO FALEI QTO
TINHA ENTRADO, QTO IA ENTRAR NADA ... NÃO ENTREI EM DETALHE DE NADA.O
NEGOCIO QUE VC FALOU QUE NÃO ERA PRA FALAR NADA MAIS O CARA VENHO CEDO
HJ AQUI...
JACKSON - SE ELE VOLTAR A PERGUNTAR ALGUMA COISA PRA VC. VC FAZ
EXATAMENTE O QUE EU FALEI PRA VC. PORQUE JÁ SURGIU UMA CONVERSA ENTEDEU.
SE ELE FOR FALAR ALGUMA COISA PRA VC.... VC FALA QUE SEU NEGOCIO E C/ O
MENINO...
RICARDO - ONDE VC TÁ CARA..?
JACKSON - TO LONGE...
RICARDO - ELE FALOU PRA MIM QUE IA PASSAR UMA QUANTIA A MAIS QUE IA ENTRAR
HOJE. AI VEIO ELE E O IRMÃO DO MENINO AI (CASSIN). VC SABE QUEM É NE...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 92
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
JACKSON - SEI...
RICARDO - AI FALOU QUE IA MANDAR MAIS UMA QUANTIA PRA TENTAR ACERTAR EM
VALOR...E AI O OUTRO QUE TAVA JUNTO... OLHEI PRO OUTRO E DEI SINAL E NÃO
FALOU NADA E NEGAO JA TINHA CONVERSADO PERTO DELE JÁ...
JACKSON - DE QUALQUER JEITO NUMERO.. ESTAS COISAS NÃO FOI DITO NÃO...
RICARDO - NUMERO ELE FICOU SABENDO...
JACKSON - FICOU?
RICARDO - FICOU...O CARA FICOU MOSTRANDO COMPROVANTE AQUI...
JACKSON - MAIS EU TO FALANDO PREÇO..ELE FICOU SABENDO PREÇO?
RICARDO - AH, PREÇO FICOU..
JACKSON - ENTÃO ELE FICOU SABENDO DE TUDO NÉ...
RICARDO - FICOU. ELE TA COM O IRMÃO DO CARA DO LADO. O IRMÃO DO CARA NÃO
FALA NADA... DEIXA DO JEITO QUE TA...
JACKSON - ENTÃO TA. DEIXA COM TA...
RICARDO - BLZ.

No dia 24/04/2009, JACKSON LUIZ DA COSTA CONCEIÇÃO, epíteto


“BATATA” ligou para EDÉSIO RIBEIRO NETO, epíteto “BINHO” para avisá-lo que a
missão na fazenda estava cumprida (Transcrição 365).

TRANSCRIÇÃO 365

TELEFONE NOME DO ALVO


6581369646 6581369646 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
24/04/20
6581369 24/04/2009 00:01:1 @JACKSON X BINHO -
6581215154 0 9
646 08:45:33 2 MISSAO CUMPRIDA
08:44:21

DIÁLOGO
JACKSON -
BINHO - CHEGOU
JACKSON - CHEQUEI ESSA MADRUGADA
BINHO - TAVA LIGANDO PRA VC O DIA INTEIRO...
JACKSON - SAI DE LA ONTEM DE NOITE... A MISSÃO LA FOI CUMPRIDAS...
BINHO - EU PRECISAVA ENCONTRAR COM VC PRA DEIXAR UM TELEFONE CONTIGO...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 93
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
No dia 23/06/2009 foi captada uma ligação em que EDÉSIO RIBEIRO NETO
conversou com AROLDO sobre os empregados da fazenda que poderiam prestar
depoimento em razão da apreensão da droga, entre eles, o acusado ROBERTO CARLOS
PEREIRA, referido por EDÉSIO RIBEIRO NETO como “Irmão do Marcelo” (Transcrição
526).

TRANSCRIÇÃO 526

TELEFONE NOME DO ALVO


6599447291 6599447291 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
23/06/20
6599447 23/06/2009 00:08:1 @ARO LDO X BIN H O -
1195092849 0 9
291 18:10:31 0 ESTRATEGIA
18:02:21

DIÁLOGO
AROLDO. ....PRENDERAM OS BENS DE TODO MUNDO ALEM DOS GADOS, CARROS
FORAM TODOS PRESOS....
BINHO. CARRO DE QUEM?
AROLDO. A D20 DO JACKSON, FORAM ATRAS DA CAMINONETE DO JACKSON..TODOS OS
CARROS...
BINHO. MAS VC SABEM QUAL SÃO OS CARROS
AROLDO. NÃO....MAS ESTÃO ATRAS DO CARRO DO CABEÇA DE TODO MUNDO.....A
HILUX VAI FICA LÁ UMA L200 QUE O CABEÇA USAVA ELES ESTÃO ATRAS.....A GENTE TÁ
MEIO CABREIRO PQ ATÉ O VECTRA VAI CAI VAMOS ATE DEIXA ELE ESCONDIDO ...
BINHO. DEIXA ESCONDIDO QUALQUER COISA A GENTE POE UM EMBARGO DE
TERCEIRO AI...
AROLDO. ....TÁ NO ESCRITORIO ...NEM TÁ LÁ MAIS TA EM UMA CHACARA.....NINGUEM SE
ENTREGOU ....
BINHO. MAS E AI JÁ SABE O MANDADO DE QUEM QUE TEM?
AROLDO. ...PRA TODO MUNDO AQUELE QUE TEM A FOTOGRAFIA LÁ.....TAL
CUMPRINDO....
BINHO. .....NÃO TEM COMO SABE OS MANDADOS QUE ESTÃO NA RUA?
AROLDO. NÃO TEM....
BINHO. ...VAI DA PRA TODO MUNDO...FOTO TEM DE 11 PESSOAS ....
AROLDO. ATE UM TAL DE MANEZINHO ELE PEDIU...
BINHO. ....O MANE EU SEI QUEM QUE É....TEM ATE GENTE QUE EU NEM SEI QUE E...TEM
11 FOTOS DIFERENTES ELES ESTÃO FALANDO 15 MANDADOS...
AROLDO. NÃO ELE FALOU EXTRA OFICIALMENTE QUE SÃO 15 PESSOAS ENVOLVIDAS.....
BINHO. TEM 11 ALI....ALI NÃO TEM FOTO DO VETERINÁRIO QUE TÁ ATE A CABEÇA
ENVOLVIDO PQ O DEPOIMENTO DA TESTEMUNHA LEVA TD PRO VETERINÁRIO O PRIMO
DO CABEÇA....
AROLDO. FILHO DO PROFESSOR EDU.....

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 94
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
BINHO. O VETERINÁRIO O OUTRO WAGNER .....O VETERINÁRIO TAL DO TEO, O FILHO DO
PROFESSOR EDU AI JÁ SÃO 11, 12, 13 O DO POLICIAL ADALTO QUE ALI NÃO TEM FOTO
QUE FOI ABORDADO...
AROLDO. MAS EU ACHO QUE ELE VAI ....ELES ERRARAM O NOME DELE POR ISSO QUE
NÃO CONSEGUIRAM ACHAR FOTO DELE...
BINHO. ...SO AI JÁ SÃO 14...AI TEM O CARA QUE ARRENDOU A OUTRA FAZENDA QUE
FALOU QUE ARRENDOU PQ O CARA TAVA COM PROBLEMA DE SEPARAÇÃO MAS QUE
NÃO TINHA NADA A VÊ C/ ISSO UM TAL DE FERRAZ .....ESSA AI TAMBÉM SAI NÉ?
AROLDO. ...ACHO QUE SAI...
BINHO. SE TÁ NO NOME DELE A OUTRA FAZENDA ....OUTRA FAZENDA TÁ TOTALMENTE
VINCULADO A ISSO AI ...ELE NÃO E PROPRIETÁRIO E ARRENDATARIO .....ACHO DIFICIL
NÃO SAI
AROLDO. E UM CAMARADA DE VÁRZEA GRANDE.....
BINHO. ...ACHO DIFICIL NÃO SAI...
AROLDO. FOI AONDE PEGO A MAIOR QTDA DE COMBUSTIVEL...
BINHO. ...E OUTRA COISA TÁ TODO MUNDO ENTRELAÇADO C/ O DEPOIMENTO DO
RAPAZ CONFIRMOU QUE O JACKSON E O ADONAI ESTAVAM LÁ ......
AROLDO. ....NA LOGICA .... A TURMA VAI APRESENTANDO E VAI FICANDO....VAMOS VER
O DEPOIMENTO DEPOIS QUEM QUE VAI ASSUMI.....
BINHO. ...CADA UM TEM QUE FAZER SEU PAPEL....
AROLDO. ...TEM OS ARRENDATARIOS DA FAZENDA: MARCELO, HELDER E TEM O
IRMÃO DO MARCELO.....O MARCELO VAI FALA QUE OS DOIS NÃO TEM NADA A VÊ C/
ISSO EU QUE VOU CULPADO ....JÁ LIMPO ESSES DOIS AI....O CABEÇA VAI FALA O
PRETINHO NÃO TEM NADA A VÊ C/ ISSO JÁ LIVRA MAIS UM ...VAI LIVRANDO AOS
POUCOS ....AMANHA O ADVOGADO DO CABEÇA VAI LÁ NO ESCRITORIO.....TROCAR
FIGURINA....
BINHO. QUEM QUE E O ADVOGADO DELE?
AROLDO. ....UM ADVOGADO ANTIGO DELE QUE JÁ REENTREGOU ELE UMAS TRES
VEZES NA POLICIA E UMA CARA DE CONFIANÇA DELE.... UM TAL DE KADIMO

No dia 20/05/2009, foi captado um diálogo em que JACKSON LUIZ DA


COSTA CONCEIÇÃO, vulgo “BATATA” estava tentando fugir da fazenda, mas seu
carro quebrou na Serra de São Vicente e pediu para VITOR ALEXANDRE FRAGA
QUEIROZ ajudar-lhe (Transcrição 264).

TRANSCRIÇÃO 264

TELEFONE NOME DO ALVO


6681323768 6681323768 - Maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HORA DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
20/05/20
6681323 2 0 / 0 5 / 2 0 0 9 00:00:5 JACKSON X VITOR -
6536221141 0 9
768 12:58:41 5 CORDA DE 10MT
12:57:46

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 95
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DIÁLOGO
JACKSON - COMPRA UMA CORDA DE 10MT... MEU CARRO ESTRAGOU NA SERRA DE
SAO VICENTE... AI VC VEM AQUI PRA VC PODER PUXAR..
VITOR - ONDE MAIS OU MENOS...
JACKSON - VC VAI COMEÇAR A SUBIR A SERRA E VC VAI VER EU...
VITOR - AI VC COMPRA UMA CORDA DE 10MT PRA PODER PUXAR EU...

Por último, no dia 23/06/2009 foi captada uma ligação em que EDÉSIO
RIBEIRO NETO conversou com AROLDO sobre os empregados da fazenda que
poderiam prestar depoimento em razão da apreensão da droga, entre eles, o acusado
JACKSON(Transcrição 526).

TRANSCRIÇÃO 526

TELEFONE NOME DO ALVO


6599447291 6599447291 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
23/06/20
6599447 23/06/2009 00:08:1 @ARO LDO X BIN H O -
1195092849 0 9
291 18:10:31 0 ESTRATEGIA
18:02:21

DIÁLOGO
AROLDO. ....PRENDERAM OS BENS DE TODO MUNDO ALEM DOS GADOS, CARROS
FORAM TODOS PRESOS....
BINHO. CARRO DE QUEM?
AROLDO. A D20 DO JACKSON, FORAM ATRAS DA CAMINONETE DO JACKSON..TODOS
OS CARROS...
BINHO. MAS VC SABEM QUAL SÃO OS CARROS
AROLDO. NÃO....MAS ESTÃO ATRAS DO CARRO DO CABEÇA DE TODO MUNDO.....A
HILUX VAI FICA LÁ UMA L200 QUE O CABEÇA USAVA ELES ESTÃO ATRAS.....A GENTE TÁ
MEIO CABREIRO PQ ATÉ O VECTRA VAI CAI VAMOS ATE DEIXA ELE ESCONDIDO ...
BINHO. DEIXA ESCONDIDO QUALQUER COISA A GENTE POE UM EMBARGO DE
TERCEIRO AI...
AROLDO. ....TÁ NO ESCRITORIO ...NEM TÁ LÁ MAIS TA EM UMA CHACARA.....NINGUEM SE
ENTREGOU ....
BINHO. MAS E AI JÁ SABE O MANDADO DE QUEM QUE TEM?
AROLDO. ...PRA TODO MUNDO AQUELE QUE TEM A FOTOGRAFIA LÁ.....TAL

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 96
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
CUMPRINDO....
BINHO. .....NÃO TEM COMO SABE OS MANDADOS QUE ESTÃO NA RUA?
AROLDO. NÃO TEM....
BINHO. ...VAI DA PRA TODO MUNDO...FOTO TEM DE 11 PESSOAS ....
AROLDO. ATE UM TAL DE MANEZINHO ELE PEDIU...
BINHO. ....O MANE EU SEI QUEM QUE É....TEM ATE GENTE QUE EU NEM SEI QUE E...TEM
11 FOTOS DIFERENTES ELES ESTÃO FALANDO 15 MANDADOS...
AROLDO. NÃO ELE FALOU EXTRA OFICIALMENTE QUE SÃO 15 PESSOAS ENVOLVIDAS.....
BINHO. TEM 11 ALI....ALI NÃO TEM FOTO DO VETERINÁRIO QUE TÁ ATE A CABEÇA
ENVOLVIDO PQ O DEPOIMENTO DA TESTEMUNHA LEVA TD PRO VETERINÁRIO O PRIMO
DO CABEÇA....
AROLDO. FILHO DO PROFESSOR EDU.....
BINHO. O VETERINÁRIO O OUTRO WAGNER .....O VETERINÁRIO TAL DO TEO, O FILHO DO
PROFESSOR EDU AI JÁ SÃO 11, 12, 13 O DO POLICIAL ADALTO QUE ALI NÃO TEM FOTO
QUE FOI ABORDADO...
AROLDO. MAS EU ACHO QUE ELE VAI ....ELES ERRARAM O NOME DELE POR ISSO QUE
NÃO CONSEGUIRAM ACHAR FOTO DELE...
BINHO. ...SO AI JÁ SÃO 14...AI TEM O CARA QUE ARRENDOU A OUTRA FAZENDA QUE
FALOU QUE ARRENDOU PQ O CARA TAVA COM PROBLEMA DE SEPARAÇÃO MAS QUE
NÃO TINHA NADA A VÊ C/ ISSO UM TAL DE FERRAZ .....ESSA AI TAMBÉM SAI NÉ?
AROLDO. ...ACHO QUE SAI...
BINHO. SE TÁ NO NOME DELE A OUTRA FAZENDA ....OUTRA FAZENDA TÁ TOTALMENTE
VINCULADO A ISSO AI ...ELE NÃO E PROPRIETÁRIO E ARRENDATARIO .....ACHO DIFICIL
NÃO SAI
AROLDO. E UM CAMARADA DE VÁRZEA GRANDE.....
BINHO. ...ACHO DIFICIL NÃO SAI...
AROLDO. FOI AONDE PEGO A MAIOR QTDA DE COMBUSTIVEL...
BINHO. ...E OUTRA COISA TÁ TODO MUNDO ENTRELAÇADO C/ O DEPOIMENTO DO
RAPAZ CONFIRMOU QUE O JACKSON E O ADONAI ESTAVAM LÁ ......
AROLDO. ....NA LOGICA .... A TURMA VAI APRESENTANDO E VAI FICANDO....VAMOS VER
O DEPOIMENTO DEPOIS QUEM QUE VAI ASSUMI.....
BINHO. ...CADA UM TEM QUE FAZER SEU PAPEL....
AROLDO. ...TEM OS ARRENDATARIOS DA FAZENDA: MARCELO, HELDER E TEM O
IRMÃO DO MARCELO.....O MARCELO VAI FALA QUE OS DOIS NÃO TEM NADA A VÊ C/
ISSO EU QUE VOU CULPADO ....JÁ LIMPO ESSES DOIS AI....O CABEÇA VAI FALA O
PRETINHO NÃO TEM NADA A VÊ C/ ISSO JÁ LIVRA MAIS UM ...VAI LIVRANDO AOS
POUCOS ....AMANHA O ADVOGADO DO CABEÇA VAI LÁ NO ESCRITORIO.....TROCAR
FIGURINA....
BINHO. QUEM QUE E O ADVOGADO DELE?
AROLDO. ....UM ADVOGADO ANTIGO DELE QUE JÁ REENTREGOU ELE UMAS TRES
VEZES NA POLICIA E UMA CARA DE CONFIANÇA DELE.... UM TAL DE KADIMO

Ademais, a prova decorrente das interceptações telefônicas foi corroborada


pelo depoimento em delação premiada do colaborar ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS,
epíteto “MARQUINHOS”, que trabalhava na fazenda Sete Irmãos e declarou que
JACKSON LUIZ DA COSTA CONCEIÇÃO, vulgo “BATATA” estava na fazenda no dia
em que o avião aterrissou com a droga, acompanhado por EDILSON AMORIM DO
NASCIMENTO, WAGNER RODRIGO DE AMORIM, epíteto “CABEÇÃO”, ROBERTO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 97
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
CARLOS PEREIRA, epíteto “BETO”, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto
“MULAMBO”, HELDER PEREIRA DINIZ e MARCELO DA SILVA PEREIRA, epíteto
“MENTIRINHA” (fls. 17/24 da Colaboração Premiada, autos n° 2009.36.00.010290-9).

Nesse sentido, colaciono trecho do referido depoimento:

“(...) QUE, na oportunidade em achava na fazenda juntamente com a pessoa


de EDILSON, sendo que por volta das 07:00 horas da manhã, chegaram na
mesma as pessoas de WAGNER (cabeça), ROBERTO (Beto), MARCELO,
HELDER, ADONAI, JACKSON e MANOEL (Mané), os quais estavam
ocupando uma SW4, de cor verde escuro, placas que não se recorda, bem
como é de conhecimento que uma outra camionete L200, de cor mais clara
que a SW4, ficou na localidade de MIMOSO, sendo que ali estavam as
pessoas de ADAUTO (daltinho), um outro WAGNER e RUBENS (também
apelidado de cabeção, sendo este veterinário); QUE, é de conhecimento que
este três ficaram em MIMOSO para verificar movimentação de polícia na
localidade, pois se assim vissem, imediatamente entravam em contato
telefônico com a fazenda e todos evadiriam-se do local; QUE, por volta das
10:30/11:00 horas, perceberam no céu um avião, onde pensaram tratar-se do
avião que iria descarregar a droga, sendo que imediatamente MARCELO e
HELDER adentraram a camionete Hilux de cor azul, que estava na fazenda, e
foram para a cabeceira da pista para abrir a lona, demonstrando indicativo ao
piloto do avião para descer na pista, pois a lona já estava na cabeceira da
pista, porém sem estar aberta, sendo esta lona plástica de cor amarela; QUE,
o referido avião foi embora e perceberam não se tratar do mesmo; QUE, por
volta das 12:00 horas, veio outro avião, de cor branco e vermelho, cujo
prefixo não se recorda, onde então este sim veio a pousar na pista da
fazenda; QUE, imediatamente foi retirado a carga do avião, onde o pessoal
comentava que seria em torno de 430 (quatrocentos e trinta) quilos, sendo
que estes achavam-se em torno de 13 sacos plásticos transparentes, sendo
que dentro destes sacos haviam vários “tijolos” de cocaína, ou seja, em barra;
QUE, abasteceram o avião ali mesmo na pista, onde este após a operação,
imediatamente veio a decolar indo embora, sendo que o tempo de demora
entre o pouso e decolagem, virou em torno de 30 (trinta) minutos; QUE, no
avião haviam duas pessoas, sendo ambos bolivianos, os quais não
conversaram muito, sendo que a operação é rápida, ou seja abriram a porta
do avião e diziam para irem tirando os pacotes de dentro, ao passo que
outros eram para abastecer o avião; QUE, estes dois bolivianos, mais
conversaram com a pessoa de ADONAI; QUE, perguntado esclarece que
não conhecia as pessoas de ADONAI, JACKSON e MANOEL, vindo a
conhece-los naquela ocasião; (...) QUE, perguntado esclarece de que
parte da droga que ali chegou é de propriedade das pessoas de
ADONAI, JACKSON e MANE, pois como dito estes não os conheciam,
conhecendo somente no dia, e a outra parte era do pessoal do
declarante;(...)” [grifei]

A defesa do acusado JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, vulgo “BATATA”

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 98
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
(ID. Num. 296009867 - Pág. 338-343), em alegações finais, aduziu que as interceptações
telefônicas não comprovam a materialidade delitiva.

Porém, como já referido acima, as interceptações telefônicas não foram


utilizadas para a prova da materialidade delitiva, porquanto a materialidade delitiva do
crime de tráfico internacional de substância entorpecente foi construída a partir do Auto
circunstanciado e Termo de Exibição (fls. 286/288 do IPL) e pelo Laudo n. 03-01-
002980/2009, elaborado pelo setor de perícia da Secretaria de Justiça e Segurança
Pública do Estado de Mato Grosso, que atesta que os 376 tabletes encontrados na
Fazenda Sete Irmãos, pesando algo em torno de 383 Kg, acondicionavam substância
psicotrópica identificada como cocaína (fls. 292/296 do IPL).

Também não pode ser acolhida a tese de ausência de provas de autoria


delitiva, notadamente diante da prova das interceptações telefônicas, bem como pela
delação premiada do colaborador ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS, epíteto
“MARQUINHOS”, que trabalhava na fazenda Sete Irmãos e declarou que JACKSON
estava na fazenda no dia em que o avião aterrissou com a droga, acompanhado por
WAGNER, ROBERTO, MARCELO PEREIRA, HELDER e ADONAI (fls. 17/24 da
Colaboração Premiada, autos n° 2009.36.00.010290-9).

Assim, ao disponibilizar e conservar a pista de pouso da fazenda Sete Irmãos


para o recebimento da aeronave transportando o carregamento com a substância
entorpecente, cobrar e fiscalizar a transferência de recursos para a aquisição da droga
junto ao fornecedor boliviano LUIZ e acompanhar o descarregamento da droga na
fazenda Sete Irmãos, o réu JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO incidiu na prática do
crime previsto no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei 11.343/2006.

4.1.4. NEURI DA SILVA GUIA

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL – MPF imputou ao acusado NEURI DA


SILVA GUIA, a prática dos crimes tipificados nos art. 33, caput, art. 35 e art. 40, incisos I
e IV da lei 11.343/2006.

Em relação ao carregamento de 383,85 kg de cocaína que foi apreendido no


dia 20/06/2009, na fazenda Sete Irmãos, localizada no município de Barão de
Melgaço/MT e para sustentar a prova da autoria delitiva tanto do tráfico quanto da
associação para o tráfico, o MPF indicou os diálogos interceptados n° 96, 112, 298, 326,
373, 513, bem como pelo depoimento prestado em juízo pelo corréu JOCENIL PAULO
DE FRANÇA.

Vejamos:

Diálogo n° 96 (11/12/2008): Esse diálogo foi captado seis meses antes da


apreensão da droga e revela que EDÉSIO RIBEIRO NETO orientou NEURI a
viajar para São Paulo em outro momento, pois não estava com o dinheiro e o
veículo para entregar a NEURI. Aqui, não se sabe se esse dinheiro foi o
mesmo utilizado para adquirir o carregamento de entorpecente junto ao
fornecedor boliviano LUIZ. Não é possível inferir, a partir desse diálogo, que
aqui já estava ocorrendo o processo de levantamento dos recursos para a
aquisição dos 383,85kg de cocaína.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 99
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Diálogo n° 112 (16/12/2008): É a sequência dos fatos acima abordados, em
que EDÉSIO enfim comprou a passagem aérea para NEURI viajar até São
Paulo, mas não é possível inferir, apenas com esses dois diálogos, os
motivos dessa viagem e se, de fato, ali começou as tratativas para levantar o
dinheiro que foi utilizado para comprar os 383,85kg de cocaína que foi
apreendido. O diálogo interceptado não permite essa conclusão.

Diálogo n° 298 (03/04/2009): Trata-se de uma conversa interceptada entre


EDÉSIO RIBEIRO NETO e MARCELO JOSÉ MEDINA, em que EDÉSIO
orienta MARCELO sobre como responder caso NEURI ligasse querendo
saber do dinheiro. Novamente, que dinheiro era esse? Se fosse o dinheiro
utilizado para comprar o carregamento, como ele deveria voltar para NEURI?
Uma dívida? Relativa ao carregamento apreendido? Não se sabe e as
interceptações telefônicas não puderam esclarecer isso.

Diálogo n° 326 (13/04/2009): Aqui, novamente NEURI estava cobrando


EDÉSIO de alguma dívida, mas não é possível vincular essa dívida com a
aquisição do entorpecente que foi apreendido.

Diálogo n° 373 (07/05/2009): Conversa interceptada em que EDÉSIO orienta


NEURI a procurar JACKSON e ADONAI. Também não é possível inferir, a
partir daí, qual foi a providência adotada por NEURI e eventual teor da
conversa entre ele, JACKSON e ADONAI.

Diálogo n° 513 (21/06/2009): Talvez esse seja o diálogo mais revelador de


todo o conjunto de áudios mencionados pelo MPF em relação a NEURI. Com
efeito, neste diálogo, que é uma conversa entre EDÉSIO e WAGNER, nessa
ocasião, quando já deflagrada a operação e apreendida a droga, EDÉSIO
afirma que vai cuidar da situação de “Branquinho”, apontado pela Polícia
como NEURI DA SILVA GUIA. Porém, algumas considerações devem ser
feitas. Primeiro, NEURI era mesmo conhecido pelo apelido de “Branquinho”?
Porque a todo momento sua defesa nega a existência desse apelido.
Segundo, que situação EDÉSIO iria cuidar? Da prisão? Situação financeira?
Enfim, do que se tratava? Terceiro, cuidar especificamente de qual situação?
NEURI teve participação nesse carregamento e EDÉSIO tinha um algum
compromisso com ele? Todas essas perguntas não podem ser respondidas
somente com base nas interceptações telefônicas. Como se desenvolveu a
participação de NEURI nesse processo de aquisição, importação, transporte
desse carregamento de cocaína? Definitivamente não se sabe. Permanece
aqui, a dúvida relevante sobre a efetiva participação do réu nesse tráfico.

Ademais, o depoimento prestado em juízo pelo corréu JOCENIL PAULO DE


FRANÇA em nada esclarece, senão joga mais dúvida ainda sobre a efetiva participação
de NEURI nesse crime. Deveras, NEURI afirmou que viajou até São Paulo para adquirir
equipamentos de informática para EDÉSIO, ao passo em que JOCENIL aduziu que
NEURI foi para São Paulo com o objetivo de além dos equipamentos de informática,
também buscar um veículo para EDÉSIO e, segundo o MPF, esse veículo provavelmente
deveria ser obtido como pagamento pelas drogas. Ocorre que o “provavelmente” não foi
provado, ficou só na hipótese. De um lado, seis diálogos interceptados que até relevam

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 100
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
indícios, mas não se consubstanciaram em prova de autoria, de outro, o depoimento de
corréu que chega a reforçar a tese que NEURI viajou até São Paulo para adquirir
equipamentos de informática. Enfim, ainda que NEURI tivesse ido mesmo para São Paulo
buscar um veículo para EDÉSIO, a acusação ainda teria que demonstrar o nexo de
instrumentalidade na utilização desse veículo para a aquisição do carregamento de
cocaína que foi apreendido, o que, de fato, não foi demonstrado.

Persistindo a dúvida razoável sobre a prova da autoria delitiva, o réu NEURI


DA SILVA GUIA deve ser absolvido das imputações do crime previsto no artigo 33,
“caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei 11.343/2006, com fundamento no artigo 386,
inciso VII do Código de Processo Penal.

4.1.5. JOCENIL PAULO DE FRANCA

O MPF imputou ao acusado JOCENIL PAULO DE FRANÇA a prática do


crime tipificado no artigo 33, “caput” e 35 c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006, porque JOCENIL acompanhou NEURI DA SILVA GUIA na viagem para São
Paulo, paga com o dinheiro de EDÉSIO RIBEIRO NETO, para buscar um veículo e
equipamentos de informática.

Para corroborar a acusação por tráfico e associação para o tráfico, o MPF


arrolou dois diálogos interceptados (64 e 66), que passo a analisá-los para inferir a prova
da autoria delitiva.

Diálogo n° 64 (01/12/2008): Trata-se de uma conversa em que JOCENIL


PAULO DE FRANÇA conversou com uma pessoa que não foi identificada,
sobre o seu plantão na Delegacia de Homicídios em Cuiabá/MT. De se
ressaltar que JOCENIL era policial civil, assim como NEURI DA SILVA GUIA.

Esse diálogo, contudo, não revela nada de incriminador. Na verdade, poderia


até demonstrar os preparativos para a viagem de JOCENIL para São Paulo,
organizando a sua vida funcional para possibilitar a sua permanência em
outro Estado, já que estava trabalhando e não podia se ausentar tanto tempo.

Diálogo n° 66 (02/12/2008): Nesse diálogo interceptado, consta que EDÉSIO


RIBEIRO NETO entrou em contato com uma agência de viagens para
reservar a passagem aérea de JOCENIL PAULO DE FRANÇA. Aqui também
não há como extrair o motivo dessa viagem para São Paulo, muito menos se
teve relação com o processo de levantamento e transferência dos recursos
para a aquisição do carregamento de cocaína da Bolívia.

Não há, absolutamente nada que comprove a autoria delitiva em relação ao


acusado JOCENIL PAULO DE FRANÇA, tanto é verdade que, em alegações finais, o
MPF também chegou à mesma conclusão e pugnou pela absolvição do acusado.

Com razão o MPF.

Não há mesmo nenhuma prova de autoria delitiva, impondo-se a absolvição


do acusado JOCENIL PAULO DE FRANÇA, das imputações do crime previsto no artigo
33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei 11.343/2006, com fundamento no artigo

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 101
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
386, inciso VII do Código de Processo Penal.

4.1.6. MARCELO JOSE HARDMAN MEDINA, epíteto “BOB”

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL – MPF imputou ao acusado MARCELO


JOSE HARDMAN MEDINA, vulgo “BOB” a prática do crime previsto no artigo 33,
“caput” e 35 c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei 11.343/2006, em relação ao
carregamento de 383,85 kg de cocaína que foi apreendido no dia 20/06/2009, na fazenda
Sete Irmãos, localizada no município de Barão de Melgaço/MT.

Para sustentar a prova da autoria delitiva em relação aos crimes de tráfico e


associação para o tráfico, o MPF indicou os diálogos interceptados n° 203, 204, 205, 294
e 463.

Vejamos:

Diálogos n° 203, 204 e 205 (20/03/2009): Versam esses diálogos sobre o


depósito de R$ 100.000,00 (cem mil reais) que EDÉSIO RIBEIRO NETO
realizou na conta bancária do acusado MARCELO JOSE HARDMAN
MEDINA e que ele teria gasto, por conta própria, parte do dinheiro que
pertencia a EDÉSIO.

Resta saber, contudo, se MARCELO JOSE HARDMAN MEDINA sabia, de


fato, que esse dinheiro seria empregado como parte para a aquisição do carregamento de
383,85kg de cocaína na Bolívia. Pela prova decorrente das interceptações telefônicas,
não é possível inferir o dolo do réu. Não há sequer um único indicativo que faça a ligação
entre MARCELO com os fornecedores, transportadores ou pessoal encarregado da
logística na fazenda Sete Irmãos. Que houve o depósito na conta de MARCELO, isso é
inegável e que ele tinha relacionamento com EDÉSIO RIBEIRO NETO, também não se
discute, mas se a partir desse relacionamento, ele sabia exatamente que esse dinheiro
serviu para adquirir entorpecente e ele, conscientemente, concorreu para o crime, isso, de
fato, não foi provado pela acusação.

Diálogo n° 294 (21/05/2009): Esse diálogo é bem relevante do ponto de vista


da prova da autoria delitiva. Nele, é possível constatar que MARCELO soube
da apreensão da droga realizada na fazenda Sete Irmãos e indicou um
advogado (corréu AROLDO) para seu amigo EDÉSIO RIBEIRO NETO.

Aqui, resta claro que MARCELO soube do envolvimento de EDÉSIO com o


narcotráfico, mas como já referi, os depósitos em sua conta ocorreram em dois meses
antes e, nesse período, é que se deve perquirir se naquele momento, MARCELO já sabia
que o dinheiro que corria nas suas contas seria utilizado para a aquisição do
carregamento de cocaína. A dúvida, contudo, ainda persiste. Nesse primeiro momento,
não há mesmo indicativo de dolo na conduta do réu MARCELO, no sentido de saber que
os recursos depositados em sua conta seriam utilizados para a aquisição do
carregamento de cocaína que foi apreendido.

Diálogo n° 463 (09/06/2009): Em decorrência da apreensão da droga,


MARCELO e AROLDO (advogado) conversam sobre as prisões. Repete-se,
aqui, o mesmo que foi sustentado sobre o diálogo anterior. MARCELO sabia

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 102
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
em 20/03/2009 que sua conta bancária seria utilizada para transferir o
dinheiro para aquisição do entorpecente? Não nesse período.
Posteriormente, MARCELO soube das prisões e até ficou com receio de ter
seu nome envolvido, considerando o empréstimo da conta bancária, mas
desse fato para se exprimir, com certeza, que desde 20/03/2009 ele já sabia
e voluntariamente concorreu com o crime falta mesmo um elemento de prova
de seu dolo, consistente na vontade inequívoca de participar, prestando
auxílio material, para o processo de aquisição desse carregamento da droga
apreendida.

Sem esse elemento probatório que possibilite a inelutável conclusão que


MARCELO JOSE HARDMAN MEDINA, vulgo “BOBO” prestou auxílio material de forma
consciente à consumação do crime de tráfico, impõe-se a sua absolvição das imputações
dos crimes previstos nos artigos 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006, com fulcro no artigo 386, inciso VII do Código de Processo Penal.

4.1.7. ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, epíteto “NANICO”.

O MPF denunciou ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, epíteto “NANICO”


como incurso nas sanções do crime previsto no artigo 33, “caput” e 35 c/c artigo 40,
inciso I, ambos da Lei 11.343/2006.

Segundo o MPF, ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA exercia importante


função dentro da estrutura da associação criminosa, pois era o responsável por
transportar veículos para a organização, bem como carregamentos de droga para o
Estado do Pará.

No dia 21/04/2009, o acusado ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA entrou


em contato com o réu WAGNER RODRIGO DE AMORIM, ocasião em que informou o
novo número de celular, bem como indagou sobre a demora da entrega e obteve a
resposta de WAGNER que o estavam passando por dificuldades de razão do controle de
tráfego aéreo, mas assim que tivesse uma brecha, eles conseguiriam entregar
(Transcrição 358).

TRANSCRIÇÃO 358

TELEFONE NOME DO ALVO


6584521994 6584521994 – maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
21/04/20
6584521 21/04/2009 00:01:2 @WAGNER x HNI - ESSA
6536531855 0 9
994 20:34:16 1 SEMANA RESOLVE
20:32:55

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 103
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DIÁLOGO
WAGNER - ALO
HNI - E AI...EU TROQUEI DE Nº QUERIA PASSA O Nº NOVO PRA VC
WAGNER - MEU RUIM GRIPADO
HNI - TO TENTANDO FALAR C/ O HOMEM LÁ MAS TÁ DESLIGADO
WAGNER - CONVERSEI C/ ELE HOJE
HNI - CONVERSOU NÉ...
WAGNER - O NEGOCIO LÁ E PROBLEMA AEREO SÓ TRAFEGO LÁ TÁ EMBASADO...ESSA
SEMANA O CARA RESOLVE...TÁ SENDO CONTROLADO....TÁ MORRENDO UM MONTE DE
GENTE LÁ
HNI - LÁ EM CIMA NÉ
WAGNER - ...ATÉ SEMANA QUE VEM RESOLVE. TÁ MEIO CABREIRO DA BRECHA ELE
VEM EMBORA..
HNI - TA CERTO PEGA AI
WAGNER - FALA AI
HNI - 84551152
WAGNER - BLZ ENTÃO
HNI - PEGOU AI
WAGNER - TA NO JEITO LIGO P/ VC
HNI - BLZ

No dia 27/04/2009, ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA manteve contato


com seu irmão FRANCISCO FERNANDES DE SOUZA, epíteto “CHIQUINHO” e afirmou
que mandaria “dois meninos” do Estado do Pará e chegariam em Chapada dos
Guimarães/MT, para auxiliar no transporte que chegaria no final de semana (Transcrição
369).

TRANSCRIÇÃO 369

TELEFONE NOME DO ALVO


6584551152 6584551152 - op Maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR RA FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
27/04/20 27/04/200
6584551 00:02:1 @HNI X HNI1 - FINAL DE
9191456044 0 99
152 5 SEMANA RESOLVE
15:34:20 15:36:35

DIÁLOGO
HNI - TO DESPACHANDO 2 MENINO DAQUI HJ QUE VAI LEVAR A CONDUÇÃO PRO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 104
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
HOMEM.. E QUANDO CHEGAR NA CIDADE ONDE TEM FESTIVAL DE INVERNO
(CHAPADA)... ELES VAO ENTRAR EM CONTATO COM VC... PRA VC E O JURITI IR LA
BUSCAR ELES DOIS... AI VC VAI PEGAR O VEICULO E LIGAR PRO HOMEM PRA VER ONDE
QUE É PRA VC DEIXAR O VEICULO...AI O HOME VAI COMPRAR DUAS PASSAGENS PROS
DOIS... EU SÓ QUERO Q VC NAO DEIXA A LAURA VER NEM UM DELES DOIS AI... VC DA
UM APOIO PRA ELES... E NO MESMO DIA SE PUDER DESPACHAR ELES PRA TRAS VC DA
ESSE APOIO AI...
HNI1 - ELES VAI DE QUE?
HNI - DE ONIBUS... E VC DESPACHA ELES PRA MIM QUE TAO SAINDO DAQUI HJ... MAIS
TARDAR DEPOIS DE AMANHA TA AI... JA TEM SEU NUMERO... AI VC VAI NO JURITI E
AVISA ELE PRA ELE FICAR NA EXPECTATIVA...
HNI1 - FALOU COM O HOMEM POR AGORA...
HNI - FALEI AGORA... ESSE FINAL DE SEMANA JA RESOLVE...
HNI1 - ESSE NUMERO É NOVO É...
HNI - É... VOU ESTAR NESSE E NAQUELE OUTRO..
HNI1 - OLHA... NAO DESLIGA ESSE TELEFONE AI... POR QUE OS MENINO NAO CONHECE
NADA AI...
HNI - QUANDO ELE ESTIVER NO VERDE ELE TI LIGA E VC JA SOBE PRA LA... AI VC QUE
PEGA A CONDUÇÃO E ENTREGA LA PRO HOMEM...

Já no dia 13/06/2009, ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, epíteto


“NANICO” foi informado por seu irmão FRANCISCO FERNANDES DE SOUZA, epíteto
“CHIQUINHO” que havia contatado DANIEL DA SILVA GUIA, epíteto “BUCHO”, que
afirmou que não estava mais na região, mas que logo seria enviado (Transcrição 464).

TRANSCRIÇÃO 464

TELEFONE NOME DO ALVO


6584681053 6584681053 maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
13/06/200
6584681 13/06/2009 00:02:3 @NANICO X CHIQUINHO
9182566504 9
053 13:03:17 5 - HJ PRA AMANHA
13:00:42

DIÁLOGO
CHIQUINHO - ...ALGUMA NOVIDADE AI PRA MIM
NANICO - POR ENQUANTO NÃO
CHIQUINHO - NÃO
NANICO - NÃO. ENCONTREI C/ O BUCHO ALI POR UM ACASO ENCONTREI C/ ELE ALI ELE
FALOU QUE NÃO TÁ MAIS NAQUELA REGIÃO QUE TAVA NÃO ...QUE TAVAM CORRENDO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 105
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ATRAS PRA RETIRAR DE LÁ NÉ. TÁ ATÉ COMPRANDO UMA PEÇA ALI PRA ARRUMAR UM
CARRO QUE IA PRA LÁ ....SO QUE NÃO DEU PREVISÃO DE NADA NÃO. FALO QUE TAVA
CORRENDO ATRAS EU ATÉ FALEI PRA ELE PRA IR CONVERSAR C/ ELE PRA VÊ AONDE
LOCALIZAVA NÉ ELE FALOU QUE O HOMEM JÁ PASSOU POR LÁ E JÁ MOSTROU ....
CHIQUINHO - ENTÃO ELE JÁ TÁ SABENDO NÉ
NANICO - ....JÁ TÁ SABENDO EU ATÉ FIQUEI ASSIM POR QUE A ULTIMA VEZ QUE VI ELE
ESQUECI DE FAZER ESSE COMENTARIO C/ ELE HJ EU LEMBREI VAI QUE DEREPENDE
ELES RESOLVEM LÁ NÃO SABE NEM ONDE QUE É AI ELE FALOU NÃO JÁ SEI ONDE QUE
O HOMEM JÁ PASSOU LÁ NA FRENTE E ME MOSTROU....ACHO QUE ELE TÁ INDO PRA LÁ
CHIQUINHO - PODE SER DE HJ PRA AMANHA NÉ
NANICO - PODE SE TAMBÉM NÉ CARA
CHIQUINHO - EU VOU DÁ UMA LIGADINHA LÁ PRO HOMEM DAQUI UM PEDAÇO
NANICO - EU TO NA ATIVA ....
CHIQUINHO - VOU COMPRAR UM CARTÃO E DÁ UMA LIGADA PRA ELE LÁ
NANICO - EU FALEI QUE EU TO NA ATIVA ...

Não obstante o quanto narrado pelo MPF, não é possível vincular os diálogos
interceptados, acima transcritos, exatamente com o carregamento de 383kg de cocaína
que foi apreendido no dia 20/06/2009. Com efeito, analisando o núcleo do tipo delitivo
(art. 33, “caput” da Lei 11.343/2006), em qual ação teria incorrido ENIVALDO
FERNANDES DE SOUZA?

Ele teria importado ou adquirido cocaína? Em que circunstâncias? Pagando


quanto e para quem? Adquiriu de quem e para quem? Essas perguntas não podem ser
respondidas pelos diálogos interceptados, que refletem sim, a possível atuação voltada
ao tráfico de drogas, mas que tráfico exatamente?

Ele teria transportado? Também não é possível responder, porque a droga


foi apreendida em 20/06/2009, antes de ser possivelmente enviada para o Estado do
Pará. Como não existe “tentativa de transporte” e que não há provas que ele atuou na
internação e transporte da droga até a fazenda Sete Irmãos, não é possível concluir
algum transporte. Como já referi, sem embargo de que ele tenha transportado droga, não
é possível dizer, com margem de certeza e segurança exigida para a condenação, que
ele atuou de alguma forma no transporte desse carregamento de 383kg de cocaína
apreendido na fazenda Sete Irmãos.

Remanescendo ainda a dúvida sobre a prova da autoria, impõe-se a


absolvição do acusado ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, epíteto “NANICO” das
imputações do crime previsto no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006, com fulcro no artigo 386, inciso VII do Código de Processo Penal.

4.1.8. ROBERTO CARLOS PEREIRA, epíteto “BETO”

O MPF imputou ao acusado ROBERTO CARLOS PEREIRA, epíteto


“BETO” a prática dos crimes previstos nos artigos 33, “caput” e 35 c/c artigo 40, inciso I,
ambos da Lei 11.343/2006, pois foi contratado para atuar no desembarque da droga do
avião que pousou na fazenda Sete Irmãos, o trabalho de depositar (esconder) o
carregamento da cocaína dentro da fazenda para evitar a fiscalização e apreensão.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 106
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
No dia 23/06/2009 foi captada uma ligação em que EDÉSIO RIBEIRO NETO
conversou com AROLDO sobre os empregados da fazenda que poderiam prestar
depoimento em razão da apreensão da droga, entre eles, o acusado ROBERTO CARLOS
PEREIRA, referido por EDÉSIO RIBEIRO NETO como “Irmão do Marcelo” (Transcrição
526).

TRANSCRIÇÃO 526

TELEFONE NOME DO ALVO


6599447291 6599447291 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
23/06/20
6599447 23/06/2009 00:08:1 @ARO LDO X BIN H O -
1195092849 0 9
291 18:10:31 0 ESTRATEGIA
18:02:21

DIÁLOGO
AROLDO. ....PRENDERAM OS BENS DE TODO MUNDO ALEM DOS GADOS, CARROS
FORAM TODOS PRESOS....
BINHO. CARRO DE QUEM?
AROLDO. A D20 DO JACKSON, FORAM ATRAS DA CAMINONETE DO JACKSON..TODOS OS
CARROS...
BINHO. MAS VC SABEM QUAL SÃO OS CARROS
AROLDO. NÃO....MAS ESTÃO ATRAS DO CARRO DO CABEÇA DE TODO MUNDO.....A
HILUX VAI FICA LÁ UMA L200 QUE O CABEÇA USAVA ELES ESTÃO ATRAS.....A GENTE TÁ
MEIO CABREIRO PQ ATÉ O VECTRA VAI CAI VAMOS ATE DEIXA ELE ESCONDIDO ...
BINHO. DEIXA ESCONDIDO QUALQUER COISA A GENTE POE UM EMBARGO DE
TERCEIRO AI...
AROLDO. ....TÁ NO ESCRITORIO ...NEM TÁ LÁ MAIS TA EM UMA CHACARA.....NINGUEM SE
ENTREGOU ....
BINHO. MAS E AI JÁ SABE O MANDADO DE QUEM QUE TEM?
AROLDO. ...PRA TODO MUNDO AQUELE QUE TEM A FOTOGRAFIA LÁ.....TAL
CUMPRINDO....
BINHO. .....NÃO TEM COMO SABE OS MANDADOS QUE ESTÃO NA RUA?
AROLDO. NÃO TEM....
BINHO. ...VAI DA PRA TODO MUNDO...FOTO TEM DE 11 PESSOAS ....
AROLDO. ATE UM TAL DE MANEZINHO ELE PEDIU...
BINHO. ....O MANE EU SEI QUEM QUE É....TEM ATE GENTE QUE EU NEM SEI QUE E...TEM
11 FOTOS DIFERENTES ELES ESTÃO FALANDO 15 MANDADOS...
AROLDO. NÃO ELE FALOU EXTRA OFICIALMENTE QUE SÃO 15 PESSOAS ENVOLVIDAS.....
BINHO. TEM 11 ALI....ALI NÃO TEM FOTO DO VETERINÁRIO QUE TÁ ATE A CABEÇA
ENVOLVIDO PQ O DEPOIMENTO DA TESTEMUNHA LEVA TD PRO VETERINÁRIO O PRIMO
DO CABEÇA....
AROLDO. FILHO DO PROFESSOR EDU.....

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 107
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
BINHO. O VETERINÁRIO O OUTRO WAGNER .....O VETERINÁRIO TAL DO TEO, O FILHO DO
PROFESSOR EDU AI JÁ SÃO 11, 12, 13 O DO POLICIAL ADALTO QUE ALI NÃO TEM FOTO
QUE FOI ABORDADO...
AROLDO. MAS EU ACHO QUE ELE VAI ....ELES ERRARAM O NOME DELE POR ISSO QUE
NÃO CONSEGUIRAM ACHAR FOTO DELE...
BINHO. ...SO AI JÁ SÃO 14...AI TEM O CARA QUE ARRENDOU A OUTRA FAZENDA QUE
FALOU QUE ARRENDOU PQ O CARA TAVA COM PROBLEMA DE SEPARAÇÃO MAS QUE
NÃO TINHA NADA A VÊ C/ ISSO UM TAL DE FERRAZ .....ESSA AI TAMBÉM SAI NÉ?
AROLDO. ...ACHO QUE SAI...
BINHO. SE TÁ NO NOME DELE A OUTRA FAZENDA ....OUTRA FAZENDA TÁ TOTALMENTE
VINCULADO A ISSO AI ...ELE NÃO E PROPRIETÁRIO E ARRENDATARIO .....ACHO DIFICIL
NÃO SAI
AROLDO. E UM CAMARADA DE VÁRZEA GRANDE.....
BINHO. ...ACHO DIFICIL NÃO SAI...
AROLDO. FOI AONDE PEGO A MAIOR QTDA DE COMBUSTIVEL...
BINHO. ...E OUTRA COISA TÁ TODO MUNDO ENTRELAÇADO C/ O DEPOIMENTO DO
RAPAZ CONFIRMOU QUE O JACKSON E O ADONAI ESTAVAM LÁ ......
AROLDO. ....NA LOGICA .... A TURMA VAI APRESENTANDO E VAI FICANDO....VAMOS VER
O DEPOIMENTO DEPOIS QUEM QUE VAI ASSUMI.....
BINHO. ...CADA UM TEM QUE FAZER SEU PAPEL....
AROLDO. ...TEM OS ARRENDATARIOS DA FAZENDA: MARCELO, HELDER E TEM O
IRMÃO DO MARCELO.....O MARCELO VAI FALA QUE OS DOIS NÃO TEM NADA A VÊ C/
ISSO EU QUE VOU CULPADO ....JÁ LIMPO ESSES DOIS AI....O CABEÇA VAI FALA O
PRETINHO NÃO TEM NADA A VÊ C/ ISSO JÁ LIVRA MAIS UM ...VAI LIVRANDO AOS
POUCOS ....AMANHA O ADVOGADO DO CABEÇA VAI LÁ NO ESCRITORIO.....TROCAR
FIGURINA....
BINHO. QUEM QUE E O ADVOGADO DELE?
AROLDO. ....UM ADVOGADO ANTIGO DELE QUE JÁ REENTREGOU ELE UMAS TRES
VEZES NA POLICIA E UMA CARA DE CONFIANÇA DELE.... UM TAL DE KADIMO

A prova da autoria foi corroborada, principalmente, pelo depoimento prestado


em delação premiada pelo colaborador ANTÔNIO DE ASSIS MARTINS, epíteto
“MARQUINHOS” (fls. 17/24 da Delação Premiada 2009.36.00.010290-9). Com efeito,
segundo depoimento prestado pelo colaborador ANTÔNIO DE ASSIS MARTINS, afirmou
que ROBERTO CARLOS PEREIRA estava no local quando o avião aterrissou na fazenda
Sete Irmãos trazendo o carregamento de cocaína, juntamente com ADONAI, WAGNER,
JACKSON, MARCELO DA SILVA, HELDER DINIZ PEREIRA e EDILSON AMORIM DO
NASCIMENTO.

Nesse sentido, colaciono o referido depoimento:

“(...) Que, o declarante foi criado junto ao Vale do Aricá, na comunidade do


Barreiro, sendo que em uma chácara vizinha, do declarante, tinha uma
família, que tinha corno filhos as pessoas de MARCELO e seu irmão
ROBERTO, conhecido como BETO, cujos nomes completos o mesmo não
sabe declinar; (...) QUE, na oportunidade em achava na fazenda
juntamente com a pessoa de EDILSON, sendo que por volta das 07:00
horas da manhã, chegaram na mesma as pessoas de WAGNER (cabeça),
ROBERTO (Beto), MARCELO, HELDER, ADONAI, JACKSON e MANOEL

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 108
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
(Mané), os quais estavam ocupando uma SW4, de cor verde escuro, placas
que não se recorda, bem como é de conhecimento que uma outra camionete
L200, de cor mais clara que a SW4, ficou na localidade de MIMOSO, sendo
que ali estavam as pessoas de ADAUTO (daltinho), um outro WAGNER e
RUBENS (também apelidado de cabeção, sendo este veterinário); QUE, é de
conhecimento que este três ficaram em MIMOSO para verificar
movimentação de polícia na localidade, pois se assim vissem, imediatamente
entravam em contato telefônico com a fazenda e todos evadiriam-se do local;
QUE, por volta das 10:30/11:00 horas, perceberam no céu um avião, onde
pensaram tratar-se do avião que iria descarregar a droga, sendo que
imediatamente MARCELO e HELDER adentraram a camionete Hilux de cor
azul, que estava na fazenda, e foram para a cabeceira da pista para abrir a
lona, demonstrando indicativo ao piloto do avião para descer na pista, pois a
lona já estava na cabeceira da pista, porém sem estar aberta, sendo esta
lona plástica de cor amarela; QUE, o referido avião foi embora e perceberam
não se tratar do mesmo; QUE, por volta das 12:00 horas, veio outro avião,
de cor branco e vermelho, cujo prefixo não se recorda, onde então este
sim veio a pousar na pista da fazenda; QUE, imediatamente foi retirado a
carga do avião, onde o pessoal comentava que seria em torno de 430
(quatrocentos e trinta) quilos, sendo que estes achavam-se em torno de
13 sacos plásticos transparentes, sendo que dentro destes sacos
haviam vários “tijolos” de cocaína, ou seja, em barra; QUE, abasteceram
o avião ali mesmo na pista, onde este após a operação, imediatamente veio a
decolar indo embora, sendo que o tempo de demora entre o pouso e
decolagem, virou em torno de 30 (trinta) minutos; QUE, no avião haviam duas
pessoas, sendo ambos bolivianos, os quais não conversaram muito, sendo
que a operação é rápida, ou seja abriram a porta do avião e diziam para irem
tirando os pacotes de dentro, ao passo que outros eram para abastecer o
avião; QUE, estes dois bolivianos, mais conversaram com a pessoa de
ADONAI; QUE, perguntado esclarece que não conhecia as pessoas de
ADONAI, JACKSON e MANOEL, vindo a conhece-los naquela ocasião; QUE,
após retirarem todos os pacotes e colocarem os mesmos dentro da SW4 se
dirigiram até atrás do galinheiro debaixo do pé de seriguela que têm ali, onde
retiraram todos os sacos, abriram os mesmos, e contaram quantos tijolos de
cocaína ali tinha, vindo a contar 430 (quatrocentos e trinta) tijolos de droga;
QUE, após, vieram a reembalar, onde ato contínuo WAGNER (cabeça, o
policial), mandou que guardassem a mercadoria, e dali saíram com a SW4 as
pessoas de MARCELO, o DECLARANTE e EDILSON, sendo que já
possuíam um local pré determinado, todavia camionete atolou, pois estava
cheio d'água e não deu para ir para frente para ir guardar onde era o
local já definido; QUE onde a camionete atolou o local ser próximo,
decidiram levar toda a mercadoria nas "costas", e assim foi feito, sendo
que as pessoas de BETO, MARCELO, HELDER, O DECLARANTE,
EDILSON e a pessoa de MANOEL (Mané) vieram a carregar, onde após
vieram a desatolar o carro, ficando todos na sede da fazenda; QUE, quer
esclarecer de que quando estavam com a droga ainda dentro da SW4, no
início do atolamento, sendo que estavam tentando passar com a camionete
na água, viram o helicóptero da polícia passar sobre a fazenda; QUE, neste
momento todos se assustaram e saíram correndo para o mato, ficando

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 109
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
apenas a pessoa de WAGNER (cabeça) na sede da fazenda olhando; QUE,
percebendo que o helicóptero tinha ido embora, foi que decidiram
rapidamente "transportar a droga para o esconderijo na mão mesmo”, o que
fora feito; QUE, neste momento do helicóptero, MARCELO ligou para a
pessoa de DALTINHO perguntando se estava ocorrendo alguma
movimentação policial, onde DALTINHO dizia que não; QUE, esclarece que o
esconderijo onde a droga esta atualmente, pelo menos onde deixou, é no
meio de uma moita bem grande e bem fechada, em seu interior, colocaram
um plástico de chuva e intempéries do tempo; QUE, após isto colocaram por
cima algumas folhas de coqueiro de aguaçu; QUE, após isto vieram a
desatolar o carro, e todos foram embora logo ao entardecer, ou seja quando a
noite começou a cair, ficando apenas a pessoa do declarante e EDILSON;
QUE, naquela mesma noite, por volta de 23:45/24:00 horas, a pessoa de
BETO ligou para a fazenda dizendo que haviam sido abordados na
estrada por policiais, sendo que tinham sido liberados após, onde o
declarante solicitou se havia perigo eles ficarem ali ou não, sendo que
BETO dissera que não; QUE, no dia seguinte, de manhã, o declarante se
encontrava juntamente com EDILSON, quando recebeu outro telefonema,
agora de WAGNER (cabeça), o qual ordenou que ambos fechassem a cerca
que tinha sido aberta para formar a pista de pouso na fazenda, pois a
intenção era dissimular que ali não era pista de pouso, ou melhor, quer dizer
que quem passasse por cima, de avião ou helicóptero, olharia e não falaria
que ali era urna pista de pouso; QUE, salienta de que na FAZENDA SETE
IRMÃOS possui duas pistas de pouso, onde outrora se utiliza uma pista,
porém, com as chuvas e a enchente, vieram a abrir outra pista, que é esta
que o declarante manifesta neste momento; QUE, assim fora feito, sendo que
se achavam colocando os "mourões" na pista, quando ouviram barulho de
veículos, se aproximando e como já era sabedor de que sempre avisava
quando iriam chegar ficaram desconfiados, onde se esconderam no mato, e
avistando de que se tratava de viaturas da polícia, imediatamente fugiram do
local abandonando tudo que ali achava, inclusive a Hilux de cor azul, que
ficou ao lado da pista perto dos tambores que foram usados para abastecer o
avião; QUE, dali ficaram no meio do mato, indo para comunidades do local a
procura de um telefone para ligar para o pessoal; QUE, a priori não
conseguiram falar com ninguém, porém posteriormente conversaram
com BETO o qual dissera que era para os mesmos ficarem escondidos
no meio do mato; QUE, cerca de dez dias depois, BETO conversou
telefonicamente com o declarante novamente, onde dissera que o
advogado Dr. AROLDO iria busca-los por volta das 05:00 horas da
manhã, e assim fora feito, sendo que o Dr. AROLDO fora até a localidade
onde se encontravam homiziados, de posse de uma camionete S-l0 de cor
preta, vindo a resgatar o declarante, a pessoa de EDILSON, e o cachorro
chamado TATA que ficava na fazenda; QUE, assim o Dr. AROLDO deixou o
declarante e EDILSON em uma pousada perto do rio, se não lhe falha a
memória chamada "FEVA' ou algo parecido "CEVA", e dali apanharam um
barco conhecido como "voadeira", e o declarante e EDILSON foram até a
localidade de Santo Antônio do Leverger, mais precisamente nas imediações
da "casa de telha"; onde outro advogado lhes esperavam, um advogado mais
velho, de olho claro, de nome DR. JOÃO BATISTA, sendo que em um

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 110
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
primeiro momento não dissera ser advogado, mas depois no meio da
conversa veio a dizer sua profissão, QUE, dali EDILSON foi para a casa da
mãe do MARCELO, ao passo que o declarante foi se homiziar no sitio de seu
genitor, esclarece o declarante que quando ainda estavam escondidos na
região, ele e EDILSON, certa ocasião receberam um telefonema de
MARCELO o qual dissera ao declarante para que trocasse de lugar a droga,
pois a mesma estava escondida em um local que julgavam não ser bom, em
razão da correrira que sofreram para esconder a mesma; Que, MARCELO
veio a lhe dizer que era para levar a droga .para o outro esconderijo que é
mais seguro, onde afirma se tratar do local já mencionado acima em suas
declarações que descreveu; QUE, neste ato nos fornece um "croqui"
elaborado por si, para indicar o local exato onde a droga esta escondida,
sendo que o quadrado trata-se da sede da fazenda, o "ATOLADO" seria onde
foi detectado marcas de atolamento de carro pela polícia, a "linha horizontal"
é a cerca tendo a primeira moita (local do primeiro esconderijo) e a outra é a
segunda moita (local definitivo do esconderijo); QUE, perguntado esclarece
de que parte da droga que ali chegou é de propriedade das pessoas de
ADONAI, JACKSON e MANE, pois como dito estes não os conheciam,
conhecendo somente no dia, e a outra parte era do pessoal do declarante;
QUE, esclarece ainda de que ficou sabendo que a droga de ADONAI iria ser
descarregada na fazenda BAIA DOS PASSAROS que foi arrendada por eles,
porém, um ou dois dias antes da chegada do carregamento, vieram a
perceber alguma movimentação diferente, bem como viram duas camionetes
escondidas no meio do mato, e aí ficaram com receio pois não sabiam do que
se tratava e resolveram trazer o carregamento para a FAZENDA SETE
IRMÃOS; QUE, quer esclarecer de que quando deste carregamento, ouviu as
pessoas comentarem de que o pessoal da FAZENDA SETE IRMÃOS
estavam aliados com o pessoal da FAZENDA BAÍA DOS PÁSSAROS; QUE,
é do conhecimento do declarante de que o pessoal veio a alugar um
escritório, dentro da agropecuária SÃO JORGE, na Av. Carmindo de
Campos, sendo que posteriormente vieram a fechá-lo, ficando pouco tempo
com ele, sendo que o veterinário RUBENS é quem ficava encarregado deste
escritório; QUE, o declarante chegou de ir até este escritório por duas vezes,
sendo que o declarante sempre encontrou RUBENS no mesmo; QUE, pelo
que dava a perceber, quem detinha o dinheiro de todo o grupo era a pessoa
de WAGNER (cabeça); QUE, quanto ao vereador WAGNER, esclarece tê-lo,
visto apenas uma única vez na fazenda, logo no começo; QUE, quer deixar
consignado de que é de seu conhecimento que junto a FAZENDA SETE
IRMÃOS, quanto aos gados que ali tem, possui aproximadamente cerca de
500 (quinhentas) cabeças, sendo que destas aproximadamente 400
(quatrocentas) pertencem a Wagner, Helder, Marcelo e Daltinho e estão
marcados com a marca SJ (de agropecuária São Jorge); alguns bezerros não
foram marcados. O restante, ou seja, as outras aproximadamente 100 (cem)
cabeças pertencem ao Paulo Vilela, que estão em parceria com o Carlos
Dorileo, proprietário da Fazenda, e estão marcados com a marca LA. Em
meio a estas 100 (cem) cabeças tem também algumas cabeças que
pertencem aos vizinhos daquela localidade Mucambo, sendo que o Sr. Moraci
sabe separar certinho as cabeças de gado que pertencem aos vizinhos; QUE,
quando o declarante já se encontrava na casa de seus pais, MARCELO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 111
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
entrou em contato com o declarante dizendo de que queriam retornar lá para
“enterrar” a droga ou “removê-la” do local, sendo que o declarante dissera
que o local era seguro e que a droga estava segura, mas MARCELO dissera
que iria arrumar um jeito de tirar de lá ou enterrar; QUE., esclarece que a
SIMONI (esposa de EDILSON) é irmã de HELDER, HELDER é sobrinho do
MARCELO e BETO, e estes são primos do policial civil NEURI; QUE,
esclarece ainda de que a Hilux de cor azul apreendida na fazenda pelo que
sabe estava em uma agência de carros, a qual foi apanhada lá para ir para a
FAZENDA SETE IRMÃOS; QUE, a. pessoa que cuida desta garagem é uma
pessoa de pré-nome DANIEL, de alcunha BUCHO, o qual foi na fazenda
por duas vezes, sendo que ali estava acompanhado por DALTON,
WAGNER (cabeça), MARCELO, e BETO, sendo que acredita o declarante
que o mesmo faça parte da organização criminosa, bem como esta
garagem seja de propriedade do pessoal e não do próprio BUCHO; QUE,
este BUCHO é um moreno, bem gordo; QUE, com relação a duas carabinas
de fabricação RUSSA apreendida na fazenda esclarece que, logo no começo
que começou a trabalhar lá, WAGNER (cabeça) e DALTINHO apareceram
com três carabinas daquelas, sendo que DALTINHO levou para sua casa ao
passo que as outras duas ficaram na FAZENDA; QUE, com relação ao
combustível para abastecer o avião para retorno à BOLIVIA; a alguns
dias já estava escondido no mato, sendo que foi para lá levado pela
pessoa de BETO; QUE, quer esclarecer de que durante todo o transcorrer
destes fatos, foi procurado pelo Dr. AROLDO, advogado, ao qual sempre
dizia ao declarante de que se o mesmo agüentasse a bronca e ficasse
calado, este iria receber um prêmio da pessoa de WAGNER, não sabendo
declinar se seria dinheiro, um carro ou uma moto, ou qualquer outra coisa;
(...) QUE, afirma que o declarante e EDILSON cuidavam da manutenção da
fazenda e do gado, sendo que mais o declarante para cuidar do gado e
EDILSON na manutenção, em especial, na parte elétrica, sendo, que o
veterinário vezes verificava o que faltava para manter os gados ali, como
comida, vacina, etc, e geralmente BETO é quem levava para a fazenda os
materiais necessários, sal,. vacina, etc.,. sendo que a parte de comida e
outras despesas do declarante e de EDILSON eram mantidos pela pessoa de
WAGNER (cabeça);” [grifei]

O depoimento do colaborador ANTÔNO DE ASSIS MARTINS é consistente


em comprovar após o descarregamento da droga do avião, ROBERTO DA SILVA
CARLOS PEREIRA, vulgo “BETO” ajudou a desatolar a caminhonete que estava
transportando a droga no interior da fazenda Sete Irmãos e ajudou a levar a carga para o
esconderijo.

Interrogado em Juízo, o réu ROBERTO CARLOS PEREIRA, vulgo “BETO”


afirmou que os fatos não são verdadeiros, não conhece a Fazenda Sete Irmãos e não
sabe o motivo de ter sido denunciado nesta ação penal. Não estava na caminhonete
saindo da fazenda Sete Irmãos. Dos acusados denunciados, conhece somente
MARCELO DA SILVA PEREIRA, que é seu irmão, e HELDER DINIZ PEREIRA, que é seu

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 112
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
sobrinho.

A negativa de autoria, contudo, não resiste à forte prova decorrente das


interceptações telefônicas em que EDÉSIO RIBEIRO NETO conversou com AROLDO
sobre os empregados da fazenda que poderiam prestar depoimento em razão da
apreensão da droga, entre eles, o acusado ROBERTO CARLOS PEREIRA, referido por
EDÉSIO RIBEIRO NETO como “Irmão do Marcelo” (diálogo interceptado n° 526). Essa
prova decorrente da interceptação telefônica ainda está em consonância com o
depoimento prestado em delação premiada pelo colaborador ANTÔNIO DE ASSIS
MARTINS, epíteto “MARQUINHOS” (fls. 17/24 da Delação Premiada 2009.36.00.010290-
9), que afirmou que ROBERTO CARLOS PEREIRA estava no local quando o avião
aterrissou na fazenda Sete Irmãos trazendo o carregamento de cocaína, tendo
ajudado a desatolar a caminhonete que estava transportando a droga no interior da
fazenda Sete Irmãos, bem como auxiliado no transporte da droga até o esconderijo
na referida fazenda.

Assim, ao atuar no transporte da substância entorpecente no interior da


fazenda Sete Irmãos, recepcionando-a no solo após o descarregamento e auxiliar para
que a caminhonete com o carregamento fosse desatolada, bem como ao auxiliar no
transporte da droga até o esconderijo dentro da referida fazenda, ROBERTO DA SILVA
CARLOS PEREIRA, epíteto “BETO”

4.1.9. EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO

O MPF imputou ao acusado EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO a prática


do crime previsto no artigo 33, “caput” e 35 c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006, pois foi contratado para atuar no desembarque da droga do avião que
pousou na fazenda Sete Irmãos, o trabalho de depositar (esconder) o carregamento da
cocaína dentro da fazenda para evitar a fiscalização e apreensão.

No dia 23/06/2009 foi captada uma ligação em que EDÉSIO RIBEIRO NETO
conversou com AROLDO sobre os empregados da fazenda que poderiam prestar
depoimento em razão da apreensão da droga (Transcrição 526).

A autoria da prática criminosa foi comprovada pelo depoimento prestado em


delação premiada pelo colaborador ANTÔNIO DE ASSIS MARTINS, epíteto
“MARQUINHOS” (fls. 17/24 da Delação Premiada 2009.36.00.010290-9).

Nesse sentido, colaciono o referido depoimento:

“(...) QUE, conheceu a pessoa de EDILSON acerca de dois anos atrás, junto
ao sitio da família de HELDER no Vale do Aricá, pois EDILSON é casado com
a irmã de HELDER, de pré-nome SIMONI;. QUE, acerca de 07 (sete) meses
atrás, foi procurado pela pessoa de MARCELO o qual lhe ofereceu emprego
junto a FAZENDA SETE IRMÃOS para ser peão de fazenda, ou seja, cuidar
de gados de propriedade do. mesmo; QUE, tal oferecimento se deu. em
virtude do mesmo sempre trabalhar como peão de fazenda, cuidando de
gados; QUE, MARCELO veio a lhe oferecer R$ 3.000,00(três mil reais) por
mês, o que de pronto foi aceito por este; QUE, apesar do valor não ser o
normal de mercado de trabalho, o declarante veio a desconfiar de algo

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 113
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
errado, porém, nada falou haja vista estar ganhando mensalmente o seu
salário; QUE, na mesma época, também foi contratado a pessoa de
EDILSON, para trabalhar na fazenda, para realizar a parte elétrica de
toda a fazenda, pois a mesma foi reformada; QUE, no princípio, o
declarante e EDILSON ficavam na fazenda por cerca de 15 (quinze) dias,
e depois ia para sua casa, a mando de MARCELO, passados alguns dias,
MARCELO ou outro lhe ligava dizendo que estava na hora de retomar para a
fazenda, e sempre fora assim; QUE, apesar de ter fechado acordo em R$
3.000,00 (três mil reais) mensais, na verdade acerca de cinco meses atrás o
mesmo não veio mais a receber o referido valor, sendo que eles sempre
diziam que estavam apertados e que quando melhorasse pagariam o que
deviam, e mensalmente davam ao declarante, vez R$ 500,00 reais, vez
1.000,00 reais, e assim por diante; Que, é de conhecimento que EDILSON
também foi contratado pelo mesmo valor mensal:, e que este problema
de pagamento de salário mencionado, igualmente ocorreu com ele; (...)
QUE, na oportunidade em achava na fazenda juntamente com a pessoa de
EDILSON, sendo que por volta das 07:00 horas da manhã, chegaram na
mesma as pessoas de WAGNER (cabeça), ROBERTO (Beto), MARCELO,
HELDER, ADONAI, JACKSON e MANOEL (Mané), os quais estavam
ocupando uma SW4, de cor verde escuro, placas que não se recorda, bem
como é de conhecimento que uma outra camionete L200, de cor mais clara
que a SW4, ficou na localidade de MIMOSO, sendo que ali estavam as
pessoas de ADAUTO (daltinho), um outro WAGNER e RUBENS (também
apelidado de cabeção, sendo este veterinário); QUE, é de conhecimento que
este três ficaram em MIMOSO para verificar movimentação de polícia na
localidade, pois se assim vissem, imediatamente entravam em contato
telefônico com a fazenda e todos evadiriam-se do local; QUE, por volta das
10:30/11:00 horas, perceberam no céu um avião, onde pensaram tratar-se do
avião que iria descarregar a droga, sendo que imediatamente MARCELO e
HELDER adentraram a camionete Hilux de cor azul, que estava na fazenda, e
foram para a cabeceira da pista para abrir a lona, demonstrando indicativo ao
piloto do avião para descer na pista, pois a lona já estava na cabeceira da
pista, porém sem estar aberta, sendo esta lona plástica de cor amarela; QUE,
o referido avião foi embora e perceberam não se tratar do mesmo; QUE, por
volta das 12:00 horas, veio outro avião, de cor branco e vermelho, cujo
prefixo não se recorda, onde então este sim veio a pousar na pista da
fazenda; QUE, imediatamente foi retirado a carga do avião, onde o pessoal
comentava que seria em torno de 430 (quatrocentos e trinta) quilos, sendo
que estes achavam-se em torno de 13 sacos plásticos transparentes, sendo
que dentro destes sacos haviam vários “tijolos” de cocaína, ou seja, em barra;
QUE, abasteceram o avião ali mesmo na pista, onde este após a operação,
imediatamente veio a decolar indo embora, sendo que o tempo de demora
entre o pouso e decolagem, virou em torno de 30 (trinta) minutos; QUE, no
avião haviam duas pessoas, sendo ambos bolivianos, os quais não
conversaram muito, sendo que a operação é rápida, ou seja abriram a porta
do avião e diziam para irem tirando os pacotes de dentro, ao passo que
outros eram para abastecer o avião; QUE, estes dois bolivianos, mais
conversaram com a pessoa de ADONAI; QUE, perguntado esclarece que não
conhecia as pessoas de ADONAI, JACKSON e MANOEL, vindo a conhece-

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 114
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
los naquela ocasião; QUE, após retirarem todos os pacotes e colocarem
os mesmos dentro da SW4 se dirigiram até atrás do galinheiro debaixo
do pé de seriguela que têm ali, onde retiraram todos os sacos, abriram
os mesmos, e contaram quantos tijolos de cocaína ali tinha, vindo a
contar 430 (quatrocentos e trinta) tijolos de droga; QUE, após, vieram a
reembalar, onde ato contínuo WAGNER (cabeça, o policial), mandou que
guardassem a mercadoria, e dali saíram com a SW4 as pessoas de
MARCELO, o DECLARANTE e EDILSON, sendo que já possuíam um
local pré determinado, todavia camionete atolou, pois estava cheio
d'água e não deu para ir para frente para ir guardar onde era o local já
definido; QUE onde a camionete atolou o local ser próximo, decidiram
levar toda a mercadoria nas "costas", e assim foi feito, sendo que as
pessoas de BETO, MARCELO, HELDER, O DECLARANTE, EDILSON e a
pessoa de MANOEL (Mané) vieram a carregar, onde após vieram a
desatolar o carro, ficando todos na sede da fazenda; QUE, quer
esclarecer de que quando estavam com a droga ainda dentro da SW4, no
início do atolamento, sendo que estavam tentando passar com a camionete
na água, viram o helicóptero da polícia passar sobre a fazenda; QUE, neste
momento todos se assustaram e saíram correndo para o mato, ficando
apenas a pessoa de WAGNER (cabeça) na sede da fazenda olhando; QUE,
percebendo que o helicóptero tinha ido embora, foi que decidiram
rapidamente "transportar a droga para o esconderijo na mão mesmo”, o que
fora feito; QUE, neste momento do helicóptero, MARCELO ligou para a
pessoa de DALTINHO perguntando se estava ocorrendo alguma
movimentação policial, onde DALTINHO dizia que não; QUE, esclarece que o
esconderijo onde a droga esta atualmente, pelo menos onde deixou, é no
meio de uma moita bem grande e bem fechada, em seu interior, colocaram
um plástico de chuva e intempéries do tempo; QUE, após isto colocaram por
cima algumas folhas de coqueiro de aguaçu; QUE, após isto vieram a
desatolar o carro, e todos foram embora logo ao entardecer, ou seja
quando a noite começou a cair, ficando apenas a pessoa do declarante e
EDILSON; QUE, naquela mesma noite, por volta de 23:45/24:00 horas, a
pessoa de BETO ligou para a fazenda dizendo que haviam sido abordados na
estrada por policiais, sendo que tinham sido liberados após, onde o
declarante solicitou se havia perigo eles ficarem ali ou não, sendo que BETO
dissera que não; QUE, no dia seguinte, de manhã, o declarante se
encontrava juntamente com EDILSON, quando recebeu outro
telefonema, agora de WAGNER (cabeça), o qual ordenou que ambos
fechassem a cerca que tinha sido aberta para formar a pista de pouso na
fazenda, pois a intenção era dissimular que ali não era pista de pouso,
ou melhor, quer dizer que quem passasse por cima, de avião ou
helicóptero, olharia e não falaria que ali era urna pista de pouso; (...)
QUE, cerca de dez dias depois, BETO conversou telefonicamente com o
declarante novamente, onde dissera que o advogado Dr. AROLDO iria busca-
los por volta das 05:00 horas da manhã, e assim fora feito, sendo que o Dr.
AROLDO fora até a localidade onde se encontravam homiziados, de posse
de uma camionete S-l0 de cor preta, vindo a resgatar o declarante, a pessoa
de EDILSON, e o cachorro chamado TATA que ficava na fazenda; QUE,
assim o Dr. AROLDO deixou o declarante e EDILSON em uma pousada

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 115
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
perto do rio, se não lhe falha a memória chamada "FEVA' ou algo
parecido "CEVA", e dali apanharam um barco conhecido como
"voadeira", e o declarante e EDILSON foram até a localidade de Santo
Antônio do Leverger, mais precisamente nas imediações da "casa de
telha"; onde outro advogado lhes esperavam, um advogado mais velho,
de olho claro, de nome DR. JOÃO BATISTA, sendo que em um primeiro
momento não dissera ser advogado, mas depois no meio da conversa
veio a dizer sua profissão, QUE, dali EDILSON foi para a casa da mãe do
MARCELO, ao passo que o declarante foi se homiziar no sitio de seu genitor
, esclarece o declarante que quando ainda estavam escondidos na
região, ele e EDILSON, certa ocasião receberam um telefonema de
MARCELO o qual dissera ao declarante para que trocasse de lugar a
droga, pois a mesma estava escondida em um local que julgavam não
ser bom, em razão da correrira que sofreram para esconder a mesma;
(...)

(...) QUE, afirma que o declarante e EDILSON cuidavam da manutenção da


fazenda e do gado, sendo que mais o declarante para cuidar do gado e
EDILSON na manutenção, em especial, na parte elétrica, sendo, que o
veterinário vezes verificava o que faltava para manter os gados ali, como
comida, vacina, etc, e geralmente BETO é quem levava para a fazenda os
materiais necessários, sal,. vacina, etc.,. sendo que a parte de comida e
outras despesas do declarante e de EDILSON eram mantidos pela
pessoa de WAGNER (cabeça); (...)” [grifei]

Destarte, consta do referido depoimento, o réu EDILSON AMORIM DO


NASCIMENTO estava na fazenda e acompanhou o desembarque do avião trazendo
o carregamento de cocaína da Bolívia, na presença de ADONAI, WAGNER,
JACKSON, MARCELO DA SILVA, HELDER DINIZ PEREIRA e ROBERTO CARLOS
PEREIRA.

Ademais, EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO entrou na caminhonete


transportando a droga no interior da fazenda e trabalhou para desatolar o veículo, além
de conduzir o carregamento de cocaína para o esconderijo.

A prova testemunhal ainda foi corroborada pela prova decorrente da busca e


apreensão na Fazenda Sete Irmãos, em que foi possível encontrar vários documentos
pertencentes ao réu, principalmente sua CNH, certificado de dispensa, fotocópia de um
certificado de incorporação e um cartão de crédito do banco Bradesco, o que comprova a
sua presença na referida fazenda (fls. 29/32 da Busca e Apreensão n.
2009.36.00.010577-4).

Interrogado em Juízo, EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO afirmou que


trabalhou na fazenda para fazer reforma da casa como serviço de pedreiro, mas não
descarregou droga, tampouco viu algum descarregamento de droga. Foi contratado por
seu amigo conhecido como “MARQUINHOS”, mas não sabia o nome do dono da fazenda,
não viu a pista de pouso, não viu avião descer, nada. Quando a polícia chegou, não

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 116
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
estava mais na fazenda.

Não obstante a negativa genérica e superficial de autoria, o réu não explicou


o fato do colaborador ANTÔNIO DE ASSIS MARTINS, epíteto “MARQUINHOS” (fls. 17/24
da Delação Premiada 2009.36.00.010290-9) ter afirmado que EDILSON AMORIM DO
NASCIMENTO estava na fazenda e acompanhou o desembarque do avião trazendo
o carregamento de cocaína da Bolívia, na presença de ADONAI, WAGNER,
JACKSON, MARCELO DA SILVA, HELDER DINIZ PEREIRA e ROBERTO CARLOS
PEREIRA. Também não explicou o fato de ter entrado na caminhonete que transportou a
droga no interior da fazenda ou ter atuado para desatolar o veículo, além de conduzir o
carregamento de cocaína para o esconderijo.

Desse modo, ao atuar no transporte da substância entorpecente no interior da


fazenda Sete Irmãos, recepcionando-a no solo após o descarregamento e auxiliar para
que a caminhonete com o carregamento fosse desatolada, bem como ao auxiliar no
transporte da droga até o esconderijo dentro da referida fazenda, EDILSON AMORIM DO
NASCIMENTO incidiu na prática do crime previsto no artigo 33, “caput” c/c artigo 40,
inciso I, ambos da Lei 11.343/2006.

4.1.10. HELDER PEREIRA DINIZ

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL – MPF imputou ao acusado HELDER


PEREIRA DINIZ, a prática dos crimes tipificados nos art. 33, caput e § 1°, inciso III, art. 35
e art. 40, incisos I e IV da lei 11.343/2006.

O acusado HELDER PEREIRA DINIZ foi contratado para atuar no


desembarque da droga do avião que pousou na fazenda Sete Irmãos, o trabalho de
depositar (esconder) o carregamento da cocaína dentro da fazenda para evitar a
fiscalização e apreensão.

No dia 23/06/2009 foi captada uma ligação em que EDÉSIO RIBEIRO NETO
conversou com AROLDO sobre os empregados da fazenda que poderiam prestar
depoimento em razão da apreensão da droga, entre eles, o acusado HELDER PEREIRA
DINIZ (Transcrição 526).

TRANSCRIÇÃO 526

TELEFONE NOME DO ALVO


6599447291 6599447291 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
6599447 23/06/20 23/06/2009 00:08:1 @ARO LDO X BIN H O -
1195092849 0 9 18:10:31
291 0 ESTRATEGIA

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 117
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
18:02:21

DIÁLOGO
AROLDO. ....PRENDERAM OS BENS DE TODO MUNDO ALEM DOS GADOS, CARROS
FORAM TODOS PRESOS....
BINHO. CARRO DE QUEM?
AROLDO. A D20 DO JACKSON, FORAM ATRAS DA CAMINONETE DO JACKSON..TODOS OS
CARROS...
BINHO. MAS VC SABEM QUAL SÃO OS CARROS
AROLDO. NÃO....MAS ESTÃO ATRAS DO CARRO DO CABEÇA DE TODO MUNDO.....A
HILUX VAI FICA LÁ UMA L200 QUE O CABEÇA USAVA ELES ESTÃO ATRAS.....A GENTE TÁ
MEIO CABREIRO PQ ATÉ O VECTRA VAI CAI VAMOS ATE DEIXA ELE ESCONDIDO ...
BINHO. DEIXA ESCONDIDO QUALQUER COISA A GENTE POE UM EMBARGO DE
TERCEIRO AI...
AROLDO. ....TÁ NO ESCRITORIO ...NEM TÁ LÁ MAIS TA EM UMA CHACARA.....NINGUEM SE
ENTREGOU ....
BINHO. MAS E AI JÁ SABE O MANDADO DE QUEM QUE TEM?
AROLDO. ...PRA TODO MUNDO AQUELE QUE TEM A FOTOGRAFIA LÁ.....TAL
CUMPRINDO....
BINHO. .....NÃO TEM COMO SABE OS MANDADOS QUE ESTÃO NA RUA?
AROLDO. NÃO TEM....
BINHO. ...VAI DA PRA TODO MUNDO...FOTO TEM DE 11 PESSOAS ....
AROLDO. ATE UM TAL DE MANEZINHO ELE PEDIU...
BINHO. ....O MANE EU SEI QUEM QUE É....TEM ATE GENTE QUE EU NEM SEI QUE E...TEM
11 FOTOS DIFERENTES ELES ESTÃO FALANDO 15 MANDADOS...
AROLDO. NÃO ELE FALOU EXTRA OFICIALMENTE QUE SÃO 15 PESSOAS ENVOLVIDAS.....
BINHO. TEM 11 ALI....ALI NÃO TEM FOTO DO VETERINÁRIO QUE TÁ ATE A CABEÇA
ENVOLVIDO PQ O DEPOIMENTO DA TESTEMUNHA LEVA TD PRO VETERINÁRIO O PRIMO
DO CABEÇA....
AROLDO. FILHO DO PROFESSOR EDU.....
BINHO. O VETERINÁRIO O OUTRO WAGNER .....O VETERINÁRIO TAL DO TEO, O FILHO DO
PROFESSOR EDU AI JÁ SÃO 11, 12, 13 O DO POLICIAL ADALTO QUE ALI NÃO TEM FOTO
QUE FOI ABORDADO...
AROLDO. MAS EU ACHO QUE ELE VAI ....ELES ERRARAM O NOME DELE POR ISSO QUE
NÃO CONSEGUIRAM ACHAR FOTO DELE...
BINHO. ...SO AI JÁ SÃO 14...AI TEM O CARA QUE ARRENDOU A OUTRA FAZENDA QUE
FALOU QUE ARRENDOU PQ O CARA TAVA COM PROBLEMA DE SEPARAÇÃO MAS QUE
NÃO TINHA NADA A VÊ C/ ISSO UM TAL DE FERRAZ .....ESSA AI TAMBÉM SAI NÉ?
AROLDO. ...ACHO QUE SAI...
BINHO. SE TÁ NO NOME DELE A OUTRA FAZENDA ....OUTRA FAZENDA TÁ TOTALMENTE
VINCULADO A ISSO AI ...ELE NÃO E PROPRIETÁRIO E ARRENDATARIO .....ACHO DIFICIL
NÃO SAI
AROLDO. E UM CAMARADA DE VÁRZEA GRANDE.....
BINHO. ...ACHO DIFICIL NÃO SAI...
AROLDO. FOI AONDE PEGO A MAIOR QTDA DE COMBUSTIVEL...
BINHO. ...E OUTRA COISA TÁ TODO MUNDO ENTRELAÇADO C/ O DEPOIMENTO DO
RAPAZ CONFIRMOU QUE O JACKSON E O ADONAI ESTAVAM LÁ ......
AROLDO. ....NA LOGICA .... A TURMA VAI APRESENTANDO E VAI FICANDO....VAMOS VER
O DEPOIMENTO DEPOIS QUEM QUE VAI ASSUMI.....
BINHO. ...CADA UM TEM QUE FAZER SEU PAPEL....
AROLDO. ...TEM OS ARRENDATARIOS DA FAZENDA: MARCELO, HELDER E TEM O

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 118
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
IRMÃO DO MARCELO.....O MARCELO VAI FALA QUE OS DOIS NÃO TEM NADA A VÊ C/
ISSO EU QUE VOU CULPADO ....JÁ LIMPO ESSES DOIS AI....O CABEÇA VAI FALA O
PRETINHO NÃO TEM NADA A VÊ C/ ISSO JÁ LIVRA MAIS UM ...VAI LIVRANDO AOS
POUCOS ....AMANHA O ADVOGADO DO CABEÇA VAI LÁ NO ESCRITORIO.....TROCAR
FIGURINA....
BINHO. QUEM QUE E O ADVOGADO DELE?
AROLDO. ....UM ADVOGADO ANTIGO DELE QUE JÁ REENTREGOU ELE UMAS TRES
VEZES NA POLICIA E UMA CARA DE CONFIANÇA DELE.... UM TAL DE KADIMO

A prova da autoria foi corroborada, principalmente, pelo depoimento prestado


em delação premiada pelo colaborador ANTÔNIO DE ASSIS MARTINS, epíteto
“MARQUINHOS” (fls. 17/24 da Delação Premiada 2009.36.00.010290-9).

Transcrevo abaixo o referido depoimento:

“(...) QUE, também foi criado ali na região a pessoa de HELDER; QUE,
conheceu a pessoa de EDILSON acerca de dois anos atrás, junto ao sitio da
família de HELDER no Vale do Aricá, pois EDILSON é casado com a irmã de
HELDER, de pré-nome SIMONI;. (...) QUE, na oportunidade em achava na
fazenda juntamente com a pessoa de EDILSON, sendo que por volta das
07:00 horas da manhã, chegaram na mesma as pessoas de WAGNER
(cabeça), ROBERTO (Beto), MARCELO, HELDER, ADONAI, JACKSON e
MANOEL (Mané), os quais estavam ocupando uma SW4, (...) QUE, por
volta das 10:30/11:00 horas, perceberam no céu um avião, onde
pensaram tratar-se do avião que iria descarregar a droga, sendo que
imediatamente MARCELO e HELDER adentraram a camionete Hilux de
cor azul, que estava na fazenda, e foram para a cabeceira da pista para
abrir a lona, demonstrando indicativo ao piloto do avião para descer na pista,
pois a lona já estava na cabeceira da pista, porém sem estar aberta, sendo
esta lona plástica de cor amarela; QUE, o referido avião foi embora e
perceberam não se tratar do mesmo; QUE, por volta das 12:00 horas, veio
outro avião, de cor branco e vermelho, cujo prefixo não se recorda, onde
então este sim veio a pousar na pista da fazenda; QUE, imediatamente foi
retirado a carga do avião, onde o pessoal comentava que seria em torno de
430 (quatrocentos e trinta) quilos, sendo que estes achavam-se em torno de
13 sacos plásticos transparentes, sendo que dentro destes sacos haviam
vários “tijolos” de cocaína, ou seja, em barra; QUE, abasteceram o avião ali
mesmo na pista, onde este após a operação, imediatamente veio a decolar
indo embora, sendo que o tempo de demora entre o pouso e decolagem,
virou em torno de 30 (trinta) minutos; QUE, no avião haviam duas pessoas,
sendo ambos bolivianos, os quais não conversaram muito, sendo que a
operação é rápida, ou seja abriram a porta do avião e diziam para irem
tirando os pacotes de dentro, ao passo que outros eram para abastecer o
avião; QUE, estes dois bolivianos, mais conversaram com a pessoa de
ADONAI; (...) QUE onde a camionete atolou o local ser próximo, decidiram
levar toda a mercadoria nas "costas", e assim foi feito, sendo que as pessoas
de BETO, MARCELO, HELDER, O DECLARANTE, EDILSON e a pessoa de

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 119
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
MANOEL (Mané) vieram a carregar, onde após vieram a desatolar o carro,
ficando todos na sede da fazenda; QUE, quer esclarecer de que quando
estavam com a droga ainda dentro da SW4, no início do atolamento, sendo
que estavam tentando passar com a camionete na água, viram o helicóptero
da polícia passar sobre a fazenda; QUE, neste momento todos se assustaram
e saíram correndo para o mato, ficando apenas a pessoa de WAGNER
(cabeça) na sede da fazenda olhando; QUE, percebendo que o helicóptero
tinha ido embora, foi que decidiram rapidamente "transportar a droga para o
esconderijo na mão mesmo”, o que fora feito; (...) QUE, quer deixar
consignado de que é de seu conhecimento que junto a FAZENDA SETE
IRMÃOS, quanto aos gados que ali tem, possui aproximadamente cerca de
500 (quinhentas) cabeças, sendo que destas aproximadamente 400
(quatrocentas) pertencem a Wagner, Helder, Marcelo e Daltinho e estão
marcados com a marca SJ (de agropecuária São Jorge); alguns bezerros não
foram marcados. O restante, ou seja, as outras aproximadamente 100 (cem)
cabeças pertencem ao Paulo Vilela, que estão em parceria com o Carlos
Dorileo, proprietário da Fazenda, e estão marcados com a marca LA. Em
meio a estas 100 (cem) cabeças tem também algumas cabeças que
pertencem aos vizinhos daquela localidade Mucambo, sendo que o Sr. Moraci
sabe separar certinho as cabeças de gado que pertencem aos vizinhos; QUE,
quando o declarante já se encontrava na casa de seus pais, MARCELO
entrou em contato com o declarante dizendo de que queriam retornar lá para
“enterrar” a droga ou “removê-la” do local, sendo que o declarante dissera
que o local era seguro e que a droga estava segura, mas MARCELO dissera
que iria arrumar um jeito de tirar de lá ou enterrar; QUE., esclarece que a
SIMONI (esposa de EDILSON) é irmã de HELDER, HELDER é sobrinho
do MARCELO e BETO, e estes são primos do policial civil NEURI; (...)”
[grifei]

Destarte, infere-se do referido depoimento de colaboração que HELDER


PEREIRA DINIZ estava no local e acompanhou o desembarque da droga na fazenda
Sete Irmãos e auxiliou MARCELO para abrir a lona na cabeceira da pista e sinalizar
para pousar o avião. Ademais, HELDER também ajudou a desatolar a caminhonete
transportando a droga no interior da fazenda e levar o carregamento de cocaína até
o esconderijo.

A prova testemunhal ainda foi corroborada pela prova documental, pois o réu
HELDER PEREIRA DINIZ foi o responsável pelo arrendamento da Fazenda Sete
Irmãos de propriedade de JOSÉ CELSO DORILEO, atuando como representante da
empresa PEREIRA DINIZ E PEREIRA LTDA – ME (Agropecuária São Jorge), conforme
diálogo interceptado n° 529 a seguir transcrito:

TRANSCRIÇÃO 529

TELEFONE NOME DO ALVO


6599460353 6599460353 maranello

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 120
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
23/06/20
6599460 23/06/2009 00:05:2 @WAGNER X BINHO -
1195092849 0 9
353 21:14:31 0 QUEM SERÁ PRESO?
21:09:11

RESUMO
WAGNER CONVERSA C/ BINHO. BINHO CITA NOMES DE QUER SERÁ PRESO E QUEM
PODE SE LIVRA.

DIÁLOGO
WAGNER. ......O QUÊ QUE FOI
BINHO. .... LIGARAM AQUI FALANDO QUE DEU INDISPONIBILIDADE DOS BENS
AI.....CARRO, L200
WAGNER. PODE CAÇA JÁ FOI TD VENDIDO
BINHO. VC JÁ TÁ SABENDO DISSO JÁ?
WAGNER. TO SABENDO
BINHO. DISQUE FORAM LÁ NA OFICINA PEGA A D20 DO BATATA
WAGNER. FOI DE MANHA CEDO
BINHO. FOI OS HOMENS
WAGNER. FOI A POLICIA MESMO
BINHO. FOI LÁ E TIRO DE LÁ E COMO QUE FICOU SABENDO
WAGNER. ...QUEM QUE É O CAGUETA....
BINHO. E O CAGUETA SABIA
WAGNER. TODO MUNDO SABE QUE ESSA PORRA TÁ LÁ O CARA É VIZINHO DELE ...
BINHO. ENTÃO E ISSO MESMO
WAGNER. QUE MAIS COISA QUE PEGARAM?
BINHO. QUE TAVAM ATRAS DA CAMINHONETE PRETA DO BATATA
WAGNER. SO OS CARROS QUE ELES CONHECEM CARA....
BINHO. VERDADE...
WAGNER. ...EU JÁ ESCONDI TD OS MEUS
BINHO. MAS TEM QUE ESCONDE MESMO
WAGNER. ....TO ANDANDO DE ONIBUS DAQUI PRA FRENTE...MAS SAIU MANDADO DE
PRISÃO
BINHO. DISQUE SAIU MAS NÃO SABE PRA QUEM QUE ESTÃO NA RUA
WAGNER. ENTÃO SAIU NÉ
BINHO. SAIU APROXIMADAMENTE 15 NAQUELAS FOTOS QUE ESTÃO NO INQUERITO
DISQUE TEM 11 FOTOS ALI
WAGNER. TEM NADA SÓ TEM DOS SETE QUE ESTAVA AQUELE DIA LÁ E DO PRETO E DO
BATATA
BINHO. ....TEM 11 FOTOS TÁ NUMERADAS
WAGNER. TEM FOTO QUE É REPETIDA QUEM QUE FALOU QUE SAIU A PREVENTIVA?
BINHO. O ADVOGADO LÁ FOI FALA C/ O ANDERSON E O ANDERSON FALOU QUE PEDIU
DE TODOS AQUELES QUE ESTAVA NAQUELA FOTOS MAS QUEM ESTAVA ENVOLVIDO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 121
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
...NAQUELAS FOTOS NÃO TEM A FOTO DO NEGUINHO (ADALTO) NÉ?
WAGNER. NÃO NEM O NOME DELE NÃO PARECE....
BINHO. ...JÁ SAIU....ALI SAI
WAGNER. ENTÃO TÁ BLZ....AMANHA VOU APRESENTA
BINHO. ALI EU ACHO O SEGUINTE PELO O QUE EU LI O NEGUINHO EU NÃO SEI EM
RELAÇÃO AO DEPOIMENTO DO MENINO LÁ PQ EU NÃO TIVE ACESSO MAS O NEGUINHO,
O MANE, O BETO E MAIS UNS DOIS ALI DA PRA LIVRA ....
WAGNER. NESSA HISTORIA AI QUEM VAI FICA PRESO E SÓ EU
BINHO. NÃO É NÃO
WAGNER. QUEM MAIS?
BINHO. ALI VAI O BATATA E O NEGÃO NÃO ESCAPA, O TAL DE FERRAZ NÃO ESCAPA
..... OU MARCELO OU HELDER O ARREDABTÁRIO VAI TE QUE ASSINA TAMBÉM TA
LIVRA OS OUTROS DOIS UNS DELES VAI TE QUE ASSINA TAMBÉM E O QUE EU ACHO
DE CARA AI PRA PODE REGULARIZAR ISSO AI GORDÊ E TEO O QUE VC ACHA?
WAGNER. NÃO SEI
BINHO. SE OS CARAS TODOS FALAM DELES PARACE QUE ELES ERAM O DONO O
PATRÃO DE TD O CARLOS DORILEO FALOU O TEO QUE PAGAVA O ARRENDAMENTO
WAGNER. ...A PREVENTIVA JÁ SAIU EU QUERO TER CERTEZA...
BINHO. ....EU NÃO TENHO CERTEZA OU SE E MENTIRA,...
WAGNER. VOU LIGA PRO MEU ADVOGADO....
BINHO. ENTÃO LIGA PRO SEU QUEM QUE É O SEU?
WAGNER. O CADIMO JÁ SEI QUEM É
BINHO. ...DEPOIS VC LIGA AQUI.

Interrogado em Juízo, o réu HELDER PEREIRA DINIZ declarou que era


funcionário da Fazenda Sete Irmãos e foi contratado por “DANIEL” para cuidar do gado.
Não sabe o que aconteceu na fazenda, pois quando chegavam, ele saía. Nunca viu ou
descarregou droga na fazenda.

Não obstante a negativa genérica de autoria, o réu não explicou a ligação


captada em que EDÉSIO RIBEIRO NETO conversou com AROLDO sobre os
empregados da fazenda que poderiam prestar depoimento em razão da apreensão da
droga, entre eles, o acusado HELDER PEREIRA DINIZ (Transcrição 526), o que afasta a
tese que não sabia o que estava ocorrendo no interior da fazenda.

Também não resiste a negativa genérica de autoria diante do depoimento


prestado em delação premiada pelo colaborador ANTÔNIO DE ASSIS MARTINS, epíteto
“MARQUINHOS” (fls. 17/24 da Delação Premiada 2009.36.00.010290-9), em que afirmou
que o réu HELDER PEREIRA DINIZ estava no local e acompanhou o desembarque
da droga na fazenda Sete Irmãos e auxiliou MARCELO para abrir a lona na
cabeceira da pista e sinalizar para pousar o avião. Ademais, HELDER também
ajudou a desatolar a caminhonete transportando a droga no interior da fazenda e
levou o carregamento de cocaína até o esconderijo.

Demais disso, o depoimento do réu não resiste à prova documental, em que o


réu HELDER PEREIRA DINIZ foi o responsável pelo arrendamento da Fazenda Sete
Irmãos de propriedade de JOSÉ CELSO DORILEO, atuando como representante da

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 122
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
empresa PEREIRA DINIZ E PEREIRA LTDA – ME (Agropecuária São Jorge), conforme
contrato de arrendamento (fls. 238/242 do IPL).

Ao dar orientações na pista de pouso para a aterrissagem da aeronave na


Fazenda Sete Irmãos trazendo o carregamento de cocaína; desatolar a caminhonete
transportando a droga; transportar o carregamento para o esconderijo e atuar como
representante no arrendamento da referida fazenda, o réu HELDER PEREIRA DINIZ
incidiu na prática do crime tipificado no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da
Lei 11.343/2006.

4.1.11. MARCELO DA SILVA PEREIRA, epíteto “MENTIRINHA”

O MPF imputou ao acusado MARCELO DA SILVA PEREIRA, vulgo


“MENTIRINHA” a prática dos crimes previstos nos artigos 33, “caput” e 35 c/c artigo 40,
inciso I, ambos da Lei 11.343/2006.

O réu MARCELO DA SILVA PEREIRA, vulgo “MENTIRINHA” foi contratado


para atuar no descarregamento da droga após o pouso da aeronave na fazenda Sete
Irmãos e transporte da droga no interior da fazenda, para depositá-la no esconderijo até
posterior remessa para outro local.

No dia 20/06/2009, após a apreensão da droga, MARCELO DA SILVA


PEREIRA, vulgo “MENTIRINHA” entrou em contato com WAGNER RODRIGO DE
AMORIM, vulgo “CABEÇA” que informou MARCELO sobre o acordo de colaboração feito
por ANTÔNIO DE ASSIS MARTINS e que eles teriam problemas (Transcrição 478 e 479).

TRANSCRIÇÃO 478

TELEFONE NOME DO ALVO


6599460352 6599460352 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
20/06/200
6599460 20/06/2009 00:01:1 @WAGNER X MARCELO
6599460353 9
352 09:32:00 0 - ESPERA MERDA
09:30:50

DIÁLOGO
MARCELO - CONSEGUIU FALAR COM ALGUEM
WAGNER - CONSEGUI FALAR COM O DR JOAO... ELE VAI FAZER OS CORRER DELE...
MAS NINGUEM SABE PRA ONDE FOI ESSA MULHER?
MARCELO - NAO... MEU IRMAO TA CHEGANDO AQUI... VOU CONVERSAR COM ELE... AI
VOU DESCER ONDE VC TIVER...
WAGNER - FOI ONTEM OU HJ

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 123
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
MARCELO - ONTEM
WAGNER - ONTEM ANOITE AINDA...
MARCELO - VOU LIGAR NA ESTANCIA PRA VER COMO Q TA LA...
WAGNER - PODE ESPERAR MERDA...

TRANSCRIÇÃO 479

TELEFONE NOME DO ALVO


6599460353 6599460353 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU D A T A / H O R A DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/CO
O R A
NE TOR FINAL ÃO O MENTÁRIO
INICIAL
20/06/20 @ W A G N E R X
6599460 2 0 / 0 6 / 2 0 0 9 00:00:5
6599460352 0 9 MARCELO - ELE FEZ
353 09:41:22 5
09:40:27 ACORDO

DIÁLOGO
WAGNER - NAO TEM EXPLICAÇÃO COMO Q ELES SAIRAM...
MARCELO - NAO SEI
WAGNER - MAS CTZ Q ELE TA COM A MULHER DELE...
MARCELO - É...
WAGNER - ELE FEZ ACORDO...
MARCELO - VAMOS DESCER LA ENTAO...

Nesse mesmo dia (20/06/2009), foi interceptada outra ligação entre


MARCELO DA SILVA PEREIRA, vulgo “MENTIRINHA” e WAGNER RODRIGO DE
AMORIM, em que MARCELO informou que “ADEMAR TA LA NA CHACARA
ALGEMADO” e não estavam conseguindo falar com a esposa do colaborador
“MARQUINHOS” (Transcrição 491).

TRANSCRIÇÃO 491

TELEFONE NOME DO ALVO


6599460352 6599460352 - MARANELLO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 124
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
20/06/20
6599460 20/06/2009 00:01:3 @MARCELO X WAGNER -
6599460353 0 9
352 11:44:18 6 SITUAÇÃO
11:42:42

DIÁLOGO
WAGNER - ELES JA SAIRAM DE LA... OU PASSARAM POR LA...
MARCELO - PASSARAM LA...
WAGNER - COM OS MENINO PRESO...?
MARCELO - ADEMAR TA LA NA CHACARA ALGEMADO..
WAGNER - MAS PASSARAM INDO NA CHACARA OU INDO EMBORA..
MARCELO - TA PRA LA AINDA...
WAGNER - E NAO CONSEGUE FALAR COM MARQUINHO MSM..
MARCELO - NAO CONSEGUE;... DUAS CAMINHONETE VOLTOU PRA CA AI O DR MARCELO
FOI PRA LA...
WAGNER - LA PRA SEDE?
MARCELO - LA PRA SEDE...
WAGNER - E NAO CONSEGUE FALA COM A MULHER DESSA CARA? ONDE ELA TA?
MARCELO - MULHER DE QUEM?
WAGNER - DO MARQUINHO
MARCELO - NAO CONSEGUE... DR NAO LIGOU NAO...?
WAGNER - NINGUEM LIGOU... SÓ Q VAI SER ISSO AI MSM...
MARCELO - É FODA CARA... VAMOS ESPERAR...

Outra ligação interceptada no mesmo dia (20/06/2009), WAGNER passou


instruções sobre a versão que MARCELO DA SILVA PEREIRA deveria dizer em seu
interrogatório na polícia (Transcrição n° 497).

TRANSCRIÇÃO 497

TELEFONE NOME DO ALVO


6599460353 6599460353 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HORA DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
O R A
NE TOR FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
6599460 20/06/20 2 0 / 0 6 / 2 0 0 9 00:01:2 @WAGNER X MARCELO
6599460352
353 0 9 14:05:16 9 - EU GERENCIAVA

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 125
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
14:03:47

DIÁLOGO
WAGNER - VC CONFIA EM MIM NÃO CONFIA
MARCELO - CONFIO CARA
WAGNER - VC E SEUS PARENTES NÃO PASSAM DE EMPREGADO, DE LARANJA...
MARCELO - NÃO ENTENDI...
WAGNER - VC E SEUS PARENTES NÃ PASSAM DE EMPREGADOS E DE LARANJAS..... VCS
SAO TRABALHADOR E SAO HUMILDE... EU GERENCIAVA, MEUS PATRÃO É DIQUE
VIGARISTA E OS PATRÃO DELES... É ESSA A CONVERSA ELES NÃO QUEREM FUDE C/
NOS EU VOU FUDE C/ ELES VCS NÃO FALAM NADA PERMANENCEM EM SILENCIO.....
PODE DEIXA QUE EU VOU FALA EU SOU O RESPONSAVEL E EU E O DIQUE VIGARISTA
QUE É RESPONSÁVEL E O PATRÃO VC SABE QUEM QUE É ....
MARCELO - FALO...

Os diálogos interceptados ainda foram corroborados pelo depoimento


prestado pelo colaborador ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS, epíteto “MARQUINHOS”, que
afirmou em seu depoimento que foi o próprio MARCELO DA SILVA PEREIRA que lhe
contratou para trabalhar na fazenda, mas que não era para trabalhar apenas com gado,
mas com o tráfico de drogas, quando ofereceu como pagamento o valor de R$ 3.000,00
para cada carregamento com entorpecente que fosse descarregado na fazenda (fls. 17/24
da Colaboração Premiada, autos n° 2009.36.00.010290-9).

A prova testemunhal de autoria delitiva também foi corroborada pela prova


documental, em que MARCELO DA SILVA PEREIRA figura como sócio da empresa
PEREIRA DINIZ E PEREIRA LTDA-ME, a pessoa jurídica que apareceu como
arrendatária da Fazenda Sete Irmãos (fls. 49/51 do IPL).

Interrogado em Juízo, MARCELO DA SILVA PEREIRA declarou que


trabalhou por sete meses na fazenda Sete Irmãos, mas não fez ou presenciou o
descarregamento de droga. Trabalhava com gado, mas nunca viu caminhão ou avião na
fazenda. Não estava na fazenda durante a abordagem da Polícia Civil. Foi contratado
pelo “BINHO”, que era o dono da fazenda.

Embora tenha negado a autoria delitiva, as provas decorrentes das


interceptações telefônicas são consistentes, notadamente pelos diálogos interceptados
478 e 479, em que MARCELO DA SILVA PEREIRA, vulgo “MENTIRINHA” entrou em
contato com WAGNER RODRIGO DE AMORIM, que informou MARCELO sobre o acordo
de colaboração feito por ANTÔNIO DE ASSIS MARTINS e que eles teriam problemas, em
razão da apreensão da droga; diálogo 491 em que MARCELO DA SILVA PEREIRA
informou a WAGNER RODRIGO DE AMORIM que o caseiro da fazenda já estava preso
(ADEMAR) e que a esposa do colaborador “MARQUINHOS” tinha desaparecido; ou
mesmo pelo diálogo 497, em que WAGNER RODRIGO DE AMORIM passou instruções

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 126
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
sobre a versão que MARCELO DA SILVA PEREIRA deveria dizer em seu interrogatório
na polícia.

A versão do interrogatório judicial também não resiste ao depoimento


prestado pelo colaborador ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS, epíteto “MARQUINHOS”, que
afirmou em seu depoimento que foi o próprio MARCELO DA SILVA PEREIRA que lhe
contratou para trabalhar na fazenda, mas que não era para trabalhar apenas com
gado, mas com o tráfico de drogas, quando ofereceu como pagamento o valor de R$
3.000,00 para cada carregamento com entorpecente que fosse descarregado na fazenda
(fls. 17/24 da Colaboração Premiada, autos n° 2009.36.00.010290-9).

Nesse sentido, colaciono o referido depoimento:

“(...) Que, o declarante foi criado junto ao Vale do Aricá, na comunidade do


Barreiro, sendo que em uma chácara vizinha, do declarante, tinha uma
família, que tinha como filhos as pessoas de MARCELO e seu irmão
ROBERTO, conhecido como BETO, cujos nomes completos o mesmo não
sabe declinar; (...) QUE, acerca de 07 (sete) meses atrás, foi procurado pela
pessoa de MARCELO o qual lhe ofereceu emprego junto a FAZENDA
SETE IRMÃOS para ser peão de fazenda, ou seja, cuidar de gados de
propriedade do. mesmo; QUE, tal oferecimento se deu em virtude do mesmo
sempre trabalhar como peão de fazenda, cuidando de gados; QUE,
MARCELO veio a lhe oferecer R$ 3.000,00(três mil reais) por mês, o que de
pronto foi aceito por este; QUE, apesar do valor não ser o normal de mercado
de trabalho, o declarante veio a desconfiar de algo errado, porém, nada falou
haja vista estar ganhando mensalmente o seu salário; QUE, na mesma
época, também foi contratado a pessoa de EDILSON, para trabalhar na
fazenda, para realizar a parte elétrica de toda a fazenda, pois a mesma foi
reformada; QUE, no princípio, o declarante e EDILSON ficavam na fazenda
por cerca de 15 (quinze) dias, e depois ia para sua casa, a mando de
MARCELO, passados alguns dias, MARCELO ou outro lhe ligava dizendo
que estava na hora de retomar para a fazenda, e sempre fora assim; QUE,
apesar de ter fechado acordo em R$ 3.000,00 (três mil reais) mensais, na
verdade acerca de cinco meses atrás o mesmo não veio mais a receber o
referido valor, sendo que eles sempre diziam que estavam apertados e que
quando melhorasse pagariam o que deviam, e mensalmente davam ao
declarante, vez R$ 500,00 reais, vez 1.000,00 reais, e assim por diante; Que,
é de conhecimento que EDILSON também foi contratado pelo mesmo valor
mensal:, e que este problema de pagamento de salário mencionado,
igualmente ocorreu com ele; QUE, cerca de 03 (três) meses atrás,
MARCELO veio a procurar o declarante e dissera ao mesmo que na
verdade ali não tratavam somente de gado, e sim havia outra coisa, mais
precisamente com TRÁFICO DE ENTORPECENTES, e que queriam que o
declarante entrasse no esquema, pois estavam precisando de gente de
confiança; QUE, MARCELO veio a oferecer ao declarante a quantia de
R$ 3.000,00 (três mil reais) por cada carregamento que chegasse na
fazenda, para que o mesmo servisse de mão de obra, ou seja, para
descarregar, ajudar a carregar, esconder, etc, além dos R$ 3.000,00 (três mil
reais) mensais que pagariam como salário ao mesmo para cuidar do gado;

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 127
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
QUE, o declarante veio a aceitar o acordo firmado, sendo que durante os três
meses em que ficou fazendo parte do esquema, nunca veio a descer nenhum
carregamento naquela fazenda; QUE, quer deixar claro e afirmar de que
apesar de MARCELO ter lhe contratado, bem como ter-se aproximado de
sua pessoa oferecendo a participação em tudo, percebeu que o dinheiro
para ser pago sempre era dado pela pessoa de WAGNER, conhecido
como CABEÇA, sabendo tratar-se de um policial civil; QUE, ficou sabendo o
declarante que antes deste carregamento a que se trata os presentes autos,
naquela FAZENDA SETE IRMÃOS veio a ser descarregado dois
carregamentos anteriores, porém, como já afirmado o declarante não sabe
nada a dizer sobre estes, pois não participava, mas sempre desconfiou de
algo; (...) QUE, quer esclarecer de que quando o declarante cerca de 03
messes entrou no esquema de TRÁFICO DE ENTORPECENTES, WAGNER
(cabeça) chegou para o declarante dizendo que o mesmo iria sempre
receber ordens da pessoa de MARCELO, o que era feito; QUE, na
oportunidade em achava na fazenda juntamente com a pessoa de
EDILSON, sendo que por volta das 07:00 horas da manhã, chegaram na
mesma as pessoas de WAGNER (cabeça), ROBERTO (Beto), MARCELO,
HELDER, ADONAI, JACKSON e MANOEL (Mané), os quais estavam
ocupando uma SW4, de cor verde escuro, placas que não se recorda, bem
como é de conhecimento que uma outra camionete L200, de cor mais clara
que a SW4, ficou na localidade de MIMOSO, sendo que ali estavam as
pessoas de ADAUTO (daltinho), um outro WAGNER e RUBENS (também
apelidado de cabeção, sendo este veterinário); (...) QUE, por volta das
10:30/11:00 horas, perceberam no céu um avião, onde pensaram tratar-
se do avião que iria descarregar a droga, sendo que imediatamente
MARCELO e HELDER adentraram a camionete Hilux de cor azul, que
estava na fazenda, e foram para a cabeceira da pista para abrir a lona,
demonstrando indicativo ao piloto do avião para descer na pista, pois a lona
já estava na cabeceira da pista, porém sem estar aberta, sendo esta lona
plástica de cor amarela; QUE, o referido avião foi embora e perceberam não
se tratar do mesmo; QUE, por volta das 12:00 horas, veio outro avião, de cor
branco e vermelho, cujo prefixo não se recorda, onde então este sim veio a
pousar na pista da fazenda; QUE, imediatamente foi retirado a carga do
avião, onde o pessoal comentava que seria em torno de 430 (quatrocentos e
trinta) quilos, sendo que estes achavam-se em torno de 13 sacos plásticos
transparentes, sendo que dentro destes sacos haviam vários “tijolos” de
cocaína, ou seja, em barra; QUE, abasteceram o avião ali mesmo na pista,
onde este após a operação, imediatamente veio a decolar indo embora,
sendo que o tempo de demora entre o pouso e decolagem, virou em torno de
30 (trinta) minutos; QUE, no avião haviam duas pessoas, sendo ambos
bolivianos, os quais não conversaram muito, sendo que a operação é rápida,
ou seja abriram a porta do avião e diziam para irem tirando os pacotes de
dentro, ao passo que outros eram para abastecer o avião; QUE, estes dois
bolivianos, mais conversaram com a pessoa de ADONAI; QUE, perguntado
esclarece que não conhecia as pessoas de ADONAI, JACKSON e MANOEL,
vindo a conhece-los naquela ocasião; QUE, após retirarem todos os pacotes
e colocarem os mesmos dentro da SW4 se dirigiram até atrás do galinheiro
debaixo do pé de seriguela que têm ali, onde retiraram todos os sacos,

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 128
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
abriram os mesmos, e contaram quantos tijolos de cocaína ali tinha, vindo a
contar 430 (quatrocentos e trinta) tijolos de droga; QUE, após, vieram a
reembalar, onde ato contínuo WAGNER (cabeça, o policial), mandou que
guardassem a mercadoria, e dali saíram com a SW4 as pessoas de
MARCELO, o DECLARANTE e EDILSON, sendo que já possuíam um
local pré determinado, todavia camionete atolou, pois estava cheio
d'água e não deu para ir para frente para ir guardar onde era o local já
definido; QUE onde a camionete atolou o local ser próximo, decidiram
levar toda a mercadoria nas "costas", e assim foi feito, sendo que as
pessoas de BETO, MARCELO, HELDER, O DECLARANTE, EDILSON e a
pessoa de MANOEL (Mané) vieram a carregar, onde após vieram a
desatolar o carro, ficando todos na sede da fazenda; QUE, quer
esclarecer de que quando estavam com a droga ainda dentro da SW4, no
início do atolamento, sendo que estavam tentando passar com a camionete
na água, viram o helicóptero da polícia passar sobre a fazenda; QUE, neste
momento todos se assustaram e saíram correndo para o mato, ficando
apenas a pessoa de WAGNER (cabeça) na sede da fazenda olhando; QUE,
percebendo que o helicóptero tinha ido embora, foi que decidiram
rapidamente "transportar a droga para o esconderijo na mão mesmo”, o que
fora feito; QUE, neste momento do helicóptero, MARCELO ligou para a
pessoa de DALTINHO perguntando se estava ocorrendo alguma
movimentação policial, onde DALTINHO dizia que não; QUE, esclarece que
o esconderijo onde a droga esta atualmente, pelo menos onde deixou, é no
meio de uma moita bem grande e bem fechada, em seu interior, colocaram
um plástico de chuva e intempéries do tempo; QUE, após isto colocaram por
cima algumas folhas de coqueiro de aguaçu; QUE, após isto vieram a
desatolar o carro, e todos foram embora logo ao entardecer, ou seja quando a
noite começou a cair, ficando apenas a pessoa do declarante e EDILSON;
QUE, naquela mesma noite, por volta de 23:45/24:00 horas, a pessoa de
BETO ligou para a fazenda dizendo que haviam sido abordados na estrada
por policiais, sendo que tinham sido liberados após, onde o declarante
solicitou se havia perigo eles ficarem ali ou não, sendo que BETO dissera que
não; QUE, no dia seguinte, de manhã, o declarante se encontrava juntamente
com EDILSON, quando recebeu outro telefonema, agora de WAGNER
(cabeça), o qual ordenou que ambos fechassem a cerca que tinha sido aberta
para formar a pista de pouso na fazenda, pois a intenção era dissimular que
ali não era pista de pouso, ou melhor, quer dizer que quem passasse por
cima, de avião ou helicóptero, olharia e não falaria que ali era urna pista de
pouso; QUE, salienta de que na FAZENDA SETE IRMÃOS possui duas
pistas de pouso, onde outrora se utiliza uma pista, porém, com as chuvas e a
enchente, vieram a abrir outra pista, que é esta que o declarante manifesta
neste momento; QUE, assim fora feito, sendo que se achavam colocando os
"mourões" na pista, quando ouviram barulho de veículos, se aproximando e
como já era sabedor de que sempre avisava quando iriam chegar ficaram
desconfiados, onde se esconderam no mato, e avistando de que se tratava
de viaturas da polícia, imediatamente fugiram do local abandonando tudo que
ali achava, inclusive a Hilux de cor azul, que ficou ao lado da pista perto dos
tambores que foram usados para abastecer o avião; QUE, dali ficaram no
meio do mato, indo para comunidades do local a procura de um telefone para

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 129
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ligar para o pessoal; QUE, a priori não conseguiram falar com ninguém,
porém posteriormente conversaram com BETO o qual dissera que era para
os mesmos ficarem escondidos no meio do mato; QUE, cerca de dez dias
depois, BETO conversou telefonicamente com o declarante novamente, onde
dissera que o advogado Dr. AROLDO iria busca-los por volta das 05:00 horas
da manhã, e assim fora feito, sendo que o Dr. AROLDO fora até a localidade
onde se encontravam homiziados, de posse de uma camionete S-l0 de cor
preta, vindo a resgatar o declarante, a pessoa de EDILSON, e o cachorro
chamado TATA que ficava na fazenda; QUE, assim o Dr. AROLDO deixou o
declarante e EDILSON em uma pousada perto do rio, se não lhe falha a
memória chamada "FEVA' ou algo parecido "CEVA", e dali apanharam um
barco conhecido como "voadeira", e o declarante e EDILSON foram até a
localidade de Santo Antônio do Leverger, mais precisamente nas imediações
da "casa de telha"; onde outro advogado lhes esperavam, um advogado mais
velho, de olho claro, de nome DR. JOÃO BATISTA, sendo que em um
primeiro momento não dissera ser advogado, mas depois no meio da
conversa veio a dizer sua profissão, QUE, dali EDILSON foi para a casa da
mãe do MARCELO, ao passo que o declarante foi se homiziar no sitio de seu
genitor, esclarece o declarante que quando ainda estavam escondidos na
região, ele e EDILSON, certa ocasião receberam um telefonema de
MARCELO o qual dissera ao declarante para que trocasse de lugar a
droga, pois a mesma estava escondida em um local que julgavam não
ser bom, em razão da correrira que sofreram para esconder a mesma; Que,
MARCELO veio a lhe dizer que era para levar a droga para o outro
esconderijo que é mais seguro, onde afirma se tratar do local já
mencionado acima em suas declarações que descreveu; (...)(...) QUE, quer
deixar consignado de que é de seu conhecimento que junto a FAZENDA
SETE IRMÃOS, quanto aos gados que ali tem, possui aproximadamente
cerca de 500 (quinhentas) cabeças, sendo que destas aproximadamente 400
(quatrocentas) pertencem a Wagner, Helder, Marcelo e Daltinho e estão
marcados com a marca SJ (de agropecuária São Jorge); alguns bezerros não
foram marcados. (...) QUE, quando o declarante já se encontrava na casa de
seus pais, MARCELO entrou em contato com o declarante dizendo de
que queriam retornar lá para “enterrar” a droga ou “removê-la” do local,
sendo que o declarante dissera que o local era seguro e que a droga
estava segura, mas MARCELO dissera que iria arrumar um jeito de tirar
de lá ou enterrar; QUE., esclarece que a SIMONI (esposa de EDILSON) é
irmã de HELDER, HELDER é sobrinho do MARCELO e BETO, e estes são
primos do policial civil NEURI; (...)” [grifei]

Ademais, o réu também figura como sócio da empresa PEREIRA DINIZ E


PEREIRA LTDA-ME, a pessoa jurídica que apareceu como arrendatária da Fazenda Sete
Irmãos, conforme diálogo interceptado n° 529, a seguir transcrito:

TRANSCRIÇÃO 529

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 130
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TELEFONE NOME DO ALVO
6599460353 6599460353 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
23/06/20
6599460 23/06/2009 00:05:2 @WAGNER X BINHO -
1195092849 0 9
353 21:14:31 0 QUEM SERÁ PRESO?
21:09:11

RESUMO
WAGNER CONVERSA C/ BINHO. BINHO CITA NOMES DE QUER SERÁ PRESO E QUEM
PODE SE LIVRA.

DIÁLOGO
WAGNER. ......O QUÊ QUE FOI
BINHO. .... LIGARAM AQUI FALANDO QUE DEU INDISPONIBILIDADE DOS BENS
AI.....CARRO, L200
WAGNER. PODE CAÇA JÁ FOI TD VENDIDO
BINHO. VC JÁ TÁ SABENDO DISSO JÁ?
WAGNER. TO SABENDO
BINHO. DISQUE FORAM LÁ NA OFICINA PEGA A D20 DO BATATA
WAGNER. FOI DE MANHA CEDO
BINHO. FOI OS HOMENS
WAGNER. FOI A POLICIA MESMO
BINHO. FOI LÁ E TIRO DE LÁ E COMO QUE FICOU SABENDO
WAGNER. ...QUEM QUE É O CAGUETA....
BINHO. E O CAGUETA SABIA
WAGNER. TODO MUNDO SABE QUE ESSA PORRA TÁ LÁ O CARA É VIZINHO DELE ...
BINHO. ENTÃO E ISSO MESMO
WAGNER. QUE MAIS COISA QUE PEGARAM?
BINHO. QUE TAVAM ATRAS DA CAMINHONETE PRETA DO BATATA
WAGNER. SO OS CARROS QUE ELES CONHECEM CARA....
BINHO. VERDADE...
WAGNER. ...EU JÁ ESCONDI TD OS MEUS
BINHO. MAS TEM QUE ESCONDE MESMO
WAGNER. ....TO ANDANDO DE ONIBUS DAQUI PRA FRENTE...MAS SAIU MANDADO DE
PRISÃO
BINHO. DISQUE SAIU MAS NÃO SABE PRA QUEM QUE ESTÃO NA RUA
WAGNER. ENTÃO SAIU NÉ
BINHO. SAIU APROXIMADAMENTE 15 NAQUELAS FOTOS QUE ESTÃO NO INQUERITO
DISQUE TEM 11 FOTOS ALI
WAGNER. TEM NADA SÓ TEM DOS SETE QUE ESTAVA AQUELE DIA LÁ E DO PRETO E DO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 131
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
BATATA
BINHO. ....TEM 11 FOTOS TÁ NUMERADAS
WAGNER. TEM FOTO QUE É REPETIDA QUEM QUE FALOU QUE SAIU A PREVENTIVA?
BINHO. O ADVOGADO LÁ FOI FALA C/ O ANDERSON E O ANDERSON FALOU QUE PEDIU
DE TODOS AQUELES QUE ESTAVA NAQUELA FOTOS MAS QUEM ESTAVA ENVOLVIDO
...NAQUELAS FOTOS NÃO TEM A FOTO DO NEGUINHO (ADALTO) NÉ?
WAGNER. NÃO NEM O NOME DELE NÃO PARECE....
BINHO. ...JÁ SAIU....ALI SAI
WAGNER. ENTÃO TÁ BLZ....AMANHA VOU APRESENTA
BINHO. ALI EU ACHO O SEGUINTE PELO O QUE EU LI O NEGUINHO EU NÃO SEI EM
RELAÇÃO AO DEPOIMENTO DO MENINO LÁ PQ EU NÃO TIVE ACESSO MAS O NEGUINHO,
O MANE, O BETO E MAIS UNS DOIS ALI DA PRA LIVRA ....
WAGNER. NESSA HISTORIA AI QUEM VAI FICA PRESO E SÓ EU
BINHO. NÃO É NÃO
WAGNER. QUEM MAIS?
BINHO. ALI VAI O BATATA E O NEGÃO NÃO ESCAPA, O TAL DE FERRAZ NÃO ESCAPA
..... OU MARCELO OU HELDER O ARREDABTÁRIO VAI TE QUE ASSINA TAMBÉM TA
LIVRA OS OUTROS DOIS UNS DELES VAI TE QUE ASSINA TAMBÉM E O QUE EU ACHO
DE CARA AI PRA PODE REGULARIZAR ISSO AI GORDÊ E TEO O QUE VC ACHA?
WAGNER. NÃO SEI
BINHO. SE OS CARAS TODOS FALAM DELES PARACE QUE ELES ERAM O DONO O
PATRÃO DE TD O CARLOS DORILEO FALOU O TEO QUE PAGAVA O ARRENDAMENTO
WAGNER. ...A PREVENTIVA JÁ SAIU EU QUERO TER CERTEZA...
BINHO. ....EU NÃO TENHO CERTEZA OU SE E MENTIRA,...
WAGNER. VOU LIGA PRO MEU ADVOGADO....
BINHO. ENTÃO LIGA PRO SEU QUEM QUE É O SEU?
WAGNER. O CADIMO JÁ SEI QUEM É
BINHO. ...DEPOIS VC LIGA AQUI.

Ao atuar no descarregamento da droga após o pouso da aeronave na


fazenda Sete Irmãos, realizar o seu transporte no interior da fazenda para depositá-la no
esconderijo até posterior remessa para outro local, bem como ao figurar como sócio no
contrato da pessoa jurídica utilizada para arrendar a Fazenda Sete Irmãos, o réu
MARCELO DA SILVA PEREIRA, epíteto “MENTIRINHA” incorreu na prática do crime
tipificado no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei 11.343/2006.

4.1.12. RUBENS ANTERO DA COSTA, epíteto “TEO” ou “CABEÇA”

O MPF imputou ao acusado RUBENS ANTERO DA COSTA, epíteto “TEO”


ou “CABEÇA” a prática dos crimes previstos nos artigos 33, “caput” e 35 c/c artigo 40,
inciso I, ambos da Lei 11.343/2006, pois foi o veterinário contratado para atuar na
Fazenda Sete Irmãos, intermediou o arrendamento da fazenda para a organização
criminosa e foi abordado pela Polícia Civil na companhia de vários acusados denunciados
nesta Operação.

Em alegações finais, o MPF, compulsando o acervo probatório, entendeu que


não há prova suficiente de autoria delitiva para ensejar a condenação do réu.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 132
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Com razão o MPF.

O elemento indiciário apresentado inicialmente como prova de autoria delitiva


foi o diálogo interceptado n° 526, ou seja, uma conversa mantida entre AROLDO e
EDÉSIO RIBEIRO NETO, no dia 23/03/2009, em que EDÉSIO acreditava que o
depoimento da testemunha acabaria por incriminar o veterinário RUBENS ANTERO DA
COSTA (Transcrição 526).

Porém, não houve depoimento nesse sentido, para confirmar a alegação de


EDÉSIO RIBEIRO NETO.

De outra parte, quando foi abordado pela Polícia Civil na companhia dos
demais corréus, nas proximidades da fazenda, nada foi encontrado, notadamente
substância entorpecente, não podendo servir de elemento probatório para subsidiar uma
condenação pelo crime de tráfico internacional de substância entorpecente.

Ademais, a defesa do acusado juntou farta prova documental, comprovando


que ele, de fato, atuou como veterinário na Fazenda Sete Irmãos.

À míngua de elementos mínimos de prova de autoria delitiva, impõe-se a


absolvição do acusado RUBENS ANTERO DA COSTA, epíteto “TEO” ou “CABEÇA”
das imputações dos crimes previstos nos artigos 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos
da Lei 11.343/2006.

4.2. DO CRIME DE ASSOCIAÇÃO PARA O TRÁFICO (ART. 35 DA LEI N°


11343/2006).

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL – MPF denunciou os acusados ADONAI


NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”, ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA,
epíteto “CASSIN”, JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”, ENIVALDO
FERNANDES DE SOUZA, epíteto “NANICO”, ROBERTO CARLOS PEREIRA, epíteto
“BETO”, EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO, HELDER PEREIRA DINIZ,
ALEXANDRE ZANGARINI e MARCELO DA SILVA PEREIRA, epíteto “MENTIRINHA”
como incursos nas sanções do crime tipificado no artigo 35 da Lei Federal n°
11.343/2006.

Dispõe o artigo 35 da Lei Federal n° 11.343/2006 que:

“Art. 35. Associarem-se duas ou mais pessoas para o fim de praticar,


reiteradamente ou não, qualquer dos crimes previstos nos arts. 33, caput e §
1º , e 34 desta Lei:

Pena - reclusão, de 3 (três) a 10 (dez) anos, e pagamento de 700


(setecentos) a 1.200 (mil e duzentos) dias-multa.

Parágrafo único. Nas mesmas penas do caput deste artigo incorre quem se
associa para a prática reiterada do crime definido no art. 36 desta Lei.”

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 133
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
De acordo com a jurisprudência do e. Supremo Tribunal Federal, o verbo
núcleo do tipo previsto no art. 35 da Lei 11.343/2006 é associar-se. Dessa forma, para a
sua configuração faz-se necessária a demonstração do animus associativo, do vínculo de
estabilidade entre duas ou mais pessoas, com o fim de praticar o tráfico de drogas, não
sendo suficiente a união ocasional e episódica (HC 124164, Relator(a): Min. TEORI
ZAVASCKI, Segunda Turma, julgado em 11/11/2014, PROCESSO ELETRÔNICO DJe-
230 DIVULG 21-11-2014 PUBLIC 24-11-2014).

O delito em apreço é formal, ou seja, consuma-se no momento da


constituição da associação para o tráfico. A comprovação de sua materialidade não
depende da apreensão do entorpecente (TRF4, ACR 2007.71.08.014629-5, OITAVA
TURMA, Relator PAULO AFONSO BRUM VAZ, D.E. 24/06/2009) nem da posse da droga
pelo agente (RHC 84847, Relator Min. JOAQUIM BARBOSA, Segunda Turma, julgado
em 22/02/2005, DJ 03-06-2005 PP-00048 EMENT VOL-02194-02 PP-00367), inclusive,
sendo crime autônomo, independe da prática de outros atos criminosos por seus
integrantes (TRF4, ACR 2000.71.04.003642-3, OITAVA TURMA, Relator AMIR
JOSÉ FINOCCHIARO SARTI, DJ 16/01/2002).

O delito em apreço é, também, permanente, portanto, a sua consumação se


protrai no tempo (RHC 110.621/MG, Rel. Ministro REYNALDO SOARES DA FONSECA,
QUINTA TURMA, julgado em 05/09/2019, DJe 16/09/2019).

Isto posto, passo à análise do conjunto probatório inserido nos autos.

A materialidade delitiva do crime de associação para o tráfico de substância


entorpecente (artigo 35 da Lei Federal n° 11.343/2006) está comprovada pelo Auto
Circunstanciado e Termo de Exibição (fls. 286/288 do IPL) e pelo Laudo n. 03-01-
002980/2009, elaborado pelo setor de perícia da Secretaria de Justiça e Segurança
Pública do Estado de Mato Grosso, que atesta que os 376 tabletes encontrados na
Fazenda Sete Irmãos, pesando algo em torno de 383 Kg, acondicionavam substância
psicotrópica identificada como cocaína (fls. 292/296 do IPL).

Para melhor compreensão da associação criminosa, do desempenho das


funções, grupos, hierarquia, interações, enfim, da gama de conexões que foram narradas
pelo MPF, reitero os apontamentos já realizados sobre a atuação de cada réu no contexto
delitivo e, posteriormente, inferir as provas de autoria de forma individualizada.

PRIMEIRO GRUPO - NÚCLEO PRINCIPAL:

EDÉSIO RIBEIRO NETO, epíteto “BINHO”: Apontado pela acusação como


o líder da associação criminosa, o seu principal integrante, quem detinha poder de
mando, possuía contato com os fornecedores bolivianos da cocaína, administrava os
recursos da associação criminosa, distribuía as tarefas dos demais integrantes. Ainda, na
linha do quanto defendido pelo MPF, EDÉSIO RIBEIRO NETO, à época dos fatos, era
advogado e aparece em diversos diálogos interceptados.

WAGNER RODRIGO DE AMORIM, epíteto “CABEÇÃO”: À época dos fatos


era Policial Civil do Estado de Mato Grosso e ao lado de EDÉSIO RIBEIRO NETO,
epíteto “BINHO”, ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” e JACSON LUIZ
DA COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA” integrava a cúpula da associação criminosa,

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 134
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
montando uma estrutura para a aquisição da droga boliviana e a distribuição para a
região metropolitana de São Paulo/SP e para o Estado do Pará.

ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”: Ex-policial militar


do Estado de Mato Grosso e supostamente figurou como sócio de EDÉSIO RIBEIRO
NETO, vulgo “BINHO” no ápice da associação criminosa, inclusive teria “recrutado”
JACKSON LUIZ DA COSTA CONCEIÇÃO, vulgo “BATATA” para o grupo do “Núcleo
Principal”. Ressai da denúncia que ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, vulgo “MULAMBO”
seria responsável pela negociação com fornecedores do entorpecente e financiadores.

JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”: Apontado pelo


MPF como o braço direito de ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA e responsável tanto pelo
financiamento da atividade quanto nas negociações, viagens e estruturação da fazenda
“Baía dos Pássaros” que seria utilizada pela associação criminosa como entreposto para
recebimento de carregamentos de cocaína provenientes da Bolívia.

O MPF discorreu também sobre a existência de um segundo grupo de


atuação, integrado por acusados que desempenhavam funções auxiliares ao núcleo
principal, notadamente a logística de pagamentos, transferência, obtenção de veículos e
auxílio às negociações, que denominou de “1.2 DOS AUXILIARES DIRETOS DA
CÚPULA” (ID. Num. 295906927 - Pág. 10).

SEGUNDO GRUPO - AUXILIARES DIRETOS DA CÚPULA

MÁRIO MÁRCIO NASCIMENTO DOS SANTOS, epíteto “TIN” ou


“NEGÃO” ou “JÃO”: Considerado pelo MPF como o braço direito de EDÉSIO RIBEIRO
NETO, vulgo “BINHO” em seus negócios em Cuiabá e São Paulo, bem como teria
emprestado seu nome para abertura de contas e realizado transações bancárias por
determinação de EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO”.

NEURI ALVES DA SILVA, epíteto “BRANQUINHO”: À época era Policial


Civil do Estado de Mato Grosso e teria auxiliado EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO”
nas negociações em São Paulo/SP e teria recebido de EDÉSIO dinheiro e veículos por
seus serviços.

JOCENIL PAULO DE FRANÇA, epíteto “NEGUINHO”: Também era Policial


Civil do Estado de Mato Grosso, teria viajado com NEURI ALVES DA SILVA, vulgo
“BRANQUINHO” para São Paulo, com passagens pagas por EDÉSIO RIBEIRO NETO,
vulgo “BINHO” e recebido veículo como pagamento por serviços prestados.

MUNIR HAMMOUD, epíteto “TURCO”: Já falecido e com a punibilidade


extinta, teria prestado diversos serviços para EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulto “BINHO”,
notadamente a abertura de contas bancárias com a utilização de nome falso.

DANIEL DA SILVA GUIA, epíteto “BUCHO”: Indicado pelo MPF como braço
direito do denunciado WAGNER RODRIGO DE AMORIM, vulgo “CABEÇÃO”, com
atuação voltada à negociação com os fornecedores do entorpecente boliviano e
movimentação financeira da associação criminosa.

MARCELO JOSÉ HARDMAN MEDINA, epíteto “BOB”: Teria fornecido sua

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 135
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
conta bancária para EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO” movimentá-la, além de
comprar bens para EDÉSIO e hospedar-se em seu apartamento em São Paulo/SP, com a
viagem (passagens aéreas) também custeadas por EDÉSIO.

ALAOR GOMES CORREA JÚNIOR, epíteto “MARMOTA”: Estava bem


próximo de ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, vulgo “MULAMBO”, pois é seu cunhado.
Supostamente atuava mais direcionado às negociações com os fornecedores de cocaína
na Bolívia, figurando como principal representante de ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA,
vulgo “MULAMBO”, WAGNER RODRIGO DE AMORIM, epíteto “CABEÇÃO” e EDÉSIO
RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO” na Bolívia.

ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN”: Irmão de ADONAI


NOVAES DE OLIVEIRA, vulgo “MULAMBO”, seria responsável por ajudar seu irmão nos
seus negócios, notadamente com a compra de aparelho de telefone celular e teria
participado da reunião dos membros da associação criminosa que foi realizada no
Shopping 3 Américas em Cuiabá/MT.

ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, epíteto “NANICO”: Seria


encarregado de transportar veículos para a associação criminosa e realizar tarefas
menores, como o transporte de motoristas e a comunicação do grupo.

FRANCISCO FERNANDES DE SOUZA, epíteto “CHIQUINHO”: Segundo o


MPF, estava sediado no Estado do Paraná para receber o carregamento de entorpecente
importado pela associação criminosa e como pagamento, remetia veículos e dinheiro. É
irmão de ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, vulgo “NANICO” e por ter mandado de
prisão em aberto, utilizava o nome falso de ENIVALDO LEITE GADELHA.

TERCEIRO GRUPO – ATIVIDADES ACESSÓRIAS

O MPF narrou que a associação criminosa também era formada por um


terceiro grupo de agentes, encarregados da realização de atividades de cunho acessório
e voltada para a logística de importação, transporte e armazenamento de cocaína.

JOÃO JOSÉ SOARES DO NASCIMENTO: Apontado pelo MPF como o


motorista de caminhão que transportava os carregamentos de entorpecentes para a
associação, sendo que o caminhão que dirigia foi abandonado e queimado em local ermo
e a carga supostamente roubada por uma quadrilha rival.

MANOEL OSMÁRIO BATISTA CORRÊA: Possuía contato mais frequente


com ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, por ser seu cunhado e era responsável por cuidar
da fazenda “Baía dos Pássaros” que foi arrendada pelo grupo para servir como
entreposto para recebimento da droga. Também teria passado informações para a fuga
de ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” e JACKSON LUIZ COSTA
CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”, quando foi cumprida a orem de busca e apreensão pela
Polícia Civil nas fazendas arrendadas (Baía dos Pássaros e Sete Irmãos).

ROBERTO CARLOS PEREIRA, epíteto “BETO”, MARCELO DA SILVA


PEREIRA, epíteto “MENTIRINHA”, ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS, epíteto
“MARQUINHOS”, EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO, ADALTO RAMALHO DA
SILVA, epíteto “DALTO” e HELDER PEREIRA DINIZ: O MPF os agrupou em razão da

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 136
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
similaridade das condutas supostamente desempenhadas pelos denunciados, que
consistia, basicamente, na manutenção da fazenda “Sete Irmãos”, que foi arrendada pela
associação criminosa para possibilitar o pouso da aeronave vinda da Bolívia com
carregamentos de cocaína, depósito provisório da droga e posterior distribuição em
território nacional, escoando-a pela via terrestre em caminhões. Segundo a acusação,
esses acusados permaneceram na referida fazenda, realizaram o descarregamento da
droga da aeronave a transportaram no interior da fazenda para armazenamento provisório
até ulterior destinação.

RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO, epíteto “TEO” ou “CABEÇA”:


Médico veterinário contratado pela associação criminosa para cuidar do gado da fazenda,
apontado como administrador de fato da Fazenda Sete Irmãos.

VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ: Destacou a acusação que ele


cumpria tarefas menos complexas para JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, vulgo
“BATATA”, pois teria buscado JACKSON no dia da fuga da fazenda, cuidou dos bens
deste acusado e chegou a abrigar ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, vulgo “MULAMBO”
em seu apartamento.

QUARTO GRUPO – FINANCEIRO

Como quarto grupo intitulado pelo MPF como “1.4 DAS PESSOAS QUE
DAVAM SUPORTE A LOGÍSTICA FINANCEIRA”, a acusação ressaltou que tal grupo era
composto por ALEXANDRE ZANGARINI e seus filhos MICHELLE REGINA DE PAULA
ZANGARINI e MOACIR FRANCISCO DE PAULA ZANGARINI.

ALEXANDRE ZANGARINI: Segundo o MPF, seria o proprietário “fantasma”


da empresa LAVA-JATO AQUAJET que foi utilizada na operação de transferência via
dólar-cabo de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) para a Bolívia, para, naquele país,
repassar os valores para ALAOR GOMES CORRÊA JÚNIOR, vulgo “MARMOTA”, a fim
de efetuar o pagamento ao fornecedor do entorpecente boliviano.

MICHELLE REGINA DE PAULA ZANGARINI e MOACIR FRANCISCO DE


PAULA ZANGARINI: são filhos de ALEXANDRE ZANGARINI e proprietários da INFINITY
S/A, empresa que recebeu valores do LAVA-JATO AQUAJET e foi utilizada na operação
de transferência de valores para a Bolívia.

QUINTO NÚCLEO – JURÍDICO

Por último, o MPF ainda pontuou a existência de um núcleo denominado “1.5


DA "ASSESSORIA JURÍDICA" DA ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA” (ID. Num. 295906927 -
Pág. 16), que seria integrado pelo advogado AROLDO FERNANDES DA LUZ.

AROLDO FERNANDES DA LUZ: Segundo a acusação, AROLDO


representava os interesses da associação criminosa, notadamente EDÉSIO RIBEIRO
NETO, vulgo “BINHO” e utilizava a sua profissão de advogado para obter informações
sobre o curso da investigação realizada pela Polícia Judiciária Civil e repassar tais
informações à EDÉSIO RIBEIRO NETO, para possibilitar a tomada de decisões pela
cúpula da organização criminosa. Depreende-se da denúncia que AROLDO tentou
influenciar o delegado de polícia a desistir das buscas, bem como tentou manter os bens

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 137
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
do grupo impedindo eventual arresto pelo juízo criminal, além de evitar eventual delação
premiada entre os membros tidos como mais “fracos” da associação criminosa.

Essa é a imputação constante da denúncia, não se está aqui, neste tópico


específico, analisando a efetiva atuação de cada um à luz da prova produzida nos autos,
apenas construindo um sumário que permita, de forma objetiva, compreender o contexto
e a partir daqui avaliar os fatos e as provas, o que será desenvolvido na fundamentação
seguinte.

Passo à análise da autoria delitiva.

4.2.1. ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, VULGO “MULAMBO”

Quanto ao crime de associação para o tráfico (art. 35 da Lei 11.343/2006), o


réu ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, VULGO “MULAMBO”, ex-Policial Militar do
Estado de Mato Grosso, integrava a associação criminosa com relevante posição de
liderança, sócio de WAGNER RODRIGO DE AMORIM e EDÉSIO RIBEIRO NETO. Cabia
ao réu ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, na cúpula da organização criminosa, levantar
dinheiro para adquirir entorpecentes e negociar com os traficantes bolivianos.

Para evidenciar a estabilidade e permanência associativa, é possível destacar


os seguintes diálogos:

Diálogos 174, 175 e 176 (10/03/2009 e 11/03/2009): Nesses diálogos


captados, que são várias ligações estabelecidas entre ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA,
epíteto “MULAMBO”, EDÉSIO RIBEIRO NETO, epíteto “BINHO” e JACKSON LUIZ
COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA” em que tratam da necessidade de se levantar
recursos financeiros (“fazer giro”) para transferir para LUIZ, apontado pela investigação
policial, com base no contexto dos diálogos interceptados, como o fornecedor do
entorpecente boliviano.

TRANSCRIÇÃO 174

TELEFONE NOME DO ALVO


6581392018 6581392018 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU D A T A / H O R A DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/CO
O R A
NE TOR FINAL ÃO O MENTÁRIO
INICIAL
10/03/20
6581392 1 0 / 0 3 / 2 0 0 9 00:03:1 @BINHO x ADONAI -
1131490363 0 9
018 14:34:51 2 DINHEIRO NEGOCIO
14:31:39

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 138
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DIÁLOGO
BINHO - RESOLVEU SEUS NEGOCIOS?
ADONAI - EU NAO TENHO NADA PRA RESOLVER... SÓ TO ESPERANDO VCS...
BINHO - CONSEGUIU RECEBER O QUE VC TINHA PRA RECEBER?
ADONAI - JA TA PRATICAMENTE TD RECEBIDO...
BINHO - O MENINO FALOU PRA MIM A ARRUMAR O DINHEIRO QUINTA FEIRA... ENATO
PROVAVELMENTE SEXTA FEIRA EU MANDO O MEU DINHEIRO... O MEU TA NA MÃO...
ADONAI - EU VOU ESPERAR VC CONFIRMAR PRIMEIRO... POR QUE LA EU SAIO DE NOITE
E CHEGO DE MANHA CEDO... MAS TO ESPERANDO VC... POR QUE JA CONVERSEI COM
ELE E ELE FALOU QUE TEM... JA TA PRONTO PRA NOIS DESCER...
BINHO - E O CABEÇÃO ELE RESOLVEU...?
ADONAI - JA RESOLVEU COM 3 DIAS A 4 DIAS... DEPOSITOU PRA ELE NA SEGUNDA
FEIRA... QUANDO FOI NA SEXTA FEIRA AGORA CHEGOU... O NEGOCIO É CERTO... EU
QUE ANDEI PISANDO NA BOLA COM ELE...
BINHO - C FOR DESSE JEITO MSM... DEPOSITAR NA SEGUNDA E CHAGAR NA SEXTA
NEM VALE A PENA FICAR ESPERANDO JUNTAR UM MONTE DE COISA...
ADONAI - NAO... O NEGOCIO É GIRAR...
BINHO - VALE A PENA JUNTOU O DINHEIRO DE 50 E DE 100 MANDA... VEM... AI NA
OUTRA SEMANA JA TA MANDANDO DE MAIS 100... E DE MAIS 100... POR QUE TODA
SEMANA TA CHEGANDO E TA GIRANDO NEH... É VERDADE...
ADONAI - ELE PEGOU O DINHEIRO NA SEGUNDA FEIRA... E ATE CHAMOU MINHA
ATENÇÃO.. ELE PEGOU UM DINHEIRO E VIAJOU... E O MARMOTA LIGOU PRA MIM E
FALOU Q VAI PEGAR O DINHEIRO NO SABADO... EU FALEI PUTA Q PARIU OLHA O ROLO
QUE EU ARRUMEI... AI EU LIGUEI PRA ELE E ELE FALOU QUE NAO MEXO COM ISSO
NAO... SÓ TINHA QUE RECEBER ESSE DINHEIRO E NEM VAI DAR PRA PEGAR TODO
ESSE DINHEIRO... O CARA NAO PASSOU TD NO DIA... FICOU PRA PASSAR NO OUTRO
DIA... ELE FALOU EU VOU VIAJAR HJ E EU VOU PEGAR ESSE DINHEIRO NO SABADO... O
QUE TA PROMETIDO PRA VC TA AQUI JA FAZ TEMPO... FAZ UN 10 DIAS JA PARADO... AI
ERA SÓ ORGANIZAR ESSE NEGOCIO COM PRETO... AI O DIA QUE COINCIDIO... FOI ISSO
MSM CERTINHO... É DEPOSITAR O DINHEIRO PRA ELE PODER LIBERAR...

TRANSCRIÇÃO 175

TELEFONE NOME DO ALVO


6581392018 6581392018 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
10/03/20 @BINHO x ADONAI -
6581392 10/03/2009 00:06:5
1130510702 0 9 ROLO DO DINHEIRO
018 14:55:45 3
14:48:52 ROUBA

DIÁLOGO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 139
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
BINHO - TAVA FALANDO COM VC CAIU O CARTÃO...ENTÃO TÁ TUDO CERTO...
ADONAI - TA CARA TO FALANDO PRA VC CABEÇÃO JÁ RESOLVEU O NEGOCIO DELE FAZ
HORA...
BINHO - ENTÃO PODE DEIXAR COMBINADO P/ SEXTA FEIRA RESOLVER ISSO AI...
ADONAI - TA VC FALANDO PRA MIM QUE ESTÁ CERTO... JÁ PEGO E VOU FALAR COM ELE
PESSOALMENTE PRA NÃO TER ERRO. ELE TA ME ESPERANDO..ME LIGOU HOJE.. VE O
DOCUMENTO DESSE CARRO AQUI... SÓ TO COM ESSE CARRO PRA PODER ANDAR...
BINHO - VOU NA AGENCIA FALAR COM O CARA... JA DEIXEI PAGO...
ADONAI - NAO TENHO NADA PRA ANDAR...
BINHO - EU DEIXEI PAGO... E MEU CARRO CADE? TA COM VC TBM...
ADONAI - TA COMIGO... MAS CHEQUEI AQUI TA COM 4 MIL E POUCO DE DOCUMENTO...
BINHO - TA COM DIVIDA SIM... ESSE É DE OUTRA AGENCIA...
ADONAI - TO PRECISANDO DO DOCUMENTO PRA PODER ANDAR...
BINHO - DEIXA TE FALAR OUTRA COISA NÃO FALARAM MAIS NADA DO DINHEIRO?..
ADONAI - NADA NEM O LUIS, NEM RENATO NINGUÉM...VC NÃO TEM UM TELEFONE AI
PRA LIGAR PRA VC.
BINHO - NÃO VOU COMPRAR UM HOJE AI TE LIGO PRA PASSAR O NUMERO...O TAL DO
LOUCO FOI LA PERGUNTAR SE EU TINHA CHEGO... AI O DR. FALOU DEVE ESTAR
CHEGANDO... ISSO FOI 1 DIA ANTES DEU CHEGAR AQUI... AI ABRIU O JOGO DAQUELA
SITUAÇÃO QUE TE FALEI DO MENINO... AI ELE FALOU PUTA QUE PARIU E EU VINDO PRA
CÁ TO PASSANDO ATE VERGONHA NESSA HISTORIA ... AI O DR. FALOU QUE NAO QUER
MAIS QUE ELE VENHA ELE AQUI... TA PROIBIDO DE VIR NA QUEBRADA... NA HORA QUE
FOR TROCAR AS IDEIAS VAI SER FORA DAQUI... E VC SABE QUAL VAI SER AS IDEIA... AI
ELE FALOU QUE NAO PODE SER ASSIM POR QUE ELE NAO PODE TIRAR ELE DE LA E
NEM LA ELE VOLTAR... E DEPOIS DISSO SUMIRAM...
ADONAI - ATE AMIZADE Q TINHA ACABOU JA...
BINHO - O OUTRO LA FALOU Q TA PASSANDO VERGONHA... ME DESCULPA... PEDIU
DESCULPA PRO DR... SÓ Q FALOU Q ELE NAO IA PODER LEVAR O CARA LA COM ESSA
SITUAÇÃO...
ADONAI - LOGICO SE LEVA E NAO VOLTA FICA RUIM PRA ELE...
BINHO - IA FICAR RUIM PRA ELE... AI FALOU Q NAO CONHECIA MUITO BEM ESSE CARA...
QUE FOI O FELIPE QUE PEDIU PRA FAZER ISSO... PRA ELE ENTRAR NO MEIO DO
CIRCUITO... RESUMINDO... O CARA DUVIDO QUE ELE APAREÇA MAIS...
ADONAI - É BEM DIFICIL;;
BINHO - E PORA MIM COBRAR MEU DINHEIRO EU VOU TER Q LIGAR PRO FELIPE...
ADONAI - DEMOROU NEH...
BINHO - JA DEMOROU MSM... VOU PRIMEIRO RESOLVER ESSE SITUAÇÃO NOSSA PRA
NAO COLOCAR EM RISCO NADA DISSO... E NA HORA Q TIVER TUDO RESOLVIDO EU VOU
LIGAR PRO FELIPE...
ADONAI - É VERDADE... POR QUE ELE JA TA ACERTANDO COM O OUTRO LA... Q NEM VC
FICOU SABENDO... E NATO INTENÇÃO DE RECEBER ELE NAO TEM...
BINHO - E COM ESSAS IDEIAS... ELE JA VIU ONDE QUERIA CHEGAR NAO VAI CHEGAR A
LUGAR NENHUM... O DR Q PRECIPITOU... NAO DEVIA TER FALADO NADA NAO... ERA PRA
TER DEIXADO..
ADONAI - É POR QUE AS VEZES ELE CONSIDERA O CARA TBM NEH... JA DEU A IDEIA NO
CARA PRA ELE NAO FICAR ENGANADO...
BINHO - DEU A IDEIA... FALOU ISSO AI NAO PODE... AI NESSA HISTORIA O CARA JA
PUXOU O TIME DE CAMPO... E SE ACHA QUE AGORA APARECE O BOLIVIANINHO...?
ADONAI - QUERO VER... ANTES ELE NAO TAVA APARECENDO... IMAGINA AGORA...
BINHO - MAS ISSO AI É BOM... C NEM FALA Q TAVA SABENDO DESSA HISTORIA...
DEIXAR PRA PEGUNTAR PRO LUIZ... E AI LUIZ OS CARAS NAO APARECERAM COM
ESSA IDEIA... O DR. FICOU ESPERANDO... SUMIRAM OS CARAS... C QUER QUE EU
PAGUE UM DINHEIRO DESSE AI... C QUER Q EU PAGUE... VC MANDOU EU ENTREGAR

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 140
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
NA MÃO DO CARA E O CARA DEU SUMISSO NO SEU DINHEIRO... E ATE ENTAO VC TAVA
ALEGANDO QUE NAO TINHA NADA... O DR. TINHA MANDANDO PEGAR O DINHEIRO DE
VOLTA ESPERANDO PRA RESOLVER ISSO AI E NAO RESOLVEU E OS CARAS TAO TE
PEGANDO...
ADONAI - DIFICIL NEH
BINHO - POR QUE AI É FACIL PRA ROUBAR O DINHEIRO DOS OUTROS... NAO VAI
APARECER NINGUEM AI NAO... VC TEM Q BATER DE FRENTE COM ESSE NEGOCIO AI
PRETO...
ADONAI - ELES VAO TER Q ACABAR PAGANDO... NAO É NOIS NAO...
BINHO - VAO MSM...

TRANSCRIÇÃO 176

TELEFONE NOME DO ALVO


6592884151 6592884151 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
R A
NE TOR RA FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
11/03/200 11/03/200
6592884 00:01:0 @JACKSON x ADONAI -
6581257919 9 9
151 7 FAZENDA AMANHA
22:45:27 22:46:34

DIÁLOGO
JACKSON - E AI..
ADONAI - FALA NEGO..JÁ TA DORMINDO
JACKSON - TA NA ONDE...
ADONAI - TO AQUI NO DECK...DEIXA EU FALAR COM VC VAMOS NA FAZENDA AMANHA?
JACKSON - VAMOS...
ADONAI - VAMOS ACORDAR MEIO CEDO... NAO VOU NEM BEBER HJ NAO...
JACKSON - EU TAMBEM JÁ ESTOU INDO EMBORA AMANHA QDO VC ACORDAR VC VAI LA
EM CASA E ME ACORDA...
ADONAI - PODER RESOLVER ESTA QUESTÃO LOGO...SEXTA FEIRA O MENINO JÁ TÁ
COM O DINHEIRO DELE PRONTO... AGENTE PRECISA AGILIZAR ESSES NEGOCIOS LA
ANTES DE VIAJAR...
JACKSON - VOU PASSAR AI NO DECK P/ CONVERSAR
ADONAI - ENTÃO TÁ.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 141
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Diálogo 179 (17/03/2009): Comprova que ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA,
epíteto “MULAMBO” levantava dinheiro junto à EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo
“BINHO”.

TRANSCRIÇÃO 179

TELEFONE NOME DO ALVO


1178713237 1178713237 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
17/03/20
1178713 17/03/2009 00:02:0 @BINHO X ADONAI -
0 9
237 13:50:39 5 PODE DEPOSITAR
13:48:34

DIÁLOGO
ADONAI - TA NO JEITO JA... É SÓ DEPOSITAR O DINHEIRO...
BINHO - TA BOM...
ADONAI - PRA DIMINUIR UM POUCO LA... AI FICOU MELHOR TBM PELA AGILIDADE... AI JA
TIRA AS PASSAGENS QUE EU QUERO VIAJAR DEPOIS DE AMANHA... E DEIXA ESSE
TELEFONE LIGADO... E OUTRA COISA... Q Q VAI FAZER... TA COM O CAMBIO ABERTO E
NAO TEM DINHEIRO PRA ARRUMAR... FICOU EM 3.800 O CABIO E MIL REAL A INJEÇÃO...
BINHO - NOSSA SRA... QUANTO Q É O SINAL DELA...
ADONAI - É 4 E POUCO PRA ARRUMAR TD...
BINHO - O SINAL...
ADONAI - É 2.500... TEM Q ARRUMAR... C VIU O DOCUMENTO DO BETLLE..?
BINHO - TA PAGO...
ADONAI - NAO TA... EU CHECO TODO DIA... EU VOU PAGAR AQUI E VC DEPOSITA PRA
MIM...

Diálogos 412 e 413 (11/05/2009): Demonstra que ADONAI NOVAES DE


OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” mantinha contatos com LUIZ, apontado pela Polícia
Civil como fornecedor do entorpecente boliviano, seu piloto RENATO, bem como buscava
trocar informações mais sensíveis por email, para evitar a interceptação telefônica.
Ademais, ADONAI menciona que “caiu um trem”, mas “esse trem cai direto” e que eles
não podiam deixar de “trabalhar” por conta disso. Esse diálogo interceptado (413) reforça
ainda mais a estabilidade associativa.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 142
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TRANSCRIÇÃO 412

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR RA FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
11/05/20 11/05/200
6696141 00:03:5 @ADONAI X MARMOTA -
0 99
966 3 PRA AMANHA
13:45:26 13:49:19

DIÁLOGO
ADONAI - TAMO NO AGUARDO COMENDO POEIRA...
MARMOTA - SEU TRUTA TA DOIDO... LIGA AQUI TODO DIA... 3 A 4 VEZES POR DIA...
ADONAI - VOU LIGAR PRA ELE AGORA...
MARMOTA - DACU... DA UMA LIGADA PRA ELE AI... DISK O TIN JA FOI NA SUA CASA... EU
FALEI Q NAO SEI DE NADA NAO...
ADONAI - TEM VISTO O LUIZ NAO
MARMOTA - VI... HJ EU VI ELE...
ADONAI - O TELEFONE DELE TA DESLIGADO... LIGARAM PRA MIM DE OUTRO TELEFONE
DAI AQUI... 2426 O FINAL...
MARMOTA - ESSE É MEU
ADONAI - É OUTRO TELEFONE SEU...
MARMOTA - É POR Q ESSES TELEFONE VC TA LIGADO NEH... FICA FALANDO
PORCARIADA... EU LIGUEI DE OUTRO... EU CONVERSEI COM ELE HJ... DO SEU EU NAO
PERGUNTEI... MAS PREVISAO DO CABEÇA É DE AMANHA ... ELE FICOU DE ME
CONFIRMAR AGORA 3 HS DA TARDE... DISK NAO SEI QUEM TEM Q CONFIRMAR PRA
ELE... O POVO LA DO RENATO... E NA SEQUENCIA CREIO QUE VAI O SEU NEH...
ADONAI - AGORA POR QUE ELE VAI MANDAR O DO CABEÇÃO PRIMEIRO Q O MEU...
MARMOTA - NAO SEI... O CABEÇÃO DEU O DINHEIRO PRIMEIRO NEH...
ADONAI - NUNCA DEU O DINHEIRO PRIMEIRO... NOIS EMPRESTAMOS PRA ELE PAGAR A
CONTA DELE... EU EXPLIQUEI PRA ESSE FDP...
MARMOTA - ENTAO... MAS EU CREIO QUE OS DOIS VAI JUNTO...
ADONAI - MAS COMO Q ELE VAI MANDAR SE ELE NEM SABE ONDE Q É... PRA ONDE ELE
VAI MANDAR...
MARMOTA - O RENATO VAI LIGAR PRA PEGAR O ENDEREÇO
ADONAI - ISSO Q TAMO QUERENDO SABER POR QUE JA TEM QUATRO DIAS QUE
ESTAMOS AQUI...
MARMOTA - DIZ SUPOSTAMENTE QUE PRA AMANHA... ISSO ELE ME FALOU HJ DE
MANHA AS 9HS... AMANHA SUPOSTAMENTE...
ADONAI - NAO CONSIGO FALAR COM ESSE CARA... Q TELEFONE QUE VC FALA COM
ELE..
MARMOTA - LIGUEI NO TELEFONE DELE... E ELE VEIO... C LIGA NO TEL E NAO DA NADA

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 143
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI - NAO... TA DESLIGADO O TELEFONE DELE...
MARMOTA - FICA COM SEU TELEFON LIGADO Q VOU DAR UMA LIGADA PRA ELE...
ADONAI - ABRE AQUELE EMAIL SEU LA QU EU VOU PASSAR UM NUMERO PRA VC... OU
O DA CLAUDIA... FALA PRA ELE LIGAR O TELEFONE QUE TO QUERENDO FALAR COM
ELE PRA SABER O Q Q EU VOU FAZER
MARMOTA - Q NUMERO VAI PASSAR
ADONAI - O DO ENDEREÇO...
MARMOTA - O SEU TELEFONE É O MSM NEH... 1926 NEH
ADONAI - NAO SEI ACHO Q É...

TRANSCRIÇÃO 413

TELEFONE NOME DO ALVO


1127382452 1127382452 maranello

TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM


NE TOR A INICIAL RA FINAL ÃO O ENTÁRIO
11/05/200
1127382 11/05/2009 00:07:2 @BINHO X HNI-ADONAI -
9
452 15:01:43 2 TEM Q VIR CEDO...
15:09:05

DIÁLOGO
BINHO - TA DIFICIL FALAR COM VC NEH
ADONAI - TA DIFICIL MSM... ANTENA NAO PEGOU... EU VIM AQUI ANTI ONTEM... FIQUEI
QUASE 4HS DE RELOGIO AQUI... NAO COMPLETA LIGAÇÃO AI...
BINHO - EU VI QUE VC LIGOU... JABUTI TA ATRAZ DE MIM...
ADONAI - EU TO EM BARAO... É O UNICO LUGAR QUE TEM...
BINHO - E AI... Q Q RESOLVEU... NADA NEH?
ADONAI - NADA ATE AGORA... FIQUEI O FDS INTEIRO AQUI... AI HJ VIM AQUI E FALEI COM
ELE E ELE FALOU QUE AMANHA VAI RESOLVER... SÓ TAVA ESPERANDO UMA POSIÇÃO
DO RENATO MAS HJ ELE AINDA DAVA UMA POSIÇÃO 100%... QUE É PRA MIM PODER
ESPERAR LA... SE NAO VIR AMANHA NO HORARIO COMBINADO DE DEPOIS DE AMANHA
NAO PASSA... EU TO ESPERANDO... CABEÇÃO TA PRA PARIR UM FILHO... FALOU QUE
VAI FAZER OS DOIS JUNTOS...
BINHO - ESSE CARA DESSA VEZ VOU FALAR PRA VC...
ADONAI - ELE VAI TOMAR... ESSA RAIVA QUE ELE PASSOU NAO VAI FICAR DE GRAÇA
BINHO - EU TO SEGURANDO O NEGOCIO DE TODO JEITO... AGUENTANDO PRESSÃO DE
TODO LADO... VAI FAZER 60 DIAS...
ADONAI - EU FALEI PRA VC A HISTORIA QUE ELE INVENTOU... FUI NA CASA DO
CABEÇÃO E VI COM ELE NA INTERNET... A UMA SUSPEITA QUE CAIU UM TREM... VIRAM
UM NEGOCIO PEGANDO FUMAÇA... SABE A QUANTOS KM DA CAPITAL... 600...
BINHO - MAS É VERDADE... POR QUE ERA DO MENINO... EU SEI DE TODA A HISTORIA...
SÓ QUE NAO TEM NADA A VER
ADONAI - NAO... ESSE TREM CAI DIRETO... AGORA POR QUE CAIU VAMOS DEIXAR DE

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 144
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TRABALHAR...
BINHO - E OUTRA COISA... QUANDO ACONTECEU ESSE PROBLEMA JA FAZ TEMPO QUE
ERA PRA GENTE RESOLVER NOSSO PROBLEMA...
ADONAI - SABE Q Q ACONTECEU... ELE RESOLVEU O NEGOCIO DO GORDÃO PRIMEIRO...
COMO SEMPRE ESSE DESGRAÇADO ATRASANDO NOSSA VIDA... ESSE CARA TEM Q
TIRAR ELE DO NOSSO CAMINHO... NO MINIMO ELE DEVE TER RESOLVIDO PRIMEIRO O
NEGOCIO DO GORDAO... E TAVA ESPERANDO CANTAR O DINHEIRO OU PELO MENOS
UMA PARTE PRA ELE PODER ADIANTAR O NOSSO... AQUELA CONVERSA BONITA DO
GORDAO DE QUE RESOLVE EM UMA SEMANA... EU CONVERSEI MAIS DE DUAS VEZES
COM O CARA E DIZ QUE TA PRONTO QUE TA PRONTO... AI QUANDO PEGA O DINHEIRO
NAO TA PRONTO MAIS... AMANHA C NAO NEGOÇAR EU VOU VIR DE NOVO NA CIDADE
QUE EU TENHO QUE COMPRAR COMIDA E ESSES TREM... E EU VIM SACAR UM
DINHEIRO E NAO TEM CAIXA ELETRONICO NESSE INFERNO DESSA CIDADE... SÓ NA
BOCA DO CAIXA E O CARTAO NAO TA NO MEU NOME EU NAO SACO... TENHO Q VIR
DENOVO AMANHA... VOU DEIXCAR PRA VIR DEPOIS DO ALMOÇO E SE NAO RESOLVER
ATE DEPOIS DO ALMOÇO NAO VEM TBM... AI JA DOU UMA POSIÇÃO PRA VC... MAS EU
VOU LIGAR PRA ELE AGORA ANTES DE IR... E ELE CONFIRMOU QUE SÓ TAVA
PRECISANDO DO AVAL DO PRETO MAS TA CERTO PRA AMANHA...
BINHO - MAS ISSO ELE TA FALANDO SEMANA PASSADA TODOA... SEMANA RETRASADA
QUE SÓ TAVA DEPENDENDO DO PRETO...
ADONAI - VC PODIA DAR UMA LIGADINHA PRO RENATO...
BINHO - OUTRO DIA LIGUEI PRO RENATO... MAS PRA SABER DE VC... QUE PRECISAVA
FALAR COM VC... E JA COBREI ELE DO MEU DINHEIRO TBM...
ADONAI - PERGUNTEI COMO Q TAVA O NEGOCIO... AI ELE FALOU Q TA EMBASSADO....
AGORA LA TA COM SUSPEITA DE TERRORISMO... O POVO TA EXPLODINDO OS HOTEL...
BINHO - MAS TEM Q CHEGAR PRA ELE E DAR UMA IDEIA DO NEGOCIO COMO Q TA...
LIGA VC DIRETO PRA ELE AI
ADONAI - EU VOU LIGAR PRA ELE POR QUE O LUIZ FALOU QUE AGORA SÓ TA
DEPENDENDO DELE... NOIS JA TAMO ENTRE A CRUZ E A ESPADA...
BINHO - EU TAVA NO PONTO DE MANDAR OS OUTROS IR ATRAS DO LUIZ... SE EU NAO
CONSEGUISSE FALAR COM VC HJ EU IA MANDAR O BUGRE IR ATRAS DO LUIZ...
ADONAI - EU FALEI COM ELE E O NARMOTA DEU UMA PRESSÃO... ELE NAO TINHA
RESOLVIDO O PROBLEMA AI INVENTOU ESSA HISTORIA DE AVIÃO... ELE NAO VAI
MANDAR SÓ O DINHEIRO NOSSO ELE VAI MANDAR UM POUCO DELE TBM... AI ELE VAI
VER
BINHO - COM CERTEZA... PRA TIRAR ESSE RAIVA E O DINHEIRO PARADO ELE VAI TER Q
TOMAR...
ADONAI - TOMAR UM CHAPEUZINHO...
BINHO - COMBINOU DE 3 A 5 DIAS PAGAR A GENTE... E FICA COM ESSE HISTORIA AI...
ADONAI - AMANHA EU LIGO PRA VC DENOVO... TA LONGE DAQUI... QUASE 90KM...
BINHO - ENTAO TA BOM... Q HORAS VC FICA SABENDO AMANHA...?
ADONAI - SE VIR TEM Q VIR CEDO... SE NAO VIR CEDO VOU ALMOÇAR E VOU VIR PRA
CÁ... AI DE TRADE EU LIGO PRA VC... LIGO PRA ELE PRIMEIRO PRA VER O Q
ACONTECEU E LIGO PRA VC...

Diálogos 420, 421 e 422 (13/05/2009): O primeiro diálogo (420) demonstra


ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” cobrando diretamente da
pessoa apontada pela investigação como piloto (RENATO), ao passo em que RENATO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 145
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
se desculpa porque havia certa “fila” nas remessas e que ADONAI não poderia antecipar
a sua vez em detrimento de outra pessoa. O segundo diálogo (421), demonstra
insatisfação de ADONAI com RENATO pela demora da entrega, que segundo o contexto
dos diálogos interceptados, trata-se do piloto que trabalhava para LUIZ. Também
ressaltam que “CHICO” poderia atendê-los mais rápido. A pessoa identificada como
“CHICO” foi apontada pela investigação como outro fornecedor da cocaína boliviana para
a associação criminosa. O terceiro diálogo (422) demonstra a prova da utilização de email
para comunicação entre o grupo e que a pessoa identificada como “CHICO” estava
disposto a fazer negócios com o grupo.

TRANSCRIÇÃO 420
TELEFONE NOME DO ALVO
6696141966 6696141966 maranello

TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM


NE TOR A INICIAL RA FINAL ÃO O ENTÁRIO
13/05/200
6696141 13/05/2009 00:05:3 @ADONAI X RENATO -
9
966 11:10:53 4 QUANDO VEM?
11:16:27

DIÁLOGO
ADONAI - RESOLVERAM AS COISAS
RENATO - TO TENTANDO
ADONAI - POR Q VC NAO FALA Q TA TD RESOLVIDO JA...
RENATO - MAS TA TD CERTO... TA TD NA FAZENDA PRONTO... TO ME ARRUMANDO JA
PRA IR...
ADONAI - EU FALEI COM LUIZ HJ...
RENATO - AI TENTEI ARRUMAR COM O SEU CHICO... MAS SEU CHICO TAVA OCUPADO...
ELE FALOU PASSAR O DIA... AI VOU AGUARDANDOA TE O DIA... NAO VOU FALAR Q
AMANHA VAI OU NAO VAI... AI SEU CUNHADO LIGOU PRO OUTRO FALOU Q O OUTRO
TINHA IDO E COMO Q NAO TINHA NINGUEM PRA IR E EU FALEI Q O NEGOCIO NAO É...
TEM Q ESPERAR VAGA NEH... COMO Q EU VOU OCOPAR A VAGA DO OUTRO...
ADONAI - O MENINO PEDIU PRA FALAR COM VC Q ATE QUINTA OU SEXTA TA
RESOLVENDO O DO CABEÇÃO E FIANLD E SEMANA RESOLVE O NOSSO... É ISSO MSM...
RENATO - NAO NAO... EU JA TINHA FEITO ESSE NEGOCIO COM O MENINO AQUI PRA
FAZER O CONTRATO DOS DOIS NEH... TERMINA UM E COMEÇA O OUTRO...
ADONAI - SÓ CHEGA E JA VOLTA NO OUTRO DIA...
RENATO - ENTAO... TO TENTANDO FAZER O CONTRATO... AI SEU CUNHADO JA ENTROU
NO MEIO E FALOU NAO SEI O Q LA... EU FALEI FAZ O SEGUNITE COMPANHEIRO... EU SEI
COMO AS COISAS ANDA... VOU LEVAR O NUMERO PRA VC E VC SE VIRA COM ELE... VC
SABE MAIS Q EU... ENTAO TO LARGANDO MAO DISSO AI...
ADONAI - O JUNIOR NAO TEM COMO SER RESPONSAVEL POR ISSO AI PRETO...
RENATO - MAS ELE... LIGA PRA MIM RECLAMANDO TODA HORA DO TREM...
PERGUNTANDO COMO Q É... FALEI CARA ESPERA O DOS OUTROS PRA ABRIR VAGA
NEH... NAO POSSO FALO PRO OUTRO Q TA INDO... TEM Q ESPERAR O OUTRO
RESOLVER O COMPROMISSO DELE... JA TO LA TRANQUILO...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 146
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI - E O Q VC FALA DE CONCRETO...
RENATO - NAO... ELE LIGOU PRA MIM FALANDO Q O JUNIRO TBM... Q É OUTRA COISA...
AI EU FALEI PRO CHICO FAZ COM ELE Q EU NAO SEI DE NADA... PASSO A NUMERAÇÃO...
AI O GRANDÃO AI LIGAR PRA MIM DAQUI A POUCO...
ADONAI - MAS É VC Q TEM Q CUIDAR DISSO AI...
RENATO - E VC PRA ONDE... NO MSM LUGAR DO MENINO
ADONAI - NAO FOI PASSADO PRA VC A NUMERAÇÃO...
RENATO - NAO... MANDA MSG AI...
ADONAI - MAS NAO FOI PASSADO... O JUNIOR TEM... ISSO AI EU PASSEI PRA ELE FAZ
DIAS... UMA SEMANA... É PERTINHO... DO LADO...
RENATO - É ALI MSM
ADONAI - É ALI MSM... NAO DA 10KM DE DISTANCIA UM DO OUTRO... VOU FALAR PRA
ELE PODER LIGAR PRA VC... E VER ISSO AI... MAS NAO DA CONVERSA PRA ESSE CARA
Q ELE NAO SABE COISA NENHUMA... NUNCA RESOLVEU NADA E AGORA QUER TOMAR A
FRENTE DAS COISAS...
RENATO - ENTAO VC FALA COM ELE... POR Q O CABEÇÃO LIGA PRA ELE E ELE FICA
QUERENDO TOMAR JEITO DAS COISAS...
ADONAI - ELE QUER SE SENTIR UTIL... MAS ELE NAO CONHECE NINGUEM NAO SABE
FAZER NADA... VC MEXE COM ISSO A VIDA TODA...
RENATO - ENTAO FALA AI POR Q DESSE JEITO NAO DA NAO... AI VC MANDA O NUMERO
PRA MIM LIGAR PRA VC... AI VC PEDE PRA ELE NETREGAR O NUMERO.... QUANDO ELE
ENTREGAR A RELAÇÃO MANDA O NUMERO... VC COLOCOU TELEFONE LA...
ADONAI - COLOCAMOS... VC FALA O DIA Q EU JA DEÇO... POR Q TEM Q SAIR DE MANHA
PRA CHEGAR LA... AI EU PASSO O NUMERO PRA VC...

TRANSCRIÇÃO 421

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
13/05/200
6696141 13/05/2009 00:05:3 @ADONAI X MARMOTA -
9
966 11:24:23 2 RESOLVENDO...
11:18:51

DIÁLOGO
ADONAI - FALEI COM O PESSOAL AGORA E ELE FALOU Q DE AMANHA PRA DEPOIS TA
RESOLVENDO A DO CABEÇÃO...
MARMOTA - E A SUA PRA DOMINGO NEH
ADONAI - ELE FALOU SABADO... MAIS TARDAR DOMINGO... SÓ Q EU LIGUEI PRO
RENATO E ELE FALOU LIGA PRO PRETINHO Q ELE VAI EXPLICAR PRA VC CERTINHO...
DISK TEVE UM CONTRATEMPO MAS ELE DISK TAVA MAIS OU MENOS ACERTANDO AS

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 147
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
COISA E VC ENTROU PELO MEIO E FOI LA FALAR DIRETAMENTE COM O CARA...
MARMOTA - O NEGOCIO FOI O SEGUINTE... O CABEÇA LIGOU PRA MIM E FALOU Q O
RENATO TA INDO FALAR COM O CHICO... PRA VC ACOMPOANHAR A HISTORIA... AI EU
LIGEUI PRO CHICO PRA SABER SE ELE TAVA NA CASA DELE PRA SABER ONDE EU IA...
CHCIO FALOU Q TA NA RUA... ONDE VC TA... EU TO EM TAL LUGAR... 15 MIN TO
ENCOSTANDO AI... AI DISK O RENATO JA TINHA FALADO COM ELE E O RENATO VEIO
COM A HISTORIA DE QUE O CHICO NAO QUERIA FAZER PRO CABEÇA POR Q O CABEÇA
TAVA DEVENDO PRO CHICO... ESSA HSITORIA Q ELE CONTOU PRO CABEÇA... AI EU FUI
AVERIGUAR REALMENTE PRA VER SE ERA ISSO... AI TINHA LIGADO PRO LUIZ E FALAO
COM LUIZ... FALEI AMIGO SE EU ARRUMAR A PESSOA VC VAI ACERTAR OU NAO... E ELE
FALOU PODE ARRUMAR SE VC CONSEGUE ARRUMAR... E CHICO FALOU NAO... C VC
QUIZER FAZER HJ VAMOS FAZER HJ... ONTEM ELE FEZ UMA BERANDO A CIDADE
GRANDE AI... NAO TEM NADA DISSO NAO... É TUDO ENRROLAÇÃO DO LUIZ E DO
RENATO... AI JA DISCUTI COM O REANTO PELO TELEFONE QUE O RENATO VEIO FALAR
ENTAO VOU TE DAR AS DIREÇÃO... E EU FALEI Q NAO TENHO NADA COM VC NAO... EU
TENHO COM MEU PATAO... VC GANHA PRA ISSO... E O NEGOCIO QUEM RESOLVE PRO
GORDÃO, PRO CABEÇA SOU EU... E TEM Q ME DAR UMA SATISFAÇÃO QUE EU TENHO Q
SABER SE VAI OU SE NAO VAI... OU ENTAO VAMOS DAR UM JEITO DE DEVOLVER ESSE
DINHEIRO AI... DEVOLVE O DINHEIRO E FICA TD CERTO... NAO PRECISA DE NOIS
BRIGAR POR CAUSA DISSO... JA DEI UM ESPORRO NELE... JA FALEI PRO LUIZ Q NAO
QUERO TRATAR NADA COM O RENATO NAO... TEM É Q TRATAR COM ELE...
ADONAI - ELE FALOU ISSO PRA MIM TBM... MAS O CHICO FALOU Q TA CERTO NEH...
PRA ELE NAO TEM PROBLEMA...
MARMOTA - NAO TEM PROBLEMA NENHUM... PRA QUANDO PRECISAR... É SÓ PAGAR...
ADONAI - AI POR Q ELES TAO PRECISANDO ATE O FINAL DE SEMANA... PRA Q ISSO
MARMOTA - É ENRROLAÇÃO... POR ISSO Q EU DEI UM ESPORRO NO RENATO... RENATO
VEIO LIGAR AQUI E ME CHAMAR MINHA ATENÇÃO... EU FALEI NAO CARA... VC TA
CONFUNDINDO AS COISAS... EU TENHO A VER COM SEU PATRÃO... NAO TENHO NADA A
VER COM VC NAO... VC SIMPLESMENTE TRABALHA COM ELE... VC SIMPLESMENTE VAI
ACONPANHAR O NEGOCIO PRA SAIR REDONDO... SIMPLESMENTE É MARCAR EU COM
SEU PATRÃO E O CARA AQUI Q É DONO DO NEGOCIO E COMBINAR...
ADONAI - ATE POR Q QUEM TEM A ACERTAR ISSO AI... É IRRELEVANTE O CABEÇÃO TA
DEVENDO OU NAO...
MARMOTA - E JA DEI UM ESPORRO NELE... FALEI JA LARGA DE CONVERSA FIADA... POR
Q QUEM DEVE O CABEÇÃO É O CHICO... CABEÇÃO NAO DEVE NADA PRO CABEÇÃO
NAO...
ADONAI - E TBM NAO TEM NADA A VER POR Q QUEM VAI PAGAR É O LUIZ...
MARMOTA - NAO TEM NADA A VER... LARGA DE CONVERSA FIADA... ESSA Q FOI A
HISTORIA QUE ELE FOI CONTAR PRO CABEÇÃO... QUE O CHICO NAO QUERI FAZER POR
Q O CABEÇÃO TAVA DEVENDO PRA ELE...
ADONAI - SENDO Q É O CONTRARIO NEH...
MARMOTA - É O CONTRARIO... LARGA DE CONVERSA FIADA... E NAO TENHO NADA A
VER COM VC NAO... TENHO A VER COM O SEU PATRÃO...
ADONAI - SE ESSE PESSOAL NAO RESOLVER ESSE NEGOCIO ESSA SEMANA NOIS
VAMOS TER Q ARRUMAR UMA CARAVANA E SUBIR AI... POR Q TA ENRROLADO DEMAIS
ISSO AI... TA EMPURRABNDO COM A BARRIGA...
MARMOTA - AI DEPOIS DESSA CONVERSA O LUIZ LIGOU PRA MIM E FALOU Q TA CERTO
PRA AMANHA O NEGOCIO DO CABEÇÃO... ME LIGOU AGORINHA... DEPOIS DESS
APRESSÃOZINHA
ADONAI - EU QUERO Q VC PASSE O NUMERO DO TELEFONE MEU PRO RENATO... QUE
ELE VAI FALAR PRA MIM O DIA CERTINHO E ESSA NUMERAÇÃO MINHA PRA ELE...
MARMOTA - ESSA DIREÇÃO NEH
ADONAI - ESSA DIREÇÃO MINHA PRA ELE...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 148
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
MARMOTA - ESSA É DIREÇÃO NEH...
ADONAI - ESSA DIREÇÃO MINHA PRA ELE... POR Q PRA MIM PASSAR POR AQUI FICA
RUIM... POR Q ELE FALOU QUE PROTOCOLA O DOCUMENTO DO CABEÇÃO MUM DIA E O
MEU NO OUTRO... VAI FAZER TD JUNTO NA SEQUENCIA...
MARMOTA - O CERTO É ESSE NEH... ELES TAO CORRENDO POR OUTRO LADO PRA
DEPOIS RESOLVER ESSA SITUAÇÃO...
ADONAI - SABE COM QUEM Q ELE TA... Q EU GANHEI O NOME... ELE FALOU NAO QUE EU
TO CONVERSANDO COM O PRETO... AI EU PEGUEI O TELEFONE E DEIXA EU FALAR COM
ELE AI... O CARA SE PASSANDO PELO RENATO... MAS SABE QUEM É O CARA... AQUELE
VELHO SOCIO DO FELIPE... AQUELE VELHO BRANCO...

TRANSCRIÇÃO 422

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
13/05/200
6696141 13/05/2009 00:02:3 @ADONAI X MARMOTA -
9
966 11:27:09 6 RESOLVIDO...
11:24:33

DIÁLOGO
ADONAI - LEMBRA DO VELHO BRANCO DA PAJEIRO...
MARMOTA - LEMBRO DELE O QUE TINHA A MERCEDES EMPACADA...
ADONAI - EU TENHO CTZ QUE CONHECIA O SOTAQUE DELE DE PAULISTA...
MARMOTA - A VOZ DO RENATO É INCONFUNDIVEL...
ADONAI - RENATO NAO FALA PORTUGUES NEM ESPANHOU
MARMOTA - E É UMA VOZ FINA NEH... UMA VOZ DE BICHA...
ADONAI - VOZ DE VIADO... EU FALEI QUEM Q TA FALANDO... AI ELE FICOU SEM
GRACINHA E DEU UMA RISADINHA... EU JA FALEI COM VC AMIGO E VC NAO TA
LEMBRADO... EU ACHEI Q O PRETO Q TA FALANDO... AGORA VC TA FALANDO COMIGO
SE PASSANDO POR OUTRA PESSOA... AI EU PERGUNTEI PRO LUIZ QUEM Q TA FALANDO
É O VELHO ZE... AI ELE FICOU ASSIM PRO CARA NAO OUVIR E FALOU É... ISSO MSM TA
TD CERTO... AGORA NAO SEI POR Q ELE FALOU Q NAO IA MAIS MEXER COM ESSE
POVO...
MARMOTA - É UM MENTIROSO... SÓ TEM ESSA CONVRSA BONITA...
ADONAI - MAS TA BOM... SE TA NESSA POSIÇÃO TA BOM... AMANHA VOU PEGAR A
DARCIANA E ARRUMAR UNS NEGOCIO E VOU PASSAR O NUMERO PRA VC DO
TELEFONE DE LA... NO SEU EMAIL DO TELEFONE Q FICA LA NO CAMPO...
MARMOTA - EU VOU CRIAR OUTRO EMAIL HJ... POR Q O CABEÇÃO PEDIU PRA MIM... E
LIGA PRA MIM DO ORELHAO PRA MIM PASSAR NO EMAIL NOVO... POR Q ESSES EMAIL
É TD CONTROLADO...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 149
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI - AI FICOU DESSE JEITO NEH... FICOU RESOLVIDO... O CHICO TA PRONTO PRA
MEXER...
MARMOTA - É FICOU DESSE JEITO... DEPOIS Q SURGIU ESSA CONVERSA MINHA Q EU
CHAMEI O CHICO E CONVERSEI Q FALEI PRO LUIZ Q ELE NAO TINHA NINGUEM Q FAZIA
... A CONVERSA DELE É Q NINGUEM QUERIA FAZER...
ADONAI - VC ARRUMOU PRA PODER FAZER...
MARMOTA - AI EU FALEI ENTAO VOU ARRUMAR UM ENTAO... VAMOS FAZER ESSE TREM
PRA AMANHA... C TEM O DINHEIRO PRA PAGAR O CARA... E ELE FALOU PODE ARRUMAR
Q EU PAGO... AI CHAMEI O CHICO E CONVERSEI E ELE FALOU Q SE QUIZER ATE PRA HJ
DEPOIS DO ALMOÇO NOIS FAZIA...
ADONAI - AI PRA VC VER... TA RESOLVIO...
MARMOTA - ELE FALOU Q ONTEM ELE FEZ UM PRA AQUELE LADO ALI... AI VC ARRUMA
UM TELEFONE PRA PASSAR O EMAIL...

Desse modo, à luz da forte prova de autoria delitiva decorrente das


interceptações telefônicas, que demonstram de forma inequívoca que ADONAI NOVAES
DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” estava associado à EDÉSIO RIBEIRO NETO, de
forma permanente e estável, para a prática reiterada do crime de tráfico internacional de
substância entorpecente, impõe-se a condenação do réu como incurso nas sanções do
crime tipificado no artigo 35 da Lei 11.343/2006.

4.2.2. ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN”

O MPF denunciou o acusado ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto


“CASSIN” como incurso nas sanções do crime previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006.

Os diálogos interceptados mencionados pela acusação (180, 183, 184, 185,


262, 265, 286, 449, 370, 371, 272) revelam que o réu atuou diretamente no processo de
aquisição, importação e transporte de substância entorpecente, especificamente do
carregamento de 383kg que foi apreendido pela Polícia Civil no dia 20/06/2009. Esses
diálogos interceptados, porém, não possuem o condão de comprovar a estabilidade e
permanência associativa, notadamente se estivesse associado ao grupo para possibilitar
a importação de outros carregamentos de cocaína.

Destarte, ausente a prova da estabilidade e permanência associativa e a


conduta do réu exaurindo-se no tráfico ao qual ele foi condenado nesta sentença, impõe-
se a absolvição do réu ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “CASSIN”, com
fundamento no artigo 386, inciso III do Código de Processo Penal.

4.2.3. JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”.

O MPF denunciou o acusado JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO como


incurso nas sanções do crime previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006.

Os diálogos interceptados mencionados pela acusação (50, 52, 171, 224,


225, 262, 365, 239, 264,) revelam que o réu atuou diretamente no processo de aquisição,
importação e transporte de substância entorpecente, especificamente do carregamento
de 383kg que foi apreendido pela Polícia Civil no dia 20/06/2009. Esses diálogos

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 150
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
interceptados, porém, não possuem o condão de comprovar a estabilidade e permanência
associativa, quer dizer, que o réu JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO estava
associado ao grupo para possibilitar a importação de outros carregamentos de cocaína.

Ademais, dois diálogos captados entre EDÉSIO RIBEIRO NETO e ADONAI


NOVAES DE OLIVEIRA (Transcrições 50 e 51) comprovam exatamente o contrário, que
JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO não fazia parte da associação criminosa. Com
efeito, EDÉSIO mencionou que JACKSON não fazia parte da estrutura, era apenas um
investidor, não era sócio dos réus.

Destarte, ausente a prova da estabilidade e permanência associativa e a


conduta do réu exaurindo-se no tráfico ao qual ele foi condenado nesta sentença, bem
como diante dos diálogos interceptados n° 50 e 51, impõe-se a absolvição do réu
JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO das imputações do crime previsto no artigo 35 da
Lei 11.343/2006, com fundamento no artigo 386, incisos III e IV do Código de Processo
Penal.

4.2.4. NEURI ALVES DA SILVA, epíteto “BRANQUINHO”

Depreende-se da denúncia que NEURI ALVES DA SILVA, epíteto


“BRANQUINHO” era Policial Civil do Estado de Mato Grosso à época dos fatos teria
auxiliado EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO” nas negociações em São Paulo/SP e
teria recebido de EDÉSIO dinheiro e veículos por seus serviços.

Quanto à autoria, o MPF indicou os diálogos interceptados n° 96, 112, 298,


326, 373, 513, bem como pelo depoimento prestado em juízo pelo corréu JOCENIL
PAULO DE FRANÇA.

Vejamos: Diálogo n° 96 (11/12/2008): Esse diálogo foi captado seis meses


antes da apreensão da droga e revela que EDÉSIO RIBEIRO NETO orientou NEURI a
viajar para São Paulo em outro momento, pois não estava com o dinheiro e o veículo para
entregar a NEURI. Diálogo n° 112 (16/12/2008): É a sequência dos fatos em que EDÉSIO
enfim comprou a passagem aérea para NEURI viajar até São Paulo. Diálogo n° 298
(03/04/2009): Trata-se de uma conversa interceptada entre EDÉSIO RIBEIRO NETO e
MARCELO JOSÉ MEDINA, em que EDÉSIO orienta MARCELO sobre como responder
caso NEURI ligasse querendo saber do dinheiro. Diálogo n° 326 (13/04/2009): Aqui,
novamente NEURI estava cobrando EDÉSIO de alguma dívida. Diálogo n° 373
(07/05/2009): Conversa interceptada em que EDÉSIO orienta NEURI a procurar
JACKSON e ADONAI. Diálogo n° 513 (21/06/2009): Trata-se uma conversa entre
EDÉSIO e WAGNER, nessa ocasião, quando já deflagrada a operação e apreendida a
droga, EDÉSIO afirma que vai cuidar da situação de “Branquinho”, apontado pela Polícia
como NEURI DA SILVA GUIA.

Contudo, pela análise dos diálogos interceptados, não é possível inferir a


permanência e estabilidade associativa.

Com efeito, não se provou o que NEURI exatamente fez para EDÉSIO em
São Paulo (Diálogos n° 96 e 112), tampouco a natureza, origem e destino das possíveis
negociações entre EDÉSIO e NEURI (Diálogos 298, 326, 373). Por último, também não
foi esclarecido como EDÉSIO iria “cuidar” da situação de NEURI após a apreensão da

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 151
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
droga (Diálogo 513). Esse diálogo até pode constituir indícios de autoria delitiva para o
crime de tráfico, mas não permite a prova da autoria quanto ao crime de associação para
o tráfico. Os diálogos interceptados, portanto, não possibilitam a prova de autoria delitiva.

No que se refere ao depoimento prestado em juízo pelo corréu JOCENIL


PAULO DE FRANÇA, como já referido, em nada esclarece, senão joga mais dúvida ainda
sobre a efetiva participação do réu. Deveras, NEURI afirmou que viajou até São Paulo
para adquirir equipamentos de informática para EDÉSIO, ao passo em que JOCENIL
aduziu que NEURI foi para São Paulo com o objetivo de além dos equipamentos de
informática, também buscar um veículo para EDÉSIO e, segundo o MPF, esse veículo
provavelmente deveria ser obtido como pagamento pelas drogas. Não obstante, o
depoimento de corréu JOCENIL reforçou a tese que NEURI viajou até São Paulo para
adquirir equipamentos de informática, mas como já afirmado, ainda que NEURI tivesse
ido mesmo para São Paulo buscar um veículo para EDÉSIO, a acusação ainda teria que
demonstrar o nexo de instrumentalidade na utilização desse veículo para a aquisição de
carregamentos de cocaína, mas isso não foi demonstrado.

Ademais, a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça – STJ firmou o


entendimento que é necessária a demonstração concreta da estabilidade e permanência
associativa.

“AGRAVO REGIMENTAL NO HABEAS CORPUS. ASSOCIAÇÃO PARA O


TRÁFICO DE DROGAS. ABSOLVIÇÃO. IMPOSSIBILIDADE. ESTABILIDADE
E PERMANÊNCIA. MINORANTE. REGIME. FUNDAMENTAÇÃO
CONCRETA E IDÔNEA. AGRAVO REGIMENTAL NÃO PROVIDO.

1. A jurisprudência desta Corte Superior firmou o entendimento de que,


para a subsunção da conduta ao tipo previsto no art. 35 da Lei n.
11.343/2006, é necessária a demonstração concreta da estabilidade e da
permanência da associação criminosa.

2. Uma vez que as instâncias ordinárias dentro do seu livre convencimento


motivado apontaram elementos concretos, constantes dos autos, que
efetivamente evidenciam a estabilidade e a permanência exigidas para a
configuração de crime autônomo, deve ser mantida inalterada a condenação
dos réus em relação ao delito de associação para o narcotráfico.

3. Para entender-se de forma diversa e afastar a compreensão das instâncias


de origem de que os recorrentes se associaram, com estabilidade e
permanência, para o fim de praticar o crime de tráfico de drogas, seria
necessário o revolvimento do acervo fático-probatório amealhado aos autos,
providência, conforme cediço, vedada na via estreita do habeas corpus.

4. É inviável a aplicação da causa especial de diminuição da pena prevista no


§ 4º do art. 33 da Lei de Drogas, quando o agente foi condenado também
pela prática do crime previsto no art. 35 da Lei de Drogas, por restar
evidenciada a sua dedicação a atividades criminosas ou a sua participação
em organização criminosa, no caso, especialmente voltada para o
cometimento do narcotráfico.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 152
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
5. Uma vez que os recorrentes foram presos na posse de elevada quantidade
de drogas, em contexto no qual se associaram, de maneira estável e
permanente, para a prática do narcotráfico, mostra-se devida a imposição do
regime inicial fechado, nos termos do art. 33, § 2º, "a" e "b", e § 3º, do CP,
com observância também ao enunciado no art. 42 da Lei n. 11.343/2006.

6. Agravo regimental não provido.” (AgRg no HC 661.393/SP, Rel. Ministro


ROGERIO SCHIETTI CRUZ, SEXTA TURMA, julgado em 22/06/2021, DJe
28/06/2021) [grifei]

Destarte, não demonstrada de forma concreta a estabilidade e permanência


associativa, impõe-se a absolvição do acusado NEURI DA SILVA GUIA, das imputações
do crime previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso
VII do Código de Processo Penal.

4.2.5. JOCENIL PAULO DE FRANCA

Segundo o MFP, o acusado JOCENIL PAULO DE FRANÇA, epíteto


“NEGUINHO” também era Policial Civil do Estado de Mato Grosso e teria viajado com
NEURI ALVES DA SILVA, vulgo “BRANQUINHO” para São Paulo, com passagens pagas
por EDÉSIO RIBEIRO NETO, vulgo “BINHO” e recebido veículo como pagamento por
serviços prestados.

Para corroborar a acusação pelo crime de associação para o tráfico, o MPF


arrolou dois diálogos interceptados (64 e 66), que passo a analisá-los para inferir a prova
da autoria delitiva.

Diálogo n° 64 (01/12/2008): Trata-se de uma conversa em que JOCENIL


PAULO DE FRANÇA conversou com uma pessoa que não foi identificada, sobre o seu
plantão na Delegacia de Homicídios em Cuiabá/MT. De se ressaltar que JOCENIL era
policial civil, assim como NEURI DA SILVA GUIA.

Esse diálogo, contudo, não revela nada de incriminador. Na verdade, poderia


até demonstrar os preparativos para a viagem de JOCENIL para São Paulo, organizando
a sua vida funcional para possibilitar a sua permanência em outro Estado, já que estava
trabalhando e não podia se ausentar tanto tempo.

Diálogo n° 66 (02/12/2008): Nesse diálogo interceptado, consta que EDÉSIO


RIBEIRO NETO entrou em contato com uma agência de viagens para reservar a
passagem aérea de JOCENIL PAULO DE FRANÇA. Aqui também não há como extrair o
motivo dessa viagem para São Paulo, muito menos se teve relação com o processo de
levantamento e transferência dos recursos para a aquisição do carregamento de cocaína
da Bolívia.

Não há, absolutamente nada que comprove a autoria delitiva em relação ao


acusado JOCENIL PAULO DE FRANÇA, tanto é verdade que, em alegações finais, o

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 153
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
MPF também chegou à mesma conclusão e pugnou pela absolvição do acusado, nos
seguintes termos:

“Feitos esses esclarecimentos, o Ministério Público Federal entende que os


elementos probatórios colhidos em relação a JOCENIL não são suficientes
para a sua condenação.

O que é possível afirmar, até o momento, é que o acusado se deslocou até


São Paulo na companhia de NEURI, sendo incontroverso, como dito acima,
que a finalidade dessa viagem, por parte de NEURI, era auxiliar Edésio com
atividades da organização criminosa. Além disso, mostra-se incontroverso
que JOCENIL e NEURI ficaram na casa de Edésio durante o tempo que
permaneceram em São Paulo, assim como que Edésio foi o responsável por
adquirir as passagens de ambos.

Não se mostra possível, todavia, apenas a partir destes dois fatos, extrair a
conclusão de que JOCENIL tenha sido um membro da organização
criminosa, pois embora seja possível que ele tenha auxiliado NEURI com
atividades da organização na sua viagem em São Paulo, as provas até agora
produzidas não indicam que essa participação efetivamente ocorreu e, se ela
ocorreu, não é possível afirmar que a participação de JOCENIL tenha se
dado de forma consciente.

Com relação às interceptações, o que se tem é um diálogo entre JOCENIL e


um colega da Divisão de Homicídios, conversando sobre o que havia se
passado durante o plantão que ele faltou, o que foi confirmado pelo próprio
JOCENIL em audiência, explicando também que ele teve que utilizar o celular
de NEURI porque a bateria do celular estava esgotado, e uma segunda
conversa na qual Edésio pede para que uma passagem seja comprada em
nome de JOCENIL.

Assim, o conjunto probatório produzido, embora demonstre que Edésio e


JOCENIL se conheciam, e que NEURI e JOCENIL possuíam uma relação
bastante próxima, não se mostra suficiente para a condenação de JOCENIL
pelos crimes que lhe foram imputados, pois não há elemento que indique que
sua participação nas atividades da organização criminosa se deu de forma
consciente.” (ID. Num. 296009867 - Pág. 290)

Com razão o MPF.

Não há mesmo nenhuma prova de autoria delitiva, impondo-se a absolvição


do acusado JOCENIL PAULO DE FRANÇA, das imputações do crime previsto no artigo
35 da Lei 11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso VII do Código de Processo
Penal.

4.2.6. MARCELO JOSÉ HARDMAN MEDINA, epíteto “BOB”

Depreende-se da denúncia que o acusado MARCELO JOSÉ HARDMAN

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 154
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
MEDINA, epíteto “BOB” teria fornecido sua conta bancária para EDÉSIO RIBEIRO
NETO, vulgo “BINHO” movimentá-la, além de comprar bens para EDÉSIO e hospedar-se
em seu apartamento em São Paulo/SP, com a viagem (passagens aéreas) também
custeadas por EDÉSIO.

Para sustentar a prova da autoria delitiva, o MPF indicou os diálogos


interceptados n° 203, 204, 205, 294 e 463. Vejamos: Diálogos n° 203, 204 e 205
(20/03/2009): Versam esses diálogos sobre o depósito de R$ 100.000,00 (cem mil reais)
que EDÉSIO RIBEIRO NETO realizou na conta bancária do acusado MARCELO JOSE
HARDMAN MEDINA e que ele teria gasto, por conta própria, parte do dinheiro que
pertencia a EDÉSIO. Diálogo n° 294 (21/05/2009): É possível constatar que MARCELO
soube da apreensão da droga realizada na fazenda Sete Irmãos e indicou um advogado
(corréu AROLDO) para seu amigo EDÉSIO RIBEIRO NETO. Diálogo n° 463 (09/06/2009):
Em decorrência da apreensão da droga, MARCELO e AROLDO (advogado) conversam
sobre as prisões.

Da análise dos diálogos interceptados, não é possível inferir a prova da


associação estável e permanente do réu MARCELO JOSÉ HARDMAN MEDINA, epíteto
“BOB” com o réu EDÉSIO RIBEIRO NETO, epíteto “BINHO”. Com efeito, não é possível
inferir o conhecimento do réu quanto à natureza das movimentações financeiras na sua
conta bancária, tampouco o fato dele ter sido informado sobre as prisões e indicado
advogado para seu amigo EDÉSIO, eis que não corrobora prova suficiente para se
ensejar a condenação por associação para o tráfico. Destarte, impõe-se a absolvição do
réu das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006, com fulcro no
artigo 386, inciso VII do Código de Processo Penal.

4.2.7. ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, epíteto “NANICO”.

Consta da denúncia que o acusado ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA,


epíteto “NANICO” seria encarregado de transportar veículos para a associação
criminosa e realizar tarefas menores, como o transporte de motoristas e a comunicação
do grupo.

Os diálogos 358, 369, 464 e 538 foram utilizados como prova de autoria
delitiva tanto do crime de tráfico como do crime de associação para o tráfico. Contudo,
não é possível inferir a estabilidade e permanência associativa a partir desses três
diálogos.

Com efeito, o diálogo n° 358 trata de uma conversa mantida no dia


21/04/2009, em que o acusado ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA entrou em contato
com o réu WAGNER RODRIGO DE AMORIM, ocasião em que informou o novo número
de celular, bem como indagou sobre a demora da entrega e obteve a resposta de
WAGNER que o estavam passando por dificuldades de razão do controle de tráfego
aéreo, mas assim que tivesse uma brecha, eles conseguiriam entregar. Embora o diálogo
em questão indique indícios de autoria do crime de tráfico de drogas, não é possível
concluir que ENILVALDO estava associado de forma permanente e estável ao acusado
WAGNER para promover o tráfico de drogas.

O diálogo n° 369, captado no dia 27/04/2009, refere-se à conversa mantida

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 155
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
entre ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA e seu irmão FRANCISCO FERNANDES DE
SOUZA, epíteto “CHIQUINHO”, ocasião em que FRANCISCO afirmou que mandaria “dois
meninos” do Estado do Pará e chegariam em Chapada dos Guimarães/MT (Transcrição
369). Aqui, novamente, o diálogo indica indícios da existência do crime de tráfico de
drogas, mas não é possível estabelecer a conclusão da permanência e estabilidade
associativa entre ENIVALDO e FRANCISCO apenas com suporte neste diálogo
interceptado.

O diálogo 464 captado no dia 13/09/2009 denota que ENIVALDO


FERNANDES DE SOUZA, epíteto “NANICO” foi informado por seu irmão FRANCISCO
FERNANDES DE SOUZA, epíteto “CHIQUINHO” que havia contatado DANIEL DA SILVA
GUIA, epíteto “BUCHO”, que afirmou que não estava mais na região, mas que logo seria
enviado (Transcrição 464). Infere-se do diálogo indícios da existência de autoria delitiva,
em relação ao crime de tráfico, mas não permite a conclusão que ENIVALDO estava de
forma permanente e estável associado a FRANCISCO ou DANIEL para importar
carregamentos de cocaína.

No diálogo n° 538, captado no dia 13/06/2009, FRANCISCO entrou em


contato com seu irmão ENIVALDO, para combinar a transição na condução dos negócios
caso FRANCISCO fosse preso, mas essa suposta “transição” não foi comprovada,
tampouco não se sabe em que consistiria as “funções” que ENIVALDO desempenharia
frente à prisão de seu irmão FRANCISCO, tal circunstância permaneceu no campo da
cogitação e não pode ser empregada como prova de permanência associativa, porque
não passou de cogitação.

Diante da inexistência de provas de estabilidade e permanência associativa,


impõe-se a absolvição do acusado ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, epíteto
“NANICO” das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006, com fulcro
no artigo 386, inciso VII do Código de Processo Penal.

4.2.8. ROBERTO CARLOS PEREIRA, epíteto “BETO”.

Em relação ao crime de associação para o tráfico, o MPF apontou como


prova de autoria delitiva, o diálogo interceptado n° 526, captado no dia 23/06/2009, que é
uma ligação em que EDÉSIO RIBEIRO NETO conversou com AROLDO sobre os
empregados da fazenda que poderiam prestar depoimento em razão da apreensão da
droga, entre eles, o acusado ROBERTO CARLOS PEREIRA, referido por EDÉSIO
RIBEIRO NETO como “Irmão do Marcelo” (Transcrição 526).

Esse único diálogo, contudo, não possui o condão de comprovar a


estabilidade e permanência exigida para a consumação do crime de associação para o
tráfico.

Portanto, não há provas que o réu ROBERTO CARLOS PEREIRA estava


associado de forma permanente e estável para a prática do crime tráfico de drogas,
impondo-se a absolvição do réu das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso V do Código de Processo Penal.

4.2.9, EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 156
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Em relação ao crime de associação para o tráfico, o MPF apontou como
prova de autoria delitiva, o diálogo interceptado n° 526, captado no dia 23/06/2009, que é
uma ligação em que EDÉSIO RIBEIRO NETO conversou com AROLDO sobre os
empregados da fazenda que poderiam prestar depoimento em razão da apreensão da
droga, entre eles, o acusado EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO (Transcrição 526).

Esse único diálogo, contudo, não possui o condão de comprovar a


estabilidade e permanência exigida para a consumação do crime de associação para o
tráfico.

Portanto, não há provas que o réu EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO


estava associado de forma permanente e estável para a prática do crime tráfico de
drogas, impondo-se a absolvição do réu das imputações do crime previsto no artigo 35 da
Lei 11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso V do Código de Processo Penal.

4.2.10. HELDER PEREIRA DINIZ

Em relação ao crime de associação para o tráfico, o MPF apontou como


prova de autoria delitiva, o diálogo interceptado n° 526, captado no dia 23/06/2009, que é
uma ligação em que EDÉSIO RIBEIRO NETO conversou com AROLDO sobre os
empregados da fazenda que poderiam prestar depoimento em razão da apreensão da
droga, entre eles, o acusado HELDER PEREIRA DINIZ (Transcrição 526).

Esse único diálogo, contudo, não possui o condão de comprovar a


estabilidade e permanência exigida para a consumação do crime de associação para o
tráfico.

Portanto, não há provas que o réu HELDER PEREIRA DINIZ estava


associado de forma permanente e estável para a prática do crime tráfico de drogas,
impondo-se a absolvição do réu das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso V do Código de Processo Penal.

4.2.11. MARCELO DA SILVA PEREIRA, epíteto “MENTIRINHA”.

Em relação ao crime de associação para o tráfico, o MPF apontou como


prova de autoria delitiva, os diálogos interceptados n° 478, 479, 491 e 497, que tratam
das conversas mantidas com EDÉSIO RIBEIRO NETO após a apreensão da droga,
notadamente para combinar depoimentos que seriam prestados na fase policial, que não
demonstram a estabilidade e permanência associativa.

A única prova que poderia mesmo revelar certa estabilidade e permanência


associativa foi o depoimento prestado pelo colaborador ANTÔNIO MARTINS DE ASSIS,
epíteto “MARQUINHOS”, que afirmou em seu depoimento que foi o próprio MARCELO
DA SILVA PEREIRA que lhe contratou para trabalhar na fazenda, mas que não era para
trabalhar apenas com gado, mas com o tráfico de drogas, quando ofereceu como
pagamento o valor de R$ 3.000,00 para cada carregamento com entorpecente que fosse
descarregado na fazenda (fls. 17/24 da Colaboração Premiada, autos n°
2009.36.00.010290-9), o que poderia revelar que a organização criminosa utilizaria a

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 157
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
fazenda para importar e depositar outros carregamentos de cocaína, porém, não há
realmente informações desse fato ter se confirmado ou se o réu MARCELO DA SILVA
PEREIRA também atuaria nesses novos carregamentos de cocaína, revelando-se frágil a
prova de autoria delitiva quanto ao crime de associação para o tráfico.

Portanto, não há provas que o réu MARCELO DA SILVA PEREIRA estava


associado de forma permanente e estável para a prática do crime tráfico de drogas,
impondo-se a absolvição do réu das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso V do Código de Processo Penal.

4.2.12. RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO, epíteto “TEO” ou


“CABEÇA”.

O MPF imputou ao acusado RUBENS ANTERO DA COSTA, epíteto “TEO”


ou “CABEÇA” a prática do crime previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006, pois foi o
veterinário contratado para atuar na Fazenda Sete Irmãos, intermediou o arrendamento
da fazenda para a organização criminosa e foi abordado pela Polícia Civil na companhia
de vários acusados denunciados nesta Operação.

Em alegações finais, o MPF, compulsando o acervo probatório, entendeu que


não há prova suficiente de autoria delitiva para ensejar a condenação do réu, nos
seguintes termos:

“Tendo em vista os elementos de prova produzidos durante todo o trâmite da


persecução criminal, não se verifica a existência de um acervo probatório
suficiente para fixar, de forma inconteste, a autoria do acusado em relação ao
crime que lhe foi imputado.

A despeito do teor da conversa travada entre Edésio e AROLDO, no sentido


de que "o veterinário" estaria envolvido, não há nada nos autos que indique
como essa participação tenha ocorrido, quais seriam suas funções, quais
atividades ele desempenhou ou de quem ele recebia ordens. Até o momento,
tudo que se pode afirmar que o acusado estava em uma caminhonete
juntamente de outros membros da organização na data em que a operação
foi deflagrada, assim como que ele auxiliou no arrendamento da Fazenda.

Mas apenas esses fatos, isoladamente, se mostram insuficientes para


demonstrar a participação do acusado na organização criminosa,
especialmente considerando que não constam nos autos uma interceptação
sequer na qual o acusado tenha participado como interlocutor, discutindo
questões referentes à organização criminosa.

E de se ressaltar, inclusive, que a situação, neste caso, é distinta daquela dos


acusados mencionados no Ultimo tópico, pois embora eles também não
tenham participado das conversas interceptadas, outros elementos dos autos
serviram para comprovar a participação deles no esquema, justificando o
pedido pela condenação.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 158
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Finalmente, considerando as dimensões da Fazenda, além do fato de que
nela existia um considerável rebanho para dar a aparência de licitude aos
negócios lá desenvolvidos, não se mostra inverossímil a versão apresentada
pelo acusado de que seus trabalhos se limitavam ao exercício da atividade
veterinária, desconhecendo a função de entreposto da Fazenda para as
atividades de descarga e transporte de droga.” (ID. Num. 296009867 - Pág.
314-315)

Com razão o MPF.

O elemento indiciário apresentado inicialmente como prova de autoria delitiva


foi o diálogo interceptado n° 526, ou seja, uma conversa mantida entre AROLDO e
EDÉSIO RIBEIRO NETO, no dia 23/03/2009, em que EDÉSIO acreditava que o
depoimento da testemunha acabaria por incriminar o veterinário RUBENS ANTERO DA
COSTA (Transcrição 526).

Porém, não houve depoimento nesse sentido, para confirmar a alegação de


EDÉSIO RIBEIRO NETO.

De outra parte, quando foi abordado pela Polícia Civil na companhia dos
demais corréus, nas proximidades da fazenda, nada foi encontrado, notadamente
substância entorpecente, não podendo servir de elemento probatório para subsidiar a
condenação. De outra parte, a defesa do acusado juntou farta prova documental,
comprovando que ele, de fato, atuou como veterinário na Fazenda Sete Irmãos.

Não havendo elementos mínimos de prova de autoria delitiva, impõe-se a


absolvição do acusado RUBENS ANTERO DA COSTA, epíteto “TEO” ou “CABEÇA”
da imputação do crime previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006.

4.2.13. AROLDO FERNANDES DA LUZ

O acusado AROLDO FERNANDES DA LUZ foi denunciado como incurso


nas sanções do crime previsto no artigo 37 c/c 40, incisos I e IV, da lei 11.343/2006 (ID.
Num. 295906927 - Pág. 38), contudo, em alegações finais, o MPF “requerer a
condenação de AROLDO FERNANDES DA LUZ, pelos delitos tipificados nos arts. 35 e
37 c/c art. 40, incisos I e IV da lei 11.343/06;” (ID. Num. 296009867 - Pág. 334). O crime
de associação para o tráfico não foi imputado na denúncia, embora, em alegações finais,
o MPF pugnou pela condenação nesse crime. Destarte, na forma do art. 383 do CPP,
tomando a pretensão ministerial como “emendatio libelli”, passo a analisar a prova da
autoria do crime previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006 em relação ao acusado
AROLDO FERNANDES DA LUZ.

Para a prova de autoria delitiva, o MPF indicou os seguintes diálogos


interceptados:

Diálogo n° 501 (20/06/2009): Trata-se de uma conversa entre AROLDO


FERNANDES DA LUZ com EDÉSIO RIBEIRO NETO sobre a situação na
Fazenda Sete Irmãos, tendo em vista a deflagração da Operação da Polícia

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 159
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Civil para apreender o carregamento da substância entorpecente. Na ocasião,
primeiro os honorários advocatícios de R$ 40.000,00 que EDÉSIO devia ao
escritório de AROLDO, depois, AROLDO revela sua preocupação com a
possível apreensão do gado que estava na fazenda, quando o próprio
EDÉSIO sugeriu que AROLDO realizasse um contrato retroativo de
arrendamento do gado, para evitar a indisponibilidade. AROLDO também
afirmou que tentaria “blindar” seu cliente EDÉSIO.

Diálogo n° 504 (20/06/2009): Nesse diálogo interceptado, AROLDO


FERNANDES DA LUZ entrou em contato com WAGNER RODRIGO DE
AMORIM para todo mundo sumir e na segunda-feira teria acesso ao
depoimento do colaborador.

Diálogo n° 523 (22/06/2009): AROLDO entrou em contato com EDÉSIO


RIBEIRO NETO, para informá-lo da indisponibilidade do gado na Fazenda
Sete Irmãos. Na ocasião, AROLDO cobrou os seus honorários advocatícios e
afirmou que poderia testemunhar em favor de EDÉSIO, para poder “blindá-
lo”.

Somente com base nesses três diálogos interceptados, não é possível inferir
a prova da permanência associativa.

Os diálogos foram produzidos em dois dias e gravitam em torno dos fatos que
decorreram após a apreensão dos 383 kg de cocaína na Fazenda Sete Irmãos.

Não há indicativo que AROLDO estivesse associado a EDÉSIO para


promover a prática do tráfico de drogas, pois nesse momento, a droga já tinha sido
apreendida.

Também não há provas que AROLDO continuaria desempenhando suas


funções para EDÉSIO em relação a outros carregamentos de cocaína, ou que estivesse
de forma dolosa associado a EDÉSIO ou a outros integrantes do grupo para possibilitar a
importação da cocaína boliviana e o transporte em território nacional.

Ausente a prova da permanência associativa, não há fato típico, impondo-se


a absolvição do acusado AROLDO FERNANDES DA LUZ das imputações do crime
previsto no art. 35 da Lei 11.343/2006, com fundamento no art. 386, inc. VII do CPP.

4.2.14. ALEXANDRE ZANGARINI

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL – MPF denunciou ALEXANDRE


ZANGARINI, como incurso no crime tipificado no art. 35 da Lei 11.343/2006.

Depreende-se da denúncia que ALEXANDRE ZANGARINI é o proprietário do


lava-jato Aquejet, que foi utilizado pela associação criminosa para a transferência de R$
500.000,00 (quinhentos mil reais) via dólar-cabo para a Bolívia, para o pagamento do
carregamento de cocaína junto ao fornecedor boliviano. Consta também da denúncia que
o acusado utilizava a empresa INFINTY S.A., registrada em nome dos seus filhos, para
desvincular a origem do dinheiro.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 160
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Como prova de autoria delitiva, o MPF apresentou o seguinte diálogo
interceptado:

Diálogo 403 (05/05/2009): Nesse diálogo, ALEXANDRE ZANGARI está na


presença de ALAOR, que faz a ligação para ADONAI. Na ocasião, ALEXANDRE afirmou
que combinaram o câmbio de R$ 500.000,00, mas que depositaram dinheiro a mais e não
foi por sua culpa, mas do intermediador RICARDO DA COSTA SILVA.

TRANSCRIÇÃO 403

TELEFONE NOME DO ALVO


6696141966 6696141966 maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇÃ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR RA FINAL O O ENTÁRIO
INICIAL
05/05/200 05/05/200 @ADONAI X MARMOTA
6696141 59177648570
9 9 00:13:24 X ALEXANDRE -
966 0
19:50:25 20:03:49 DINHEIRO

DIÁLOGO
ADONAI - OI
MARMOTA - COXA TO C/ O RAPAZ AQUI FALA C/ ELE...
ADONAI - TÁ....
ALEXANDRE - ....O MENINO TÁ AQUI PRA ESCLARECER O QUE TINHA SIDO COMBINADO
ERA O CÂMBIO DE 500 E FOI FEITO E PARECE QUE FOI FEITO UM DEPOSITO A MAIS EM
UMA CONTA QUE NÃO É MINHA QUE ERA 350 NA CONTA DESSE RAPAZ E 150 NA CONTA
DE OUTRO MENINO E O QUE EU COMBINEI E FOI QUE EU REPASSEI AQUI E PARECE
QUE DEPOSITARAM A MAIS NESTA CONTA QUE ERA 350 ESSA PESSOA EU NÃO
VINCULOS C/ ELES ERA UMA DIVIDA QUE EU TINHA O QUE EU POSSO JÁ ENTREI EM
CONTATO QUE O RICARDO TINHA ME PEDIDO PARECE QUE TINHA DEPOSITADO A MAIS
EU TINHA FALADO C/ ESSA PESSOA VCS TEM QUE IR LÁ E BUSCAR ESSE DINHEIRO O
JONI TEM O TELEFONE DELE ELE ESTÁ EM SÃO PAULO EU PASSEI O TELEFONE DELE P/
O JONI E VCS TEM QUE ENTRAR EM CONTATO E PEGAR O DINHEIRO C/ ELE PORQUE
DENTRO DO QUE EU COMBINEI QUE ERA 350 PRA PAGAR UMA CONTA MINHA E 150 QUE
ERA NA CONTA DO OUTRO MENINO EU JÁ CUMPRI O COMBINADO
ADONAI - EU ACHO QUE ESTÁ TENDO UM PROBLEMA DE COMUNICAÇÃO......EU
CONVERSEI C/ O RICARDO O PROBLEMA DO ATRAVESSADOR É ESSE ISSO AI FOI A
PRIMEIRA CONVERSA QUE NOS TIVEMOS E DEPOIS NOS TIVEMOS A SEGUNDA
CONVERSA QUE TINHA MAIS 250 MIL EU PEDI PRA ELE FORNECER A CONTA PRA
MIM......ELE DISSE PRA MIM EU VOU ENTRAR EM CONTATO C/ O RAPAZ E VOU VER QUE
CONTA QUE PODE COLOCAR ESSE DINHEIRO PORQUE NA MINHA NÃO CABE MAIS SÓ
150.....EU AGUARDEI ELE RETORNOU PRA MIM E PEDIU PRA MIM IR LÁ NO LOCAL DE
TRABALHO DELE EU FUI NO LOCAL DE TRABALHO DELE E ELE ME DISSE VC PODE
COLOCAR EM QUALQUER UMA DESSAS CONTAS AQUI SÓ NÃO NA MINHA E ISSO QUE
FOI FEITO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 161
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ALEXANDRE - ...ISSO AI ERA UMA CONTA A PAGAR.....
ADONAI. ESSA QUE E A QUESTÃO EU NÃO TENHO COMO SABER DISSO EU NÃO VOU
DONO DE CONTA VC QUE FORNECEU A CONTA MIM NÃO TEM ACESSO IMAGINA
EU.....EU SEI QUE É UMA PESSOA DE UMA GARAGEM EU PROCUREI INFORMAÇÃO AQUI
E É O MAIOR CALOTEIRO ESSA QUE É A REALIDADE NINGUÉM RECEBE DESSE CARA EU
ENTREI EM CONTATO C/ ELE, REALMENTE TEM UM TELEFONE DE SÃO PAULO, EU FALEI
C/ ELE ONTEM ELE FALOU QUE ESTAVA EM PAULINHA ELE QUE IA CHEGA EM SÃO
PAULO 01:30 DA TARDE E ERA PRA MIM LIGA PRA ELE EU FALEI AMIGO EU NÃO VOU
LIGA PRA VC PORQUE VC SABE AEROPORTO COMO É QDO VC CHEGA LÁ VC ME
RETORNA VC TEM MEU NUMERO VC SABE QDOS VEZES ELE ME RETORNOU PRA MIM ?
NENHUMA ...... JÁ LIGUEI PRA ELE MAIS DE CEM VEZES.....O TELEFONE DELE ESTÁ
DESLIGADO.....JÁ TEM MAIS DE 30 DIAS QUE ESSE DINHEIRO FOI PASSADO E NÃO É UM
PROBLEMA MEU FOI PASSADO A CONTA E O DINHEIRO FOI DEPOSITADO AGORA EU
TENHO QUE COBRA UMA PESSOA QUE NEM AQUI MORA MORA EM SÃO PAULO AI FICA
DIFICIL DEMAIS PRA MIM...
ALEXANDRE - MAIS VEJA BEM DENTRO DO COMBINADO DO QUE EU COMBINEI EU
CUMPRI ERA AQUELE VALOR E UMA PESSOA QUE EU DEVIA EU FALEI DEPOSITA NA
CONTA DA PESSOA QUE EU DEVIA E O QUE VERIA PRA MIM E O DINHEIRO QUE TAVA NA
CONTA DO MENINO
ADONAI - ......EU FOI EXPLICAR PRA VC DE NOVO FOI FEITO UM SEGUNDO ACORDO, VC
ACHA QUE EU DEPOSITAR 250 MIL REAIS A MAIS EM UMA CONTA SEM PERGUNTAR SE
PODIA FOI DEPOSITADO PORQUE O RICARDO AUTORIZOU
ALEXANDRE - ...MAS O RICARDO SABE MUITO BEM QUE EU NÃO TENHO VÍNCULO C/
ESSA PESSOA...
ADONAI - MAS QUEM QUE É O RICARDO O RICARDO NÃO É NINGUÉM NÃO TEM
CONDIÇÕES DE PAGA ESSE DINHEIRO NÃO ELE SIMPLISMENTE FALOU PRA MIM ESSE
DINHEIRO E ASSIM E ASSADO EU VOU VER SE ELE TEM CONDIÇÕES DE PASSA PRA VC
NESSE CAMBIO AI SE ELE NÃO TIVER ESSE DINHEIRO LÁ NOS VAMOS RESSARCI VC E
REALMENTE FOI REPASSADO 60 MIL REAIS DESSE MONTANTE, 162 E 800 FOI
REPASSADO PRA GENTE SÓ QUE 102 E 800 JÁ TEM MAIS DE 30 DIAS E NÃO RESOLVEU
AINDA....E AI COMO É QUE EU FOI FICAR ESSE CARA E UM TAL DE MAURICIO NÃO
NUNCA VI ESSA CARA
ALEXANDRE - NÃO NÃO ESSA COISAS EU NÃO POSSO....ESSE TIPO DE CONVERSA NO
TELEFONE NÃO ....EU TO EXPLICANDO PRO MENINO AQUI QUE DENTRO DO
COMBINADO....
ADONAI. E FALA PRA MIM COMO QUE NOS VAMOS RESOLVER ESSE NEGÓCIO AI O
CARA SIMPLISMENTE VAI FICAR C/ O DINHEIRO DA GENTE
ALEXANDRE - ...A UNICA COISA QUE EU TO EXPLICANDO AQUI E QUE EU TENHO UMA
GARANTIA, INDEPENDENTE DESSE NEGOCIO QUE NÃO FUI EU QUE FIZ COMPROMISSO
EU AINDA FALTO ESCRITURAR UMA CASA PRA ELE....NO VALOR DE 200 MIL ISSO EU
POSSO ATÉ DÁ UMA SEGURANDA PRA NÃO ESCRITURAR PRA VÊ SE ELE RESOLVE A
SITUAÇÃO C/ VC
ADONAI - VC TEM QUE ENTENDER MINHA SITUAÇÃO EU TRABALHO C/ GIRO E DENTRO
DESTE 30 DIAS DE CEM MIL EU JÁ PERDI MAIS CEM MIL EU VOU CONTINUAR A
PERDENDO DINHEIRO ATÉ QDO C/ ISSO....EU NÃO TENHO COMO ESPERAR ISSO
ALEXANDRE - MAIS VEJA BEM NÃO É EU QUE ESTOU TE VENDENDO A CASA ESTOU
TENTANDO DE AJUDAR PORQUE NÃO FOI EU QUE FIZ COMPROMISSO EU FIZ
COMPROMISSO DO QUE EU QUERIA, PODIA FAZER......EU TENHO DISPONIVEL ESSE
VALOR AI O RICARDO VEIO E DISSE VC NÃO QUER FAZER MAIS EU FALEI NÃO EU
TENHO ESSE VALOR NÃO FAÇO
ADONAI - ........DE QUALQUER JEITO A RESPONSABILIDADE É SUA PORQUE VC VIA NOS
LÁ PESSOALMENTE E NUNCA FOI FALAR C/ A GENTE E VC DEU PODERES P/ O RICARDO
NEGOCIAR C/ A GENTE SE ELE ERROU.....VC ACHA SE O RICARDO FALASSE PRA MIM

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 162
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
QUE NÃO TEM COMO DEPOSITAR ESSE DINHEIRO PORQUE O CARA NÃO TEM COMO
HORAR ACIMA DISSO EU IRIA MANDA DEPOSITAR O DINHEIRO ? NUNCA EU NÃO VOU
LOUCO SE O DINHEIRO FOI DEPOSITADO E PORQUE TINHA GARANTIA DELE
ALEXANDRE - ENTÃO VC FAZ O SEGUINTE PERGUNTA PRO RICARDO SE EU ALGUM DIA
AUTORIZEI ESSE VALOR ISSO QUE EU QUERO QUE VC PERGUNTE A ESSE SE ALGUM
DIA EU AUTORIZEI ESSE VALOR
ADONAI - TANTO QUE ELE FALOU ME MANDOU DEPOSITA E FORNECEU A CONTA
ALEXANDRE - VC PERGUNTA ASSIM COM ESSAS PALAVRAS O VALOR QUE EU COMBINEI
EU FIZ AGORA COM ESSAS PALAVRAS VC FALA ELE AUTORIZOU ALGUM DIA FAZER
ACIMA DE 500 MIL VC SO PERGUNTA ISSO......COMO ESSAS PALAVRAS SE ALGUM DIA
EU AUTORIZEI MAIS DE 500 MIL .......
ADONAI - ENTÃO O RICARDO ERROU......ELE AUTORIZOU DINHEIRO A MAIS
ALEXANDRE - SE ELE TAVA PENSANDO EM FAZER ALGUM TIPO DE NEGOCIO AI JÁ NÃO
ME DIZ RESPEITO MAIS O QUE EU COMBINEI EU CUMPRI.....TANTO É QUE NA CONTA DO
RICARDO TINHA MAIS QUE OS 150 VC DEVE SABER MUITO BEM DISSO EU FALEI P/ ELE
QUE ERA SÓ 150 TANTO É QUE EU FUI BUSCAR SÓ O QUE ME DIZ RESPEITO SÓ 150 ELE
DEU UM CHEQUE DE NÃO SEM DE QUEM QUE ERA PRA DEVOLVER PRA NÃO SEM QUEM
ISSO NÃO ME DIZ RESPEITO O QUE EU ASSUMI COMPROMISSO ERA 350 EM UMA CONTA
E 150 EM OUTRA ESSE ERA MEU COMPROMISSO ISSO ME COMBINEI E ISSO QUE EU
CUMPRI A PARTE DISTO SE FOI 160, 170 NA CONTA DO RICARDO NÃO FOI EU QUE
AUTORIZEI....EU TO TENTANDO AJUDAR NÃO ESTOU COLOCANDO OBSTACULO NO
NEGOCIO DE NINGUÉM...... O COMBINADO MEU FOI O COMBINADO AGORA SE TEVE
ALGUM ATROPELO EM CIMA DISSO AI JÁ NÃO É PROBLEMA MEU.....O QUE EU TO
TENTANDO FAZER É AJUDAR EU AINDA TENHO UMA CASA QUE EU TENHO QUE
ESCRITURAR PRA ELE NESSES DIAS EU QUE EU PODIA FAZER E DÁ UMA PRESSÃO
NELE PRA ELE TE PAGA.........EU TO TENTANDO RESOLVER UMA SITUAÇÃO
ADONAI - AMIGO PRA RESOLVER É SIMPLES O DINHEIRO FOI DEPOSITADO
SIMPLISMENTE ELE TINHA QUE DEVOLVER PORQUE ESSA CARA NÃO QUER DEVOLVER
EU NÃO CONHEÇO ESSA CARA EU NUNCA VI NA VIDA ESSA CONTA FOI FORNECIDA
POR VC O RICARDO FALAVA EM SEU NOME ENTÃO ELE É RESPONSÁVEL POR O QUE
ELE FALA ELE NÃO TEM CONDIÇÕES DE RESOLVER ESSA SITUAÇÃO
ALEXANDRE - NÃO PARE AI QDO QUE O RICARDO FALOU QUE ERA P/ DEPOSITAR
SINCERAMENTE ?
ADONAI - 750 MIL REAIS
ALEXANDRE - EM QUAL CONTA E QTO EM CADA CONTA?
ADONAI - ....O PRIMEIRO NEGOCIO QUE FOI FEITO.... A PRIMEIRA CONVERSA FOI 350 MIL
DIVIDO NAQUELAS CONTAS E 150 NA DELE ...
ALEXANDRE - E QTO QUE FOI DEPOSITADO NA CONTA DO RICARDO
ADONAI - 160 E ALGUMA COISA EU NÃO RECORDO...
ALEXANDRE - JÁ NÃO ERA 150 JÁ COMEÇOU O ERRO AI E OUTRO SE VCS JÁ ERRARAM
NA CONTA DO RICARDO VCS ERRARAM NAS DUAS CONTAS VCS MANDARAM MAIS
DINHEIRO DO QUE DEVIA PORQUE O COMBINADO MEU ERA 500, 500 NÃO É 501 E NEM
499 É 500 FOI O QUE EU COMBINEI E EU CUMPRI A PARTE DISTO EU NÃO COMBINEI
MAIS NADA ELE PERGUNTOU TEM MAIS EU FALEI NÃO TEM NESSAS CONDIÇÕES E
VALOR NÃO TEM FUI BEM CLARO COM ELE
ADONAI - MAIS NÃO FOI ISTO QUE ELE REPASSOU PRA NOS
ALEXANDRE - ....FOI ISSO QUE EU FALEI PRA ELE....
ADONAI - ....ESSE DINHEIRO NÃO FOI FEITO DEPOSITO EM UM DIA SÓ JÁ TINHA
ULTRAPASADO DOS 500 MAS NÃO TINHA CHEGANDO NOS 750 E AI ELE PEDIU QUE
CONTINUASSE DEPOSITANDO...
ALEXANDRE - NÃO EU NÃO PEDI ESSE VALOR.....
ADONAI - EU NÃO TO DIZENDO QUE FOI VC PORQUE EU NUNCA NEM CONVERCEI C/ VC
ELE PEDIU....

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 163
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ALEXANDRE - ENTÃO ELE TÁ COM OUTRA IDÉIA PORQUE O COMBINADO C/ ELE FOI
500...
ADONAI - .......VC FALOU UMA COISA PRA ELE E ELE FALOU OUTRA COISA PRA GENTE
ALEXANDRE - ELE VEIO PERGUNTAR PRA MIM SE EU QUERIA FAZER MAIS AI EU FALEI
NÃO

Trata-se de uma operação de dólar-cabo, no valor de R$ 500.000,00


apontada pela investigação para adquirir o carregamento de cocaína junto ao fornecedor
boliviano. Não foi empregada essa estrutura em outra oportunidade, tampouco essa
estrutura foi disposta por ALEXANDRE para proporcionar outras operações de dólar-
cabo.

É evidente que a estabilidade e permanência associativa não estão


presentes, porque a operação de dólar-cabo, depois de realizada, não foi restabelecida,
tampouco houve alguma tratativa posterior para que ALEXANDRE ZANGARINI
disponibilizasse a sua estrutura financeira para novas operações.

Integrou uma associação criminosa para promover apenas uma ação e não
se dispôs, conforme o diálogo interceptado, a montar novas operações para a
associação criminosa da qual integrava? Realmente, é muito difícil inferir estabilidade e
permanência associativa da prova de autoria apresentada pela acusação. Com efeito, no
próprio diálogo interceptado, o acusado diz e reitera que foi contratado para uma única
operação, que realizou corretamente essa operação e nada tinha mais haver com o
resultado, com depósitos a mais nas contas, enfim, reitera que seu trabalho foi concluído
com a única operação de dólar-cabo.

O próprio diálogo interceptado, na verdade, prova que o réu não integrava o


núcleo da organização criminosa, tanto é verdade que os membros da associação
tiveram que se movimentar para cobrá-lo e ameaçá-lo a fim de que devolvesse os valores
depositados a mais nas contas indicadas. Não existe vínculo associativo necessário para
se reconhecer a existência da associação criminosa.

De outra parte, deve-se ressaltar que essa única operação de dólar cabo já
foi objeto da ação penal por crime de lavagem de dinheiro n° 0002145-79.20.4.01.360010,
em que o réu foi condenado por essa operação. Portanto, sem evidência concreta de
estabilidade e permanência associativa e já tendo o réu sido condenado pelo crime de
lavagem de dinheiro, impõe-se a absolvição do acusado ALEXANDRE ZANGARINI da
prática do crime previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006, com fundamento no artigo 386,
inciso VII do Código de Processo Penal.

4.3. DO CRIME DE FINANCIAMENTO DO TRÁFICO (ART. 36 DA LEI


11.343/2006).

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL denunciou ADONAI NOVAES DE


OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” e JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, epíteto

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 164
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
“BATATA” como incurso nas sanções do crime previsto no artigo 36 da Lei 11.343/2006,
que dispõe:

“Art. 36. Financiar ou custear a prática de qualquer dos crimes previstos nos
arts. 33, caput e § 1º , e 34 desta Lei:

Pena - reclusão, de 8 (oito) a 20 (vinte) anos, e pagamento de 1.500 (mil e


quinhentos) a 4.000 (quatro mil) dias-multa.”

4.3.1. ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO”

O financiamento ou custeio do tráfico, neste caso específico, serviu para


adquirir o carregamento de 383,85kg de cocaína que foi apreendido na Fazenda Sete
Irmãos, localizada no município de Barão de Melgaço/MT, conforme consta dos diálogos
interceptados, em que ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” foi o
responsável por manter contatos constantes com os corréus EDÉSIO RIBEIRO NETO e
WAGNER RODRIGO DE AMORIM, com a finalidade de levantar o dinheiro para adquirir o
carregamento de cocaína com o fornecedor boliviano identificado como Luiz
(Transcrições 174, 175 e 176, captadas nos dias 10 e 11/03/2009).

TRANSCRIÇÃO 174

TELEFONE NOME DO ALVO


6581392018 6581392018 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU D A T A / H O R A DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/CO
O R A
NE TOR FINAL ÃO O MENTÁRIO
INICIAL
10/03/20
6581392 1 0 / 0 3 / 2 0 0 9 00:03:1 @BINHO x ADONAI -
1131490363 0 9
018 14:34:51 2 DINHEIRO NEGOCIO
14:31:39

DIÁLOGO
BINHO - RESOLVEU SEUS NEGOCIOS?
ADONAI - EU NAO TENHO NADA PRA RESOLVER... SÓ TO ESPERANDO VCS...
BINHO - CONSEGUIU RECEBER O QUE VC TINHA PRA RECEBER?
ADONAI - JA TA PRATICAMENTE TD RECEBIDO...
BINHO - O MENINO FALOU PRA MIM A ARRUMAR O DINHEIRO QUINTA FEIRA... ENATO
PROVAVELMENTE SEXTA FEIRA EU MANDO O MEU DINHEIRO... O MEU TA NA MÃO...
ADONAI - EU VOU ESPERAR VC CONFIRMAR PRIMEIRO... POR QUE LA EU SAIO DE NOITE
E CHEGO DE MANHA CEDO... MAS TO ESPERANDO VC... POR QUE JA CONVERSEI COM
ELE E ELE FALOU QUE TEM... JA TA PRONTO PRA NOIS DESCER...
BINHO - E O CABEÇÃO ELE RESOLVEU...?

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 165
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
ADONAI - JA RESOLVEU COM 3 DIAS A 4 DIAS... DEPOSITOU PRA ELE NA SEGUNDA
FEIRA... QUANDO FOI NA SEXTA FEIRA AGORA CHEGOU... O NEGOCIO É CERTO... EU
QUE ANDEI PISANDO NA BOLA COM ELE...
BINHO - C FOR DESSE JEITO MSM... DEPOSITAR NA SEGUNDA E CHAGAR NA SEXTA
NEM VALE A PENA FICAR ESPERANDO JUNTAR UM MONTE DE COISA...
ADONAI - NAO... O NEGOCIO É GIRAR...
BINHO - VALE A PENA JUNTOU O DINHEIRO DE 50 E DE 100 MANDA... VEM... AI NA OUTRA
SEMANA JA TA MANDANDO DE MAIS 100... E DE MAIS 100... POR QUE TODA SEMANA TA
CHEGANDO E TA GIRANDO NEH... É VERDADE...
ADONAI - ELE PEGOU O DINHEIRO NA SEGUNDA FEIRA... E ATE CHAMOU MINHA
ATENÇÃO.. ELE PEGOU UM DINHEIRO E VIAJOU... E O MARMOTA LIGOU PRA MIM E
FALOU Q VAI PEGAR O DINHEIRO NO SABADO... EU FALEI PUTA Q PARIU OLHA O ROLO
QUE EU ARRUMEI... AI EU LIGUEI PRA ELE E ELE FALOU QUE NAO MEXO COM ISSO
NAO... SÓ TINHA QUE RECEBER ESSE DINHEIRO E NEM VAI DAR PRA PEGAR TODO
ESSE DINHEIRO... O CARA NAO PASSOU TD NO DIA... FICOU PRA PASSAR NO OUTRO
DIA... ELE FALOU EU VOU VIAJAR HJ E EU VOU PEGAR ESSE DINHEIRO NO SABADO... O
QUE TA PROMETIDO PRA VC TA AQUI JA FAZ TEMPO... FAZ UN 10 DIAS JA PARADO... AI
ERA SÓ ORGANIZAR ESSE NEGOCIO COM PRETO... AI O DIA QUE COINCIDIO... FOI ISSO
MSM CERTINHO... É DEPOSITAR O DINHEIRO PRA ELE PODER LIBERAR...

TRANSCRIÇÃO 175

TELEFONE NOME DO ALVO


6581392018 6581392018 - MARANELLO

DATA/H
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
O R A
NE TOR A FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
10/03/20 @BINHO x ADONAI -
6581392 10/03/2009 00:06:5
1130510702 0 9 ROLO DO DINHEIRO
018 14:55:45 3
14:48:52 ROUBA

DIÁLOGO
BINHO - TAVA FALANDO COM VC CAIU O CARTÃO...ENTÃO TÁ TUDO CERTO...
ADONAI - TA CARA TO FALANDO PRA VC CABEÇÃO JÁ RESOLVEU O NEGOCIO DELE FAZ
HORA...
BINHO - ENTÃO PODE DEIXAR COMBINADO P/ SEXTA FEIRA RESOLVER ISSO AI...
ADONAI - TA VC FALANDO PRA MIM QUE ESTÁ CERTO... JÁ PEGO E VOU FALAR COM ELE
PESSOALMENTE PRA NÃO TER ERRO. ELE TA ME ESPERANDO..ME LIGOU HOJE.. VE O
DOCUMENTO DESSE CARRO AQUI... SÓ TO COM ESSE CARRO PRA PODER ANDAR...
BINHO - VOU NA AGENCIA FALAR COM O CARA... JA DEIXEI PAGO...
ADONAI - NAO TENHO NADA PRA ANDAR...
BINHO - EU DEIXEI PAGO... E MEU CARRO CADE? TA COM VC TBM...
ADONAI - TA COMIGO... MAS CHEQUEI AQUI TA COM 4 MIL E POUCO DE DOCUMENTO...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 166
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
BINHO - TA COM DIVIDA SIM... ESSE É DE OUTRA AGENCIA...
ADONAI - TO PRECISANDO DO DOCUMENTO PRA PODER ANDAR...
BINHO - DEIXA TE FALAR OUTRA COISA NÃO FALARAM MAIS NADA DO DINHEIRO?..
ADONAI - NADA NEM O LUIS, NEM RENATO NINGUÉM...VC NÃO TEM UM TELEFONE AI
PRA LIGAR PRA VC.
BINHO - NÃO VOU COMPRAR UM HOJE AI TE LIGO PRA PASSAR O NUMERO...O TAL DO
LOUCO FOI LA PERGUNTAR SE EU TINHA CHEGO... AI O DR. FALOU DEVE ESTAR
CHEGANDO... ISSO FOI 1 DIA ANTES DEU CHEGAR AQUI... AI ABRIU O JOGO DAQUELA
SITUAÇÃO QUE TE FALEI DO MENINO... AI ELE FALOU PUTA QUE PARIU E EU VINDO PRA
CÁ TO PASSANDO ATE VERGONHA NESSA HISTORIA ... AI O DR. FALOU QUE NAO QUER
MAIS QUE ELE VENHA ELE AQUI... TA PROIBIDO DE VIR NA QUEBRADA... NA HORA QUE
FOR TROCAR AS IDEIAS VAI SER FORA DAQUI... E VC SABE QUAL VAI SER AS IDEIA... AI
ELE FALOU QUE NAO PODE SER ASSIM POR QUE ELE NAO PODE TIRAR ELE DE LA E
NEM LA ELE VOLTAR... E DEPOIS DISSO SUMIRAM...
ADONAI - ATE AMIZADE Q TINHA ACABOU JA...
BINHO - O OUTRO LA FALOU Q TA PASSANDO VERGONHA... ME DESCULPA... PEDIU
DESCULPA PRO DR... SÓ Q FALOU Q ELE NAO IA PODER LEVAR O CARA LA COM ESSA
SITUAÇÃO...
ADONAI - LOGICO SE LEVA E NAO VOLTA FICA RUIM PRA ELE...
BINHO - IA FICAR RUIM PRA ELE... AI FALOU Q NAO CONHECIA MUITO BEM ESSE CARA...
QUE FOI O FELIPE QUE PEDIU PRA FAZER ISSO... PRA ELE ENTRAR NO MEIO DO
CIRCUITO... RESUMINDO... O CARA DUVIDO QUE ELE APAREÇA MAIS...
ADONAI - É BEM DIFICIL;;
BINHO - E PORA MIM COBRAR MEU DINHEIRO EU VOU TER Q LIGAR PRO FELIPE...
ADONAI - DEMOROU NEH...
BINHO - JA DEMOROU MSM... VOU PRIMEIRO RESOLVER ESSE SITUAÇÃO NOSSA PRA
NAO COLOCAR EM RISCO NADA DISSO... E NA HORA Q TIVER TUDO RESOLVIDO EU VOU
LIGAR PRO FELIPE...
ADONAI - É VERDADE... POR QUE ELE JA TA ACERTANDO COM O OUTRO LA... Q NEM VC
FICOU SABENDO... E NATO INTENÇÃO DE RECEBER ELE NAO TEM...
BINHO - E COM ESSAS IDEIAS... ELE JA VIU ONDE QUERIA CHEGAR NAO VAI CHEGAR A
LUGAR NENHUM... O DR Q PRECIPITOU... NAO DEVIA TER FALADO NADA NAO... ERA PRA
TER DEIXADO..
ADONAI - É POR QUE AS VEZES ELE CONSIDERA O CARA TBM NEH... JA DEU A IDEIA NO
CARA PRA ELE NAO FICAR ENGANADO...
BINHO - DEU A IDEIA... FALOU ISSO AI NAO PODE... AI NESSA HISTORIA O CARA JA
PUXOU O TIME DE CAMPO... E SE ACHA QUE AGORA APARECE O BOLIVIANINHO...?
ADONAI - QUERO VER... ANTES ELE NAO TAVA APARECENDO... IMAGINA AGORA...
BINHO - MAS ISSO AI É BOM... C NEM FALA Q TAVA SABENDO DESSA HISTORIA... DEIXAR
PRA PEGUNTAR PRO LUIZ... E AI LUIZ OS CARAS NAO APARECERAM COM ESSA IDEIA...
O DR. FICOU ESPERANDO... SUMIRAM OS CARAS... C QUER QUE EU PAGUE UM
DINHEIRO DESSE AI... C QUER Q EU PAGUE... VC MANDOU EU ENTREGAR NA MÃO DO
CARA E O CARA DEU SUMISSO NO SEU DINHEIRO... E ATE ENTAO VC TAVA ALEGANDO
QUE NAO TINHA NADA... O DR. TINHA MANDANDO PEGAR O DINHEIRO DE VOLTA
ESPERANDO PRA RESOLVER ISSO AI E NAO RESOLVEU E OS CARAS TAO TE
PEGANDO...
ADONAI - DIFICIL NEH
BINHO - POR QUE AI É FACIL PRA ROUBAR O DINHEIRO DOS OUTROS... NAO VAI
APARECER NINGUEM AI NAO... VC TEM Q BATER DE FRENTE COM ESSE NEGOCIO AI
PRETO...
ADONAI - ELES VAO TER Q ACABAR PAGANDO... NAO É NOIS NAO...
BINHO - VAO MSM...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 167
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
TRANSCRIÇÃO 176

TELEFONE NOME DO ALVO


6592884151 6592884151 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HO DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COME
R A
NE TOR RA FINAL ÃO O NTÁRIO
INICIAL
11/03/200 11/03/200
6592884 00:01:0 @JACKSON x ADONAI -
6581257919 9 9
151 7 FAZENDA AMANHA
22:45:27 22:46:34

DIÁLOGO
JACKSON - E AI..
ADONAI - FALA NEGO..JÁ TA DORMINDO
JACKSON - TA NA ONDE...
ADONAI - TO AQUI NO DECK...DEIXA EU FALAR COM VC VAMOS NA FAZENDA AMANHA?
JACKSON - VAMOS...
ADONAI - VAMOS ACORDAR MEIO CEDO... NAO VOU NEM BEBER HJ NAO...
JACKSON - EU TAMBEM JÁ ESTOU INDO EMBORA AMANHA QDO VC ACORDAR VC VAI LA
EM CASA E ME ACORDA...
ADONAI - PODER RESOLVER ESTA QUESTÃO LOGO...SEXTA FEIRA O MENINO JÁ TÁ
COM O DINHEIRO DELE PRONTO... AGENTE PRECISA AGILIZAR ESSES NEGOCIOS LA
ANTES DE VIAJAR...
JACKSON - VOU PASSAR AI NO DECK P/ CONVERSAR
ADONAI - ENTÃO TÁ.

Deste modo, a conduta de levantar o dinheiro, na verdade, serviu como ato


preparatório para a consumação do crime de tráfico, ou seja, para “adquirir” do fornecedor
boliviano LUIZ, o carregamento que foi apreendido nos autos.

Embora os tipos delitivos imputados (art. 33 e 36 da Lei 11.343/2006) sejam


autônomos, neste caso específico, a conduta do “financiamento” serviu unicamente para
adquirir o carregamento de cocaína que foi apreendido nos autos, consumando, destarte,
o crime de tráfico internacional de substância entorpecente.

Não há conduta diversa e autônoma praticada pelo réu ADONAI NOVAES


DE OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” para financiar outros carregamentos
independentes, sem intervir diretamente no próprio processo de aquisição da cocaína, ou
seja, para incidir no crime de financiamento, o réu não poderia incorrer também na

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 168
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
aquisição, importação e transporte desse mesmo carregamento.

Entendendo que o levantamento do dinheiro, neste caso concreto, serviu


unicamente para adquirir o carregamento de cocaína em que o réu ADONAI NOVAES DE
OLIVEIRA, epíteto “MULAMBO” adquiriu, importou e transportou até o Brasil,
apreendido pela Polícia Civil em 20/06/2009, a única conclusão possível é que o
financiamento serviu como ato preparatório para adquirir esse carregamento, impondo-se
a absolvição do réu, com fulcro no artigo 386, inciso III do Código de Processo Penal.

4.3.2. JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA”

O financiamento ou custeio do tráfico, neste caso específico, serviu para


adquirir o carregamento de 383,85kg de cocaína que foi apreendido na Fazenda Sete
Irmãos, localizada no município de Barão de Melgaço/MT, conforme consta dos diálogos
interceptados, em que JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA” foi o
responsável por manter contatos constantes com os corréus EDÉSIO RIBEIRO NETO e
WAGNER RODRIGO DE AMORIM, com a finalidade de levantar o dinheiro para adquirir o
carregamento de cocaína com o fornecedor boliviano identificado como Luiz
(Transcrições 224 e 225).

Deste modo, a conduta de levantar o dinheiro, na verdade, serviu como ato


preparatório para a consumação do crime de tráfico, ou seja, para “adquirir” do fornecedor
boliviano LUIZ, o carregamento que foi apreendido nos autos.

Embora os tipos delitivos imputados (art. 33 e 36 da Lei 11.343/2006) sejam


autônomos, neste caso específico, a conduta do “financiamento” serviu unicamente para
adquirir o carregamento de cocaína que foi apreendido nos autos, consumando, destarte,
o crime de tráfico internacional de substância entorpecente.

Não há, destarte, conduta diversa e autônoma praticada pelo réu JACKSON
LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, para financiar outros carregamentos independentes, sem
intervir diretamente no próprio processo de aquisição da cocaína, ou seja, para incidir no
crime de financiamento, o réu não poderia incorrer também na aquisição, importação e
transporte desse mesmo carregamento.

Entendendo que o levantamento do dinheiro, neste caso concreto, serviu


unicamente para adquirir o carregamento de cocaína em que o réu JACKSON LUIZ
COSTA CONCEIÇÃO, epíteto “BATATA” adquiriu, importou e transportou até o Brasil,
apreendido pela Polícia Civil em 20/06/2009, a única conclusão possível é que o
financiamento serviu como ato preparatório para adquirir esse carregamento, impondo-se
a absolvição do réu, com fulcro no artigo 386, inciso III do Código de Processo Penal.

4.4. DO CRIME DE COLABORADOR, COMO INFORMANTE, DA


ASSOCIAÇÃO CRIMINOSA (ART. 37 DA LEI 11.343/2006).

O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL – MPF denunciou VITOR ALEXANDRE


FRAGA QUEIROZ e AROLDO FERNANDES DA LUZ como incursos nas sanções do
crime previsto no artigo 37 da Lei 11.343/2006, que dispõe:

Art. 37. Colaborar, como informante, com grupo, organização ou associação

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 169
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
destinados à prática de qualquer dos crimes previstos nos arts. 33, caput e §
1º , e 34 desta Lei:

Pena - reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos, e pagamento de 300 (trezentos)


a 700 (setecentos) dias-multa.

Ao analisar o núcleo do tipo delitivo previsto no artigo 37 da Lei Federal n°


11.343/2006, leciona Guilherme de Souza Nucci que “colaborar (cooperar, prestar auxílio)
é a conduta, cujo objeto é a prática do crime de tráfico ilícito de drogas, por grupo,
organização ou associação. O tipo menciona o método: agindo como informante (pessoa
que presta informes, vale dizer, passa dados a terceiro acerca de alguma coisa ou de
alguém). É fundamental que a informação tenha relevo para a concretização dos delitos
previstos nos arts. 33 e 34, pois, do contrário, não há qualquer interesse penal
(insignificância ou bagatela).” (NUCCI, Guilherme de Souza. Leis Penais e Processuais
Penais Comentadas, 3ª Ed. Sã Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2008, p. 338). Por
sua vez, complementa Renato Brasileiro de Lima que “Colaborar significa cooperar,
prestar auxílio. No entanto, o art. 37 deixa claro que esta colaboração não pode se dar de
qualquer forma. Na verdade, a tipificação do art. 37 está condicionada à colaboração
como informante, o que significa dizer que este auxílio do agente deve estar restrito ao
fornecimento de informações que, de alguma forma, contribuam para a prática dos crimes
previstos nos 33, caput e § 1°, e 34 da Lei de Drogas. É o que ocorre, por exemplo, com o
chamado “fogueteiro do tráfico”, responsável por avisar os traficantes acerca de eventual
ação policial em determinada comunidade por eles dominada.”. Arremata ainda que “Para
a tipificação do crime do art. 37 da Lei de Drogas, as informações prestadas pelo
informante devem ter relevância causal para contribuir, de qualquer modo, para os crimes
previstos nos arts. 33, caput e § 1°, e 34 da Lei n° 11.343/2006. Por isso, se a informação
fornecida pelo agente for irrelevante para a prática de tais crimes, há de ser reconhecida
a ausência de nexo causal, com o consequente reconhecimento da atipicidade de sua
conduta.” (LIMA, Renato Brasileiro de. Legislação Criminal Especial Comentada: Volume
Único. 5ª Ed. Salvador: JusPODIVM, 2017. p. 1046).

4.4.1. VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ

Como prova de autoria delitiva, o MPF indicou o diálogo interceptado n° 264,


em que VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ comprou uma corda para rebocar o
veículo de JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, que havia apresentado defeito
mecânico na Serra de São Vicente.

Outro diálogo interceptado (Transcrição 457) utilizado como prova de autoria


delitiva trata de uma ligação em que JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO solicitou que
VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ levasse uma caminhonete até a revendedora
para fazer um orçamento para venda.

Em alegações finais, o MPF pugnou pela absolvição do acusado, por


entender que a prova de autoria é insuficiente ensejar a condenação.

Com razão o MPF.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 170
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Realmente a prova é bem frágil e não permite mesmo a conclusão que o réu
VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ agiu como colaborador da organização
criminosa, conforme foi denunciado, ou mesmo, que tenha integrado a associação
criminosa com ânimo de permanência e estabilidade associativa, para a prática do tráfico
internacional de substância entorpecente.

Destarte, não havendo provas suficientes de autoria delitiva, impõe-se a


absolvição do acusado VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ das imputações do crime
previsto no artigo 37 da Lei 11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso VII do
Código de Processo Penal.

2.4.2. AROLDO FERNANDES DA LUZ

Para a prova de autoria delitiva, o MPF indicou os seguintes diálogos


interceptados:

Diálogo n° 501 (20/06/2009): Trata-se de uma conversa entre AROLDO


FERNANDES DA LUZ com EDÉSIO RIBEIRO NETO sobre a situação na Fazenda Sete
Irmãos, tendo em vista a deflagração da Operação da Polícia Civil para apreender o
carregamento da substância entorpecente. Na ocasião, primeiro os honorários
advocatícios de R$ 40.000,00 que EDÉSIO devia ao escritório de AROLDO, depois,
AROLDO revela sua preocupação com a possível apreensão do gado que estava na
fazenda, quando o próprio EDÉSIO sugeriu que AROLDO realizasse um contrato
retroativo de arrendamento do gado, para evitar a indisponibilidade. AROLDO também
afirmou que tentaria “blindar” seu cliente EDÉSIO.

TRANSCRIÇÃO 501

TELEFONE NOME DO ALVO


6599447291 6599447291 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
20/06/200 @AROLDO X BINHO -
6599447 20/06/2009 00:08:2
1195092849 9 S O B R O U P R A
291 18:57:46 8
18:49:18 MIM/BLIDA

DIÁLOGO
AROLDO - ....VC JÁ TA SABENDO NÈ... O NEGOCIO E O SEGUINTE FUI TAMBÉM LÁ NA
POLICIA E SOBROU DISQUE NÃO SEI SE ELE JOGO VERDE O BRANCÃO ESTAVA DE
PLANTÃO FALOU QUE SOBROU UM POUQUINHO ATÉ PRA MIM QUE O GURI ENTREGOU
TD ATE O QUE EU FIZ.....FILHA DA PUTA... AGORA E QUESTÃO É A SEGUINTE....A GENTE
VAI CONTINUA ADVOGANDO EU VOU CONVERSAR C/ MEU SOCIO... AQUELE 40 QUE
FALTAVA COMO QUE O TREM CAIU NÃO PRECISA MAIS PAGA... VOU FALA PRA ELE PRA

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 171
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
FAZE ISSO ATÉ PQ VCS NÃO VÃO TER MAIS CONDIÇÕES, AGORA NÃO ESQUECE O
NOSSO... A NÃO SE QUE VCS QUEIRA QUE NAO ADVOGUE MAIS...
BINHO - COM CERTEZA TEM QUE ACOMPANHA ISSO AI DESDE O COMEÇO...
AROLDO. MESMO EMPENHO, MESMA CORRERIA... DO MSM JEITO...
BINHO - EU SEI Q NAO TEM MAIS COMO SEGURAR... O QUE EU PRECISO DE VC FOI
AQUILO QUE EU TE PEDI... PRA PODER LIVRAR...
AROLDO - MINHA PREOCUPAÇÃO E O GADO... TINHA 8 PEAO TOCANDO O GADO... SÓ
QUE O CARA MIJOU PRA TRAS... O MEU HONORARIO NAO É SUPERIOR A
INDISPONIBILIDADE DO BEM... A JUIZA VAI FALAR Q ESSE GADO É PROVENIENTE DE
ROLO...
BINHO - ....SE ELE TE PASSOU O GADO ANTES DA INDISPONIBILIDADE ELE NÃO E MAIS
PARTE DO BEM...
AROLDO - APESAR QUE NÃO TEM NADA REGISTRADO......EU VOU TENTA....
BINHO - PQ ISSO AI E MUITO MAIS SUPERIOR AO QUE VC TEM QUE PEGA.....NÃO CUSTA
TENTA....
AROLDO - MAS INDEPEDENTE DISSO AI O RECIBO DA DOBLO VC VAI MANDA
NÉ....AGORA NÃO ADIANTA IR LÁ NA FAZENDA PQ A GALINHA JÁ TÁ MORTA .....
BINHO - ...TENTA FAZER ISSO AI PRA SALVAR ESSE GADO QUE TÁ LÁ...
AROLDO - ...VOU TENTA... VOU ME ESFORÇAR...
BINHO - ...NEM QUE QUALQUER COISA QUE FAÇA CONTRATO DE PASTO DE
ARRENDAMENTO RETROATIVA DISSO AI...
AROLDO - CONVERSA COM A TURMA AI Q AGENTE VAI SE ESFORÇAR O MAXIMO PRA TE
BLINDAR...
BINHO - COM CERTEZA... OS MOLEQUES JÁ ME FALARAM O SEGUINTE NÃO TEM O PQ
FALAR NADA DE MIM .... Q EU NAO TINHA NADA A VER... JA FALARAM PRA MIM... SEU
PAPEL E SER ADVOGADO NOSSO NÃO VOU TE ENVOLVER NISSO AI JÁ FALARAM PRA
MIM HJ....O TAL DO MARQUINHO EU NUNCA VI NA VIDA E ATÉ HJ O MEU NOME NÃO
SURGIU EM NADA NEH.... E NAO TEM POR QUE FUGIR...
AROLDO - LOGICO SE ME CHAMAREM PRA DEPOR EU FALO A VERDADE COMO VC ESTÁ
EM SÃO PAULO AQUI EM CBA EU TOMO CONTA DOS CLIENTES SEUS ...
BINHO - .....SO ISSO AI...
AROLDO - .....O QUE EU QUERO É O SEGUINTE... EU TENHO PACIENCIA... E ALEM DA
TECNICA NO CRIMINAL SUA TECNICA NAO RESOLVE PORRA NENHUMA... PODE BOTAR
UMA MONOGRAFIA LA... Q SE NAO TIVER AMIZADE NAO VAI... EU VOU DAR O SANGUE
DO MSM JEITO... TA DIFICIL O MEU SOCIO... ELE FALOU PORRA AROLDO TAO METENDO
A MAO AI DIA E NOITE E NAO ARRUMO UM REAL... SO TI PEÇO UMA COISA ...TO C/ VC
ATE O FINAL... NÃO SEI O QUE ESSE FILHA DA PUTA FALOU DE MIM TO JUNTO SEGURO
QUALQUER COISA... SE TIVE QUE DEPOR A SEU FAVOR MAS NÃO ESQUECE DE MIM....
INDEPENDENTE DEU RECEBER OU NAO VOU TENTAR SALVAR ESSE GADO E UMA
GRANA PRETA PRA TODO MUNDO.....
BINHO - ...ISSO AI COMO NÃO TEM NADA REGISTRADO NA AGROPECUÁRIA E O CASO DE
CONSEGUI UM CONTRATO DE ARRENDAMENTO DE ALGUEM PRA ENTRA C/ EMBARGOS
DE TERCEIROS ...PRA NÃO PERDER ISSO Q TA AI... E UMA GRANA PRETA ...E UNS 500
MIL....PELO MENOS DA FOLEGO PRA TODO MUNDO PQ AGORA VC TÁ LIGADO QUE
MUITA GENTE AI JA SE COMPLICOU AI NE AMIGÃO ....AQUELES QUE ESTÃO NO PAPEL
NO MININO UMA ASSOCIAÇÃO SOBRA... SE NAO RESPONDER NO 33 ELES RESPONDEM
NO 34... ALI É POCA IDEIA... SABE-SE LA O Q O FILHO DA PUTADO COLOCOU NO PAPEL...
DO MULEQUE FUNCIONARIO DOS CARAS LA... A UNICA COISA Q VC TEM Q FAZER DISSO
AI É SALVAR OS GADO....
AROLDO - VOU TENTA .....EU ACHO QUE VAI SE DIFICIL SALVAR O GADO DE
IMEDIATO...ACHO QUE SALVA NEM QUE SEJA NA MARRA.... NA PIOR DAS HIPOTESES EU
CONSIGO EMBARCAR E MATA EM UM FRIGORIFICO CLANDESTINO..... E MATA E VEM
DINHEIRO... MAS ISSO AI VAI DEMORRAR.... SÓ NAO ESQUECE DE MIM... FALA TO

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 172
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
MANDANO UM DOBLO... TO MANDANDO... EU GUENTO... MAS O CARA TEM CABEÇA
BRANCA PO... O CARA FICA MORDIDO E COM RAZAO...
BINHO - .É QUE QUANTO A ISSO TAVA TODO MUNDO COM CABEÇA SOSSEGADA ATE HJ
DE MANHA.... ESSE PROBELMA PEGOU TODO MUNDO DE SURPRESA... VOU
CONVERSAR C/ MEUS CLIENTES AQUI E O PESSOAL DE CBA .....A PRINCIPIO PEDIRAM
PRA MIM FALAR PRA VC TENTA SALVA ESSE GADO..... VOU VER QUAL O MELHOR
PASSO SE É COLOCAR VC COMO HONORÁRIO... ACHO Q O MELHOR É FAZER UM
CONTRATO DE ARENDAMENTO DE PASTO...
AROLDO. ...VOU VÊ O QUE O MENINO FALO....

Alguns pontos relevantes devem ser observados. Primeiro, AROLDO trata de


seus honorários advocatícios, colocando o seu escritório à disposição para promover a
defesa dos interesses de EDÉSIO, seu cliente. Segundo, embora AROLDO demonstrasse
certa preocupação com a indisponibilidade do gado, foi o próprio EDÉSIO quem sugeriu
fazer o contrato de arrendamento retroativo. Ressalte-se, EDÉSIO e não AROLDO que
sugeriu a fraude, que sequer foi produzida e AROLDO não assentiu em realizá-la.
Terceiro, não ficou claro em que consistiria a referida “blindagem”, ou seja, se AROLDO
iria mentir em seu depoimento na Polícia Civil para evitar a responsabilização de
EDÉSIO, enfim, ao que parece, a “blindagem” ou não ocorreu, ou não funcionou
minimamente, porque todos os detalhes da investigação envolvendo EDÉSIO foram
descortinados pela Operação Maranello. Essa “blindagem” por si só, não é elemento para
afirmar que houve cooperação para o tráfico, mesmo porque, o tráfico já tinha sido
consumado com a apreensão da droga, não se mostrando relevante do ponto de vista da
progressão dos fatos.

Diálogo n° 504 (20/06/2009): Nesse diálogo interceptado, AROLDO


FERNANDES DA LUZ entrou em contato com WAGNER RODRIGO DE AMORIM para
todo mundo sumir e na segunda-feira teria acesso ao depoimento do colaborador. Aqui,
de igual forma, o tráfico já estava consumado, não havendo que se cogitar em
cooperação para tráfico cuja droga já estava apreendida. Poderia até incorrer no crime de
favorecimento pessoal (CP, art. 348), não fosse a prescrição em abstrato do crime.

TRANSCRIÇÃO 504

TELEFONE NOME DO ALVO


6581275426 6581275426 - maranello

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
20/06/200
6581275 20/06/2009 00:00:4 @AROLDO X WAGNER -
6599460353 9
426 19:46:43 3 TODO MUNDO SUMI
19:46:00

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 173
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DIÁLOGO
AROLDO - MANDA TODO MUNDO SUMIR Q SEGUNDA FEIRA VOU TER ACESSO AO
DEPOIMENTO DO FILHO DA PUTA DO CAGUETA... AI EU VOU SABER O Q TA
ACONTECENDO...

Diálogo n° 523 (22/06/2009): AROLDO entrou em contato com EDÉSIO


RIBEIRO NETO, para informá-lo da indisponibilidade do gado na Fazenda Sete Irmãos.
Na ocasião, AROLDO cobrou os seus honorários advocatícios e afirmou que poderia
testemunhar em favor de EDÉSIO, para poder “blindá-lo”. Como já referido, não foi
apresentado o contrato de arrendamento com data retroativa sugerida por EDÉSIO, o que
materializaria crime de fraude processual. Ademais, fica bem evidente a cobrança e
reiteração de AROLDO para receber os honorários devidos a seu escritório, pois seus
sócios não tinham mais paciência para esperar pelo pagamento. Quanto à possível
“blindagem”, ou não foi realizada, não passando de cogitação, ou se foi tentada, restou
totalmente inócua, porque os fatos em face de EDÉSIO RIBEIRO NETO foram
amplamente descortinados.

TRANSCRIÇÃO 523

TELEFONE NOME DO ALVO


6599447291 6599447291 - MARANELLO

DATA/HO
TELEFO INTERLOCU DATA/HOR DURAÇ ÁUDI INTERLOCUTORES/COM
R A
NE TOR A FINAL ÃO O ENTÁRIO
INICIAL
22/06/200
6599447 23/06/2009 00:22:4 @AROLDO X BINHO -
1195092849 9
291 00:04:12 2 ESTRATEGIA
23:41:30

DIÁLOGO
AROLDO - MAS NOTICIAS... O GADO JA FOI PRO PAU... JA FOI DECRETADA A
INDISPONIBILIZADO DELE... O GADO Q FOI TOCADO... Q TAVA COM O SR. ELISEU... JA
FOI INDISPONIBILIZADO... JA CHEGARAM 8 POLICIAIS LA E DEIXARAM UMA VIA COM O
SR ELISEU E AMANHA VAO TOCAR TODO O GADO DE VOLTA PRA FAZENDA... E AI O
GOVERNO QUE VAI DECIDIR... AI VAI VENDER E VAI A LEILÃO E VAI DEPOISTAR EM
JUIZO... E NO FINAL DA AÇÃO DECRETADA A INDISPONIBILIDADE O DINHEIRO VOLTA A
UNIÃO...
BINHO - SEI... SE PERDER PERDEU E SE CONSEGUIR COMPROVAR ALGUMA COISA O

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 174
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
DINHEIRO VOLTA PARA O ARRENDATARIO OU O EMBARGANTE...
AROLDO - QUAL A SITUAÇÃO Q ESTAMOS AGORA.. TD Q FOI FEITO VC JA SABE...
CONVERSEI COM MEU SOCIO... ANTES A SITUAÇÃO ERA O SEGUINTE... VAMOS
SEGURAR... VAMOS ESPERAR FAZER ELES TERMINAREM A CORRERIA E AI PAGA... NAO
TEM MAIS COMO... NAO TEM MAIS PRODUTO... AI A SEGUNDA COISA VAMOS SALVAR O
GADO... NAO TEM MAIS GADO... E Q Q NOIS VAMOS TER PRA OFERECER É O
SEGUINTE.... PRIMEIRO VAMOS FECHAR UM PREÇO... O PREÇO É O SEGUINTE... VALOR
TOTAL DA 350 MIL... VC JA ME PASSOU 160... FORA ISSO MAIS 30 MIL REAIS PRA TOCAR
ATE O FINAL... AGENTE TINHA FALADO INICIALMENTE COM VC... 150 O INQUERITO E SE
VIRAR AÇÃO MAIS UNS 100... E DIANTE DE TODOS OS ACONTECIMENTO... E AGORA
SEUS CLIENTES VAO FICAR DE MÃE ATADA... DURANTE ALGUM TEMPO E COMEÇA A
AÇÃO... GASTAR DINHEIRO... POR 150 EU TOCO O INQUERITO E TOCO A AÇÃO... OS 40
FOI DE UM TRABALHO JA FEITO E TEM QUE PAGAR... OS OUTROS 30 É PELOI
SEGUINTE... AGENTE NAO VAI PODER ASSINAR TODO MUNDO... FICA MEIO FEIO...
ENTAO VAI TER 2 OUTROS ADVOGADOS ENVOLVIDOS... UM ADVOGADO VAI
REPRESENTAR O ADONAI E O JACKSON E O OUTRO ADVOGADO VAI REPRESENTAR O
PRETINHO... O CABEÇA JA PROCUROU ADVOGADO DELE... E DOS OUTROS ADVOGADOS
SOMOS NOIS... A PARTE TECNICA QUEM VAI FAZER, RONDON... É O MANÉ QUE VAI
ESCREVER TUDO... O NEGOCIO É COMPLEXO... ELE É ATUALIZADISSIMO E NINGUEM
SABE MAIS CRIMINAL NO ESTADO DO QUE ELE... SÓ O RUI RAMOS... TODAS AS
PETIÇOES, DE TODO MUNDO VAI SER FEITA PELO MANÉ... E POR Q AGENTE CHEGOU A
ESSE PREÇO... POR Q SE DEUS AJUDAR SEUS CLIENTES DE CONTINUAR NA JUSTIÇA
COMUM... POR Q ESSE CRIME É FEDERAL... SE CONTINUAR NA JUSTIÇA COMUM...
VAMOS PROCURAR UMA PREVENÇÃO BOA, VAMOS TENTAR... TEM GASTO... VAMOS
PROCURAR UMA DECISÃO BOA É GASTO... AI VAI ACABAR ESSA BRINCADEIRA... QUE
VAI MORRER SE EU FOR COLOCAR 150 ISSO VAI MORRER E PASSAR DE 1 MILHAO...
ENTAO ACHO Q É UM VALOR JUSTO... É O QUE TINHA COMBINADO E MAIS 30 PRA NAO
TIRAR DO MEU BOLSO OS OUTROS ESCRITORIOS...
BINHO - DEIXA EU TE FALAR O Q EU VOU PRECISAR... VC VAI TER Q VIR PRA CÁ E
EXPLICAR PRA UMA PESSOA AQUI TUDO...
AROLDO - DEIXA EU TERMINAR... VC É ADVOGADO E VIVE UNICA E EXCLUSIVAMENTE
DISSO E NAO É MADRE TERESA DE CAUCUTA... EU TO TE PASSANDO ESSE PREÇO E C
VC VAI QUERER QUE EU SUPERFATURE VC VAI TER Q ME AVISAR ANTES... POR Q VC
NAO É BOBO... SE CHEGO NA HORA Q FALO 350 E O CARA FALA PORRA CARA VC TA ME
QUERENDO 1 MILHAO... EU NAO CRESCO O OLHO... C VC CONSEGUIR TIRAR 5 MILHOES
DE QUEM VC QUIZER A SORTE É SUA... EU QUERO ESSE VALOR... EU QUERO UMA
COISA... VC QUER Q EU VÁ AI... AMANHA EU NAO VOU... EU VOU QUARTA...
BINHO - EU ACHO Q VC TEM Q VIR AQUI LA POR SEXTA FEIRA... POR QUE ATE SEXTA
FEIRA AGENTE JA SABE A REAL SITUAÇÃO... QUEM TEM MANDADO DE PRISÃO... QUEM
NAO TEM... QUEM FOI PRESO... QUEM TA FORAGIDO...
AROLDO - E OUTRA COISA... AGENTE VAI TER Q BLINDAR O PESSOAL DE SP... COMO?
EU JA ME COLOQUEI A DISPOSIÇÃO SUA... POR QUE ACHO Q VAO QUERER TE
SACANEAR... E SE QUIZEREM TE SACANEAR E SE TIVER POSSIBILIDADE EU VOU SER
SUA TESTEMUNHA... EU VOU FALAR POR QUE É VERDADE... VC É ADVOGADO DOS
CARAS E COMO VC TA MORANDO AI VC ME PASSA SERVIÇOS... A MAIS POR QUE NAO
TEM SEU NOME EM OUTROS PROCESSO...? POR QUE ANTES EU ERA EMPREGADO DE
OUTRA PESSOA E NAO TINHA MEU NOME SENÃO EU IA TER Q DIVIDIR O HONORARIO
MEIO A MEIO... EU FAZIA TUDO E OUTRO ASSINAVA... ESSA É A SITUAÇÃO... AGENTE TE
BLINDA... A ESTRATEGIA AGENTE JA CONVERSOU COM O MANÉ E O MANÉ DISSE O
SEGUINTE... NESSAS HORAS QUE A MERDA DEU... TEM QUE ARRANJAR UM MACHO E O
MACHO TEM Q ABSORVER TUDO... ATE MESMO PRA TIRAR A FORMAÇÃO DE
QUADRILHA... NETAO DEPOIS NO FANIL DO INQUERITO... TA TODO MUNDO FUDIDO...
ALGUEM VAI TER Q ASSIMIR...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 175
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
BINHO - O MENINO FALOU AMANHA QUE ELE VAI SE APRESENTAR PRA FAZER ISSO...
AROLDO - A MELHORA... SÓ QUE EU FALEI PRA ELE... ELE TA FAZENDO BURRADA...
APRESENTA NO INQUERITO E FALA Q VAI FICAR QUIETO... SABE POR QUE.. POR QUE
ELE NAO TEM A COPIA DO DEPOIMENTO DO CARA.,.. O ADVOGADO DELE TA FALANDO
MERDA... O ADVOGADO DELE FEZ UMA MATEMATIACA LA QUE NAO VAI DAR NADA PRA
VC... NO MAXIMO 5 ANOS...
BINHO - EU JA FALEI PRA ELE... ELE PERGUNTOU PRA MIM E EU FALEI A MSM COISA...
ISSO AI É DUAS PICA QUE VC VAI PEGAR... UM É NO TRAFICO E A OUTRA É
ASSOCIAÇÃO...
AROLDO - TRAFICO... ASSOCIAÇÃO E FORMAÇÃO DE QUADRILHA... EU TENHO Q DAR
UMA PALAVRA COM MEU SOCIO... O CARA TAVA ESTRESSADÍSSIMO... POR QUE NAO
LIBEROU O GADO... OS CARAS FICARAM SEGURANDO E SEGURANDO E ELE CANTOU A
BOLA... O CARA NAO É TECNICO... ELE NAO ESTUDA MAIS... MAS ELE FALOU
GURIZADA... MAIS CEDO OU MAIS TARDE VAI SER INDISPONIBILIDADE DESSA PORRA...
VCS VAO PERDER TUDO E VAO AINDA CONTINUAR ME DEVENDO E EU VOU FICAR
PUTO...
BINHO - POR QUE NAO LIBERARAM, ESSE GADO TAVA LIBERADO PRA ELE...
AROLDO - TAVA LIBERADO... ARRUMOU O GADO AI NA HORA DE PEGAR A GTA O GADO
NAO ERA REGISTRADO... AI O CARA NAO QUERIA EMBARCAR... O CARA ERA AQUELE
LEILOEIRO CELSO NOGUEIRA... FALOU EU NAO POSSO COMPRAR GADO SEM GTA...
COMO VOU VENDER NO MEU LEILÃO... AI FOI TENTAR ARRUMAR E ESTOROU A
BOMBA... O VETERINARIO QUE ELES ARRUMARAM É TÃO PORCARIA QUE NAO
NTREGOU UMA VACINA... O GADO NAO CONSTA UMA VACINA... PRA COMPLICAR... PRA
FICAR MAIS COM AR DE FACHADA O GADO... NUNCA FOI ENTREGUE UMA VACINA... DE
UM BEZERRO NAO TEM... LA NO NOME DA AGROPECUARIA CONSTA 11 GARROTE...
BINHO - MAIS NADA
AROLDO - MAIS NADA... PRA FICAR AINDA MAIS FUDIDO... O VETERIANARIO FOI
ORINETADO E SACANEOU... NA HORA QUE FOI OUVIDO FALOU O QUE NAO DEVIA...
BOTOU NA BUNDA... FUDEU O JACKSON E O ADONAI E ALEM DE TUDO AINDA NAO
ENTREGOU NADA... MAS AI O GADO FICOU BARRADO... E MEU SOCIO SE FUDEU POR
QUE DEIXOU UM QUEQUE DELE...E FALOU Q PAVAGA ESSES DIAS DE RAÇÃOE SE
FUDEU O CARA VAI PREENXER O CHEQUE E VAI DEPOSITAR... E CHEGOU A POLICIA
COM A ORDEM E CANTOU... E ACABOU... PERDEU TODO O GADO E NINGUEM ENTRA NA
FAZENDA... TA TODO MUNDO MORRENDO DE MEDO...
BINHO - ESSE GADO DE VCS TAVA ONDE?
AROLDO - TAVA SEPARADO... SÓ QUE LA NAO TEM EMBARCADOR... E TCOU PRO
VISITNHO QUE TEM EMBARCADOR... CHEGOU NO VISINHO ACONTECEU A MERDA... NAO
TINHA GTA E A CASA CAIU...
BINHO - SE TIVESSE TIRADO ESSA PORRA DAI...
AROLDO - TINHA TIRADO TAVA É PERTO DA ESTACIA BAGUARI... TIROU PELO CAMINHO
LA... MAS NAO ADINTA A POLICIA PEDIU INFORMAÇÃO PRO PEAO E O PEAO FALOU...
LEVEI LA PRO BAGUARI... NA ESTANCIA DO SEU ELISEU... QUE É O DONO DO CARTORIO
DE BARAO... POR QUE LA TEM EMBARCADOR... E AGENTE TOCA PRA LA E PAGA O
VALOR DO EMBARCADOR... ENTAO O QUE EU PRECISO DE VC É SÓ ISSO... O QUE
PRECISAR EU EXPLICO... TUDO QUE FOI FEITO VC SABE.... SÓ QUE EU PRECISO DE UMA
POSIÇÃO... UMA COISA FIRME PRA FALAR PRO MEU SOCIO... AGENTE FOI PARCEIRO...
DO JEITO QUE FOI E DO JEITO QUE DAVA... MAS AGORA NAO TEM COMO... NAO TEM
MAIS GADO E NAO TEM MAIS MERCADORIA, NAO TEM MAIS NADA... CARRO... AGENTE
PEGA CARRO... SE FOR PRA PEGAR CARRO NEM PRA MIM NEM PRA VC... SE O CARRO
FOR DE 120... NEM POR 100 NEM POR 120... VAMOS FAZER A 110 POR QUE TEM
COMISSÃO... EU PEGO O CARRO... DOU A PESSOA QUE TEM QUE TRANFERIR PRA NAO
PASSAR NO MEU NOME... DOU UMA PESSOA... PEGA CARRO... PEGA CARRO ENCRENCA
PRA VENDER... PEGA ESSES CARROS TIPO ESTILO E ASTRA... VE UMA PREÇO JUSTO...

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 176
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
MAS EU PRECISO DE UMA COISA... VC VAI PRA SUA CIDADE TERÇA, QUARTA... QUE
SEJA... ENTAO VOU FALAR PRO MEU SOCIO TENHO PASSAGEM MARCADA PRA MIM
TERÇA OU QUARTA... AI VOLTO COM UMA COISA FIRME... AGORA ANOITE AGENTE TAVA
REUNIDO COM O PAI DO PALHAÇO CAREQUINHA... PRIMEIRO POR QUE TAVA DANDO
UMA DURA FUDIDA... POR QUE QUER OS 40 QUE FALTAM... SEGUNDO QUE ELE FALOU
QUE FICOU FEIO PRO PALHAÇO CAREQUINHA... OS CARAS MENTIRAM QUE TAVA LA E O
CARA FEZ O OLHO GORDO E FUDEI TUDO... E TERCEIRO IMPLORANDO PRA ELE...
PEDINDO FAVOR AINDA... PRA ELE CHEGAR NO ANDERSON E ALIVIAR PRA MIM E PRO
MEU SOCIO... DESCOBRIR SE O FILHO DA PUTA DO GURI BOTOU NOIS NO SAL TBM... E
PRA ALIVIAR... DEIXAR ISSO COMO UM FATO... UM FODA-SE... O ADVOGADO TAVA
EXERCENDO O PAPEL DELE... O CARA TA A MIL... TA UMA ARARA... EU SÓ PEÇO ISSO...
UMA CONVERSA FIRME... TIPO NAO TEM COMO FALAR PRA ELE TA VINDO... EU TENHO
QUE CHEGAR PRA ELE E FALAR VAO ME ENTREGAR UMA SW4 ANO TAL E COR TAL...
VAO COLOCAR O RECIBO EM QUEM EU MANDAR E É DAQUI A 20 DIAS... UMA COISA
FIRME... POR SENAO ELE FOI CURTO E GROSSO COMIGO... AROLDO C VC QUER
CONTINUAR VC VAI CONTINUAR SOZINHO... POR QUE AGENTE JA TA TOMANDO NO CU...
AGENTE VAI FIRME E CONTINUA... TA ACORDADO... PRA TOCAR UMA AÇÃO DESSA
TINHA QUE COBRAR MAIS 100 MIL... NAO VAI COBRAR MAIS NADA... COBRA MAIS 30 QUE
É O PREÇOS DOS CARSS PRA TOCAREM... OS CARAS IR NA AUDIENCIA E FAZER
CARGA... MONITORAR... POR QUE TUDO VAI SER FEITO PELA GENTE... ENTAO EU
QUERO UMA CONVERSA FIRME... POR QUE C VC SE FODER LA NA FRENTE VC NAO VAI
TER MEU APOIO... E ELE É BRUCUTU... E EU NAO POSSO PERDER APOIO DE QUEM ME
DA A BASE... AI EU TO FUDIDO... ENTAO SÓ PRECISO DISSO... EU ACHO Q É UMA
BOBAGEM O QUE O CABEÇÃO TA FAZENDO... MAS É LOUCO... VAI SE FUDER... EU VOU
CONTINUAR TIRANDO COPIA DAS COISAS..
BINHO - EU VOU ESPERAR ATE SEXTA FEIRA E ATE SEXTA FEIRA AGENTE VAI SABER...
POR QUE EU NAO SEI ATE QUE PONTO O QUE TEM PRA CADA UM...
...
BINHO - TA TODO MUNDO DESNORTEADO... ENTAO TEM Q VIR O PAPEL CERTINHO Q
AGENTE MARCA REUNIAO... EU SENTAR E VOU BOTAR VC DE FRENTE COM TODO
MUNDO...
AROLDO - PRA MIM NAO TEM PROBLEMA EU NAO TENHO MEDO... C VC FALAR VAMOS
ENTRAR NUMA BIBOCA LA NO FINAL E EU VOU...
BINHO - É CLARO...VC VAI ESTAR COMIGO... NAO TEM PROBLEMA NENHUM...
AROLDO - NOIS TEM Q TER UMA CONVERSA ANTES PRA VER AROLDO VC VAI FALAR
ISSO... O CABEÇA JA FALOU ANTES QUE TEM AGENTE TA PROFISSÃO DELE E NAO
PODE PARTICIPAR DE NADA E EU NAO VOU FALAR... VC TEM Q ME DAR UMA DICAR... E
PRONTO... SÓ PRECISO DE UMA POSIÇÃO... VAMOS ESPERAR ESTORAR O PEIDO...
BINHO - UMA COISA É SE O NOME DE UM DELES APARECER... VALORIZA X PRA ELES...
SE NAO APARECER ELES PODEM CHEGAR COM Y... EU NAO POSSO CHEGAR COM UM
CARA DESSE QUE O NOME DELE TA NUM NEGOCIO E NAO TA...
AROLDO - EM ENTREVISTA HJ ELE NAO DEU NOME... O MARCELO FOI CURTO E
GROSSO... TEM GENTE DA ALTA SOCIEDADE ENVOLVIDO... PESSOAS QUE TEM FAMILIA
BOA... E SEGUNDO NOIS TEMOS CERTEZA DE QUE A DROGA É VENDIDA PRO PCC... ELE
NAO TEM DUVIDA... ISSO AGENTE SABE NAO SÓ POR DENUNCIAS E SIM POR
INVESTIGAÇÃO POLICIAL... APARECEU REPRISE... VAMOS ESPERAR TERMINAR DE
ESTOURAR O PEIDO... VER PRA QUEM SAI O MANDADO... VER SE AGENTE CONSEGUE
ESSA PORRA ATE SEXTA FEIRA... JA VAI TER ALGUMA COISA DELINEADA... NA SEMANA
QUE VEM VOU TER VIAGEM MARCADA PRA ALGUMA LUGAR E VOLTO DE LA COM UMA
POSIÇÃO SERIA... VAI SER TANTO QUE FALTA... VAI SER CARRO E VAI SER ASSIM... O
CARA TA CERTO... ELE NAO TA ERRADO...
BINHO - ELE NBAO TA ERRADO NAO
AROLDO - O TANTO QUE AGENTE FEZ... E OUTRA COISA... ELE TA PUTO COM O

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 177
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
CABEÇÃO... O CABEÇÃO 10 ANOS DE MALANDRAGEM E É MUITO INOCENTE... A ULTIMA
PESSOA QUE ELE PODIA MENTIR É PRO ADVOGADO... ELE MENTIU FALOU Q OS CARAS
BOTARAM O NEGOCIO NO CAVALO ANDARAM UMA NOITE INTEIRA E VOLTARAM 3 DA
TARDE... E O NEGOCIO JA TAVA NUMA FAZENDA CHAMADA RECREIO... QUE NAO IA
NINGUEM ACHAR DE JEITO NENHUM... E QUE SÓ O EDILSON SABIA... ISSO Q ELE
CONTOU PRA GENTE... SE ELE FALA Q O NEGOCIO TA DO LADO DA CASA A 5 OU 10
MINUTOS DE CAVALO... E Q O MARQUINHOS SABIA DE TUDO... AGENTE IA MANDAR
SUMIR COM ESSE MARQUINHOS... BOTAR ELE EM FORTALEZA 1 ANO... POR QUE
AGENTE SABE Q ELE É UM BANANA... AI FOMOS APRESENTAR E EU FALEI Q TALVES
TENHA UMA MANDADO... PENDEI O CARA ESCAPOU DO MATO E DA SURRA DA POLICIA
NA CONVERSA ELE NAO VAI ENTREGAR NADA... NAO AGUENTOU 10 MIN DE
CONVERSA,.... QUANDO MANDOU AS VANTAGENS ELE JA ENTREGOU GERAL.... AGORA
O CARA MENTE PRO ADVOGADO... ELE TINHA QUE TER FALADO Q TA ALI NA MARCA DO
PENALTY... SE OS DOIS SABEM NAO VAMOS APRESENTAR O FROXO... O FROXO VAI
FICAR ESCONDIDO...
BINHO - MEXE NO NEGOCIO PRIMEIRO E TIRA... AI APRESENTA OS DOIS MENINOS...
AROLDO - EU ATE IA APRESENTAR UM POR QUE POR MAIS QUE TINHA PRISAO DEPOIS
REVOGAVA A PRISAO... DAI ELE LIVRE ELE TRABALAHAVA ... ELE AGUENTAVA UNS 15 A
20 DIAS OU 30 QUE FOSSE E DEPOIS TARBALHAVA... POR QUE AQUELE ALI GUENTA ATE
PORRADA... AGORA O OUTRO NAO AGUENTOU NADA... ISSO EU SABIA... MAS PRA MIM O
GURI NAO SABIA DE NADA E O NEGOCIO TAVA MUITO LONGE... IA DEMORAR UNS 15
DIAS PRA CHEGAR... MENTU SE FUDEU... ELE JA COMEÇOU ERRADO DE CONTRATAM
UM BANANA... AGORA O RESTO NAO É CULPA MINHA... MAS ENTAO VOU PASSAR ESSA
POSIÇÃO... VOU CONTINUAR TODO DIA TENTANDO ARRANJAR ESSA PORRA DESSE
DEPOIMENTO DO GURI... E VOU TIRANDO COPIA... VOU MONTANDO...
BINHO - Q Q TEM DE GARANTIA COM VC AI
AROLDO - JA FUDEU TUDO... POR QUE A DOBLO SUMIU... OS CARAS PEGARAM... A S10
ENTREGUEI PRO CARA POR QUE AGENTE PENSOU QUE IA PEGAR OS GADOS... SÓ TEM
UMA F1000 QUE NAO TEM RECIBO E NEM DOCUMENTO E UM VECTRA... O VECTRA TEM
DOCUMENTO MAS NAO TEM RECIBO... O RECIBO TA AI COM OS CLIENTES SEUS... TINHA
UMA CBR TBM Q JA FOI PRO PAU... A CBR ERA 100 FINANCIADA... NAO TEM NEM POR
QUE FICAR COM ISSO...
BINHO - QUEM LEVOU A CBR...
AROLDO - UMA MAGRELINHO... AS GARANTIAS QUE EU TENHO É ESSA F1000 E O
VECTRA... A F1000 JA TO PENSANDO DE COLOCARNA CASA DO BOB... O VECTRA AINDA
TEM ALGUM JEITO... LEVAR PRA AVALIAR... MAS ISSO AGENTE CONVERSA AI... EU VOU
SEGURANDO AI MAS SEMANA Q VEM EU VOU PRA ONDE VC QUIZER E CONVERSO... SÓ
QUE EU TENHO Q VOLTAR COM O NEGOCIO RESOLVIDO...
BINHO - QUANDO VC VIER PRA CÁ VC VAI VOLTAR COM O NEGOCIO RESOLVIDO...
AROLDO - PODE FALAR PRA QUEM VC QUIZER... SE OS CARAS QUIZEREM SACANEAR
VC ... VAI TER UMA TERCEIRA PESSOA ADVOGANDO PRA VC E EU VOU SER SUA
TESTEMUNHA... ISSO É PALAVRA DE HOMEM... E OUTRA COISA... NAO TEM POR QUE TE
SACANEAR... EU SÓ TENHO MEDO DAS GRAVAÇÕES DESSE TAL DE UM 8585... O
CABEÇA FALOU Q ERA UMA FALAR QUE ELES TINHAM QUE FICAVA COM O JACKSON E
O ADONAI...
BINHO - ESSE 8585 EU NUNCA FALEI COM ELE... NUNCA FALEI NESSE TELEFONE...
AROLDO - EU ACHO Q 90% DISSO AI FOI DEDADO... A ESCUTA TELEFONEICA VAI SER
FRAQUISIMA... C TIVER VAI SER MUITO FRACA...
BINHO - PELO QUE EU VI ALI NAO TEM ESCUTA TELEFONICA...
AROLDO - E DO JEITO Q ELES CHEGARAM 100% SABENDO DE TUDO... É DEDADO...
ALGUEM CONVERSOU DEMAIS... MAS A ESTRATEGIA É ESSA... O TRABALHO TECNICO É
OTIMO... VC SABE QUEM Q TA FAZENDO... O PREÇO ACHO MAIS Q JUSTO... NAO
AUMENTAMOS 1 REAL... OS 30 É SÓ PRA PAGAR OUTRAS PESSOAS... PRA NAO FICAR

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 178
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
MOSTRANDO QUE TA TODO MUNDO JUNTO... A ESTRATEGIA DE INICIO É ALEM DA
DEFESA BEM FEITA... É ALGUEM ASSUMIR OS PEIDOS... PRA QUE PRENDER 11 SE PODE
PRENDER 2...
BINHO - O MENINO VAI ASSUMIR... ELE FALOU Q VAI APRESENTAR AMANHA CEDO... VAI
ASSUMIR E VAI ARRASTAR TODO MUNDO NO JEITO... VAI ARRASTRAR 3 OU 4 POLICIA
QUE TA ENVOLVIDO NISSO AI...

Desse modo, não sendo possível inferir prova de autoria delitiva com base
nos diálogos interceptados e indicados pelo MPF, conforme já discorrido acima ao
analisar cada diálogo específico envolvendo o acusado AROLDO FERNANDES DA LUZ,
impõe-se a absolvição do acusado da imputação do crime previsto no artigo 37 da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso VII do Código de Processo Penal.

4.4. DAS CAUSAS DE AUMENTO DE PENA

O MPF imputou aos réus as causas de aumento de pena previstas nos


incisos I (internacionalidade) e IV (emprego de arma de fogo) da Lei 11.353/2006.

A causa de aumento de pena decorrente da internacionalidade da droga já foi


exaustivamente demonstrada e comprovada nestes autos, seja através da prova pericial
que analisou a embalagem do carregamento de cocaína com inscrições em espanhol,
bem como pela prova decorrente das interceptações, cujos diálogos foram transcritos
nesta sentença, que comprovou a aquisição da droga do fornecedor boliviano LUIZ, a
importação e transporte de avião da Bolívia até a Fazenda Sete Irmãos, localizada em
Barão de Melgaço/MT, de modo que a transnacionalidade delitiva é incontroversa.

Porém, em relação à causa de aumento decorrente de emprego de arma de


fogo (art. 40, inciso IV da Lei 11.343/2006), vejo que não foi minimamente demonstrada
pela acusação. Não houve alegação nesse sentido, tampouco a demonstração de prova
da existência e emprego de arma de fogo no processo de aquisição, importação e
transporte do carregamento de cocaína, impondo-se o afastamento dessa causa de
aumento.

Ante ao exposto, JULGO PARCIALMENTE PROCEDENTE a pretensão


punitiva estatal, para:

a) CONDENAR o réu ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA, como incurso nas


sanções dos crimes tipificados nos artigos 33, “caput” e 35 c/c artigo 40, inciso I, da Lei
11.343/2006 e ABSOLVÊ-LO das imputações do crime tipificado no artigo 36 da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso III do Código de Processo Penal;

b) CONDENAR o réu ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA, como incurso nas


sanções do crime tipificado no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006 e ABSOLVÊ-LO das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso III do Código de Processo Penal;

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 179
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
c) CONDENAR o réu JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, como incurso
nas sanções do crime tipificado no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006 e ABSOLVÊ-LO das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, incisos III e IV do Código de Processo Penal
e das imputações do crime previsto no artigo 36 da Lei 11.343/2006, com fulcro no artigo
386, inciso III do Código de Processo Penal;

d) ABSOLVER o réu NEURI DA SILVA GUIA das imputações dos crimes


previstos nos artigos 33, “caput” e 35 c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei 11.343/2006,
com fundamento no artigo 386, inciso VII do Código de Processo Penal;

e) ABSOLVER o réu JOCENIL PAULO DE FRANÇA, das imputações dos


crimes previstos nos artigos 33, “caput” e 35 c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso VII do Código de Processo Penal;

f) ABSOLVER o réu MARCELO JOSE HARDMAN MEDINA, das imputações


dos crimes previstos nos artigos 33, “caput” e 35, c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006, com fulcro no artigo 386, inciso VII do Código de Processo Penal;

g) ABSOLVER o réu ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA, das imputações


do crime previsto no artigo 33, “caput” e 35 c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006, com fulcro no artigo 386, inciso VII do Código de Processo Penal;

h) CONDENAR o réu ROBERTO CARLOS PEREIRA, como incurso nas


sanções do crime previsto no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006 e ABSOLVÊ-LO das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso V do Código de Processo Penal;

i) CONDENAR o réu EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO, como incurso


na prática do crime previsto no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006 e ABOLVÊ-LO das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso V do Código de Processo Penal;

j) CONDENAR o réu HELDER PEREIRA DINIZ, na prática do crime previsto


no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei 11.343/2006 e ABSOLVÊ-LO
das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006, com fundamento no
artigo 386, inciso V do Código de Processo Penal;

k) CONDENAR o réu MARCELO DA SILVA PEREIRA, como incurso nas


sanções do crime tipificado no artigo 33, “caput” c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006 e ABSOLVÊ-LO das imputações do crime previsto no artigo 35 da Lei
11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso V do Código de Processo Penal;

l) ABSOLVER o réu RUBENS ANTERO DA COSTA, das imputações dos


crimes previstos nos artigos 33, “caput” e 35 c/c artigo 40, inciso I, ambos da Lei
11.343/2006;

m) ABSOLVER o réu VITOR ALEXANDRE FRAGA QUEIROZ das


imputações do crime previsto no artigo 37 da Lei 11.343/2006, com fundamento no artigo
386, inciso VII do Código de Processo Penal;

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 180
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
o) ABSOLVER o réu AROLDO FERNANDES DA LUZ, das imputações dos
crimes previstos nos artigos 35 e 37, ambos da Lei 11.343/2006, com fundamento no
artigo 386, inciso VII do Código de Processo Penal;

p) ABSOLVER o réu ALEXANDRE ZANGARINI, da imputação do crime


previsto no artigo 35 da Lei 11.343/2006, com fundamento no artigo 386, inciso VII do
Código de Processo Penal.

À dosimetria da pena.

1- ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA

Crime de tráfico de substância entorpecente.

Com fulcro no que dispõe o art. 68 do Código Penal e em atenção ao que


preceitua o art. 42 da Lei 11.343/2006 (natureza e a quantidade da substância ou do
produto, a personalidade e a conduta social do agente), passo a estabelecer a pena.

É grave a natureza da substância entorpecente apreendida (cocaína), diante


do seu potencial em causar dependência física ou psíquica, bem como pelo seu
significativo valor financeiro no submundo do crime.

A quantidade do entorpecente apreendido de 383,85 kg (trezentos e oitenta


e três quilos e oitenta e cinco gramas) de cocaína é exorbitante, o que denota lesão de
intensidade extrema ao bem jurídico tutelado (saúde pública), justificando o
recrudescimento da sanção penal.

Não há nos autos elementos suficientes para se aferir a personalidade do


agente e sua conduta social.

Analisando de forma subsidiária as circunstâncias judiciais previstas no art.


59 do CP, observo que o réu possui antecedentes criminais, considerando a
condenação com trânsito em julgado em 21/01/2002 (ID. Num. 296009867 - Pág. 127).
Desse modo, para evitar bis in idem, os antecedentes criminais serão utilizados como
agravante de reincidência e não para compor a pena base.

O motivo, no caso, o lucro fácil, é inerente ao tipo do tráfico de drogas e, por


isso, não será utilizado para ponderar a pena negativamente.

As consequências do crime não transcendem ao resultado típico, já que a


polícia conseguiu apreender a droga.

O juízo de culpabilidade refere-se ao grau de reprovação da conduta


apresentada pelo réu, que no caso dos autos, não revela maior nível de reprovação.

O comportamento da vítima (no caso, o Estado) não afeta a pena, pois, no


caso concreto, não há uma conduta particular do Estado a ser analisada. O
comportamento do Estado enquanto vítima pode, em tese, ser avaliado se houvesse uma
conduta em particular a ser avaliada em conjunto com a conduta do agente (relação de
ação-reação), o que não é o caso dos autos.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 181
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
As circunstâncias específicas do crime devem ser negativamente
sopesadas. O réu importou a cocaína da Bolívia com complexa operação de transferência
de recursos, contratação de piloto e utilização de avião para transporte internacional da
droga, utilização da Fazenda Sete Irmãos para transportar e depositar o carregamento,
compra, criação de gado e contratação de veterinário na fazenda para ocultar a finalidade
do imóvel arrendado, ocultamento da droga na propriedade, que somente foi localizada
em razão do acordo de colaboração premiada de um dos caseiros. Essas circunstâncias
concretas que recomendam o aumento da pena base.

As circunstâncias judiciais já analisadas, mormente a natureza do


entorpecente, a quantidade expressiva da droga e as circunstâncias específicas em
que praticado o delito, autorizam a fixação da pena-base acima do patamar mínimo.
Desta forma, aplico a pena-base em 06 (seis) anos de reclusão e multa de 600
(seiscentos) dias-multa.

Presente a circunstância agravante da reincidência, tendo em vista a


condenação com trânsito em julgado que consta da Folha de Antecedentes Criminais ID.
Num. 296009867 - Pág. 127, a pena deve ser agravada para 06 (seis) anos e 06 (seis)
meses de reclusão e multa de 650 (seiscentos e cinquenta) dias-multa. Ausentes
circunstâncias atenuantes.

Presente a causa de aumento de pena prevista no art. 40, inciso I


(transnacionalidade), da Lei Federal nº 11.343/2006, devidamente comprovada nos autos,
conforme fundamentação expendida acima, aumento a pena anteriormente fixada em 1/6
(um sexto), alcançando-se a pena de 07 (sete) anos e 07 (sete) meses de reclusão e
multa de 758 (setecentos e cinquenta e oito) dias-multa.

Ausentes causas de diminuição de pena, mormente a causa de diminuição


prevista no art. 33, § 4º da Lei 11.343/2006, considerando a existência de organização
criminosa especializada na importação de cocaína da Bolívia, transporte por via aérea até
o Brasil, arrendamento de fazendas para depósito provisório dos carregamentos e
posterior remessa a outros Estados no Brasil, aliado à exorbitante quantidade de cocaína
importada, do enorme montante financeiro empregado na sua aquisição, na rede
complexa de aquisição, transporte e distribuição, com emprego de integrantes do aparato
estatal de segurança pública, enfim, uma gama de circunstâncias que demonstram a
existência de organização criminosa apta a afastar a incidência da referida causa de
diminuição de pena.

Assim, fixo a pena do réu ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA em 07 (sete)


anos e 07 (sete) meses de reclusão e multa de 758 (setecentos e cinquenta e oito)
dias-multa.

Crime de associação para o tráfico.

Com fulcro no que dispõe o art. 68 do Código Penal e em atenção ao que


preceitua o art. 42 da Lei 11.343/2006 (natureza e a quantidade da substância ou do
produto, a personalidade e a conduta social do agente), passo a estabelecer a pena.

É grave a natureza da substância entorpecente apreendida (cocaína), diante


do seu potencial em causar dependência física ou psíquica, bem como pelo seu

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 182
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
significativo valor financeiro no submundo do crime.

A quantidade do entorpecente apreendido de 383,85 kg (trezentos e oitenta


e três quilos e oitenta e cinco gramas) de cocaína é exorbitante, o que denota lesão de
intensidade extrema ao bem jurídico tutelado (saúde pública), justificando o
recrudescimento da sanção penal.

Não há nos autos elementos suficientes para se aferir a personalidade do


agente e sua conduta social.

Analisando de forma subsidiária as circunstâncias judiciais previstas no art.


59 do CP, observo que o réu possui antecedentes criminais, considerando a
condenação com trânsito em julgado em 21/01/2002 (ID. Num. 296009867 - Pág. 127).
Desse modo, para evitar bis in idem, os antecedentes criminais serão utilizados como
agravante de reincidência e não para compor a pena base.

O motivo, no caso, o lucro fácil, é inerente ao tipo do tráfico de drogas e, por


isso, não será utilizado para ponderar a pena negativamente.

As consequências do crime não transcendem ao resultado típico, já que a


polícia conseguiu apreender a droga.

O juízo de culpabilidade refere-se ao grau de reprovação da conduta


apresentada pelo réu, que no caso dos autos, não revela maior nível de reprovação.

O comportamento da vítima (no caso, o Estado) não afeta a pena, pois, no


caso concreto, não há uma conduta particular do Estado a ser analisada. O
comportamento do Estado enquanto vítima pode, em tese, ser avaliado se houvesse uma
conduta em particular a ser avaliada em conjunto com a conduta do agente (relação de
ação-reação), o que não é o caso dos autos.

As circunstâncias específicas do crime devem ser negativamente


sopesadas. Com efeito, pela prova decorrente dos diálogos interceptados, o réu
desempenhava uma função preponderante de liderança dentro da associação criminosa,
integrava o núcleo da cúpula da organização, negociava diretamente com os
fornecedores bolivianos de cocaína, organizou e geriu o levantamento de recursos para a
importação da droga, acompanhou a transação da aquisição na Bolívia, a internação da
droga no Brasil, o pouso da aeronave e descarregamento na fazenda arrendada. Enfim,
uma gama de circunstâncias que indicam concretamente a posição de liderança, a
recomendar o incremento da pena.

As circunstâncias judiciais já analisadas, mormente a natureza do


entorpecente, a quantidade expressiva da droga e as circunstâncias específicas em
que praticado o delito, autorizam a fixação da pena-base acima do patamar mínimo.
Desta forma, aplico a pena-base em 05 (cinco) anos de reclusão e multa de 900
(novecentos) dias-multa.

Presente a circunstância agravante da reincidência, tendo em vista a


condenação com trânsito em julgado que consta da Folha de Antecedentes Criminais ID.
Num. 296009867 - Pág. 127, a pena deve ser agravada para 05 (cinco) anos e 06 (seis)

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 183
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
meses de reclusão e multa de 950 (novecentos e cinquenta) dias-multa. Ausentes
circunstâncias atenuantes.

Presente a causa de aumento de pena prevista no art. 40, inciso I


(transnacionalidade), da Lei Federal nº 11.343/2006, devidamente comprovada nos autos,
conforme fundamentação expendida acima, aumento a pena anteriormente fixada em 1/6
(um sexto), alcançando-se a pena de 06 (seis) anos e 05 (cinco) meses de reclusão e
multa de 1108 (mil cento e oito) dias-multa. Ausentes causas de diminuição de pena.

Assim, fixo a pena do réu ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA em 06 (seis)


anos e 05 (cinco) meses de reclusão e multa de 1.108 (mil cento e oito) dias-multa.

Concurso de crimes

O réu, mediante mais de uma ação, praticou dois crimes (tráfico e associação
para o tráfico), impondo-se a aplicação cumulativa das penas privativas de liberdade
impostas nesta sentença, com fundamento no artigo 69 do Código Penal. Assim, em
razão do concurso material de crimes, torno definitiva a pena do réu ADONAI NOVAES
DE OLIVEIRA em 14 (quatorze) anos de reclusão e multa de 1.866 (mil oitocentos e
sessenta e seis) dias-multa.

2- ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA

Crime de tráfico de substância entorpecente.

Com fulcro no que dispõe o art. 68 do Código Penal e em atenção ao que


preceitua o art. 42 da Lei 11.343/2006 (natureza e a quantidade da substância ou do
produto, a personalidade e a conduta social do agente), passo a estabelecer a pena.

É grave a natureza da substância entorpecente apreendida (cocaína), diante


do seu potencial em causar dependência física ou psíquica, bem como pelo seu
significativo valor financeiro no submundo do crime.

A quantidade do entorpecente apreendido de 383,85 kg (trezentos e oitenta


e três quilos e oitenta e cinco gramas) de cocaína é exorbitante, o que denota lesão de
intensidade extrema ao bem jurídico tutelado (saúde pública), justificando o
recrudescimento da sanção penal.

Não há nos autos elementos suficientes para se aferir a personalidade do


agente e sua conduta social.

Analisando de forma subsidiária as circunstâncias judiciais previstas no art.


59 do CP, observo que o réu possui antecedentes criminais, considerando a
condenação com trânsito em julgado em 21/01/2002 (ID. Num. 296009867 - Pág. 142).
Desse modo, para evitar bis in idem, os antecedentes criminais serão utilizados como
agravante de reincidência e não para compor a pena base.

O motivo, no caso, o lucro fácil, é inerente ao tipo do tráfico de drogas e, por


isso, não será utilizado para ponderar a pena negativamente.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 184
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
As consequências do crime não transcendem ao resultado típico, já que a
polícia conseguiu apreender a droga.

O juízo de culpabilidade refere-se ao grau de reprovação da conduta


apresentada pelo réu, que no caso dos autos, não revela maior nível de reprovação.

O comportamento da vítima (no caso, o Estado) não afeta a pena, pois, no


caso concreto, não há uma conduta particular do Estado a ser analisada. O
comportamento do Estado enquanto vítima pode, em tese, ser avaliado se houvesse uma
conduta em particular a ser avaliada em conjunto com a conduta do agente (relação de
ação-reação), o que não é o caso dos autos.

As circunstâncias específicas do crime não devem ser negativamente


sopesadas.

As circunstâncias judiciais já analisadas, mormente a natureza do


entorpecente e a quantidade expressiva da droga, autorizam a fixação da pena-base
acima do patamar mínimo. Desta forma, aplico a pena-base em 05 (cinco) anos e 06
(seis) meses de reclusão e multa de 550 (quinhentos e cinquenta) dias-multa.

Presente a circunstância agravante da reincidência, tendo em vista a


condenação com trânsito em julgado que consta da Folha de Antecedentes Criminais ID.
Num. 296009867 - Pág. 142, a pena deve ser agravada para 06 (seis) anos de reclusão e
multa de 600 (seiscentos) dias-multa. Ausentes circunstâncias atenuantes.

Presente a causa de aumento de pena prevista no art. 40, inciso I


(transnacionalidade), da Lei Federal nº 11.343/2006, devidamente comprovada nos autos,
conforme fundamentação expendida acima, aumento a pena anteriormente fixada em 1/6
(um sexto), alcançando-se a pena de 07 (sete) anos de reclusão e multa de
700(setecentos) dias-multa.

Ausentes causas de diminuição de pena, mormente a causa de diminuição


prevista no art. 33, § 4º da Lei 11.343/2006, considerando a existência de organização
criminosa especializada na importação de cocaína da Bolívia, transporte por via aérea até
o Brasil, arrendamento de fazendas para depósito provisório dos carregamentos e
posterior remessa a outros Estados no Brasil, aliado à exorbitante quantidade de cocaína
importada, do enorme montante financeiro empregado na sua aquisição, na rede
complexa de aquisição, transporte e distribuição, com emprego de integrantes do aparato
estatal de segurança pública, enfim, uma gama de circunstâncias que demonstram a
existência de organização criminosa apta a afastar a incidência da referida causa de
diminuição de pena.

Assim, torno definitiva a pena do réu ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA em


07 (sete) anos de reclusão e multa de 700 (setecentos) dias-multa.

3- JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO

Crime de tráfico de substância entorpecente.

Com fulcro no que dispõe o art. 68 do Código Penal e em atenção ao que

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 185
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
preceitua o art. 42 da Lei 11.343/2006 (natureza e a quantidade da substância ou do
produto, a personalidade e a conduta social do agente), passo a estabelecer a pena.

É grave a natureza da substância entorpecente apreendida (cocaína), diante


do seu potencial em causar dependência física ou psíquica, bem como pelo seu
significativo valor financeiro no submundo do crime.

A quantidade do entorpecente apreendido de 383,85 kg (trezentos e oitenta


e três quilos e oitenta e cinco gramas) de cocaína é exorbitante, o que denota lesão de
intensidade extrema ao bem jurídico tutelado (saúde pública), justificando o
recrudescimento da sanção penal.

Não há nos autos elementos suficientes para se aferir a personalidade do


agente e sua conduta social.

Analisando de forma subsidiária as circunstâncias judiciais previstas no art.


59 do CP, observo que o réu não possui antecedentes criminais (ID. Num. 296009867 -
Pág. 128).

O motivo, no caso, o lucro fácil, é inerente ao tipo do tráfico de drogas e, por


isso, não será utilizado para ponderar a pena negativamente.

As consequências do crime não transcendem ao resultado típico, já que a


polícia conseguiu apreender a droga.

O juízo de culpabilidade refere-se ao grau de reprovação da conduta


apresentada pelo réu, que no caso dos autos, não revela maior nível de reprovação.

O comportamento da vítima (no caso, o Estado) não afeta a pena, pois, no


caso concreto, não há uma conduta particular do Estado a ser analisada. O
comportamento do Estado enquanto vítima pode, em tese, ser avaliado se houvesse uma
conduta em particular a ser avaliada em conjunto com a conduta do agente (relação de
ação-reação), o que não é o caso dos autos.

As circunstâncias específicas do crime não devem ser negativamente


sopesadas.

As circunstâncias judiciais já analisadas, mormente a natureza do


entorpecente e a quantidade expressiva da droga, autorizam a fixação da pena-base
acima do patamar mínimo. Desta forma, aplico a pena-base em 05 (cinco) anos e 06
(seis) meses de reclusão e multa de 550 (quinhentos e cinquenta) dias-multa.

Ausentes circunstâncias atenuantes e agravantes.

Presente a causa de aumento de pena prevista no art. 40, inciso I


(transnacionalidade), da Lei Federal nº 11.343/2006, devidamente comprovada nos autos,
conforme fundamentação expendida acima, aumento a pena anteriormente fixada em 1/6
(um sexto), alcançando-se a pena de 06 (seis) anos e 05 (cinco) meses de reclusão e
multa de 641 (seiscentos e quarenta e um) dias-multa.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 186
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Ausentes causas de diminuição de pena, mormente a causa de diminuição
prevista no art. 33, § 4º da Lei 11.343/2006, considerando a existência de organização
criminosa especializada na importação de cocaína da Bolívia, transporte por via aérea até
o Brasil, arrendamento de fazendas para depósito provisório dos carregamentos e
posterior remessa a outros Estados no Brasil, aliado à exorbitante quantidade de cocaína
importada, do enorme montante financeiro empregado na sua aquisição, na rede
complexa de aquisição, transporte e distribuição, com emprego de integrantes do aparato
estatal de segurança pública, enfim, uma gama de circunstâncias que demonstram a
existência de organização criminosa apta a afastar a incidência da referida causa de
diminuição de pena.

Assim, torno definitiva a pena do réu JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO


em 06 (seis) anos e 05 (cinco) meses de reclusão e multa de 641 (seiscentos e
quarenta e um) dias-multa.

4- ROBERTO CARLOS PEREIRA

Crime de tráfico de substância entorpecente.

Com fulcro no que dispõe o art. 68 do Código Penal e em atenção ao que


preceitua o art. 42 da Lei 11.343/2006 (natureza e a quantidade da substância ou do
produto, a personalidade e a conduta social do agente), passo a estabelecer a pena.

É grave a natureza da substância entorpecente apreendida (cocaína), diante


do seu potencial em causar dependência física ou psíquica, bem como pelo seu
significativo valor financeiro no submundo do crime.

A quantidade do entorpecente apreendido de 383,85 kg (trezentos e oitenta


e três quilos e oitenta e cinco gramas) de cocaína é exorbitante, o que denota lesão de
intensidade extrema ao bem jurídico tutelado (saúde pública), justificando o
recrudescimento da sanção penal.

Não há nos autos elementos suficientes para se aferir a personalidade do


agente e sua conduta social.

Analisando de forma subsidiária as circunstâncias judiciais previstas no art.


59 do CP, observo que o réu não possui antecedentes criminais (ID. Num. 296009867 -
Pág. 145).

O motivo, no caso, o lucro fácil, é inerente ao tipo do tráfico de drogas e, por


isso, não será utilizado para ponderar a pena negativamente.

As consequências do crime não transcendem ao resultado típico, já que a


polícia conseguiu apreender a droga.

O juízo de culpabilidade refere-se ao grau de reprovação da conduta


apresentada pelo réu, que no caso dos autos, não revela maior nível de reprovação.

O comportamento da vítima (no caso, o Estado) não afeta a pena, pois, no


caso concreto, não há uma conduta particular do Estado a ser analisada. O

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 187
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
comportamento do Estado enquanto vítima pode, em tese, ser avaliado se houvesse uma
conduta em particular a ser avaliada em conjunto com a conduta do agente (relação de
ação-reação), o que não é o caso dos autos.

As circunstâncias específicas do crime não devem ser negativamente


sopesadas.

As circunstâncias judiciais já analisadas, mormente a natureza do


entorpecente e a quantidade expressiva da droga, autorizam a fixação da pena-base
acima do patamar mínimo. Desta forma, aplico a pena-base em 05 (cinco) anos e 06
(seis) meses de reclusão e multa de 550 (quinhentos e cinquenta) dias-multa.

Ausentes circunstâncias atenuantes e agravantes.

Presente a causa de aumento de pena prevista no art. 40, inciso I


(transnacionalidade), da Lei Federal nº 11.343/2006, devidamente comprovada nos autos,
conforme fundamentação expendida acima, aumento a pena anteriormente fixada em 1/6
(um sexto), alcançando-se a pena de 06 (seis) anos e 05 (cinco) meses de reclusão e
multa de 641 (seiscentos e quarenta e um) dias-multa.

Ausentes causas de diminuição de pena, mormente a causa de diminuição


prevista no art. 33, § 4º da Lei 11.343/2006, considerando a existência de organização
criminosa especializada na importação de cocaína da Bolívia, transporte por via aérea até
o Brasil, arrendamento de fazendas para depósito provisório dos carregamentos e
posterior remessa a outros Estados no Brasil, aliado à exorbitante quantidade de cocaína
importada, do enorme montante financeiro empregado na sua aquisição, na rede
complexa de aquisição, transporte e distribuição, com emprego de integrantes do aparato
estatal de segurança pública, enfim, uma gama de circunstâncias que demonstram a
existência de organização criminosa apta a afastar a incidência da referida causa de
diminuição de pena.

Assim, torno definitiva a pena do réu ROBERTO CARLOS PEREIRA em 06


(seis) anos e 05 (cinco) meses de reclusão e multa de 641 (seiscentos e quarenta e
um) dias-multa.

5- EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO

Crime de tráfico de substância entorpecente.

Com fulcro no que dispõe o art. 68 do Código Penal e em atenção ao que


preceitua o art. 42 da Lei 11.343/2006 (natureza e a quantidade da substância ou do
produto, a personalidade e a conduta social do agente), passo a estabelecer a pena.

É grave a natureza da substância entorpecente apreendida (cocaína), diante


do seu potencial em causar dependência física ou psíquica, bem como pelo seu
significativo valor financeiro no submundo do crime.

A quantidade do entorpecente apreendido de 383,85 kg (trezentos e oitenta


e três quilos e oitenta e cinco gramas) de cocaína é exorbitante, o que denota lesão de
intensidade extrema ao bem jurídico tutelado (saúde pública), justificando o

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 188
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
recrudescimento da sanção penal.

Não há nos autos elementos suficientes para se aferir a personalidade do


agente e sua conduta social.

Analisando de forma subsidiária as circunstâncias judiciais previstas no art.


59 do CP, observo que o réu não possui antecedentes criminais (ID. Num. 296009867 -
Pág. 150).

O motivo, no caso, o lucro fácil, é inerente ao tipo do tráfico de drogas e, por


isso, não será utilizado para ponderar a pena negativamente.

As consequências do crime não transcendem ao resultado típico, já que a


polícia conseguiu apreender a droga.

O juízo de culpabilidade refere-se ao grau de reprovação da conduta


apresentada pelo réu, que no caso dos autos, não revela maior nível de reprovação.

O comportamento da vítima (no caso, o Estado) não afeta a pena, pois, no


caso concreto, não há uma conduta particular do Estado a ser analisada. O
comportamento do Estado enquanto vítima pode, em tese, ser avaliado se houvesse uma
conduta em particular a ser avaliada em conjunto com a conduta do agente (relação de
ação-reação), o que não é o caso dos autos.

As circunstâncias específicas do crime não devem ser negativamente


sopesadas.

As circunstâncias judiciais já analisadas, mormente a natureza do


entorpecente e a quantidade expressiva da droga, autorizam a fixação da pena-base
acima do patamar mínimo. Desta forma, aplico a pena-base em 05 (cinco) anos e 06
(seis) meses de reclusão e multa de 550 (quinhentos e cinquenta) dias-multa.

Ausentes circunstâncias atenuantes e agravantes.

Presente a causa de aumento de pena prevista no art. 40, inciso I


(transnacionalidade), da Lei Federal nº 11.343/2006, devidamente comprovada nos autos,
conforme fundamentação expendida acima, aumento a pena anteriormente fixada em 1/6
(um sexto), alcançando-se a pena de 06 (seis) anos e 05 (cinco) meses de reclusão e
multa de 641 (seiscentos e quarenta e um) dias-multa.

Ausentes causas de diminuição de pena, mormente a causa de diminuição


prevista no art. 33, § 4º da Lei 11.343/2006, considerando a existência de organização
criminosa especializada na importação de cocaína da Bolívia, transporte por via aérea até
o Brasil, arrendamento de fazendas para depósito provisório dos carregamentos e
posterior remessa a outros Estados no Brasil, aliado à exorbitante quantidade de cocaína
importada, do enorme montante financeiro empregado na sua aquisição, na rede
complexa de aquisição, transporte e distribuição, com emprego de integrantes do aparato
estatal de segurança pública, enfim, uma gama de circunstâncias que demonstram a
existência de organização criminosa apta a afastar a incidência da referida causa de
diminuição de pena.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 189
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Assim, torno definitiva a pena do réu EDILSON AMORIM DO NASCIMENTO
em 06 (seis) anos e 05 (cinco) meses de reclusão e multa de 641 (seiscentos e
quarenta e um) dias-multa.

6- HELDER PEREIRA DINIZ

Crime de tráfico de substância entorpecente.

Com fulcro no que dispõe o art. 68 do Código Penal e em atenção ao que


preceitua o art. 42 da Lei 11.343/2006 (natureza e a quantidade da substância ou do
produto, a personalidade e a conduta social do agente), passo a estabelecer a pena.

É grave a natureza da substância entorpecente apreendida (cocaína), diante


do seu potencial em causar dependência física ou psíquica, bem como pelo seu
significativo valor financeiro no submundo do crime.

A quantidade do entorpecente apreendido de 383,85 kg (trezentos e oitenta


e três quilos e oitenta e cinco gramas) de cocaína é exorbitante, o que denota lesão de
intensidade extrema ao bem jurídico tutelado (saúde pública), justificando o
recrudescimento da sanção penal.

Não há nos autos elementos suficientes para se aferir a personalidade do


agente e sua conduta social.

Analisando de forma subsidiária as circunstâncias judiciais previstas no art.


59 do CP, observo que o réu não possui antecedentes criminais (ID. Num. 296009867 -
Pág. 148).

O motivo, no caso, o lucro fácil, é inerente ao tipo do tráfico de drogas e, por


isso, não será utilizado para ponderar a pena negativamente.

As consequências do crime não transcendem ao resultado típico, já que a


polícia conseguiu apreender a droga.

O juízo de culpabilidade refere-se ao grau de reprovação da conduta


apresentada pelo réu, que no caso dos autos, não revela maior nível de reprovação.

O comportamento da vítima (no caso, o Estado) não afeta a pena, pois, no


caso concreto, não há uma conduta particular do Estado a ser analisada. O
comportamento do Estado enquanto vítima pode, em tese, ser avaliado se houvesse uma
conduta em particular a ser avaliada em conjunto com a conduta do agente (relação de
ação-reação), o que não é o caso dos autos.

As circunstâncias específicas do crime não devem ser negativamente


sopesadas.

As circunstâncias judiciais já analisadas, mormente a natureza do


entorpecente e a quantidade expressiva da droga, autorizam a fixação da pena-base
acima do patamar mínimo. Desta forma, aplico a pena-base em 05 (cinco) anos e 06
(seis) meses de reclusão e multa de 550 (quinhentos e cinquenta) dias-multa.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 190
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Ausentes circunstâncias atenuantes e agravantes.

Presente a causa de aumento de pena prevista no art. 40, inciso I


(transnacionalidade), da Lei Federal nº 11.343/2006, devidamente comprovada nos autos,
conforme fundamentação expendida acima, aumento a pena anteriormente fixada em 1/6
(um sexto), alcançando-se a pena de 06 (seis) anos e 05 (cinco) meses de reclusão e
multa de 641 (seiscentos e quarenta e um) dias-multa.

Ausentes causas de diminuição de pena, mormente a causa de diminuição


prevista no art. 33, § 4º da Lei 11.343/2006, considerando a existência de organização
criminosa especializada na importação de cocaína da Bolívia, transporte por via aérea até
o Brasil, arrendamento de fazendas para depósito provisório dos carregamentos e
posterior remessa a outros Estados no Brasil, aliado à exorbitante quantidade de cocaína
importada, do enorme montante financeiro empregado na sua aquisição, na rede
complexa de aquisição, transporte e distribuição, com emprego de integrantes do aparato
estatal de segurança pública, enfim, uma gama de circunstâncias que demonstram a
existência de organização criminosa apta a afastar a incidência da referida causa de
diminuição de pena.

Assim, torno definitiva a pena do réu HELDER PEREIRA DINIZ em 06 (seis)


anos e 05 (cinco) meses de reclusão e multa de 641 (seiscentos e quarenta e um)
dias-multa.

7- MARCELO DA SILVA PEREIRA

Crime de tráfico de substância entorpecente.

Com fulcro no que dispõe o art. 68 do Código Penal e em atenção ao que


preceitua o art. 42 da Lei 11.343/2006 (natureza e a quantidade da substância ou do
produto, a personalidade e a conduta social do agente), passo a estabelecer a pena.

É grave a natureza da substância entorpecente apreendida (cocaína), diante


do seu potencial em causar dependência física ou psíquica, bem como pelo seu
significativo valor financeiro no submundo do crime.

A quantidade do entorpecente apreendido de 383,85 kg (trezentos e oitenta


e três quilos e oitenta e cinco gramas) de cocaína é exorbitante, o que denota lesão de
intensidade extrema ao bem jurídico tutelado (saúde pública), justificando o
recrudescimento da sanção penal.

Não há nos autos elementos suficientes para se aferir a personalidade do


agente e sua conduta social.

Analisando de forma subsidiária as circunstâncias judiciais previstas no art.


59 do CP, observo que o réu não possui antecedentes criminais (ID. Num. 296009867 -
Pág. 146).

O motivo, no caso, o lucro fácil, é inerente ao tipo do tráfico de drogas e, por


isso, não será utilizado para ponderar a pena negativamente.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 191
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
As consequências do crime não transcendem ao resultado típico, já que a
polícia conseguiu apreender a droga.

O juízo de culpabilidade refere-se ao grau de reprovação da conduta


apresentada pelo réu, que no caso dos autos, não revela maior nível de reprovação.

O comportamento da vítima (no caso, o Estado) não afeta a pena, pois, no


caso concreto, não há uma conduta particular do Estado a ser analisada. O
comportamento do Estado enquanto vítima pode, em tese, ser avaliado se houvesse uma
conduta em particular a ser avaliada em conjunto com a conduta do agente (relação de
ação-reação), o que não é o caso dos autos.

As circunstâncias específicas do crime não devem ser negativamente


sopesadas.

As circunstâncias judiciais já analisadas, mormente a natureza do


entorpecente e a quantidade expressiva da droga, autorizam a fixação da pena-base
acima do patamar mínimo. Desta forma, aplico a pena-base em 05 (cinco) anos e 06
(seis) meses de reclusão e multa de 550 (quinhentos e cinquenta) dias-multa.

Ausentes circunstâncias atenuantes e agravantes.

Presente a causa de aumento de pena prevista no art. 40, inciso I


(transnacionalidade), da Lei Federal nº 11.343/2006, devidamente comprovada nos autos,
conforme fundamentação expendida acima, aumento a pena anteriormente fixada em 1/6
(um sexto), alcançando-se a pena de 06 (seis) anos e 05 (cinco) meses de reclusão e
multa de 641 (seiscentos e quarenta e um) dias-multa.

Ausentes causas de diminuição de pena, mormente a causa de diminuição


prevista no art. 33, § 4º da Lei 11.343/2006, considerando a existência de organização
criminosa especializada na importação de cocaína da Bolívia, transporte por via aérea até
o Brasil, arrendamento de fazendas para depósito provisório dos carregamentos e
posterior remessa a outros Estados no Brasil, aliado à exorbitante quantidade de cocaína
importada, do enorme montante financeiro empregado na sua aquisição, na rede
complexa de aquisição, transporte e distribuição, com emprego de integrantes do aparato
estatal de segurança pública, enfim, uma gama de circunstâncias que demonstram a
existência de organização criminosa apta a afastar a incidência da referida causa de
diminuição de pena.

Assim, torno definitiva a pena do réu MARCELO DA SILVA PEREIRA em 06


(seis) anos e 05 (cinco) meses de reclusão e multa de 641 (seiscentos e quarenta e
um) dias-multa.

Em função do que dispõe o art. 33, § 2º, “a” e “b” do CP e levando em conta
que as circunstâncias judiciais foram sopesadas de forma desfavoráveis aos acusados, a
pena do réu ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA deverá ser cumprida em regime
inicialmente fechado, enquanto as penas dos réus ALENCAR NOVAES DE OLIVEIRA,
JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO, ROBERTO CARLOS PEREIRA, EDILSON
AMORIM DO NASCIMENTO, HELDER PEREIRA DINIZ e MARCELO DA SILVA
PEREIRA deverão ser cumpridas inicialmente em regime semiaberto.

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 192
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
Considerando, ainda, o quantum das penas impostas, deixo de substituir as
penas privativas de liberdade acima fixadas por penas restritivas de direitos (artigo 44,
inciso I, do CP).

Por inexistir nos autos prova da situação financeira dos réus, fixo o dia-multa
em 1/30 (um trigésimo) do salário mínimo na data do fato (20/06/2009), na forma do art.
49, § 1º, do Código Penal.

Quanto ao recurso em liberdade, observo dos autos que a prisão preventiva


dos acusados ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA e JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO
foi restabelecida por força da decisão ID. Num. 296009867 - Pág. 102-111, nos seguintes
termos:

“De se observar que os réus ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA e JACKSON


LUIZ COSTA CONCEIÇÃO permanecem foragidos há quase uma década,
mesmo com a plena ciência da existência da ação penal em curso e dos
respectivos mandados de prisão ativos. É mesmo reconhecer, por livre e
espontânea vontade, escolheram não participar do processo e não se
sujeitar à aplicação da lei penal.

Embora graves os delitos imputados, que trata de uma operação policial que
apurou a participação dos acusados no processo de aquisição e importação
de quase quatrocentos quilos de cocaína proveniente da Bolívia, a
pedido das defesas, as prisões preventivas foram revogadas, para que os
réus pudessem comparecer na audiência de interrogatório e participar do
processo, dando a versão dos fatos, desenvolvendo a defesa pessoal, em
concurso com a defesa técnica.

O juízo aquiesceu quanto aos pleitos das defesas e revogou as prisões,


substituindo-as por medidas cautelares alternativas. De se observar que o
juízo conferiu um voto de confiança aos réus, para que se apresentassem,
porém, o que se viu foi a máxima confirmação, real e concreta, que não
pretendem se curvar à aplicação da lei penal.

Com efeito, mesmo com a prisão revogada, sob a condição de fixação das
tornozeleiras eletrônicas, os réus simplesmente não compareceram, cada um
com sua justificativa, por intermédio de suas defesas técnicas, e
demonstraram, de forma inequívoca que não pretendem se sujeitar a
aplicação da lei penal.

(...)

Destarte, ao escolherem voluntariamente não comparecer à audiência de


interrogatório, bem como não se sujeitarem às medidas cautelares fixadas
pelo juízo que revogou a prisão preventiva, os réus dão a exata noção que
não se sujeitarão à aplicação da lei penal. Queriam, em verdade, "liberdade
irrestrita", mesmo com a pesadíssima acusação de tráfico internacional
de quase quatrocentos quilos de cocaína e mesmo tendo permanecido
foragidos por quase uma década, com plena ciência da existência do
processo criminal.” (ID. Num. 296009867 - Pág. 102-111).

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 193
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
A sentença condenatória confirmou a prova da materialidade e autoria
delitiva, enquanto o pressuposto do risco à aplicação penal é evidente e foi até agravado
com a condenação dos réus, pois se permaneceram foragidos por quase uma década,
mesmo ciente da existência de processo criminal, que dirá, então, diante de uma
condenação pelos crimes imputados nesta ação penal. Destarte, em face do risco
concreto e evidente da aplicação da lei penal, mantenho a prisão preventiva e indefiro o
recurso em liberdade, em relação aos réus ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA e
JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO. Em relação aos demais acusados condenados,
defiro o recurso em liberdade.

5- DOS BENS APREENDIDOS

Em relação aos bens apreendidos, arrestados e sequestrados na Operação


Maranello, dispõe o artigo 91, inciso II do Código Penal c/c artigo 63, § 1° da Lei Federal
11.343/2006, que são efeitos da condenação, a perda em favor da União e revertido ao
Fundo Nacional Antidrogas – FUNAD, do produto do crime ou qualquer bem ou valor que
constitua proveito auferido pelo agente com a prática do fato criminoso.

Ante ao exposto:

5.1. Determino a destruição de:

01- 01 (um) aparelho de telefone celular da marca LG, de cor preta, com chip
da VIVO, IMEI n° 011825-00-854402-2 (fls. 81 dos autos de prisão temporária n°
2009.36.00.010098-4), apreendido na fazenda Sete Irmãos juntamente com a droga e
não foi identificado o proprietário;

5.2. Determino a restituição de veículos ou produto de alienação


cautelar, bem como de documentos, se por outro motivo não estiverem
apreendidos, conforme a seguir:

01- 01 (uma) Carteira de Trabalho e Previdência Social em nome de


RUBENS ANTERO DA COSTA RIBEIRO (fls. 105 dos autos de prisão temporária n°
2009.36.00.010098-4), em razão da absolvição do acusado;

02- 01 (uma) Agenda de capa preta permanente (Num. 391496479 - Pág. 68


– autos n° 0014838-32.2009.4.01.3600), de propriedade de NEURI DA SILVA GUIA, ante
a sua absolvição nestes autos;

03- 01 (um) veículo TOYOTA/COROLLA XEI 18VVT, ano 2002/2003, placa


DIH-2866, da cor CINZA, chassi 9BR53ZEC238503287 acompanhado do documento em
nome no BANCO J SAFRA SA. (Num. 391496479 - Pág. 68 – autos n° 0014838-
32.2009.4.01.3600), de propriedade de NEURI DA SILVA GUIA, ante a sua absolvição
nestes autos;

04- 01 (um) veículo FIAT/PALIO WK ADVENTURE FLEX, ano 2005/2005,


placa DJC-9641., da cor BRANCA, chassi 9BD17309C54141733 acompanhado do
documento em nomes de MARCOS ANDRE DE SOUZA MOREIRA (Num. 391496479 -
Pág. 68 – autos n° 0014838-32.2009.4.01.3600), apreendido em poder de NEURI DA
SILVA GUIA, ante a sua absolvição nestes autos;

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 194
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
05- 01 (um) veículo Caminhonete INFINIT FX 35AWD - 2008/2008, cor cinza,
placa NJR-9898 - chassi JNRAS08W68X202447 - juntamente com o CRLV do veículo;
código RENAVAN: 985581425 - exercício 2009. Documento em nome de AROLDO
FERNANDES DA LUZ. Alienado ao Banco Finasa. O documento do veículo está
acondicionado em uma capa/carteira porta documento na cor preta, aparentando ser
couro com o logotipo ELDORADO IMPORTS. Foi apreendido além da chave principal, a
chave reserva do veículo (ID. Num. 391496479 - Pág. 209 - autos n° 0014838-
32.2009.4.01.3600), de propriedade de AROLDO FERNANDES DA LUZ, ante a sua
absolvição nesta ação penal.

5.3. Determino o perdimento, em favor da União, de:

01- Do valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais) depositado na conta judicial (fls.
157 dos autos de petição criminal diversa n° 12332-44.2013.4.01.3600, decorrente da
arrematação de 01 (um) trator usado, marca Ford, modelo 6610, cor azul, que foi
apreendido pela Polícia Civil em decorrência de busca e apreensão na Operação
Maranello;

5.4. Decreto o perdimento, em favor da União, do gado que foi


apreendido na Fazenda Sete Irmãos, utilizado pela associação criminosa para dar
aparência de legalidade ao tráfico de drogas realizado na referida propriedade. Com
efeito, dispõe o artigo 91, inciso II do Código Penal c/c artigo 63, § 1° da Lei Federal
11.343/2006, que são efeitos da condenação, a perda em favor da União e revertido ao
Fundo Nacional Antidrogas – FUNAD, do produto do crime ou qualquer bem ou valor que
constitua proveito auferido pelo agente com a prática do fato criminoso. O gado adquirido
pela associação criminosa para dar aparência de “legalidade” de atividade rural na
fazenda arrendada para promover o narcotráfico internacional constituiu produto do crime
de tráfico de drogas, notadamente diante do Diálogo n° 501 (20/06/2009), em que
AROLDO FERNANDES DA LUZ conversou com EDÉSIO RIBEIRO NETO sobre a
situação na Fazenda Sete Irmãos, tendo em vista a deflagração da Operação da Polícia
Civil para apreender o carregamento da substância entorpecente. Na ocasião, AROLDO
revela sua preocupação com a possível apreensão do gado que estava na fazenda,
quando o próprio EDÉSIO sugeriu que AROLDO realizasse um contrato retroativo de
arrendamento do gado, para evitar a indisponibilidade, o que comprova, de fato, que
o gado não tinha nenhuma origem lícita, pois precisava fazer um contrato retroativo
falso para evitar a indisponibilidade e perdimento. A prova é consistente e recomenda o
perdimento do gado apreendido na Fazenda Sete Irmãos, porquanto figura como produto
de crime. Registro, ademais, que parte desse gado foi morreu ou foi furtado, conforme
consta da decisão de fls. 333/336 dos autos n° 0014954-38.2009.4.01.3600 (Número
antigo: 2009.36.00.014958-3) e o remanescente leiloado nos referidos autos, em duas
oportunidades, com arrematações de R$ 43.520,00 (quarenta e três mil, quinhentos e
vinte reais) e R$ 102.500,00 (cento e dois mil e quinhentos reais), cujos valores
determino o perdimento em favor da União, devendo ser convertido ao Fundo Nacional
Antidrogas – FUNAD.

5.5. Determino o levantamento do bloqueio judicial RENAJUD, em


relação aos veículos pertencentes aos acusados a seguir mencionados, em razão da
ausência de demonstração concreta do nexo de instrumentalidade entre a aquisição dos
veículos específicos com a prática do narcotráfico objeto desta ação penal:

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 195
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162
01- Fls. 192/194 dos autos de busca e apreensão n° 2009.36.00.011030-0,
do réu ADONAI NOVAES DE OLIVEIRA;

02- ID. Num. 391496479 - Pág. 183 dos autos 0014838-32.2009.4.01.3600,


do réu JACKSON LUIZ COSTA CONCEIÇÃO.

Condeno os réus ao pagamento das custas e despesas processuais,


conforme art. 6º e Tabela II, "a", ambos da Lei nº. 9.289/96.

Transitada em julgado, comunique-se ao INI (SINIC).

Publique-se. Registre-se. Intime-se.

Cuiabá/MT, data da assinatura digital.

PAULO CÉZAR ALVES SODRÉ

Juiz Federal

Assinado eletronicamente por: PAULO CEZAR ALVES SODRE - 23/08/2021 18:49:23 Num. 694615990 - Pág. 196
http://pje1g.trf1.jus.br:80/pje/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21082318492382400000687904162
Número do documento: 21082318492382400000687904162