Col ec t ânea das Car t as Mensai s

Gover nador Manuel Cor dei r o, D 1970, 2009-2010
capa.indd 1 13-12-2010 15:34:28
Governador Manuel
Cordeiro
2009 – 2010
JULHO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Companheiros rotários:
Segundo a tradição, cada presidente do Rotary International tem a oportunidade de escrever
uma mensagem mensal a todos os rotários. Sinto-me grato pela oportunidade de me comunicar
com cada um de vocês, pois acredito veementemente que O Futuro do Rotary Está em Suas
Mãos. É uma grande honra para mim ter sido escolhido como o primeiro presidente escocês do
RI e ter o privilégio de servir aos rotários. Pois não haveria RI, conselho director, sede mundial,
nem convenção internacional se não fossem as reuniões semanais dos rotários nos seus clu-
bes.
No Rotary, tudo o que somos e que queremos ser está nas mãos dos rotários e seus clubes.
Se os nossos clubes forem administrados eficazmente e as suas reuniões bem conduzidas, se
o serviço que prestamos for planeado com cuidado e executado com competência, se nossos
sócios forem qualificados, honestos e respeitados nas suas profissões e comunidades, o Rotary
vai prosperar. E é por isso que afirmo que O Futuro do Rotary Está em Suas Mãos.
Recursos hídricos, saúde, combate à fome e alfabetização serão algumas de nossas ênfa-
ses no próximo ano. Neste novo ano rotário, peço a rotários no mundo todo que continuem a
aprender com suas experiências. Que continuem a trabalhar pela saúde e bem-estar não só das
crianças, mas da humanidade. Peço-lhes que dediquem atenção especial a recursos hídricos
e saneamento básico, já que a falta de acesso a água potável é um problema cada vez mais
grave em muitas partes do mundo.
Existe um provérbio escocês de que gosto muito – We must look beyond our own parish
pump. Ele significa que devemos olhar além de nossa própria comunidade, não esquecendo
de que ela é apenas uma das diversas comunidades entre as milhares que compõem o mundo.
E em cada uma dessas comunidades há trabalho a fazer. Como rotários, não nos limitamos a
observar passivamente. Aceitamos nossa responsabilidade. Podemos, e devemos agir. Porque
sabemos que o Rotary é grandioso graças a seus clubes. E nossos clubes são grandiosos
graças a seus sócios.
O Futuro do Rotary Está em Suas Mãos.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
Vamos iniciar o ano rotário 2009 – 2010 em que serei Governador do nosso Distrito. Quando
aceitei esta tarefa fi-lo por devoção, ciente das dificuldades que irei encontrar, mas animado
pela vontade de contribuir para que o movimento rotário fosse cada vez mais actuante nas
várias áreas para que está vocacionado.
Tudo farei para ajudar os presidentes dos clubes a atingirem as Metas por eles traçadas. A
resposta que tenho tido dos vários clubes que já as estabeleceram tem sido muito para lá das
minhas expectativas. E não se esqueçam de que sou um optimista convicto. Estou certo de que
os clubes do nosso distrito vão encontrar soluções para reunir os fundos necessários para a
implementação dos seus projectos. Encorajá-los-ei a desenvolver projectos de índole local,
nacional e em países terceiros, em especial nos países de língua oficial portuguesa. Enquanto
governador vou propor alguns. O nosso Presidente John Kenny e esposa June, colocaram nas
nossas mãos o futuro de rotary. Vamos todos ajudá-los a cumprirem as suas metas pois se
assim for estarão criadas as condições necessárias para que o movimento rotário se fortaleça
e, em consequência, haverá muitas mais crianças com esperança no seu futuro.
Vamos concentrar as nossas energias na procura de criar condições para que as doações à
Rotary Foundation, Fundo Anual de Programas. Assim doaremos agora para utilizar mais tarde
na implementação de Projectos de Subsídios Equivalentes. Não nos esqueçamos de que os
objectivos de rotary não têm fronteiras. Vão até onde houver comunidades sem acesso à água
potável, aos bens alimentares que concedam dignidade à vida, aos que não têm acesso à edu-
cação e à saúde. Vamos dar muita atenção aos mais jovens.
Vamos aproveitar as suas ideias, a sua irreverência, a sua bondade, a sua capacidade de
trabalho e vamos ajudá-los a implementar os seus projectos. Uma palavra muito especial aos
cônjuges. A sua acção tem sido determinante para os clubes e para o Distrito. As suas activi-
dades são fruto de muita imaginação e grande generosidade. Contamos com eles para dar me-
lhores condições de aprendizagem e de saúde a crianças moçambicanas e para contribuirmos
para a erradicação da poliomielite. Vamos todos responder ao nosso Presidente John Kenny e
esposa June que o futuro de rotary no nosso Distrito está em boas mãos.
Muito obrigado,
Manuel Cordeiro
Transmissão de Tarefas
Manuel Cordeiro sucedeu a Henrique Maria Alves como Governador do Distrito rotário 1970
numa cerimónia de transmissão de tarefas que decorreu em Vila Real. Fixado no objectivo de
conseguir cada vez mais apoios para a Rotary Foundation e na implementação de projectos de
apoio às comunidades locais e de outros países, o novo responsável pela metade do país que
corresponde ao Distrito 1970 prometeu ainda dar muita atenção aos mais novos.
Manuel Martins, presidente da Câmara de Vila Real e Alexandre Chaves, Governador Civil,
testemunharam a transmissão de tarefas que serviu ainda para que Henrique Maria Alves pudesse
homenagear alguns clubes rotários que se distinguiram na sua missão de servir a comunidade.
Na cerimónia, que decorreu no dia 4 de Julho, marcaram presença sete clubes do Distrito 1960, 60
clubes do Distrito 1970 e um clube do Brasil, o Rio de Janeiro-Copacabana.
Intervenção de Manuel Cordeiro:
Vamos iniciar o ano rotário 2009 – 2010 em que serei Governador do nosso Distrito. Quando
aceitei esta tarefa fi-lo por devoção, ciente das dificuldades que irei encontrar, mas animado pela
vontade de contribuir para que o movimento rotário seja cada vez mais actuante nas várias áreas
para que está vocacionado.
È para mim e para a Maria Antónia muito honroso suceder ao companheiro Henrique e à Alzi-
ra. Deles só temos recebido bons conselhos que muito nos ajudarão a cumprir o nosso dever. A
ponderação e a sabedoria do Henrique, aliados à simpatia e bondade da Alzira, serão para nós
um exemplo a seguir.
Entrei para o R C de Vila Real em 2001. Fi-lo convicto de que entrava para um movimento que
me permitiria pôr ao serviço dos outros as minhas capacidades e a minha vontade de servir. Até
hoje estou consciente de que tenho servido o meu clube e o Distrito o melhor que posso e sei.
Tive a sorte de nascer numa aldeia bem no interior de Trás-os-Montes no seio de uma família de
muitos filhos, tradição que já vem de muito longe. Sou o quinto de sete irmãos. Dando cumprimento
a uma tradição familiar de vários séculos, os meus pais mandaram-me para o Seminário, primeiro
em Vinhais e depois em Bragança, onde estive durante 4 anos e onde apreendi valores que muito
me ajudaram a chegar até aqui.
Seguiu-se o Colégio Dom Diogo de Sousa em Braga e a FEUP no Porto. Desde os 10 anos
que me habituei a ser responsável pelos meus actos. Nunca fujo às minhas responsabilidades.
Assumo-as para o bem e para o mal. Do meu pai sempre eu e os meus irmãos ouvimos sempre
palavras de incentivo ao cumprimento dos nossos deveres de cidadão. Sempre nos disse que
fossemos bons profissionais, cumpridores dos nosssos deveres.
Da minha mãe herdei o optimismo permanente. Mesmo em momentos difíceis da sua vida,
consequência de problemas de saúde, sempre teve forças para vencer as dificuldades com que
se deparou e que duraram alguns anos. Oxalá tivesse herdado a sua generosidade, a sua bon-
dade, o seu amor ao próximo, a sua permanente disponibilidade para ajudar quem mais precisa.
Habituei-me desde pequeno a que a nossa casa fosse a casa de acolhimento dos pobres que pela
aldeia passavam. E eram muitos. Havia sempre comida e dormida para todos. Dizer isto é a melhor
homenagem que eu lhe posso prestar.
Iniciei a vida profissional no Ensino Preparatório, passando ao Secundário e terminando no
Superior onde me encontro há 28 anos. Foi na UTAD, onde nos encontramos, que me fiz homem.
Aqui tive oportunidade de fazer um percurso profissional que terminou na posição que hoje tenho
e que muito me orgulha.
Feitas estas considerações vou falar da minha condição de rotário. Correspondendo ao apelo
do meu clube aceitei ser candidato a Governador do Distrito 1970 para o ano 2009-2010, tendo
merecido a confiança da Comissão de Indicação.
Como Governador do Distrito 1970, tudo farei para ajudar os presidentes dos clubes a atingirem
as Metas por eles traçadas. A resposta que tenho tido dos vários clubes que já as estabeleceram
tem sido muito para lá das minhas expectativas. E não se esqueçam de que sou um optimista con-
victo. Estou certo de que os clubes do nosso distrito vão encontrar soluções para reunir os fundos
necessários para a implementação dos seus projectos. Encorajá-los-ei a desenvolver projectos
de índole local, nacional e em países terceiros, em especial nos países de língua oficial portugue-
sa. Podem contar com o meu apoio.
O nosso Presidente John Kenny e esposa June, colocaram nas nossas mãos o futuro de rotary.
Vamos todos ajudá-los a cumprirem as suas metas pois se assim for estarão criadas as condições
necessárias para que o movimento rotário se fortaleça e, em consequência, haverá muitas mais
crianças com esperança no seu futuro.
Transmissão de Tarefas
Transmissão de Tarefas
Vamos concentrar as nossas energias na procura de apoios para a Rotary Foundation, Fundo
Anual de Programas. Assim doaremos agora para utilizar depois.
A implementação de Projectos de Subsídios Equivalentes, tanto de apoio às comunidades
locais como às comunidades de países terceiros, devem ser um objectivo sempre presente no
dia a dia dos clubes. Não nos esqueçamos de que os objectivos de rotary não têm fronteiras. Vão
até onde houver comunidades sem acesso à água potável, aos bens alimentares que concedam
dignidade à vida, aos que não têm acesso à educação e à saúde.
Vamos dar muita atenção aos mais jovens. Aproveitaremos as suas ideias, a sua irreverência,
a sua bondade, a sua capacidade de trabalho e ajudá-los-emos a implementar os seus projectos.
Se tivermos jovens motivados, temos potenciais membros do nosso Distrito. É necessário chamá-
los para os clubes, mostrar-lhes como é importante ser rotário no mundo global em que vivemos
e onde as desigualdades sociais são tão grandes. Como é diferente nascer em Portugal ou em
Timor, nos Estados Unidos ou no Vietname. Mostremos-lhes como podem ser úteis na criação de
uma sociedade menos injusta e mais tolerante.
No Sábado passado, em Santo Tirso, tive o privilégio de assistir à transmissão de tarefas
dos representantes distritais do ROCTARACT e INTERACT onde estavam 110 pessoas e, mais
importante, estavam representados a maioria dos clubes do Distrito. Foi uma demonstração de
vitalidade que registo com agrado.
Saúdo vivamente os companheiros Marco Abrantes e Nuno Moreira, que saíram, e as compa-
nheiras Ângela e Iolanda que os substituíram. O excelente trabalho dos representantes cessantes,
vai ter continuidade com as representantes entrantes. O que vi enche-me de orgulho. Tenho muita
confiança nas capacidades e no espírito de iniciativa das companheiras Ângela e Iolanda.
Saúdo os elementos da Equipa Distrital aqui presentes e os que, desejando estar, não puderam
estar. Vamos remar todos em conjunto para assim atingirmos os objectivos a que propusemos.
Aos governadores que me antecederam quero garantir-lhes que farei o meu melhor. Vou honrar
o passado do nosso distrito quando a eles competiram as mesmas tarefas que vou desempe-
nhar.
Uma palavra muito especial aos cônjuges. A sua acção tem sido determinante para os clubes e
para o Distrito. As suas actividades são fruto de muito trabalho, muito carinho, muita imaginação,
e grande generosidade. Motivação não lhes falta. Conto com a simpatia natural da Maria Antónia
para os cativar e os interessar pelos projectos que ela escolheu. Um para ajudar na erradicação
do pólio. Outro no âmbito da educação de crianças, fruto da sua sensibilidade para com o tema
da educação dos mais jovens. Para um e para outro contamos com o apoio dos cônjuges de todos
os nossos clubes.
O primeiro terá como base um livro que terá como título Destinos Cruzados, escrito por uma
escritora brasileira por solicitação da Maria Antónia feita ao Dr Alexandre Parafita, funcionário da
UTAD e escritor bem conhecido no âmbito da literatura infantil. Sobre o conteúdo apenas vos digo
que os protagonistas são duas crianças.
O segundo terá como público-alvo crianças de várias aldeias no interior de Moçambique, zona
do Niassa. Trata-se de Escolas Comunitárias em que a população é corresponsável na sua cons-
trução e manutenção. São projectos com continuidade assegurada.
O terceiro terá como objectivo a realização de desejos de crianças internadas no IPO.
Também temos que procurar conhecer os problemas que existem no nosso país. No entanto,
em minha opinião, os nossos clubes já estão muito sensibilizados para o apoio às populações
desfavorecidas das áreas onde estão inseridos. São muitos os projectos que desenvolvem ao
longo do ano rotário. No D 1970 temos muitos casos de concessão de bolsas e prémios escolares
a estudantes, de oferta de medicamentos, roupa e produtos alimentares.
Saúdo a presença dos companheiros e respectivos cônjuges do Distrito 1960. Muito obrigado
pela Vossa presença.
Uma palavra especial para a Fundação Rotária Portuguesa na pessoa do companheiro Fre-
derico Nascimento. As bolsas de estudo que tem oferecido são uma das muitas provas da sua
importância.
Saúdo a presença do Dr. Alexandre Chaves Governador Civil do Distrito de Vila Real.
Quero saudar a presença do Dr. Manuel Martins, Presidente da Câmara Municipal de Vila Real,
um amigo do meu clube e que connosco tem colaborado sempre que para isso é solicitado. Esten-
do esta saudação a todos os Responsáveis autárquicos das localidades onde há Rotary Clubes.
Tenhamos em conta que há objectivos comuns entre nós. Hoje, mais que nunca, as autarquias
substituem o Estado no apoio social aos seus munícipes. Com objectivos comuns é fácil concreti-
zar projectos que de outro modo ficariam apenas no papel.
Ao companheiro Mário e à Anabela, responsáveis pela condução do Distrito 1960 em simultâ-
neo connosco, desejo-lhes, em meu nome e no da Maria Antónia, as maiores felicidades. Podem
contar connosco.
Eu e Maria António prometemos muito empenho, muita dedicação e todo o nosso saber no de-
sempenho das funções que nos foram confiadas.
Contem comigo para as soluções dos problemas e nunca para a sua criação. Eles aparecerão
mesmo contra a nossa vontade. Em contrapartida peço a Vossa compreensão para as minhas
falhas. Sei que tenho muito que aprender. E quero aprender.
Vamos todos prometer ao nosso Presidente John Kenny e esposa June que o futuro de rotary
no nosso Distrito está em boas mãos.
Muito obrigado.
Transmissão de Tarefas
Recém-chegado à Governadoria do Distrito 1970, Manuel Cor-
deiro acedeu a responder a algumas questões sobre os principais
desafios que o esperam durante o próximo ano.
O que podem os rotários do Distrito esperar do Governador
neste novo ano?
No ano 2009 – 2010 que agora se inicia, os rotários do Dis-
trito 1970 podem esperar de mim todo o empenho e motivação
para presidir aos destinos do distrito a que pertencem. Tudo farei
para corresponder à confiança que em mim depositaram para os
conduzir na tarefa de tornar o Distrito ainda mais actuante e con-
sequente na prossecução dos objectivos gerais que presidem ao
movimento onde militamos voluntariamente, mas com um sentido
de responsabilidade muito grande para, assim, honrarmos o nos-
so fundador Paul Harris.
GOVERNADOR MANUEL CORDEIRO
Os mais desfavorecidos necessitam que o movimento rotário
tenha um futuro ainda melhor
O que destaca do plano de actividades para este ano?
O Plano de Actividades que apresentei nos vários momentos de formação da Equipa Distrital,
é um conjunto de propostas que propus aos Conselhos Directores para desenvolverem junto das
suas comunidades e comunidades terceiras. Há cinco vectores que considero muito importantes
e aos quais darei a máximo atenção: as CIPS, os jovens, a procura de parcerias com instituições,
públicas ou privadas, que comunguem dos mesmos objectivos, o fortalecimento da Rotary Fouda-
tion e a imagem de rotary. Se conseguir motivar os rotários do nosso Distrito para a importância
que estes objectivos têm para que os nossos clubes sejam mais eficazes na procura e na imple-
mentação das suas actividades, certamente chegarei ao fim do ano rotário com a consciência
tranquila pois isso significará que os objectivos que tracei foram realistas.
Pela primeira vez o Distrito vai organizar um Encontro de Rotary Kids que, até agora, era orga-
nizado conjuntamente com o ROCTARACT e INTERACT. Esta opção tem a ver com a especificida-
de própria da idade dos seus elementos. Parece-me mais eficaz esta metodologia.
O Distrito deve discutir, também, os problemas que enfrenta a sociedade portuguesa. Um des-
ses problemas, sem dúvida dos mais visíveis, é a interioridade. Para a discutir o Distrito organizará
um Encontro que terá lugar em Mogadouro, no Trás-os-Montes profundo. Espero que seja um bom
contributo para melhorar a imagem de rotary junto das comunidades locais.
O Lema para este ano é “o futuro de rotary está em suas mãos”. Como pretende contribuir para
que seja uma realidade?
O nosso Presidente John Kenny foi muito feliz na escolha do tema. É imperioso que se criem
condições para que esta centenária instituição crie condições no presente para honrar o seu pas-
sado e projectar o futuro. Os mais desfavorecidos necessitam que o movimento rotário tenha um
futuro ainda melhor que o seu passado pois sabem que, se assim for, têm sempre uma mão amiga
que os ajudará.
A contribuição do D 1970 será materializada na aposta nos mais jovens, apoiando as suas ini-
ciativas e incentivando-os a tornarem-se rotários activos, pois assim contribuem duplamente para
o fortalecimento do movimento rotário, aumentando o seu quadro social e implementado projectos
junto das comunidades.
Qual acredita ser a principal dificuldade do Distrito neste momento?
O Distrito 1970 compreende 85 clubes espalhados por uma região que vai de Leiria até Valença
e daqui até Bragança. Desde logo esta dispersão e um tão elevado número de clubes exige um
esforço muito grande ao Governador e à sua esposa. Se estes forem do interior, como é o nosso
caso, terão que percorrer cerca de 22000 km, só nas Visitas Oficiais.
No entanto, esta não é, em minha opinião, a maior dificuldade. Essa tem a ver com o Quadro So-
cial e a desmotivação que muitos rotários sentem nos seus clubes. É necessário tornar os clubes
mais atractivos, fazer reuniões mais interessantes e, muito importante na minha opinião, alterar a
atitude perante cada momento.
Todos somos úteis aos nossos clubes em todas as fases da nossa vida. É importante que
saibamos pôr à sua disposição o nosso saber, a nossa experiência, o nosso tempo livre. Enfim
é fundamental que sintamos orgulho em ser rotários pois se assim for, muito faremos para que o
futuro de rotary seja risonho.
E qual a principal vantagem que o pode fortalecer?
A força, a determinação, o empenho, a perseverança e uma atitude sempre positiva são as qua-
lidades que eu penso que um rotário verdadeiramente activo deve ter. Felizmente temos muitos no
nosso Distrito que reúnem todas estas qualidades. Estão espalhados pelos nossos clubes. È ne-
cessário tornar o seu trabalho conhecido para que o seu exemplo se espalhe. Tenho feito algumas
acções nesse sentido. Pretendo fazer ainda mais para dar visibilidade aos bons projectos que os
nossos clubes implementam. Estou certo de que assim eles se disseminarão.
Termino deixando uma palavra de incentivo. Vamos identificar os problemas, estudar as solu-
ções e procurar os meios para que as boas ideias se tornem bons projectos e estes contribuam
para a melhoria das condições de saúde, alimentação e educação das crianças mais desfavore-
cidas das comunidades locais e de países terceiros. Se assim fizermos podemos afirmar, convic-
tamente, que, no nosso Distrito, o futuro de rotary está assegurado.
O meu bem-haja a todos os Presidentes e restantes membros dos vários clubes do Distrito. Va-
mos à luta. Dignifiquemos os nossos clubes, assim dignificaremos o nosso Distrito e o movimento
rotário.
METAS DO DISTRITO 1970
Vamos começar um novo ano em Rotary. Nova vida, novos dirigentes, uma renovação sempre
bem vinda no movimento rotário. É habitual serem estabelecidas Metas do Distrito, mas as que vos
proponho não serão mais que o somatório das que os companheiros como Presidentes possam
implementar nos clubes. O que se segue não são mais que lembranças que podem servir de base
para o Plano de Actividades dos Conselhos Directores para apresentação no Clube:
1. DESENVOLVIMENTO DO QUADRO SOCIAL
- Aumento real de pelo menos um sócio por clube
- Índice de retenção de 80%
- Fundação de pelo menos um novo clube por distrito
O alcance dessas metas é essencial à continuidade dos serviços oferecidos pelo Rotary. Actu-
almente, não podemos nem mesmo manter nosso nível de prestação de serviços sem um aumento
considerável de novos rotários nos clubes, bem como de novos clubes nos distritos. Precisamos
também reter os actuais sócios, especialmente os recém-adquiridos e os mais jovens.
2. ROTARY FOUNDATION (FUNDAÇÃO ROTÁRIA DE ROTARY INTERNACIONAL)
- Contribuir para a erradicação da Pólio
- Ajudar a Rotary Foundation a construir um mundo melhor dando destaque a:
- Paz e prevenção e resolução de conflitos
- Prevenção e tratamento de doenças
- Recursos hídricos e saneamento
- Saúde materno-infantil
- Educação básica e alfabetização
- Desenvolvimento económico e comunitário
- Conseguir, no mínimo 1 Paul Harris por Clube e por ano de modo a angariar 85 000 Dólares
para o Fundo Anual de Programas
- Apresentar candidaturas para Projectos de Subsídios Equivalentes na área da educação,
apoio social e cuidados de saúde.
- Apresentar candidaturas a uma Bolsa Rotary pela Paz Mundial e/ou
Bolsa Educacional da Rotary Foundation.
- Apresentar candidaturas ao IGE (Intercâmbio de Grupos de Estudos)
3. ESTRUTURAÇÃO DOS CLUBES COM APLICAÇÃO DO PLANO DE LIDERANÇA (PLC).
Incentivar os clubes a a aderir ao PLC.
4. PROMOVER A IMAGEM DE ROTARY
-Dar visibilidade e promover a imagem do distrito junto da Comunidade.
- Estabelecimento de projectos, mensuráveis, realizáveis e com impacto a médio e a longo
prazo na comunidade.
- Promover parcerias com instituições credíveis no apoio às necessidades básicas da comu-
nidade local.
5. DIVULGAR E APOIAR TODOS OS PROJECTOS DE ÂMBITO DISTRITAL
6. COLABORAÇÃO COM A NOSSA FUNDAÇÃO ROTÁRIA PORTUGUESA
- Angariação de bolsas patrocinadas
- Conseguir Subscritores de Mérito
- No dia do aniversário cada companheiro enviar um donativo (1€ por cada ano)
AGOSTO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros rotários:
É importante termos sempre em mente que o Rotary é uma organização formada por vo-
luntários, líderes nos seus campos de actuação. Ao me dirigir a essas pessoas, nunca achei
apropriado fazer exigências. Todo o Rotary Club é, e deve continuar a ser autónomo. O Rotary
Internacional existe não para controlar, mas para motivar e guiar os rotários.
Sendo assim, quando no Rotary falamos sobre a importância do quadro social, acredito que
devemos ter em mente que a experiência primordial para a grande maioria em termos de Rotary
é o clube, com as suas reuniões, projectos e companheirismo.
Quando Paul Harris fundou o primeiro Rotary Club há 104 anos atrás, ele não pensou inicial-
mente em prestar serviços. Em vez disso, pensou num local onde pessoas de bom carácter, in-
teligentes e éticas pudessem desfrutar da companhia de pessoas afins. A prestação de serviços
veio depois, com o crescimento natural do Rotary.
Todo o bom rotário que acredita e segue os valores centrais do Rotary fortalece o clube,
tornando-o mais atraente para outras pessoas. Se trouxermos pessoas erradas ao clube o efei-
to pode ser totalmente inverso. Rotários são e devem ser pessoas de gabarito e idóneas, com
capacidade de alcançar grandes feitos, com sabedoria e força de carácter para guiar todas as
suas acções com honestidade e competência.
Acredito que a melhor forma de trazer novos sócios ao Rotary é como temos feito há tempos:
O rotário convida um amigo, colega ou cliente escolhido a dedo para uma reunião, e se der cer-
to o sócio apresenta o seu convidado para se associar ao clube. É assim que os nossos clubes
permanecem harmoniosos; esta é a maneira de os novos clubes passarem a celebrar inúmeros
aniversários e os novos sócios tornam-se rotários para a vida toda.
Os desafios que enfrentamos hoje em dia com o quadro social são consideráveis e de certa
forma novos. Não há como ignorar as dificuldades impostas pela situação financeira actual.
Nas palavras de Henry Ford: “Se dinheiro é a sua esperança de independência, você jamais a
terá. A única segurança real que o homem pode ter neste mundo é o conhecimento e a capa-
cidade de trabalho”. Contanto que todos nós façamos o nosso trabalho, e trouxermos novos
sócios de forma cautelosa, nós no Rotary não precisaremos ir atrás desta segurança.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
O mês de Julho terminou. Eu e a Maria Antónia fizemos as primeiras visitas oficiais. A ami-
zade que sentimos nos clubes que visitámos, quer por parte das companheiras e companheiros
quer por parte dos cônjuges, vai funcionar como um catalisador para as próximas visitas. Sem
dúvida que foram excedidas as nossas expectativas. Em cada visita temos feito novas amigas
e novos amigos. Temos sido acompanhados por muitas companheiras, muitos companheiros
e cônjuges. Consideramos a sua presença como uma demonstração da consideração que por
nós têm. Não vamos desiludi-los. Tudo faremos para corresponder às expectativas que em nós
depositaram.
Temo-nos apresentado como amigos. Governador é um rotário como qualquer outro. A di-
ferença é que numa fase da sua vida assume a responsabilidade da condução do distrito, em
representação do nosso Presidente, este ano John Kenny. Os nossos clubes podem estar certos
de que têm um amigo no seu governador.
Apesar de muitos irdes para férias, bem merecidas certamente, peço-vos que não esqueçais
que sois rotários. Onde quer que estejais, tendes a responsabilidade inerente a essa condição.
Aproveitai para fazer visitas a outros clubes. Como sabeis não precisamos de ser convidados
para participar nas suas reuniões, dentro ou fora do País.
Rotary International dedica o mês de Agosto ao Quadro Social. Mais e bons rotários são
essenciais para que Rotary seja mais forte. Se assim for, os mais desfavorecidos sairão bene-
ficiados.
Faço votos para que as férias vos proporcionem o descanso merecido e suficiente para que,
no regresso ao trabalho, venhais com mais vontade de servir os que mais necessitam. Rotary
agradece-vos.
Até Setembro, se Deus quiser.
Manuel Cordeiro
MENSAGEM DA MARIA ANTÓNIA
Queridas(os) amigas(os)
Só na carta do mês de Agosto é que vos estou a dirigir as primeiras palavras, pois já queria
dizer-vos algo sobre a experiência que estou a viver.
Já fizemos visitas a oito clubes e em todos eles fomos recebidos com extrema simpatia e
amizade. Parecia que há muito nos conhecíamos!
É muito reconfortante para mim ver o entusiasmo com que os cônjuges abraçam os meus
projectos e como se propõem ajudar-me a concretizá-los.
Penso que todas(os) juntos conseguiremos levar o barco a bom termo e sentirmos a consci-
ência do dever cumprido.
As amizades que farei em todo o distrito serão uma dádiva que perdurará para toda a vida.
Muito obrigada. O Futuro de Rotary também está nas nossas mãos.
Um abraço da,
Maria Antónia
REPRESENTANTE DISTRITAL DE ROTARACT
Durante o mês de Julho os clubes rotaractistas do Distrito 1970 mostraram bem o seu dinamis-
mo, e não se deixaram seduzir pelo prenúncio de férias, mantendo activo o seu espírito de Serviço
pelo Companheirismo. De Penafiel a Ansião, de Famalicão a Estarreja, muitos são os que preten-
dem afirmar de viva voz que o futuro de Rotary e também da Humanidade está nas mãos deles.
Ainda durante a Transmissão de Tarefas Distrital de Representantes, foi possível testemunhar
o empenho das Novas Gerações, com a presença de inúmeros clubes numa Assembleia de Pre-
paração de Líderes muito concorrida, e com obtenção de um valor total de 380 euros de donativos
(a serem distribuídos pela Fundação Rotária Portuguesa e pelo desafio de erradicação da Polio,
da Rotary Foundation).
Julho foi também o mês em que a Representante Distrital de Rotaract, Ângela Barros, teve opor-
tunidade de pela primeira vez em exercício de funções visitar alguns clubes do Distrito e conhecer
as suas actividades. No dia 19, esteve presente em actividades de divulgação dos Rotaract Clubs
de Póvoa de Varzim e da Trofa, na Feira da Solidariedade e na Trofa Aposta Jovem, respectiva-
mente. O fim-de-semana seguinte, foi também preenchido por plenos momentos de companheiris-
mo, como o excelente Passeio de Moliceiro do Rotaract Club de Estarreja, no dia 25, e no dia 26
a I Caminhada contra a Fome, pensada e executada pelo Rotaract Club de Felgueiras, e também
pelos outros clubes da família rotária da comunidade, que sensibilizou a população da sua cidade
para esta problemática tão grave. Julho foi ainda o mês em que a expressão rotaractista do Distri-
to 1970 se expandiu, com a criação de um novo clube, o Rotaract Club de Ansião, que junta cerca
de 20 novos companheiros, todos eles empenhados, pelas palavras da presidente Companheira
Rita Sardinha, em dar o seu melhor ao serviço da comunidade e do movimento.
Os jovens rotaractistas do distrito estão activos. Neste início de ano rotário, muitos são os
projectos e iniciativas a que se propõem para os próximos meses: actividades de companheiris-
mo que reforcem os laços de amizade e permitam um aumento efectivo do quadro social e, logo,
maior capacidade de intervenção; estabelecimento de parcerias concretas com outras entidades
das comunidades em que se inserem; abertura às comunidades através da promoção de pales-
tras; realização de rastreios de saúde; recolha de bens essenciais para crianças; interacção com
idosos em actividades de ocupação de tempos livres… São muitas as tarefas a que os clubes de
Rotaract se propõem, mas todos eles estão certos que ao longo do ano, com o apoio dos clubes
patrocinadores e, em muitos dos casos, de Interact e Rotary Kids Clubs locais, os sonhos que
querem alcançar tornar-se-ão reais!
Ângela Ferreira
Representante Distrital de ROCTARACT
REPRESENTANTE DISTRITAL DE INTERACT
O mês de Julho marca o início do ano rotário, e para o Interact não poderia ter começado da
melhor maneira, com uma Transmissão de Tarefas de Representantes repleta de emoções e com
a presença de cerca de 90% dos clubes de Interact do Distrito 1970, mostrando realmente não só o
espírito de união mas acima de tudo a amizade que une cada um dos interactistas do Distrito.
Foi também um mês repleto de actividades em todos os clubes, tendo a Representadoria Dis-
trital de Interact esforçando-se para estar junto a todos, desde a presença na Transmissão de
Tarefas em Famalicão, à deslocação a Valença na tentativa de acompanhar o Interact Club local,
a presença na Feira da Juventude na Trofa, acompanhando a Companheira Ângela Barros na sua
visita ao Rotaract Club da Trofa, a presença no Passeio de Moliceiro organizado pelo Rotaract
Club de Estarreja, e por último, e terminando o mês com chave de ouro, a presença na I Caminhada
Contra a Fome e a Transmissão de Tarefas dos clubes de Felgueiras.
Com Agosto, aproxima-se uma temporada em que os clubes de Interact abrandam o ritmo das
suas actividades. O espírito com se iniciou o ano vai contudo continuar a fazer-se notar, estando
agendadas para este mês de Agosto jornadas de companheirismo na praia com os clubes. Não
poderia ter começado da melhor maneira, sempre imbuído do espírito que se espere que acompa-
nhe este ano rotário, marcado pela mascote, o ITC - Interajuda, Trabalho e Companheirismo.
Iolanda
Representante Distrital de INTERACT
Ȉ- eucoutno oe nottnv kios
O 1º Encontro de Rotary Kids vai realizar-se em Santo Tirso. A organização está a cargo da
companheira Isabel Machado, que preside ao RC de Santo Tirso durante este ano rotário. Com
este encontro pretendo mostrar a importância que têm para mim os jovens. A acção da Comissão
das Novas Gerações foi decisiva para que o encontro acontecesse.
Faço um apelo a todos os Rotary Clubes que têm em actividade ou pretendam formar um Clube
Rotary Kids que entrem em contacto com a companheira Isabel e compareçam em força em Santo
Tirso.
Manuel Cordeiro
SEMINÁRIO DE DESENVOLVIMENTO DO QUADRO SOCIAL
RETENÇÃO E EXPANSÃO
O QUADRO SOCIAL E O FUTURO DE ROTARY
Maia, 19 de Setembro de 2009
Local do Seminário: a designar
Horário: 14H00 – 18H15
13H45 - Recepção
14H00 - SESSÃO DE ABERTURA
Comp. Joaquim Guedes - Presidente do RC da Maia
Comp. Manuel Cordeiro - Governador do Distrito 1970
1º PAINEL: DESENVOLVIMENTO DO QUADRO SOCIAL DE ROTARY
14H15 - Introdução: A importância do Desenvolvimento do Quadro Social, estratégias e objectivos
do Seminário
Comp. Valdemar Sá – RRMC
14H35 - A Evolução do Quadro Social no Distrito 1970. Metas distritais 2009-2010.
Comp. Santos Bento, Presidente da Comissão Distrital de Desenvolvimento do Quadro Social
14H55: O Crescimento do D 1970 na perspectiva da criação de um 3º Distrito em Portugal
Comp. Fernando Ferreira Pinto, Presidente da Comissão Distrital de Expansão
15H15: DEBATE: Moderador comp. Bernardino Pereira - GD 2007-08
15H45 - INTERVALO
2º. Painel: O QUADRO SOCIAL DE ROTARY E A JUVENTUDE
16H00 - Os Clubes Rotários e a actividade dos Clubes ROTARACT, INTERACT e ROTARY KIDS
Compª Isabel Machado, Presidente do RC de Santo Tirso
16H15 - Como Devem os Clubes Rotários Apoiar os Clubes INTERACT?
Como Formar e Manter um Clube INTERACT?
Compª Iolanda, Representante Distrital do INTERACT
16H25 - Como Devem os Clubes Rotários Apoiar os Clubes ROTARACT? Como Formar e Manter
um Clube ROTARACT?
Companheira Ângela, Representante Distrital do ROTARACT
16H35 – DEBATE: Moderador: comp. António Lereno, Presidente da Comissão Distrital de Novas
Gerações
17H05: INTERVALO
17H15: Plano de Liderança dos Clubes
Comp. Diamantino Gomes, Instrutor Distrital
17H20: A COMUNIDADE, OS CLUBES ROTÁRIOS E O FUTURO DE ROTARY
Comp. José Augusto Macedo, R C Régua
17H40: DEBATE: Moderador: comp. Diamantino Gomes – Gov 2004-05
18H00: CONCLUSÕES
Comp. Armindo Carolino, Governador Eleito 2009-2010
VOG Porto-Antas
Porto-Antas vai aumentar Quadro Social
No dia 7 de Julho, o Governador Manuel Cor-
deiro fez a sua primeira Visita Oficial. Cumprindo
a tradição, foi o Porto-Antas, Clube do anterior
Governador Henrique Maria Alves, que recebeu a
nova Governadoria, numa visita onde foram abor-
dadas as principais realizações de um Clube que
pretende, a curto prazo, aumentar o seu Quadro
Social com mais dois companheiros.
O Clube Porto-Antas, cujo presidente é Fausto
Magalhães, apoia uma casa de protecção de me-
nores em risco, colabora com a Junta de Fregue-
sia do Bonfim em acções várias (de que é exemplo
a compra de uma cama articulada), tem projectos
no âmbito da cidade da ciência com os restantes
clubes do Porto (nomeadamente na realização
de palestras) e atribui anualmente cinco prémios
aos melhores alunos. Durante a visita e respectiva
reunião com o Conselho Director, Manuel Cordei-
ro teve acesso a estes e outros projectos. O Clu-
be pretende doar 2000 USD à Rotary Foundation
e anualmente contribui para a Fundação Rotária
Portuguesa.
Na visita estiveram presentes o recém-criado
Clube de Águas Santas – Pedrouços e o Clube Afi-
lhado Porto Portucale, assim como os de Gondo-
mar, São Mamede de Infesta, Vila Nova de Gaia,
Senhora da Hora e Porto Foz. Para além do Gover-
nador Assistente, companheiro Higino, estiveram
presentes os Governadores Assistentes Teresi-
nha Fraga, Manuel Jerónimo e Ernesto Oliveira.
No seu discurso Manuel Cordeiro lembrou pala-
vras de John Kenny: “Na sua mensagem faz-nos
um pedido que eu partilho. Diz ele que devemos
olhar para além da nossa própria comunidade, não
esquecendo de que ela é apenas uma das diver-
sas comunidades entre as milhares que compõem
o mundo. E em cada uma dessas comunidades há
trabalho a fazer. Como rotários, não nos limitamos
a observar passivamente. Aceitamos a nossa res-
ponsabilidade. Podemos, e devemos agir”.
VOG Trancoso
Trancoso pretende instalar Universidade Sénior
Trancoso, com o presidente António Sar-
mento, recebeu a Visita Oficial do Governador
no dia 8 de Julho. Manuel Cordeiro teve opor-
tunidade de conhecer a Escola Profissional de
Trancoso, cujo responsável é sócio do Clube e
com a qual têm fortes ligações.
Mantendo uma estreita colaboração com a
Cãmara Municipal, o Rotary Club de Trancoso
tem muitos projectos de apoio à comunidade
local, dos quais se destacam a atribuição de
bolsas de estudo, o rastreio de diabetes em
Trancoso e na Meda (todos os projectos são
comuns às duas terras) ou a doação de cadei-
ras de roda, roupa e alimentos.
O Clube de Trancoso pretende instalar uma
Universidade Sénior no concelho, e já este
ano pretende organizar um RYLA com o tema
“Trancoso com História”. Tem como padrinho o
Clube de Mangualde e como afilhado o Clube
de Bragança.
Com um Quadro Social a crescer, mantêm 31
companheiros e pretendem admitir pelo menos
mais um. O Clube pretende doar mil dólares
à Rotary Foundation e têm contribuído anual-
mente para a Fundação Rotária Portuguesa.
Manuel Cordeiro, no seu discurso, lembrou
as ênfases presidenciais: “Como todos sabem
todos os anos o Presidente de Rotary Interna-
tional elege algumas áreas para as quais pede
a nossa maior atenção. São as chamadas Ên-
fases Presidenciais.
Para dar continuidade ao trabalho desen-
volvido no ano anterior, John Kenny escolheu
as mesmas. Assim todos os clubes do nosso
distrito devem concentrar o seu trabalho nos
Recursos Hídricos, no acesso à saúde, no com-
bate à fome e na alfabetização.
Cito de novo o nosso Presidente que na sua
mensagem pede aos rotários de todo o mundo
que continuem a aprender com as suas expe-
riências: “Que continuem a trabalhar pela saú-
de e bem-estar não só das crianças, mas da
humanidade. Peço-lhes que dediquem atenção
especial aos recursos hídricos e saneamento
básico, já que a falta de acesso a água potável
é um problema cada vez mais grave em muitas
partes do mundo”.
VOG Seia
Clube de Seia tem colaboração importante com autarquia
Seia recebeu a Visita Oficial do Governador Manuel Cordeiro no dia 14 de Julho, levando-o
a conhecer o Museu Etnográfico do Rancho Folclórico de Seia, instituição com a qual o Clube
colabora.
O Rotary Club de Seia, com o presidente Nuno Silva, demonstrou ter uma colaboração muito
estreita com a Câmara Municipal, da qual têm surgido muitas acções válidas. O Clube tem ainda
muitos outros projectos, que deram a conhecer ao Governador 2009/2010: colaboração com uma
IPSS local na partilha de informação sobre pessoas necessitadas; parceria com a Câmara na
área ambiental, na plantação de árvores, projecto no qual colaboram duas escolas; actividades
para angariações de fundos no sentido de ajudarem instituições de solidariedade que acolhem
crianças, como a Casa de Santa Isabel e o Solar do Mimo; tem um banco de cadeiras de rodas;
colabora na organização do Seminário Aqua Nostra e atribuem bolsas de estudo regularmente.
O Clube de Seia pretende admitir pelo menos dois novos companheiros, doar mil USD à Rotary
Foundation e anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa.
Na Visita Oficial do Governador marcaram presença o Governador Assistente José Campos
Cruz, o Clube Padrinho de Viseu, assim como os clubes de Mangualde, Guarda, Covilhã e Oliveira
do Hospital.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou a Seminário de Desenvolvimento do Quadro Social:
“Para que os nossos clubes tenham cada vez mais e melhores sócios, vamos realizar no próximo
dia 19 de Setembro, no R C da Maia, o Seminário do Desenvolvimento Quadro Social. Será uma
boa oportunidade para trocarmos experiências e contribuirmos para que os nossos clubes sejam
cada vez mais eficazes. Peço-vos que assinaleis na vossa agenda este evento distrital. Conto
com a presença de todos vós”.
VOG Covilhã
Covilhã quer organizar um RYLA
No dia 15 de Julho o Governador Manuel Cordeiro foi até á Covilhã para mais uma Visita Oficial,
que contou com uma passagem pelo Museu dos Lanifícios. Apercebendo-se da estreita relação
que o Clube , liderado pelo presidente Vasco Lino, mantém com a Câmara Municipal, o Governador
pôde ainda ter conhecimento de vários projectos que o Clube tem em desenvolvimento: apoio ao
banco alimentar contra a fome, distinção do melhor aluno do Curso de Gestão da Universidade
da Beira Interior, colaboração com a Câmara Municipal na organização de um concurso de ins-
trumentos de cordas, apoio a estudantes carenciados, colaboração na organização do Seminário
Aqua Nostra, entre outros.
O Clube da Covilhã, padrinho de um Clube no Distrito 1960, o de Castelo Branco, mostrou in-
teresse em organizar um RYLA num futuro próximo, assim como admitir, pelo menos, três novos
companheiros. À Rotary Foundation pretendem doar o que conseguirem mas têm feito todos os
anos doações à Fundação Rotária Portuguesa.
Estiveram presentes os Clubes Padrinho e Afilhado, Viseu e Castelo Branco, assim como os
clubes de Mangualde, Guarda, Oliveira do Hospital e Seia. A Governadora Assistente, Maria de
Lurdes Lopes, também esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou as palavras do Presidente: “Na Mensagem do mês de
Julho do nosso Presidente John Kenny, retirei algumas afirmações que me parecem interessantes.
Logo no primeiro parágrafo realça a importância que têm as reuniões normais dos clubes pois, diz
ele, não haveria RI, conselho director, sede mundial, nem convenção internacional se não fossem
as reuniões semanais dos rotários nos seus clubes. Várias vezes tenho dito que é necessário
que os nossos clubes façam reuniões atractivas, onde se discutam os problemas das nossas co-
munidades e de comunidades terceiras. Rotary deve ser acção. Só assim fizermos estaremos na
vanguarda dos movimentos que, como nós, se interessam pelos mais necessitados”.
VOG Ovar
Governador visita instituição criada pelo
Clube de Ovar
Ovar recebeu a Visita Oficial do Governa-
dor do dia 21 de Julho. Manuel Cordeiro teve
aqui oportunidade de conhecer uma instituição
diferente, já que foi fundada e tem sido acom-
panhada de perto pelo Rotary Club de Ovar, o
Centro de Promoção Social do Furadouro. O
Governador teve ainda oportunidade de usu-
fruir de um momento de muita cordialidade na
visita de apresentação de cumprimentos na au-
tarquia, entidade com a qual o Clube, liderado
pelo presidente Jorge Cunha, mantém uma boa
relação que tem dado bons resultados.
Durante a Visita, o Clube de Ovar, que está
empenhado em aumentar o seu Quadro Social,
admitiu dois novos companheiros: Álvaro Ri-
beiro e António Macedo.
Muitos são os projectos do Clube de Ovar:
apoio ao Centro de Promoção Social do Fura-
douro; campanhas de medição da tensão ar-
terial, glicemia e obesidade; apoio ao banco
alimentar contra a fome; um banco de ajudas
técnicas (cadeiras de rodas, cama articulada);
organização de actividades de angariação de
fundos para garantir o funcionamento do centro
de promoção social que apoiam; membros que
pertencem à Liga dos Amigos do Hospital de
Ovar e que participam em iniciativas no âmbito
da saúde, como palestras, rastreios, caminha-
das, etc; reconhecimento de mérito escolar a
alunos do ensino secundário; pretendem apre-
sentar candidaturas de jovens a um dos RYLA;
vão participar num Projecto de Subsídio Equi-
valente relacionado com a Cegueira Evitável.
O Clube tem feito anualmente doações à Fun-
dação Rotária Portuguesa e pretendem doar
mil USD à Rotary Foundation.
Na Visita do Governador estiveram presen-
tes os clubes de Águeda, Murtosa, Esposende,
Sever do Vouga, Estarreja, Viseu, Aveiro, Gaia
Sul e Senhora da Hora. Esteve ainda o Gover-
nador Assistente, Énio Semedo, o companheiro
Álvaro Gomes e a esposa Lúcia, Diamantino
Gomes, governador 2004-2005, e esposa Te-
resinha e o Governador Indicado 2011-2012,
companheiro Goes Madeira.
No seu discurso Manuel Cordeiro lembrou
palavras de John Kenny: “Na sua mensagem
faz-nos um pedido que eu partilho. Diz ele que
devemos olhar para além da nossa própria co-
munidade, não esquecendo de que ela é ape-
nas uma das diversas comunidades entre as
milhares que compõem o mundo. E em cada
uma dessas comunidades há trabalho a fazer.
Como rotários, não nos limitamos a observar
passivamente. Aceitamos a nossa responsabi-
lidade. Podemos, e devemos agir”.
Valpaços vai apresentar candidatura a Subsídio Equivalente
Dia 22 de Julho Valpaços recebeu a Visita Oficial do Governador, levando-o a conhecer a Casa
do Povo de Vilarandelo, instituição que tem alguns rotários como responsáveis o que, para Manuel
Cordeiro, dignifica o Clube, liderado pelo presidente Eduardo Lomba (seguido de Carlos Terra), e o
movimento. A Casa do Povo tem várias valências, como a creche, o CAT – Centro de Acolhimento
Temporário (recebe crianças em risco, muitas delas enviadas pelos tribunais) e o centro de dia.
O Clube de Valpaços mantém uma forte colaboração com a autarquia, nomeadamente no
que diz respeito à Universidade Sénior, que tem tido uma actividade muito visível no concelho,
e à atribuição de bolsas de estudo. Mas o Clube tem muitos outros projectos: apoiam a Liga dos
Amigos Unidos por um Sorriso, apoiam o CAT – Centro de Acolhimento Temporário que funciona
no âmbito da Casa do Povo de Vilarandelo, fazem o reconhecimento de mérito escolar a alunos do
ensino secundário do concelho, vão apresentar candidatos a Bolsas da Fundação Rotária Portu-
guesa, homenageiam um profissional e pretendem fazer uma candidatura a um Projecto de Subsí-
dio Equivalente para a compra de uma viatura que apoie as actividades das instituições referidas
acima. Com um quadro social de 20 companheiros, o Clube de Valpaços pretende conseguir pelo
menos mais um. Prometem tentar concretizar uma doação para a Rotary Foundation, mas têm-no
feito anualmente no que diz à Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita do Governador esteve presente José Boaventura, Governador Assistente e esposa
Edite, e estiveram representados os clubes de Pombal, pelo companheiro Armindo Carolino, Go-
vernador Eleito 2010-2011 e esposa Gina, Chaves (Clube Padrinho), Mirandela e Vila Real.
Manuel Cordeiro, no seu discurso, lembrou as ênfases presidenciais: “Como todos sabem
todos os anos o Presidente de Rotary International elege algumas áreas para as quais pede a
nossa maior atenção. São as chamadas Ênfases Presidenciais. Para dar continuidade ao traba-
lho desenvolvido no ano anterior, John Kenny escolheu as mesmas. Assim todos os clubes do
nosso distrito devem concentrar o seu trabalho nos Recursos Hídricos, no acesso à saúde, no
combate à fome e na alfabetização. Cito de novo o nosso Presidente que na sua mensagem diz
Neste novo ano rotário, peço aos rotários de todo o mundo todo que continuem a aprender com as
suas experiências. Que continuem a trabalhar pela saúde e bem-estar não só das crianças, mas
da humanidade. Peço-lhes que dediquem atenção especial aos recursos hídricos e saneamento
básico, já que a falta de acesso a água potável é um problema cada vez mais grave em muitas
partes do mundo”.
VOG Valpaços
VOG Vale de Cambra
Vale de Cambra quer aumentar Quadro Social
No dia 28 de Julho Vale de Cambra recebeu a
Visita Oficial do Governador. Manuel Cordeiro teve
oportunidade de conhecer a Santa Casa da Mise-
ricórdia local, instituição que mantêm diferentes
valências: um CAT – Centro de Acolhimento Tem-
porário, creche e jardim-de-infância. As senhoras
da Casa da Amizade ajudam esta instituição e
participam em diferentes actividades.
O Clube de Vale de Cambra, com o presiden-
te Rui Leite, tem vários projectos em curso: reco-
nhecimento de mérito escolar a alunos do ensino
secundário e superior; atribuição de bolsas de es-
tudo; apoio à Santa Casa da Misericórdia; apoio a
alunos do secundário, através de acções conjun-
tas com as escolas, na escolha do curso superior
na entrada para a Universidade; organização de
visitas de estudo para alunos do ensino básico;
docência na Universidade Sénior de Vale de Cam-
bra; realização de várias palestras sobre temas
como nutrição, água e outras de apoio à comuni-
dade local; embelezamento de uma rotunda da ci-
dade, um projecto desenvolvido em parceria com
a Câmara Municipal e a Associação Industrial e
Comercial de Vale de Cambra; organização de um
encontro gastronómico em conjunto com outros
clubes, de entre os quais Arouca, Oliveira de Aze-
méis e São João da Madeira.
O Rotary Club de Vale de Cambra mantém uma
relação muito estreita com a autarquia, numa
colaboração que tem dado muitos frutos. No que
diz respeito ao Quadro Social, têm actualmente
28 sócios, mas pretendem aumentar para os 30.
Anualmente fazem doações à Fundação Rotária
Portuguesa e pretendem doar mil USD à Rotary
Foundation. Na Visita Oficial estiveram presentes
os Clubes de Arouca (Clube Afilhado), São João
da Madeira, Oliveira de Azeméis (Clube Padrinho),
Ovar, Sever do Vouga e Estarreja.
Marcou presença Diamantino Matos, Governa-
dor Assistente, assim como o companheiro Álvaro
Gomes e a esposa Lúcia.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou a
Seminário de Desenvolvimento do Quadro Social:
“Para que os nossos clubes tenham cada vez mais
e melhores sócios, vamos realizar no próximo dia
19 de Setembro, no R C da Maia, o Seminário do
Desenvolvimento Quadro Social. Será uma boa
oportunidade para trocarmos experiências e con-
tribuirmos para que os nossos clubes sejam cada
vez mais eficazes. Peço-vos que assinaleis na
vossa agenda este evento distrital. Conto com a
presença de todos vós”.
VOG Vizela
Vizela mantém estreita parceria com a Câmara Municipal
O Governador visitou oficialmente o Clube de Vizela no dia 29 de Julho. Manuel Cordeiro teve a
oportunidade de conhecer a Santa Casa da Misericórdia, que tem as valências de creche, jardim-
de-infância, CAT – Centro de Acolhimento Temporário, lar de terceira idade e centro de dia. O
Provedor da Santa Casa é sócio fundador do Rotary Club de Vizela, assim como o Presidente da
Assembleia Geral.
Na visita que fez a Vizela, o Governador do Distrito 1970 conseguiu ainda perceber a estreita
ligação que o Clube tem com a Câmara Municipal, através do próprio presidente, que realçou a
parceria existente.
Actualmente com 25 membros (pretendem conseguir pelo menos mais um), o Clube de Vizela,
que tem como presidente José Abreu, é muito activo: atribui várias bolsas de estudo, tem um
banco de cadeiras de rodas, faz o reconhecimento de mérito escolar a alunos do ensino secun-
dário, apoia o banco alimentar e a rede social, faz o reconhecimento profissional e alfabetização
de adultos, tem uma Universidade Sénior, concretiza palestras abertas à comunidade, tem in-
tercâmbio com outras instituições, apoia a AIREV e as crianças do Centro Social e Paroquial de
São Miguel. O Clube de Vizela faz ainda anualmente doações à Fundação Rotária Portuguesa e
pretendem doar 1000 dólares à Rotary Foundation.
Na visita do Governador esteve presente o Governador Assistente, José Rocha e esposa Carmi-
nho, e estiveram representados os clubes de Santo Tirso (Clube padrinho), Guimarães, Barcelos,
Póvoa de Lanhoso, Valença, Felgueiras, Braga Norte, Caldas das Taipas, Viana da Castelo, Fafe,
Trofa, Esposende e Coimbra.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou as palavras do Presidente: “Na Mensagem do mês de
Julho do nosso Presidente John Kenny, retirei algumas afirmações que me parecem interessantes.
Logo no primeiro parágrafo realça a importância que têm as reuniões normais dos clubes pois, diz
ele, não haveria RI, conselho director, sede mundial, nem convenção internacional se não fossem
as reuniões semanais dos rotários nos seus clubes. Várias vezes tenho dito que é necessário
que os nossos clubes façam reuniões atractivas, onde se discutam os problemas das nossas co-
munidades e de comunidades terceiras. Rotary deve ser acção. Só assim fizermos estaremos na
vanguarda dos movimentos que, como nós, se interessam pelos mais necessitados”.
ENTREGA DA CARTA CONSTITUCIONAL AO
ROCTARACT DE ANSIÃO
Intervenção de Manuel Cordeiro:
No dia 13 do corrente mês de Julho foi entregue a Carta Constitucional ao ROCTARACT de An-
sião. Foi, sem dúvida, um momento muito importante para mim pois tive a oportunidade de assistir
ao nascimento de mais um clube ROCTARACT no nosso Distrito. A cerimónia foi uma demonstra-
ção de grande vitalidade do RC de Ansião. O rotary no interior de Portugal está bem vivo.
Para mim e para a Maria Antónia foi uma honra sermos testemunhas de um acto tão nobre como
este. A presença da companheira Ângela, representante distrital do ROCTARACT foi uma prova do
empenho que ela está a pôr no exercício do seu mandato.
Reunir 24 jovens com objectivos comuns, centrados na vontade de servir, não é tarefa fácil
numa localidade do interior onde as pessoas escasseiam. Ao conseguir um conjunto de jovens
tão valioso, capitaneados pela Ana Rita, o RC de Ansião aumentou a sua família rotária. Ao com-
panheiro Fernando Inácio e a todos os membros do seu Conselho Director endereço os meus pa-
rabéns e os desejos de que neste primeiro ano de vida o ROCTARAT de Ansião consiga cumprir o
Plano de Actividades que a Ana Rita enumerou. Se assim for serão merecedores de toda a nossa
admiração.
Estou certo de que o novo Conselho Director, com o companheiro Jaime Laim à frente, vai hon-
rar a obra feita pelos seus antecessores.
O nosso bem haja.
ENTREGA DA CARTA CONSTITUCIONAL
ROTARY CLUBE PORTO-PORTUCALE NOVAS GERAÇÕES
Intervenção de Manuel Cordeiro:
O Presidente de RI Luis Vicente Giay, em 1996-1997, incluiu no seu plano de actividades a cria-
ção dos “Clubes Rotários para as Novas Gerações” por considerar que a criação destes clubes
seria muito importante para o crescimento de rotary. Estruturalmente, estes clubes em nada se di-
ferenciam de qualquer Rotary Club. Apenas têm a particularidade de o seu campo de recrutamento
serem jovens de ambos os sexos, entre 25 e 40 anos, idade variável, mas não limitadora. Não nos
podemos esquecer de que há muitos potenciais rotários nesta faixa etária para quem se torna
difícil ingressar em rotary por várias razões. Falta de tempo, razões económicas ou pela falta de
flexibilidade dos nossos dirigentes rotários para assimilar gente jovem.
Os sócios destes clubes são, em grande maioria, ex-rotaracts, ex-bolseiros da Fundação Rotá-
ria, participantes de programas do Rotary, filhos e familiares de rotários, etc. Trata-se, portanto, de
gente que conhece bem o que é o Rotary, sabe do trabalho que desenvolvemos. Estes clubes são
uma possibilidade para se manterem vinculados e serem parte de nossa organização.
Algumas características que os distinguem dos outros são o facto de terem reuniões mais bre-
ves, cerca de uma hora, feitas quer à hora do café, à tarde ou à noite, após o seu trabalho. As reu-
niões são sessões de trabalho e servem para planear as actividades que pretendem implementar.
Têm um custo de participação mais baixo e são muito apropriadas aos jovens.
As formalidades para a constituição destes clubes em nada se diferenciam da organização de
qualquer Rotary Club. Não têm exigências especiais e o seu processamento é normal perante o
Rotary International. Exige a aprovação do governador do distrito, que nomeia, de comum acordo
com o clube padrinho, um responsável pela sua formação.
A característica predominante desses clubes é que congregam jovens líderes capazes de
manter um diálogo mais fluido entre as gerações e orientar as suas principais tarefas de serviço
para a infância e a juventude. Em boa hora este clube foi constituído. É o 1º no nosso Distrito e
em Portugal. Oxalá que outros se sigam. Congratulo-me com o facto de, a partir de hoje, termos 6
rotary clubes na cidade do Porto. O Distrito espera muito de todos Vós. A cooperação entre todos
trará vantagens aos mais necessitados desta cidade.
Para terminar lembro 3 depoimentos sobre os Clubes Novas Gerações. O primeiro é do ex-
presidente do RI, Paulo Viriato Corrêa da Costa, que disse: “estes clubes não só constituíram uma
ideia brilhante mas, também, são o caminho certo para alcançar a dourada meta de crescer em
número de sócios, particularmente jovens”.
A professora Susana B. Capriglioni, Past-Governadora, pergunta: “por quê Rotary Clubes para
as Novas Gerações”? E responde:
1 - para tomar como referência e compreender que existem outras formas de ser rotário
2 - para crescer e compartilhar ideias com gente jovem
3 - para oferecer reais oportunidades à juventude e fazê-la crescer servindo
4 - para superar modelos arraigados nos clubes e que os tempos modernos exigem que sejam
actualizados
5 – Para incorporar sangue novo, ideias renovadas, metodologias modernas etc.
O DRI António Hallage, do Brasil diz: “Precisamos de uma nova geração de rotários, homens
e mulheres que continuem com a suficiente coragem para dizer não à mediocridade, à tirania, à
mentira, às drogas e ter, ao mesmo tempo, o ideal, a rebeldia e a visão de justiça que lhe dêem o
entusiasmo necessário para chegar à meta traçada para as suas vidas como Rotary o expôs no
passado.”
Ao Rotary Clube Porto-Portucale Novas gerações desejo, em meu nome e no da Maria Antó-
nia, na pessoa do companheiro Presidente, Cláudio Pereira e esposa Rita, os maiores êxitos. Os
Vossos êxitos serão os êxitos do nosso Distrito e estes serão do movimento rotário português e
mundial.
Muito obrigado.
SELECÇÃO DO GOVERNADOR 2012 / 2013
O Governador do Distrito 1970 de Rotary International, Manuel Cordeiro, no uso das suas
atribuições rotárias e com suporte no artigo XIII, Secção 13.020.3 do Regimento Interno de R.I,
comunica a todos os clubes do Distrito 1970 que, a partir desta data e até 1 de Outubro do corrente
ano, está aberto o prazo para indicação do Companheiro ou Companheira para exercer o cargo de
Governador ou Governadora no ano rotário 2012/2013.
As propostas deverão ser enviadas para o Companheiro Governador 2004 -2005, Diamantino
Gomes, Presidente da Comissão Distrital de Indicação, directamente para o seu endereço: Rua de
Alem 15, 4465-562 Leça de Balio - Tel. 967 014 706 fax. 229 563 026
Os restantes 4 elementos da Comissão Distrital de Indicação são:
Comp. João José Barbosa, Gov. 2005-2006, Comp. Álvaro Gomes, Gov. 2006-2007, Comp. Ber-
nardino Pereira, Gov. 2007-2008, e Comp. Henrique Maria Alves, Gov. 2008-2009.
Deverão observar-se as seguintes determinações:
O procedimento de indicação, que antecede o de selecção, obedece ao que preceitua o Art.º
XIII, secções 13.010, 13.020-1 e 3 do Regimento Interno do R.I., juntamente com as disposições do
capítulo 2 do Manual de Procedimentos, e dos artigos 17.040, 19.030 e 26.100 do Código Normativo
do Rotary.
1) - Ser rotário/a de um dos clubes do Distrito, em pleno gozo de seus direitos e estar perfeita-
mente qualificado em sua categoria de sócio representativo, sendo que a integridade e validade
de sua classificação devem ser indiscutíveis.
2) – Ser rotário/a pelo menos por sete anos quando da sua eventual posse.
3) – Haver exercido a função de Presidente do Clube durante um mandato completo.
4) - Estar disposto e capacitado, em todos os aspectos, a assumir as responsabilidades
inerentes ao cargo, incluindo a sua participação no Seminário para Governadores Eleitos da res-
pectiva Zona Rotária, e na Assembleia Internacional durante toda a sua duração.
5) – Os/as candidatos/as devem pertencer a um clube activo, sem nenhuma dívida pendente com
o R.I. e o Fundo Distrital, no final do ano fiscal precedente.
6) – O Clube proponente deverá apresentar um curriculum rotário e um curriculum vitae
do seu candidato à inscrição, em 05 ( cinco ) vias.
A Comissão de Indicação reunir-se-á na primeira quinzena do mês de Outubro de 2009, em dia,
local e horas definidos pelo seu Presidente e com pleno conhecimento dos interessados, devendo
notificar ao Governador o candidato escolhido, que por sua vez comunicará a todos os clubes o
nome do candidato indicado.
Vila Real, 10 de Agosto de 2009
Manuel Cordeiro
Governador Distrito 1970
SETEMBRO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros rotários:
Segundo Lord Byron, “Nossos dias de juventude são nossos dias de glória”. Esta citação
vem-me à cabeça cada vez que ouço falar nos programas pró-juventude do Rotary. Setembro é
Mês das Novas Gerações – um momento de prestar atenção nestes programas e no seu papel
de formador dos rotários do futuro.
Os nossos programas pró-juventude – Interact, Rotaract, RYLA e Intercâmbio de Jovens – são
alguns dos mais importantes programas do Rotary. Digo isto tendo em mente o seu potencial
único de influenciar jovens mentes e espíritos, encaminhando-os na direcção da paz, boa von-
tade e harmonia. As experiências que temos na juventude acompanham-nos pelo resto da vida,
moldando a nossa personalidade de adultos. Segundo palavras muitas vezes atribuídas a São
Francisco Xavier, “Dê-me uma criança pelos seus primeiros sete anos de vida e eu lhe devol-
verei um homem”. Na minha opinião, demora um pouco mais do que isso, mas sem dúvida as
nossas experiências de juventude têm muito mais influência no nosso carácter do que aquelas
que temos na vida adulta.
Quando um adolescente americano tem a oportunidade de participar num Dia Nacional de
Imunização na Índia, ou um jovem brasileiro passa um ano a estudar no Japão, eles nunca mais
serão os mesmos. Estes jovens terão estabelecido conexões e laços que durarão para sempre.
Eles nunca mais verão o seu país ou o mundo da mesma maneira. A sua perspectiva, as suas
prioridades e os seus valores terão sido permanentemente moldados pela sua experiência de
uma maneira que não será reproduzida por experiências posteriores.
As impressões dos jovens são marcantes e duradouras. Nós crescemos e mudamos à medida
em que envelhecemos, mas nunca mais poderemos reconstruir a nossa essência. Isto só acon-
tece uma vez -- na juventude.
Os dias da nossa juventude realmente são os nossos dias de glória – mas com os programas
pró-juventude, esses dias são também a glória da nossa organização.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
O mês de Setembro é o mês das Novas Gerações. Rotary International pede-nos que este-
jamos atentos aos mais jovens. Compreende-se facilmente porquê. Os jovens são o futuro da
humanidade. O futuro constrói--se com eles. Rotary não foge à regra. Se queremos um futuro
promissor para o nosso movimento, vamos tudo fazer para os interessar e pedir-lhes que se
juntem a nós para nos ajudarem a sermos cada vez mais fortes e actuantes.
Se os nossos clubes não forem capazes de se rejuvenescer vai ser muito difícil entrosarem-
se com as comunidades locais. Os jovens são muito generosos, têm muito para dar, mas é
necessário que lhes demos oportunidades de concretizarem muitas das ideias que fervilham
nas suas mentes. Nós, os menos jovens, não devemos ter receio de ser ultrapassados por eles.
Isso não acontecerá se formos activos, estivermos atentos ao que se passa à nossa volta,
soubermos pôr ao serviço dos nossos clubes muitas das capacidades que ainda possuímos.
Cada rotário deve estar ciente do que é capaz de fazer. A idade não é, salvo em situações de
falta de saúde, impeditiva de se ter uma actividade útil. Se tivermos uma atitude positiva haverá
sempre alguma actividade que possamos realizar. Vamos caminhar ao lado dos jovens e os
resultados aparecerão.
A melhor homenagem que podemos fazer aos nossos jovens é incentivar os clubes do nosso
distrito que ainda o não fizeram, a criarem clubes dedicados à juventude como ROCTARACT,
INTERACT e Rotary Kids. Considero esse o caminho certo.
Um grande abraço do vosso companheiro e amigo,
Manuel Cordeiro
MENSAGEM DA MARIA ANTÓNIA
Queridas Amigas e Queridos Amigos
Mais uma vez me dirijo a vós e desta vez para vos apresentar o nosso Projecto, ou seja, o
Projecto dos Cônjuges do Distrito 1970.
Já o expus nos clubes que já visitei e recebi da parte de todos os cônjuges uma boa recepti-
vidade e entusiasmo na sua concretização o que para mim é muito reconfortante.
Aqui ficam as três vertentes em que vai ser desenvolvido:
1 - Tornar realidade os desejos de algumas crianças internadas no IPO, Porto. Em breve
teremos uma reunião com a pessoa responsável pelas crianças a fim de darmos andamento
ao mesmo.
2 – Ajudar a equipar seis Escolinhas Comunitárias na região do Niassa, bem no interior de
Moçambique. Para a implementação deste projecto foi feito um Subsídio Equivalente, já apro-
vado pela Rotary Foundation, que vai por ela ser co-financiado.
3 – Publicação de um livro infantil para angariação de fundos para o Pólio. Terá o título de
Caminhadas na Bruma, é da autoria da escritora brasileira Simone Fátima Gonçalves e foi co-
ordenado pelo conceituado escritor de literatura infantil, Alexandre Parafita. Estamos em fase
de encontrar financiamento para a sua publicação e a apresentação pública será, caso seja
possível, no próximo dia 31 de Outubro, aquando da Gala Distrital para angariação de fundos
para a erradicação da Pólio.
Conto com a colaboração de todos os cônjuges do nosso Distrito. Todos juntos vamos tornar
estes projectos uma realidade.
Um abraço da amiga sempre ao vosso dispor, para o que for necessário,
Maria Antónia
COMISSÃO DAS NOVAS GERAÇÕES 2009-2010
Setembro-Novas Gerações
Os Clubes de Rotaract, Interact e Rotary Kids são a garantia da continuidade natural do nosso
movimento Rotário. Senão vejamos:
Começando na tenra idade entre os 7 e os 13 anos com o Rotary Kids estamos a formar crian-
ças no seu despertar para os valores da vida. Se lhes começarmos a incutir aqueles que são os
principais valores de Rotary como o Serviço, através das nossas dádivas e dos nossos pequenos
gestos, o Companheirismo que se manifesta na amizade, na festa da partilha, na alegria do grupo,
estas crianças tornar-se-ão adolescentes que respeitam o seu semelhante, que sabem o que é
Liderar, que manifestam necessidade do Protocolo, e encontram a sua integração plena no Inte-
ract.
A fase etária da controvérsia, da dúvida, da incerteza, e por vezes da conquista, pode trans-
formar-se numa generosidade sem limites, numa ânsia infinita de partilha de doação se estes
adolescentes se sentirem verdadeiramente úteis e importantes para o nosso Movimento Rotário.
Atingida a maioridade, todo o seu ser está perene da essência de Rotary dos seus Princípios
e assim a identidade destes jovens torna-se indissociável do Movimento nos laços que foram
criados.
Agora é apenas dar-lhes força no Rotaract ampará-los para que mantenham firmes os princí-
pios inabaláveis, as convicções, proporcionar-lhes a transversalidade nos projectos de Rotary,
seu Clube patrocinador, integrá-los nas realizações e acarinhá-los nas ideias e ideais.
Estes jovens são um contributo sem precedentes para o seu Rotary Club patrocinador.
A certeza do Rotary em Acção
A garantia da Continuidade da construção do Futuro.
Lereno Machado
Presidente da Comissão das Novas Gerações 2009-2010
REPRESENTANTE DISTRITAL DE ROTARACT
Setembro é para Rotary o Mês das Novas Gerações. Por todos os clubes se multiplicam iniciati-
vas e actividades, de índoles diversas. O Rotaract, enquanto parte das Novas Gerações de Rotary,
é também especialmente lembrado neste mês, a par com o mês de Março em que é celebrada a
nível mundial a Semana de Rotaract, comemorativa da criação deste programa de Rotary Interna-
tional. Mas durante o resto do ano, clubes rotaractistas por todo mundo, continuam o seu trabalho
em prol do desenvolvimento de um mundo melhor, constituindo-se como o verdadeiro “Rotary em
Acção”, mote que esteve na génese da sua compreensão.
O lema do Rotaract é “Serviço através do Companheirismo”, e no Distrito 1970 estas palavras
são escrupulosamente observadas! A experiência em Rotaract baseia-se muito na criação de la-
ços de amizade entre todos os Rotaractistas, e são esses laços que permitem que o trabalho que é
desenvolvido seja cada vez mais sustentado e digno de nota, pelo contributo que constitui para as
comunidades locais, distritais e nacionais. Todos os anos, os projectos levados a cabo são mui-
tos, abrangendo não só as áreas de actuação definidas pelas ênfases presidenciais mas também
outras áreas críticas das localidades em que os clubes se inserem. Projectos de alfabetização, de
saúde pública, ambientais, de dinamização cultural; trabalhos com crianças, com idosos, com po-
pulações desfavorecidas por circunstâncias diversas; actividades de serviço à comunidade mas
também de desenvolvimento dos próprios Rotaractistas, enquanto membros da família rotária,
enquanto jovens profissionais, e enquanto cidadãos, e enquanto líderes.
Neste mês de Setembro, as Novas Gerações tiveram assento no seminário de Desenvolvimento
do Quadro social do Distrito 1970. Foi uma oportunidade única não só para dar testemunho das
acções desenvolvidas, como para evidenciar o empenho das Novas Gerações no futuro de Rotary,
e também no futuro da Humanidade. Não só o Rotaract pode constituir uma das fontes de rejuve-
nescimento e expansão do quadro social de Rotary, como é também sem dúvida um dos melhores
projectos que um Rotary Club pode promover. Em paralelo com a oportunidade de formação de um
número mínimo de 15 jovens da sua comunidade, através destes próprios jovens os Rotary Clubs
estão a multiplicar os projectos que implementam localmente, com as realizações dos clubes de
jovens. E para isto, apenas é necessário acreditar: acreditar que efectivamente podemos mudar
o mundo, acreditar que conseguimos sempre fazer melhor, e acreditar na nossa capacidade de
entrega e vontade de trabalho.
Ângela Barros
Representante Distrital do ROTARACT
REPRESENTANTE DISTRITAL DE INTERACT
INTERACT
Somos líderes...
Somos líderes porque acreditamos em valores...
Somos líderes porque queremos mostrar aos outros que as causas em que acreditamos tentam
levar o melhor do mundo aos outros...
Queremos sorrisos, queremos imagens em que possamos fazer com que a magia da alegria
salte da moldura.
Queremos fazer aquilo que muitos se queixam não conseguir fazer, ou porque não têm tempo,
ou porque não acreditam que as necessidades existem...
O Interact é um grupo que permite aos jovens tornarem - se cada vez melhores e desta maneira
levar os “pilares” do movimento rotário cada vez mais longe.
Com o seu espírito audaz e de irreverência, moldam mentalidades e levam as causas sociais
cada vez mais longe.
Desta forma é importante acreditar nas novas gerações.
No distrito 1970, neste inicio de ano rotário, contamos com 10 clubes de Interact, a funcionar
em pleno.
Para breve realizar - se - á o Encontro Distrital de Rotaract e Interact onde acredito que mais
uma vez os clubes se vão unir como uma grande família rotária e tornar este acontecimento um
grande momento de companheirismo.
Estes clubes trabalham junto com os seus Rotary’s clubes, que lhes “mostram o caminho” e a
maneira como devem agir. Desta maneira vão “semeando Rotary” e mostrando ao mundo que com
pequenos gestos transformamos sorrisos.
Iolanda Lima
Represente Distrital de ROCTARACT
ROTARY CLUBE DE S. TIRSO ORGANIZOU O
1- eucoutno nottnv kios oo oistnito 1s:a
No dia 12 de Setembro o Rotary Clube de S. Tirso esteve em Festa!
Os Clubes Rotários de Viana do Castelo, Estarreja, Coimbra, Viseu, Vila Real, Felgueiras, Porto
Antas, Trofa fizeram-se representar no 1º Encontro Distrital de Rotary Kids. A equipa Distrital da
Novas Gerações esteve bem representada pelo seu presidente Lereno Machado, o Coordenador
Distrital Rotary Kids Serafim Baganha e as Representantes Distritais de Rotarct e Interact junto
do Governador Angela Barros e Iolanda Lima. Também fizeram questão de estar presentes o
PGD Gonçalves Afonso e PGD Henrique Maria Alves. O Rotary Kids Clube de Viana do Castelo
foi o clube visitante mais representado depois do Clube anfitrião Santo Tirso. O acolhimento aos
participantes foi feito pelo Rotary Clube de S. Tirso conjuntamente com os seus clubes de jovens
Interact, Rotaract e Rotary Kids Clubes de S. Tirso no Hotel Cidnay pelas 9,30h da manhã. O tema
deste encontro foram os “Valores de Rotary” personalizados por 3 Mimos que orientaram todas as
actividades: A Liderança, O Serviço e O Companheirismo. Em fila ordenada comandada pela “Li-
derança” marcharam rumo ao Pavilhão Municipal onde decorreram as actividades. Primeiramente
as Boas Vindas a todos os presentes pela Presidente do Rotary Clube de S. Tirso - Isabel Machado
e pela presidente do Rotary Kids Clube de S. Tirso - Maria João Vilela.
Seguiu-se pelo Governador do Distrito 1970 Comp. Manuel Cordeiro uma palavra de incentivo
aos mais novos pelos ideais rotários, afirmando que os jovens são o Futuro de Rotary. O “Serviço”
foi por todos demonstrado na apresentação dos projectos efectuados por cada clube, sendo este
momento complementado com a partilha de Símbolos. Depois de uma breve pausa para lanche,
em que o “Companheirismo” se fez notar, seguiram-se as actividades baseadas numa história que
deu o mote à Dinâmica de Grupos. No final, cantou-se o Hino Rotary Kids com muita convicção e
alegria. Seguiu-se o almoço muito participado no Hotel Cidnay com uma sala repleta de cor, con-
ferida pelas centenas de balões e pela felicidade contagiante dos participantes. Após o almoço
procedeu-se a um momento de grande entusiasmo a “Largada de Balões” e por fim a “Plantação
da Árvore da Amizade Rotary Kids” onde todas as crianças deram o seu contributo colocando um
punhado de terra. Fez-se a despedida e ficou a certeza de que este foi um dia diferente para estas
dezenas de crianças. Aprenderam os principais valores de Rotary, viveram-nos, partilharam-nos,
sentiram-nos. Agora sabem o que é ser Rotary Kids, agora sabem que: A Liderança dirige e co-
ordena. Que o Serviço que se manifesta através dos projectos e da ajuda, e tudo isto é possível
graças ao Companheirismo que nos une e torna amigos.
Com estas crianças construímos o Futuro de Rotary!
os oiscunsos oos nottnv kios
Companheiro Governador,
Convidados, Companheiras e
Companheiros;
É para mim motivo de gran-
de alegria receber-vos hoje
aqui em Santo Tirso. Em meu
nome e do Rotary Kids Clube
de Santo Tirso a todos saúdo!
Sejam Bem Vindos! Que este
Bom Dia;
Não é muito difícil falar da
actividade de um clube, quan-
do o mesmo tem apenas 1 ano
de existência. Ainda assim
acho que o trabalho feito fala
por si e que acima de tudo va-
leu pelo entusiasmo que cau-
sou a todos.
Uma das primeiras acções
do Rotary Kids foi criar algu-
mas comissões de trabalho.
Criamos 3 Comissões: a Co-
missão do Ambiente, a Comis-
são da Saúde e a Comissão
dos Serviços à Comunidade.
Cada comissão é constituída
por diferentes companheiras,
não tendo ninguém ficado de-
socupado. Realizamos várias
actividades, algumas conjun-
tamente com o Rotary Club de
Viana do Castelo, como por
exemplo, a preparação e en-
trega dos cabazes de Natal às
famílias carenciada, inserida
na Comissão dos Serviços à
Comunidade.
Todos os 2º domingos de
cada mês apoiamos o Rastreio
do Cancro do Estômago, inse-
rida na comissão da Saúde.
Somos nós que distribuímos
os panfletos sobre o rastreio e
sobre o Rotary, orientamos as
pessoas nas filas e até lança-
mos os dados no computador.
Quando o Rotary clube de
Viana do Castelo quis plantar
52 árvores alusivas ao seu 52º
aniversário, inserida na Co-
missão do Ambiente, conse-
guimos mobilizar os colegas
nossos da escola, e 52 jovens
alunos apadrinharam as árvo-
res plantadas.
Outras actividades realiza-
mos “sozinhas”, mas sempre
abertas à comunidade.
Entendemos que o Futuro
está no aumento do Quadro
Social, por isso admitimos
uma nova Companheira, a
Isabel Corte. E uma vez que
as mulheres já podem ser ad-
mitidas em Rotary, vamos ver
se, no próximo ano, as Rotary
Kids conseguem admitir rapa-
zes. Fruto do nosso empenho,
a Câmara Municipal de Viana
do Castelo celebrou oficial-
mente um protocolo conosco
onde nos é permitida a utiliza-
ção das instalações do Centro
de Monitorização e Interpreta-
ção Ambiental. Fui Presidente
no 1º ano do Rotary Kids de
Viana do Castelo. Gostei mui-
to, mas acima de tudo adoro
pertencer ao Rotary Kids.
É um caminho que se faz,
é o aprender a dar de si antes
de pensar em si, mas também
é termos a certeza que Rotary
afinal pode ser para todos, in-
dependentemente da idade.
Obrigada e continuação de
um bom dia.
Sara Baganha – Vice Pre-
sidente Rotary Kids Viana do
Castelo, Presidente 2008/2009
dia fique para recordar!
Que este dia permita apren-
dermos mais sobre os valores
de Rotary: O Serviço A Lide-
rança O Companheirismo
Um Bom Dia para todos.
Mª João Vilela
Presidente do RtyKids Club
de S. Tirso
SEMINÁRIO DO DESENVOLVIMENTO DO QUADRO SOCIAL
Discurso do Governador:
Bem-vindos ao seminário distrital do desenvolvimento do Quadro Social, Retenção e Admissão.
O Rotary Clube da Maia tomou a responsabilidade de organizar este Seminário que se reveste
de grande importância para o nosso distrito pois sem um quadro social bem formado e activo os
clubes não desenvolverão as actividades que lhes estão cometidas e fazem parte do objectivo de
rotary. Hoje a presença de todos vós demonstra a importância que dais a este momento de forma-
ção. Estamos todos aqui para aprender. Certamente sairemos daqui um pouco mais esclarecidos
e em melhores condições para contribuirmos para os nossos clubes tenham cada vez membros
mais esclarecidos e motivados. Se assim for, mais facilmente os clubes recrutarão novos mem-
bros. Não nos esqueçamos de que a admissão de novos membros deve ser muito
bem ponderada. É necessário transmitir aos potenciais candidatos a entrar num clube rotário quais
são as obrigações que contraem quando são admitidos. Têm que saber que há responsabilidades
financeiras e que é necessário colaborarem nas actividades dos clubes em que ingressam.
Segundo António Hallage, levar o novo sócio para conhecer os trabalhos efectivos do clube,
deve ser o primeiro passo. Tal deve acontecer antes mesmo da tão necessária Instrução Rotária.
Esta é fundamental, mas pode ser feita depois, há tempo para isso. Há muitos companheiros para
cuidarem da Instrução Rotária. É imperioso demonstrar logo de início, ao novo sócio, que o Rotary
não é só teoria, que a filosofia do Rotary, não é constituída apenas de palavras. Tem que haver
muito cuidado na selecção. Após a entrada é necessário que o novo membro seja acompanhado
para que a sua adaptação seja mais rápida e fácil.
A retenção é essencial para que os nossos clubes tenham um quadro social com elementos
em número suficiente para levar a cabo todas as tarefas que for necessário. Para reter os actu-
ais membros é necessários que os presidentes dos clubes tenham uma atitude positiva e sejam
activos. É necessário que as reuniões sejam atractivas. Que não sejam só de companheirismo.
Que tratem os temas da actualidade. Felizmente já temos muitos clubes que organizam reuniões
temáticas pelo menos uma vez por mês. Não é obrigatória que sejam pessoas fora do clube. Os
clubes têm uma variedade grande de profissões neles representados. Porque não cada um deles
falar sobre temas que fazem parte da sua actividade profissional?
Espero que tudo corra bem.
XXX II INSTITUTO ROTÁRIO DO BRASIL
Entre os dias 3 e 6 de Setembro realizou-se
em Gramado, cidade do Estado do Rio Grande
do Sul, o Instituto Rotário do Brasil. Estiveram
presentes mais de 1000 rotários e cônjuges. Foi
uma manifestação clara da força que o movi-
mento rotário tem no Brasil.
O companheiro António Hallage, convo-
cador do Instituto, e a esposa Rose, estão de
parabéns pois tudo decorreu bem. As sessões
tiveram muito nível e foram muito participadas.
Houve muito interactividade entre os pales-
trantes e os participantes.
Dos Distritos brasileiros só dois é que não
estiveram representados o que revela o empe-
nho e o interesse que todos têm em participar
num evento rotário onde muito se pode apren-
der, onde se podem estabelecer contactos com
outros Distritos potenciando assim a colabora-
ção entre todos. A presença dos governadores
do ano anterior, os do ano actual e os indica-
dos confere a este instituto uma particularida-
de que muito o valoriza.
Os dois Distritos de Portugal estiveram repre-
sentados por vários companheiros e cônjuges.
Muito interessante foi o facto de eu e a Ma-
ria Antónia termos reencontrado os compa-
nheiros governadores brasileiros e respecti-
vos cônjuges. Desde San Diego que não nos
encontrávamos. A alegria e o amor que todos
eles e elas põem nas actividades rotárias que
desenvolvem devia servir de exemplo para to-
dos aqueles que abraçámos os ideais do nos-
so movimento. Podemos dizer que temos bons
amigos no grupo de governadores brasileiros
2009-2010.
Em simultâneo teve lugar o VI Encontro de
Rotários de Língua Oficial Portuguesa, sob a
égide da Fundação de Rotarianos de São Pau-
lo e da CIP – PLOP – Países de Língua Oficial
Portuguesa, representada pelos companheiros
Eduardo Barros Pimentel e Gunter Pollack. Fo-
ram apresentados vários projectos que estão
em implementação no Brasil, Angola, Cabo
Verde, Guiné-bissau e Moçambique. Estive em
representação de Portugal na mesa que presi-
diu aos trabalhos. Foram duas tardes de muito
trabalho, mas que me deram muito prazer. Por
solicitação do companheiro Eduardo Pimentel
apresentei a minha visão sobre o que deve ser
a atitude dos Distritos rotários portugueses
perante os desafios que se lhes colocam nos
tempos de hoje. Salientei a atitude que deve-
mos ter na procura de parcerias com vista a
implementar projectos de apoio aos mais ne-
cessitados. Não devemos ter uma atitude pas-
siva. Devemos ser cada vez mais activos. Re-
alcei o potencial que têm as novas tecnologias
de comunicação, se forem bem usadas. Hoje
pode fazer-se uma candidatura a um Subsídio
Equivalente sem utilizar uma folha de papel. Se
todos os intervenientes forem rápidos não é ne-
cessário muito tempo para o fazer.
Enfatizei aquilo que em minha opinião todo
o rotário deve fazer, colocar à disposição de
rotary as facilidades de deslocação que a
sua profissão lhe dá. O companheiro PRI John
Kenny e esposa June, proporcionaram a todos
os presentes um convívio em que todos partici-
param e que permitiu cimentar as relações en-
tre todos os rotários e cônjuges presentes.
Em conclusão direi que o Instituto Rotário de
Gramado foi uma jornada de companheirismo
rotário que não esqueceremos.
Manuel Cordeiro
REPRESENTANTE DO PRI À CONFERÊNCIA DO D 1970
Luis Vicente Giay, nasceu em Arrecifes, Argentina, é contabilista público certificado, graduado
pela Universidade de Buenos Aires.
O Governo da Argentina reconhecendo os trabalhos de representatividade internacional, desta-
cou-o como Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário de seu país. O Comité Internacional da
Argentina e do Chile concedeu-lhe o “Prémio Condor dos Andes” atribuído anualmente às pessoas
e às instituições que trabalharam na busca da paz entre as nações.
Os governos da Itália e da República Dominicana, assim como muitos outros governos conce-
deram-lhe as mais elevadas honrarias.
É membro do Conselho Profissional de Ciências Económicas na capital federal de Buenos Aires
e na província de Buenos Aires. É consultor da Câmara da Indústria e do Comércio de Arrecifes,
sendo Presidente da filial de Arrecifes. Desenvolve inúmeros trabalhos comunitários em diversas
organizações cívicas e de caridade.
Rotário desde 1961, tendo presidido o RC de Arrecifes. Serviu como Governador de Distrito,
como Director de Rotary International (1.987/89), como Director Tesoureiro (1.988/89) como AID
do Presidente de RI, Paulo Viriato Correia da Costa (1.990/91) e Curador da Fundação Rotária
(1.990/93)
Presidente de Rotary International – Ano Rotário 1.996/97, cujo lema, Construa o Futuro com Ação
e Visão, recentemente ocupou o honroso cargo de Presidente dos Curadores da Fundação – Ano
Rotário 2.002/05
Casado com Celia Elena Cruz, têm quatro filhos: Luis Rodolfo, Gustavo, Fernando e Diego.
VOG Trofa
Rotaract muito activo na Trofa
A 14 de Setembro o Governador do Distrito 1970 foi até à Trofa perceber a relação muito estreita
que o Clube tem com a Câmara Municipal através de uma agradável visita aos paços do concelho.
Manuel Cordeiro teve ainda oportunidade de visitar uma empresa: Plastirso, empresa de plásticos.
Nesta visita foi guiado pelo companheiro Daniel Figueiredo, seu proprietário. Trata-se de uma
empresa de sucesso e muito competitiva a nível internacional.
O Clube da Trofa, liderado por Carmen Cunha, prontificou-se a receber o grupo do IGE. Têm
um Rotaract muito activo. A presidente é a companheira Sandra Reis que esteve presente, assim
como outros elementos entre os quais a Teresa Dias (voz) e Raquel Moreira (guitarra) que abri-
lhantaram o jantar com música.
Manuel Cordeiro teve oportunidade de ficar a conhecer os principais projectos do Clube: têm
uma parceria com a Liga portuguesa contra o Cancro responsabilizando-se pelos peditórios na
Trofa, sendo que parte dos fundos recolhidos são para os projectos do clube; têm Bolsas de estudo
patrocinadas por empresas para alunos do secundário; têm um projecto a que chamam Educação
Solidária dinamizado pelo Rotaract que consiste em dar acompanhamento escolar a alunos da
ASAS – Associação de Solidariedade e Acção Social da Trofa; fazem rastreio do cancro gástrico;
participam no Projecto da Cegueira Evitável, submetido à Rotary Foundation e já aprovado, sendo
que as verbas para esta participação são, em parte, obtidas no aniversário dos companheiros e
cônjuges do Clube; no Natal angariam fundos para doar a pessoas que precisam de fazer opera-
ção à vista e, por cada 25 dólares dão um diploma com o nome da pessoa que é operada e com o
nome da pessoa que faz essa doação; têm feito todos os anos doações para a FRP; homenageiam
um profissional. O Clube da Trofa pretende aumentar o quadro social, pelo menos até atingir os
30 elementos. Na visita estiveram presentes os Clubes de Barcelos, Braga Norte, Santo Tirso
(padrinho), Viana do Castelo, Vila do Conde, Gaia Sul, Maia, Penafiel, Porto Foz, Póvoa de Varzim,
Vila Nova de Famalicão, Caracas, Venezuela, Vizela, clubes Rotaract de Santo Tirso, Póvoa de
Varzim, Vila Nova de Famalicão e Olivais.
O Governador Assistente, Carlos Castro, esteve presente, assim como Gonçalves Afonso, Go-
vernador 1999 – 2000, e Francisco Higino, Governador Assistente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro apelou à recepção do grupo de IGE: “O distrito vai organizar
um IGE – Intercâmbio de Grupos de Estudos financiados pela Rotary Foundation e que possibilitam
a empresários e profissionais entre 25 e 40 anos de idade participar de intercâmbios culturais e
profissionais em países terceiros por um período de quatro semanas. Conto com o empenho do
Vosso clube para conseguirmos um conjunto de participantes que dignifique o nosso distrito”.
VOG Arouca
Arouca prontificou-se a receber grupo de IGE
No dia 15 de Setembro o Governador foi até Arouca na sua Visita Oficial. Foi recebido pelo Vice-
presidente e o Presidente Artur Neves, que também esteve presente no jantar, e pôde perceber e
existência de uma relação muito estreita com a Câmara Municipal.
Na Visita, Manuel Cordeiro teve conhecimento dos principais projectos do Clube liderado por
Paulo Teixeira: têm 2 Bolsas de estudo patrocinadas por empresas para alunos universitários;
concorrem a duas Bolsas da Fundação Rotária Portuguesa; têm 3 camas articuladas que dispo-
nibilizam para pessoas carenciadas sempre que são solicitados; no Natal fazem uma ceia com
as crianças de Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS); participam no Projecto
de especialidades gastronómicas conjuntamente com os clubes de Castelo de Paiva, Oliveira de
Azeméis, São João da Madeira e Vale de Cambra.
O Clube de Arouca é ainda geminado com o Clube de Alcobaça. Já de prontificaram a receber
o grupo do IGE.
Conscientes da realidade, neste momento é importante para o Clube manter o actual Quadro
Social e tentar contribuir para a Fundação Rotária.
Na visita estiveram presentes os clubes de Vale de Cambra (padrinho), Ovar, Oliveira de Aze-
méis, São João da Madeira, Estarreja, Sever do Vouga, Senhora da Hora e Feira.
O Governador Assistente, Ernesto Silva, esteve presente, assim como Álvaro Gomes, Governa-
dor 2006-2007 e os Governadores Assistentes Santos Bento e Diamantino Matos.
Em Arouca, Manuel Cordeiro lembrou as palavras de John Kenny: “Todos os anos o Presidente
de Rotary International elege algumas áreas para as quais pede a nossa maior atenção. São as
chamadas Ênfases Presidenciais. Para dar continuidade ao trabalho desenvolvido no ano anterior,
John Kenny escolheu as mesmas. Assim todos os clubes do nosso distrito devem concentrar o seu
trabalho nos Recursos Hídricos, no Acesso à Saúde, no Combate à Fome e na Alfabetização. Va-
mos contribuir para que no final deste ano rotário haja mais pessoas com acesso a água potável, a
cuidados de saúde, a uma alimentação condigna e a uma escolaridade suficiente que lhes permita
fazer face ao seu dia a dia que, muitas vezes, é de extrema dificuldade”.
VOG Vila Nova de Foz Côa
Clube de Foz Côa oferece cadeiras de rodas
Vila Nova de Foz Côa, com o presidente Anuário Lobão, recebeu a Visita Oficial do Governador
no dia 16 de Setembro. O Governador visitou o Grupo Desportivo de Vila Nova de Foz Côa, uma
instituição local, e teve ainda oportunidade de perceber a relação estreita que o Clube tem com a
Câmara Municipal, e que já tem dado frutos.
O Clube de Foz Côa tem alguns projectos para o futuro: reconhecimento de mérito escolar a
alunos dos estabelecimentos de ensino da cidade, oferta de cadeiras de rodas sempre que lhe são
solicitadas; durante as 4 semanas antes do 15 de Dezembro fazem recolha de bens alimentares
que depois são distribuídos pelas famílias mais necessitadas do concelho.
O Clube tem como objectivo manter o quadro social actual. Na Visita estiveram presentes os
clubes de Vale de Cambra, Régua e Vila Real (estes dois colaboraram na criação deste clube, cujo
clube padrinho é o de Santo Tirso).
O Governador Assistente, Mário Mendes, esteve presente, assim como Manuel Cardona, Go-
vernador 1987 – 1988 e esposa Helena.
Em Foz Côa, Manuel Cordeiro lembrou a importância de apoiar a Rotary Foundation: “Relembro
a todos que é um dever os clubes fazerem donativos para a Rotary Foundation. Se o fizerem e o
destinarem ao Fundo Anual de Programas estarão a semear para colher, ou seja, irão beneficiar,
três anos mais tarde, de metade desse dinheiro para a implementação dos seus projectos. No
próximo dia 14 de Novembro vai realizar-se o Seminário Distrital da Rotary Foundation, organiza-
do pelo RC de Vila do Conde onde será dada ênfase à Rotary Foundation e aos seus programas.
Também não podemos esquecer a Fundação Rotária Portuguesa e o programa de Erradicação da
Pólio”.
VOG Amarante
Amarante homenageia um profissional todos os anos
Amarante recebeu a Visita Oficial do Governador no dia 21 de Setembro. O Clube tem como pa-
drinho o Rotary Club do Porto, mas destaca-se pelo número de clubes afilhados: Vila Real, Luanda,
Estarreja, Penafiel, Resende e Ovar.
No que diz respeito aos projectos, o Rotary Club de Amarante, liderado por Francisco Cerquei-
ra, oferece anualmente uma cadeira de rodas para a Santa Casa da Misericórdia local; participa
no Banco Alimentar; disponibiliza um Bar, cedido pela Junta de freguesia, a várias organizações
de jovens entre as quais os escuteiros; e homenageia um profissional. Prontificaram-se ainda a
receber o grupo do IGE.
O Clube de Amarante pretende aumentar o quadro social com dois novos sócios e vai subscre-
ver um Título Paul Harris. Todos os anos fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa.
Na Visita Oficial do Governador estiveram presentes os clubes de Vila Real, Penafiel, Cinfães e
Resende. O Governador Assistente, companheiro Carlos Lima Santos, esteve presente. O compa-
nheiro Manuel Cardona, Governador 1987-1988 e esposa Helena também marcaram presença em
Amarante.
No seu discurso, Manuel Cordeiro apelou à recepção do grupo de IGE: “O distrito vai organizar
um IGE – Intercâmbio de Grupos de Estudos financiados pela Rotary Foundation e que possibilitam
a empresários e profissionais entre 25 e 40 anos de idade participar de intercâmbios culturais e
profissionais em países terceiros por um período de quatro semanas. Conto com o empenho do
Vosso clube para conseguirmos um conjunto de participantes que dignifique o nosso distrito. Nós
receberemos um grupo do Distrito 4660, de parte do Estado do Rio Grande do Sul”.
VOG Senhora da Hora
Senhora da Hora levou Governador à Univer-
sidade Sénior
O Clube da Senhora da Hora recebeu a Visita
Oficial do Governador a 24 de Setembro. Ma-
nuel Cordeito visitou a Casa do Caminho, uma
instituição de apoio a crianças em risco que o
Rotary Club da Senhora da Hora tem vindo a
apoiar há vários anos. Numa visita muito enri-
quecedora, o Governador teve ainda oportuni-
dade de visitar a Universidade Sénior de Rota-
ry dos clubes de Matosinhos, Senhora da Hora,
Leça da Palmeira e São Mamede de Infesta. O
cicerone foi o actual presidente, o companhei-
ro Meireles, do Rotary Club de São Mamede
de Infesta que, com muita simpatia e amizade,
explicou à comitiva todas as actividades que
ali se desenvolvem. As Universidades Seniores
dão grande visibilidade aos clubes e têm ob-
jectivos sociais de grande alcance. O Clube da
Senhora da Hora prontificou-se a receber ainda
o grupo do IGE por duas noites.
Todos os anos têm feito doações à Fundação
Rotária Portuguesa e homenageiam um pro-
fissional. Para além disso, têm muitos outros
projectos: prémios escolares; aumento do ban-
co de cadeiras de rodas e camas articuladas;
realização do Rally Paper e Feira da Saúde;
passeio à região da Serra da Estrela, Magus-
to, Ceia de Natal, Carnaval, Páscoa, Festa da
Primavera e Aniversário do Clube; participa em
dois Projectos de Subsidio Equivalente na área
da Cegueira Evitável: Compra de equipamento
oftalmológico para hospitais Rotary na Índia e
Cirurgias às cataratas na Índia.
O Rotary Club da Senhora da Hora, lide-
rado por Pedro Fernandes, pretende aumentar
o quadro social para atingir os 41 membros.
Pretendem ainda concretizar doações à Rotary
Foundation.
Na visita estiveram presentes os clubes de
Viana do Castelo, Gaia, Maia, Porto Antas, Pó-
voa de Varzim, Vale de Cambra, Esposende,
Ovar, Águas Santas, Ermesinde, Gondomar,
Leça da palmeira (Clube Afilhado) e São João
da Madeira. Esteve também o clube em forma-
ção de Leça do Balio. O Governador Assisten-
te, companheiro Manuel Jerónimo, esteve pre-
sente. Esteve presente o presidente da junta
de freguesia da Senhora da Hora, Alexandre
Pires. Estiveram também presentes os compa-
nheiros Álvaro Gomes, Governador 2006-2007,
Madureira Pires, Governador 1993-94 e 1997-
98, Henrique Maria, Governador 2008-2009,
Rui Sequeira, Governador 1984-85, Diamantino
Gomes, Governador 2004-2005 e respectivas
esposas. Estiveram também os companheiros
Governadores Assistentes Carlos Lima San-
tos e Santos Bento. No seu discurso, Manuel
Cordeiro apelou à recepção do grupo de IGE:
“O distrito vai organizar um IGE – Intercâmbio
de Grupos de Estudos financiados pela Rotary
Foundation e que possibilitam a empresários e
profissionais entre 25 e 40 anos de idade parti-
cipar de intercâmbios culturais e profissionais
em países terceiros por um período de quatro
semanas. Conto com o empenho do Vosso clu-
be para conseguirmos um conjunto de partici-
pantes que dignifique o nosso distrito”.
VOG Cinfães
Governador divulgou Rotary em Escola de Cinfães
Cinfães recebeu a Visita Oficial do Governador no dia 25 de Setembro. Manuel Cordeiro visitou a
Escola Secundária Dr. Flávio Nobre, numa visita que teve a particularidade de o Governador ter feito
uma conferência para cerca de 100 jovens e docentes da escola acerca de Rotary. Também houve
uma visita à Biblioteca da Escola EB 2,3 de Cinfães. Maria Antónia, esposa do Governador, visitou,
acompanhada pelos cônjuges, o Lar de Idosos e a Creche da Santa Casa da Misericórdia.
O Clube de Cinfães, liderado por José Oliveira, demonstrou ter uma relação muito estreita com
a Câmara Municipal com quem tem colaborado com muitos frutos, nomeadamente através de um
projecto de bolsas patrocinadas pela autarquia para alunos do secundário e das universidades (6
de cada). Entre outros projectos, destacam-se: stand de divulgação na Escola EB 2,3 englobado
no encontro de Novas Oportunidades; pretendem instalar a Universidade Sénior ainda este ano,
para a qual já têm instalações e alguns docentes; fazem palestras temáticas; publicam as Refle-
xões Rotary Online, sobre a vida do clube e do movimento; vão apresentar um espectáculo com
o Grupo Cénico de Cinfães; colaboraram na angariação de fundos para a Pólio com a venda do
livro “Contos Serranos e Ribeirinhos” da autoria do companheiro Presidente José Oliveira; vão
colaborar com o RC do Porto – Portucale levando crianças de Cinfães a passar um dia no Porto. O
Clube prontificou-se ainda a receber o grupo do IGE. Anualmente têm feito doações à Fundação
Rotária Portuguesa. No que diz respeito ao quadro social, pretendem aumentá-lo com três novos
membros. Na visita do Governador foram admitidos dois novos membros: o companheiro Manuel
Cerqueira e a companheira Sérgia Cerqueira. Estiveram presentes os Clubes de Vila Real, Feira,
Resende, Amarante, Castelo de Paiva, Oliveira de Azeméis, Porto-Foz, Paredes e Lamego. Esteve
presente o companheiro Manuel Cardona, Governador 1987 – 1988 e esposa Helena.
O Governador Manuel Cordeiro, no seu discurso, lembrou a intenção de organizar quatro RYLA
este ano: “A exemplo do ano anterior vamos tentar organizar 4 RYLA - em português, Prémio Ro-
tário de Liderança Juvenil. Com eles vamos proporcionar aos jovens uma oportunidade para aper-
feiçoarem a capacidade de chefia dos jovens perspectivando-se o objectivo de Rotary que tem
por fim último a amizade entre Pessoas e as Nações na obtenção da compreensão e Paz Mundial.
Conto com o Vosso empenho para candidatar jovens para participarem num deles. É necessário
mostrar-lhes que se trata de uma experiência muito interessante e útil. Se o conseguirmos fazer
teremos a sua disponibilidade para participar”.
VOG Montemor-o-Velho
Montemor-o-Velho admitiu um novo compa-
nheiro durante a VOG
No dia 26 de Setembro Montemor-o-Velho
recebeu a Visita Oficial do Governador. Manuel
Cordeiro pôde perceber a relação muito estreita
que o Clube mantém com a Câmara Municipal,
com quem têm uma relação frutuosa. A visita
ao Senhor Presidente da Câmara Municipal,
Luís Leal, também membro do RC de Montemor,
foi feita no Sábado à tarde o que demonstra
bem o seu empenho em colaborar com o clube,
assim como a consideração que o trabalho que
o clube desenvolve lhe merece.
O Governador visitou ainda a Santa Casa da
Misericórdia de Tentúgal, onde esteve no Lar
de idosos. A cicerone foi Lurdes Salgado, fun-
cionária da instituição.
Todos os anos, o Clube de Montemor-o-Ve-
lho, este ano liderado por Augusto Rainho, en-
trega um donativo a uma instituição local, este
ano à Santa Casa da Misericórdia de Tentúgal.
Mas têm outros projectos: entregaram um ar-
mário para apoio ao Gabinete de Enfermagem
da mesma Santa Casa; têm um projecto de
apoio ao ensino da língua portuguesa na Guiné-
Bissau, através do pagamento dos salários de
dois professores; têm um projecto “Água para a
Guiné” que consiste em proporcionar água po-
tável a povoações na Guiné; têm um ciclo de
conferências temáticas e alguns projectos de
solidariedade social e de apoio à juventude, a
nível da cultura e da educação. Anualmente fa-
zem doações à Fundação Rotária Portuguesa.
O Clube de Montemor-o-Velho vai unir es-
forços para manter o quadro social e aumentar
em pelo menos mais um sócio, já que durante
a visita do Governador foi admitido um novo
companheiro, Rui Artur.
Na Visita Oficial do Governador estiveram
presentes os Clubes da Figueira da Foz (Clube
Padrinho) e de Coimbra. O Governador Assis-
tente, companheiro António Vaz, esteve pre-
sente.
O Governador Manuel Cordeiro, no seu dis-
curso, lembrou a intenção de organizar quatro
RYLA este ano: “A exemplo do ano anterior va-
mos tentar organizar 4 RYLA - em português,
Prémio Rotário de Liderança Juvenil. Com eles
vamos proporcionar aos jovens uma oportuni-
dade para aperfeiçoarem a capacidade de che-
fia dos jovens perspectivando-se o objectivo de
Rotary que tem por fim último a amizade entre
Pessoas e as Nações na obtenção da compre-
ensão e Paz Mundial. Conto com o Vosso em-
penho para candidatar jovens para participa-
rem num deles. É necessário mostrar-lhes que
se trata de uma experiência muito interessante
e útil. Se o conseguirmos fazer teremos a sua
disponibilidade para participar”.
VOG Porto Douro
Porto Douro tem Interact activo
No dia 29 de Setembro o Governador visitou o Porto Douro, um Clube que pretende aumentar o
quadro social em dois membros e subscrever um Título Paul Harris.
Manuel Cordeiro teve oportunidade de ficar a conhecer os muitos projectos deste Clube, este
ano liderado por João Azevedo: apoiam Crianças da Guiné; participam no Concurso Canto Lírico
(Ibérico); apoiam um lar de idosos (Junta de Freguesia de Miragaia) e a Associação Criança e Vida;
todos os anos organizam um espectáculo para angariação de fundos em conjunto com os outros
clubes do Porto, sendo que este ano será um Recital de piano na Fundação de Serralves; participa
no Projecto PISTA em parceira com os Rotary Clubes do Porto, Porto Antas, Porto Foz e Porto Oes-
te, projecto que tem como objectivo despistar e acompanhar crianças sobredotadas.
Todos os anos o Clube Porto Douro faz ainda doações para a Fundação Rotária Portuguesa
e homenageia um profissional. Também já se prontificaram a receber o grupo do IGE por duas
noites.
Na visita estiveram presentes os Clubes do Porto Foz, Porto, Maia e Interact do Porto Douro. O Go-
vernador Assistente, companheiro Francisco Higino, esteve presente assim como o companheiro
Alcino Cardoso, Governador 1995-96.
Nesta visita, o Governador Manuel Cordeiro lembrou a Conferência Distrital de 2010: “Este ano
a Conferência Distrital será em Vila Real, na Aula Magna da UTAD, nos dias 28, 29 e 30 de Maio
de 2010. O tema que escolhi e que já foi anunciado em Espinho na Conferência Distrital, é EDUCA-
ÇÃO E COOPERAÇÃO – O FUTURO DE ROTARY. Ainda que muito longe no tempo peço-vos que
considereis esses dias como preenchidos nas vossas agendas”.
OUTUBRO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros rotários:
Há muitas organizações de prestação de serviços no mundo, mas nenhuma tão antiga e
bem-sucedida como o Rotary. Existem várias razões para isso e os Serviços Profissionais são
uma delas. Este ano, peço que dêem atenção especial a esta Avenida de Serviços, que é às
vezes colocada em segundo plano no Rotary.
Padrões éticos nos negócios e na vida pessoal ainda são tão importantes hoje quanto em
1905. Muitos dos problemas enfrentados em todo o mundo actualmente resultam da falta de
ética no sector empresarial.
Os Serviços Profissionais comprovam que no Rotary aplicamos os mais altos valores éticos
na condução de nossos negócios ao mesmo tempo em que usamos nossas habilidades voca-
cionais para ajudar os necessitados. Esta noção é simples e parte integral do Rotary.
Muitas organizações estão abertas a todos os que desejam se afiliar. Este nunca foi o caso
no Rotary. Os rotários buscam somente sócios qualificados, aqueles com o carácter, as habili-
dades e a determinação necessários para contribuir efectivamente nos seus clubes.
Sempre acreditei que a base do Rotary é seu compromisso com a ética. A organização co-
loca o que é certo acima do que é conveniente e seu lema Dar de Si Antes de Pensar em Si a
diferencia das outras entidades. É por isso que precisamos ter sempre em mente que cada um
de nós representa a imagem pública do Rotary. O que um faz, seja bom ou indevido, se reflecte
em todos nós.
Muito do que realizamos até hoje foi possível graças à confiança outorgada pela sociedade
ao Rotary e aos rotários. Esta credibilidade tem sido fundamental ao nosso sucesso na erradi-
cação da pólio. Somos conhecidos em inúmeras comunidades como pessoas generosas e de
boa vontade.
Se quisermos que o Rotary prospere, precisamos ter em mente os Serviços Profissionais. De-
vemos buscar pessoas dignas, capacitadas e resolutas, e e fazer o que é certo, mesmo quando
não seja conveniente. E precisamos sempre nos deixar guiar pelo lema que nos incentiva a Dar
de Si Antes de Pensar em Si.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
Rotary dedica o mês de Outubro aos Serviços Profissionais. Não nos podemos esquecer
de que somos rotários porque somos profissionais. Cada um de nós deve exigir de si próprio,
no exercício da sua profissão, praticar e promover os mais altos padrões de ética em toda a
extensão da sua ocupação, ou seja, deve ser justo com os que com ele trabalham quer sejam
seus funcionários ou seus concorrentes. Hoje, como há cem anos, a ética deve ser sempre a
nossa primeira preocupação.
Cada um de nós deve colocar ao serviço do seu clube toda a sua experiência profissional
para assim ser mais fácil a implementação de projectos nas comunidades locais e/ou terceiras.
Muitas vezes digo que devemos ter sempre presente a nossa condição de rotários com tudo
o que de solidário essa palavra encerra. Quando a nossa profissão nos permite deslocar-nos
para fora das nossas localidades, em especial para outros países, devemos aproveitar e desen-
volver a nossa actividade de rotários sem prejuízo do exercício exemplar da nossa profissão.
Este é um mês em que podemos iniciar actividades de serviços profissionais que poderão
ser implementadas ao longo de todo o ano rotário. Temos que estar atentos aos problemas das
comunidades em que estamos inseridos, sem esquecer as de países terceiros.
Todos os clubes devem dedicar uma das reuniões de Outubro para falar sobre a Prova Quá-
drupla e a Declaração para Executivos e Profissionais Rotários. Porque não chamar profissio-
nais rotários a falarem sobre a Prova Quádrupla? Por exemplo “A Prova Quádrupla no dia a dia
da vida de …” um político rotário, um médico, um advogado, ou outro profissional. Nós temos o
privilégio de ter nos nossos clubes profissionais das mais variadas áreas, o que torna a reali-
zação destas conferência muito fácil.
Devemos ter também presente que neste mês se dedica o dia 24 à Erradicação da Pólio.
Considero muito importante que todos contribuamos para que este objectivo seja atingido.
Termino desejando a todos um bom mês de Outubro.
Um abraço do Vosso companheiro e amigo,
Manuel Cordeiro
JANTAR END POLIO NOW
No dia 31 de Outubro o Casino da Póvoa de
Varzim encheu! O motivo era nobre - angaria-
ção de fundos para a erradicação da polio.
O jantar teve início com as Boas Vindas
dadas pela presidente do Rotary Club de S. Tir-
so – Isabel Machado. Na sua intervenção es-
clareceu ter tido a organização deste evento
origem num sonho, tornado objectivo para este
ano rotário, na Comissão da Rotary Foundation
do seu clube, presidida pelo Companheiro PGD
Gonçalves Afonso (Assistente para os Distritos
1960 e 1970 do CRRF, zonas 12, 13B e 19), que
com grande dedicação e entrega, moveu toda
a sua influência de forma a conseguir os meios
que possibilitaram esta grande realização.
De referir que a intenção primeira sempre
foi oferecer os proveitos à Rotary Foundation
para a erradicação da Polio, logo consequente-
mente à Comissão Distrital da Rotary Founda-
tion na pessoa do seu presidente Compº PGD
Álvaro Gomes que desde o princípio acolheu a
iniciativa e a tomou a peito como sua também.
Prova disso foi todo o seu esforço e colabora-
ção para que a sala estivesse cheia.
O nosso Governador de Distrito Compº Ma-
nuel Cordeiro envolveu-se desde o primeiro
momento, tal como se pôde constatar no apelo
à participação neste evento, sempre pronun-
ciada em todas as suas Visitas Oficiais aos
Clubes. Assim sendo, esta iniciativa acabou
por resultar de um trabalho em parceria e es-
treita colaboração entre o Rotary Club de S.
Tirso, Governadoria e Comissão Distrital da
Rotary Foundation.
De salientar a colaboração e patrocínio de
várias instituições, empresas e pessoas que
merecem um público agradecimento nomeada-
mente: A Ex. Administração do casino da Pó-
voa de Varzim na pessoa do seu Administrador
Sr. Dr. Dionísio Vinagre.
Ao Presidente da Liga portuguesa de Futebol
Sr. Dr. Hermínio Loureiro por toda a colabora-
ção que deu a esta iniciativa na projecção do
“End Polio Now” nos estádios de Futebol.
À fadista Elsa Gomes que se disponibilizou
a abrilhantar este jantar.
Às Compªs Teresa Dias e Raquel Moreira
do Rotarct Clube da Trofa pela sua pronta co-
laboração.
O jantar foi precedido da apresentação de
um pequeno filme de Rotary sobre a erradica-
ção da Polio intitulado - “A Vitória está próxi-
ma” Seguiu-se o jantar com acompanhamento
musical, onde se desfrutaram agradáveis mo-
mentos de companheirismo. No final da sobre-
mesa a actuação das companheiras Rotarac-
tistas Teresa Dias na voz e Raquel Moreira na
Guitarra. Depois a intervenção do Compº PGD
Álvaro Gomes - Presidente da Comissão Distri-
tal da Rotary Foundation continuando-se com
a intervenção do Governador de Distrito 1970
Compº Manuel Cordeiro e Maria Antónia que
fez a apresentação oficial da capa do Livro “
Caminhadas na Bruma” – projecto dos Cônju-
ges.
Após o que foi altura de se fazer silêncio…..
Cantou-se o fado pela voz de Elsa Gomes.
Prosseguiu-se com uns bons passos de dança
no baile que finalizou este evento.
Foi uma magnífica noite onde se praticou
companheirismo, onde se contribuiu para um
dos grandes objectivos de Rotary, onde se
mostrou que somos um Distrito que diz sim aos
ideais rotários e às grandes causas.
Mas tudo isto só foi possível graças à pre-
sença de todos os que acreditaram, que cola-
boraram, que estiveram presentes.
Isto é Rotary! Bem hajam!
REPRESENTANTE DISTRITAL DE INTERACT
CONGRESSO DISTRITAL DE INTERACT
Foi no passado dia 10 de Outubro, que as
novas gerações se juntaram em mais um en-
contro distrital de Rotaract e Interact em Santo
Tirso.
Na preparação deste encontro o objectivo
era que este se tornasse num evento que ficas-
se na memória de todos e assim aconteceu. Foi
um evento com muitas inscrições e em que o
espírito de companheirismo se fez notar. Des-
de a sessão de trabalhos até ao jantar existem
momentos que permanecem na memória de to-
dos e que tornaram este evento tão especial.
No que toca ao Interact, tivemos uma sessão
de trabalhos muito produtiva, com a apresen-
tação dos projectos da representadoria até ao
Natal, com momentos de partilha, e claro com
a interacção dos clubes que deixaram no ar
muitas ideias ao bom espírito de qualquer in-
teractista.
O Interact ainda se destacou neste encontro
distrital pela fantástica adesão dos interactis-
tas deste distrito, em que oito dos dez clubes
existentes estiveram presentes e responderam
ao desafio lançado por mim, em “pôr o distrito
a mexer”.
Alguns clubes viram pela primeira vez o
espírito interactista em prática, outros vieram
mais uma vez para uma actividade em que se
fizeram novas amizades e onde o lema foi pos-
to em prática.
Foi um encontro feito por interactistas e para
interactistas, a partir daquele dia o distrito co-
meçou oficialmente a trabalhar, e agora resta
- nos aproveitar todo este espírito e com muita
inter - ajuda, trabalho e companheirismo fazer
com que este ano rotário seja a construção ple-
na do futuro de Rotary.
Iolanda Lima
Representante Distrital
ENCONTRO DISTRITAL DE ROTARACT E INTERACT
Pela primeira vez, de acordo com o novo ca-
lendário distrital de eventos, decorreu dia 10 de
Outubro, em Santo Tirso, o Encontro Distrital de
Interact e Rotaract do Distrito 1970, organizado
pelos clubes locais.
Num fim de tarde em que todos os caminhos
do Distrito conduziam a Santo Tirso, as insta-
lações da Adega Cooperativa de Santo Tirso
acolheram a sessão de trabalhos dos clubes
rotaractistas, onde a Comp. Sofia Estebainha
foi aclamada Representante Distrital de Rota-
ract Distrito 1970 para o ano rotário 2010-2011
e também onde foi distribuída a primeira edição
do Boletim da Representante. Findos os traba-
lhos, foi também na Adega que decorreu uma
animada prova de vinhos verdes, onde todos os
companheiros puderam saborear o melhor da
tradição vinícola da região. Este momento foi
particularmente apreciado pelos Companheiros
Kayra Ermutlu (Rotaract Club de Galatasaray,
Turquia) e Filipe Luiz Oliveira e esposa, Juliane,
(Rotaract Club Niterói Arariboia), pela novidade
dos paladares. A presença destes companhei-
ros de lugares tão longínquos deu sem dúvida
um colorido especial ao evento, e permitiu uma
rica partilha de experiências e vivências rota-
ractistas. O Encontro Distrital continuou com
um momento de animado companheirismo em
torno de um porco no espeto, onde, já em con-
junto com os clubes de Interact, os primeiros
momentos foram dedicados ao apoio à selec-
ção portuguesa de futebol. Durante o jantar foi
ainda tirada uma fotografia de família, que foi
enviada para a revista The Rotarian, com a es-
perança de que seja publicada na edição espe-
cial de Fevereiro de 2010.
O Encontro contou com a presença de 8 clu-
bes de Interact, 13 de Rotaract e 4 de Rotary,
entre os quais o Rotary Club de Vila Real, clube
do Companheiro Manuel Cordeiro, Governador
do Distrito, que esteve presente no evento jun-
tamente com a esposa, no já habitual e sempre
muito bem-vindo apoio aos clubes de jovens.
Presentes estiveram também alguns jovens da
ASAS – Associação de Solidariedade e Acção
Social de Santo Tirso, instituição de acolhimen-
to de crianças em risco que é este ano apoiada
pelas Representantes Distritais de Rotaract e
Interact. Esta foi uma forma de proporcionar a
todos momentos únicos de companheirismo e
alegria, enriquecedores para todos os que os
viveram. Para o ano, está prometido, há mais!
VOG Chaves
Chaves com Universidade Sénior de sucesso
No dia 2 de Outubro, o Governador visitou oficialmente o Clube de Chaves, momento em que
pôde perceber a relação estreita que o Clube mantém com a Câmara Municipal, cujo apoio tem
sido fundamental para o êxito da Universidade Sénior. A autarquia ofereceu o espaço para a sede
e novas instalações de uma universidade que o Governador teve oportunidade de visitar.
São os seguintes os principais projectos do Rotary Club de Chaves, este ano liderado por Del-
mira Rodrigues: pretendem realizar um rastreio ao glaucoma em colaboração com o Instituto Óp-
tico, no concelho de Chaves; arranjar livros para crianças carenciadas e entregar vários livros à
biblioteca de Nantes; apoiar a Escola de Artes e Ofícios de Chaves; reactivar a Casa da Amizade;
promover palestras temáticas; apoiar pessoas idosas não institucionalizadas.
O Clube pretende aumentar o quadro social actual em pelo menos um sócio e já se prontifica-
ram a receber o grupo de IGE em duas noites. Anualmente fazem doações à Fundação Rotária
Portuguesa. Na visita estiveram presentes os clubes de Vila Real, Valpaços (Clube Afilhado), Gui-
marães e Bragança. O Governador Assistente, companheiro José Boaventura, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou que “o mês de Setembro é dedicado à juventude, às
Novas Gerações. Assim na sua mensagem o nosso Presidente dá realce aos temas com ela rela-
cionados. No início da mensagem cita Lord Byron, que um dia afirmou “Nossos dias de juventude
são nossos dias de glória”. Diz Jonh Kenny que “Esta citação vem-me à cabeça toda vez que ouço
falar nos programas pró-juventude do Rotary. Setembro é Mês das Novas Gerações – um momento
de prestar atenção a estes programas e ao seu papel de formador dos rotários do futuro”.
VOG Caldas das Taipas
Caldas das Taipas geminado em Espanha e França
O Governador do Distrito 1970 visitou Caldas das Taipas no dia 6 de Outubro. O Clube levou Ma-
nuel Cordeiro até uma empresa de tesouras de poda, a Fertuzinhos, e deu a conhecer muitos dos
seus projectos: atribuição de prémios escolares ao melhor aluno de cada uma das quatro escolas
do concelho, homenagem a um profissional; fazem passeios com os familiares. O Clube, este ano
liderado por João Ribeiro, pretende aumentar o banco de cadeiras de rodas, em pelo menos 10
cadeiras e fazer a gestão e a manutenção do Banco Solidário instalado na sede do clube (banco
de roupas, calçado, produtos alimentares, livros, etc.). O Rotary Club de Caldas das Taipas é ge-
minado com o Rotary Club de Alcalá de Henares, Espanha, e com o Rotary Club de Nord-Blayais,
França. Prontificou-se a receber o grupo do IGE.
O Clube pretende aumentar o quadro social com um sócio. Subscreveram um título Paul Harris
e anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Guimarães (Clube Padrinho), Fafe, Esposende e
Vizela. O Governador Assistente, companheira Maria do Resgate, esteve presente.
A comprovar a relação muito estreita que o Clube tem com a Junta de Freguesia, o Presidente,
Gonçalo Veiga estado presente no jantar. Esteve também César Machado, Vice-Presidente da
Câmara Municipal de Guimarães e o companheiro José Rocha, Governador Assistente.
No seu discurso Manuel Cordeiro não esqueceu a juventude: “Rotary dedica grande atenção
aos mais jovens. Foi com esse objectivo que surgiram os programas pró-juventude – ROCTA-
RACT, INTERACT, RYLA e Intercâmbio de Jovens que Jonh Kenny considera alguns dos mais
importantes programas de rotary pois são um potencial muito importante para “influenciar jovens
mentes e espíritos, encaminhando-os na direcção da paz, boa vontade e harmonia”. Segundo John
Kenny “sem dúvida que as nossas experiências de juventude têm muito mais influência no nosso
carácter do que aquelas que temos na vida adulta”.
VOG Ponte da Barca
Projecto “Conhecer Mais e Melhor Rotary” em Ponte da Barca
O Governador do Distrito 1970 foi a Ponte da Barca no dia 8 de Outubro e teve a oportunidade
de visitar a Santa Casa da Misericórdia.
O Clube de Ponte da Barca, este ano liderado por Armindo Silva, pretende aumentar o quadro
social em dois membros e tem vários projectos em curso: rastreio visual aos alunos do 1º ciclo;
apoio ao Centro de Saúde de Ponte da Barca – cadeiras de rodas, camas articuladas, colchões
ortopédicos; aquisição de duas cadeiras de rodas eléctricas para 2 irmão com doença degene-
rativa; apoio a operações às cataratas; apoiaram trigémeos com carrinho, roupas e alimentação;
homenageiam um profissional; fazem reconhecimentos de mérito escolar aos alunos do concelho.
Já se prontificaram a receber o grupo do IGE por duas noites.
Para Manuel Cordeiro, o projecto deste Clube, “Conhecer Mais e Melhor Rotary”, é muito interes-
sante. Todas as semanas um dos companheiros intervém sobre um tema, e pensam desta forma
conseguir motivar mais os companheiros.
O Clube subscreveu um título Paul Harris e faz doações regulares à Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os Clubes de Valença, Vila Verde, Ponte de Lima, Esposende, Cami-
nha, Barcelos (Clube Padrinho), Viana do Castelo, Braga Norte e Monção.
O Clube tem uma relação muito estreita com a Câmara Municipal com quem têm colaborado
com muitos frutos. O Vereador da Cultura, Manuel Joaquim esteve presente no jantar festivo.
Também estiveram presentes o Padre António Brito, pároco de Ponte da Barca, Arlindo Bago, Pre-
sidente dos Bombeiros e o António Bouças, Provedor da Santa Casa da Misericórdia.
No seu discurso, Manuel Cordeiro enfatizou a importância da juventude: “Quando um adoles-
cente português tem a chance de participar de um Dia Nacional de Imunização na Índia, ou um
jovem brasileiro passa um ano estudando no Japão, eles nunca mais serão os mesmos. Estes
jovens terão estabelecido conexões e laços que durarão para sempre. Eles nunca mais verão o
seu país ou o mundo da mesma maneira. A sua perspectiva, suas prioridades e seus valores terão
sido permanentemente moldados por sua experiência de uma maneira que não será reproduzida
por experiências posteriores”.
VOG Guarda
No dia 13 de Outubro o Governador do Distrito
1970 visitou oficialmente o Clube da Guarda, que
tem uma relação muito estreita com a Câmara
Municipal. O Governador teve oportunidade de
visitar o Instituto São Miguel do Outeiro, conhe-
cido por Liga dos Servos de Jesus, hoje dirigida
pelo Cónego Dr. Manuel Joaquim Pinto.
Manuel Cordeiro ficou ainda a conhecer os
projectos do Clube, este ano liderado por Manuel
Rodrigues: tem três bolsas patrocinadas por três
empresas da Guarda; faz o Natal Solidário, no
qual os membros do Clube passam uma tarde
com idosos de várias instituições – festa, con-
vívio, lanche, música; tem protocolos com várias
instituições – Casa da Sagrada Família, Aldeia
SOS de Diz; faz reconhecimentos de mérito es-
colar aos alunos do concelho. Na visita o Clube
da Guarda admitiu um novo companheiro, mas
pretendem admitir dois novos sócios. Vai subs-
crever um Título Paul Harris e anualmente faz
doações à Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de
Mangualde (Clube Padrinho), Viseu, Trancoso,
Covilhã e Foz Côa. O Governador Assistente,
companheiro Carlos Ferreira, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou que
“realizou-se o Seminário de Desenvolvimento do
Quadro Social, Retenção e Expansão. Este ano
resolvi incluir um painel sobre “O futuro de Rotary
e a juventude”, da responsabilidade da Comissão
Distrital das Novas Gerações. Foi reconhecido
por todos os presentes, uma oportunidade ímpar
para conhecermos melhor as actividades dos
mais jovens. As intervenções das companheiras
Ângela, Representante Distrital de ROCTARACT
e Iolanda, Representante Distrital de INTERACT,
foram seguidas por todos com a máxima atenção.
A convicção e a clareza das suas intervenções é
a prova de que a aposta que estou a fazer nas
estruturas dos mais jovens vai ser ganha”.
Boas relações entre autarquia e Clube na Guarda
VOG Águeda
Visita do Governador a Águeda junta três clubes
No passado dia 14 de Outubro, o Rotary Club de Águeda recebeu o Governador do Distrito
1970 Manuel Cordeiro, em Visita Oficial conjunta com os Rotary Clubes de Oliveira do Bairro e
Curia-Bairrada. A cerimónia teve início junto ao Marco Rotário, na entrada norte de Águeda, se-
guindo-se a recepção nas novas instalações da Biblioteca Municipal pelo Presidente da Câmara
Municipal de Águeda, Dr. Gil Nadais e Vereadora Dra. Elsa Corga. Seguiu-se uma detalhada visita
à Biblioteca, com particular destaque para o espaço reservado à Biblioteca Jurídica Dr. Fernando
de Oliveira, que recebe o espólio jurídico do distinto advogado e Rotário falecido recentemente.
Seguiu-se uma visita à sede do Clube de Águeda, no Mercado Municipal, após o que toda a co-
mitiva se deslocou para as Caves Aliança onde decorreu uma reunião de trabalho entre os três
Clubes envolvidos e o Governador. Manuel Cordeiro pôde perceber a relação muito estreita que o
Clube tem com a Câmara Municipal, que já ofereceu espaço para sede.
O Clube de Águeda, este ano liderado por Albano Melo, tem vários projectos: três bolsas patro-
cinadas por empresas e três pela Fundação Rotária Portuguesa; fazem rastreio oftalmológico a
crianças do Ensino Básico de Águeda – mais ou menos 2000 crianças; apoiam a Feira do Leitão e
a Agitágueda em colaboração com o Rotaract e o Interact para angariação de fundos; participam
no banco alimentar duas vezes por ano; fazem uma festa dedicada à família alargada a crianças
com necessidades específicas; têm um espaço do estudante destinado a combater o insucesso
escolar; doam livros à biblioteca de Águeda e vão ainda apoiar uma unidade com deficientes
profundos. O Clube que vai organizar a Assembleia Distrital de 2009, prontificou-se já a receber o
grupo do IGE em duas noites.
O Clube de Águeda pretende aumentar o Quadro Social em pelo menos um sócio, subscreveu
um Título Paul Harris, e anualmente faz doações à Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Águas Santas – Pedrouços, Oliveira do Bairro (Clube Afilha-
do), Aveiro (Clube Padrinho), Coimbra, Estarreja, Ílhavo, Jacarei (São Paulo, Brasil), Maia, Murtosa, Oliveira
de Azeméis, Ovar, Pombal, Porto Antas, Porto Portucale Novas Gerações, Sever do Vouga, Viana do Caste-
lo, Cúria Bairrada (Clube Afilhado), Rotaract de Águeda e Rotaract de Oliveira do Bairro Estiveram também
presentes os companheiro Álvaro Gomes, Bernardino Pereira e Henrique Maria Alves, que já tiveram a
tarefa de governar o Distrito 1970. Também esteve presente o companheiro Armindo Carolino, Governador
Eleito para o ano 2010-2011. O Governador Assistente, companheiro Fernando Castro, esteve presente. No
seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou que “o mês de Setembro é dedicado à juventude, às Novas Gera-
ções. Assim na sua mensagem o nosso Presidente dá realce aos temas com ela relacionados”:
VOG Curia-Bairrada
ca:ia·eai::aaa aaa: e:ia: neta:. kias
A Visita do Governador ao Clube de Curia-Bairrada decorreu em simultâneo com os Clubes de
Águeda e Oliveira do Bairro, no dia 14 de Outubro.
O Rotary Club de Curia-Bairrada, este ano liderado por Carlos Matos, pretende arranjar uma
sede e instalar um Marco Rotário, mas tem já no terreno outros projectos: organizam palestras
temáticas para as comunidades locais, em especial na área da saúde; têm duas bolsas patrocina-
das e para aumentar o número destas bolsas vão envolver as juntas de freguesia; têm um banco
de ajudas técnicas, andarilhos, cadeiras de rodas, camas articuladas, equipamento que empres-
tam às pessoas que o solicitarem. O Clube pretende criar um Rotary Kids e apoiam a saúde infantil
através de voluntariado de alguns sócios.
Em Curia-Bairrada manter o Quadro Social actual é uma prioridade, mas pretendem conseguir
admitir mais um sócio. Anualmente o Clube faz doações á Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Águas Santas – Pedrouços, Águeda (Clube Padri-
nho), Oliveira do Bairro, Aveiro, Coimbra, Estarreja, Ílhavo, Jacarei (São Paulo, Brasil), Maia, Mur-
tosa, Oliveira de Azeméis, Ovar, Pombal, Porto Antas, Porto Portucale Novas Gerações, Sever do
Vouga, Viana do Castelo, Rotaract de Águeda e Rotaract de Oliveira do Bairro.
Estiveram também presentes os companheiros Álvaro Gomes, Bernardino Pereira e Henrique
Maria Alves, Past Governadores do Distrito 1970. Também esteve presente o companheiro Armin-
do Carolino, Governador Eleito para o ano 2010-2011. O Governador Assistente, companheiro
António Vaz, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro não esqueceu o Rotary Kids: “Ainda relacionado com a ju-
ventude, organizámos no dia 12 de Setembro em Santo Tirso, o 1º Encontro de Rotary Kids. Foi
um dia que não mais esquecerei. Estiveram presentes muitas crianças e jovens que “militam” nos
Rotary Kids dos clubes do nosso Distrito. O RC de Santo Tirso está de parabéns. A companheira
Isabel, Presidente do clube, e quem a assessorou fizeram um trabalho digno de realce e que muito
me orgulhou. Oxalá todos os nossos clubes tivessem companheiros ou companheiros com a sua
dedicação aos mais jovens e, estou certo, de que teríamos clubes ainda melhores. Felizmente no
nosso distrito há mais clubes que têm uma atenção especial para com os jovens”.
VOG Oliveira do Bairro
Mais uma companheira em Oliveira do Bairro
A Visita do Governador ao Clube de Oliveira do Bairro decorreu em simultâneo com os Clubes
de Águeda e Curia-Bairrada, no dia 14 de Outubro. Na visita, o Clube admitiu mais uma compa-
nheira, e anunciaram o objectivo de admitirem mais dois sócios.
O Rotary Club de Oliveira do Bairro, este ano liderado por Fernando Castro, subscreveu um
Título Paul Harris e anualmente faz doações à Fundação Rotária Portuguesa.
Como principais projectos tem a atribuição de prémios escolares de Mérito e Cidadania; o re-
forço do banco de material ortopédico; o apoio ao Bombeiros Voluntários de Oliveira do Bairro e
a IPSS do concelho; apoios pontuais às comunidades locais; dia da solidariedade em que fazem
rastreios, recolha de sangue, recolha de bens alimentares; e fazem uma venda de Natal e um
leilão para angariação de fundos.
Na visita estiveram presentes os clubes de Águas Santas – Pedrouços, Águeda (Clube Padri-
nho), Aveiro, Coimbra, Estarreja, Ílhavo, Jacarei (São Paulo, Brasil), Maia, Murtosa, Oliveira de
Azeméis, Ovar, Pombal, Porto Antas, Porto Portucale Novas Gerações, Sever do Vouga, Viana do
Castelo, Cúria Bairrada, Rotaract de Águeda e Rotaract de Oliveira do Bairro.
Estiveram também presentes os companheiros Álvaro Gomes, Bernardino Pereira e Henrique
Maria Alves, que já tiveram a tarefa de governar o Distrito 1970. Também esteve presente o com-
panheiro Armindo Carolino, Governador Eleito para o ano 2010-2011. O Governador Assistente,
companheiro Énio Semedo, esteve presente.
No seu discurso Manuel Cordeiro não esqueceu a juventude: “Rotary dedica grande atenção
aos mais jovens. Foi com esse objectivo que surgiram os programas pró-juventude – ROCTA-
RACT, INTERACT, RYLA e Intercâmbio de Jovens que Jonh Kenny considera alguns dos mais
importantes programas de rotary pois são um potencial muito importante para “influenciar jovens
mentes e espíritos, encaminhando-os na direcção da paz, boa vontade e harmonia”. Segundo John
Kenny “sem dúvida que as nossas experiências de juventude têm muito mais influência no nosso
carácter do que aquelas que temos na vida adulta”.
VOG Porto
Clube do Porto adoptou uma Escola
No dia 12 de Outubro, o Governador no Dis-
trito 1970 fez a sua Visita Oficial ao Rotary
Club do Porto. Na reunião de trabalho, Manuel
Cordeiro ficou a conhecer os principais pro-
jectos do Clube: participam no projecto PISTA,
com os outros clubes do Porto; atribuem os pré-
mios Domingos Ferreira aos melhores alunos;
adoptaram a Escola Augusto Gil; participam
no projecto do Canto Lírico; apoiam a vinda de
crianças guineenses para serem operadas no
IPO do Porto e no Hospital Maria Pia.
No que diz respeito ao Quadro Social, o
Clube do Porto, este ano liderado por Ana Go-
mes, pretende aumentá-lo com três novos só-
cios. Anualmente fazem doações à Fundação
Rotária Portuguesa e vão tentar subscrever um
Título Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os seguintes
Clubes: Maia, Porto Douro, Porto Antas, Gui-
marães (Clube Padrinho), Fafe, Esposende e
Vizela.
O Governador Assistente, companheiro
Francisco Higino, esteve presente. Marcaram
ainda presença os companheiros Waldemar Sá
e Manuel Serôdio, que já foram governadores
do Distrito.
No seu discurso, Manuel Cordeiro enfatizou
a importância da juventude: “Quando um ado-
lescente português tem a chance de participar
de um Dia Nacional de Imunização na Índia, ou
um jovem brasileiro passa um ano estudando
no Japão, eles nunca mais serão os mesmos.
Estes jovens terão estabelecido conexões e
laços que durarão para sempre. Eles nunca
mais verão o seu país ou o mundo da mesma
maneira. A sua perspectiva, suas prioridades
e seus valores terão sido permanentemente
moldados por sua experiência de uma manei-
ra que não será reproduzida por experiências
posteriores”.
VOG Aveiro
Marco Rotário inaugurado em Aveiro
No dia 19 de Outubro o Governador do Distrito 1970 visitou oficialmente o Clube de Aveiro e
pôde assistir à inauguração do Marco Rotário, que contou com a presença do Dr. Élio Maia, Presi-
dente da Câmara Municipal de Aveiro, e do Vereador do Pelouro da Cultura, Companheiro Miguel
Capão Filipe. No dia da visita o Clube admitiu um novo sócio, com a promessa de que pretendem
admitir mais dois. Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa e vão subscrever
dois Títulos Paul Harris.
Manuel Cordeiro ficou a conhecer os principais projectos do Clube, este ano liderado por Paulo
Pinho: têm um banco de material paramédico; têm parcerias com as Florinhas do Vouga e Liga dos
Amigos do Hospital de Aveiro; atribuem várias bolsas a alunos do secundário; pretendem fazer
uma parceria com a Caritas Diocesana de Aveiro, que vai consistir no apadrinhamento de crianças
desfavorecidas; colaboram com o Banco Alimentar contra a fome – ajudaram na sua fundação;
proporcionam consultas médicas grátis a crianças desfavorecidas.
Na visita estiveram presentes os Clubes de Ovar, Estarreja, Esposende, Águeda (Clube Afilha-
do) e Gaia. O Governador Assistente, companheiro Diamantino Matos, esteve presente. Marca-
ram também presença os companheiros Past Governadores Armando Carneiro, João Barbosa, Rui
Amandi e Álvaro Gomes.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou que “realizou-se o Seminário de Desenvolvimento do
Quadro Social, Retenção e Expansão. Este ano resolvi incluir um painel sobre “O futuro de Rotary
e a juventude”, da responsabilidade da Comissão Distrital das Novas Gerações. Foi reconhecido
por todos os presentes, uma oportunidade ímpar para conhecermos melhor as actividades dos
mais jovens. As intervenções das companheiras Ângela, Representante Distrital de ROCTARACT
e Iolanda, Representante Distrital de INTERACT, foram seguidas por todos com a máxima aten-
ção. A convicção e a clareza das suas intervenções é a prova de que a aposta que estou a fazer
nas estruturas dos mais jovens vai ser ganha”.
VOG Fafe
Rotaract e Interact muito activos em Fafe
No dia 20 de Outubro o Governador Manuel Cordeiro esteve em Fafe. A visita oficial consistiu
numa ida à CERCIFAFE, instituição que desenvolve uma actividade de apoio social de grande
alcance. O Governador visitou ainda a Câmara Municipal de Fafe, onde pôde perceber a relação
muito estreita que existe entre autarquia e Clube. Aliás, o presidente da Câmara fez questão de
estar presente no jantar festivo. Com um Rotaract e Interact bastante activos, o Clube, para além
de apoiar a CERCIFAFE, tem um banco de cadeiras de rodas e camas articuladas, cuja gestão
é feita pela Santa Casa da Misericórdia de Fafe, sob protocolo. Têm uma Universidade Sénior e
anualmente entregam prémios escolares para os sete melhores alunos do 9º e do 12º ano.
No que diz respeito ao Quadro Social, o Clube, este ano liderado por Adelino Marinho, pretende
admitir pelo menos dois novos companheiros. Regularmente fazem doações à Fundação Rotária
Portuguesa e vão subscrever três Títulos Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de Guimarães, Braga-Norte, Felgueiras (Clube Afilha-
do), Esposende, Caldas das Taipas, Paredes, Póvoa de Lanhoso e Vizela. O Governador Assisten-
te, companheiro Joaquim Matos Fernandes, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro não esqueceu o Rotary Kids: “Ainda relacionado com a ju-
ventude, organizámos no dia 12 de Setembro em Santo Tirso, o 1º Encontro de Rotary Kids. Foi
um dia que não mais esquecerei. Estiveram presentes muitas crianças e jovens que “militam” nos
Rotary Kids dos clubes do nosso Distrito. O RC de Santo Tirso está de parabéns. A companheira
Isabel, Presidente do clube, e quem a assessorou fizeram um trabalho digno de realce e que muito
me orgulhou. Oxalá todos os nossos clubes tivessem companheiros ou companheiros com a sua
dedicação aos mais jovens e, estou certo, de que teríamos clubes ainda melhores. Felizmente no
nosso distrito há mais clubes que têm uma atenção especial para com os jovens”.
VOG Figueira da Foz
Clube da Figueira da Foz mantém parceria activa com autarquia
No dia 22 de Outubro, o Governador do Distrito 1970 visitou oficialmente o Clube da Figueira da
Foz. Manuel Cordeiro, na reunião de trabalho, ficou a conhecer os vários projectos do Clube, este
ano liderado por Isabel Silva: têm nove bolsas patrocinadas por empresas, pela Câmara e pela
FRP; entregam prémios de reconhecimento de mérito aos 15 melhores alunos das três escolas
secundárias do concelho; têm o prémio Maurício Pinto para reconhecer o mérito ao melhor aluno
do 12º Ano de Contabilidade da Escola Bernardino Machado; entregam cabazes de alimentos no
Natal e na Páscoa a cerca de 70 famílias; apoiam iniciativas locais em parceria com a Câmara
Municipal; pretendem readaptar a nova ala destinada à pediatria do Hospital da Figueira.
No que diz respeito ao Quadro Social, pretendem aumentar entre um a três novos sócios.
Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa e vão tentar este ano subscrever um
Título Paul Harris. Na visita estiveram presentes os clubes de Pombal, Coimbra (Clube Afilhado),
Montemor-o-Velho (Clube Afilhado) e Leiria (Clube Afilhado). O Governador Assistente, compa-
nheiro João Cunha, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou que “o mês de Setembro é dedicado à juventude, às
Novas Gerações. Assim na sua mensagem o nosso Presidente dá realce aos temas com ela rela-
cionados. No início da mensagem cita Lord Byron, que um dia afirmou “Nossos dias de juventude
são nossos dias de glória”. Diz Jonh Kenny que “Esta citação vem-me à cabeça toda vez que ouço
falar nos programas pró-juventude do Rotary. Setembro é Mês das Novas Gerações – um momento
de prestar atenção a estes programas e ao seu papel de formador dos rotários do futuro”.
VOG Esposende
Clube de Esposende quer aumentar Quadro Social
Manuel Cordeiro visitou o Clube de Esposende no dia 23 de Outubro. O Governador do Distrito
teve oportunidade de conhecer a Santa Casa da Misericórdia de Esposende, entidade que tem
companheiros com responsabilidade na gestão. Visitou também o Forum, instalado no antigo farol,
espaço que o Rotary Club ajudou a recuperar.
Na reunião de trabalho, o Clube, este ano liderado por Ilda Branco, seguida de Martinho Fernan-
des, deu a conhecer os seus principais projectos: têm bolsas patrocinadas por empresas para uni-
versitários; têm um Banco de leite – fornecem leite a crianças desfavorecidas até aos dois anos de
idade; sustentam um Banco de cadeiras de rodas; apoiam instituições do concelho – Bombeiros,
Santa Casa da Misericórdia e ASCRA – Associação Social de Crianças em Risco; fazem uma Ceia
de Natal com crianças desfavorecidas; participam no Subsídio Equivalente da Cegueira Evitável.
O Clube tem como objectivo aumentar o Quadro Social em pelo menos dois novos sócios. Anu-
almente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Ovar, Viana do Castelo, Fafe, Gondomar e Barcelos
(Clube Padrinho). Esteve também presente o companheiro Álvaro Gomes, Governador 2007-2008.
O Governador Assistente, companheiro Ernesto Oliveira, marcou presença.
No seu discurso Manuel Cordeiro não esqueceu a juventude: “Rotary dedica grande atenção
aos mais jovens. Foi com esse objectivo que surgiram os programas pró-juventude – ROCTA-
RACT, INTERACT, RYLA e Intercâmbio de Jovens que Jonh Kenny considera alguns dos mais
importantes programas de rotary pois são um potencial muito importante para “influenciar jovens
mentes e espíritos, encaminhando-os na direcção da paz, boa vontade e harmonia”. Segundo John
Kenny “sem dúvida que as nossas experiências de juventude têm muito mais influência no nosso
carácter do que aquelas que temos na vida adulta”.
VOG Coimbra
Clube de Coimbra apoia várias instituições
O Governador do Distrito 1970 visitou oficialmente o Clube de Coimbra no dia 25 de Outubro.
Manuel Cordeiro, guiado pelo Monsenhor João Evangelista, foi visitar a Sé Velha de Coimbra, onde
a comitiva assistiu a uma missa por almas dos membros do clube já falecidos. Seguiram para a
Liga dos Amigos do Hospital da Universidade de Coimbra, onde decorreu uma sessão de apresen-
tação das actividades desenvolvidas. A presidente da direcção pertence ao clube, assim como
outros membros. Também visitaram a Casa dos Pobres, fundada em Maio de 1935, que presta
apoio de pensão completa aos mais carenciados.
Na reunião com o Governador, o Clube, este ano liderado por José Ferreira, apresentou os
principais projectos: apoiam a Casa dos Pobres, uma instituição que tem na sua gestão compa-
nheirismo do clube; apoiam ainda a APPACDM, os Bombeiros Voluntários, a Cozinha Económica, a
Casa Abrigo Padre Américo e a Ordem Terceira de São Francisco – Lar de Terceira Idade; atribuem
bolsas patrocinadas a alunos carenciados; e têm dois prémios de mérito escolar em colaboração
com a Escola Secundária São Diniz. A médio prazo pretendem consolidar o Rotary Kids e incen-
tivar os jovens ao serviço da comunidade.
Durante a visita o clube admitiu uma nova companheira e um novo companheiro, mas pretendem
admitir mais dois. Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa, subscreveram dois
Títulos Paul Harris e aceitaram receber a IGE por duas noites. Na visita estiveram presentes os
clubes de Coimbra Santa Clara (Clube Afilhado), Porto Antas, Santo Tirso, Figueira da Foz (Clube
Padrinho), Ovar, Oliveira do Bairro (Clube Afilhado), Montemor-o-Velho e Vizela.
Estiveram também presentes os companheiros Álvaro Gomes, Henrique Maria Alves e Gonçal-
ves Afonso, anteriores Governadores do Distrito. O Governador Assistente, companheiro Fernando
Castro, esteve presente. No seu discurso, Manuel Cordeiro enfatizou a importância da juventude:
“Quando um adolescente português tem a chance de participar de um Dia Nacional de Imunização
na Índia, ou um jovem brasileiro passa um ano estudando no Japão, eles nunca mais serão os
mesmos. Estes jovens terão estabelecido conexões e laços que durarão para sempre. Eles nunca
mais verão o seu país ou o mundo da mesma maneira. A sua perspectiva, suas prioridades e seus
valores terão sido permanentemente moldados por sua experiência de uma maneira que não será
reproduzida por experiências posteriores”.
VOG Leça da Palmeira
Clube de Leça da Palmeira promete 5 novos
sócios
O Governador do Distrito 1970 visitou oficial-
mente o Clube de Leça da Palmeira no dia 26 de
Outubro. Manuel Cordeiro teve a oportunidade
de conhecer o Centro Social de São Francisco
de Assis, instituição onde se desenvolvem várias
actividades de apoio às populações. Na reunião
de trabalho, o Governador ficou a conhecer os
principais projectos do Clube, este ano liderado
por João Azevedo. Percebeu que, para além de
apoiarem o Centro Social de São Francisco de
Assis e a Universidade Sénior à qual pertencem,
pretendem reanimar a Casa da Amizade.
Ambiciosos, os responsáveis do Clube de
Leça da Palmeira, pretendem aumentar o Qua-
dro Social em pelo menos cinco novos sócios.
Anualmente fazem doações à Fundação Ro-
tária Portuguesa, já subscreveram dois Títulos
Paul Harris e prontificaram-se a receber o grupo
do IGE por uma ou duas noites.
Na visita estiveram presentes os clubes da
Maia, Senhora da Hora e Matosinhos (Clube Pa-
drinho). A Governadora Assistente, companheira
Teresinha Fraga, esteve presente. Marcou ainda
presença na visita o companheiro Diamantino
Gomes, Governador 2004-2005.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou que
“realizou-se o Seminário de Desenvolvimento do
Quadro Social, Retenção e Expansão. Este ano re-
solvi incluir um painel sobre “O futuro de Rotary e a
juventude”, da responsabilidade da Comissão Distri-
tal das Novas Gerações. Foi reconhecido por todos
os presentes, uma oportunidade ímpar para conhe-
cermos melhor as actividades dos mais jovens. As in-
tervenções das companheiras Ângela, Representan-
te Distrital de ROCTARACT e Iolanda, do INTERACT,
foram seguidas por todos com a máxima atenção. A
convicção e a clareza das suas intervenções é a pro-
va de que a aposta que estou a fazer nas estruturas
dos mais jovens vai ser ganha”.
VOG Porto Foz
Inúmeros projectos no Clube de Porto Foz
Manuel Cordeiro visitou o Clube de Porto Foz no dia 29 de Outubro. O Governador do Distrito
1970 conheceu o Centro de Histocompatibilidade do Norte, onde foi guiado pela Doutora Helena
Alves, responsável por este centro.
O Clube de Porto Foz, este ano liderado por Paulo Santos, aproveitou a Visita do governador
para fazer o reconhecimento a duas profissionais: Doutoras Joana Maia e Helena Alves. Houve
ainda tempo para um momento de poesia protagonizado por Isabel Pinto, do projecto Faunas.
Com um Rotaract muito activo, o Clube apresentou ao Governador os vários projectos que tem:
participam no projecto PISTA, com os outros clubes do Porto; fazem rastreio de estomatologia na
Escola Secundária de Lordelo; têm um rastreio de oftalmologia; continuam com o projecto Saúde
Brincando no IPO e no Hospital Maria Pia – levam artistas aos hospitais; apoiam crianças da Guiné
que vêm a Portugal para serem operadas em conjunto com os outros clubes do Porto; organizam
concertos para angariação de fundos; apoiam as CIPs ligadas aos PALOP.
O Clube de Porto Foz pretende aumentar o Quadro Social em pelo menos dois novos sócios.
Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa e vão tentar subscrever um Título
Paul Harris. Na visita estiveram presentes os Clubes do Porto, Vila Real, Maia e Porto Douro. O
Governador Assistente, companheiro Francisco Higino, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro não esqueceu o Rotary Kids: “Ainda relacionado com a ju-
ventude, organizámos no dia 12 de Setembro em Santo Tirso, o 1º Encontro de Rotary Kids. Foi
um dia que não mais esquecerei. Estiveram presentes muitas crianças e jovens que “militam” nos
Rotary Kids dos clubes do nosso Distrito. O RC de Santo Tirso está de parabéns. A companheira
Isabel, Presidente do clube, e quem a assessorou fizeram um trabalho digno de realce e que muito
me orgulhou. Oxalá todos os nossos clubes tivessem companheiros ou companheiros com a sua
dedicação aos mais jovens e, estou certo, de que teríamos clubes ainda melhores. Felizmente no
nosso distrito há mais clubes que têm uma atenção especial para com os jovens”.
NOVEMBRO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros Rotários:
O escritor George Bernard Shaw disse que “a imaginação é o início da criação; você imagina
o que quer, deseja o que imagina, e termina por criar o que deseja”.
Não faltam pessoas no mundo capazes de imaginar um futuro melhor. Mas no Rotary, não
nos limitamos a imaginar o futuro – nós o desejamos e nos empenhamos para criá-lo por meio
dos Rotary Clubs e da Fundação Rotária.
Ao longo dos anos tive o privilégio de testemunhar os frutos do trabalho feito pelos rotarianos
no mundo inteiro com os programas da Fundação. Uma coisa que me impressiona é que esses
programas não enfocam apenas a satisfação imediata. Os melhores programas e projectos
rotários visam construir o futuro – e tornar a vida melhor para as próximas gerações.
Duas décadas atrás fizemos a promessa de eliminar a pólio, algo ambicioso porém realista.
E agora, graças à nossa Fundação Rotária, estamos quase lá.
Tenho esperança de que com a ajuda da Fundação Bill e Melinda Gates e o Desafio 200 Mi-
lhões de Dólares do Rotary, em breve poderemos dizer que a Pólio é uma doença do passado.
Pois se falharmos agora estaremos decepcionando todos que se esforçaram antes de nós e
cada criança a quem fizemos a promessa. Se falharmos, poremos em risco nossa reputação e
a reputação de todos os rotarianos do passado.
Por isso, não vamos falhar. Podemos e devemos vencer.
Eu sei que cada um de vocês reconhece que o Futuro do Rotary está em Suas Mãos -- e o
futuro da nossa Fundação também.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
Rotary dedica o mês de Novembro à Rotary Foundation. Em 1917 o Presidente de Rotary In-
ternational Arch Klumph, propôs a criação de um fundo de dotações tendo como objectivo “fazer
o bem no mundo”. Iniciado com pequenos donativos só em 1928 atingiu a soma de US$5000 e
passou a chamar-se Rotary Foundation, uma entidade do Rotary International.
A sua missão é ajudar os rotários a promover a boa vontade, a paz e compreensão mundial
por meio de apoio a iniciativas de melhoria na área da saúde, da educação e do combate à
pobreza. Sendo uma entidade sem fins lucrativos, não pode prescindir das contribuições de
pessoas que acreditam no seu trabalho em prol de um mundo melhor.
São vários os programas por ela apoiados sendo o primeiro a ser criado o das Bolsas Edu-
cacionais cujo objectivo é fomentar relações amistosas entre os povos de diferentes países e
regiões geográficas através do financiamento de estudos de graduação e pós-graduação, além
de intercâmbios profissionais.
O IGE - Intercâmbio de Grupos de Estudos possibilita a empresários e profissionais entre 25
e 40 anos de idade participar de intercâmbios culturais e profissionais no exterior por período
de quatro a seis semanas.
Os Subsídios Equivalentes apoiam projectos internacionais envolvendo clubes e distritos
de dois ou mais países. Os Subsídios “Saúde, Fome e Humanidade” (3-H) financiam projectos
de auto-ajuda e longa duração que utilizam abordagem integrativa para atender a questões
humanitárias. O projecto Pólio Plus tendo como objectivo a erradicação da Pólio congregou um
número significativo de instituições públicas e privadas destacando-se entre elas a Fundação
Bill e Melinda Gates.
Para que todos estes projectos sejam apoiados é necessário uma Rotary Foundation forte.
É por isso que os rotários de todo o mundo devem fazer doações a ela destinadas. Termino
invocando Bill Gates que há pouco tempo afirmou: se tivermos a força e a determinação neces-
sárias, conseguiremos eliminar a Pólio.
Aceitem um abraço do companheiro e amigo ao Vosso dispor,
Manuel Cordeiro
MENSAGEM DE NATAL
Caros(as) companheiros(as)
A época natalícia está a chegar e com ela o espírito de solidariedade aumenta em todos nós.
Se dermos cumprimento ao objectivo de Rotary de ajudar quem mais precisa, viveremos o Natal
muito mais intensamente, pois Rotary incentiva-nos a ser solidários, generosos e tolerantes.
Se praticarmos Rotary viveremos o espírito natalício ao longo de todo o ano. Assim, os mais
desfavorecidos terão mais apoios que os ajudarão a minorar as suas dificuldades.
Vivemos numa sociedade em que muitos se esquecem que todo o ser humano tem o direito
de viver condignamente. No entanto muitas organizações como o nosso movimento, não se
esquecem dos seus semelhantes. Felizmente há muitas pessoas disponíveis para prestar ajuda
a quem dela necessita.
Desejo a todos vós um Santo Natal e que o próximo ano vos faça ainda mais solidários do que
fostes neste ano que está prestes a terminar.
Aceitem um abraço amigo do companheiro,
Manuel Cordeiro
Queridas Amigas
Não podia deixar passar esta quadra natalícia sem desejar a todas vós um Santo e Feliz
Natal, na companhia de todos os que vos são queridos. Peçamos ao Deus Menino que se lembre
de todos os desfavorecidos e façamos o que estiver nas nossas mãos para minorar as agruras
daqueles que vivem nas nossas comunidades e que precisam do nosso apoio.
Tenhamos sempre presente o lema de Rotary “Dar de si antes de pensar em si”. Se o seguir-
mos com certeza que nos sentiremos mais felizes e entraremos em 2010 com a consciência
do dever cumprido.
Um beijo da Maria Antónia
CONGRESSO NACIONAL DE INTERACT E ROTARACT
Decorreu nos passados dias 27, 28, 29 e 30 de Novembro e 1 de Dezembro o Congresso Nacio-
nal de Interact e Rotaract, que este ano teve lugar na calorosa ilha da Madeira.
Este evento, cujo principal objectivo é o reforço de laços e amizade dos Rotaractistas (a quem
mais tarde se associaram os interactistas) portugueses, surgiu aquando da divisão do país em
dois Distritos, e desde então realiza-se anualmente estando a sua organização alternadamente a
cargo de um dos Distritos. Este ano essa tarefa coube ao 1960 e o Rotaract Club do Funchal – UMa
foi o responsável pelos belos dias que todos tivemos oportunidade de viver na Madeira.
O Distrito 1970 esteve muito bem representado, com a presença dos Rotaract Clubes de Santo
Tirso, Póvoa de Varzim, Espinho e Estarreja, Interact Club de Santo Tirso, e Rotary Clubes de Pom-
bal e Vila Real. As Representantes Distritais de Rotaract e Interact não podiam obviamente deixar
de acompanhar este evento e contaram ainda, durante os 5 dias do Congresso, com a presença
constante do Companheiro Manuel Cordeiro, Governador do Distrito 1970, e de sua esposa Maria
Antónia, que com uma energia e diversão contagiante fizeram questão de estarem presentes em
todos os momentos, num apoio e prova de amizade que todos os rotaractistas e interactistas re-
conhecem. Para memória futura ficam os belos momentos de companheirismo, onde não faltaram
as espetadas em pau de loureiro e a típica poncha, as magníficas paisagens e clima, e ainda o
testemunho do fantástico trabalho desenvolvido pelos clubs locais – Rotaract Club do Funchal-
UMa e Rotaract Club de Machico Santa Cruz, que se juntou ao primeiro para proporcionar a todos
os companheiros um tradicional arraial madeirense. Este arraial, realizado na Obra do Padre Amé-
rico, permitiu conhecer uma Instituição apoiada pelos clubes madeirenses, à semelhança do que
podemos também testemunhar no Lar de S. Filipe, onde as crianças nos presentearam com um
enternecedor espectáculo da sua autoria.
Os dias que passamos na Madeira mostraram-nos o Movimento Rotário no seu melhor. Reali-
zamos uma festa de sensibilização VIH/SIDA, incluída no programa de actividades do European
Rotaract Information Centre, onde distribuímos panfletos e angariamos fundos para a Abraço. Nas
sessões de trabalhos podemos partilhar experiências, projectos e conhecimentos e regozijarmo-
nos com a energia dos clubes que localmente promovem dezenas de projectos, com entusiasmo
e acreditando nos valores de Rotary como um meio para um mundo melhor. E ficam ainda, para os
que lá estiveram, os laços de amizade que se criaram e reforçaram entre todos os companheiros,
os bons momentos proporcionados pela Companheira Jessica, presidente do Rotaract Club do
Funchal – UMa, e todos os companheiros do seu clube, que deram o seu melhor para que todos
nós, que vivemos em pleno este Congresso, regressassem aos seus clubes com a certeza de que
são estas amizades que assegurarão o Futuro de Rotary!
Ângela Barros (Representante Distrital de Rotaract Distrito 1970)
Iolanda Lima (Representante Distrital de Interact Distrito 1970)
VOG Feira
Clube da Feira homenageia alunos e professores
O Clube de Santa Maria da Feira recebeu a Visita Oficial do Governador no dia 2 de Novembro.
Manuel Cordeiro foi convidado a participar numa entrevista em directo no Rádio Club da Feira, em
conjunto com o presidente do Clube, companheiro Sérgio Vaz. Foram abordados vários temas,
com destaque para o papel que o Rotary Club da Feira tem desempenhado junto da comunidade
local. Na reunião de trabalho o Governador do Distrito ficou a conhecer muitos dos projectos do
Clube da Feira, este ano liderado por Sérgio Vaz: ampliar o banco de cadeiras de rodas; incremen-
tar o número de bolsas de estudo; realizar eventos de angariação de fundos para as actividades
de apoio às comunidades locais e para os programas da Rotary Foundation; bolsa patrocinada
pela Fundação Rotária Portuguesa; prémios escolares aos melhores alunos do 9º e 12º anos das
escolas do concelho, assim como aos professores dos mesmos.
O Clube de Santa Maria da Feira pretende aumentar o seu Quadro Social com mais dois sócios.
Já subscreveram um Título Paul Harris, mas pretendem subscrever outro.
Na visita estiveram presentes os clubes de Vila Nova de Gaia (Clube Padrinho representado
pelo seu presidente, companheiro Jorge Silveira), Sever do Vouga e Ovar. Esteve presente o com-
panheiro Álvaro Gomes, Governador 2006-2007.
Em mês dedicado à Rotary Foundation, Manuel Cordeiro fez questão de lembrar os vários
programas da Fundação: “As Bolsas Educacionais, cujo objectivo é fomentar relações amistosas
entre os povos de diferentes países e regiões geográficas, através do financiamento de estudos
de graduação e pós-graduação, além de intercâmbios profissionais. O IGE - Intercâmbio de Gru-
pos de Estudos, possibilita a empresários e profissionais entre 25 e 40 anos de idade participar
de intercâmbios culturais e profissionais no exterior por período de quatro a seis semanas. Os
Subsídios Equivalentes apoiam projectos internacionais envolvendo clubes e distritos de dois ou
mais países. Os Subsídios “Saúde, Fome e Humanidade” (3-H) financiam projectos de auto-ajuda
e longa duração que utilizam abordagem integrativa para atender a questões humanitárias. O pro-
jecto Pólio Plus tendo como objectivo a erradicação da Pólio congregou um número significativo
de instituições públicas e privadas destacando-se entre elas a Fundação Bill e Melinda Gates. O
empenho de Bill Gates é tal que há pouco tempo afirmou: se tivermos a força e a determinação
necessárias, conseguiremos eliminar a Pólio”.
VOG Resende
Estreita colaboração com a autarquia em Resende
No dia 3 de Novembro Manuel Cordeiro visitou o Clube de Resende. O Governador do Distrito
1970 ficou a conhecer a AIA – Associação Internacional de Artistas, na Quinta da Graça, onde tem
a sua sede. A comitiva foi recebida pelo seu presidente, José Pinto dos Santos e esposa, Maria
Paula.
Ao Senhor Pinto dos Santos foi entregue uma medalha comemorativa dos 50 anos da Fundação
Rotária Portuguesa pela doação que fez de uma pintura de sua autoria. O companheiro António
Machado fez a entrega em representação da Fundação.
O Governador visitou ainda as Termas das Caldas de Aregos, espaço recentemente adquirido
pela Câmara municipal de Resende, que está a reactivá-las. Manuel Cordeiro pôde perceber as-
sim a estreita relação que o Clube mantém com a autarquia.
O Clube de Resende, este ano liderado por Fernando Moreira, teve ainda tempo de apresentar
os seus projectos ao Governador: têm 1 bolsa patrocinada pela Fundação Rotária Portuguesa;
apoiaram uma família carenciada no baptizado de um filho; têm uma cama articulada que empres-
tam a pessoas que dela necessitam; angariam fundos levando à cena uma peça de teatro; fazem
palestras temáticas.
No que diz respeito ao Quadro Social, pretendem admitir dois novos sócios. O Clube de Resen-
de tem feito doações anuais para a Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Braga, Cinfães e Régua. O Governador Assistente,
companheiro Mário Mendes, esteve presente.
Em mês dedicado à Rotary Foundation, Manuel Cordeiro aproveitou o seu discurso para apelar
à contribuição de todos: “Só uma Fundação Rotária forte pode apoiar os distritos e os clubes a
implementar os seus projectos. Assim é um dever dos clubes fazerem donativos a ela destinados.
Se o fizerem e o destinarem ao Fundo Anual de Programas estarão a semear para colher, ou seja,
irão beneficiar, três anos mais tarde, de metade desse dinheiro para a implementação dos seus
projectos”.
VOG Vila Verde
Um novo companheiro admitido em Vila Verde
No dia 6 de Novembro o Governador Manuel
Cordeiro visitou oficialmente o Clube de Vila
Verde. Na Santa Casa da Misericórdia de Vila
Verde, o responsável do Distrito teve a oportu-
nidade de observar as várias valências que ali
estão: creche e jardim de infância, lares e cen-
tros de dia, e outros de grande utilidade para as
comunidades. Manuel Cordeiro foi ainda rece-
bido na Câmara Municipal.
Na reunião de trabalho o Clube, este ano
liderado por Manuel Peixoto, deu a conhecer
os principais projectos, dos quais se destacam
os prémios escolares aos melhores alunos das
Escolas do concelho, sendo que este ano fo-
ram premiados 37 estudantes. A cada aluno é
entregue um diploma e um cheque livro, este no
valor de 75 Euros. A estes prémios chamam-lhe
Prémios Paul Harris. O Clube promove ainda
palestras temáticas mensais; tem 3 bolsas pa-
trocinadas pela Fundação Rotária Portuguesa
e uma patrocinada por um particular, para o 10º
Ano; tem também uma para bolsa para o Ensi-
no Superior, na área de Medicina; tem um ban-
co de cadeiras de rodas; faz uma campanha
de recolha de Cabazes de Natal, em parceria
com o Rotaract, que depois entrega a famílias
carenciadas; tem organizado todos os anos a
Festa do Vinho Verde.
O Clube de Vila Verde aproveitou a Visi-
ta Oficial do Governador para admitir um novo
sócio, mas pretende ainda aumentar o Quadro
Social com dois novos companheiros. O Clube
contribui todos os anos para o trabalho da Fun-
dação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de
Ponte da Barca, Caldas das Taipas, Braga (Clu-
be Padrinho), Braga Norte, Fafe, Póvoa de La-
nhoso, Barcelos, Esposende e Ponte de Lima.
A Governadora Assistente, companheira Ma-
ria Goretti, esteve presente, assim como o com-
panheiro Manuel Martins da Costa, Governador
1996-1997.
No seu discurso, Manuel Cordeiro fez ques-
tão de realçar as ênfases presidenciais: “Ao
longo dos 104 anos de existência Rotary ga-
nhou a confiança da sociedade que nos con-
sidera pessoas generosas e de boa vontade. A
credibilidade que nos é reconhecida tem sido
fundamental nos muitos projectos que Rotary
tem levado a cabo, entre eles o da erradica-
ção da Pólio. Todos os anos o Presidente de
Rotary International elege algumas áreas para
as quais pede a nossa maior atenção. São as
chamadas Ênfases Presidenciais. Para dar
continuidade ao trabalho desenvolvido no ano
anterior, John Kenny escolheu as mesmas. As-
sim todos os clubes do nosso distrito devem
concentrar o seu trabalho nos Recursos Hídri-
cos, no Acesso à Saúde, no Combate à Fome e
na Alfabetização”.
VOG Viseu
Clube de Viseu apresenta inúmeros projectos
No dia 9 de Novembro o Governador do Dis-
trito 1970 foi até Viseu visitar oficialmente um
Clube que já conta com cinco clubes afilhados.
Manuel Cordeiro pôde perceber o bom relacio-
namento existente entre Clube rotário e autar-
quia: “A visita ao Senhor Presidente da Câmara
foi muito importante pois fomos recebidos muito
bem. Tivemos uma conversa de alguns minutos
que nos permitiu conhecer melhor o autarca e
a sua dimensão humana. A sua disponibilidade
para colaborar com o Rotary Club e outras ins-
tituições do mesmo tipo é demonstrativa da sua
bondade humana”.
O Governador visitou ainda o Lar Escola
de Santo António, instalações com mais de um
século, mas com óptimas condições para o fun-
cionamento do Lar. Estão ali 44 rapazes que de
outro modo estariam, provavelmente, abando-
nados. A magnífica banda de música formada
por 31 membros, sob a batuta do seu maestro,
brindou a comitiva com vários números. Foram
guiados pelo Cónego Arménio Lourenço, res-
ponsável pelo Lar.
Na reunião de trabalho o Clube, este ano
liderado por Maria Ribeiro, deu a conhecer al-
guns dos principais projectos: prémio escolar a
um aluno do 11º Ano (indicado pela direcção da
escola) que seja bom aluno e que revele quali-
dades de solidariedade (faz um trabalho escrito
sobre esta temática) instituído por um compa-
nheiro que foi rotário no clube durante 56 anos;
bolsa de estudo patrocinada para alunos uni-
versitários pelo clube e três patrocinadas pela
FRP; homenagem a um profissional; cabazes
de Natal; ceia de Natal com uma instituição da
cidade que permite um convívio muito salutar
com pessoas necessitadas; fazem uma visi-
ta aos reclusos pelo Natal com oferta de um
lanche; cantam as janeiras para angariação de
fundos e para estimular o convívio; ceia de Na-
tal para a família rotária, onde estão presentes
os sócios do clube e suas famílias.
O Clube de Viseu pretende admitir dois no-
vos sócios e faz anualmente doações para a
Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de
Ovar, Oliveira do Hospital, Mangualde (Clube
Afilhado), Seia (Clube Afilhado), Pombal, Ton-
dela (Clube Afilhado) e Guarda.
O Governador Assistente, companheiro Fe-
lisberto Marques, esteve presente, assim como
o companheiro Álvaro Gomes, Governador
2006-2007.
No seu discurso, o Governador Manuel Cor-
deiro lembrou a importância do envolvimento
dos clubes em projectos internacionais: “Os
nossos clubes têm que se envolver, cada vez
mais, em projectos de apoio social, quer nas
comunidades onde se inserem quer em co-
munidades terceiras. Não nos devemos cingir
às nossas comunidades. Rotary tem vocação
mundial. É necessário que os nossos clubes o
entendam. Se todos olharem só para as suas
comunidades não há cooperação entre eles.
Sabemos todos muito bem como essa coopera-
ção é necessária para ajudar aqueles que mais
precisam de ajuda, estejam onde estiverem”.
VOG Bragança
Novas instalações para a Universidade Sé-
nior em Bragança
No dia 10 de Novembro, o Governador do
Distrito 1970 foi até Bragança para mais uma
Visita Oficial. Nas actuais instalações da Uni-
versidade Sénior de Rotary, Manuel Cordeiro
teve a oportunidade de ver alguns docente e
alunos em plena actividade escolar. Este ano
a direcção da Escola pensa ter um número de
alunos superior a 50. Visitaram também a Câ-
mara Municipal, onde foram recebidos pelo seu
Presidente, Eng.º Jorge Nunes, que se congra-
tulou com o trabalho desenvolvido pelo clube.
A visita passou ainda pelo Marco Rotário e as
futuras instalações da Universidade Sénior, ce-
didas pela Câmara Municipal.
Na reunião de trabalho, o Governador ficou
a conhecer os projectos do Clube, este ano li-
derado por Carlos Alves: seis Bolsas de estudo
a alunos do Ensino secundário, patrocinadas
por empresários; visitas de estudo e palestras
através da Universidade Sénior; a realização
mensal de palestras com convidados não rotá-
rios, sobre temas relacionados com as Ênfases
Presidenciais para este ano rotário, abertas à
comunidade e feitas, muitas vezes, por pes-
soas não rotárias; mostras de pintura – anga-
riação de fundos e divulgação do ideal rotário;
têm parcerias com as Escolas Secundárias,
pedindo aos professores que seleccionem
alunos do secundário para participarem num
convívio onde fazem pinturas e outras activi-
dades proporcionando-lhes um são convívio e,
ao mesmo tempo, permite a divulgação do clu-
be e dos ideais de Rotary; fazem o Passeio da
Amizade e Companheirismo com os clubes de
Mirandela, Valpaços e Chaves
O Clube pretende aumentar o Quadro So-
cial com dois novos sócios e já subscreveu um
Título Paul Harris. Bragança disponibilizou-se
ainda para receber o grupo brasileiro do IGE
por duas noites.
Na visita estiveram presentes os Clubes de
Mirandela e Vila Real. No seu discurso, Ma-
nuel Cordeiro lembrou a importância do lema
do mês actual: “Rotary dedica o mês de No-
vembro à Rotary Foundation. Em 1917 o Pre-
sidente de Rotary International, Arch Klumph,
propôs a criação de um fundo de dotações
tendo como objectivo ‘fazer o bem no mundo’.
Iniciada com pequenos donativos, só em 1928
atingiu a soma de US$5000 e passou a chamar-
se Rotary Foundation, uma entidade do Rotary
International. A sua missão é ajudar os rotários
a promover a boa vontade, a paz e compreen-
são mundial por meio de apoio a iniciativas de
melhoria na área da saúde, da educação e do
combate à pobreza. Sendo uma entidade sem
fins lucrativos, não pode prescindir das contri-
buições de pessoas que acreditam no seu tra-
balho em prol de um mundo melhor”.
VOG Famalicão
Famalicão quer aumentar Quadro Social
No dia 12 de Novembro, Manuel Cordeiro foi até Famalicão. A Visita Oficial do Governador teve
início na Escola Superior de Saúde do Vale do Ave (ESSVA). Guiado pela Mestre Maria Raquel
Esteves, Manuel Cordeiro teve oportunidade de perceber toda a logística da Escola, como labora-
tórios de estudo e de investigação, gabinetes, cantina e auditório. Na apresentação da instituição
foram referidos os cursos que ali funcionam, destacando-se os da área da saúde. A política de
apoio social aos alunos também esteve em realce.
Na reunião de trabalho o Governador ficou a conhecer os principais projectos do Clube, este
ano liderado por Abel Teixeira: duas bolsas de estudo (uma para o ensino básico e outra para
o universitário) patrocinadas pela FRP; prémio escolar Ensino Básico (têm um protocolo com a
Escola EB2,3 Júlio Brandão); em parceria com o Rotaract e Interact locais desenvolveram ac-
tividades de angariação de fundos para causas sociais; participam na campanha de recolha de
alimentos (têm como parceiros o Rotaract e o Interact de Famalicão) para o banco alimentar con-
tra a fome (duas vezes por ano); organizam uma actividade em conjunto com uma instituição do
concelho, previamente seleccionada, para recolha de fundos destinados a essa instituição; fazem
actividades em conjunto com o Lyons Club de Famalicão (recolheram dinheiro para a compra de
uma carrinha para uma instituição).
O Clube pretende aumentar o Quadro Social com três novos sócios. Todos os anos fazem um
Subscritor de Mérito da Fundação Rotária Portuguesa. O Clube de Famalicão mostrou ainda inte-
resse em organizar um RYLA ainda este ano ou já no próximo.
Na visita estiveram presentes os clubes de Guimarães (Clube Padrinho), Braga Norte, Vizela,
Caldas das Taipas, Santo Tirso e Barcelos. A Governadora Assistente, companheira Maria do
Resgate, não pôde estar presente por motivos profissionais.
Estiveram presentes membros do Rotaract, um representante do Lyons Club, e o companheiro
Gonçalves Afonso, Governador do distrito em 1999-2000. A Câmara Municipal esteve represen-
tada na reunião festiva pelo Dr. Paulo Cunha. Em mês dedicado à Rotary Foundation, Manuel
Cordeiro aproveitou o seu discurso para apelar à contribuição de todos: “Só uma Fundação Rotá-
ria forte pode apoiar os distritos e os clubes a implementar os seus projectos. Assim é um dever
dos clubes fazerem donativos a ela destinados. Se o fizerem e o destinarem ao Fundo Anual de
Programas estarão a semear para colher, ou seja, irão beneficiar, três anos mais tarde, de metade
desse dinheiro para a implementação dos seus projectos”.
VOG Penafiel
Clube de Penafiel admitiu dois novos sócios
No dia 17 de Novembro o Governador do Distrito 1970 realizou a sua Visita Oficial ao Clube de
Penafiel. Manuel Cordeiro começou por visitar as Instalações do Instituto de Inglês, que funciona sob
a responsabilidade da APAR – Associação Penafidelense de Actividades Rotárias, criada pelo Rotary
Club de Penafiel. A comitiva foi guiada por Lucinda Leal, Directora do Instituto. Os seus alunos são na
maioria jovens, mas também há adultos: “A qualidade do ensino que ali se ministra é de excelência.
Os resultados dos alunos o comprovam, sem qualquer dúvida, pois os exames e as correcções são da
responsabilidade do British Council do Porto. Está de parabéns a Drª Lucinda e os restantes docentes.
Destaque-se também o Srº Alberto que se dedica ao Instituto de alma e coração. O facto de todos os que
convivem no instituto se considerarem uma família diz tudo. Os rotários do Distrito 1970 devem sentir-se
orgulhosos”, afirma Manuel Cordeiro.
Na reunião de trabalho o Clube, este ano liderado por Vitorino Ferreira, deu a conhecer ao Governador
os principais projectos: oito Bolsas no ensino superior (uma patrocinada pelo Clube, outra pela FRP e
seis por sócios do clube); o Clube patrocina também 6 bolsas no ensino superior a 6 alunos da Guiné
em instituições da Guiné; apoiam pessoas carenciadas em várias áreas como a educação e a saúde;
entregaram a uma das corporações de Bombeiros Voluntários do concelho um desfibrilador e preten-
dem dar também um às outras 2 instituições do concelho; apoiam com algum dinheiro uma organização
de Lousada (Raízes); têm duas camas articuladas que disponibilizam a pessoas carenciadas que delas
necessitam; no Natal visitam o hospital, oferecem brinquedos às crianças e prestam apoio, se neces-
sário; têm um protocolo com o hospital do Tâmega e Vale do Sousa (Padre Américo) através do qual
distinguem os dois melhores funcionários.
Na visita o Clube abriu a porta a dois novos sócios, mas o Clube pretende ainda aumentar o Quadro Social
com pelo menos mais um. O Clube contribui anualmente para a Fundação Rotária Portuguesa e este ano
pretende subscrever um Título Paul Harris. Na visita estiveram presentes os clubes de Santo Tirso, Amarante
(Clube Padrinho), Castelo de Paiva (Clube Afilhado), Paredes (Clube Afilhado), Porto Foz, Felgueiras, Cinfães e
Resende. A Governadora Assistente, companheira Cesaltina, esteve presente, assim como o companheiro Oc-
távio Pereira, Governador 2000-2001. Estiveram também presentes vários companheiros do Rotaract do clube,
entre os quais o seu presidente, o companheiro Pedro Cepêda. A provar a boa relação que o Clube mantém
com a autarquia está o facto de Alberto Santos, presidente da Câmara, ter estado presente no jantar. No seu
discurso, Manuel Cordeiro publicitou a Conferência Distrital deste ano rotário: “Este ano a Conferência Distrital
será em Vila Real, na Aula Magna da UTAD, nos dias 28, 29 e 30 de Maio de 20010. O tema que escolhi e que
já foi anunciado em Espinho na Conferência Distrital, é Educação E Cooperação – O Futuro De Rotary”.
VOG São Mamede de Infesta
Clube de São Mamede de Infesta empenhado no Quadro Social
O Clube de São Mamede de Infesta recebeu a Visita Oficial do Governador no dia 23 de No-
vembro. Este é o ano em que José Meireles, presidente do Clube, preside à Universidade Sénior de
Matosinhos, da qual o Clube foi co-fundadora e pela qual tem um carinho especial. A Universidade
tem vindo a crescer em número de inscrições e de disciplinas leccionadas.
Na reunião de trabalho Manuel Cordeiro ficou a conhecer os principais projectos do Clube, este
ano liderado por José Barros: rastreio oftalmológico aos alunos do 1º ano de escolaridade – 186
alunos; rastreio da obesidade, hipertensão e diabetes; banco de cadeiras de rodas (4) e de ca-
mas articuladas (4); Universidade Sénior; Homenagem ao profissional; apoio ao Lar de deficientes
Leonardo Coimbra (Cônjuges) e ao CATI – Centro de Assistência para Terceira Idade; atribuição
de prémios escolares – 9º e 11º anos - escolas de São Mamede (ao melhor aluno de cada ano e
escola); e apoio as conferências de São Vicente de Paulo.
O companheiro presidente está muito empenhado no aumento do Quadro Social, tendo como
objectivo integrar vários novos sócios, pois considera que só com mais sócios o clube continuará
a desempenhar o papel importante que tem tido desde a sua fundação.
O Clube faz anualmente um Subscritor de Mérito da Fundação Rotária Portuguesa e este ano
vai tentar subscrever um Título Paul Harris. Na visita estiveram presentes os Clubes de Santo Tir-
so, Amarante, Castelo de Paiva, Paredes, Porto Foz, Felgueiras, Cinfães e Resende.
O Governador Assistente, companheiro Ernesto Silva, esteve presente, assim como o compa-
nheiro José Rocha, Governador assistente. Fizeram ainda questão de marcar presença os compa-
nheiros Governadores Madureira Pires, Diamantino Gomes e Henrique Maria Alves, assim como a
companheira Teresinha Fraga, Governadora Indicada 2012 – 2013.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou a realização do IGE: “O distrito vai organizar um
IGE – Intercâmbio de Grupos de Estudos financiados pela Rotary Foundation e que possibilitam
a empresários e profissionais entre 25 e 40 anos de idade participar em intercâmbios culturais e
profissionais em países terceiros por um período de quatro semanas. Conto com o empenho do
vosso clube para conseguirmos um conjunto de participantes que dignifique o nosso distrito. Nós
receberemos um grupo do D 4660, de parte do Estado do Rio Grande do Sul”.
VOG Gondomar
Clube de Gondomar em estreita parceria com a autarquia
No dia 24 de Novembro, o Governador do Distrito 1970 foi até Gondomar para a sua visita oficial.
Manuel Cordeiro foi conhecer o CAT - Centro de Acolhimento Temporário da Santa Casa da Miseri-
córdia de Gondomar, onde teve oportunidade de observar as várias valências que ali estão: creche
e jardim-de-infância, lares e centros de dia, e outras de grande utilidade para as comunidades. É
ainda de salientar que o Vice Provedor da Santa Casa pertence ao Rotary Club de Gondomar. O
Governador seguiu para a Câmara Municipal de Gondomar, onde foi recebido “com grande ama-
bilidade e como amigos por um dos Vereadores da Câmara. Foi um momento muito interessante
pois o Senhor Vereador teceu elogios à actividade do Rotary Clube, destacando-o como um bom
parceiro para apoiar os munícipes mais desfavorecidos”, faz questão de referir Manuel Cordeiro.
Na reunião de trabalho o Clube, este ano liderado por Manuel Marques, deu a conhecer ao
Governador os principais projectos: uma parceria do Clube com a autarquia, juntas de freguesia,
Vigário da Vara (igreja) e Universidade Fernando Pessoa, que tem como objectivo procurar pes-
soas que podem ser apoiadas pelo microcrédito; bolsa patrocinada pelo clube para um estudante
universitário – 6º Ano de Medicina; banco de cadeiras de rodas e camas articuladas; vão oferecer
um espectáculo de Natal (Peterpan) às crianças do CAT – Centro de Acolhimento Temporário da
Santa Casa da Misericórdia de Gondomar; entregam cabazes de Natal a famílias carenciadas;
homenageiam o profissional do ano e têm uma parceria com o Clube da Senhora da Hora para
oferecerem mesas-de-cabeceira para as camaratas dos Bombeiros de S. Pedro da Cova.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social com dois novos sócios. Anulamente fazem doa-
ções à Fundação Rotária Portuguesa e pretendem subscrever um Título Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de Matosinhos, Braga Norte, Porto Antas e Esposende.
O Governador Assistente, companheiro Manuel Andrade, esteve presente, assim como o compa-
nheiro Henrique Alves, Governador 2008-2009. No seu discurso, o Governador lembrou a reali-
zação dos RYLA deste ano: “A exemplo do ano anterior vamos tentar organizar 4 RYLA - Rotary
Youth Leadership Awards (em português Prémio Rotário de Liderança juvenil). Vamos proporcio-
nar aos jovens uma oportunidade para aperfeiçoarem a capacidade de chefia perspectivando-se o
objectivo de Rotary que tem por fim último a amizade entre Pessoas e as Nações na obtenção da
compreensão e Paz Mundial. Conto com o Vosso empenho para candidatarem jovens para partici-
parem num deles. É necessário mostrar-lhes que se trata de uma experiência muito interessante
e útil. Se o conseguirmos fazer teremos a sua disponibilidade para participar”.
VOG Oliveira do Hospital
Importante aproximação á autarquia de Oliveira de Hospital
No dia 25 de Novembro o Governador do Distrito 1970 deslocou-se a Oliveira do Hospital para
a sua Visita Oficial. Manuel Cordeiro teve oportunidade de visitar a Escola Superior de Tecnologia
do Instituto Politécnico de Coimbra, guiado pelo seu presidente, Doutor Nuno Fortes, que deu a
conhecer as instalações (adaptadas depois de pertencerem aos Bombeiros Voluntários) que têm
servido para ministrar um ensino de qualidade nos vários cursos que ali estão instalados. Para o
Governador, a visita á autarquia foi muito importante: “A visita ao Senhor Presidente da Câmara
foi muito importante pois fomos muito bem recebidos. Esta recepção representou para o clube um
momento histórico pois há muitos anos que o Governador do Distrito na sua visita oficial ao clube
não era recebido pelo Presidente da autarquia. Foi muito bom ouvir o Senhor Presidente disponi-
bilizar-se para trabalhar em conjunto com o clube e colocar-se à sua disposição para contribuir
para que o clube se torne mais forte e actuante em Oliveira do Hospital”.
Na reunião de trabalho o Clube, este ano liderado por Carlos Almeida, deu a conhecer os prin-
cipais projectos: bolsas de estudos (2 secundário e 1 superior) – patrocinadas por companheiros
do Clube; uma bolsa patrocinada pela FRP e pela Fundação Gulbenkian – atribuída a um invisual
do ensino superior; doação de roupa a pessoas carenciadas; apoiam os Bombeiros Voluntários;
pretendem instalar o Marco Rotário; homenageiam profissionais; realizam encontros temáticos
de convívio com convidados; organizam este ano o Aqua Nostra –nos anos anteriores também
têm participado na organização; jantar de Natal para confraternização onde alguém fala sobre
um tema; participam na feira do queijo. O Clube pretende admitir dois novos sócios. Anualmen-
te fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa. Na visita estiveram presentes os clubes de
Coimbra (Clube Padrinho), Seia, Covilhã, Viseu, Mangualde, Trancoso e Guarda. O Governador
Assistente, companheiro Felisberto Marques, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou a importância do lema do mês actual: “Rotary dedica o
mês de Novembro à Rotary Foundation. Em 1917 o Presidente de Rotary International, Arch Klumph,
propôs a criação de um fundo de dotações tendo como objectivo ‘fazer o bem no mundo’. Iniciada
com pequenos donativos, só em 1928 atingiu a soma de US$5000 e passou a chamar-se Rotary Foun-
dation, uma entidade do Rotary International. A sua missão é ajudar os rotários a promover a boa
vontade, a paz e compreensão mundial por meio de apoio a iniciativas de melhoria na área da saúde,
da educação e do combate à pobreza. Sendo uma entidade sem fins lucrativos, não pode prescindir
das contribuições de pessoas que acreditam no seu trabalho em prol de um mundo melhor”.
VOG Guimarães
Clube de Guimarães patrocinou duas salas
de Snozellen
O Governador do Distrito 1970 concretizou a
sua Visita Oficial ao Clube de Guimarães no dia
26 de Novembro. Manuel Cordeiro teve a opor-
tunidade de conhecer a Associação de Paralisia
Cerebral de Guimarães, onde foi recebido pelo
presidente e vice-presidente desta instituição,
Joaquim Oliveira e Américo Correia, respectiva-
mente. É aqui que se desenvolve um dos gran-
des projectos que o Rotary Club de Guimarães
patrocinou, em parceria com o Rotary Club de
Leicester: as duas salas de Snozellen inaugu-
radas no dia 27 de Junho deste ano. Patrícia
Graça, terapeuta ocupacional desta associação,
descreveu em pormenor o funcionamento destas
duas salas que tanto têm contribuído para a me-
lhoria da qualidade de vida de pacientes porta-
dores de paralisia cerebral.
Na reunião de trabalho, o Governador ficou
a conhecer alguns projectos do Clube, este ano
liderado por Joaquim Pereira: continuação do
projecto de apoio à Associação de Paralisia
Cerebral de Guimarães - duas salas Snozellen
na APCG e o projecto dos DEA - Desfibrilado-
res Externos Automáticos; reforço de cerca de
20% do Banco Alimentar; reforço do Banco de
Cadeira de Rodas; continuação do Projecto dos
Desfibriladores Automáticos Externos; manter
as Bolsas de Estudo; manter os Prémios Esco-
lares às escolas da Comunidade.
O Clube de Guimarães tem como objectivo
admitir dois novos sócios. Anualmente fazem
doações à Fundação Rotária Portuguesa e já
subscreveram um Título Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de
Vizela, Fafe, Barcelos (Clube Afilhado), Espo-
sende, Braga Norte, Santo Tirso (Clube Afilha-
do), Taipas, Póvoa de Lanhoso e Famalicão
(Clube Afilhado).
O Governador Assistente, companheiro Joa-
quim Matos Fernandes, esteve presente, assim
como o companheiro Francisco Zamith, Gover-
nador 1989-1990. Na visita foi possível perce-
ber ainda a relação muito estreita que o Clube
tem com a autarquia.
O Presidente da Câmara é Sócio Honorário
do Clube e o Vereador César Machado esteve
presente no jantar.
Em mês dedicado à Rotary Foundation, Ma-
nuel Cordeiro fez questão de lembrar os vários
programas da Fundação: “As Bolsas Educa-
cionais, cujo objectivo é fomentar relações
amistosas entre os povos de diferentes países
e regiões geográficas, através do financiamen-
to de estudos de graduação e pós-graduação,
além de intercâmbios profissionais. O IGE - In-
tercâmbio de Grupos de Estudos, possibilita a
empresários e profissionais entre 25 e 40 anos
de idade participar de intercâmbios culturais e
profissionais no exterior por período de quatro
a seis semanas. Os Subsídios Equivalentes
apoiam projectos internacionais envolvendo
clubes e distritos de dois ou mais países. Os
Subsídios “Saúde, Fome e Humanidade” (3-H)
financiam projectos de auto-ajuda e longa du-
ração que utilizam abordagem integrativa para
atender a questões humanitárias. O projecto
Pólio Plus tendo como objectivo a erradicação
da Pólio congregou um número significativo de
instituições públicas e privadas destacando-se
entre elas a Fundação Bill e Melinda Gates”.
DEZEMBRO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros rotários:
Em Dezembro celebramos o Mês da Família Rotária. Todo rotário faz parte desta família, que
na realidade é muito maior que 1,2 milhão de pessoas. Esta família inclui todo homem, mulher e
criança ligados ao nosso trabalho, como os cônjuges e filhos dos associados, os participantes
e ex-participantes de programas da Fundação e as centenas de milhares de pessoas quem têm
contacto com nossas iniciativas.
Os jovens de nossa família estão nos Interact e Rotaract Clubes, nos seminários RYLA, nas
Bolsas Educacionais e no Intercâmbio de Jovens. Assim como em qualquer família, eles são a
esperança de um futuro promissor. Desejo que eles se tornem rotários no futuro, mas já basta
saber que hoje o Rotary faz parte da vida deles.
Estou casado com minha esposa June por mais de 40 anos, quase a mesma quantidade de
tempo que sou rotário. As mulheres não podiam entrar no Rotary naquela época, entretanto, a
June tem sido parte da família rotária desde o primeiro dia em que pus os pés no Rotary Club de
Grangemouth. Meu trabalho no Rotary tem exigido muito de nós desde então, mas a verdade é
que o que recebemos em troca vale muito mais do que o que demos.
Acredito que a associação a um Rotary Club pode e deve melhorar nossos lares. Conforme
nos concentramos em atrair mais jovens qualificados a nossas fileiras, devemos nos lembrar
que hoje em dia as pessoas estão mais e mais tendo que equilibrar trabalho e família. Assim,
o Rotary deve somar à vida da pessoa, e não competir com suas outras responsabilidades. Se
marcarmos reuniões rotárias que não coincidam com o trabalho das pessoas e convidar os
familiares dos associados a nossas actividades sempre que possível, estaremos contribuindo
para que todo núcleo familiar faça parte da grande família rotária.
Todo clube deve oferecer uma interacção equilibrada entre família, trabalho e Rotary. So-
mente se trabalharmos juntos, como família, é que o Rotary irá crescer e ser ainda mais forte
no futuro.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
Em Dezembro celebramos o Mês da Família Rotária. Somos uma família muito numerosa,
pois agrega os rotários de todo o mundo e todos aqueles que connosco trabalham no sentido
de cumprir o objectivo de rotary, apoiar todos os que necessitam de ajuda, estejam onde esti-
verem, professem que religião professarem, sejam de que cor forem.
São também parte integrante da nossa família todos os que já participaram em programas
de rotary, os que já se associaram a nós na implementação de projectos, enfim, somos muitos
mais do que a soma do número de sócios dos clubes de todo o mundo.
O facto de sermos muitos, cria-nos dificuldades pois, por vezes, não é fácil conciliar as opi-
niões de todos. No entanto esta diversidade de pensamentos permite que haja sempre algum de
nós disponível para levar a cabo as tarefas a que rotary se propôs.
É minha opinião que se os rotários tiverem uma família bem estruturada, transportarão para
o interior dos seus clubes o espírito de família e estes constituirão um pólo aglutinador de to-
dos os que o compõem incluindo os respectivos familiares. Rotary tem que ser uma família. Só
assim conseguirá compreender os problemas de quem não tem casa, comida, acesso à saúde,
água potável, educação e tudo o que um ser humano necessita para ter uma vida condigna.
Desde muito jovem me habituei a ajudar os muitos pobres que procuravam a casa de meus
pais onde sempre havia cama e comida para todos. Muitas vezes apareciam com problemas de
saúde. Nunca o apoio lhes foi negado. Talvez por isso cultivo um espírito de família que sempre
me tem acompanhado ao longo da minha vida. Tento passar este espírito para rotary. Peço-vos
que façais o mesmo. Todos juntos vamos dar mais força ao espírito de família em rotary. Assim
seremos mais solidários e mais fortes. Consequentemente estaremos em melhores condições
de prestar ajuda a muitas mais pessoas.
Recebei um grande abraço do vosso amigo e companheiro,
Manuel Cordeiro
MENSAGEM DA MARIA ANTÓNIA
Queridas amigas
Após a quadra natalícia aqui estamos de novo à conversa.
Passados os primeiros seis meses do ano rotário quero partilhar convosco aquilo que tem
sido a minha experiência como cônjuge do Governador do nosso Distrito. Confesso que tem
sido muito gratificante. Tenho sido recebida em todos os clubes como uma amiga. Para mim
não há nada que me alegre mais do que me considereis vossa amiga. Tenho feito tudo para vos
representar condignamente. Tudo continuarei a fazer para o conseguir.
No que respeita aos projectos que vos propus sinto que os abraçastes como vossos. Isso en-
che-me de alegria pois demonstra que estais comigo de alma e coração na tarefa de significar
os nossos cônjuges. Estou certa de que no final do ano eles sentirão orgulho pelo trabalho que
vamos desenvolver. Peço-vos que continueis a trabalhar com o mesmo empenho que tendes
tido até hoje. Vamos continuar a dar o nosso melhor para que o nosso Distrito tenha ainda mais
visibilidade no movimento rotário mundial.
O nosso livro, Caminhadas na Bruma, todo ele feito com muito amor, vai estar em muitas
bibliotecas de Câmaras Municipais que estão aderindo à sua compra. Também o facto de a
ADEFACEC – Associação Desportiva da EFACEC, nos ter comprado 300 para oferecer no Natal
aos filhos dos seus trabalhadores, é uma prova de que, quando as coisas são feitas com amor
e qualidade, acabam por ter o reconhecimento da sociedade em que vivemos.
Aceitai um beijinho da vossa amiga,
Maria Antónia
GOVERNADORA INDICADA 2012 – 2013
Teresinha Fraga, natural de Luanda – Angola,
casada com Diamantino Gomes – Gov. 2004-05,
têm 3 filhos, um pertenceu ao Interact e outro
ao Rotaract. Os três pertencem ao grupo funda-
dor do R.C. de Leça do Balio. Têm um neto.
É Benfeitora, Paul Harris por Doações Múlti-
plas e Doadora Extraordinária do nível 2 – Ma-
jor Donnor da Rotary Foundation. É Benemérita
da Fundação Rotária Portuguesa.
Actividades Rotárias:
No Distrito 1970
Membro do R. C. da Senhora da Hora des-
de 2000, com a classificação – Ensino Básico-
Gestão.
Presidente do R. C. em 2006-2007.
Desempenhou vários cargos e integrou diversas
comissões no Clube, presidindo à Comissão do
Clube da Rotary Foundation desde 2007-08.
Integrou a organização de vários Foruns re-
alizados pelo seu clube.
Integrou a equipe fundadora da Universidade
Sénior de Rotary em Matosinhos (Projecto dos
clubes rotários do concelho de Matosinhos).
Sócia fundadora da ARMES – Associação dos Rotários de Matosinhos para o Ensino Sénior –
membro da Assembleia Geral.
Governadora Assistente nos anos 2007-08; 2008-09 e 2009-10.
Responsável Distrital (D.1970) do Protocolo, incluindo a formação nos anos 2008-09 e 2009-
10.
Integrou a Comissão Distrital de Formação nos anos 2007-08, 2008-09 e 2009-10.
Integrou 2 Comissões Distritais da Rotary Foundation, presidindo no triénio 2005-08 à Sub-
Comissão das Doações, e no período de 2008-2013, após a entrada em vigor do novo Plano de
Visão da TRF é responsável pela Subcomissão das Doações Anuais-Captação de Recursos.
Integrou a equipe formadora na Assembleia Distrital de 2007, tendo a responsabilidade da for-
mação de doações para a Rotary Foundation.
Participou desde 1987 em todas Conferências do Distrito 1970 (e muitas do Distrito 1960) como
cônjuge de rotário, e a partir de 2000 como rotária.
Participou de modo muito particular na organização e execução da II Conferência Bi-distrital
(D1960 e D1970) / XXII Conferência do Distrito 1970 realizada no Porto em 2005, e na XXVI Con-
ferência do Distrito 1970 realizada em Espinho em 2009.
Distinguida por vários Governadores com Menções Honrosa, Diplomas de Mérito por serviços
prestados ao Distrito Rotário, e Títulos de Reconhecimento por vários clubes rotários.
Como Cônjuge do Governador do ano 2004-05, acompanhou todas as Visitas Oficiais do Governa-
dor, participou e colaborou na organização de todos os eventos e realizações da Governadoria
GOVERNADORA INDICADA 2012 – 2013
desse ano.Ainda como cônjuge do Governador, teve um forte e significativo contributo para o nível
das arrecadações para Rotary Foundation e Fundação Rotária Portuguesa em Ano de Centenário
de RI, dado o projecto dos Cônjuges dos rotários nesse ano reverter para aquelas instituições.
Integrou a Comissão organizadora, no ano 2002-03, da Gala a favor da Campanha de Erradica-
ção da Poliomielite, no Palácio da Bolsa no Porto.
Integrou a Comissão organizadora da Gala das Fundações, realizada no Casino da Póvoa em
2007, destinada a angariação de fundos para a Rotary Foundation e Fundação Rotária Portugue-
sa.
AIDE de casal Gleen e Mary Estess, Presidente de RI em 2004-05, na sua deslocação ao Insti-
tuto de Lisboa em 2007, representando a Rotary Foundation como vice-presidente.
Participou nos programas televisivos na RTP “Divulgar Rotary” no ano 2004-05.
Representante Especial do Governador para a formação do Rotary Club de Leça do Balio.
Tem efectuado palestras em vários clubes rotários, subordinadas aos temas Doações para a
Rotary Foundation, Protocolo em Rotary e a Mulher em Rotary.
Internacional:
Participou na Assembleia Internacional em Anaheim em 2004 – formação para cônjuges dos
Governadores de Distrito.
Participou na 96ª Convenção de RI de Chicago no ano 2005 (Convenção do Centenário de RI),
e no ano de 2006 na 97ª Convenção de RI de Copenhagen.
Foi delegada-votante do Rotary Club da Senhora da Hora e de mais 4 clubes nestas duas
convenções.
Participou nos Institutos Rotários de Zona:
Lugano – Suíça (Zona 10) (que incluiu o GETS e formação de cônjuges de Governadores Eleitos) em
2003. Inclui a participação no Seminário da Rotary Foundation no âmbito do Instituto de Lugano.
Desde 2003 que participou em vários Institutos Rotários de Zona, na Europa (onde pertence o D.
1970), e no Brasil.
Participou na Conferência Presidencial sobre a Paz em Istambul em 2007.
Participou na Reunião Europeia das Comissões Inter-Países– CIP´s, em Nice no ano 2004.
Participou nos Seminários da CIP Brasil/PLOP de Florianópolis e Gramado no Brasil, e no Seminá-
rio CIP´s Palops realizado no Porto em 2007.
Membro do Instituto de Liderança Rotária (The Leader Institut Rotary), tendo feito formação no
Seminário de Lisboa em Julho de 2008, com o Presidente do Instituto, PDRI David Linett e o actual
Director de RI António Hallage.
Representou juntamente com o seu marido, Gov 2004-05 Diamantino Gomes, o casal presidente de
RI, William “Bill” Boyd e Lorna, à Conferência do Distrito 1510, Pais de Gales, em Outubro de 2006.
Actividades Profissionais e Sociais:
Professora do Ensino Básico. Membro efectivo do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas.
Presidiu ao Conselho Executivo, Administrativo e Pedagógico do Agrupamento de Escolas. Várias
Pós – Graduações na área do Ensino. Juiz Social do Tribunal da Comarca de Matosinhos. Sócia
fundadora de diversas associações, destacando: Sócia fundadora da AMAS – Associação Mame-
dense de Apoio Social – Direcção. Membro do CLAS – Conselho Local de Apoio Social de Matosi-
nhos. Sócia Fundadora da APDIS – Associação Portuguesa de Dislexia – Direcção. Fundadora da
Associação de Pais da École Française do Porto.
VOG Caminha
Clube de Caminha quer dois novos sócios
No dia 2 de Dezembro o Governador con-
cretizou a primeira visita oficial do Mês em
Caminha. Na reunião de trabalho o Clube, este
ano liderado por Manuel Tavares, apresentou
os seus projectos: sete bolsas de estudo patro-
cinadas umas pelo clube e outras pela FRP; re-
colha de alimentos para fazer cabazes de natal
para entregar a famílias carenciadas; atribui-
ção dos prémios escolares – alunos do 9º ano
da Escola EB 2,3 (um em Caminha e outro em
Vila Praia de Âncora); atribuição de uma verba
angariada pelos cônjuges destinada à Asso-
ciação Vencer e Viver do Hospital Distrital de
Viana do Castelo (Oncologia); pretendem uma
parceria com a Câmara para levar a cabo um
rastreio do cancro do estômago; com o apoio
da Câmara pretendem criar uma Universidade
Sénior; homenagem ao Profissional.
O Clube pretende aumentar o quadro so-
cial com dois novos sócios. Anualmente fazem
doações à Fundação Rotária Portuguesa e
pretendem este ano subscrever um Título Paul
Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de
Viana do Castelo (Clube Padrinho), Braga Norte
e Ponte da Barca. No seu discurso, Manuel Cor-
deiro lembrou que “os nossos clubes têm que se
envolver, cada vez mais, em Projectos de apoio
social quer nas comunidades onde se inserem
quer em comunidades terceiras. Não nos deve-
mos cingir às nossas comunidades. Rotary tem
vocação mundial. É necessário que os nossos
clubes o entendam. Se todos olharem só para
as suas comunidades não há cooperação en-
tre eles. Sabemos todos muito bem como essa
cooperação é necessária para ajudar aqueles
que mais precisam de ajuda, estejam onde es-
tiverem”.
VOG Porto Oeste
Projecto pioneiro no Clube de Porto Oeste
O Governador do Distrito 1970 visitou o Clube de Porto Oeste no dia 3 de Dezembro. Manuel
Cordeiro ficou a conhecer alguns dos principais projectos do Clube: prémio ao melhor aluno em
Língua Portuguesa e Matemática; Liga dos Amigos do Hospital Maria Pia; Liga dos jovens amigos;
apoiam a ida de crianças (oito) com doenças cardíacas para intervenção cirúrgica no Hospital de
São João, num projecto pioneiro e de referência; projecto PISTA; na paróquia de Ramalde equipa-
ram um posto médico; no Natal, auxiliam o Internato de São João e convivem ao com alunos de
alguns internatos; atribuem um prémio ao melhor aluno da Escola de Hotelaria (finalista); home-
nagem ao Profissional.
O Clube, este ano liderado por José Pavão, já admitiu dois novos sócios, mas pretende admitir
mais dois. Anualmente fazem doações para a Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Vila Nova de Gaia e Gondomar. O Governador As-
sistente, companheiro Ernesto Silva, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou as quatro avenidas de serviço de Rotary: “Os Rotary
Clubes são, cada vez mais, clubes de prestação de serviços. Assim todos os sócios devem inte-
grar uma ou mais das quatro Avenidas de Serviço de Rotary. Estas constituem a base filosófica do
Rotary e representam o alicerce que sustenta as actividades de todo Rotary Club: Serviços Inter-
nos - fortalecem laços de companheirismo e garantem que o clube opere de forma eficaz. Serviços
Profissionais - incitam os rotários a promover altos padrões de ética e a ajudar o próximo através
de suas profissões. Serviços à Comunidade - cobrem projectos e actividades empreendidas pelo
clube em melhoria das condições de vida localmente. Serviços Internacionais - englobam as ac-
tividades empreendidas para expandir o serviço humanitário do Rotary no mundo todo, e para
promover a paz e compreensão internacional”.
VOG Mirandela
25 anos de Rotary em Mirandela
No dia 10 de Dezembro Ma-
nuel Cordeiro visitou o clube
de Mirandela. O Governador
teve oportunidade de conhecer
a Santa Casa da Misericór-
dia de Mirandela. O guia foi o
Senhor Provedor, o Professor
Dias. A comitiva visitou a sede
que está instalada num edifício
antigo restaurado pela Santa
Casa com o apoio técnico do
IGESPAR. Visitaram também
o CAT onde se encontram 14
utentes com idades entre os 3
meses e os 18 anos.
Na reunião de trabalho, o
Clube, este ano liderado por
Paulo Pinto, deu a conhecer
os seus projectos: 25 de Maio
actividade de solidariedade –
evento desportivo informal e
de participação massiva – tem
como objectivos a angaria-
ção de fundos e a promoção
de Rotary; oferta de livros
a jovens carenciados numa
parceria com a Porto Editora
– jogos, livros, colecções; ho-
menagem ao profissional; pre-
tendem criar um Clube (numa
destas localidades: Macedo,
Vila Flor e Moncorvo); vão
cantar as janeiras; pretendem
reorganizar o Clube adminis-
trativamente e fazer página de
internet; tencionam consagrar
a instalação de Marco Rotá-
rio; têm bolsas patrocinadas,
cinco para o ensino superior
e uma para o ensino secun-
dário, todas patrocinadas por
empresários. O Clube de Mi-
randela pretende aumentar o
quadro social e anualmente
fazem doações à Fundação
Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presen-
tes os clubes de Bragança,
Chaves e Vila Real. O Gover-
nador Assistente, companhei-
ro José Boaventura Cunha,
não esteve presente. O Pre-
sidente da Câmara não pode
estar presente, mas fez-se re-
presentar pelo Vice-presiden-
te, Engº Almor Branco, que na
sua intervenção fez elogios
ao papel que o Rotary Clube
tem desenvolvido desde que
foi fundado há 24 anos. Dispo-
nibilizou o apoio da Câmara
para as actividades que o clu-
be pretender levar a cabo no
futuro, nomeadamente para a
instalação do marco rotário.
No seu discurso, Manuel
Cordeiro lembrou a importân-
cia deste mês rotário: “Rotary
dedica o mês de Dezembro à
Família. Na sua Mensagem de
Dezembro o nosso Presiden-
te começa por dizer: Em De-
zembro celebramos o Mês da
Família Rotária. Todo rotário
faz parte desta família, que na
realidade é muito maior que
1,2 milhões de pessoas. Esta
família inclui todo homem, mu-
lher e criança ligados ao nosso
trabalho, como os cônjuges e
filhos dos associados, os par-
ticipantes e ex-participantes
de programas da Fundação
e as centenas de milhares de
pessoas quem têm contacto
com nossas iniciativas.
Sendo uma família, todos
devemos trabalhar no senti-
do de cumprir o objectivo de
rotary, apoiar todos os que
necessitam de ajuda, estejam
onde estiverem, professem que
religião professarem, sejam de
que cor forem. Rotary pede-
nos que sejamos tolerantes. Só
assim daremos força à família
que somos. O facto de sermos
muitos, cria-nos dificuldades
pois, por vezes, não é fácil
conciliar as opiniões de todos.
No entanto esta diversidade de
pensamentos permite que haja
sempre algum de nós disponí-
vel para levar a cabo as tarefas
a que rotary se propôs”.
VOG Ermesinde
Levantamento das carências da população em Ermesinde
O Governador do Distrito 1970 visitou a cidade de Ermesinde no mês de Dezembro. Paulo
Ramalho, presidente da junta de freguesia, guiou Manuel Cordeiro pelas instalações municipais,
sem dúvida muito boas e funcionais. A junta tem uma óptima relação com o Rotary Clube e esteve
representada no jantar pelo Secretário, por impedimento do presidente. O Clube Relação muito
estreita com a Câmara Municipal e com a Junta de Freguesia. Tem um marco rotário localizado
mesmo ao lado da Junta de Freguesia.
Na reunião de trabalho, o Clube, este ano liderado por Carlos Faria, deu a conhecer os muitos
projectos que tem: pertence à CLAS – Comissão local de apoio Social – instituição que funciona
sob a égide da Câmara (o presidente é o presidente do CLAS) – fazem o levantamento das carên-
cias de índole social dos munícipes e as necessidades das associações de apoio social do conce-
lho; têm um projecto com a Escola Secundária – trazer para a rua o Clube – com o grupo de estágio
de educação física vão organizar uma actividade (marcha atlética); premeiam o melhor aluno do
12º ano da Escola Secundária Ermesinde e de Alfena – distribuídos num Sarau público (realizado
no Fórum Cultural de Ermesinde) cuja receita obtida é para os projectos do clube; vão realizar a
segunda edição do Rally Paper; têm um banco de cadeira de rodas (15) e camas articuladas (4)
que estão à guarda do Centro Social de Ermesinde.
O Clube pretende aumentar o quadro social em dois elementos. Têm feito doações anuais à
Fundação Rotária Portuguesa e pretendem subscrever um Título Paul Harris neste ano rotário.
Na visita estiveram presentes os clubes de Valongo, Porto Antas e Vila Real. No seu discurso,
Manuel Cordeiro lembrou algumas importantes palavras do presidente de Rotary Internacional:
“John Kenny diz-nos que os jovens de nossa família estão nos Interact e Rotaract Clubes, nos
seminários RYLA, nas Bolsas Educacionais e no Intercâmbio de Jovens. Assim como em qualquer
família, eles são a esperança de um futuro promissor. Desejo que eles se tornem rotários no futuro,
mas já basta saber que hoje o Rotary faz parte da vida deles”. Para o Governador, “todos juntos
vamos dar mais força ao espírito de família em rotary. Assim seremos mais solidários e mais
fortes. Consequentemente estaremos em melhores condições de prestar ajuda a muitas mais pes-
soas. Não nos podemos esquecer de que é um dever os clubes fazerem donativos para a Rotary
Foundation. Se o fizerem e o destinarem ao Fundo Anual de Programas estarão a semear para
colher, ou seja, irão beneficiar, três anos mais tarde, de metade desse dinheiro para a implemen-
tação dos seus projectos”.
JANEIRO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros rotários:
Os romanos relacionavam o mês de Janeiro com Jano, o deus que tinha duas cabeças: uma
virada para trás, olhando o ano que passou, e a outra para frente, olhando o novo ano.
Janeiro marca a metade do ano de serviços no Rotary; e é também a oportunidade para todos
nós olharmos para o passado e para o futuro. É a época do ano para se fazer um balanço, rever
os objectivos que estabelecemos para nós mesmos, e analisar como estamos indo. É tempo de
verificar o nosso progresso e os desafios encontrados, e tomar medidas para que sejamos bem
sucedidos na finalização do nosso trabalho.
Eu tenho certeza que se orgulham de muitos objectivos alcançados nos últimos seis meses.
Em minhas viagens, pude presenciar quantas coisas os rotários são capazes de conseguir
quando se determinam a fazê-las, como levar água potável a quem precisa, fornecer comida e
abrigo aos necessitados e ajudar na educação daqueles que não sabem ler nem escrever. Vo-
cês promovem o ideal de servir em um contexto de companheirismo, amizade e altos padrões
éticos.
Os rotários são capazes de mudanças que definirão o curso não só dos meses, mas também
dos anos e das décadas que estão por vir. Este é o nosso privilégio e a nossa obrigação como
rotários – membros generosos da sociedade, que felizmente se encontram na posição de ajudar
pessoas vivendo em condições que mal podemos imaginar.
Há muito o que fazer nos próximos meses, portanto não percam nem um segundo do seu
bem mais precioso: o tempo.
Somos todos voluntários trabalhando para uma organização voluntária. Nenhum de nós foi
obrigado a se tornar rotário; cada um de nós escolheu e foi escolhido. Ano após ano e dia após
dia, escolhemos continuar o trabalho que começamos, seguindo o lema Dar de Si Antes de Pen-
sar em Si. Não é sempre o caminho mais fácil, mas é o caminho do bem.
Gostaria de agradecê-los pelos serviços que já prestaram, estão prestando e que certamente
prestarão no futuro.
O futuro do Rotary está em suas mãos.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
O tempo voa! Parece que o ano rotário começou há pouco tempo e já lá vão seis meses.
Chegámos, assim, a meio do ano. É tempo de fazer um balanço do que fizemos e projectar, com
convicção, o que pretendemos fazer até ao dia 30 de Junho.
No início do ano tracei metas que considerei realistas. Hoje sinto-me muito satisfeito porque
algumas já foram alcançadas e outras o serão na segunda metade do ano que nos falta. Apos-
tei na implementação de projectos de Subsídios Equivalentes alicerçados em parcerias com
o Distrito 4660, do Estado do Rio Grande do Sul, no Brasil. No seguimento do IGE que vamos
realizar, tem sido muito gratificante a convergência de ideias que tenho com o companheiro
Governador Olandino Ribeiro. Os frutos estão aí. Neste momento temos vários projectos já
aprovados e outros em vias de aprovação.
No que respeita às contribuições para a Rotary Foundation, apesar da crise financeira em que
vivemos, os clubes têm feito um esforço grande para que os objectivos que estabelecemos, em
conjunto, sejam atingidos. Para isso conto com o empenho e capacidade dos meus Presidentes.
Estou certo de que todos vão cumprir as metas que estabeleceram.
Olhemos agora para os seis meses que temos pela frente. Vamos, em conjunto, tornar reais
os objectivos que traçámos e que ainda não se tornaram realidade. È necessário muito esforço,
mas a vontade que tenho sentido nas Visitas Oficiais que tenho feito, dão-me a certeza de que
vão ser realidade todos os nossos sonhos. Quem ficará a ganhar são os mais desfavorecidos.
Aproveito para fazer um pedido especial a todos os clubes no que respeita ao Quadro Social.
Sem sócios não podemos desenvolver actividades de apoio social. O papel do Conselho Direc-
tor é decisivo na criação de condições para que os sócios actuais se mantenham e que outros
entrem. Se os clubes tiverem visibilidade nas comunidades onde estão inseridos, cativam mais
facilmente novos sócios. Peço-lhes que tornem as reuniões atractivas e se apresentem à comu-
nidade como capazes de os ajudar a resolver os seus problemas.
Termino com uma palavra de gratidão a todos os rotários do nosso Distrito pelo empenho que
têm posto no trabalho desenvolvido nestes primeiros seis meses. Conto com todos para conti-
nuarmos com a mesma vontade e determinação. Se assim for, chegaremos ao fim do ano com a
consciência do dever cumprido. Lembrem-se que O futuro do Rotary também está nas
Nossas mãos.
Recebei um grande abraço do vosso amigo e companheiro,
Manuel Cordeiro
ROTARACT EUROPE MEETING SAN MARINO 2010-02-04
ruu tuo rneeoou. wntt is tne Liuk
Decorreu no último fim-de-semana de Ja-
neiro, em San Marino, a reunião de Inverno do
ERIC - European Rotaract Information Center,
a Organização Multidistrital de Informação de
Rotaract, aprovada por Rotary International,
que reúne todos os rotaractistas e clubes de
Rotaract da Europa.
Durante três longos e intensos dias, cerca
de 300 jovens europeus e de lugares distantes
como os Estados Unidos da América e a Austrá-
lia tiveram a oportunidade de estarem reunidos
na República de San Marino, para partilharem
experiências,culturas, projectos e viverem em
pleno o ideal rotário do companheirismo - ou
não fosse o mote do ERIC “Share, Listen, Un-
derstand”. Portugal esteve representado pela
Representante Distrital de Rotaract do Distrito
1970, Companheira Ângela Barros, que é tam-
bém a responsável nacional pela ligação ao
ERIC, e por companheiros do Rotaract Club de
Santo Tirso e Rotaract Club do Entroncamen-
to, num total de 5 jovens. A reunião teve início
na sexta feira, com uma recepção oferecida
pelo Governo de San Marino, onde a Presiden-
te do ERIC, Companheira Claire Tennant, teve
a oportunidade de expor alguns dos projectos
do próprio ERIC e também dos distritos que o
constituem, onde mereceu destaque o afamado
Projecto Timor, desenvolvido conjuntamente
pelos dois Distritos portugueses.
O dia de Sábado foi o dia dedicado aos tra-
balhos, começando com uma reunião do Co-
mité do ERIC onde foi aprovado um novo Re-
gimento Interno, e onde foram lançados novos
projectos: para o segundo semestre de 2010,
um dos desafios do ERIC para os clubes é a
promoção local de actividades de sensibiliza-
ção para a Luta contra o Cancro. Nesta reunião
todos os presentes concordaram também una-
nimemente no envio de duas shelterbox para o
Haiti, como medida de apoio imediato às popu-
lações locais afectadas pelo terramoto. Duran-
te a tarde, o tempo foi ocupado por workshops
dos mais variados temas, havendo ainda opor-
tunidade para um pequeno passeio pelo centro
histórico de San Marino. O dia terminou com um
jantar de Gala na Vila des Vergers, já em solo
italiano, onde nem as temperaturas negativas
que se faziam sentir no jardim foram obstáculo
à animação e diversão!
Para o futuro fica mais um passo para a
progressiva reintegração de Portugal a nível
europeu, no que a Rotaract se refere, fazendo
jus à tradição rotaractista nacional! E ficam
todas as imensas oportunidades de expansão
para os excelentes projectos já realizados pe-
los clubes nacionais, que podem por esta via
enriquecer mais a sua intervenção, bem como
potenciar o desenvolvimento dos seus mem-
bros. O link para o futuro, somos nós!
Ângela Barros
UNIVERSIDADE SÉNIOR - UM TESTEMUNHO
Na Visita Oficial a Paredes, o Governador Manuel Cordeiro ouviu Carolina Ruão, aluna da Uni-
versidade Sénior local, demonstrar o que representa para si e para muitos o trabalho desta insti-
tuição do Rotary. Palavras que servem de exemplo da importância do trabalho das Universidades
Seniores e que são aqui reproduzidas:
Exmo. Sr. Governador, Manuel Cordeiro
Permita-me, V. Ex. que as minhas primeiras palavras sejam dirigidas ao Sr. Presidente da
Câmara, aos Ex.s membros da direcção dos nossos Rotários, aos dignos professores aqui pre-
sentes, e ainda aos meus colegas e amigos alunos desta Universidade Sénior, que hoje, eu aqui
represento.
Permita-me um parêntesis, antes de dizer o que pretendo, para assinalar a presença do Sr. Pre-
sidente da Câmara, que muito me satisfaz ver aqui mais uma vez, como um parceiro, um amigo, a
quem todos devemos tanto, pois se não fosse a sua valiosa colaboração seria difícil aos Rotários
oferecer-nos hoje todas as vantagens e benesses que levamos desta escola. Um agradecimento
pessoal. Fechando parêntesis, volto ainda a dirigir-me a todos os referidos porque sei que já estão
fartos de me ouvir. Vão pensar para si e até dizer uns aos outros que eu não sei falar doutra maneira,
que já ouviram repetidamente as palavras que reservo para V. Ex., hoje, etc, etc. E é verdade.
Eu repito-me porque a minha verdade nesta vertente tem uma só faceta. Eu repito-me porque
não posso desdizer-me, não posso alterar nada àquilo que tenho obrigação de afirmar e quanto
mais vezes o afirmar, mais o confirmo.
Ex. Sr. Governador Manuel Cordeiro
Agora para V. Ex.
Eu vou pegar numas conhecidas palavras que José Saramago dirigiu um dia à esposa, vou
usá-las: “ Se eu já tivesse morrido há 10 ou 15 anos, teria morrido muito mais envelhecida e pobre
do que serei agora quando chegar a minha hora.” Só porque a Vossa Organização dos Rotary me
deu a oportunidade desta vivência.
Só quem é verdadeiramente sénior é que pode reconhecer quanto deve à existência desta
escola pomposamente chamada de Universidade, onde temos a oportunidade de rejuvenescer o
nosso espírito e o nosso corpo, com as actividades e disciplinas que estão ao nosso alcance. Só
quem é verdadeiramente sénior é que compreende o sentido desta frase de Saramago, ou ainda
outra, esta do filósofo Hegel: “ A liberdade torna-nos semelhantes a Deus.” O verdadeiro sénior é
uma pessoa livre. Mas o que faz o sénior com a sua liberdade?
Geralmente, ou se acomoda em casa procurando tudo o que o possa entreter, ou sai à procura
de alguém que lhe preste atenção, para discutir as noticias que vêm nos diários, ou se senta num
banco de qualquer lugar público e adormece.
Eu, por mim, nunca fui tão livre como aos 85 anos, porém nunca me senti tão escrava, tão de-
pendente de tudo e de todos como então. Poderei mesmo dizer que nunca me senti tão tristemente
livre. Porém, hoje com mais idade sou feliz, com a mesma liberdade.
É verdade que a obrigação de sair de casa em dias e horas certas, para esta ou aquela aula que
eu escolhi, me obriga a não ser livre nessas horas. Abençoadas obrigações que não me deixam
ser totalmente livre. A plena liberdade é um desnorte, é a tal “perigosa oferta” referida também por
Hegel.
Só por isto, quantos agradecimentos são devidos aos Rotários, de que V. Ex. é governador. E os
conhecimentos que nos enriquecem, pois nunca sabemos tudo, e há sempre tanta coisa a desco-
brir e a aprender. As alegrias que estes encontros nos proporcionam. Os exemplos que colhemos
e damos, antes os exemplos trocamos, pois ninguém é senhor da perfeição. Que gratificante! O
meu testemunho é inegável. Depois de 50 anos de vida activa, seguidos de 5 ou 10 de descanso,
pode dizer-se que mais se espera ou precisa para viver e ser feliz? Mas descansar depois de uma
vida de trabalho que nos realizou, não é prémio, mas castigo.
Aos 70 anos, parar-se, cai-se numa agonia sem fim.
A maior parte dos colegas nunca viverá esta experiência porque antes disso a Universidade
Sénior já os tinha abraçado. Mas o meu testemunho é pessoal. Dias, semanas, meses, anos em
que nada falta e se vive a olhar para o relógio do tempo, cujos ponteiros não andam. Os dias
sucedem-se sem novidades ou interesse, e não têm fim. A Universidade Sénior foi o clic para uma
vida nova. Este início de uma vida nova na minha idade fez-me sentir um frémito de juventude ou
antes, e até mesmo de meninice. Faz-me sentir uma ilusão de mocidade. Sentir-me mais livre,
mais solta, em conclusão, mais nova.
Eu sou o exemplo vivo de uma pessoa sénior. Até nestas palavras, a pessoa sénior, idosa, ve-
lha, é como uma criança, nunca mais se cala quando se sente feliz. Eu, hoje, sou sénior feliz.
Senhor governador, agradecendo o bem recebido e pedindo desculpa se me alonguei, termino
com Miguel Torga:
“Livre não sou, que nem a própria vida mo consente
Mas a minha aguerrida teimosia
É quebrar dia a dia
Um grilhão da corrente.”
Permita-me ainda uma mensagem aos meus colegas:
Que fortes e saudáveis são as árvores velhas!
E como as velhas ruas têm outra calma!
Porque não havemos de ser como elas
Agora que temos mais encanto, com renovada alma?
Paredes – 21.01.2010
Carolina Ruão
AJUDA ÀS POPULAÇÕES DO HAITI
Rotary está atento a tudo o que acontece no mundo. Assim, face à tragédia que se abateu sobre
a população do Haiti, Rotary apareceu de imediato prestando ajuda e mobilizando os rotários de
todo o mundo para que fossem generosos com os haitianos que viram as suas casas destruídas e
muitos familiares mortos. Como Governador do nosso Distrito, reagi de imediato e enviei a todos
os presidentes dos clubes um apelo a que, caso assim entendam, levem a cabo acções no sentido
de angariar fundos para, com enquadramento da Rotary Foundation, serem enviados parta o lá. No
nosso caso através da nossa Fundação Rotária e com enquadramento de Rotary International.
Neste momento estou muito satisfeito porque já muitos clubes depositaram dinheiro na conta.
Os clubes desenvolveram as mais variadas iniciativas para angariar fundos.
Por aqui se vê que os rotários do nosso Distrito sabem ser solidários com quem precisa e res-
pondem sempre presente quando lhe é solicitada ajuda.
Enquanto governador neste ano rotário, sinto um grande orgulho em todos os clubes e rotários
do nosso Distrito.
A conta aberta é do Banco Totta & Açores, foi aberta pela Fundação Rotária Portuguesa e con-
tinua activa podendo ainda receber donativos tem os seguintes dados:
Nº 03949072001 e NIB : 001800000394907200149
Manuel Cordeiro
JANTAR PARA ANGARIAÇÃO DE FUNDOS NO PORTO
Para comemorar os 105 anos de Rotary, no próximo dia 23 de Fevereiro, às 20H30m, o Distrito
1970 realiza um jantar no Porto Palácio Hotel.
As receitas destinam-se à vertente do projecto dos cônjuges “satisfazer os desejos de crianças
internadas no IPO do Porto” e, ainda, para a ACIAJF – Associação Católica Internacional ao Servi-
ço da Juventude Feminina, que acolhe mães solteiras em risco social e dá refeições diárias para
muitas pessoas carenciadas.
O jantar terá o apoio do Hotel Porto Palace e a supervisão do Chefe Hélio Loureiro que, mais
uma vez, colabora com o Distrito em acções de apoio social.
eutneot oo centirictoo to nottnv kios oe esttnneat
No dia 29 de Janeiro, aquando da Visita Oficial do Governador Manuel Cordeiro, realizou-se a
cerimónia de entrega do Certificado ao Rotary Kids de Estarreja. Foi uma cerimónia muito inte-
ressante e de grande importância para o clube e para o Distrito. O novo clube é formado por 21
elementos, todos com grande vontade em ajudar o seu presidente, companheiro Tomás Melo, a
concretizar toas as actividades que fazem parte do seu plano de actividades.
De seguida apresenta-se o discurso integral do presidente Tomás Melo:
“Boa noite a todos!
Em nome do Rotary Kids de Estarreja quero agradecer a presença de todos, e em especial a
do companheiro Governador, a do Representante dos Rotary Kids do Distrito 1970 e a dos nossos
companheiros do Rotary Kids de Viana do Castelo.
Quero dar um obrigado ao companheiro Governador por ter oficializado o Rotary Kids de Es-
tarreja. Ao companheiro presidente do Rotary Cube de Estarreja por ter deixado formar-nos. E a
companheiro Miguel Santos por nos ter ajudado a unir os elementos do grupo.
O Rotary Kids de Estarreja já começou a juntar planos para angariar fundos para as pessoas
mais carenciadas, tais como jogos de futebol e bailados.
Este grupo estará sempre à disposição do Rotary Clube de Estarreja e do Rotaract de Estar-
reja.
Obrigado e continuação de uma boa noite a todos!”
CAMINHADAS NA BRUMA APRESENTADO EM VILA REAL
Livro adaptado a teatro de fantoches
Para alegrar os mais pequenos (e não só), e entrando no espírito de Maria Antónia, esposa do
Governador Manuel Cordeiro, o Clube da Marinha grande organizou um espectáculo de fantoches
baseado no livro “Caminhadas na Bruma”. Desta forma, o Pedro, o Luís e os seus pais, retratados
pelos fantoches, transmitiram a mensagem da Polio e sobretudo a necessidade da vacinação. Os
fantoches entregaram no final presentes aos meninos que já foram vacinados.
O livro já é um sucesso, seguindo na sua segunda edição, e todos os clubes rotários têm ajuda-
do Maria Antónia, esposa do Governador Distrito 1970, no seu objectivo de angariar fundos para a
vacinação de cada vez mais crianças contra a poliomielite.
A apresentação oficial do livro decorreu no dia 18 de Dezembro em Vila Real, no auditório da
Biblioteca Municipal. A noite estava fria, mas os corações aqueceram com as palavras dos men-
tores do projecto e de quem o concretizou.
O livro “Caminhadas na Bruma”, da autoria de Simone de Fátima Gonçalves, foi ilustrado por
António Serer e editado pela Garça Editores. Todos os intervenientes, incluindo a editora, fizeram-
no de forma voluntária, o que fez com que o valor da venda dos livros das primeiras edições seja
totalmente revertido para a luta contra a pólio.
O livro retrata duas histórias de vida que têm a poliomielite em comum. “Um drama que só a
ternura, a coragem e a inteligência podem atenuar. Fala de duas crianças, de universos sociais e
económicos muito diferentes, ambas vítimas da doença, relatando os traumas que enfrentaram até
conseguirem sublimar, com inteligência e coragem, as mazelas que ficaram”, explica a autora.
Maria Antónia falou com emoção da razão deste livro e dos esforços que se conjugaram para
que ele surgisse, realçando a circunstância de se tratar de uma autora brasileira que uniu a sua
criatividade a um ilustrador português. O Vice-Presidente da Câmara de Vila Real louvou a acção
do movimento rotário em prol das causas humanitárias, sempre apostado na melhor forma de
fazer bem aos outros. A autora, por sua vez, explicou que não poderia ficar indiferente ao desafio
que lhe foi lançado para escrever esta história, conhecedora que é do esforço que no Brasil se fez
para erradicar a Poliomielite.
VOG Braga Norte
Clube de Braga Norte patrocina casa para
vítimas de violência doméstica
No dia 7 de Janeiro o Governador do Distrito
1970 visitou o Clube de Braga Norte, padrinho
do Clube de Póvoa do Lanhoso. Manuel Cor-
deiro teve a oportunidade de visitar a Caritas
da Arquidiocese de Braga, guiado pelo seu
Presidente, Dr. José Carlos Dias, que mostrou
as instalações e todas as valências que têm a
funcionar: o atendimento social, atendimento
a estudantes, roupeiros (asseguram roupa a
centenas de pessoas carenciadas), refeitório
social, balneários sociais, banco de equipa-
mento médico-hospitalar. A Cáritas Arquidio-
cesana de Braga em parceria com o Projecto
“Novo Rumo”, criou ainda, em Março de 2006
um Centro de Informação e Acompanhamento
a Vítimas de Violência Doméstica designado de
“Espaço Mulher”.
Esta instituição tem como principais objecti-
vos colmatar a necessidade de apoios ao nível
da saúde em Braga; proporcionar a todos os
que se encontram em situação de insuficiên-
cia económica, o acesso a equipamentos de
saúde (canadianas, cadeiras de roas, camas
articuladas, etc.); promover a qualidade de
vida das famílias com mais carências sociais
e económicas e que têm dependentes a cargo;
proporcionar condições de vida mais dignas às
pessoas que se encontram em situação de de-
pendência física face a um equipamento espe-
cífico; fomentar o trabalho em rede, junto de to-
das as instituições da Arquidiocese de Braga.
O Clube de Braga Norte tem um protocolo
com esta instituição, apoiando a construção da
Casa da Alavanca, de apoio às vítimas de vio-
lência doméstica. Mas tema ainda outros pro-
jectos: distribuição de cabazes de Natal e rou-
pa; visitas a instituições de apoio social com o
objectivo de minorar a solidão – uma creche,
à APPACDM de Braga e outras; detectar situa-
ções de carência de estudantes da comunida-
de local para possível atribuição de bolsas de
estudo; homenagem ao Profissional.
No que diz respeito ao Quadro Social, o Clu-
be, este ano liderado por João Roma, pretende
admitir dois novos sócios. Anualmente fazem
doações à Fundação Rotária Portuguesa mas
uma das metas que pretendem atingir é o au-
mento do número de subscritores de mérito.
Na visita estiveram presentes os clubes
de Esposende, Santo Tirso, Braga (Clube Pa-
drinho), Barcelos, Fafe, Vila Verde, Viana do
Castelo, Caldas das Taipas e Vizela. A Gover-
nadora Assistente, companheira Maria Goreti,
esteve presente. Também esteve presente o
companheiro Gonçalves Afonso, Governador
1999 – 2000.
No mês dedicado à Consciencialização Ro-
tária, Manuel Cordeiro lembrou que estamos a
meio do ano rotário: “Rotary dedica o mês de
Janeiro à Consciencialização Rotária. Na sua
Mensagem o nosso Presidente começa por di-
zer: Janeiro marca a metade do ano de servi-
ços no Rotary; e é também a oportunidade para
todos nós olharmos para o passado e para o
futuro. É a época do ano para se fazer um ba-
lanço, rever os objectivos que estabelecemos
para nós mesmos, e analisar como estamos
indo. É tempo de verificar o nosso progresso e
os desafios encontrados, e tomar medidas para
que sejamos bem sucedidos na finalização do
nosso trabalho”.
VOG Castelo de Paiva
Autarquia de Castelo de Paiva em estreita relação com o Clube Rotário
O Governador do Distrito visitou, no dia 8 de Janeiro, o Clube de Castelo de Paiva, afilhado
do Clube de Penafiel. Manuel Cordeiro visitou a Academia de Música de Castelo de Paiva, que
lecciona os Cursos Básicos de Acordeão, Clarinete, Flauta, Oboé, Piano, Saxofone, Trompete,
Trombone, Trompa, Tuba, Viola Dedilhada e Violino e os Cursos Complementares de Acordeão,
Clarinete, Flauta, Piano, Saxofone, Trombone, Trompete, Viola Dedilhada e Formação Musical.
No presente ano lectivo assistiu-se a um aumento exponencial do número de alunos que subiu
para mais de 300, devido à reorganização do ensino especializado da música que possibilitou a
frequência gratuita dos alunos que se matricularam em regime de ensino articulado. A Academia
oferece ao longo do ano variadíssimos concertos apresentando os seus alunos individualmente
ou em música de câmara. Celebra Contratos de Patrocínio com o Ministério da Educação/DREN
que garantem o apoio financeiro ao funcionamento dos cursos que ministra. Recebe, igualmente,
apoio do Município de Castelo de Paiva no que respeita à cedência de estruturas e sua manuten-
ção e de apoio financeiro às actividades realizadas. Orgulham-se de ter antigos alunos a actuar
em conjuntos e orquestras nacionais e, mesmo, internacionais.
O Governador foi ainda recebido na Câmara Municipal pelo Presidente, Dr. Gonçalo Rocha,
que reconheceu o papel importante que o Rotary Clube desempenha no apoio aos munícipes mais
necessitados. O edil esteve presente na reunião de jantar.
Na reunião de trabalho o Governador ficou a conhecer os projectos do Clube. este ano liderado
por João Dias: Banco de camas articuladas (2) e cadeiras de rodas (2); Bolsas patrocinadas pela
FRP; através da Rede Social pagaram a um professor de uma turma de alunos deficiente e cede-
ram algum equipamento; Ceia de Natal com troca de prendas.
O Clube de Castelo de Paiva pretende aumentar o Quadro Social com dois novos sócios. Anu-
almente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa. Na visita estiveram presentes os clubes
de Cinfães, São João da Madeira, Porto Antas, Águas Santas/Pedrouços, Maia e Matosinhos. O
Governador Assistente, companheiro Carlos Lima Santos, esteve presente, assim como o compa-
nheiro Henrique Maria Alves, Governador 2008 – 2009, e esposa Alzira.
No seu discurso, Manuel Cordeiro fez um apelo: “Os nossos clubes têm que se envolver, cada
vez mais, em projectos de apoio social quer nas comunidades onde se inserem quer em comuni-
dades terceiras. Não nos devemos cingir às nossas comunidades. Rotary tem vocação mundial.
É necessário que os nossos clubes o entendam. Se todos olharem só para as suas comunidades
não há cooperação entre eles. Sabemos todos muito bem como essa cooperação é necessária
para ajudar aqueles que mais precisam de ajuda, estejam onde estiverem”.
VOG Braga
Clube de Braga mantém protocolos com
várias instituições
No dia 12 de Janeiro o Governador do Dis-
trito 1970 foi até Braga. Na visita, Manuel Cor-
deiro ficou a conhecer a Associação de Soli-
dariedade Social São Tiago de Fraião, onde foi
guiado pela companheira Maria Goreti, respon-
sável pela instituição, na qual vários membros
do Rotary Clube disponibilizam algumas das
horas do seu dia-a-dia. “Os utentes, acompa-
nhados pelos seus funcionários, cantaram as
janeiras e receberam-nos com muito carinho e
com muita alegria. Sem dúvida que se trata de
uma instituição em que as valências oferecidas
são de grande utilidade e onde os seus utentes
são tratados com muito carinho e compreen-
são”, faz questão de lembrar o Governador.
A visita seguiu para as instalações da Asso-
ciação de doentes com paramiloidose, também
conhecida por doença dos pezinhos. Também
aqui o Rotary clube desempenha um papel mui-
to importante através da companheira Maria
Goreti. Na reunião de trabalho, Manuel Cordei-
ro ficou a conhecer os principais projectos do
Clube de Braga, que tem vários protocolos com
instituições como a Escola D. Maria e de La-
mações, através da realização de Workshops
destinados a professores, atribuição de pré-
mios aos melhores alunos, a que associam o
nome de Past Governadores, palestras sobre
inteligência artificial. O Clube realiza ainda
workshops motivacionais nos Bombeiros Vo-
luntários. Com a Associação de Solidarieda-
de de S. Tiago de Fraião, tem um protocolo de
formação sobre inteligência emocional, desti-
nados ao pessoal interno para melhorar o seu
relacionamento com os idosos.
Os rotários de Braga, este ano liderados por
José Moreira, promovem ainda várias palestras;
atribuem bolsas de estudo patrocinadas por
companheiros e empresas; estão a pensar fazer
um Subsídio Equivalente; participam na Feira da
Saúde; organizam um rally Paper para angaria-
ção de fundos; pretendem fazer reuniões abertas
à população; promovem a reunião com o vizinho
– o companheiro traz o vizinho à reunião; preten-
dem criar um Fórum sobre “Inquietação dos Jo-
vens Sobre o Seu futuro”; e pretendem continuar
o projecto da instalação do Marco Rotário.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social
em quatro sócios. Anualmente fazem doações
à Fundação Rotária Portuguesa, já subscreve-
ram um Título Paul Harris e pretendem subscre-
ver mais dois. Na visita estiveram presentes os
clubes de Fafe (Clube Afilhado), Famalicão, Pó-
voa de Lanhoso, Braga Norte (Clube Afilhado),
Vila Verde (Clube Afilhado), Senhora da Hora,
Esposende, Barcelos e Ponte da Barca. O Go-
vernador Assistente, companheiro José Rocha,
esteve presente. Marcaram ainda presença os
companheiros Governadores Lima Marques,
Maurício Pires e Manuel Martins da Costa.
No seu discurso, Manuel Cordeiro fez um
balanço do ano da sua Governadoria: “No início
do ano tracei metas que considerei realistas.
Hoje sinto-me muito satisfeito porque algumas
já foram alcançadas e outras vão ser realidade
na segunda metade do ano que nos falta. Apos-
tei na implementação de projectos de Subsídios
Equivalentes alicerçados em parcerias com o
Distrito 4660, do Estado do Rio Grande do Sul,
no Brasil. Os frutos estão aí. Neste momento
temos vários projectos já aprovados e outros
em vias de aprovação”.
VOG Valongo
Câmara de Valongo prometeu instalações para Universidade Sénior de Rotary
O Clube de Valongo recebeu a visita do Governador do Distrito 1970 no dia 14 de Janeiro. Ma-
nuel Cordeiro foi recebido na Câmara municipal e na Biblioteca Municipal, onde foi guiado pela
Drª Isaura Pinho, Directora, que mostrou as várias salas e o auditório. Realçou a arquitectura do
edifício e a funcionalidade da biblioteca, um espaço que permite a realização de encontros com
os mais jovens e encontros culturais para os adultos, como “Os escritores visitam a Biblioteca
Municipal” e Ciclos de Conferências sobre o concelho de Valongo. O Vice-presidente da Câmara,
Dr. Paulo Baltazar, esteve presente no jantar e prometeu instalações para a Universidade Sénior
do Rotary Clube para breve.
Na reunião de trabalho, o Clube, este ano liderado por Timóteo Moreira, apresentou ao Go-
vernador os principais projectos: têm banco de cadeiras de rodas; dão prémios escolares – dois
melhores alunos da Escola Secundária de Valongo, sendo que um dos prémios é a inscrição no
RYLA; comemoram o dia mundial da árvore; na Feira de Artesanato têm um stand de venda para
angariação de fundos; participam na Feira da Saúde – em cooperação com o ROTARACT e INTE-
RACT – fazem rastreios gratuitos ao colesterol, à hipertensão, etc.; têm uma Universidade Sénior.
O Clube pretende admitir dois novos sócios. Têm feito sempre doações para a Fundação Rotária
Portuguesa e pretendem subscrever um Título Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de Vila Real, Porto (Clube Padrinho), Ermesinde, Porto
Antas e Senhora da Hora. O Governador Assistente, companheiro Manuel Jerónimo, esteve pre-
sente. Marcou ainda presença o companheiro Waldemar Sá, Governador 1998-1999.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou a importante questão do Quadro Social: “Aproveito
para fazer um pedido especial a todos os clubes no que respeita ao Quadro Social. Sem sócios
não podemos desenvolver actividades de apoio social. O papel do Conselho Director é decisivo na
criação de condições para que os sócios actuais se mantenham e que outros entrem. Se os clubes
tiverem visibilidade nas comunidades onde estão inseridos, cativam mais facilmente novos só-
cios. Peço-lhes que tornem as reuniões atractivas e se apresentem à comunidade como capazes
de os ajudar a resolver os seus problemas”.
VOG Coimbra Olivais
Clube de Coimbra Olivais vai tentar reactivar geminação com Clube de Paris
No dia 15 de Janeiro, Manuel Cordeiro visitou o Clube de Coimbra Olivais, o primeiro Clube
português a admitir senhoras. O Governador do Distrito 1970 visitou a Casa Museu Fundação Bis-
saya Barreto, acompanhado pelo companheiro António Abel Meliço Silvestre, Vogal do Conselho
de administração da Fundação. A Casa Museu Bissaya Barreto, situada bem no coração da cida-
de de Coimbra, apoiada ao aqueduto quinhentista e tendo em frente o célebre Jardim Botânico,
foi durante cerca de 30 anos a residência de Bissaya Barreto, eminente cirurgião e professor da
Universidade de Coimbra. A Casa Museu Bissaya Barreto foi inaugurada a 14 Janeiro de 1986 e
nela podem ser apreciadas as principais peças reunidas por Bissaya Barreto ao longo de 50 anos.
Desta colecção destaca-se um vasto conjunto de azulejos portugueses, porcelanas da Compa-
nhia das Índias e pintura contemporânea portuguesa.
Na reunião de trabalho, Manuel Cordeiro ficou a conhecer os principais projectos do Clube,
este ano liderado por Albertino Sousa: Organizam várias palestras sobre vários temas como os
recursos Hídricos e a Justiça em Portugal, Nutrição e Saúde, Coimbra e o seu Património, etc.;
proporcionaram uma consoada às crianças da Comunidade Juvenil de São Francisco de Assis;
atribuíram uma Bolsa de estudo a um estudante moçambicano; vão tentar reactivar a geminação
com o clube Le Lillas-Porte de Paris; pretendem continuar a apoiar instituições de solidariedade
da cidade e colaborar com a Liga dos Amigos dos Hospitais da Universidade de Coimbra.
No que diz respeito ao Quadro Social, o Clube pretende aumentá-lo com dois novos sócios.
Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Coimbra (Clube Padrinho) e Coimbra Sta Clara. O
Governador Assistente, companheiro António Vaz, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro não esqueceu a Rotary Foundation: “No que respeita às con-
tribuições para a Rotary Foundation, apesar da crise financeira em que vivemos, os clubes têm
feito um esforço grande para que os objectivos que estabelecemos, em conjunto, sejam atingidos.
Para isso conto com o empenho e capacidade dos meus Presidentes. Estou certo de que todos vão
cumprir as metas que estabeleceram”.
VOG Coimbra Santa Clara
Clube de Coimbra Santa Clara entrega caba-
zes na Páscoa
O Clube de Coimbra Santa Clara recebeu a
Visita Oficial do Governador do Distrito 1970 no
dia 16 de Janeiro. Manuel Cordeiro foi conhe-
cer as instalações do Centro Sócio-Cultural de
São Martinho, fundado em 1998 com o principal
objectivo a promoção integral do ser humano e
que desenvolve actividades de protecção à in-
fância, juventude, família, comunidade, idosos,
deficientes, etc. As instalações visitadas vão
permitir a instalação de valências como Centro
de Dia, Creche e Apoio domiciliário às famílias
mais desfavorecidas de São Martinho e das
localidades vizinhas. O envolvimento do clube
tem sido muito importante nesta fase anterior
ao início das obras. Para o Governador “é muito
gratificante ver companheiros envolverem-se
com a comunidade como é este caso”.
Na reunião de trabalho Manuel Cordeiro fi-
cou a conhecer alguns dos principais projectos
do Clube, este ano liderado por Jorge Conde,
seguido de Honório Monteiro: continuação do
projecto A Cozinha dos Pobres – projecto de
Subsídio Equivalente feito pelos três clubes de
Coimbra; apoio ao Projecto do Centro Sócio-
Cultural de São Martinho; ajuda a famílias ca-
renciadas com a entrega de roupas recolhidas
na Associação Académica de Coimbra – Sec-
ção de Basquetebol; entrega de cabazes de
alimentos na época da Páscoa.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social
com um novo sócio. Anualmente fazem doa-
ções à Fundação Rotária Portuguesa e preten-
dem subscrever um Título Paul Harris. Na visi-
ta estiveram presentes os clubes de Coimbra
(Clube Padrinho) e Montemor-o-Velho O Gover-
nador Assistente, companheiro António Vaz,
esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro, falou do
futuro: “Olhemos agora para os seis meses que
temos pela frente. Vamos, em conjunto, tornar
reais os objectivos que traçámos e que ainda
não se tornaram realidade. É necessário muito
esforço, mas a vontade que tenho sentido nas
Visitas Oficiais que tenho feito, dão-me a cer-
teza de que vão ser realidade todos os nossos
sonhos. Quem ficará a ganhar são os mais des-
favorecidos”.
VOG Barcelos
Boa relação com a autar-
quia em Barcelos
O Governador do Distrito 1970
visitou o Clube de Barcelos no
dia 18 de Janeiro. Manuel Cor-
deiro foi conhecer o CAT (Cen-
tro de Acolhimento Temporário)
Paula Azevedo, localizado em
Cristelo, uma valência do Cen-
tro Social Dr. Abel Salazar que
acolhe crianças e jovens desfa-
vorecidos, entre os poucos me-
ses de idade e os 18 anos. Tem
uma organização baseada na
responsabilidade e na confiança.
Esteve presente o Presidente do
Centro Social Dr. Abel Salazar
ao qual o CAT pertence.
O Clube tem um bom rela-
cionamento com a autarquia,
onde o Governador foi recebi-
do pelo presidente, Dr. Miguel
Costa, que realçou as activi-
dades do clube em prol dos
mais necessitados e disponi-
bilizou-se a ajudar o clube a
concretizar os seus projectos.
O edil também fez questão de
estar presente no jantar.
Na reunião de trabalho Ma-
nuel Cordeiro ficou a conhecer
os projectos do Clube, este
ano liderado por Geraldina
Torres: bolsas de estudo pa-
trocinadas por companheiros
e empresas (17) – a maior par-
te para o Ensino Superior; ofe-
receram uma cadeira especial
para um atleta deficiente; têm
23 cadeiras de rodas normais
(o banco é gerido pelos bom-
beiros de Barcelos); organi-
zação de convívio para anga-
riação de fundos na casa de
um companheiro; integraram
uma comissão que os amigos
de um tetraplégico formaram
para a compra de uma cadeira
de rodas especial; entregaram
uma calha para a prática de
Bócia a um deficiente; criação
de peças artísticas para venda;
Festa de Natal com os meninos
do CAT Paula Azevedo; vão
organizar o percurso integral
desde Barcelos até Santiago
pelos Caminhos de Santiago;
organizam palestras abertas à
comunidade sobre temas actu-
ais; participam na Feira das as-
sociações com um stand onde
divulgam Rotary (3 dias).
O clube pretende aumen-
tar o Quadro Social com um
novo sócio e está disponível
para receber o grupo do IGE.
Anualmente fazem doações à
Fundação Rotária Portuguesa
e pretendem subscrever pelo
menos um Título Paul Harris.
Na visita estiveram presen-
tes os clubes de Esposende
(Clube Afilhado), Valença, Pó-
voa de Varzim, Braga Norte,
Vizela, Braga, Caldas das Tai-
pas, Viana do Castelo, Guima-
rães (Clube Padrinho), Ponte
da Barca (Clube Afilhado), Vila
Nova de Gaia e Vila Verde. O
Governador Assistente, com-
panheiro José Rocha, esteve
presente, assim como o com-
panheiro Rui Amandi, Gover-
nador 2003-2004.
No seu discurso, Manuel
Cordeiro lembrou os desafios
para este ano: “ Para alcan-
çar as metas do presidente
Kenny, os clubes devem cum-
prir os seguintes desafios:
Crescimento líquido mínimo
de um sócio; Percentagem de
retenção de sócios mínima de
80% e dois dos itens a seguir;
Aumento do percentual de mu-
lheres; Aumento do percentual
de jovens profissionais (abai-
xo de 50 anos); Admissão de
pelo menos um ex-participan-
te de programa da Fundação
Rotária ou do RI; Aumento da
diversidade do quadro social
(em termos de classificação,
sexo, idade, etnia). As metas
de Kenny para os distritos são:
Crescimento líquido mínimo de
um sócio em cada clube; Taxa
de retenção de sócios mínima
de 80% para cada clube; Fun-
dação de pelo menos um ou
dois clubes”.
VOG Gaia Sul
Gaia Sul – Um Clube muito activo
No dia 19 de Janeiro Manuel Cordeiro visitou
o Clube de Gaia Sul. Em alternativa à visita a
uma instituição houve uma reunião de trabalho
com as instituições que o clube apoia: mantém
parcerias com a Associação de Apoio à Criança
e a Academia de Música de Vilar do Paraíso.
O Governador do Distrito 1970 ficou ainda a
conhecer outros projectos do Clube, este ano
liderado por Mário Pinto: parcerias com outras
instituições: Tenda do Encontro e Acreditar;
participação no Projecto Germano-Franco-
Português “Spielscheune-der-Geschichten”, em
Hamburg Neu-Allermöhe (Alemanha), campo
onde se joga, brinca e contam histórias ligadas
à tradição e cultura dos países de origem com o
objectivo de construir a paz; palestra pelo com-
panheiro Mário Saraiva Pinto: “Vinho do Porto:
o ouro líquido de Portugal”; participação no
projecto “Captura de CO2” do Parque Biológico
de Gaia, em parceria com a Governadoria do
Distrito 1970; visita do clube geminado Rota-
ry Club de Gien-Sully (Vale do Loire - França)
- 33 pessoas e do Rotary Club de Hamburg-
Bergedorf (Hamburgo - Alemanha) - 17 pesso-
as: programa de 3 dias com vários eventos de
incidência cultural; palestra pelo companheiro
António Castro Correia: “Gripe A – contributo
para a prevenção”; homenagem ao profissio-
nal; palestra pelo Dr. Tiago Alves: “Do Atlântico
ao Pacífico ao volante de um 2 CV”; Magusto
no Parque Biológico de Gaia; Jantar de Natal;
oferta de Cabazes de Natal; Jantar Vínico; Re-
alização de acções de Orientação Profissional
em duas Escolas Secundárias de Vila Nova de
Gaia; II Festival do Vinho do Porto; atribuição
do “Prémio Helena Sá e Costa” ao melhor aluno
da Academia de Música de Vilar do Paraíso.
O clube, que pretende admitir um novo sócio, faz
anualmente doações à Fundação Rotária Portu-
guesa e pretende subscrever um Título Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de
Póvoa de Varzim, Vila Nova de Gaia (Clube Pa-
drinho) e Matosinhos, Espinho e Feira. O Gover-
nador Assistente, Manuel Andrade, esteve pre-
sente, assim como o companheiro Rui Amandi,
Governador 2003-2004. O Vereador da Câmara
Municipal, Dr. Mário Fontemanha também fez
questão de marcar presença na visita e elogiou
o trabalho do clube, realçando a boa colabora-
ção que tem havido com a autarquia.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou a
Rotary Foundation: “Não nos podemos esquecer
de que é um dever os clubes fazerem donativos
para a Rotary Foundation. Se o fizerem e o des-
tinarem ao Fundo Anual de Programas estarão a
semear para colher, ou seja, irão beneficiar, três
anos mais tarde, de metade desse dinheiro para
a implementação dos seus projectos”.
VOG Paredes
Instalações novas na Universidade Sénior
de Paredes
No dia 21 de Janeiro o Governador do Dis-
trito 1970 visitou a Clube de Paredes. Manuel
Cordeiro assistiu à inauguração das novas ins-
talações da Universidade Sénior de Rotary, ce-
didas pela Câmara Municipal: “São instalações
com muito conforto. A Universidade Sénior do
Rotary Club tem desenvolvido uma actividade
muito interessante. Para lá das actividades
lectivas organiza visitas de estudo com algu-
ma frequência. Na visita à Câmara ouvimos do
Senhor Presidente, Dr. Celso Ferreira, palavras
muito elogiosas em relação ao trabalho do clu-
be”, faz questão de realçar o Governador.
Na reunião de trabalho que se seguiu, o
Clube, este ano liderado por Manuel Ruão,
apresentou os principais projectos: atribuição
de uma cadeira de rodas; protocolo com a Mi-
sericórdia através do qual dois companheiros
licenciados em psicologia trabalham com os
utentes; na autarquia trabalham em conjunto
com a vereação da Acção Social fazendo pe-
quenas obras de melhoria nas casas para au-
mentar a qualidade de vida das famílias; têm
protocolo com a Academia de Música; atribuem
cinco Bolsas de estudo patrocinadas – três pa-
trocinadas por empresas e duas pela FRP; pro-
duziram uma edição especial de 10000 selos
para obtenção de fundos para a Pólio (1500 Eu-
ros); fazem a matança do porco para convívio e
angariação de fundos.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social
com dois novos sócios. Anualmente faz doa-
ções à Fundação Rotária Portuguesa e tencio-
nam subscrever três Títulos Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de
Penafiel (Clube Padrinho), Vila Nova de Gaia,
Senhora da Hora, Ermesinde, Cinfães, Porto
Antas, Fafe, Esposende, Vila real e Valongo. O
Governador Assistente, companheiro Manuel Je-
rónimo, não pôde estar presente, mas marcaram
presença os companheiros Governadores Rui
Amandi e Diamantino Gomes, e a Governadora
Indicada para 2012-2013, Teresinha Fraga.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou al-
guns dos programas da Fundação Rotária: “As
Bolsas Educacionais, cujo objectivo é fomentar
relações amistosas entre os povos de diferen-
tes países e regiões geográficas através do
financiamento de estudos de graduação e pós-
graduação, além de intercâmbios profissionais.
O IGE - Intercâmbio de Grupos de Estudos pos-
sibilita a empresários e profissionais entre 25
e 40 anos de idade participar de intercâmbios
culturais e profissionais no exterior por perí-
odo de quatro a seis semanas. Os Subsídios
Equivalentes apoiam projectos internacionais
envolvendo clubes e distritos de dois ou mais
países. Os Subsídios “Saúde, Fome e Humani-
dade” (3-H) financiam projectos de auto-ajuda
e longa duração que utilizam abordagem inte-
grativa para atender a questões humanitárias.
O projecto Pólio Plus, tendo como objectivo a
erradicação da Pólio, congregou um número
significativo de instituições públicas e priva-
das destacando-se entre elas a Fundação Bill
e Melinda Gates. Não nos podemos esquecer
ainda dos Intercâmbios Rotários da Amizade
e do Microcrédito, que ajuda pessoas de bai-
xo rendimento, geralmente mulheres, e fornece
empréstimos”.
VOG Espinho
Autarquia de Espinho reconhece importância do Clube
O Governador do Distrito 1970 visitou o Clube de Espinho no dia 22 de Janeiro. Manuel Cordeiro
foi recebido na Junta de Freguesia, onde foi apresentado o Centro de Convívio que acolhe pessoas
com mais de 65 anos de idade, mas que ainda se podem deslocar para a instituição regressando
a suas casas. Organizam festas, passeios, lanches, etc. Na Câmara Municipal, Manuel Cordeiro
foi recebido pelo presidente, Dr. Pinto Moreira, que se mostrou disponível para continuar a apoiar
o Rotary Club de Espinho por considerar tratar-se de uma instituição credível e com grandes reali-
zações já feitas. A autarquia esteve representada no jantar pelo vereador Dr. Manuel Aguiar.
Na reunião de trabalho o Governador ficou a conhecer os principais projectos do Clube, este
ano liderado por Cristina Ferreirinha: passeio à serra da estrela; reconhecimento do mérito escolar
a 34 alunos das escolas do concelho – preparatórias, secundárias e profissional – através de uma
sessão pública na Junta de Freguesia; apoio a uma escola do concelho com a distribuição de li-
vros e material informático; têm um projecto “Criança Viva, Sim” que consiste na distribuição de fa-
rinhas e papas à CERCI Espinho; passeio com o Rotarykids e os meninos da CERCI ao Sea Life do
Porto; o Rotaract entregou três camas articuladas a um lar de idosos; participam no peditório para
a Fundação Portuguesa de Cardiologia; entregam cabazes de alimentos na época da Páscoa.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social com dois novos sócios. Anualmente fazem doa-
ções à Fundação Rotária Portuguesa e pretendem subscrever um Título Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de Porto Antas, Esposende, Vila Nova de Gaia (Clube
Padrinho), Porto, Estarreja, Ovar, Senhora da Hora, São João da Madeira, Feira, Oliveira de Aze-
méis e Gondomar. O Governador Assistente, companheiro Santos Bento, esteve presente, assim
como os companheiros Governadores Álvaro Gomes e Henrique Maria Alves.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou que “nós, rotários portugueses, não podemos es-
quecer a nossa fundação, a Fundação Rotária Portuguesa. Basta vermos o número de Bolsas de
Estudo que patrocina para darmos por bem empregue o dinheiro que lhe entregamos”.
VOG Gaia
Clube de Gaia tem projectos com clubes
afilhados
No dia 23 de Janeiro Manuel Cordeiro visi-
tou o Clube de Vila Nova de Gaia, que o levou
a conhecer a Aldeia SOS de Gulpilhares. O Clu-
be construiu a casa e tem apoiado a instituição
sempre que é necessário através de obras, ali-
mentos, equipamentos, etc. Neste momento há lá
6 crianças, 2 grupos de 3 irmãos cada um. Para
o Govbernador do Distrito 1970, “sem dúvida que
se trata de um projecto de grande importância e
que dá muita visibilidade ao clube”.
Na reunião de trabalho Manuel Cordeiro fi-
cou a conhecer os projectos do Clube, este ano
liderado por Luís Silveira: Bolsa estudo do ensi-
no Secundário através da FRP; cabaz de natal
à Aldeia SOS; caminhada rotária para apoiar a
Associação de Crianças Abandonadas; têm ca-
deiras de rodas (75), camas articuladas (30) e
canadianas e um protocolo com a Misericórdia
de Gaia, que faz a gestão do banco; atribuem
prémios escolares (17) aos melhores alunos
do Secundário das escolas de Gaia (público
e privado); atribuem prémios profissionais aos
dois melhores recém-licenciados; editam um
Boletim; têm um projecto com os três clubes
afilhados que consiste num jogo de futebol com
10 ex-futebolistas, através do qual angariam
fundos e promovem a imagem de Rotary; pre-
tendem estabelecer contactos mais estreitos
com o Clube geminado de Cascais – Estoril;
promovem o Concurso Melhor Projecto/evento
tecnológico e o Concurso Melhor Projecto/ideia
de negócio.
O Clube pretende aumentar o Quadro So-
cial com dois novos sócios. Anualmente fazem
doações à Fundação Rotária Portuguesa e pre-
tendem subscrever dois Títulos Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de
Gaia Sul (Clube Afilhado), Feira (Clube Afilha-
do), Espinho (Clube Afilhado), Ovar, Porto An-
tas, Barcelos, Oliveira de Azeméis, Esposende,
Leça da Palmeira, Vila do Conde, Porto Portu-
cale Novas Gerações e Póvoa de Varzim.
Marcaram presença os companheiros Ar-
tur Lopes Cardoso e Rui Amandi, membros do
clube e que já foram Governadores do Distrito.
Também esteve presente o companheiro Álvaro
Gomes e o companheiro Henrique Maria Alves.
No seu discurso Manuel Cordeiro lembrou a
organização dos RYLA deste ano: “A exemplo
do ano anterior vamos organizar 2 RYLA - Ro-
tary Youth Leadership Awards e em português
Prémio Rotário de Liderança juvenil. Vamos
proporcionar aos jovens uma oportunidade
para aperfeiçoarem a sua capacidade de che-
fia perspectivando-se o objectivo de Rotary
que tem por fim último a amizade entre Pesso-
as e as Nações na obtenção da compreensão
e Paz Mundial. É necessário mostrar-lhes que
se trata de uma experiência muito interessante
e útil. Se o conseguirmos fazer teremos a sua
disponibilidade para participar”.
VOG Ílhavo
Clube de Ílhavo com apoio permanente à Obra da Criança
No dia 26 de Janeiro o Governador do Distrito 1970 visitou Ílhavo. Manuel Cordeiro foi até à Obra
da Criança que, com 36 crianças, adolescentes e jovens em regime de internato, aposta numa re-
estruturação que seja suporte de um novo projecto educativo. Com estatutos de 1959, esta institui-
ção foi criada pelo prior de Ílhavo, Padre Júlio Tavares Rebimbas, actual Arcebispo-Bispo Emérito
do Porto. O tradicional almoço de Natal do Rotary Club de Ílhavo contou este ano com a presença
de jovens e responsáveis da Obra da Casa da Criança, instituição que tem recebido apoio dos
Rotários, em material informático, computadores, livros para a biblioteca da instituição e diversos
jogos. Este ano as ofertas foram de mobiliário, electrodomésticos, roupa e material escolar.
Para além do apoio que desde 2004 o Clube dá a esta instituição, o Rotary de Ílhavo tem outros
projectos: banco de material ortopédico em parceria com a Santa Casa (18 camas de hospital ar-
ticuladas); bolsas de estudo patrocinadas: 3 Bolsas patrocinadas pela FRP e 1 por uma empresa;
colaboram com o Banco Alimentar contra a fome, fazendo a logística em Ílhavo; vão organizar
um grande evento de BTT a que chamaram “Rota do Bacalhau” para angariação de fundos para
a Obra da Criança. O Clube, este ano liderado por Nuno Sacramento, faz anualmente doações à
Fundação Rotária Portuguesa e durante a visita admitiram um novo sócio. Já subscreveram um
Título Paul Harris mas vão tentar subscrever mais um.
Na visita estiveram presentes os clubes de Esposende, Valença, Póvoa de Varzim, Braga Norte,
Vizela, Braga, Caldas das Taipas, Viana do Castelo, Guimarães, Ponte da Barca, Vila Nova de Gaia
e Vila Verde. O Governador Assistente, companheiro Énio Semedo, esteve presente, assim como o
companheiro Álvaro Gomes, Governador 2006-2007. O Senhor Presidente da Câmara, Engº Ribau
Esteves esteve presente no jantar, demonstrando o bom relacionamento que o Clube tem com a
autarquia. No seu discurso, Manuel Cordeiro perspectivou os últimos seis meses da sua governa-
doria: “Olhemos agora para os seis meses que temos pela frente. Vamos, em conjunto, tornar reais
os objectivos que traçámos e que ainda não se tornaram realidade. È necessário muito esforço,
mas a vontade que tenho sentido nas Visitas Oficiais que tenho feito, dão-me a certeza de que vão
ser realidade todos os nossos sonhos. Quem ficará a ganhar são os mais desfavorecidos”.
VOG Oliveira de Azeméis
Oliveira de Azeméis quer cinco novos sócios
O Governador do Distrito 1970 foi até Oli-
veira de Azeméis no dia 27 de Janeiro, onde
visitou a Santa Casa da Misericórdia e as suas
valências, guiado pelo Senhor Provedor. Ma-
nuel Cordeiro também foi recebido na autarquia
pelo Presidente, Dr. Hermínio Loureiro, que dis-
ponibilizou o apoio da Câmara aos projectos
do Clube que muito elogiou. O edil fez ainda
questão de marcar presença no jantar.
Na reunião de trabalho, o Governador ficou a
conhecer os projectos do Clube, este ano lide-
rado por Joaquim Nadais: atribuem prémios Es-
colares de Mérito; vão continuar com o projecto
da Sede do clube; têm o Jogo da Solidarieda-
de “Educação para a Paz” em parceria com a
União Desportiva Oliveirense; fazem rastreios
de Saúde; distribuíram 150 cabazes de Natal;
participam no peditório da Fundação Portu-
guesa de Cardiologia; Participam no “Mercado
à Moda Antiga” com uma banca; fazem o en-
contro de Bolseiros e Patrocinadores; têm uma
sessão de Recolha de Medula Óssea; partici-
pam na Semana da Mobilidade; participam na
Semana Europeia da Saúde; participam no pro-
jecto de Solidariedade com a Escola Superior
Aveiro Norte; fazem campanhas de angariação
de fundos: Jantar de São Martinho, Cantar as
Janeiras, Jantar de São Valentim, entre outras;
fomentam a amizade com clubes da Penha,
Brasil e Confolens, França; participam no En-
contro Rotário da Amizade do RC da Marinha
Grande; têm um Rotaract.
O Clube pretende admitir cinco novos sócios,
sendo que durante a visita foram admitidos
dois. Anualmente fazem doações à Fundação
Rotária Portuguesa e pretendem subscrever
dois Títulos Paul Harris. Na visita estiveram
presentes os clubes de Feira, Espinho, Estar-
reja (Clube Padrinho), Aveiro, Sever do Vouga,
Marinha grande, Arouca, Ovar, Vale de Cambra
(Clube Afilhado), São João da Madeira, Cinfães
e Vila Nova de Gaia. O Governador Assistente,
companheiro Diamantino Matos, esteve pre-
sente, assim como o companheiro Álvaro Go-
mes, Governador 2006-2007.
No seu discurso, Manuel Cordeiro fez um ba-
lanço da primeira metade da sua Governadoria:
“No início do ano tracei metas que considerei
realistas. Hoje sinto-me muito satisfeito porque
algumas já foram alcançadas e outras o serão
na segunda metade do ano que nos falta. Apos-
tei na implementação de projectos de Subsídios
Equivalentes alicerçados em parcerias com o
Distrito 4660, do Estado do Rio Grande do Sul,
no Brasil. Os frutos estão aí. Neste momento
temos vários projectos já aprovados e outros
em vias de aprovação”.
VOG Estarreja
Estarreja com inúmeros projectos
No dia 29 de Janeiro o Governador do Distrito 1970 visitou em conjunto os clubes de Estarreja e
da Murtosa. Na primeira, Manuel Cordeiro visitou a Sede do Clube e mais tarde ficou a conhecer os
principais projectos do Clube, este ano liderado por Carlos Marques: convívio de Verão com convi-
te aos Clubes amigos; Festa da Família: Jantar de Natal com a participação do Rotaract, Casa da
Amizade, Rotary Kids e familiares; Passeio Gastronómico a realizar em Outubro; Passeio Anual
do Clube a realizar entre Abril e Junho de 2010; eventos culturais a efectuar com o Rotary Kids
(dinamização das Coordenadoras para Rotary Kids, Ana Barreiros / Paula Melo); estabelecimento
de contactos inter – Clubes com Tondela, Murtosa, Guarda, do Distrito 1970 e um Clube do Distrito
1960, assim como com o Rotary Clube de Badajoz – Espanha; envolver as actividades do Clube
com a Casa da Amizade, Rotaract e quando possível com o Rotary Kids; aumento do número de
Bolsas a atribuir a estudantes do Ensino Secundário e Superior; entrega de títulos aos bolseiros
e Patrocinadores em Reunião Festiva; pretendem manter disponível à comunidade o Banco de
Material Ortopédico “António Afonso” e manter a tarefa da recolha de alimentos para o “Banco
Alimentar Contra a Fome”; realização do 3º Seminário de Ecologia e Meio Ambiente Júnior; apoios
pontuais a situações sociais em colaboração com a Casa da Amizade e Rotaract; atribuição dos
prémios Rui Alberto e D. Francisco Nunes Teixeira; jantares dançantes de S. Martinho e Baile da
Flor; prémios escolares para o melhor aluno da área das ciências da Escola C+S Egas Moniz; 15
Bolsas de estudo patrocinadas (3 da FRP e 12 de empresas).
O Clube pretende aumentar o Quadro Social com um novo sócio. Anualmente fazem doações
à Fundação Rotária Portuguesa, já subscreveram dois Títulos Paul Harris e pretendem subscrever
mais um. Na visita estiveram presentes os clubes de Sever do Vouga, S. João da Madeira, Aveiro,
Vale de Cambra, Oliveira de Azeméis (Clube Afilhado), Stª Maria da Feira, Ovar, Ílhavo, Oliveira do
Bairro, Águeda, Arouca, Gaia Sul, Viana do Castelo, Luanda e Murtosa (Clube Afilhado). Estiveram
também o Rotaract Club de Estarreja e os Rotary Kids de Viana do Castelo e Estarreja. O Gover-
nador Assistente, companheiro Fernando Castro, esteve presente, assim como o companheiro
Álvaro Gomes, Governador 2006-2007.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou o IGE: “Vamos organizar um IGE – Intercâmbio de
Grupos de Estudos financiados pela Rotary Foundation e que possibilitam a empresários e profis-
sionais entre 25 e 40 anos de idade participar de intercâmbios culturais e profissionais em países
terceiros por um período de quatro semanas. Nós receberemos um grupo do D 4660, de parte do
Estado do Rio Grande do Sul”.
VOG Murtosa
Câmara da Murtosa reconhece bom trabalho do Clube
No dia 29 de Janeiro o Governador do Distrito 1970 visitou em conjunto os clubes de Estarreja
e da Murtosa, onde visitou a JMS – Indústria de Mobiliário Hospitalar, Lda. A empresa existe no
mercado desde 1991, dedicando-se ao fabrico e comercialização de Mobiliário Hospitalar e Geri-
átrico. Defensora da satisfação do cliente, aposta na qualidade, segurança e conforto dos artigos
que fabrica, conjugando design, ergonomia e funcionalidade, proporcionando uma melhoria na
qualidade de vida dos seus utilizadores. Dada a sua política comercial ocupa já um lugar de des-
taque no mercado nacional e internacional na área do fabrico e comercialização de mobiliário e
equipamento hospitalar.
Na visita à Câmara Manuel Cordeiro foi recebido por dois vereadores, tendo o Engº Januário
marcado presença no jantar. A Câmara reconhece o bom trabalho do clube no apoio aos mais
desfavorecidos de Murtosa.
Na reunião de trabalho o Governador ficou a conhecer os principais projectos do Clube, este
ano liderado por José Cruz:.palestras com periodicidade bimensal (o tema central é a Ria - resídu-
os urbanos, a Biodiversidade, etc.); estão representados na Santa Casa através do Conselho Local
de Acção Social; têm como grande objectivo cimentar o clube.
O Rotary da Murtosa pretende aumentar o Quadro Social e anualmente faz doações à Funda-
ção Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Sever do Vouga, S. João da Madeira, Aveiro, Vale de
Cambra, Oliveira de Azeméis, Stª Maria da Feira, Ovar, Ílhavo, Oliveira do Bairro, Águeda, Arouca,
Gaia Sul, Viana do Castelo, Luanda e Estarreja (Clube Padrinho). Estiveram também o Rotaract
Club de Estarreja e os Rotary Kids de Viana do Castelo e Estarreja. O Governador Assistente,
companheiro Diamantino Matos, esteve presente.
No seu discurso Manuel Cordeiro anunciou que “este ano a Conferência Distrital será em Vila
Real, na Aula Magna da UTAD, nos dias 28, 29 e 30 de Maio de 20010. O tema que escolhi e que
já foi anunciado em Espinho na Conferência Distrital, é EDUCAÇÃO E COOPERAÇÃO – O FUTURO
DE ROTARY. Ainda que muito longe no tempo peço-vos que considereis esses dias como preen-
chidos nas vossas agendas”.
VOG Leiria
Clube de Leiria apadrinha Associação de Solidariedade Social
A última Visita Oficial do Governador do mês de Janeiro foi a Leiria, no dia 30. Manuel Cordeiro
conheceu a Creche Vida Plena. O Rotary Club de Leiria foi promotor, entre 2001 e 2004, de um
Projecto de Luta Contra a Pobreza, dirigido a crianças em situação de perigo. Na sequência deste
Projecto surgiu a Vida Plena – Associação de Solidariedade Social de Leiria desde sempre apadri-
nhada pelo Rotary Club de Leiria e que tem como principais objectivos apoiar crianças e jovens,
apoiar a família, apoiar a integração social e comunitária, e a educação e formação profissional
dos cidadãos. Para além deste grande projecto o Clube tem ainda Bolsas de Estudo: duas (talvez
possam vir a ser três) patrocinadas por empresas e três da FRP.
O Clube, este ano liderado por José Brandão, pretende aumentar o Quadro Social com dois no-
vos sócios. Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa e pretendem subscrever
dois Títulos Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de Pombal (Clube Afilhado), Ansião e Marinha Grande
(Clube Afilhado). O Governador Assistente, companheiro Aurélio Ferreira, esteve presente, assim
como o companheiro Governador 2002-2003, Henrique Pinto.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou a Convenção de Lisboa: “Ainda que a uma distân-
cia aparentemente grande, recordo-vos a realização da Convenção de Rotary International em
Lisboa em 2013. Será um momento alto do movimento rotário português. Vamos honrar os nossos
clubes e o nosso País. Vamos estar em força em Lisboa”.
FEVEREIRO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros rotários:
Cada um de nós, em algum momento, já ouviu a pergunta “o que é o Rotary”? Existem muitas
maneiras de respondê-la, dependendo de quem estiver perguntando, do contexto e do tempo
disponível. A resposta mais curta e simples é que o Rotary é a organização humanitária mais
antiga do mundo. Esta é, com certeza, uma resposta acurada, porém incompleta, já que qual-
quer explicação verdadeira deve incluir como através do Rotary procuramos ir além dos obje-
tivos de cada projeto humanitário específico. Trabalhando juntos em nossos clubes, distritos e
internacionalmente, procuramos estabelecer as bases de uma sociedade melhor com amizade,
confiança, honestidade e esperança.
A estrutura do Rotary, juntamente com os nossos projetos internacionais de clubes, ajuda
a estabelecer conexões entre rotarianos de países diversos. Nossa ênfase no comportamento
ético e honesto constrói relacionamentos fortes e abertos entre indivíduos e nações. Nossos
projetos humanitários de saúde e fome, água e alfabetização ajudam a eliminar muitos dos obs-
táculos práticos à paz. E nossa Fundação e os programas de intercâmbio preparam os líderes
de amanhã para serem construtores de um mundo mais pacífico.
Estes programas ajudam a formar cidadãos mais responsáveis de comunidades melhores
– pessoas que têm uma perspectiva mais ampla, com olhos e mentes abertas. Eles serão per-
manentemente marcados pelas suas experiências e, em suas vidas pessoais e profissionais,
compartilharão estas experiências. Estas são as pessoas que ajudarão a construir o tipo de
futuro que nós, como rotarianos, procuramos criar.
O que é o Rotary? É uma rede de pessoas que se importam com os outros. Pessoas rea-
listas mas também optimistas, que reconhecem desafios e suas limitações, assim como suas
habilidades e responsabilidade por usá-las ao máximo. Se conseguirmos realizar a visão de
Paul Harris do Rotary como uma organização que promove boa vontade entre as nações, os
corações dos homens serão tocados e moldados para que a compreensão e boa vontade mútua
tomem o lugar do medo e ódio, como ele mesmo afirmou. Neste Mês da Compreensão Mundial,
lembremos destas palavras e não nos esqueçamos de nossa meta maior de companheirismo,
compreensão e paz.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
Para o movimento rotário Fevereiro é o Mês da Compreensão Mundial. Sendo a mais antiga
organização humanitária do mundo, cabe-lhe uma responsabilidade muito grande na criação
de condições de amizade e solidariedade entre pessoas dos diferentes países do mundo.
As causas que Rotary tem vindo a abraçar ao longo dos 105 da sua existência são de abran-
gência mundial. Rotary está onde houver pessoas necessitadas. A cooperação entre clubes dos
vários países do mundo, permite responder às necessidades de muitas pessoas desfavorecidas
e, em simultâneo, contribuir para que a sociedade em que vivemos seja mais solidária, onde a
amizade prevaleça, as pessoas confiem umas nas outras e tenham mais esperança no futuro
que as espera.
A possibilidade de poder comparecer às reuniões de um clube em qualquer país do mundo
concede ao movimento rotário uma particularidade que o distingue de todos os outros. Isto au-
menta a possibilidade de haver projectos em que estejam envolvidos rotários de vários países
o que potencia uma maior probabilidade de responder com mais eficácia às solicitações que
lhe forem feitas.
Apelo a todos vós para que comemoreis condignamente o aniversário de Rotary no dia 23.
Vamos dignificar o seu passado perspectivando-lhe um futuro ainda melhor. Se seguirmos o
exemplo do nosso Fundador estou certo de que o conseguiremos pois um movimento rotário
forte, é uma esperança para os que mais necessitam de ajuda.
Vamos todos dar sem pedir nada em troca. Se assim fizermos honramos todos os que nos
antecederam na prossecução dos mesmos objectivos.
Aceitem um abraço do companheiro e amigo,
Manuel Cordeiro
MENSAGEM DA MARIA ANTÓNIA
Caras amigas e amigos
As demonstrações de amizade que tenho recebido, em todos os clubes por onde tenho pas-
sado, deixam-me muito satisfeita pois entendo-as como uma vontade enorme de me ajudarem
a concretizar os objectivos que tracei no início do ano.
Com o trabalho de todos estou certa de que prestigiamos o nosso Distrito e o movimento ro-
tário português. Com empenho e vontade tudo é possível de alcançar e nós vamos conseguir.
Aproximando-se o mês de Maio peço-vos que façais um último esforço para que possamos
proclamar, bem alto, que O FUTURO DE ROTARY TAMBÉM ESTÁ NAS MÃOS DOS CÔNJUGES
DO DISTRITO 1970.
Por questões de organização agradeço que me envieis por correio ou me entregueis pesso-
almente a vossa contribuição para o NOSSO projecto até ao final do mês de Abril.
As manifestações de apoio que tenho recebido têm sido muitas.
O jantar do Hotel Porto Palácio foi um êxito. Com a receita obtida vamos satisfazer os de-
sejos de crianças do IPO e vamos amenizar os problemas de mães solteiras em risco social
apoiadas pela ACISJF – Associação Católica Internacional ao Serviço da Juventude. Foi uma
festa muito bonita onde reinou a amizade e o companheirismo. Deu muito trabalho e muita
preocupação em especial ao companheiro Ferreira Pinto, à Nani, sua esposa, à Miita e à Maria
Gabriela, responsável pela vinda de muitas pessoas não rotárias, mas que também são capa-
zes de DAR DE SI ANTES DE PENSAR EM SI. A todos um beijinho do fundo do meu coração.
Não posso esquecer o Chefe Hélio pela sua colaboração na disponibilização do Hotel, a Nídia
e o Renato que nos brindaram com momentos musicais de grande nível.
Ao Dr Armando Pinto pela simpatia que demonstrou e que esteve em representação do IPO,
o meu muito obrigada.
Conto convosco.
Um beijo da amiga,
Maria Antónia
1as- tuivenstnio oe nottnv
220 rotários juntaram-se no Porto, no dia
23 de Fevereiro, num jantar de comemoração
do 105º aniversário do Rotary. As receitas do
jantar destinam-se à vertente do projecto dos
cônjuges “satisfazer os desejos de crianças
internadas no IPO do Porto” e, ainda, para a
ACIAJF – Associação Católica Internacional
ao Serviço da Juventude Feminina, que acolhe
mães solteiras em risco social e dá refeições
diárias para muitas pessoas carenciadas.
Manuel Cordeiro deixa a sua mensagem em
dia de aniversário:
“Hoje, 23 de Fevereiro, é um dia grande para
a humanidade pois Rotary comemora 105 anos.
Rotary soube impor-se em todo o mundo pela
credibilidade dos seus sócios e pela eficácia
da sua actuação. A sua condição de institui-
ção mundial permite-lhe estar sempre presen-
te onde houver pessoas com necessidade de
serem ajudadas. Ao longo dos anos Rotary foi
criando programas destacando-se entre eles
o da Erradicação da Pólio. Acabar com a Pólio
é da responsabilidade dos rotários de todo o
mundo. É para o programa de Erradicação da
Pólio que nos pedem a maior atenção neste dia
de aniversário.
No Distrito 1970, do qual sou Governador
este ano, não enjeitamos as nossas respon-
sabilidades. Temos vindo ao longo do ano a
incentivar os clubes para o quão importante é
atingir esse objectivo, o mais depressa possí-
vel. Já concretizamos algumas iniciativas dis-
tritais de divulgação do tema e de angariação
de fundos. Organizámos um Jantar de Angaria-
ção de Fundos e de Divulgação no Casino da
Póvoa de Varzim, no passado dia 31 de Outu-
bro onde estiveram mais de 270 pessoas.
A colaboração com a Liga de Futebol Pro-
fissional constituiu um momento muito impor-
tante pois associou-se a nós uma instituição
de grande visibilidade permitindo-nos dar a
conhecer a mais pessoas o projecto de Erra-
dicação da Pólio. Também os cônjuges, sob a
responsabilidade da Maria Antónia, publicaram
o Livro Caminhadas na Bruma, com uma tira-
gem total de 3000 livros que foram vendidos
a 5 Euros, sendo toda a receita obtida para a
Erradicação da Pólio. Ao livro foi dada ampla
divulgação tanto através da Internet como da
comunicação social escrita. Também estará
em várias bibliotecas de algumas Câmaras
Municipais que colaboraram com Rotary com-
prando-o. Também na UTAD TV – Televisão via
Internet da Universidade de Trás-os-Montes e
Alto Douro teve ampla divulgação através do
Jornal UTAD TVdo dia 2 de Dezembro.
A 18 do mesmo mês foi lançado publica-
mente com a presença da autora tendo tido
ampla divulgação nos meios de comunicação
social escritos e da Internet. Os clubes do Dis-
trito 1970 têm sido muito generosos e têm pro-
curado os mais variados meios para arranjar
fundos para a Pólio. Vamos mostrar que somos
capazes de responder sim quando somos so-
licitados. Neste dia festivo saúdo os rotários e
os cônjuges do nosso Distrito. Uns e outros são
os responsáveis por tudo quanto temos feito e
vamos fazer no futuro.
Vamos honrar o passado de Rotary. A me-
lhor maneira de o fazer é trabalhar para que o
futuro seja ainda melhor.
Um abraço do companheiro e amigo,
Manuel Cordeiro”
teneseuttcto oo 1- enoontut utcioutL ote
(DESFIBRILHAÇÃO AUTOMÁTICA EXTERNA)
DO ROTARY CLUB DE GUIMARÃES
Em Março de 2008 o Rotary Club de Guimarães fez a apresentação pública do seu projecto de-
nominado DAE/Rotary Club de Guimarães, na sessão de abertura das Jornadas de Cardiologia do
Minho, que decorreram no Centro Cultural Vila Flor, na cidade de Guimarães. Com esta iniciativa,
o Rotary Club de Guimarães pretendia disponibilizar, sem custos, 50 desfibrilhadores externos
automáticos (DAE) a diversas instituições do concelho de Guimarães.
Trata-se de um projecto do Rotary Club de Guimarães, co-financiado através de donativos à
Fundação Rotária Portuguesa, apoiado pela Liga dos Amigos do Serviço de Cardiologia do Hos-
pital de Guimarães e com o patrocínio científico da Delegação Norte da Fundação Portuguesa
de Cardiologia e do Instituto Português do Ritmo Cardíaco (IPRC). Este programa do RCGMR
passaria inicialmente pela oferta de um DAE a diversas instituições do concelho, tendo sido con-
templados, numa primeira fase, o Vitória Sport Clube, a Cooperativa Tempo Livre, o Clube de Ténis
de Guimarães, a Policia Municipal de Guimarães, a Câmara Municipal de Guimarães e o Hospital
de Guimarães. Consciente de que este simples acto não era por si só suficiente e aconselhável, o
Dr. Victor Sanfins, companheiro do Rotary Club de Guimarães e médico do serviço de cardiologia
do Centro Hospitalar do Alto Ave, em Guimarães, e o grande mentor e responsável médico desta
iniciativa, lançou a ideia de apresentar um programa organizado que garantisse uma supervisão
médica adequada, que constituísse um elo na Cadeia de Sobrevivência, articulando-se com os
outros intervenientes, em especial com o INEM, que tivesse operadores não médicos com forma-
ção adequada, certificada e reconhecida pelos Patrocinadores Científicos e pelo INEM, sujeita
a treino e recertificação periódicos, que garantisse um registo adequado das intervenções com
DAE, garantindo que essa informação fosse fornecida à equipa do INEM, que continuaria com
tratamento do doente, e que existissem auditorias periódicas, internas e externas, por auditores
qualificados, de modo a assegurar uma melhoria contínua da qualidade.
Para tal desiderato, o Rotary Club de Guimarães apresentou o seu programa dos DAE à Dele-
gação do Norte da Fundação Portuguesa de Cardiologia, ao Instituto Português do Ritmo Cardíaco
(IPRC) e à Associação Portuguesa de Arritmologia, Pacing e Electrofisiologia, que desde logo
aceitaram dar o patrocínio científico a esta iniciativa, que encontrou ainda apoio na Liga dos Ami-
gos do Serviço de Cardiologia do Hospital da Sra. da Oliveira de Guimarães.
CAMINHADA SOLIDÁRIA DE APOIO AO HAITI E À MADEIRA
Rotary Clubs e Lions do concelho de Matosinhos uniram-se em mais um projecto de solidarie-
dade, desta vez de apoio às populações da Madeira e do Haiti, que passaram e estão a passar
por momentos difíceis. Com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos e da matosinhosport, os
Clubes de Serviço do concelho estão a organizar uma Caminhada Solidária na marginal de Leça
da Palmeira, no dia 28 de Março, às10h00.
Cada inscrição na caminhada e aquisição de uma t-shirt corresponde a “5 passos” que vão
ajudar estas populações.
As inscrições podem ser realizadas nos Postos de Turismo de Leça da Palmeira e de Matosi-
nhos, Juntas de Freguesia do Concelho de Matosinhos, Lions Club e Rotary Club do Concelho de
Matosinhos.
Para assinalar a implantação em Portugal do 1º Programa Nacional de DAE, feito já ao abrigo
da nova legislação adrede aprovada através do DL 188/2009, de 12 de Agosto, a Câmara Muni-
cipal de Guimarães abriu as portas do seu Salão Nobre, no dia 3 de Dezembro de 2009, para uma
cerimónia solene de apresentação pública deste mesmo programa do Rotary Club de Guimarães,
onde marcaram presença, para além de muitas outras individualidades vimaranenses, o Dr. Antó-
nio Magalhães, Presidente da CMG, o Dr. Abílio Gomes, Presidente do INEM, o Dr. António Pinheiro,
Presidente do Conselho de Administração do Hospital de Guimarães, o Dr. Hipólito Reis, represen-
tante dos patrocinadores científicos, e o Dr. Joaquim de Freitas Pereira, presidente do Rotary Club
de Guimarães, entidade promotora deste programa.
No decurso desta cerimónia foi feita a entrega, pelo presidente do INEM, dos primeiros certifica-
dos aos operadores não médicos de DEA que realizaram com aproveitamento o “Curso de Suporte
Básico de Vida com DAE” que se realizou na Unidade de Guimarães do Centro Hospitalar do Alto
Ave, e que teve como instrutor o Dr. Estêvão Lafuente, Coordenador Nacional AHA – SEMES. Com
estes primeiros certificados DEA atribuídos a nível nacional, os agentes da Policia Municipal de
Guimarães, os funcionários do Mercado Municipal de Guimarães e da Estação de Camionagem
de Guimarães e vários atletas, treinadores e funcionários do Vitória Sport Club ficam devidamente
preparados e certificados para utilizarem um aparelho DAE em caso de eminência de um episódio
de morte súbita. Segundo o médico Victor Sanfins, a American Heart Association estima que a
generalização da disponibilidade e a utilização de DAE poderia salvar, só nos EUA, onde ocorrem
cerca de 500.000 episódios de morte súbita/ano, cerca de 50.000 vidas. Para este médico car-
diologista “ (…) é pela sua instalação em locais públicos, pela sensibilização da população e das
autoridades de saúde para este problema, pelo treino em manobras básicas de reanimação/SBV
e na utilização dos DEA, que passam as estratégias actualmente aconselhadas pelas instituições
médicas de referência nesta área, como sejam a Sociedade Europeia de Cardiologia, o American
College of Cardiology e a American Heart Association.”. O Rotary Club de Guimarães tem já nas
suas mãos o certificado emitido pelo Presidente do INEM, Abílio Ferreira Gomes, que atesta que
o “Programa DAE – Rotary Club de Guimarães” está devidamente licenciado ao abrigo do D.L. nº
188/2009, de 12 de Agosto, para o uso de desfibrilhação externa automática, tendo como respon-
sável médico o Dr. Victor Sanfins. Este certificado foi o primeiro, e até ao momento o único, a ser
emitido pelo INEM em Portugal ao abrigo daquela nova legislação aprovada em Agosto de 2009.
VOG Maia
Clube da Maia vai subscrever seis Títulos Paul Harris
No dia 2 de Fevereiro o Governador do Distrito 1970 visitou o Clube da Maia, que o levou a
conhecer a Câmara Municipal onde foi recebido pelo Presidente, Dr. Bragança Fernandes. “Pelas
suas palavras conclui-se que a sua abertura para colaborar com o Rotary Clube é total. Tem sido
assim no passado e, afirmou, vai ser no futuro”, reteve Manuel Cordeiro da visita.
Na reunião de trabalho o Clube, este ano liderado por Joaquim Guedes, deu a conhecer os
principais projectos: prémios escolares para alunos do 12º Ano; seis bolsas de estudo, sendo
que uma é da Fundação Rotária Portuguesa; têm um banco de 124 cadeiras de rodas cuja gestão
pertence à Santa Casa; apoiam o Centro Social Padre Pinheiro Duarte; colaboram na administra-
ção do Instituto Cultural da Maia – Universidade Sénior; costumam organizar uma Bienal de arte;
participam numa Feira de artesanato para divulgação de Rotary e angariação de fundos; apoiam
um Orfanato de crianças invisuais ao qual entregaram roupas; pretendem fazer geminação com o
Rotary Clube de Ourense, Espanha.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social com três novos sócios, sendo que na visita entrou
um novo companheiro. Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa e vão subs-
crever seis Títulos Paul Harris. Na Maia existe ainda Rotaract e Interact activos e uma Casa da
Amizade em actividade, que todos os anos organiza um chá para angariação de fundos.
Na visita estiveram presentes os clubes de Vila Real, Porto Antas, Vila Nova de Gaia, Braga,
Penafiel, Porto Foz, e Rotaract e Interact da Maia. A Governadora Assistente, companheira Teresi-
nha Fraga, esteve presente, assim como os companheiros Governadores Bernardino Pereira, Lima
Marques e Henrique Maria Alves.
No seu discurso Manuel Cordeiro agradeceu a receptividade dos clubes: “Já visitámos cerca de
65 clubes. Não sendo uma tarefa fácil é, no entanto, muito gratificante. Eu e a Maria Antónia temos
sido recebidas como amigos o que nos dá forças e ânimo para continuarmos a nossa tarefa que
só termina a 30 de Junho. No regresso a nossa casa, quase sempre pela madrugada, comentamos
como é estimulante o modo como temos sido recebidos”.
VOG Valença
Três novos sócios admitidos em Valença
O Governador do Distrito 1970, Manuel Cor-
deiro, visitou o Clube de Valença no dia 4 de
Fevereiro, onde foi conhecer a Santa Casa da
Misericórdia, numa visita guiada pelo Prove-
dor, Álvaro Santos, que deu a conhecer todas
as valências da instituição. Manuel Cordeiro
ficou ainda a conhecer as futuras instalações
do Lar da Santa Casa, que servirá cerca de 60
utentes.
O Clube, em reunião de trabalho, deu a co-
nhecer ao Governador os seus principais pro-
jectos: ofereceram uma cama articulada à Cruz
Vermelha de Valença; vão candidatar 4 jovens
aos RYLA, através dos prémios escolares; dis-
ponibilizaram-se para receber o IGE.
Na visita o Clube, este ano liderado por Vi-
tor Veiga, admitiu três novos sócios, mostrando
vontade de aumentar cada vez mais o Quadro
Social. Anualmente fazem doações à Funda-
ção Rotária Portuguesa e vão subscrever três
Títulos Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de
Vila Verde, Viana do Castelo (Clube Padrinho,
em conjunto com Monção), Braga Norte, Ponte
da Barca, Ponte de Lima, Esposende, Gondo-
mar e Barcelos. O Governador Assistente, com-
panheiro Ernesto Silva, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou
as ênfases presidenciais: “Todos os anos o
Presidente de Rotary International elege algu-
mas áreas para as quais pede a nossa maior
atenção. São as chamadas Ênfases Presiden-
ciais. Para dar continuidade ao trabalho desen-
volvido no ano anterior, John Kenny escolheu
as mesmas. Assim todos os clubes do nosso
Distrito devem concentrar o seu trabalho nos
Recursos Hídricos, no Acesso à Saúde, no
Combate à Fome e na Alfabetização”.
VOG Felgueiras
Clube de Felgueiras aposta no Quadro Social
No dia em que o Clube de Felgueiras comemorou o seu 30º aniversário (9 de Fevereiro) recebeu
a visita do Governador do Distrito 1970. Manuel Cordeiro foi recebido na autarquia pelo Presidente,
que também fez questão de marcar presença no jantar, demonstrando assim a boa colaboração
existente entre a Câmara Municipal e o Clube.
O Governador seguiu depois para a Santa Casa da Misericórdia para conhecer o Lar Maria
Viana, que acolhe jovens adolescentes em risco. Actualmente o Lar apoia 30 crianças/jovens do
sexo feminino em regime de internato, com idades compreendidas entre os 7 e os 18 anos. Ao
longo do ano é-lhes proporcionado um programa de actividades complementares aos horários
escolares e laborais.
Na reunião de trabalho, o Clube, este ano liderado por António Rodrigues, deu a conhecer ao
Governador os principais projectos: têm uma Universidade Sénior que organiza visitas de estudo;
no Natal participaram, cantando, nas Festas de Natal das IPSS; atribuem como Prémio escolar
a participação no RYLA a dois alunos do secundário; fizeram a Festa no Lar Nossa Senhora da
Conceição onde ofereceram roupa; participaram no peditório da Liga Portuguesa Contra o Cancro;
na Semana da saúde participaram em conjunto com o Rotaract; com o INTERACT participaram na
recolha de alimentos para o Coração da Cidade.
O Clube já admitiu seis novos sócios e pretende admitir mais três. Anualmente fazem doações
para a Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Guimarães, Paredes, Caldas das Taipas, Fafe (Clube
Padrinho), Amarante, Vizela, São João da Madeira, Porto Portucale – Novas Gerações e Esposen-
de. O Governador Assistente, companheiro Joaquim Matos, esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou que “Rotary dedica o mês de Fevereiro à Compreen-
são Mundial. Cada um de nós, em algum momento, já ouviu a pergunta ‘o que é o Rotary?’. Diz o
Presidente de Rotary Internacional que ‘a resposta mais curta e simples é que o Rotary é a orga-
nização humanitária mais antiga do mundo’ que deve ser complementada dizendo que ‘através do
Rotary procuramos ir além dos objectivos de cada projecto humanitário específico. Trabalhando
juntos nos nossos clubes, distritos e internacionalmente, procuramos estabelecer as bases de
uma sociedade melhor com amizade, confiança, honestidade e esperança’”.
VOG Matosinhos
Caminhada “Põe-te a mexer pelo Haiti” em Matosinhos
Manuel Cordeiro esteve em Matosinhos para a sua visita oficial a um Clube que conta já com
oito afilhados: Senhora da Hora, Leça da Palmeira, S. Mamede de Infesta, Póvoa de Varzim, Maia,
Chaves, Trofa e Faro. O Governador do Distrito 1970 foi conhecer a Obra do Padre Grilo, um Lar
onde os rapazes são vestidos, calçados, têm cuidados de higiene e de saúde, através de ajudas
de empresas e outras instituições, de entre as quais o Rotary.
Na visita Manuel Cordeiro ficou a conhecer os principais projectos do Clube, este ano lidera-
do por Maria Sequeira: ciclo de conferências de temas actuais; entregaram colchões ao Lar de
Santana; atribuem duas bolsas de estudo patrocinadas, uma pela FRP e outra pelo clube; dão 18
prémios escolares aos alunos das Escolas Secundárias do concelho e à Escola Superior de Arte
e Design, patrocinados pela Câmara (duas), pela Associação Empresarial de Portugal e outros por
patronos; apoiam a Obra do Padre Grilo; têm 29 cadeiras de rodas; são parceiros na Universidade
Sénior de Rotary de Matosinhos; pensam organizar um campo de férias com o Rotary Club de Leça
da Palmeira; vão organizar com o Lyons clube de Matosinhos a caminhada “Põe-te a mexer pelo
Haiti” para angariação de fundos para apoio às vítimas.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social com quatro novos sócios, sendo que três fo-
ram admitidos na visita. Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa e pretendem
subscrever dois Títulos Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de Leça da Palmeira, Senhora da Hora, São Mamede de
Infesta, Guimarães, Vila Nova de Gaia, Porto Portucale – Novas Gerações e Paredes. Esteve pre-
sente o Vice-presidente da Câmara, Dr. Nuno Oliveira que prometeu apoiar o clube e o Lyons clube
na realização de uma caminhada para angariação de fundos para apoio das vítimas do Haiti. O
Governador Assistente, companheiro Santos Bento, esteve presente, assim como o companheiro
Governador Diamantino Gomes e a companheira Teresinha Fraga que vai ser Governadora do
Distrito em 2012 – 2013. Também esteve presente o companheiro Governador Rui Sequeira.
Em mês de aniversário de Rotary Internacional, Manuel Cordeiro lembrou os feitos da orga-
nização: “Fevereiro é, também, o mês em que Rotary faz anos. Já lá vão 105. Ao longo de todos
estes anos, Rotary tem abraçado muitas causas, todas elas de abrangência mundial. Rotary está
onde houver pessoas necessitadas. A cooperação entre clubes dos vários países do mundo, per-
mite responder às necessidades de muitas pessoas desfavorecidas e, em simultâneo, contribuir
para que a sociedade em que vivemos seja mais solidária, onde a amizade prevaleça, as pessoas
confiem umas nas outras e tenham mais esperança no futuro que as espera”.
VOG Mangualde
Universidade Sénior activa em Mangualde
No dia 11 de Fevereiro Manuel Cordeiro visitou o Clube de Mangualde. O Governador foi rece-
bido na Câmara Municipal pelo vice-presidente, Engº João Lopes. A sede do Clube foi cedida pela
autarquia, que colabora com os rotários em muitas iniciativas.
A visita seguiu ainda para o Patronato, onde está a Igreja Paroquial, e que tem várias valências
como creche, infantário e centro de dia. O responsável pela instituição, o Cónego Monteiro, guiou
Manuel Cordeiro por uma obra de interesse vital para Mangualde. Ali se fazem os famosos pastéis
de feijão. Na reunião de trabalho o Governador do Distrito 1970 ficou a conhecer os principais pro-
jectos do Clube, este ano liderado por António Oliveira^, seguido de Joaquim Santos: participam
na Organização do Aqua Nostra; têm uma Universidade Sénior com cerca de 5 anos e 45 alunos;
atribui prémio escolar ao melhor aluno da escola secundária: atribuem cinco bolsas patrocinadas
pela FRP; vão apoiar uma jovem carenciada com problemas familiares (apoio pecuniário); apoiam
uma família que habita em casa construída com o apoio do clube; compraram um aparelho monitor
de sinais vitais que entregarão no dias 10 de Abril aos bombeiros.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social em dois novos sócios e admitiram um novo duran-
te a visita. Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa e pretendem subscrever
1 Título Paul Harris
Na visita estiveram presentes os clubes de Pombal, Ansião, Marinha Grande, Viseu (Clube
Padrinho), Tondela, Trancoso (Clube Afilhado), Oliveira do Hospital e Guarda (Clube Afilhado). O
Governador Assistente, companheiro Felisberto Marques, esteve presente. A Câmara fez-se re-
presentar no jantar pelo Engº Joaquim Patrício.
No seu discurso, Manuel Cordeiro fez um balanço: “No início do ano tracei metas que considerei
realistas. Hoje sinto-me muito satisfeito porque algumas já foram alcançadas e outras o serão na
segunda metade do ano que nos falta. Sei quebé necessário muito esforço, mas a vontade que
tenho sentido nas Visitas Oficiais que tenho feito, dão-me a certeza de que vão ser realidade todos
os nossos sonhos. Quem ficará a ganhar são os mais desfavorecidos”.
VOG Monção
Clube de Monção organiza ciclo de conferências
No dia 16 de Fevereiro o Governador do
Distrito 1970 visitou o Rotary Clube de Monção
em visita conjunta com o Rotary Clube de Va-
lença. Em reunião de trabalho, Manuel Cordei-
ro ficou a conhecer os principais projectos do
Clube, este ano liderado por Renato Ferreira:
planeiam um ciclo de conferências de temas
actuais; organizam o Almoço da Lampreia para
angariação de fundos; dão prémios escolares;
têm bolsas de estudo patrocinadas, sendo uma
pela Fundação Rotária Portuguesa.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social
com dois novos sócios. Anualmente fazem do-
ações à Fundação Rotária Portuguesa. Na visi-
ta estiveram presentes os clubes de Vila Verde,
Viana do Castelo (Clube Padrinho), Braga Nor-
te, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Esposende,
Gondomar e Barcelos. O Governador Assisten-
te, companheiro Lomba da Costa, esteve pre-
sente. Também esteve presente o companheiro
Álvaro Gomes, Governador em 2006-2007.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou
a importância do Quadro Social: “Aproveito para
fazer um pedido especial a todos os clubes. Sem
sócios não podemos desenvolver actividades de
apoio social. O papel do Conselho Director é deci-
sivo na criação de condições para que os sócios
actuais se mantenham e que outros entrem. Se
os clubes tiverem visibilidade nas comunidades
onde estão inseridos, cativam mais facilmente
novos sócios. Peço-lhes que tornem as reuni-
ões atractivas e se apresentem à comunidade
como capazes de os ajudar a resolver os seus
problemas. O nosso Presidente incentiva-nos a
que os nossos clubes tenham um crescimento
líquido mínimo de um sócio; que aumentemos a
percentagem de retenção de sócios mínima de
80%; que aumentos a percentagem de Senhoras;
de jovens profissionais (abaixo de 50 anos); que
diversifiquemos o Quadro Social”.
VOG Águas Santas-Pedrouços
Águas Santas – Pedrouços – Clube recente cheio de projectos
O Clube de Águas Santas – Pedrouços recebeu a Visita Oficial do Governador no dia 2 de
Fevereiro, em conjunto como Rotary Clube da Maia. Manuel Cordeiro foi recebido na Câmara
Municipal pelo seu Presidente, Dr. Bragança Fernandes. Pelas suas palavras conclui-se que a
sua abertura para colaborar com o Rotary Clube é total. Tem sido assim no passado e, afirmou,
vai ser no futuro.
Na reunião de trabalho o Clube, este ano liderado por Maria Sousa, deu a conhecer ao Gover-
nador os principais projectos: organiza conferências sobre temas de interesse geral abertas ao
público; entregaram cinco cabazes de alimentos; com a Casa da Amizade da Maia entregaram
material de pintura ao Projecto Novos Laços; têm um protocolo com os Bombeiros Voluntários de
Pedrouços; apoiam uma Escola do Agrupamento de Águas Santas ao qual entregaram 2 prémios
escolares e 2 bolsas de estudo, uma patrocinada pelo clube e outra pela FRP; Em parceria com a
Conferência de São Vicente de Paulo entregaram 5 cabazes de alimentos; em homenagem à ju-
ventude organizaram no mês das Novas Gerações um encontro de Tunas; entregaram 2 cadeiras
de rodas à Cruz Vermelha da Maia; divulgam com regularidade as suas actividades nos órgãos
de comunicação locais.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social com dois novos sócios e admitiu um novo no dia
da visita. Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa, já subscreveram um Título
Paul Harris e vão tentar subscrever outro.
Na visita estiveram presentes os clubes de Vila Real, Porto Antas, Vila Nova de Gaia, Braga,
Penafiel, Porto Foz, Rotaract e Interact da Maia. O Governador Assistente, companheiro Carlos
Lima Santos, esteve presente. Estiveram também presentes os companheiros Governadores, Ber-
nardino Pereira, Lima Marques e Diamantino Gomes e a companheira Teresinha que será Gover-
nadora em 2012-2013.
Manuel Cordeiro lembrou a importância da Rotary Foundation: “Não nos podemos esquecer de
que é um dever os clubes fazerem donativos para a Rotary Foundation. Se o fizerem e o destina-
rem ao Fundo Anual de Programas estarão a semear para colher, ou seja, irão beneficiar, três anos
mais tarde, de metade desse dinheiro para a implementação dos seus projectos”.
VOG Viana do Castelo
Clube recheado de projectos em Viana do
Castelo
O Clube de Viana do Castelo recebeu a Visi-
ta Oficial do Governador no dia 19 de Fevereiro.
Manuel Cordeiro foi conhecer a Liga dos Ami-
gos do Hospital de Viana do Castelo, fundada
em 1981 por iniciativa do Dr. Defensor de Moura
e que também foi Presidente da Câmara duran-
te vários anos. O Governador foi guiado pelo
presidente da instituição, o Dr. Manuel Inácio
Rocha, que mostrou as instalações e falou so-
bre o que têm feito e pretendem fazer no futuro.
O Rotary Club de Viana do Castelo tem apoiado
a Liga com dinheiro angariado em acções por si
organizadas. Manuel Cordeiro visitou também
a Câmara Municipal onde foi recebido pelo seu
Presidente, Engº José Maria Costa, que esteve
presente no jantar. Existe colaboração muito
estreita entre o Clube e a Câmara.
Na reunião de trabalho o Governador ficou
a conhecer os principais projectos do Clube,
este ano liderado por Carlos Teixeira: têm em
implementação um projecto 3H, na Guiné, aca-
baram de formar um Rotaract; pretendem au-
mentar o número de Bolsas; doaram 5000 Eu-
ros à Liga dos Amigos do Hospital de Viana do
Castelo; fazem encontros gastronómicos para
confraternização, como Magusto e Piquenique;
fazem a Ceia de natal da família rotária; pro-
movem palestras variadas sobre temas gerais;
fazem formação comunitária com presidentes
da junta a falar sobre a sua freguesia (onde fa-
zem rastreio); fazem há cerca de 3 anos para
cá Rastreio do cancro gástrico e este ano com-
pletam todas as freguesias do concelho de Via-
na (este projecto é uma parceria do clube com
Escola Superior de Saúde, a Câmara Municipal,
as Juntas de Freguesia e alguns empresários.
Já fizeram cerca de 8500 colheitas de sangue
dos quais 3 a 4% deram positivo. No final será
feito um estudo de caso); organizam o RYLA a
que chamam Viana do Castelo – Aventura Sau-
dável; têm um boletim semestral; em Abril rece-
bem o clube contacto de Bordéus Sul; vão plan-
tar a 54ª árvore no espaço Rotary do Parque da
Cidade; a Casa da Amizade é muito activa e
colabora com o clube nas várias acções; orga-
niza um jantar no Dia da Mulher como forma de
homenagear as mulheres que dedicam parte do
seu tempo a Rotary”.
O Clube admitiu três novos companheiros.
Anualmente fazem doações à Fundação Rotá-
ria Portuguesa e já subscreveram seis Títulos
Paul Harris. Na visita estiveram presentes os
clubes de Ovar, Ponte de Lima (Clube Afilha-
do), Ponte da Barca, Monção (Clube Afilhado),
Vila Verde, Valença (Clube Afilhado), Caminha
(Clube Afilhado), Esposende, Porto (Clube Pa-
drinho), Braga, Braga Norte, Vizela, Trofa, Bar-
celos e Santo Tirso. Estiveram também presen-
tes o Rotary Kids e o Rotaract em formação. O
Governador Assistente, companheira Maria da
Glória, esteve presente, assim como o compa-
nheiro Governador Álvaro Gomes.
No seu discurso Manuel Cordeiro realçou
o trabalho da FRP: “Nós, rotários portugueses,
não podemos esquecer a nossa Fundação, a
Fundação Rotária Portuguesa. Basta vermos
o número de Bolsas de Estudo que patrocina
para darmos por bem empregue o dinheiro que
lhe entregamos”.
VOG Pombal
Clube de Pombal atribui 26 bolsas de estudo
Pombal recebeu a Visita Oficial do Governador no dia 12 de Fevereiro. O Clube, este ano lidera-
do por Pedro Ferreira, deu a conhecer a Manuel Cordeiro os principais projectos, dos quais se des-
taca um protocolo com a instituição ATEC Ajudas Técnicas (colchões, cadeiras, andarilhos) e que
engloba a Câmara Municipal, o Hospital de Pombal, a CERCIPOM, o Instituto de Segurança Social
de Leiria e o Centro de Saúde de Pombal. O Clube atribui ainda 26 Bolsas de estudo: 3 do Rotary,
2 da FRP, 2 da FRP e da Gulbenkian e 19 de patrocinadores individuais. O Governador ficou ainda
a conhecer outros projectos: recolha e distribuição de cabazes de alimentos (2 toneladas), onde
tiveram o apoio da casa da amizade, do Rotaract e do Interact; promover iniciativas alusivas ao
tema mensal abertas à comunidade (ênfases presidenciais); visitas a instituições; dão lanches
diários a crianças carenciadas (mais ou menos 50); na Páscoa também vão oferecer cabazes;
com o Rotaract recolheram livros e material escolar; entregaram este ano rotário 5000 Euros à
CERCIPOMB, angariados nas comemorações dos 25 anos do clube, que ocorreu no ano anterior.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social com dois novos sócios. Anualmente fazem doa-
ções à Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Ansião (Clube Afilhado), Leiria (Clube Padrinho), Ma-
rinha Grande, Ovar e Lisboa. O Governador Assistente, companheiro João Cunha, esteve presente,
assim como o companheiro Álvaro Gomes, Governador 2006-2007. Esteve também presente o
companheiro Armindo Carolino, Governador em 2010-2011 e esposa Gina.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou o apoio do Rotary no Haiti: “Rotary está atento a
tudo o que acontece no mundo. Assim, face à tragédia que se abateu sobre a população do Haiti,
Rotary apareceu de imediato prestando ajuda e mobilizando os rotários de todo o mundo para
que fossem generosos com os haitianos que viram as suas casas destruídas e muitos familiares
mortos. Como Governador do nosso Distrito, na Sexta-feira ao fim da manhã, enviei a todos os
presidentes dos clubes um apelo a que, caso assim entenderem, levarem a cabo acções no sen-
tido de angariar fundos para, com enquadramento da Rotary Foundation, serem enviados parta o
Haiti. No nosso caso através da nossa Fundação Rotária”.
VOG Ponte de Lima
Clube de Ponte de Lima apoia Associação para pessoas com deficiência
Manuel Cordeiro visitou o Clube de Ponte de Lima no dia 1 de Fevereiro. O Governador do
Distrito 1970 foi conhecer a AAPEL - Associação dos Amigos da Pessoa Especial Limiana, uma
Associação sem fins lucrativos cujo objectivo principal é criar condições para prestar apoio e aco-
lher pessoas com deficiência, cuja inserção no meio familiar é de grande dificuldade ou risco. A
comitiva visitou as instalações que vão ser reajustadas de modo a que a AAPEL desenvolva todas
as actividades que pretende implementar. Trata-se de um projecto muito ambicioso e de grande
alcance social que muito útil será para as populações locais. Manuel Cordeiro foi ainda recebido
na Câmara Municipal pela Engª Estela e ouviu palavras de incentivo para que o Clube continue a
desenvolver actividades relevantes como tem feito até aqui.
Na reunião de trabalho o Clube, este ano liderado por José Ribeiro, deu a conhecer ao Gover-
nador os principais projectos: conseguiram 70 cabazes de alimentos; pretendem fazer Rastreio do
cancro gástrico pelas várias freguesias (51), sendo que já fizeram em algumas; têm um protocolo
com a AAPEL – Associação dos Amigos da Pessoa Especial Limiana com vista a instalar e equipar
uma Sala Snoezelen que se chamará Sala RC Ponte de Lima; atribuem prémio escolar ao melhor
aluno do ensino secundário; têm 5 Bolsas de estudo patrocinadas pela FRP; organizam palestras
abertas ao público sobre temas de interesse geral.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social com dois novos sócios. Anualmente fazem doa-
ções à Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Vila Verde, Valença, Esposende, Barcelos, Viana do
Castelo (Clube Padrinho), Ponte da Barca e Braga Norte. O Governador Assistente, companheiro
Lomba da Costa, esteve presente. Durante o jantar actuou a Rusga típica da Correlhã.
No seu discurso Manuel Cordeiro lembrou que “o presidente eleito do conselho de curadores
da Fundação Rotária Carl-Wilhelm Stenhammar estabeleceu quatro metas para o ano rotário de
2010-11: o programa Pólio Plus, a implementação da fase experimental do Plano Visão de Fu-
turo, a revigoração do Fundo Anual para Programas através da iniciativa Todos os Rotarianos,
Todos os Anos, e o contínuo fortalecimento do Fundo Permanente. Sobre a erradicação da pólio
disse mesmo que tem sido e continuará a ser prioridade até que o alcancemos nossa meta”, ele
afirmou na quarta sessão plenária da assembleia internacional de 2010”.
VOG Marinha Grande
Relação próxima entre autarquia e Clube na Marinha Grande
O Governador do Distrito 1970 foi até à Marinha Grande em Fevereiro. Manuel Cordeiro foi
recebido na Câmara Municipal pelo seu presidente, que também é rotário e que agradeceu o que
o Clube tem feito manifestando total apoio sempre que for necessário. O Governador foi ainda co-
nhecer o Marco Rotário da cidade. Na reunião de trabalho o Governador ficou a conhecer os prin-
cipais projectos do Clube, este ano liderado por Fernando Marques: apoiaram o projecto “Abraça o
Tarrafal”, pagando parte dos custos do transporte de material escolar para Cabo Verde; enviaram
duas Shelter Boxes para o Haiti; têm sete Bolsas de Estudo patrocinadas (6 no ensino superior e 1
no secundário); têm 83 cadeiras de rodas e 5 camas articuladas; entregam o prémio escolar Prof.
Álvaro André aos 6 melhores alunos do 12º ano das escolas do concelho; assinaram um protocolo
com 4 instituições do concelho (Câmara Municipal, Comissão de Pais da Escola Secundária Cala-
zães Duarte, Escola Profissional Guilherme Stephens, o Sport Operário Marinhense); entregaram
cabazes de Natal e brinquedos; fazem rastreios na área da saúde (visão, audição, diabetes, coles-
terol e tensão arterial); rastreio na área da saúde oral – controlo e prevenção de doenças da boca;
vão organizar a Assembleia Nacional das CIPs.
O Clube já se mostrou disponível para receber o grupo do IGE. Anualmente fazem doações à
Fundação Rotária Portuguesa e vão subscrever um Título Paul Harris. Na visita estiveram presen-
tes os clubes de Leiria (Clube Padrinho) e Oliveira de Azeméis. O Governador Assistente, com-
panheiro João Cunha, esteve presente. Também estiveram presentes os companheiros Henrique
Pinto, Governador em 2001-2002 e Armindo Carolino que será Governador em 20010-2011.
No seu discurso, Manuel Cordeiro falou no Plano Visão de Futuro: “Como todos sabem o nosso
Distrito é um dos 100 distritos de todo o mundo escolhidos para fazer parte do Plano Visão de Futu-
ro. Foi uma honra, mas acarreta mais responsabilidades. Com este Plano, Rotary pretende atingir
vários objectivos entre eles: Simplificar os programas e operações da Fundação de forma con-
sistente com sua missão; Concentrar a prestação de serviços nas áreas em que causarão maior
impacto enfocando necessidades mundiais prioritárias que sejam pertinentes aos rotarianos; Ofe-
recer opções de programas que contribuam ao alcance de metas locais e mundiais; Aumentar o
senso de propriedade nos clubes e distritos, dando a estes últimos maior autonomia nas tomadas
de decisão; Divulgar o trabalho da Fundação Rotária e promover a imagem pública do Rotary”.
MARÇO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros rotários:
Os preparativos para nossa convenção em Montreal, de 20 a 23 de Junho, estão a todo va-
por e rapidamente nos aproximamos de 31 de Março, prazo final para inscrições com desconto.
Não faltam motivos para vocês comparecerem à convenção do Rotary International -- palestras
interessantes, diversão e a oportunidade de conhecer uma cidade fascinante são apenas al-
guns deles. Por mais que eles sejam bons motivos, não são os que me levaram a comparecer a
quase todas as convenções desde 1984. O motivo principal pelo qual este evento me empolga
é o fato de ele representar uma oportunidade para me reunir com meus amigos rotários e co-
nhecer vários outros.
Nossa convenção significa rotários juntos usufruindo do companheirismo e discutindo ma-
neiras de servir. Sem dúvida seremos inspirados por nossos palestrantes, entre os quais se
encontram Greg Mortenson, autor do best-seller Three Cups of Tea, Jo Luck, diretor executivo
da Heifer International e a cantora de música country Dolly Parton, que falará sobre seus outros
interesses: alfabetização infantil e a Imagination Library. Aprenderemos mais sobre o Rotary e
a Fundação Rotária durante os vários workshops planejados. Entre estes eventos, poderemos
conhecer companheiros rotários na Casa da Amizade ou em um dos famosos restaurantes de
Montreal.
Conforme já foi dito tantas vezes, não se pode realmente apreciar o quanto o Rotary é inter-
nacional a menos que se vá a uma convenção. Em Montreal, neste mês de Junho, esperamos
receber rotários de mais de 100 países. Falaremos mais de uma dúzia de idiomas diferentes,
mas sei que todos estaremos ansiosos por nos comunicar através da linguagem universal de
sorrisos e gargalhadas, realmente transpondo diferenças culturais ou idiomáticas.
A convenção não é apenas um momento de celebrar as realizações do ano que passou, mas
também de planejar o futuro. No Rotary não olhamos nossas realizações dizendo “Pronto, fiz o
suficiente”, mas sim usamos nossos sucessos como estímulo para fazermos mais. Eu os convi-
do a ir a Montreal e usar esta oportunidade para encontrar novos parceiros de serviços, buscar
novas ideias e renovar seu entusiasmo pelo Rotary. Há muito trabalho a ser feito -- neste ano
rotário e no próximo. O Futuro do Rotary Está em Suas Mãos.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
O mês de Março é dedicado à Alfabetização, muito comummente definida como a capacidade
de ler e escrever, envolvendo certas habilidades funcionais como seja o usar o computador,
compreender os procedimentos correctos para prevenir doenças ou entender a mensagem es-
crita num cartaz publicitário ou outro.
Quando os rotary clubes implementam projectos nesta área, estão a capacitar pessoas com
vista a desenvolverem-se do ponto de vista económico, a ter uma vida saudável e a serem
mais pacíficas. Se tivermos, também, como objectivos aperfeiçoar a capacidade dos professo-
res para ensinar, fortalecer as escolas para que estas entendam as necessidades dos alunos,
aumentar o acesso a programas educacionais para homens e mulheres, a reduzir as barreiras
que impedem a alfabetização e promover condições que favoreçam a alfabetização nas comu-
nidades, então estamos a ser úteis à sociedade em que vivemos.
Neste mês vamos, nos nossos clubes, discutir assuntos ligados à alfabetização, convidando
companheiros rotários com experiência para proferirem palestras sobre este tema. E porque
não colaborar num projecto que tenha como tema a alfabetização?
Sendo a alfabetização uma das Ênfases Presidenciais, será tema na Convenção de Montre-
al, em Junho próximo, numa intervenção da cantora de música country, Dolly Parton, que dará
realce à alfabetização infantil, que é um tema a que se tem dedicado ultimamente.
O nosso Presidente John Kenny exorta-nos a participar na convenção pois considera que
todo o rotário devia participar pelo menos numa durante a sua vida de rotário. Ali se podem
encontrar parceiros para projectos, se fazem amizades e se carregam baterias para revigorar
a nossa condição de rotários.
Aceitem um abraço do companheiro e amigo,
Manuel Cordeiro
PREPARAÇÃO DE PRESIDENTES PARA O PRÓXIMO ANO
LEMA 2010-2011: FORTALECER COMUNIDADES, UNIR CONTINENTES
O Rotary Club de Penafiel organizou, no dia 27 de Março, o Seminário de Formação para
Presidentes Eleitos - PETS e o Seminário Distrital sobre Gestão de Subsídios. Estes seminários
destinam-se à formação para o próximo ano rotário 2010-11. Além dos futuros presidentes dos
clubes do Distrito 1970, estiveram ainda presentes o Governador do Distrito 1970, Manuel Cordei-
ro, o Governador Eleito, Armindo Carolino, e o Presidente da Câmara Municipal de Penafiel, Alber-
to Santos. O edil manifestou o seu agrado por ter no concelho um Clube como o de Penafiel, com
muitas actividades. Armindo Carolino, o Governador do próximo ano, lembrou o lema 2010-2011
“Fortalecer comunidades, Unir continentes”, assim como as ênfases presidenciais: a erradicação
da pólio, os programas pró-juventude e as áreas de enfoque da Rotary Foundation.
DESENVOLVIMENTO DO QUADRO SOCIAL EM
DESTAQUE
SEMINÁRIO DE FORMAÇÃO DA
EQUIPA DISTRITAL 2010/2011
O desenvolvimento do quadro social foi tema aflorado por todos os intervenientes no seminário de
formação da equipa distrital que vai acompanhar o governador eleito Armindo Carolino no ano rotário de
2010/2011, realizado em Pombal, no dia 6 de Março. O apelo, dirigido aos clubes do Distrito Rotário 1970
através dos governadores assistentes e dos membros das comissões distritais presentes nesta acção
de formação, foi no sentido de serem criadas condições para suster a quebra de número de rotários que
se vem verificando ultimamente, dando especial ênfase à renovação e manutenção dos actuais qua-
dros sociais mas, também, encetar a recuperação de sócios antigos que se desligaram do movimento.
O governador eleito para o mandato de 2010/2011 dirigiu os trabalhos do seminário, falou dos
objectivos traçados para a sua governadoria e, sobre o lema escolhido – “Fortalecer Comunidades,
Unir Continentes” – deu a conhecer o plano de acção que o presidente do Rotary Internacional,
Ray Klinginsmith, pretende concretizar sob a sua liderança. Armindo Carolino referiu-se às metas
e projectos do Distrito 1970, dando especial ênfase às contribuições para Rotary Foundation e à
realização de um evento distrital para angariação de fundos tendo em vista, entre outras acções,
a erradicação do Pólio. A expansão do movimento, a realização de programas pró-juventude, a
implementação do plano “Visão de Futuro”, o apoio a prestar à Fundação Rotária Portuguesa e o
aumento de bolsas de estudo patrocinadas, foram outros tópicos desenvolvidos pelo governador
eleito, que, ao longo da sua intervenção, exortou os membros das várias comissões distritais e os
governadores assistentes a, junto dos clubes, o ajudarem a concretizar o plano traçado.
Na mesma linha de orientação intervieram os antigos governadores: Gonçalves Afonso, sobre o
plano de liderança de clube; Álvaro Gomes, sobre o plano “Visão de Futuro” e do papel que Rotary
Foundation vem desenvolvendo; Valdemar de Sá, exortando os - clubes a desenvolver o respec-
tivo quadro social (nos últimos sete meses, em todo o mundo, decresceu o número de membros e
de clubes, lembrou); Diamantino Gomes, lançando o desafio para que, até 2013, se consigam mais
rotários no país por forma a que, nesse ano – marcante, pois se realiza em Lisboa a Convenção
Mundial de Rotary Internacional –, a criação de um terceiro Distrito Rotário em Portugal.
Nova Universidade Sénior em Póvoa do Lanhoso
O Rotary Clube de Póvoa do Lanhoso criou uma nova Universidade Sénior. Aqui apresentam-se
as suas principais características e informações importantes:
Organograma
Director Geral, Coordenadores Pedagógico, Financeiro e da Comunicação, são membros do Rota-
ry Club da Póvoa de Lanhoso, respectivamente: Jerónimo Silva, Cristiano Lopes e Alberto Pinho.
Protocolos de Cooperação já existentes (Parcerias)
Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e Associação “Em Diálogo”. Irão ser efectuados outros
protocolos com Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, ISAVE, EPAVE, Agrupamento
de Escolas, etc.
Nota: Os 4 assessores do Director Geral são 2 representantes da Câmara Municipal da
Póvoa de Lanhoso e 2 da Associação “Em Diálogo”.
Disciplinas
Hidro-Ginástica/Ginástica, Língua Inglesa, Novas Tecnologias, Cultura Portuguesa (Língua e Li-
teratura Portuguesa, História, Cultura Popular), Saúde (Nutrição, Cuidados Primários, Geriatria,
etc.).
Instalações
· taaee|aeae ·e¬ a|a|eee· (fee:|eaa. o|oaa:|ea. fici.
· seae |e:oee|aa ae|a ca¬a:a uao|e|aa| aa re.ea ae caoaeae.
· r|ae|oa uao|e|aa|.
Calendarização – Ano 2010
· z: to:|| · ta:eaeo:aeae aao||ea e a|.a|eaeae ae a:ejee:e ee¬ eeo|e:eoe|a ae |¬a:eoaa.
· uea ua|e · r:e·|oae:|eeea ee¬ aaea:|eoa:|e a a|aoea.
· uea aaoae · ua::|ea|aa.
· :a se:e¬o:e · ce:|¬eo|a se|eoe aa toe::a:a ee¬ aa|ea::a aaoe:a|oaaa ae :e¬a
“Doenças Oncológicas”. Palestrantes (Médicos IPO-Porto)
· c oa:ao:e · neeeaeae aea a|aoea
· . oa:ao:e · io|e|e aaa aa|aa.
Rotaract reactivado em Viana do Castelo
A nossa Família cresceu! No passado dia 27 de Março tive o prazer de estar presente, juntamen-
te com o Companheiro Governador Manuel Cordeiro e a Companheira Representante Eleita Sofia
Estebainha no jantar festivo que assinalou a reactivação do Rotaract Club de Viana do Castelo!
Este foi um momento de grande importância para o Distrito 1970, pela criação de mais um clube,
pelo elevado potencial que se reúne em todos os nosso novos companheiros, e pela prova que nos
dá de que Rotaract ainda mexe, e ainda cativa os jovens!
Ângela Barros
Representante Distrital do Rotaract
Caminhada Solidária de apoio ao Haiti e à Madeira
Rotary Clubs e Lions do concelho de Matosinhos uniram-se em mais um projecto de solidarie-
dade, desta vez de apoio às populações da Madeira e do Haiti, que passaram e estão a passar
por momentos difíceis. Com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos e da matosinhosport, os
Clubes de Serviço do concelho organizaram uma Caminhada Solidária na marginal de Leça da
Palmeira, no dia 28 de Março, às10h00.
Cada inscrição na caminhada e aquisição de uma t-shirt correspondia a “5 passos” que vão
ajudar estas populações. Feitas as contas, a iniciativa conseguiu angariar 14 mil e setenta euros.
As verbas serão distribuídas, em partes iguais pela Madeira e pelo Haiti, recebendo cada uma 7
mil e 35 Euros.
O sismo do Haiti de 2010 foi um terramoto catastrófico que teve o seu epicentro a cerca de 25
quilómetros da capital haitiana, Port-au-Prince, e foi registado às 16h 53min do dia 12 de Janeiro
de 2010. O Comité Internacional da Cruz Vermelha estima que cerca de três milhões de pessoas
foram afectadas pelo sismo. O Ministro do Interior Haitiano Paul Antoine Bien-Aimé, antecipou
em 15 de Janeiro que o desastre teria tido como consequência a morte de 100 000 a 200 000
pessoas.
O arquipélago da Madeira foi atingido por um forte temporal que causou inundações e desliza-
mentos de terras, transformando as ruas da capital da ilha (Funchal) em rios de lama. O temporal
terá sido o mais violento na Madeira desde 1993. A catástrofe provocou mais de 40 mortos, 120
feridos e 240 desalojados.
VOG Póvoa do Lanhoso
Nova Universidade Sénior em Póvoa do Lanhoso
No dia 2 de Março Manuel Cordeiro visitou o Clube de Póvoa de Lanhoso. O Governador do
Distrito 1970 foi conhecer a Em Diálogo - Associação Para o Desenvolvimento Social da Póvoa
de Lanhoso, que, em articulação com um grupo significativo de parceiros, decidiu avançar com
o Projecto “A Póvoa de Lanhoso e a sua Herança”, que terá a duração de cinco anos. No ano de
2010, a temática proposta é o “Património Artístico e Etnográfico”, através do qual se pretende dar
a conhecer os usos, costumes, tradições e as obras de referência que marcam o concelho.
Manuel Cordeiro foi ainda recebido pelo presidente da Câmara Municipal que realçou o tra-
balho do Clube na Comunidade. A autarquia instalou a sede do Clube e colabora como parceira
da Universidade Sénior. Na reunião de trabalho, o Clube, este ano liderado por Maria Silva, deu a
conhecer ao Governador os principais projectos: acabaram de fundar uma Universidade Sénior de
Rotary em parceria com a Câmara Municipal e a Associação Em Diálogo; têm 7 cadeiras de rodas
e 3 camas articuladas cuja gestão é feita pelo clube; entregaram vários cabazes de alimentos
com o patrocínio de empresas do concelho.
O Clube faz anualmente doações à Fundação Rotária Portuguesa e pretende subscrever um
Título Paul Harris. Pretendem admitir dois novos sócios e já se disponibilizaram para receber o
grupo de IGE. Na visita estiveram presentes os clubes de Braga, Braga Norte (Clube Padrinho),
Vila Verde, Esposende, Guimarães e Fafe. O Governador Assistente, companheiro José Rocha,
esteve presente.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou o lema do mês: “O mês de Março é dedicado à Alfa-
betização, muito comummente definida como a capacidade de ler e escrever, envolvendo certas
habilidades funcionais como seja usar o computador, compreender os procedimentos correctos
para prevenir doenças ou entender a mensagem escrita num cartaz publicitário ou outro. Quan-
do os Rotary clubes implementam projectos nesta área, estão a capacitar pessoas com vista a
desenvolverem-se do ponto de vista económico, a ter uma vida saudável e a serem mais pacíficas.
Se tivermos, também, como objectivos aperfeiçoar a capacidade dos professores para ensinar,
fortalecer as escolas para que estas entendam as necessidades dos alunos, aumentar o acesso a
programas educacionais para homens e mulheres, a reduzir as barreiras que impedem a alfabeti-
zação e promover condições que favoreçam a alfabetização nas comunidades, então estamos a
ser úteis à sociedade em que vivemos”.
VOG Póvoa do Varzim
Rotaract muito activo na Póvoa do Varzim
O Governador do Distrito 1970 visitou o Clube de Póvoa do Varzim no dia 9 de Março. Manuel
Cordeiro foi recebido na autarquia pelo seu Presidente, Dr. Macedo Vieira, onde conversaram so-
bre a boa cooperação existente entre o Clube e a Câmara.
Na reunião de trabalho o Governador ficou a conhecer os principais projectos do Clube, este
ano liderado por Miguel Loureiro: tem uma Universidade Sénior com mais de 100 alunos; fazem
rastreio do cancro gástrico; têm 8 bolsas de estudo – patrocinadas por empresas, companheiros,
Câmara Municipal e empresas; atribuem prémios escolares ao melhor aluno do 12º Ano; fazem
homenagem ao profissional do ano. O Clube tem ainda um Rotaract muito activo e que tem vários
projectos em implementação: Feira da solidariedade, onde divulgam o movimento e interagem
com a comunidade; Verão e prevenção – rastreios de HIV, colesterol, tensão arterial, glicemia,
nutricionismo; realizam um Magusto; têm uma actividade anual a que chamam Espaço Estudando,
onde dão explicações e apoio moral a crianças indicadas pela Comissão de Protecção a Crianças
e Jovens em Risco; realizam o Encontro de Gerações, que consiste em dinamizar os maiores de
65 anos em cada ano numa freguesia; fazem um jantar com leilão de bolas de futebol assinadas
pelos jogadores dos clubes para angariar fundos para comprar uma cadeira de rodas.
O Clube já aumentou o Quadro Social, anualmente faz doações à Fundação Rotária Portuguesa
e pretendem subscrever um Título Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de Guimarães (Clube Padrinho), Esposende, Gaia Sul,
Barcelos, Braga Norte, Vila do Conde (Clube Afilhado), Vila Nova de Gaia, e o Rotaract da Póvoa.
Esteve também presente o Companheiro Past Governador Francisco Zamith, assim como o Vere-
ador da Cultura e Educação, Luís Diamantino.
No seu discurso, Manuel Cordeiro, fez um balanço da sua governadoria: “No início do ano tracei
metas que considerei realistas. Hoje sinto-me muito satisfeito porque algumas já foram alcança-
das e outras o serão na segunda metade do ano que nos falta. Sei que é necessário muito esforço,
mas a vontade que tenho sentido nas Visitas Oficiais que tenho feito, dão-me a certeza de que vão
ser realidade todos os nossos sonhos. Quem ficará a ganhar são os mais desfavorecidos”.
VOG Vila do Conde
Colaboração entre autarquia e Clube em Vila do Conde
Manuel Cordeiro visitou o Clube de Vila do Conde no dia 15 de Março. O Governador foi recebido
pela Vice-presidente da Câmara Municipal, onde constatou a boa colaboração que existe entre
o Clube e a autarquia. A comitiva seguiu ainda para o MADI - Movimento de Apoio ao Diminuído
Intelectual, instituição que é fundamental no apoio aos diminuídos intelectuais do concelho, além
de ser, igualmente, uma referência na qualidade do serviço prestado.
Na reunião de trabalho o Governador ficou a conhecer os principais projectos do Clube, este
ano liderado por Marta Miranda: organiza conferências sobre temas de interesse geral abertas
ao público; entregaram 5 cabazes de alimentos; com a Casa da Amizade entregaram material de
pintura ao Projecto Novos Laços; têm um protocolo com os Bombeiros Voluntários de Pedrouços;
apoiam uma Escola do Agrupamento de Águas Santas ao qual entregaram 2 prémios escolares e
2 bolsas de estudo, uma patrocinada pelo clube e outra pela FRP; em parceria com a Conferência
de São Vicente de Paulo entregaram 5 cabazes de alimentos; em homenagem à juventude organi-
zaram no mês das Novas Gerações um encontro de Tunas; entregaram 2 cadeiras de rodas à Cruz
Vermelha da Maia; divulgam com regularidade as suas actividades nos órgãos de comunicação
locais.
No que diz respeito ao Quadro Social pretendem admitir dois novos sócios, sendo que um já
entrou no dia da visita. Anualmente fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa e subscreve-
ram dois Títulos Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de Senhora da Hora, Póvoa de Varzim (Clube Padri-
nho), Fafe, Vizela e Braga Norte. O Governador Assistente, companheiro Santos Bento, esteve
presente.
No seu discurso Manuel Cordeiro fez um pedido: “Aproveito para fazer um pedido especial a
todos os clubes no que respeita ao Quadro Social. Sem sócios não podemos desenvolver acti-
vidades de apoio social. O papel do Conselho Director é decisivo na criação de condições para
que os sócios actuais se mantenham e que outros entrem. Se os clubes tiverem visibilidade nas
comunidades onde estão inseridos, cativam mais facilmente novos sócios. Peço-lhes que tornem
as reuniões atractivas e se apresentem à comunidade como capazes de os ajudar a resolver os
seus problemas. O nosso Presidente incentiva-nos a que os nossos clubes tenham um crescimen-
to líquido mínimo de um sócio; que aumentemos a percentagem de retenção de sócios mínima de
80%; que aumentos a percentagem de Senhoras; de jovens profissionais (abaixo de 50 anos); que
diversifiquemos o Quadro Social. Vamos tudo fazer para o deixar satisfeito”.
VOG São João da Madeira
Universidade Sénior com mais de 100 alunos
Manuel Cordeiro visitou o Clube de São João da Madeira no dia 16 de Março. O Governador
conheceu o Museu da Chapelaria e todos os processos de fabrico mas teve também a oportuni-
dade de visitar as instalações da Universidade Sénior e de ficar a par de todas as actividades ali
desenvolvidas. Manuel Cordeiro foi ainda recebido na Câmara Municipal pelo Vereador, Dr. Rui.
Na reunião de trabalho o Clube, este ano liderado por Florinda Cardoso, deu a conhecer ao
Governador do Distrito 1970 os principais projectos: Universidade Sénior com 110 alunos; patrocí-
nio a um jovem na terapia da fala; apoio ao centro de acolhimento de menores; apoiam um jovem
para estudar canto no estrangeiro; fizeram dois espectáculos para apoio à Madeira; têm 10 Bol-
sas patrocinadas – 2 patrocinadas pela FRP, as outras patrocinadas por particulares (industriais
e companheiros); têm uma cadeira de rodas eléctrica entregue a um utente e 3 cadeiras de rodas
normais.
No que diz respeito ao Quadro Social o Clube pretende admitir dois novos membros. Anualmen-
te fazem doações à Fundação Rotária Portuguesa e vão subscrever dois Títulos Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de Arouca, Castelo de Paiva, Sever do Vouga, Vale
de Cambra, Maia, Espinho, Oliveira de Azeméis, Águeda, Ovar, Estarreja, Santarém e Rotaract
de São João da Madeira. O Governador Assistente, companheiro Carlos Castro, esteve presente,
assim como o companheiro Álvaro Gomes, Governador 2006-2007.
No seu discurso Manuel Cordeiro lembrou o Plano Visão de Futuro: “Como todos sabem o nosso
Distrito é um dos 100 distritos de todo o mundo escolhidos para fazer parte do Plano Visão de Fu-
turo. Foi uma honra, mas acarreta mais responsabilidades. Com este Plano Rotary pretende atingir
vários objectivos entre eles: Simplificar os programas e operações da Fundação de forma consis-
tente com sua missão; Concentrar a prestação de serviços nas áreas em que causarão maior im-
pacto enfocando necessidades mundiais prioritárias que sejam pertinentes aos rotários; Oferecer
opções de programas que contribuam ao alcance de metas locais e mundiais; Aumentar o senso
de propriedade nos clubes e distritos, dando a estes últimos maior autonomia nas tomadas de
decisão; Divulgar o trabalho da Fundação Rotária e promover a imagem pública do Rotary”.
VOG Tondela
Boa relação entre Clube e autarquia em Tondela
No dia 17 de Março Tondela recebeu a visita do Governador do Distrito 1970. O Clube come-
morou no encontro o seu 6º aniversário. Manuel Cordeiro foi recebido na Câmara Municipal pelo
vereador do Urbanismo, Pedro Adão, e pôde perceber as boas relações que a autarquia tem com
o Clube. Em Tondela o Governador foi ainda conhecer a Escola Profissional, guiado pelo Director,
Engº Dias, instalações onde funciona a Universidade Sénior de Rotary. A Escola Profissional de
Tondela tem mais de 300 alunos oriundos de todo o país.
Na reunião de trabalho o Governador ficou a conhecer os principais projectos do Clube, este
ano liderado por Rui Rego: Universidade Sénior; Bolsas patrocinadas – uma da FRP; Banco de
material ortopédico – camas articuladas (30) e cadeiras de rodas (3); enviam jovens ao RYLA; par-
ticiparam no projecto Limpar Portugal; participam no Banco alimentar (tem a parte organizativa em
Tondela); organizam um concerto anual para angariação de fundos; têm em curso o sorteio de um
automóvel; participam na Feira Industrial e Comercial (FICTON) onde divulgam Rotary.
No que diz respeito ao Quadro Social, o Clube tenciona admitir pelo menos um novo sócio. O
Clube faz anualmente doações à Fundação Rotária Portuguesa e subscreveram um Título Paul
Harris.
Na visita estiveram presentes os clubes de Viseu (Clube Padrinho) e Estarreja. Esteve presente
o companheiro Goes Madeira, Governador Indicado para 2011-2012.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou as quatro metas para o próximo ano: “O presidente
eleito do conselho de curadores da Fundação Rotária Carl-Wilhelm Stenhammar estabeleceu qua-
tro metas para o ano rotário de 2010-11: o programa Pólio Plus, a implementação da fase experi-
mental do Plano Visão de Futuro, a revigoração do Fundo Anual para Programas através da inicia-
tiva Todos os Rotários, Todos os Anos, e o contínuo fortalecimento do Fundo Permanente. Sobre a
erradicação da pólio disse mesmo que tem sido e continuará a ser prioridade até que alcancemos
a nossa meta, afirmou na quarta sessão plenária da assembleia internacional de 2010”.
VOG Porto Portucale Novas Gerações
Vários projectos de sucesso no Clube Porto Portucale Novas Gerações
No dia 19 de Março o Clube Porto Portucale Novas Gerações recebeu a primeira Visita Oficial
do Governador da sua ainda curta história. Manuel Cordeiro foi conhecer a ANJE - Associação
Nacional de Jovens Empresários, onde foi guiado pelo companheiro José Cotim, que é um membro
destacado da ANJE.
Na reunião de trabalho o Governador ficou a conhecer os principais projectos do Clube, este
ano liderado por Valério Pereira: proporcionam um dia diferente, passado no Porto, a 18 crianças
do interior, este ano de Cinfães, no âmbito do projecto Ver o Mar; participaram na festa de Natal da
Associação Banco da Esperança, onde entregaram prendas em resposta a pedidos das crianças
ao Pai Natal; colaboram com a Liga para a Inclusão Social que dá hipóteses a pessoas excluídas
de praticarem desporto; participaram activamente no projecto Limpar Portugal; vão organizar um
Seminário de Liderança e Gestão de Conflitos para angariar fundos.
No que diz respeito ao Quadro Social, o Clube pretende admitir vários companheiros até ao final
do ano rotário. Fizeram doação à Fundação Rotária Portuguesa.
Na visita estiveram presentes os clubes de Felgueiras, Porto Antas (Clube Padrinho), Santo
Tirso, Águeda, Senhora da Hora, Leça da Palmeira, Vila Nova de Gaia e o Rotaract de Felgueiras.
A Governadora Assistente, companheira Teresinha Fraga, esteve presente. Assim como o compa-
nheiro Governador Octávio Pereira e a companheira Sofia Estebainha, representante Distrital de
Rotaract para o ano 2010-2011.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou a Conferência Distrital: “Este ano a Conferência
Distrital será em Vila Real, na Aula Magna da UTAD, nos dias 28, 29 e 30 de Maio de 2010. O tema
que escolhi e que já foi anunciado em Espinho na Conferência Distrital, é EDUCAÇÃO E COO-
PERAÇÃO – O FUTURO DE ROTARY. Ainda que muito longe no tempo peço-vos que considereis
esses dias como preenchidos nas vossas agendas”.
VOG Santo Tirso
Um clube de clubes em Santo Tirso
Manuel Cordeiro visitou o Clube de Santo
Tirso no dia 23 de Março, altura em foi apresen-
tado o Grupo do IGE que partirá acompanhado
pela companheira Irene deste clube. O Gover-
nador do Distrito 1970 foi recebido na Câmara
Municipal pelo presidente, Engº Carlos Fernan-
des, que marcou ainda presença no jantar e é
sócio honorário do Clube. Manuel Cordeiro teve
oportunidade de testemunhar as boas relações
entre a autarquia e o Clube.
Na reunião de trabalho o Governador ficou
a conhecer os principais projectos do Clube, este
ano liderado por Isabel Maria: participam no pe-
ditório da Liga Portuguesa contra o Cancro; têm
projectos que envolvem toda a família rotária:
Rotary, Rotaract, Interact e Rotary Kids; organiza-
ram o 1º Encontro de clubes Rotary Kids; atribuem
seis Bolsas Educacionais; vão receber o grupo do
IGE do Distrito 4660; fazem palestras de interesse
para a comunidade; implementaram um projecto
de Subsídio Distrital Simplificado para equipar a
cozinha do Centro de Acolhimento para Adoles-
centes e Jovens da ASAS; organizaram o Jantar
End Polio Now, no Casino da Póvoa, para angaria-
ção de fundos para o programa de Erradicação da
Pólio; inscreveram jovens para o RYLA e para o
IGE; têm uma boa relação como os clubes afilha-
dos e vão organizar um encontro com todos eles
em Santo Tirso.
Durante a visita o Governador assistiu à
apresentação do projecto “A Gotinha”, numa
das salas de aula da Escola Básica Conde de
São Bento. Foi um momento de grande signi-
ficado pois a água é um bem precioso que é
preciso preservar. Também visitou a empresa
INTRAPLAS, altamente tecnológica e na van-
guarda dos produtos plásticos.
O Clube pretende aumentar o Quadro Social
com pelo menos um novo sócio. Anualmente
fazem doações à Fundação Rotária Portugue-
sa e já subscreveram três Títulos Paul Harris.
Na visita estiveram presentes os Clubes
de Vizela (Clube Afilhado), Guimarães (Clube
Padrinho), Trofa (Clube Afilhado), Ermesinde
(Clube Afilhado), Estarreja, Ovar, Vila Nova de
Famalicão, Braga Norte, Gaia, Beja, Porto, Vila
do Conde, Viana do Castelo, Rotaract Club de
S. Tirso, Interact Club de S. Tirso e Rotary Kids
Club de S. Tirso. A Governadora Assistente,
companheira Maria do Resgate, esteve presen-
te, assim como os companheiros Governadores
Rui Amandi, Waldemar Sá, Gonçalves Afonso e
respectivas esposas, e Álvaro Gomes.
No seu discurso, Manuel Cordeiro lembrou
o Plano Visão de Futuro: “Como todos sabem
o nosso Distrito é um dos 100 distritos de todo
o mundo escolhidos para fazer parte do Plano
Visão de Futuro. Foi uma honra, mas acarreta
mais responsabilidades. Com este Plano, Ro-
tary pretende atingir vários objectivos entre
eles: Simplificar os programas e operações da
Fundação de forma consistente com sua mis-
são; Concentrar a prestação de serviços nas
áreas em que causarão maior impacto enfo-
cando necessidades mundiais prioritárias que
sejam pertinentes aos rotários; Oferecer op-
ções de programas que contribuam ao alcance
de metas locais e mundiais; Aumentar o senso
de propriedade nos clubes e distritos, dando a
estes últimos maior autonomia nas tomadas de
decisão; Divulgar o trabalho da Fundação Ro-
tária e promover a imagem pública do Rotary”.
VOG Vila Real
23 Clubes na visita em Vila Real
A última visita do Governador do Distrito
1970 2009/2010, no dia 25 de Março, foi em
casa. Manuel Cordeiro visitou Vila Real, o Clu-
be que organizou um dos seminários da Rotary
Foundation para a qualificação dos clubes. Ma-
nuel Martins, presidente da Câmara Municipal,
recebeu o Governador nos paços do concelho
lembrando as boas relações existentes entre
Clube e autarquia.
Na reunião de trabalho o Governador ficou a
conhecer os principais projectos do Clube, este
ano liderado por Luís Branco: distribuição de
prendas de Natal pelas Instituições Via Nova,
Estabelecimento Prisional de Vila Real, Lar de
São Tomé do Castelo e Câmara Amiga; ajuda
a um doente psiquiátrico (medicamentos, ali-
mentação, vestuário e visitas), que desde que
tem sido apoiado pelo clube nunca mais foi
internado nem provocou desacatos; recebeu a
visita da Presidente e da Presidente honorária
da Liga dos Amigos do Hospital de Vila Real;
entregam prémios escolares aos melhores alu-
nos das Escolas Secundárias de Vila Real.
O Clube pretende aumentar o Quadro So-
cial com um novo sócio. Anualmente fazem
doações à Fundação Rotária Portuguesa e já
subscreveram um Título Paul Harris.
Na visita estiveram presentes 23 clubes do
Distrito 1970. O Governador Assistente, compa-
nheiro Mário Mendes, esteve presente, assim
como os companheiros Governadores Manuel
Cardona e Madureira Pires e respectivas espo-
sas. O presidente da Câmara Municipal fez-se
representar no jantar pelo vereador Miguel Es-
teves.
Na sua última visita enquanto Governador,
Manuel Cordeiro fez um balanço das mais de
80 realizadas em poucos meses: “A experiên-
cia de Governador, incluindo a do cônjuge, é
muito gratificante e permite-nos ficar com uma
visão muito clara de todos os clubes, das suas
potencialidades e das suas debilidades. Encon-
tramos clubes que têm actividades de grande
interesse para as comunidades locais, que têm
companheiros muito empenhados, que cultivam
o espírito de rotary em toda as suas vertentes.
Visitámos muitas instituições públicas e priva-
das. Em muitas delas há rotários ocupando lu-
gares de responsabilidade. Também visitámos
muitas Câmaras Municipais, onde fomos rece-
bidos pelos seus Presidentes ou alguém que
os representasse. Quase sem excepção, os
nossos autarcas têm uma sensibilidade muito
grande para os problemas sociais, ou seja, as
Câmaras Municipais e os clubes rotários po-
dem e devem emparceirar-se para prosseguir
objectivos que são comuns, o apoio a pessoas
desfavorecidas. A vida é feita de prioridades.
Felizmente há muitos companheiros que colo-
cam em primeiro lugar a reunião semanal do
seu clube, a participação nas actividades por
ele desenvolvidas, a disponibilidade para o re-
presentar em eventos distritais ou eventos de
outros clubes”.
ABRIL
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros rotários:
A todo momento cada um dos mais de 33.000 Rotary Clubs está prestando algum tipo de ser-
viço em sua comunidade ou mesmo internacionalmente. De acordo com a estrutura do Rotary,
cada clube trabalha independentemente na ampla rede que nos apoia e inspira. Uma importante
peça desta rede é a Rotary World Magazine Press, composta da The Rotarian e de 31 revistas
regionais em 25 idiomas.
É por isso que todos os rotários precisam ter a assinatura da The Rotarian ou de uma das re-
vistas regionais. Essas publicações trazem notícias de outros clubes e distritos, proporcionam
ideias para projectos e evidenciam o vínculo que temos com nossos companheiros rotários. E a
secção de conteúdo determinado pelo RI em cada edição cria uma ligação directa entre a sede
mundial em Evanston e cada rotário em qualquer parte do mundo.
A experiência que você está tendo neste momento – lendo esta mensagem em uma publica-
ção rotária – está sendo compartilhada por cada um de seus companheiros rotários, onde quer
que eles estejam. A secção de conteúdo determinado pelo RI é idêntica em todas as publica-
ções rotárias. Uma mensagem simples compartilhada – uma experiência simples compartilha-
da. Preciosa e insubstituível.
Todos os meses, quando me sento para escrever minha mensagem para as revistas rotárias,
sei que tenho em minhas mãos uma oportunidade valiosa. A chance de falar directamente com
cada um de nossos 1,2 milhão de associados. Não importa quantas viagens eu faça, quantas
palestras profira, ou o quanto me empenhe para levar minha mensagem aos clubes e distritos.
Nada tem o mesmo potencial de impacto que as 400 palavras que constituem esta página têm.
Porque eu sei que cada revista rotária, em cada canto do mundo, leva a minha mensagem exac-
tamente como eu a escrevi, ou apenas traduzida.
Dou um valor enorme a essa oportunidade, assim como dou valor às publicações que a
transmitem. Abril é o Mês da Revista, um bom momento para reflectir sobre o quanto este ins-
trumento pode ajudar seu clube em seus esforços de prestação de serviços humanitários e para
divulgar as informações nele encontradas.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
A comunicação é, cada vez mais, um poderoso instrumento para o sucesso de qualquer or-
ganização, quaisquer que sejam os seus objectivos. Rotary, a mais antiga organização mundial
de apoio social, tem vindo a dar passos no sentido de tornar mais eficaz a comunicação entre
os seus membros e destes com a sociedade civil. Uma comunicação eficaz e no momento certo
contribui, decisivamente, para o sucesso de uma iniciativa ou de um evento.
Desde longo tempo Rotary comunica com os seus membros e estes comunicam entre si
através do Rotary World Magazine Press, composto da The Rotarian e de 31 revistas regionais
em 25 idiomas, entre os quais o português. Incentiva-os mesmo a assinar pelo menos uma des-
tas revistas. Trazem notícias de clubes e distritos de todo o mundo, facilitando a formação de
parcerias para a implementação de projectos, a troca de experiências entre rotários de todo o
mundo e a comunicação entre estes e os responsáveis de Rotary International.
Estas revistas têm em comum uma secção de conteúdos determinada por Rotary Internatio-
nal, geralmente simples, mas que se pretende uma experiência compartilhada entre os rotários
de todo o mundo.
Rotary tem sabido modernizar a sua comunicação, fazendo-o cada vez mais, utilizando as
novas tecnologias. Além de chegar a muitos mais rotários permite poupanças significativas
de dinheiro que pode ser canalizado para actividades de apoio social, o grande objectivo que
todos os rotários devem prosseguir. No nosso distrito tomámos decisões nesse sentido, ade-
rindo a uma comunicação baseada na Internet e no correio electrónico. Estou certo de que os
resultados aparecerão.
Rotary dedica o mês de Abril à Revista Rotária. Vamos, nos nossos clubes, chamar profissio-
nais da comunicação para fazerem palestras que nos mostrem a importância que esta tem num
movimento como o nosso. Também incentivo os clubes a divulgarem todos os seus eventos e
actividades nos vários meios de comunicação locais pois só assim as comunidades onde se
inserem ficam a saber onde nós os podemos ajudar.
Aceitem um abraço do companheiro e amigo,
Manuel Cordeiro
MENSAGEM DA MARIA ANTÓNIA
Caras(os) amigas(os) e companheiras(os)
É com um misto de alegria e de dever cumprido que, mais uma vez, me dirijo a vós para vos
dar conta da concretização de duas das vertentes do nosso projecto.
A primeira foi no passado dia 26 de Março com a entrega de um cheque de 2070 Euros à
Associação Católica Internacional de Apoio às Jovens Famílias.
A segunda, a realização do sonho das crianças e jovens internadas no IPO do Porto, no dia
23 de Abril. Cada criança e jovem fez, por escrito ou oralmente o pedido daquilo que gostaria
de receber.
Desde modo foi meter mãos à obra e providenciar no sentido de que o seu sonho se tornasse
realidade. Foram 29 os contemplados.
Foi uma experiência que jamais esquecerei!
Em todos vimos o sentimento de felicidade estampado no rosto ao receber o seu presente.
Os mais pequeninos encheram-nos de ternura com as suas carinhas sorridentes e a darem-
nos beijinhos.
Tenho pena que este momento, vivido por mim e pela companheira Maria Helena Antas, a
quem agradeço imenso a colaboração, não pudesse ter sido presenciado por todas nós, pois
encher-nos-ia o coração de alegria e esperança de que, um dia, aquelas crianças e aqueles
jovens adolescentes, possam regressar às suas famílias com a saúde que tanto desejam.
Bem hajam pela vossa ajuda.
Perante tudo isto, podemos dizer que valeu a pena todo o esforço que fizemos para a anga-
riação de fundos para o nosso projecto.
Não posso deixar de agradecer ao IPO na pessoa da Drª Lucília e às Senhoras professoras
na pessoa da Professora Filomena.
Um beijo da Vossa amiga, que espera ver-vos em Vila Real na Conferência Distrital, nos dias
28, 29 e 30 de Maio.
Maria Antónia Cordeiro
Homenagem póstuma a Carlos Lança
O Rotary Club Porto Foz realizou, no dia 24
de Abril, uma homenagem póstuma a Carlos Lan-
ça, Governador do Distrito 1970 no ano rotário
2001/2002. A cerimónia, que decorreu na Funda-
ção da Juventude, no Porto, contou com a presen-
ça de vários rotários que fizeram questão de lem-
brar o reconhecido artista, que faleceu há um ano.
O Governador Manuel Cordeiro não quis deixar de
se associar a esta homenagem:
“Caro Presidente do RC do Porto Foz. Compa-
nheiro Paulo Chong, Cara Isabel Maria
É com um grande sentido de responsabilidade,
dadas as funções que desempenho, que me asso-
cio ao RC do Porto Foz na homenagem que hoje
prestam ao companheiro Carlos Lança, nosso
Governador no ano 2001 – 2002. Sem dúvida que
se trata de um acto inteiramente merecido pois o
companheiro Carlos Lança serviu o seu clube e o
seu distrito com dedicação e saber. O seu desa-
parecimento físico de entre nós não apagará das
nossas mentes a actividade que desenvolveu. O
seu particular empenho nas ligações com os PA-
LOP – Países de Língua Oficial Portuguesa, muito
contribuiu para aumentar as relações entre rotá-
rios dos países que têm a língua portuguesa como
língua oficial. Também contribuiu para canalizar
apoios para os mais necessitados que vivem nes-
ses países.
Tive oportunidade de participar num Seminá-
rio dos Rotários de língua Oficial portuguesa or-
ganizado pelo seu clube e sob a sua supervisão.
Guardo comigo as duas cartas manuscritas que
me enviou a convidar-me e, mais tarde, a agrade-
cer a minha resposta positiva. Com este simples
gesto pretendo homenagear a sua memória.
Cara Isabel Maria, aceite saudações rotárias
em meu nome, no da minha esposa e no de todos
os companheiros do nosso distrito. Estou certo de
que a memória do comp Carlos Lança perdurará
para sempre na nossa memória.
Manuel Cordeiro
Governador D 1970, 2009 – 2010”
Conferência Distrital de Interact e Rotaract
A Conferência Distrital de Interact e Rotaract do Distrito 1970 representou este ano, por via
da alteração de datas no calendário rotaractista e interactista, o ponto alto do ano rotário para os
clubes de jovens, que durante um fim-de-semana viveram intensamente o significado de perten-
cerem a um Movimento com a dimensão de Rotary International.
Em 48 horas, assegurou-se a continuidade da liderança distrital, com a eleição do Companheiro
André Rebelo como Representante Distrital de Rotaract para o ano rotário 2011-12. Em 48 horas,
fez-se já um breve balanço das actividades desenvolvidas distritalmente, quer pela Representa-
doria, quer pelos clubes: os projectos Limpar Portugal e Plantar Portugal, o apoio à ASAS – Asso-
ciação de Solidariedade Social de Santo Tirso, a angariação até ao momento do cerca de 1300€
para a campanha End Polio Now, os rastreios de saúde, as actividades culturais, as angariações
de fundos, as parcerias estabelecidas localmente por cada clube e companheiro, nas suas co-
munidades. Em 48 horas, as Novas Gerações deram mais uma vez provas do seu entusiasmo e
crença no ideal de Companheirismo!
Mas mais do que isto aconteceu em Penafiel…Graças ao forte empenho do clube organizador, o Ro-
taract Club de Penafiel, e do seu presidente, o Companheiro Pedro Cepêda, podemos conhecer melhor
a cidade e o seu belíssimo museu, podemos juntos viver as noites quentes que já se faziam sentir e
desfrutar dos melhores espaços penafidelenses, que com a maior simpatia acolheram os cerca de 120
conferencistas que ao longo de todo o fim-de-semana foram fazendo questão de marcar presença.
Os pontos altos da Conferência foram certamente as sessões de trabalho, tanto de Rotaract
como de Interact – que este ano, por decisão das Representantes, decorrem em separado para per-
mitir um debate mais aprofundado dos assuntos e uma maior rentabilização do tempo – e o jantar
de Gala. Neste, o Companheiro Governador, presença já habitual nos nossos eventos, juntamente
com a sua esposa D. Maria Antónia, destacou o trabalho desenvolvido pelas Representantes de
Interact e Rotaract ao longo do ano e atribuiu a cada uma um título Paul Harris, num gesto que
surpreendeu toda a sala e abrilhantou a noite de Gala, reforçando mais uma vez a importância que
confere às Novas Gerações do Movimento Rotário e ao trabalho por elas desenvolvido.
Penafiel foi o culminar de um ano pleno de bons momentos de companheirismo! Estiveram
presentes clubes de Loulé a Valença, abrangendo todo o país e mostrando que em Rotaract e
Interact, a amizade é maior do que o tempo as distâncias, e que este é o caminho para o futuro de
Rotary e para a Paz Mundial!
Ângela Barros
Representante Distrital de Rotaract
Conferência Distrital de Interact e Rotaract
Os dias 23, 24 e 25 de Abril ficaram na história do movimento rotário… Mais de 100 pessoas se
deslocaram a Penafiel para pôr o distrito a mexer e provar que as novas gerações são realmente
importantes para o distrito 1970.
Muitas decisões foram tomadas em duas sessões de trabalhos bastante produtivas. Os in-
teractistas e os rotaractitas participaram activamente em todas as actividades propostas pela
organização desta conferência.
Foram momentos muito especiais vividos de tal forma que permitiram fortificar os laços de amiza-
de entre os clubes e também entre os distritos.
Três dias que contam muitas histórias e vários momentos engraçados que marcam sem dúvida
este ano rotário.
Neste evento destaca – se a presença de vários companheiros rotários, entre eles a presença
no jantar de gala do Companheiro Governador Manuel Cordeiro e da sua esposa que nos presen-
tearam, a mim e à Companheira Ângela Barros, com a surpresa do ano, foi – nos entregue um Paul
Harris. Desta forma o Companheiro Governador quis homenagear o nosso trabalho executado nas
representadorias das novas gerações. A mim deixou – me sem palavras e não me canso de lhe
agradecer pelo gesto.
Foram três dias em que vivemos o ano inteiro, como diz uma companheira, e Penafiel foi o
palco de todos os momentos. O Interact esteve muito bem representado com 8 clubes dos 10
existentes.
Para mim foi o melhor espírito que já vivi. Agradeço a todos a presença, o companheirismo, a
amizade, os risos, tudo, se não fosse pela presença dos Interactistas todo o meu trabalho não faria
sentido e a conferência para mim não teria sido a mesma coisa...
Penafiel ficará para sempre na rota da história do Distrito 1970, como das melhores conferên-
cias de sempre pela Inter - ajuda, pelo Trabalho e pelo Companheirismo. Não me canso de agra-
decer a todos pela presença e pelo trabalho e de mais uma vez afirmar que o futuro de Rotary está
realmente em boas mãos.
“Somos líderes...”
Iolanda Lima, Rep. ITC D1970
AS NOVAS CIP E O SEU PAPEL COMO UM CAMINHO PARA A PAZ
Por Henrique Pinto
A Assembleia Nacional CIP 2010 na Marinha
Grande tinha a missão de explicar o passado,
compreender o futuro e assinalar a mudança.
Logo nos primeiros instantes conseguiram-
se 7000 Euros da CIP Portugal Cabo Verde para
apoiar a Associação Saúde em Português – o Dr.
Hernâni Caniço foi um dos brilhantes oradores -,
a instalar a Telemedicina neste arquipélago, liga-
da à Universidade de Coimbra. O que significa um
avanço dos mais notáveis para a saúde daquela
região. O empenho na transformação positiva das
mentalidades carece sempre de causas, de uma
ou mais bandeiras. A Paz e o entendimento entre
as Nações e entre as pessoas tem de passar de
conceito a realidade operacional onde tal ainda
não é perceptível, operação que carece de ban-
deiras e de atributos: vontade, motivação, ideias,
ritmo, actualização, sentido proactivo, divulga-
ção.
O salto exponencial das novas CIP no mun-
do nos últimos anos é notável, resultado devido
a três factores: executivo mundial; intervenção
pessoal - graças aos presidentes do executivo
José Carlos Estorninho e Serge Gouteyron, as CIP
passaram a estar presentes nos Institutos Rotá-
rios e na Convenção anual de RI -,e aos novos
sentidos para a paz, a convicção muito recente
de todos podermos e devermos contribuir para a
paz. Nos países emergentes em Rotary, nos Asi-
áticos, Africanos e da América do Sul, agigantou-
se a consciência de a sociedade civil influente ser
um parceiro forte para a emancipação no sentido
da paz (vivida, mais que abstracção). Nos EUA o
trauma da guerra no Iraque ganhou uma inusitada
dimensão transversal entre os cidadãos e os Ro-
tários em particular, até há pouco impensável.
Em vários dos países pioneiros das CIP (Por-
tugal, Espanha, Inglaterra e mesmo a França) a
minoração do interesse das bandeiras clássicas
foi-se instalando, com o cortejo da inércia, desin-
teresse – a todos os níveis -, não renovação, falta
de ideias motivadoras. Disto se queixa a maioria
dos responsáveis CIP nestes países, apesar de
neles continuar a existir trabalho CIP qualificado,
designadamente entre nós, tanto ou mais que no
passado.
Na Convenção de 1913 em Nova Iorque Paul
Harris deu mais uma chave para a vida, «ser um
bom Rotário hoje requer mais do que ontem; e irá
requerer mais ainda amanhã».
Que fazer então? Promover a nova filosofia
CIP, a emergir dos últimos conclaves mundiais, a
de «Um Caminho para a Paz». Estimular a cons-
ciência CIP nos PETS, Assembleias e Conferên-
cias Distritais. Promover a renovação dos quadros
CIP, caldeando a experiência e vontade de quem
está com as ideias e vontade de quem chega.
Das 14 CIP existentes actualmente em Portugal,
7 das mais antigas foram renovadas nos seus di-
rectores para 2010-13. A CIP com Grã-Bretanha
e Irlanda foi reactivada. Criaram-se oito novas
CIP. Até final deste ano Rotário todas as 22 CIP,
existentes formalmente ou em formação, terão os
seus parceiros assegurados em ambos os países.
Em 2010-11 surgirão outras CIP, nomeadamente
na área do Mediterrâneo (Programas «Paz no Me-
diterrâneo» e «Reach Out to Africa»), valorando o
relacionamento internacional do rotarismo portu-
guês em vésperas de Convenção.
Depois há que pôr em dia os objectivos internos
e para o mundo, a participação em rede mundial
para acudir aos grandes problemas, etc. Alguém
demonstrou nesta Assembleia que, no imediato,
as CIP portuguesas com seus parceiros, podiam
alfabetizar 1, 2 milhões de pessoas em África pelo
método CLE, ao mais baixo custo. Afinal isto pode
ser um instrumento ágil e fortíssimo.
Águeda
ASSEMBLEIA DISTRITAL
Realizou-se no passado dia 17 de Abril, em Águeda, a Assembleia Distrital do nosso Distrito,
sob a presidência do nosso Governador, Companheiro Manuel Cordeiro.
Registou-se a presença nesta Assembleia Distrital, do nosso convidado, Companheiro Joaquim
Esperança, Governador Eleito do Distrito 1960, para o ano 2010-2011.
Sob a responsabilidade de organização e logística dos nossos Companheiros do Rotary Clube
de Águeda, este quarto e último evento distrital, realizado no âmbito das acções de formação,
preparatórias do ano rotário 2010-2011, contou com a presença de mais de duas centenas de
rotários, cuja participação activa muito animou a dinâmica da realização.
No período da manhã, para além do Governador-Eleito, para o novo ano rotário, intervieram o
Companheiro Instrutor Distrital; os responsáveis por alguns Projectos Interdistritais, bem como os
Presidentes das diversas Comissões Distritais.
Na parte da tarde a formação foi ministrada em grupos de discussão, a saber:
Grupo dos Presidentes; grupo da Administração do Clube, neste incluído Secretários e Tesou-
reiros; grupo de Directores de Protocolo; grupo de Serviços Internacionais e grupo da Fundação
Rotária do RI – Rotary Foundation. Em termos de avaliação, os ecos que têm chegado à Gover-
nadoria e aos demais líderes de formação, são num sentido muito positivo e que indicam ser de
continuar esta modalidade de formação em grupo, em detrimento de sessões plenárias, devendo
estas ser reduzidas ao mínimo indispensável.
Merece um realce muito especial todo o trabalho de preparação e logística de apoio – aqui in-
cluídas, com louvor, a qualidade e a diversidade da parte gastronómica - almoço e “coffe breack”
– oferecidas pelos nossos Companheiros do Rotary Clube de Águeda e também distinguir o cui-
dado e, digamos mesmo, o carinho do acolhimento e a dignidade das instalações, que a CERCIAG
disponibilizou e com tanta dedicação colocou ao serviço dos Rotários do Distrito 1970, isto é, ao
serviço do Rotary Internacional. Neste apontamento informativo da realização, é curial deixar
registado um profundo e sentido obrigado a todos, nestes incluídos os participantes nesta Assem-
bleia Distrital e, de modo muito especial, aos nossos Companheiros do Rotary Clube de Águeda,
na pessoa do seu Presidente – Companheiro Albano José de Carvalho e Melo.
A Assembleia Distrital encerrou ao fim da tarde, registando-se, com muito agrado, a honrosa
presença do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Águeda, a quem também compete agra-
decer toda a colaboração prestada no apoio da realização deste evento Rotário Distrital.
MAIO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros rotários:
Depois que o terramoto atingiu o Haiti em Janeiro, rotários começaram a fazer ligações e
enviar e-mails para ver como poderiam ajudar. Assim que o Rotary International divulgou os
esforços de assistência imediata, a conversa continuou on-line. O primeiro comentário sobre
o ocorrido expressou o que a maioria estava pensando: “Se eles começarem a enviar rotários
para ajudar, por favor me avise.”
Este pedido se multiplicou com o passar dos dias no site do Rotary e nas nossas páginas
de comunicação social. Rotarianos também divulgaram que estavam angariando milhares de
dólares em prol de ShelterBoxes e Aquaboxes, contribuindo para o Fundo de Assistência ao
Terramoto do Haiti e organizando o transporte de comida, suprimentos e médicos ao país de-
vastado.
No local da catástrofe e nas redondezas do Haiti os rotários também estavam ocupados,
distribuindo ShelterBoxes para os desabrigados. O Rotário e médico Claude Surena levou 100
vítimas do terramoto para sua casa que, apesar de danificada, foi transformada em um hospital
improvisado. O Distrito 7020 abriu um fundo de assistência, levou suprimentos médicos em
aviões e ofereceu assistência nas semanas após o desastre.
É durante essas semanas – ou mesmo depois de meses e anos – que o Rotary faz sua maior
contribuição. Não somos uma agência de assistência em casos de catástrofe, mas realizamos
um óptimo trabalho de recuperação de longo prazo. Depois que a atenção dos media se dissi-
par, o Rotary ainda estará presente no Haiti com 17 clubes locais e milhares de clubes parceiros
cheios de disposição. A exemplo do que aconteceu em Bangladesh, Honduras, Indonésia e
inúmeros outros países, rotários permanecerão no Haiti por muito tempo.
No Global Outlook deste mês você pode aprender mais sobre o sucesso do Rotary em ajudar
comunidades e países a se levantarem depois de um desastre. A dedicação típica do rotário em
ajudar os que precisam, junto com nossa perseverança e trabalho de base, continuarão levando
esperança àqueles que tiveram suas vidas destruídas por catástrofes.
Nossa resposta à tragédia no Haiti manifesta a preocupação e o desejo do Rotary em ajudar
os menos favorecidos e oferecer evidências do que o Rotary faz de melhor: servir. Obrigada a
todos por tudo o que estão fazendo.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
Durante o mês de Maio terá lugar a NOSSA Conferência Distrital subordinada ao tema:
Educação e Cooperação. O Futuro de Rotary. Serão três dias onde vamos ter oportunidade de
reflectir sobre Rotary e o seu futuro. Para honrarmos o seu passado, temos que trabalhar muito
no futuro, pois só assim Rotary pode responder, com acções, a quem dele mais necessita, os
mais desfavorecidos.
Vamos dar a palavra aos clubes para nos falarem dos seus projectos. Como, depois de identi-
ficar as necessidades, se arranjam parceiros e se fazem candidaturas aos programas da Rotary
Foundation. È importante que os clubes compreendam que podem contar com a sua fundação
para concretizar todos os seus projectos de apoio social.
Os clubes ROTARACT e INTERACT também vão ter oportunidade para se expressarem. É
muito importante que os jovens nos mostrem o que são capazes de fazer.
Também os cônjuges nos vão mostrar os seus projectos. O seu papel é fundamental para que
os projectos dos clubes e do Distrito se tornem realidade.
A conferência é uma boa oportunidade para reforçarmos os laços de amizade e companhei-
rismo entre todos.
A presença do companheiro Luis Vicente Giay e sua esposa Célia, em representação do Pre-
sidente John Kenny, deve constituir um incentivo para darmos aos clubes de jovens do nosso
Distrito todo o apoio de que eles precisam para levar a cabo todas as suas iniciativas, fruto de
muita imaginação e vontade de ajudar. Foi ele que, quando foi Presidente de RI em 1996-97,
começou a falar na necessidade de criar clubes de Novas Gerações.
Conto com a vossa presença.
Juntos conseguiremos mais facilmente ser úteis a quem de nós precisa.
Aceitem um abraço do companheiro e amigo
Manuel Cordeiro
tt- eiaea ae oist:ite
NOVO CLUBE OFICIALIZADO EM LEÇA DO BALIO
O Distrito 1970 tem mais um Clube rotário. Leça do Balio é o 86º Clube e tem como padrinho
o Clube da Senhora da Hora. Com 26 sócios (mas prevendo para breve a entrada de mais dois),
o Clube foi inscrito em Rotary Internacional no dia 11 de Fevereiro, mas foi no dia 9 de Maio que
foi entregue oficialmente a Carta Constitucional ao Clube. Na cerimónia estiveram presentes 36
clubes, incluindo o Rotaract de Santo Tirso.
O processo para a criação do novo Clube foi iniciado em 2006-2007 por Álvaro Gomes. A repre-
sentante especial do Governador para a formação do clube foi Teresinha Fraga, do Rotary Club
da Senhora da Hora.
No almoço esteve presente o presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Guillherme Pinto,
que se congratulou por ter mais um clube na sua comunidade. Enalteceu o trabalho que têm de-
senvolvido e que tem vindo a crescer. O Presidente da Junta de Freguesia de Leça do Balio tam-
bém esteve presente e colocou-se à disposição do clube para parcerias. Disse que a comunidade
de Leça do Balio espera muito do clube.
Estiveram presentes ainda vários Governadores do Distrito, incluindo o actual, Manuel Cordeiro,
que entregou a Carta ao clube, e a Maria Antónia.
“Sendo Leça do Balio uma comunidade em expansão, entendeu-se que era importante ter um
clube de serviços. A sua área geográfica, a sua densidade populacional, as diversificadas mas
significativas actividades sócio económicas, tendo em conta o recomendado pelo Rotary Inter-
nacional, foram os factores determinantes para a criação de um Clube Rotário. O Rotary Club da
Senhora da Hora, que ainda não tinha nenhum clube afilhado, por iniciativa de Teresinha Fraga
que propôs ao Governador a criação do Rotary Clube de Leça do Balio”, explica o presidente Jorge
Pereira.
O Clube tem uma média de idades de 40 anos (entre os 26 e os 62). Reúne todas as terças-feiras
na Estalagem Via Norte, 14, Km. 4 – Leça do Balio.
VISEU RECEBEU O VI ENCONTRO DISTRITAL DE
UNIVERSIDADES SENIORES DE ROTARY
No dia 8 de Maio, dia de 76º aniversário do Clube de Viseu, a Universidade Sénior local organi-
zou o VI Encontro das USR do Distrito 1970. Estiveram presentes mais de 600 pessoas entre rotá-
rios, alunos, professores e outros voluntários, pertencentes a 13 Universidades Séniores - Ansião,
Bragança, Chaves, Felgueiras, Maia, Mangualde, Matosinhos, Paredes, Sever do Vouga, Tondela,
Valongo, Vizela e Viseu. O Programa iniciou-se com a Sessão de Abertura, presidida pelo Go-
vernador Manuel Cordeiro e na qual intervieram o Governador Civil de Viseu, Miguel Ginestal, o
Vereador Hermínio Magalhães (em representação do Presidente da Câmara Municipal de Viseu), o
Vice-Presidente do Instituto Politécnico de Viseu, José Costa, o Presidente da Comissão Distrital
das USR, Ernesto Areias, a Presidente do RC Viseu, Teresa Cabral Ribeiro e do Director da USR
Viseu, José Augusto Pereira. Ainda durante a manhã, decorreram exibições artísticas a cargo das
diversas US presentes - tunas, grupos corais, danças, etc. - que se prolongaram pela tarde.
No decurso do Encontro esteve patente uma “Exposição de Actividades” na qual as diversas
US, através de material gráfico exposto em painéis, deram a conhecer pormenores relevantes da
sua actividade, possibilitando, assim, uma troca de informação entre as diversas escolas presen-
tes. Este VI Encontro atingiu os objectivos pretendidos e veio demonstrar, uma vez mais, que as
USR constituem um serviço que se reveste do maior interesse.
NOVA UNIVERSIDADE SÉNIOR EM PÓVOA DO LANHOSO
Póvoa de Lanhoso já tem uma Universidade Sénior, num projecto do Rotary Club local em
parceria com a Câmara Municipal e a Associação em Diálogo. A apresentação do novo projecto
decorreu em Abril na sede da Universidade Sénior, na Rua António Francês, na vila, nas insta-
lações de apoio ao Parque Desportivo Municipal. Na apresentação da Universidade Sénior do
Rotary Club da Póvoa de Lanhoso (URPL), Jerónimo Silva destacou que a URPL “é uma institui-
ção de solidariedade, formação e cultura baseada no voluntariado, destinando-se à prestação de
serviços que se dirigem à população sénior nas áreas de educação e formação ao longo da vida,
através de programas educacionais e curriculares baseados em disciplinas de formação geral,
artística, desportiva e de lazer”. Hidroginástica, acompanhada de ginástica adaptada ao público-
alvo, informática, língua estrangeira, cultura portuguesa e saúde são as matérias agendadas para
o primeiro ano da Universidade Sénior. As matrículas decorrem durante o mês de Junho. No dia 18
de Setembro decorre a cerimónia solene de abertura com palestra subordinada ao tema “Doenças
Oncológicas”, cujos palestrantes são médicos do Instituto Português de Oncologia do Porto. No
dia 6 de Outubro é a recepção aos alunos e no dia 7 de Outubro têm início as aulas.
Clubes Beira Serra
AQUANOSTRA CONTOU COM A MINISTRA DO AMBIENTE
A água foi o tema principal da 4ª conferência
Aquanostra, que reuniu em Oliveira do Hospital,
no dia 15 de Maio, alguns dos maiores especia-
listas do país e contou também com a presença
da ministra do Ambiente e do Ordenamento do
Território. Dulce Pássaro encerrou a conferên-
cia organizada pelos clubes rotários da Beira
Serra, dizendo ser “inevitável e necessário” a
subida do preço da água ao consumidor. “De-
vemos trabalhar para ter água de qualidade a
mais baixo custo, mas o preço que pagamos
por esse serviço e pelo recurso disponível vai
ter que subir”, frisou.
A ministra revelou que a Entidade Regu-
ladora das Águas e Resíduos “já fez uma re-
comendação para calcular o preço com base
num modelo único” e que as autarquias podem
sempre “criar tarifas sociais para grupos mais
desfavorecidos e famílias numerosas”.
Dulce Pássaro adiantou ainda que está em
curso a criação de um programa Polis para os
rios, que será implementado em parceria com
os municípios e até privados, sublinhando que
“durante muitos anos não gerimos os rios com
cuidado”. O Polis dos rios terá uma aborda-
gem integrada para a sua recuperação. “Será
uma mais-valia”, salientou a ministra, tal como
aconteceu com um programa semelhante para
40 cidades a nível nacional.
Sobre o Programa Nacional de Barragens,
Dulce Pássaro referiu que uma das quatro bar-
ragens que constituem a Cascata do Tâmega
pode ser “sacrificada, porque põe em causa va-
lores de preservação da biodiversidade”, mas
esclareceu que este plano, em termos gerais, é
importante para “o combate às alterações cli-
máticas e para a nossa balança de pagamen-
tos”.
Orlando Borges, presidente do Instituto Na-
cional da Água, também falou sobre o Plano
Nacional de Barragens, tendo afirmado que
este é essencial para que Portugal reduza a
dependência externa de energia. O ambienta-
lista da Quercus, Francisco Ferreira, esclare-
ceu não ser “contra” as barragens, mas algu-
mas grandes barragens, concretizando com o
caso da barragem do Sabor, uma vez que irão
ser destruídas “áreas únicas”. “Deveria haver
uma melhor selecção das barragens a cons-
truir”, considerou, acrescentando também ser
favorável a alterações “no preço da água”, e
que isso deverá ser explicado aos portugue-
ses, visto que os preços baixos “levam ao des-
perdício de água”.
Na Conferência, o presidente do Conselho de
Administração da Águas do Zêzere e Côa afir-
mou que a empresa multimunicipal, que abran-
ge 18 concelhos da zona da Serra da Estrela,
esteve em “falência técnica”, mas que a situ-
ação “foi ultrapassada”. João Pedro Rodrigues
explicou que cabe às autarquias fixar as tarifas
da água e que existe uma discrepância grande
entre o preço praticado no interior, com o me-
tro cúbico a ser pago a 4,7 euros, enquanto em
Lisboa só é cobrado a 1,7, sendo fundamental
existirem “mecanismos de solidariedade em re-
lação ao interior do país”.
CONFERÊNCIA
DISTRITAL
No dia 28 de Maio teve início a XXVII Conferência do Distrito 1970, em Vila Real, subordinada
ao tema “Educação e Cooperação: o futuro de Rotary”. A sessão solene de abertura contou com a
presença de Domingos Pinto, vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Real, que se mostrou
agradecido pela realização desta importante conferência na sua cidade e fez grandes elogios ao
trabalho de solidariedade do movimento. No seu discurso, Armando Mascarenhas, Reitor da Uni-
versidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), foi mais longe: “É um privilégio poder recebê-
los. O tema não podia ser debatido em melhor local. É na base da educação que se centra toda a
possibilidade de cooperação”. Discursaram ainda Manuel Cardona, Chairman da Conferência, e
José Boaventura, presidente da comissão executiva. O Governador do Distrito 1960, Mário Rebe-
lo, que também deixou palavras de confiança para o bom trabalho nos dias que se seguiram.
O representante do Presidente de Rotary Internacional, Luís Vicente Giay, fez o seu primeiro
discurso na Conferência lembrando que “todas as semanas, em Rotary, há 33 mil púlpitos como
este onde se expressam ideias com liberdade e se trabalha”. Lembrou a importância do Rotary
ao longo dos anos por todo o mundo: “Perguntaram-me o que é Rotary. É muito simples. Rotary é
gente, que trabalha com outra gente para outra gente. Quando as vontades se unem para comba-
ter a fome, é o ideal rotário que está a funcionar. É um ideal que conjuga o senso comum, a ética
e o trabalho em favor dos demais”.
Abertura
CONFERÊNCIA DO DISTRITO 1970 EM VILA REAL
Na abertura da Conferência, o Governador Manuel Cordeiro fez um balanço do ano da sua
Governadoria, num discurso do qual apresentamos um excerto:
“Quando aceitei ser Governador do nosso Distrito, fi-lo porque é dever de qualquer rotário servir
o movimento a que pertence, e na convicção de que tinha condições para honrar o passado do
Distrito e ajudar a projectar o seu futuro. Na transmissão de tarefas em 4 de Julho, fiz uma peque-
na apresentação daquilo que eu sou. Na altura disse-vos que “desde os 10 anos que me habituei
a ser responsável pelos meus actos. Nunca fujo às minhas responsabilidades. Assumo-as para o
bem e para o mal”. De facto isto tem sido uma constante na minha vida. Sigo os conselhos que o
meu pai me dava. Sê bom profissional e cumpre sempre o teu dever.
A experiência do Governador e do seu cônjuge, é muito gratificante e permite-nos ficar com
uma visão muito clara de todos os clubes, das suas potencialidades e das suas debilidades. O
nosso Distrito tem clubes que desenvolvem actividades de grande interesse para as suas comu-
nidades, que têm companheiros muito empenhados, que cultivam o espírito de rotary em toda as
suas vertentes. Espero que estes sejam cada vez mais.
Visitámos muitas instituições públicas e privadas. Em muitas delas há rotários ocupando lu-
gares de responsabilidade. Sem dúvida que é muito gratificante para um Governador de Distrito
constatar que há muitos companheiros disponíveis para colocarem parte do seu tempo e das suas
capacidades intelectuais e físicas ao serviço de instituições que ajudam pessoas desfavorecidas.
Tudo isto feito sem qualquer contrapartida a não ser a satisfação de ajudar quem precisa.
Também visitámos muitas Câmaras Municipais, onde fomos recebidos pelos seus Presidentes
ou alguém que os representasse. Quase sem excepção, os nossos autarcas têm uma sensibilida-
de muito grande para os problemas sociais, ou seja, as Câmaras Municipais e os clubes rotários
podem e devem emparceirar-se para prosseguir objectivos que são comuns, o apoio a pessoas
desfavorecidas. Uns e outros prosseguem muitos objectivos comuns.
Vou falar-vos sobre as actividades desenvolvidas neste ano rotário. Não vou referir-me às inú-
meras actividades desenvolvidas pelos clubes nas suas comunidades. Sobre isso apenas quero
dar realce às várias centenas de Bolsas de estudo patrocinadas pelos clubes, Fundação Rotária
portuguesa, rotários e empresas. Também o número elevado de conferências, encontros culturais,
etc. Ainda os vários milhares de Cabazes de alimentos que distribuíram durante o ano. Enfim os
clubes do nosso Distrito sabem entender as necessidades das suas comunidades e respondem,
em minha opinião bem, dentro das suas possibilidades.
Manuel Cordeiro, Governador do Distrito 1970
“CHEGO AO FIM DO ANO CIENTE DE QUE HONREI O MEU DISTRITO”
A nível distrital começámos pelos mais jovens: o 1º ENCONTRO DISTRITAL DE CLUBES RO-
TARY KIDS, que decorreu em Santo Tirso, sob a responsabilidade da companheira Isabel e da
Comissão Distrital de Novas Gerações. Foi um dos momentos que considero mais importantes
do ano. Foi um momento inesquecível. Várias vezes me ouviram exteriorizar o meu apreço a esta
Comissão. Os resultados obtidos pelos clubes de jovens são a prova de que o seu trabalho dá
bons frutos.
Tivemos o Seminário de DQS, na Maia. Pela primeira vez houve um painel dedicado aos clu-
bes de jovens, ROTARACT e INTERACT, da responsabilidade também da Comissão das Novas
Gerações. Todos os que estiveram presentes se renderam ao entusiasmo que os intervenientes, a
Ângela, a Iolanda, a Isabel e o Lereno puseram nas suas intervenções.
O seminário da Rotary Foundation em Vila do Conde. Tivemos presente o companheiro Jani
Jandolo, responsável regional Coordenador Regional da Rotary Foundation para Portugal, Espa-
nha e Itália. Foi também um momento importante.
No mês de Outubro a Comissão da Rotary Foundation teve uma grande actividade pois foram
vários os eventos que organizou. Foi a parceria com a Liga Portuguesa de Futebol, de divulgação
do programa END POLIO NOW, que deu uma grande visibilidade ao movimento rotário português.
Neste Âmbito, com a ajuda decisiva do RC de Santo Tirso e do companheiro Gonçalves Afonso,
teve lugar a Gala no Casino da Póvoa de Varzim, onde foram angariadas verbas significativas
para a Erradicação da Pólio. A cedência gratuita da sala pelo casino foi uma contribuição decisiva
para o sucesso da Gala. E claro, os companheiros e cônjuges do Distrito que compareceram em
grande número.
Já em 2010, tivemos um momento muito alto do ano. Foi a comemoração do 105º Aniversário de
Rotary e a homenagem aos cônjuges. Foi na noite de 23 de Fevereiro, noite de grande temporal,
que muitos rotários e não rotários, irmanados do mesmo ideal, compareceram ao jantar. A receita
obtida foi destinada ao projecto dos cônjuges: satisfazer os desejos a crianças e adolescentes
do IPO e a ACIAJF.
Participei num programa de rádio via Internet, de carácter internacional, com personalidades
e instituições de todo o mundo: a UNICEF, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Re-
fugiados, António Guterres, o Presidente de Timor, Ramos Horta e muitos outros. O tema eram os
Direitos humanos: a minha intervenção, de um minuto, intitulei-a Rotary e os Direitos Humanos. Foi
difundida para todo o mundo, em Português e Inglês.
Participei em vários eventos distritais e inter distritais de ROTARACT e INTERACT. Confesso
que foram uma surpresa parta mim. Hoje compreendo perfeitamente porque há sempre tantos par-
ticipantes nestes eventos. O meu entusiasmo pelo trabalho dos jovens começou aí.
Os Rotary Clubes da Beira Serra organizaram mais uma vez o Seminário AQUA NOSTRA. Foi
um momento para ouvir especialistas exteriores ao Rotary sobre temas com grande actualidade,
como é o da água.
Mais uma vez o RC de Monção organizou o Almoço da Lampreia, momento de convívio entre to-
dos os presentes com muita cultura à mistura. Basta dizer que se visitou o Palácio da Brejoeira.
A Noite de fados foi, uma vez mais, um momento de convívio e companheirismo. É um evento
Distrital que já faz parte da agenda de muitos rotários do nosso Distrito. A exemplo dos anos
anteriores a receita obtida destinou-se ao projecto da Cegueira Evitável. O RC de Esposende, na
pessoa do companheiro José Rocha e da Carminho, sua esposa, foi o organizador.
Entregámos a carta constitucional a um clube, o RC de Leça do Balio. Embora o processo
tivesse sido iniciado no ano do companheiro Álvaro e continuado pelos companheiros Bernardino
e Henrique, tive o privilégio de ser no meu ano que o clube nasceu.
No que respeita aos clubes dos jovens, foi oficializada a situação do ROTARACT clube de
Ansião, já criado no ano anterior, e foi reactivado o ROTARACT de Viana do Castelo. Foi também
criado o ROTARY KIDs de Estarreja.
As CIPs são uma estrutura de rotary que pode e deve assumir uma importância grande no que
respeita ao intercâmbio cultural e parceiras de projectos entre clubes de países diferentes. Em
minha opinião, se cumprir com os objectivos que rotary lhe atribui pode ser muito útil no apareci-
mento de parcerias entre clubes e/ou distritos de países diferentes.
O Seminário Interdistrital realizou-se na Marinha Grande, organizado por este clube e pelo de
Leiria. Foi um momento de reflexão que espero dê frutos no futuro
No que respeita ao Quadro Social até vão dia de hoje entraram 120 novos sócios e saíram 93,
sendo 26 do novo clube. Por aqui se vê que o aumento do Quadro Social não é fácil de conse-
guir.
Face à tragédia no Haiti, de imediato sugeri a abertura de uma conta na Fundação Rotária
portuguesa para recolhe de dinheiro. A resposta dos clubes do nosso Distrito foi muito rápida e
muito positiva. Ainda em consequência deste facto, nomeei o companheiro Serafim Santos, do RC
da Maia, como Representante Distrital para o DRRAG. O trabalho que tem desenvolvido, deixa-
me muito satisfeito por ter acedido ao seu desejo. Devo dizer que foi dele que partiu a ideia e que
eu, de imediato, aproveitei. O resultado está à vista e dá-me razão naquilo que eu muitas vezes
digo: em rotary deveriam sempre ser escolhidas as pessoas mais capazes para desempenhar as
tarefas.
Realizámos um RYLA: Trancoso com história, da responsabilidade do Rotary Clube de Tran-
coso. Participaram 15 jovens que tiveram oportunidade de fazer amizades e de enriquecerem os
seus conhecimentos.
O RC de Viseu organizou o VI Encontro de Universidades Seniores de Rotary. Foi um momento
de convívio e serviu para cada uma das Universidades mostrar algumas das valências que tem.
Este ano apostei muito nos Subsídios Equivalentes e num Subsídio Distrital Simplificado. Isto
é consequência daquilo que é a minha visão do nosso movimento. Por razões profissionais movi-
mento-me muito bem na área de projectos desde as candidaturas até à implementação.
O Subsídio Distrital Simplificado teve como objectivo ajudar a ASAS – Associação de Solida-
riedade e Acção Social de Santo Tirso. Trata-se de uma Associação que desenvolve a sua acti-
vidade em Santo Tirso.
Apresentei 4 projectos na forma de Subsídios Equivalentes, todos da minha responsabilidade,
desde a ideia, a candidatura, a escolha dos parceiros e os relatórios. Todos foram aprovados.
Quero realçar o facto de que dois deles foram comparticipados pela RF, um em 20 000 USD e
outro em 15 500 USD. Num ano em que a RF esgotou o dinheiro em 15 de Julho, foi determinante
a rapidez de actuação. Estes projectos foram submetidos na minha VOG à Covilhã, por volta duas
da manhã. Se assim não fosse, não teriam comparticipação da RF. Esta minha atitude como rotá-
rio, foi a mesma que eu teria como profissional. É imperioso que nós, rotários, tenhamos a mesma
atitude como profissionais e como rotários. Realço aqui a colaboração aberta do companheiro
Álvaro Gomes, Presidente da CDRF.
Também participámos como responsáveis nacionais em projectos em que o responsável princi-
pal foi o companheiro Olandino do D 4660. Tive a sorte de emparceirar com um companheiro muito
pragmático, apesar da sua formação de advogado.
Vamos no dia 19 de Junho realizar um Seminário intitulado: Interioridade, Desafios que São
Oportunidades. Todos os oradores são não rotários. Com este pequeno gesto queremos dar um
sinal para o exterior que rotary está interessado em ouvir estas pessoas.
Não podia deixar de vos dar uma palavra sobre a Convenção de Lisboa em 2013. Vamos unir-
nos todos em torno da Comissão Organizadora liderada pelo companheiro Luís Miguel Duarte, GI
para 2012 – 2013 do Distrito 1960. Vamos mostrar ao mundo que os portugueses são capazes de
fazer tão bem ou melhor que outros.
Por fim vou falar-vos do que, com a ajuda de todos os clubes do Distrito, conseguimos arrecadar
para a Rotary Foundation. Neste momento, temos acima de 165 000 USD, sendo que mais de 55
000 USD são do Fundo Anual de Programas. Estou esperançado, podendo mesmo afirmar que ul-
trapassaremos os 200 000 USD como doações totais, dos quais cerca de 100 000 serão do Fundo
Anual de Programas. Em ano como o que atravessamos creio ser uma boa prestação, dos clubes
e da estratégia por mim seguida.
Vou dedicar uma palavra final à Maria Antónia. Disse na minha tomada de posse que apostava
na sua acção baseada na sua simpatia natural. Sem dúvida que a aposta foi ganha e bem ganha.
Vários companheiros me disseram que a minha vida como Governador ganhava muito com a
acção da Maria Antónia. Concordo perfeitamente. As mensagens que enviou aos cônjuges foram
sempre genuínas, simples, mas sentidas. Nela quero prestar uma sincera homenagem a todos os
cônjuges do Distrito. Continuem a ser como foram este ano. O movimento rotário muito ficará a
ganhar.
Termino dizendo-lhes que o balanço que faço é muito positivo. Chego ao fim do ano ciente de
que honrei o meu Distrito. No final serei um homem feliz por tudo ter feito .
Um abraço do companheiro e amigo,
Manuel Cordeiro
Primeiro painel
SUBSÍDIOS EQUIVALENTES E JUVENTUDE
A primeira sessão do segundo dia da Confe-
rência foi dedicada aos projectos de subsídios
equivalentes e à juventude no Rotary.
O projecto das escolinhas comunitárias foi
o primeiro a ser apresentado. Surgindo de uma
parceria com os Leigos para o Desenvolvimen-
to, consiste nos melhoramentos de higiene e
saneamento em escolas de Moçambique, me-
lhoramento das aulas, bicicletas para a deslo-
cação dos professores. De acordo com Manuel
Cordeiro, é um projecto sustentável porque
conta com a participação de residentes.
Luís Costa, do Rotary Club de Viana do
Castelo, deu a conhecer o desenvolvimento do
projecto 3H em Cacheu, cujo valor total é de
321800 dólares. As obras já tiveram início, es-
tando já concluída uma das 20 salas de aula e
um centro de recursos.
Sobre a Cegueira Evitável falou Jorge Ama-
ral, do Rotary Clube da Senhora da Hora, lem-
brando que 60 por cento das crianças morre
um ano depois de cegarem: “Apesar de ser uma
doença grave, estas crianças podem ser salvas
da cegueira”. Só na Índia o Rotary já patroci-
nou mais de 80 mil cirurgias. Só as acções do
Distrito 1970 totalizam mais de 300 mil dólares,
tendo sido realizadas mais de sete mil cirur-
gias só durante este ano. Jorge Amaral sugeriu
ainda a oferta de uma cirurgia, que custa ape-
nas 25 euros.
Ângela Barros (representante Distrital do Ro-
taract) e Iolanda Lima (representante Distrital
do Interact) chamaram a atenção para os pro-
jectos dos mais jovens, incluindo os grupos de
Rotary Kids. Ângela Barros lembrou o desafio
lançado por Manuel Cordeiro para a candidatu-
ra a um subsídio, que acabou por se converter
em 15 mil euros para material hospitalar e bens
de primeira necessidade.
Cooperação e Educação
OS CASOS DE TIMOR E DOS PALOP
Durante a manhã de sábado realizou-se o primeiro painel subordinado ao tema principal da
Conferência, “Educação e Cooperação: o futuro de Rotary”.
O timorense João Aparício falou, em representação da embaixada de Timor em Portugal, sobre
um país que “tem ainda muito trabalho pela frente. A maior dificuldade do país na educação é a
falta de formação efectiva dos professores”. A questão da língua portuguesa em Timor esteve no
centro do debate, mas João Aparício lembrou que vão ser criados em Díli mais quatro pólos da Es-
cola Portuguesa. A ideia é melhorar a qualidade do ensino e firmar a língua portuguesa. Com uma
representação real do presente mas positiva do futuro, o timorense acredita que daqui a 10, 15
anos, o seu país vai ser diferente: “Foi agora aprovado o Estatuto da Universidade de Timor Loro-
sae, que vai ter sete faculdades e quatro centros de investigação científica”. O trabalho do Rotary
em Timor também não foi esquecido, como um projecto concretizado em conjunto com a Diocese
de Baucau. O Embaixador Anacoreta Correia abrilhantou a manhã de sábado na conferência em
Vila Real. Com uma perspectiva muito clara sobre a sociedade, na qual associa sempre educação
a desenvolvimento, acredita na essência da cooperação. “O acesso à escolaridade e formação
profissional são pedras basilares de qualquer estratégia de desenvolvimento. Maior coesão social
e maior emprego estão associados à educação”, afirmou, realçando sempre que os destinatários
devem estar envolvidos no processo.
Anacoreta Correia, que já presidiu ao Instituto da Cooperação Portuguesa, lembrou que Portu-
gal coopera com os PALOP e Timor em todos os planos da educação (do básico ao universitário),
sendo o secundário o mais abrangido. Cabo Verde, é um exemplo desse apoio. Em tempos Por-
tugal enviou professores que por lá ficaram cerca de cinco anos. Dez anos depois Cabo Verde já
não precisa dessa ajuda, já tem autonomia. No que diz respeito ao Rotary, deixou alguns desafios:
“Na minha opinião, poucas organizações têm esta força para melhorar a qualidade de vida das
populações ou promover a paz. Porque não aproveitar esta mais-valia para realizar projectos de
cooperação nos PALOP como, por exemplo, apoiar continuamente uma escola envolvendo a co-
munidade. Isto levaria muitos outros a dar de si antes de pensar em si”.
Comissões Distritais
O TRABALHO INTERNO AO LONGO DO ANO
A última sessão da manhã de sábado teve início com Santos Bento, responsável pelo Quadro
Social do Distrito, que deu a conhecer a todos os presentes como está o Rotary em números. Urge
cuidar da saúde dos clubes e Santos Bento deixou alguns conselhos.
Soares Carneiro, responsável pelas Relações Públicas e Imagem mostrou as grandes mu-
danças que o Rotary teve a nível nacional com a criação de um site único, o envio de cartas por
email para todos os rotários, e o desenvolvimento do jornal Rotary em Acção, que dá a conhecer
o trabalho dos rotários dentro e fora do movimento. Artur Lopes Cardoso lembrou os números da
Revista Portugal Rotário e da Associação à qual esta pertence.
Sobre a Fundação Rotária Portuguesa falou Frederico Nascimento, o seu Presidente. Referiu
o novo modelo estratégico mas fez questão de lembrar que a Fundação, ao longo dos últimos 51
anos, já entregou 10 mil bolsas de estudo num total de quatro milhões de euros. Seguiu-se Álvaro
Gomes, que mais uma vez falou do trabalho para a Rotary Foundation em Portugal e do Plano
Visão de Futuro que está a ser implementado.
Luís Vicente Giay teve mais uma intervenção neste painel, deixando a importante informação
de que a Índia estava há oito semanas sem um único caso de Pólio, caminhando assim a passos
largos para a erradicação também neste país. De acordo com o Argentino, a Organização Mundial
de Saúde, na sua convenção anual, reconheceu o Rotary pelo seu trabalho contra a Pólio.
Goes Madeira e Teresinha Fraga
EVENTOS DE RI E GOVERNADORES INDICADOS
No início da tarde de sábado em Vila Real anunciou-se a Conferência Distrital do próximo ano,
que será realizada na Covilhã, nos dias 3, 4 e 5 de Junho. O Governador do Distrito para o ano
2010-2011, Armindo Carolino, escolheu o tema “Fraternidade e Compreensão Mundial” para uma
conferência que terá Álvaro Gomes como Chairman.
Foram ainda apresentados e ratificados os Governadores para os anos seguintes. Goes Madei-
ra (2011-2012), o primeiro Governador do Clube de Viseu, fez questão de salientar a tranquilidade
e optimismo com que Manuel Cordeiro liderou o Distrito.
Tereseinha Fraga (2012-2013), a primeira mulher a liderar o Distrito, prometeu “dedicação e
esforço para engrandecimento do Rotary”, assim como a continuidade de acções e projectos.
Projecto de Maria Antónia
ACTIVIDADES DO DISTRITO 1970 E DE ROTARY INTERNACIONAL
Na última sessão do dia dedicada ao trabalho do Rotary no Distrito, Maria Antónia deu a conhe-
cer o resultado do projecto dos cônjuges. Com a venda de 3000 livros conseguiu arrecadar 15 mil
euros para a campanha Pólio Plus, mas não se ficou por aqui. Através da realização de um jantar,
Maria Natónia conseguiu arrecadar 4112 euros que foram repartidos entre a Associação Católica
Internacional de Apoio a Jovens Famílias e as crianças do IPO. Foram ainda atribuídos prémios
aos clubes que mais livros conseguiram vender, tendo a Trofa conquistado o primeiro lugar com
500 livros vendidos. Esta sessão ficou ainda marcada pela apresentação de Manuel Cordeiro, que
enumerou os muitos projectos desenvolvidos ao longo do ano rotário.
Luís Vicente Giay discursou mais uma vez para os presentes, lembrando as catástrofes do Haiti
e do Chile. Nesta última, 30 rotários perderam as suas casas, o que movimentou o Rotary por todo
o mundo, que prontamente ajudou com o que podia. Apesar da crise, lembrou que a Rotary Foun-
dation passou de um orçamento de 8 milhões de euros para 28 milhões de euros. “Na América do
Sul, 6 em cada 10 meninos vivem abaixo da linha da pobreza. Não estudam, moram na rua, não
trabalham. Por isso o tema da educação é muito importante, é o maior inimigo da pobreza”, disse
lembrando o tema da Conferência
Manuel Patrício e Chris Gerry
EDUCAÇÃO E COOPERAÇÃO: O FUTURO DE ROTARY
Manuel Patrício, ex-Reitor da Universidade de Évora, dirigiu-se mais uma vez aos rotários, des-
ta vez para falar de educação: “Não é possível conceber o Homem sem educação. Mas esta não
pode significar adestramento, amestramento, endoutrinamento e muito menos lavagem cerebral”.
Sempre com o conceito de personalização bem presente, Manuel Patrício defende que educar é
ajudar o outro a tornar-se pessoa. No entanto, acredita que “a educação está sem rumo, carece de
estratégia entre nós. Aposta-se no que é quantitativo em prejuízo do que é qualitativo. A disciplina
escolar deixa muito a desejar e impera o facilitismo. O problema da educação não é solucionável
fora da resolução de todos os outros problemas sociais. É integralmente sistémico”. O ex-Reitor
lembrou os riscos e as vantagens de uma educação globalizada e defende que “deve gerir-se cui-
dadosamente a globalização. A educação deve representar o esforço da humanidade para a sua
dignificação. A vida dos Homens deve ser verdadeiramente humana e não o está a ser”.
Chris Gerry, presidente da Escola de Ciências Humanas e Sociais da UTAD apresentou aos
rotários alguns dos princípios da cooperação: “Coopera-se através da partilha altruística e harmo-
niosa de recursos, activos, competências e /ou oportunidades. Cooperação é complicada, com-
plexa, contraditória”.
Convenção 2013 em Lisboa
O último dia da Conferência ficou marcado pela apresentação dos participantes do IGE, pela
aprovação da Comissão de Auditoria no âmbito do Plano Visão do Futuro através de Álvaro Go-
mes, pela apresentação, discussão e votação das contas da Governadoria 2008-09 (PGD Henri-
que Maria Alves), e apresentação da Convenção de 2013 em Lisboa.
Visita à Universidade Sénior do Rotary Club de Chaves
LUÍS GIAYSURPREENDIDOCOM O PROJECTODASUNIVERSIDADES SENIORES
Luis Vicente Giay, representante do Presidente de Rotary Internacional na Conferência do
Distrito 1970, foi conhecer a Universidade Sénior de Chaves, a primeira criada no país. Depois de
três dias em Vila Real, o Argentino que também já foi Presidente de Rotary Internacional, visitou
as futuras instalações da Universidade que terá três salas de aulas, uma sala de artes, biblioteca
e um auditório para 100 pessoas. A sede do Clube também passará a ser nestas instalações. No
edifício actual, Luís Vicente Giay, acompanhado do Governador Manuel Cordeiro, assistiu a uma
aula de Espanhol, durante a qual os alunos entoaram a canção Llorona, muito popular na Argen-
tina, em homenagem ao visitante.
Luís Vicente Giay ficou muito surpreendido com o que viu, especialmente pelos “olhos de sa-
tisfação” que identificou nos alunos. Agradeceu ainda pela oportunidade de visitar um projecto
que considerou ser muito especial, um dos projectos “mais lindos” que já viu em toda a sua longa
vida de rotário.
O representante do Presidente de RI assistiu ainda a uma reunião do Clube de Chaves. Para ho-
menagear Luís Giay, o Clube descerrou uma placa comemorativa da sua visita que tinha gravado
o lema do ano em que foi Presidente de Rotary Internacional o que, para Manuel Cordeiro, foi um
gesto “nobre e oportuno”.
Seguiu-se uma visita à Câmara Municipal, onde a comitiva foi recebida pelo presidente João
Batista, sócio honorário do Clube. “Num gesto inesquecível, o companheiro Luís Vicente Giay re-
tirou da sua lapela o pin de Rotary e colocou-o na lapela do edil, simbolizando com este gesto o
agradecimento a esta Câmara e a todas as que pelo Distrito fora são parceiras dos Rotary nestes
e noutro projectos”, defende Manuel Cordeiro.
JUNHO
MENSAGEM DO PRESIDENTE DE RI
Caros rotários:
Em Fevereiro, participei da comemoração do 100º aniversário do Rotary Club de St. Paul,
nos Estados Unidos. Depois do jantar naquela noite, uma moça se aproximou e me perguntou:
“De tudo o que o senhor presenciou durante este ano no Rotary, o que foi mais marcante?”
Para uma pergunta tão simples como essa, foi praticamente impossível encontrar uma
resposta, já que houve muitas coisas que me emocionaram e me deixaram orgulhoso. Estes
últimos 12 meses me deram a oportunidade e o privilégio de observar em primeira mão a mag-
nitude de nosso serviço e testemunhar como ele transforma a vida das pessoas.
Uma coisa é ver fotografias da devastação causada pelo terramoto no Haiti em Janeiro.
Outra sensação completamente diferente foi a de andar em meio aos destroços, ver os prédios
destruídos e entender que o verdadeiro impacto da tragédia jamais será compreendido.
Em Banda Aceh, na Indonésia, onde o Rotary tem ajudado na reconstrução da cidade atin-
gida pelo tsunami de 2004, eu achei que pudesse entender a extensão do desastre antes de
minha visita. Mas eu não estava preparado para ver um navio cargueiro que tinha sido arremes-
sado a mais de 3 quilómetros da costa pelo tsunami.
Na China, num orfanato financiado pelo Rotary, ao segurar uma menininha de 2 meses que
tinha sido abandonada em um trem, percebi que aquilo que o Rotary oferece ao orfanato – comi-
da, agasalhos, uma casa limpa e segura – era só uma parte do necessário. O que aquela criança
queria, naquele momento, era simplesmente ser segurada por alguém e se sentir amada. E isso
me emocionou muito.
Há muito que podemos fazer como rotários que significará o mundo para as pessoas. As-
sim como é importante oferecer assistência material – para ajudar nas áreas relacionadas a
recursos hídricos, saúde e combate à fome e alfabetização – é igualmente vital que ajudemos
os outros “de coração”.
Ao nos aproximarmos do final deste ano rotário e de meu mandato como presidente do RI,
gostaria de agradecer a todos vocês por seu trabalho e dedicação. Foi uma honra servir como
presidente e lembrá-los de que O Futuro do Rotary Está em Suas Mãos.
John Kenny
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) companheiros(as)
Esta é a última Mensagem que vos dirijo, na qualidade de Governador do nosso Distrito. Con-
fesso que, apesar de muito cansativo, foi um ano em que me senti mais rotário do que nunca.
Houve momentos que me marcaram para o resto da minha vida.
O papel dos jovens mereceu da minha parte uma atenção especial. O seu trabalho assim o
exigia. Os resultados por eles obtidos justificam que os apoiemos com acções concretas. Foi
isso o que durante este ano fiz.
A presença do companheiro Luis Vicente Giay na nossa Conferência, na qualidade de Repre-
sentante do nosso Presidente, John Kenny, foi a cereja em cima do bolo, no nosso ano rotário.
As suas palavras de admiração e incentivo pelo trabalho desenvolvido pelos mais jovens, mos-
tram que apostar neles é apostar em acções concretas, em projectos simples, mas de grande
alcance social.
Na Nossa Conferência tivemos, mais uma vez, a prova de que eles nos dão a garantia de
que o Futuro de rotary está em Boas Mãos. As palavras de carinho com que a Maria Antónia se
dirigiu aos companheiros presentes para colaborarem com o INTERACT, comprando os quadros
que eles, com a ajuda das instituições que apoiam, fizeram com muito amor e empenho, cala-
ram muito fundo no meu coração. Estou certo de que o mesmo aconteceu com eles.
Há muitas imagens que ficarão na minha retina para sempre, mas entre elas destaco a
do Presidente do Rotary Kids do clube de Estarreja, o companheiro António Melo, quando lhe
entreguei o certificado de fundação do seu clube. Mostrou quão importante foi para ele aquele
momento. De grande responsabilidade, é certo, mas de esperança no seu trabalho com a ajuda
dos restantes membros do clube. Retenho também a presidente do Rotary Kids Club de Santo
Tirso, a companheira Maria João que, num momento em que nos cruzámos num evento rotário,
à minha pergunta sobre quem era a menina que a acompanhava me respondeu, com orgulho e
alegria bem estampada no seu rosto, é a minha Vice-presidente.
Nunca mais esquecerei o trabalho dos cônjuges. Que grande serviço prestam aos clubes e
ao Distrito.
A todos os companheiro peço que continuem a Servir Rotary.
Aceitem um abraço do companheiro e amigo
Manuel Cordeiro
A SHELTERBOX E O ROTARY
A ShelterBox, apareceu há 10 anos, atravéz da ideia dum companheiro do RC de Helston, cidade
do Sudoeste de Inglaterra, na Cornualha.
Sendo o Povo Inglês reconhecido pela sua filantropia, que desde a escola primária é ensinado
ás crianças o Valor de ajuda Humana, rapidamente a ideia se foi propogando e arranjando apoios
um pouco por todo o País, atravéz duma rede de voluntários de Rotary Clubs.
Com o lamentável crescendo de calamidades naturais e outras provocadas pelo Homem, a
ShelterBox ganhou por mérito próprio reconhecimento internacional, e o grave terramoto no Haiti,
mostrou a sua capacidade de organização e resposta, com a chegada ao Haiti de cerca de 750
caixas, menos de 48H depois do incidente, tendo a cidade de Helston, em peso apoiado de forma
voluntária, a preparação e despacho, com a juda da Força Aérea Francesa e Inglesa.
Hoje no Haiti, mais de 200.000 pessoas vivem com um mínimo de Dignidade, Calor Humano e
Abrigo ( LEMA da SheletrBox), com cerca de 20.000 caixas já entregues
Em Portugal, a Associação ShelterBox Portugal, teve o seu nome aprovado no inicio do mês
de Junho e no mês de Julho faremos o registo notarial, de modo a legalizar-mos a Associação
de forma definitiva, com o apoio de companheiros dos R.C’s da Maia, Águas Santas/Pedrouços e
Estoi Palace do Algarve.
O conteúdo duma ShelterBox é composto por uma tenda para 10 pessoas, trem de cozinha,
fogão, ferramentas, material para tratamento de água, cobertores, mantas e material didáctico
para crianças.
Pode ajudar divulgando e apoiando esta Causa.
Para mais informações, pf contacte provisóriamente : serafim.santos@netcabo.pt, ou veja o site:
www.shelterbox.org
Serafim Santos – Presidente fundador do RC da Maia.
Rotários promoveram debate sobre interioridade
CAMINHOS PARA O INTERIOR EM DEBATE EM MOGADOURO
No dia 19 de Junho Rotary debateu a questão
da Interioridade no Fórum “Quando os desafios são
oportunidades”. A Casa da Cultura, em Mogadouro,
foi o palco escolhido pela organização para receber
os vários oradores convidados.
António Morais Machado, presidente da Câmara de
Mogadouro, lembrou que “a palavra interioridade tem
que se lhe diga, nomeadamente para o concelho”. Fe-
liz e honrado por receber os rotários em Mogadouro,
mostrou a importância do tema do Fórum lembrando
que “não nos faltam infra-estruturas, os equipamen-
tos, as actividades. Falta-nos gente. Por isso quando
há eventos como este que trazem pessoas ficamos
muito contentes”.
Manuel Cordeiro, Governador rotário natural de
Mogadouro, justificou a realização do Fórum pelo
facto de o “Rotary está atento ao que se passa à sua
volta e aos problemas e necessidade das comuni-
dades. E a interioridade cumpre estes requisitos, pri-
meiro porque quem aqui vive tem o direito a ter as
mesmas condições de vida, e segundo porque temos
que mostrar que viver no interior também tem algu-
mas vantagens”.
Alexandre Parafita, escritor e investigador, falou
em Mogadouro sobre turismo cultural e lugares de
memória: “O turismo cultural vem-se afirmando cada
vez mais no mercado globalizado, reveste-se de di-
mensões inovadoras de aproveitamento dos lugares
de memória, em especial aqueles que se relacionam
com os mitos ancestrais do imaginário das comuni-
dades. Daí que o desafio de hoje seja potenciar todo
este património como oferta de turismo cultural de
qualidade e permitir que o mesmo constitua um for-
te estímulo para as comunidades, transformando os
bens respectivos em factor activo de auto-estima e
de defesa da identidade”. Sobre as vantagens dos
recursos energéticos falou António Machado Moura,
que lamentou a saída de jovens formados para ou-
tras paragens porque não encontram no interior con-
dições para exercer a sua profissão. Para o professor
catedrático, Mogadouro “é uma zona muito favorável
no que diz respeito ao sol, tem médias anuas na casa
das 2800 horas, o que aponta para a utilização do sol
como uma das fontes de energia a privilegiar. Há
quatro factores que podiam ser considerados: a hí-
drica de pequena potência, a energia éolica (mesmo
não sendo o local ideal), e especialmente a energia
solar e a biomassa. Esta última parece-me uma via
estratégica para este concelho. Parece ser um cami-
nho a chamar jovens diplomados a ficarem por cá”.
João Alberto Sobrinho comparou o acesso à Uni-
versidade, em tempos, a uma carta de alforria. Jus-
tifica assim que Portugal tenha passado de 40 mil
para 400 mil alunos. Qualificação e expansão são
palavras de ordem para o presidente do Instituto Po-
litécnico de Bragança: “A nossa juventude deve ter
uma atitude cada vez mais pró-activa em relação ao
mercado de trabalho nacional e internacional. Temos
ensino superior a mais, mas a qualificação é muito
importante”. Carlos Brito, ex-Ministro da Defesa e ex-
Governador Civil do Porto defende a regionalização
como uma das soluções para os problemas do inte-
rior. Em Mogadouro começou por dizer que “o Rotary
é um exemplo da regionalização: tem dois distritos
no país que acabam e começam em Leiria, a divisão
natural do país, tudo é diferente para lá de Montejun-
to-Estrela”. Se, “na história Portugal sempre foi um
povo do litoral”, Carlos Brito gostari a que o interior
“não fosse oco, que tivesse mais gente, e é a isso que
se chama desenvolvimento: por um lado a procura da
mudança e inovação, por outro lado acabar com a
disparidade e promover a igualdade”. O ex-Ministro
lançou ainda uma questão mas deu a resposta: “Será
que o modelo de desenvolvimento do interior deve
ser o mesmo do litoral? O que está aqui em causa é
apenas o modelo, porque o interior não devia viver no
modelo do litoral”.
Manuel Cordeiro – balanço do ano rotário
A RESPOSTA DADA PELOS CLUBES À TRAGÉDIA QUE SE ABATEU
SOBRE O HAITI E A MADEIRA FOI EXEMPLAR
Que actividades no Distrito destaca no ano
da sua Governadoria?
Foram muitas as actividades desenvolvi-
das neste ano rotário. Os clubes concentraram
a sua acção mais no apoio às populações das
localidades onde estão inseridos. Destacaria
as centenas de bolsas que atribuíram a jovens
estudantes dos vários ramos de ensino e de
cabazes de alimentos que distribuíram pelas
famílias mais necessitadas.
No que respeita a Projectos de Subsídios
Equivalentes aprovados e em implementação,
o Distrito tem nove, dos quais 6 são da minha
responsabilidade, enquanto governador. De en-
tre todos destaco o das Escolinhas do Niassa,
em Moçambique, Cabazes de Alimentos e Fral-
das para idosos e bebés, ambos com o apoio
financeiro dos cônjuges do Distrito. Temos
também um projecto destinado ao ROTARACT
e INTERACT. A Cegueira Evitável merece tam-
bém a nossa atenção, havendo dois projectos
com a participação de clubes do Distrito.
A resposta dada pelos nossos clubes à tra-
gédia que se abateu sobre o Haiti e a Madeira
foi exemplar. Sinto um grande orgulho por ser
Governador de um Distrito com tais clubes.
Organizaram-se eventos que deram grande
visibilidade ao movimento rotário português,
destacando a colaboração com a Liga Portu-
guesa de Futebol Profissional e a Gala no Casi-
no da Póvoa. O que os clubes fizeram foi muito
e não cabe numa entrevista como esta.
Quase a terminar o ano rotário, que balanço
faz do seu papel enquanto Governador?
O balanço que faço é muito positivo. A em-
patia que eu e a Maria Antónia conseguimos
ter com os companheiros e cônjuges dos vários
clubes, foi um trunfo muito importante nos re-
sultados obtidos neste ano rotário. Apesar de
os meus Presidentes serem muito diferentes
uns dos outros, estou certo de que em cada um
deles consegui fazer um amigo. Considero que
o papel de Governador exige de nós que seja-
mos compreensivos em cada momento de con-
tacto com os clubes. Que saibamos ouvir.
Que conselhos deixa aos próximos Gover-
nadores?
Mesmo considerando que não devo dar con-
selhos aos companheiros que servirão o Distri-
to após este ano, posso dizer que o que mais
contribuiu para os resultados obtidos foi o fac-
to de eu e a Maria Antónia nos termos sempre
apresentado como pessoas simples e iguais aos
companheiros e companheiras dos 85 clubes
que visitámos. Sempre fiz questão de ser um
companheiro com outro qualquer, este ano com
mais responsabilidades e nada mais. Considero
mesmo que neste nosso comportamento esteve
o “segredo” de algum sucesso que conseguimos
ter. O cumprimento dos horários de chegada
aquando das visitas aos clubes foi por nós cum-
prido em mais de 80% das visitas. Quisemos com
isso dar um sinal de respeito para com quem nos
recebeu e passar a ideia de responsabilidade.
Transmissão de Tarefas 2010
MANUEL CORDEIRO: ESTAREI SEMPRE DO LADO DA SUA SOLUÇÃO
No dia 3 de Julho o Distrito 1970 passou a
ter um novo líder. Armindo Carolino sucedeu a
Manuel Cordeiro numa cerimónia de transmis-
são de tarefas que decorreu em Pombal. Cerca
de 200 rotários de mais de 45 clubes marcaram
presença num evento recheado de surpresas e
de palavras de ordem. Manuel Cordeiro fez o
seu último discurso como Governador:
“As minhas primeiras palavras são para o
companheiro Armindo Carolino que a partir de
hoje passa a ser o nosso Governador e para
a Gina, sua esposa, que o acompanhará na
caminhada que durará um ano. Eu e a Maria
Antónia desejamo-vos tudo de bom. O caminho
não é fácil. No entanto considero-vos capazes
de vencer os obstáculos que vos vão aparecer
pelo caminho. Alguns, já previsíveis, resultan-
tes do exercício das tarefas que hoje vos são
confiadas. Esses, estamos certos, ultrapassá-
los-eis pois reconheço-vos vontade, determina-
ção e capacidade suficientes para o conseguir.
Os outros, os imprevisíveis, espero que sejam
poucos. Quantos menos melhor. Ultrapassá-
los-eis também certamente.
Em quaisquer circunstâncias podeis con-
tar comigo e com a Maria Antónia. Sempre que
achardes que o nosso contributo possa contri-
buir para facilitar o vosso desempenho podeis
contar connosco. Uma certeza vos dou. Nunca
estarei do lado da criação de problema. Estarei
sempre do lado da sua solução.
Eu e a Maria Antónia terminamos aqui o ano
em que tivemos responsabilidades acrescidas
no nosso Distrito. Estamos de consciência tran-
quila. Tudo fizemos, repito tudo fizemos, para
dignificar o nosso Distrito. Pusemos no exercício
das tarefas que há um ano nos foram confiadas,
todo o nosso vigor, o nosso saber, a nossa de-
terminação. Tive a sorte de ter um conjunto de
Presidentes de grande consciência rotária. Só
com a sua ajuda foi possível chegar aqui com a
concretização de boa parte dos objectivos que
tracei no início do ano. Sem dúvida que forma-
mos uma verdadeira equipa. Estou certo de que,
tal como eu, eles se sentem com a consciência
do dever cumprido. A todos e todas o meu muito
obrigado. O distrito conta convosco.
Não pretendo fazer um balanço daquilo que
foi o ano rotário. Já o fiz na Conferência Dis-
trital, em Vila Real. Hoje devemos concentrar-
nos todos no próximo ano que começou dia
1. Exorto todos os rotários do nosso Distrito a
disponibilizarem-se no sentido de criar as con-
dições necessárias para que o nosso Governa-
dor Armindo Carolino atinja todos os objectivos
que traçou para a sua Governadoria.
Por mim passei a ser um simples rotário,
membro do Rotary Club de Vila Real. Nessa
qualidade serei o representante do clube à
Rotary Foundation. O que prometi ao meu pre-
sidente foi que cumprirei rigorosamente essa
tarefa. Termino com uma palavra de esperança
para o nosso Governador Armindo Carolino e
para a Gina. As exigências da tarefa de Go-
vernador são muitas. Muitas viagens de noite,
muitas visitas, muitas intervenções, enfim, mui-
tos momentos de cansaço. No entanto se tiver-
mos a convicção de que estamos a ser úteis
tudo se torna mais fácil. Não tenho dúvidas que
isso acontecerá convosco.
Em meu nome no da Maria Antónia desejo-vos,
uma vez mais, as maiores felicidades para o de-
sempenho das tarefas que o Distrito vos confiou”.
MENSAGENS
FINAIS
MENSAGEM DO GOVERNADOR
Caros(as) Presidentes 2009-2010
Passados alguns dias do final do ano rotário em que tivemos responsabilidades de liderança
no nosso Distrito e nos nossos clubes, venho compartilhar convosco os resultados que obtive-
mos e que muito me orgulham.
Foi um ano vivido com muita intensidade por todos. As actividades que foram desenvolvidas
pelos clubes levam-me a repetir as palavras que já disse publicamente várias vezes: tive o
privilégio de ter um conjunto de Presidentes de grande valor e consciência rotária. Só assim
foi possível não só atingir os objectivos que propus no início, mas ultrapassá-los. A crise que
se fez sentir durante todo o ano rotário não foi suficiente para vencer a vontade de todos em
dignificar os clubes, o Distrito e o movimento rotário português.
As contribuições para a Rotary Foundation chegaram aos 226 866 USD, dos quais 114 184
para o Fundo Anual de Programas e cerca de 52 000 para a Erradicação da Pólio. Os restantes
foram comparticipações para Projectos de Subsídios Equivalentes.
Muito significativo foi o facto de os clubes contribuintes terem sido 60 o que representa 70 %
do total dos clubes do Distrito.
Termino o ano convicto de que formámos uma família. Da minha parte e da Maria Antónia
sentimo-nos sempre em casa, aquando das visitas oficiais que fizemos aos clubes. Fomos
sempre recebidos com muito carinho. O nosso bem haja a todos.
As minhas últimas palavras vão para os Cônjuges. O contributo que deram para os resultados
obtidos foi muito importante, diria mesmo, decisivo. O meu agradecimento a todos e todas pelo
empenho que puseram no projecto que a Maria Antónia propôs.
Termino com palavras de esperança no futuro. Peço-vos que colaboreis todos os anos nos
vossos clubes com a vontade com que o fizestes este ano.
Aceitem um abraço do companheiro e amigo,
Manuel Cordeiro
MENSAGEM DA MARIA ANTÓNIA
Caras Amigas
Eis-nos chegadas às férias e com elas o tão merecido descanso depois de um ano de tra-
balho.
Como tal, não poderia deixar de vos dirigir umas palavras desejando umas boas férias e
agradecer a todas a contribuição que deram para que o nosso projecto tivesse chegado ao fim
com o sucesso que todas desejávamos.
Assim,
- realizámos o sonho de crianças e adolescentes do IPO, Porto
- construímos e equipámos várias Escolinhas Comunitárias em Moçambique
- ajudámos a ACIAJF – Associação Católica Internacional ao Serviço da Juventude Femini-
na,
- distribuímos mais de 1000 pacotes de fraldas para bebés e para idosos
Tanta coisa que fizemos com o nosso trabalho!
Todas nos devemos sentir orgulhosas do nosso esforço.
Um muito obrigada a todas do fundo do coração.
Um até breve da amiga,
Maria Antónia
SUBSCRIÇÕES
E
FREQUÊNCIAS
CONTRIBUIÇÕES DOS CLUBES
PARA A FUNDAÇÃO ROTÁRIA PORTUGUESA
Porto Antas ______________ 300 euros
Trancoso_________________300 euros
Covilhã__________________300 euros
Seia____________________150 euros
Ovar___________________300 euros
Vale de Cambra ____________300 euros
Valpaços_________________300 euros
Vizela__________________300 euros
Trofa___________________300 euros
Arouca__________________200 euros
Amarante________________300 euros
Senhora da Hora____________300 euros
Cinfães__________________100 euros
Montemor-o-Velho___________300 euros
Porto Douro_______________300 euros
Caldas das Taipas___________300 euros
Porto___________________300 euros
Ponte da Barca_____________150 euros
Guarda__________________300 euros
Cúria Bairrada_____________200 euros
Águeda__________________150 euros
Oliveira do Bairro____________300 euros
Sever do Vouga_____________150 euros
Aveiro__________________300 euros
Coimbra_________________300 euros
Esposende________________300 euros
Fafe____________________300 euros
Figueira da Foz_____________300 euros
Leça da Palmeira____________300 euros
Viseu___________________300 euros
Famalicão________________300 euros
Resende_________________300 euros
Vila Verde________________300 euros
Penafiel_________________300 euros
São Mamede de Infesta________300 euros
Gondomar________________300 euros
Oliveira do Hospital__________150 euros
Guimarães________________600 euros
Caminha_________________300 euros
Mirandela________________300 euros
Porto-Oeste_______________300 euros
Ermesinde________________300 euros
Braga Norte_______________300 euros
Castelo de Paiva____________150 euros
Espinho_________________200 euros
Valongo_________________200 euros
Gaia Sul_________________300 euros
Barcelos_________________300 euros
Coimbra Santa Clara__________300 euros
Paredes_________________300 euros
Vila Nova de Gaia___________300 euros
Leiria___________________300 euros
Murtosa_________________150 euros
Estarreja_________________300 euros
Ponte de Lima______________250 euros
Oliveira de Azeméis__________300 euros
Maia___________________300 euros
Águas Santas______________300 euros
Valença_________________300 euros
Monção_________________150 euros
Pombal__________________400 euros
Mangualde________________250 euros
Viana do Castelo____________500 euros
Régua__________________150 euros
Lamego_________________150 euros
Ansião__________________300 euros
Marinha Grande_____________300 euros
Felgueiras________________150 euros
Póvoa de Varzim____________300 euros
Vila do Conde______________300 euros
São João da Madeira_________100 euros
Tondela_________________300 euros
Santo Tirso_______________300 euros
Póvoa de Lanhoso___________300 euros
Vila Real_________________300 euros
S
ó
c
i
o
s









R
I
e
m

R
I
A
d
m
D
e
m
J
U
L
R
A
G
O
R
S
E
T
R
O
U
T
R
N
O
V
R
D
E
Z
R
J
A
N
R
F
E
V
R
M
A
R
R
A
B
R
R
M
A
I
O
R
J
U
N
H
O
R
M
A
P
M
A
S
Á
g
u
a
s

S
a
n
t
a
s
Ͳ
P
e
d
r
o
u
ç
o
s
2
1
6
0
,
9
1
5
6
5
,
9
1
2
5
3
,
4
1
4
5
9
,
0
9
4
5
2
,
3
8
4
5
5
,
5
6
3
4
6
,
4
3
4
5
5
,
7
0
5
6
,
2
4
Á
g
u
e
d
a
2
4
7
8
,
0
0
5
4
7
,
0
0
1
7
2
,
0
0
5
7
8
,
0
0
5
6
6
,
0
0
4
8
4
,
0
0
4
7
1
,
0
0
4
7
4
,
0
0
4
6
9
,
0
0
4
7
3
,
4
2
7
1
,
0
0
A
m
a
r
a
n
t
e
1
8
6
8
,
0
0
4
3
0
,
0
0
2
6
2
,
0
0
4
7
1
,
0
0
3
5
4
,
0
0
5
5
2
,
0
0
4
6
3
,
0
0
4
6
5
,
0
0
4
6
3
,
0
0
5
5
8
,
0
0
3
6
3
,
0
0
5
6
0
,
1
6
5
9
,
0
0
A
n
s
i
ã
o
2
1
5
6
,
0
0
4
5
0
,
0
0
5
5
2
,
0
0
4
5
1
,
0
0
4
4
9
,
0
0
5
5
7
,
0
0
4
5
2
,
0
0
4
6
3
,
0
0
4
5
1
,
0
0
5
5
9
,
0
0
4
5
3
,
7
2
5
4
,
0
0
A
r
o
u
c
a
1
5
A
v
e
i
r
o
4
0
6
6
,
0
0
4
4
4
,
0
0
5
6
4
,
0
0
4
6
7
,
0
0
4
6
0
,
0
0
5
4
7
,
0
0
4
7
0
,
0
0
4
4
8
,
0
0
3
4
5
,
0
0
5
5
5
,
0
0
3
4
8
,
0
0
5
5
8
,
0
0
4
5
5
,
6
4
5
6
,
0
0
B
a
r
c
e
l
o
s
2
7
7
2
,
0
0
4
6
0
,
0
0
2
6
8
,
0
0
5
7
4
,
0
0
4
6
4
,
0
0
4
6
2
,
0
0
3
7
0
,
0
0
3
5
8
,
0
0
3
6
5
,
0
0
4
5
7
,
0
0
4
6
5
,
5
0
6
5
,
0
0
S
ó
c
i
o
s

e

F
r
e
q
u
ê
n
c
i
a

2
0
0
9

/

2
0
1
0
R
O
T
A
R
Y

C
L
U
B

F
r
e
q
u
ê
n
c
i
a

%
B
a
r
c
e
l
o
s
2
7
7
2
,
0
0
4
6
0
,
0
0
2
6
8
,
0
0
5
7
4
,
0
0
4
6
4
,
0
0
4
6
2
,
0
0
3
7
0
,
0
0
3
5
8
,
0
0
3
6
5
,
0
0
4
5
7
,
0
0
4
6
5
,
5
0
6
5
,
0
0
B
r
a
g
a
2
7
4
7
,
0
0
4
4
4
,
5
0
2
4
6
,
2
0
5
4
9
,
0
0
4
5
0
,
0
0
4
5
2
,
0
0
3
4
7
,
0
0
4
3
9
,
0
0
3
4
5
,
0
0
5
4
6
,
0
0
4
4
6
,
6
8
4
6
,
5
7
B
r
a
g
a
Ͳ
N
o
r
t
e
2
7
B
r
a
g
a
n
ç
a
2
2
5
0
,
0
0
4
2
0
,
0
0
3
4
6
,
0
0
4
5
0
,
0
0
4
4
6
,
0
0
4
4
2
,
0
0
3
4
8
,
7
5
4
4
1
,
2
5
4
4
5
,
0
0
5
4
5
,
0
0
4
3
6
,
1
9
4
4
0
,
9
5
5
4
3
,
0
9
4
2
,
6
0
C
a
l
d
a
s

d
a
s

T
a
i
p
a
s
2
0
7
9
,
0
0
4
5
0
,
0
0
4
6
0
,
0
0
5
7
7
,
5
0
4
7
0
,
0
0
4
8
3
,
0
0
1
7
2
,
5
0
4
6
0
,
0
0
3
7
5
,
0
0
5
6
7
,
5
0
4
6
8
,
5
3
6
9
,
4
5
C
a
m
i
n
h
a
1
5
7
3
,
3
3
3
5
4
,
0
7
3
4
4
,
0
3
4
5
0
,
9
5
4
6
2
,
2
3
3
6
3
,
8
8
4
6
1
,
2
8
4
4
0
,
0
5
2
4
0
,
2
8
4
6
4
,
4
0
4
6
8
,
9
0
4
5
4
,
7
0
5
5
6
,
7
6
5
6
,
5
1
C
a
s
t
e
l
o

d
e

P
a
i
v
a
1
9
4
3
,
7
0
5
4
0
,
0
0
4
3
5
,
0
0
4
3
5
,
0
0
4
4
0
,
0
0
4
5
0
,
0
0
3
4
8
,
0
0
4
6
2
,
0
0
4
4
2
,
0
0
4
4
8
,
0
0
4
5
2
,
0
0
4
4
8
,
0
0
1
4
4
,
9
9
4
5
,
3
1
C
h
a
v
e
s
2
7
C
i
n
f
ã
e
s
1
3
2
2
4
0
,
0
0
3
4
0
,
0
0
2
4
0
,
0
0
3
5
5
,
0
0
4
5
5
,
0
0
4
5
4
,
0
0
3
3
8
,
0
0
3
2
8
,
0
0
2
3
7
,
0
0
3
4
4
,
5
9
4
3
,
0
0
C
o
i
m
b
r
a
5
2
5
6
,
0
0
0
,
0
0
4
0
,
0
0
3
2
,
0
0
3
2
,
0
0
C
o
i
m
b
r
a
Ͳ
O
l
i
v
a
i
s
3
7
1
3
8
,
4
6
2
0
,
0
0
2
5
8
,
9
7
2
5
5
,
1
3
2
4
6
,
1
5
2
5
6
,
4
1
2
5
5
,
5
6
2
4
8
,
6
0
2
4
7
,
2
2
2
5
0
,
0
0
2
4
5
,
6
5
4
6
,
6
5
C
o
i
m
b
r
a
Ͳ
S
a
n
t
a

C
l
a
r
a
1
9
3
5
0
,
0
0
4
0
,
0
0
0
5
2
,
5
0
4
5
2
,
5
0
4
5
3
,
3
3
3
6
3
,
5
0
4
6
0
,
0
0
5
5
8
,
2
0
4
5
0
,
0
0
5
5
5
,
0
5
4
8
,
8
9
C
o
v
i
l
h
ã
2
4
8
1
,
8
1
5
6
3
,
6
3
4
7
2
,
7
2
5
8
6
,
3
6
4
6
8
,
1
8
4
7
4
,
7
9
7
4
,
5
4
C
i
B
i
d
7
1
0
0
3
3
0
0
0
1
4
2
5
0
4
2
8
0
0
1
6
8
0
0
4
2
6
0
0
2
4
3
2
5
4
2
8
0
0
3
3
5
0
0
4
5
5
0
0
4
3
9
5
0
4
4
2
9
4
2
3
9
C
u
r
i
a
Ͳ
B
a
i
r
r
a
d
a
2
1
7
1
,
0
0
3
3
0
,
0
0
1
4
2
,
5
0
4
2
8
,
0
0
1
6
8
,
0
0
4
2
6
,
0
0
2
4
3
,
2
5
4
2
8
,
0
0
3
3
5
,
0
0
4
5
5
,
0
0
4
3
9
,
5
0
4
4
5
,
2
9
4
2
,
3
9
E
r
m
e
s
i
n
d
e
2
3
8
1
,
2
5
4
5
5
,
6
5
5
8
5
,
8
7
4
8
5
,
5
1
3
8
2
,
6
1
4
8
1
,
8
2
4
8
2
,
8
6
4
8
9
,
6
0
3
8
5
,
6
0
4
1
0
0
,
0
0
3
6
9
,
9
2
5
9
3
,
2
5
4
8
1
,
4
1
8
2
,
8
3
E
s
p
i
n
h
o
1
8
3
4
,
5
0
2
0
,
0
0
4
0
,
0
0
3
0
,
0
0
2
4
,
0
0
4
7
,
5
0
7
0
,
5
8
4
6
9
,
0
0
4
5
2
,
0
0
5
6
2
,
9
5
4
3
,
0
6
E
s
p
o
s
e
n
d
e
2
2
3
8
,
2
5
5
3
3
,
8
2
4
5
9
,
4
9
4
5
8
,
3
3
5
6
5
,
5
4
4
5
6
,
2
5
3
6
3
,
5
7
4
5
8
,
4
8
3
5
8
,
9
0
5
5
6
,
5
8
6
6
,
0
1
4
5
5
,
5
0
5
5
,
9
3
E
s
t
a
r
r
e
j
a
3
1
8
7
,
6
8
4
6
0
,
0
0
3
7
2
,
0
0
4
8
4
,
0
0
5
9
3
,
0
0
4
6
0
,
0
0
3
7
3
,
0
0
4
5
4
,
0
0
4
6
1
,
0
0
4
6
6
,
0
0
4
7
7
,
0
0
4
7
2
,
4
4
7
1
,
6
1
F
a
f
e
3
3
5
3
,
6
8
4
3
4
,
0
9
4
5
5
,
8
8
5
5
3
,
6
8
4
6
1
,
7
6
4
6
0
,
7
8
3
5
8
,
8
2
4
5
0
,
5
1
3
5
3
,
9
4
5
5
8
,
3
3
4
5
9
,
8
5
4
5
4
,
6
3
5
4
,
6
7
F
e
i
r
a
1
7
5
5
,
3
6
4
8
2
,
1
4
2
7
3
,
2
1
4
6
7
,
8
6
7
0
,
2
4
F
e
l
g
u
e
i
r
a
s
1
9
5
8
,
0
0
4
0
,
0
0
0
5
2
,
0
0
4
6
1
,
0
0
3
4
8
,
0
0
5
7
1
,
0
0
3
6
9
,
0
0
4
6
7
,
0
0
4
6
7
,
0
0
5
5
1
,
0
0
4
6
7
,
0
0
5
6
0
,
8
3
5
5
,
5
5
F
i
g
u
e
i
r
a

d
a

F
o
z
4
1
7
0
,
2
0
5
4
1
,
6
0
4
6
6
,
7
0
4
6
9
,
6
5
5
7
1
,
4
0
4
6
2
,
5
0
3
7
9
,
5
0
4
6
5
,
5
0
4
7
8
,
5
0
4
7
2
,
6
0
5
5
9
,
1
0
4
6
7
,
7
0
1
6
7
,
3
8
6
7
,
0
8
G
a
i
a
Ͳ
S
u
l
2
4
6
5
,
2
1
4
3
6
,
9
5
4
6
4
,
3
4
5
5
9
,
7
7
4
5
9
,
3
7
4
6
5
,
2
2
3
7
1
,
9
0
4
5
6
,
5
2
2
5
8
,
3
5
5
5
6
,
2
6
4
7
6
,
0
6
4
6
1
,
0
3
6
0
,
9
0
G
o
n
d
o
m
a
r
1
9
6
0
,
0
0
4
2
0
,
0
0
2
5
9
,
0
0
5
6
2
,
0
0
4
7
0
,
0
0
4
8
5
,
0
0
1
6
0
,
0
0
3
6
0
,
0
0
3
4
5
,
0
0
5
5
7
,
1
9
5
7
,
8
9
G
u
a
r
d
a
2
7
G
u
i
m
a
r
ã
e
s
3
8
8
2
,
4
0
5
5
2
,
5
0
2
8
1
,
0
4
4
7
8
,
0
3
5
7
7
,
7
8
4
8
1
,
3
0
3
7
7
,
5
0
4
7
7
,
0
0
4
7
0
,
2
5
4
7
0
,
0
0
4
6
4
,
0
0
4
8
3
,
0
0
1
7
5
,
1
0
7
4
,
5
7
G
u
i
m
a
r
ã
e
s
3
8
8
2
,
4
0
5
5
2
,
5
0
2
8
1
,
0
4
4
7
8
,
0
3
5
7
7
,
7
8
4
8
1
,
3
0
3
7
7
,
5
0
4
7
7
,
0
0
4
7
0
,
2
5
4
7
0
,
0
0
4
6
4
,
0
0
4
8
3
,
0
0
1
7
5
,
1
0
7
4
,
5
7
Í
l
h
a
v
o
2
8
5
6
,
0
0
4
3
7
,
0
0
4
6
3
,
0
0
5
5
2
,
0
0
4
5
6
,
0
0
4
5
2
,
0
0
4
5
7
,
0
0
4
5
4
,
0
0
3
5
7
,
0
0
5
5
4
,
0
0
4
5
4
,
0
0
4
5
7
,
0
0
5
5
4
,
3
8
5
4
,
0
8
L
a
m
e
g
o
2
2
5
2
,
7
3
5
3
9
,
7
7
4
5
7
,
9
5
4
6
1
,
8
2
5
5
7
,
9
5
4
6
0
,
6
1
3
4
7
,
7
3
4
5
4
,
0
8
5
4
,
0
8
L
e
ç
a

d
a

P
a
l
m
e
i
r
a
1
4
7
5
,
0
0
4
5
5
,
0
0
5
6
8
,
0
0
4
7
7
,
0
0
4
6
7
,
0
0
5
9
0
,
0
0
2
6
8
,
0
0
4
8
1
,
0
0
3
7
6
,
0
0
5
7
9
,
0
0
3
8
2
,
0
0
4
7
2
,
7
9
7
4
,
3
6
L
e
ç
a

d
o

B
a
l
i
o
2
5
L
e
i
r
i
a
4
7
3
2
,
0
0
3
2
2
,
0
0
3
3
0
,
0
0
3
3
6
,
0
0
3
3
8
.
7
8
4
4
7
,
0
0
3
4
2
,
4
5
5
3
6
,
7
3
4
3
0
,
4
5
6
3
3
,
3
4
4
3
6
,
1
7
4
2
7
,
6
6
4
3
1
,
1
5
3
3
,
9
8
M
a
i
a
2
9
5
7
,
7
3
4
5
0
,
0
0
2
5
0
,
0
0
5
5
2
,
7
8
3
6
8
,
7
5
4
5
9
,
7
2
3
5
0
,
0
0
4
5
8
,
6
7
3
4
2
,
6
1
5
5
5
,
6
8
4
5
4
,
1
9
5
4
,
5
9
M
a
n
g
u
a
l
d
e
2
1
5
8
,
0
9
5
1
9
,
0
4
4
3
6
,
3
6
4
4
9
,
0
0
5
3
8
,
7
5
4
4
8
,
7
5
4
5
2
,
5
0
4
4
2
,
1
6
4
4
2
,
8
5
4
4
6
,
0
3
6
5
0
,
5
8
4
4
4
,
4
9
4
4
,
0
1
M
a
r
i
n
h
a

G
r
a
n
d
e
2
9
5
2
,
0
0
4
3
8
,
0
0
4
4
3
,
0
0
5
5
2
,
0
0
4
4
5
,
0
0
4
5
4
,
0
0
3
4
8
,
0
0
3
4
2
,
0
0
4
5
2
,
0
0
5
4
8
,
0
0
4
4
8
,
0
0
4
4
7
,
3
0
4
7
,
4
5
M
a
t
o
s
i
n
h
o
s
2
5
7
3
,
8
1
4
0
,
0
0
0
8
0
,
9
5
5
7
6
,
4
7
4
7
0
,
5
9
4
8
2
,
3
5
3
7
6
,
4
7
4
7
0
,
0
0
3
6
1
,
0
0
5
6
5
,
0
0
4
7
1
,
0
0
3
7
2
,
5
4
6
6
,
1
5
M
i
r
a
n
d
e
l
a
2
3
M
o
n
ç
ã
o
1
7
3
3
,
7
0
4
1
3
,
0
4
2
3
4
,
7
8
5
3
0
,
4
3
4
3
5
,
7
1
4
1
9
,
0
5
2
4
7
,
0
6
4
3
3
,
0
3
3
0
,
5
4
M
o
n
t
e
m
o
r
Ͳ
o
Ͳ
V
e
l
h
o
2
0
7
6
,
0
0
5
2
,
0
0
6
3
,
0
0
6
6
,
0
0
7
1
,
0
0
6
5
,
6
0
6
5
,
6
0
M
u
r
t
o
s
a
1
9
3
0
,
0
0
4
4
6
,
0
4
1
8
3
,
4
0
2
4
8
,
3
0
5
0
,
6
0
4
1
,
1
0
4
7
,
5
5
4
9
,
9
1
O
l
i
v
e
i
r
a

d
e

A
z
e
m
é
i
s
2
1
8
7
,
0
0
5
7
4
,
0
0
2
8
0
,
0
0
5
6
5
,
0
0
4
7
7
,
0
0
4
8
4
,
0
0
4
8
8
,
0
0
3
7
2
,
0
0
4
6
5
,
0
0
4
7
1
,
0
0
4
7
0
,
0
0
4
6
3
,
0
0
4
7
4
,
7
9
7
4
,
6
7
O
l
i
v
e
i
r
a

d
o

B
a
i
r
r
o
1
5
7
0
,
0
0
4
7
9
,
0
0
1
5
9
,
0
0
5
6
6
,
0
0
4
6
2
,
0
0
4
6
0
,
0
0
3
6
7
,
0
0
4
6
9
,
0
0
3
5
5
,
0
0
5
5
3
,
0
0
4
6
2
,
3
8
6
4
,
0
0
O
l
i
v
e
i
r
a

d
o

H
o
s
p
i
t
a
l
1
5
1
O
v
a
r
2
7
6
5
,
3
2
4
4
0
,
3
8
4
4
4
,
6
1
4
5
9
,
2
2
5
6
1
,
5
3
4
5
2
,
3
0
5
4
9
,
9
9
4
5
8
,
9
7
3
5
1
,
3
6
5
6
0
,
5
7
4
5
4
,
8
9
4
5
4
,
3
6
5
4
,
4
7
P
a
r
e
d
e
s
2
1
4
8
,
0
0
5
3
5
,
0
0
4
5
1
,
3
2
4
5
1
,
5
8
5
7
1
,
0
5
4
6
3
,
1
6
3
5
2
,
6
7
5
3
,
3
5
P
e
n
a
f
i
e
l
2
3
5
9
,
0
0
5
5
0
,
0
0
4
6
3
,
0
0
5
7
2
,
5
0
4
6
5
,
0
0
4
6
1
,
8
2
6
1
,
9
0
P
o
m
b
a
l
3
3
5
1
,
7
2
4
2
6
,
7
2
4
6
0
,
0
0
5
5
0
,
8
6
4
4
4
,
8
3
4
6
4
,
3
7
3
3
8
,
7
9
4
4
8
,
0
3
4
8
,
1
8
P
o
n
t
e

d
a

B
a
r
c
a
1
8
6
5
,
0
0
5
6
2
,
5
0
2
6
0
,
9
4
4
6
7
,
5
0
5
5
7
,
8
1
4
8
3
,
3
3
3
7
1
,
8
8
4
6
0
,
9
4
4
6
5
,
0
0
4
5
7
,
3
3
5
6
1
,
6
6
4
5
6
,
6
6
2
6
4
,
1
4
6
4
,
2
1
P
o
n
t
e

d
e

L
i
m
a
2
6
6
5
,
0
0
4
7
0
,
0
0
5
5
5
,
0
0
3
6
8
,
0
0
4
8
0
,
0
0
5
9
2
,
0
0
2
7
0
,
9
1
7
1
,
6
7
P
o
r
t
o
3
6
3
5
2
0
4
2
0
5
0
4
5
1
1
0
4
6
3
6
0
3
3
2
0
0
5
4
5
5
0
4
4
2
0
0
3
2
4
0
0
4
4
9
0
0
5
1
7
2
0
3
4
3
0
0
5
4
0
0
0
4
3
8
6
2
3
8
5
9
P
o
r
t
o
3
6
3
5
,
2
0
4
2
0
,
5
0
4
5
1
,
1
0
4
6
3
,
6
0
3
3
2
,
0
0
5
4
5
,
5
0
4
4
2
,
0
0
3
2
4
,
0
0
4
4
9
,
0
0
5
1
7
,
2
0
3
4
3
,
0
0
5
4
0
,
0
0
4
3
8
,
6
2
3
8
,
5
9
P
o
r
t
o

A
n
t
a
s
1
9
6
2
,
5
0
4
1
7
,
5
0
2
5
8
,
0
0
5
7
7
,
5
0
4
6
3
,
8
5
4
6
0
,
3
2
3
6
0
,
7
1
4
6
0
,
3
2
3
6
3
,
8
1
5
5
5
,
9
5
4
5
9
,
5
2
4
5
1
,
4
3
5
5
9
,
2
2
5
7
,
6
2
P
o
r
t
o
Ͳ
D
o
u
r
o
3
7
5
0
,
0
0
4
2
6
,
6
6
2
4
1
,
3
3
5
5
8
,
9
2
4
6
4
,
8
1
4
6
9
,
1
4
3
6
8
,
0
0
4
5
6
,
0
0
3
5
7
,
6
0
5
4
7
,
0
0
4
6
4
,
0
0
4
5
6
,
0
0
3
5
5
,
6
1
5
4
,
9
6
P
o
r
t
o
Ͳ
F
o
z
2
1
5
5
,
9
5
4
2
6
,
1
9
4
5
4
,
7
6
5
4
6
,
3
4
4
5
,
6
3
P
o
r
t
o
Ͳ
O
e
s
t
e
2
6
1
4
7
,
2
0
4
2
2
,
0
0
1
4
0
,
0
0
4
5
2
,
0
0
5
4
7
,
4
1
4
5
0
,
5
7
3
4
6
,
5
5
4
5
5
,
3
6
4
4
0
,
0
0
4
4
6
,
6
6
4
4
,
5
7
P
o
r
t
o
Ͳ
P
o
r
t
u
c
a
l
e

N
o
v
a
s

G
e
r
a
2
2
7
1
,
0
0
5
6
4
,
0
0
2
6
0
,
0
0
5
6
8
,
0
0
4
5
9
,
0
0
4
7
6
,
0
0
3
7
5
,
0
0
4
6
4
,
0
0
4
6
3
,
0
0
5
5
3
,
0
0
4
6
5
,
0
5
6
5
,
3
0
P
ó
v
o
a

d
e

L
a
n
h
o
s
o
2
0
7
9
,
0
0
4
3
5
,
0
0
2
6
9
,
0
0
5
5
5
,
0
0
4
6
0
,
0
0
4
6
0
,
0
0
4
7
0
,
0
0
4
8
0
,
0
0
3
8
0
,
0
0
5
6
7
,
1
7
6
5
,
3
3
P
ó
v
o
a

d
e

V
a
r
z
i
m
3
6
6
2
,
9
4
4
4
2
,
3
9
4
6
3
,
8
3
5
6
4
,
8
6
4
6
0
,
6
3
4
5
9
,
9
6
3
6
5
,
9
9
4
6
2
,
3
4
3
5
6
,
9
7
3
5
2
,
5
0
4
6
6
,
8
0
4
4
6
,
0
0
3
5
9
,
1
0
5
8
,
7
7
R
é
g
u
a
1
8
3
8
,
8
9
4
4
5
,
8
3
4
4
2
,
3
6
4
2
,
3
6
R
e
s
e
n
d
e
1
6
4
0
,
0
0
4
3
7
,
5
0
4
4
3
,
7
5
4
4
9
,
5
0
4
6
0
,
9
0
4
5
9
,
5
0
3
5
1
,
6
0
4
6
0
,
4
2
3
5
2
,
5
0
5
5
2
,
1
8
4
4
4
,
2
0
4
5
5
,
0
0
5
5
0
,
3
3
5
0
,
5
9
S
.

J
o
ã
o

d
a

M
a
d
e
i
r
a
2
4
7
0
,
0
0
4
0
,
0
0
0
5
0
,
0
0
5
7
9
,
0
0
4
7
5
,
0
0
4
6
0
,
0
0
3
6
0
,
0
0
3
6
7
,
0
0
3
6
5
,
6
5
5
7
,
6
3
S
.

M
a
m
e
d
e

I
n
f
e
s
t
a
1
9
S
a
n
t
o

T
i
r
s
o
3
2
9
0
,
6
3
4
6
2
,
5
0
2
8
3
,
8
4
5
8
2
,
6
9
4
7
3
,
0
7
4
7
9
,
4
8
3
8
2
,
6
9
4
7
8
,
2
0
4
8
2
,
3
0
5
7
7
,
7
7
4
7
1
,
2
9
4
7
9
,
5
2
7
8
,
5
9
,
,
,
,
,
,
,
,
,
,
,
S
e
i
a
1
9
5
4
,
0
0
4
4
0
,
0
0
4
5
6
,
0
0
5
6
0
,
0
0
4
5
2
,
0
0
4
4
8
,
0
0
3
5
1
,
0
0
4
5
3
,
0
0
4
4
9
,
0
0
5
5
4
,
0
0
4
5
2
,
0
0
4
4
8
,
0
0
5
5
1
,
4
6
5
1
,
4
2
S
e
n
h
o
r
a

d
a

H
o
r
a
3
8
6
2
,
8
0
4
4
0
,
2
8
4
6
3
,
8
9
4
6
3
,
0
0
5
5
9
,
7
2
4
6
4
,
8
1
3
6
1
,
8
1
4
6
3
,
5
7
4
6
5
,
1
5
4
6
0
,
0
0
5
6
0
,
6
1
4
6
4
,
5
8
3
6
0
,
7
2
6
0
,
8
5
S
e
v
e
r

d
o

V
o
u
g
a
2
6
6
2
,
0
0
5
5
8
,
0
0
4
5
7
,
0
0
4
5
9
,
0
0
5
6
2
,
0
0
4
7
0
,
0
0
3
5
9
,
0
0
4
5
7
,
0
0
4
5
6
,
0
0
4
6
4
,
0
0
4
6
2
,
0
0
4
6
9
,
0
0
2
6
0
,
7
0
6
1
,
2
5
T
o
n
d
e
l
a
1
7
7
6
,
4
7
3
7
9
,
4
1
4
7
7
,
6
5
5
7
0
,
5
9
4
7
0
,
5
9
4
6
4
,
7
1
2
4
0
,
0
0
4
6
0
,
7
8
3
6
3
,
0
0
5
7
2
,
0
6
4
6
7
,
6
5
4
7
2
,
9
4
5
6
8
,
3
0
6
7
,
9
9
T
r
a
n
c
o
s
o
3
1
6
4
,
9
0
5
6
8
,
5
5
4
6
1
,
2
9
5
4
7
,
5
8
4
5
4
,
8
4
4
5
2
,
2
6
5
4
9
,
1
9
4
4
5
,
9
7
4
3
6
,
1
3
5
4
6
,
4
5
5
4
5
,
9
7
4
4
3
,
8
7
5
5
1
,
3
5
5
1
,
4
2
T
r
o
f
a
2
3
V
a
l
e

d
e

C
a
m
b
r
a
2
5
7
5
,
0
0
4
4
0
,
0
0
4
7
5
,
0
0
5
7
8
,
0
0
4
7
0
,
0
0
4
4
7
,
0
0
3
7
0
,
0
0
4
6
5
,
0
0
4
4
5
,
0
0
5
5
5
,
0
0
4
6
5
,
0
0
4
6
0
,
0
0
5
6
2
,
2
6
6
2
,
0
8
V
a
l
e
n
ç
a
1
9
3
6
4
,
7
0
4
4
8
,
5
3
4
5
5
,
8
8
4
8
5
,
9
0
5
6
3
,
0
0
4
5
8
,
0
0
3
6
2
,
5
0
4
6
0
,
0
0
3
5
7
,
5
0
4
5
3
,
0
0
5
6
1
,
4
2
6
0
,
9
0
V
a
l
o
n
g
o
1
3
4
2
,
9
0
4
3
,
6
0
2
5
7
,
1
0
4
4
5
,
7
0
5
5
8
,
9
0
4
4
6
,
2
0
3
5
9
,
6
0
4
5
7
,
7
0
4
6
1
,
5
0
4
5
0
,
7
4
4
8
,
1
3
V
a
l
p
a
ç
o
s
1
4
V
i
a
n
a

d
o

C
a
s
t
e
l
o
4
4
6
2
,
7
0
4
4
8
,
0
0
4
4
7
,
7
0
4
5
3
,
4
0
5
5
4
,
7
0
4
5
7
,
0
0
4
5
3
,
9
0
5
3
,
9
2
V
i
l
a

d
o

C
o
n
d
e
2
3
6
0
,
0
0
4
5
7
,
0
0
2
6
7
,
0
0
5
5
0
,
7
7
3
6
3
,
0
0
5
6
7
,
0
0
4
6
1
,
9
3
6
0
,
8
0
V
i
l
a
N
o
v
a
d
e
F
a
m
a
l
i
c
ã
o
1
8
6
4
7
5
5
3
4
4
0
2
6
7
0
0
4
7
2
0
0
5
6
8
0
0
4
7
1
3
0
3
5
8
0
0
4
6
1
0
0
4
5
8
2
5
5
6
2
6
0
5
5
5
0
0
4
7
2
0
0
2
6
2
7
8
6
2
0
3
V
i
l
a

N
o
v
a

d
e

F
a
m
a
l
i
c
ã
o
1
8
6
4
,
7
5
5
3
4
,
4
0
2
6
7
,
0
0
4
7
2
,
0
0
5
6
8
,
0
0
4
7
1
,
3
0
3
5
8
,
0
0
4
6
1
,
0
0
4
5
8
,
2
5
5
6
2
,
6
0
5
5
5
,
0
0
4
7
2
,
0
0
2
6
2
,
7
8
6
2
,
0
3
V
i
l
a

N
o
v
a

d
e

F
o
z

C
ô
a
2
5
5
8
,
0
0
4
0
,
0
0
0
7
2
,
0
0
4
6
6
,
0
0
2
7
2
,
0
0
2
4
8
,
0
0
2
7
2
,
0
0
2
8
8
,
0
0
2
7
0
,
0
0
2
6
7
,
6
0
6
0
,
6
7
V
i
l
a

N
o
v
a

d
e

G
a
i
a
2
5
7
1
,
7
4
5
3
8
,
9
0
4
6
7
,
6
7
4
7
4
,
0
0
5
6
8
,
5
3
4
5
9
,
2
9
3
7
3
,
1
8
4
7
2
,
8
0
4
6
0
,
2
2
4
6
6
,
3
2
4
7
3
,
9
5
4
7
3
,
0
0
1
6
6
,
6
5
6
6
,
6
3
V
i
l
a

R
e
a
l
2
7
7
4
,
0
0
5
5
4
,
1
0
4
6
0
,
7
0
4
6
4
,
0
0
5
6
9
,
0
0
4
6
8
,
6
0
3
5
4
,
2
0
4
6
3
,
6
0
3
5
8
,
1
0
4
6
4
,
2
0
4
6
7
,
4
0
4
6
6
,
9
0
2
6
3
,
7
2
6
3
,
7
3
V
i
l
a

V
e
r
d
e
2
1
6
7
,
7
8
5
3
4
,
7
2
4
7
7
,
7
7
4
8
1
,
1
1
5
7
3
,
6
1
4
7
9
,
6
2
3
6
9
,
1
1
6
9
,
1
0
V
i
s
e
u
3
8
7
2
,
0
0
4
3
0
,
0
0
5
6
8
,
0
0
4
7
4
,
0
0
3
7
8
,
0
0
5
7
6
,
0
0
4
7
8
,
0
0
4
7
5
,
0
0
4
8
2
,
0
0
5
7
9
,
0
0
4
8
3
,
0
0
5
8
5
,
0
0
4
7
2
,
9
2
7
3
,
3
3
V
i
z
e
l
a
2
5
9
4
,
0
0
5
5
7
,
0
0
1
7
1
,
0
0
5
7
7
,
5
0
4
7
2
,
5
0
4
7
6
,
0
0
4
7
6
,
0
0
4
8
4
,
5
0
4
7
7
,
0
0
5
6
9
,
0
0
4
6
4
,
0
0
4
7
5
,
0
0
5
7
5
,
9
2
7
4
,
4
6
T
O
T
A
I
S
2
1
1
6
8
5
6
2
,
0
5
4
3
,
4
5
5
9
,
6
9
6
3
,
1
3
6
0
,
8
5
6
1
,
7
6
6
1
,
2
4
5
9
,
7
8
5
7
,
4
3
5
7
,
9
1
6
0
,
5
1
5
8
,
5
5
5
8
,
4
4
5
7
,
6
1

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful