Você está na página 1de 2

MAR 1996 NBR 13590

Materiais refratários densos -


Determinação da permeabilidade
ABNT-Associação

A.
Brasileira de

s S.
Normas Técnicas

obrá
Sede:

Petr
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ

para
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Telex: (021) 34333 ABNT - BR
Endereço Telegráfico:

siva
NORMATÉCNICA Método de ensaio
Origem: Projeto 19:002.01-048/1995

xclu
CB-19 - Comitê Brasileiro de Refratários
CE-19:002.01 - Comissão de Estudo de Métodos de Ensaios Físicos de

so e
Materiais Refratários
NBR 13590 - Refractory materials - Determination of the permeability - Method

de u
of test
Descriptor: Refractory material

nça
Copyright © 1996, Esta Norma foi baseada na ASTM-C-577, PRE/R 16
ABNT–Associação Brasileira
Válida a partir de 29.04.1996
Lice
de Normas Técnicas
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil
Todos os direitos reservados Palavra-chave: Material refratário 2 páginas

1 Objetivo 3.1.3 De cada peça da amostra deve ser retirado apenas


um corpo-de-prova.
Esta Norma prescreve o método para a determinação da
permeabilidade de materiais refratários densos.
3.1.4 A base e o topo do corpo-de-prova devem ser para-
lelos e normais ao eixo, não podendo ser ensaiados os
2 Aparelhagem
corpos-de-prova que apresentem defeitos, tais como trin-
A aparelhagem necessária à execução do ensaio é a cas, laminações, segregações, etc.
A.

descrita em 2.1 a 2.3.


s S.

3.2 Ensaio
2.1 Aparelho para a determinação da permeabilidade,
obrá

com adequado dispositivo para fixação do corpo-de-pro-


3.2.1 Secar os corpos-de-prova em estufa a (110 ± 5)oC
va, dotado de instrumentação adequada para medição
Petr

até obtenção de massa constante.


da diferença de pressão entre as extremidades do corpo-
de-prova e da vazão de gás do circuito (ver Figura).
para

3.2.2 Medir o comprimento e o diâmetro do corpo-de-prova.


2.2 Paquímetro com capacidade mímina de 100 mm e
resolução mínima de 0,1 mm.
siva

3.2.3 Posicionar o corpo-de-prova no dispositivo fixador


do aparelho, de forma a se obter uma perfeita vedação
2.3 Estufa capaz de manter a temperatura a (110 ± 5)°C.
xclu

entre a borracha e a superfície do corpo-de-prova.


3 Execução do ensaio
so e

3.2.4 Passar gás através da amostra e medir a pressão


3.1 Preparação do corpo-de-prova diferencial entre as extremidades do corpo-de-prova.
de u

3.1.1 O corpo-de-prova é constituído de um cilindro reto


3.2.5 Medir a vazão de gás por meio do corpo-de-prova,
com (50 ± 0,5)mm de comprimento e (50 ± 0,5)mm de
nça

usando instrumentação adequada.


diâmetro.
Lice

3.1.2 O corpo-de-prova deve conter pelo menos uma das 3.2.6 Realizar seis medições em cada ensaio, utilizando
superfícies originais da peça da amostra. diferentes valores de pressão e vazão de gás.
2 NBR 13590/1996

4 Resultados L = comprimento do corpo-de-prova, em m

4.1 Cálculo
A = área do corpo-de-prova, em m2
Calcular a permeabilidade, utilizando a seguinte equação:
∆P = pressão diferencial aplicada à amostra,
µ.Q.L em (Pa)
Lice

K = . 100
A . ∆P
4.2 Relatório
nça

Onde:
de u

K = permeabilidade, em m2 O resultado deve consistir na média aritmética das de-


terminações efetuadas, bem como nos valores individuais
µ = viscosidade do gás, em Pa.s destas.
so e

Q = vazão, em m3/s
xclu
siva
para
Petr
obrá
s S.
A.

Legenda:
Lice

1 - Reservatório de gás
nça

2 - Medidor de vazão
de u

3 - Dispositivo com amostra


so e

4 - Manômetro
xclu

Figura - Diagrama esquemático do aparelho


siva
para
Petr
obrá
s S.
A.

Você também pode gostar